Assista a entrevista-bomba de Franklin Martins à Rede TV

Reportagem

No entreato de Natal e Ano Novo, com a turma ainda se recuperando da ressaca natalina, o ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, concedeu uma daquelas entrevistas que a imprensa costuma dizer “bombásticas”. Pena que a audiência deva ter sido pequena. Kennedy Alencar, em seu “É Notícia”, da Rede TV, deu ao ministro uma chance de falar o que o resto das televisões lhe negou nos últimos quatro anos, desde que assumiu a pasta.

Confira, abaixo, a entrevista. Em seguida continuo comentando:

PARTE 1

PARTE 2

PARTE 3

A parte “bombástica” da entrevista não foi tão longa assim. Versou sobre a suposição de Globo, Folha, Estadão, Veja e companhia sobre existência de intenções governamentais de “censurar a imprensa” e sobre a relação do governo Lula com ela.

Note-se que o ministro foi extremamente hábil, pois reconheceu méritos no governo FHC e em seu titular pela estabilização da moeda sem deixar de dizer exatamente em que ponto ele se perdeu – na falta de um espírito desenvolvimentista e social e na adoção dos cânones neoliberais em geral, do que resultou a privataria. E apesar de dizer que o mensalão não passou de caixa-dois, fez a necessária crítica ao PT de que “ver uma devassa saindo de um prostíbulo não choca, mas ver uma freirinha saindo, é chocante”.

Na parte sobre regulação da mídia, Martins deixou muito claro que o tipo de regulação que se quer fazer é exatamente o mesmo que existe em qualquer grande democracia. Explicou a sinuca de bico em que a parcela da mídia supracitada se encontra por ter que combater a regulamentação e ao mesmo tempo almejá-la para que seja protegida das “teles”, ou seja, das multinacionais de telecomunicações que ameaçam esmagar o PIG com um poderio econômico muito acima do que detém a radiodifusão nacional.

Acima de tudo, nessa questão, o ministro da Comunicação Social deu um recadinho a jornais que acusou de terem servido à ditadura militar: “Não venham nos dar aulas de democracia”.

Mas a coisa pegou fogo mesmo quando a entrevista enveredou pelas relações do governo com a mídia corporativa. Martins acusou, nominalmente, Folha, Estadão, Globo e outros de fazerem uma jogada com a oposição tucano-pefelê: “Um levanta e o outro corta”, pontuou o ministro com todas as letras.

E não ficou por aí…

Ao exemplificar o partidarismo midiático, Martins abordou, primeiro, a questão da “bolinha de papel”, lembrando que a Globo, com o peso de sua “credibilidade” – palavra que proferiu em tom irônico –, veiculou uma reportagem de sete longos minutos bancando a versão de José Serra de que teria sido atingido por um segundo objeto, sustentando-a com um laudo fajuto que, na madrugada que se seguiu àquela edição do Jornal Nacional, foi “desmontado pela blogosfera”.

Como se não bastasse, citou, nominalmente, a Folha de São Paulo e a ficha falsa de Dilma, ponderando com o entrevistador o absurdo de um jornal como aquele publicar uma “falsificação contra um candidato” amparando-se na justificativa mambembe de que não podia confirmar ou negar sua veracidade, concluindo que, dessa maneira, o jornal deixa ver que publica qualquer coisa que lhe chegue às mãos contra adversários políticos.

Esta é a síntese da mais dura crítica ao PIG que alguém do governo fez publicamente em oito anos de mandato do atual presidente. Resta lamentar que assuntos dessa relevância e opiniões tão sonegadas ao público pela grande mídia durante oito anos tenham vindo à tona em um programa que avançou pela madrugada de domingo para segunda em uma época de festas em que ninguém assiste a esse tipo de programa.

  • Salvador J. Ferreira

    Lula prometeu aos blogueiros que vai concluir investigação sobre Dantas ainda em seu governo. Faltam cinco (5) dias. Será que vai?

  • Eason Nascimento

    O grande brasileiro Franklin Martins, merecia posição de destaque no governo Dilma. É lamentável sua ausência, que deixou o PIG feliz. Espero que alguém no governo saia desta história de contemporizar e vá pra cima de quem tem que ser combatido. Em cima do muro não dá. Parabéns Franklin Martins. Sua atuação deveria servir de espelho para quem chega no seu lugar. Se liga Paulo Bernardo..
    http://easonfn.wordpress.com

  • Marcos Simões

    A Rede TV é tão amadora que, na Baixada Santista, a programação nacional é substituída por programentes de varejo local, as tais vendas de bobagens. Tentei pela internet, mas o sítio (ou circo?) estava fora do ar.
    Na região, a Rede TV é retransmitida pela VTV, um canal do deputado, ex-prefeito de Santos e escravista – fazenda goiana de sua propriedade flagrada com escravos – Beto Mansur (PP).
    É um lixo de retransmissora, seguindo a linha, ao que parece, da matriz.
    Um bom Ano Novo, Edu e família Guimarães, extensivo aos amigos que postam no blog.
    Um abraço a todos

    • eduguim

      Grande abraço, Marcão

  • Cézar (Ponta Grossa – PR)

    Cadê o vídeo? Cadê o vídeo?

  • Salvador J. Ferreira

    Esquci de dizer que o Ministro Martins demorou para fazer sua crítica e que em vez de usar um canal pouco visto, deveria procurar outro mais visitado; porque não Record ou a Band?. Aí sim, teria mais ampla audiencia.
    Fecou parecendo o “garoto chingando o vizinho escondido detráz da moita”

    • FAFerreira

      A Record sim, a Band é do esquema do PIG

      • Rodrigo Leme

        E a Record é do esquema do governo, né?

        Bom critério para escolher emissora. Faz parte do plano do Franklin?

  • Carlos Frederico

    Você acha mesmo que a Band ou a Record abririam espaço na programação para o ministro Franklin ?
    Não mesmo. Gostaria de parabenizar o ministro pela suas palavras.

    • Paulo Ribeiro

      A TV Record não faz parte do PIG!

  • Emilio Prado

    Parabéns Eduardo. O Franklin foi corrosivo e letal. Com certeza o PIG não dará a devida repercussão a entrevista; suas viscéras foram expostas e eles têm que proceder como os avestruzes.

  • maria regina

    Edu
    Ele também falou sobre a aprovação de entrada de capital estrangeiro no setor para socorrer a Globo e a Editora Abril que estavam “ruim das pernas”, acusando um grande lobby no congresso.

    • eduguim

      Bem lembrado.

  • Campineiro

    Quando alguem priva um ser humano de sua liberdade em nome de qq coisa, ele se torna tão culpado quanto aqueles que ele diz combater.
    Este senhor declara públicamente que teria matado um ser humano caso isto fosse ajudar a causa.
    Nada justifica este tipo de violência, nem de um lado nem de outro.
    Portanto este senhor não tem nada a dizer.

    • eduguim

      Quantos o Estadão, a Folha e O Globo mataram ao apoiarem o golpe militar por seus aliados políticos não terem voto para chegar ao poder? Você condena Franklin por uma declaração e não condena a imprensa golpista por ter atirado o país em uma ditadura sangrenta que vigeu por vinte anos.

      • Campineiro

        De novo

        Nada justifica este tipo de violência, nem de um lado nem de outro.

        • eduguim

          Franklin Martins não cometeu violência nenhuma. Falou em tese sobre uma possibilidade em uma situação em que o Brasil vivia sob o jugo de ditadores sanguinários. Quem cometeu violência foram Roberto Marinho, Júlio Mesquita, Octavio Frias, entre outros criminosos que foram para o inferno com as mãos sujas de sangue inocente como o do colega de ofício deles Vladimir Herzog

          • Campineiro

            Pra mim isto é violência suficiente

            As a youth, Martins was not only a student leader but after the 1964 coup d’état in Brazil, engaged in armed struggle and urban guerrilla. In the communist group MR-8, he was known as Valdir (codename).

            During the military dictatorship, he had a prominent role within the movements which fought against the regime.

            The acts included bank robbery (then called revolutionary expropriation by the guerrilla rhethorics) and assaults on police and military.

            The amount was used to buy weapons and bribe authorities to release fellow militants.

            Franklin Martins was held in prison between October and December 1968, being released on the eve of Institutional Act #5, which dissolved the Congress, and institutionalized censorship and torture in Brazil.

            In September 1969, he joined and led the joint group of the MR-8 and the National Action for Liberation (ALN) which kidnapped the US ambassador Charles Burke Elbrick.

            The act was carried to force the junta to set free 15 political prisoners.

            For taking part in the kidnapping, Franklin Martins is still denied entrance in the United States, even in an official state position (along as Fernando Gabeira, who was also involved).

          • eduguim

            Tudo isso é bobagem. Vocês divulgaram várias coisas assim contra Dilma durante a campanha eleitoral. E mesmo que tenha algo de verdade aí – e tem, em parte -, é o mesmo que acusar a resistência francesa por ter combatido a dominação nazista. É inacreditável como vocês tratam a ditadura militar como se fosse um regime legítimo. É perversão pura.

          • Pedro Soto

            Esse texto em inglês do Campineiro lembra o discurso que o Videla fez, semana passada, ao ser condenado pela segunda vez à prisão perpétua, para justificar a sua sangrenta ditadura militar na Argentina.

          • Campineiro

            Bobagem Eduardo,

            Sua visão histórica esta deturpada, não precisamos legitimar um regime, mas daí falar que o sujeito não seqüestrou, não roubou bancos e não esteve em uma organização que matou gente inocente, é demais.

            Se formos por este lado, então só existe um vilão. O regime militar. e ponto final.

            Como ladrão só tem um, Paulo Maluf.

            Aquele petista que é pego na boca do caixa com dinheiro podre, e depois vem falar que estava pagando tv a cabo, este fica inocentado pq o único ladrão é Paulo Maluf.

            Pq vcs sempre batem nesta tecla de que ja que um fez o outro pode fazer tb, ou vice versa.

