Distensão política

Opinião do blog

O desconforto com a presença de Dilma Rousseff na comemoração que a Folha de São Paulo promoveu pelos seus 90 anos de existência foi tão estridente que ganhou menção até na página A3 que o jornal aniversariante publicou neste domingo (27 de fevereiro de 2011), em artigo (para assinantes) de “consultor” da Associação Nacional de Jornais (ANJ) chamado Antonio Athaide. O texto afirma que o Google estaria privilegiando notícias “irrelevantes”.

O artigo em questão não teve o objetivo de tomar partido no debate sobre se a presidenta deveria ou não ter ido àquele evento, mas de reclamar do Google por, entre outras coisas, ter apresentado, no auge da repercussão do assunto e em primeiro lugar nas buscas do tópico “90 anos da Folha”, artigo do repórter da revista Carta Capital Leandro fortes que, sob o sugestivo título “Dilma na cova dos leões”, liderou as muitas reações da blogosfera política.

O artigo do jornalista da Carta Capital constituiu dura crítica à decisão da presidenta por ter ido prestigiar o jornal que muitos analistas políticos consideram que foi o que fez a oposição mais dura de um veículo de comunicação ao governo Lula, entre 2003 e 2010. E Fortes nem criticou a decisão de Dilma pelo oposicionismo da Folha, mas pela atuação do jornal na ditadura militar, atuação que o próprio veículo reconheceu, em sua edição do último dia 19, que foi de apoio inclusive logístico, além de político.

A única coisa que o artigo deixou de fora foi o fato eloqüente de que a edição de dez anos antes de uma comemoração que aquele jornal promove a cada dez anos – e que ocorreu em 2001, por conta de seus 80 anos – não contou com a presença do presidente da República de então, Fernando Henrique Cardoso, ou do governador Geraldo Alckmin, que recém-substituía o ex-governador Mario Covas, que faleceria um mês depois, em março daquele ano.

Detalhe: o editor deste blog participou da comemoração pelo octogésimo aniversário da Folha de São Paulo e, portanto, pode afirmar que não houve afluxo de autoridades nem parecido com o de sua nonagésima edição.

O fato que espantou a tantos ocorreu no âmbito de um claríssimo processo de distensão política que está em curso no Brasil e que aparenta ser uma obra de engenharia política que visaria acabar com um problema que alguns dirão de maturidade democrática do Brasil, de o país ter passado os oito anos anteriores em guerra política entre governo federal, de um lado, e a oposição e a imprensa do outro, a despeito de ter ingressado no que talvez seja a era mais dourada de sua história.

Um fato que poucos deixarão de reconhecer: ao conjunto da sociedade brasileira não interessa a guerra política que permeou os últimos oito anos. Desde o segundo mandato de Lula que este país não passou uma única semana sem que os jornais, telejornais, revistas semanais e portais de internet atirassem escândalos contra o ex-presidente Lula, que reagia criticando a imprensa em discursos quase diários.

O Legislativo foi tomado por CPI’s que não deram em nada e que impediram a discussão de temas relevantes para o país, o que obviamente desagrada a uma sociedade que, politicamente, vai confirmando a tradição brasileira de aversão aos conflitos e aos sobressaltos políticos, obviamente porque, em sua sabedoria fundada na luta pela sobrevivência, o povo só quer melhorar de vida e, assim, espera que os políticos executem o serviço para o qual os “contrata” a cada quatro anos.

O futuro dirá se a distensão política que está produzindo uma crescente troca de amabilidades e a radical redução do tom midiático em relação ao governo Dilma e simpatia dela para com os adversários políticos terá futuro ou será benéfica para o Brasil. Em princípio, pode ser que sim.

Duvido que alguém considere que o Brasil ganhou alguma coisa com a guerra entre Lula, a mídia e a oposição na década passada. E ganharam muito menos os que a travaram, pois, de um lado, o ex-presidente deixou de realizar tudo o que poderia e seus adversários, pela vez deles, sofreram desgaste político que provocou um forte encolhimento na representação da oposição no Legislativo federal, fenômeno que ficou evidente na votação do salário mínimo.

Em meio a tudo isso, uma voz segue, isolada, no mesmo tom da campanha eleitoral de 2010. José Serra, após curto intervalo de uns três meses, voltou à “tática” de desqualificar de alto a baixo os adversários – tanto a presidenta como o seu antecessor e o partido deles – enquanto luta para se manter relevante no próprio partido.

A dúvida razoável que surge é sobre se o que separava o governo Lula da grande imprensa era mera picuinha ou se ele contrariava interesses de impérios de comunicação como o grupo Folha. Não são poucos os analistas que consideram que não havia real divergência entre governo e oposição até o ano passado, mas uma mera guerra da mídia contra aquele governo que tinha como fundo a perda de prestígio dela junto ao poder, pois Lula não cansava de dizer que não lhe dava importância.

Sem bola de cristal, fica difícil saber o resultado de tudo isso. À primeira vista é bom. Dilma tem chance real de governar sem que transformem qualquer bobagem em crise, paralisando o Legislativo e desviando as atenções de todos os problemas descomunais que este país ainda tem que resolver e na pilotagem de uma economia que vai se convertendo em uma das mais dinâmicas e organizadas do planeta.

Neste primeiro ano de governo, talvez seja melhor assim. No futuro, haverá que ver quanto o governo federal fará para não causar estresse nas oligarquias midiáticas. Há questões como o pré-sal e a volúpia do andar de cima sobre essa riqueza que o país mal começa a colher, além da questão das políticas de distribuição de renda que precisam crescer devido ao resultado ainda tímido nesse campo, mesmo que a pobreza venha caindo em ritmo apreciável.

A grande sacada, agora, é adivinhar quanto custará ao país a distensão política em curso. Se avaliada pelo conceito de que o Brasil precisa quebrar paradigmas e contrariar interesses para dar dignidade a percentual aceitável de seu povo, pode vir a se tornar muito cara. A menos que a direita midiática tenha finalmente entendido que precisa ceder os anéis para preservar os dedos, o que parece bom demais para ser verdade.

155 comments

  • Eu não acredito muito em mudança da direita midiática. Acho que isso terá um custo muito grande para o povo.
    Com relação a Dilma, acho que pisou na bola com essa atitude. Não me agrada comungar com o inimigo em sua própria casa.

  • Excelente texto, Eduardo. E você está certo, o povo brasileiro NÃO gosta de confrontos e acho que a presidenta percebe isso e, num primeiro momento, preciso de tranquilidade para fazer aquilo que o povo brasileiro lhe delegou na última eleição. Acredito que muito na presidenta, mas vamos esperar pra vê. Pode parecer que não, mas o povo brasileiro é sábio, o governo do presidente Lula mostrou-lhe o caminho que ele quer seguir e que seguirá, goste os poderosos ou não, apenas não haverá grandes confrontações, será do jeito brasileiro.

    • A ausencia de “confrontos” e a tendência ao apaziguamento são a raiz de muitos dos males que nos afligem cotidianamente. É bom não se deixar levar pelas “tendências” do momento, a História com H maiúsculo costuma nos fazer ver o quanto há de nocivo nelas. Quanto à distensão como algo positivo à realidade política brasileira, é bom não esquecer que ninguém mais que Luis Inácio Lula da Silva tentou acomodar-se junto aos poderosos deste país, dando mais que recebendo, sendo mesmo tratado quase que como um usurpador do poder. Apaziguamento, distensão, são verbos que a direita que domina econômicamente este país gosta de ver praticados pelos outros mas não exercita.

        • É isso meu caro Edu. E o que foi feito nesses oito anos? A TV Brasil é um arremedo de TV. Passa inclusive o Roda Viva com o canalha do Augusto Nunes dizendo abobrinhas. Uma programação insossa e sem conteúdo. Lei do Médios JÁ !!!

          • Como aprovar a “ley de medios” em um quadro em que faltar à festa da Folha seria prova de falta de espírito democrático? Do jeito que vai, você não vai precisar se preocupar com a TV Brasil. De negação de contrariedade em negação de contrariedade, o pedido reiterado do PIG para acabar com ela logo será atendido. Ou parecerá que Dilma quer contrariar o PIG.

  • Na verdade, Eduardo, a grande imprensa não tem mais o cenário de guerra do Senado. Como se viu na votação do salário mínimo, o Executivo Federal hoje tem mais muito poder, ao contrário daquele de Lula.Foi de morrer de rir ver os senadores da oposição sem discurso, sem jeito mesmo. E Dilma deve isso ao ex-presidente que se empenhou pessoalmente em eleger uma bancada majoritária no Congresso Nacional. Como a imprensa não pode mais fazer a dobradinha que fazia antes e falta-lhe estratégia enquanto oposição, só resta o caminho mais fácil: bajular o poder central. Na verdade, eles não tem outra alternativa, por enquanto. Não é o governo que mudou, é o PIG que ficou desarmado. Até quando, não se sabe. Só espero sinceramente que isso não iluda a presidenta e os seus auxiliares mais próximos.

  • Eduardo, achei interessante sua visão, mas é bom ficar atento.

    A meu ver a mídia (FSP em especial) está tentando plantar uma imagem não-crítica agora para depois lançar denúncias e não poder ser acusada de partidarismo.

    Outra coisa que para mim parece plausível é que esta tenha percebido que em 2014 a única pessoa capaz de deixar o LULA fora da disputa é o sucesso da Dilma. Então a boa vontade manifestada neste momento deve-se ao temor de que com a oposição enfraquecida o “fantasma” de LULA volte a assombrar nas próximas eleições. Neste caso a única pessoa capaz de derrotar o “sapo barbudo” seria a Dilma (o próprio Noblat reconheceu isto recentemente em seu blog).

    Apenas pra que fiquemos atentos. A Dilma trouxe para sua companhia o Fernando Pimentel, que durante seu termo frente a prefeitura de BH teve uma relação muito práxima com o gov. Aécio Neves (podemos chamá-los de aliados). Não seria surpresa para mim que o orquestrador desta trégua tenha sido o ministro Pimentel e não o Tony Palocci. A ver.

  • O que será que se esconde na realidade por trás do manto, desta “trégua” (temporária) que a mídia dá ao governo Dilma? Eu não confio nesta raça. Devem querer algo em troca. Esta alma quer reza. Que não seja negociar a Ley de Medios.

  • Uma das coisas que me faz ler esse blog diariamente é essa capacidade que o Edu tem de refeletir serenamente sobre temas polêmicos. Como faz política por paixão dá de imediato sua opinião mas já fica pensando no que escreveu e não tarda em aprimorar ou mesmo vizualizar opções de pensamentos diferentes sem desmerecê-los.

    Lembro que quando Luis Carlos Prestes morreu o JN fez matéria mostrando um vídeo onde ele ocasionalmente encontrou Roberto Marinho. Os dois se cumprimentaram e conversaram. No fim o reporter diz que apesar das visões de mundo diferentes havia um grande respeito(deles) pela obra e vida do cavaleiro da esperança.

    Muito tempo antes Prestes foi questionado por outro encontro, dessa vez com Getúlio Vargas. Getúlio pediu seu apoio para as eleições de 50 e obteve. Anos antes esse mesmo Getúlio o tinha prendido e tirado seu partido da legalidade. Pior aind, foi o responsável pelo envio de sua mulher Olga Benário, grávida, para um campo de concentração nazista onde seria assassinada.

