O Dia do Perdão

Crônica

Questionar a principal data comemorativa do cristianismo se tornou quase obrigação ao longo dos séculos que sucederam o nascimento de Jesus Cristo. Questionam-se consumismo, gula, narcisismo, ostentação, futilidade, falta de reflexão sobre o sentido da data e até aquele que a considera período propício a sentimentos edificantes.

Contos e crônicas de Natal remetem a histórias de abrandamento de corações e de milagres que contemplariam os despossuídos, muitas vezes decorrendo, tais milagres, da generosidade que a data gerou. Mas a própria existência de toda essa cultura em torno de uma data religiosa é vista como a mais soberba manifestação de hipocrisia.

A principal crítica que se faz ao Espírito de Natal, assim, é a de que se trata de uma farsa porque deveríamos ser generosos o ano todo. Mas como não somos suficientemente generosos, simulamos generosidade apenas um dia ao ano, quando fingimos que abrimos a porta dos nossos corações para o perdão, para a compaixão e a generosidade.

Perdoar no Natal parece apenas mais uma das faces da hipocrisia que seqüestrou a noite de 24 de dezembro e o dia que a sucede, quando o Bom Velhinho capitalista, em suas roupas escarlates, empurra-nos às compras como se dinheiro, embrulhos coloridos e banquetes faustosos operassem a remissão dos pecados.

Por outro lado, não estimular tolerância e generosidade no Natal só porque tais sentimentos escasseiam no resto do ano seria desperdiçar a oportunidade de aproveitar um momento em que as pessoas estão mais receptivas para exortá-las a adotarem atitudes positivas que não teriam comumente.

Dirão que o perdão concedido graças a comportamento adotado só por conta dos costumes, sem uma origem interior legítima, é falso, inexistente. Todavia, será que o que falta para que as pessoas se perdoem umas às outras não é a chance que se dá ao indivíduo de perdoar sem parecer fraco diante de si ou dos outros?

O maior inimigo do perdão, pois, é o orgulho. Quem sabe o homem não precise dessa desculpa para perdoar não só aos outros, mas a si mesmo. Uma data comemorativa em que perdoar é visto como ato de grandeza e de força usa o orgulho contra si mesmo, pois faz o indivíduo descer do pedestal como prova de suas qualidades.

Se o Perdão Natalino não é legítimo, ao menos predispõe quem o pratica a talvez lograr posteriormente vencer o ressentimento, um sentimento que jamais faz bem a qualquer ser humano porque nos impele a ter sempre que ficarmos tentando provar que quem errou foi o outro.

Não é preferível, então, que exista um dia em que nos disponhamos a pôr o orgulho de lado a fim de começar a sobrepujar rancores que, se pudéssemos voltar no tempo, teríamos optado por não começar a edificá-los? Enfim, caro leitor, esta reflexão não o fez lembrar daquela pessoa a quem você não ainda não conseguiu perdoar?

109 comments

  • Eduardo, gostei muito de seu texto especialmente do trecho:
    “O maior inimigo do perdão, pois, é o orgulho. Quem sabe o homem não precise dessa desculpa para perdoar não só aos outros, mas a si mesmo.”
    .
    Que saibamos manter este espírito o ano inteiro.
    .
    Feliz Natal.

  • belo texto , pra que tudo isso acontecesse na vida das pessoas , seria preciso mudar toda conjuntura mundial que ja esta implantada dentro de nossas casas com tv que só incentiva a maldade como espetaculo, o desprezo por tudo que é bom , mas , parte de cada tentar romper essa barreira e fazer o melhor possivel.
    um grande abraço e um feliz natal a familia guimaraes e obrigado por ser capaz de prender agente sempre com boas leituras durante todo o ano de 2011.

  • Eduardo,

    Se o espírito de perdão natalino não é legítimo, a predisposição que você menciona também não o é. Basta que a pessoa comungue e se confesse para o padre para que seus pecados sejam perdoados? Não, é preciso que seja sincero. Mas a pessoa pode ir e executar todo o ritual sem um pingo de emoção no coração, pensando na lista de compras de guloseimas, no presente, na amante, em tudo – menos no que “deveria”, a tal reflexão. A mesma coisa acontece com o perdão natalino que, para mim, pode ser tão hipócrita quanto as confissões e contrições religiosas. Queria eu ter mais fé na humanidade, mas épocas como o Natal não me deixam. Pra mim, o que realmente me deixa com fé na humanidade é um perdão fora dessa época. Aí sim, pode haver sinceridade – e esperança – verdadeira.

