O sofrimento de Victoria

Crônica

publicado, originalmente, em 30 de maio de 2010

Prometera a mim mesmo que tentaria escrever menos sobre a minha vida neste novo espaço, apesar de um blog ser, por definição, um diário, só que na internet. E, sendo um diário, um blog serve para que nele se registrem reflexões, ponderações, análises, desabafos, comemorações, enfim, tudo o que se passar na alma do autor.

Mas achei de tentar me segurar porque os que se opõem ao que faço aqui andam usando meus desabafos para me atingir. Não me preocupo com difamação, porque tenho a consciência em paz. Porém, certos ataques, em determinados momentos em que se está fragilizado, machucam.

Mas depois eu penso: quem usa o sofrimento de um homem com uma filha doente para atacá-lo é que é digno de pena. Essas pessoas acabam difamando a si mesmas ao alardearem esse tipo de ataque contra alguém. Então volto aqui para desabafar, porque me faz bem e porque não dou a mínima para o que possam pensar.

Enfim, só acessa o meu blog quem quer. Se o construí, nestes anos todos, escrevendo o que queria, o que sentia, o que precisava escrever e há quem continue me lendo, então, de alguma forma, faço bem ao usar este espaço também para registrar momentos em que o espírito fraqueja.

Passei as últimas 24 horas velando por minha filha Victoria no quarto de hospital em que ela está internada há cerca de duas semanas – acho que a família já perdeu a noção do tempo, eu incluído. Não consegui dormir, ver tevê ou fazer qualquer outra coisa que não fosse postar aqui e ler as notícias, tentando tirar a cabeça da situação nos intervalos entre os picos de sofrimento de Victoria.

Tentativas vãs de lhe alcançar as veias deixaram suas mãos, pés, pulsos, tornozelos e até o pescocinho cheios de manchas rochas, remanescentes de dolorosas agulhadas; a sonda entrando pela narina direita até seu estômago; o “fechamento” da gastrostomia que não cicatriza, vaza suco gástrico e queima a pele da criança; a torturante aspiração com tubo das vias aéreas para coletar secreção excessiva…

Como ela sofre, meu Deus.

Não entendo mais nada. Tenho que compartilhar isto com vocês. Por que um ser inocente, tão frágil, tem que sofrer tanto? Por que essa dor não é reservada para os maduros como eu, para aqueles que já viveram o suficiente para ao menos poderem entender a dor?

Victoria não entende por que aquelas pessoas estão lhe causando dor. Infelizmente, seu cérebro não alcança tanto. Então ela tem medo. Estremece ao menor contato, pensando que já irão machucá-la de novo. Até o meu toque inicial a assustou, hoje.

Não posso descrever como me doeu vê-la se assustar com o toque de meus dedos em seu rostinho. Eu faria qualquer coisa para que ela parasse de sofrer. Trocaria de lugar com ela sem pensar um segundo. Morreria feliz e realizado se a minha morte desse uma vida normal à minha menina.

Provavelmente, daqui a pouco me arrependerei de ter postado este texto, mas então será tarde e ele ficará aqui como tantos outros já ficaram. E, provavelmente, minha filha irá melhorar daqui a algumas semanas, na melhor das hipóteses. Ela já ficou assim outras vezes e se recuperou.

O que me apavora, a única coisa nesta vida que ainda me assusta, não são os grupos de interesses que desafio, os impérios de comunicação ou os políticos poderosos que incomodo, mas a hipótese de que minha filha não volte de um desses mergulhos na dor e no sofrimento que ela começa a dar a espaços de tempo cada vez mais curtos.

Ao terminar este texto, voltarei para o lado da Victoria no hospital onde ela está com o resto da família. Só vim para casa descansar um pouco e comer. Assim que este espírito amainar, volto aqui para liberar comentários e, com sorte, para dizer que estava muito impressionado por conta de uma noite insone.

124 comments

  • Caro Edu voce tem todo o direito de desabafar aqui no Blog. Garanto que a maioria dos que aqui frequentam, não pensam dessa maneira. Deve ser um ou dois insatisfeito com a vida. Segure firme que DEus te ajudará, juntamente com sua filhinha Victoria

  • Sempre digo que a saúde é a maior riqueza dos homens, tenho viva em minha lembrança ,durante a fundação do MSM ,a imagem daquela menina amparada pela familia, que como seu texto diz, tudo faria para que ela não conhecesse tamanho sofrimento, força ao sr e sua bela familia , Eduardo!!!!!

  • Como nós pais sofremos com as dores de nossos filhos, não é mesmo Edu? Espero do fundo de minha alma, que Vitória se recupere. Chore bastante Edu. Faz bem, ajuda a aliviar o coração. Mande um forte abraço tbm para a sua esposa,sou mãe e fico a imaginar como ela tbm deve estar sofrendo.
    Dizem que Deus da a cruz, conforme podemos carregar. Sejam fortes, ṕois força parece que é algo que sua pequenina, tem e muita. Estarei rezando por vcs. Abraços!!!

  • Que Deus te dê força, para um pai, realmente, a dor de ver o sofrimento de um filho é de despedaçar. Eh, ao menos o seu amor está com ela.

  • como dói,como assusta a descrição do quadro de Vitória,vc estava sem dar noticias dela e mais cedo quando passei aqui tive vontade de perguntar por ela,mas sempre imagino que ela está melhor quando vc para de nos informar,edu vc tem que escrever sobre a Vitória sempre pois do lado de cá tem pessoas que estão sempre ao seu lado e de sua familia.

