Golpe pode cair de vez porque está ficando muito caro para o país

Análise

maranhão

 

Surpreendeu-se quem quis com a medida do presidente interino da Câmara, Valdir Maranhão (PP-MA), que anulou a sessão ilegal daquela Casa que acolheu o pedido igualmente ilegal de impeachment protocolado pelos advogados Janaína Paschoal, Miguel Reale Jr. e Hélio Bicudo.

No dia em que o STF afastou o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (5/5), este Blog publicou o post Golpistas em pânico: queda de Cunha pode anular o impeachment. Um trecho do texto fala por si mesmo:

Valdir Maranhão (PP-MA), o 1º vice-presidente da Câmara, quem irá assumir o lugar de Cunha enquanto a Câmara não lhe cassar o mandato, votou contra o impeachment e certamente colocará fim à paralisia legislativa e aos golpes contra o governo Dilma

Claro que os fascistas baixaram em peso no Blog para  cantar vitória antes do tempo e desqualificar uma análise baseada em fatos concretos e em informações de fontes abalizadas que está página detém. Já virou costume isso. A última vez foi sobre a 24ª fase da Lava Jato.

E a medida de Maranhão foi apenas uma das que poderiam ter sido tomadas contra o golpe. Como antecipou este Blog no sábado, o STF estava para anular a sessão da Câmara de 17 de abril por vícios de origem. Seria muito difícil manter uma sessão conspurcada pela ilegitimidade de Cunha, por chantagens, subornos e intimidações praticadas pelo ex-presidente da Casa à luz do dia, diante de todos os que quiseram ver.

A nova votação do impeachment altera todo o jogo. A votação do Senado terá que cumprir novo prazo a partir de nova votação na Câmara. O jogo volta à estaca zero.

Claro que os autores do impeachment, entre outros, irão ao STF tentar anular a anulação, mas não vai passar. É mais fácil o STF também anular a sessão da Câmara ao menos retoricamente, já que existe decisão anterior nesse sentido.

Mais adiante, a Corte pode vir a discutir o mérito do impeachment e anular o processo, já que não existe o crime de responsabilidade alegado por Janaína, Reale Jr. e Bicudo.

Por que tudo isso está acontecendo quando todos já davam a derrubada de Dilma como favas contadas, o usurpador Michel Temer já formava seu “governo” e assumia “compromissos” e a mídia golpista já cantava vitória? Há bons indícios.

Quem quiser um exemplo de como esse impeachment ameaça prejudicar o Brasil de uma maneira duradoura e avassaladora pode ler artigo do prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel publicado na Folha de São Paulo nesta segunda-feira, 9 de maio. O texto retrata o vexame internacional a que o Brasil está sendo submetido por ação de uma imprensa e de uma oposição literalmente fascistas, mancomunadas com hordas fascistas espalhadas pelas ruas.

Pelo mundo inteiro, já existem estudos dando conta de que o Brasil pode perder investimentos e respeito no cenário internacional por conta da violação dos cânones democráticos da forma tão grosseira como vem ocorrendo.

Em política, tudo é uma questão de custo benefício. Quando o custo de algum caminho político fica maior do que o benefício, a classe política não hesita em mudar de rumo. Foi assim ao aderir ao golpe, será assim ao abandonar o golpe.

O impeachment ainda pode vingar? Sim, claro. Não podemos nos esquecer de que os golpistas dispõem da Lava Jato para forjar fatos políticos, efetuar prisões ilegais, fustigar um único lado do espectro político. Mas o mundo está de olho no golpe. O Brasil pode ir por esse caminho, mas irá se arrepender amargamente. Ainda acredito, pois, que o bom senso prevalecerá.

Lembre-se, leitor: este blogueiro não joga palavras ao vento. Já provou isso muitas vezes. Eu mesmo já dava o impeachment como favas contadas, mas os ventos mudaram e avisei aqui. A defenestração de Cunha e a denunciação do golpe estão mudando o cenário.

Termino oferecendo o artigo do Prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel denunciando o golpe em curso no Brasil.