    Questionado pelos companheiros de militância Prestes setenciou: “Não posso colocar os meus dramas pessoais acima dos interesses do partido. Aceito apoiá-lo.”

    Mas não tinha blogosfera na época.

  • As elites e suas mídias preferem Dilma ao Lula. Será supostamente mais fácil derrotá-la em 2014, e mesmo que não consigam, preferem-na ao Lula, pelo simbolismo que o mesmo carrega. Com Lula no poder eles se sentem derrotados por um nordestino mal, nascido, mal educado e um dos maiores cidadãos do mundo….é dificl engolir!

  • Está vindo à minha cabeça o pensamento de que os EUA estariam perdendo o medo de Dilma ( medo que tinham muito de Lula), o que tenderia a diminuir os incentivo$$$$ ao PIG. Este, então, passaria a depender mais de si para sua sobrevivência, e aí, é melhor agradar aos 80% que aprovam o governo que aos 4% que o destestam, sob pena de ir para o buraco. Uma questão de número$$$. A ver.

  • Boa Tarde Sr. Eduardo,

    Minha opinião não é de alguém gabaritada para falar de política (pois não sou), mas de alguém que acompanhou e acompanha atentamente o governo.

    Nos oito anos de Lula, ele demonstrou até certa passividade com relação ao que a imprensa tentou fazer com ele. Ele na verdade, ignorou. Continuou trabalhando para que o Brasil se transformasse no que é hoje.

    Ao final destes oito anos, qual foi sua aprovação pela população? É isso que importa.

    Entendo que não é fácil, quando divulgam notícias e você como governante, sabendo que é mentira, ter que engolir e seguir em frente, mas o Lula nos ensinou, e vale a reflexão, de que a melhor resposta ainda é o trabalho.

    O Brasil passou a ser respeitado aqui e lá fora. Ele viajou muito? Ótimo! Você como comerciante, conhece alguém que amplia seus contatos sentados atrás de uma escrivaninha? Ele ignorou quem falava “O Lula viaja tanto que quando sobe no avião não sabe se está indo ou se está voltando…”

    Quanto à Presidente Dilma, continuo com a mesma opinião de que sua meta é de continuidade do governo anterior.

    Ainda é muito cedo, mas dá para perceber que a estratégia adotada diante da imprensa está sendo diferente. Não acredito que ela se fragilizou ou deu a mão ao inimigo. Na sutileza, seu recado vai muito além disso.

    Um abraço,

      • Ou me falha memória, ou ha uma falha na afirmação. Que eu me lembre, não poucas vezes na blogosfera, neste blog inclusive, acumulavam-se as manifestações de indignação por não haver resposta do governo diante das fraudes, factoides e escândalos produzidos pela midia tradicional.

        • Se se refere ao governo Lula, alguns achávamos que era pouco, mas certamente o xará não discorda de que Lula descia porrada na mídia quase todo dia. Agora é zero. De parte a parte, faça-se justiça

          • Edu:
            Você tem toda razão quanto aos últimos tempos, Lula não perdia chance de alfinetar a carcomídia.
            Mas no começo (terão sido os cem dias?), ele se curvou à Globo. Tenho guardados os artigos da própria Folha, criticando a concessão de exclusividade.
            Eu fiquei jururu, achei que o presidente tinha sido cooptado pelo 4o. poder.
            O noivado durou até que Lula socializou as verbas publicitárias. E claro, quando o Itamaraty mostrou que não fazia a política dos pés descalços.
            Vamos aguardar e torcer para que a Presidenta esteja seguindo o ditado de que “mosca se pega com mel, não com vinagre”.

          • Com 1 dia de mandato, em 2002, a mídia estava acusando Lula de ter provocado a catástrofe econômica naquele ano, e ele, dizendo que a esperança vencera o medo e descendo o malho na herança maldita.

          • Caro Eduardo
            Houve a decretação de luto oficial de 3 dias pela morte desse indivíduo, Roberto Marinho? Dessa simbiose que alimentava e se alimentava da canalha que deu o golpe de 64. Esqueceu-se?
            Disse Fidel, o odiado, em visita ao Brasil na década de 90: “como enriqueceu, o Roberto Marinho!”
            Lula, do que vi no seu governo, só atacou a mídia no final.
            Em tempo: e a infame reportagem piguenta a detratar Emir Sader no PIG-folha de hoje?
            E a Dilma foi lá ….. Fazer o quê, não sei.
            Acertaram algum contratinho de publicidade sem licitação?
            É, porque “licitação” só para os outros; para os otários. Os ‘amigos’ têm “notória competência”.

          • Em primeiro lugar, comparar a relação com a mídia no início do governo Lula com o início do governo Dilma é impróprio devido ao fato de que há oito anos de ataques no início do governo Dilma e não havia nada similar no início do governo Lula; em segundo lugar, a postura de Lula em relação à mídia foi acompanhando o agravamento da tensão, não tendo sido jamais só no final. Há muitas críticas de Lula a mídia desde 2005, que foi quando ela partiu de vez para o ataque

          • Edu,
            Ví várias vezes vc criticar o Lula por não enfrentar o PIG e apanhar calado. em alguns momentos vc até concluía que a estratégia dele estava correta, visto que a sua popularidade só aumentava…Claro que ele conseguia desfazer com tranquilidade o que os caras armavam, mas não se tratava de um embate como vc, eu e muita gente, às vezes, esperávamos. Não sei onde vai dar esta nova postura do governo federal…Tomara que, como colocado pelo Rodrigo Viana, a dupla composta com a Dilma convergindo para o centro – e neutralizando figuras da centro-direita como o Aécio, e o Lula mantendo a ponte com o movimento social, possa dar certo.

          • Lula não apanhava calado. Eu achava que reagia pouco porque era um bombardeio imenso. São situações diametralmente diferentes. Dilma não está há dois meses no governo, está há oito anos e dois meses. Passou dois anos sendo bombardeada de todas as formas. De repente, ela vai até o coração do PIG trocar afagos com seus algozes, o ministro das comunicações diz que Franklin Martins pode ter aprovado uma besteira no plano de regulação da mídia, enfim, há fatos muito mais concretos.

      • Que conversa é essa, Eduardo, de que Lula batia na mídia todos os dias? Lembro de você reclamando em várias ocasiões da falta de reação dele. Só no finalzinho do mandato, já em plena campanha é que se pode afirmar isso. Uns diazinhos só. O que a mídia nunca engoliu, além do fato de Lula não ter origem burguesa foi a solcialização das verbas publicitárias. E aposto meu dedo mínimo esquerdo como o que eles querem agora é verba. Não tem nada a ver com a lei dos médios que eles acreditam piamente que nunca virá. São por demais imediatistas, não enxergam um palmo além do nariz.

    • Eu não posso errar, dizia Lula. Simples principio de Poliana e de sua mãe. Tem que teimar. Agora ele diz que se quizerem descontruí-lo elogiando Dilma “!eu já posso morrer feliz”. Sim estamos todos um tanto perplexos. Nesse interim comemoremos. Não deixemos que os elogios que merecemos escorreguem pelos nossos ombros.
      Desalento um beco sem saida, inexoravel é a esperança. Sonho conjunto é a realidade.

    • Estou respondendo a mim mesma pelo simples fato de respeitar a opinião de todos. Não é minha intenção discordar. Estou tentando apenas mostrar um ponto de vista diferente.

      A estratégia adotada pela mulher é diferente da adotada pelo homem. Um homem nunca entenderá. Não porque não quer, mas porque não é de sua natureza. Ele pensa e age diferente (e que bom que é assim!).

      Num primeiro momento, no meu ponto de vista, a Presidente Dilma optou por não ficar governando apenas “nos bastidores”. Foi corajosa e apareceu na mídia. É muito cedo para sabermos quais serão os resultados de tudo isto, mas quero muito acreditar, que passados alguns meses de seu governo, sua presença na festa da FSP ou a omelete que hoje ela preparou no programa da Ana Maria Braga, sejam apenas citados como exemplos de uma estratégia.

      Qual estratégia? Se popularizar! Aproveitou-se da aproximação do Dia Internacional da Mulher para chegar mais próxima à dona de casa, já que era ou ainda é, uma mulher considerada tão brava e tão inacessível. Mostrar que além de Presidente ela pensa e faz coisas como uma mulher comum e quer governar para todos.

      Quem assistiu hoje ao programa, em sua grande maioria, foram as donas de casa. Os assuntos abordados foram direcionados a nós mulheres. Muitas são arrimo de família. Muitas são discriminadas profissionalmente e em casa. Elas trabalham o dia todo, ajudam a compor o orçamento e em muitos casos, tem que chegar, fazer o jantar, cuidar dos filhos, manter a casa limpa por pura “obrigação” por ser mulher (acho que me empolguei um pouco, me desculpem… hehe!!).

      Se esse meio foi o escolhido para atingir seu objetivo, porque não usá-lo?

      Quanto à Rede Globo ser contrária ao governo que estava e ao que se instalou, ou a própria FSP, ela usará outras estratégias e em outros momentos.

      Parece muito simples para ser verdade, mas, e se for?

      O que importa realmente para o Brasil ainda está por vir. Falta muito a ser feito e ela sabe disto.

      Há um ditado que diz: Quem bate esquece. Quem apanha, jamais!

      Podem estar certos de que a Presidente Dilma não se esqueceu de todos os sapos que teve que engolir para chegar aonde chegou. Vamos aguardar mais um pouco. Dos 48 meses só se passaram 2…

        • Em primeiro lugar, porque não sou presidente da República e fui representando a mim mesmo. Não tinha nem blog, nem presidia ONG alguma. Em segundo lugar, porque isso foi há dez anos e a situação política era muito diferente. Em terceiro lugar, porque a Folha jamais falsificara documento contra mim nem tentara sabotar o meu trabalho.Há muito mais, mas a pergunta me parece tão mal-intencionada que não gastarei mais meu português,

          • Edu,

            Em primeiro lugar a pergunta não foi mal intencionada. Em segundo lugar obrigado por gastar seu português e tempo. Em terceiro lugar a situação política de 10 anos atrás era FHC presidente e PT na oposição, prestes a disputar uma eleição. Em quarto lugar esperava diálogo não uma bica como argumento…

            Se você se desse ao trabalho de clicar no link de onde está meu nome veria que já o apoiei em outras ocasiões…

            A presidenta tem mais credibilidade para ir à festa já que a folha representa ao menos os eleitores que não votaram nela e a democracia supõe que você governe para eles também. Você por outro lado representa só a si mesmo, como bem disse, e não precisava ir…

            Enfim, esperava diálogo, respondi na forma de diálogo, você gasta o português com quem quiser…

          • Para que você tenha idéia da situação política de dez anos atrás, a então prefeita Marta Suplicy foi a estrela do evento. A Folha era o único jornal que ousava fazer alguma crítica a FHC. Eu acabara de deixar de ler o Estadão para ler a Folha. Como você pode comparar a Presidência da República com um cidadão comum? Como pode comparar duas situações tão diferentes? Só se for por má fé, porque seu texto não é de uma pessoa ignorante. Fique certo de que percebo muito bem as intenções e separo as críticas corretas e honestas das críticas mal-intencionadas como a sua.

