O suicídio imagético dos médicos

Opinião do blog

 

No último dia 12, a Folha de São Paulo publicou pesquisa Datafolha que deu conta de que, até então, o percentual dos brasileiros que aprovava a contratação de médicos estrangeiros para suprir a carência desses profissionais nas regiões empobrecidas tanto das cidades quanto do país, tornou-se majoritário. De lá para cá, esse apoio deve ter aumentado…

54% dos entrevistados pelo Datafolha disseram, então, aprovar o programa “Mais Médicos”, do governo federal, que, agora, acaba de bater o martelo na “importação” de 4 mil médicos cubanos.

Em junho, o índice de aprovação ao programa era de 47%. Por outro lado, diminuiu o índice de reprovação — de 48% para 40% no mesmo período.

A pesquisa também mostrou que o apoio ao programa federal aumenta ou diminui de acordo com a classe social do entrevistado. Ou seja: as pessoas de classe social mais alta reprovam mais o programa, enquanto que as de classe social mais baixa aprovam mais.

A explicação para o fenômeno é muito simples: os que não têm problemas para ser atendidos por médicos por terem maiores recursos financeiros se prendem ao aspecto político da questão e se solidarizam com uma classe laboral que, em um país como o Brasil, origina-se exclusivamente das classes sociais mais favorecidas.

As entidades de classe dos médicos, então, declararam uma guerra ao programa “Mais Médicos” que, aparentemente, seria inexplicável.

O “Mais Médicos” foi elaborado para suprir com médicos estrangeiros as regiões nas quais os médicos brasileiros não querem trabalhar, ou seja, nas periferias das grandes cidades ou nas regiões e cidades mais afastadas e empobrecidas do país. Ora, se trabalhar nas regiões mais carentes não interessa aos médicos brasileiros, por que, então, eles não querem que os estrangeiros trabalhem?

Cobrados sobre tal contradição, os médicos tupiniquins trataram de conseguir uma explicação pretensamente plausível: estão preocupados com a população, que seria atendida por profissionais “despreparados” como seriam os tais médicos cubanos, apesar de Cuba ter índices na saúde que deixam os de um país como o Brasil no chinelo.

Segundo os médicos brasileiros… Ou melhor, segundo a parcela gritalhona dos médicos brasileiros que declarou guerra o programa “Mais Médicos”, eles não trabalham nas regiões pobres porque elas não teriam a estrutura de que necessitariam para desempenhar a contento as suas funções.

A “explicação”, porém, cai por terra quando se verifica que há um impressionante volume de hospitais bem montados, com equipamentos e tudo mais de que um médico possa precisar e que só não funcionam direito justamente por falta de médicos.

Nesse aspecto, matéria recente da Agência Brasil, entre muitas outras, desmascarou a desculpa das entidades de classe dos médicos e da parte ruidosa de uma categoria que, mais adiante, veremos que tem razões muito diferentes das alegadas para não querer trabalhar nas regiões ermas e empobrecidas das urbes e do país.

A matéria relata que a diretora do Hospital Pedro Vasconcelos, da cidade Miguel Alves, no Piauí, reclama da ausência de médicos no município apesar de ele ter um hospital equipado.

Miguel Alves tem cerca de 32 mil habitantes. O hospital local tem, sim, estrutura mínima e pode, por exemplo, realizar um exame de raio-X a qualquer hora, pois o equipamento funciona 24 horas por dia. Contudo, por falta de um ortopedista em 80% dos casos há que encaminhar o paciente para a capital, Teresina, a 100 quilômetros de distância.

A diretora desse hospital argumenta que especialistas ajudariam a tratar os casos menos graves e a fazer diagnósticos mais precisos, mas o centro cirúrgico do hospital está desativado por falta de profissionais.

Nesse mesmo hospital, um outro exemplo: a sala de ultrassom está perfeitamente operacional, mas fica ociosa a maior parte do tempo. Funciona apenas uma vez por semana, no único dia em que o médico responsável pelo exame vai à cidade, quando vai.

Na avaliação da prefeita de Miguel Alves, Salete Rego, “A dificuldade de fixar médicos, especialistas e generalistas está associada ao fato de o município ter 68% da população vivendo na zona rural. Quem é urbano, dificilmente quer viver em um ambiente rural“, disse.

A assessoria do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, garante que o Ministério da Saúde tem como demonstrar que esse problema se generaliza pelo país afora: haveria, sim, hospitais, equipamentos e tudo mais para atender boa parte das populações das regiões mais carentes. Segundo o MS, pode faltar equipamento em algumas regiões, mas naquelas em que há estrutura não há médicos que queiram trabalhar nelas.

Com efeito, a falta de estrutura seria muito mais fácil de resolver do que a falta de médicos. Falta de equipamentos se resolve com dinheiro – é só comprar. Médicos, não. Mesmo pagando altos salários, os profissionais não querem se deslocar para regiões sem shoppings centers e ruas arborizadas, só para ficarmos num exemplo frugal.

E ainda vale lembrar que os médicos – ou uma parcela expressiva deles –, desmascarados, procuram jogar a culpa pelo problema no governo federal por ter idealizado o programa que levará profissionais estrangeiros aonde os brasileiros não querem trabalhar. O fato, porém, é que saúde não é atribuição só do governo federal.

