O fiasco do ato contra Lula em SP e a ojeriza do brasileiro à política

Opinião do blog

Claro que foi risível o fiasco dos 20 gatos pingados que foram à avenida Paulista no domingo para insultar o ex-presidente Lula e o PT. A quantidade de piadas possíveis sobre essa iniciativa ridícula é imensurável e está fazendo a festa de quem se indignou com aquela cretinice.

Todavia, à luz de recente ato público de apoio ao adiamento da posse do presidente Hugo Chávez, na Venezuela, o qual levou centenas de milhares, se não milhões às ruas, há que refletir sobre um fenômeno tipicamente brasileiro.

É mentira que o brasileiro não vai à rua. Vai, sim, só que apenas se for em causa própria.

Recentemente, perguntei a lideranças da CUT e do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) por que ainda não se mobilizaram pela causa da regulação da mídia, que defendem. Afinal, ao menos a central sindical já conseguiu pôr dezenas de milhares na rua.

Os movimentos sociais e os sindicatos que entendem quão prejudiciais são os oligopólios de comunicação me responderam que não existe “massa crítica” para gerar manifestações de rua por esse tema.

O próprio Movimento dos Sem Mídia, fundado aqui neste blog, já conseguiu pôr centenas de pessoas na rua contra o engajamento político da imprensa dita “isenta”, como no caso da manifestação da ONG em 2009 contra editorial da Folha de São Paulo que disse que a ditadura militar brasileira teria sido “branda”.

Contudo, manifestações de 500 pessoas ou mesmo de 20, 30 mil como as que a CUT já logrou organizar para reivindicar salários etc. seriam vistas como piadas em países como Venezuela, Bolívia, Equador, Argentina e outros países politizados.

Os raros exemplos de sucesso de manifestações públicas de massas no Brasil residem entre os homossexuais e os evangélicos, que arrastam milhões de pessoas para tais iniciativas.

Aliás, verdade seja dita, nos países politizados desta região até a direita consegue pôr gente na rua, haja vista recente manifestação contra o governo na Argentina ou as marchas da oposição venezuelana menores do que as do chavismo, sim, mas, ainda assim, gigantescas.

O que acontece com o nosso povo? Por que somos tão engajados em causas de interesse de todos apenas na internet, mas sempre arrumamos um “compromisso de última hora” quando somos convocados a ir à rua defender aquilo em que acreditamos?

Os retardados que convocaram a manifestação contra Lula somaram quase duas mil pessoas no Facebook, mas a desculpa deles para não terem ido à avenida Paulista dizerem seus insultos contra o ex-presidente foi a de que “estava chovendo”…

No mesmo dia do ato dos “cansados” paulistanos, entre 300 mil (segundo a polícia) e 800 mil (segundo os manifestantes) foram à rua em Paris para protestar contra o “casamento” gay. A França, aliás, a exemplo de vários outros países europeus é palco constante de manifestações enormes.

Ir à rua protestar ou reivindicar, portanto, não é coisa de país subdesenvolvido. Muito pelo contrário, denota a preocupação dos povos em transformar retórica em ações.

Seja contra Lula, seja contra mídia, seja pelo que for – até mesmo por reivindicações que beneficiem os manifestantes –, o brasileiro demonstra comodismo e covardia.

Em 2011, a grande mídia tentou pôr gente na rua para protestar contra Lula, o PT e o governo Dilma. Impérios de comunicação martelaram convocações diuturnamente e colheram mais fiascos.

Os poucos que os grandes meios de comunicação conseguiram mobilizar, mobilizaram-se porque tais meios financiaram transporte, lanches e até pagamentos em dinheiro. Fui a algumas dessas manifestações e descobri que muitos nem sabiam por que estavam lá.

Já tentaram explicar essa apatia do brasileiro devido à ditadura, que teria atemorizado o nosso povo em relação a se mobilizar por causas políticas. É bobagem. A Argentina viveu uma ditadura mais sangrenta do que a brasileira e aquele povo se mobiliza o tempo todo.

A explicação me parece ser ojeriza do nosso povo à política. As manifestações se tornam ainda mais inviáveis quando convocadas sob tal mote.

A direita midiática, ao longo da segunda metade do século XX, trabalhou duro para gerar essa visão deturpada do povo sobre política. Nesse processo, porém, não atingiu somente a esquerda, mas a ela mesma. Hoje, aliás, a direita consegue mobilizar ainda menos gente do que a esquerda.

Esta, porém, tem instrumentos para sobrepujar a direita em mobilizações populares. Os movimentos sociais e os sindicatos estão quase que cem por cento no lado esquerdo do espectro político. Nesse ponto, surge o segundo grande inimigo da mobilização cidadã.

O comodismo explica por que pessoas politizadas e conscientes resistem a ir à rua expor suas demandas, apoios e repúdios. Esse, portanto, é o grande inimigo que é preciso combater a fim de pôr na agenda do país causa tão urgente quanto a democratização da comunicação.

Venho dizendo isso desde 2007, quando, neste blog, propus o primeiro ato público do Movimento dos Sem Mídia diante da Folha de São Paulo, que, surpreendentemente, reuniu quase 300 pessoas: ninguém muda um país sentado diante de um computador.

 

164 comments

  • Brasileiro não consegue enxergar ganho pessoal com a politica. Somente ganho potencial que nunca será explorado pq religião e politica não se discute. Politico é tudo ladrão e o certo mesmo é trabalhar pq isso que da resultado.

    Sejamos francos Eduardo. O povo fez a parte dele elegendo um governo de “esquerda”. O governo de esquerda é que se preocupou em “construir ao invés de combater”. E ainda é grandemente aplaudido por isso.

    Lembro como se fosse hoje dos textos sobre as festas de Dilma com a mídia e os elogios “exagerados” a FHC. Pois bem, pediram mais tempo nos comentários. Hoje, não existe defensora maior dos métodos “melhorados” utilizados por FHC e da mídia que erra mas é controlada pelo controle remoto do que Dilma Rossealf.

    Alguém tem como declarar que estou errado???

  • Wilson, para mim, vc não está errado, não.
    A Dona Dilma parece que resolveu adotar a política de “dormir com o inimigo”, ainda que em “camas separadas”…
    Quando “acordar”, vai ver ver o tamanho do pesadelo e, aí, talvez não tenha mais jeito de “recuperar o sono”…

  • Eduardo, este post está excelente!! Ficamos todos “tirando um sarro” dos vinte da Paulista, mas não olhamos o outro lado.

    Claro que, no caso da manifestação de ontem, houve um erro gravíssimo: falta de foco. Era um protesto contra “tudo isso que está aí”. De cara, já esvaziaram a motivação. Qual era o objetivo? Que Lula renunciasse ao “cargo” de ex-presidente?

    Mas, a verdade é que, como você bem colocou, a direita deu duro para fazer uma lavagem e enxaguagem cerebral nas pessoas, no sentido de demonizar a política e os políticos. Esse preconceito vem sendo inculcado em nós há, pelo menos, quatro décadas, talvez mais. Isso inclui programas humorísticos (os que têm mais de 40 há de se lembrar de Justo Veríssimo, personagem de Chico Anísio), piadas, noticiário de jornais, revistas e TVs, novelas, gibis, livros e teses acadêmicas.

    Fomos treinados como ratos de laboratório. A meta era afastar o cidadão da política – coisa “suja” – para que as elites ficassem à vontade para decidir os rumos da Nação. Isso deu certo em alguns países. Por exemplo: Brasil e EUA. O cineasta de esquerda Michael Moore, discursando para os militantes do Occupy Wall Street, disparou: “nao deixem que políticos interfiram neste movimento”. Por que não? O movimento Occupy é um movimento POLÍTICO, ora essa!! Mas a lavagem / enxaguagem cerebral é danada: ela gruda na mente como uma craca gruda no costado do navio.

    É preciso que os movimentos sociais, a Blogosfera, as organizações da sociedade, os sindicatos e partidos façam um paciente trabalho de conscientização, explicando às pessoas que não há como não ser político. Estando ou não num partido, lutando ou não por uma causa, tudo é uma opção política. Inclusive a péssima escolha de quem diz que não “mexe” com política. Afinal, a política “mexe” com nosso bolso, nosso emprego, com o valor maior ou menor da tarifa de energia, com os juros bancários que pagamos, com o preço do pão.

  • Eduardo, a frase
    “…A direita midiática, ao longo da segunda metade do século XX, trabalhou duro para gerar essa visão deturpada do povo sobre política….” merece um post esclarecendo porque a ojeriza do povo em relação à política?
    Um dia ousei dizer a uns colegas que existem políticos honestos e quase fui linchado.
    Referia-me a um ex-governador que continua morando no mesmo pequeno apartamento que morava antes de qualquer mandato. Resposta das pessoas: Demagogia. Segundo eles: “O cara também é ladrão e assunto encerrado”.

    • Esse assunto é inesgotável. Todavia, com uma guerra política acontecendo no país o pessoal só pensa em artilharia, deixando os valores de lado. Um dia teremos que deixar o fla-flu de lado e discutir a sério a política neste país

        • caros amigos fas tempo que nao apareço neste blog por motivo de saude mais agora graças a Deus estou bem melhor estou vendo e ouvindo e lendo muita coisa sobre a politica brasileira caro eduardo o que vejo hoje e um bando de politicos mediocres ums metendo o pau nos outros e todos eles ja comandaram este pais por ai afora o serrra ja foi governador prefeito quer ser presidente de qualquer jeito eu acredito que ele nao vai chegar nunca a presidencia da republica nao governou sao paulo nem como prefeito nem governador foi pessimo em todas as veses com suas promesas a populaçao de sp o alckimin esta ai governador acabando com o estado de sao paulo nao acerta uma na area de segurança publica o que ele sabe fazer mais e espulsar pessoas pobres de favelas doa onda de violencia que vive hoje sp os crimes que vem acontecendo ai no querido estado de sp em epocas passadas tiamos mais segurança e a policia sempre foi a mesma isto amigo e questao meramente de falta de comando se o povo trocar o comando administrativo em 2014 pode ter certesa quer as coisa vao mudar eles so se preocupam com politica querem governar o brasil estao de olho no poty que esta cheio fhc o deixou vazio o lula o engordou poristo estao todo mundo louco para chegar la quanto aos 20 que foram fazer protesto na paulista eu conheço um pouco disto quem gostava de fazer este protesto aqui em pernambuco e nao ia ninguem era o roberto freire que foi se esconder do elitorando de pernambuco ai em sp porque aqui ele nao se elegia mais.