 

PRÊMIO NOBEL DA PAZ CONDENA GOLPE NO BRASIL

 

Folha de SP

Tendências/Debates

ADOLFO PÉREZ ESQUIVEL

Chega de golpes na América Latina

09/05/2016  02h00

A democracia, cuja conquista nos custou tanto, está novamente em risco na América Latina. A situação que o Brasil vive hoje afeta a todos os povos da região.

Em minha passagem recente pelo Brasil, reuni-me com a presidente Dilma Rousseff para oferecer meu apoio e o de muitas organizações, dado que a oposição no Congresso procura destituí-la do cargo, que ela assumiu pelo voto majoritário, por meio de impeachment baseado em um delito inexistente.

A oposição aponta contra Dilma procedimentos contábeis já praticados por governos anteriores, e inclusive por muitos dos acusadores da presidente.

Trata-se de uma situação semelhante aos golpes brancos que já vimos recentemente em Honduras e no Paraguai. Todos motivados por procedimentos ilegais para violentar a vontade popular, com um aumento da repressão e das políticas contra o povo.

Há, por trás desse processo de destituição, um projeto econômico explícito de maior dependência, privatização e desnacionalização.

Provável futuro presidente da República, Michel Temer já manifestou sua intenção de impor ao Brasil políticas econômicas contrárias às escolhidas pelos eleitores, como privatizar tudo o que for possível da infraestrutura do país e reduzir as políticas sociais das quais dependem os setores mais vulneráveis.

O Senado Federal do Brasil convidou-me cordialmente a oferecer uma mensagem na sessão do dia 28 de abril, e ali transmiti minhas saudações e a preocupação com a possibilidade de um golpe de Estado no Brasil. Lamentavelmente, a resposta dos senadores da oposição não foi levantar dúvidas sobre o processo que promovem, mas pedir que as palavras “possível golpe”, contidas em minha breve mensagem, fossem cortadas da versão estenografada.

Após a sessão, tivemos um encontro com dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que nos manifestou sua preocupação com a situação do país, com o aumento do ódio, da intolerância e da descrença na política e na institucionalidade.

Steiner mostrou-se também aflito com a atitude da direção política opositora, que, na sessão da Câmara dos Deputados que aprovou o impeachment, permitiu que parlamentares fizessem apologia da ditadura e da tortura, sem sofrerem qualquer reprimenda. Ele teme que o clima exaltado das ruas transcenda os limites do respeito.

Por sua parte, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, de maneira muito respeitosa, transmitiu-nos sua inquietação diante de uma crise política de tal magnitude, que não se imaginava mais possível após a redemocratização do Brasil.

Encerrei minha visita compartilhando o Dia do Trabalho com os movimentos sociais que lutam para defender os direitos de nossos povos à terra, ao teto, ao trabalho e à democracia. A ansiedade desses grupos não é pouca, levando em conta que os deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária já estão pedindo a Temer que use as Forças Armadas para reprimir protestos sociais e desalojar assentamentos rurais e indígenas.

As organizações sociais brasileiras resistem com esperança, pois sabem que a luta é justa. Elas contam com a solidariedade de várias entidades internacionais. Não queremos mais golpes de Estado na América Latina.

ADOLFO PÉREZ ESQUIVEL, 85, argentino, é arquiteto, escultor e ativista dos direitos humanos. Recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1980

Tradução de CLARA ALLAIN

*

PS: a mídia golpista está em pânico com a medida de Maranhão. Diz que a votação de 17 de abril é indubitável. Se for assim, qual o problema de haver outra, já que a anterior estava conspurcada pela conduta de Eduardo Cunha, tipificada pelo STF como CRIMINOSA?

PS 2: O Senado provavelmente não vai interromper a sessão do golpe, mas como a Câmara anulou a sessão que remeteu o processo ao Senado tudo isso vai acabar no STF, que deve dar liminar para que o processo recomece, para que não se afaste um presidente legitimamente eleito sem certeza da lisura do processo

97 comments

  • Fiquei, de fato, surpreso, embora torcesse para que essa decisão fosse tomada. Vamos aguardar os desdobramentos dessa decisão. A luta continua.