            Não existe análise mais correta??

            Isto sim é perversão puríssima.

          • eduguim

            Mas só existe um vilão, e esse vilão é o regime criminoso, condenado mundialmente. Lula, FHC, Dilma, Serra, Martins e tantos outros lutaram contra um regime criminoso, usurpador, ditatorial. Foi resistência a bandidos que só não estão presos porque ainda não somos uma democracia plena. No Chile e na Argentina eles estão indo mofar na cadeia. Ainda torço para que aconteça o mesmo no Brasil. Franklin, Dilma, foram heróis da resistência.

          • Campineiro

            Desculpa, mas não vejo nada de heróico matar pessoas.

            Nem em regimes de esquerda como a Stalinista que matou un 12 milhoes, nem Mao tse Tung que massacrou uns 30 milhoes, nem Cuba que em seu regime ja matou 140mil.

            Desculpa, mas matar pessoas nunca foi objeto de minha admiração

          • eduguim

            Se fosse assim, heróis de guerra não existiriam

          • Campineiro

            Prefiro não ter guerra e muito menos heróis de guerra.

            Quem não tem inteligência usa armas.

            History is the sum total of things that could have been avoided.
            Konrad Adenauer

            In politics it is necessary either to betray one’s country or the electorate. I prefer to betray the electorate.
            Charles de Gaulle

            An error does not become truth by reason of multiplied propagation, nor does truth become error because nobody sees it.
            Mohandas Gandhi

          • eduguim

            Bobagem. O poder foi usurpado criminosamente. A vontade do povo foi esmagada pela força das armas. Deram golpe porque sabiam que não venceriam uma eleição. Ou seja, sequestraram toda uma nação. Eram criminosos. Tinham que ser combatidos. Pena que não tivemos força para retirá-los do poder.

          • Campineiro

            Ainda bem que vcs não conseguiram. (Vc tb estava neste combate??)
            Acho que a democratização teria sido mais difícil, uma vez o que se pretendia era a instalação de uma ditadura comunista ao molde de Cuba.
            Sendo que Cube nem saiu desta ditadura até hoje.

            Mas realmente chega de falar de Franklin Martins.

            Volto no seu próximo tópico.

            Com minha alma oposicionista revigorada

          • eduguim

            Nunca houve uma só prova de que se pretendia instalar qualquer ditadura aqui. Você apenas repete a “justificativa” dos criminosos”. Aliás, se fosse só para impedir a “ditadura comunista”, depois de derrubar Jango poderiam ter convocado eleições. Mas como a vontade do povo não era a mesma dos criminosos, decidiram esperar um pouquinho pra nos devolver esse direito. Só vinte aninhos.

          • Campineiro

            Desculpe-me a voltar.

            Provas?? Vc não leu nenhum manifeto, nenhuma cartilha, e nenhuma carta ao povo, escrita pelos grupo de esquerda??

            Esta frase sai do manifesto

            Aliança Libertadora Nacional (ALN)

            Agosto de 1969

            Quote
            Todos nós somos guerrilheiros, terroristas e assaltantes e não homens que dependem de votos de outros revolucionários ou de quem quer que seja para se desempenharem do dever de fazer a revolução. O centralismo democrático não se aplica a Organizações revolucionárias como a nossa.
            Unquote

            Ou então leia os documentos relacionados aqui:

            http://www.ifcs.ufrj.br/~amorj/arquivos/ORGANIZACOES%20DE%20ESQUERDA.pdf

            Daniel Aarão Reis, ex-militante do MR-8, professor de história contemporânea da Universidade Federal Fluminense e autor de Ditadura Militar, Esquerda e Sociedade, disse:
            Ao longo do processo de radicalização iniciado em 1961, o projeto das organizações de esquerda que defendiam a luta armada era revolucionário, ofensivo e ditatorial. Pretendia-se implantar uma ditadura revolucionária. Não existe um só documento dessas organizações em que elas se apresentassem como instrumento da resistência democrática.[6]

            A ALN constantemente disseminava para a população seus ideais de luta contra a ditadura militar e pela instalação de um regime socialista no Brasil por meio de panfletagem e discursos.

            Esta documentado caro Eduardo.

            Não queira negar/modificar o que esta na história deste país.

            Desculpe, agora volto mesmo só no prox post.

          • eduguim

            Se esses documentos tivessem sido escritos pelo presidente João Goulart ou pelo governo dele, você poderia atribuir-lhe a intenção de instalar uma “ditadura comunista”. Mas gente radical, que acredita em meios heterodoxos para chegar ao poder, existia, existe e sempre existirá dos dois lados. Além do que, se fosse esse o problema, volto a insistir: depois do golpe poderiam ser convocadas eleições gerais e o povo decidiria que rumo seguir, pois o poder pertence ao povo e em seu nome é exercido, sendo ditatorial e criminoso usurpar-lhe a vontade expressamente manifesta nas urnas. Você pega um momento histórico diferente do que aquele que ensejou o golpe, cinco anos depois, e quer transformar algumas idéias radicalizadas pelas circunstâncias pós AI-5 em “prova” de que o governo Jango queria dar um golpe? Ora, faça-me o favor!

          • Sávio Valença

            Se o governo de Jango, que não tinha molde de “ditadura comunista” tivesse sido surrupiado para direita golpista, grupos de extrema esquerda existiriam da mesma forma que existe hoje, ou seja, tentam conquistar votos através de eleições. Os milicos tomaram o poder porque sabiam que democraticamente a direita não conseguiria voltar ao poder, como atualmente. Cuba tem seus erros, mas é um regime que vc tem educação de qualidade, saúde, e dignidade humana apesar das adversidades. Nem o boicote imposto pelos EUA conseguiu derrotar o regime. A máfia cubana que reside em Miami também não conseguiu derrotar o regime. A população de Cuba é armada até os dentes, poderiam ter feito uma outra revolução para derrubar Castro, mas não fizeram. Para se falar de Cuba, União Soviética e China é necessário buscar o assunto em fontes diferentes da Veja, Globo, etc… Logicamente eles só irão mostrar coisas negativas lá.

          • Edmilson

            Esses colonizados adoram um texto em inglês… Por que não se mudam logo para os EUA e param de encher a nossa paciência?

          • Celso Junqueira

            Hitler era de direita. Na conta dele estão 60 milhões de vidas. O problema é número de vítimas?

          • Ulisses

            O Japão também era uma ditadura fedal e fez o que fez na Asia! Quantos créditos mortais podemos dar ao Japão, que não foram revisionados corretamente pelos aliados na 2º Guerra Mundial, desejosos de montar uma barreira anti-comunista na Asia.

          • Ulisses

            De onde saiu estes dados que Cuba no governo Fidel Castro matau 140 mil pessoas? Mas quantas pessoas o governo Fungêncio Bastista matou? Quantos os EUA matou em Cuba desde a guerra com os Espanhois em 1898 após a fajuta esplosão do USS Maine no porto de Havana, mesmo método para atacar outro país, o Vietnam! Alias, Cuba não virou democracia por que os EUA não reconheceu a vitória dos guerrilheiros de Fidel Castro e iniciou bloqueio militar a Cuba.

          • Cala boca, CAMPINEIRO.

          • Emília

            Apenas uma pergunta, Campineiro. Se você chegar numa encruzilhada da sua vida em que acredita que se não matar alguém quem morrerá é você, o que você faria? Coloque-se no lugar dos outros aí sim você poderá criticar. Feliz 2011, Campineiro! Você é mesmo de Campinas?

          • Sávio Valença

            Segundo texto em inglês postado por Campineiro, Franklin Martins foi um guerrilheiro que lutou contra a ditadura e utilizou-se de métodos que a direita vive condenando os dissidentes políticos de esquerda de praticarem estes mesmos métodos. Eu só queria saber se estes “santos da direita”, como o Campineiro, que acham que “fogo não pode ser combatido com fogo” (diga-se de passagem que as forças golpistas tinham muito mais poder de fogo e eram totalmente desleais ao torturarem cruelmente e covardemente os guerrilheiros), são a favor da ditadura, e se não são, como acham que quem fosse contra a ditadura poderia combatê-la de forma pacífica.

            Lembro aos direitistas que quem começou a violência foi o golpe militar da turma da direita e não os guerrilheiros que combatiam a ditadura. Foi uma questão de ação e reação.

          • Rodrigo Leme

            Não que isso o tenha impedido de aceitar um emprego nas Organizações Globo depois de ter lutado “contra os Marinho” no período da ditadura…

          • eduguim

            Martins foi trabalhar na Globo décadas depois do regime militar. Por esse critério, o PSDB se coligar ao PFL seria uma heresia, certo? E Martins nem se “coligou” com a Globo. Ele apenas foi trabalhar lá sob a premissa de que teria liberdade para fazer o seu trabalho. Se a Globo me ofertasse um bom emprego como colunista e me garantisse liberdade de expressão, aceitaria na hora.

          • Rodrigo Leme

            Com tudo que você e outros dizem todo dia, quando você consegue imaginar que a Globo um dia ofereceria um cargo pra alguém com liberdade de expressão? Ainda mais por 20 anos, que incluiram as eleições de 1989 e congêneres?

            Eu tenho sérias divergências com “globais arrependidos”, como ele e o Paulo Henrique Amorim. Trabalharam lá sem reclamar por mais de década, e depois viraram críticos tão ferrenhos, opositores tão virulentos que parece que trocaram de personalidade quando sairam.

            Não tenho nada contra, é questão de mercado. O PHA leva uma vida muito boa hoje, quando parou de acusar o Lula (lembra do ap de São Bernardo?) e passou a defendê-lo. É questão de mercado.

            PS: Deixo o Azenha de fora dessa, porque a história dele não é tão ligada à da Globo, e conheço-o o suficiente pra atestar o caráter.