Mas por que, então, os médicos brasileiros se opõem tão furiosamente a um programa que suprirá a falta deles em regiões em que não querem trabalhar? Nesse ponto, matéria recente do SBT dá uma pista. Alguns médicos chegam a se empregar em hospitais para a população humilde, sim, mas recebem sem trabalhar. Vão a esses hospitais, batem o ponto e vão embora em seguida.

Confira, abaixo, a impressionante matéria do SBT.

Eis, aí, uma das principais razões pelas quais uma parcela expressiva da categoria médica não quer “concorrência” estrangeira. Para fazer um “bico” em alguma região pobre, médicos ganham fortunas e nem têm que trabalhar de fato, atuando apenas quando não tem jeito. Não querem, pois, perder essas “tetas”.

Claro que toda a generalização é burra. E não é porque a maioria apoia alguma coisa que ela está certa. Contudo, quem de fato precisa da saúde pública sabe que faltam mais médicos no Brasil do que estrutura. Sobretudo no Norte e no Nordeste, como mostra a matéria da Agência Brasil comentada acima.  É por isso que os médicos cubanos, entre os de várias outras nacionalidades, deverão atuar, preferencialmente, nessas regiões.

As desculpas dessa expressiva parcela da classe médica, portanto, não enganam o povo. Podem enganar pessoas das classes mais abastadas, que são minoria da minoria e não dependem da saúde pública. Mas a população que precisa, que é maioria esmagadora, conforme vai tomando conhecimento do “Mais Médicos” vai apoiando o programa.

Apesar das desculpas esfarrapadas dos médicos e da facilidade com que podem ser descontruídas, essa expressiva parcela da categoria parece estar dopada pelas mentiras que propala.

O nível de falta de noção dessa parcela expressiva desses profissionais é tão grande que não faz muito tempo uma manifestação deles saiu às ruas gritando que médicos são “ricos e cultos”, como que para “avisar” o governo para que “não mexa” com eles.

Os médicos gritalhões e espertalhões, portanto, conspurcam a imagem de toda a categoria, apesar de, obviamente, haver nela gente decente e responsável.

A classe médica, com o silêncio de sua parcela ética, está cometendo um verdadeiro suicídio de imagem pública. É visível que entre a população mais humilde os médicos estão se desmoralizando cada vez mais com essa cruzada contra um programa que pode salvar incontáveis vidas.

Vale, pois, um alerta à parcela decente e responsável dos médicos – que se supõe que deve existir. Esses profissionais devem criar coragem e enfrentar o corporativismo da categoria dizendo publicamente que os gritalhões não os representam, pois o “Mais Médicos” vai fazendo cada vez mais sentido para uma maioria crescente dos brasileiros.

  • leonardo cunha

    a grande verdade é quem estuda medicina hoje em sua maioria é rico… tem condições, pois medicina é um curso muito caro. tenho amigos cursando medicina e vejo através deles que 50% dos que estudam não querem saber de nada, só de festa… esses médicos se formam e vão logo querendo trabalhar em grandes centros, eles não querem se sujeitar a trabalhar em lugares afastados, como região amazonica, interior do Pará, do Maranhão… tem lugar que pagam 30mi / mês pra médico. mas mesmo assim eles não querem.
    a realidade dos médicos é vergonhosa, tem muito médico encostado, diria até muito médico “vagabundo”. apoio o plano do governo em trazer médico de fora, mas desde que os diplomas desses médicos sejam validados aqui e que tenham a inspeção do governo. pois muitos brasileiros vão estudar fora e pra validar o diploma no Brasil é uma burocracia tremenda,,, então nada mais justo em pesquisar e validar os diplomas desse medicos estrangeiros.

    • José Manoel

      Gostaria que o validar o diploma fosse para todos!! Aí eu gostaria de ver quantos coxinhas iriam passar no mesmo revalida!! Mais da metade não passaria, jamais!!!

      • jose marcos

        Perfeito, vejo na faculdade da minha filha, os maiores “baladeiros” são das turmas de medicina. Saem da universidade sem saber de nada.

        • Nádia

          Eu quem diga, tem uma faculdade pertinho de minha casa, basta eu descer para ver o quanto estão estudando, na esquina, no bar, devem estudar cevada…

      • Luís CPPrudente

        As mimadinhas da foto acima não passariam.

      • Ana

        concordo. Para alguém se tornar advogado precisa fazer exame da OAB, porque os que estudam medicina não são obrigados a validar seu diploma no CFM?

    • Maria Libia

      E também gostaria de ver essa entidades processarem médicos que usam luvas de silicone (voce já ouviu falar e não se pronunciou??????), ou daquele médico que cegou um bebê e continua clinicando, e o que foi feito do médico que cortou a perna direita de um bebe usando um aparelho laser. Acho que o povo simples ainda é muito simples. Aceitam cada coisa!!! Eu já sou do “olho por olho, dente por dente”. Assim os médicos tomariam vergonha na cara.

  • GABRIEL

    Só sabem que passa esta é a realidade

  • Pinheiro Neto

    Verdade. Trabalho em hospital particular e a grita geral é que é um absurdo a vinda de médicos de fora (principalmente cubanos). Tenho a nítida impressão que é puramente ideológica a objeção. Não faz o menor sentido ser contra algo que não irá, em principio, ameaçar o emprego ou clientela de ninguém. Em princípio. Pq eu já decidi. Quando chegarem os médicos de fora, quando a estrutura e o atendimento do SUS melhorar, cancelo minha Unimed.

