Ex-presidente do Ipea acusa a mídia de terrorismo econômico

entrevista

 

Na última quarta-feira, o IBGE divulgou os resultados da sua Pesquisa Mensal do Emprego (PME) e, apesar de trazer boas novidades, foi apresentada pela mídia, a partir dali, como sendo ruim por o desemprego de junho deste ano ter sido 0,2 ponto percentual maior do que no mesmo mês do ano passado.

Neste momento político em que os bons níveis de emprego e renda constituem o que impede Dilma Rousseff de perder ainda mais popularidade, essa distorção dos fatos não pode passar batida e, nesse aspecto, o governo viu a distorção sendo feita e, como de costume, não contestou.

No sentido de fazer a sua parte no contraponto à desinformação, o Blog foi ouvir um dos economistas mais importantes do Brasil, o ex-presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) doutor Marcio Pochmann.

Antes da entrevista, porém, alguns dados sobre o entrevistado.

Formou-se em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1984. Entre 1985 e 1988 concluiu a sua pós-graduação em Ciências Políticas e foi supervisor do Escritório Regional do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Distrito Federal, além de docente na Universidade Católica de Brasília.

Em 1989, mudou-se para o Estado de São Paulo, onde iniciou seu doutorado – concluído em 1993 – em Ciência Econômica na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), tornando-se pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (Cesit), do qual seria diretor-executivo anos mais tarde, assim como membro do corpo docente da Unicamp.

Foi, ainda, pesquisador visitante em universidades da França, da Itália e da Inglaterra. Fez pós-doutorado nos temas de relações de trabalho e políticas para juventude e atuou como consultor no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), bem como na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e no Dieese, entre outras instituições nacionais.

No plano internacional, foi consultor em diferentes organismos multilaterais das Nações Unidas, como a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

De 2001 a 2004, em São Paulo, Pochmann dirigiu a Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Solidariedade do governo da prefeita Marta Suplicy. A partir de 2007, passou a exercer a presidência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em Brasília, cujo comando deixou no ano passado para disputar a eleição para prefeito de Campinas, na qual foi derrotado.

Na entrevista a seguir, Pochmann fala sobre economia e política e deixa ver expressiva confiança no país.

*

Blog da Cidadania – Doutor Marcio Pochmann, na quarta-feira foram divulgados os dados da Pesquisa Mensal do Emprego (PME), do IBGE, referentes a junho último e, em relação a junho de 2012, o desemprego subiu de 5,8% para 6%, correto?

Márcio Pochmann – O IBGE realiza essa pesquisa em seis regiões metropolitanas, que representam um terço do Brasil, sobre o mercado de Trabalho. Mas, ainda assim, resume-se a regiões metropolitanas.

A informação relativa ao desemprego, em termos nacionais, é oferecida pelo IBGE apenas uma vez ao ano, na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que é realizada no mês de setembro e divulgada sempre com um ano de defasagem.

Essa informação da PME de junho revela uma oscilação no mercado de trabalho que é sazonal, tendo em vista que no primeiro semestre de cada ano o desemprego é, em geral, superior ao do segundo semestre, quando a atividade econômica é mais acelerada.

Quem estuda o mercado de trabalho sabe, portanto, que esse resultado a que você se refere é sazonal e não apresenta nenhuma novidade.

Blog da Cidadania – No contexto em que o nível de crescimento do PIB ou a inflação vêm sendo tratados pelo noticiário econômico como sinais de que a economia está afundando, a impressão que se tem é a de que, agora, o desemprego pode se juntar a esses outros “cavalos-de-batalha”.

Ontem (25.7), editorial da Folha de São Paulo intitulado “Mudança de sinal” diz que essa “alta” constitui “Mais um sinal de esgotamento da política econômica do governo Dilma”. O senhor acha que é cabível uma conclusão como essa por conta de uma alta de 0,2% no desemprego de junho deste ano em relação a junho do ano passado?

Marcio Pochmann – A prática de terrorismo midiático não é uma novidade no Brasil. Se nós voltássemos no tempo e tivéssemos a oportunidade de analisar as manchetes de jornal de 1953, 1954 ou de 1963, 1964, possivelmente encontraríamos similitudes em relação às notícias econômicas de hoje.

Não há, a meu modo de ver, nada que possa apontar para um sinal – seja da inflação, seja do desemprego – comparável à crítica situação que vive os Estados Unidos, que vive a Europa, os quais têm, inclusive, adotado políticas econômicas que o Brasil adotou nos anos 1990 com resultados extremamente desfavoráveis ao conjunto da população.

Essa prática de terrorismo vem sendo usada, recorrentemente, desde a virada do ano passado para este ano. O “descontrole inflacionário” no Brasil foi apresentado como uma verdade absoluta.

De fato tivemos uma oscilação que acelerou a inflação por causa da safra agrícola e, como se vê, esse fenômeno vai sendo dissipado. Neste momento, há queda da taxa de inflação e, possivelmente, o Brasil vai fechar este ano – como aconteceu nos últimos dez anos – com ela dentro da meta estabelecida pelo Banco Central.

Se tomássemos como referência o que ocorreu nos anos de 2000, 2001, 2002, perceberíamos que, naqueles três anos, em nenhum deles a inflação ficou dentro da meta do Banco Central e não houve, no meu modo de ver, nenhuma manifestação midiática comparável ao que estamos vendo hoje.

Então há, de certa maneira, um terrorismo. Como hoje a inflação não se apresenta em uma trajetória de aceleração e, sim, de queda, então a nova temática passa a ser o desemprego.

O Brasil não vai crescer tanto quanto deveria, mas vai crescer mais do que no ano passado e, portanto, é muito difícil entender que nós tenhamos neste ano de 2013 um desempenho pior do que em 2012, pois se a economia vai crescer mais, ampliam-se os postos de trabalho.

Blog da Cidadania – E o nível de emprego crescerá em cima de um patamar alto. A economia brasileira gira hoje em torno de cinco trilhões de reais. Não é isso, doutor Marcio?

Marcio Pochmann – É isso mesmo. A economia brasileira encontra-se hoje entre as sete maiores economias do mundo. E o ritmo de expansão que o Brasil está conseguindo ter está ocorrendo em meio a um cenário internacional muito desfavorável.

Perceba que a China, que crescia 10, 11 por cento ao ano, está crescendo 6, 7 por cento ao ano. A Índia, a Rússia, os chamados “países-baleia”, também diminuíram o ritmo de crescimento.

Não é, portanto, um problema de ordem nacional, interna, mas uma decorrência da realidade internacional em que os países ricos estão acirrando a competição internacional e tornando difícil o manejo da atividade econômica.

Há algumas semanas houve a necessidade de se fazer um alinhamento na política monetária justamente porque o Banco Central dos Estados Unidos, sem consultar ninguém, decidiu encerrar a sua política monetária frouxa, o que indica uma subida de juros e, contiguamente, uma fuga de dólares de todas as partes do mundo rumo àquele país.

Dessa forma, o Brasil, como todos os países mais importantes do mundo, tiveram que fazer um realinhamento em suas políticas monetárias. Então, o contexto internacional termina impondo decisões de política econômica que não são aquelas mais favoráveis à expansão econômica.

Todavia, não há dúvida de que o Brasil tem um quadro muito diferente do que hoje nós estamos observando em países ricos que estão convivendo com aumento da pobreza, aumento do desemprego, aumento da desigualdade.

O Brasil está crescendo o que é possível crescer, mas com redução do desemprego, da pobreza e da desigualdade.

Blog da Cidadania – E aí, nesse momento, a gente lê um editorial no maior jornal do país em que a primeira frase é a seguinte: “São consistentes os sinais de deterioração da economia brasileira”. O editorial se intitula “Mudança de sinal” e foi publicado na Folha de São Paulo de 25 de julho de 2013.

Doutor Marcio: são consistentes os sinais de deterioração da economia brasileira?

Marcio Pochmann – Interpretações sempre dependem de quem as define. Eu, particularmente, não vejo sinais nessa direção. Infelizmente vamos ter um ano de crescimento menor do que imaginávamos, mas nada que signifique mudança da trajetória dos últimos dez anos, que tem sido uma trajetória de crescimento e distribuição de renda.