    Um feliz natal, mesmo assim.

    Marcos

  • Querido Eduardo,
    não poderia encerrar meu ano sem passar mais uma vez por aqui, desta vez pra lhe desejar boas festas e estender os mesmos sentimentos a toda sua família, incluindo a guerreira Victória!
    Espero também que seu blog continue crescendo e formando opinião, precisamos de semeadores da paz como você nesse nosso mundo tão desigual.
    Abraços queridos!
    Alexandre Braga

  • Excelente reflexão, Eduardo! Só lembrando que o tal “bom velhinho” foi inventado pela Coca-Cola no início do século 20. Daí não surpreende o caráter eminentemente consumista da data, o que esvazia, senão destroe, o tão propalado espírito natalino. De qualquer, um ótimo Natal para o senhor e família!

  • Eduardo,é Fora de pauta ,mas importante para o Brasil de Dilma/Lula:

    Ceará ganha mais uma SIDERÚRGICA-(Espanhola AÑÓN) Laminadora

    Laminadora começa obras em 2012

    A Siderúrgica Añón acaba de adquirir em Caucaia terreno para instalação de sua laminadora de chapas de aço
    23 de dezembro de 2011 – 14:19 | 0 comentário(s)fonte: Corrigir |Imprimir |

    Após o anúncio do contrato bilionário entre Vale, Posco e Dongkuk, no valor de US$ 4,3 bilhões, semana passada, outro projeto siderúrgico para o Ceará está confirmado. A Siderúrgica Añón, da Espanha, acaba de adquirir em Caucaia (região metropolitana de Fortaleza) terreno para instalação de sua laminadora de chapas de aço. O terreno foi adquirido por R$ 10 milhões, aproximadamente, e está localizado na BR 222. A obra terá início no primeiro semestre de 2012, inicialmente previsto para março.

    As informações foram repassadas pelo economista Alcântara Macedo, que atuou como consultor e intermediador da vinda do grupo espanhol para o Ceará. Segundo Macêdo, o grupo já comprou o terreno, já contratou o projeto de Meio-Ambiente e já está sendo negociada a aquisição de boa parte dos equipamentos com tecnologia de última geração no exterior. “É um projeto de muita possibilidade de ajuda ao desenvolvimento econômico do estado”, diz o economista.

    O valor total do empreendimento ainda não está sendo divulgado, mas em 2010 a planta havia sido avaliada em R$ 200 milhões. “Estamos iniciando o projeto econômico-financeiro, com estudo de mercado/localização, receitas, custos e rentabilidade do empreendimento”, adianta. A expectativa, no entanto, é a de que a laminadora da Añón entre em operação no final de 2013. Com relação à geração de empregos, espera-se que a indústria gere 800 postos de trabalhos diretos e algo em torno de 3.200 indiretos. “Já estamos formando equipe para trabalhar na indústria”, diz Alcântara Macedo, lembrando que nem todos os empregos serão gerados aqui. “Talvez uma parte tenha que ser captada no exterior”.

    Consumo interno
    Para o setor metal-mecânico do Ceará não poderia existir notícia melhor. Com a entrada em operação da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), a expectativa é que 20% de sua produção seja destinada ao mercado interno – o equivalente a 600 mil toneladas de placas laminadas/ano.

    OBS:Como se pode observar, a industrialização no nordeste está crescendo, tendo impacto sobre a redução da pobreza, distribuição de renda e consolidação do projeto iniciado pelo nosso grande Presidente Lula e prosseguido pela presidenta Dilma >

  • Olá Edu

    Por força do hábito, visito diariamente o seu blog, e mais uma vez estou por aqui de passagem.