  • O Nassif falou exatamente isto.Disse que era uma estratégia politica,o Rodrigo Vianna,idem que seria uma tentativa de conquistar a classe média e acabar de vez com a oposição,criando um governo no centro.E agora com seu post faço as seguintes considerações :

    _ A ida da presidente Dilma a folha,ainda na ressaca da eleição mais suja e barra pesada das eleições,por estar os nervos ainda aflorados,mas mesmo assim,causou reações muito fortes nas “trincheiras” que sabe-se tivemos que cheirar o esgoto,o quão baixo pode chegar um ser humano em imoralidade,falta de escrupulos e ética,faltou bom senso a presidencia que certos atos ainda são cedos demais,deveria se esperar serenar os animos,se é uma estratégia ou não,esta atitude foi no mínimo uma “burrada”.

    _ Junte-se a isto a condução da politica economica,que mostra claramente uma mudnça mais ortodoxa(liberal),para que? não sei,´so agrada ao mercado,prejudica enormemente o país,e nós ja mostramos ao mundo o quanto é maléfica a economia com o norte neo lberal.

    – A midia brasileira é igual aquela história do escorpião que pica o animal que o ajuda,e este pergunta porque e ele responde -é a minha natureza.Esta trégua com a midia tem um preço,e se não pagarem(que é deixar tudo como está) voltam seus “canhões em cima da presidente.

    -Se tal estratégia não dar certo,ela perde os setores da sociedade civil organizada,ira sofrer pressões dos dois lados,e com a desconfiança dos dois,portanto mais dificil governar.Ela ja deveria estar conversando tambem com quem a apoiu,mas ao contrário,tem ignorado.Niguem espera reconhecimentos ou tapinhas nas costas,mas tambem que não dê as costas a quem realmente a ajudou oi foi fudamental para a eleição.tentar conversar depois em clima de desconfiança será muito mais dificil.

    -Se realmente caminhar para o centro,isto não se fará como ja foi dito sem ceder,e se ceder demais,não será um governo de centro,mas de centro direita,aí a oposição sairá de suas bases.como foi no caso do PSDB,que saiu do PMDB para ser uma alternativa socila democrata(e acabou se traindo),e tera uma oposição muito mais organizada e organica que a direita,pois terá suas bases na sociedade civil,que esta muito bem organizada,tem projetos e criticas fundamentadas aos modelos neo iberais.

    _Uma possivel volta do Lula ara tentar salvar o barco,teria de haver um novo pacto,uma nova carta aos brasileiros para com a sociedade civil organizada,pois perderia uma parte de sua base eteria uma oposição realmente forte e critica.

    Então para resumir é uma aposta alta,cheia de riscos,andando no fio da navalha,pode-se ganhar muito de im lado,e perder pouco do outro,ou perder os dois lados,é esperar e ver os próximos atos para se ter um vislumbre maior do que pretende a Dilma e certamente o LUla e o PT.

    • O PSDB se uniu ao DEM tanto quanto o PT com o PMDB. Se Dilma se desviasse do objetivo estrategico não há outra saida senão reunir de novo energia para criticar com soluções. Ora o Zeitgeist picou a todos nós os de Esquerda e de direita. Uma coisa é certa o radical é mais facil do que a polaridade, dicotomia, dialetica, etc. Trata-se de salvar a humanidade do poder de sedução do capitalismo (F. K. Comparato)
      Aritmeticamente é “facil” a direita permitir a diminuição da escandalosa desigualdade de renda das familias, tanto que a Esquerda critica com razão que os bancos ganharam tanto quanto, Abilio Diniz “fã de carteirinha” Hildegard Angel organizou o encontro de Dilma com a Lily Marinho. Ah tambem o IPEA já demonstrou que a população brasileira vai se estabilizar, alem disso habitamos o pais mais rico do planeta. Profecias “sensatas e racionais”!!! vaticinam uma America Latina, berço de uma nova civilização e chegou a hora da civilização ibero-americana miscigenada com todos os povos da Terra.
      Bem esse é o plano geral. Dilma disse -erradicar a miseria. Aprimorar a educação

  • Prezado Eduardo,

    acompanhe o dinamismo dos fatos no cenário por você recém desenhado a partir destas duas recentes noticias publicadas no Pig (Estadão) que agora está de flerte (e/ou vice versa) com a Senhora Presidente (a) Dona Dilma.
    Cordialmente María Edith

    Economia reascende divergências dentro do PT
    27 de fevereiro de 2011 | 9h 14
    AE – Agência Estado
    O estilo de governar dos petistas Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva pode ser diferente, como já tem sido dito. Há, porém, uma característica idêntica entre os dois que está ficando cada vez mais evidente: a capacidade de, no início do mandato, irritar a ala à esquerda do PT.
    Olhando com atenção é possível notar também a presença de um personagem comum nas duas histórias: Antonio Palocci. Ministro da Fazenda na partida do governo Lula e chefe da Casa Civil com Dilma, tanto antes como agora ele tem sido apontado como mentor de medidas econômicas que, segundo os críticos, ficariam melhor no ideário neoliberal do que no petismo.
    Em 2003, a esquerda atacou a proposta de reforma da Previdência e as metas de superávit primário (economia para pagamento dos juros da dívida pública), que ficavam acima das estabelecidas no governo anterior, do tucano Fernando Henrique Cardoso, e significavam contenção de gastos. Agora, critica-se a forma como Dilma quer frear a inflação, com mais juros e redução de gastos.
    Em artigo postado no site do PT, o consultor Vladimir Pomar, um dos fundadores do partido e coordenador da campanha de Lula, em 1989, diz que as medidas adotadas por Dilma tendem a comprimir o consumo e favorecer a continuidade da miséria. “Superar a miséria significa, em termos bem precisos, elevar o poder de consumo de alguns milhões de brasileiros desprovidos dessa capacidade”, diz.
    Na maior central sindical do País, a CUT, vinculada ao PT, o presidente Artur Henrique também critica a opção do governo: “Sou contra a ideia de que o único instrumento para controlar a inflação é o aumento da taxa de juro, com redução da demanda”. Os dois engrossam um conjunto de vozes que começou a ganhar evidência na reunião do Diretório Nacional do PT, no dia 10. Na ocasião, tanto o presidente José Eduardo Dutra quanto José Dirceu, um dos líderes da corrente Construindo um Novo Brasil, a mais forte no partido, manifestaram preocupação com as medidas de Dilma. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,economia-reascende-divergencias-dentro-do-pt,685172,0.htm

    PSDB relança blog de denúncias ao governo Dilma
    por Jose Orenstein
    24.fevereiro.2011 15:10:02
    Julia Duailibi
    Depois de sair do ar durante a campanha eleitoral, o PSDB relançou o blog Gente que Mente. A iniciativa pretende catalisar as críticas da direção nacional do partido ao governo Dilma Rousseff. O blog foi relançado num momento em que setores do PSDB se dividem a respeito do tom das críticas ao Palácio do Planalto: aliados de José Serra acham que agora é o momento de fazer oposição; tucanos ligados a Aécio Neves sugerem maior diálogo com a presidente.
    “Aqui estaremos para mostrar a verdade dos fatos e dos números, bem como denunciar manobras do governo para maquiar a realidade. Vamos denunciar bravatas e falsas promessas”, diz o texto, intitulado “Voltamos”.
    Na campanha de 2010, o PT chegou a pedir à Justiça a retirada do blog do ar. Diante do temor de uma repercussão eleitoral negativa dos ataques ao governo, os tucanos resolveram suspender o projeto.
    http://blogs.estadao.com.br/radar-politico/2011/02/24/psdb-relanca-blog-de-denuncias-ao-governo-dilma/

    • A reativação do gente que mente é o último suspiro de Serra, uma ação isolada e da qual a Folha chegou a fazer pouco na edição de anteontem, se não me engano

  • Tenho certeza que Dilma esclarecerá ao povo brasileiro as dúvidas relacionadas aos seus movimentos políticos nessa última semana. A Dilma será entrevistada e aconselhada pelo mais ilustre pensador brasileiro. O papagaio de pano do programa Ana Maria Braga. Proximamente, vai aperfeiçoar seus conhecimentos de infomática com uma mulher chamada Soncinha. Com a Ebe ficará sabendo da saúde do Sr.Maluff. A agenda da presidente se completa com a audiência concedida ao dono do mundo.Ufa!

    • Augustus:

      A Hebe não tem mais amizade com os Maluf, ela anunciou isso várias vezes.
      E o Maluf tá firmão no PP, base aliada de Dilma.
      Aliás, nunca foi crítico de Lula, sempre se referiu ao Cara com respeito. Esta é uma das razões que me fizeram vê-lo com simpatia.
      Quanto a Ana Maria Braga, durante a campanha a Presidenta almoçou na casa dela, o marido saiu tecendo elogios à então candidata, e Ana, verdade seja dita, não fez campanha contra Dilma.

        • Edu:
          Passei a me interessar por política no colégio eleitoral. Não me lembro mesmo de Maluf batendo no Lula ou no PT de forma incivilizada. Foi lá pra trás?
          Por favor, indique-me alguma fonte para eu me ilustrar a respeito. Faço questão de lidar com a Verdade.

          • Qualquer paulistano da minha idade sabe disso. Aliás, nem precisa tanto. Basta voltar à campanha eleitoral de 2000, quando Marta o derrotou.

        • Gabriela Fernanda:

          Ok, mas Ivete foi Dilma, ou não?. Quanto às duas “múmias” (tô nessa, pois fui colega de apto. da Ana, no começo de vida em Sampa), não aprovo total mas reconheço que elas são very important.

          Ambas as duas fomentam o consumo e a futilidade, e eu estou longe de admirar senhoras que não acham coisa melhor a fazer com o dinheiro do que comprar iate, por ex.

          São musas da direita, trabalham para o PIG. Natural que tenham feito parte do Cansei.
          É a democracia, querida (sem ironia, vc me é simpática), onde a convivência dos contrários é inevitável.

      • Hildegard Angel que cobre a alta sociedade, organizou uma reunião entre Dilma e Lily Marinho. A esposa do A. Diniz tambem recebeu Dilma com outras mulheres da alta sociedade (alta de poder economico). Venceu a nossa candidata. Como Serra é igual a Mkein e perderam, Obama e Dilma podem cometer enganos. O que me preocupa é a demora na banda larga a preço mais acessiveis. Atraso para que outros atores, autores postariam na blogsfera progressista.

        Dilma!. Paulo Bernardo urgencia extrema na Banda Larga!!

  • A mídia apoiou os 8 anos do FHC e o resultado não foi nada bom pro país, vide a privataria. Eu sinceramente prefiro a mídia na oposição, mesmo por que a internet, blogosfera desmontam factóides em questão de horas. Com a visita de Obama, espero que não tenhamos mudanças em relação ao pré-sal…Mas essa visita na festa da folha, realmente foi surpreendente, e ainda mais com elogios aos Frias.

  • Lula criticou a mídia, mas acabou não tomando nenhuma medida para mudar a situação.

    Por que o PT não apresentou ao Congresso uma lei para proibir a propriedade cruzada de veículos de mídia*? Por que só nos 45 minutos do segundo tempo houve a reativação da Telebras visando ampliar o acesso à internet?