Não vai haver nada de trágico – a menos que surja uma hecatombe, e estamos longe disso no mundo. Deveremos concluir este ano com o controle da inflação, com crescimento econômico melhor do que no ano passado e com indicadores sociais seguindo a trajetória comprovada dos últimos dez anos.

Blog da Cidadania – O senhor acredita que essa previsão de um segundo semestre melhor do que o primeiro possa sofrer influência de fatores políticos como a promoção de protestos violentos nas ruas, como os que vimos em junho, ou o senhor acha que a economia brasileira não corre o risco de ser afetada por essa questão?

Marcio Pochmann – Não percebo que a economia possa dar curso a um problema político de maior dimensão. Agora, o contrário, que a política – ou a radicalização das manifestações – pode ter um impacto na economia como um todo, evidentemente que isso é possível. Mas exigiria um grau de movimentação que não me parece observável.

O que nós tivemos em junho foi um fenômeno importante que revela um processo decorrente das próprias transformações que nós observamos nos últimos dez anos. As pessoas foram à rua não para defender a volta de um modelo econômico ultrapassado; as pessoas foram à rua para reafirmar mais direitos. Não estão satisfeitas com o que estão obtendo e querem avançar mais.

Portanto, vejo nessas manifestações um combustível para o Brasil fazer mudanças mais significativas. Não me parece que possamos chegar a uma conturbação econômica derivada das manifestações políticas.

Blog da Cidadania – Fala-se também, doutor Marcio, em problema cambial. A conta corrente externa brasileira estaria correndo risco de retornar ao desequilíbrio de outrora – leia-se durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Então, minha pergunta é se essa questão cambial pode gerar algum problema maior ou se também nessa questão há exagero.

Marcio Pochmann – Entendo que a política macroeconômica precisa, sim, de ajustes e eles estão sendo feitos nos últimos dois anos. Essa questão das contas externas, a questão dos importados, os gastos de brasileiros com turismo no exterior, tudo isso coloca uma situação que precisamos olhar com muito cuidado.

Mas é bom lembrar, também, que o Brasil tem – e não tinha no passado – um colchão de proteção que são as reservas externas, o melhor remédio para essa situação desconfortável das contas externas.

Com essa desvalorização que tem sido observada da nossa moeda, o Brasil pode ter melhores condições competitivas nas exportações. É claro que isso não é uma resposta imediata, mas espera-se, também, que a economia mundial reaja e, assim, melhore as condições do comércio internacional.  Por fim, o país está fazendo um investimento em infraestrutura que em algum momento irá abrir um ciclo de expansão na economia de longa duração.

Evidentemente, haverá que fazer ajustes pontuais…

Blog da Cidadania – Que ajustes, doutor Marcio?

Marcio Pochmann – Entendo que, assim como a China foi capaz de construir uma rede produtiva com os países do seu entorno, precisaríamos avançar nesse sentido. A economia sul-americana tem no Brasil a sua principal fonte de dinamismo. Haveria que explorar melhor essa situação.

Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social precisaria funcionar como uma espécie de Eximbank brasileiro [Nota do Editor: estrutura dedicada exclusivamente a financiar exportações e a produção destinada ao mercado exterior] e o Fundo Soberano [Nota do Editor: fundo formado com recursos das reservas brasileiras para ser usado em investimentos] deveria ser usado de uma forma mais agressiva, permitindo ao Brasil ter maior presença em compra de empresas estrangeiras que estão com o valor de suas ações muito baixo, assim como têm feito a China, a Índia, a Suécia. Há oportunidades lá fora que o Brasil poderia aproveitar melhor tendo tantas reservas.

Blog da Cidadania – Mudando um pouco de assunto. Por que o senhor acha que a grande imprensa brasileira está tão pessimista e difunde tanto esse seu pessimismo? Ela está equivocada ou sabe que exagera, mas tem algum outro objetivo?

Marcio Pochmann – Entendo que há um aspecto estrutural em relação ao comportamento da mídia em geral. Isso porque nos últimos dez anos nós tivemos uma ascensão econômica com o surgimento de novos consumidores, mas isso praticamente em nada impactou em consumo de mídia.

Os jornais, ou perderam ou não aumentaram o número de assinantes. Nós não tivemos, portanto, um aumento significativo desses meios de comunicação em relação à sua penetração. Isso gerou uma decisão desses meios de comunicação de fazer uma espécie de “jornalismo militante”.

Lembra-me o tipo de jornalismo que se fazia na antiga esquerda, da União Soviética. Você tinha o Pravda, onde sempre tinha que haver alguma matéria contra o capitalismo porque estava-se escrevendo para militantes. E a impressão que eu tenho é que a imprensa optou por assegurar ou fidelizar os seus militantes leitores e escreve aquilo que eles querem ler.

Só não sei até que ponto essa opção é exitosa, pois, se de fato a população tivesse sua opinião formada pela mídia tradicional, não teria havido vitória do presidente Lula e da presidenta Dilma.

O que a imprensa brasileira diz do Brasil, aliás, é muito diferente do que diz a imprensa estrangeira. Então, esse paradoxo está associado a interesses econômicos de nossa imprensa que estão sendo afetados pelo conjunto da política econômica do governo.

Os principais financiadores privados da mídia privada são os bancos, o sistema financeiro, enfim, o rentismo. E certamente o rentismo não está nada feliz com o Brasil de hoje, em que se praticam taxas de juro, em termos reais, muito rebaixadas.

O setor financeiro deixou de auferir, ano passado, alguma coisa em torno de 100 milhões de reais somente com a queda da taxa de juros. Então, obviamente que a imprensa reage a políticas que prejudicam aqueles que a financiam…

Blog da Cidadania – Mas doutor Marcio, estamos falando em perda de poder da mídia enquanto o alvo dessa campanha dela de convencimento da população contra a política econômica e quem a impõe, que é a presidente Dilma, perdeu popularidade em uma proporção cataclísmica.

Não lhe parece que estamos em um momento novo? Até há poucos meses, a mídia martelava, martelava o governo e sua política econômica e chegava a pesquisa seguinte e o Lula estava cada vez mais forte, a Dilma estava cada vez mais forte. De repente, tudo isso mudou.

A pesquisa CNI-Ibope, recém divulgada, mostra nova queda da popularidade da presidente Dilma. Em entrevista que fiz na semana passada com o diretor do instituto Vox Populi, doutor Marcos Coimbra, ele disse que vê uma certa ressonância que começa a surgir dos ataques da mídia ao governo entre a sociedade.

Marcio Pochmann – Não estou querendo menosprezar o resultado das pesquisas, mas, no meu modo de ver, a perda de popularidade não é exclusiva do governo federal. Houve queda generalizada. Há um descrédito à política brasileira. Há efeitos no Poder Executivo, no Poder Legislativo, no Poder Judiciário e nas esferas federal, estadual e municipal…

Blog da Cidadania – Um momentinho, doutor Marcio. Uma informação para ajudar a sua análise. A presidente Dilma foi quem mais caiu. E houve até ganhos entre seus adversários. Políticos como Marina Silva ganharam muito na disputa da Presidência, no último período. Aécio Neves, como candidato, não perdeu nada. Dilma perdeu muito como candidata.

Marcio Pochmann – O problema é que Dilma exerce o governo. Então, é verdade que o governo perdeu apoio, mas também é verdade que outros níveis de governo também perderam apoio. Então isso também abre oportunidade para o PT, que não é governo em muitos Estados, disputar eleição neles em melhores condições.

Em São Paulo, por exemplo, Alckmin perdeu muito apoio. Então há um descrédito generalizado. E também é bom lembrar que as eleições em 2002, 2006 e 2010 foram sempre muito difíceis para o PT, que sempre venceu só no segundo turno. Não houve nenhuma eleição fácil para Lula ou para Dilma.

Blog da Cidadania – O senhor está otimista. É bom ver otimismo, mas só lembrando que Alckmin perdeu 16 pontos – ele que mandou a Polícia cometer aquela violência toda contra manifestantes – e Dilma perdeu quase 30 pontos.

Mas é bom ver otimismo em alguém com o seu nível de conhecimento da economia do país – e eu sempre digo que foi uma tragédia o senhor não ter vencido a eleição em Campinas, ano passado, porque seria um luxo para a cidade tê-lo como prefeito.

Quero agradecer muito, portanto, doutor Marcio, a atenção que o senhor me deu e, contando com a sua anuência, pretendo procurá-lo outras vezes para obter novas excelentes análises como essa que o senhor deu aos leitores do Blog da Cidadania.