          • eduguim

            Se for assim, tem que mandar o Lula chutar a bunda do Collor… Política não se faz assim. Lula mudou o Brasil porque entendeu isso. Se continuarmos debatendo com o fígado, não produziremos nada mais do que algumas úlceras

          • Marquinho Santa Fé

            Eduardo, não acho que você deveria aceitar um trabalho na Globo, mesmo se ela te garantisse liberdade de expressão (acho brabo ela garantir liberdade de expressão)! Acredito que pessoas sérias como você não devem dar credibilidade para o PIG!

          • eduguim

            Imagine o que eu não faria com liberdade de expressão na Globo… Mas falamos apenas em tese, porque a Globo não dá liberdade de expressão pra ninguém.

          • Rodrigo Leme

            E ainda assim demorou 20 anos pro Franklin Martins criticar a Globo…

          • eduguim

            Ele criticou quando a Globo parou de lhe dar direito de dizer o que achava correto e o expulsou. Acho perfeitamente normal. Ele é um profissional, tinha uma posição onde podia fazer o que achava correto. Poderia ter se rendido à Globo e adotado o discurso que ela queria, mas seguiu sua consciência. Acho edificante.

          • Juliano Santos

            Meu caro, um monte de jornalistas de esquerda foram trabalhar na Globo, editora Abril, Folha, JB e até no Estadão. Tinha espaço até para o comunista Dias Gomes escrever suas novelas críticas, tipo “Bem Amado”.
            Só recentemente com a idéia fixa de derrubar o governo Lula, que o pig pressionou todos a dizerem amém ao fundamentalismo golpista. Quem não se submeteu, caiu fora

          • jose marcos

            Meu amigo, voce usa a tatica manchada de desqualificar todo um discurso, batento num ponto que voce considera polemico, vamos debater o resto da entrevista??? ou será que isto não lhe interessa????

          • Rodrigo, acredito que você está sendo injusto com o F. Martins. Eu assistia os comentários e sempre teve um postura mediana, nunca ouvi de sua boca comentário virulento contra a esquerda ou defesa dos neoliberais. Quem vivencia a condição de funcionário de organização de Direita – seja na Globo, ou servidor público numa Prefeitura de Direita é complexo a relação. Quem está fora é fácil falar – predicar, vivenciar – experimentar é outra coisa. Não vamos simplificar o que é complexo. Tanto é que ele saiu da Globo. Antes de sair ele participou de um debate em Londrina-Pr donde expos seu pensamento sobre comunicação social. Cuidado com ‘jogar pedra na Geni”.

          • Juliano Santos

            Pelo conteúdo e pelo idioma com que escreveu seu comentário, fica claro que para o Campineiro o “Brazil’ deveria ter se conformado em permanecer quintal dos Estates.
            O que voltaria a ser se seu candidato, o Zé Bolinha, tivesse ganho (não é mesmo, Wikileaks?)

        • Fabio Amaral Di Fini

          Somente fascistas/mentecaptos como esse tal campineiro, condenam alguém um por lutar contra regimes de exceção. É por causa de gente assim, que se põe de quatro ante qualquer um que fale mais forte e use a força das armas, que o país padeceu duas décadas sob a ditadura militar, teve inúmeros de seus heróis combatentes pela liberdade torturados e assassinados covardemente e sofreu um retrocesso histórico pelo qual, até agora, continuamos a pagar… Gente passiva assim, que condena de antemão qualquer reação mais forte frente ao autoritarismo de regimes ditatoriais, é que constitui a eterna massa de manobra das direitas extremistas que ainda persistem no mundo e que, volta e meia, se insinuam no cenário político mundial… Surpreendente que alguém que pensa de maneira tão submissa e amedrontada tenha a coragem de externar publicamente toda essa covardia institucional… Campineiro, vá lamber as botas dos milicos, que é disso que você gosta…

          • Haroldo Mourão Cunha

            Imagine esse camarada na França ocupada pelos nazistas! Dirá que só existia bandido na resistência (e numa olhada superficial na história, veriamos o quanto sanguinária ela foi).

          • Mauro Silva

            Resumiu bem: fascista e mentecapto.
            Papo furado …..
            Esse campineiro é crente …… crente que engana alguém.

          • Esse apócrifo que se esconde sob a alcunha de “campineiro” fica procurando detalhes e desculpas para tergiversar o tema em questão.
            Pega uma informação fora de contexto, faz um raciocínio falacioso e com isso tenta desmerecer todas as argumentações enquanto tumultua o debate, desviando do assunto em questão.
            E faz isso por má-fé, com o propósito de tumultuar o debate.
            Não traz nada de positivo porque seu interesse é prejudicar a conversa.
            Não sei porque o Eduardo publica as provocações boçais desse mentecapto.
            Eu particularmente não acho que valha a pena debater com alguém imbuído de má-fé, como é o caso desse troll.

        • Danilo Morais

          Ah….é muita bobagem. Esta não violência abstrata é o refúgio dos conformistas e dos defensores da ditadura. O direito de resistência dos povos nunca deve ser confundido com a violência do Estado. Por esta razão, mesmo sendo um pacifista por convicção, nunca vou condenar que um povo se revolte e realize uma revolução para se libertar e estabelecer uma democracia. Se tal revolução puder vir pelos “cravos”, como em Portugal, melhor. Mas se tiver de vir pelas armas, que venha.

          • Mauro Silva

            Segundo maquiavel, todas a leis oriundas de motins foram leis justas.

        • Você deveria ter nascido na época do Nazismo. Iria combater os nazistas jogando flores!!! Combater o Nazismo usando tanta violência que o inimigo é usar da violência. Se o povo brasileiro tivesse patriotismo e coragem os militares teriam sido expurgados do poder bem antes. Eu queria ver os militres terem invaido sua casa e levado tudo e se até alguns do seus familiares tivessem sido mortos na sua presença para ver se você ficaria contra quem combateu os militares

        • jose marcos

          Só uma coisinha o covarde anonimo, nunca vi voce criticar ESPONTANEAMENTE o outro lado, como faz agora com a entrevista. Deixa de hipocrisia.

    • Luís CPPrudente

      Pelas participações do Campineiro em outros tópicos e blogs concluo que o Campineiro está sendo cínico e irônico ao dizer que “nada justifica este tipo de violência, nem de um lado nem de outro”, pois acredito piamente que ele adora pessoas como Jair Bolsonaro (este se pudesse praticaria qualquer tipo de violência contra pessoas de esquerda) e o finado José Serra (o que pisa na cabeça de qualquer um para alcançar seus anseios, que devem ser os mesmos do Campineiro). Acredito também que o Campineiro adorava um certo delegado paulista chamado Sergio Paranhos Fleury (este também falava de boca cheia a frase de Campineiro: “Nada justifica este tipo de violência, nem de um lado nem de outro”).

      Campineiro, quando você escreveu esta frase humanista, santa e idealista, estava pensando em lançar o seu nome para ganhar o prêmio Nobel da Paz? Você limpou o cantinho da boca (que estava escorrendo veneno) quando digitava tal frase maravilhosa?

      • Campineiro

        Vc não sabe nada sobre mim.

        Portanto detenha se ao tópico.

        • FAFerreira

          Hipoteses. Será que o Campineiro não foi da turma do Fleury?

          • maria regina

            E, detendo-me ao tópico, gostaria que pudéssemos pensar juntos sobre comentários que trazem um ressentimento embutido e aqueles que apostam em reverter uma certa ordem. Assista à palestra abaixo. Parece-me que seus comentários carregam muito mais um ressentimento que, propriamente, uma reinvindicação, uma reparação. Não evite assistir até o final.

            Esta palestra da jornalista e psicanalista Maria Rita KeKehl é extremamente importante para que possamos compreender o que o presidente Lula proporcionou a todos os brasileiros em relação ao seu complexo de inferioridade frente aos países do primeiro mundo.

            Com Lula, deixamos de ser um povo Ressentido, nos fortalecemos e nos pusemos fortes. Há em seu governo a “vontade de potência”. Houve uma REINVINDICAÇÃO do reconhecimento de nossa IDENTIDADE.

            Maria Rita Kehl – Identidades sociais e ressentimento psiológico

            http://www.youtube.com/watch?v=NokiDClDemY

            Não consegui colocar o vídeo.

        • maria regina

          Quero me deter ao tópico e considerar que nada ocorre isoladamente, porque assim queremos. As circunstâncias à epoca, principalmente a pouca idade dos combatentes, os levaram à ação armada, o que não diminui o caráter heróico dos que participaram do movimento. Alí era questão de sobrevivência, embora frente a recursos assimétricos, outros companheiros estavam sendo torturados e mortos e dependiam de uma ação que os pudesse libertar.´

        • Fábio

          O que você escreve já diz muito sobre você.

          Mas, na verdade, o que você quer é atenção, e escrever aqui é mais barato que procurar um analista pra tratar dessa tua carência afetiva.

          • emerson57

            prezado fabio,
            tenho visto este “fenômeno” em quase todos os outros blogs progressistas,
            a direita sabe que não conseguiu ganhar a eleição, apesar de dispor do pig e ter o papa como cabo eleitoral, por conta da internet e dos blogs sujos, como este.
            então o que vemos é uma marcação cerrada(kkkkk) por parte de partidários da direita na internet.
            esse povo deve ser deixado ao sol.
            eles aprenderão que com a internet e banda larga para todos o pig tende a desaparecer.
            o resto é choro de perdedor.
            feliz ano novo.

        • Marco

          Campineiro, você sabe muito bem que existem uma série de circunstâncias em que a violência é plenamente justicada. Uma delas é a auto-defesa. Outra é o combate a um regime tirânico. Exemplo clássico desse bom combate foi a resistência ao nazi-fascismo em países como França, Itália, Grécia, etc.
          O que os guerrilheiros brasileiros fizeram foi exatamente o mesmo: passaram a combater um regime ditatorial, anti-popular e sanguinário que derrubou um governo legitamente constituído através de eleições livres e soberanas.
          Pare, portanto, de bancar a vestal e procure argumentos mais honestos para se contrapor ao Ministro.
          ______________________

          Eduardo, aproveito para desejar a você e todos os seus leitores e familiares um belíssimo 2011!!