    Como faço todos os dias, desejo toda a felicidade para você e para os seus. Este desejo vem da sua luta por um mundo melhor, o que todos queremos, mas poucos conseguem colocar mais um tijolo nesta grande construção. Você já levantou uma parede inteira. Parabéns e obrigado pelos tijolos que a mim competiam e que não fui capaz.

    Neste mundo melhor, como você muito bem sabe, valores, hoje tido como fundamentos, terão que ser reformulados.

    Neste dia de descanso, acabo de assistir um antigo filme, estrelado por Anthony Quinn – O esquimó. É uma lição de como devemos proceder quando chegamos a um outro mundo, respeitando suas tradições e leis. O homem chegou a este planeta quando ele já existia há bilhões de anos e não estamos respeitando as leis que aqui existiam.

    Desejo portanto a você e aos seus que continuem buscando esta comunhão que irá nos integrar ao nosso planeta.

    Todo o artificialismo criado a favor do poder e do orgulho, precisam ser repensados e na sua maioria, banidos.

    Sei que não acontecerá logo e talvez tenhamos que passar por muitos cataclismos até alcançar um novo estágio.

    Meus votos que o tempo para este estágio seja o breve.

    Aceite um abraço deste seu leitor diário

  • Eduardo, boas festas a você , a todos os seus e aos acompanhantes deste blog. Que tuas reflexões deste final de ano o tornem menos CHORÃO e mais admirador da GRANDE E VALENTE PRESIDENTA. Neste final de ano saliento, como GRNDEZA da presidenta o apoio ao CNJ, o confronto com o STF, sua postura em relação ao orçamento, a defesa do crescimento economico, da produção, do emprego, do consumo e do salário. Abraços a todos.

    PS: Apesar de acha-lo chorão e marrento, não deixo de admirá-lo.

  • Fora de pauta:(Eduardo ,aqui vai um resumo grosseiro das principais instalações industriais no Nordeste BRasileiro e que ,em 2014,terão grande influencia eleitoral:

    Maranhão: 01 Refinaria Premium I da Petrobrás(terraplanagem concluída)
    Ceará: Siderúrgica do Pecém (CSP)(Vale+dong kuk+Posco)(terraplangem em execução)
    Refinaria premium II da Petrobrás (terraplanagem em execução)
    Siderúrgica ANON-(Espanhola-Laminadora)(terreno locacional adquirido)

    Pernambuco: Refinaria Abreu e lima(Petrobrás) (em construção)
    Montadora da FIAT automóveis
    Siderúrgica do Suape (CSS)-Laminadora

    Bahia: Montadora da Ford(motores)
    Montadora da JAC Motors(Chinesa)

    OBS : Isso são só os empreeendimentos industriais .Aqui estão fora os investimentos governamentais;Esse é o segundo maior colégio eleitoral do país, cujos votos irão,em sua grande maioria, para Dilma Vana Roussef.A perspectiva de poder está do nosso lado .Quem vai deixar tudo isso ,só pára ficar ao lado do vampiro ?Político nenhum gosta de cometer suicidio eleitoral….

  • Edu , gostei muito do seu post , maravilhoso, e pensar que esse Jesus que nasce, nasce para morrer e morre pra perdoar nossos pecados . é lindo , é amor , é perdão
    Feliz Natal pra voce e sua familia linda. Deus que te ama , que te abençoe e guarde o coração e mente sempre tão lúcidos como agora.
    Abraços.

  • Perdoar até que é fácil.

    Quando a gente é pequeno aparece um adulto e diz: “Peçam desculpas! Se abracem os dois!”
    E a gente não quer, mas acaba fazendo.
    E daqui a pouco já está brincando com o outro, esquecido que estava de “mal de fogo a sangue” há alguns minutos.

    Como se diz aqui no Nordeste : “Eu perdoo mas não esqueço!”.
    Sabe por que?
    É porque quando você se lembra, o troço às vezes ainda dói e você catuca a dor com ponta de faca, de levinho, para ela doer como arranhão de roseira, ardendo na superfície da pele, mas sem sangrar.
    Doeu um pouquinho, voltamos à nossa vida normal, satisfeitos.

    Perdoar é só praticar.

    Sem a prática do perdão, a gente nunca vai se acostumar a perdoar.

