Barbosa deixa esquerda perplexa e direita indignada

Análise

 

Desde que o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, deixou ver que pretendia auferir os favores da direita midiática promovendo a condenação in limine dos réus do julgamento do mensalão, tornara-se previsível que até poderia obter tais favores, mas estes teriam duração limitada ao período em que ele fosse útil.

Para evitar um “nariz de cera” (introdução longa), vou logo avisando que o assunto do post é a declaração desse cavalheiro sobre a grande imprensa brasileira ter viés racista e ser francamente de direita.

Agora sim, portanto, posso fazer sossegado o necessário preâmbulo.

A relação de Barbosa com a imprensa sempre teve altos e baixos. Sua nomeação como ministro do STF por Lula em 2003 até chegou a ser saudada pela imprensa por conta de apenas um de seus vários méritos, mas que foi o que pesou, preponderantemente, em sua indicação para o cargo: o mérito de ser negro.

Por que ser negro seria um mérito? Em situações normais não é mérito ou demérito, mas tão-somente um fator genético tal qual peso, altura etc. Porém, só em situações normais.

Um negro chegar a ministro do Supremo Tribunal Federal é meritório porque, em tese, significa que superou não só as dificuldades intelectuais que qualquer um tem para vencer tantos candidatos a um cargo como esse, mas também a desvantagem que ser negro gera em um país em que há tanto racismo.

A pergunta obrigatória a se fazer, portanto, é a seguinte: Barbosa seria nomeado ministro do STF se a quantidade de melanina em sua pele fosse menor ao ponto de deixá-la tão branca quanto as dos demais ministros daquela Corte?

É difícil responder taxativamente. Não se pode dizer que alguém com tanto saber quanto todos sabem que Barbosa tem não tenha ao menos currículo para exercer um cargo como esse. Contudo, quem o escolheu foi Lula, que não fez segredo de que pôr um negro pela primeira vez no STF era seu objetivo ao menos naquela nomeação em particular.

Já conversei com ao menos duas pessoas que presenciaram a escolha de Barbosa por Lula e elas me garantiram que o ex-presidente, na oportunidade, inquiriu os assessores da seguinte forma: “Quero colocar um negro no STF. Quem vocês têm aí?”

Não basta ter cultura para ser ministro do STF e tampouco basta ser poliglota. Mas também não basta ser negro. Tem que ter currículo, e o de Barbosa chega a tornar inexplicável que não tivesse sido ao menos cogitado antes para o cargo. É de tirar o fôlego.

Confira, abaixo, as credenciais do presidente do Supremo (Wikipedia)

—–

Biografia de Joaquim Barbosa

Wikipedia

“Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, noroeste de Minas Gerais. É o primogênito de oito filhos. Pai pedreiro e mãe dona de casa, passou a ser arrimo de família quando estes se separaram.

Aos 16 anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica do Correio Braziliense e terminou o segundo grau, sempre estudando em colégio público.

Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde, em seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.

Foi Oficial de Chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (1976-1979), tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Finlândia e, após, foi advogado do Serpro (1979-84).

Prestou concurso público para procurador da República e foi aprovado.

Licenciou-se do cargo e foi estudar na França por quatro anos, tendo obtido seu mestrado e doutorado, ambos em Direito Público, pela Universidade de Paris-II (Panthéon-Assas) em 1990 e 1993.

Retornou ao cargo de procurador no Rio de Janeiro e se tornou professor concursado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Foi visiting scholar no Human Rights Institute da faculdade de direito da Universidade Columbia em Nova York (1999 a 2000) e na Universidade da Califórnia Los Angeles School of Law (2002 a 2003).

Fez estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha.

É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol. Toca piano e violino desde os 16 anos de idade.

Foi indicado Ministro do STF por Lula em 2003.

Joaquim Barbosa é o primeiro ministro reconhecidamente negro do STF, uma vez que, anteriormente, já compuseram a Corte um mulato escuro, Hermenegildo de Barros, e um mulato claro, Pedro Lessa.”

—–

Se credenciais não faltam a Barbosa, tampouco lhe faltavam, em 2003, concorrentes à altura. O que nenhum deles tinha, porém, era o mérito de adquirir tanto saber partindo das condições de que “o juiz negro de Lula” partiu.

Todavia, não faltariam concorrentes a Barbosa que tivessem maior experiência  do que ele na magistratura em vez de experiência quase que exclusivamente na Promotoria Pública, onde não se julga, acusa-se.

Eis, portanto, o contexto em que Barbosa foi escolhido: o de um homem altamente ilustrado e com uma história de vida edificante, mas insuficientemente talhado para julgar por falta de notório saber como magistrado, que, por definição, tem que ser o ponto de equilíbrio entre o acusador e o defensor.

Chegamos, assim, a 2007. Até então, ministros do Supremo não tinham o caráter midiático que têm hoje. A partir dali, porém, tornaram-se alvo do escrutínio da mesma grande imprensa que Barbosa recém criticou.

Naquele ano, o STF aceitou a Ação Penal 470, o inquérito do mensalão, sob pressão da imprensa, ao menos segundo o ministro Ricardo Lewandowski, que foi flagrado comentando que a Corte decidiu “com a faca no pescoço” colocada por ela.

A partir dali, cada juiz passou a ser fiscalizado por esse setor da imprensa para que soubesse de antemão como o colegiado do STF julgaria um processo que interessava àquele setor que terminasse com duras condenações, pois seus inimigos políticos seriam julgados.

Quando, pouco depois, Barbosa enfrentou, no Pleno do STF – e com transmissão pela TV Justiça –, o ministro Gilmar Mendes (quem, até hoje, é tido como preposto do PSDB, o partido aliado dessa imprensa), o ministro “de Lula” virou alvo. Por meses a fio, apanhou sem parar dos jornais que acaba de dizer “de direita”.

Barbosa, como Lewandowski, passara a ser considerado voto certo pela absolvição dos “mensaleiros”. Ao enfrentar Gilmar, virou o ministro “do PT” enfrentando o ministro do PSDB. Assim, foi perseguido pela imprensa, que, para atacá-lo, usou um seu problema de coluna que o fez perder muitas sessões do STF para se tratar.

Ano passado, logo que o julgamento do mensalão deu seus primeiros passos no rumo que tomaria até o fim, escrevi nesta página sobre “A redenção de Joaquim Barbosa”. O “ministro negro de Lula” estava, voluntariamente, tornando-se o ministro negro da mídia tucana, o “Batman”, o vingador da direita brasileira, que o elegera seu herói.

Barbosa virou intocável (na mídia) durante o processo do mensalão. Os que comemoraram a indicação de um negro para o STF viraram “racistas” por criticarem a condução autoritária e linchadora que ele deu à Relatoria da AP 470.

Elogiado desbragadamente pela mídia, passou a ser convidado para eventos de louvação ao massacre de petistas e até do próprio PT que perpetrou durante suas diatribes no julgamento do mensalão, nas quais acusou o partido mesmo sem ele figurar no processo.

Inebriado pela louvação midiática, sua virulência contra réus que deveria julgar com serenidade foi aumentando na proporção dos elogios que os jornais que agora reconhece racistas e de direita usaram como fermento para que proferisse as frases de efeito que esperavam que lhes trouxessem um benefício eleitoral que acabou não aparecendo.

Aos poucos, dada a irreversibilidade do caminho pelo qual enveredou durante o julgamento – que não lhe permite voltar atrás –, Barbosa foi deixando de ser útil. Sobretudo quando chegou à Presidência do STF e começou a surtar por conta da droga do orgulho inflado, que o fez protagonizar cenas de truculência ao sinal da mínima contestação.

A repercussão dos surtos de Barbosa pela imprensa – até por ele ter mostrado a ela que a sua truculência se tornara incontrolável ao não admitir nem críticas suaves – passou a ser inevitável. Eis que ele chega à conclusão de que seus favores durante o julgamento do mensalão não bastaram para impedir o que entendeu como ingratidão e preconceito.

As críticas do presidente do STF à imprensa durante o evento de que participou recentemente na Costa Rica, portanto, constituem uma retaliação à ingratidão que ele acredita que ela lhe dedicou após tão relevante serviço prestado.

Barbosa disse frases impecáveis sobre a imprensa brasileira, o que mostra que sabe muito bem a que forças políticas serviu. Ou alguém pode negar que praticamente não há negros em posições de destaque não só na imprensa, mas na mídia como um todo e, também, que essa mídia é de direita?

É irrefreável a força das palavras do presidente do STF sobre a imprensa não só por ocupar o cargo que ocupa, mas, também, pela sensação de verossimilhança que causam em quem delas tomar conhecimento, pois todos sabem o que é a mídia brasileira.

Um dos poucos comentários na mídia sobre o que Barbosa disse sobre ela, porém, parece conter um aviso. Leia, abaixo, trecho do comentário do blogueiro da Veja Reinaldo Azevedo.

—–

Blog de Reinaldo Azevedo

03/05/2013

Assim não, ministro Joaquim Barbosa!

(…)

Barbosa fez ainda considerações sobre a imprensa brasileira que certamente deixarão excitados os petistas interessados em controlá-la. E ainda fez o desfavor de misturar cor de pele com ideologia:

Eu não seria sincero se eu concluísse essa apresentação sem trazer para esse público desvantagens que vejo no meu país acerca da informação, da comunicação, da liberdade de expressão e da liberdade de imprensa (…). No Brasil, negros e mulatos representam de 50% a 51% do total da população, mas não brancos são bem raros nas redações, nas telas de TV, sem mencionar a quase abstenção deles nas posições de controle ou liderança na maioria dos veículos de comunicações. É quase como se eles não existissem no mercado de ideias. Raramente eles são chamados para expressar seus pontos de vista. Esse é o maior problema para nós, no meu ponto de vista. Eu apontaria a fraca diversidade política e ideológica na imprensa. O Brasil tem hoje três principais jornais nacionais impressos, todos eles mais ou menos inclinados para a direita no campo das ideias.

Não há preconceito racial nenhum na imprensa brasileira. Pode até ser verdade, e deve ser, que haja menos jornalistas negros e mestiços (ou “mulatos”, para usar a expressão de Barbosa). E as empresas fazem uma seleção, dada a mão de obra disponível. O que ele sugere? Cotas nas redações?

Quando à questão da ideologia, Joaquim Barbosa escolha qualquer tema, e não será difícil demonstrar que os três grandes jornais brasileiros estão é alinhados à esquerda. Adoraria que ele tentasse demonstrar a sua tese. Eu lhe provaria o contrário com uma pletora de exemplos.

Noto que Barbosa decidiu se comportar nesse seminário como se fosse o observador de uma alguma entidade internacional que fosse contar aos estrangeiros como é o Brasil. Um péssimo momento.

—–

Comecemos pelo título. “Assim não, ministro Joaquim Barbosa!”, parece-me um aviso. E a você, leitor?

Seja como for, é risível que o articulista não tenha dito “Realmente, quase não há negros na mídia em um país de maioria negra”. Não é que há menos, é que há uma proporção ridiculamente pequena apesar de não faltarem jornalistas negros, atores negros etc.

“Mão-de-obra disponível” uma pinoia! A mídia não contrata negros jornalistas e não os coloca em posições de liderança das redações porque não quer, pois posso conseguir um exército de jornalistas negros se algum veículo disser que irá contratá-los.

A argumentação torta de Azevedo, porém, não é o objetivo deste texto. O fato é que sob um respeito incomum no texto do blogueiro da Veja viceja uma sensação de que foi um aviso. “Assim não!”, com ponto de exclamação no fim da frase, quer dizer que um determinado comportamento não será admitido.

A pergunta que resiste à análise sem ser respondida, portanto, é: será que Barbosa ficará com medo da mídia e evitará novas críticas ou terá entendido que alguém como ele jamais terá um acordo duradouro com ela?