          • eduguim

            igualmente, Marco

          • Ele age assim de má-fé. Sabe muito bem que suas falácias não se sustentam como argumento, mas o seu objetivo é tumultuar e desviar o assunto.

            Não alimentem o troll.

        • jose marcos

          Lógico que não sabemos nada sobre voce, pois é um covarde que não tem coragem nem de dizer o nome. Eu , particularmente , não acredito em pessoas que se escondem.

    • Edmilson

      Vá plantar batatas, Campineiro!

    • Scan

      O senhor que mantém o escravo cativo ou o mata é violento.
      O escravo que quando, por uma sorte qualquer, subjuga ou mata o senhor para se libertar é violento.
      Querer defender que uma e outra violências se equivalem é típico de canalhas ou debeis mentais.
      Não sei a qual classe esse sujeito aí pertence, mas temo que não seja àquela que causa dano somente a si mesmo…
      Os povos eslavos sofreram violências terríveis quando submetidos aos einsatzgruppen nazistas na
      URSS, sua própria terra.
      Quando finalmente os soviéticos tomaram Berlim, agiram com violência sobre a população civil.
      Será difícil a uma pessoa desusadamente estúpida ou outra suficientemente canalha, diferenciar as duas
      categorias envolvidas.
      Aos olhos míopes do lumpem e do imbecil e aos olhos experimentados do canalha, “violência é violência” e todas as categorias se equivalem. São os “Zé-Ninguém” de Reich.
      Este senhor, mostrando-se moralmente intransigente com quaisquer categorias de violência, não demonstra ter um alto conceito da não-violência: o que ele tem é um baixo conceito de moral.

      A quem este tipo de gente pensa que ainda engana? Conhecemos-lhes as fuças, já os vimos desnudados
      centenas de vezes. Desistam.

      PS – Eu moro em Campinas e tenho vergonha de alguns tipelhos que, assumindo como nick sua naturalidade, não compreendem que a podem enxovalhar e via de regra o fazem. Triste…

    • JB Costa

      Nada justifica um comentário com tão grande erro de avaliação.. Típico de um troll. Mas respondo:
      Os próprios militares e civis apoiadores da “redendora” que sujaram as mãos de sangue justificavam as mortes por um suposto “estado de beligerância”, ou seja, na guerra vale tudo.
      Mas até a guerra tem seus limites estipulados pela Convenção de Genebra, que proibe a tortura e mal-tratos a prisioneiros de guerra.
      Mas a questão principal não é essa. A repressão instalada no país em 1964 alcançou seu paroxismo a partir do AI – 5, de dezembro de 1968. Todos os direitos e garantias dos cidadãos ficaram suspensos e o terror se instalou no país, alcançando não só quem pegou em armas, mas a qualquer que se opusesse ao regime.
      A tortura passa a ser banal e desaparecimentos corriqueiros.
      O guerrilheiro que encampou essa luta de armas em punho tinha, sim, o “direito” de matar. Afinal, não eram os próprios militares que diziam ser uma guerra?
      De todo modo, a assimetria era brutal: contra setenta guerrilheiros mal armados e treinados, maioria imberbes, o exército lançou 10.000 militares com o apoio da FAB e de barcos da marinha.
      Os guerrilheiros mataram, sim, algumas pessoas; mas nada nem de longe comparável ao verdadeiro regime de terror implantado pelo regime, cujo expoente foi a tortura sistematizada contra, repito, até mesmo quem nunca pegou em armas.

      • JB Costa

        A guerrilha não citada foi a do Araguaia.

    • Joao Escobar

      A velha tatica de desqualificar o interlocutor para não debater o assunto. Depois posa de democrata. ATenha-se ao topico! Não fuja da raia. Ou assuma que és a favor da liberdade de imprensa somente quando ela está do seu lado.

      • eduguim

        Perdão, mas o colega está se referindo a quem?

        • Esse aí está apenas trollando Eduardo. E é tão boçal que não consegue nem produzir um texto inteligível.

          • eduguim

            Meu amigão Ruy, você tá bravo hoje, cara. Calma. Acabou a eleição. Deixa o cara falar. Não precisamos concordar. E podemos desmontar seus argumentos. Quer melhor que isso?

        • Joao Escobar

          Refiia-me ao Campineiro.. Eita que aqui os animos hoje estão exaltados….

          • eduguim

            Só pra saber. Não me leve a mal. A gente fica perdido com tanto comentário. Desculpe-me o mau jeito.

  • Douglas Quina

    Gente… paciência! Já aguentamos tanos desaforos! Daqui a pouco o Edu poe o vídeo e o link
    prá nós.

    Douglas

  • Ontem em reunião de natal com a familia os meus parentes tucanos vierem com o conhecido lenga lenga de que Lula se saiu bem por que teve sorte, por causa da positiva economia internacional e, claro, por que FHC “plantou a semente”.
    Triste ver que alguns dos meus parentes, não todos, repetem o discurso do PIG.
    Fiz aos parentes tucanos a seguinte indagação.
    O candidato de FHC quando disputou com Lula era o Alckmin.
    Se Alckmin tivesse ganho e não Lula o Brasil teria alcançado bons resultados em todos os campos em que vc imaginar?
    Eles mudaram de assunto, quando dei-lhe a última cacetada falando de neoliberalismo, FMI na Era FHC, Consenso de Washington, predomínio dos grandes grupos econômicos sobre o Estado, etc etc
    Eta gentinha que não desconfia

    • eduguim

      Nesses casos, diga que durante o governo Lula o Brasill viveu a maior crise mundial em 80 anos e que o Brasil começou a afundar em janeiro de 1999 e só parou quando Lula chegou ao poder, e que aquilo que dizem que foi a tal “semente” – lei de responsabilidade fiscal e câmbio flutuante – foram imposições do FMI e não políticas tucanas.

      • Mauro Silva

        Caros Eduardo e comentaristas:
        No governo do sátrapa bizantino, o Brasil quebrou com: a Argentina (efeito tango); a Coreia; o México (efeito tequila) e a Russia (efeito orlof). Todas essas foram CRISES SISTÊMICAS, de economias periféricas que adotaram receituário neo-liberal qual o próprio Brasil.
        Qual a explicação da direita obliterada (um pleonasmo!) do porquê de o Brasil não quebrar na CRISE CÍCLICA no centro do c… da economia central (outro pleonasmo é cabível): Wall Street?
        Respondo!
        Pelo mesmo motivo que India e China não quebraram naquelas crises sistêmicas, ou nesta crise cíclica.
        Mudou-se o perfil da dívida, alongando-a; diversificaram-se as relações comerciais e se reconstruiu o mercado interno, destruído nas “lições de casa” do FMI, aviadas pelos “especialistas” do PIG com fumaças de genialidade.
        Faltou a reforma agraria profunda.
        Impressiona que Lula fez o que os intelectuais e nacionalistas da esquerda, como o grande Celso Furtado, propunham na década de 50, e que os escroques a soldo de Washington, os golpistas de 64, interromperam.

    • Scan

      Estatísticas, meu caro, estatísticas.
      Contra números é dificil brigar. Ainda mais com os números que o governo Lula tem…
      E, olha, experiência própria, não precisa muitos, não: basta meia dúzia e pronto!
      As viuvinhas mudam rapidinho de assunto.
      Algumas pessoas devem ser vistas, não ouvidas. Estranhamente todos os PSDBistas que conheço se incluem nesse grupo….
      Minto: esquecí o FHC que não deve ser nem visto nem ouvido.
      []’s

  • Realmente a entrevista do Ministro Franklin Martins foi excelente, comentou os principais pontos do conflito declarado entre Governo Lula e PIG! Qto as questões colocadas pelos colegas nos comentários, seria impossível o Ministro fazer essas críticas em outros canais, apesar da precariedade, o É Notícia tem trazido boas entrevistas… apesar do horário e da audiência da emissora. Imagina se o Jô Soares convidaria o Franklin pra uma entrevista, ou se ele seria convidado para a bancada do JN! Impensável….

    • eduguim

      Eles se c… de medo do contraditório

  • geraldo de carvalho

    eduardo, me parece q esse kenedy alencar tem conseguido boa interlocução com o governo. se não me engano, é quase único. a entrevista com lula , na semana passada, inclusive com ele acompanhando lula pelo país, já tinha sido mt boa. a continuar assim , o sujeito tá arriscado a ser demitido da folha.

    • eduguim

      Ele sabe quais são os limites da “democracia” naquele “jornal”

  • Givaldo Barbosa

    Eduardo, assití na íntegra a entrevista e confesso que foi a melhor entrevista que já ví de um membro do governo Lula.
    Achei o máximo qdo ele deu uma aula sobre o golpe de 1964, acusando a grande mídia de ter apoiado o golpe e defendido a censura e agora posa de democrática. Fico feliz que vc tenha compartilhado desta entrevista, pois a cada pergunta respondida pelo ministro, ficava desejando que todos os brasileiros deveriam estar assistindo. Foi muito bom.

    Aproveito a ocasião para desejar-lhe boas festas e um feliz 2011, com muita paz e saúde, sobretudo para a pequena Vitória, este anjinho que encanta a todos que acompanham a sua trajetória desde 2006 e fez do seu espaço uma leitura diária.

    Depois de acompanhá-lo na frente da Globo e FSP, saliento que pode continuar contando comigo para o que der e vier.

    Abços.
    Givaldo – Professor de escola pública SP-SP

    • eduguim

      E ainda me perguntam por que faço o que faço. É pelo apoio de pessoas como você, Givaldo. E pelos meus descendentes.

  • Pedro Soto

    Eduardo
    Como é que ficou aquele processo movido contra a TV Globo por causa do episódio (desmascarado pela globosfera) da bolinha de papel?