    Fiz sempre muita força para não odiar ninguém e para não ter que dizer: “eu lhe perdoo”, porque – puxa! – Isso dói de ouvir!

    Até para perdoar a gente tem que ser bom, nem que seja bom artista.
    Ser, pelo menos, convincente já que muitas vezes o perdão é uma conveniência de gente adulta.

    Mas perdoar da boca prá fora é ganhar duas vezes dos sentimentos do outro.

    O melhor é você entrar na fila e perdoar, lembrando de pedir perdão antes.

    Vou começar: “PIG eu lhe perdoo por ter enganado o povo esses anos todos.” “Privatas eu lhes perdoo pelo que roubaram da nossa boca”. ” Nós perdoamos pelo que fizeram e deixaram fazer contra o Nordeste esses anos todos “.

    Basta!
    Não sou cristã de coração bom como você Eduardo! Parabéns!
    Ainda não estou preparada para perdoar e muito menos para esquecer!

    Um FELIZ NATAL para todos e um cheiro bem grande na sua Victória e que os anjos a protejam!
    Para você, muita iluminação, muita paz!

    Um cheiro com cheiro de castanha de caju assada no ar, casa pintada de novo, bronzeador e frango assando no forno!

  • Feliz Natal a você e à sua família e 2012 de muito sucesso, alegria, paz e, claro, muita luta e trabalho sempre pois sem isso a vida seria muito chata.

  • É triste (em plenas festas de fim de ano) recordar um texto publicado ainda no blog antigo, cujo título, São todos Bóris Casoys, em que você respondeu à altura o estúpido jornalista que ofendera dois garis. Vaidade é algo que devemos desprezar. Mas creio que foi por vaidade que me lembrei do artigo. Especialmente deste trecho:

    “EG: – Boa tarde. Gostaria de cumprimentá-lo, sou espectador de seu telejornal.

    BC: – Você é uma pessoa de muita sorte, então.

    Com essa resposta, Casoy me deu as costas e continuou conversando com seu grupo. EG”

    Hoje, eu, Elias SP SP posso dizer que experimentei algo semelhante.

  • É isso, Eduardo…parabens pelo belíssimo texto.Você está com razão. Desejo-lhe muitas felicidades sempre, saúde para você sua familia, em especial para Victória de quem eu gosto muito. Que a coragem seja companheira de caminhada e que você continue a nos inspirar. Um abraço a você e a todos os que acompanham seu blog.Como dizem os meninos do hip hop, “é nóis!”

  • Belo texto, Edu.
    Gostaria de desejar a você a a toda sua família, principalmente à Victoria, um feliz Natal e um novo ano ainda melhor do que este que se finda.
    Não posso deixar de confessar que no ano que passou, você foi artífice de muitas alegrias minhas e, tenho certeza, de vários companheiros que igualmente acompanham o Cidadania.
    Seu equilibrio, paciência, honestidade e lisura na abordagem dos assuntos aqui tratados, nos permitem acreditar ainda no ser humano.
    Por tudo que você me proporcionou, mesmo não o conhecendo pessoalmente, mesmo sem nunca ter-lhe encontrado, sinto-me no direito de chama-lo amigo.
    E a este amigo, envio um forte e carinhoso abraço.

    Scan.

  • Eduardo e amigos do Cidadania,

    Um Feliz Natal e que nossos corações sejam alcançados pela bondade, justiça e pelo comportamento ético e honesto do HOMEM, pois como ele começou no coração de DEUS ele só vai se completar quando atingir os nossos corações. FELIZ NATAL!

    José Widmark

    Recife – Pernambuco

  • Edu, vc foi o grande responsável em abrir, na minha vida, a possibilidade do acesso a uma mídia alternativa, reflexiva e que escreve de acordo com o que minhas retinas enxergam e o meu coração sente. Foi vc , tb, quem me apresentou os outros , ditos , blogueiros “sujos”. São dois anos, de cumplicidade nas posições políticas , exercício de cidadania e esperança de um país , mais justo e igual! Obrigada, Obrigada e Obrigada! Que o Menino Jesus esteja sempre em seu coração, no da Cristina e em todos os seus REBENTOS! UM FELIZ NATAL!

