Acusação a Dilma no Senado reconhece falta de crime de responsabilidade

Os senadores antipetistas que inquiriram Dilma na segunda-feira falaram de tudo, menos da causa alegada para o impeachment, mas nem chega a ser justo cobrar deles que entoem uma inquirição atinente à causa do processo se nem os autores Janaína e Reale Jr. conseguiram usar o pretexto de forma eficiente em suas falas na sessão derradeira do julgamento de Dilma. A maior prova de que o golpe é golpe é que o pretexto para abrirem esse processo está totalmente esquecido no momento em que este chega ao fim.

Golpe faz Brasil retomar tradição antidemocrática

Dos 126 anos de República, só 50 anos são considerados ‘democráticos’ e só 4 presidentes eleitos terminaram seus mandatos: Dutra, JK, FHC e Lula. Como os mandatos de FHC, Dilma e Lula foram mandatos de oito anos (com uma reeleição no meio), Dilma, que está para ser derrubada, não se inclui entre presidentes que terminaram seus mandatos. O golpe que está para acontecer é quase uma tradição brasileira. De certa forma, ao voltar a ter um governo ilegítimo o Brasil está voltando à “normalidade”.

Quando o povo descobrir por que derrubaram Dilma, a cobra vai fumar

Ainda vai demorar para o conjunto da sociedade descobrir uma das razões criminosas dos golpistas para derrubarem Dilma Rousseff, mas algumas das pessoas que se deixaram enganar pelo pato da Fiesp já estão descobrindo que patos foram elas ao ajudarem a derrubar a presidente, pois seu substituto veio para eliminar direitos trabalhistas e para vender o patrimônio público a preço de banana em troca de gordas propinas.

Senadora Ana Amélia, não se alegre. STF apoiou o golpe de 1964

A senadora pelo PP gaúcho, Ana Amélia, disse ter “alegria” por “ser golpista ao lado de ministros do STF”. Lewandowski ou Dilma não apoiam o impeachment por participarem do processo, um presidindo ou a outra se defendendo. E o STF presidir o processo não é garantia de nada. Ana Amélia não deve saber, mas o STF apoiou o golpe de 1964, apesar de que ela, filiada ao partido da ditadura, acha que daquela vez tampouco foi golpe.

Falsificação do Datafolha mostra medo que Senado rejeite impeachment

Chega a ser um pouco engraçado o tom de surpresa que o laureado jornalista Glenn Greenwald e seu colega Erick Dau imprimiram a denúncia feita no excelente The Intercept de que o Datafolha falsificou pesquisa que diz que só 3% querem novas eleições. Que diriam esses jornalistas se soubessem que este blogueiro já até abriu investigação contra o Datafolha na Polícia Federal justamente por falsificar pesquisas? Mas o que importa é a razão da fraude. Mais importante que a fraude em si. Diz muito sobre as chances atuais do golpe.

Perícia expõe como denúncia contra Dilma é confusa e imprecisa

Se o processo contra Dilma se amparou em “pedaladas” (ou atraso no repasse de recursos para bancos públicos pagarem programas sociais) e em autorização de créditos suplementares sem aval do Congresso, como pode seguir em frente se, agora, há prova de que ao menos uma das acusações é comprovadamente falsa? Que democracia joga os votos da maioria de seus cidadãos no lixo sob uma denúncia que se mostra tão frágil? Essa acusação é muito fraca para cassar 54 milhões de votos. Está provado.

Golpe de 2016 tende a ficar cada vez mais parecido com o de 1964

Mal entramos no golpe. Reclamam de medidas autoritárias de Michel Temer como as tomadas na EBC / TV Brasil. Costumo responder que é por isso que se chama “golpe”; se os golpistas adotassem só medidas legais e justas o golpe não seria golpe. O que especialistas dizem é que já temos vários pré-requisitos para produzir um “fechamento do regime” como o de 1968, quando a ditadura realmente se estabeleceu no país. Os sinais estão todos aí. Se o golpe não endurecer, morre. A hora de lutar é já.

Dilma pede perícia e golpistas indicam perito antipetista

Enquanto a pátria-mãe permanece tão distraída, é subtraída em tenebrosas transações. A despeito do autoflagelamento do picareta-mor da República e seu “machistério” branco, velho e rico, no Senado os golpistas tocam o processo farsesco contra Dilma Rousseff. De forma suspeita, recusaram auditoria dos documentos contra ela. Obrigados por Lewandowski a autorizarem a auditoria, escolhem um perito antipetista.

Investida da Lava Jato contra peemedebês é só pra inglês ver

Até aqui, a Lava Jato serviu à corrupção ao afastar a presidente que garantia a continuidade da investigação. Mas como o afastamento dela não é definitivo e a prisão de petistas já não tem o mesmo “charme”, se a operação continuasse parada – como estava desde que a derrubada da presidente se mostrou irreversível – haveria o risco de ela voltar, já que as patuscadas de Temer estão afundando os golpistas. Por isso essa encenação sobre prender golpistas como Aécio, Cunha et caterva

Não adianta reclamar de falta de pesquisas, há que mandar fazer

Nas últimas semanas, cresceu muito o contingente de pessoas e até entidades que estranham o desaparecimento de pesquisas sobre o apoio dos brasileiros ao impeachment. Agora, porém, a própria Dilma Rousseff acusa os institutos de pesquisa de esconderem sondagens que mostram que a maioria passou a repudiar sua destituição do cargo, após as trapalhadas de Temer. Se depender dos Datafolhas e Ibopes, porém, tudo continuará assim. Portanto, PT, movimentos sociais e sindicais têm que encomendar e divulgar pesquisa sobre o impeachment enquanto é tempo.