    O PT tem medo da mídia. Foi esse medo que levou Dilma ao convescote da ditabranda, junto com os ministros. Eles também tem medo. Exceto o Tony Palocci, o Nelson JohnBin e o Zé Dantas Cardoso. Esses três não tem medo, eles fazem parte do PIG.

    Se Dilma e o PT acreditarem que sorrindo para a mídia golpista a trégua será mantida, então demonstrarão muita ingenuidade.

    Para deixar o PIG feliz só há uma saída: privatizar a Petrobras, o Banco do Brasil, a Caixa Federal, a Telebras, a Eletrobras e até o Banco Central (que passará a se chamar Centrax Bank).

    Além disso, a taxa Selic terá que subir ainda mais, o Bolsa-Família deve ser extinto, assim como o Minha Casa Minha Vida e também o PAC.

    Essa é a receita para a paz definitiva entre o Governo Dilma e a mídia. Paz de cemitérios.

    __________
    * Nos EUA e muitos países da Europa a propriedade cruzada de midia já é proibida há décadas.

    • Caro Locatelli, o Lula fêz pouco, é verdade. Mas fêz algo importante, destribui melhor as verbas publictárias, que antes eram concentradas basicamente nas mãos da Globo, Folha, Estadão e Veja. O que explica uma parte da pinimba do pig.
      Quanto ao resto do seu texto concordo inteiramente

      • Bem lembrado, Juliano. Foi importante essa distribuição mais democrática das verbas.

        Eu que sou da área editorial, constatei outra melhora: as regras para compra de livros pelo MEC mudaram para melhor. Nos tempos do Pavão da USP, os editais tinham regras que excluíam, de antemão, as pequenas editoras. A partir do Governo Lula, os pequenos entraram no jogo.

        Um passo interessante para nossos deputados e senadores seria o seguinte: na lei das S/A existe um item que obriga as empresas a publicar seus balanços em “veículos de grande circulação”. Trata-se de UMA PÁGINA INTEIRA!! É muito dinheiro que vai para a Folha, Estadão, O Globo, etc. E as empresas não tem como fugir, pois é lei. Ora, em tempos de internet, que tal extinguir essa parte do texto e determinar que a publicação seja feita no site da empresa?

  • Além do que, houve traição moral para com os eleitores de Lula.

    Meu voto em Dilma foi embasado da proposta de continuação do governo Lula.

    Dilma nos dizia isso a todo instante: “eu sou a continuação”.

    Mas como bem diz o Eduardo, nada melhor do que um dia atrás do outro. O futuro dirá.

    Há ensinamentos que nos dizem que há duas maneiras de aprendermos com a vida: com os próprios erros ou observando os erros dos outros para não repeti-los.

    Sobre a velha mídia nos já sabemos que possui a mesma natureza do escorpião. Ela vai picar.

    • Noir:

      Acho que não estão a matar, mas a cooptar a direita.
      É dada como certa a saída de Kassab do DEM pra fundar um novo partido e sair candidato ao governo de São Paulo, com o apoio do PT.
      “O PSDB chocou um monstro que tem a tarefa de reduzir a pó a tucanada”, diz a imprensa por aqui. E sabe das coisas, pois a região é berço do “monstro” e de seu amigo inseparável, Rodrigo Garcia, de Aloysio Nunes e Vaz de Lima.
      O PSDB chocou e nós vamos criar?

  • Edu, você agora começou acreditar em papai Noel, foi um erro político a presença de Dilma na Folha, os interesses de PIG, foi, é, e sempre será diferente dos nossos, é uma questão de classe, a presidenta não ganhou nada, muito pelo contrário deixou uma parte considerável de seus apoiadores muita desconfiança da presidenta e de seu governo.

  • Eduardo, parabéns pelo artigo. Mais uma vez vc demonstra estar um ou dois passo à frente.

    Alguns bloqueiros estão histéricos com esta questão, não conseguem sair da gaiola em que entraram, vc e outros começam a apontar uma saída.

    É tudo uma questão de estratégia, que muitos não estão conseguindo ver, e se apegam apenas ao simbolismo. De fato, a maioria subestima Dilma, erro grosseiro.

    Há alguns acordos de paz que nunca saem ou nunca dão certo, pq os radicais não deixam. Ao radical interessa o clima de permanente conflito, quando, possivelmente, as coisas se resolvessem melhor num clima de paz.

    Disse aqui um tempo atrás que não estão conseguindo perceber a genialidade de Dilma, estão por demais presos à genialidade de Lula para perceber a dela.

    • Não embarque nessa. Não tem ninguém histérico. Há visões diferentes. A convivência com as diversas visões é imperativo democrático. Vamos baixar essa poeira. A pior coisa, neste momento, é alguém achar que sabe de alguma coisa. Só há indícios. Não gosto deles, particularmente, mas admito que são só indícios. Considero todas as visões dignas de análise, neste momento. Este texto só aponta a conjuntura e as várias possibilidades. Chamar as pessoas de histéricas ou de adesistas cegas não nos levará a lugar nenhum. Não dê bola a quem fica querendo linchar opiniões divergentes sobre um assunto tão polêmico.

      • Você tem razão, Eduardo. Agora, os que nomeio de histéricos são os que já sairam desqualificando Dilma, ora, se eles se acham neste direito, eu me acho no direito de tratá-los desta forma.

        Obviamente os blogueiros são livres para dizer o que pensam, inclusive atacar.

        Agora Lula foi santificado, mas durante muito tempo era atacado por argumentos parecidos com os que usam atualmente para atingir Dilma. Ora, e ainda comparam sua atuação com a de Lula.

        Muitos que atacavam Lula por ele “não ter coragem”, agora atacam Dilma por ela “não ter coragem” e dizem Lula tinha! Fato é que a Luta de Lula contra o PIG foi apenas retórica e simbólica e agora querem que Dilma saia chutando o pau da barraca?

        Acredito sim que importantes mudanças possas ser conseguidas num clima de paz, talvez não as mudanças que os radicais queiram. Só que é preciso lembrar um detalhe, quem elegeu Lula e agora Dilma não foram os radicais. O povo brasileiro não é nem nunca foi radical. Ou seja, a minoria mais radical pensa que o governo é dela, o que não encontra base na realidade. Isto já trouxe rupturas em todos os governos do PT, desde os municipais aos federias. De minha parte, estou acostumado a ver radicais romperem com governos petistas. De fato, estou esperando ver uma ruptura com Dilma, só não sei em que dimensão será. Se até com Lula houve ruptura, imagine com Dilma.

        Novamente, vc está certo e o adjetivo histérico é desrespeitoso, mas preste atenção no quanto estão desrespeitando Dilma. Sou daqueles que, quando radicais esculachavam Lula, eu estava ao lado dele, pretendo fazer o mesmo com Dilma. Entre um blogueiro radical e Dilma, não tenho a menor dúvida de que lado vou ficar. Isto tudo por uma simples razão: eu não a subestimo.

        • Não dá, meu caro. Não desqualifique quem pensa diferente. As críticas a Dilma são tão pertinentes quanto a premissa de que sua estratégia produzirá resultados. Quem radicalizar, neste momento, corre o risco de ficar com uma baita cara de tacho lá na frente, quando o resultado dessa estratégia ficar claro. Conheço Leandro Fortes. Ele me hospedou quando fui entrevistar Lula. Chamar alguém como ele de histérico é completamente sem sentido. Ninguém fez nenhum insulto pesado a Dilma. Todos estão querendo ajudar. Que ninguém se considere acima do outro para tentar lhe cassar a opinião. Essa mania de saírem detonando as pessoas que divergem precisa acabar. Se tenho algum crédito junto a você, peço que pare com isso. Até porque, suas opiniões sempre foram sensatas e, assim, eu o respeito.

          • Excelente, Eduardo. Acredito que tanto aqueles que defendem a postura da Dilma quanto aqueles que vêem com certa desconfiança a aproximação dela com os setores que ao longo dos últimos oito anos fizeram de tudo para derrubar o Lula devem ser, no mínimo, respeitadas. O problema é que o clima de radicalização dos últimos anos faz com que todas as pessoas que por acaso emitam críticas ou inquietações com esa mudança de estilo sejam vistas como radicais de esquerda que estão “pulando fora do barco”, ou até mesmo taxadas de tucanos queentram nos blogs para estimular o conflito. Muitas pessoas não conseguem distinguir as críticas construtivas feitas por aqueles que ajudaram na eleição da Dilma daquelas críticas dos jornações puramente destrutivas. De fato, me preocupa muito essa aparente transição do governo Dilma ao centro, mas, como você disse, pode ser que nos enganemos e que isso seja apenas uma estratégia a qual não conhecemos. De qualquer forma, eu não acredito que seja possível o governo querer agradar a todos os segmentos da população ao mesmo tempo, pois cada segmento possui interesses de classe distintos (que não é apenas de ordem econômica). Não acho que o PT deva possuir como objetivo conquistar o vácuo deixado pela oposição conservadora, mas sim consolidar-se de forma definitiva como partido da classe popular. Evidentemente que há setores da classe média que tradicionalmente votam no partido, mas aquele segmento da classe média que, ao longo dos oito anos do governo Lula, escrevia ferozmente na seção de carta dos leitores dos jornações despejando ofensas contra o governo Lula, esse eu não acredito que deva ser conquistado. A menos que o governo Dilma faça concessões tais como diminuir o investimento nas políticas sociais e assistenciais, abandonar o marco regulatória da mídia, afastar-se de nossos vizinhos latino-americanos, etc. E isso seria uma total decepção. mas continuo apostando no governo Dilma e torcendo para que tudo seja de fato uma grande estratégia bem mineira de nossa presidenta…

          • Edu, não entendi. Não consegui ver nenhuma desqualificação. Será que você postou a resposta em lugar errado? Quanto a visita de Dilma à FSP não vejo nada de errado, pois pqp, de que adianta brigarmos por democacia, pois se só aceitamos a “nossa democracia”? A direita está no poder a milênios, só “ingênuos” acham que irão sair assim, sem mais nem menos. Não vamos resolver nossos problemas com Dilma, isso vai durar gerações, temos muito o que caminhar! Vou morrer, reencarnar (eu acredito nisso, é o que me basta, ninguém iré fazer-me mudar as minhas convicções, por isso, contra-argumentem e não desqualifiquem!). Disse bem Gonzaguinha:”Eu acredito é na rapaziada, que segue em frente e segura o rojão…”, Porca miséria, temos que dar um tempo, cobremos depois. Ou enteão, iremos chorar na cadeia de uma nova ditadura! E nem adianta dizerem que estou sendo catastrófico, a história me diz que todo o cuidado é pouco, muito pouco!

    • “Estratégia que muitos não conseguem ver…”
      “Subestimam a Dilma…”
      “Genialidade de Dilma…”

      Meu caro, acreditar piamente numa coisa não a torna verdadeira.
      Porque você ao invés de tecer loas, não faz uma análise crítica sobre a questão?
      Onde Dilma foi “genial” no episódio?
      Qual é/foi a “estratégia” da Dilma?
      Quais são as informações que você tem que permitem suas afirmações?
      Pela sua lógica, estamos combinados: ficamos todos quietinhos porque Dilma sabe e saberá sempre aplicar sua “genialidade” e “estratégia” contra aqueles que tentaram, tentam e tentarão desestabilizar o governo.
      Certo. E no final do mandato, ou a qualquer tempo, se a coisa estiver degringolada, contrataremos as carpideiras e choraremos juntos.
      Sua estratégia me parece brilhante. Podemos tentar, pois nada temos a perder, não é mesmo?