Marcio Pochmann – Eu é que agradeço a oportunidade. E o parabenizo pelo seu trabalho, um trabalho corajoso, um trabalho de buscar a verdade, que é o que nos liberta.

92 comments

  • Lá no “Com Texto Livre”:

    “O Negócio da Revolução (“DE FORMA PACÍFICA”. COMO O DIABO/GLOBO GOSTA) –

    EUA financiam “protestos de jovens” no mundo inteiro.

    Espero que após assistir o documentário abaixo(Obs.: está lá), legendado em português, os brasileiros acordem para a possibilidade de sermos vítimas de uma revolução “delivery”, planejada por consultores estrangeiros interessados em desestabilizar o país.

    Segue o comentário da leitora Patrícia SemMidia, seguido do vídeo sugerido por ela: vale a pena ver. “…fiquei estarrecida com o que é revelado eles estão em 37 países e empenhados a criar um clima de CONSTANTE PROTESTO … de MODO A DESORGANIZAR ECONOMICAMENTE OS PAÍSES e aí abrir espaço para o poderio estadunidense dominar… e o pior eles se infiltram entre os jovens…”.

  • Não vai haver desemprego nos proximos 6 meses! Porque a fase crise está passando vai até meados do mes de setembro, depois chega a epoca das compras de fim-de-ano.

  • Contra o Brasil. O PiG é sempre contra o Brasil e conspira diuturnamente.
    A lei dos médios é necessária a democracia. Se saímos as ruas pela diretas já para o retorno da democracia, hoje, é essencial que saiamos as ruas pela regulamentação da mídia, que se transformou em um monstro, que pensa estar acima da lei e mina a democracia. A globo é o vírus assassino.

  • Dizem que ele é, será ? hummmm…

    L.N. meio que se antecipando ao descontentamento que já se evidenciava nos bastidores contra as perspectivas do governo de DILMA havia lançado a candidatura de Eduardo Campos num artigo pra lá de ufanista intitulado, “Eduardo Campos, o cara”, isso em 11/2011.

    Provavelmente alertado dos riscos de perder seu apoio, espaço e patrocínio nesta tentativa de abandonar o barco de forma precoce (ao contrário do que fez com o PSDB e Serra em 2006, quando ele segurou apoio até a ultima hora ainda como diretor da Rolha), não é difícil intuirmos que o blogueiro, avisado, simulando um arrependimento e refinamento de análise, veio meio que por “vontade própria” desdizer ou tenrar relativizar aquele MOSTRO que ele mesmo – atendendo a encomenda de poderosos – tinha ajudado a criar, para, em 03/2013, lançar outro texto denominado “Ainda não é hora de Eduardo Campos”.

    Interessante que de tudo isso, verdade mesmo é que o país NÃO sabe, ou sequer ainda pensou no que ele, Eduardo, é, no que representa, e no que pretende este neto de Arraes fazer, muito menos sabe do porque desta fama por ele conquistada que, pra tristeza desta nossa eterna, pobre e torta democracia manipulada, continua a partir da cabeça de poucos DEFORMADORES de opinião especializados em nos enganarem ao criarem mitos e personagens pra termos em quem votar.

    Reflitamos:

    Será, será mesmo que o país já refletiu que parte do sucesso deste governante se deve à torra de BILHÕES de reais em investimentos – muitos paralisados e atrasados – que seu Estado de Pernambuco tem conseguido arregimentar junto ao governo Federal ?

    Será que a imensa maioria do país reconhece seus sucessos, e quais seriam eles mesmo aplicáveis no resto do nosso território, e com certa dose de ineditismo e criatividade?

    Será que boa parte do sucesso do governador Campos não se deve aos próprios programas sociais que o governo federal já desenvolve em seu próprio quintal desde os tempos de LULA, outro ilustre filho daquela terra ainda perdida no tempo ?

    Sei não, não que as ambições do cidadão Eduardo não sejam legítimas, mas penso que ainda é muito cedo pra se contar com mais um líder que esta mais pra se ser um colocado pré-fabricado como Collor, do que por se ser um líder que por seus méritos e biografia (não de família) conseguiu chegar lá.

    Aliás:

    Imagine nobre leitor um governante que assume e já sabe que em uma praia assistida por sua administração, que por lá, devido a uma intervenção mal feita pelo homem por sobre a natureza, imagine que nela já tenham morrido TRUCIDADAS por dentadas mais de QUARENTA seres humanos atacados por TUBARÃO. (hoje passa de 50)

    Então ? O que esperar de um “administrador visionário” que assumisse diante deste quadro ? Que ele interditasse a praia, ou que ele a cercasse de REDES de proteção assim como já sabemos que o fazem administradores por todo o globo, não ?

    Mas o que fez o Zóio Azul nestes quase 7 anos de mandato (assumiu em 2006) sobre esta questão básica, primitiva, rudimentar, de uma obviedade ULULANTE, eu diria junto com Nelson Rodrigues ?

    resposta: NADA !!!

    Aqui, será, será que a menina Bruna Gobbi, de onde estiver, saberá reconhecer esta administração ?

    Sei não, mas se nem com medidas simples, evidentes, básicas como a de se cercar uma praia com rede este governador “de visão” soube tratar, DUVIDO, du-vi-de-o-dó que ele é mesmo este “homem de visão” que um Gerdau e/ou um Nassif querem que acreditemos se tratar.

    Em tempo:

    Esta chegando a hora da verde.. GOVERNANTES, mostrem do que fizeram, ou do que pretendem ou, ou CAIAM fora a bem do povo brasileiro !!

    curiosidade – a turma da bla bla Marina (que esta sendo vítima de GOLPISTAS por não lhe permitirem da criação dum partido) esta se dando um tiro no pé ao não se permitir receber dinheiro de empreiteira e de banco pra financiar a campanha da sua líder. Pra quem já sabe de algumas instituições que estão por trás da Blá-blá chega a parecer incrível que tal ideia tenha mesmo partido de alguns de seus apoiadores.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/eduardo-campos-o-cara

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/ainda-nao-e-a-hora-de-eduardo-campos

    http://www.youtube.com/watch?v=My6kgFKiBJI

    Infeliz do homem que troca suas amizades vende a sua consciência em nome da dua solvência

    • e pra ficar claro, corrigindo o texto:

      “esta chegando a hora da VERDADE” ..e não “da verde” como acabou sendo digitado ..esta expressão que poderia vir a ser mal interpretada pelos colegas como se sendo um apoio meu à eleição da Blá-Blá M. da Silva.

      Marina, este fruto do norte que, a mim, ainda parece estar MUITO verde para se ser servido à sociedade …aliás, parecendo aqui o fruto da LOBEIRA, vocês conhecem ?

    • As vezes penso que devem haver dois Romanelli, um sofista que agride sistematicamente o Governo de Dilma e o outro capaz de fazer uma analise perfeita dos postulantes ao cargo de Presidente.
      Mas depois penso, ora, o Romanelli que aponta as mazelas de Eduardo Campos é o mesmo que não diz uma só palavra sobre o propinoduto tucano de São Paulo.
      Daí caio em mim. Uma vez Romanelli, sempre Romanelli. Primeiro e único.

      • BISPO, bispo

        Sobre este e outros propinodutos de Serra, Alckmin, Covas, THC ..sobre o mensalão tucano, FURNAS, os vampiros, Daniel Dantas, sobre a compra da reeleição, a pasta Rosa, sobre a Petrobrax, a venda da CVRD por valor vil, sobre a privataria mal desenhada que nos deu das tarifas mais caras do MUNDO pra telefonia e energia por exemplo, sobre o ERRO na condução de políticas públicas como para a economia, transporte, saúde e segurança, disso tudo, e mais, eu não só já falei, falo, com tb me contraponho a quem defende o ninho demoníaco-tucano.

        PENA, pena mesmo que os governos de LULA e DILMA nada fizeram pra se mostrarem mais probos e diferentes, atentos e/ou em comunhão com minhas preocupações, idéias, propostas, anseios e interesses de cidadão.

        http://www.youtube.com/watch?v=0K9blrfEezE

        • Aliás Bispo ..uma reflexão

          Pq vc também não cobra o EDUARDO pra que ele, que diz não ser chapa branca (embora de forma ética e transparente já se declarou partidário), pra que ele passe a exercer sua justa cidadania e então também comece a fazer criticas PROPOSITIVAS à liderança de LULA e ao governo de DILMA ?