  • Edu, não há razão para se arrepender por ter postado esse texto, pois dividimos com você a dor pela Victoria. Além disso, permita-me dizer que nos tornamos melhores com essa sua experiência, ainda que dolorosa demais. Nossas palavras a lhe oferecer podem parecer vãs nesse momento de sofrimento, mas seu texto e exemplo são carregados de um conteúdo pedagógico enriquecedor.

  • É constrangedor tentar enviar mensagem ou palavras de consolo. Nestes momentos a melhor maneira, em meu entendimento, é o silêncio daqueles que estão próximos. Não posso deixar de externar que compartilho de sua vontade. Tenho dois filhos e uma filha. A cada vez que ficavam ou irão ficar doente, com certeza tenho este sentimento. Gostaríamos de que aquela enfermidade nos enfrentássemos e não a frágil criança. Infelizmente temos que passar por estas privações, semelhantes as descritas no livro de Jó.
    Carlos

  • Caro Eduardo, é preciso ter cabeça fria e coração quente. Que a pequena Victoria se restabeleça rapidamente. A vida há de triunfar.
    Fraternalmente, armando

  • Como nós pais sofremos com as dores de nossos filhos, não é mesmo Edu? Espero do fundo de minha alma, que Vitória se recupere. Chore bastante Edu. Faz bem, ajuda a aliviar o coração. Mande um forte abraço tbm para a sua esposa,sou mãe e fico a imaginar como ela tbm deve estar sofrendo.

  • Caro Eduardo, que Deus lhe de animo e forca para vencer esta dificuldade. Estou orando pela sua filhinha e por voces. Nao que eu seja mais forte ou mais espiritual, mas meu desejo e o de ver a pequena Vitoria bem restabelecida. Sei quao dificil e, tenho uma filha de 27 anos, deficiente e que muitas vezes tem acessos de choro angustiantes. Mas ela mesma nao tem como comunicar-se quando fica nessa situacao. Deus abencoe voces. Voces sao preciosos para nos.

  • Na realidade, essa situação mostra a dimensão humana desse grande Cidadão e Brasileiro que você demonstra que é.Você não está sozinho.Compartilhamos a sua aflição e desejamos e rezamos pelo pleno reestabelecimento de sua filhinha.um abraço de seu leitor diário.

  • Puxa Edu,
    Gostaria de ajudá-lo, mas não sei como. Estou a mais de 1000 km de ti.
    A única coisa que posso e farei é rezar pela pequena VITÓRIA.
    Grande abç.
    Força pra ti e pra tua família.

  • Eduardo, falar, escrever e compartilhar as dores que sentimos faz bem, e você sabe que aqui pode fazer e contar com todos os que lhe admiram e querem o seu bem. Os seus opositores são apenas cidadãos dignos de pena, perdidos nesse mundo, pois não conhecem e nem tem parâmetro do que é ser humano, honrado, digno, ético como você. Peço a Deus que lhe dê muitas forças e fé nos momentos que sentir fragilizado.

  • Que DEUS coloque a sua inocente Vitória no seu colo e faça ele sentir PAZ…em especial nesses momentos de sofrimento insuportável…

    Vc, E.Guimarães, è uma pessoa de Alma GIGANTE….

    Que a graça divina abençõe a vc e sua família

  • Como entender os desígnios de Deus? Como entender este mundo? Como entender a dor de sua filhinha? Desejo-lhe todo a força deste mundo para que possas confortar e proteger a Victoria! Fique em paz, bravo Eduardo Guimarães!

  • Calma meu querido Edu (desculpe a intimidade,é que eu passo horas e horas do meu dia nesse blog, o que faz me sentir próxima de vocês). Peça conforto a Deus. Faça orações que te aproxime do Deus todo poderoso. e Ele te dará forças para esses momentos difíceis. Se vc não tem a prática de orar, simplesmente converse com Deus como se estivesse falando com um pai amoroso.

    No livro de Isais cap. 40 Vr. 29 diz: "Ele (O DEUS TODO PODEROSO) dá poder ao cansado; faz abundar A PLENA FORÇA para aquele que está sem energia dinâmica".

    Temos ainda: Jesus diz em Mateus Cap. 11 Vrs. de 28 a 30: "Vinde a mim, todos os que estais labutando e que estais sobrecarregados, e eu vos reanimarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim pois sou de temperamento brando e humilde de coração, e achareis revigoramento para as vossas almas. Pois o meu jugo é benévolo e minha carga é leve."

    Salmo 57;1 – Mostra-me favor,ó Deus, mostra-me favor
    Porque em ti se refugiou a minha alma
    E na sombra das suas asas me refugio
    Ate passarem as adversidades…

    Não se preocupe em usar esse espaço para problemas particulares. É bom vc compartilhar conosco, assim poderemos nos unir em oração.

    Melhoras para a princesinha Victoria e fica com Deus

  • Edu, imagino a dor de todos vocês, e sei que é um modo de falar, seguramente ninguém, que não tenha passado por situação similar, pode comprender o que sentem. Doe em todos nós só poder oferecer palavras, enviar força, rezar, orar, ficar de longe um pouco mais perto. Porém, se só isso reconforta nem que seja um pouquinho, acho que vc deve, sim, falar da querida Victoria que já é nossa querida guerreira. Abraços muito solidários.

  • A dor é uma coisa sem explicação mesmo. E, quando é nos filhos, dói mais na gente. Não posso ajudar pessoalmente até pelo fator distância (moro em Rondônia), mas quero que saiba que estarei orando por sua filha. Como Deus não é só de evangélicos, ou católicos, ou outra coisa que o valha, creio que Ele há de amenizar o sofrimento de sua filha. Fica na paz dEle!