    • eduguim

      Vou escrever sobre isso na hora certa

      • Scan

        Edú, e aquele suposto telefonema (pilhado por reporter da Folha, acho) do Çerra ao ínclito Gilmar Dantas no dia da votação sobre documentos necessários para se comparecer às urnas?
        Será que todo mundo esqueceu? Ninguém fala mais disso?
        A madame Quirrô não vai pedir quebra de sigilo telefônico das duas vestais?
        []’s

  • Marcio.

    Caixa-dois não senhor, eram “recursos não contabilizados”. O PT jamais faria caixa-dois.

    • eduguim

      Todos fizeram, e o pior é que fizeram TODOS com o mesmo Marcos Valério – inclusive o seu partido.

      • Marcio.

        Só que quem posava de vestal da moralidade e chamava todos os adversários de corruptos era o TEU partido. Nem a UDN jamais foi tão udenista quanto o PT na oposição.

        • eduguim

          É que FHC estava vendendo o Brasil. Roubaram 100 bilhões de dólares. Tinha mais é que fazer oposição radical mesmo.

          • Marcio.

            Conversa fiada de militante. O PT fez oposição radical a tudo, desde muito antes da Constituinte de 88. O discurso moralista foi a base para erguer o partido nacionalmente. O que vocês não toleram é terem perdido a moral para acusar alguém, já que a linha de defesa agora é “fizemos, mas quem não fez?”.

          • eduguim

            do jeito que você fala, parece que todo o PT fez caixa 2. Uma tremenda bobagem. Alguns fizeram e estão sendo julgados. Nem o PT nem o PSDB inteiros fizeram algo errado. O mesmo discursinho que usa contra o PT dá pra usar contra o PSDB. Agora, como fazer para aceitar o roto falar do remendado? Vocês já perderam 2 eleições com esse papinho. E vão perder muitas mais, pois é o único discurso que têm

          • Sávio Valença

            O PT pode até ter perdido a moral para falar mal do DEM e do PSDB, mas o DEM e o PSDB nunca tiveram a moral para falar mal de alguém.

          • Lucio

            Meu bom senso me diz que na pior hipótese merece mais crédito quem “perdeu a moral” do que quem nunca teve. Afinal, o primeiro sempre pode recuperá-la… O ” Fatalismo” aí só encaixa no segundo.

          • Juliano Santos

            “O discurso moralista foi a base para erguer o partido nacionalmente.”

            De jeito nenhum. O discurso foi criar uma esquerda moderna sem laços com o velho comunismo soviético e baseado no novo sindicalismo que surgia.
            A tal “bandeira da ética” ganhou setores da classe média e que depois se “desiludiram’ com o PT. Pura ingenuidade, na minha visão.
            Nenhum partido pode ser “dono’ da bandeira da ética. Isso é obrigação de todos. E a sociedade tem que ter mecanismos para fiscalizar os desvios éticos

        • O que você está falando é que os tucanos e demos são ladrões mesmo e portanto podem fazer qualquer tipo de falcatrua que ninguém pode reclamar. Já o PT não pode ter mácula nenhuma.

          Você está até babando de raiva, mas não mudará o fato que os tucanos e demos estão em extinção por serem ladrões e incompetentes, enquanto o PT está em ascensão porque é um partido democrático e popular.

          Vocês ficaram restritos a essa lenga-lenga de reclamar da oposição que o PT fez, sendo que fizeram uma oposição antipopular, golpista e boçal. Vocês insistem nessa mentira do mensalão porque não tem argumentos para tentar negar o sucesso estrondoso do Governo Lula.

    • Emília

      Marcio, não existe no Brasil nenhum político que não faça caixa-2 e, digo mais, a maioria do povo brasileiro faz caixa 2, sonega imposto, portanto vamos deixa de hipocrisia e atire a primeira pedra quem nunca sonegou. O meu pai costuma responder, quando alguém reclama que a carga tributária no Brasil é alta, que não é tão alta não porque pra cada real pago de imposto, o mesmo valor é sonegado.

  • KBLo

    pois olha que linda oportunidade da blogosfera exemplificar seu poder de difusão, e a galera toda divulgar o vídeo – assim que disponível -, multiplicando por muito seu público.
    claro, se o senso de união já tiver conseguido superar a discussão do se o mais fdp é o do bolo ou o da gravata…

  • Haroldo Mourão Cunha

    Eduardo, acho que o campineiro tem cura. Vou explicar: t5enho um amigo que, há mais ou menos 7 anos, vivia a detratar os eleitores e o próprio Lula. Ele é bacharel em direito e, por ter nivel superior, achava que um metalurgico ignorante não tinha o direito de governar o Brasil, era um tucano fanático e admitia isso. Passados esses anos, ele me ligou esses dias para desejar-me Feliz Natal e me diz na lata: “Haroldo, vou te dar um presente de Natal, lembra-se quando você dizia que eu ainda iria elogiar o Lula? Tenho mais a dizer: ele foi o melhor presidente da história do Brasil”. Preciso discorrer sobre algo mais?

  • Luís CPPrudente

    Espero que Dilma Roussef dê totais condições para que a nossa “Ley de Medios” democratize os meios de comunicação, colocando a mesma sob o controle da população brasileira e tirando o mesmo das mãos sujas de sangue das famiglias do PIG (que deram apoio moral e logístico para a Ditadura Militar) e das teles estrangeiras.

  • Rene Pacheco

    Eu sinceramente espero que alguma agência de notícias estrangeira tenha o mesmo espaço que as porcarias que temos ultimamente. Eu queria saber o que a VEJA tem a dizer, em agosto de 2008 ela publica uma revista com a chamada na capa “EXCLUSIVO ESPIÕES FORA DO CONTROLE documento obtido por VEJA mostra que o STF foi espionado” e agora que foi desmentido toda palhaça da encenação do Gilmar Mendes, que nada existiu a blogosfera já sabe faz tempo, mas agora que foi oficialmente confirmado após investigação, passa batido, ficou barato desmoralizar uma Operação séria da Polícia Federal, Operação que deveria ser enaltecida pelos meios de comunicação para servir de exemplo a todos que acreditam que é possível executar um trabalho sério na Polícia Federal.

    Por falar nisso Edu aquela lei de falso alarde que você comentou com o presidente no dia da entrevista, a VEJA não poderia ser enquadrada nela???

    • eduguim

      Aquela lei pertencia à lei de imprensa e eu não me lembrava. Já era

  • Que bom que existe pelo emnos uma pessoas no governo que fale as coisas como ele são. Não é d´fiicl imaginar porque ele é tão massacrado pela grande mídia.

  • Augusto Pinheiro

    Assisti ao programa com a excelente entrevista do Franklin Martins. Esse video, quanro disponível deveria ser replicado em todos os blogs sérios, como um documento para a posteridade. É bom que se louve aqui também a superior categoria profissional do jornalista Kennedy Alencar na condução dessas entrevistas veiculadas em seu programa, com especial destaque à recente com o presidente Lula e outra com a presidenta eleita Dilma Roussef. Esse programa é imperdível..

  • Ertha Lucia Buys

    Eduardo,

    Francamente já estou grilada com a atenção que você dá a esta mala “Campineiro”. Sou contra aos massacres Israel x Palestina. EE.UU x Iraque. etc…. As ditaduras militares nas Américas foi disputa ideológica durante a guerra fria, em consequencia da 2ª guerra mundial. Foi coisa séria que ceifou muitas vidas. Dar papo pra Campineiros da vida neste tema é atirar pérolas a porcos como diria minha avó. Feliz 2011 para você e também para a familia.

  • Ertha Lucia Buys

    Eduardo,

    Francamente estou grilada com a atenção que você dá a esta mala “Campineiro”. Feliz 2011 pra você e familia.

    • eduguim

      Benditos sejam os críticos, sobretudo quando nos acusam de não sabermos conviver com críticas. Feliz 2011 pra você e pra sua família.

  • fog

    Ai! Chega Eduardo!
    O cara é troll!
    Só quer impedir o debate/diálogo.
    Vai ficar eternamente escrevendo besteiras.

    “deixa ele prá lá, o que é que tem,
    faz mal bater um papo assim gostoso com alguém?”

    Volta prá nóis!

    • eduguim

      Caro Fog, até agora o Campineiro, em vez de impedir o debate, provocou-o. Aliás, um debate necessário. Seus argumentos foram colocados de forma respeitosa. Ele tem o direito à própria opinião. Se começarmos a chamar de troll qualquer um que pense diferente, vamos ficar falando para nós mesmos. E à toa, porque a argumentação do leitor que você critica, por mais que tenha sido feita da forma correta, é extremamente fraca, como se pode ver pelas respostas que está recebendo. Em vez de xingar o argumento de que discordamos, o negócio bom mesmo é vencê-lo. Quando possível, claro. Se não for possível, melhor mudar de opinião.

      • Marcio Batista

        Por isso que gosto desse espaço.

        Que o Campineiro continue cutucando a esquerda para que ela lembre sempre de manter coerente. E viva a liberdade!

        Abraço a todos!

  • Caro Eduardo
    Tive o privilégio de participar da vida política brasileira e de suas lutas nacionalistas e democráticas desde os idos de 1952. Primeiro como secundarista e depois como universitário, assim, foi quase que um reencontro como esse passado ouvir o Franklin falar sobre o Brasil, do suicídio de Getúlio até aos tempos em que a CIA trombeteava livremente suas pregações golpistas, ora pela mídia da época, ora através dos parlamentares eleitos pelo IBAD ou via “intelectuais”do IPÊS( Instituto do General Golbery). Sabe Eduardo, ao ler certas críticas, algo ressalta imediatamente, o ódio que devotam aos que tiveram a coragem e a ousadia de combater a ditadura, mesmo sabendo que poderiam ficar pelo caminho, como muitos ficaram. Enquanto esses lutadores ousavam com a própria vida, muitos desses críticos, mesmo apoiando aos ditadores de plantão, só conseguiam ter coragem para criticar quem os combatia, porque contavam com a segura proteção das armas e do poder ditatorial de um espúrio sistema. E hoje em dia, como se pôde notar durante a campanha eleitoral passada e agora, sentem imensa falta daqueles tempos em que podiam tudo, inclusive fazer da mentira uma verdade. Hábito que insistem em manter.