          • Quem bom a melhora. Sabe o pior José, essas 20 pessoas(com certeza estão ganhando $$$, porque quem é da direita só faz se ganhar $$$, não faz nada de graça), nem criatividade tem, tudo eles copiam(já percebi há muito tempo essa característica da direita, copia tudo), viram um dos cartazes que está escrito MexeuComBrasil…, estão imitando a nossa frase de #MexeuComLulaMexeuComigo…

  • Ótimo, ainda bem que foram gatos pingados! Se as centrais não conseguem colocar milhares de pessoas para pedir a regulação e democratização da mídia, pois tem dificuldade, o contrário para nós também é bom. Pois eles não coseguem nada. Nem com a grande mídia batendo no Lula e Dilma dia e noite, noite e dia, acho isso fantástico. O povo brasileiro não é tão bobo como muitos pensam. Jamais chancelaria uma manifestação dessas. Haja vista a popularidade de Lula e Dilma e os ganhos que essas políticas tem ocasionado ao povo. O povo brasileiro sabe que não adianta culpar um partido X de corrupto, se os outros também tem as mesmas mazelas. O povo é que é muito inteligente! Agora ,a democratização e regulação da mídia, tem que vir de baixo, em forma de um projeto de lei de inciativa popular, aos moldes da lei de ficha limpa. Vamos trabalhar com essa ideia. Alô sidicatos, associações, blogueiros, professores, etc. Acho que o caminho é por aí.

  • Infelizmente este pode ser o início de uma mobilização muito maior. É apenas um teste da direita que tem todos os meios disponíveis para mobilizar a população contra os governos populares. Como naquele ditado “água mole em pedra dura…”, os corações e mentes estão sendo cutucados ano após ano, dia após dia, de hora em hora.

  • Edu muito boa a tua análise, mas discordo em parte sobre a mobilização do povo se da com para gay e evangélicos. Como somos muito politizados e cultos vamos para rua recepcionar o Corinthians. Mais de 5 mil pessoas no enterro da Eloa, sequestro de Santo Amaro. Mobilização na casa de vidro dos Big Brother. 15 mil pessoas na procissão de Aparecida. 2 milhões de pessoas em um mês de carnaval na Bahia. Mobilização é que não falta o sobra é cultura.

    • Sim, mas, aí, não se tratam de causas sérias, é apenas voyeurismo e fanatismo. Quando convocam uma manifestação contra Lula, sabemos que há muito mais do que vinte dizendo asneiras sobre o ex-presidente, ainda que não passem de algumas centenas. Onde estavam? Onde ficam milhares e até milhões que pensam o oposto: no conforto de seus lares, diante de computadores. A internet é importantíssima. Os blogs e sites, idem. Mas só para mobilizar. Se ficar só na intenção e não se materializar, não há crescimento dos movimentos. Inclusive de movimentos cretinos como o que teve lugar ontem na Paulista.

      • Sou um ser político e homem de esquerda, politicamente. Adoro a política como forma de mudança da sociedade e concordo com o que foi dito. Porém, não quero me tornar míope para o mundo. Dessa forma, acho que é uma simplificação rotular, como foi feito aqui, todas as aglomerações religiosas de “fanatismo”. Alguns dos que vão a aglomerações religiosas podem ser realmente fanáticos e o mesmo acontece nas aglomerações políticas. São mundos diferentes, mas não necessariamente opostos. Há em cada um visões de mundo diferentes em alguns pontos e estratégias. De toda forma, seria pretensão afirmar que a mudança política é mais importante que a mudança religiosa. Não limitemos a nossa visão de mundo, o sentido da vida e as estratégias para a felicidade, que, afinal de contas, é o que todos almejamos.

  • Edú, é muito bom quando você põe o dedo na ferida, pois realmente precisamos curar essa doença que se alastrou no meio social que é a LBC (Levanta a Bunda da Cadeira), nós brasileiros sofremos de uma outra doença crônica que é o “olho grande”, todos os dias vemos ainda pessoas caírem no golpe do PACO, Bilhete premiado, pois só olhamos para o próprio umbigo, não nos felicitamos com a alegria do outro, por isso acho que muitas pessoas sentem inveja de LULA por ter chegado onde chegou e com seus próprios méritos, pela luta empreendida em favor de uma classe trabalhadora o que viabilizou a abertura de sua visão social. Deixo uma sugestão para os amigos deste espaço, para assistirem a entrevista do filósofo Mario Sérgio Cortella com Kennedy Alencar onde ele fala sobre seu novo livro “Política para não ser idiota”. Abraço

  • Eduardo, não acho que seja covardia do povo brasileiro, acho que seja mais descrença nos políticos e não acreditar que realmente ir às ruas vá fazer alguma diferença, então se acomodam. Além disso, a maioria do povo brasileiro não tem noção de cidadania, é um povo egoísta, ele estando bem, dane-se os outros. É com esse pensamento que 90% do eleitor brasileiro vota: é bom para mim, voto até em bandido. Essa crença de que brasileiro não sabe o que está fazendo quando vota é ilusão, brasileiro sabe exatamente o que está fazendo quando vota, seja voto vendido, voto protesto, voto porque o amigo pediu… A maioria não se importa com o todo, apenas com ele mesmo.

  • Prezado Eduardo,

    Também acho que o brasileiro tem ojeriza à política e é totalmente acomodado e alienado.

    O Lula não venceu as eleições, o que aconteceu foi que os tucanos perderam deles próprios, de tão incompetentes e escrotos que são. O povo é analfabeto político e até o momento a única coisa que o afeta é a economia ( emprego, etc.)

    E a Dilma venceu porque o povo sentiu no bolso o resultado das gestões do Lula e porque o Lula a indicou e porque os adversários eram ( e continuam sendo ) os mesmos que levaram o povo ao desemprego.

    É triste o analfabetismo político do nosso povo. É fruto da fraquíssima educação pública e do baixíssimo poder aquisitivo da população mais pobre . A informação que obtemos através dos blogs na internet alcançam um pequeno número de pessoas, se compararmos ao total da nossa população. Um blog que mostra o contraditório tem 300 comentários em uma matéria, enquanto o blog norte-americano The Unffigton Post tem 19 mil comentários em algumas reportagens.

    • essa é a diferença entre o Brasil e os Estados Unidos.nos Estados Unidos,os caras discutem politica(mesmo q seja a direita mandante).aqui,só nos preocupamos com futilidades.exemplo:o Carnaval!

    • Rodrigo, se isso tudo que consta na materia do novojornal for verdade é e será uma BOMBA ATÔMICA e fere de morte pretensões de Aócio Never ser candidato a presidencia e pôe a nú este STF que acaba de julgar o suposto “Mensalão do PT ” e outra será que o José “bolinha de papel” Serra, já nao tem um “Dossiê” pra alijar o Seu Aócio do caminho da liderança do Partido deles? hehehe

  • Edu, sou leitor assíduo seu tem um bom tempo, mas é a primeira vez que comento. Só para esclarecer uma percepção diferente da Sua.
    No caso da “`Parada do Orgulho GLBT” em São Paulo, me parecem que os milhões que participam estão lá mais pela festa, do que por conta de uma manifestação política. Tanto que os “atos políticos”, que acontecem nos sábados antes das paradas, não juntam mais de mil pessoas.
    Certa vez participei de uma caminhada de cunho político no “Dia da Consciência Negra” no centro de SP que tinha, mais ou menos 300 pessoas somente. No mesmo dia num show em celebração ao dia, haviam umas 40mil pessoas na praça da Sé.

    Abração

  • Uma das possíveis explicações do motivo pelo qual os brasileiros não vão às ruas, talvez esteja na propaganda alardeada pelos milicos e pelo PIG , de que o brasileiro é um “povo pacífico e de boa índole”. Claramente, se entende “carneiro”.
    Antes do golpe ocorriam manifestações populares, greves e outras formas de reivindicações. Após o golpe todas as manifestações foram abolidas ou tratadas sob porrada.
    Bem, essa é a explicação mais plausível que entendo.
    Quero aproveitar para mudar o assunto e colocar uma idéia que me parece vai se materializar mais alguns meses adiante.
    Os empresários(sic) não querem investir e creio que não o fazem de modo proposital. Eles preferem manter suas margens abusivas de lucro e estão postergando o investimento.
    A Tia Dilma, melhorou o câmbio, baixou as taxas de juros, está reduzindo o custo da energia elétrica e desonerando setores, mas mesmo assim, eles não investem.
    Com certeza, fazem assim como o PIG, terrorismo.
    Vamos ver no que vai dar.
    Estou também, convencido que o governo da Tia, vai acabar em desilusão e descrédito.