          Tenho certeza que com sua larga experiência de vida (ainda mais na área da saúde) ele poderia colaborar em muito pra que nossas vozes tivessem mais eco e fossem mais ouvidas.

          Porque convenhamos colega, não sei quanto a você ..mas essa de se ser governado via procuração e/ou carta em branco dada a tiririca em voto secreto e inalditável, ou, ou por gente que de DÉCADAS não sabe o que é o cheiro do sovaco dentro dum ônibus e/ou metrô lotados ..ou ainda por gente que só gosta de ver os problemas planando por cima com seus helicópteros ou em aviões pagos pela FAB ..olha, vou dizer, da minha parte eu estou de SACO CHEIO

          abrá

          nota – ou você faz isso, ou se não com você BISPO, agora só com o PAPA Argentino

          http://www.youtube.com/watch?v=yeNPo8cdj_8

  • Segundo o TCU e os TCEs, a corrupção no Brasil envolveu cerca de R 40 bilhões em 7 anos. (http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5329821-EI7896,00.html).
    Cerca de R 6 bilhões por ano.
    A sonegação fiscal no Brasil é de R 200 bilhões por ano. R 200 BILHÕES por ano!! (http://www.ibpt.com.br/img/_publicacao/13649/175.pdf). 28 vezes mais.
    Como a Globo sonega bilhões e é corruptora contumaz ela só faz campanha contra os corruptos desde que petista, com a conivência do Ministério Público e Judiciário.

  • Parabéns todos os dias ao Eduardo Guimarães pelo “trabalho corajoso” citado pelo entrevistado. Obrigado pela entrevista. Não tem preço constatar mais uma cabeça PENSANTE (Marcio Pochmann), e não seguidora do editorialismo jornalesco, a dissecar o terrorismo midiático.
    Por favor, nunca nos abandone. O seu jornalismo empírico é muito mais conceitual do que a maioria dos que assim se supõem.

  • sobre o texto:

    SIM, há terrorismo midiático

    Sem duvida que os principais problemas do governo NÃO são a inflação “descontrolada”, o nível de desemprego, a insuficiência de geração de emprego, ou mesmo o “desequilíbrio” das contas públicas como querem nos fazer crer esta mídia DESTRAMBELHADA.

    Nosso problemas são MUITO mais sérios e profundos ..estão nas reformas que não vieram nem virão com essa turma (na saúde, segurança, fiscal, tributária, política, civil, penal, da FEDERAÇÃO por exemplo)

    ..eles estão no esgotamento do modelo de crescimento via aceleração do consumo, renda, benefício e endividamento internos ..no estrangular dado cambio, na falta de correção no preço dos combustíveis, na desoneração e desindexação, na falta de REGULAÇÃO que não veio ..na ausência duma melhor administração, transparência e respeito aos recursos dados aos governos e poderes ..na falta de punição pelos desvios, MÁ GESTÃO e corrupção dos meios.

    Enfim, esta na somatória desta quizumba que desembocou num processo de desindustrialização, de má formação e de baixa remuneração dos empregos criados, ou na manutenção duma sociedade cada vez mais violenta, alienada, tratada como boiada e DROGADA.

    em tempo – quem vcs acham que vencerá a Fazenda ? ..ou que o Felipão vai convocar? ..ou de quantas medalhas o BRASIL vai ganhar ?

    aliás, vocês viram o PAPELÃO que o Estado de coisas do RJ esta fazendo na visita do PAPA (má organização, lamaçal, metrô interditado, improvisos ..vichi)

    Aliás, em primeira mão pra vocês o novo jingle que Paes e Cabral assumirão:

    http://www.youtube.com/watch?v=DSUpVnBQaOM

  • Excelente entrevista de Márcio Pochmann! Por sinal, concordo com a entrevista dele em quase todos os pontos, a destacar sua análise correta sobre a tal “perda” de popularidade de Dilma que, ao que todos os sinais indicam, foi somente o resultado momentâneo da má impressão que as “passeatas” dos mauricinhos impingiram ao seu Governo, não entre aqueles “manifestados” dos atos(que correspondem à minoria das classes média e alta e aos seus militantes pagos, que já odeiam o PT por seus êxitos, ou seja, por dar qualidade de vida aos oprimidos), mas entre a maioria silenciosa, a população carente que não participou das “passeatas”, pois sequer sentia-se identificado com elas, indentificando-as, ainda que de forma difusa, como “coisa de rico”, “onde não deveriam estar”. Pois bem, foi a impressão de desordem que esses atos passaram para a maioria da população, de leniência do Governo com a baderna(lembrando que o homem comum detesta qualquer sinal de vandalismo)que diminuíram o apoio da Presidenta entre a população em geral, uma diminuição portanto pontual, já que resultante da impressão instantânea gerada pelas “manifestações”(e colhida exatamente assim que essa impressão nascia, já que as pesquisas que apontaram a tal queda foram milimetricamente relizadas após as “passeatas” burguesas)e que não afetará o eleitor no momento em que decidir pelo voto, quando deixa de lado birras pontuais e pensa em aspectos mais importantes referentes ao conjunto geral do trabalho de um Goevrno que continua a identificar como “seu”, uma vez que, antes dos “atos”, era essa a percepção da população gerada exatamente pelos bons resultados na Economia(emprego e renda), os quais não foram afetados pelas “passeatas”. Foi exatamente o mesmo que aconteceu com Lula, durante o episódio do “mensalão”, a divulgação do “escândalo” diminuiu até mais a popularidade do presidente entre a população; contudo, à medida em que se aproximavam as eleições, e tendo ido Lula a a campo mostrar o real objetivo dos que o atacavam e os feitos de seu Governo em relação à melhora da qualidade de vida das pessoas(que era muito inferior à atual), a população deixou de lado o pito que passara no Presidente e decidiu reelegê-lo pensando num projeto mais amplo, ou seja, nas realizões gerais de um Governo que percebia como seu. Sinais de que essa constatação é correta já aparecem : não conheço ainda os resultados da pesquisa CNI/IBOPE(que é bom lembrar, é dominado pela Globo, responsável por 90% do faturamento total do Instituto), mas os números da pesquisa CNT/MDA já apontam, se comparados aos do Datafolha, que Dilma foi a única que cresceu em comparação aos adversários, que decaíram ou diminuíram seus resultados em relação ao Datafolha, sendo que segundo a CNT a queda de popularidadde da Presidenta foi menor do que a apontada pelo Datafolha. Um ponto a se corrigir nas declarações de Pochmann é que a mídia não fala somente para seus “militantes”, mas pretende sim convencer a população, embora inutilmente, só tendo conseguido algum resultado, embora mínimo, quando a crise econômica internacional criou um falso clima de ameaça para o Brasil. Como em 2008, quando o terrorismo da mídia chegou a levar empresários a demitirem “preventivamente” seus empregados devido à crise e a atividade econômica sofreu uma mínima queda; neste ano, o fantasma da falsa “volta” da inflação só prosperou porque vivíamos em um ambiente envenenado pelo recrudescimento da crise internacional. Assim foi graças a esse clima que o terrorismo midiático da inflação, amparado na absurda “premissa” do aumento de alguns gêneros alimentícios(que ocorre todo ano na entre-safra)conseguiu gerar um desgaste pequeno no apoio a Dilma, que ficaria aí se não fôssem os “manifestados” da clsse média. Contudo, como em 2008, quando Lula recuperou terreno indo à TV desmentir o terrorismo econômico da mídia, deve Dilma fazer o mesmo agora tanto por esse motivo(impedir que uma mídia que vibra diante dos mais longíquos sinais de recuperação das decantes economias da Europa e EUA e cria histeria diante do nada em relação à punjante Economia do Brasil gere uma sensação inxistente de caos); como também para garantir a “interpretação” adequada do resultado das “passeatas” entre a população brasileira. Ou seja,aquela maioria silenciosa que não participou das “manifestações”, não se identifica com elas, que somente passou um pito no Governo por sua leniência com a baderna ao retirar-lhe temporariamente o apoio, ou seja teve uma má impressão pontual, mas continua identificando este Governo como seu; poderá mudar de opinião nesse aspecto, que é o que verdadeiramente define o caráter do Governo para eles e direciona seu voto, se a combinação de terrorismo econômico midiático com “passeatas”(também “interpretadas” pela mídia)conseguir convencer a população de que o Goevrno “mudou de lado”, ou seja, de que não mais trabalhará para manter e aprofundar as conquistas obtidas nesse dez anos. Por enquanto essa impressão não foi imposta, não houve tempo para isso(principalmente devido à vacuidade dos “atos”, que tinham que ser assim para disfarçar seu caráter golpista), como também devido ao apoio que as políticas sociais e econômicas do Goverrno continuam a ter entre a população(basta andar-se nas ruas para perceber isso, a sensação de bem-estar permanece), ainda que ela tenha se desagradado com uma questão específica de Dilma, sua leniência com os vândalos. Portanto, cabe ao Governo impor essa “interpretação” e para fazê-lo não pode ficar calado nem diante do terrorismo econômico e nem em relação ao vandalismo dos “manifestados”(que intensificarão seu golpe em breve, retornando com força talvez no 7 de stembro). O mutismo do Governo Dilma precisa ser transformado em pró-atividade e, enquanto ele não faz isso, a mídia progressista e a Sociedade Civil organizada têm que agir para defenderem não um Governou ou um partido, mas o golpe reacionário que tentar impedir a continuidade de um projeto político que vem transformando este país numa potência, melhorando a vida das pessoas e abrindo perspectivas para o futuro. Fica aqui a sugestão para que este blog leve à mídia alternativa, em relação a se organizar uma grande representação coletiva junto ao Ministério público(com direito a abaixo-assinado)exigindo que o MP investigue a mídia conservadora por seu terrorismo econômico. Devemos ressaltar que não se trata de atentado à “liberdade de imprensa”, mentira fajuta com que os coroneis eletrônicos querem desculpar sua censura, mas de defesa dela, já que há números que comprovam o extraordinário momento da Economia brasileira(e são censurados pelos coroneis eletrônicos ou têm sua “divulgação” deformada pelo acompanhamento de somente um tipo de interpretação, sempre negativo, enquanto censura-se as versões positivas sobre eles, emitidas por profissionais respeitáveis)e é exatemnte o fim dessa censura para um dos lados(que deveria ser divulgado juntamente com a versão pessimista)que desejamos. Pode não resultar em nada, mas seria uma boa forma de mobilizar-se a Sociedade brasileira e deixar os coroneis eletrôncios temerosos num momento em que seus podres começam a ser questionados nas rua spelas forças populares. Lembre-se que foi algo semlhante, a representação do MSM ao MP sobre as pesquisas, que assustou o “poderoso” Datafolha e deu alguma lisura às pesquisas presidenciais de 2010. Devemos agir antes que seja tarde.