  • Caro Eduardo,

    Como sempre, muita boa a sua fundamentação. Li com muita atenção o seu texto, mas temo que o recurso da oposição caia nas mãos do ministro Gilmar Mendes ou até mesmo do ministro Dias Toffoli, hoje um seguidor do dito ministro.

  • Edu, salve a democracia e os 54 milhões de votos que a presidenta teve.
    Porém não acredito mais no STF e esse tribunal se transformou num braço “legal” do golpe.

  • Salve Salve…..

    Hoje volto a sorrir….estava triste a cabisbaixo!!!!
    O mal levou um golpe do bem agora!!!
    Espero que os proximos capitulos sejam a nosso favor!!!

  • Edu você leu essa conversa contada pelo Garotinho de que Cunha está com a faca nos dentes , se sentindo traído e com espírito de vingança contra Temer e outros caciques golpistas do PMDB? Ele não só se sente abandonado, mas ficado, jogado no mar e não aceita solidariedade só ele que algo concreto.
    Deve ter visto que ter aceitado esse impeachment ao mesmo tempo foi pra linha de tiro do STF no caso de ser vice presidente. Tivesse ficado em cima do muro, estaria na Câmara até hoje e conseguir iria se livrar da cassação no conselho de ética, operando lá para se safar. Deve ter calculado tudo, inclusive colocando um vice na Câmara o Maranhão votando contra o golpe para que ficasse claro que poderia ao perder o cargo na Câmara usar um dos seus para pressionar o governo golpista Temer.

    http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigomobi.aspx?id=21222

  • Eduardo.
    Premonição, pressentimento?
    Brincadeira. Suas informações não podem ser descartadas, mesmo combatidas
    a hora da verdade sempre chega.
    Parabéns

  • Na última sexta-feira à noite estava voltando pra casa aqui na Vila Mariana, São Paulo, e vi que todos bares da região estavam lotados. As ruas no sábado à tarde e noite também igualmente cheias de carros. Está claro que o brasileiro nunca teve um padrão de vida como este que tem agora e que a crise é resultado de uma outra mundial e, também, de como os golpistas vêm travando e desestimulando nossa economia, impedindo-a de correr nos trilhos. Creio que com o fim do absurdo do impeachment as coisas possam voltar a melhorar.

  • Mesmo que o GOLPEACHMENT passe. Essa decisão do Presidente da Câmara é uma VERGONHA para a Justiça Brasileira.

    Se existisse Justiça no Brasil esse GOLPEACHMENT nem seria aceito.

    • É possível que o Senado não queira parar o processo. Dessa forma, tudo será resolvido no STF – se o processo volta à estaca zero (com interrupção do processo no Senado à espera de a Câmara votar de novo)

  • Caramba! Estou pasma. Será isto mesmo? Mas quem é Waldir Maranhão, e se for decisão por parte de Cunha, para dar um recado à Temer? Só porque ele votou contra o golpe, não significa nada. Um golpe dentro do golpe? Concordo com o colega que disse, Deus é brasileiro, só pode…

    • Essa tese é ridícula. Maranhão votou contra o golpe em 17/4. Teve coragem de enfrentar Cunha lá atrás. Ligam-no a Cunha para desmoralizá-lo. Cuidado com teses militontas de gente que ajudou a jogar o Brasil nesse buraco. Essa matéria que você leu é bobagem

      • Deus te ouça Edu! Realmente, estou muito confusa e descrente da justiça brasileira. Mas sou contra o golpe e a favor da democracia. Abraços.

  • O placar da votação foi de 367 X 137, ou seja 71,5% dos deputados são a favor do impeachment.
    Quer dizer então que apenas um deputado tem o poder de anular a vontade de outros 367?
    Além disso não há previsão previsão no regimento interno da câmara para esse ato.