  • Rodrigo Leme

    O Franklin Martins me lembra aqueles esquerdistas arrependidos, que adoram começar a frase com “eu era PT até…” para justificar serem cooptados pela direta ou ou por outras esquerdas, e que soam incrivelmente patéticos.

    Só que o Franklin é o global arrependido: 20 anos trabalhando para as Organizações Globo, e de repente (após não ter seu contrato renovado pela emissora, diga-se de passagem) virou um ferrenho crítico do ex-patrão. Ideologia ou patrão novo?

    De resto, caberia ele detalhar como é a regulamentação da mídia “nos outros países” (quais são as referências? Do Irã pra Inglaterra há diferenças monstruosas) e o que de fato pretende-se implantar no Brasil, na letra da lei. Pq ele fala, conceitua, mas tudo é muito aberto. Se a intenção não é controle, solte um documento, um projeto, sei lá, algo que ele assine embaixo e fale “esse é o plano”.

    São as propostas da Confecom? Perfeito, só que eu quero ver ele mostrar em que países aplicam-se algumas das propostas lá, incluindo aquelas que – sim – falam do tal “controle” e de imposições de conteúdo que ele diz que não existirão.

    Ao invés de fazer panfeltagem, caberia saber o que ele pretende para essa discussão, ao invés de falar mal de ex-patrão, o que sabemos que tem cara de ressentimento.

    • eduguim

      Realmente, “aqueles esquerdistas arrependidos que adoram começar a frase com ‘eu era do PT até’ (…)” são um saco justamente por terem sido cooptados pela direita ou por outras esquerdas. São, de fato, patéticos. Estamos de acordo nisso.
      Todavia, o fato de Franklin Martins ter trabalhado para a Globo não quer dizer que ele tenha que ser confundido com a Globo. Para seu governo, quando a emissora fez aquela reporcagem sobre o rolo de fita crepe fantasma que teria atingido Serra, a Redação da Globo vaiou até cansar.
      Martins não mudou. O que acontece é que a Globo retirou a permissão que lhe dava para dizer seu ponto de vista sempre equilibrado e que era alguma coisa de melhor no que restava do jornalismo da emissora.
      Lembro-me de que ele disse uma frase histórica na própria Globo durante a artilharia que a emissora disparou por conta do “mensalão”. Ele disse: “Envenenar o país é fácil, difícil será desintoxicá-lo, depois”.
      Foi profético. Os neandertais que passaram a verter preconceitos (homofobia, xenofobia etc.) depois da eleição decorrem do clima que o PIG criou no país.
      A proposta está sendo preparada. Se contiver algum absurdo, serei o primeiro a combater. Aliás, fui delegado por São Paulo na Confecom e discordei de muita coisa que se disse ali, mas, como o próprio Lula disse, propostas são propostas, não são decisões.
      A Confecom foi muito rica, em termos de representatividade. Havia de mega empresários a representantes do movimento indígena, dos negros, das mulheres, dos gays, dos trabalhadores etc. Você não participou, não sabe do que fala quando alude à Confecom.
      Nem por que propuseram alguma sandice que tal se vai transformar em carimbo da Conferência, ora.

    • Juliano Santos

      Meu caro, você inverteu. O Franklin não ficou “assim” porque a Globo o despediu, a Globo o despediu porque ele queria permanecer “assim”, ou seja, não seguir a cartilha do Ali Kamel.
      Outros também foram atingidos pelo macartismo piguento, tais como, a Tereza Cruvinel, o Azenha, a Helena Chagas, entre outros

      • Rodrigo Leme

        Eu queri saber em que momento do jornalismo da Globo podia se falar o que quisesse. Só gostaria de lembrar a todos que muitos desses monstros sagrados da ombridade estavam na Globo em 1989, aparentemente dando suas opiniões livremente. Alguém lembra? É, nem eu…

        O Paulo Henrique Amorim teve a cara de pau de fazer um livro malhando a Globo no caso Brizola só 20 anos depois do caso, quando saiu da emissora. É um bravo…

  • mineiro

    a rede tv deu a oportunidade do min. franklin martins de falar , o que as tvs lhe negou nos ultimos oito anos . bem lembrado o texto , foi certeiro , e como nao inclui a record, o que essa emissora fez para o brasil.. em materia de oportunidade de falar, qual membro do governo falou nessa emissora enquanto o pig maldito massacrava o governo lula. e como nao relacionar essa emissora como o pig. ela mostra as mesmas coisas que o pig mostra , as mesmas noticias , e a programaçao é de baixo nivel. e alguem ainda defende essa emissora. se ela pegar o primeiro lugar a record vai mandar uma banana para cada brasileiro. vamos deixar de hipocria, os jornalista que la trabalham e que faz parte dos blogs progressista é uma coisa , a emissora é outra totalmente diferente . por isso nao se iludam com essa emissora porque vai quebrar a cara.

  • Omar Streliaev

    Interessante entrevista de Franklin Martins em 2002 à revista Trip:

    “TRIP: Tem algum erro pontual que você tenha cometido, tipo matado alguém?

    Franklin Martins: Tive dois privilégios. Primeiro, nunca fui torturado, embora estivesse submetido a uma tortura interna o tempo todo — vivia me preparando para ser preso e ser capaz de morrer na tortura sem abrir a boca. Segundo, nunca tive de atirar em alguém. Seria uma violência terrível: racionalmente, você pode ter resolvido isso, mas emocionalmente ninguém sabe como se comportará se o problema for colocado, e tampouco como reagirá posteriormente.”

    Completa neste link: http://www.franklinmartins.com.br/naestante_artigo.php?titulo=a-mudanca-e-grande-vencedora-das-eleicoes

    (Obs.: lá também comenta sobre ter trabalhado na Globo).

  • Emília

    Costumo assistir as entrevistas no É noticia, mas infelizmente perdi a do Franklin Martins. Assim que for possível, Eduardo coloque aqui pra gente assistir, ok!
    Sempre gostei do Franklin desde a época da Globo, assim como o Azenha, o PHA, Rodrigo Vianna, Joelmir e tantos outros excelentes jornalistas que passaram por lá. Não podemos desmerecer a Globo como padrão de qualidade técnica, pois é excelente nisso, infelizmente, no setor de jornalismo ela se tornou superficial e manipuladora, assim os bons jornalistas saíram de lá. Hoje, o jornalismo televisivo que mais acompanho é o da Record, que está evoluindo muito.

  • Jorge

    A vilania, covardia e outros adjetivos da sociedade civíl que junto com militares, aplicaram o golpe de 64, pode ser verificado no fato de que não apenas terroristas foram combatidos por eles. Combateram também aos músicos, compositores, escritores, estudantes e qualquer pessoa ou forma de expressão que pudesse, a sua maneira, esclarecer e pregar a democracia junto ao povo.

    Dizer que existiam terroristas ameaçando o estado e com isto justificar os fatos é querer brincar com a lógica dos cidadãos. Existiram muitos mais terroristas agindo nos orgãos da aliança civil / militar do que naquela que diziam eles combater. De fato, ainda hoje, existem muitos terroristas, hoje em áreas da informação, querendo diuturnamente, deturpar e desqualificar não apenas governantes e partidos, como também a sociedade que, democraticamente, os escolhem e os acolhem pelo voto.

  • RSilva

    Nada a ver com a reportagem postada mas me sinto no dever de deixar aqui como protesto.

    Novamente a elite branca e racista de São Paulo vem a tona.

    O alvo da vez é a Escola de Samba Acadêmicos do Tucuruvi, por seu samba enredo, SÃO PAULO A CAPITAL DO NORDESTE!

    A escola recebeu por email até ameaça de morte.

    A mesma registrou queixa, vamos ver se desta vez alguma coisa acontece.

  • Ronaldo Sanches

    Alo Eduardo: Voce me desculpe, mas voce dá mais voz a um covarde como esse tal de “Campineiro” que não tem coragem de citar o próprio nome, e vem aqui, se achando o ” rei da cocada”, do que seus comentáristas fieis. Afinal, porque esse covarde comenta aqui e não se identifica.

    • eduguim

      Ronaldo, tenho um apreço enorme pelos amigos que me apóiam. Não dou mais valor ao leitor que diverge de mim, apenas defendo seu direito de opinião. Continuo apreciando os amigos e respeitando os divergentes. Isso se chama democracia.

      • Ertha Lucia Buys

        Eduardo,,

        Raramente você responde a uma participante de seu blog. Eu disse raramente, não disse nunca. Agora você se referiu enfaticamente aos participantes masculinos. Acredito que seja impensado, mas cabe uma corrigida. Nosso ego agradece. OBS Você escreveu que críticas são bem vindas. Aceite esta, sem maggua. Afinal só posso criticar abobrinhas. Você é quase perfeito.

        • eduguim

          Ei, Ertha.. Quase perfeito? Críticas ajudam, quando bem intencionadas e justas. Boas festas

  • Ronaldo Sanches

    Alo Eduardo: Nós que lemos seu blog diariamente e lutamos por uma sociedade mais justa não deveriamos dar voz a um sujeito que tem medo de se identificar. Se esse sujeito quiser se expressar no seu blog que se apresente.

    • eduguim

      Ronaldo, confesso que já pensei como você. Mas se for seguir à risca essa premissa, teremos que reconhecer que dos dois lados há gente que usa pseudônimo ou só o primeiro nome, o que dá na mesma, pois existem dezenas de milhões de pessoas chamadas João ou José, por exemplo. Sendo assim, não posso barrar o contraditório com base apenas em um argumento como esse. Quando o sujeito vem provocando os outros leitores ou insultando, aí eu passo o facão mesmo. Sem dó. Mas como negar a alguém o direito de opinar com serenidade e respeito? Além disso, em minha opinião o leitor em questão só permitiu que reforçasse meus argumentos. Mas e se o argumento dele fosse melhor e eu não tivesse resposta? Bem, eu mudaria de opinião.