135 comments

  • Edu, que texto maravilhoso………………
    Reinaldo (aquele que rola) disse isso??………………………. ¨ não será difícil demonstrar que os três grandes jornais brasileiros estão é alinhados à esquerda ¨

    eu entendi bem?????

  • Mas aí teríamos que causar dúvidas para a indicação de todos os membros do STF… o Mello foi escolhido pelos cabelos e dicção? Mendes por ser careca? E aí vai… não gostei.

  • É tudo jogo de cena Eduardo.
    Joaquim Barbosa só falou o que falou da mídia do Brasil por quê precisava impressionar a côrte Internacional caso os réus apareçam pôr lá.
    Ele continua deslumbrado com a mídia e é o mesmo medíocre de sempre.
    É uma espécie de capitão do mato da grande mídia e aceita isso numa boa ,pois tem sonho de entrar na ABL e coisas do tipo.
    É pôr natureza um frustrado e não se aceita.

    • Deve ser isto mesmo. Ele deve estar despistando a corte interamericana para dar uma de imparcial e de juiz que cumpriu o rito corretamente, dando oportunidade ao contraditória e a ampla defesa. Tapeador este senhor.

    • Eu entendo que o Joaquim Barbosa ficou enciumado porque esperava mais atenção da mídia e nos últimos dias viu os holofotes se virarem mais em direção de Gilmar.
      Quanto ao Reinaldo Azevedo, o recado foi o seguinte: “Ponha-se no seu lugar, que você está aí para servir, e não ser servido!”

    • Isso mesmo, Chacal. Tem toda razão. Esse sujeito não merece a mínima confiança. Eu não aceitaria um cheque dele… Ele promoveu a própria perda de credibilidade pelo seu comportamento vagal e desconcertante (isso vindo de um juiz…).

    • Não! Ele falou o que falou porque saiu do circuito interno e teve a oportunidade de encontrar o contraditório inegável. Por certo teve a oportunidade de conversar com iguais em capacidade intelectual e sacou de pronto que foi ”usado” e ”descartado”. Como os holofotes não o acompanharam, sentiu, por certo, que se encontrava só diante de uma riqueza de virtudes, pois lá se encontravam ”os melhores” e aí a ficha caiu! Surge então a luz que muitas vezes só brilha segundos antes, segundo o espiritismo, da história de sua vida e de todos os que se encontram ao redor. A lucidez que desprezamos enquanto somos bajulados, mas que não partilha-se com seus semelhantes. Lucidez que lhe faltou quando da aplicação da tal ”Teoria” nunca antes usada, mas que foi espetacular para promover o show a aqueles que lhes estenderam um tapete vermelho, temporário, e que dia a dia provou-se um grande engodo. ainda há tempo. Mais vale uma reavaliação em vida do que uma lápide linda, mas falsa.

      Douglas Quina
      Mogi Guaçu – SP

  • “Quando à questão da ideologia, Joaquim Barbosa escolha qualquer tema, e não será difícil demonstrar que os três grandes jornais brasileiros estão é alinhados à esquerda. Adoraria que ele tentasse demonstrar a sua tese. Eu lhe provaria o contrário com uma pletora de exemplos.”

    Mas como é cínico este tio rei. Este é um canalha de primeira linha.

  • O pior disto tudo, é que barbosa, sabendo como a mídia é, ainda vai seguir o jogo dela. Ele devia pelo menos tentar se redimir e fazer a coisa certa agora. Isso seria um verdadeiro troco a esta mídia golpista de direita. Mas a realidade será outra.

  • Eu discordo da avaliação de que Joaquim Barbosa “deixou ver que pretendia auferir os favores da direita midiática promovendo a condenação in limine dos réus do julgamento do mensalão”.

    Basta lembrar como ele agiu no episódio da Operação Satiagraha.

    Você deve se lembrar que a mídia conservadora estava do lado de Daniel Dantas e Gilmar Mendes, aceitando sem pestanejar a teoria do grampo sem áudio, e ficando quieta diante dos habeas corpus relâmpagos.

    Joaquim Barbosa foi a única voz a se levantar contra os interesses da mídia, e dizer para quem quisesse ouvir que ele estava destruindo o judiciário brasileiro.

    Naquela época toda a blogosfera de esquerda se admirou com a postura de Joaquim Barbosa, enquanto que a direita… bem, vou dar apenas um exemplo do blog do esgoto:

    JOAQUIM BARBOSA DESMORALIZOU O SUPREMO E É RETRATO E PROTAGONISTA DE UMA CRISE GRAVE

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/joaquim-barbosa-desmoralizou-supremo-retrato-protagonista-uma-crise-grave/

    Pois bem.

    Passaram-se apenas 3 anos, e Joaquim Barbosa manteve seu mesmo estilo implacável — só que, desta vez, contra os acusados do mensalão.

    E de repente a mesma blogosfera passou a tratá-lo como “vendido” ou “influenciado pela mídia”; enquanto que a mídia passou a tratá-lo como herói.

    Será que Joaquim Barbosa mudou, ou mudaram os outros?

    Eu acho que Joaquim Barbosa manteve-se coerente com aquilo que acredita. Goste-se ou não, ele tem esse estilo duro, seja no trato com seus pares, seja no julgamento dos réus.

    E não vamos nos esquecer que, mesmo no momento em que ele era mais incensado pela mídia, ele falou abertamente que havia votado no Lula e não se arrependia.

    Tudo isso parece indicar que, no mínimo, ele não se deixa levar pela opinião dos outros. Concorde ou não com seus métodos, ele age de acordo com sua consciência.

  • Brabosão é o lobão com capa de supremo. Bipolar político com certeza, faz da sobrevivência na adversidade estratégia de vida. Recomenda-se distância e silêncio absoluto dessas midiáticas figuras, pois passarão, enquanto sonhos passarinho, como bem lembrou Genoíno, de Quintana, que em vida não conseguiu ser imortal como o Merval. Acredite se quiser!

  • Sei lá, Edu, esse curriculum aí não me pareceu grande coisa, não. Fica faltando um “link” entre as etapas. Ninguém chega numa cidade e sai se dando bem, sem ajuda e, no caso de Barbosa, eu sinto que falta sempre um “padrinho”. Posso estar enganada mas sigo achando esse cara muito estranho. A arrogância dele é muito típica de pessoas que não tem histórico de luta e o seu curriculum quer nos dizer, exatamente, o oposto, ou seja, que foi uma pessoa que lutou para chegar onde chegou e não que tenha pego o mesmo caminho de seus pares, a saber, lobbies, influência, berço, enfim as facilidades que todos sabemos povoam a vida dos bem nascidos.
    Com relação a ser negro, tudo bem que o Lula queria um negro e se ele não fosse o indicado, seria outro mas, assim como os outros, não foi sua capacidade que o levou até ali. Um pq era negro, outra pq era mulher, outro pq era amigo de fulano, outro pq foi indicado por sei lá quem… O fato é que, depois desse julgamento, ficou claro para todo o Brasil que, a capacidade para estar ali é o quesito menos importante na escolha. Mais branco do que Fux é iimpossível e se ele fosse negro? Tanto faz, pq o que o levou até ali foram os lobbies. Até a Xuxa pode chegar ao STF! O que menos busca no indicado é o tal de notório saber que, pelo visto é bem fácil de ser descolado ( todos são cheios de títulos ) mas bem complicado na hora de ser posto em prática. Nossa elite é uma fraude, Edu. Sobreviveram, até agora, do marketing de si próprios e de nossa admiração ignorante. Agora, está explicado o pânico que a elite tem de concorrer com a patuleia e, portanto, tudo para eles tem que ser “via atalho”. São incapazes de fazer qq coisa embora estejam qualificados para tudo. Esse julgamento acabou servindo muito mais ao Brasil do que eu podia imaginar. Desde o início, por ingenua crença na Justiça, acreditei que isso não daria em nada por ser, obviamente, uma aberração. Tinha certeza que, mais cedo ou mais tarde, os magistrados tratariam de tirar seus nomes dessa empreitada. Levei em conta a formação que eu acreditava existir, já que a minha, infinitamente, inferior, não deixava dúvidas qto as barbaridades que estavam sendo perpetradas. Como aqueles caras, poderiam levar aquilo adiante? Para mim era e continua sendo impossível, ainda tenho certeza absoluta, que os ministros vão reverter isso. Não levei em conta o principal, além de colocar um peso absurdo no acessório e imagino que esse seja o nosso maio equivoco. A formação sólida, que seria o acessório, eles não tem. O plenário é um circo de pulgas; tudo ilusão. Nós nos iludimos; eles estão iludidos. O principal é a luta de classes, é o pânico que esses caras tem de perder o que nunca tiveram, essa superioridade em relação aos demais. Não é a cor, não é o gênero… é uma condição que foi oferecida a eles e foi negada a maioria; de qq forma essa condição é doada não é conquistada e é isso que está em jogo para STF/Mídia/PGR, a manutenção do mito da superioridade. Vão ter que se esforçar mais, muito mais pq até aqui, nós fomos muito melhores.

    • Gostei muito do seu comentário, Cristiana.
      Parece mesmo que sempre falta um “padrinho”. A propósito, segundo entendi pela cronologia da biografia, aos 16 anos ele já era arrimo de família quando foi para Brasília. Estudar e trabalhar é louvável mas está parecendo que ele se desincumbiu do arrimo, que foi cuidar da própria vida e na família cada um por si. Eu gostaria de saber se, a medida que ele progredia, esse progresso refletia-se também no bem estar dos familiares, pois isso diz muito sobre a índole de uma pessoa.

  • Mais uma vez, excelente texto. Acho que o preconceito tem atributos ‘especialíssimos’. Se de um lado todo o preconceito é burro no seu reducionismo, porque se afasta da necessária compreensão plural da realidade (vide a conhecida fábula do elefante e os sábios cegos indianos), por outro lado consegue invejáveis vitórias no campo da ‘política’ que evita a política. O uso político do preconceito é ideológico, no sentido próprio de ocultamento, na medida em que utiliza a moral e os ‘bons costumes’, ou seja, o pensamento hegemônico do senso comum acrítico, como o campo conveniente dos debates exatamente para esvaziar o embate propriamente político da discussão racional e crítica das ideias. Como todo o moralismo é pobre e raso, assim fica a política e as decisões decorrentes embasadas em preconceitos. Na medida em que os preconceitos se constroem ou reforçam a partir de estereótipos, vigilante e atentamente erigidos e perpetuados pelos instrumentos disponíveis junto ao senso comum dominante (grandes veículos da mídia convencional, a família tradicional, as escolas conservadoras, as religiões autocráticas, etc.), nada é mais oblíquo e temerário do que fazer escolhas políticas supostamente progressistas a partir de estereótipos. Quaisquer escolhas sérias (mesmo as afetivas) deveriam partir dos predicados políticos dos eleitos, agregando densidade à intenção e ao ato quando a escolha se destina a um posto politizado do exercício republicano, seja este posto qual for, no âmbito do Executivo, Legislativo ou Judiciário. Impossível adotar o critério de escolher uma mulher para uma determinada posição ‘por ser mulher’, ou um negro idem, ou um gay, ou qualquer grupo social destituído de poder. Isso seria acreditar nos estereótipos enquanto ‘elementos naturais’… Antes de colocar num posto destes uma mulher, ou um negro, ou um gay, é preciso saber em que território político se situa essa mulher, esse negro, ou esse gay, de qual lugar eles nos olham e nos falam, quais valores se percebem em suas atitudes e comportamentos. Com estes cuidados, as chances de erro nas escolhas talvez sejam bem menores. Ou não foi assim que ‘deu no que deu’ com nosso ‘supremo minsitro’?

  • Eu tenho uma dúvida em relação ao Reinaldo Azevedo: Será que ele realmente acredita nas coisas que escreve? Às vezes ele fala tanta besteira que parece mentira. Acho que ele devia fazer stand up. Ele é um comediante. Meu comediante favorito. rs

    Ótima análise, Edu. Parabéns.