  • E o que explica esse comodismo é nosso processo histórico de formação. Ao contrário dos demais países das Américas do Sul e Latina, nos libertamos do colonizador(explorador)europeu através de um processo ocorrido inteiramente “por cima”. Ou seja, o papaizinho “rei” entregou o comando do país ao patético filhinho “príncipe”, “antes que um aventureiro lance mão” como colocou o gordo português. Leia-se na palavras ditas ao “príncipe”, que “aventureiro” significa “povo”. Assim nascemos de uma acomodação entre as elites, feita com a pressa suficiente para afastar o menor perigo de participação popular, e que resultou somente num ajuste de senhores(saímos da condição de explorados por Portugal, que era explorado pela Inglaterra; para sermos diretamente roubados pelos ingleses : as mudanças no Sistema Econômico da época exigiam esse roubo mais direto. Saíamos do Mercantilismo e entrávamos no recente Capitalismo Industrial, que obrigava os ingleses a, além de dispensarem intermediários, abrirem novos Mercados consumidores para seus produtos, sendo que as taxas aduaneiras e a intermerdiação portuguesas eram um entrave para essa prática). Esse “acordo tácito” entre as “elites”, na qual dispensava-se o povo, para piorar nos jogou em 67 anos de um horrorosa Monarquia(a qual nem preciso dizer que é o oposto da ideia de participação popular)com características de um “absolutismo disfarçado”, já que o “imperador” possuía poderes ditatoriais e o Parlamento existente era eleito através do voto censitário. Sem contar o horror da escravidão, que relegou e traumatizou pela violência milhões de brasileiros. Desses dois horrores, dos quais nos “libertamos” quase ao mesmo tempo, descambamos em uma República deflagrada novamente sem a participação popular(as pessoas que viram a proclamação da República acreditavam tratar-se de um desfile militar); ou seja, uma nova “acomodação entre as elites”, lembrando que nosso primeiro presidente, além de milico, era homem de confiança do “imperador”. Feitas essas explicações, e comparando nossa História com as dos demais países latino-americanos, cuja libertação do explorador espanhol ocorreu através de movimentos libertários, em sua maioria liderados por Simón Bolívar, nos quais a participação do povo; seja compondo os exércitos ou manifestando-se nas ruas; foi um fator determinante; como também que de tais lutas resultaram Jovens Repúblicas onde; mesmo sabendo que os desejos da população foram usurpados pela ação das “elites” canalhas e do imperialismo inglês; a participação popular continuou ocorrendo como um elemento ativo na dinâmica histórica, poderemos compreender a apatia abissal dos brasileiros. Contudo, combater essa paralisia é determinante para a construção do país que queremos, já que se enxergamos os poderes dos conservadores; como Globo e sua turma; como gigantescos, veremos que tornam-se minúsculos se comparados com a força de uma massa consciente, exigindo mudanças. Chávez , Cristina, Evo, Correa, Mujica e outros não tomam medidas progressitas ainda inimagináveis no Brasil porque são herois, fazem-no por terem uma massa popular ativa a apoiá-los(basta vermos as recentes manifestações do povo em apoio aos Governos da Argentina e da Venzuela). Se quisermos levar à frente as mudanças estruturais essenciais para que construamos um país justo, e até mesmo para evitar o golpe de estado que está em curso no Brasil; devemos inciar, não apenas na web, mas principalmente através daquelas organizações sociais que mantêm contato direto com a população; como sindicatos, movimentos sociais, organizações comunitárias; uma processo de conscientização dos brasileiros sobre assuntos como democratização das comunicações, reforma agrária entre outros. Só assim poderemos fazer com que cada cidadão compreenda o quanto esses assuntos dizem respeito à vida de cada um, e ao futuro deste país e das gerações que virão, e com isso finalmente poderemos libertar os brasileiros da modorra em que vivem e fazê-los sair às ruas por entenderem que uma vida melhor só vem através da ação prática.

  • Quem não vai à rua pode ir de ‘abaixo assinado’!

    Não deixem de ler e assinar o abaixo-assinado online do Petição Pública:
    «Que o STF julgue o Mensalão do PSDB, Pai de todos os Mensalões!»

    A ‘opinião pública’ brasileira estava indignada com o ‘mensalão do PT’ que seria filhote desse aí, não é mesmo? E agora: será que se devem usar outros ‘pesos e medidas’? Pois é, parece que tem gente com ‘éticas’ muito elásticas e flexíveis, não?
    Agora é a hora de ver se sua indignação foi só ‘xororô’, foi meramente parcial ou foi verdadeira. Agora se mede sua integridade.

    Assine o abaixo-assinado entrando no link

    http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N30265

    ou copiando e colando o endereço no seu browser/ navegador da internet.
    Depois de preencher os dados e assinar, se recebe através do e-mail indicado um pedido de confirmação. Daí é só clicar no link, mandar para os amigos e divulgar como achar melhor.
    Vamos juntos fazer democracia!

  • depois não sabe por que sofre.enquanto nosso povo tratar a nossa imprensa a caviar e isenta-la de culpa(uma das maiores culpadas pelo estado de abandono de nossa sociedade.sobretudo em São Paulo,onde a juventude está perdida.e violencia pura!),parar uma semana para Carnaval,tratar o Futebol e o carnaval a sério,isso aqui não vai mudar!depois não sabem por que os povos da américa do sul(menos o Paraguai)se mobilizam.tambem,com uma imprensa vira-latas e subserviente aos Estados Unidos,fica fácil propagar lorotas.exemplo:o”fim do mundo”em 21/12/2012.se passou 3 ANOS(isso mesmo)falando nisso aqui no Brasil!mas os caras não se emendam!

  • Esse quincôncio de lacaios das caquéticas Lya Luft, Maria Helena Rubinato, Danusa Leão e a Danusa de saia, o Sandro Vaia, é muito estranho. Os caras querem derrubar um ex-presidente. Patético.

  • Edu, quanto a essa questão, acho que podemos ter já já uma prova de fogo. Quando o cerco da nova duplinha, o judiciário e o pig, estiver se fechando contra o Lula, como será, se houver, a reação?
    Sei que a CUT se mobilizaria, mas como seria a adesão do povo, aquele que mais se beneficiou com o “lulismo”? Espero não me decepcionar

  • Edu,

    Vendo esses 20 coitados só faço me lembrar do Cavaleiro de triste figura:

    “Dulcinéia suspeita da tormenta
    Este mal que alucina toda Mancha
    Invadindo o profundo sofrimento

    Deste corpo ferido que descansa
    E acorda na tortura do lamento
    Sem dragão, alazão ou Sancho Pança.”

  • Os dois perto do cone vermelho, que não aparecem direito na foto, devem ser contados como manifestantes ou como transeuntes atravessando a avenida? Isso faz muita diferença…pois nada, nada, aumentaria em uns 15% a massa que protesta. A polícia militar já deu a estimativa de pessoas (e sempre lembrando que o cálculo é sempre subestimado) presentes no ato?

    Já sobre a questão (muito pertinente, diga-se) que o Edu levanta, eu penso que não se trata exatamente de despolitização (e nem muito menos de algum “individualismo genético” do brasileiro ou algo assim) dos brasileiros. Por exemplo, a “revolta da vacina”, no começo do século XX no RJ, foi política? Claro que sim, mas não nos moldes tradicionais. Hoje ocorrem várias “revoltas da vacina”, que geralmente não são computadas como “políticas”, mas que evidentemente são: os povos indígenas estão sempre protestando e se manifestando, os protestos no campo (seja do MST ou outro movimento), as manifestações urbanas em várias cidades brasileiras (seja por problemas ligados a habitação, a transporte, a educação ou outro) etc. Não vejo o brasileiro despolitizado (ao menos não como o pintam geralmente) e nem tão pouco devedor, nessa praia, para seus vizinhos da América do Sul. Se na Venezuela, por conta da doença do Chavez, o povo foi em massa às ruas recentemente…cabe lembrar que isso nem se compara, em número de pessoas engajadas, ao que ocorreu no Brasil quando do Movimento das Diretas… salvo engando, a terceira ou quarta maior manifestação do mundo contemporâneo, perde apenas para as manifestações pelos direitos civis nos EUA, as movimentações do Maio de 68 (ocorridas quase simultaneamente em vários países) e mais uma ou outra do mesmo porte. Um país que se mobiliza dessa forma (com a Rede Globo já criada e boicotando e sabotando como sempre) não pode ser chamado de “despolitizado”.

    Já sobre a internet…bem, eu me lembro de um comentário de um sociólogo que classificou esse pessoal, que só resmunga e se organiza pela internet, como “radicais de pijama”. Concordo com ele. Eu particularmente acho o máximo (do cômico) aqueles radicais de pijama que se manifestam pelo facebook: se vc é contra a corrupção, clique aqui….se vc é a favor do meio ambiente, compartilhe…e por aí vai. O reino das frase feitas (facebook), é também o reino do ativismo político do mouse. Pra quem anda meio sem tempo, cheio de trabalho, ou cheio de vida vazia, cercados de amigos virtuais em sua solidão, mas quer se manifestar e reivindicar seus direitos, o facebook é a solução…é só clicar e pronto…rs. E o legal é que os organizadores deste evento contra o Lula cairam nessa, de contar com os radicais de pijama, que no caso deles são apenas “de pijama”, sem o “radicais”…hehe

    Mas penso que o problema – mundial e não apenas brasileiro -, é a falta de uma nova motivação política transformadora que realmente mobilize as pessoas em torno dela. Falta uma utopia. A última utopia mundial caiu em desuso, desde 1956 vinha capengando moribunda, e em 89 se desintegrou. Como eu disse, manifestações existem aos montes, mas todas fragmentadas, sem a canalização para uma política efetivamente transformadora. De quando em vez aparece alguma “causa” (mas causas não são projetos utópicos transformadores, são causas apenas – que pode variar desde o “não mate as baleias” até a “leys de medios”…importantes, mas são apenas causas, e não projetos de contra-hegemonia à sociedade vigente) que aglutina as pessoas de um modo um pouco mais coeso: seja em torno do chavismo, seja do lulismo, seja da religião (especiamente no oriente médio) etc. Quando não é isso, são as causas do movimento dos homossexuais, das mulheres, causas étnicas etc. Todas fragmentadas também. O problema é que a esquerda perdeu (ao menos até agora) a capacidade de formular um projeto de transformação social no plano mundial, internacional…quando muito, ficou atolada no reformismo em sua localidade (seja em um país, ou seja em uma cidade) e olha lá…a esquerda está, ao menos no momento, gravemente desarticulada em âmbito mundial, sem um projeto coletivo que realmente mobilize as pessoas em torno dele…exceto pra lutar contra um aumento da tarifa da luz aqui, ou pela redução do desemprego ali…já contra a crise mundial do capitalismo, não tem projeto de contra-hegemonia (no plano mundial, como deveria ser).

