Mídia domesticada aceita censura no Pinheirinho sem reclamar

denúncia

Desde o último domingo, pessoas que residem no Pinheirinho vêm me enviando mensagens privadas pelas redes sociais, por e-mail e via comentários aqui no blog. Tais mensagens contêm relatos de violências indiscriminadas que a Polícia Militar estaria praticando em sua operação de “reintegração de posse”.

Infelizmente, nenhuma dessas pessoas aceitou se manifestar publicamente ou ter seu nome divulgado. Sem isso e sem informações objetivas sobre quem são as vítimas fatais e não-fatais da operação de “reintegração de posse” do último domingo, torna-se impossível ajudar.

Todavia, conversa por telefone com um morador de São José dos Campos pode servir ao menos para indicar o caminho que deve ser tomado para se chegar à verdade, pois as denúncias sobre mortos e feridos graves só fazem aumentar.

Basicamente, o que me foi dito é que haveria “milhares” de testemunhas de ataques a bala e espancamentos, alguns dos quais com resultados fatais.

Perguntada por mim sobre como é possível que tanta gente tenha visto tudo isso e que não apareça ninguém que diga quem são as vítimas, a fonte diz que quem viu o que aconteceu ou até quem foi vitimado não fala sobre o assunto porque a PM estaria ameaçando quem “vazar” alguma coisa.

É evidente que pode se tratar de alguém que esteja querendo pressionar o governo do Estado e a própria polícia a terem mais cuidado com a operação, já que casos de violência excessiva já se tornaram públicos até em vídeos, porém sem conter nenhuma prova de que algum ataque tenha ocorrido por outros meios que não sejam uso de gás e de balas de borracha.

Contudo, imagens de policiais militares usando luvas de borracha e empunhando pistolas também já se espalharam, o que sugere que podem ser pistolas letais, pois é claro que empunhá-las com as mãos enluvadas só se justifica se for para não deixar impressões digitais nas armas ou resíduo de pólvora nas mãos.

Há até relatos em áudio feitos por testemunhas que viram pessoas gravemente feridas (algumas seriam crianças) dando entrada em hospitais de São José dos Campos, mas nada de nomes.

É impossível receber esses relatos e não reproduzir nada. Até por conta da falta de transparência do governo do Estado comprovada por matérias em sites e portais da grande mídia que afirmam que a PM está impedindo o livre acesso dos jornalistas aos acampamentos de despejados ou ao IML, por exemplo.

A polícia diz que está impondo censura para impedir comoção e levantes da população que poderiam ocorrer devido à presença de jornalistas, o que é uma barbaridade. O Brasil não está em guerra e o trabalho da imprensa é crucial para dirimir as dúvidas sobre se ocorreram ou não assassinatos, espancamentos e outras formas de abuso.

Segundo a minha fonte, apenas a Globo consegue alguns privilégios de acesso às áreas censuradas por ser considerada “confiável” pela PM. Como essa emissora adotou uma postura de defesa aberta de um lado e de supressão das denúncias do outro, a situação se torna ainda mais obscura.

A passividade da grande imprensa diante da postura do governo de São Paulo de não lhe permitir acesso livre à região, é incrível. Não se entende esses órgãos de imprensa aceitarem que a Polícia conduza seus repórteres só aonde ela quer, como se estivessem em uma excursão. Justo a grande imprensa, que vive falando em “censura”.

Nesse quadro, é lícito espalhar as notícias sobre mortos e feridos graves, ainda que sempre no condicional. Tanto é lícito que artigo publicado no diário britânico The Guardian noticiou as denúncias de mortes nessa operação específica da Polícia Militar de São Paulo, exatamente como vem fazendo este blog. O texto no jornal inglês, aliás, deu informações que o Jornal Nacional escondeu e ainda criticou a grande mídia brasileira.

Veja tradução livre que fiz de trechos do artigo do The Guardian:

—–

(…) Até sete mortes foram relatadas, incluindo a de um bebê, embora nenhuma delas tenha sido confirmada oficialmente (…) Durante todo o dia [ domingo], a mídia corporativa do Brasil, que tem ligações históricas com o partido no poder estadual, relatou a história em tons suaves. As manchetes destacavam a van de uma TV que fora incendiada enquanto ignoravam as casas em chamas da população (…) Em lugares como Irã e Egito, a mídia social tem funcionado como uma ferramenta contra o controle estatal da informação. No Brasil, tem ajudado a contornar um monolítico setor de mídia privada, que é sub-regulamentada e altamente concentrada (90% da indústria está nas mãos de 15 famílias). Como outros meios de produção e circulação de informação tornaram-se mais facilmente disponíveis, a mídia corporativa do país começou a perder credibilidade. Os meios alternativos foram veementes em sua condenação do Governo do Estado de São Paulo no último domingo, e com razão (…)

—–

A única forma de se saber a verdade e de acabar com as especulações, portanto, é o governo do Estado de São Paulo suspender imediatamente a censura que mandou a sua polícia impor e passar a garantir o livre acesso de juristas, imprensa, parlamentares etc. a qualquer parte daquela localidade, sem exceções.

Além disso, o governador Geraldo Alckmin tem obrigação de ir ao Pinheirinho, diante da imprensa, ouvir comissões de moradores e  garantir proteção a quem aceite formalizar denúncias concretas. Essa, aliás, é a condição da minha fonte para se identificar. E diz que também é a condição das famílias das vítimas fatais.

Na falta do governador do Estado de São Paulo, se for o caso, poderia ser formada uma comissão de alto nível integrada por juristas, políticos, jornalistas, religiosos, movimentos sociais e sindicatos. Essa comissão se instalaria na região ininterruptamente a fim de acompanhar a “reintegração de posse”. Mas Alckmin teria que dar permissão…

Para finalizar, quero enviar um recado a quem estiver no Pinheirinho e dispuser de algum dado concreto sobre vítimas e abusos – e quando digo dado concreto, é relato de casos contendo dia, hora, lugar e, sobretudo, nomes. Qualquer informação que quiserem me passar, só será divulgada com a anuência do informante.

—-

Novo vídeo do Massacre do Pinheirinho

—–

—–
Vídeo de agressão imotivada de policiais


—–

Leia a íntegra do artigo publicado no jornal The Guardian

Via blog do Sociólogo Ruda Ricci

A luta contra o despejo do Brasil Pinheirinho pode ser uma inspiração

guardian.co.uk , Terça-feira 24 de janeiro de 2012 GMT 15,23

A fotografia se espalhou pelo mundo rapidamente: mostra os moradores do Pinheirinho, favela no estado de São Paulo, vestindo capacetes, escudos e barricadas para resistir a uma ordem de despejo. (…)

Pinheirinho foi ocupado por oito anos, sem nenhum esforço do governo para regularizar a área ou desenvolver uma infra-estrutura adequada. Lar de cerca de 6.000 pessoas, a terra pertence a um fraudador do  mercado financeiro, preso em 2008. Estimulado pelo boom imobiliário do Brasil, a administração local tornou-se recentemente ativo na prossecução do despejo, com a cumplicidade de juízes que pareciam querer que isso acontecesse o mais rápido possível.