    • Ei SEBA, 367 deputados não, 367 GOLPISTAS, deputados são os que votaram contra o GOLPE, A VERDADE SEMPRE PREVALEÇE CONTRA A MENTIRA, e nós as pessoas que querem um BRASIL MAIS JUSTO, iremos continuar na luta. Viva OS NEGROS, AS JESSICAS, OS EXCLUÍDOS, viva a JUSTIÇA que sempre prevalecerá.Quem nos representa é a PRESIDENTA DILMA.Chora COXINHA.

      • É mesmo é ?
        Quer dizer que os votos dos 137 deputados contra o impeachment valem mais do que os 367 que a favor?
        Apenas 137 tem o poder exclusivo sobre a “defesa dos pobres e negros e um Brasil mais justo” enquanto que os outros 367 (que igualmente foram eleitos pelo voto popular) são tudo “golpistas”?
        Então tá.

    • Quer dizer então que um bandido(Presidente da Câmara) que tem 367 bandidinhos na mão pode tirar uma Presidenta reconhecidamente honesta e integra que não cometeu nenhum crime de responsabilidade e teve 54 milhões de voto do povo brasileiro?

  • Antes de a sessão de 17/04 ser julgada no STF será julgada essa decisão de Maranhão, que ao que me parece não se sustenta legalmente.

    • O que te parece é o que você quer que pareça. Se Cunha foi afastado por manipular a Câmara o STF não permitirá que prossiga processo de anulação suspeita do voto popular. A diferença entre nós é que eu não brigo com os fatos. Antes de surgir o fator Cunha há eu já havia aceitado esses fatos. Tudo que eu disse depois se deve a apuração e análises isentas. Coisa que vocês não são capazes de fazer

      • O ministro Luis Fux acabou de rejeitar um mandado de segurança com as mesmas alegações colocadas pelo governo (por meio desse Maranhão).

        O Renan não devolveu o processo a Camara por achar a decisão ilegítima…

        Eu, como advogado, também não encontro nada que juridicamente ampare essa decisão do presidente interino da Camara…

        Por favor esclareça qual artigo da Constituição, ou do regimento interno que corrobore a decisão.

  • Infelizmente, trata-se de uma aberração. Digo infelizmente pois prefiro ver o PT se autofagocitando no poder, para daí acabar de uma vez.

    O Maranhão, ao fundamentar seu ato, baseou-se na hipotética impropriedade dos partidos ao fecharem questão, e na forma de encaminhamento dos autos ao Senado, que teria que obedecer outro trâmite. Ou seja, não falou em golpe, suborno, ou nada relativo ao mérito, prendeu-se a filigranas.

    O ato é nulo na origem, pois o processo já não mais pertence à Câmara, mas sim ao Senado, que sequer interrompeu seu cronograma. O STF, por sua vez, acompanhou “pari passu” os trabalhos, desde a comissão até o plenário, como referendaria agora a nulidade daquilo que o próprio órgão endossou?

    • Porque o STF decidiu que Cunha viciou suas ações. E como uma nova votacão evidentemente não anula o processo a tendência será a Corte suspender o afastamento liminarmente. Antes ou depois de ocorrer

    • Aberração foi a Câmara, na pessoa de um criminoso, ter aceito o encaminhamento de um pedido ilegal e imoral de impedimento da pessoa mais honesta que ocupou a Presidência, desde 15 de novembro de 1889. E o STF, se coragem tivesse, teria decretado ato nulo a reunião da Câmara de 17/4, por vício de origem, já que os votos, conforme gravado na TV, não tipificaram o ‘crime’ a que estavam condenando a Presidenta-mártir. E o seu destino, meu caro Sanchez, é continuar batendo penicos e panelas na Paulista, apoiando esses ilibados e honestíssimos senhores e seus cães amestrados a usurparem o legítimo poder alcançado nas urnas. Triste sina esta sua…

  • Edu, em seu artigo anterior você havia antecipado uma certa esperança, principalmente acreditando em suas fontes do STF, mas, a gente tem passado por tantas decepções nesta mesma corte que eu fiquei descrente, felizmente, mais uma vez você acertou. Vamos comemorar, porém, com uma certa cautela, pois, muita água ainda vai passar por baixo dessa ponte (não a do futuro).