    O que tem salvado ultimamente é que, ao menos no Brasil, pior que a desarticulação da esquerda, só essa direita mesmo…que tem muito poder (econômico), e tem essas atitudes piegas, como dessa manifestação e tal…

    abraços

  • Caro Eduardo
    Há pessoas que não precisam da mídia para serem contra o Lula e contra qualquer melhoria para o povo, e eu conheço pessoas assim, no mundo delas, somente elas trabalham, e aparantemente, é uma realidade, essas que conheço, não trabalham mais por falta de tempo, e o mundo deles se resume a isso, e os argumentos deles não vão além disso, o resto é dor de cotovelo, pelos demais não terem o que eles tem, assim como o mundo tem inveja dos EUA, pelo que ele é, o argumento se encerra ai, também e não adianta tentar que não sai disso.Mas se leem algo, ainda é o estadão. O ódio contra o Lula não tem tamanho, a simples pronuncia de seu nome, é guerra decretada.É sagrado odiar o Lula.Esse grupo que está ai, alguns deles se encaixam nesse perfil, o ódio pelo Lula, os une.
    Saudações

    • … assim, da mesma forma tem pessoas que tem também ódio por políticos da oposição como Alkmin, Serra, FHC, etc… Ódio por ódio então fica-se no empate.

  • Isso é tema para muitas horas, mas para agora é questão de âncora… lembra de um video de 1989… camanha de Lula para presidente… vamos perguntar a cada um daquelas âncoras o que acham de Lula e o mensalão petista… o combate a corrupção… e vamos convidá-los para participar de um ato desses, não contra Lula, contra a impunidade, a corrupção… exigir que se investigue, se apure e caso for, se julge… a possível participação de Lula no esquema do mensalção petista.

  • Edu

    Quero fazer um contraponto às suas considerações. Creio que o povo brasileiro não é acomodado não: apenas talvez necessite de melhores oportunidades de mobilização e do devido chamamento dos partidos e organizações sociais. Lembremo-nos dos grandes comícios pelas “Diretas já” e do movimento pelo “Fora Collor”.
    Acredito que o povão ainda não se mobilizou pela democratização da mídia por dois motivos principais, que se reforçam: 1) não atribui ainda prioridade a essa causa, entre outras razões, concordo, por mera carência de politização; 2) não é chamado às ruas pelas lideranças progressistas, que se encontram relativamente dispersas, acomodadas ou acovardadas diante do poder da mídia. O governo Dilma já deixou claro que não vai mexer uma palha nessa direção. O povo confia nela e não vai se mexer também.
    Mas imagine, por outro lado, uma situação em que o Lula fosse ameaçado de perder seus direitos políticos: creio que muitas daquelas lideranças, incluindo a Dilma, iriam se mobilizar, se unir e chamar o povo às ruas. E o povo brasileiro sairia em defesa de Lula, assim como o povo venezuelano saiu em defesa de Chaves, não tenho dúvida. Tudo depende da oportunidade e da iniciativa das lideranças em que o povo acredita. E, claro, de uma causa em que ele enxergue com clareza os seus interesses ou uma ameaça a eles.

  • Como se diz aqui no Nordeste, só compareceu a este ato contra Lula uma “meia dúzia de dois ou três”….
    Esta oposição moralista de direita está cada vez mais ridícula! Sempre com gritos vagos contra corrupção,
    mas sem apresentar soluções para este problema estrutural e arraigado na sociedade brasileira.

    Um dos primeiros (e principais) passos para reduzir a corrupção no Brasil é fazer uma ampla reforma
    política sob a égide de diminuir a influência do poder econômico nas eleições. Sempre haverá uma
    relação promíscua entre o setor público e o privado enquanto os principais financiadores de campanha
    no país forem grandes empresas com interesses econômicos imediatos com o governo.

    Todo mundo sabe que quem financia campanha política no Brasil são as empreteiras, as grandes
    construtoras, etc.

  • Qualquer manifestação política no Brasil, tanto a favor quanto contra os governos serão fiascos se não tiver “de grátis” o Buzão e o Lanchinho (e quem sabe uma verbinha), bem como ponto facultativo nas repartições públicas e “profissionais de manifestações” dando integral apoio distribuindo os banners, as bandeirinhas e puxando o coro das palavras de ordem…
    Sempre que as manifestações forem só “espontâneas” serão isso ai. É só isso. Você sabe muito bem disso.

  • Caro Eduardo, parabéns pelo texto. Penso que não é possível comparar o Brasil com os outros países da América Latina, principalmente a Argentina, onde o povo é bem mais politizado. No que se refere à Venezuela, ao contrário do que muitos dizem, o povo foi às ruas em massa não somente para dar apoio a Chávez, mas porque houve um trabalho de conscientização de direitos. Por isso, enganam-se aqueles que acham que o chavismo desaparecerá com Chávez. Penso que o brasileiro é muito acomodado quando se trata de defender questões que envolvem a política. Tem aí também um ingrediente que é o individualismo muito presente na nossa sociedade. Por isso podem até ir para as ruas quando se trata de defender algum interesse individual ou de grupo. Mas quando se trata de defender uma causa comum a todos a coisa muda de figura. Penso que isso reflete uma falha na nossa formação sobre o sentido da democracia, da cidadania, enfim, independentemente da classe social, o brasileiro mobiliza-se mais facilmente quando se trata de festejar alguma coisa. Falta ao brasileiro, em geral, o que eu chamaria de compromisso com a democracia. Isso é preocupante.

  • Essa questão, em especial, de atitudes coletivas, nativas é deveras idiossincrásica.
    Para mim, nós brasileiros, tanto nisto como na reação de rir diante de incidentes até mesmo graves e pessoais, ela provem de nossa estrutura afetiva-inteletiva. E que tende sempre mais para o emocional, entre chorar e rir. E assim, vibra, aglomera-se, movimenta-se em função de ir ao estádio de futebol, à porta de hospitais quando sobremodo famosos/populares estão internados, ou no cortejo de enterros.( Getúlio,Tancredo, Elis Regina, Niemeyer,etc.etc.) E que tal o período das Diretas Já? E a concorrência de fãs, quando Lula comparece a eventos políticos ou não? É que Lula jamais precisou aprender como lidar com o Povão. Ele tem esse cheiro de povo, tão abominado por um general, que preferia a este o cheiro de cavalos… Brizola era como Lula. JK idem. Portanto, aliar ao pensamento o sentimento e provar leal consideração, para com as pessoas, ditas comuns e de bem, dispensa qualificativos tipo “senso populista”, “bicão” e mais que tudo “carismático”. Na esfera dessa qualidade da personalidade, em todo e qualquer ramo existencial, não há segredo no possuidor desse comportamento Existe, isto sim, o senso de confraternização e total ausência de quaisquer preconceitos. Afinal, nós não temos predominância de “behaviour”
    em moldes gregários dos hispânicos, nem dos nipônicos, ou muito menos dos anglo-saxões. Nós somos o que somos B r a s i l e i r o s, tão adequadamente estudados em Raízes do Brasil,do Sérgio Buarque de Holanda.

  • Edu acompanho tuas postagens a bastante tempo muitas delas me emocionam. Fico tolido se externar minhas convicções políticas, religiosas ou qualquer assunto sério, porque médicos, advogados, engenheiros, ninguém lê, quanto mais um cidadão comum. Numa mesa de bar se não falar em mulher e futebol sai todo mundo correndo. Concordo com o Osvaldo quem elege em nosso pais é o bolso e é o bolso que comanda a mobilização política na europa. Na venezuela a mobilização incentivada é uma forma de permanecer no governo já que Chavez foi sequestrado. O povão não se sente ameaçado vive no mundo do celular, futebol e amenidades.

  • Prezado Eduardo:Para Eduguim(12:13) e Emilia(12:40) -Alem do texto ser bem objetivo e analisando bem os comentários de Edu e Emilia, acredito eu que o que falta à multidão (aqueles que se dizem de esquerda ) é um projeto político para ela passar a existir e a participar de grandes manifestações. Acredito que Lula tem esse projeto político que é o de conscientizar as massas. Já o PT e os sindicatos aburguesaram-se, cairam no comodismo e a nossa presidente não tem perfil para isso(viver junto às multidões). Temos que entender e aceitar que o perfil da nossa presidente é gerencial.
    Os manuais de administração nos ensinava até pouco tempo que gerenciar é conseguir resultados através das pessoas. Já os manuais mais modernos nos ensina que gerenciar é conseguir resultados com as pessoas.Dilma está gerenciando. Não está fazendo política do modo que gostaríamos e sim fazendo política no sentido de criação de normas destinadas a assegurar as tomadas de decisões.
    As esquerdas precisam de alguem para conscientizá-las e dos meios de comunicação para divulgar as suas idéias e propostas.Esse trabalho “os blogs sujos” fazem,mas é muito pouco diante da força do pig.
    PIG = GIP ( Grande Inimigo do Povo).

  • E pensar que mais de 1,5 milhão já se reuniram no Vale do Anhamgabaú na Campanha pelas Diretas Já… Hoje não existem mais grandes causas capazes de mobilizar os brasileiros.

    • Aírton

      Não precisa.
      As eleições são diretas há 23 anos.
      A ditadura acabou há 27 anos.
      A inflação acabou. Itamar começou o fim e Lula manteve.
      Lula elevou o PIB a U$ 3,4 tri
      Só se for para protestar contra o PIG. Mas essa conversa de PIG é paranóia do Edu….

  • O Partido Comunista chileno oficializou neste sábado (12) a candidatura ao Parlamento da dirigente estundantil Camila Vallejo, que conseguiu levar às ruas mais de um milhão de pessoas durante manifestações pelas reformas estudantis em 2011. No Brasil percebo uma total despolitização por parte dos jovens que não percebem que é com política que se muda uma nação. Gostaria de ver surgir na UNE um sangue novo que revigorasse o nosso parlamento.

  • Não é difícil entender o motivo desse fiasco. Eles não estavam protestando contra a corrupção do PT? Pois bem, o mensalão do PT foi um caso sui generis. Uma superquadrilha atua por dois anos e meio, assaltando os cofres públicos, maaaaas…os ladrões ficaram mais pobres e os roubados ficaram mais ricos. Pronto: taí o mistério desvendado.

  • Amigo, o Brasil é um país em ascensão. Estamos revolucionando primeiro o futebol com a preparação exorbitante de estádios para copa, e depois a política. Uma vez que sua reforma é feita em etapas.

    Meu censo crítico em relação aos meus midiáticos, ao socialismo e principalmente ao campo político abordando a sua ciência é bem complexa.