  • Edu, percebo que vc acredita em Deus então te posto essa mensagem, já tão antiga, mas que sempre nos proporciona um significado novo, que Deus abençoe a todos vcs:

    Uma noite eu tive um sonho…
    Sonhei que estava andando na praia com o Senhor e através do céu, passavam cenas da minha vida.
    Para cada cena que passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia: um era meu e o outro era do Senhor.

  • Quando a última cena passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia e notei que muitas vezes, no caminho da minha vida, havia apenas um par de pegadas na areia.
    Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso me aborreceu deveras e perguntei então ao Senhor:
    – Senhor, Tu me disseste que, uma vez que resolvi te seguir, Tu andarias sempre comigo, em todo o caminho. Contudo, notei que durante as maiores atribulações do meu viver, havia apenas um par de pegadas na areia. Não compreendo porque nas horas em que eu mais necessitava de Ti, Tu me deixaste sozinho.
    O Senhor me respondeu:
    – Meu querido filho. Jamais eu te deixaria nas horas de provas e de sofrimento. Quando viste, na areia, apenas um par de pegadas, eram as minhas. Foi exatamente aí que eu te carreguei nos braços

  • Procuro não postar muito quanto vc fala de sua filha, não por me faltar sentimento e solidariedade, mas precisamente por ter noção plena dos sentimentos que geram esses desabafos seus aqui no blog.

    E eu que consigo falar tão fácil sobre política, sobre qualquer coisa, me sinto incapaz de encontrar palavras para expressar minha solidariedade de uma forma reconfortante como gostaria.

    Mas você se faz mais humano e de certa forma se aproxima ainda mais de nós seus leitores e vice-versa.

    Continue sendo forte, sua filhinha tem a quem puxar.

    Um abraço

  • Querido Eduardo,
    Sempre que você escreve sobre as dificuldades que, juntamente com sua família, está atravessando na batalha pela vida de Victória, eu também penso: pq uma criatura tão inocente tem de passar por tanto sofrimento? pq uma pessoa como vc, que tem ajudado a tantos brasileiros sairem da "escuridão" da desinformação e da alienação política, tem de enfrentar mais essa batalha? Enfim, pq coisas riuns acontecem às pessoas boas (existe um livro com esse mesmo título que li há alguns anos e achei muito bom)? Difícil responder.
    Uma vez me disseram que enquanto houver desafios em nossas vidas e quanto maiores eles forem, maior a presença de Deus, pois é sinal que ele ainda na desistiu da gente. Não sei de ajuda mas tenta sentir essa presença. De coração que se eu pudesse também te ajudaria a carregar essa cruz, nem que fosse por muito pouco, nem que fosse apenas pra vc não se sentir sozinho. Mesmo estando com sua esposa, filhos e amigos próximos, o sentimento de solidão as vezes é inevitável. Sei como é.
    No meu entendimento Victória fez uma opção muito difícil, porém muito corajosa, para sua evolução espiritual, mas já sabia que contaria com uma família maravilhosa para ajudá-la nessa caminhada. Talvez essa seja a parte mais importante da sua caminhada também! Ela precisa muito de vc para atingir o objetivo escolhido, por ela, antes de chegar aqui. Espero que compreenda o tamanho da sua importância e pq não deve fraquejar!
    Grande abraço e muita força! Você vai conseguir!

  • Sinto muito, sentimos com você. Não sei onde você mora nem te conheço pessoalmente, mas para mim és um farol que me dá rumo. Não assino jornais e revistas golpistas, mas leio teus comentários para ter uma avaliação dos fatos isento das ideologias dos poderosos que só enxergam seus unbigos. Força amigo! Que Deus ajude! Vou rezar. Abraço.

  • Caro Eduardo

    Você está defendendo aqui não só a vida da sua querida Victoria, mas das milhares de Victórias que sofrem diariamente e há anos, de fome, de sede, de frio, de falta das mínimas condições de vida, aqui e no mundo inteiro.

    Seu trabalho dignifica o sofrimento da Victoria!

    Aceite meus sinceros votos de plena recuperação de sua filha e tenha a certeza de que ela vai saber do pai que tem e se orgulhar dele.

    Um abraço

    José de Abreu,ator.

  • Poxa Eduardo, sofro com vocês. E fico ainda mais triste por
    não poder fazer nada para ajudar. Espero que ela melhore em
    breve. Estou sempre pensando em vocês com pensamento
    positivo. Abraços.

  • Compreendo perfeitamente a dor incessante que lhe perpassa todos os poros da carne e corrói a alma, com espasmos musculares quase insuportáveis, pois já passei por momentos nessa vida que me vieram de encontro ao limite do sofrimento. A sensação de nulidade que nos domina nestes instantes, saiba, e sei que você Eduardo sabe, é mero raciocínio lógico. Nestas ocasiões, quem dá as cartas é nosso verdadeiro eu, aquele que esquecemos perdido em meio a tantas certezas eruditas. Nossa intuição não cansa de esvaziar o copo de nossas certezas, sempre pronta a conhecer novas perspectivas de vida. Mesmo não lhe conhecendo pessoalmente, posso lhe entregar minhas energias positivas para que Victoria saia feliz deste suplício inimaginável. Rezo para que vocês passem incólumes por mais essa provação.

  • Edu você não tem mais o direito de nos informar de nossa pequena Vitória, mesmo que uns imbecis usem isso para machucá-lo.
    Tem gente do seu lado, nem sempre escrevo, mas sempre de visito.
    E sempre procuro ler os posts de nossa menina, um dia você partilhou sua dor conosco, agora ela faz parte do rol de nossa orações e preocupações, são coisas da net….
    Força e um abraço!
    Fabiano

  • Obrigado do fundo do meu coração, pelo testemunho do seu sofrimento mais doloroso que é assistir a dor de um filho. Deus vele pela sua filhinha.