  • Edu,

    Barbosão veio pra confundir e não pra resolver.
    Ele tem apoio da Globo, tanto que levou um repórter dela para Costa Rica, mas acho que o “grande pacto” entre eles termina com o Mentirão. Se ele tiver um neurônio funcionante dá uma de Pilatos e larga o julgamento do Mentirão para os outros sinistros de fala embolada.

  • “Assim não, ministro Joaquim Barbosa”!
    Poderia ser acrescentada outras palavras, mas não mudaria nada! O recado já está dado!
    Quem avisa amigo é!
    Para o bom entendedor meia palavra basta!

  • Não se conhece uma pessoa pelos seus pensamentos, mas por suas ações. Serra, por exemplo, se diz “de esquerda”. Mas suas ações são de direita.

    Não temos como saber o que se passa na mente de Barbosa. O que vemos são suas ações concretas. Por exemplo, pagou (com dinheiro do stf, ou seja, nosso dinheiro) para uma jornalista da Globo cobrir sua visita à Costa Rica. Agiu como um carrasco sádico na AP-470. Disse que não estava interessado nas “abobrinhas” que a defesa tinha a dizer. Usou essa palavra, “abobrinhas”. Aliás, não estava MESMO interessado, pois dormiu como um bebê durante as explanações da defesa. Repito, agiu como um carrasco. Ou linchador.

    Então, pouco se me dá se ele diz que votou em Lula duas vezes, se ele diz que os jornais são “de direita”. Ele é um capataz dessa mesma direita. E parece gostar de ser. Isso é o que me chama a atenção.

    Essa sua atitude o credencia para ser a ferramenta do golpe de estado em preparação.

    • Se devemos julgar uma pessoa por suas ações, devemos lembrar das ações do Joaquim Barbosa na época da Operação Satiagraha, quando ele confrontou a grande mídia e o jagunço do FHC no Supremo, Gilmar Mendes.

      Ele já demonstrou que pode agir contra a grande mídia; não é porque ele foi implacável no caso do mensalão que vamos julgá-lo como um representante da direita.

      No mínimo temos que dar uma chance para que ele possa desempatar o placar, que até agora está em 1 x 1.

      E se não quisermos cometer o mesmo erro que dizemos que ele cometeu, precisamos dar a ele o benefício da dúvida. Até agora, eu acho que ele tem sido bastante coerente, para desespero da esquerda e da direita.

  • Surpreende-me o pedido dele ao frei Beto ( sem ter com este a menor intimidade ou convívio ) apoio para ingressar no STF, bem como conduzir o julgamento por núcleos, contrariando, segundo Lewandowski, a tradição do STF e carregando assim a mão contra os acusados. Dormir durante as falas dos advogados de defesa também me surpreendeu, assim como o fato de não mais vê-lo afastar-se do trabalho por dores na coluna. Desconsiderar a questão do dinheiro privado da VISANET(confirmada pela auditoria do BB e pelo Tribunal de Contas ) também surpreendeu-me.

    O que ele disse sobre a nossa imprensa e o nosso racismo não é muita novidade, de certa forma já havia deixado essa opiniáo nas entrelinhas na entrevista em que disse que votara duas vezes no Lula.

    Quanto ao Reinaldo Azevedo, a cada dia me parece mais louco que o Lobão.

  • Concordo com a Cristiana de Castro. Não consigo ver nessas declarações contra a mídia nada além do marketing político. Se ele mesmo afirmou não ter’ physique du role’ para o papel de presidente da República, não quer dizer que não esteja sendo preparado para um alto cargo executivo (vice-presidente ou governador ou,,,,). E os marqueteiros usaram o mesmo raciocínio de Lula para contrapor agora à história do próprio Lula (no meu entender,e, acredito, no de milhões de brasileiros, é mera pretensão de JB). Ele tem origem humilde, é negro e apresenta uma aparente trajetória de sucesso. Mas, as lacunas que ficam sobre a sua história, mal são preenchidas pelas demonstrações de prepotência, carreirismo e apego ao poder. Mas o braço da globo está aí, JB já apareceu com Aécio, teve convites de Eduardo Campos e agora surge Marina com sua rede e a frase “Democratizar a democracia e é mais Joaquim Barbosa e menos José Dirceu”. Além disso, a tão marcada presença no cenário internacional (Costa Rica) teve mais um contraponto. JB custeou a viagem da jornalista da Globo, sendo que o STF tem Televisão e profissionais que poderiam ter sido requisitados. Será que a dita profissional não foi justamente para assessorar ou até preparar o discurso do ministro? Ó aí o physique du role sendo construído. Ah, e encontro era um encontro sobre liberdade de imprensa. Agora, para contar uma história de vida de luta, de sabedoria e conhecimento, vamos relembrar a vida do autor de “Por uma outra globalização”, entre outras obras. Baiano, negro, geógrafo, formado coincidentemente em Direito, escritor, filósofo e conhecido internacionalmente. Esse sim, me dá o maior orgulho. Doce e suave Milton Santos, pena que não esteja mais entre nós. Ah, e vamos combinar, tem muitos Miltons Santos no Brasil, só não estão no espelho de Maya, o midiático.

  • Mas nas outras atuaçoes anteriores do heroico batman do jardim botânico, eventualmente contraditorias versus a 470, tinha holofote? Comparecia espada sobre a cabeça? Tinha 18 minutos?
    Teve enfim tao esmerado planejamento, tao exato timing eleitoral e tabelinha com a br de limeira, com plantinha da abril e toda a caterva midiatica?
    Numas pode ter havido idiossincrassias barbosianas desse liberto, um tanto desmemoriado. Nessa houve mais que isso.
    O que teria sido?

  • “Eis, portanto, o contexto em que Barbosa foi escolhido: o de um homem altamente ilustrado e com uma história de vida edificante, mas insuficientemente talhado para julgar por falta de notório saber como magistrado, que, por definição, tem que ser o ponto de equilíbrio entre o acusador e o defensor.”

    as diferenças básicas entre o q vc escreveu sobre Joaquim Barbosa e Toffoli, é q o segundo não é altamente ilustrado e nem tem uma história de vida edificante…

    Alias, quando o blogueiro vai discursar sobre as “cualidades” de Toffoli?

    um simples e medíocre advogado petista q, como recompensa pelos bons serviços prestados ao partido, foi nomeado ministro do STF!

    pau q bate em Joaquim vai bater em Antônio?

    pra variar, texto parcial e superficial…

    • Pra variar, aqueles que não concordam uma vírgula sequer com a opinião do blogueiro não saem daqui.

      O que os move?

      Prazer em polemizar?

      Algum din din por trás?

      Ou será que esperam receber favores de alguém algum dia?

      Sinistro, não?

      • e…

        e não falou nada sobre o Toffoli!

        quis apenas polemizar comigo?

        espera receber algum favor de alguém um dia?

        ou recebe pra ser cão de guarda de blog?

        sinistro, não?

        • No dia em que o texto abordar o Toffoli, falaremos sobre ele.
          Enquanto isso, defendo aquilo que entendo justo.
          E considero injusto que, ao invés de vc tentar apresentar algo que defenda o seu ponto de vista, apenas venha chamar o blogueiro de superficial. Aliás, tenho percebido que uma montanha de ‘leitores’ sempre aparecem com esta de ‘superficial’ quando não gostam de um texto.
          Não gostou?
          Procure outro mais completo, menos parcial, mais profundo, mais contundente, mais ao seu gosto ou ´ponto de vista. Que tal, como sugestão, o blog da barbara ganancia.
          E cão de guarda de blog é a vossa…….

          Só não respondi esta abobrinha ontem porque fiquei longe de internet o dia todo…

  • Reinaldo Azevedo existe, no mundo das idéias? Vontando nossa atenção a Barbosa (e seu fiel escudeiro Gurgel), reparo que hoje saiu uma notícia na blogosfera sobre ele(s) haver(em) pinçado Pizzolato para responder no STF, sem direito a casa revisora e duplo grau de jurisdição, pelo simples fato de ser petista, uma vez que os outros diretores do BB que não detêm essa condição respondem a processo sigiloso na primeira instância, na 12ª VF-DF. Ou seja: se o cara é petista, pau nele! O critério ‘jurídico’ e ‘incriminatório’ é esse mesmo! Do mesmo modo que usaram a teoria do domínio funcional do fato de modo errado, para incriminar Genoíno a todo custo, também impuseram o julgamento no STF a Pizzolato pelo único fato de ser petista. Não provaram a existência dos delitos (‘compra de votos’ e ‘uso de dinheiro público’) e nem a culpa.
    Não podemos deixar de punir a corrupção, mesmo que não possamos provar que existiu e quem a praticou …

  • Sabem como o Reinaldo Azevedo perde o rumo? Fure-se seu balão inflado de vaidade.

    Qual é a religião de Reinaldo? Do genuíno e essencial sermão da montanha? Nã! Nem ritualista parece mais se mostrar.

    Qual o teor, fundo e forma, dos textos de Reinaldo? Não há contextualização a partir da planície, Textos eivados de rococós, repetitivos, inodoros ou malcheirosos. De tão extensos, e com essas caraterísticas, duvido encontrar alguém que os leia com cuidado ou carinho de admiração. Talvez seus leitores, ao pasarem os olhos, o fazem alimentados pelo ódio destruidor de um tanque. Você lê um só texto dele, se conseguir chgar à metade, e já sabe o que encarna os outros subservientes com olhos esbugalhados do patrão. Eruditos? Cultos nunca, com certeza. Há uma distância enorme entre erudição e cultura. A primeira pode ser graduada, repetitiva, inadequada e insípida. A segunda, renovadora, criativa, terna e encantada, sem necessidade de cartuxo.

    Sua argumentação é a sememlante a dos sofistas codenados por Sócrates duramente.

    Poderia avançar em outros temas que o desequilibram, mas não tenho tempo para tantoe Reinaldo Azevedo, pela simples razões já relatadas, passará rapidamente como o escafandro do “lero-lero”. Ao primeiro texto dele não servil, fora da pauta de Veja, aprenderá que a vida perde o sentido quando não somos nós mesmos, mas resultado desastrado do que nos impõem, desde que o imposto permita a embalagem ou o confete da vaidade.

    Não passo corretor ortográfico não. Tenho coisas mais importantes a que cuidar. Um abraço e parabéns pelo texto. Eduardo.

  • Edu,
    De louco ele não tem nada,portanto acredito que isso é um artifício para continuar na mídia. Puro marketing. Não duvido que ele se inscreva num Big Brother em breve. Pra mim continua a ser o mesmo traíra de sempre, faz a gente perder tempo com besteira, ele só quer atrasar o país, atrasar o debate sobre o que interessa. A gente só faz perder tempo com esses golpistas, ainda que a gente reverta a decisão do julgamento do “Mentirão”, quanto tempo perdido, quanta gente honesta insultada. Cadê a punição pelos erros jurídicos cometidos?
    Eles vão nos vencer pelo cansaço, o jogo só fica no nosso lado do campo, a bola nem sequer entra no lado deles do campo. Isso porque eles jogam chutando, dando canelada e com o juiz comprado. Tá faltando mais ataque pra cima desses conservadores todos, eles jogam muito soltos.Enfim, não se deixe enganar por esse vendido.
    Abs.

  • Esse CV num primeiro olhar pode impressionar aos incautos. No entanto as coisas não fecham. Veio aos 16 anos para Brasília para trabalhar e estudar (imagino). Ora se era assim em que momento estudou piano e violino desde os 16? Sem falar que deveria ter uma vida difícil e com restrições já que era rrimo de uma família humilde. Depois analise a fase profissional: não esquentou banco em lugar algum. Mal entrou para a Procuradoria, tratou de ir para Paris estudar. Quem bancou? E assim foi sempre. É notório que carrega o ódio pela cor da pele. Odeia a casa grande, mas é nela que se espelha e almeja sua vida.