  • PERFEITO!!!!!
    De todo o meu coração desejo a vc e sua linda família,
    Feliz Natal!!
    Feliz Ano Novo!!!
    Grata por vc e seu Blog da Cidadania existirem!!!
    Estamos juntos,
    Abraços,
    Libertá

  • Eduardo,

    Ótimo texto.

    Voce é um homem de BEM.

    Receba meus sinceros votos de um Feliz Natal com muita saude, paz e alegria para voce e toda a familia.

    Um grande abraço.

    João Bosco.

  • Caro Eduardo

    A tua veia cristã esta a flor da pele. Deve ser esta data. Mas me permita discordar do conceito de “perdão”. As ações já havidas, perdoadas ou não, já aconteceram. Não há possibilidade de alterar as consequencias de uma ação pela ação de perdoar. O que uma ação produz, pelo conceito crstão, pode ser o “bem” ou o “mal”. Para os bons cristãos, preferiria que aprendessem com os erros e não os cometessem mais e avaliassem se o que consideram acertos, de fato o são. Esta avaliação permite a ação de concertar, ou seja negociar com os demais a necessária mediação entre aquilo que o cristão acha certo e o que os demais acham certo, sejam cristãos ou não. Afora esta pequena discordância, gostaria de manifestar minha simpatia pelas tuas posições contundentes mas necessárias que tomas aqui no Blog, colocando os pingos nos “iis” e fazendo com cristãos e não cristãos compreendam que as opiniões e as verdades são tantas quantas pessoas existem na face da terra. E muitas vezes uma minoria tenta impor a sua verdade, que foi e ainda é o que acontece com o PIG, com sua suposta “opinião pública” única e que tu e outros tantos tão bem desmascaram aqui nas redes sociais.
    Boa festas
    Um abraço

  • Edu, essa reflexão sobre o lado hipócrita do natal é válida, sem dúvida. Mas você é um dos cidadãos que não padece desse mal, pode ter certeza.
    Vá comer sua rabanada com a consciência tranquila cara!

  • Edu, obrigado pelo seu texto nesta véspera de Natal. Ele nos remete a uma séria reflexão…
    Um grande abraço e um SANTO NATAL a você e à sua belíssima família….!

  • Que em 2012 possamos encontrar o blog cidadania sempre nos dando um norte para não desistirmos da luta por um Brasil mais justo e auspicioso, principalmente para os menos favorecidos que, uma vez incluídos social e economicamente, possam contruir um país melhor para as futuras gerações. Feliz Natal Eduardo.

  • Prezado Edu e Família, Feliz Natal ! Que nesta data máxima da Cristandade Universal, que o vaso de bênçãos sobrecaiam sobre Você e Familiares todos os dias de vossas vidas. Do fundo da minha alma, desejo-lhes muita saúde….Paz e Prosperidade. de Belo Horizonte

  • Fora de pauta: Energia elétrica-Investimentos (Mais 10 parques eólicos para Aracati-CE)

    Empreendimentos serão realizados através da empresa Alupar Investimentos em consórcio com a Furnas.

    O Ceará continua sendo palco para investimentos na área de geração de energia. Depois da já instalada MPX Energia no município de Tauá, com a geração de enegia solar, a empresa Alupar anuncia que, através do consórcio com a Eletrobras Furnas – subsidiária da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. – Eletrobras, pretende construir dez parques de geração eólica no município de Aracati.

    Os investimentos, segundo a empresa, giram em torno de R$ 800 milhões. Nesta sexta-feira (23), o conselho da Alupar Investimentos aprovou a quarta emissão de debêntures (títulos privados) da companhia, no valor de até R$ 202,5 milhões.

    De acordo com a reportagem da Folha de São Paulo, os recursos obtidos com a operação serão utilizados para refinanciar empréstimos e para reforço do capital de giro da empresa. A previsão é de que sejam emitidos até 20.250 debêntures, com valor unitário de R$ 10 mil e vencimento em fevereiro de 2018.