      Mania besta essa de achar que o governante é infalível e que nunca faz porcaria: sempre é porque é um excelente estrátego, ou tático, ou tem uma visão mais abrangente, ou tem uma inteligência tão peculiar que “grande parte do mortais não consegue entender”.

  • “O fato que espantou a tantos ocorreu no âmbito de um claríssimo processo de distensão política que está em curso no Brasil e que aparenta ser uma obra de engenharia política que visaria acabar com um problema que alguns dirão de maturidade democrática do Brasil,”. Edu, venho escrevendo isso no seu blog desde que o conheci pelos seus artigos no Observatório da Imprensa (que já não oberserva mais), ou seja, bem antes da reeleição de Lula. Sempre dizia que se o Lula fizesse isso que tu escreveste, já me daria por satisfeito, pois entendo que as ditaduras conservadoras/elitistas no Brasil sempre for incomensuravelmente maior que as ditaduras militares. Precisamos de maturidade idem na sociedade/”blogosfera”.

  • O Brasil ganhou, sim, e muito: o consórcio midiático hoje é bem mais fraco do que há oito anos. O Estadão, por exemplo, praticamente não existe mais. Já morreu, só não foi enterrado. Com o enfraquecimento da oposição no Congresso, essa trégua a que você se refere foi pedida pelo próprio consórcio. Não interessa mais a ele continuar nessa guerra sem Tasso Jereissati, Arthur Virgílio, fim dos Demos e tantos outros leões que davam apoio. E, além disso, parece que nem Aécio nem Alckmin estão dispostos a servir o consórcio nesse ponto, como fez o Serra. Em Minas Gerais, não é Aécio que serve o consórcio local, é o consórcio local que serve Aécio. Só que o consórcio nacional (Globo, Folha, Estadão, Veja) não aceita isso. Ele quer mandar no Brasil, ele quer dirigir a oposição. Enfim, a paz foi pedida porque ele está enfraquecido. Então, o que todos esperávamos era que Dilma aproveitasse esse momento para promover as transformações que o setor de comunicação exige, e não ir a uma festa acariciar o Fernandinho Beira-Mar do consórcio midiático brasileiro. Portanto, a atitude dessa senhora é extremamente preocupante para o futuro do Brasil. O consórcio está enfraquecido, mas é evidente que vão tentar ganhar fôlego no governo Dilma.

      • Isso depende do atual governo. Se souber aproveitar o momento, o Brasil sai ganhando. O Brasil sempre sairá ganhando quando Globo, Folha, Veja, Estadão sairem perdendo. Sempre!

  • Eu aprendi,como profssional de ciencias exatas, a não brigar com os números. Como cidadã, aprendi a não brigar com os fatos.
    Ela foi beijar a mão do Otavinho sim !!!!
    Se ela não quisesse ir, não iria. Sei que é muito inteligente, existem várias formas de dizer não. Poderia ter continuado em Aracaju.
    Mas, não, pegou o avião e veio bonitinha para o regabofe.Nesta semana, a Hebe Malufista foi lá, e estava de braços dados.
    A Dilma vai até o Projac tomar café da manhã com a Ana Maria. Pode parecer besteira, mas não é,
    Não adianta viajar namaionese, tentar elucidar e imaginar as estratégias.
    Fato, a Dilma está sim se aproximando do PIG. O recado para mim já está dado. O fato é que “os blogs não estão com essa bola toda”. Esse é o recado de suas atitudes. Não se briga com os fatos !!!!
    Quero ver um dia, a Dilma sair de Brasilia e visitar as camponesas no nordeste, ver a situação das faveladas em são Paulo ou visitar as indígenas. A ver !!

      • Talvez FHC não tenha ido por não estar no Brasil no dia. Lembro que ele viajava tanto que o Casseta e Planeta o chamava de VIAJANDO Henrique Cardoso.

        E que exagero, não?

        Uma simples festinha brega e já tem gente decretando o falecimento da Presidenta.

        Disse e repito: Dilma não foi beijar mão de Otavinho, mas sim mostrar pros leitores do PIG o quanto eles foram feitos de idiotas acreditando na ficha falsa da “terrorista e assassina”.

        Calma, os projetos tem que chegar ao congresso e quando chegar nós saberemos.

        Dilma se mostrar magnânima agora dará mais força para criar uma lei de mídia mais forte.

        Se ela não vai, estaria assumindo abertamente uma postura de “inimiga” do PIG e criando resistências adicionais a toa e dando trela para os que são contra qualquer mudança nas comunicações.

        • Ou, se não estivesse viajando, FHC poderia estar com dor de barriga, assim como o governador do Estado… Bem, e se o plano é não contrariar o PIG não ousando nem rejeitar um convite que presidente algum aceitou, a coisa complica. Se não dá nem pra faltar na festa do PIG para não irritá-lo, como esperar que venha a “ley de medios”? Não é pra contrariar, lembra-se?

          • Dilma já deu claras demonstrações de que é durona. Não creio que tenha medo da mídia. Acho que ela endureceu-se, “pero sin perder la ternura”. O pig e quem viver, verá.

          • Edu, eu entendo sua mágoa e o porquê da sua ironia. Tendo gasto tempo e passado nervoso para desmontar os factoides da Folha praticamente todo dia desde a criação do seu blog, não deve ser fácil para vc aceitar que aquela que deveria ser a primeira a desprezar um dos maiores símbolos do PIG tenha ido em sua festa e confraternizado com eles.

            Mas como eu disse, a Dilma não é nenhuma ingênua, e nem me parece que uma pessoa com o histórico de vida dela seja do tipo que tenha “medo” do PIG ou de qualquer outra coisa.

            VCs continuam ignorando que QUASE METADE dos votos NÃO FORAM PRA ELA.

            Não dá pra governar um país em que a população ainda se deixa manipular dessa forma na base do confronto aberto.

            O que ela está fazendo é usar o próprio PIG para demonstrar o quanto essas pessoas foram enganadas durante a campanha.

            Se vai dar certo ou não é outra coisa.

            Mas se a turma de esquerda sair de campo aí sim é que ela terá que se apoiar só no centro.

            Ainda é muito cedo pra decretar a “Morte” da Presidenta, não acha?

    • O que tem ciências exatas a ver com ciência política? Vivemos na merda a quinhentos e tantos anos devido a pensamentos imbecis feito esse!!! Querer brigar com o poder é falta de inteligência, tem-se que derrotá-lo sim, mas no seu campo, não no nosso! Explico: vamos usar a crise de 2008! Saio na porrda verbal com quaisquer um que queira radicalize nesse momento. Não podemos tretroceder, nossa democracia não resiste à nossa pobreza! O poder corrempe ou coopta, pois quem tem fome não tem ideologia. Querem acabar com o problema deles, o resto não interessa! Estão certos? Não tenho a mínima ideia. São Paulo é o centro da dicotomia nacional, tentem pesquisar por que o eleitor paulista vem freando o desenvolvimento nacional e descrobriremos o por que desse atraso político brasileiro.

  • Eduardo, eu acredito que a Presidenta Dilma deve ter seus motivos justificados para comparecer naquele ” rega-bofe” de um dos carros-chefe da mídia conservadora, mas acho que a lua-de-mél deles com o novo governo Dilma não vai durar muito.

    Afinal, essa midia e os interesses que defendem, jocosamente apelidada pela blogosfera de PIG – Partido da Imprensa Golpista, sempre foi contra todo e qualquer governo de matriz, orientação ou ideologia trabalhista, desde Getúlio Vargas pós 45, passando pelos mandatos dos Presidentes Juscelino Kubtscheck, João Goulart e depois pedindo e apoianda a ditadura militar e recentemente pós 2003 nos 8 anos de governo Lula, sempre tentando agir como elemento desestabilizador desses governos.

    O atestado que certifica a postura anti-trabalhista desse mídia é o apoio inconteste e incondicional que deram a FHC nos seus 8 anos de governo neoliberal, que queria justamente destruir a maior parte dos direitos dos trabahadores brasileiros, que queria flexibilizar os direitos da CLT ou até revogar o diploma trabalhista. Não conseguiram isso porque o 2º mandato do FHC foi o desastre que todos conhecemos.

    Esse recuo do PIG frente ao governo Dilma é meramente tático, estão e com muito medo da implementação pelo governo Dilma do novo marco regulatório da mídia, de forma que realmente quebre os monopólios midiáticos atuais e criem instrumentos para uma real democratização da informação e comunicação no Brasil, o que eles abominam, pois para eles o ideal é manter o ” status quo” e seu poder de criar crises políticas falsas em série para atrapalhar o governo federal, é o único poder que lhes resta.

    Assim que o governo Dilma editar alguma normatização no setor de comunicações que afronte os interesses atuais dos donos da midia brasileira, vai ser uma pauleira só em cima do seu governo, dia e noite, coisa muito pior do que fizeram com o governo Lula, pois eles sabem que a nova Presidenta não tem o canal de comunicação direito aberto com o povão que Lula tinha, mercê de seus 30 anos de atuação no meio sindical e social.

    É aguardar para ver quando acaba essa lua-de-mél do PIG com o governo Dilma, eu não me iludo com a aparente boa vontade do PIG neste momento, é mero joguinho de cena deles, afinal, como naquela conhecida anedota, o escorpião não perde nunca sua natureza intrínseca de picar sua vítima e as presas favoritas do PIG são os governos trabalhistas, como este da Presidenta Dilma.

    A conferir.

    • Meu bom amigo, eu preciso mais do que confiança naquilo que não sei o que é. Por enquanto, acho que só podemos ficar de orelha em pé e esperar. Em minha opinião, o risco de esse armistício ser uma tragédia é tão alto quanto o de funcionar. Estou bastante preocupado. Não estou histérico, estou preocupado. Como você diz, há que conferir para depois tomar partido. De uma coisa, porém, podemos ter certeza: haverá um preço pelo armistício. Pode ser que venha a se mostrar módico – ou não.

  • Antes da votação do salário-minimo, estava pulando de canal em canal até que parei na Band e estava tendo uma discussão lá com o Mitre, Teles e mais um cientista político, o Alberto Carlos Almeida, um notório tucano que está em todas no consórcio, acho que tinha mais alguém, não me lembro. A discussão era a respeito da aprovação do salário mínimo no Congresso. É incrível, todos eles estavam traçando um cenário tenebroso para Dilma. Diziam que a aprovação seria com muita dificuldade etc e tal… Que a oposição não iria deixar, que o governo iria ficar numa situação contraditória perante as centrais sindicais etc… etc… etc… Uma torcida danada para tudo dar errado. E o que aconteceu? Dilma aprovou com folga tanto na Câmara quanto no Senado e a lei já foi até sancionada. Moral da história: esses caras vão estar sempre na oposição, vão estar sempre tentando derrubar o governo.

    • Consigo lembrar de montes de análises de que o governo não teria dificuldade de aprovar o mínimo. Se esses que cita disseram isso, foram na contramão de tudo o que estava sendo previsto por todos. O que surpreendeu foi o tamanho da vitória.