    • Rodrigo Leme

      Isso vale para todos ou só pra quem não pensa igual você?

      • eduguim

        Olhe, eu acho que o debate, depois da eleição, precisa mudar de nível. Não precisamos ficar nos estapeando, aqui. Será que não dá pra debatermos com serenidade?

  • Osvaldo

    Prezado Eduardo, o que o Franklin falou não foi nada mais nem nada menos que a pura verdade.

    Lamento muito o horário e o canal de TV que transmitiu a entrevista e lamento mais ainda que o governo não tenha poder para estabelecer horários políticos para se comunicar com o povo. Deveria ter.

    Quanto a rejeitar violência, também rejeito-a. Mas se entrasse um criminoso na minha casa e começasse a maltratar a minha família, eu faria qualquer coisa para defendê-la.

  • mello

    Franklin foi um bom líder estudantil, um bom combatente contra a ditadura, um bom jornalista e um bom ministro. Participou de uma excelemte entrevista. Merece mesmo os parabéns.

  • alexandre

    o s caras não disponibilizaram a entrevista. tem até do lula,mas franklin,não. será a boa e velha imcompt~encia generalizada no mês de dezembro ou algum impedimento de outra natureza?

  • Aline

    O troll da hora é especializado em repetição de falácias.
    É urgente que reciclem os trolls. Eles precisam surpreender, inovar, lançar moda. Agora com o Wikileaks e seus vazamentos, todos os argumentos dos trolls têm que ser readaptados. A permanecerem as mesmas chorumelas e cantilenas, o efeito exclusivo de suas incursões é provocar sono. Não conseguem mais nem irritar.
    Sugiro que Campineiro faça o seu próprio blog. Aí ele vem aqui, deixa o endereço e fica lá esperando, sentadinho, a nossa visita.

    • eduguim

      Que maldade…rs

  • Eduardo,

    Tentei achar o video da entrevista no site da rede tv

    http://www.redetv.com.br/jornalismo/enoticia/

    a ultima entrevista do Kennedy é com o Lula…

    Será que ocorreu uma censura??

    Muito estranho.. estava doido para assistir….

    abs

    Rodrigo

    • eduguim

      Demora uns dias pra eles colocarem. Como eu disse, amadores…

      • RSilva

        Eu penso que vocês estão sendo severos demais com a RedeTV, esquecem que é fim de ano, menos profissionais trabalhando, férias.

        Afinal ela tem a entrevista e se dispôs a isso, também costuma repeti-las em diversos horários. Paciência companheiros.

        Feliz Ano Novo a todos.

  • Carlos Henrique

    E que também tenham vindo apenas no final deste Governo! Apesar disso, foram maravilhosas as colocações de Frankilin Martins, desnudando o golpismo da ditadura midiática, com apenas uma única ressalva a fazer-se : a ideia de sermos “equilibrados” não justifica reconhecermos méritos em quem não tem. O equilíbrio serve para reconhecermos qualidades verdadeiras e não para injustamente atribuí-las aos que não a possuem, em nome de uma hipócrita moderação, o que leva apenas a darmos crédito a quem não tem e que jamais faria esse tipo de “cavalheirismo” com o nosso lado. Vou ser mais claro : só tenho a criticar o fato de Martins reconhecer algum mérito no Governo FHC : ELE NÃO TEM NENHUM. FHC “ESTABILIZOU” FALSAMENTE A MOEDA, SUSTENTANDO ESSA “ESTABILIDADE” FALSA COM UMA TAXA DE JUROS ESCANDALOSA(QUE FARIA AS TAXAS ATUAIS PARECEREM COISA DE AMADOR)E COM A QUEIMA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO. QUER DIZER : NÃO COMBATEU A CAUSA DA INFLAÇÃO(INSERÇÃO SUBALTERNA DO PAÍS NA ECONOMIA INTERNACIONAL, O QUE LEVA AO DÉFICIT EM NOSSO BALANÇO DE PAGAMENTOS E À NECESSIDADE DE RECURSOS EXTERNOS)COM UMA POLÍTICA DESENVOLVIMENTISTA(CALCADA EM DISTRIBUIÇÃO DE RENDA; AUMENTO DO MERCADO CONSUMIDOR E ALTERAÇÃO DE NOSSO PERFIL PRODUTICO-EXPORTADOR), COMO FEZ LULA, AGINDO COM A INFLAÇÃO COMO O SUJEITO QUE TENTA CONTER UM VAZAMENTO DE ÁGUA COM AS MÃOS(ELA ACABARÁ SAINDO POR OUTROS CAMINHOS)AO INVÉS DE FECHAR O REGISTRO, ATACANDO O QUE CAUSA O FLUXO. No mais, Martins foi excelente, principalmente porque, pelo que deu para perceber de suas recordações, começou a esclarecer as pessoas sobre a importância da regulação dos meios de comunicação, mostrando que trata-se de uma regulação social(isto é, a Sociedade, com todas as suas diversas composições)regula a mídia para GARANTIR QUE TODAS ESSA DIVERSIDADE DE SETORES, CLASSES E INTERESSES QUE A COMPÕEM, FALE(ISTO É, SEJA OUVIDA, POSSA EXPRESSAR-SE ATRAVÉS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, QUE EXPLORAM UM BEM QUE É DA PRÓPRIA SOCIEDADE E/OU SUSTENTAM-SE COM O DINHEIRO DESSA SOCIEDADE), e que assim seja garantida a VERDADEIRA LIBERDADE DE EXPRESSÃO(QUE, COMO O PRÓPRIO NOME JÁ DIZ, É A LIBERDADE PARA TODOS FALAREM), NÃO MAIS MANTENDO-SE A SITUAÇÃO ATUAL ONDE APENAS OS DONOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO(UMA OLIGARQUIA DE TREZE FAMÍLIAS)FALAM, REPETINDO APENAS UM ÚNICO PENSAMENTO(AQUELE QUE REPRESENTA A VISÃO DE MUNDO E DEFENDE OS INTERESSES DESSES PROPRIETÁRIOS), ENQUANTO TODAS AS DEMAIS VISÕES QUE A ELE OPÕEM-SE SÃO CENSURADAS. Portanto, controle social É GARANTIA DE PLURALIDADE, DE NÃO CALAR NINGUÉM, DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Além disso, cabe louvar também a denúncia clara de Martins sobre o partidarismo criminoso da ditadura midiática; explicitado escandalosamente nos episódios citados por ele e em muitos outros; e de lembrar a essa gente(pelo jeito, revelando ao público quem eles são)o papel de cumplicidade que tiveram com as monstruosidades da ditadura. Ainda cabe ressaltar a declaração sobre a parceria sórdida entre a ditadura midiática e as sabotagens oposicionistas. Como também foi importante a colocação sobre a participação das “teles” na produção de conteúdo : não sou um entusiasta da comunicação capitalista, acho que comunicação deve ser fundamentalmente pública, mas essa “briga” entre capitalistas será excelente para causar fissuras nos barões da comunicação, as quais ajudarão na superação da resistência que farão à democratização das comunicações. Que Dilma torne práticas as reflexões de Martins e comece imediatamente a dar esse passo indispensável para a construção da democracia neste país.

  • Caro Edu,
    Tenho, durante bastante tempo, silenciosamente, acompanhado seu ótimo trabalho feito aqui, usufruindo de suas sábias palavras sem pagar nada por elas. Devo-lhe pelo menos um obrigado e votos de um ótimo ano novo.
    abs

    • eduguim

      Igualmente, fagner

  • Paulo Marcel

    FHC destilando inveja no Programa Manhattan Connection regado a grosserias gratuitas de Diogo Mainardi.

    http://todeolhomalandragem.blogspot.com/2010/12/fhc-destilando-inveja-no-programa.html

  • Antonio Lyra Filho

    A manchete da Folha de hoje mostra o real motivo do porque a insatisfação deles com o governo Lula.

    Reclamam dos aumento na distruição das verbas com mais de 8 mil veículos.

    É exatamente isto que eles não queiram.

  • Virgílio

    Ótimo debate…. boa discussão. Não assisto nada na TV.. .simplesmente aboli este meio de me informar, infelizmente. Preciso descobrir brechas onde obter informações confiáveis, pois não aguentava mais tanta manipulação. Mas li entrevista semelhante de Franklin Martins um dia destes aqui na internet. Ele tocava nestes assuntos e era muito boa. Lamento a saída do Franklin do governo e espero que a nova ministra tenha postura similar. Mas hoje saiu na Folha uma matéria muito interessante que mostra que, para além das razões ideológicas, há um forte motivo das quatro grandes famílias odiarem tanto Lula e o seu governo – o impressionante crescimento e diversificação dos veículos para onde vai a propaganda do governo. Mesmo gastando algo similar ao governo de FHC Lula ampliou imensamente o número de veículos e de municípios atingidos pela publicidade oficial. Na matéria tem até uma estocada irônica ao fato de Lula ter dado entrevista a blogueiros ditos progressistas. É esta política que tem que ser seguida e aprofundada…. democratizar ao máximo a distribuição das verbas. Não deixar, como antes, tudo nas mãos das quatro famílias mafiosas.
    Outra coisa muito interessante que vi estes dias foram frases dos grandes colunistas do PIG sobre Lula. Saiu em vários sites, inclusive em PHA. O mais incrível é ver como todos os grandes nomes desta grande imprensa são homogêneos no ódio que têm por Lula e por seu governo. Não há, nestes veículos, a menor diversidade de pontos de vista, não há nenhum grande nome que faça algum contraponto, destacando algo de positivo que aconteceu no governo Lula. Isto sim é que é pensamento único hegemônico. E esta mesmo imprensa ainda diz defensora da liberdade!!!! Não sei se Dilma terá força suficiente para fazer avançar a discussão sobre regulamentação da mídia. Espero que sim.
    Edu, aproveito para desejar a você e a sua família, um ano novo cheio de coisas boas, a começar pela saúde de Vitória. A você, especialmente, meu reconhecimento pelo papel importante que tem desempenhado nesta luta de todos nós por um país mais justo, mais igual e cada vez mais democrático.