    A distribuição será feita sob o regime de garantia firme de colocação para 15 mil certificados, enquanto as outras debêntures serão ofertadas sob o regime de melhores esforços. Com a visão de expansão dos negócios na América Latina, a empresa já anunciou que pretende investir US$ 70 milhões na construção de três pequenas centrais hidrelétricas na Colômbia.

    *Com informações da Folha de SP

  • Condenado infeliz é aquele que, olhando o mundo como ele é, não consegue abrir a alma para a verdade que é ver a escravidão a que se sujeitam pobres, em sua busca por um único prato de comida ao dia.

    Quanta tristeza ver um mundo onde pessoas cada vez mais, cultuam o individualismo, o ganho fácil e a vitória a qualquer custo. Pior ainda é vê-los, ao final de um pequeno sucesso, ínfimo até, apresentarem-se como de uma nova casta, as dos bens sucedidos, heróis do primeiro milhão.

    Que mundo é este que, até civismo e patriotismo já são artigos racionados, onde pais recorrem a livros de auto-ajuda para construir cidadãos de bem e onde professores, antes exemplos, são apresentados como símbolos de fracasso de uma sociedade até por alguns de seus governantes

    Que lamentável viver e conviver com estulticia daqueles que, para assim bem expiarem seus pecados particados no varejo, oferecem-se ao trabalho voluntário e se postam como beneméritos para uma sociedade permeada de desprovidos de caráter.

    Mas triste mesmo é a pessoa que precisa de um dia, ainda que Natal, para mostrar sensibilidade ao perdão, ao arrependimento e à tolerância. Para esta, infelizmente, o mundo já a tem como algo não mais que um vil animal e, também infelizmente, fez por mercer.

  • Companheiro Edu,

    Natal, na minha concepção não religiosa, significa amor e união com as pessoas que se ama como, por exemplo, pessoas da família e amigos.

    Sua família, ao longo desses anos, é uma família que aprendemos a amar e respeitar como as pessoas que estimamos.

    Bom natal a toda a sua família. É o meu desejo sincero.

    William Mendes

  • Eduardo, não poderia deixar passar tão especial data para agradecê-lo por tanto quanto tens defendido os nossos direitos, reivindicados nos seus contundentes textos.
    A cada texto você se avoluma num crescer frenético brigando pelo mais autentico direito que nossa constituição nos resguarda.
    Obrigado por tudo, companheiro.
    Tenhas um Feliz Natal junto aos seus.
    Que 2012 cheguemos ao alto da montanha tendo em punho a bandeira dos nossos anseios.

  • Vejam o que o NUNCA DANTES fez:

    ‘Oásis’ global, Brasil ‘importa’ mais e ‘exporta’ menos trabalhadores

    Retomada do crescimento e resistência contra crise global de 2008 e à volta dela em 2011 invertem fluxo de pessoas que cruzam fronteiras do país. Número de brasileiros no exterior cai pela metade e o de imigrantes, sobe 50%. Portugueses e espanhóis em fuga de Europa decadente se destacam. Imigração ilegal também avança.

    Najla Passos

    BRASÍLIA – Houve um tempo em que os jovens brasileiros, pressionados pela falta de oportunidades no país, sonhavam em ganhar a vida nos Estados Unidos, mesmo que, para isso, precisassem arriscar a própria vida para cruzar, ilegalmente, a fronteira da maior economia do mundo.

    Hoje, essa é uma realidade cada vez mais distante. O crescimento econômico brasileiro, a crise internacional que assola a Europa e castiga até mesmo os Estados Unidos, além dos recentes desastres naturais no Japão, inverteram as estatísticas migratórias.

    Há seis anos, quatro milhões de brasileiros viviam no exterior, conforme estimativa do Departamento de Estrangeiros da Secretaria Nacional de Justiça do Ministério da Justiça. Hoje, acredita-se que esse número tenha caído pela metade.

    Dados do Banco Central apontam que o envio ao país de dólares mandados por brasileiros que vivem no exterior foi reduzido em cerca de 10% de 2009 para 2010.