  • Prezado Edu: todos os dias acesso e leio o seu blog.Confesso que sempre que leio sobre Victoria fico muito comovido e peço à Deus para restituir a sua saude e dar a voce e sua familia força suficiente para enfrentar e vencer esta batalha .Não sei qual é sua religião.Eu não tenho religião, mas nada me impede de rezar, pois a oração é a ponte que nos liga a Deus.Permita-me sugerir a leitura de um livro que lí a alguns anos atra e que me foi presentiado por uma amiga que mora em Salvador. O nome do livro é: Quando coisas ruins acontecem às pessoas boas, ed.Nobel, autor Harold S.Kushner.Um abraço.Conte comigo.

  • Caro Eduardo.
    É difícil falar ou imaginar o que passa e mais difícil conforta-lo.
    Esta é a segunda vez que entro em seu espaço, pelos comentários que li tenho certeza de que todos estão solidários com sua dor.
    Pelo que vejo em seu poste é um homem forte e seguro de suas convicções e isto é raríssimo nos tempos atuais e sua força nos fortalece.
    Só tenho que agradecer por ter a oportunidade de ver UM SER HUMANO repartindo humanidade..
    Abraços

  • Eduardo,
    Sinto,mais ainda que a sua dor e de sua mulher,a dor da pequena.Lendo a sua descrição,me dá vontade de pegá-la no colo e confortar,aliviar a dor,tranquilizar.Não posso fazê-lo no físico mas te garanto que tentarei no não físico,assim como muitos aqui,cada um da sua forma.
    Não ouça quem te condena por compartilhar suas dores conosco,você é sempre um grande e acolhedor colo para a maioria que frequenta esse espaço,nada mais do que justo que possamos te retribuir formando um imenso colo que te acolha e console em momentos tão difíceis.
    um grande abraço e meu carinho especial para a Victoria.

  • Talvez pudesse falar bastante coisa sobre esse tema … Sofrimento , aparentemente INJUSTO de pessoas e até mesmo muitas vezes animais …
    Mas , de que adianta …
    A única coisa que me vem à mente neste momento é um texto no ''Profeta Isaías'' onde lemos: ''Os que esperam no [ ou pelo] Senhor , RENOVAM as suas forças …'' Isaías 40 – Ler [se possível] vrs 28 a 31
    Que Deus nos abençoe …

  • A dor de um pai e uma mãe pelos filhos é imensurável. Peço a Deus que amenize sua doar e da sua família e que olhe pela Victória. Eu sinto muito Eduardo por essa dor que não passa. Abraços fraterno.

  • Eduardo: a dor solidária e impotente de tantos e tantos que admiramos tua luta e que nos manifestamos aqui neste espaço, evidentemente não se compara à tua imensa dor de pai frente ao sofrimento da filha. Mas podes ter certeza que nossa dor solidária é análoga à tua. E em nossa impotente solidariedade só resta imaginar um fraterno abraço com a elevação da mente em prece por ela, por ti, por tua família e para, egoistamente, afastar da gente a tristeza imensa que o sofrimento da menina provoca. No fim fica essa sensação desagradável da inutilidade de todas as palavras, mas fica também a esperança que todo esse sofrimento sirva para temperar teu espírito e torná-lo ainda mais forte para as lutas inevitáveis da tua existência e seus propósitos. Que são admiráveis. Fizeste muito bem em desabafar. Um grande abraço.

  • Eduardo:
    Solidarizo-me com você e sua família nesta hora de dor e sofrimento. Desejo que a Victoria se recupere e
    que nós juntos possamos comemorar neste site este momento de felicidade que vocês tanto merecem

  • Edu, muita forca para voce e pra sua Filha, nao sei o que eh ser pai, mas te desejo muita forca neste momento, nos aqui que visitamos o seu blog somos muito agradecidos pelas coisas que voce escreve, e o nosso apoio nessa hora eh ate desnecessario lembrar. Muita forca pra voce, camarada, um abraco!

  • Eduardo: Lembrei-me de um belo texto do Nélson Rodrigues e o transcrevo para ti, na esperança de um consolo, quem sabe: “Escrevo à noite. Vem na aragem noturna um cheiro de estrelas. E, súbito, eu descubro que estou fazendo a vigília dos pastores. Aí está o grande mistério. A vida do homem é essa vigília e nós somos eternamente os pastores. Não importa que o mundo esteja adormecido. O sonho faz quarto ao sono. E esse diáfano velório é toda a nossa vida. O homem vive e sobrevive porque espera o Messias. Neste momento, por toda a parte, onde quer que exista uma noite, lá estarão os pastores – na vigília docemente infinita. Uma noite, Ele virá. Com suas sandálias de silêncio entrará no quarto da nossa agonia. Entenderá nossa última lágrima de vida” – fragmento de A vigília dos pastores, de Nelson Rodrigues. Uma vez mais, grande abraço.

  • Poderia escrever um longo texto sobre o absurdo da existência, únca forma de se "explicar" o porquê de injustiças como a do sofrimento de sua filhinha inocente. Mas um momento como o que você atravessa, com tanta dor, não é para se imiscuir em filosofias. Apenas para prestar solidariedade a você e a seus familiares. É o que faço agora, reafirmando que continuo torcendo muito para a recuperação de Victória! Não é fácil, mas tenha força.

  • Nenhuma palavra pode amenizar o sofrimento de um pai,sabemos.Mesmo assim saiba,velho amigo,que estamos aqui pedindo a Deus que sua filha melhore e você possa desfrutar do convívio com ela em casa.
    Um grande abraço de todos nós,Edu.