  • EU ACREDITO EM TEATRO, PARA DIMINUIR O IMPACTO DA NOTICIA DE QUE O STF PAGOU PASSAGENS E DESPESAS DE JORNALISTA DO O GLOBO. AÍ, TODO MUNDO ESQUECE, E FICA POR ISTO MESMO. ESSE DR. BARBOSA, TEM O INGREDIENTE PRINCIPAL DO PIG, PREPOTÊNCIA. sR BARBOSA, PERDEU UMA OPORTUN IDADE DE OURO, DE ALAVANCAR A IMAGEM DOS NEGROS NO PAÍS. POIS, VIROU VITRINE NACIONAL E INTERNACIONAL. LASTIMÁVEL.

  • Prezado Edu,
    Para poupar tentativas de acessos a links que nem sempre dão certo, me permita ”colar” o texto integral do Professor Ramatis Jacinto, publicado em Novembro passado. É um profecia que está se cumprindo, e ainda falta alguns episódios. Quais são? Leiam então o artigo.

    Douglas Quina
    Mogi guaçu – SP

    RAMATIS JACINO: O SONHO DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA PODE VIRAR PESADELO

    por Ramatis Jacino

    Negros que escravizam e vendem negros na África, não são meus irmãos
    Negros senhores na América a serviço do capital, não são meus irmãos
    Negros opressores, em qualquer parte do mundo, não são meus irmãos…
    Solano Trindade

    O racismo, adotado pelas oligarquias brasileiras para justificar a exclusão dos negros no período de transição do modo de produção escravista para o modo de produção capitalista, foi introjetado pelos trabalhadores europeus e seus descendentes, que aqui aportaram beneficiados pelo projeto de branqueamento da população brasileira, gestado por aquelas elites.

    Impediu-se, assim, alianças do proletariado europeu com os históricos produtores da riqueza nacional, mantendo-os com ações e organizações paralelas, sem diálogos e estratégias de combate ao inimigo comum. Contudo, não há como negar que o conjunto de organizações sindicais, populares e partidárias, além das elaborações teóricas classificadas como “de esquerda”, sejam aliadas naturais dos homens e mulheres negros, na sua luta contra o racismo, a discriminação e a marginalização a que foram relegados.

    No campo oposto do espectro ideológico e social, as organizações patronais, seus partidos políticos e as teorias que defendem a exploração do homem pelo homem, que classificamos de “direita”, se baseiam na manutenção de uma sociedade estamental e na justificativa da escravidão negra, como decorrência “natural” da relação estabelecida entre os “civilizados e culturalmente superiores europeus” e os “selvagens africanos”.

    É equivocada, portanto, a frase de uma brilhante e respeitada filósofa negra paulistana de que “entre direita e esquerda, eu sou preta”, uma vez que coloca no mesmo patamar os interesses de quem pretende concentrar a riqueza e poder e àqueles que sonham em distribuí-la e democratizá-la. Afirmação esta, que pressupõe alienação da população negra em relação às disputas políticas e ideológicas, como se suas demandas tivessem uma singularidade tal que estariam à margem das concepções econômicas, de organização social, políticas e culturais, que os conceitos de direita e esquerda carregam.

    As elites brasileiras sempre utilizaram indivíduos ou grupos, oriundos dos segmentos oprimidos para reprimir os demais e mantê-los sob controle. Capitães de mato negros que caçavam seus irmãos fugidos, capoeiristas pagos para atacarem terreiros de candomblé, incorporação de grande quantidade de jovens negros nas polícias e forças armadas, convocação para combater rebeliões, como a de Canudos e Contestado, são exemplos da utilização de negros contra negros ao longo da nossa história.

    Havia entre eles quem acreditasse ter conquistado de maneira individual o espaço que, coletivamente, era negado para o seu povo, iludindo-se com a idéia de que estaria sendo aceito e incluído naquela sociedade. Ansiosos pela suposta aceitação, sentiam necessidade de se mostrarem confiáveis, cumprindo a risca o que se esperava deles, radicalizando nas ações, na defesa dos valores dos poderosos e da ideologia do “establishment” com mais vigor e paixão do que os próprios membros das elites. A tragédia, para estes indivíduos – de ontem e de hoje -, se estabelece quando, depois de cumprida a função para a qual foram cooptados são devolvidos à mesma exclusão e subalternidade social dos seus irmãos.

    São inúmeros os exemplos deste descarte e o mais notório é a história de Celso Pitta, eleito prefeito da maior cidade do país, apoiado pelos setores reacionários, com a tarefa de implementar sua política excludente.

    Depois de alçado aos céus, derrotando uma candidata de esquerda que, quando prefeita privilegiou a população mais pobre – portanto, negra – foi atirado ao inferno por aqueles que anteriormente apoiaram sua candidatura e sua administração. Execrado pela mídia que ajudou a elegê-lo, abandonado por seus padrinhos políticos, acabou processado e preso, de forma

    humilhante, de pijama, algemado em frente às câmeras de televisão. Morreu no ostracismo, sepultado física e politicamente, levando consigo as ilusões daqueles que consideram que a questão racial passa ao largo das opções político/ideológicas.

    A esquerda, por suas origens e compromissos, em que pese o fato de existirem pessoas racistas que se auto intitulam de esquerda, comporta-se de maneira diversa: foi um governo de esquerda que nomeou cinco ministros de Estado negros; promulgou a lei 10.639, que inclui a história da África e dos negros brasileiros nos currículos escolares; criou cotas em universidades públicas; titulou terras de comunidades quilombolas e aprofundou relações diplomáticas, econômicas e culturais com o continente africano.

    Joaquim Barbosa se tornou o primeiro ministro negro do STF como decorrência do extraordinário currículo profissional e acadêmico, da sua carreira e bela história de superação pessoal. Todavia, jamais teria se tornado ministro se o Brasil não tivesse eleito, em 2003, um Presidente da República convicto que a composição da Suprema Corte precisaria representar a mistura étnica do povo brasileiro.

    Com certeza, desde a proclamação da República e reestruturação do STF, existiram centenas, talvez milhares de homens e mulheres negras com currículo e história tão ou mais brilhantes do que a do ministro Barbosa.

    Contudo, nunca passou pela cabeça dos presidentes da República – todos oriundos ou a serviço das oligarquias herdeiras do escravismo – a possibilidade de indicar um jurista negro para aquela Corte. Foi necessário um governo de esquerda, com todos os compromissos inerentes à esquerda verdadeira, para que seu mérito fosse reconhecido.

    A despeito disso, o ministro Barbosa, em uníssono com o Procurador Geral da República, considera não haver necessidade de provas para condenar os réus da Ação Penal 470. Solidariza-se com as posições conservadoras e evidentemente ideológicas de alguns dos demais ministros e, em diversas ocasiões procura ser “mais realista do que o próprio rei”.

    Cumpre exatamente o roteiro escrito pela grande mídia ao optar por condenar não uma prática criminosa, mas um partido e um governo de esquerda em um julgamento escandalosamente político, que despreza a presunção de inocência dos réus, do instituto do contraditório e a falta de provas, como explicitamente já manifestaram mais de um dos integrantes daquela Corte.

    Por causa “desses serviços prestados” é alçado aos céus pela mesma mídia que, faz uma década, milita contra todas as iniciativas promotoras da inclusão social protagonizadas por aquele governo, inclusive e principalmente, àquelas que tentam reparar as conseqüências de 350 anos de escravidão e mais de um século de discriminação racial no nosso país.

    O ministro vive agora o sonho da inclusão plena, do poder de fato, da capacidade de fazer valer a sua vontade. Vive o sonho da aceitação total e do consenso pátrio, pois foi transformado pela mídia em um semideus, que “brandindo o cajado da lei, pune os poderosos”.

    Não há como saber se a maximização do sonho do ministro Joaquim Barbosa é entrar para a história como um juiz implacável, como o mais duro presidente do STF ou como o primeiro presidente da República negro, como já alardeiam, nas redes sociais e conversas informais, alguns ingênuos, apressados e “desideologizados” militantes do movimento negro.

    O fato é que o seu sonho é curto e a duração não ultrapassará a quantidade de tempo que as elites considerarem necessário para desconstruir um governo e um ex-presidente que lhes incomoda profundamente.

    Elaborar o maior programa de transferência de renda do mundo, construir mais de um milhão de moradias populares, criar 15 milhões de empregos, quase triplicar o salário mínimo e incluir no mercado de consumo 40 milhões de pessoas, que segundo pesquisas recentes é composto de 80% de negros, é imperdoável para os herdeiros da Casa Grande. Contar com um ministro negro no Supremo Tribunal Federal para promover a condenação daquele governo é a solução ideal para as elites, que tentam transformá-lo em instrumento para alcançarem seus objetivos.

    O sonho de Joaquim Barbosa e a obsessão em demonstrar que incorporou, na íntegra, as bases ideológicas conservadoras daquele tribunal e dos setores da sociedade que ainda detém o “poder por trás do poder” está levando-o a atropelar regras básicas do direito, em consonância com os demais ministros, comprometidos com a manutenção de uma sociedade excludente, onde a Justiça é aplicada de maneira discricionária.

    A aproximação com estes setores e o distanciamento dos segmentos a quem sua presença no Supremo orgulha e serve de exemplo, contribuirão para transformar seu sonho em pesadelo, quando àqueles que o promoveram à condição de herói protagonizarem sua queda, no momento que não for mais útil aos interesses dos defensores do “apartheid social e étnico” que ainda persiste no país.

    Certamente não encontrará apoio e solidariedade nos meios de esquerda, que são a origem e razão de ser daquele que, na Presidência da República, homologou sua justa ascensão à instância máxima do Poder Judiciário. Dos trabalhadores das fábricas e dos campos, dos moradores das periferias e dos rincões do norte e nordeste, das mulheres e da juventude, diretamente beneficiados pelas políticas do governo que agora é atingido injustamente pela postura draconiana do ministro, não receberá o apoio e o axé que todos nós negros – sem exceção – necessitamos para sobreviver nessa sociedade marcadamente racista.

    Ramatis Jacino é professor, mestre e doutorando em História Econômica pela USP e presidente do INSPIR – Instituto Sindical Interamericano pela Igualdade Racial.
    Postado por Evaristo Almeida às 11:22 AM 2012 10 23

    —– Original Message —–
    From: [email protected]
    To: [email protected]
    Sent: Thursday, November 08, 2012 11:57 PM
    Subject: ELITE COMEÇA A DESCOBRIR O MONST

    ELITE COMEÇA A DESCOBRIR O MONSTRO CRIADO NO STF

    Merval Pereira, Dora Kramer, Marco Aurélio Mello… várias são as vozes que começam a se levantar contra o desequilíbrio emocional e a postura autoritária de Joaquim Barbosa, características incompatíveis com a de um juiz do Supremo e, mais ainda, com o comando do Poder Judiciário; eles sabem que o mundo não acaba com a Ação Penal 470; como serão os próximos julgamentos?

    8 DE NOVEMBRO DE 2012 ÀS 11:06

    247 – Escondida, no fim da coluna da jornalista Dora Kramer, no jornal Estado de São Paulo, está a informação mais importante do dia. “O sucesso de Joaquim Barbosa ameaça criar pernas e levar o relator a perder a cabeça. O sentido da moderação é útil ao julgamento em curso e indispensável ao bom andamento dos trabalhos do Supremo que daqui a 15 dias ele presidirá”.

    No caso de Joaquim Barbosa, o “sucesso”, ainda que na mídia, e não no meio jurídico, já lhe subiu à cabeça. O ministro que distribui autógrafos já foi tratado por uma revista semanal como “o menino pobre que mudou o Brasil” e nada parece ser capaz de lhe dar um pingo de prudência ou humildade. Ontem, no intervalo de mais uma sessão acalorada no Supremo Tribunal Federal, em que Joaquim Barbosa debochou de seus pares, apostando nos aplausos da suposta opinião pública, Marco Aurélio Mello fez um desabafo. “A viagem à Alemanha não fez bem a ele”, afirmou. “Não estamos aqui para ser vaquinhas de presépio do relator e dizermos amém, amém, amém”.

