Duas apostas sobre nós

Opinião do blog


Dirijo-me a cada brasileiro que, como eu, nada tem a ganhar isoladamente com a ascensão de Dilma Rousseff ou de José Serra à Presidência da República no ano que vem, mas que terá tudo a ganhar ou a perder como cidadão, dependendo do tipo de governo que o país venha a ter a partir de 1º de janeiro de 2011.

Peço uma reflexão sobre o seguinte: quando você lê uma manchete ou escuta um apresentador de telejornal dizer que esse crescimento forte da economia é um problema, que é ruim a falta de mão-de-obra que já decorre desse crescimento porque isso faz os salários subirem, será que não se lembra de que estes são os mesmos que até há um ano, em meio a fortes críticas ao governo Lula, anunciavam que o Brasil estava em recessão?

Vejam, por exemplo, o ataque virulento do “colunista” do Jornal da Globo Arnaldo Jabor ao presidente Lula por conta da crise que mostrava as garras no Brasil naquele 7 de outubro de 2008. Comentei o comentário de Jabor em post no dia seguinte no blog “Cidadania.com”, sob o título As crises de cada um. Salvei até o vídeo da fala do “colunista” do telejornal naquele post, mas a Globo retirou o vídeo do ar.

Eis a transcrição do comentário de Arnaldo Jabor de 7 de outubro de 2008 no Jornal da Globo:

“O governo quer faturar a crise mundial para aumentar seu Ibope. Quer dizer que o governo Lula não tem nada a ver com a crise?

O que espanta no discurso do presidente é ter dito que aqui a crise não chega porque o Brasil fez a lição de casa. Mas não fez, não. O governo nada fez para se prevenir da crise. Diz agora que só podemos gastar o que ganharmos, mas foi contra a responsabilidade fiscal, aumentou muito os gastos públicos e não fez reforma alguma.

Lula chama de inimigos do país os que avisavam do perigo. Ele fala como um pai: “Trabalhadores do Brasil, estamos cuidando de vocês! A gente nem precisa governar, temos é que cuidar do país”.

A verdade é que, até agora, este governo não precisou governar muito. Teve a herança bendita do governo anterior na macroeconomia, manteve técnicos sensatos, como Palocci e Meirelles, mas agora vai ter de governar, sim. Como Lula diz em seu discurso, agora é que a porca torce o rabo.

Presidente, nós lucramos com esta bolha, sim, que nos deu lucro e agora pode cobrar prejuízos. Os 200 bilhões que entraram aqui foram pelo excesso de liquidez do mercado mundial. Somos filhos da bolha, presidente”.

A obviedade da razão pela qual a Globo retirou o vídeo do ar é clara. Assim como a atitude esquizofrênica da emissora e de Folhas, Vejas e Estadões ao tentarem transformar boas notícias em más notícias.

Fica claro que Serra e sua mídia estão apostando na burrice do eleitor. Para essa coalizão política, ninguém terá capacidade de lembrar de que quando o PIB não crescia tucanos, demos e sua imprensa criticavam, e de que, quando cresce, também criticam. Acham que a maioria é burra e não percebe nada.

Já o presidente Lula e seu partido – e todos os outros partidos que os apóiam –, apostam no contrário. Aliás, o presidente tem dito isso reiteradamente, que a população percebe, mas a oposição tucano-pefelê-midiática acha exatamente o contrário.

São, portanto, duas apostas sobre nós, cidadãos comuns, sem filiação partidária, sem desfrute de dinheiro público, sem qualquer interesse direto em quem governa e sim, apenas, em como se governa, e que só queremos que o Brasil tenha o melhor governo possível.

A aposta do governo é na inteligência e a da oposição, é na burrice. É isso o que está em jogo neste ano, se somos um país de descerebrados, desmemoriados, de patetas incapazes de se lembrarem do que comeram no jantar do dia anterior ou se estamos, finalmente, aprendendo a votar.

Então recorro à última eleição presidencial. O “escândalo do mensalão” dominava o noticiário, a economia crescia pouco, produziram fotos de pilhas de dinheiro e as atribuíram ao PT e, mesmo assim, Lula venceu a eleição.

Algum brasileiro terá deixado de ler ou de assistir a pelo menos uma das centenas de milhares de “notícias” de Globos, Folhas, Vejas e Estadões dando conta de que o PT e Lula eram corruptos?  Acho que não… Mas, então, como é que Lula se elegeu, com esses meios de comunicação, o PSDB e o DEM acusando-o sem parar?

Para vocês eu não sei, mas, para mim, os fatos que elenquei dizem que a aposta petista sobre nós é a mais correta. Enfim, em quatro ou cinco meses teremos a resposta se somos um país de débeis mentais, como pensam Serra e sua mídia, ou se deixamos de ser bobos em 2002, como pensam Lula e Dilma.