    Em contrapartida, o número de estrangeiros que escolhem o Brasil aumentou cerca de 50% de 2010 para cá. Segundo o Departamento de Estrangeiros, até junho de 2011, eram 1,466 milhão de estrangeiros vivendo regularmente no país, enquanto em dezembro de 2010, era 961 mil.

    Os estrangeiros que chegam ao Brasil atraídos pelas notícias sobre a boa fase da economia brasileira são, principalmente, portugueses e espanhóis bem qualificados profissionalmente, que deixam a crise das economias europeias para contribuir com o desenvolvimento brasileiro.

    Mas cresce também o número de estrangeiros que, pelos mesmos motivos, entram ilegalmente no país, em busca de emprego. Eles vêm da Bolívia, do Paraguai e, em condições mais precárias, do Haiti.

    Do ano passado pra cá, os portugueses aumentaram de 276.703 para 328.856 e, os espanhóis, de 58.505 para 59.322. Segundo secretário-executivo do Ministério da Justiça e presidente do Comitê Nacional para Refugiados (Conare), Luiz Paulo Teles Barreto, eles vêm para o Brasil exercer funções altamente especializadas, como na atividade de prospecção de petróleo. Entretanto, são trabalhos sazonais. “Eles passam um tempo no país e depois vão embora para outras terras”, afirma.

    Na sequência, estão os bolivianos, que aumentaram de 35.092 para 50.640; os chineses, de 28.526 para 35.265; e os paraguaios, de 11.229 para 17.604. Os bolivianos e paraguaios procuram melhores condições de vida em um país próximo e de economia sólida. “Eles exercem o direito humano à migração e vêm em busca de oportunidades”, explica. Já os chineses, ainda de acordo com ele, reforçam um fenômeno global, verificado principalmente com os países que mantêm boas relações comerciais com a China.

    Os haitianos, em número bem menor, fogem da miséria do mais pobre país latinoamericano, devastado por um furacão, em 2010, e por um consequente surto de cólera, este ano. Mesmo tendo que entrar no Brasil de forma ilegal, eles sabem que, aqui dentro, terão condições de vida muito melhores do que no Haiti.

    Apesar de manter suas fronteiras fechadas, o país jamais negou alojamento, refeição diária, trabalho e visto humanitário para os cerca de quatro mil haitianos que já cruzaram s fronteiras brasileiras, desde o ano passado. Entretanto, o país não possui uma política sólida que garanta abrigo a essa população.

    “O Brasil tem uma forte participação no Haiti. Mantém o maior efetivo da Força de Paz e realizou um jogo de futebol que foi fundamental na reconstrução da auto-estima daquela população. A notícia de que a construção da usina de Belo Monte iria empregar mais de 25 mil trabalhadores se espalhou naquele país devastado pela miséria, provocando a alta do fluxo migratório”, explica Teles Barreto.

  • Edu,
    Como bem indicou Nietsche:
    “…o último cristão morreu na cruz”.
    Acho que temos hoje apenas um arremedo de cristianismo, não o autêntico, que somente foi vivido pelo profeta Jesus de Nazaré, juntamente com alguns seguidores daquela época, mas foi abandonado imediatamente após a crucificação.
    O que temos hoje é uma hipocrisia coletiva incentivada por pessoas que se dizem “religiosos” e até mesmo se intitulam “santos”.
    Religião: Tô fora!

  • Bom Dia Caro Eduardo Guimarães!
    Nossa… Aprendi tanto contigo neste ano de de 2011. Quero de coração agradecer por isso. Cada post publicado por ti, transformava-se em tarefa diária de reflexão. Meu Deus… E como tenho refletido e, até mesmo sofrido, por que não é fácil tornar hábito o ato de se questionar sobre tudo a nossa volta. Saiba Senhor Eduardo que o considero meu professor que mesmo a distância, tem sabiamente preparado a minha alma – e, certamente a de tantos outros leitores – para as “coisas do mundo”, um mundo que assusta a primeira vista, mas que se observado com a dignidade que nos cabe, revela-se encantador. Então, quando estiver se sentindo sufocado pela revolta, lembra-se das centenas (ou milhares) de “aprendizes” que assim como eu, esperam anciosamente pela próxima lição. Feliz Natal!!