Depois da primeira imagem do despejo ser divulgada, o governo federal prometeu intervir através da compra de terra e devolvê-la para os ocupantes. Pelos fundamentos expostos, um juiz federal suspendeu o despejo, apenas para ser rapidamente anulado por um outro, que declarou ser uma questão de estado. O Poder Judiciário estadual, em seguida, agiu rápido antes que os advogados dos favelados ‘ pudessem reagir. No domingo, as redes sociais estavam zumbindo com relatos de guerra, como cenas de brutalidade e contos, incluindo a proibição da mídia e bloqueio de celular na área, além de rumores da possível detenção de um deputado federal e um senador que tentaram intervir (mais tarde foi esclarecido que não foram detidos, mas estavam num local fechado, tentando negociar). Até sete mortes foram relatadas, incluindo um bebê, embora nenhum deles confirmado oficialmente até o momento.

Foi principalmente graças aos meios de comunicação social que informações sobre os despejos pôde ser encontrado. No Twitter, a hashtag # Pinheirinho se tornou um top durante um par de horas. Durante todo o dia, a mídia corporativa do Brasil, que tem ligações históricas ao partido no poder [em SP], tanto em nível estadual e local, relatou a história em tons suaves: manchetes destacando uma van incendiada enquanto relevava as casas das pessoas em chamas.

Em lugares como Irã e Egito, a mídia social tem funcionado como uma ferramenta contra o controle estatal da informação. No Brasil, tem ajudado a contornar um monolítico setor de mídia privada, que é sub-regulamentada e altamente concentrada (90% da indústria está nas mãos de 15 famílias). Como outros meios de produção e circulação de informação tornou-se mais facilmente disponíveis, a mídia corporativa do país começou a perder credibilidade. Os meios alternativos foram veementes em sua condenação do Governo do Estado de São Paulo no último domingo, e com razão. Mas em outra parte da esquerda política há indícios de dissimulação.

O quadro mais amplo por trás da história Pinheirinho é boom econômico do Brasil, em que a construção e a propriedade estão jogando um papel crescente. Este processo foi acelerado pelo Brasil ser escolhido como sede da Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016. Um dossiê produzido pela Coordenação Nacional de Comitês Mundial estima que cerca de 170.000 pessoas em todo o país serão expulsas devido à eventos esportivos (os números oficiais nunca foram anunciados). Em última análise, significa o estado entregando áreas públicas – aquelas ocupadss pelos pobres -, enquanto contribuintes bancam todo o processo. Talvez o pior caso até agora tenha sido no Rio , onde os despejos têm sido tão autoritários e unilaterais como a do Pinheirinho, espetacularmente militarizados. Em comparação, as vozes na esquerda têm sido muito mais baixas para denunciar isso.

O desenvolvimentismo que caracteriza o governo de esquerda Rousseff, com sua ênfase no crescimento econômico e indicadores quantitativos em vez de participação proteção ambiental e redistribuição da riqueza, encontra-se em um impasse político. Muitos na esquerda têm encontrado dificuldade para articular uma crítica desses processos. Há agitações que sugerem que isso pode estar mudando, como as campanhas recentes contra a Petrobrás (empresa estatal de petróleo), Vale do Rio Doce (mineração) e construção da usina hidrelétrica de Belo Monte. Eles são pequenos sinais, até agora ainda um pouco isolados, mas pode ser o começo de algo. Se assim for, Pinheirinho poderia revelar-se uma lição, uma acusação e uma inspiração.

111 comments

  • Não tem como esconder as mortes se é que ocorreram.

    Num mundo cheio de cameras e celulares mesmo que a policia apreenda não tem como não aparecer.

    Especialmene sabendo que existe interesse em que realmente apareça um martir.

      • Liberais SEMPRE foram facistas no fundo.

        A “liberdade” que defendem é o dos capitalistas. Sempre foi. Desde a revolução francesa. E antes dela.

        E facismo nada mais é do que a organização política, jurídica e social tendo um grupo – geralmente o dos capitalistas – no topo da pirâmide (os “iluminados”) para “conduzir” os demais que devem serví-los e “saber o seu lugar”.

        Um caminha em direção ao outro. Uma acha que os ricos são melhores e mais preparados e o outro defende que os mais preparados e melhores devem dirigir toda a sociedade.

      • A ideologia queimou seus neurônios , foi um malabarismo intelectual para conseguir ver fascismo nas três frases que comentei, que apenas coloca em duvida a possibilidade de se ocultar mortes no pinheirinho.

    • Precisa de martir ainda? O exército dos trolls está se apegando a qualquer detalhezinho pra tentar desviar o foco. Vendo reportagens na TV eu me lembrei de filmes em que os nazistas simplesmente tiravam as pessoas de suas casas e as amontoavam em campos de concentração. Quem tem vergonha na cara, mesmo que seja um direitão, não se presta ao papel de tentar defender a ação do governo nacional socialista paulista, a menos que tenha intere$$e$ nisso. Vai dormir num colchão jogado no meio de uma quadra esportiva pra ver como é legal.

      O governo Nacional Socialista Bandeirante criou uma multidão de sem teto da noite para o dia e agora vão tentar empurrar este grupo de seres humanos de lá pra cá como se fossem gado.

      Repito: quem tem um mínimo de vergonha na cara não se presta ao papel de defensor desta corja que se apoderou do poder em SP. Nem no tempo da ditadura, que incluiu o governo Maluf, eu vi semelhante descalabro. G. A. deveria ter vergonha na cara e renunciar de vez, porque assumiu publicamente que seu papel é apenas o de “cumprir determinações judiciais”. Ou seja: o Açougueiro do Pinheirinho não manda nada, quem manda no Tucanistão agora são os juízes. O Açougueiro do Pinheirinho é apenas testa de ferro.

      Ainda bem que Deus e o eleitorado livraram o Brasil desta desgraça em 2006 e 2010.

      • “Vai dormir num colchão jogado no meio de uma quadra esportiva pra ver como é legal.”

        Colchão?

        Tem muita gente lá que agora adoraria ter um…

        Esse é o governo da direita, para a direita e pela direita.

        E os tukkkanos bradam: PSDB ubber alles!

    • Uncle Sam’s boy, vc não dá uma dentro, toda vez que vc fala uma besteira destas, vc leva uma surra da galera aqui. Vc é masoquista por acaso?