  • No meu Face por motivos diversos tenho amigos que convergem (maioria mais que absoluta) ou divergem (pouquíssimos) do meu ponto de vista sobre política. Prioridade política para mim é “diminuir a desigualdade de renda das famílias brasileiras e sul americanas”; o que inclui a questão do emprego e da educação para competir.
    O PT com os partidos de apoio tem conseguido isto e os da oposição não confio agora pelo exemplo que deram no passado.. Agora é exasperante constatar que Dilma-PT não contestam o terrorismo que sofrem por parte desta mídia partidária. Tudo parece depender da blogosfera progressista para tal.
    E esta entrevista para o Cidadania demonstra isso.

    • Concordo e eu, que sempre fui partidário da cautela contra os meios midáticos, acredito que Dilma precisa sim, agir, mostrar o contraponto do governo contra o que a mídia vem alardeando.

      Não convém desconsiderar a força midiática, que se não conseguiu eleger nem Alckmin, nem Serra, está pronta para a batalha de 2014, só ainda não definiu qual o candidato será ungido.

  • Os preços caem, os terroristas se calam

    Os terroristas midiáticos a cada dia ficam com menos argumentos para desenvolver as suas ações para incutir no público a noção de que o Brasil está à beira do precipício.
    Quem não se lembra da “inflação do tomate”?
    Do descontrole inflacionário que reduziria a pó os esforços para a economia crescer e a poupança dos trabalhadores engordar?
    As notícias foram amplificadas ad infinitum, lembrando a tática nazista de repetir uma mentira até que ela vire verdade.
    Pois bem, dois índices de preços divulgados hoje (25) e ontem mostram que os preços estão caindo, que se registra uma deflação – o contrário da inflação.
    Não é que os preços estejam subindo menos – eles estão em queda!

    O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) na capital paulista, medido pela Fipe, ficou em -0,16 na terceira prévia de julho, ante alta de 0,01 registrado na segunda prévia do mês.
    O IPC mostra que a taxa para o grupo de transportes passou de -0,39 para -1,21. Já a taxa para o grupo alimentação passou de -0,53 para -0,62. Em outro grupo, o de vestuário, o índice registrado passou de -0,29 para -0,20. Em habitação, a taxa diminuiu de 0,48 para 0,45. O conjunto de despesas pessoais passou de 0,32 para 0,34. Em saúde, o índice manteve-se em 0,26. O grupo de educação registrou 0,07, ante 0,12 registrado na última divulgação.
    Já o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), da Fundação Getulio Vargas, teve, na terceira semana deste mês, variação de -0,11%, ainda influenciado pela redução da tarifa de ônibus urbano.
    A taxa ficou 0,18 ponto percentual abaixo da registrada na semana passada. O levantamento mostrou que sete das oito classes de despesa que compõem o índice tiveram decréscimo.
    O principal foi no grupo de transportes (de -0,44% para -0,8%). Somente a passagem de ônibus passou de -1,59% para -3,07%. Também registraram decréscimo os grupos de alimentação (de -0,23% para -0,42%), habitação (de 0,49% para 0,36%), vestuário (de -0,03% para -0,54%), saúde e cuidados pessoais (de 0,38% para 0,35%), educação, leitura e recreação (de 0,31% para 0,23%) e comunicação (de 0,19% para 0,12%). O único grupo a registrar acréscimo foi o de despesas diversas (de 0,27% para 0,29%). (Com informações da Agência Brasil)
    http://cronicasdomotta.blogspot.com.br/2013/07/os-precos-caem-os-terroristas-se-calam.html#more

    • Caro Adir, vs usa um texto enorme para tergiversar no vazio;

      E’ simples: a meta de inflacao 9alias que meta e’ essa ???!! altissima 1) e’ de 4.5%.

      Ao longo de todo o governo a inflacao tem estado perto de 6,5%, ou seja, o governo nao tem controle sobre a inflacao.

      Simples demais.

  • Como o golpe de Honduras e do Paraguai à brasileira não consegue apear Dilma, estão tentando primeiro ganhar por vias democráticas espúrias que são: uma mídia partidarizada inconstitucional no aspecto eletrônico por serem concessões publicas e o judiciário sempre mais conservador em manter os privilégios de uma falsa elite; para depois apelar por golpes mais diretos que não encontra ainda meios de execução.
    Resta-nos continuar na batalha através da internet. Levei este post para meu Face, pelo menos 20/30 poderão ser animados a continuar apoiando o governo contra uns poucos;lá também, recalcitrantes.

  • uma pessoa com essa inteligência, que sabe ponderar o que nos parece muito dificil, estar fora do governo federal, é de uma injustiça só. parabéns
    reinaldo carletti

  • Os minúsculos cérebros dos petistas têm apenas dois neurônios – quando muito! Um, que sempre diz: quem fala bem do governo é a favor do PT. E outro, que diz: quem fala mal do governo é do PSDB! Princípio consagrado pelas sábias palavras do Lula: “falá bem di nóis pode! Falá mau di nóis num pode!”. A falta de espaço nos cérebros destes micro organismos não comporta outras hipóteses! A dicotomia obtusa dos petistas é uma herança genética! E mais, muito mais, para justificarem seus erros, incompetências e corrupções, citam com verdadeiro “orgulho petista”, os mesmos erros, incompetências e corrupções de governos passados como se estes fatos pudessem justificá-los! Quando alcançam este ponto extremo, a estupidez e a cretinice chegam aos limites da mais profunda primariedade, do mais elementar e precário modo de pensar! O pior de tudo é que a Dilma continuará sorrindo, o Mantega mentindo, a inflação subindo e o PIB caindo! Eis o círculo vicioso no qual o PT colocou o Brasil, numa rua sem saída a não ser a deles! O que o povo está dizendo e eles não querem acreditar é o seguinte: vão embora petistas corruptos e incompetentes! Voltem para suas grutas de onde jamais deveriam ter saído! Lula, grande impostor, tire o time de campo! José Dirceu, grande corrupto, vá cumprir sua prisão! Dilma, pequeno poste, dê o fora! “Hasta nunca mas” protozoários que arruinaram o meu País!
    Eugênio José Alati
    Em tempo: o que derrotará Lula, Dilma e o PT nas próximas eleições, não serão as alianças ou os discursos, será algo muito mais prosaico: o “tric-tric” das maquininhas que reajustam os preços nos supermercados que passaremos a ouvir cada vez com mais freqüência!