  • Caro Eduardo,
    Sua reflexão é muito pertinente quanto ao perdão, mas como diz um poeta: “Perdão foi feito prá gente pedir.”
    Assim, como perdoar essa gente que, além de terem cometido os ‘pecados’, os mal feitos, enfim, uma grande roubalheira contra pessoas pobres e necessitadas, ainda teimam em se justificar, como se não tivessem praticado tais ‘pecados’? Não consigo distribuir perdão aos que devem prestar contas à Justiça.
    Por outro lado, mesmo não sendo crente, não deixo de compartilhar as festividades, em respeito aos sentimentos e crenças dos demais seres humanos.
    Frequento sempre seu blog, embora não seja um comentarista. Deixo meus parabéns, e os desejos de felicidades!
    Alirio.

  • Edu, a muitos anos tem nos presenteado diariamente e incansavelmente com suas reflexões. Feliz Natal a você e a sua família que é verdadeiramente uma família, por que tem exemplos a serem seguidos e não aenas palavras.
    Envio uma reflexão sobre o perdão de Leonardo Boff:
    “Perdoar é tirar quem nos ofendeu de seu enquadramento de ofensor.Ele, como pessoa, é mais que um ofensor. Possui potencialidades que podem e devem ser resgatadas. Por isso, perdoar é tirá-lo de sua solidão de produtor de ofensas para transformá-lo em ser de comunicação e de amorosa amizade.”

  • Edu, o perdão, antes de mais nada, é um ato de coragem ,,, só os fortes perdoam ,,, os fracos se vingam. Você, faz parte dos fortes. Parabéns pelo texto, maravilhoso.abs

  • Edu querido: um natal maravilhoso e um ano novo cheio de felicidade e vitórias para ti e tua linda família.Te admiro demais, companheiro cidadão. Beijo.

  • Em minha opinião o perdão deve ser dado a falhas e erros sem dolo ou sem consciência do erro. Porque para crimes premeditados, com dolo, o perdão significa impunidade, o que não é admissível. Não sei se estou me desviando do foco do post, porisso peço perdão, se for o caso. E aproveito para levantar uma suspeita de crime nesses incêndios de favelas em São Paulo, porque é muito estranha essa sucessão de incêndios, sempre em São Paulo. Não vejo notícia de incêndios em BH, nem no Rio, Salvador, Fortaleza, Porto Alegre, etc,etc,etc,etc.
    Aproveito para desejar a vc e a todos de suas relações muita saúde, felicidade e paz, e com ânimo redobrado para suas ações contra essa mídia bandida que domina o noticiário do país, que não merece nosso perdão.

    • Miguel:

      Vc não está sozinho, cheira mal esse fogo. Tem acontecido demais nas moradias paulistanas carentes.
      O PHA andou batendo bastante nisso. E até uma década atrás, eu era corretora de imóveis em Sampa, girava por tudo e nunca ouvi falar de incêndio “proletário”.
      Tudo de bom também para vc, um 2012 de alegrias indescritíveis.

  • Especiais

    ——————————————————————————–

    Centro de Eventos será autossustentável, diz Cid

    Publicado em 24/12/2011 – 3:57 por Egídio Serpa

    Categorias: Turismo

    Quem visita a obra de construção do Centro de Feiras e Eventos,m em construção pelo Governo do Ceará na Avenida Washington Soares, fica com a certeza de que a história do turismo do Ceará passará a ter duas etapas: a de antes e a de depois de sua inauguração, prevista para maio.

    E faz esta pergunta: como será a gestão do Centro?

    Com a palavra o governador Cid Gomes:

    “O Centro será autossustentável. Vamos terceirizar as lojas e os restaurantes e, também, a área de estacionamento de veículos. E gerenciaremos a pauta dos eventos e das feiras, cujos preços de locação incluirão o uso dos equipamentos de última tecnologia de que o Centro disporá. Gratuidade será palavra proibida”.

    O Governo do Estado ´vai publicar edital para a elaboração de uma Parceria Público Privada para garantir a geração de energia a gás para o Centro de Eventos.

    Tags: Centro de Feiras e Eventos de Fortaleza, Cid Gomes

Deixe uma resposta