    • Como dizia minha avó (querida), DEU NA VISTA. E deu na vista não somente aqui,como vimos. DEU NA VISTA na Inglaterra,que há pouco tempo,prendia,fechava ,investigava e punia,esse mesmo tipo de mídia.O método é o mesmo da ditadura,quem não sabe? Então ainda não nos livramos dela? DEU NA VISTA que não.WLADALSCKIMIN,o EMPALADFOR DA DEMOCRACIA,puxou para SP a difícil tarefa de fazer renascer a DITADURA? Bem aos moldes de 64? Com o esforço,reforço e contorcionismo da mídia corrupta e golpista? Parece que os iguais sempre andam juntos. A Justiça de SP vai assumir em conjunto esse ato ditatorial? Então a JUstiça e o Governador de SP são ditadores.E NÓS,DOS OUTROS ESTADOS,VAMOS DEIXAR QUE SP MOSTRE AO MUNDO QUE BATE,QUE DESALOJA,QUE PROIBE QUE AS PESSOAS VEJAM O QUE LÁ SE PASSA,QUE DESONRE O NOSSO PAÍS? E O GOVERNO FEDERAL,NÃO VAI INTERVIR E CHAMAR AS FALAS Wladaslckimin,a juíza,o diabo a quatro?E essa Polícia truculenta,quando vai se decidir a responder PARA QUEM TRABALHA? O governo de SP militarizou 40 subprefeituras,colocando nelas,comandantes e ex comandantes da PM paulista.Para que,Alckimin precisa de tanta força? Porque só quem é covarde e faz atos contra seu povo,deve temê-lo.Sua consciência pesa?Digamos que pesaria,se a tivesse.Isso é um ato de militarização.Estão se chegando devagarinho,OCUPANDO,como a polícia de Hitler,depois executada,ordem dada pelo próprio mantenedor.TODO PODER EMANA DO POVO…mas o trecho “e em seu nome será exercido” ?Onde ficou senhor governador?Nas urnas. O PODER A QUALQUER CUSTO,senhor apadrinhado da OPUS DEI.Diria que como OBRA DE DEUS,não gostaria de conhecer as do diabo.Estão achando que peguei pesado trolls chocadíssimos e chatérrimos de sempre?Pesado pegou o bispo de Guarulhos.Tinha outro MAL…a sfalas…aos berros,por que “Deus” é surdo a ele?.ONDE ESTÃO OS HIPÓCRITAS hoje,que as famílias estão sendo jogadas no olho da rua?Favorecendo o capital, espanca-se o social? Nem um berro? Nem uma virgula? Um santinho?Talvez aquelas não fossem famílias de Deus?Por estarem do lado pobre?E COM POBRE,TUDO PODE? Todos os ingredientes,se contar Naji,o delinquente conhecido,apoiador de golpes,inclusive contra o erário público.Vide Privataria Tucana.NAJI NAHAS,se justiça houvesse e não se comprasse,estaria trancafiado,junto com a família Serra,FHC,comparsas,banqueiros e capangas.Ou seja,o governo de SP preferiu,mais uma vez,DEFENDER O INTERESSE de Naji Delinquente Notório NAHAS,em detrimento do povo.BRAVO,BRAVÍSSIMO! As máscaras começam a cair.Os iguais se protegem.Assim como a Justiça de SP,que também teve pressa de exercer seu poder a favor do NOTÓRIO DELINQUENTE,que é PROIBIDO DE OPERAR NA BOLSA DE VALORES DE 40 PAISES.Os outros talvez ainda não o conheçam….DEVO DEDUZIR que os juízes de SP não sabem quem é o elemento em questão… ou talvez,saibam demais…sabe-se lá.Se esses atos ditatoriais prevaleceram,com a conivência da mídia,da justiça,da igreja,de setores empresariais e o povo paulista …estará nas mãos do povo brasileiro.O ensaio foi no mínimo,uma pequena amostra do que são capazes.Matemos a serpente antes que coloque muitos ovos.Caminhamos uma parte da estrada.Ainda não punimos os assassinos de ontem. .Ainda não contamos a verdadeira História para as crianças,nas salas de aula.Ainda não demos nomes ao verdadeiros golpistas,dos torturadores,dos assassinados.Não aceitaremos um remake.O método de esconder os nomes,de cortar a comunicação das pessoas (ISOLAR),como em cárcere, (diz daí imprensa vendida! Isso não é censura?)Ainda somos um país de mentira,porque os mentirosos ainda dão algumas cartas,ASSSIM COMO ALGUMAS CARTADAS, BUT, DEU NA VISTA. E nós estamos de olho. OBS: Para a população inerte e os trolls de plantão,uma pergunta:QUEM acredita SEM PROCURAR EVIDÊNCIAS,sem compovação crível, É MANIPULADO. Quem apóia e acha correto bater em qualquer ocasião,assim a granel…na cracolândia,na USP,Pinheirinho… Não É MANIPULADO.É CÚMPLICE!?

    • Especialmente sabendo interesses em que haja um mártir”.Isso é seu pensamento.Tu pensas assim e por consequêcia,pensas que penso assim?Sua afirmação é no mínimo cínica e mostras que não acreditas que pessoas ainda não gostam de ver pessoas apanhando,ainda,apesar da minimização dessa mídia porca,não aprenderam a ver com indiferença,pessoas sendo violentadas nos seus direitos,muito menos mortas..O que o mundo te fez,oumelhor,o que fizeste para mudar isso?Por isso ficas tentando bancar o Sherlock da mente dos outros.Mova-se e ajude.Ou cale-se para sempre,seu chato.

  • A mídia não se intitula como defensora da liberdade de imprensa? E agora, como vai ficar? Dizem que não estão deixando nem deputados entrarem lá. Isto não pode. Como pode barrar algum deputado de entrar? Um deputado é membro de um poder, que se chama Legislativo. Nem na ditadura isso aconteceu. Está na hora dos deputados provocarem o STF. Isso fere completament a Consntituição, não só o ato de barrar jornalistas, bem como algum deputado.

  • Edu,
    Não me conformo com o silencio do Governo Federal, a declaração do Sr. Gilberto Carvalho é no mínimo um escárnio, ontem enviei mensagem para a Presidenta Dilma, atraves do Blog do Planalto, apelando pelos brasileirinhos que lá se encontram, resposta NENHUMA, a Conceição Lemes do Viamundo tb está fazendo denuncias da impossibilidade de acesso aos locais de abrigo e aos desabrigados. Deixa ver se estou entendendo: a população de SJC está SITIADA!!!!

  • São Paulo é um Estado Sem Direito….para os pobres, pretos, putas, homossexuais e outras minorias. Se fosse aqui no Nordeste esse massacre? como seria tratado pela imprensa paulista/carioca – todos eles com notórias ligações com esses nojentos tucanos?

  • Gente, essa imprensa tea podre!

    Esconde lançamentos de Livros importantes, sonega informações relevantes para que os cidadãos possam se posicinar com relação aos políticos safados, enfim essa imprensa tá poder.

    Controlar

    A Privataria Tucana

    Pinheirinho

    Metro

    Paulo Preto

    Narcótico

    CDHU

    Eduacação

    Justiça

    Serra

    Kassab

  • Se tivesse algum morto este já teria aparecido não? a estratégia dos petistas é sempre a mesma! se apropriar da dor alheia pra lhe render dividendos eleitorais. Continuo aguardando o aparecimento de algum corpo ou de algum grave ferido! BALELA

    • Que lógica rasteira…

      “Se tivesse algum morto este já teria aparecido”. Os Trolls que aparecem por aqui pelo menos tentam justificar suas afirmações com sofismas mal-arranjados. Esse aí, nem isso. O nível dessa gente está ficando cada dia pior.