  • Nazareno Lima

    Gravem bem o rosto dessa “médica” que está com cartaz mandando a presidenta Dilma ir tratar de sua doença em Cuba. Quero passar bem longe de onde ela “trabalha”.
    Alguém tem que dizer para essa patricinha arrogante que não conhece um palmo além do seu nariz que a doença do povo brasileiro é outra: é falta de médicos nos lugares onde nós, povo, precisamos.

    • jose marcos

      Exato Nazareno, esta patricinha não tem a miníma noção da realidade deste país, vivi nos shopings e condomínios da vida. A população pobre precisa ser tratada de verminose, etc e esta “pat” nem sabe o que é isto, a população precisa muitas vezes é do básico e esta “pat’ é da geração que não sabe fazer um diagnóstico clínico, só sabe pedir exames para alimentar esta indústria.

      • Jorge Moraes

        Além dos motivos de ordem sócio-econômicas trazidas para explicar a posição de certos médicos, não se pode olvidar que é da natureza do verme desconhecer o que é verminose.

        O cartaz empunhado por uma das manifestantes enseja o desagradável comentário.

        A amostra fotografada não parece ser solitária.

    • Antenor

      Eu não faria uma consulta com nenhuma das patricinhas que estão ao lado da que porta o cartaz sem primeiro saber se ela mandou desinfetar o jaleco branco que ficou contaminado. Alguém poderia lhe dizer que não pode desfilar pelas ruas com este equipamento de trabalho, já que ela não sabe disto, além de não saber nem preencher a ficha de inscrição do SUS.

  • jose Carlos dias

    Outro problema para os médicos é que com o mais médico , com certeza os rios de dinheiro que eles ganhão nas cidades maiores vai diminuir. Exemplo: o cidadão humilde fica doente com uma diarreia qualquer rincão e procura ajuda no seu município e não acha. O que é forçada a fazer? Vem para um centro maior ai tem que pagar 150 ou 200 reais de consulta, e outras coisas mais. Se lá no município dele tivesse um médico com certeza ele não estaria nessa clinica particular. Esse é um pequeno exemplo. Mas quem mora nesses confins sabe como funciona a coisa. Por isso essa briga toda contra o governo

    • jose marcos

      E ainda tem outra questão caro José Carlos: eles sabem que os médicos Cubanos praticam a medicina preventiva e para estes canalhas saúde não da lucro o que da lucro é a doença.

  • Savio Maciel

    No ano de 2006, foi realizado um Juizado Federal Itinerante na região do Alto Solimões, no interior do Amazonas, na cidade de Benjamin Constant, no rio Javari. Uma colega passou mal e a levamos ao posto de atendimento médico, e fomos atendidos por um médico… peruano. A cidade de Benjamin Constant fica, como já disse, no rio Javari, um afluente do lado direito do Rio Solimões (também conhecido como Amazonas). De um lado é Brasil, do outro, Peru. E depois da foz, subindo o rio Solimões, do lado direito de quem sobe, temos a Colômbia. Região de fronteira, porta de entrada e rota do tráfico de drogas e de armas. A cidade de Benjamin Constant oferecia, na época, salário de R$ 4.000,00, mais casa e comida. Soubemos que nenhum médico brasileiro se candidatou. Mas como o Peru e a Colômbia estão ali do lado, as cidades da região fronteiriça (Benjamin Constant, Tabatinga, Atalaia do Norte, São Paulo de Olivença, para ficar nas maiores) contavam com médicos desses países, porque não havia médicos brasileiros. E os colombianos e peruanos davam-se por muito satisfeitos. Conversei com o médico peruano que nos atendeu e fiquei sabendo que ele era da região amazônia peruana, e que no Peru jamais conseguiria um salário pelo menos próximo ao que recebia em Benjamin Constant. Declarou-se muito satisfeito, enquanto aguardava sua regulariazação. Sim, porque quase todos estavam ilegalmente no país. Lá, na fronteira, as drogas, as armas, a madeira ilegalmente derrubada entram e saem livremente, apesar do esforço da Polícia Federal. Felizmente para as populações locais, médicos também.

    • Maria Libia

      Salvio, permita-me passar o que vc escreveu?

    • Maria Libia

      Em Atibaia faltam médicos e dentistas. Os que atende, são obrigados a atenderem um número maior de pacientes. O novo prefeito está deslumbrado com a posição e nem lembra de reSolver este problema. Um patricinho cuja mulher, numa entrevista, disse que tinha 18 botas, TODAS ESTRANGEIRAS. Com esta entrevista ela resolveu todos os problemas de Atibaia. Aqui há médicos, como o Dr Oswaldo, que há anos luta por um tratamento mais humano. Mas nunca tivemos sorte com os secretários de saúde. Agora, o que mais me preocupa é que o Pig irá procurar ou induzirá a erro o médico cubano. Já estou vendo, em letras garrafais, o band-aid que o cubano colocou errado. Quem viver verá.