  • O povo brasileiro é despolitizado, não se mobiliza??? Então me expliquem os movimentos de resitência ao Estado Novo (década de 40), o movimento o Petroleo é nosso (50), a resitência à ditadura (60, 70, começo da de 80), movimento contra a carestia (70), Anistia, diretas já, caras pintadas e outros. Nessas campanhas tinha quem puxasse as manifestações, não era o governo, ninguem ficava esperando nada de governo nenhum, mesmo porque era uma ditadura. Nas feiras, em portas de cinema, onde tinha gente, tinha uma mesa improvisada colhendo assinaturas, distribuindo panfletos, discutindo, denunciando. Viviamos em uma ditadura. Hoje, vivemos em uma democracia, quem se habilita a montar ” barraquinhas” para discutir a lei de medios, a economia, arte, etc, etc, etc.. todos achamos que alguem deve fazer pela gente. Olhem os comentários nesse e em outros blogs progressistas. Os ataques ao governo Dilma, os despautérios, covarde, amarelão, vendida, etc.. Olhem os absurdos publicados em blogs como PHA, Azenha, Miro e outros. Só porque Dilma não liga para a grande imprensa, só porque a Dilma avalia que não é hora de enfrentar a grande imprensa. Só porque avalia que a prioridade tem que ser seus programas sociais, a economia, a infraestrutura, a copa do mundo, o crescimento com inclusão social. Todos os economistas desenvolvimentistas, comprometidos com o crescimento do país e com o bem estar de sua população dizem que o grande inimigo a ser vencido é o “INVESTIMENTO” público e privado, esse é o grande perigo. Sem investimento não há crescimento, sem crescimento não há governo de bem estar social. Nosso grande problema, a ponto de causar rompimentos, não pode ser a lei de médios. Nunca esse governo pode ser atacado por quem se diz progressista e democrata, nunca. Divergência é outra coisa. Mobilizãção, é só alguem, algum grupo, tomar a iniciativa por um motivo justo. Hoje, reunirá 100, amanhã 200, ………, milhares. Ou alguem acha que do nada uma multidão de milhares de pessoas sairão às ruas.

  • Os 18 do Forte – episódio ocorrido no Rio em julho de 1922 contra o Pres. Epitácio Pessoa – eram mais autênticos. Pelo menos seus nomes estão registrados. Quem não souber, que vá pesquisar. Já esses 20 da Av. Paulista…
    O Brasil é o único país desse nosso amado planeta em que a imprensa tenta derrubar um ex-Presidente. E não consegue.

  • Porque o Sr. qualifica de cretinos e retardados os que foram às ruas protestar contra Lula e o PT? Não estariam, eles, exercendo um direito constitucional? E, diga-me, não há motivos para protestos? O Sr. Lula, sempre dado a falatórios e piadinhas, nos brinda com seu silêncio culpado ao não dar qualquer explicação sobre o caso Rosemary, aquela Sr. que o acompanhou em algumas viagens ao exterior, sem constar na lista do Itamaraty. A mesma que usava o nome do Presidente, PR, para conseguir nomeações e favorecimentos, num esquema de corrupção recentemente deflagrado pela PF. Ah, esqueci, na opinião do Sr., Lula é um semideus, que está acima da lei e também de protestos. Uma espécie de intocável.

      • Já vi que o Sr. é do tipo que não tem argumentos, pois só quem nos os tem ofende de maneira leviana, sem ao menos saber quem está do outro lado. O Senhor sequer sabe qual é a minha laia. Faço parte daquela que trabalha, paga impostos, que costumam chamar de classe média. Aquela laia de pessoas que não parasitam os poderes da União, não recebem bolsas assistenciais e nem são capachos de partidos políticos. Essa é a minha laia e tenho orgulho dela. Afinal, essa é a laia que coopera para o crescimento do país.

        Não sei em qual país o Sr. vive, mas eu vivo no Brasil. Ele digo, continuamos, aqui no Brasil, sem malha rodoviária de boa qualidade, sem sistema de transporte aéreo de boa qualidade, sem saúde pública de boa qualidade, sem educação pública de boa qualidade, sem sistema penitenciário de boa qualidade, etc, etc. Então, diga-me, sem insultos, o que o leva a concuir que o Presidente Lula tirou o Brasil da m…? O assistencialismo, a distribuição de dinheiro público aos pobre? Pois, digo-lhe, essas políticas públicas e populistas somente colocam a população carente em eterna dependência desses recursos, se não vem acompanhadas de políticas sérias de inclusão no mercado de trabalho. É a isso que o Sr, é grato? Como sua visão é curta, como seu conceito de benesse é estreito. Só posso lamentar.

        • Muito ruim esse seu país. Nele, todos os problemas começaram com o governo Lula. No meu, o país melhorou e 80% da população enxerga. Todo mundo empregado e com dinheiro no bolso. Há problemas, claro, pois sua laia os impôs ao longo de 500 anos em que vocês governaram.

        • Cama, calma, Sra. Não seja tão revoltada com o nobre blogueiro.
          Ora, bolas, por acaso a Sra não sabe como são as coisas quando se discute com petistas?
          Já não conhece as velhas táticas de bullying e patrulhamento ideológico quando se discute com eles?
          Já não sabe que eles tem sempre sempre que ter a razão absoluta?
          A Sra ja teve uma grande concessão por ter tido seus comentários publicado.
          Ja eu… No passado tomava porradas e ofensas bem piores que as suas, tanto por parte do blogueiro quanto de seus seguidores até um dia ser sumariamente enxotado do blog…

          • Foi tão enxotado que até mudou de nome…
            A própósito, em qual cartório lhe permitiram assinar “.”?
            Foi num desses cartórios de registro que passam de pai pra filho, que escondem do cidadão pobre que o registro de nascimento é gratuito e cobram pela ‘capinha’ colada no documento?
            E essa tal senhora Sofia Muller, de onde é?
            Pelo sobrenome, provavelmente aqui do sul, esta terra bondosa, onde todo mundo trabalha (de segunda a sexta, só que na sexta só até as 4 da tarde, porque ‘no alemanha só trabalha no sexta feirra até os 4 horras… e depois sai correndo pra praia)
            Gozado, quando eu morava em Sampa eu ouvia dizerem que praia é coisa de nordestino malandro.
            Aqui no nosso ‘bondoso’ e ‘valoroso’ sul (Santa Catarina, pra ser mais preciso), a xenofobia é du cará…mas praia é com os branquelos.
            Atenção pra foto do avatar: sou branquelo também!
            É, dona Sofia! Não sei do que a sra. tá reclamando.
            O seu plano de saúde tá deixando a desejar?
            A escola particular (de padres, é claro) não tá ensinando seus filhinhos direito?
            A BR 470 e a BR 101 tão esburacadas? Ué? Não foram privatizadas?
            O aeroporto de Navegantes tá muito cheio de pobres?
            E São Pedro de Alcantara já não comporta mais paranaenses e baianos?
            Que pena, né?
            O mundo ideal não dá pra comprar com todo o dinheiro do nosso ‘imenso trabalho’.
            As 36 secretarias regionais estão ‘drenando’ todos os impostos que a sra. paga, né? E em contrapartida não devolvem o que a sra. merece… (é, srs., aqui em SC tem 36 secretarias regionais de DESENVOLVIMENTO, deixadas pelo pmdb e continuadas pelo psd….)

            Ahhh, mas a sra. não é de SC…. que pena! Pena , porque pelo menos as praias daqui são lindas, viu?
            De resto, a merda continua a mesma.
            Sabe por quê?
            Porque o din din tá indo pra quem precisa com mais urgência, aqueles que não tem plano de saúde, estudam na escola pública, andam em estradas de terra e nem sabem o que é avião (por enquanto…), isto tudo lá pra bandas do NE.
            Beijos, viu Da. Sofia. Não se sinta magoada por minhas palavras.
            É que eu aprendi que primeiro a gente olha pra quem tá precisando mais, e depois pra nós mesmos.
            E não foi em nenhuma igreja, não!

  • Prezado Eduardo,
    Pela primeira vez, discordo frontalmente de um texto seu.
    O brasileiro não tem ido para a rua simplesmente porque está satisfeito com a vida. E não está convencido que a mídia, se não for regulada, irá mesmo derrubar o governo.
    A própria mídia se mostrou hábil até agora, evitando atacar diretamente Lula ou Dilma, preferindo líderes de menor apelo popular como Dirceu e Genoíno.
    Se este ano partirem para cima do Lula como estão ameaçando, sentirão o peso da resposta popular.
    No jornalismo ou na luta política, quem se propõe a defender os interesses do povo deve, sempre que necessário, fazer auto-crítica e não crítica ao povo.

  • Contei cerca de cem pessoas na foto da manifestação que você organizou. Porque a foto está em plano fechado se a intenção era mostrar a presença de mais de 500 pessoas ?

    • A Folha, no dia seguinte a essa manifestação, admitiu 300 pessoas. Você está sendo mais realista do que o rei. Leia a matéria de 8 de março de 2009 da Folha de São Paulo

      —–

      Folha de São Paulo

      8 de março de 2009

      Caderno Brasil Manifestação contra Folha reúne 300 pessoas em frente ao jornal

      Militantes fazem desagravo a professores, que não comparecem a evento

      DA REPORTAGEM LOCAL

      Cerca de 300 pessoas participaram ontem pela manhã de manifestação contra a Folha em frente à sede do jornal, na região central de São Paulo.

      O ato público tinha o duplo objetivo de protestar contra editorial publicado pelo jornal no dia 17 de fevereiro, que usou a expressão “ditabranda” para caracterizar o regime militar brasileiro (1964-1985), e prestar solidariedade aos professores Maria Victoria Benevides e Fábio Konder Comparato. Nenhum dos dois estava presente.

      A Folha publicou no “Painel do Leitor” 21 cartas sobre o assunto, 18 delas críticas aos termos do editorial, entre as quais as assinadas por Benevides e Comparato. Segundo escreveu este último, o autor do editorial e o diretor de Redação que o aprovou “deveriam ser condenados a ficar de joelhos em praça pública e pedir perdão ao povo brasileiro”.

      Em resposta, o jornal classificou a indignação dos professores de “cínica e mentirosa”, argumentando que, sendo figuras públicas, não manifestavam o mesmo repúdio a ditaduras de esquerda, como a cubana.

      Desde então, além de cartas, o jornal vem publicando artigos a respeito da polêmica, alguns dos quais com críticas ou reparos à própria Folha.