    • A inflacao nao sera’ o maior problema, mas a corrosao do emprego e renda, como os fatos mostram.

      Entretanto, a nossa chance de derrubar reacas como vossa senhoria sera’ no pau politico, na luta de ideias !

      • O maior problema está na corrosão do seu cérebro, colega, proporcionada pela sua obcecada disposição em replicar, todo tempo, aquilo que lê na ‘imprensa oficiosa brasileira’.

    • Só que a realidade está contradizendo sua análise:

      “O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) na capital paulista, medido pela Fipe, ficou em -0,16 na terceira prévia de julho, ante alta de 0,01 registrado na segunda prévia do mês.
      O IPC mostra que a taxa para o grupo de transportes passou de -0,39 para -1,21. Já a taxa para o grupo alimentação passou de -0,53 para -0,62. Em outro grupo, o de vestuário, o índice registrado passou de -0,29 para -0,20. Em habitação, a taxa diminuiu de 0,48 para 0,45. O conjunto de despesas pessoais passou de 0,32 para 0,34. Em saúde, o índice manteve-se em 0,26. O grupo de educação registrou 0,07, ante 0,12 registrado na última divulgação.”

      O resto está no comentário do Sr. Adir Tavares.

  • A questão é que essa midia golpista continua com a palavra. De todo modo ler um texto tão bom, esclarecedor, que acaba por denunciar o paradoxo dos dois brasis, um que promete futuro e o outro que anda pra trás, elucida as estratégias golpistas. Parabéns Eduardo por essa importante entrevista.

  • ótima entrevista. consistente análise da atual conjuntura. espero que outros sites tenham a oportunidade de repercuti-la. a antítese posta por Marcio Pochmann merece ser remetida para a SECON, como instrumento de combate ao terrorismo midiático, e para a Presidenta Dilma para lembrá-la desse importante militante do PT e de outros, como Patrus Ananias, que se encontram sem aproveitamento, mesmo que como “consultores informais”.

  • ”O governo viu a distorção sendo feita e, como de costume, não contestou” (Eduardo Guimarães).

    ”O sistema de comunicação do governo Dilma Rousseff é nulo. Por que a Secretaria de Comunicação não informa que estão sendo construídos 818 hospitais em todo o país? É importante esta informação sobretudo neste momento em que multidões estão nas ruas protestando, entre outras coisas contra a deterioração das condições de atendimento nos hospitais públicos.” (Mário Augusto Jakobskind)

    ”Não é segredo que a maioria dos militantes do PT esperava da presidenta uma modificação no setor das comunicações da presidência e no Ministério das Comunicações, setores praticamente ausentes durante as manifestações. Ao contrário, Helena Chagas, cujo passado Globo não é perdoado, parece ter sido promovida a ajudante de ordens da presidenta. E o ministro, esposa da chefe da Casa Civil, faz de conta não saber ou ouvir os reclamos de uma outra política que impeça o monopólio das comunicações, do qual se beneficia o grupo Globo.” (Rui Martins)

    … Palacio do Planalto, temos um problema!

    Edu Guimarães, obrigado pelo oportuno serviço de informação com essa entrevista.

  • Edu,

    Adhemar de Barros sempre afirmava: “Vocês querem acabar com a galinha dos ovos de ouro”.
    Ontem , o Terra, exulltava com a queda de popularidade de Dilma. Se os Setubal apostam em Marina os jornalecos com a corda no pescoço apostam e sempre apostarão no benfeitor dos jornaleiros, o Vampiro com as artérias entupidas.

  • Edu, vamos pro pau contra a PIGADA, mas pare de tentar provar que 2+2=5.

    Divida publica: 70% do PIB (a contabilidade criativa nao aparece na liquida, e’ truque descarado)
    PIB: mediocre se comparado aos outros BRICs
    Inflacao: descontrolada longe da meta em todo o governo Dilma
    Petrobras: Lucro baixissimo
    Renda e emprego: sao os ultimos a cair, obviamente, e agora comecou.

    Sds,

    JC

  • O XIS DA QUESTÃO:

    ” Os principais financiadores privados da mídia privada são os bancos, o sistema financeiro, enfim, o rentismo. E certamente o rentismo não está nada feliz com o Brasil de hoje, em que se praticam taxas de juro, em termos reais, muito rebaixadas”.

    Excelente entrevista.

  • E o Governo continua dormindo o sono, não dos justos, mais dos idiotas. Estão pagando caro pela falta da principal reforma para se criar uma verdadeira democracia e não um simulacro que é o que existe hoje; estou falando, é claro, da democratização da mídia. Quem manda no Brasil é a Globo e o único Brasileiro que teve a coragem de enfrentar este império do mal foi o Brizola.A Dilma não só não enfrenta, mais enche mais ainda os cofres de uma das maiores sonegadoras de impostos deste país. Meu falecido sogro já dizia: se não acabarmos com este poder monumental da Globo de controlar mentes e corações dos Brasileiros, a Globo acaba com o país.

  • Bela entrevista, faltou perguntar mais sobre os problemas econômicos, como a meta estourada da inflação, a política de juros e as contas públicas. No único ponto que ele fala da área dele, ele faz uma crítica a atuação do BNDES

  • Esse camarada foi um dos prestidigitadores dos números dos “milagres” lulo-petistas, cuja trágica realidade está se tornando cada vez mais visível agora, para o desespero da presidente e a revolta dos brasileiros.

  • Parabéns Marcio pela entrevista.

    Entre os fatores que estão incomodando a elite brasileira e o PIG, um deles vem do fato do Brasil não ter mais um Exército Industrial de Reserva robusto à disposição do mercado.

    O pleno emprego desestabiliza os setores conservadores que se apoiavam no desemprego para precarizar o trabalho e manter em condições sub-humanas trabalhadores de diversas áreas econômicas.

    Usando as manifestações das ruas, o PIG afirma que a popularidade da Presidenta está em baixa, o que demonstra o desespero da classe dominante econômica, de perderem o controle por mais quatro anos.

    Dilma me representa, como representa milhares de brasileiros, principalmente a Nova Classe Trabalhadora, que conquistaram algo que jamais sonhavam em tempos passado, ou seja, o direito de morar, estudar e trabalhar com carteira assinada.

    Portanto, o ano que vem, todos que defendem a continuidade da liberdade financeira internacional do país e que acredita que o país mudou, temos uma grande tarefa: Garantir que o país continue a ser governado pela Presidenta Dilma.

  • Caro Eduardo, parabéns pela excelente e esclarecedora entrevista com o Professor Márcio Pochmann. É verdade, o terrorismo midiático impera no nosso querido Brasil, enquanto a SECOM permanece muda, surda e cega. Chamem o LULA de volta e, urgentemente, o FRANKLIN MARTINS. E ainda tem fogo amigo com declarações pessimistas como as deu o Sr. Ciro Gomes (amigo???).

  • Meu caro Eduardo, parabéns pela excelente entrevistas, mas como já postei várias vezes por aqui, eu ainda acho que a Presidenta Dilma tinha e tem que usar mais seu espaço nas Redes de TV, só vocês lutando para defende-la não dá meu caro Eduardo e se ela não se comunicar através da TV e informar devidamente a população brasileira o que de fato está ocorrendo vai acabar sendo tragada pelo PIG.
    Um grande abraço.

  • Esse terrorismo econômico é um grave desserviço ao país. O que a mídia golpista quer é construir uma profecia que se auto-realiza. Ao assustar investidores e empresários, a meta é que a geração de empregos tenha uma queda forte, viabilizando a candidatura de Serra em 2014.