    Barbosa trata com desrespeito todos os membros do colegiado que ousam divergir da sua posição. Se antes a ira era destinada apenas a Ricardo Lewandowski, a quem o ministro já acusou de “advogar para os réus” ou de “transformar réu em anjo”, ela agora se volta também contra Marco Aurélio, que teve apenas a “ousadia” de abrir um debate jurídico sobre um tema técnico levantado por um advogado (continuidade delitiva ou concurso material).

    Num colegiado, a divergência entre ministros é salutar. Mas encantado com a sua “popularidade”, Barbosa tem adotado um viés cada vez mais autoritário, que não chega a ser surpreendente. Numa discussão recente no plenário do tribunal, ele já havia desafiado o ministro Gilmar Mendes a “sair às ruas”. Agora, instados por Barbosa, vários ministros se sentem pressionados a seguir o comando “das ruas” e não das leis, salvo raras exceções.

    Ocorre que o julgamento da Ação Penal 470 não será o último caso apreciado pelo Supremo Tribunal Federal. Depois dele, virão outros, em que os réus não serão propriamente adversários políticos dos que se proclamam porta-vozes da opinião pública. Por isso mesmo, Merval Pereira, colunista do Globo, publica um artigo nesta quinta-feira em que ensaia uma crítica à “mão pesada de Barbosa”.

    Segundo Merval, “na falta de critérios objetivos que norteiam as decisões, é previsível que os advogados de defesa terão muitas razões para apresentar embargos ao seu final, retardando a execução das penas”. Antes disso, Barbosa já havia sido criticado por aplicar penas a um réu, valendo-se de uma interpretação equivocada das leis.

    Incensado e tratado como herói pelos meios de comunicação no início do julgamento, Joaquim Barbosa começa a perder popularidade. E a dúvida é que impacto isso causará numa personalidade já marcada pelo destempero e pela falta de inteligência emocional, seduzida por aplausos fugazes.

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/84854/Elite-come%C3%A7a-a-descobrir-o-monstro-criado-no-STF.htm

  • Acho que a Cristiana, o Zé Eduardo e a Maria Rita tocaram num ponto que pode, talvez, responder à pergunta que o post faz: Barbosa é, antes de tudo, ideologicamente conectado com as elites, apesar de sua origem humilde. Por isso, o PIG balizará seu comportamento. Ele não voltará a criticar a mídia. E fará de tudo para que Dirceu, Genoino e João Paulo sejam encarcerados. Aliás, ele pediu conselho ao Gurgel sobre como enfrentar os recursos interpostos pelos réus. Então, Barbosa sabe muito bem de que lado da barricada ele quer estar.

  • Edu, a presença do J. Batmam nesse evento foi a cortina de fumaça que ele precisava. A presença dele na Costa Rica foi para sondar e, se possível, garantir, ganho de causa na Corte de Apelação que possui sede naquele país. É para lá que vão as apelações da AP 470. Não se enganem com o discurso. Ele aproveitou para encobrir o que de fato foi fazer ali. É só verificarem onde ele foi antes ou depois do evento e com quem se encontrou. Com a palavra os repórteres investigativos. A mim não engana. Quanto ao rola-bosta, serviu mais uma vez como garoto de recado. Desta vez foi para o Barbosão. Isto é o que ele é e para que serve. Abraços.

  • Belo texto Eduardo!
    O que mais me intriga é essa tal afirmação de que a mídia é de direita. Para ganhar um dez, faltou dizer; ” …e golpista!” Más ai seria pedir demais, afinal de contas, se isso dissesse como consequência teria que tomar alguma providencia, afinal de contas, ele não é um Marco Aurélio que admite existirem golpes justificáveis. Más pelas palavras dele algumas perguntas surgem então:

    Se a mídia é de direita e ele sabe que nunca a direita o indicaria para o STF, qual a razão então para ajudar de forma frenética a condenar os petistas? Qual a razão a não além de direitista para fazer discursos tão reacionários contra o PT? Porque a celeridade no processo? Porque a obsessão pela condenação e não pelo julgamento com amplo direito de defesa? Se a mídia é de direita e isso é da democracia. Agora, as concessões públicas podem ser de direita? O que diz a constituição a respeito disso? O senhor não deveria ser o primeiro a zelar por ela?

    Não sei, Barbosa tem muitos atributos, creio porém que uma luz amarela se acendeu com este processo da 470 e a questão central é que devemos preservar ao máximo a nossa democracia. Para isso, é fundamental que os escolhidos tenham isso como princípio. Diante disso, faço uma pergunta que até agora ninguém soube me dizer algo:
    Se Barbosa tinha idade suficiente para estar engajado politicamente nos movimentos de resistência ao golpe. Se estudou em locais onde existia uma efervescência político ideológica, porque é que nada se sabe sobre ele nestas questões? O que fez na época? Talvez isso ajude a entender um pouco do Barbosa de hoje. A história é reveladora.
    Daqui pra frente, quem sabe, alguns quesitos mais relevantes do que toda essa história de vida de Barbosa que são admiráveis, porém nada representam, se o apreço a justiça, a vontade dos eleitores estiver a frente.

  • O Joaquim Barbosa é para os negros o que PELÉ foi, e é. Nada de confrontar a midia por causa
    dos seus irmãos negros, eles vão continuar onde estão, enchendo cadeias, favelas etc.
    Tudo isto é um grande decepção do FALSO MORALISMO, se diz combater a corrupção mais nada \
    aconteceu com Daniel Dantas, o médio Abimasel etc. O Supremo vai continuar dando HC imorais.

  • ASSIM NÃO, MINISTRO!

    São Lulinha e seus pios devotos estavam á espera de um milagre em prol dos mensaleiros-golpistas, e que viria pelas mãos do primeiro ministro negro do STF, a quem consideravam como devedor por gratidão. Mas o milagre não veio. Não acreditaram na decencia do homem, e pagaram caro por isso. Cadeia!

    Parabéns, ministro, ‘mas, assim não”! Não dê, por motivos racialistas, munição para que os pios devotos de São Lulinha – o padroeiro dos aloprados e mensaleiros-golpistas – agridam, num momento tão delicado para a nossa democracia, o pouco que ainda resta de imprensa livre no país!

  • Esse Reinaldo Azevedo é um cara de pau, dizer que os tres grandes jornais são de esquerda. Sobre o capitão do mato o que ele fala não tem valor.

  • esse senhor, R.A., blogueiro da veja (óia) se esmera.
    estuda, tenta e inventa,
    mas jamais chegará aos pés do professor Hariovaldo Almeida Prado.
    para isso é preciso talento e isso é coisa que ele não tem.
    coitado, vai ter que rolar bosta o resto da vida.

  • Acho que as suas perguntas finais dizem tudo. E eu digo sim para ambas. Nem vai enfrentar a mídia, nem vai desconhecer que jamais será visto por ela como gostaria. Que papelão! Para alguém que tem um currículo tão respeitável, e que chegou ao posto máximo do judiciário brasileiro, não deixa de ser patético.

  • Ficará com medo e voltará atrás com o rabinho entre as pernas! Posso apostar isso, pois, alguém que tem a deprimente postura de Barbosa, possui esse recuo em seu DNA. E que deprimente posição é essa? A já citada em seu texto e percebida claramente pela declarações “progressistas” de Barbosa(“progressista” lá fora, quando fica bem na foto e reacionário aqui dentro, na hora mais importante, quando se deve escolher o lado), as quais provam que Barbosa sabia muito bem a quem servia! E O QUE SE PODE ESPERAR DE UM NEGRO, POBRE, QUE AINDA ASSIM SE PRESTA AO PAPEL DE COMETER AS MAIORES ATROCIDADES JURÍDICAS PARA SERVIR A QUEM SEMPRE OPRIMIU, NÃO APENAS A ELE, MAS AOS SEUS FAMILIARES E AO GRUPO ÉTNICO A QUE PERTENCE. POR SINAL, NÃO APENAS “SERVIU” A ESSA GENTE, MAS COMETEU OS MAIORES DESCALABROS AUTORITÁRIOS PARA ATENDER AOS INTERESSES DELES, PARTICIPANDO COMO PROTAGONISTA DO PLANO GOLPISTA DOS SENHORES DE ENGENHO PARA DESTRUIR O GOVERNO, A FORÇA POLÍTICA E OS LÍDERES QUE ESTÃO DANDO ALGUMA DIGNIDADE A OUTROS NEGROS COMO BARBOSA, QUE GRAÇAS A LULA, JOSÉ DIRCEU, GENOÍNO, JOÃO PAULO CUNHA, DILMA E TANTOS OUTROS NÃO PASSARÃO PELAS MESMAS HUMILHAÇÕES A QUE BARBOSA FOI SUBMETIDO QUANDO COMEÇAREM A LUTAR POR UMA VIDA MELHOR!.!!!!!!!!!!!!!?????????? O que se pode esperar de alguém capaz de tamanho servilismo e negação de suas origens e dos sofrimentos que, segundo já afirmou e obviamente é verdade, continua a sofrer até hoje!!!!?????? Que confiança ele pode nos despertar!!!!!!!!??????? A que lado pertence realmente!!!!!!!!!!?????? A quem de fato apoia!!!!!!!!??????? Qual o grau de suas convicções após vermos o quando metamorfoseiam-se suas visões políticas, indo do mais extremo reacionarismo no julgamento do “mensalão”(chegando a proferir declarações contra a política, de claro viés autoritário)ao mais evoluído progressimo(na Costa Rica)!!!!!!!?????? No post deste blog parece já está contida a resposta, as convicções idológicas de Barbosa segue seus interesses. Assim, somente quando sentiu-se despretigiado pela mídia racista(que obviamente só aceitou um negro enquanto precisava dele, terminada a sua “necessidade” – já que fica impossível para Barbosa voltar atrás no relatório que produziu sobre o julgamento do inexistente “mensalão” – e tendo-se mostrado por demais incontrolável para os padrões de nossos coroneis eletrônicos), é que Barbosa resolveu revelar a verdadeira face das comunicações brasileiras, a qual obviamente não descobriu agora, mas tal consciência nem por um minuto lhe impediu de unir-se ao que existe de mais racista e direitista neste país. Por isso mesmo, pela demonstração clara de que não tem o menor pudor em unir-se ao poder dominante(e gozar de seus benefícios), ao contrário, adora-os, não sendo à toa que cumpriu fielmente o roteiro dramático-jurídico traçado pelos barões da mídia para teatralizar o julgamento do “mensalão”(e esse servilismo midiático, e não sua origem no Ministério Público ou sua inexperiência na magistratura, é a verdadeira explicação para o furor inquisitorial de Barbosa), é que podemos ter certeza de que em breve Barbosa sentirá a dor da perda do prestígio, e até do desprezo dos barões da comunicação e dos seus “jornalistas” amestrados, o qual tanto esforçou-se para obter, e obviamente pretendia conservar; não sendo nada mais compatível com sua natureza que Barbosa em breve esforce-se pela redenção junto aos coroneis eletrônicos, quem sabe atropelando alguma etapa jurídica para acelerar a desconfiguração dos recursos a que os réus têm direito, quem sabe sabe proferindo algumas daquelas frases feitas, vazias e preconceituosas, contra os petistas, que tanto agradam à oligarquia midiática ou talvez mesmo entregando a cereja do bolo e mandando algemar José Dirceu de qualquer jeito. Reinaldo “Estranho” saberá agradecer e as “capas” midiáticas o farão com ainda maior furor. Barbosa voltará a achar a comunicação brasileira linda.

  • E o mensalão tucano, cujo relatório foi-lhe entregue em 04 de julho de 1998?

    Ainda não há tempo hábil para julgamento?

    O STF continuará midiático?