  • Compartilho do sentimento do Roberto Pereira. Não sei o que dizer, pois entendo que nada irá traduzir o que sentes e, que de forma reflexa e imediata, perspassa e atravessa minha alma. Como na canção de Renato Teixeira, " só queria mostrar meu olhar…". Do pouco, ou quase nada que sou, te estendo a mão!
    Sinta-se abraçado.

  • Vi agora à noite um excelente programa no Canal Brasil sobre Medicina Paliativa e foi impossível não lembrar de vc e de sua família. O quanto parte da medicina tem se preocupado em trazer conforto também para os familiares que acompanham parentes em delicado estado de saúde…
    Paliativo vem de palium que significa manto, cobrir, proteger com o manto…
    Sinta-se coberto com o manto da força, do carinho e da solidariedade da blogosfera…
    Grande abraço!

  • Fé e coragem para toda sua família, Eduardo
    E saúde para Victoria
    É o que podemos pedir por vocês agora.
    Se necessitares de algo mais e não queres pedir em teu Blog
    Tens nossos emails e podes solicitar ajuda.
    Sabes muito bem com quem podes contar.
    Um abraço,
    Neide.

  • Eduardo, não sei realmente, mas imagino o que vc e sua família devem estar sofrendo com essa situação tão dolorosa. Como sou reencarnacionista, imagino que há, por mais difícil que seja para nós entendermos, um propósito maior e redentor em tal situação. Independentemente disso, desejo-lhe toda força e toda fé e que Deus ilumine e fortaleça a vc e seus familiares. Gde abraço e muita fé!

  • Coragem e fé, pois precisa passar essa força para a sua filha. Pode compartilhar as suas dúvidas e a sua tristeza conosco.Estamos todos torcendo para que tudo corra bem e Vitória volte logo para casa.

  • Eduardo, compreender porque alguém como a Victoria sofre tanto, está muito além dos nossos parcos limites de entendimento… A nós não cabe questionar os desígnios de Deus; mas dar à Victoria o máximo de amor, amparo e segurança para minorar seu padecimento; o que, tenho absoluta certeza, você e sua família têm feito sempre. Que resta então a fazer, amigo? Acredito que persistir na fé e acreditar mais e mais, a cada momento que passa, que Deus está ao lado da Victoria e que o que Ele determinar será, sempre, o melhor para ela… Ore amigo! Não subestime o valor da oração. Se abra com Deus e perceba o quanto isto pode ajudá-lo e à Victoria… É o que posso te dizer. Força!

    • Onde está escrito que não devemos questionar os tais "designios de Deus"? Naquele livro que foi escrito por um povo ignorante e que vivia na Idade do Bronze? Na minha opinião, devemos questionar tudo.

  • O meu coração está ao seu lado e mesmo distante fisicamente, compreende a sua dor e o seu sofrimento. Paz! É o que te desejo e Saúde e força à bela Victória.
    Deus os abençoe.

  • Meu caro EDUARDO, voce nao faz ideia o quanto me emociono em ver voce nesta afliçao, a sua amada filhinha ja e filha tambem de todos seus leitores e admiradores, tenha certesa que neste momento uma corrente de energia posiotiva esta voltada para o restabelecimento de sua querida VITORIA. abraço

  • Deus continue abençoando você e sua família. Deus está lhe dando força. Numa situação dessa e ainda continua firme na sua vida e no seu dia-a-dia, escrevendo e tudo mais. Deus seja louvado.

  • Eduardo… É difícil escrever sobre Victória. Acho que já falei uma vez, acredito que filhos são a única coisa que nos tornam vulneráveis, acho que por isso, algumas pessoas não se sentem encorajadas a colocar no mundo um ser que muda completamente sua vida, que nos tornam pequenos diante de sua dor… Outro dia falastes sobre a "desilusão" de sua outra filha e até mesmo esta dor, que sabemos que irão sobreviver nos atinge como pais… Não podemos abreviar seu sofrimento seja ele qual, não podemos passar para nós, então rezamos e pedimos sempre, antes de tudo, que Deus nos poupe da dor maior que é ver um filho sofre. Que Deus dê forças para você e sua família, que Madre Paulina cuide de sua pequena Victória. Abraço.

  • Edu,
    Sei o quanto é dificil para você e toda sua familia e sofrimento da pequena Victoria, sou mãe e vó e posso imaginar a dor que este anjo está passando.
    Não deixe de nos dar noticias, sabemos que os infelizes existe, mais eles são minoria!
    Continuo fazendo preces para a Victoria e toda familia, Deus colocou esse anjo nos seus braços porque sabia que você é forte e tem forças para continuar na luta e cuidar de toda a sua familia.
    Fico triste, conheci a Victoria com seu rostinho angelical e nada se pode fazer além de uma prece…

    Não perca a fé meu amigo!!

    Abraços

  • O Destino, este incontrolável e indecifrável mistério,..
    Força Edu! Algum motivo transcendental deve existir para essa injusta e quase insuportável dor, ao olhar humano.

  • Caro amigo,

    Desejo do fundo meu coração que a sua filha esteja melhor. Receba um abraço de Angola do tamanho do Atlântico, o oceano que nos separa e irmana

  • Não sei o que dizer após ter lido… meu desejo é que de fato pudesse passar pelo que a Vitória passa, para que ela não sofresse sozinha… sei o que é desejar estar no lugar do outro e isso é amor, continue amando, continue dando força e não sofra com as pessoas más que usam seus sentimentos familiares e humanos para fazê-lo sofrer.