      Fica esperando aparecerem os corpos. Até hoje tem cerca de 6 milhões de corpos de judeus mortos sob o nazismo por aparecer. Segundo essa tua lógica estapafúrdia, nada do que se narra do holocausto nazista deve ter acontecido…

      Faça-me o favor…

    • o seu ROD não sei de que deixa de ser cinico, se não tem corpo e não tem feridos graves porque a censura, quem não deve não teme.. ha ja sei voce é mais um da turma do nahas. Desejo para voce em dobro tudo o que aconteceu naquele local.

    • Rod (será de rodinha?), voce não passa de mais um desses lacaios facistas do PSDB/DEM. Teria que haver mortes e aparecer algum corpo pra comprovar mais esse episódio desastrado desse governo tucano? Será que pra voce não basta essas imagens? Ora, vá se lascar!!!

    • Que vergonha, ô cara!
      Até o insuspeito The Guardian reconhece que a mídia predominante no país esconde a verdade porque apóia os partidos direitistas que estão no poder em São Paulo.
      É essa a “democracia” da direitalha, bobalhão?
      Com essa se arrebentaram de vez. Nem em São Paulo vão ganhar nas próximas eleições.

    • E precisa de morte pra estar errado, Zé Ruela?

      Pra vc, que só pensa em si mesmo e se orgulha de ser desumano, se importar com a dor alheia e denunciar uma barbaridade como a que foi feita é “buscar dividendos eleitorais”.

      Pra isso, só cabe uma resposta, mas eu não posso dá-la aqui. Então, vai uma versão light dela: vai catar coquinho.

  • O governo de São Paulo é o exemplo tipico de governos que agem à margem da lei.No caso do governo de São Paulo,especificamente,com as bençãos da midia vagabunda e delinquente,comprada que foi por nove milhões de reais retirados dos cofres públicos paulistas,em detrimento de investimentos que possibilitariam uma melhor qualidade de vida para as populações carentes.Para o governo fascista de Geraldo Alckmin,a politica social é aquilo que se viu domingo em Pinheirinho,ou seja,cassetete,balas de borracha e gás de pimenta.Alias de governos do PSDB so se pode esperar a politica de ¨dor e sofrimento¨,como se pôde verificar no ultimo domingo.

  • GENTE! O caso Pinheirinho está no Supremo e o presidente do STF, ministro Cézar Peluso, precisa decidir se julga a liminar, que pediu a suspensão da operação de reintegração de posse iniciada no dia 22 ou se deixa para o Pleno do STF decidir; quer dizer, ele precisa resolver se vai decidir, agora, sozinho ou se vai esperar o término das férias forenses em 02 de fevereiro.

    Para dar uma forcinha, sugiro o envio de email para o ministro: [email protected]

    A notícia está na página do STF:

    http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=198129

    E no meu blog:

    http://www.scmcampinas.blogspot.com/2012/01/pinheirinho-recorre-ao-supremo.html

    Segue o texto do email que mandei para o ministro:

    Título do email: SOMOS TODOS PINHEIRINHO

    Exmo. Ministro,

    Tem o presente email a finalidade de solicitar a Vossa Excelência o julgamento da LIMINAR no Mandado de Segurança 31120 impetrado, ontem (23/01), pela Associação Democrática por Moradia e Direitos Sociais de São José dos Campos (SP), a fim de que seja determinado à Polícia Militar do Estado de São Paulo e à Guarda Municipal de São José que suspendam IMEDIATAMENTE a desocupação da área denominada “Pinheirinho”, cuja posse é reclamada pela massa falida da empresa Selecta, mas que vinha sendo ocupada, desde 2004, por cerca de 1.300 famílias sem teto.

    A operação de reintegração de posse, iniciada no dia 22, de forma violenta, em meio a conflito de competência entre as Justiças Estadual e Federal, feriu direitos fundamentais dos moradores de “Pinheirinho”, colocando milhares de pessoas – entre elas, crianças, idosos e portadores de necessidades especias – em situação de risco social, moral, físico e psíquico.

    A DECISÃO sobre a suspensão desses atos perpetrados pelo Poder Público, que atentam contra a dignidade da pessoa humana, não pode aguardar o término das férias forenses em 02 de fevereiro, já que patente o “periculum in mora”.

    Contando com a compreensão de V. Exa.,

    Atenciosamente,

    Nome
    Profissão
    (RG. *** )

    • URGENTE: Eu mandei 2 emails: “cpeluso” e “cezarpeluso”.

      Como só “cezarpeluso” foi devolvido e, considerando que os tribunais, regra geral, trabalham com iniciais (nome+sobrenome), achei que tudo estava bem.

      Ocorre que, há pouco, recebi a informação (fonte confiável) de que o email correto é: “macpeluso”.

      Então, reenviei a mensagem. Sugiro que os interessados enviem para os dois:

      [email protected] e [email protected]
      VALEU!

  • O mais assustador é que pensaram em tudo, nos minimos detalhes,segundo Conceição Lemes,até o sinal de internet está cortado nas redondezas do local,quando houve a chacina do carandiru ,para despistar sobre o numero de mortos ,espalharam os corpos em necroterios distantes,segundo o Drauzio Varella ,há familias que nunca mais tiveram noticias de parentes presos e segundo relato dos presos o numero de mortos foi bem maior ,a policia de Sp ,conhece o knowhow de sumir com cadaveres.

  • O Geraldo Alckmin está tentando escapar dessa mas essa tragédia é como a questão da paternidade. A presunção é a de que o indivíduo que se recusar é o pai.

    Foi a decisão mais desastrada da vida do Alckmin. O mundo está de olho. Alckmin se ferrou.

    Quando a verdade aparecer vai acabar sobrando para a juíza que autorizou o ataque. Alckmin já está tirando da reta com a cobertura do TJ-SP, mas o presidente do TJ-SP não vai segurar o pepino sozinho e vai empurrar para quem deu a canetada. E eu vou achar é pouco.

    Vai chegar um momento em que o TJ-SP vai cansar de ficar trocando as fraldas do Alckmin.

  • Além da escancarada partidarização da mídia aos tucanos denunciada pelo The Guardin, chama atenção a constatação pelo diário britânico da frieza e quase indiferença das esquerdas em relação a fatos dessa natureza. Diz o jornal – numa tradução livre: “… as vozes na esquerda têm sido muito mais lentas em denunciar isso”.
    De fato, tá faltando PT nessa parada. Não o PT que está hoje no governo, mas o PT de outrora, aquele que não deixava fatos como esse passar em branco.

  • No texto do The Guardian, pode-se perceber que há uma tentativa de associação do caso Pinheirinho com o momento positivo que o Brasil atravessa, (COPA 2014, OLIMPIADA), dividindo a responsabilidade pelo ocorrido em S.Jose dos Campos, com os governos de Lula e Dilma. Fica a impressão que tais eventos são comuns no Brasil e, desse ponto de vista, o governo federal é o grande responsável. Passando ao leitor uma visão errada do que ocorre na realidade. Haja vista que o nome de Dilma e Lula aparecem no texto.