    • O mensalão tucano mineiro ficou para as calendas gregas (isto é, para o dia de são nunca), talvez porque um certo ministro recebeu uma medalha da Inconfidência num dia 21 de abril de um ano qualquer. No fim de contas ainda veremos o PSDB falar dos seus mensaleiros como tendo recebido do STF o carimbo de honestos.

  • A unica esquerda que deve ter ficado perplexa com essas barboseiras é a esquerda de mesa de bar.
    ESSA QUE NAO FAZ DIFERENÇA ALGUMA.

  • Como acreditar num STF midiático?

    Como acreditar em uma alta Corte do Brasil que só pratica o famoso “jeitinho”, como por exemplo a liberdade do banqueiro daniel dantas?

    Por que tanto interesse da midia nacional no STF?

    Afinal, o que quer o “herói da pátria/joaquim” com este auê todo?

  • “Edu, que texto maravilhos”, ” Meu caro Eduardo, excelente esse seu texto, você arrebentou, meus parabéns.
    Um grande abraço. ” “Brilhante, Edu! Parabéns”. Nunca vi tanta mediocridade, tanto de quem escreve o texto, quanto de quem o bajula.
    ” Um negro chegar a ministro do Supremo Tribunal Federal é meritório porque, em tese, significa que superou não só as dificuldades intelectuais que qualquer um tem para vencer tantos candidatos a um cargo como esse …..” Desde quando os méritos intelectuais são suficientes para chegar ao supremos?
    Méritos intelectuais são necessários para se chegar à magistratura togada e MP através de concurso. O que conta para chegar ao Supremo, em boa parte dos casos é o lobby. Dias Tófoli não teve dificuldades intelectuais para chegar ao Supremo, mas teve para chegar à magistratura togada.
    Outra pérola do embusteiro -” ….Todavia, não faltariam concorrentes a Barbosa que tivessem maior experiência do que ele na magistratura em vez de experiência quase que exclusivamente na Promotoria Pública, onde não se julga, acusa-se” Então o que Dias To]óffoli está fazendo no Supremo? Qual é a experiência dele na magistratura. Ele ao contrário de Barbosa só atuou defendo.

  • Para mim, fica claro a JUDICIALIZAÇÃO DA POLÍTICA através do STF MIDIÁTICO.

    Esse conservadorismo judicial político , com a perda de comando no legislativo, foi visto, claramente no julgamento da ação 470 – o “MIDIÁTICO JULGAMENTO DO MENSALÃO”

    E o joaquim e o seu STF, ops, o midiático STF são muito vagarosos por causa dos holofotes da mídia além de serem um “doce” com o mensalão tucano.

    Minha avó diria: “tem graxa escondida aí”!

  • Eduardo.
    Ás 22:50 quando digito, todos já disseram tudo.
    Nada mais posso acrescentar, apenas ser repetitivo:
    Parabens pelo excelente texto.
    Meu aplauso de pé.

  • quer dizer que o careca “rola-naldo” de chapéu levantou a bandeirinha, tipo:

    – “Pó pará, governador!!” ???…

    bom sinal!!!

    abraço, Edu.

    Márccio Campos
    rio de janeiro

  • Parabéns pelo post Eduardo! Demonstrou perfeitamente que o que esse Reinaldo quis transmitir estava no título da chamada às falas, que é só o que os leitores dele conseguem ler, manchetes. Depois, colocou o ministro inflado em seu devido lugar, historicamente falando. Torço muito para que a imprensa continue lhe incensando e o coloque como o novo caçador de marajás, de Gotham City, e nos livre dele, quiçá como candidato a um cargo eletivo. Vai ter muitos votos, muitos mesmo.

  • No final do ano passado, em entrevista, o joaquim disse que não há Poder após o judiciário e que suas decisões são inapeláveis.

    É tipico de um “Deus” do Olimpo, não,é de um “Ditador” mesmo.

    Como jurista, togado, e outras coisas mais, o joaquim não sabe nada ou esqueceu sobre o seguinte, que ele pode ser corrigido sim quando a matéria é criminal:
    – como na anistia (Constituição Federal artigos 21, XVII e 48, VIII,
    – como noindulto e da comutação da pena pelo Presidente da república(Constituição Federal artigo 84,IX, e
    – NEM O JOAQUIM E OS JUÍZES DO STF (o midiático) NÃO ESTÃO ACIMA DO BEM E DO MAL – PORQUE ELES PODEM SIM, SEREM PROCESSADOS, JULGADOS E CONDENADOS PELO SENADO NO QUE TANGE A CRIMES DE RESPONSABILIDADE – CONSTITUIÇÃO FEDERAL ARTIGO 52,II.

    O joaquim e seu STFmidiático podem perder até a sua beca, ops, a toga.

    Alguém precisa avisar ao joaquim que acima dele e da mídia, há sim um Poder – A CONSTITUIÇÃO FEDERAL. O resto é blá-blá´bla midiático para enganar a sociedade.

  • Só pode ficar perplexo ou indignado com as declarações do Barbosa quem acredita que o ser humano é um estereótipo.

    Na esquerdolândia brasileira a regra geral é: se o fulano não fez a genuflexão ao PT ele é um direitista, racista, elitista, neoliberal, fascista e golpista. Sem esquecer: emplumado e bicudo.

    Na progressistolândia acadêmica, descolada e cosmopolita (onde também se movimenta a intelectualidade da esquerdolândia e o topo da pirâmide social) se não ratificar todos os itens da agenda politicamente correta importada dos liberais americanos a pessoa é retrógrada, reacionária, racista, fascista, homofóbica, machista, elitista e golpista. Aqui fica difícil acusar também de emplumado e bicudo, visto que esta praga alada subscreveu integralmente a agenda importada.

    No velho gueto da decadente elite quatrocentona qualquer coisa que lembre os interesses do povo é sinal de decadência, comunismo, petismo, totalitarismo e lulismo.

    Nas bens guardadas tesourarias e escritórios dos interesses financeiros e corporativos a heresia é considerar que a vida em sociedade depende de regulação, sob pena de ser rotulado como estatista, jurássico, socialista, bolivariano, invejoso e incompetente.

    Em cada nicho dominado por uma subespécie do homo ideologicus o outro, o que está fora, deve se encaixar totalmente no seu preconceito doutrinário. Mesmo que para isto subverta todos os fatos e as evidências.

    Por seguirem rigorosamente um roteiro imposto consideram que todos os demais também seguem. Ser contra uma determinada idéia, agir de um modo específico em uma situação ou discordar de uma proposta não corresponde a repudiar ou endossar automaticamente todo o ideário ao qual a questão está ligada.

    Nenhuma opinião pessoal me surpreende. Não causam perplexidade ou indignação quando coerentes com o histórico do indivíduo, e o Barbosa o é na ânsia persecutória, na crença no politicamente correto, na supremacia judiciária e nos devaneios da sua autossuficiência. Até hoje não proferiu nenhuma declaração que fosse contrária a estes pontos.

    • Quer saber, seu comentário não é de se jogar fora. Há muita coisa que não concordo, mas gostei de algumas coisas. Se tirar o fígado do texto, pode ficar bom.

      • Acho que devo ter um cérebro hepático ao escrever. Até mesmo em e-mail comercial já disseram que sou agressivo. Talvez por tentar defender com ardor os meus pontos de vista as nuances que existem na fala só aparecem na escrita quando o autor possui talento, o que não é o meu caso.

        • Nada, elabore melhor, pense no contraditório. E nunca subestime o leitor. Se fizer isso, acho que pode produzir um texto que os dois lados podem não gostar, mas irão respeitar.

      • muito engraçado o Sr dar conselhos pra alguém tirar o “figado” do texto…]

        logo quem!

        a cor dos seus textos é verde-bílis…

    • Faltou o principal que é a supremacia do interesse público.

      Realmente, como diz Eduguim, estais subestimando o leitor.

      Ninguém está acima da Constituição federal.

    • Um dia li de Delfin que todos buscamos confirmar externamente aquilo que somos no nosso âmago. Como petista quero confirmar sempre e tudo que torne o País rico é país sem pobreza portanto a diminuição da DESIGUALDADE DE RENDA DAS FAMILIAS.

      Com esse objetivo por exemplo recentíssimo, Dilma confirma Afif Domingos o criador do impostômetro da Associação Comercial como ministro. Concordo. Concordei que sendo Dilma presidenta de todos brasileiros até de quem votou em Serra (escrevera: na bolinha de papel) fosse ao aniversario da FSP, aquela que publicara a ficha falsa de terrorista. E agora até um Mercadante se manifestou sobre ela.

      Porem que todos colham como resultado daquele gesto de estadista de Dilma; a fulminante campanha em favor das vitimas da ditadura aquela ao ponto de um ministro ter a desfaçatez de dizer ter ela sido um mal necessário.

      Qual o resultado disso enquanto Dilma pilota a nau nesse tenebroso mar que é a desigualdade de renda e como urgenciar para tirar aqueles que passam fome (de alimentos, de criar seus filhos, de educação, de cultura, de poesia, de espiritualidade, de solidariedade) enquanto estamos nós a navegar pela internet; enquanto nós saciamos a nossa “fome” virtual?

      Um PIG acrônimo criado por um petista e replicado à exaustão por um PHA e outros da blogosfera “suja” este PIG* é confirmado lá na Costa Rica paradoxalmente pelo mesmo JB que rebatizou o domínio funcional dos fatos para condenar membros do PT e o amplia agora para dizer que nossa imprensa é de direita, confirmando o dito pela dna Judith “ser de oposição”. Outro paradoxo dentro desse mesmo é que JB levou com nosso dinheiro uma jornalista do Globo de direita para acompanhá-lo.

      *Paulo Moreira Leite diz: “A luta da oposição virou luta contra a democracia
      “Isso porque assistimos a uma luta que, com o passar dos anos, e sucessivas derrotas da oposição, transformou-se, mais uma vez, numa luta contra a democracia. Não vamos nos iludir. As filigranas jurídicas não estão em debate”

      São até paradoxos que mostram ser inexorável uma America Latina, berço de uma nova civilização. Não me importa os que dizem ser isto profecia, whishig thinking, viagem, etc. O que importa são as pessoas intuídas pelos seus valores imanentes se restritos à dialética de Mercado versus (ou) Estado contribuam para que haja um Estado “e” Mercado como há em uma Noruega que já partilha o seu pré sal e que Dilma queira dedicá-lo ao resgate da educação.

  • Lembro-me do Ministro Barbosa afastado do STF com dores lombares tomando uma “gelada” num bar. Foi matéria do PIG. Detonaram o Ministro Barbosa. Como o detonaram quando ele lamentou o “jeitinho” com que o Ministro Gilmar dava os votos e sugeriu que o Ministro Gilmar andava acompanhado de capangas. O Ministro Barbosa é, por assim dizer, de trato difícil. Isso muito antes dos votos no “Mentirão”. Nessas andanças por Minas – estado natal dele -, com o Senador Aécio, pode ter sido lembrado de alguns eventos quando estava ao ladeado com o PSDB mineiro – aquele mesmo do ex-Senador Azeredo – dos “favores” do PIG de SP ao político carioca-mineiro. Foi pra fora e mandou um recado. Agora, o PIG é do Ministro Barbosa. O PIG o construiu e não poderá o desconstruir enquanto durar o “Mentirão”. O “Mentirão” é o salvo-conduto para o Ministro Barbosa deitar e rolar. Quem tem o PIG na mão agora é o ministro Barbosa? Ou não. O “Estragão” de São Paulo tirou um repórter que cobria o STF depois do Ministro Barbosa “soltar os bichos” em cima do jornalista. O “rolador da Zóia” só vai ladrar, mas acompanhará a caravana, já que o Ministro Barbosa, enquanto durar o “Mentirão”, pois só assim o PIG terá material pra detonar o PT. O Brasil mudou. Está respeitado internacionalmente, tem dois representantes liderando agências de peso da ONU (a FAO e a OMC). Internamente, a loucura do PIG se revela a cada dia perante a incapacidade de perceber que há muito mais sinais positivos que negativos na economia. A meta maior (olhem o discurso de posse) do mandato da Presidenta Dilma de quase erradicar (erradicar mesmo é impossível) a miséria está no horizonte de 2014. Isso não é pouco. O PIG chora o 39º ministério da Presidenta DIlma, chora pela ida de Afif Domingues, pela adesão do PSD de Kassab. O PIG procura um candidato, mas não é com a luz da lanterna de Diógenes. Não tem Alcknim, tem Serra (que está pronto pra perder), e não quer Aécio, já que Serra não o quer. Namora com Eduardo sem Mônica, e não sabe o que será de Marina. Senhoras e senhores, O PIG hoje só tem o Ministro Barbosa (ou será que o Ministro Barbosa é que tem o PIG durante o “Mentirão”). O PIG está órfão, assim como a direita está órfã.