    Tente ser forte, mas não deixe de chorar, não deixe…

  • Edu,
    Tenho certeza de que todos aqui gostariam de estar próximos a vocês, pelo menos para poder tomar as mãos de cada um dos membros de sua família e transmitir nossa solidariedade. Como isso é impossível, nos unimos, assim à distãncia, em orações, pedindo cada um a seu modo e em sua fé, que Deus vele pela sua família e, em especial, pela sua filhinha.
    Abraço.

  • Uma amiga me enviou…
    picotei uns trechinhos aqui pra vc Eduardo.

    … Ser feliz

    É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
    um oásis no recôndito da sua alma .
    É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
    Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
    É saber falar de si mesmo.
    É ter coragem para ouvir um 'não'.
    É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

    Pedras no caminho?
    Guardo todas, um dia vou construir um castelo…

    (Fernando Pessoa)

  • Eduardo.
    Esteja certo de que todos que aqui vem, sabem avaliar pelo menos um pouquinho do seu sofrimento.
    A maioria, como eu, deixa de fazer perguntas para não aumenta-lo. Imagino como deve ser sofrivel responder ás nossa perguntas. Tenha fé. A fé remove montanhas. Que Deus não os desampare.

  • Eduardo,
    Escrever o quê? Também sou pai e sei o quanto o nosso amor pelos filhos torna intolerável qualquer sofrimento deles.
    Faça votos que sua filha se recupere logo e você, el, e sua família retome a paz desejada.

  • Sou de Fortaleza-Ce e acompanho e admiro o seu blog. De longe fisicamente, mas perto pelos sentimentos de fraternidade e solidariedade, envio um grande abraço a você e toda sua família, e em especial à pequena Vitória. Há momentos na vida que só o recolhimento e as orações dão força para que continuemos. Força!

  • Edu, realmente não sei o que lhe dizer. Apenas imagino sua dor e desejo, do fundo do meu coração, que a pequena Vitória melhore o mais rápido possível. A dor muitas vezes aproxima, e isso é bom. Continue nos escrevendo. Abçs

  • Caro Eduardo,

    Nunca deixe de ter Fé em Deus, não o questione. Ele é que nos da força em momentos dificieis de nossas vidas. Eu tambem sou pai especial de uma menina especial.
    Força meu irmão!!!!

    • "Não questione". Sua intenção pode ser boa, mas colabora para a lavagem cerebral de que a humanidade é vítima há milênios.

  • Caro Edu, sei que palavras neste momento não ajuda em nada, mas mesmo assim escrevo para dizer-lhe que estou junto contigo neste sofrimento ainda que de longe. Não dê bola para os que te atacam, os vermes que tem coragem de usar um momento delicado como este para te atacar, esses realmente não tem nada e são merecedores de pena, como você mesmo disse. Conte com minhas orações, eu continuo acreditando que ela voltará a ficar boa, ela é uma menina guerreira, sinto tanto Edu por não poder amenizar o sofrimento dela e o seu, força, coragem e fé.

  • Caro Eduardo, não tenho palavras para tentar te trazer conforto, não tenho capacidade para tal feito, mas conte sempre com o meu pensamento positivo e com a minha sincera admiração.

  • Nada é mais cruel na vida que ver os nossos baixinhos sofrendo indefesos, sei disso.
    Um grande abraço cheio de sentimento e de desejo que isso, amanha, só seja uma longe e triste recordação e nada mais.

  • Que possas, Eduardo, agradecer a Deus por ter te enviado um anjo que está a te ensinar uma lição fundamental na vida, a lição do Amor, pois que o teu coração doído, amplia-se em esforços para amenizar o sofrimento da filhinha e, assim, desenvolve essa virtude em maior escala.

    Estamos juntos nesse transe, tenha certeza, existe uma rede muito grande de Amor em tua volta.

  • Respeito a opinião da imensa maioria, mas não posso deixar de pergutar: que deus é este que permite que uma criança sofra tanto?
    Eu acho que não existem deuses, mas se esse dos cristãos existe mesmo dele eu quero distância.

  • Caro Eduardo, vim hoje conhecer o novo blog e me deparei com a notícia de que a princesinha está novamente internada. Pode estar certo que todos amigos, virtuais ou não, estão mandando correntes de boas vibrações e energias positivas em forma de prece, com o pensamento firmado na pequena-gigante guerreira Victoria e em toda a família, que é uma fortaleza.
    Deus esteja sempre com vocês e com a nossa querida princesinha, que com certeza vai superar mais essa crise.

  • Eduardo,

    Seguindo o seu exemplo vou fazer aqui um depoimento que sempre ficou restrito às quatro paredes do meu quarto, compartilhado, no máximo, coma minha mulher.
    Como já lhe disse, tenho um filho autista e conheço centenas de crianças (alguns, hoje tão adultos como ele -37 anos). Entre esses conheço alguns com a Síndrome de Rett.
    Uma vez eu tive a certeza de que se o H. não fosse capaz de ter uma vida feliz, eu preferia que ele morresse.
    Mas o que eu queria lhe dizer é o seguinte: existem momentos na nossa vida, quando os nossos filhos estão sofrendo tanto e que nós não damos conta de aguentar aquele sofrimento deles que eu – talvez por egoísmo ou por covardia – preferiria que o fim viesse logo.
    Me perdoe se doer: nesse momento em que a Victória está cada vez mais frágil e a ciência cada vez mais incapaz de lhe dar alívio, não seria melhor o desenlace? Com todo o carinho seu, da mãe e das irmãs e irmão? Sem o sofrimento físico imposto por uma medicina incapaz de ser humana?
    (Você sabe quem eu sou, espero que compreenda o uso do "nick" Anônimo)

    • Me desculpe o desabafo. eu pensava em mim mesmo e na minha situação.
      Ãs vezes nos falta coragem para dizer o que verdadeiramente sentimos e aqui a gente pode fazer isso sem ser massacrado por hipocrisias.