  • Caro Edu,
    Alem do seu conhecimento deste Processo, voce acredita que o Senado pode melar esta anulação da Camara e dar continuidade no impedim,ento da DILMA.ABS

  • Prezado Eduardo:
    Foi um tremendo golpe contra os golpistas. Com certeza os golpistas vão para o contra ataque com toda a virulência que o capital financeiro pode oferecer. Eles, pouco estão se preocupando com o pais e sim com aqueles que compraram os seus votos. Enquanto eles lambem as feridas causadas pelo ato de Waldir Maranhão, os golpistas reaglutinarão suas forças(mídia, capital nacional, CIA,petroleiras e demais carniceiros internacionais) e recorrerão ao STF cuja maioria demonstra que pouco se incomoda em ser constitucionalista .

    “A nova votação do impeachment altera todo o jogo. A votação do Senado terá que cumprir novo prazo a partir de nova votação na Câmara. O jogo volta à estaca zero.”
    Sim, o jogo volta a estaca zero; entretanto os espíritos dos jogadores , sejam militantes, simpatizantes e todos aqueles que perceberam ( com as entrevistas de Michel Temer e seus asseclas ) que o que está em jogo não é apenas tirar o PT do poder e sim a destruição da democracia e do país com o desmonte do seu parque industrial, a destruição da base social, tirando os direitos trabalhistas dos empregados, fazendo-nos retroceder no mínimo a uns 70 (setenta) anos, transferindo mais renda da classe trabalhadora para as classes mais abastadas da sociedade; querendo confundir e realmente confundindo regime político(democracia) com sistema econômico( capitalismo ), pois” o neoliberalismo nada mais é do que uma ordem social destinada a gerar rendimentos para as faixas superiores de renda, não para investimentos na produção, muito menos para o progresso social. Nos paises centrais, a acumulação do capital privado foi sacrificada em favor da distribuição de rendas em benefícios das camadas mais altas”.
    Este é o quadro desenhado pela equipe de Temer e seus seguidores.Os donos dos capitais batem os dedos, os cachorros aqui sacodem o rabo e os coxinhas ficam latindo felizes com o desemprego que espreita o trabalhador brasileiro e suas conquistas trabalhistas e sociais Nada entendendo mas fingindo entender tudo.

  • confesso que já dava como certo a queda da Presidenta Dilma, até estava deprimido, sem vontade de ler os blogueiros, achando que não adiantava se informar, discutir e postar textos sobre politica.. tb depois do que a câmara e o stf fizeram nestes ultimos dias..já tinha perdido a esperança, mas hoje me animei ainda que um pouquinho!!

  • Sr. Eduardo;
    Mesmo que este pedido acabe arquivado, como ficariam, na sua opinião, os outros pedidos de impeachment atualmente “na fila” para serem apreciados? Creio que esta “fila” é um item relevante nesta discussão. Saudações.

  • Entrei na página do Maranhão e enviei mensagens pedindo a anulação do golpe , Lhe dizia que voltariam os atores de sempre ,no eixo Rio , Sul e São Paulo a se darem bem , e que o norte e nordeste ficariam a mingua como sempre foi , como no passado , quando a turma de São Paulo tomava conta do Br.
    Mesmo vendo artigos falando de Democracia e coisas boas do Brasil em sua página , não acreditava em uma vitória nesta. Tô muito feliz , vou pra rua hj comemorar juntos com os brasileiros que não desiste nunca. Obrigado Waldir Maranhão , o Brasil agradece !

  • O Renan já disse que o impeachment seguirá normalmente o seu cronograma. Muito provavelmente Dilma será afastada na quarta-feira e na quinta-feira Temer assume interinamente a presidência.

    As vezes fico pensando:

    Será que tudo isso já não foi longe demais?
    Acho que o Brasil precisa virar essa agenda do impeachment. Seja pela continuidade do governo do PT, seja pelo fim dele.

    O que não pode é o Brasil ficar mais tempo refém dessa pauta única.

    Me pergunto o seguinte:

    Dilma teve 137 votos na câmara no dia 17 de abril. São 503 deputados. O governo não conseguiu 30% de apoio dentre os congressistas. Tem com governar com 137 deputados?