    • eduguim

      Boas festas, Virgílio

  • Ertha Lucia Buys

    O Franklin Martins faZIA O ” FATOS & VERSÔES” NA gLOBO NEWS DE ÒTIMA QUALIDADE. fOI trocado pelLA CRistiana Lobo, PRECISA dizer Mais alguma coisa? desculpem as maiusculas, MEu teclado endoidou.

  • laura

    Que maravilha isso, Eduardo! obrigado por postar e achar isso.
    Franklin Martins é um homem coerente com sua trajetória e com seus ideais de juventude.
    Que dignidade tem!
    Imagino o que fará agora.
    Não consigo imaginá-lo novamente no PIG. Talvez vá para a Record, talvez vire blogueiro!

  • Pedro Soto

    Eduardo
    Cadê a segunda parte da entrevista do Franklin Martins?

    • eduguim

      Já consertei

  • Pedro Soto

    Como é possivel que um governo (do Jango) que desejava implantar uma ditadura comunista no país não tenha conseguido esboçar a mínima reação contra um golpe militar de direita que, a olhos vistos, dava sinais nítidos, com muita antecipação, das ações que estava prestes a empreender, inclusive com ajuda internacional?
    Ô Campineiro, porque os teus amigos golpistas da direita não esperaram 1965 quando haveria eleições para presidente? Não confiavam no Lacerda ou tinham medo da volta do Juscelino?
    Eles se borravam mesmo era com o crescimento das forças populares, através do PTB de Jango e Brizola, crescimento esse comprovado pelas esmagadoras vitórias de Negrão de Lima e Israel Pinheiro em 1965.
    A direita sabia que só chegaria ao poder através de um golpe militar.
    Hoje, nem com o PIG conseguem.

  • Eu li que o Franklin tinha liberdade de dizer o que pensava, o que achava correto,na Globo? Eu li isso? Existe isso nos grandes meios de comunicação brasileiro?

    • eduguim

      Existia, tanto é que quando deixou de existir, vários jornalistas que se recusaram a compactuar com diretrizes explícitas para entrarem no jogo, caíram fora. O Luiz Carlos Azenha contou várias vezes essa história

  • Pedro Soto

    Excelente entrevista!
    Parabéns, Franklin Martins. O Kennedy também ajudou, ao dar agilidade à entrevista.
    Pena que só poucos brasileiros puderam assistí-la.
    Isso sim é que é a tal de FALTA DE LIBERDADE DE IMPRENSA!

  • Pedro Soto

    Essa entrevista do Franklin Martins ao Kennedy Alencar (repararam na coincidência de nomes de dois presidentes americanos?) deveria entrar para a história.
    Para a história da

  • Pedro Soto

    Essa entrevista do Franklin Martins ao Kennedy Alencar (repararam na coincidência dos nomes de dois presidentes americanos?) deveria entrar para a história.
    Para a história da FALTA DE LIBERDADE DE IMPRENSA

  • Pedro Soto

    …em nosso país, pois só uma pequena minoria teve a oportunidade de assistir a tão esclarecedora e profícua entrevista.
    A extrema necessidade de regulação da mídia está aí comprovada:
    Que programas desse nível não sejam preteridos pela tão frequente mediocridade a que estamos acostumados.

  • Gostei muito da entrevista, principalmente da “parte 1” que ele fala da sua participação na luta contra a ditadura, lutou efetivamente e percebe-se claramente a diferença de discurso de quem se colocou contra o regime e os que só apoiaram a democracia no apagar das luzes do governo militar. Hoje em dia vê-se muita gente batendo no peito e se dizendo de esquerda, que lutou contra a ditadura e na verdade participou no máximo do movimento das “diretas já” ou ainda do “Fora Collor”. Alguns dias atrás, no twitter, o tal Stanley burburinho, postou que fez treinamento em Cuba, lutou no Araguaia e tudo mais, e teve gente que acreditou e se emocionou. A crítica do Franklin a grande mídia, foi muito bem feita e na questão da regulação da mídia , levantou-se alguns pontos que ficam no meio da cortina de fumaça que os barões da mídia criaram em torno do tema. Edu, então quer dizer que na Globo o povo poderia falar e critcar de acordo com o que achava correto. Pois bem, o que esse povo falou da edição do debate Lula x Collor? E no caso da parabólica, se não vazasse o audio, o Monforte ia colocar no ar? E o filho do FHc com a jornalista Mirian Dutra? E o caso da proconsult? No filme “Muito além do cidadão Kane” me pareceu que essa “liberdade” não existia.

    Abraço.

  • Paulo Marcel

    Governo americano aprova lei de neutralidade dos Provedores de Internet.
    Os provedores estão proibidos de favorecerem esta ou aquela empresa que pagar mais por uma velocidade maior de acesso ao seu site. Isto significaria, na prática, uma concorrência desleal contra as empresas pequenas e os blogs que não teriam dinheiro para aumentar a velocidade de acesso ao seu site, diminuindo s suas respectivas audiências.
    Espero que esta moda pegue.

    http://todeolhomalandragem.blogspot.com/2010/12/governo-americano-aprova-lei-de.html

  • Celso Junqueira

    Rodrigo Leme, campineiro… está faltando o abel botelho. Pra mim, são a mesma pessoa. Nem se dá ao trabalho de mudar o estilo de redação, tentar disfarçar…

    • Rodrigo Leme

      Ah sim, todos os comentários que você não gosta aqui são escritos por mim. Eu passo das 2 da manhã até o amanhecer preocupado em redigir opiniões para as quais você não responde nada que preste. É um vício meu alimentar sua falta de imaginação.

      • El Cid

        tadim docê…

  • El Cid

    Edu, quero deixar disponível para download, a montagem dessa ótima entrevista:

    http://www.megaupload.com/?d=0IGNX8RU

    Feliz Ano Novo, irmão-militante !!

    • eduguim

      Feliz Ano Novo, El Cid

  • mello

    Grande entrevista, um documento histórico. Gostaria que meus netos, que ainda nem existem, a visse. O Jornalista Franklin Martins e o homem público merecem toda a minha admiração: lúcido, sensato, um modelo de jornalista. Mais uma vez, a blogosfera dá uma surra nos jornalões ao divulgar essa entrevista . Parabéns!

  • Emília

    Finalmente consegui vê a entrevista que infelizmente não foi veiculada em nenhum outro local, muito boa e muito informativa. Pena o Franklin não permanecer no governo.

  • Uccio Matrietta

    Quem mente tanto a ponto de acreditar em suas próprias mentiras é PSICOPATA! Esse ministrinho totalitário é um imbecil e assaltante, que pensa que todo mundo é bobo. Levaram uma surra exemplar e não chegaram a lugar nenhum (naquela época). Quem viveu esse período sabe muito bem, que esses inconpetentes saíram para a “luta armada” vivendo o sonho da Sierra Maestra, uma tentativa de estabelecer uma grande Cuba em nosso território. Eu vivi essa época, eu sei disso. No meio do discurso esse Franklin se trai falando em política estudantil (UNE é sinônimo de escola de comunistas, sustentada pelo mais atrasado país do bloco comunista, a Albânia!), movimento sindical (sindicalista é pelego de patrão!) e outras expressões típicas desses pilantras esquerdopatas. Esse tipo de entrevista deveria ser feita com que tem argumentos para opor a esse discurso que resulta, hoje, num sangramento de mais de 4 bi de reais do bolso dos cidadãos que trabalharam e ainda trabalham para sustentar esse assaltantes.

    • eduguim

      Quem escreveu essas palavras foi um dos que conspiraram para implantar uma ditadura no Brasil na qual só eles falavam. É o discurso de uma múmia, que dá suas escapadinhas da tumba para verter sua loucura nazista que acreditava que conseguiria impedir o povo de assumir o poder. Deu no que deu. Esses covardes, nem com todos os seus canhões, conseguiram manietar o Brasil. Hoje, sua valentia se resume a frases insultuosas. Não podem mais assassinar, torturar e matar. Eles não têm peito de fazer isso sem estarem protegidos por tropas de jovens pobres e ignorantes que se deixaram manipular. Hoje, a história seria bem outra. Eles ainda podem descobrir isso.

  • Marcos Coelho

    A entrevista do Ministro é esclarecedora.
    O Governo (aliás , qq governo) adora a midia que lhe é subserviente e detesta a que lhe faz oposição, desde de que o mundo é mundo.
    No entanto, para o governo petista é preciso dar um basta nisso , e pretende fazê-lo em algum instrumento legal que lhe dê a desculpa de que o meio usado foi democrático.
    Ora, falar em “PIG” hoje em dia , e querer calar o “PIG” não é nada diferente do que se fazia no getulismo , ou nos anos mais duros da ditadura militar.
    O governo não tem que se preocupar com o PIG . Tem que se preocupar apenas em governar bem.
    O próprio Ministro já encontrou o caminho. Distribuição de parcela importante da sua verba publicitária para os pequenos orgãos de imprensa ;a criação da EBT ; as restrições à publicidade de grandes anunciantes como cervejas e alimentos ( que dirigem sua midia para os grandes órgãos de imprensa) ; a ameaça de proibição de haver espetáculos esportivos após as 21horas, etc..
    Ou seja, a política do torniquete!
    Ao mesmo tempo, o que o Ministro chama de blogsfera , todos sabemos que não passa de ramificações partidárias pró governo ,incrustradas na midia.
    O mote , independente das razões que cada lado tenha nessa historinha, deve ser: Liberdade sempre! Aquele que usar sua liberdade para explorar fatos de forma parcial é porque escolheu um lado, e pagará o preço , ou receberá frutos, a favor, ou contra, a sua credibilidade.

  • Neto

    Franklin Martins faz muita falta.
    Deveria voltar à cena governamental em 2014.
    Juntamente com Lula presidente!