    • tranquilo, esses pensamentos nos assombram, mas eu quero lutar pela vida dela até seu último suspiro. talvez por egoísmo, por não saber viver sem ela, ou por sentir que é obrigação de pai, não sei…

  • Prezado Eduardo,

    Quando eu tinha vinte um anos, uma série de dúvidas me assaltavam. Não sabia realmente como ver qualquer sinal de justiça em fenômenos como o que você está passando.

    Isso me perturbava deveras. Cheguei a trancar a universidade e comecei a ler tudo a que podia ter acesso e que o homem tenha escrito sobre religião e filosofia: Budismo, taoismo, os vedas, teosofia, rosa-cruz, maçonaria etc.

    Comecei a frequentar diversos lugares, ler e ouvir diversas pessoas para saber aonde se escondia a verdade. Lentamente, o caminho foi-se abrindo à minha frente, ideias aparentemente díspares passavam a ter um ponto de contato e, por fim, formar uma unidade.

    Só encontrei consolo definitivo quando conheci as obras de Kardec. Se ali não estiver a verdade, então deveria. Tive diversas experiências, ao longo dos último vinte anos, que só fortaleceram minha fé nesta ferramenta da providência para esclarecer e consolar os homens: O consolador prometido, que ficará eternamente conosco.

    Só as vidas sucessivas podem dar clareza ao sofrimento aparentemente sem causa. Só a certeza da imortalidade da alma e do progresso e trabalho contínuos e incessanes podem dar real esperança e conforto à alma humana.

    Eu só encontrei paz assim…

    Espero, sinceramente, ter ajudado.

  • Prezado Edu,
    Tempos atras quando nasceu a sua precesinha Victoria, vc e sua esposa ja, intuitivamente, se antecipavam aos desafios que ela teria de enfrentar. E veja que nome bonito vcs escolheram. Acho que ela nao tem esse nome por acaso; acho que de fato ela e’ e continuara’ sendo uma vitoriosa. Paciencia e forca nessa luta que vcs vencerao e Victoria superara’ tudo isso e tera muitos e muitos anos de vida com alta qualidade. Acredite. Um abraco forte para vc e toda a familia e em especial a Victoria que merece o maximo de nossa forca e de nossas meditacoes positivas e curadoras.

  • Caro Eduardo força e fé,que Deus nunca desampara ninguem.As vezes o caminho é arduo e temos que ir em frente.Melhoras para a sua filhinha que passou a ser um pouco nossa tambem.Deus esta olhando por toda sua familia.

  • Caro, Edu, passo por aqui sempre. Virou hábito. Coisa de família, acho, sensação forte de que o laço é de irmão, alguém de quem se gosta muito…e sem nenhum esforço. Raramente tenho coragem de ir até o fim nos textos em que você fala de sua filha. Não posso entender em plenitude a profundidade de sua dor. Na melhor das hipóteses, tento carrear um pouco dela pro meu coração, presumindo que, em compartilhando, eu possa reduzir um tanto do peso que tem para você. Creio que é isto que todos, ou quase todos, fazemos aqui. É o melhor de cada um de nós que te abraça e tenta confortar.

  • Fiquei muito emocionada com a descrição da dor de sua filha. Compreendo o seu sentimento de que é injusto que isso ocorra.
    Não tenhoo palavras que te sirvam de consolo, então apenas me solidarizo com você.

  • O que dizer, Edu?! O cérebro da sua filhinha pode não entender, como também o nosso não entende, mas seu espírito, sim… com certeza… Victoria é especial… está aqui pra uma missão especial… por mais difícil que seja entender isto… sua filhinha é forte… é nobre… por mais difícil que seja, muita paz pra você e pra sua mulher e pra toda a sua bonita família.
    PS – Realmente, "quem usa o sofrimento de um homem com uma filha doente para atacá-lo é que é digno de pena".

  • Sr. Eduardo,

    É muito difícil entender o mistério de Deus. Não perca a esperança, Ele está e sempre esteve ao lado de vocês.
    A sua filha é uma graça na sua famíla.
    Continuamos orando.

    Sérgio
    Piauí

  • Caro Eduardo,

    que Deus lhe dê cada vez mais força para seguir nesta empreitada. Sua família como um todo, e principalmente a Victoria, precisa muito que vc continue forte e escrevendo o que pensa, colocando o cérebro para funcionar, metendo o pau no PIG e nesses picaretas que só querem o pior para o nosso país. Não pare nunca Eduardo, mesmo por que se vc desistir só deixará alegres seus opositores.
    Forte abraço

  • Vc não tem que se desculpar, nem que se culpar: Estamos aqui, também, para ouvi-lo falar de suas lágrimas, de suas dores. Sinto por você, muito mais por Victoria, sei que é doloroso, incompreensível até, mas, persevere, mesmo na impotência. E, não se abata com os comentários (?) dos doentes mentais que vêm aqui destilar veneno e loucura movidos por sentimentos ignóbeis, indignos de um ser humano. São abutres, com todo respeito aos abutres. Ore, mesmo que vc não seja cristão e acredite que lá em cima existe, sim, alguém que vela por nós. Ore e aguarde confiante. Bjus na Victória.

  • É Eduardo, você está sendo um herói. Não tenho filhos mas imagino o que você deve estar passando. Se pudesse lhe dar um conselho diria para você ver as coisas de forma mais racional possível. É claro que isso é dificil mas o sofrimento nos faz crescer como ser humano se a gente encara de forma racional.

  • Meu caro,

    Que os deuses o confortem e que a dor de Victória se reverta em luz para os passos que ela der. Não tenha medo de externar o que sente, eis aí um traço do seu maravilhoso caráter. Sinta o meu amor e minha prece.