    Gosto de chamar as coisas pelos nomes que elas tem e na minha opinião Dilma sofreu um golpe sim, pois a denúncia contra ela é fraca, mas ao mesmo tempo é notório que Dilma perdeu as condições mínimas de governabilidade. A câmara (que é um lixo, sim) já a impichou. Dilma não governa mais, o governo acabou.

    Vale a pena o governo ficar lutando com unhas e dentes pelo…pelo q mesmo?

  • A Mídia golpista já sabia que isso ia acontecer, por isso iniciaram na semana passada um processo clássico deles, desqualificar a figura do político Waldir Maranhão. Os Golpistas não deixam nada passar em branco. VAI TER GOLPE.

  • Vamos ver como o STF sairá dessa sinuca de bico.

    A demora do STF em afastar o Cunha é injustificável e agindo assim ele colaborou com o golpe.

  • Edu, você é bom muito bom mesmo, parabéns, mas o império contra ataca: Renan diz que não vai obedecer a anulação da câmara, e agora?

  • Mesmo acreditando piamente nas análises seguras do prof. Dalmo Dallari de que o STF não avalizaria o GOLPE fica ainda um receio muito grande. Até prova em contrário, o STF continua sendo parte ativa do Golpe. Gostaria muitíssimo de estar enganado. Observação, os precedentes do STF não são nada animadores.

  • A única coisa que a tresloucada decisão anulará é o próprio mandato do bigodón. E você é muito fraco de previsão. Não vi acertar nada até hoje. Não será agora. Quer um palpite mais seguro? Anote aí: na quarta-feira, Dilma seguirá para um eterno ostracismo. Adieu!

    • Bom, eu previ que vocês seriam derrotados nas últimas quatro eleições presidenciais, previ que o golpe ia subir no telhado – agora está judicializado – e previ até a 24a fase da Lava Jato. Você não viu porque não quis.

      • “Wishfultinking” não é previsão e chicana não é judicialização. O STF manterá o que foi e será decidido pela Câmara e pelo Senado.

        • Primeiro que se escreve “wishful thinking” e não “wishfultinking”. Segundo que a decisão do STF ainda será conhecida. A expressão idiomática inglesa, em tradução livre, significa autoengano. Dar como certo qualquer desfecho no STF não passa disso

          • Agradeço a correção da grafia. Você daria um bom profissional de copidesque, embora erre no alvo como tradutor. Wishful tinking quer dizer algo como “pensamento desejoso”, ou seja, um modo de pensar informado mais pelo desejo de quem pensa do que pela realidade exterior. É uma das causas do auto-engano (self-deception), mas não é a mesma coisa. Mas sua dificuldade maior é mesmo como intérprete da cena política. Não estou dizendo que um Levandowsky, um Melo e, mais dificilmente, um Barroso não se sintam tentados a caminhar na direção de seu “wishful thinking”. O fato, porém, é que o plenário do STF conta com 11 ministros. Aceite a realidade: se – e somente se – a alta corte ousar entrar em juízo de mérito nesse processo, o melhor cenário para vocês é uma derrota de 8 a 3. Mas o mais provável é que nem se realize tal julgamento. Fica aqui a minha previsão contra a sua, e deixemos que o tempo (não muito tempo) faça o resto do serviço.

  • Um sujeito ai postou algo afirmando que um deputado teve o poder de anular o voto de 367 deputados e achou isso uma aberração. O que dizer então desses 367 deputados que cassaram os votos de mais de 54 milhões de brasileiros ? Abração, Eduardo. Espero te ver em BH.

  • Caro Eduardo,

    O ódio ao governo da presidente Dilma é muito maior do que o que é propalado por aí. Isso, pude verificar na sessão do Senado Federal ocorrida agora há pouco, onde vários senadores destilaram o seu veneno contra o atual governo. É estarrecedor esse momento que vive o Brasil.
    Notícias dão conta de que o senador Renan Calheiros rejeitou a decisão do presidente da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão, que anulou a admissibilidade do processo de impeachment votado recentemente pelos deputados. Tudo isso ocorre em função do ódio que se espargiu em diversas camadas da sociedade brasileira.