  • O que mais me assusta não é o silêncio da mídia, e sim da Dilma e do Lula !!! Parece que a dilma não vai fazer nada em nome da governabilidade, para não ofender a mídia nativa !!

    • Gabriela,acredito que o Lula não foi para Brasilia só para a posse do Mercadante em momentos assim é melhor agir com estrategia e moderação antes de sair falando,afinal houve uma quebra de hierarquia nas esferas judiciais,como o supremo tratará o tema?

    • Ha muito que ja sabemos e algumas lmportantes linhas sobre ^esquerda^.

      Desse episodio ,particularmente , fica a decepcao com Dilma. O possĩvel voto nela novamente passa longe do que leio aqui e ali.Vou observar atentamente a partir de Pinheirinho. Ate entao aceitei , mesmo insatisfeito, a CARA DO GOVENO. Minha indole nao permite que eu seja tao tolerante. Para uns e outros sempre havera desculpas. Eu nao funciono assim. Costumo raciocinar mais, coisa que nao tenho observado nos que defendem Dilma mesmo que a qualquer preco.

      No meu dia a dia tenho um comportamento , mesmo que me custe, que nao permite certas concessoes. Nao vejo porque com relacao ao governo tenha que mudar.

      E questao de indole Cada um , cada um.

      ( Estou com teclado provisorio e sem acentuacao.)

  • Não é apenas o governo paulista, este todos sabem como age com pobres, estudantes e favelados. Mas deixa claro que o governo paulista age casado com a Justiça paulista. Sim, a Justiça que criou o maior escarcéu para não ser investigado o seu tribunal e que se colocou acima da própria Lei.

    Não há surpresa nisso aí, Eduardo. Todos sabem, ao menos os que conhecem de História a maneira como a direita sempre atuou no país e de braço dado com a Justiça e a mídia. Todos sabem como a direita age, troca o errado pelo certo e o certo pelo errado, a qualquer momento quando os seus interesses forem estes.

    Não vai acontecer nada com SP ou sua Justiça, mas os grandes prejudicados serão estas pessoas. O máximo que poderá acontecer é o Brasil ser denunciado na OEA e na ONU sobre violação de direitos humanos. Mas não espere nada de indignação dentro do Brasil, esperemos aquilo que já sabemos, as distorções dos fatos pela imprensa e o governo paulista dizendo que é isto mesmo assim como a Justiça. Sempre foi assim, se o povo não começar a se indignar e se revoltar contra este sistema, terá sempre esta forma de conduta, infelizmente.E o que é pior, todos sabem do passado deste senhor Nahas e os seus interesses. Isto está acontecendo no Rio com Eike Batista, no interior, sobre desintegração que Azenha já mostrou e que se lascou foi o pessoal. Com eles não acontecem e não acontecerá nada, se o povo não acordar e fazer uma revolução.

    Não adianta, sociedades só se transformam com revoluções. Desconheço qualquer transformação na história da sociedade sem que o homem não tenham se rebelado contra as ações dos próprios homens. Não esperem nada de políticos, vão jogar conforme a foto.

  • Pra quem duvidava dos limites do governo do estado e todo o seu aparato militar, judicial e pior, do PIG, aí esta, escancarado, jogado em nossas caras, que essa “turba” não conhece quaisquer limites e desconhece as mínimas necessidades humanas. Revolta não é um termo que possa expressar o sentimento que toma conta de mim.
    Por fim, vai dando uma tristeza tão grande que eu não sei se essas “pessoas” tem algum resquício de credulidade em um SER supremo que a tudo vê e tudo sabe.
    A propriedade há que ser preservada e respeitada mas aquelas pessoas, naquelas circunstâncias, poderiam e deveriam ser tratadas com um mínimo de respeito e dignidade por todos os níveis do poder público.
    O Estado esteve e está ausente em todos os seus poderes, níveis, instituições e órgãos.
    A “imprensa”, como ela se auto intitula, simplesmente dá cobertura, esconde, falseia, distorce, inventa, mascara, entre outros tantos adjetivos, na vâ tentativa de jogar a sociedade contra os desvalidos moradores.
    Estamos vivendo, em São Paulo, sob a égide da barbárie e do Estado sem limites, quando se unem as forças mais retrógradas para demonstrar força e total desprezo pelo interesse público e social.

  • Reportagem do Jornal da Gazeta acaba de denunciar a censura à imprensa praticada pelos invasores de Pinheirinho. Para comprovar mostrou as imagens de PMs impedindo a repórter de entrevistar uma moradora. Também informou que os jornalistas só podem entrar no local em grupos com acompanhamento de PMs.

      • Não era num dos campos de concentração (chamado de Centros de Triagem) que a repórter tentatava entrevistar a moradora expulsa. A mulher estava sentada em algum lugar próximo ao que devia ter sido sua casa e o PM apareceu e impediu a repórter de continuar a entrevista. Imagens mostraram um homem quase em lágrimas ao falar que não pode levar seus animais (cães, gatos sei lá) e que a PM não lhe permitiu entrar nem para alimentar os bichos. Outra imagem mostrou uma geladeira sendo esmagada pela escavadeira que demolia tudo.

        Um descalabro. Esta corja que domina São Paulo conseguiu bater a ditadura em termos de monstruosidade. Deu saudade do Maluf!

        São Paulo precisa se livrar desta gente, porque senão o nosso futuro poderá ser negro.

        Alguém já os está chamando de “nazitucanos”.

    • Juro que quanto vi os Brasileiros do Pinheirinho identificados com aquelas pulseiras coloridas, veio a lembrança dos campos de concentração e os números tatuados. Ainda tenho esperança de alguma posição Federal (mesmo que tardia) quanto a esse absurdo cometido pelo Governo de São Paulo.

  • Consegui assistir só o final do programa Tema Quente na Rede TV com o Kennedy Alencar, creio que foi único que trouxe a público o enorme despreparo do governo estadual de São Paulo para tratar com assuntos sociais. O governador mandou o coronel pm para justificar o injustificável, repetindo o massante discurso de que a PM cumpre a decisão do TJ, tenta eximir aí o governador, comandante da Polícia Militar. O advogado dos Brasileiros do Pinheirinho Antonio Donizete e o próprio jornalista (para minha surpresa) colocaram o coronel em xeque algumas vezes sobre a ação de guerra que foi montada para retirar famílias de dentro de suas casas. Agora 19:48h no Jornal da Rede TV apresenta a cobertura, estilo mundo cão, mais longa que vi nesses dias.

  • Ontem,23.01.2012,por ocasião das comemorações pela Bolsa de número 01 milhão do PROUNI,A Presidenta Dilma, ao se dirigir a um grupo de alunos recém formados pelo Prouni, ouviu de uma aluna a seguinte frase:
    – Presidenta,eu sou filha de uma Lavadeira(de roupas) que tornou-se MÉDICA…
    O Brasil de nossos sonhos está se realizando, apesar desta elite nojenta e desse PIG safado e pilantra…

  • voltamos aos anos 70 da reprressão braba. é a mesma mídia daquela época. os governantes, também. tudo igual. se mal pergunto: e o MPF? por onda anda?