    Força, amigo!
    Meu ombro está aqui para o seu desabafo. Sua fraqueza é sua força.

    Abraço.

  • Eduardo, quando você escreve sobre Vitória, você se humaniza e se torna um de nós. A dor de sua menininha é dor que atinge a cada um de nós, porque a sentimos como filha nossa.
    Que a paz esteja contigo e família.

  • Eduardo
    Eu fico impressionado com a sua força, embora às vezes, você tente nos demonstrar que não é tão forte quanto parece.
    Você é forte sim, e demais para o meu entendimento. Não sei como me comportaria se estivesse no seu lugar, e ainda ter cabeça e lucidez de pensamentos para postar mensagens no seu blog.
    Gostaria de ter a sua fibra, sua mente forte, positiva, e compreensão do que acontece com sua filha.
    Deus é justo e é no sofrimento que ELE nos analisa. Não acho que a passividade seria uma virtude a ser recompensada por Deus. É justamente isso que você não é! Embora sofrendo, não se desespera, acredita na recuperação da sua amada filhinha que Deus colocou no seio da sua família porque é nesse lugar que ela deveria nascer, para ser amada, cuidada e ter os pais e as irmãs mais poderosas que eu já conheci.
    Sua história só é válida porque você sempre teve a coragem de compartilhar o seu sofrimento conosco e eu particularmente, a exemplo de muitos que o visitam, nos comovemos com a sua luta, como se nós estivéssemos visitando a sua sala de estar todo o dia.
    Que Deus te abençoe e continue a dar-lhe forças para ver a sua amada Victoria de volta para casa o mais breve possível.
    Para nós, seus amigos, você não precisa provar mais nada. Eu só te peço mais paciência e forças, que a sua Victoria logo voltará para casa.
    Deus é justo!!!

  • Eduardo,
    estamos do seu lado e compartilhamos o sofrimento da Victória. Podemos fazer muito pouco, apenas rezar e torcer para que ela se recupere e possa ainda te proporcionar muitos momentos felizes.
    Me lembro sempre do rostinho dela em uma foto que você postou no blog, em volta de uma mesa com familiares. Não deixe de postar notícias dela, se isto te faz sentir um pouco melhor.
    Força e um grande abraço

  • Eduardo,
    A vida dá provações muito difíceis de passar e de entender. Todas as famílias têm suas tristezas, e não há nada mais triste quando algo ruim acontece com nossas crianças. Seu relato é comovente, sentimos com você, com Victória e sua esposa. Acesso seu blog não apenas pelo conteúdo político, mas principalmente pelo conteúdo humano, que nos aproxima e faz deste espaço um lugar para dividirmos nossas alegrias e também nossas dores. Eduardo, meu desejo mais profundo é que Victória se recupere e que vocês tenham forças neste momento para continuar apoiando-a.

  • Sofremos com você Edu. Deus lhe proporcione forças a você e sua família para viver este momento da melhor forma. Quem passa pelo que você passa desafia a mídia, o império e a maldade sem medo. Isso é fichinha perto de ver a filha querida numa UTI. Eu não consigo encontrar paralelo neste tipo de sofrimento e eu trabalho com situações extremamente dolorosas da vida das pessoas. Conte com o nosso amor fraterno..

  • Chorei!Estava viajando e sem computador,por conseguinte sem notícias.Coragem,Deus dá forças a quem o teme certamente.Infelizmente isso tudo é obra de nossa imperfeição.Mas aguardamos o dia em que mais nada disso acontecerá.Se quiseres ler Isaías33:24 e Apocalipse 21:3 e 4 é um alento a todos nós.Só posso desejar melhoras a essa criança e força a vocês familiares.

  • Caro Eduardo,
    Confesso que, por vezes, demoro um pouco a ler textos e relatos como este. Trechos como "Morreria feliz e realizado se a minha morte desse uma vida normal à minha menina" me são muito doídos, ainda mais por externar a mais pura verdade. Também sou pai de 2 lindas meninas (e digo isso porque outros tantos dizem que elas são lindas – rss…), e nem de longe me permito imaginar o que você e sua família estão passando e sentindo. Entretanto, de minha parte há algumas certezas: tens uma bela família; és muito corajoso pelo relato e por compartilhar conosco essa dor; a pequena Victoria tem pais que a amam; a pequena Victoria pode não ter ciência de algumas coisas, mas com certeza sabe e compreende esse amor. Além disso, tenho uma crença: Deus não nos dá mais do que podemos carregar. Não é pré-destinação, pelo contrário, é a certeza do apoio e do acompanhamento. O que posso fazer é te agradecer pelas sempre belas e profundas palavras, bem como rezar e encaminhar pensamentos positivos a você, sua família e à pequena Victoria. Paz e força!!

  • Edu,entrei no seu blog hoje,como sempre,para procurar um bom texto e colocar na rede,e confesso que não consegui.So consigo pensar o quanto me sinto com vontade de te dar um abraço,e quanto te admiro.Força para você e sua familia.
    Aline

  • Eduardo que DEUS possa te dar na hora da dor todo o conforto que voces necessitam.Quando li seu relato me imaginei nele pois vejo nas suas palavras a dor que meu filho tambem sente,que a cada sofrimento dele tambem penso por que nao comigo.Todos os dias pesso a DEUS que todo esse sofrimento passe.Li uma frase que diz DEUS NAO ESCOLHE OS CAPICITADOS ELE CAPACITA OS ESCOLHIDOS,somos simplesmente escolhidos por DEUS.Vou pedi todas as noites pela pequena Vitória,bjs que DEUS abençoe a toda sua familia

Deixe uma resposta