  • Sempre fico com um pé à frente e um milhão atrás com a dita cuja Corte Suprema, o STF sabe que o Golpe somente se consumará com a chancela da maioria dos togados.

      • Nunca vivi um momento político desse. Todas as instituições estão sendo chamadas para o centro da discussão. Teremos história pura para a eternidade. Que seja de superação, que seja de uma nação independente e democrática. Ainda confio no Brasil, apesar de ver como muitos estão nus na nossa frente.

      • Concordo Eduardo, será no STF que o Golpe se efetivará, ou não. Quem dará a palavra final sobre o Golpe de Estado em andamento no Brasil será a Suprema Corte, de lá que entrará para a História.

  • Edu,

    Porque agente não vê nenhum parlamentar, tipo paulinho da farsa reclamando da anulação do golpe?
    Ta tudo caladinho, isso dias depois da defenestração do cunha e o paulinho dizendo que estao 200 deputados precupados sobre a cassação do cunha, e possivelmente deles depois? Estranho…ta parecendo jogo do cunha.
    Como existe um atrito entre camara e senado, o processo esta definitivamente judicializado, como voce diz, voce é um dos blogueiros mais antenados da rede, parabens!

    Lindo, voce viu? ocuparam o planalto e chamaram de “Quilombo do Planalto”, lugar de resistencia!!!

    Abraço

  • :
    : * * * * 19:13 * * * * .:. Ouvindo A Voz do Bra♥♥S♥♥il e postando: Viva o BraSil ! ! ! !
    .:.
    * 1 * 2 * 13 * 4
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    ::
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
    * * * *
    * * * * * * * * * * * * *
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

  • :
    : * * * * 19:13 * * * * .:. Ouvindo A Voz do Bra♥♥S♥♥il e postando:
    .:.
    * 1 * 2 * 13 * 4
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
    * * * *
    * * * * * * * * * * * * *
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

  • Uma pena Renan não acatar.
    Queria ver a reação da população, queria saber qual é o limite da sua tolerância com o petismo.
    Fora ver o petismo defender a ação do atual presidente da câmara..

      • Eu creio que nem o regime militar anulou uma decisão de uma seção do congresso como o pt pretendeu.
        E aquela coisa da ditadura perfeita que se apresentará como uma democracia.
        Eu já lhe disse quando o PT estiver enforcando cidadãos em praça publica “vocês” estarão aplaudindo e gritando “traidores” como na cena do filme “1984′.

  • Eduardo, já estamos acostumados com seu otimismo, mesmo sem que ele distancie suas análises da realidade. Mas vejo que hoje é diferente, você põe mais ênfase nas “fontes”. Nem ouso saber mais, prefiro acreditar.

  • Edu,

    Os “Cocoons” do Senado estão mais sujos que pau de galinheiro então não vão aceitar a herança de Cunha. Renan, Juca , Motorista de Marighela, Cerra USA , Martaxa e outros devem ao fisco e não interromperão o “coito”