  • Erundina também começou a ser acusada de pragmatismo, administrativismo, até sair do PT
    Entendo sua preocupação mas discordo
    Não cabe ao Executivo descer porrada na mídia todo dia, tem que transigir, ouvir, negociar, Lula também fazia isso, só que realmente descia a lenha na mídia, até mesmo como desabafo, isso não abalava a popularidade dele, pelo contrário, aumentava, mas com Dilma é diferente, não que Dilma seja fraquinha, aliás, vejo como um sinal de se ser forte ao se ir à Folha sem deixar contaminar-se ou corromper-se com a mídia
    A mídia não vai mudar mesmo, o que não quer dizer que Dilma não deva ser gentil, receptiva, amável, isto inclusive é um traço da mulher,
    Deixa a mulher engabelar os cabra, ela jamais será engabelada
    São quase 200 milhões de bocas a serem alimentadas, ela só quer é alimentar o povão que, ao contrário de nós, até gosta de ver sua presidente(a) na Folha, Hebe, Ana Maria Braga,
    Há votos a serem conquistados neste campo, o PT chegou a um limite, tem que amplicar um pouco seu campo, Dilma vai fazer isso, está fazendo com esta política de distenção
    Uma boa tarde para vc e seus familiares

  • Ela não deveria ter ido, mas causou um situação cômica. E por isso fez me rir, ela foi, e tem o poder em mãos, chore quem chorar é ela a presidente, o resto é dor de cotovelo, de quem não sabe separar os momentos. Queria ter visto a cara dos descontes na festa.
    Deve ter ido por pirraça. KKKKKK, ou virou cega.

  • Ela não deveria ter ido, mas causou um situação cômica. E por isso fez me rir, ela foi, e tem o poder em mãos, chore quem chorar é ela a presidente, o resto é dor de cotovelo, de quem não sabe separar os momentos. Queria ter visto a cara dos descontes na festa.

  • Eduardo, eu creio que neste momento, vivemos um perído onde pra todos é interessante esse posicionamento. Claro é que quem deu o tom foi Dilma. Esperar isso do PIG seria querer muito de quem não entende um palmo além do nariz..
    O esperado seria ela não ir e passar a idéia de que pensam diferente isso é da democracia e coisa e tal. Os mais ácidos diriam que é rancor dela, intolerância. Agora ter ido foi demais. Os ácidos dirão o que? Ela demonstrou ser tolerante, compreensiva e isso quebra qualquer crítica menos fundamentada.
    O fato de ter ido em SP e se reunir com Kassab e Alckmin já vai fazer muita gente começar a olhá-la de forma diferente!
    Fortalece a imagem da presidenta, mostra que fui uma grande mentira do PIG e da oposição as desqualificações que tentaram fazer com ela.

    Agora, mais a frente, temos temas que precisam ser colocados em pauta e ai, se realmente o governo quiser pisar no acelerador da construção democrática, vem sangue, muito sangue. Más não sei se isso irá ocorrer. Creio que não!

    Se não atacarmos neste mandato a questão da democratização dos meios de comunicação acho que a coisa vai mais ou menos do jeito que está aqui. Somente quando chegarmos perto do pleito novamente e o que é mais importante, a oposição tiver mais clara e principalmente o PIG quem deverá apoiar é que voltaremos a nossa “normalidade”.

    • FHC não foi à festa de 80 anos da Folha e ninguém disse que ele desprezava a democracia por isso. O que me assusta são uns argumentos inapropriados como o de que Dilma teria que ter ido à festa da Folha para não passar por antidemocrática ou de que ela teria dado alguma espécie de tapa de luvas de pelica na Folha, o que se fosse verdade teria colocado o jornal em pé-de-guerra já no dia seguinte. E, mais do que isso, assusta-me ver o nível de desqualificação à opinião contrária que tomou aqueles que trabalharam juntos para eleger o atual governo. É espantoso

        • Pô, eu não sou tão radical assim!
          O importante é ela mostrar que as suas convicções estão intactas. A Ley de Medios é fundamental, mas será que não daria para esperar pelo menos um ano de mandato e pelo andar da carruagem (do PIG) decidir com mais segurança que tipo de lei apresentar?
          Confesso que não tenho esperanças, mas de repente ela tem alguma estratégia em mente.

  • Prezado Eduardo: Continuo achando que a presidenta Dilma não errou ao ir à festa da qual está-se se falando tanto; afinal, acredito que ela tem uma estratégia política em curso e já sentiu o peso que o PIG representa para o pais, como sinônimo de entreguism e de retrocesso social. Mas, imaginando que ela tenha lido o manual do camarada Mao-tse-tung, certamente ela refletiu bem, pois, segundo eu lí , ela era responsável pela àrea de recrutamento e politização da organização à qual pertencera. Ela tambem conviveu com Brizola, embora Cesar Maia tenha tambem convivido.
    Ao ler o velho timoneiro Mao ela deve ter se lembrado
    1° ” em política não há amigos para sempre nem eternos inimigos” , o que para mim é perigoso confiar em ex-inimigos.
    2° – “Se o inimigo avança, nós recuamos.Se o inimigo pára, nós o fustigamos.Se o inimigo recua, nós o atacamos”. Como ela é ex-guerrilheiro, sabe que isto estava nos manuais e acredito que ela tenha lido.Portanto, é preciso que tenhamos um pouco de paciência para vermos onde esse jogo de xadrez vai parar.

    • A frase que mais tenho lido, nos últimos dias, tem sido “acho que Dilma tem uma estratégia”. Muito apropriada para o que é o máximo que se pode dizer, de que por mais que pareça um absurdo pode haver alguma lógica, ainda que ninguém saiba qual é. Não há uma única suposição verossímil, até agora.

  • Mas qual a surpresa? O governo precisa da imprensa e vice-versa. Não me lembro de alguém ter ficado escandalizado quando Lula foi ao enterro do Roberto Marinho ou visita a Globo.

      • Nesse governo, se algum jornalista ou otavinho morrer, a D. Dilma (já que não é mais a minha presidente) vai decretar 7 dias de luto oficial !!!
        Não sei se vocês perceberam ,mas a Folha de SP está se tornando o diário oficial da uniào: é a D. Dilma que escreve, o Haddad, toda a turma do planalto na festa, o mantega dando entrevista…
        Gente, acorde…. o sonho acabou para a blogosfera, Agora é cada um seguir seus ideais e esquecer esse governo tacanho !!

  • não há mudança nenhuma, a única que há é Dilma indo para o centro, se alinhando com a imprensa. Manter se sem ataques da imprensa é fazer o governo deles, é evitar reformas, é evitar regulação, é deixar de ter uma política externa independente, é isso que ]Dilma e seu governo esta fazendo. Lula estava certo.
    Dilma vai onde ela quer, mas não vem mais só com aquele papo de direitos humanos sempre, porque quem elogia a folha e esquece o passado sujo da folha na ditadura, não pode sair por ai criticando a tudo e a todos.

    Dilma faz o governo derrotado nas eleições 2010, não me espanta, lula teria sido assim se palloci continuasse, e palloci esta com Dilma, levara o pt para o centro, igualando se com a direita. Salvo em 2014 a economia estiver bombando como esteve 2010 para o pt conseguir ganhar as eleições, porque dai o jogo sera quem é a habilidade gerencial Dilma, Serra, Aécio por exemplo, a mesma campanha na prefeitura de sp de serra contra marta suplicy. Com lula foi diferente conseguiu transitar em todos mas não esqueceu a esquerda, o povo. Se hoje fosse 2014 não seria a diferença de Dilma e SErra

  • Caro Eduardo,
    Acompanho seu blog há algum tempo e creio que a intenção do senhor quando escreveu ” vai confirmando a tradição brasileira de aversão aos conflitos e aos sobressaltos políticos” não era de caracterizar o povo brasileiro como passivo, mas infelizmente pode dar a entender exatamente isto. Esse discurso do “povo ordeiro” já foi usado muitas vezes, inclusive pela ditadura que tomou de assalto o governo do país em 1964, para passar a ideia de que ao brasileiro não interessa o conflito, que é um povo passivo ( essa teoria continua muito em voga até hoje). Porém, a história da construção desse país é marcada por conflitos e lutas de grupos por seus interesses, direitos e contra a opressão, como por exemplo a Inconfidência mineira, Balaiada, Sabinada, Revolta dos Malês, Cabanagem, a resistênica do Quilombo dos Palmares, Canudos e mais recentemente o movimento Diretas Já, os Caras-pintadas, e também movimentos socias que lutam diariamente por seus direitos e por dignidade, como por exemplo o MST, entre muitos outros. Reitero que como disse acima, tenho convicção que o senhor não corrobora essa teoria do “povo ordeiro” e justamente por isso achei que seria importante tentar esclarecer um pouco esse ponto. Parabéns pelos textos e principalmente pela sua luta. Abraço.

  • Meu amigo,

    volto a dizer, este jogo tem q ue ser visto como um jogo de xadrez, e Dilma está jogando.

    Ela é inteligente, e não dá nó sem ponta. Espere. Ela vai surpreender muita gente,.

    Agora nõs temos uma presidenta que pensa várias jogadas antes de dar o primeiro passo

    Abraços

  • O jornalzão tá brincando de barquinho. O plano é colocar Dilma dentro e levá-la para bem distante do Lula para depois, em lugar ermo, desceu a porrada em Dilma.

  • Tem no blog da Dilma aquela foto de Dilma sorridente e Otavio cabisbaixo. Durante a campanha fiquei intrigado que a nossa Hildergard Angel, que faz cobertura da alta sociedade no Rio tenha organizado a reunião de Lily Marinho e outras da alta sociedade (economica com certeza, cultural espero) com Dilma. Ao final perguntaram se receberia Serra – ela disse não. Abilio Diniz, se lembram das camisetas? se declarou fã de carteirinha de Lula e achava normal termos uma mulher na presidencia tanto quanto tem gerentes mulheres no Pão de Açucar. Ah a esposa deste tambem recebeu Dilma em São Paulo.
    Então vamos cobrar fortemente de Dilma aquilo que nos agrada- Banda Larga, Educação e uma efetiva erradicação da miséria e do Congresso que vote a regulamentação da mídia e se a Folha ficar contra e vai ficar se nos basearmos no F. K. Comparato ou pelo Zeitgeist ai então a estrategia se houver ficará bem claro

  • Texto Excelente: Seu texto ,como de costume, é de ótima qualidade.O futuro dirá se ambas as táticas(da presidenta Dilma e de parte da midia ) estão corretas.Com o desenvolvimento da banda larga e a inclusão digital,a midia terá que se modificar,assim como a sociedade terá outros meios de informação/comunicação.Depois de 03 derrotas consecutivas dos candidatos por eles apoiados(ostensivamente), os barões tucanos(ou midiáticos) necessitam reciclar-se. um abraço pelo bom texto para análise.