    • O jornalista do estadãozinho estava tentando fazer uma matéria mostrando os gastos exorbitantes do stf. Foi aí que o Joaquim Batman chamou o jornalista de “palhaço” e recomendou: “vá chafurdar no lixo como vocês costumam fazer”.

      Ou seja, a matéria mostrando os gastos do stf incomodou Batman.

      • O Joaquim Barbosa é aquele típico caso do negro que sobe na vida e quer se comportar como branco. Como diz meu falecido avô, é o chamado Dominó – preto com pinta de branco. Haja paciência…

        • Ué, como assim negro se portando como branco? Pessoas são pessoas e ponto, afffff, que comentário imbecil! Pessoas são pessoas e pronto, se são brancas, pretas amarelas, pardas, enfim, pessoas são pessoas! Negro se portando igual a branco, affffffffff, como assim? Poderia nos ilustrar melhor? Pois não lógica nisso, pessoas são pessoas!

  • E os negros deste país esperando um lula no judiciário e me aparece um joa….ó deixa pra lá.
    Seres patéticos aparecem em qualquer lugar, mas no judiciário é dureza.

  • Há uma distância abissal entre o que o general barbosa, o absolutista, fala e o que pratica. Suas ações são francamente a favor da minoria conservadora e reacionária que armou o circo para ele.

  • Excelente, Eduardo, claro que o obediente “blogueiro” da veja “mandou avisar” ( ou lembrar) ao Barbosa qual será o comportamento dos patrões piguentos caso ele não se “comporte”.
    .
    E daí, o que acontecerá ao Barbosa se ele não se “comportar”? Apenas perderá o apoio piguento que no fundo já não tem ( na verdade, nunca teve), mas vai resgatar os verdadeiros valores que deixou de lado por conta de 15 minutos de fama.
    .
    O tal blogueiro é risível: “os três grandes jornais brasileiros estão é alinhados à esquerda”, rs. Nem pra fazer piada o piguento direitista ( pleonasmo) tem alguma imaginação, só tem alucinações direitistas misturadas a delírios piguentos…

    • Não tenho dúvida de que os três jornais estão à esquerda do Tio Rei. Nem o Professor Hariovaldo consegue atingir o nível da figura. O cara está babando e uivando, é caso de internação.

  • Certamente o senhor Barbosa, num palco mais politizado, quis parecer também politizado, crítico e democrático: um intelectual de esquerda. Sabia estar num “locus” onde poderá ser julgado, e tentou parecer empático com as motivações do foro internacional. Teme ser julgado pela CIDH, por sua obra prima, o Mentirão, e quer mostrar-se democrático para invalidar as proposições dos réus apelantes. Tentou repetir lá ( em inglês ) o que os autênticos democratas falam. Deve ter agido assim também, falsamente, quando de sua candidatura a ministro do STF, em conversas com petistas, afinal, enganou até Lula. Não duvido que se pronuncie, condenando veementemente violência contra a mulher, se chamado a debater o tema ( ! ).

    • Nilccemar, não tinha pensado nesse lado, mas pode bem ser isso: um discurso para cada palanque.

      O fato é que Batman está preocupado com o fato de que Dirceu, Genoino e João Paulo levarão a AP-470 para a Corte Internacional. Pode ter tentado vestir a máscara do juiz democrata.

  • Lula quis agradar aos negros, veja no que deu… apresentou um negro que vem prestando relevantes serviços aos brancos golpistas; e que ele se tornou inimigo número 1 do PT, favorecendo a rancorosa e invejosa mídia.
    Se Lula tivesse indicado um juiz por competência, tudo bem, mas foi por cor. Deu no que deu, agora, é aguentar as consequências porque ele é rancoroso e golpista.

  • “ASSIM NÃO”, PIOS DEVOTOS DE SÃO LULINHA!

    Ao mandar os mensaleiros-golpistas do desgoverno Lula e do PT para a cadeia, o ministro Brabosa deixou o LULA PERPLEXO E O PT INDIGNADO, essa é a grande verdade. Mesmo tendo chegado ao STF com mérito, a sua indicação foi uma jogada demagógica do Lula da Silva que. como se sabe, come, bebe e respira demagogia. E das mais rasteiras e baratas. E o demagogo esperava, presumivelmente, a contrapartida do ministro no julgamento do maior escândalo de corrupção política da História do Brasil, na forma da absolvição dos mensaleiros-golpistas. Só que o ninistro Barbosa, decente que é, julgou de acordo com os autos do processo, e disse um sonoro “NÃO!” à Casa Grande petista. Foi o suficiente para que o mundo da chibata desabasse sobre ele. passando a ser desqualificado e ofendido da forma mais abjeta possível pelos pios devotos de São Lulinha. Os mesmos que agora vêem, numa opinião infeliz, de cunho racialista, do ministro, a oportunidade de confundir o espíritos a respeito da sua postura como relator do processo do Golpe do Mensalão Federal, e de como essa postura – CORRETÍSSMA! – foi unanimemente aclamada pelo Brasil Que Presta. O Brasil que ainda acredita, apesar do PT – e, em muitos casos, por causa do PT – que lugar de bandido é na cadeia.

    “Assim não”, pios devotos de São Lulinha!

    • O maior escândalo de corrupção política da História do Brasil foi a compra de votos da reeleição do FHCia e este não foi e nem será julgado.
      O julgamento do mensalão não foi de acordo com os autos do processo tanto é que foi preciso se utilizar do tal domínio do fato, sem provas, para justificar as condenações.
      Espero que os casos do mensalão tucano, lista de furnas e privataria tucana cheguem a ser julgados e que o ministro aplique as jurisprudencias criadas no mensalão do pt.

      • A verdade é que seja da direita ou da esquerda, do PT, do PSDB ou de qualquer outro partido se o político roubou etc tem que meter na cadeia mesmo. Tem um monte de gente do povo idiota defendendo um dos dois lados, ou a direita ou a esquerda…não sou partidário de nenhum lado, sou partidário da verdade, da dignidade, da honestidade…Seja de qual partido for, se cometeu crime tem que pagar por isso. E o Joaquim Barbosa é o tipo de ministro que a maioria do povo brasileiro gosta. Mensalão do PT…foi provado? então cadeia neles sem refresco, porque só pobre vai pra cadeia? Mensalão Tucano…que julgue e se for provado, cadeia nos safados também…É isso…Por um Brasil melhor e mais justo.

    • “…Os mesmos que agora vêem, numa opinião infeliz, de cunho racialista, do ministro, a oportunidade de confundir o espíritos a respeito da sua postura como relator do processo do Golpe do Mensalão…” Lucas, não li no artigo isso que você comenta. Qual foi a opinião de cunho racista criticada no texto ? Nem Barbosa emitiu tal “opinião infeliz, de cunho racialista”, nem Eduardo Guimarães atribuiu isso a ele. Não entendi de onde você tirou isso ? certamente, de sua própria cabeça. Por mais defeitos que tenham sido apontados no ministro, como juiz, ainda ninguém, pelo menos da esquerda ou petista, o criticou por racismo. O artigo trata de sua relação dialética com a midia, dos altos e baixos, do amor/ódio, conforme o andar da carruagem. Releia o texto, a declaração dele não é racista, é realista.

    • NÃO ACREDITO QUE ELE TENHA AFIRMADA QUE 50% E 51% SÃO NEGROS E MULATOS, NÃO É NÃO NÓS
      SOMOS MISTURADOS DE TODAS AS RAÇAS DO PLANETA TERRA , CHEGA DE DISCRIMINAÇÃO, CHEGA DE SER SEMPRE VITIMA.

  • Os negros no Brasil não sabem mirar o foco e empreender a luta, a argumentação é válida mas a proposta que fazemos para combater e acabar com o racismo é errada. No dia que acertamos isso a casa cai.

  • O “rola b….” Reinaldo Azevedo não perde nenhuma oportunidade para espinafrar o PT. No seu texto, acusa os petistas de quererem controlar a imprensa.

    Esse imbecil só fala asneiras e se acha o tal só porque o Gilmar “Dantas” foi prestigiar o lançamento de seu inútil livro.

    Muito me admira o servilismo dos ministros do STF à imprensa. Não é a toa que as associações de classe de magistrados estão revoltadas com a desmoralização do Poder Judiciário, por conta das aloprações desses DD ministros do STF.

  • ¨será que Barbosa ficará com medo da mídia e evitará novas críticas ou terá entendido que alguém como ele jamais terá um acordo duradouro com ela?¨

    O Barbosa é tão contraditório que sua pergunta fica difícil de responder ou NÃO.

    O que se percebe é que Barbosa gosta dos holofotes. Quando ele é elogiado, faz o que o elogiador pede que ele faça, sem qualquer PUDOR. Quando ele é criticado vai para cima, fica uma fera…

    O perigo mora aí. A midia sabe como tratar o Barbosa, sabe como amança-lo. Deu os holofotes para seu discurso pifio em Costa Rica na certeza que o Barbosa vai dificultar a lei que regulamenta essa mesma imprensa que ele tanto critica.

    Duvido que Barbosa em seus 2 anos de presidencia causará dificuldades à burguesia.

    Eu em 2003 aprendi uma máxima popular :

    Existe a arte de fazer não fazendo
    Que eu ampliei para:
    Do julgar não julgando do falar não dizendo NADA.

  • Reparou ? ..reparou que vc esta gastando cada vez mais espaço pra dizer logo ..logo, NADA ??!!

    15% dos magistrados brasileiros são negros ..apenas como informação a ser interposta contra este coitadismo racista a que estamos e fomos artificial, maliciosa e forçosamente mergulhados

    Sem duvida que esta tentativa incessante da direita e da esquerda em tentarem DESCONSTRUIR pessoas que não comungam com seus interesses (papel deplorável que VOCÊ tb esta se prestando a fazer) colabora com quase nada, ou muito pouco, para com o surgimento dum Brasil mais ético e justo que muitos esperamos nascer.

    As cíticas e ou ponderações que vc faz de JB eu poderia fazer por ex sobre o “menino” TOFFOLLI, pq não ?

    Verdade é que, embora vc se desdobre, JAMAIS com seus argumentos vc conseguirá NEGAR e/ou impedir com que verdades supremas transpareçam, por exemplo a de que no processo do mensalão HOUVE e há sim provas de montão ..que houve e há dos CORRUPTOS passivos confesso, destes que enricaram de forma desleal, que agrediram e traíram os melhores princípios republicanos e democráticos ..que houve abuso de poder POLÍTICO e econômico, público e privado ..e que houve tb agentes ATIVOS que buscaram calar as mentes e comprar as consciências de quem se prestassem a fazê-lo ..isso pra não ficar no básico de que houve agentes públicos eleitos que TRAÍRAM os princípios que eles mesmos, espontaneamente, juraram defender.