    E por que a mídia iria querer que o Brasil vá mal? Muito simples: o povo europeu está comendo o pão que o deus mercado amassou. Mas os bilionários europeus estão tendo lucros recordes. Se a mesma política econômica for aplicada aqui, o povo sofrerá muito. Mas banqueiros e rentistas – a quem o PIG serve – ficarão ainda mais podres de ricos.

    • Exato Roberto a estratégia é esta mesma. Acho que devido a covardia e incompetência total do Governo na área das comunicações e inteligência a fatura para 2014 esta liquidada. A Dilma e o PT perderam o bonde da história, as elites financeiras internas e externas através do PIG, seu grande aliado e também com a justiça a reboque não permitirão a reeleição da Dilma. E não adianta se iludir comparando a situação da Dilma com o Lula, são incomparáveis. Devido a toda conjuntura, estratégia vitoriosa do PIG e total covardia do governo esta queda nas pesquisas é irreversível.

      • Um governo que insiste em manter nos seus ministérios, gente incompetente ou comprometida com a mídia, tem mais é que passar por esses dissabores. Quando o Lula afirma, que a Dilma está sendo bombardeada por essa mídia terrorista muito mais do no governo dele, já da para avaliar o que vai acontecer em 2014.
        A comunicação do governo é um fracasso total, mas a Dilma insiste na sua teimosia de manter Chagas, Bernardo nesses setores estratégios do governo, tanto é verdade que os golpistas estão aí criando crises artificiais, Inflação, desemprego, PIB. Os Sardembergues, M Leitão foi-lhes determinado pelos seus patrões para bombardear o governo, seja verídico ou não e a mídia alternativa tem que defendê-la. Isso cansa ainda mais com ministro e secretária omissa.
        Presidenta escuta mais o Cara, senão a solução é ele voltar

        • E para completar Fernando tive que ouvir ontem o ministro da saúde, inocentemente, dizendo em entrevista coletiva que os “apenas” 8000 assassino…digo médicos devem ter digitado o CRM errado e que terão uma nova chance para corrigir seus erros. Tenho certeza que este governo covarde não vai enfrentar a quadrilha de branco. É chamar a gente de otário.

    • Olha dona Vania, se houve, nesta entrevista, lucidez, equilibrio e verdade isso foi por parte do blogueiro ( calma aí, lulopetistas, não estou ironizando não ).

      Senão vejamos;

      Lucidez; quando o Eduardo vê que o entrevistado vai entrar no mais do mesmo de acusar os banqueiros como principais patrocinadores da imprensa, quando sabe-se que a mídia vive dos anunciantes em geral ele pergunta; “Não lhe parece que estamos em um momento novo?”

      Equilibrio; o entrevistado, como bom petista, diz que houve queda nas pesquisas sim, mas que foi uma queda generalizada e o Eduardo diz, veladamente, que não, Até pelo contrário. Marina saiu ganhando.

      Verdade; o entrevistado tenta tirar o foco sobre Dilma dizendo que Alckmin perdeu muito e o blogueiro redargue; “só lembrando que Alckmin perdeu 16 pontos – ele que mandou a Polícia cometer aquela violência toda contra manifestantes – e Dilma perdeu quase 30 pontos.”

  • Já assisti a uma entrevista com o Dr. Marcio. Ele conhece a realidade brasileira como poucos.Eduardo, essas campanhas no FACE são organizadas, Não são espontaneas. há grupos ,exclusivamente, para isso. Essa corja não vai lograr êxito. Eles nada tem a mostrar . Só mentem ,mentem. Muitas coisas serão mostradas nos próximos meses (Obras de mobilidade -Aeroportos, Vias Expressas, Viadutos, Túneis, etc). Industrialização no Nordeste (Refinarias/ Siderúrgicas,Portos,etc) . Obras do PAC (Transposição/ Ferrovia transnordestina/ Universidades etc ) A Campanha da oposição é em cima da mentira e busca arrebatar os jovens que não tinham consciência do quão nefasto é o neoliberalismo, principalmente, nos dias atuais.(eram crianças ou nem nascidos) . Confio na VERDADE. ela jamais poderá perder para a mentira e o engodo..

  • “Esse terrorismo midiático sempre houve”. Exatamente Edu! Mas qual a diferença então? O que a gente não se cansa de falar e repetir: COMUNICAÇÃO
    Na minha opinião a queda da Dilma começou quando ela não foi a TV para combater na “guerra do tomate”. Deixou o pig sozinho para fazer a festa. É bom lembrar que ela caiu 10 pontos antes do Junho fatídico.
    Se continuar o boicote ao “Mais médicos”, ela deveria ir a TV. Aí poderá ser o começo de sua recuperação

  • Isso aih era a grande entrevista que tu prometeu? um cara que trabalhou com o PT e falou as mesmas asneiras de Mantega e cia…hahahahahah…só posso rir.

    • Entrevistas com gente que trabalhou com o PSDB e ligadas a oposição nós não precisamos na Blogosfera, até porque, não falta na mídia espetaculosa quem lhes dê voz.

  • os grandes empregos que temos é de 1, 2 salários mínimos…lógico que o sistema baseado em consumo e gastos uma hora se esgota…e no Brasil já se esgotou…as grandes potências vieram da economia liberal, da produção, do investimento…e não de uma base podre de pobres que compram bugigangas…

    • Você já parou para pensar, seu filho duma put… , que as bugigangas que nós, podres pobres compramos, com um ou dois salários é a nossa sobrevivência?
      Ah, desculpe. Pensar não faz parte de seu hábito oportunista, né?
      Lembranças à mamãe…

  • Faltou um dado no curriculo do entrevistado:

    Ele é petista!!

    Se os críticos “só falam mal” por serem do PIG, é justo presumir q os q falam bem só o fazem por serem petistas…

  • Trabalho num hospital de referência aqui do Vale do Ribeira, totalmente público gerenciado por Consórcio Intermunicipal em convênio com o governo de SP. Hoje recebi uma notícia oficial, o Ministério da saúde vai investir 4,3 milhões de reais só aqui. Vai aumentar significativamente o n.º de vagas na UTI adulta e infantil com mais equipamentos e infra-estrutura. Será construído também um Centro de Radioterapia para atender a região, os técnicos do MS já estiveram aqui e aprovaram o local da construção.
    Quem fica sabendo disso? Pouquíssima gente. Se for esperar que as notícias saiam no PIG, podem esquecer. O piguinho da região também não colabora.

  • Excelente análise da conjuntura.

    (As perdas dos bancos em face da redução dos juros, segundo consta acima, girariam em torno de 100 milhões de reais. O montante me pareceu subestimado. É essa, de fato, a estimativa?).

    Parabéns, Eduardo, pela iniciativa.

    Um abraço.

  • Depois de prestar relevantes serviços ao governo Lula, fazendo “pesquisas econômicas criativas” no Ipea, esse senhor quer nos fazer crer agora que estamos no melhor dos mundos. Ele “não vê os sinais”, não acredita nos indicadores e logo, decerto, estará repetindo o mantra recitado por Lula da Silva e Dilma Roussef, de que as recentes manifestações de rua ocorridas no país são uma demonstração inequívoca de que a vida dos brasileiros melhorou e, por causa disso, eles estão querendo mais. Mentira! Os brasileiros não estão querendo mais; Eles estão querendo menos. Menos mentiras, menos incompetência, menos corrupção, menos mensalões, menos impunidade, menos falta de vergonha na cara.

    • Já faz dez anos e meio que a direita “vê sinais”, o problema é que nunca passam de sinais e isto é sinal de que mais uma vez vocês ficarão a ver navios, afinal, se o povo sinaliza por menos mentiras, menos incompetência, menos corrupção, menos mensalões, menos impunidade, menos falta de vergonha na cara, isto é sinal que, de modo algum, quer PSDB/DEM de volta.

      • “Direita”? No Brasil? Só se for esse o nome que se dá à congregação daqueles que discordam da bandalheira que o partido que você venera vem disseminando desde que tomou de assalto o poder, e que culminou no Golpe do Mensalão Federal – o maior escândalo de corrupção política da história “desçepaís”!.