  • O Lula que de bobo não tem nada e ver de longe, já percebeu a movimentação do Aécio Neves para abocanhar o PSB inchado com o descontentes, de Kassab a Kátia Abreu.
    Para fugir da lei da fidelidade partidária, Kassab criou um partido que receberá muitos politicos, em seguida o tal partido se fundirá ao PSB que, por sua vez, formará um bloco vários partidos, provalmente inclua o PC do B.
    E aí, o que faria Lula num quadro desse senão dar uma guinada ao centro a partir de agora, política é assim mesmo, as coisas acontecem de forma tão antecipada que às vezes ficamos sem entender
    Mas o eles entendem, o Lula entende e, por isso, não há outra saída senão dar uma passeada no centro, pois a periferia já é dele, ou seja, tendo os votos da esquerda mas, insuficientes (por causa de Aécio Neves), Dilma move o tabuleiro
    Uma engenharia complicada mas é assim que vejo, por isso evito dizer o que muitos comentaristas vem dizendo por aí, uns querendo ajudar, como vc Edu. Por outro lado há comentaristas que dizem asneiras por má fé meso, pq são de direita e anti-Lula e, um terceiro grupo, o dos desavisados, que ainda não sacaram a movimentação de Lula que, repito, vê as coisas de longe

    • Lembre-se de que há um objetivo em manter o atual grupo político no poder. Não fico do lado que estiver a imprensa golpista, por exemplo. E acho que até a fé dos mais leais tem um limite. O meu já foi quase atingido. O das pessoas de boa fé como você, talvez demore um pouco. Contudo, após ler um texto há pouco, acredito que esse limite logo será atingido – não digo qual é porque escreverei sobre ele nesta segunda. E para evitar que essa chuva de acho, talvez, pode ser, quem sabe despenque por aqui, talvez seja melhor esperar. A coisa está acontecendo mais rápido do que parecia. Mas ainda tenho esperanças de estar enganado. Não vale a pena brigar. O jeito é esperar.

      • o meu limite esta esgotando, ler um ministro dizer que pode haver “besteira” no projeto de franklin martins, vê Dilma elogiar a folha e omitir o jogo sujo na ditadura, vÊ Hebe Camargo, líder do cansei, fazer propaganda do governo da farmácia popular, a política externa se resumindo ao sim dos EUA é o fim!

        Não substime o PIG , se Dilma continuar como esta indo, não havera diferença entre ela e psdb. Quero ver, estou torcendo pra isso, porque ao menos o congresso me parece ser mais de esquerda, torço para que logo falem da discriminalização do aborto e ver qual será a atitude de Dilma, Que os projetos de Marta entre logo em discussão dos direitos humanos e vê Dilma tb irá sair pela tangente com as igrejas como faz com o PIG.

  • Desculpa mudar o assunto, mas fiquei sabendo que a rede globo esta processando o facebook , tentou aqui no Brasil mas não conseguiu, precisou entrar com a ação la no USA… por que será?

  • O PT parece caminhar casa vez mais para o centro. Não me parece que o Palocci esteja só de figuração no governo. Sua patinha neo-lineral já se pode sentir na condução da economia.

    Estou começando a desconfiar que o sonho da oposição é eleger o Piñera brasileiro, pois se Dna. Dilma continuar esse aprofundamento de cortes e aumento de juros, sua plataforma econômica não será nada diferente da de Aecinho em 2014.

    O PT e Dna. Dilma têm de acordar e começar um movimento de volta aos interesses populares e se desligar dos interesses do mercado.

    Dna. Dilma se liga e para de dar ouvido ao Palocci, presta atenção na Dna. Maria da Conceição Tavares, baixa esse raio desses juros e aumenta o compulsório senão o país não se desenvolve o quanto precisa.

  • Dizem que governo é igual feijão, só na panela de pressão! A presidenta poderia ter ficado sem essa, quem manda entrar na do MALOCCI! Bem feito para ela, faltou “diplomacia”, poderia, gentilmente agradecer a falha, enviar o MALOCCI para representar o governo! Tudo bem, eles se entendem! Uma sugestão a presidenta, ler o livro “O Vietnam segundo Giap” vai ajudar a entender mais sobre diplomacia, ela se acha “esperta” estão tentando fazer a cabeça dela!

  • Sinto muito Eduardo, o dificil á aceitar que esta tal distenção politica seja sempre feita com a seguinte equação: Elite sempre mais povo sempre menos. Gostaria que a Dilma explicasse aos familiares das pessoas que morreram por falta de maquinas para fazer hemodialise em função do famigerado corte de gastos que ela não tem coragem, em função da tal distenção, para recriar o imposto mais justo, socialmente, que este país ja teve (CPMF). É mais facil cortar os gastos com saude , segurança, educação, etc do que cobrar através dos impostos dos mais ricos. Gostaria que a Dilma olhasse nos olhos de quem perdeu entes queridos na ditadura e falasse que ela foi ao regabofe da FSP para fazer a tal distenção politica. Gostaria que ela olhasse nos olhos de quem necessita de R$5,00 reais a mais no SM para comprar mais 2 litros de leite para matar a fome de seus filhos que isto não pode, porque tem sobrar dinheiro para pagar aos rentistas. Enfim Eduardo, estou numa fase que não acredito em mais nada, ainda bem que existem pessoas iguais a voce para ainda termos alguma esperança no ser-humano. Um grande abraço e tem tempo que não tenho noticias da Vitoria, como ela esta???

  • A meu ver, caro Eduardo e partícipes deste espaço, está mais ou menos clara a estratégia de Dilma e do PT, no sentido de ganhar espaços e ampliar os horizontes políticos da base governamental; resta saber, até que ponto vai a disposição dos “russos oposicionistas” em seguir essa mesma linha… Me parece que não lhes restam outras alternativas, já que a oposição está com seus arsenais vazios; exceto, é claro, por Serra e seus cupinchas… Mas estes não passam de “espoletas”, meros “artefatos de efeito (i)moral”, que não causam danos maiores e serão colocados em seus devidos lugares, tão logo o debate político retome seu curso e intensidade habituais… O que estamos presenciando agora, é na verdade uma reconfiguração do cenário político; uma certa calmaria, que precede as futuras tempestades, que virão assim que a poeira eleitoral abaixar e o novo cenário se tornar mais claro. E acredito que Dilma e o PT estejam antevendo essas futuras tempestades e procurando se precaver contra seus efeitos, da melhor maneira possível. O que a presidente e seu partido não podem fazer, durante esse intervalo de calmaria, é se esquecer da rota previamente estabelecida para a frota governamental… É aí que entra a blogosfera; que tem o importante papel de sempre “lembrar” ao governo o que dele se espera… E vamos que vamos, pois o tempo não para!

  • Nós de espectro político de esquerda, invariavelmente, temos a personalidade colérica. Desejamos que as conquistas sejam por métodos revolucionários. A direita, reacionária, sabe bem disso, e usa e abusa deste nosso “atributo”. Acessem os blogs de direita, sejam eles quais forem, e vejam se há críticas ao menino da FSP por ter convidado a Presidenta ou ao menino da CIA por aceitar o convite da mesma. Nada! Quando estão imbuídos de um objetivo não atiram uns aos outros. Entendem de estratégia. Nós, de esquerda, ao contrário, queremos “sangue”. “A Dilma para mim morreu”, vociferou acima uma “esquerdista”. Quer saber, não somos coléricos, somos otários.

    • Prezado, concordo contigo quanto ao excesso de certos esquerdistas, mas não posso admitir que não haja espaço para a crítica. Ora, entendo que a aproximação da Dilma aos setores mais conservadores (no pior sentido da palavra) não se dá pela mudança desses, mas pela mudança da agenda dela, ou de quem a constrói. Grato.

  • Possivel desfecho é a derrocada ainda maior da oposição, ficando resumida à extrema direita, então os jornalões acabarão por fazer, por necessidade democrática, uma oposição ainda mais violenta ao governo Dilma, para suprir esta falta. O Presidente da ANJ, Judith Brito, deixou claro que este é o caminho dos seus associados.

  • Acho que Dilma está aparando as arestas depois de 16 anos de guerra, os 8 anos do FHC e os 8 do Lula. Dilma quer uma imagem mais republicana, de que governará para todos os brasileiros, mas com um viés no povão. Corta assim críticas de vingativa e de que tenta sufocar a oposição.

  • pô,
    se o sr. eduardo guimarães foi à festa de 80 anos,
    porque a dilma não pode ir à de 90 anos?
    descriminação contra a mulher?
    só fico triste é em ver o nome do çerra, mesmo depois de encerrada a sua carreira política, neste blog.
    gente, “çerra já era”.
    deixem o sr bolinha de papel descansar em paz.
    não percebem que para não submergir ele é capaz de qualquer coisa?

    • A festa de 80 anos foi há dez anos e naquele tempo eu não tinha as opiniões que tenho hoje sobre a Folha. Eu achava que era possível dialogar com a imprensa. Dez anos me parecem tempo suficiente para alguém endurecer suas posições.

      • Através de e-mails, eu também tentei dialogar por algum tempo com alguns colunistas do PIG.
        Numa primeira abordagem eu me mostrava meio que ingênuo. Aí vinha a resposta, muito cordial, com aquele tom professoral de quem é dono absoluto da verdade (o famoso pensamento único neoliberal).
        Como eu respondia com conhecimento de causa, eles passavam a ignorar os meus e-mails.

  • Tchau amigos, vou dar um tempo para recolhimento, não acredito em mais nada, torço para que eu esteja errado. Um abraço a todos e …espero, até breve.

  • No Brasil não há espaço para distenção politica, pelo simples fato de que aqui ou o governo sucumbe aos interesses dos dominadores de sempre ou sai de baixo.
    O que está ocorrendo com o governo Dilma, ao invés de ser distenção deveria ser chamado de capitulação.
    Nesse interim preferia o governo Lula, não pelo desejo da manutenção de alguma beligerância, o que não havia da parte dele, mas pelo simples fato que o seu governo, pela primeira vez na história, fez história justamente por que deu de ombros para a grita dos beneficiários de sempre em todos os governos anteriores, a elite e seus representantes, em todos os tempos, exceto os novo tempos. Se tornando, por suas prioridades voltadas para o social, o presidente da massas, seu verdadeiro anteparo, contra a face golpista e muitas vezes terrorista, dos responsáveis pela chamada grande imprensa.

  • Emoção gostosa á flor da pele, ver o vídeo proposto pela Geisier. Agora com Dilma emoção e razão também. Nada como esta homenagem a Lula para contrabalançar e ultrapassar o Zeitgeist!!!
    Das palavras de Lula sem rancor da oposição ou das adversidades da vide concluo. Lula foi escolhido e ACEITOU a missão de resgate das elites. Intuição, Nada é por acaso. É um opróbrio das falsas elites. Elite falsa é aquela que usa do conhecimento intelectual e/ou acadêmico para exclusivo proveito próprio. “Quem trabalha para matar a fome não come o pão de ninguém; quem ganha mais do que come sempre come o pão de alguém. Zeitgeist explica. F. K. Comparato ensina que vivemos em servidão humana, sob o poder da sedução da publicidade do capitalismo.
    Ora Lula no inicio não assistiu Zeitgeist e nem leu Keynes, Weber, Marx , Hyeck, Mises ou Friedman, os Chicago boys, nem agora talvez. Ou seja quem metaboliza o conhecimento e não põe em pratica para beneficio próprio e dos outros é o insensato e precisa ser fustigado por um “simples, simplório sábio intuitivo” um do povo. Isso é um mito. O cobrador carmico. Evidentemente que não é o caso da intelectual de classe media alta Dilma, cuja sensibilidade a vez lutar contra a ditadura de forma mais racional, colocando seu senso e juízo a favor de si e dos outros. O principio do servir. O conhecimento acadêmico deve ser eficaz para gerir o Estado, pois os que são funcionários públicos nem sempre estão imbuídos de tal missão, no “espírito de nossa época”. Estamos a exigir que Dilma nos visite, visite o povo da blogsfera “suja” progressista. Atenda a erradicação da miséria. Banda larga acessível e educação de qualidade.
    Cauê, Polyana, e até Mazzaropi; “A cada dia, sob todos os pontos de vistas; vamos cada vez melhor”; Ver otimismo( como Lula) nas adversidades; “Tudo o que acontece na vida da gente, é para ajudar a gente”- Comemoremos!!!