    • Me desculpe, Sávio, mas, estamos então resolvendo um problema no Brasil e criando outro no Peru e Colômbia. Sou totalmente favorável à vinda de médicos cubanos porque lá não faltam profissionais. Tirar mé[email protected] de países que faltam para trazer para cá porque aqui paga-se melhor do que seus países de origem é voltar à lógica perversa que enfrentamos internamente no nosso país. Que venham profissionais da medicina de todos os lugares do mundo onde não faltam mé[email protected], não de países que estão numa situação pior do que a nossa.

  • Francisco Freire

    Como de costume, o grande Eduardo Guimarães foi, permitam-me, cirúrgico!

    • eduguim

      rsrsrs

  • Brasangola

    Edu, a falta de noção da parcela dos médicos brasileiros que é contra o programa federal não percebe que o feitiço vai virar contra o feiticeiro e o governo federal, em especial o ministro da saúde, é que vão colher os bons frutos do programa no final, a resposta popular será nas urnas ano que vem.

  • Maxwell

    A questão é dinheiro, Edu! Apenas isso!

    Tem uma clínica de Ortopedia em minha cidade, onde um amigo presta serviços de informática, me disse que uma das sócias, apenas uma, recebeu um cheque pelos serviços prestados de 21.000 reais! E ela não trabalha apenas lá, assim como muitos médicos de minha cidade. E como o “Vi o Mundo” já noticiou, existe o lobby de indústrias farmaceuticas que dão bônus para os médicos que prescrevem certos medicamentos indicados por elas.
    Quando você lê livros de grandes autores brasileiros, você via que, os grandes senhores de engenho ou de café, mandavam os filhos estudarem direito ou medicina.
    Medicina é curso de elite, queiram os médicos admitires ou não!

  • Belmiro Machado Filho

    Sejam benvindos os médicos cubanos. Que venham 400, 4000 e muito mais. Nós precisamos de médicos comprometidos com a saúde e o bem estar das pessoas e não médicos comprometidos com a mercantilização da saúde. Continuem mostrando as suas caras, para que possamos gravá-las e repudiá-las.

  • Valter

    O artigo e a reportagem do SBT são verdades puras. Se vc colocar um Sirio Libanes na periferia de S.Paulo, Rio ou em cidades do interior do Nordeste, Norte ou Centro-Oeste eles nem pisam lá. Ganham mas não dão plantão. Acho que há mais mercenários do que médicos na medicina brasileira. E tenho parentes bem, muito bem próximos a mim que são médicos, mas ja disse isso a eles, o debate é quente mas pode vir quente que estou fervendo.

  • sao a favor de medicos com fronteiras.

  • Fernando Campos

    Hoje estava almoçando e, ao lado de minha mesa, havia um grupo questionando como o Governo poderia pagar R$10.000,00 à Cuba, por médico e, esses médico receberem somente R$100,00. A informação partiu da Folha On Line (PIG).

  • Abel Duarte

    Edu,ninguém deve ser constrangido a trabalhar onde não quer. O cruel é esse povo querer privar o cidadão comum de baixa renda à ter acesso a atenção básica de saúde.
    O corporativismo dos médicos se manifesta também na discussão do ato médico,onde os “doutores” querem tirar o direito de outros profissionais de saúde de exercerem atividades simples do atendimento ao cidadão.
    Triste ver até onde vai o egoísmo do ser humano!!!

  • jose marcos

    Eduardo, este tema é um dos que me causam mais revolta, tal o grau de cinismo e maldade de grande parcela destes profissionais. As fotos que você colocou sintetizam tudo, um bando de patricinhas e mauricinhos estudando medicina por status e dinheiro. Na verdade-lógico que eles tem que receber salários dignos- eles não se contentam com um padrão classe média, o sujeito acha que sendo médico tem que ficar rico.

    As vezes eles mostram contra-cheques com salários relativamente baixos, só que “esquecem” de dizer quantas horas eles, efetivamente trabalham- quando trabalham!!!. Vejo isto no meu município.

    Na verdade para esta parcela de maus profissionais e para a “industria capitalista da medicina” saúde não da lucro, o que dá lucro é a doença.

    Eles morrem de medo dos médicos estrangeiros porque sabem que vai ficar provado que são mais humanos e competentes do que uma expressiva parcela de nossos profissionais.

    Parodiando o saudoso Betinho: Quem esta morrendo por falta de atendimento médico tem pressa, não da para esperar.

    Bando de mercadores, verdadeiros assassinos!!!

    Parabéns por ter abordado este tema. Um abraço.

  • Cláudio José

    Não se pode fazer politica rasteira com a saúde dos pobres! Apoio total, para salvar vidas!

  • anderson

    Sou médico generalista já trabalhei em alguns interiores do AM e PA e ainda trabalho.
    Em muitas ocasiões era eu (medico) e o paciente.Tendo que atender muitas vezes fora do consultorio pois nao tinha arcondicionado e sem poder pedir nem um tipo de exame pois nao tinha e sem falar em falta de pagamento do salario.
    Nasci em uma cidade do interior dessa região e por isso resolvir trabalhar aqui. Amigos meus que foram desistiram logo. Então quando os medicos reclamam da falta de estrutura eu tenho q concordar pois vivo isso no meu dia a dia.

    • eduguim

      A sua situação existe, mas existem outras em que há equipamento e estrutura em geral, mas não há médicos. A matéria deixa isso bem claro.