        Quanto ao fato de você não conseguir ver os sinais da “tragédia anunciada” há dez anos, quando os bravateiros chegaram lá, não há nenhuma surpresa, pois não é isso que o AiatoLula de vocês sempre fez e os ensinou a fazer quando os fatos lhes são adversos, ou seja, negá-los? É a síndrome consagrada pela fala de um personagem de novela, o Jamanta: “Jamanta, não sabe, Jamanta não viu”. O AiatoLula é especialista nisso. Mas, você poderia, para curar sua cegueira, dar uma olhadela na capa mais recente da revista britânica “Economist”, que é uma das mais prestigiosas publicações econômicas do mundo. Nela, os BRICs aparecem afundando na lama, sendo que o nosso país é o que se encontra mais atolado e afundado nela. Vale destacar que a metáfora da lama foi muito bem escolhida pela revista, pelo menos no que concerne ao Brasil “governado” pelo lulopetismo.

        Por fim concordo com você no que diz respeito ao envolvimento do consórcio de “oposicinha”, PSDB-DEM, com a mesma delinquência feita de mentiras, incompetência, corrupção, mensalões, impunidade e falta de vergonha, e da qual o PT se tornou o expoente máximo dentro do cenário político brasileiro. A ponto de o seu governo ter sido chamado pelo preclaro ministro Celso Mello, do STF, de “megadelinquência governamental”, praticada por “marginais do poder”!

  • Eliana Calmon falando mal do PT! Mais um bicho de goiaba ? E da o posição ela não falou nada ? E o Judiciário só tem santo? === Eliana entende haver muita gente “querendo pegar carona” nos movimentos de rua. “Mas os meninos são sabidos, não querem se misturar com o movimento sindical e com o próprio PT, pois estão marcados”, disse…Fonte:( http://atarde.uol.com.br/politica/materias/1521106-ministra-ve-raposas-felpudas-na-politica )

  • Não precisa postar, é só para você conferir!

    Eliana Calmon falando mal do PT! Mais um bicho de goiaba ? E da o posição ela não falou nada?! E o Judiciário só tem santo? ===

    Eliana entende haver muita gente “querendo pegar carona” nos movimentos de rua. “Mas os meninos são sabidos, não querem se misturar com o movimento sindical e com o próprio PT, pois estão marcados”, disse…

    Fonte: http://atarde.uol.com.br/politica/materias/1521106-ministra-ve-raposas-felpudas-na-politica

  • A quem querem enganar ?

    Sinceramente, vendo o festival de depredações que estão ocorrendo no Estado de SP e do RJ, festival este que praticamente não vemos intervenção ostensiva de NENHUMA polícia, disso eu só posso concluir que há um importante grupo de brasileiros interessados pra que isso aconteça.

    OS MEMBROS dos GOVERNOS Estadual, Municipal e FEDERAL que na tentativa de passarem a imagem de que tais protestos tem partido de grupos de baderneiros, esperam que o resto da população, que sofre com a falta de saúde, educação, moradia, segurança e transporte público dignos, acredite que tais pleitos não encontram razão para existir e que não passariam de mero movimento político anarquista.

    http://www.youtube.com/watch?v=xfvYqWFbKLM

  • Claro que as afirmações de Dr. Pochmann no que respeita ao terrorismo econômico que a mídia pratica está corretíssimo. Exatamente como afirma, a mídia fala para seu público, os partidos de oposição, parte da classe média da qual forma a opinião por esta ser ideologicamente contrária ao discurso e prática trabalhistas que experimentamos nos últimos dez anos, e, principalmente, as áreas remanescentes daqueles que participaram ou deram apoio à ditadura, a maior parte encastelada no aparelho de Estado (Forças Armadas, policias Itamaraty, receita, empresas estatais etc.), basta visitar suas páginas na internet para não ter dúvidas . No Brasil a ditadura não foi derrotada, foi afastada, fez acordo e saiu ilesa. Por isso, só por ingenuidade ou acumpliciamento não se veja também o apoio que a mídia dá aos protestos e aos atos de terrorismo que têm acontecido ao final das manifestações com o objetivo de viabilizar um possível candidato da oposição para disputar a Presidência, afastando Dilma e o PT. Certamente estes atos têm participação não só de civis, mas também dessas áreas militares e paramilitares, seja na informação seja na atuação militar mesmo, quando enfrentam os policiais que estão postados para defender bens públicos ou privados, tentando impedir que sejam invadidos, aí com terrorismo armado, usando armas letais (paus, porretes, bombas e coquetéis molotov) saem desferindo golpes em que esteja pela frente, praticando atos de vandalismo, invadindo e danificando prédios públicos e privados. Nada estaria errado se houvesse um contraponto um equilíbrio no noticiário, nas análises, não fosse um samba de uma nota só, procurando atingir o Governo e os partidos de apoio mais o PT, seus membros e as diretrizes e medidas que adote. A mídia por ser parte intrínseca do capitalismo é toda financiada pelo capital no sentido de dar apoio e divulgar tudo que interesse aos donos do poder, que tem a pauta estabelecida no exterior. É triste ver penas respeitadas de jornalistas brasileiros, gogós de ouro e de belas imagens, profissionais os mais competentes alugados para dar notícias e fazer análises as mais ridículas para influir na opinião pública, para tentar dar curso ao que costuma não ser de interesse do país. Falo dos que fazem isso por dinheiro, que é vergonhoso. A questão é ideológica por termos desde 2003 governos com fortes tinturas trabalhistas, por não seguir exatamente os ditames como manda o centro do poder econômico mundial, e com o naco separado do apetite voraz do capital, na realidade sobras, dar melhores condições ao nosso povo livrando-nos do horror econômico em toda sua intensidade como está ocorrendo em grande parte do mundo, que impõe as diretrizes neoliberais ainda infelizmente obedecidas por nossos governos. Romper com a mídia ou lhe impor limites trará irremediáveis consequências, seria em grande parte romper com os ditames do capital e do neoliberalismo. Não custará pouco impor a real liberdade de imprensa, que nada tem com o que se pratica no Brasil. Nossa imprensa não é livre, é manietada pelo centro de poder capitalista. Tudo será usado para evitar, tudo mesmo.

  • Boa tarde Eduardo. Não tem nada, ou pouco, a haver com o tópico. Entretanto, lendo uma matéria do periódico Wired, Constructing the World’s Largest Self-Anchored Suspension Bridge, http://www.wired.com/rawfile/2013/07/expansive-photos-of-the-worlds-most-sophisticated-suspension-bridge/#slideid-25761, há um relato sobre o preço/custo de tal ponte, se meu inglês não estiver ruim e a vírgula estiver mal colocada “It better. The price tag stands at $6.3 billion, orders of magnitude above initial projections, and the final cost to taxpayers could surpass $12 billion when all is said and done”, isso é, custos finais de obras serem muito mais altos que os iniciais, neste caso mais de 100%, não é exclusivo do Brasil. Seria isso…? Abs.

  • Acabei de ler toda entrevista,esta sensacional,o Eduguim se superou, Está DILMAIS. O Márcio Porchmam é uma das grandes cabeças desse Brasil. Campinas perdeu grande oPorTunidade,mas quem sabe em outra oPorTunidade. LEIAM E DIVULGUEM.

  • A REVOLTA DOS COXINHAS

    A manipulação declarada :e de ficar comovido com a revolta dos coxinhas, todos os dias com hora marcada estão eles lá em frente a casa do governador do Rio Sergio Cabral do PMDB com direito a toda a para-fernalhas da imprensa tendo a frente como sempre a TV globo, com direito a helicóptero e tudo, além de chegarem sempre primeiro; Agora o que me deixa mais ainda comovido e a solidariedade dos coxinhas de São Paulo que de imediato realizaram um protesto de apoio aos coxinhas do Rio, não é lindo isto! pois é, o mesmo não acontece na casa do governador Geraldo Alkmin do PSDB de S.P que à vinte e dois anos já surrupiaram a singela quantia de 425 milhões dos cofres públicos denunciados pela empresa Siemens da Alemanha, e que foi noticia de capa em uma revista semanal; Vejam bem é visível o gral de manipulação que esta imprensa exerce neste jovens da classe media(os coxinhas)eles fazem um protesto de apoio aos coxinhas do Rio que é da base de apoio do governo federal, mas não enxergam a corrupção do PSDB que a vinte anos ou mais agem impune, claro com a ajuda dos meios de comunicações que querem o retorno do governo neoliberal do PSDB, onde tudo pode.

Deixe uma resposta