  • “A visita da velha senhora” aos seus algozes está surtindo efeitos. Clara Zahanassían e Tieta do Agreste também foram exaltadas pelos hipócritas que antes a menosprezaram.
    Até você, Eduardo, já está vendo “A visita” com outros olhos.

  • Engraçado, Edu… A mesma edição trazia um texto de Gilberto Dimenstein falando da importância das novas tecnologias, da revolução que elas promovem, blá-blá-blá, e o texto tristão do Athaide dizia outra coisa, a meu ver. Ora, se os resultados da pesquisa eram notícias tão irrelevantes ele não precisava citar o que tanto pareceu incomodá-lo. Ele poderia ter usado outros critérios de pesquisa, tipo “Folha apoiou a ditadura”. Oops! Melhor deixar quieto! Os resultados continuariam irrelevantes pra ele, afinal apareceriam uns blogs suuuujos… rs… Abração!

  • Antes de comentar esse texto, aviso que pretendo assistir ao documentário do seu post anterior à noite, já que agora não tenho tempo para fazê-lo; ainda, percebo pela introdução que você escreveu, que o texto deve ser fantástico. Quanto ao assunto do texto, tenho uma opinião bem definida : É PÉSSIMO PARA O BRASIL(PARA TODOS NÓS)QUE DILMA COMECE A “ALISAR” ESSE BANDO DE CORONÉIS, DE FACISTAS, DE DITADOREZINHOS QUE FORMAM A OLIGARQUIA QUE CONTROLA AS COMUNICAÇÕES NESTE PAÍS, O QUE, EVIDENTEMENTE, INDICA QUE ELA TAMBÉM “ALISARÁ”; OU JÁ “ALISA”; A CLASSE DOMINANTE NACIONAL. E por que é péssimo(e uso “péssimo” por não lembrar-me de outro adjetivo mais contundente)? Por que não se faz uma omelete sem quebrar os ovos, isto é, não se constrói algo novo, mantendo as coisas como estão. TEM QUE SE CONTRARIAR INTERESSES PARA MUDAR O BRASIL, NÃO EXISTE MEIO TERMO : OU QUEBRA, OU NÃO CONSTRÓI NADA. CONGELAM-SE AS MUDANÇAS E TRANSFORMA-SE O PT NA CONCERTÁCION BRASILEIRA. LEMBRANDO QUE FOI ESSE CONGELAMENTO DA CONCERTÁCION QUE LEVOU OS CHILENOS A RECOLOCAREM OS FASCISTA NO PODER DEPOIS DE 20 ANOS. No começo da omelete, você pode até não quebrar os ovos, isto é, ir colocando os outros ingredientes(foi o que fez Lula, foi colocando os outros ingredientes e até mesmo quebrou alguns “ovinhos” menores, o que já causou muito reboliço); todavia, chegará um momento em que você terá que quebrar os ovos ou não fará a omelete e todos os ingrediente que havia colocado acabarão por apodrecer. COM DILMA ATINGIMOS O MOMENTO DE QUEBRAR OS OVOS! ALGUÉM PODE ALEGAR QUE É UMA TAREFA INGLÓRIA(ELA JÁ CHEGOU NO INSTANTE MAIS CRÍTICO), QUE ESSE MISTER DEVERIA TER FICADO COM LULA, POR SEU CABEDAL E FORÇA POLÍTICA INCOMPARAVELMENTE SUPERIORES AOS DA SUCESSORA. CONTUDO, ESSA ALEGAÇÃO ESQUECE-SE DE QUE, FOI GRAÇAS À PREPARAÇÃO(COLOCAÇÃO DOS OUTROS INGREDIENTES)QUE LULA REALIZOU, QUE O MOMENTO DE “QUEBRAR OS OVOS” TORNOU-SE POSSÍVEL; SEM O “TRABALHO” DE LULA ELE NÃO EXISTIRIA. TALVEZ ATÉ POSSAMOS CRITICAR O “TEMPO” DESSA PREPARAÇÃO, PODEMOS(E COM CERTO FUNDAMENTO)AFIRMAR QUE DEVERIA TER SIDO MAIS RÁPIDO, O QUE PERMITIRIA QUE A “QUEBRA DOS OVOS” OCORRESSE COM ALGUÉM ADEQUADAMENTE CAPACITADO PARA FAZÊ-LO. MAS SÃO APENAS HIPÓTESES(NÃO ADIANTA TRABALHARMOS EM CIMA DO INTANGÍVEL), ESSE FOI O “TEMPO” QUE LULA ACHOU ADEQUADO(OU POSSÍVEL)PARA CHEGAR AO INSTANTE DA MUDANÇA, O QUE INTERESSA É QUE AGORA INEGAVELMENTE CHEGOU A HORA DE “QUEBRAR OS OVOS”, ISTO É, REALIZAR MUDANÇAS ESTRUTURAIS RELEVANTES, QUE DE FATO ALTEREM A ORDEM SOCIAL EXCLUDENTE EM QUE VIVEMOS(E NÃO MAIS AMENIZEM SEUS EFEITOS). Está na hora da REFORMA AGRÁRIA, DA LEY DOS MEDIOS, DO IMPOSTO SOBRE GRANDES FORTUNAS, DE PUNIR OS MONSTROS E OS COMANDANTES TORTURADORES DA DITADURA ; DE ALTERAR DEFINITIVAMENTE A INSERÇÃO SUBALTERNA DO BRASIL NA ECONOMIA INTERNACIONAL; DE ACABAR-SE COM ESSA POLÍTICA FINANCISTA IMBECIL DE JUROS ALTOS E CÂMBIO FLUTUANTE; DE INTEGRAR-SE DE FORMA PLENA A AMÉRICA DO SUL . E não será “alisando” pilantras como Otavinho, FHC, Marinho, Saad, Civita, que Dilma fará isso. Se Lula(que, ao contrário do que você disse, não respondia à mídia : apanhou calado duarante oito anos e só reagiu um pouquinho no fim do Governo), conseguiu realizar, com muita dificuldade, mudanças que “amenizaram” nossa ordem social, é porque elas eram apenas “amenizações”(que surgiram para “preparar o terreno” para as grandes mudanças, sem as quais não sobreviverão por muito tempo). Já as mudanças, exatamente por serem mudanças, não ocorrerão sem o confronto. Sem ele, Dilma congelará(e levará ao retrocesso inexorável das “amenizações” que Lula construiu), transformando-se numa Concertácion(ou num Alan Garcia do 1º Governo, outro caso de recuo enojante!)e será, sem dúvida nenhuma, a maior cabo eleitoral para a vitória do candidato de “Otavinho e sua gangue” no futuro.

    • Prezado Carlos Henrique, concordo contigo e reforço citando parte do artigo de Johann Hari, no Independent, escrito em setembro de 2009 acerca das negociações para a mudança na política de saúde proposta por Obama: “Não há como expandir o atendimento público de saúde sem enfurecer os laboratórios da ‘Big Pharma’ e os Republicanos mais pirados. Então, que seja! Como escreveu Arianna Huffington: “É tão sem sentido quanto seria, no auge do movimento pelos Direitos Civis, supor que seria preciso esperar que Martin Luther King e George Wallace concordassem. Esse não é o caminho para qualquer mudança.””

  • Prezado Edu, considero-me um privilegiado por todos os dias ter seu blog como leitura diária. Essa distensão de que fala poderia ser benéfica para o país, sim, desde que fosse nos termos do povo e não nos termos da mesma elite que sempre ditou as regras. Perdoe-me discordar de algumas bases para o seu argumento mas se é assim que tem que ser que se acabem os partidos e ideologias, vamos todos para o centro, ninguém reinvindica mais nada e não se luta mais por conquistas de minorias. Façamos um grande acordo que não faça exposição de ninguém e todos ficamos bem. A mídia não vai atacar a Dilma? Claro que não, ela não fará a proposta da Lei da Mídia, simples assim. Não me apraz discordar de ti, nem tenho envergadura para tal, mas na minha opinião, ir para o centro nunca foi solução para o país, ao contrário, já vimos esse filme. E a cartilha que a Dilma tem seguido, ao menos até agora, é a mesma que um tucano assinaria, ou não? Corte no orçamento de programas de custeio e pesquisa, discussão do S.Mínimo (sem entrar no mérito da canhestra oposição) sob os mesmos argumentos que FHC utilizava… então é asim? Apenas por ser a Dilma já é diferente mesmo que não seja? Olha, posso estar redondamente mal informado mas já vi Dilma em eventos da elite e não a vi em contato com as organizações dos movimentos sociais, não a vi presente em reuniões do ODM/PNUD, por exemplo. Ana Maria Braga e Hebe Camargo não me interessam, mas sei que muita gente assiste, não sou tolo. Mas para mim, fica a clara mensagem não da distensão, mas da distância do povo daqueles que organizam a agenda e as prioridades da Presidenta . Abraços cordiais.

  • Parabéns pelo post, Eduardo.
    O país precisa respirar um pouco. O ambiente andava carregado demais e, nesse contexto, só quem se beneficia são os radicais tipo José Serra e seus acólicos na mídia e na extrema direita.
    Como você, eu, e tantos outros anônimos por esse Brasil afora, não precisamos prescindir das nossas convicções pessoais e políticas e , por uma razão ou outra, aderir a um novo status quo.
    Minha opinião é que temos de partir de um novo patamar de convivência política. O que, absolutamente, não pode ser sopesado como adesismo ou acomodação. Em nada muda minha visão de mundo e, principalmente de Brasil, quando toco nessa tecla.
    Especificamente no que tange à mídia, acredito que a tendência é, sob pena desta ficar desmoralizada de vez, o foco numa cobrança mais civilizada e menos partidarizada do Poder. Nos oito anos de Lula ela, mídia comprometida, chegou ao fundo do poço em termos de prática jornalística anti-ética. A infâmia foi a tônica.
    Na história temos Henrique de Navarra, futuro Henrique IV, e sua frase mais famosa “Paris vale uma missa”, dita em 1593, que traduz bem a necessidade de um pragmatismo em nome de uma causa ou proposição qualquer.

  • Nao ha “distencao” alguma, Eduardo. Eh ilogico. A media NAO explicou porque atacou tao obsessivamente Lula, por exemplo. A media NAO admite que discriminou Lula.

    Nao discriminar uma mulher como Dilma nao eh grandes favores. Nao eh e nao pode ser tomado como sinal de nada.

  • O blogueiro considera “qualquer bobagem” o fato de cinco ministros de Estado cairem por corrupção? Suborno de parlamentares? Filho da minsitra da Casa Civil fazendo dinheiro dentro do ministério? Tudo bobagem da mídia…

Deixe uma resposta