  • Episodios como esses,relatados aqui e na blogosfera progressista (ou blogs sujos),com respaldo de especialistas juridicos a referendar esses atos ,são,não só contra a democracia, mas também contra a figura humana ,me dirigem ao zumzumzum cada vez mais alto ,que setores da politica, imprensa e parte do judiciario estão a selar um novo cavalo do golpe,esse corte da internet ,que é toda privada,mediante a solicitação de autoridades é o que mais preocupa.

  • Olá, Eduardo!

    Os EUA fazem escola. Não há propriamente novidade na conduta dos chamados (aliás impropriamente chamados) meios de comunicação.

    Meios de ludibriação, surge-me o nome. Bem mais adequado do que o “original”.

  • Conforme post da MariaFrô, um negro foi torpemente espancado pela PM, já fora do pinheirinho, no acampamento improvisado.

    http://mariafro.com/2012/01/24/o-sucesso-da-acao-policial-no-pinheirinho-bomba-na-igreja-e-porrada-em-negro/

    Pelo que se vê, os pobres que foram escorraçados de suas casas estão confinados, sem direito de ir e vir e sujeitos à brutalidade comparável à da SS Nazista.

    Manter pessoas em cárcere privado é crime que recomenda prisão do governador e do comandante da PM e intervenção federal imediata nesta estado de merda.

    A única explicação que encontro para a desfaçatez dos reacionários é que estão testando as forças policiais equipadas com armamento pesado de contenção popular, provavelmente para sondar as possibilidades de uma futura tentativa de golpe.

  • Olá, Caro Eduardo.

    É o seguinte. Alguns professores do estado de SP estão tentando organizar uma manifestação em frente ao TJSP na segunda feira, por conta do julgamento em torno da lei 11.738/08 que rege sobre o piso e a jornada dos professores.

    1/3 desta jornada deveria ser fora da sala de aula, para que dedicássemos ao preparo de aula, à correção de provas e atividade e à nossa formação intelectual.

    O governo de SP, pra variar, descumpre a lei fazendo uma jogada aritmética e inventando um tempo qeu não existia para concretizar o 1/3 fora da sala de aula.

    Nessa jogada, nossa jornada continuou praticamente a mesma. O desembargador Antonio Celso Aguilar Cortez suspendeu, hoje, a liminar do sindicato qeu fazia valer a lei federal.

    Precisamos levar o maior número de pessoas possíveis a essa manifestação. Repudiar de vez esse faroeste que virou o estado de SP. E, também, defender a educação.

    Se puder nos ajudar, agradeço de coração.

    Abraços.

  • O primeiro video é de uma leviandade incrível. Espero que o autor seja processado, para que prove que o desembargador Capez foi até o bairro para dar uma carteirada na oficial da Justiça Federal. Eu não sou o desembargador em questão, mas se eu fosse responsabilizaria devidamente o autor do video.

    De resto, notaram que há um trecho que uma mulher diz que quer ganhar uma casa de graça (???)… Ora, de graça, eu também quero. Por favor, me incluam também na lista. Por que ela não vai trabalhar, como todo mundo, poupe dinheiro, economize, pare de desperdiçar dinheiro com celulares, tvs de plasma, carro, e toda essa quinquilharia eletrônica, tenha menos filhos, e aí tenho certeza de que o salário vai dar para comprar uma casa.

    Aliás, quanto a essa questão do excesso de filhos, esse é um outro problema premente no Brasil. Com tantos filhos, não há salário que dê jeito. Precisamos, portanto, de um planejamento familiar rigoroso. Do contrário, daqui a 10 anos, teremos de ver novamente a essa cena e vocês, mas uma vez, culparão os governos tucanos e defenderão cegamente o comportamento dessas pessoas.

    • Agora a tukkkanada defende a eugenia.

      Primeiro “estávamos apenas cumprindo ordens” – a defesa dos nazistas em Nuremberg.

      Depois, “se houver mortos, a culpa é do PT” – coisa de Goebbels.

      Os representantes da tukkkanada declaram, em alto e bom som, que seu lema é PSDB ubber alles.

      E agora, “pobre tem que ter menos filhos” – pura eugenia, mais uma ideia nazista.

      Só tá faltando o Heil Hitler.

      Pq o Anauê é brasileiro demais pra essa corja.

  • Meu Deus! Parece aquelas cenas das aldeias vietnamitas sendo dizimadas pelos americanos! Essa é que é a “turma do bem”? E queriam exportar essa lascança pra todo o Brasil? Vade retro!

  • Caro Eduardo
    Me permita, a mídia não é domesticada, ela domestica, faz parte do jogo dos capitalistas selvagens.Para quem quer ver um mundo melhor, ela deve ser considerada inimiga.Em nada diferente dos “rebeldes” da Líbia.
    O PSDB é um dos pés da OTAN-EUA no Brasil.Alckmin é um de seus representantes.
    Saudações

  • Edu,

    A PM sempre gostou de fazer agradinhos ao povo. Estudante, professor e pobre são os alvos preferidos. E de preferência quando os governadores são da Gestapo.
    Este episódio pode ser chamado de :O MASSACRE DO SERRA GENÉRICO

  • Definitivamente o partido psdb decretou a sua falência depois desse episódio Pinheirinho, pois até a mídia internacional está solidária com aquele pobres sofredores que foram tratados como animais ferozes, onde crianças foram atingidas com bombas e tiros. Tudo isso veio mostrar para os paulistas, para os brasileiros e para o mundo que tipo de partido queria mandar no Brasil, que tipo de política adotariam contra os excluidos, negros e nordestinos, pois isso tudo é exterminio, é fascismo e também confisco dos bens dos mais pobres em benefício dos poderosos.
    PSDB nunnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnca mais. Malditos tucanalhas, prisão pra vocês!!!!!!!

  • “O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou na tarde desta terça-feira que as famílias retiradas da favela do Pinheirinho, em São José dos Campos (97 km de SP), receberão até R$ 500 mensais para que aluguem casas, até que as moradias populares previstas pelo governo sejam construídas.”

    E aí eu pergunto: quem vai arcar com os custos, Naji Nahas -o benficiado pela expulsão dos moradores-, ou o contribuinte?

    Estou com muito nojo, estou revoltado. E isto só piora quando me dou conta que é com os impostos pagos por TODOS de SP que esta barbaridade foi perpetrada. PM para proteger o cidadão de bem não tem, mas PM pra defender os interesses de Naji Nahas tem.

    Abaixo o PSDB! Fora nazitucanos!

  • Tanto o Jornal da Record quanto o Jornal da Band mostraram há pouco as cenas revoltantes da expulsão dos moradores do Pinheirinho pela PM paulista.
    Alguém que tem estômago forte para assistir poderia me dizer o que mostrou a Globo no seu JN?