      • Lhano

        Edu. Médicos como qualquer trabalhador vão para onde houver esperança de melhor remuneração e condição de trabalho. Seria pieguice hipócrita confundir o juramento de Hipócrates com vocação ao sacerdócio.
        Por que o governo federal não criou o plano de carreira para o medico federal do SUS? Com zoneamento e regalias compensatórias para regiões mais difíceis? Pareceria com as prefeituras para a estrutura física e o médico por conta do governo federal? Muitos idealistas destemidos vão sim para todos os lugares, mas lá ficam a mercê do político de plantão gerando insegurança e desistência.
        Embora não concorde com a postura, agressiva e xenófoba, adotada por muitos médicos, também, não concordo com o programa Mais Médicos. Não por rejeição aos estrangeiros ou ideológica, por serem cubanos, mas por dispensar o Revalida e pelo modo como ignora o heroísmo de muitos médicos brasileiros que enfrentam condições muito adversas para trabalhar e, agora, são nivelados com burguesotes descomprometidos.
        É preciso sim fazer algo, concordo! Sou solidário e aprecio a preocupação da presidente Dilma com as pessoas que não tem assistência médica mas a saída encontrada não é a única nem a melhor.
        Lhano

        • Antenor

          Daí até querer boicotar o programa do governo há uma grande diferença. Se os médicos brasileiros acham que não vale a pena trabalhar num lugar tão distante e sem recurso é uma coisa e pode ser um direito deles e já demonstraram isto.
          Agora querer impedir a vinda de médicos estrangeiros só pode ser ditado pelo egoismo e falta de solidariedade humana, falta de patriotismo e outras coisas negativas mais. Pra esses médicos só existe uma resposta: Vaza!!!

        • luiz carlos

          Tá bom, já que vc sugere que tem uma solução melhor porque não a apresenta para nós, para o Ministério da Saúde e para a Presidenta Dilma?

          • Luís CPPrudente

            A minha solução é o “Mais Médicos”, inclusive de Cuba.

    • jose marcos

      O problema Anderson é que muitas prefeituras do sudeste e sul fazem concursos para salários “muito baixos” de “apenas” R$ 15.000,00 para dedicação integral e não aparecem sequer candidatos e as unidades bem equipadas ficam fechadas. Esta situação que você mencionou explica uma parte do problema mais não justifica ser contra a vinda de médicos que estão dispostos a trabahar em situações mais precárias. O problema principal, Anderson, é que realmente mixarias de R$ 10 a 15 mil reais é muito pouco para uma parte da categoria que quer ficar rica. Esta conversa que estão muito preocupados com a saúde da população é para boi dormir, aliás, engraçado, esta parcela não faz greve em seus consultórios particulares, interessante não????????

    • Anderson, ainda bem que existem médicos como vc que, apesar das dificuldades, continua exercendo sua profissão junto à população pobre. Merece, portanto, os nossos parabéns. Agora é forçoso reconhecer que existem médicos e “médicos”. Já vi médicos consultarem pacientes em postos de saúde de uma forma totalmente inadequada para um profissional da medicina. Atende pacientes sem cumprimentá-los, as vezes nem olham para a cara deles; perguntam o que o paciente está sentindo e já vai receitando os remédios e o tratamento. Aqui no Nordeste é comum, recorrente, qualquer distúrbio ser atribuído a “virose”. Consulta rápida, receita na mão, entrega ao paciente e nem até um “até logo”.

  • As doenças

    Os médicos brasileiros são insuficientes e mal distribuídos no território nacional. A contratação de estrangeiros ajudaria a resolver o problema, desde que se pudesse coibir a transferência dos profissionais para os grandes centros urbanos. O governo federal tenta elaborar soluções que aliem essas necessidades.

    Os argumentos contrários do Conselho Federal de Medicina reciclam o discurso usual do corporativismo lobista: o tom peremptório, as aspirações supra-institucionais, a ânsia de administrar a vida pública brasileira. E muitas exigências rigorosas, mas permeadas pelo subtexto arrecadador inevitável.

    É típico das guildas transferir responsabilidades. Faltam doutores nos rincões? Repelidos pela péssima infra-estrutura. Os espertalhões “atendem” cinco pacientes por minuto e cobram à parte para realizar procedimentos cobertos pelos planos de saúde? É que estes pagam mal. Erros crassos de diagnóstico e tratamento? Sobrecarga de trabalho e má formação acadêmica. E os conselhos, que deveriam punir as irregularidades? Estão ocupados falando mal do governo.

    A mídia oposicionista faz exatamente o que repudiou, inflada de espírito cívico, durante as lutas de Barack Obama para aprovar a reforma do sistema estadunidense. Ouve apenas um setor dos profissionais brasileiros da Saúde, reproduz mistificações e logros estatísticos, promove fatalismos e linchamentos pessoais.

    Mas não falta método a esse padrão tosco de cobertura das questões ligadas à área. Ele se repete desde que Alexandre Padilha começou a ser apontado como possível candidato petista ao governo de São Paulo. Daí não passarmos uma semana sem qualquer insignificância “polêmica” a malhar a imagem do ministro.

    Que ninguém se surpreenda, portanto, caso os legisladores midiáticos do STF apareçam para “curar” as suas novas iniciativas.

    http://guilhermescalzilli.blogspot.com.br/2010/04/reformistas-de-araque.html

    • Wendell

      Acho ótimo quando leio os comentários de um de meus blogueiros preferidos a outro de meus blogueiros preferidos, rsrsrs. Um abraço Guilherme.