      O protesto de ontem foi organizado pelo Movimento dos Sem-Mídia, idealizado pelo blogueiro Eduardo Guimarães. O público era composto na sua maioria por familiares de vítimas da ditadura, estudantes e sindicalistas ligados à CUT.

      Abaixo-assinado

      Um abaixo-assinado de repúdio ao editorial da Folha e solidariedade a Benevides e Comparato circulou pela internet nas últimas semanas. Entre seus signatários estão o arquiteto Oscar Niemeyer, o compositor e escritor Chico Buarque, o crítico literário Antonio Candido e o jurista Goffredo da Silva Telles Jr.

      Niemeyer disse que “o convite para assinar veio de um amigo muito querido, que foi preso e torturado. Fiquei muito chateado, porque gosto do pessoal da Folha. Fiquei constrangido, mas não podia dizer que não”. O arquiteto disse não ter lido o editorial. Na sua versão eletrônica, o abaixo-assinado contava com mais de 7.000 adesões, cuja autenticidade, porém, não há como comprovar.

      Segue a íntegra do texto:

      “Ante a viva lembrança da dura e permanente violência desencadeada pelo regime militar de 1964, os abaixo-assinados manifestam seu mais firme e veemente repúdio à arbitrária e inverídica revisão histórica contida no editorial da Folha de S.Paulo do dia 17 de fevereiro de 2009.

      Ao denominar ditabranda o regime político vigente no Brasil de 1964 a 1985, a direção editorial do jornal insulta e avilta a memória dos muitos brasileiros e brasileiras que lutaram pela redemocratização do país. Perseguições, prisões iníquas, torturas, assassinatos, suicídios forjados e execuções sumárias foram crimes corriqueiramente praticados pela ditadura militar no período mais longo e sombrio da história política brasileira. O estelionato semântico manifesto pelo neologismo ditabranda é, a rigor, uma fraudulenta revisão histórica forjada por uma minoria que se beneficiou da suspensão das liberdades e direitos democráticos no pós-1964.

      Repudiamos, de forma igualmente firme e contundente, a Nota da Redação, publicada pelo jornal em 20 de fevereiro em resposta às cartas enviadas ao “Painel do Leitor” pelos professores Maria Victoria de Mesquita Benevides e Fábio Konder Comparato.

      Sem razões ou argumentos, a Folha de S.Paulo perpetrou ataques ignominiosos, arbitrários e irresponsáveis à atuação desses dois combativos acadêmicos e intelectuais brasileiros. Assim, vimos manifestar-lhes nosso irrestrito apoio e solidariedade ante as insólitas críticas pessoais e políticas contidas na infamante nota da direção editorial do jornal.

      Pela luta pertinaz e consequente em defesa dos direitos humanos, Maria Victoria Benevides e Fábio Konder Comparato merecem o reconhecimento e o respeito de todo o povo brasileiro.”

      *

      Folha avalia que errou, mas reitera críticas

      DA REDAÇÃO

      O diretor de Redação da Folha, Otavio Frias Filho, divulgou ontem as seguintes declarações:

      “O uso da expressão “ditabranda” em editorial de 17 de fevereiro passado foi um erro. O termo tem uma conotação leviana que não se presta à gravidade do assunto. Todas as ditaduras são igualmente abomináveis.

      Do ponto de vista histórico, porém, é um fato que a ditadura militar brasileira, com toda a sua truculência, foi menos repressiva que as congêneres argentina, uruguaia e chilena -ou que a ditadura cubana, de esquerda.

      A nota publicada juntamente com as mensagens dos professores Comparato e Benevides na edição de 20 de fevereiro reagiu com rispidez a uma imprecação ríspida: que os responsáveis pelo editorial fossem forçados, “de joelhos”, a uma autocrítica em praça pública.

      Para se arvorar em tutores do comportamento democrático alheio, falta a esses democratas de fachada mostrar que repudiam, com o mesmo furor inquisitorial, os métodos das ditaduras de esquerda com as quais simpatizam.”

      Otavio Frias Filho

  • A folha se supera, a cada dia, em canalhice e covardia. Como essas figuras, que se dizem jornalistas, conseguem ser tão púrias, tão fétidas. É o ESGOTO. Me recuso a escrever aqui, o que acabo de ler na manchete do uol. Essas figuras não são humanas, são capazes de qualquer coisa, são as bestas. Que horror!!! É de revirar o estômago!!!

  • Eduardo, a maior parte dos brasileiros cresceu sendo agredido e espancado pela policia militar no Brasil, sem contar os mortos. Sai do Brasil ha 31 anos e 11 meses e ate hoje tenho calafrios de visitar.

    Eh na frente do computador sim, gente. So quando eh critiquissimo -por exemplo, 3 ou 4 horas antes de um jogo importante- que voces tem que sair de casa coordenadamente, pegar seus carros, e ir PRO OUTRO LADO DA CIDADE comprar uma caixa de fosforos e 3 grampos de cabelo.

    SABOTEM A COPA E AS OLIMPIADAS, GENTE. Mandem essa mensagem pro planeta inteiro POR FAVOR. Botem TODO o dinheiro de Copa e Olimpiadas no lixo fazendo isso POR FAVOR. •••Sabotem o dinheiro•••.

    Eh importantissimo, bem mais do que voces imaginam.

  • A diferença dessa manifestação para outras do mesmo gênero, como as do Cansei ou “contra a corrupção”, é que dessa vez não havia alguém por trás, como partidos políticos, sindicados patronais, imprensa ou movimentos organizados. Só por isso que tinha 20 e não 500 pessoas.

  • Sobre a “manifestação”, não tem nem o que dizer. Acho que é um gasto de energia e papel desnecessário noticiar essa catastrofe. Quanta gente feia.
    Mas sobre o total da matéria, que é o que importa, acho que basta lembrar a citação de Pullitzer afixada aí do lado: O PIG construiu esse povo vil. Esta aí, estampado nesses vinte rostos contorcidos de ódio.

    • Se fossem apenas”gente feia” até que seria aceitável. Inaceitável é perceber que estes poucos “gatos pingados” que aceitaram venderem-se em troca de qualquer merreca, são fruto de revolução social, que o Lula e a nossa geração, hoje sessentona, e calma, conquistou com sangue e lágrimas.
      Infelíz é a geração que não cultua seus líderes, nem respeita o passado de seus antepassados.
      Como alguem tem a coragem de sair brandindo palavras de baixo calão, contra o melhor Presidente que o Brasil já conheceu, e não respeita pelo menos, as conquistas sociais e os avanços economicos, que as gestões Lula, trouxeram ao país ?

      • São mesmo 20 retardados como disse o Eduardo, mas ao menos se reuniram em torno do que acreditam. Me pergunto por que nós ainda não fizemos nada em benefício do Zé
        Dirceu e do Genoíno. Estão ajoelhados diante da guilhotina e nós a zombarmos dos idiotas da foto acima sem nada fazermos. Eu inclusive.

        • E foram 70 imbecis, retardados, otarios que compareceram ao restaurante para recolher a vultuosa quantia de 15 mil reais para pagar a multa dos quadrilheiros do mensalao.

      • arabens companheiro, é isto aí. É preciso aprofundar em atabalhoadas tentativas como esta, parece que estas pessoa, não lvem nada? ou talves só veja o que sai na grande mídia. Como faz mal isto para o pais, ou melhor para a nação, Ley dos m´´´´édios já,

    • Também estive pensando sobre isso… o resultado final de anos e anos de alienação disseminada pelos meios de comunicações. Deu nisso: odiamos a política, mas ao mesmo tempo somos vítimas dela.

      Douglas Quina
      Mogi Guaçu – SP

  • Vc fez uma abordagem interessante, algo novo, que ainda não vi sendo discutido por aí: A criminalização da política atingiu não somente a esquerda como tmbm quem financiou essa criminalização, ou seja, a própria direita.

  • nos vivemos hoje uma democracia preguisosa enganosa que nos roubam de todas as maneiras ate a nossa consiencia tentam nos roubar nos tivemos uma eleiçao recentemente no nosso pais para prefeito e vereador e o que vemos a maioria dos partidos todos estao no poder ate partido que estava cotado para se acabar conseguio eleger prefeito e o que vemos prefeitos eleitos dos mesmos partidos entregando a prefeitura para o seu sucessor do seu mesmo partido sem nada sem um centavo em caixa e muitas dividas total destruiçao tem prefeitura como a da nossa cidade que era administrada pelo psb e o prefeito eleito tambem foi do psb que recebeu a prefeitura destruida lisa sem dinheiro e com muita divida saude educaçao a uma verdadeira merda a cidade completamente abandonada maquinas e tratores comprados na gestaçao passada ainda sendo pagas foram desmontadas e ninguem sabe onde foi parar computadores mesas cadeiras sumio muita coisa como o prefeito era do mesmo partido o atual silencio e o povo que se dane sera que somos obrigados a guentar isto pedimos a ajuda dos amigos vamos denuciar este abuso foram muito dinheiro dos pacs que foram desviados daqui das nossas obras totalmente abandonadas pedimos socorro paulista em pernambuco esta em estado de abandono se nos formos pensar que so o pt roubou o pais estamos todos enganados o nosso pais e asaltado ja a milhares e milhares de anos so nos juntarmos tos os partidos e colocarmos em um saco com farinha vamos ver que todos sao iguais veja o que esta acontecendo hoje na camara dos deputados as obras nos apartamentos dos senhores deputados sendo colocados banheiras de massagens carissimas para massagear os seus bubuns.

  • Prezado Eduardo
    O triste disso tudo não é a manifestação. Eles têm direito a manifestação, o triste e deplorável é a motivação. Desculpe Eduardo os termos, mas as pessoas ali presentes não estavam por repudiar a corrupção. Caso questionasse os mais velhos em quem votaram em 1998, tenho certeza absoluta que “a maioria” diria que foi em FHC ou seja a resposta revela a hipocrisia, acho que não preciso explicar a razão. Voltando a motivação dos presentes, outra certeza que chama-se preconceito.

    • Preconceito sao essa leis de contas raciais, pura razao eleitoreira, como tambem eh o tal do PROUNI. Educacao se comeca do inicio, da base, mas como criancas nao dao votos, resolveram criar o PROUNI.