  • Meu caro Eduardo: Em SJCampos não há registros de mortos no conflito de reintegração de posse, apenas um morador foi ferido fora do acampamento e continua hospitalizado. Há muitos desabrigados (crianças, mulheres, idosos, doentes), cerca de 550 ex-moradores do Pinheirinho, que de forma precária estão na Igreja do Perpétuo Socorro, no Campo dos Alemães, próximo do local. Muitos ex-moradores estão, ainda, nos poliesportivos do Jardim Morumbi e no Vale do Sol, zona sul, próxima ao Pinheirinho.
    50% das casas já foram demolidas, surgindo amontoados de entulhos de toda espécie.
    Louva-se o trabalho do defensor público Jairo Salvador que exige da Prefeitura mais alojamentos disponíveis e ação mais eficaz em socorro da comunidade desabrigada.
    Discórdia, revolta, medo e ódio se tornaram vasto campo de contenda, um poço que brota a intolerância e a violência na cidade.

  • carro Eduardo

    Diante desse quadro trágico que as imagens revelam: milhares de pessoas sendo brutalmente desalojadas de suas moradias, mulheres, crianças, velhos e enfermos, só uma pergunta me vem à cabeça. Isso aconteceria se o Lula estivesse n a presidênc ia? Duvido. Por que a presidenta Dilma não baixa imediatamente um decreto considerando a área do Pinheirinho de interesse sociaL? Não entendo como possa continuar governando normalmente, com reuniões de ministério, posse de ministros, etc ., enquanto a população pobre de Pinheirinho – os pobres do LULA – são deixados à disposição da sandice de um governador treslocado e facista. Não há interesses de governabilidade ou harmonia administrativa que se sobreponha a esse massacre insano, por isso não enten do o silêncio da Presidenta. Ainda há tempo, pois não se suponha que essa lama também não respingará no governo federal . O povo tem pressa Presidenta, ousa o Lula e baixe o decreto, devolvendo a tranquilidade aos pobres de Pinheirinho. Esqueça o governo facista de São Paulo pois dele tudo se espera e não nos surpreende, pois é sabido que não tem coração e nem se sensibiliza com a dor e sofrimento dos pequenos.

  • “Polícia conduza seus repórteres só aonde ela quer”: isso e o que ocorre em qualquer zona de guerra enquanto que o psdb transforma sp na “casa da mãe joana” ou como se dizia antigamente, casa de putas onde só há sacanagens.

  • O Governo Federal falhou muito nessa tragédia, com medo de “polemizar” com Alckmin.

    Agora, pelo menos, é preciso que Dilma aloque uma verba emergencial para os moradores, talvez dentro do “Minha Casa Minha Vida”.

    Se essa verba emergencial não vier, será sinal de que Dilma levou mesmo a sério aquela afirmação que as divergências entre os partidos eram apenas eleitorais e que, fora da época de eleições, todos estavam em perfeita harmonia.

    • Se a Dilma falar algo, gente do tipo dos trolls que aqui perambulam e seus dominadores irão simplesmente dizer que estão atrás de dividendos políticos, já qu enão resolvem nada com palavras.

      Se a Dilma não fala nada, dizem que ela é omissa.

      A única solução é ela tomar uma atitude que resolva o problema e DEPOIS caia de pau em cima desses cachorros.

      Agora, como resolver essa questão? Minha impressão é que já estava tudo encaminhado, e o Alckmin resolveu melar o acordo pra ipedir o que seria uma BAITA vitória da Dilma. Ele preferiu segurar o rojão e ganhar uns pontos com a direitada viúva da ditadura que tem tesão de ver pobre apanhando – e tem de monte disso por aqui em SP, não sei no resto do país.

      Mas, como eu disse, é apenas impressão. Vai saber se ele apenas quis garantir que o Nahas conseguisse um melhor preço pelo terreno?

  • Um comentário à altura de Ricardo Boechat
    Para entender a razão de Ricardo Boechat ser um dos maiores formadores de opinião do país.

    Sensacional! Análise coerente e nitidamente sem nenhuma preocupação em defender partidos, como é comum em telejornais.

  • Sakamoto:

    Breve comentário sobre a violência no Pinheirinho
    23/01/2012 – 10:31 267 Comentários »
    Estive em São José dos Campos (SP) por conta da violenta reintegração de posse da área da comunidade Pinheirinho neste domingo. A polícia militar proibiu a entrada dos jornalistas, limitando-os ao entorno, o que é sempre um mau sinal – sem a presença livre da imprensa, a sociedade recebe informações limitadas e a fiscalização dos atos do poder público torna-se capenga. Ou seja, esconde-se mais facilmente o que não se quer mostrar. Devo postar mais material aqui depois (estou fora por conta de assuntos pessoais – sim, tenho vida própria!), inclusive entrevistas com especialistas para analisar o que ocorreu.

    Enquanto isso, conversei com juristas sobre dúvidas de colegas jornalistas a respeito do caso. Posto aqui (atenção, isso é uma análise ampla sobre a questão de desocupações. Cada caso tem suas peculiaridades que nós, jornalistas, teimamos em ter preguiça de considerar):

    1) Ao receber uma ordem judicial, mesmo que formalmente correta, mas cuja execução possa colocar em risco a vida de pessoas, o Poder Executivo tem o dever de tomar todas as medidas para evitar esses excessos. E caso acredite que seja impossível, que pessoas saiam feridas ou com a dignidade vilipendiada, tem o dever de não cumpri-la e procurar alternativas;

    2) A Constituição Federal proíbe servidores públicos de cumprir ordens judiciais quando, para a sua execução, tenham que cometer excessos. Acima do interesse particular está sempre a proteção da dignidade humana. Como a ocupação era antiga, cai por terra a questão da necessidade de urgência;

    3) Ou seja, culpa do governo. Mas a Polícia Militar também não podia receber a ordem para paralisar a ação por parte da Justiça Federal. Teria que receber uma contraordem da esfera que deu a ordem de reintegração, a Estadual, seja da juíza ou do TJ-SP;

    4) Considerando que havia conflito de competência, a Justiça Estadual deveria ter suspendido a ordem dada, após pedido da Justiça Federal;

    5) O conflito devia ter sido decidido antes da ação pelo STJ ou STF (na noite de ontem, o presidente do STJ afirmou que a Justiça Estadual era competetente para tanto – por enquanto). Até lá, como não havia urgência (os envolvidos tinham aceitado uma trégua de 15 dias para uma solução pacífica), esperar seria uma opção de bom senso;

    6) A desocupação nunca poderia ter começado em um final de semana, ainda mais em um caso antigo como esse;

    7) Sobre a juíza que autorizou: a menos que se prove dolo, benefício próprio e interesses, ao contrário do que circula por aí, ela não pode ser denunciada ou punida por autorizar a desocupação que ocorreu em um final de semana. Sobre o pedido federal, ela vai alegar que não o recebeu oficialmente.