  • MC

    Essa patricinha, com cartaz na mão, mandando Dilma se tratar em Cuba, não passa de uma menina mimada que não conhece o sofimento do povo brasileiro, especialmente nas cidades que os médicos abandoraram, médicos como essa patricinha da foto, que não sobrevivem sem um shopping center em um raio de 500 metros. Tome vergonha menina, respeite o sofrimento do povo brasileiro. É o típico caso: “Bonitinha mas ordinária!”

  • Edu, os motivos para que os médicos brasileiros não aceitarem a vinda de médicos estrangeiros, deve na verdade ser bem variado, nenhum deles no entanto (a não ser uma parcela ínfima) relacionada à preocupação de fato com questões trabalhistas dos estrangeiros (suposto trabalho escravo dos médicos cubanos) ou com a qualidade de prestação de serviços aos brasileiros. Não, a minha opinião é que nenhum destes dois motivos alegados pelas entidades de classe médica são reais.
    .
    O corporativismo, acredito, seja a principal razão. Inclusive um corporativismo burro, ignorante. Aquele que é de ser corporativistas sem nem mesmo entender o porquê em casos específicos. O ser corporativista porque é bom para a classe e pronto. Acho que muitos médicos sequer têm condições intelectuais desenvolvidas e amadurecidas para entender o que está ocorrendo. Deparo-me com muitos preconceitos e falta de argumentos que me levam a crer nesta ignorância de parcela dos médicos. Este seria um dos motivos: corporativismo cego! Não acredito seja o principal motivo, mas agrega muitos médicos.
    .
    O corporativismo no sentido de reserva de mercado. Neste caso, há uma certa noção de que o aumento do número de médicos possa custar-lhes espaço. Assim, a resistência poderia manter estes nichos desocupados. A luta pelo Ato Médico (que considero um erro famigerado) vai neste mesmo sentido: reservar nichos de atuação.
    .
    Os médicos ainda são resistentes à vinda de médicos estrangeiros, porque não resistir seria o equivalente a confessar que o problema está na falta de médicos. E a classe médica nega (corporativistamente) este quadro. Nega que faltem médicos, e que parcela importante da responsabilidade da falta de assistência à população se deva à falta de médicos. Então esta negação constitui-se também em motivo para resistir à vinda dos médicos.
    .
    Não acredito em qualquer hipótese de negação real da qualidade da assistência dos médicos estrangeiros. Não acredito que os médicos brasileiros pensem realmente que os médicos vindos de outros países sejam menos qualificados. Isto causaria muito desconforto inclusive internacional. Imagine médicos de outros países questionando a formação dos nossos médicos. Então, até por corporativismo, os médicos brasileiros não pensariam nisto (refiro-me é claro aos médicos suficientemente esclarecidos e não aos médicos obtusos!). No entanto, observemos que a situação chegou a tal ponto, de que um acidente diplomático (médico científico) quase se estabelece. E Deus sabe as consequências profissionais deste conflito!
    .
    Não acredito tanto nesta hipótese da perca da boquinha no PSF e nos SUS nos municípios do interior seja uma causa das mais importantes. Ela existe sim, mas não está entre as principais causas (confessáveis) da resistência médica à vinda dos profissionais estrangeiros. Mas, de fato é constatação comum (e acredito cientificamente detectada, embora escondida ou camuflada) e inegável a realidade de que os médicos RECEBEM mas não pisam nos municípios do interior. Muitas vezes, passam mesmo semanas sem ir ao emprego. Outras vezes, vão apenas por um ou dois dias, e realizando expediente de apenas 06 horas (nos dias que vão). Raramente, cumprem a carga horária, ou sequer chegam próximo de atingi-la. Mas, a presença de médicos estrangeiros não vai acabar com as altas remunerações médicas no Brasil. Esta continuarão mesmo sem estas boquinhas aí. Algums gestores municipais já afirmaram mesmo que a vinda dos médicos viabilizará financeiramente a assistência de saúde em seus municípios, e isto terá algum impacto. Mas os médicos brasileiros continuarão a receber seus altos ganhos nos grandes centros. Talvez até mesmo ocorra um aumento de seus ganhos. Explico.
    .
    A vinda de médicos estrangeiros e a consequente assistência a necessidades básicas de milhões de pessoas gerará novas demandas de saúde nesta população que não poderá ser suprida por aqueles médicos estrangeiros. Logo, os médicos brasileiros receberão esta demanda. Terão aumento da demandas em nichos de necessidades médicas mais avançadas. E isto poderá resultar em até mesmo maior movimentação financeira (gastos) nos setores da saúde, e não apenas para médicos, mas para biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros, e outros, inclusive indústria da saúde. Uma das consequência a partir da análise da pirâmide das necessidades humanas basicas de Maslow. Suprida uma necessidade, outras necessidades (em outro nível de necessidade) são despertadas e novos esforços são realizados em sua conquista.
    .
    A outra questão presente, não é a resistência à vinda dos médicos estrangeiros, mas a falta de vontade de médicos brasileiros irem para o interior do Brasil. Também deve ter vários motivos para isto. Mas, a principal é a de que o interior é interior e não tem estrutura para o médico viver lá com sua família. Não há escolas. Não há serviços de lazer, e mesmo de atenção a seu nível de exigência de saúde. Pode-se dizer anedoticamente que “não tem shopping”. Este é o principal motivo. Bem, não é único, pois também é importante o fato de dificultar, de certa forma, a continuidade de especialização (residência) por parte de profissionais no interior. Mas, embora real este problema, não deve ser o principal, pois o PROVAB não atraiu os médicos brasileiros, mesmo oferecendo ulteriores vantagens na inserção nos concorridos programas de residência médica.
    A respeito desta falta de interesse de ir ao interior dos médicos brasileiros, acrescento que a culpa, em certa extensão está no processo de formação médica (e aí eu participo neste ponto como professor na área de saúde. Este período mesmo estarei trabalhando a disciplina de Anatomia no curso de medicina. E temos nossa parcela de responsabilidade neste processo. E gostaria de sugerir a leitura de um interessante artigo publicado na Revista Brasileira de Educação Médica, com dados que revelam a falta de interesse dos médicos (formandos) em se distanciarem dos centros das grandes cidades e metrópolis.
    O link para o artigo publicado em jan-mar de 2011 é o seguinte:
    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022011000100005
    .