  • Antes de me colocar, quero ressaltar que gostaria que você estivesse certo em tudo, mas infelizmente acho que não está. Assim, o Senado vai realizar a sessão de quarta, Renan Calheiros já avisou que a manterá(seguindo a natureza de canalha que o caracteriza). E aí!!!!!!!!!?????? Como ficaremos!!!!!!!!?????? O Senado derruba Dilma e o STF vai “analisar” depois!!!!!!!!!!!?????? Depois de que!!!!!!!!!!?????? De Temer assumir e ele, junto com as multinacionais e os EUA, já terem comprado todo mundo!!!!!!!!!!!!?????? Já sei que você dirá que o STF deve deferir uma Liminar, ou impedindo a realização da sessão de amanhã(o que é menos provável) ou suspendendo o processo até ulterior deliberação. Espero que você esteja certo, se for essa sua posição, MAS SABE QUANTAS VEZES ACREDITO QUE OS NOSSO 11 REACIONÁRIOS DO STF, QUE ODEIAM O PT, LULA E DILMA; VÃO FAZER ISSO? NENHUMA. É mais fácil me convencerem de que William Bonner cantará a Internacional Socialista no JN. Afinal, como você mesmo escreveu há algum tempo neste blog : se o cavalo do golpe passar encilhado, a direita monta nele. E o cavalo do golpe não está apenas encilhado, está na beira da linha de chegada para a “vitória” dos fascistas. Você acha que o glorioso STF vai tirar a bala da boquinha da turminha!!!!!!!!!???????? Desculpe, mas tenho certeza de que isso não acontecerá(aliás, outros também, como Fernando Brito e Paulo Henrique Amorim). Está tudo combinado entre eles e DETERMINADO pelos EUA. O resto é luta política contra esses merdas. Amanhã fervamos este país com o ensaio de greve geral. Essa é a fronteira aonde poderemos lutar, como também continuar denunciando o golpe ao mundo, colocando a Globo como sua líder local e os EUA como Comandante Supremo. O resto é otimismo ingênuo. Se você estiver certo e Dilma não cair na quarta, reconhecerei meu erro neste espaço.

  • A Argentina não conseguiu barrar a vitoria da direita. O Brasil também dificilmente conseguirá. A Venezuela, no entanto, com a a população chavista nas ruas está conseguindo. Hoje os movimentos sociais queriam ocupar o Planalto, mas o Ricardo Berzoini não permitiu que eles fizessem isso.É muito fair play e muita esperança de vitória no tapetão. Isso é para quem gosta de perder. Sem greve geral e ocupações, já era.

  • Renan vai dar prosseguimento ao impeachment e na quarta, Dilma será afastada.Temer assume interinamente a presidência e Dilma dificilmente volta.

    Eu estou cansado.

    Na minha opinião, Dilma sofreu um golpe, mas vale a pena lutar contra ele?

    Olha o momento em que chegamos. O país está de ponta cabeça.

    Crise econômica, crise política, crise moral. Dilma quer mais 2 anos e 8 meses pra q afinal?

    Será que vale a pena continuar lutando contra um sistema de forças que a cada vez parece maior, muito maior do que se anuncia?

    Se Dilma, por um milagre, voltar a presidência (depois do inverno de 180 dias, porque afastada na quarta ela será), ela pretende governar como?

    Vamos ser realistas, gente. O governo tem 130, 140 votos no máximo na câmara. Não existe mais condições mínimas de governabilidade.

    Eu entrego os pontos. De resto espero que a história faça justiça.

  • Edu,

    Depois que esse processo chegar ao STF e lá for decidido seja de forma legal e em favor da democracia ou de forma contrária à CF, portanto atendendo aos golpistas, você pode escrever um artigo explicando que a atitude do presidente interino da Câmara não foi a de um despreparado ou intempestivo. lembre aos leitores que Flávio Dino é juiz de Direito e que ele e o AGU podem ter elaborado uma estratégia de provocar o STF a se manifestar quanto à forma e mérito do processo de impedimento. Na breve nota de Maranhão, anulando as sessões de 15, 16 e 17 de abril, ficou claramente demonstrada uma ilegalidade procedimental. Ou seja, o AGUA e Flávio Dino, através de Waldir Maranhão, conseguiram uma forma de provocar o STF sem recorrer a ele diretamente. Ressalte-se que essa estratégia é inteligente, já que metade dos ministros da côrte já se mostraram favoráveis ao golpe (gilmar mendes, dias toffoli, celso de mello, cármen lúcia e luiz fux). Um recurso direto do AGU no STF provavelmente seria negado ou julgado improcedente.

    Quem, agora, está com a batata quente nas mãos é o STF. Se a côrte desprezar os recursos contra o pedido de impedimento, por vícios de forma e mérito, todos poderão afirmar que ela se mostrou conivente ou apoiadora do golpe de Estado. A postura omissa e covarde que o STF adotou até agora terá de mudar. Ou apóia o golpe ou defende a Constituição Federal e o Estado democrático de Direito.

Deixe uma resposta