    LAMENTÁVEL, lamentável termos que ficar a observar esta lavada IMUNDA de lençóis que servem a verdadeiros puteiros ideológicos, e enquanto isso ficarmos tb paralisados em questões muito mais profundas que acabam por sumir da pauta e dos noticiários. TEMAS como:

    -o mandato do STF deve ser vitalício ?
    -a forma como são nomeados os magistrados esta correta ? Há outras propostas mais adequadas ?
    -o STF deve ter fiscalização externa, e como fazê-lo ?
    -a desproporção do SENADO, esta casa injustificada, afeta o processo de escolha destes agentes ?
    -até que ponto a política partidária e caudilhesca interfere no ambiente ?
    -seus ex devem gozar de salários/benefícios e direitos exclusivos (como terem passaporte diplomático?)
    -as atuais leis e processos (penais e civis) estão distorcendo o uso e ocupação do STF ?
    -é correto a existência dos FOROS especiais ? ..a velocidade dos processos esta respondendo às necessidades e demandas sociais, tanto no aspecto moral como político por exemplo ?
    – ps tipos de penas que são impostas aos magistrados que descarrilham esta conseguindo vencer o CORPORATIVISMO ?

    Enfim, é isso, mais um texto seu que se fundamenta em aparências e que se esquece da essência de sua maior missão, que seria a defesa e valoração da CIDADANIA nesta Nação.

    http://www.youtube.com/watch?v=oo8gzxcFatk

    • Para valorização da CIDADANIA nesta nação, é imprescindível que se esclareça o que foi, o que se passou, e em que consistiu a palhaçada chamada pelos autores de Mensalão; e por quem acompanhou o show aguardando um julgamento, de Mentirão. Eduardo Guimarães acompanhou tudo, toda transmissão da sucessão de absurdos jurídicos, filosóficos, atentados ao bom senso, ao pensamento minimamente racional, à boa educação, à democracia etc, que se perpetrou nesse evento jurídico-mediático surrealista. Fala com conhecimento de causa. Só defende a seriedade do evento quem não acompanhou diretamente, quem “soube” dos fatos pela midia, ou, quem se beneficiou dos resultados. Não é possível que uma pessoa séria, honesta e inteligente ache que houve, de fato, um julgamento. Dois juizes foram flagrados até DOR-MIN-DO em momentos de defesa dos réus ( ! ) numa demonstração ostensiva do respeito que tiveram pelo direito de defesa no caso em pauta. E, no climax, na tão esperada hora de apresentarem as provas, apenas adjetivos superlativos repetidos à exaustão. Nada, absolutamente nada de substantivo, nem uma prova sequer de nenhuma das acusações, quanto mais a individualização e reconstituição dos fatos, como exige o Direito Processual Criminal. Deve ter sido o maior fiasco jurídico da história da humanidade. Foi comparado apenas com o Julgamento de Alice, no “Alice no País das Maravilhas”, um “julgamento” do mundo da fantasia, e com o julgamento de Dreyfus.

      • ôhhhhh, agora só o Eduardo tem TV agora ??!! pára com isso !!!

        EU VI, tb vi por exemplo R.Jeferson, Valdemar da Costa, gente do PMDB, ligada a Maluf e outros ADMITIREM que receberam dinheiro, uns que esconderam, outros tentaram disfarçar, e TODOS que NÃO declararam o fim dado ao ervário que muitas vezes foi coletado com CARRO FORTE.

        EU VI o uso do Poder econômico e político partido ora de agentes privados encastelados e, invariavelmente, de públicos tb

        EU vi, e ninguém precisou me falar, que a DEMOCRACIA foi desrespeitada e consciências foram ALUGADAS, ALUGADAS, compradas ..que nada, nenhuma pratica antes criticada foi mudada (lembra da compra da reeleição de THC ?)

        Vi, pq não sou FANÁTICO nem cego ou CÍNICO, um João Paulo tentar esconder que contas pessoais suas foram pagas, ou apresentar álibi FRAUDADO em notas fiscais sequenciais, mas “separadas” de meses na data (oras vá ??!!) ..ou numa explicação irracional dum Pizolatto.

        Vi, claro que vi, o sorriso cínico dum Delúbio que pelo intelecto demonstrado seria INCAPAZ de planejar e executar sozinho tamanha teia de facilitações e/ou interesses ..ou um Genoíno assinar contrato de responsabilidade, e depois sequer dizer que conhecia o colega que com ele firmava a operação ..ou, como não, o mesmo Genoino falar que cabia a ele os “acordos” políticos, aquele que chegava no PREÇO, compreende ..destes que antes ele condenava, e que agora ele mesmo tenta reconhecer como se sendo pratica natural a que temos que nos submeter

        Claro, claro que tb não me passou desapercebido, porque eu não estava dormindo, outros personagens como a turma do Banco Rural por exemplo, ou dos empréstimos milagrosamente abatidos e dados como liquidados ..a turma do MV correndo a queimar tudo quanto é tipo de NOTA fria.

        E infelizmente, pro meu entristecer, vi e reconheci que o líder maior do governo à época, por absoluta COMPETÊNCIA, não poderia ser outro que não o Zé que posava, se apresentava, se gabava e se beneficiava de ser o líder inconteste destes personagens que a todos conhecia e, gostemos ou não, a todos em um outro momento da vida conheceu e se reuniu abertamente, ou em “segredo”, bem no período em que ele era governo.

        SIM, eu vi que houve crime de montão, mas que realmente não deveria ser chamado de exclusivo, inédito, o maior esquema de corrupção desta Nação, muito menos de ter frequência apelidado de Mensalão, não, aí não.

        nota – claro, eu vi, e parece que o Eduardo não, vi LULA dizendo que o PT e companheiros erraram, isso em 2006 ..e hoje, em 2013, José Dirceu repetir do mesmo ..pena que tal qual vc eles tb não me disseram quem do PT errou ..aqui, confesso, após refletir, penso que hoje eu sei muito bem a diferença dum traidor, dum dedo duro, e dum LEGÍTIMO denunciador ..e vc, pergunto, sabe ? sabe o que se é se ser um cidadão impoluto e se ser conivente inconsequente ?

        nota – sou contra o direito a mentira ..pra mim advogado que ajuda um criminoso a mentir tb tem que ser PUNIDO, pois com seu ato ele sempre esta prejudicando alguém ou algo

        https://www.youtube.com/watch?v=eu8IvVu-W_o

    • Diria que foi o comentário mais lúcido e imparcial, com requintes de representatividade aos valores democráticos e republicanos se não fosse a referência única e exclusiva ao mensalão petista, visto que marcos da corrupção no Brasil antecedem e muito a esse triste episódio, que merecidamente foi condenado, principalmente no sentido de trazer à nação a esperança pela moralidade e ética na política nacional, despreza-se aqui o mérito ou não do julgamento em si. Quanto ao Joaquim Barbosa, é, no mínimo, cômico esse jogo em torno do nome dele, um lado enaltece sua biografia e outro procura meios de desqualificar sua conduta! A conveniência é o limite entre o falar bem e difamá-lo, enquanto isso seu nome cresce em notoriedade! Vamos ver o que ele pretende fazer com essa fama recorrente!

  • Paulo M. Leite

    “A luta da oposição virou luta contra a democracia

    “Isso porque assistimos a uma luta que, com o passar dos anos, e sucessivas derrotas da oposição, transformou-se, mais uma vez, numa luta contra a democracia. Não vamos nos iludir. As filigranas jurídicas não estão em debate”

  • Prezado Eduardo:
    Você disse:
    “Elogiado desbragadamente pela mídia, passou a ser convidado para eventos de louvação ao massacre de petistas e até do próprio PT que perpetrou durante suas diatribes no julgamento do mensalão, nas quais acusou o partido mesmo sem ele figurar no processo.
    Inebriado pela louvação midiática, sua virulência contra réus que deveria julgar com serenidade foi aumentando na proporção dos elogios que os jornais que agora reconhece racistas e de direita usaram como fermento para que proferisse as frases de efeito que esperavam que lhes trouxessem um benefício eleitoral que acabou não aparecendo.”
    Vejamos o que diz Guy Debord no seu livro A SOCIEDADE DO ESPETÁCULO, Ed. Contra Ponto:
    ” o espetáculo apresenta-se ao mesmo tempo como a própria sociedade, como uma parte da sociedade e como instrumento de unificação. Como parte da sociedade, ele é expressamente o setor que concentra todo o olhar e toda a consciência. Pelo fato de esse setor estar separado, ele é o lugar do olhar iludido e da falsa consciência; a unificação que realiza é tão-somente a linguagem oficial da separação generalizada”.
    “ O espetáculo não é um conjunto de imagens, mas uma relação entre pessoas, mediada por imagens”. Vê-se por aqui que o espetáculo é um problema de escolha ideológica.
    “Um aspecto do desaparecimento de todo conhecimento histórico objetivo se manifesta a propósito das reputações pessoais, que se tornaram maleáveis e corrigíveis à vontade por aqueles que controlam a informação , a que se colhe e também aquela, que é bastante diferente, que se divulga; eles têm autorização para falsificar. Pois uma evidência histórica que não interessa ao espetáculo não é uma evidência. “ A mudança social que o PT está fazendo, como nunca se viu na história desse pais , não merece destaque na grande mídia, mas a mentira do Mensalão/Mentirão é o espetáculo que assistimos no dia a dia.
    Ainda segundo o autor citado acima “ Quando uma pessoa só dispõe de fama que lhe foi atribuída como um favor pela benevolência de uma Corte espetacular, pode cair em desgraça instantaneamente”. Ou seja, enquanto você me servir, tudo bem. Quando me contrariar, azar seu.

  • O discurso do ministro na Costa Rica foi bonito, pra inglês ver… Agora, cá pra nós, a direita não tem candidato que agrade, não tem proposta que dê votos, não tem blogueiro que escreva um texto convincente… o negócio ta mesmo russo pro lado deles…

  • o comentário do barbosa sobre a imprensa é misancene… você acha que um cara que financia a viagem de um repórter da globo com dinheiro público pretende divorciar-se da mídia? Esquece.. o que ele fez foi posar para fotos no exterior, é discurso para inglês ver (ouvir)..

  • Apesar da farsa do mensalão, sempre achei positivo o fato de JB estar na presidência do STF. Ainda não entendi qual é a dele, talvez ele seja um bipolar, mas, no final, a sua passagem pela presidência do STF será bem positiva. Espero.

  • Certo, Eduardo. Entendo seu esforço, porém o JB é um caso aparte.
    O JB possui vários diplomas e demonstrou grande conhecimento, mas qual o resultado de tanto estudo?
    O que presenciamos no julgamento foi uma VERGONHA. O JB passou por cima de jurisprudências, inverteu papéis, inventou a Teoria do Delírio do Fato(coisa só dele), cerceou a defesa, não leu os autos corretamente e cometeu mais uma imensidão de digamos, ações incompatíveis com quem é detentor de tantos diplomas.
    Ou o JB é louco ou um grande CANALHA.
    Saudações.

  • É, ele disse isso, mas consta que fala ao telefone todo dia com o Merdal. Não sei se esse “esquerdismo” do Barbosão é mesmo para valer. Me parece um do tipo PSOL, a la Heloisa Helena.
    Mas uma coisa é certa, não tem preparo para ser juíz. É demagogo, e não sabe a diferença entre o que é ser um e ser um procurador, um promotor

  • Mais um primor de artigo. Parabens, Edu.
    Ao infelizmente Ministro, só tenho uma colocação:
    Acima de todos os títulos que possui, deveria ter um, que não tem e que substituiria vários:
    a humildade de aceitar que errou. A humildade de aceitar que também erra.
    O Senhor Joaquim Barbosa figurará nos anais da História do Brasil como um Ministro
    que por vaidade, por amor à fama fácil e rápida,
    cometeu crimes que embotarão toda a sua história pessoal.

  • A última frase me chamou a atenção pela verdade contida da postura de enviado de entidade internacional falando mal do Brasil . Dá pena como diz o Lula e sai da boca da direita.

  • O Ministro tem um currículo lnvejável,

    mas não é capaz de ter o discernimento de que ser elogiado pelo PIG é desmérito para qualquer cidadão decente.

Deixe uma resposta