  • Eduardo você tocou num ponto crucial. Nós brasileiros somos comodistas e egoístas. E interessante uma coisa. Em nosso processo de urbanização, que já tem aí uns 60 anos, tivemos uma organização urbana intensa que surgiu neste processo, os condomínios ou as grandes comunidades populares, mas estes não foram capazes de despertar no brasileiro o espírito de união, de engajamento. Isto só aparece nas catástrofes, infelizmente. Eu não tenho dúvidas que esta mudança cultural talvez seja a mais importante e desafiadora. Cada vez mais vivemos numa sociedade onde se faz necessária a participação do indivíduo onde ele está inserido, e, se não procurarmos participar intensamente da vida política do Brasil, mais e mais os espertos tomam conta. É uma coisa tão óbvia. Já ouvi gente dizer que “não tem jeito”, “não vale a pena”, “é perda de tempo”. Nada pode resolver, segundo a grande maioria. Acham que fazem a parte deles trabalhando apenas. Já escrevi aqui que nosso modelo politico faliu. Acredito que devamos criar o Poder da Sociedade Civil. Mais forte que os demais. Os outros poderes tem que nos prestar contas de uma maneira muito mais eficiente que a atual, que é uma barbada né. Para mim não tem outra saída. Chega de votar e esperar. Temos que atuar durante todo o tempo. Temos que exercer nosso poder de sociedade. Eles (governantes, parlamentares, juízes, militares, etc) trabalham pra nós. Nós é que somos autoridade.

  • Só uma observação,os movimentos Gay reúnem até 1 milhão de pessoas,mas só que no máximo 10% dos que comparecem estão defendendo a causa Gay,o resto tá só de putaria,de farra,arrumar namorado(a)etc,etc…..o Brasileiro é totalmente apolitizado,nas redes sociais acham que são politizados,mas a grande maioria não sabe nem qual é o sistema de governo brasileiro,muitos não sabem nem o nome do vice presidente,esses são os piores,pois compartilham tudo que os bacanas reacionário compartilham,é uma pena nosso povo ser assim.

    • Acham também, assim como Dom Jozé, Primeiro e Único, que estamos nos Estados Unidos do Brazil…

      Eu sou do Rio de Janeiro, e na minha infância lembro de manifestações populares, em especial em 67, 68.. e mesmo depois disto. Aqui em São Paulo também acho que houve um tempo em que as pessoas saíam de casa para protestar.. Mas os anos de ditadura, a enorme expansão da televisão com programação cada vez mais idiotizante, o nível cada vez mais baixo do ensino ( e não é só na escola pública, não !) , acho que tudo isto, junto está dando esse resultado deplorável… Como já citado, a direita que há mais de 50 anos trabalha pelo emburrecimento do país, deu um tiro no próprio pé..

  • O seleto grupo dos 20 está marcando para fevereiro uma nova manifestação. Dessa vez com a presença de Roberto Freire e Álvaro Dias.

    Agora vai.

    Vai ser um novo vexame.

  • A capitulação histórica dos movimentos de esquerda , e especificamente ao projeto globalizante imposto pelo Imperialismo a países cuja governabilidade passa pela correlação de forças com o movimento de massas, instigou a um recuo estratégico das grandes mobilizações de cunho político, e escolhendo outras formas vis e covardes de se manifestar, posto que canalizaram implicitamente a frustração coletiva via redes sociais.
    A estabilidade monetária contínua e orquestrada pelo Consenso de Washinton “esfriou” a luta dos movimentos outrora organizados, somado ao imediatismo da Indústria de cultura de massas como enfoque inclusivo social, aliado aos programas assistencialistas do governo.

  • Eu acho que é o medo, até em empresas públicas vemos pessoas serem demitidas por discordarem do sistema e não confiamos na justiça. No BB mesmo fizemos greve e fomos perseguidos para repor greve , somos ameaçados de perder funções, num banco público que descumpre leis, como confiar na justiça?

  • Por favor não ridicularizem essa enorme/espetacular/fantástica/poderosa/representativa/com forte apelo popular massa cheirosa que faz oposição política no Brasil, pois a imprensa golpista vai, cada vez mais, querer assumir esse papel como quer e está fazendo a manda chuva da Folha.

  • “Em 2011, a grande mídia tentou pôr gente na rua para protestar contra Lula, o PT e o governo Dilma. Impérios de comunicação martelaram convocações diuturnamente e colheram mais fiascos”.

    Não é assim, Edu.

    A mídia, se quiser, bota 1 milhão na rua.

    Ela não quer. ela finge querer para barganhar.

    Collor fez a bomba A e o dono da mídia mandou o povo às ruas.

    E ele vai, cordato.

    Sim, o regime militar, a GLOBO, a indiferença do português/brasileiro, diferente do espanhol, o fatalismo, as faculdades por créditos, o país é absurdamente desunido.

    Há pesquisas sérias, o brasileiro se odeia.

    Lamentável?

    Sim.

  • Eduardo, acho que a parábola abaixo aborda bem nossa desunião política e social.

    A LIÇÃO DO FOGO

    Um membro de uma igreja, que frequentava seus serviços regularmente, sem nenhum aviso deixou de participar de suas atividades. Após algumas semanas, o pastor daquele grupo decidiu visitá-lo. Era uma noite muito fria.
    O pastor encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor. Imaginando a razão da visita, o homem deu as boas-vindas ao pastor, conduziu-o a uma grande cadeira perto da lareira e ficou quieto, esperando.
    O pastor acomodou-se confortavelmente no local indicado, mas não disse nada. No silêncio sério que se formara, apenas contemplava a dança das chamas em torno das achas de lenha, que ardiam.
    Ao cabo de alguns minutos, o pastor examinou as brasas que se formaram e cuidadosamente selecionou uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para o lado.
    Voltou então a sentar-se, permanecendo silencioso e imóvel.
    O anfitrião prestava atenção a tudo, pensativo e quieto. Aos poucos a chama da brasa solitária diminuía, até que houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou-se de vez. Em pouco tempo o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um negro e frio pedaço de carvão recoberto de uma espessa camada de fuligem acinzentada.
    Nenhuma palavra foi dita entre os dois desde o cumprimento inicial. O pastor, antes de se preparar para sair, colocou o carvão frio e inútil, de volta no meio do fogo. Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor dos carvões ardentes em torno dele.
    Quando o pastor chegou a porta para sair, o anfitrião disse:
    – Obrigado, por sua visita e pelo sermão. Voltarei ao convívio do grupo. Deus o abençoe!

    • Falta-nos um “pastor” tipo Jose Dirceu, que estando livre e desimpedido de pressões jurídicas e de ameaças à sua integridade física, possa reacender ao nosso carvão, quase apagado pelo PIG.

  • Prezado Edu
    Sabe por que os sindicatos não fazem nenhum esforço para mobilizar os trabalhadores contra a imprensa e para a regulação da mídia?
    Porque há um temor muito grande por parte deles de serem investigados pela imprensa. Hoje, a estrutura sindical tem total autonomia administrativa e não há nenhum controle sobre suas operações financeiras e sequer há auditoria de algum órgão público. Eles recebem um fortuna vinda dos bolsos dos trabalhadores e fazem o que bem entendem com o dinheiro.
    Se os sindicatos cutucarem a imprensa, essa virá com tudo pra cima e certamente descobrirá muitas falcatruas na contabilidade das entidades sindicais.
    A contabilidade de um sindicato é uma caixa preta, tal qual é a da OAB, do Crea e ai por diante…..

    Sindicatos também têm medo da imprensa!!! Esse é o grande segredo. Duvida??

    • Infelizmente, a grande imprensa, que é uma máfia muito mais poderosa e muito mais ladra, não é investigada por alguém, pois a globo por exemplo grilou o terreno de sua filial de São Paulo, com aval do PSDB e dos órgãos paulistas, como MP, que se fazem de cegos.

  • Edu, desculpe se já postaram e voce respondeu, pois não vi. Mas voce tomou conhecimento de que estão querendo marcar um outro ato para o dia 24/02?

  • O que falar desta passeata contra Lula e o PT, patética. Quanto ao povo brasileiro não se mobilizar para protestar, pode ser o comodismo, pode ser a situação econômica que está boa, daí o povão pensa, pra que protestar, pode ser a não politização como vc mesmo falou. Mas se for para pôr Lula na cadeia, aí sim, eu acho que irão ter grandes passeatas, que nem no tempo do “fora Collor”.

    PS.: Eu acho que Collor hoje em dia está se redimindo, pois é um dos poucos que lutam contra o prevaricador gurgel e tentou colocar poli e civita para depor na falida cpi do cachoeira.

  • edu bom dia todos nos sabemos que sem mobilisaçao nao chegamos a lugar nem um foi asim para enchotarmos o fernando collor do planalto tudo começou por um motorista e pelo pedro collor seu irmao e depois a inesquecivel onda dos caras pintadas mais nos sabemos que do governo collor para ca muita coisa mudou no nosso pais de sarnei ate fernando herinque foi muita mentira o governo sarnei nos levou a uma cri9se de abastecimento alimentar que nossas crianças teve que tomar leite vindos de chernobiu e nos comiamos carndes congeladas de mais de um ano congeladas veio fhc o homem que colocou o brasil em leilao vendeu as maires e melhores empresas produtivas do pais e dinheiro destas vendas so serviram para salvar banqueiros como foi o caso do banco nacional do magalhaes pinto sogro do filho de fhc o restante do dinheiro sumiu e ate hoje ninguem cometa nada veio o governo lula pegou o brasil quebrado desmoralisado em varios paises do mundo devendo ate cabelo de careca ao fmi so vivia de joelhos na porta do fmi de caneco na mao depos de passados 8 anos de governo lula curou a doença que o brasil tinha era um cancer brabo na area financeira do nosso pais que mesmo com acrise mundial que passamos nao fomos afetados nem na primeira crise nem esta que estamos vivenciando hoje vi um pais e vejo crescendo e a sua populaçao comprando aquilo que quer e como quer nos estamos vivendo hoje uma grande crise sim e a politica do ciume que começou com lula e agora esta com a dilma pos o pt governou o brasil por 8 anos com lula esta ai com a sua sussera dilma por 2 anos e ai que esta a crise a crise di ciume e do medo de perderem e vao perder mais esta eleiçao para presidente da republica ou para dilma ou para o lula se deixarem o povo ainda vota no lula por mais 20 anos p-ara mim se for para levar o brasil alem do primeiro mundo eu votarei pt veja so eduardo a questao das eleiçoes em sao paulo com todas as denuncias contra o pt em sao paulo o maior contigente eleitoral do nosso pais votou no pt pos ja estavam cansados de votar no psdb que perdeu o rumo seu barco furou e nunca mais souberam administrar nada sao paulo hoje tem um governador que e um fiasco administrativo na area de segurança publica que o diga depois do desastre dos drogados e pinheirinho eles estao sendo castigados ate hoje estao pagando caro por um grave pecado que cometeram contra umas pessoas e uma populaçao sofrida de sao paulo e as favelas que pega fogo quase constatemente em sao paulo que as veses eu acho muito estranho eles precisam procurar os comfissionarios pedir perdao a Deus por tantos pecados cometidos porque o povo nao perdoa abraços do linguarudo de pernambuco.