    8 ) Pode-se acusar a PM/Governo de ter feito a reintegração apesar de ter amparo na Constituição para se negar a isso devido ao risco; não se pode acusar de não cumprir ordem federal, porque a contra-ordem deveria partir da Justiça Estadual. Que deveria receber o pedido federal e enviar ordem para suspender enquanto não houvesse decisão de competência.

    Enfim, o que importa é que – ao final de tudo e de um dia para outro, o Brasil ganhou milhares de sem-teto, muitas pessoas feridas, crianças que viram seus pais levarem bala de borracha e, agora, acreditam menos ainda nas autoridades e um terreno novinho para ser incorporado por construtoras. E a percepção de que, na dúvida, o Estado continua não agindo em prol do bem público.

  • Governo algum, em hipótese alguma, está autorizado a mover ação de guerra contra seu povo.
    É crime contra a humanidade!
    Eu quero intervenção nos governos do estado de SP e de São José dos Campos.
    Eu quero punição a todos os responsáveis por esta barbárie.
    Eu quero JUSTIÇA!
    Cadê os defensores da ordem e da moralidade? Cadê a OAB? Cadê a Justiça?
    Que tipo de sociedade somos?
    Como podemos conviver com tantos fatos como este?
    Sinto revolta, indignação, asco…

  • O que mais me revolta é que, num país decente, algo desse tipo não geraria discursos e revolta, mas sim uma revolução. Uma primavera paulista.

    Mas o que vejo são uns poucos abnegados indignados e uma imensa massa que acha que, como não é com eles, tá tudo beleza.

    Ontem no twitter, uma figura me disse que estava revoltada pq não pôde pegar um ônibus por causa da bagunça. E ela queria que os refugiados se explodissem.

    Um político que conheço do PSDB declara, diversas vezes, que aprendeu com Covas que “bater num tucano é bater em todos”, e que sua defesa de Alckmin é incondicional. E ele vai além, diz que os “petistas” vão “arrumar um mártir” – ou seja, já estão querendo culpar o PT pelos assassinatos que ELES cometem.

    E, enquanto isso, no FB só tem campanhas pró direitos dos animais, piadinhas e o de sempre, como se nada tivesse acontecido.

    E a tukkkanada continua a repetir ue estavam “apenas seguindo ordens”, como se Nuremberg nunca tivesse acontecido. E ainda dizem que como “não há mortos”, então tudo bem!

    …NA CARA DURA!

    Estou com MUITA vergonha de ser brasileiro. Que falta faz um Brizolla!

    • Tenho vergonha só do Alckmin e dos partidos emergentes que fazem algum aproveitamento político do incidente. Quanto a ser brasileiro, acho que tenho mais motivos para ter orgulho, dados os indicadores sociais e sua evolução recente no país. Primavera … o Rudá quer revoltas, primaveras, rebeliões, mas discordo dele: acho a leitura dele sobre o que o povo quer (ou precisa) errada. Sim, em vários momentos vemos partidos emergentes e grupos e organizações a eles vinculados tentando forjar essa ‘rebelião’ com pessoas que usam laptop e tênis de marca. O povo quer paz social, casa, comida, educação, trabalho …

      • O povo quer é respeito, meu caro.

        E #Pinheirinho mostrou que o estado de direita não o respeita.

        Não “quero” revolução nenhuma. Os fatos, o desrespeito, o crime cometido, a impotência do povo de reagir a esses abusos, é que exige uma revolução.

        Ou exigiria, se não tivesse tanta gente que se OMITE, fecha os olhos e finge que não é com ela quando algo dessa proporção, dessa magnitude, ocorre, simplesmente por ter votado no canalha responsável pela barbárie.

  • Não é mais possível isso é inadmissível que esse jornalista do PIG sejam tão covardes e mau caráter para colaborem com essa barbárie como não existe um único jornalista que fure esse bloqueio criminoso e aponte o que esses nazista estão fazendo em São Paulo , para mundo subserviência tem limite.

  • Na época da ditadura, quando o Corinthians, que fazia mais de 20 anos sem ser campeão, ganhou o campeonato, vários corintianos foram festejar na Rua Augusta, foram recebidos pela PM educadamente> Isso não foi noticiado em jornal algum. Só soube que havia mortos porque escutei na BBC de Londres, quando escutava a BBC. Portanto, a midia foi sempre assim, junto com os poderosos. Nenhuma linha a respeito dos mortos.

  • Não há sumissão da ditadura midiática à censura do desgoverno Alckmin : há cumplicidade, uma vez que ambos defendem os mesmos interesses de classe. Mais uma vez conclamo a Sociedade Civil oprganizada de seu estado a reagir. A lavegem cerebal da mídia precisa ser quebrada não apenas com a limitada ação da web, mas através da mobilização que denuncie aos cidadãos as atrociedades que o PSDB e os barões da comunicação promovem em São Paulo. Muito bom o artigo do The Guardian ao denunciar os horrores de Pinheirinho e a concentração da mídia no Brasil; contudo, como todo artigo de gringo, não conhece nossa realidade, além de defender interesses conhecidos dos estrangeiros, desejosos em apossar-se de nossas riquezas ambientais e limitar nosso desenvolvimento. Assim, é evidente que o Governo Dilma é passível de críticas, mas acusá-lo de não priorizar a distribuição de riquezas é um despautério: pode-se criticar a velocidade e a abrangência dessas distribuição, mas não se pode negar que ela existe, sob pena de essa negação esquisofrênica ser somente uma capa para criar um “quadro” adequado aos interesses dos gringos, desejosos de frear nosso desenvolvimento e apossar-se de nosso meio ambiente com sua hipocrisia ecológica, objetivo final do texto do Guardian, que cinicamente procura colocar em uma mesma mistura os horrores da direita que controla o poder em SP com as manobras hipócritas dessa mesma direita para tentar impedir o crescimento do Brasil usando o cinismo ambiental, que é visto pelo jornalzinho inglês como “reação” popular a políticas “excludentes” do governo, exatamente o contrário do que são as ações desenvolvimentista que levaram ao início da construção das hidreléticas do Madeira e à expansaõ da Petrobrás, medidas que encontram-se dentro de um projeto maior de um Brasil soberano, independente e justo. A reação popular precisa vir contra as canalhices conservadoras(nas quais está o “ambientalismo” à serviço dos gringos, como já dito)e das quais os horrores de Pinheirinho desponta como monstruosidade mais recente, que urge pela punição de todos os responsáveis dessa barbárie que configura-se como a real cara de nossa direita em meio à “estranha confusão” dos diagnósticos apresentados nos últimos parágrafos da matéria do Guardian.

  • Ta, ocorreram mortes? Os moradores não reagiram e nem atacaram os policiais?
    KD PROVAS? Ninguem tinha uma porcaria de celular com camera pra tirar fotos?
    Quando será que vcs vão aprender que não precisam da benção da Globo e jornais pra contar sua história?
    Vcs só precisam de internet e PROVAS que alguma coisa aconteceu. Ou vcs acham que toda a mídia mundial
    ia ficar quietinha?
    Estes videos de depoimento não provam nada. Parem de viver no século passado, vivemos na época da informação

Deixe uma resposta