  • Vicente de Paula Chicoli

    A maioria dos médicos no Brasil, são de familias abastadas, não conhecem as necessidades das populações periféricas, e se conhecem não dão a menor bola. O Ministério da Saúde esta corretissimo, os médicos Cubanos são bem vindos. Saúde para o povo esquecido e marginalizado.

  • sergio antonio bortolini

    Eduardo quero acrescentar uma outro prisma desta questão. Há interesses antagonicos. O governo quer fazer
    saúde publica abrangente, melhor e mais barata através da prevenção de doenças.Este é o motivo do sucesso de Cuba. Os medicos gritões preferem a medicina corretiva e cara para poucos,istp lhes remunera melhor.

  • edu,

    eles pensam que são uma classe, mas uma mera categoria profissional, agora que eles pertencem a uma classe que odeia pobres, isso não resta a menor duvida, como eles berram: somos ricos, somos cultos. Isso não é para meter medo no governo, isso é para mostrar a pequenez do caráter deles. Não sei se você sabe que a SS de Hitler era formada essencialmente por médicos, a elite da elite alemã, só uma casta dessas com uma filosofia semelhante aos seus congeneres alemães poderia criar os campos.

    um abraço.

    • Scan

      José Carlos, a informação de que as SS eram formadas “essencialmente por médicos” não procede.
      Havia apenas um grupo DENTRO das SS que atendia por Sanitätsstaffel, mas era pequeno considerando-se o enorme número de membros que compunha as SS Gerais e Waffen.
      Apesar de pequeno, o Sanitätsstaffel foi responsável pelas maiores atrocidades, tanto nos campos de concentração, como nos de extermínio.
      Saudações.

  • edu,

    se não leu, leia holocausto brasileiro, o que uma categoria de médicos é capaz de fazer com seu semelhante.
    E isso aconteceu aqui, no Brasil.

    um abraço

    • Carlos J. Ribeiro

      Já li esse livro e recomendo. É estarrecedor. Autora = Daniela Arbex. Editora = Geração Editorial.

  • Roseli Carvalho

    Grande Eduardo Guimarães!!
    Matéria excelente! Queria mesmo é que milhões e não milhares de pessoas tivessem acesso ao seu blog.

  • Heidi Maria

    Edu,

    Os médicos não gostam de doentes pobres. Eles não têm recursos, não dão lucro.
    Esses “coxinhas” não gostam de estudar e que Deus nos proteja se tivermos um mal súbito.
    Uma criatura que escreve um cartaz desse (da foto) nunca ouviu falar em ética e muito menos no Juramento de Hipócrates.

    • Pedro Henrique

      Heidi,

      No brasil o Juramento é dos Hipócritas…

  • O DOUTRINADOR

    Qdo Siqueira Campos do psdb, era Governador do TO, em mandatos anteriores, ele Contratou uma porção de Médicos Cubanos para trabalharem no Estado, e não vi nenhum ALVOROÇO como este. Em 2005 ou 2006 n me lembro bem os Médicos tiveram que retornar a Cuba, pq uma entidade Médica questionou o fato na Justiça e a a justiça que tb é extremamente COORPORATIVA declarou a irregularidade do Contrato. Resultado a População do Estado que se F.

    • anac

      O Serra psdebista defendeu a vinda quando governador de SP dos médicos cubanos.

  • ADILSON SANTOS

    A máfia de Jaleco brasileira representa fidedignamente a elite Podre e nauseabunda á qual pensam pertencerem, pois entre seus mais ” caros ” Dogmas está a total falta de sensibilidade para com a dor e o sofrimento das pessoas mais necessitadas ( dezenas de Milhões !! ) do país .

    É a Canalhice Tripartite : Não atendem Pobres – Não querem que outros os atendam e Odeiam quem atende

    A ação desta Escoria de Branco MafioMédica , Está claramente tipificada como crime de tentativa de assassinato em massa , que no conceito jurídico chama-se GENÓCIDIO , o que para qualquer Rábula de porta de cadeia é um delito contra a humanidade.