  • De certa forma o PIG consegue seu intento de fazer que o “povo” fique fora de qualquer manifestação, acredito que para eles não importa se os direitosos querem ou não ir as ruas…..O importante, para o PIG é que ninguém apareça.

  • É claro que não se muda um país só diante de um computador, muito menos se faz mudança com ideias surgidas do nada. Uma particularidade do nosso povo é ser reativo, assim como os próprios governantes e até setores significativos da intelectualidade e da comunicação em geral. O que não podemos é deixar de levar em conta uma característica ampla de nossa sociedade: mais de 70% dela não tem o ensino médio completo. Sem instrução a compreensão política é, quase sempre, limitada às necessidades imediatas. Povo politizado é povo instruído. Se isso não for uma regra, também, não chega a ser uma exceção. No nosso caso, creio, que para se fazer movimento político de massa, ou manifestações médias e grandes de ruas, carece de lideranças que a estimulem e a incentivem. Manifestações movidas pelas ideias, só mesmo com compreensão política e essa, meu caro e bom blogueiro, só com Educação. Indicador que nos falta, e muito.

  • nos precisamos neste pais e de politicos honestos se formos esperar por educaçao neste pais para resolvermos a nossa situaçao de fome e de miseria vamos morer de fome e de sede como esta acontecendo aqui no nosso nordeste com a seca a populaçao morendo de sede e fome como no sertao do nosso estado a seca ja vem acontecendo a mais de cincoenta anos atras nos tivemos um presidente que nao tinha um bom nivel cultural e durante a campanha em sua eleiçao os partidos contrarios mostrava no guia eleitoral que ele nao teria competencia de governar o pais por ser analfabeto e nao saber falar com os presidentes de outros paises no caso com o barack obama nos fomos um pais que crescemos misteriosamente nos tornamos um pais mais amados e visto pelo mundo inteiro de um modo diferente nos tivemos um governo que foi amado e respeitado por todos em todos os paises do mundo ate hoje o nosso lula querido onde chega sera que e por sua maneira educada e de sua simplicidade que ele e tao amado no exterir e no brasil e tao humilhado por meia duzia de gatos pigados como algums falam nos temos no nosso pais pessoas que tem o dom de Deus muitos nao tem leitura suficiente para certas discuçoes politicas mais tem o dom do conhecimento o dom da vida o dom de Deus voces meus queridos irmaos e semelhantes seja voce Dr. ou Dra. seja la o que for sabe o que nos falta e o amor com amor nos nos fortalecemos nos engrandecemos somos visto por Deus com um olhar diferente pos so com amor se constroi maravilhas o amor nos tras a vida e o dom da vida vem de Deus pense nisto sao paulo que eu muito amo coonhece muita gente que pensa asim eu morei ai por mais de 15 anos ja estou em pernambuco de volta no meu acochego a mais de 25 anos nunca mais voltei a sao paulo mais sinto muita saudade dos amigos que conquistei ai muitos ja se foram mais a saudade e eterna e fica em nossos coraçoes a educaçao a saude moradia trabalho direito de ir e vir tudo isto e um direito do cidadao mais nos sao sarciados quem vai nos devolver este direito e a nossa luta vinda de nos cidadoes pobres ricos nutridos e desnutridos deste pais o brasil esta se transformado e a geraçao lula e dilma que nos conduziu a este caminho que muito agradecemos a Deus por nos ter dado esta dadiva de vitoria somos hoje o brasil de lula e dilma se for da vontade de Deus que continue asim por longos e longos anos queira ou nao queira estes farrapos de opositores.

  • Como disse Morvan, Usuário Linux #433640: são vinte gatos pigados. Eles não devem perder nenhum minuto do prostíbulo BBB da famiglia Marinho.

  • Só uma pergunta: aqui, por ser um espaço dito democrático, vai permitir comentários contrários ao vigente governo federal ou somente a favor? Aguardo resposta.

  • São as informações e não acredito que isso seja reflexo de coisa nossa. Há muito ouço dizer que o big brother é recorrente no dia a dia do brasileiro e o medo da exposição foi incutido no subconsciente do povo brasileiro com as intenções óbvias de tirar a possibilidade de domínio do povo para o povo. Informações subliminares, invasão de e-mails, contas do facebook e de arquivos de computadores sem dizer da inépcia policial e da justiça que não se sabe que lado está, faz com que até as conversas sobre politica até no meio familiar sejam praticamente abolidas.
    Procuro não ficar com medo de escrever um comentário e o faço com convicção para não me castrar totalmente das minhas idéias políticas mas tenho horror em sair pelas ruas a defender uma posição por mais legítima que seja. Considero-me totalmente covarde e não me envergonho disso porque é verdade e sabendo que não sou bom para isso procuro compensar com outras atitudes cidadãs.
    Acredito ter consciência de que o povo brasileiro é o melhor povo do mundo pois ele é o sucesso da miscigenação, é a prova de que a solução para todas as desavenças mundiais só terminarão com a gloabalizaçao das raças. Aqui não se vê chines brigando com japones, nem sírio brigando com turco, nem judeu brigando com palestino ou com um iraniano. O que se vê é uma verdadeira harmonia. Somos pacíficos, graças a Deus, somos uma grande mistura risonha, brincalhona e autêntica.
    Sinto que tentam nos manipular e não nos expor é uma maneira de nos proteger de nossos dogmas, conceitos políticos, religiosos e milhares de outras coisas que nos são importantes.

  • Os “comentaristas” das notícias no uol.estadao,globo, terra, yahoo, ig, etc. etc. são sempre “maioria” absoluta, uma verdadeira multidão de gente anti-Lula. Para quem acredita que são leitores reais e não robôs ou comentaristas pagos, a multidãozinha que o PIG conseguiu reunir no protesto desmascara muita coisa.

  • não sei como é a contagem na Venezuela, Argentina, França, etc, mas os milhões da parada gay e dos evangélicos é pura lorota, cada grupo quer ser maior que o outro e ficam aumentando a cada ano, se um diz que é 1 milhão, o outro aumenta pra 2 e assim por diante, já chegamos aos 5 milhões. Na Avenida Paulista lotada de cabo a rabo igual a trem da central na hora do rush não cabem nem quinhentas mil pessoas.

  • Essa turma de cansados do Cansei não perde a mania de fazerem um papel ridiculo,como os vinte que ilustram a foto desse post.Ah sim corrupção do PT?Que tal falarmos da corrupção do PSDB tambem?Alias que tal falarmos do envolvimento do tal senador cheirador de pó Aecio Neves com o contrabando bilionario de Niobio?E aproveitando a cancha que tal falarmos do envolvimento do mesmo cheirador de pó e alcoolatra Aecio Neves mais Eduardo Azeredo ex governador tucano e atual deputado federal pelo PSDB no assassinato da modelo mineira Cristiana Aparecida Ferreira ocorrido no ano 2000 em um flat em BH?Que tal falarmos tambem do envolvimento de Aecio Neves com adolescentes e pré adolescentes nas orgias que o cheirador mineiro promove em seu apartamento no Rio de Janeiro,orgias regadas a drogas e alcool?

  • Apenas para refrescar a memoria de algumas pessoas acometidas de amnesia seletiva.Sim,amnesia seletiva,tal qual a indignação seletiva é um problema que ocorre normalmente quando tais pessoas se indignam com ou se lembram de fatos noticiados como escandalo envolvendo o PT,mesmo que tais fatos tenham ocorrido na decada de 90,por exemplo.Já quando fatos comprovadamente criminosos,como a ação genocida da policia tucana em Pinheirinho,quando não noticiada com um vies favoravel a ação do governo do PSDB,a maioria simplesmente tenta omitir tal informação como se Pinheirinho ou Cracolandia ou o massacre de sem terras em Eldorado de Carajas no ano de 1996 no Pará a mando do governador tucano Almir Gabriel jamais houvesse existido.Em assim sendo,porque ninguem fala que Marcos Valerio é cria do PSDB de Minas?Porque ninguem fala da compra de votos feita por FHC para aprovar a emenda da reeleição em 1997?Onde estão os bilhões de reais arrecadados com a venda de inumeras estatais durante a era FHC?Quer dizer então que a corrupção só passou a existir no Brasil a partir de 2003 com a chegada de Lula à presidencia da República?FHC quer posar de vestal da moralidade pública,mas a moralidade dele vale tanto quanto o escarro de um tuberculoso ou quanto um prato de comida estragada ou quanto agua estagnada.FHC e seu partido são como um rei midas.Onde um ou outro bota mão,apodrece.

    • Quanta besteira cara, vai querer dizer que Lula o molusko bebum é santo? Qual é cara. FHC, Lula e demais petralhas são tudo farinhas do mesmo saco rapaz. Frutos da repressão militar. O que me parece é que voces já estão de cabeça feita, só querem endeusar Lula, um Ladrão, bebum, idiota, vagabundo que sempre viveu às custas de sindicatos. Dá pra ver como o Brasil regrediu em cultura e vai acabar sendo uma republiqueta de bananas. Que vergonha ter que aturar um bandido se fazendo de Deus dos pobres. Dá nojo ver esses comentarios petistas aloprados.

Deixe uma resposta