    A classe médica brasileira ( salvo excessões ) é constituida majoritariamente por Incompetentes semianalfabetos com megalomania patologica que se acreditam deuses , mas que em uma rápida avaliação de desempenho produzem o maior numero de erros médicos do Planeta , como as pesquisas de Associações e Organismos de Saude do Mundo atestam , senão vejamos :

    A Corja MafioMédica nativa , através de seu ” gigantesco ” conhecimento produz a cada 10.000 procedimentos nada menos do que 67 erros médicos .

    Apenas em nivel de comparação , os ” indesejáveis cubanos ” , produzem 11 erros medicos a cada 10.;000
    atendimentos , sendo que á taxa do Reino Unido chega a 14 .

    Gambia ( País dos mais miseráveis do mundo ) tem uma taxa de 57 , inferior á taxa dos seus colegas de um determinado país ao sul do Equador .

    Pasmen!!

    Médicos brasileiros perdem para seus colegas de Gambia em materia de competencia e exercicio profissional.

    Os campeões de erros médicos no mundo , Hours Concours da Inépcia profissional se sentem no direito de zurrarem aos quatro ventos contra a vinda de estrangeiros para atender á quem eles tem nôjo em atender.

    Interessante .

    A grande verdade é que a quadriha Alva MafioMédica Nativa está em pânico , sabedores que são de sua total impericia e falta de conhecimentos profissionais para o atendimento sequer de uma unha encravada , pois Qualquer curandeiro Shamânico dos Confins da Africa Subsaariana possui muito mais condições eticas, morais e de conhecimento que a maioria dos atuais ” profissionais ” medicos locais .

    E a população fárá a compração inevitável com o antigo atendimento dado e o atual promovido pelos estrangeiros e então , após algum tempo ninguem mais irá querer ser atendido pelo açougueiro , digo médico
    brasileiro .

    Quanto ás excessões , ou seja áqueles profissionais que honram o juramento de Hipócrates como todo médico deveria faze-lo , meus cunprimentos e saiba que os tenho em alta conta e não os incluo neste balaio fedorento chamado ” Máfia de Branco “

    • Pedro Henrique

      Digo mais Sr. Adilson,

      Acompanhei uma dessas mainfestações dos espertalhões e gritalhões brancos (claro nenhum era negro) , e pra variar, havia um grupo de skinheads (Carecas nazistas) apoiando o “movimento” chegaram até a agredir militantes de esquerda que encontraram após disperção.

      Onde vimos isso na história mesmo? Médicos com apoio nazista?

      Isso mesmo na Alemanha Eugenista!!!

      Dos quais quase a totalidade da classe médica sendo embrião (essência) do partido nazista.

      Esse Mengele acertou em cheio ter vindo para o Brasil. Deve ter até exercido a profissão.

      Profissão de Classe.

      Mas agora, o último peru de natal está acabando.

  • Rogério Bezerra

    Será possível que um anestesista e dois neurocirurgiões particulares são capazes de errar em procedimentos e em diagnósticos no mesmo caso? Sendo brasileiros é possível!
    Por isso só entro em hospital morrendo, aí os erros não poderão pior meu caso.
    A quem “visita” esses hipócritas, boa sorte muito boa sorte, mesmo!

  • José Ricardo Romero

    A moça da foto é bonitinha mas ordinária. Caro Eduardo, não creio ser necessário fazer ressalvas a todo instante dizendo que existem exceções entre aqueles na categoria dos médicos que não são assim etc. e tal. Isso é problema deles. Para que tanto equilíbrio numa denúncia de um fato totalmente desequilibrado pela sua própria infâmia? Quem tem que se justificar são aqueles que se sentem atingidos injustamente por pertencer a uma categoria que, ela como tal, está sendo acusada. Deixemos o ônus da ressalva a quem é exceção. No geral, a categoria dos médicos é sim tudo o que você disse e mais um pouco. Se existem mesmo as tais exceções não é obrigação nossa ressaltá-las. Eles que se virem para se justificar.

  • vozes de certo claudio.humbergo no jornalzinho “metroJornal’ de sampa, a favor do CFM e contra os doutores comunistas de uma ilha tao perigosa para os laboratorios farmakeutikos.
    o e.mail dele éh: [email protected].
    Visitem.

  • rodrigo frateschi

    As vezes eu acho que a gente brinca demais em serviço. Não gosto de soluções policialescas e mesmo quando dá aquela vontade de bater, não recorro ao argumento pois sei que é errado, mas deixar barato uma declaração como a do presidente do CRM de Minas me dói.
    Como pode um cara que não se manifesta ou age no caso do deputado do PSDB, o tal Moscone, traficante de órgãos e assassino de crianças ameaçar um programa avalizado pela ONU.
    Suas ligações e comprometimento vão muito além de uma casualidade corporativista ou um estelionato como os de quem não fica nos hospitais apesar de irem bater ponto.
    Acredito que a grande maioria dos médicos brasileiros são boa gente, mas abram os olhos para esses bandidos assassinos que estão lhes tomando a frente.

  • Sávio Valença

    Olha só o que o safado do “jornalista” alinhado à Cia alexandre garcia está dizendo:

    “”Quatro mil médicos estavam em estoque, esperando o embarque?”, questiona Alexandre Garcia

    Apesar da medida ter sido anunciada recentemente, os médicos cubanos que serão importados para o Brasil já estavam se preparando há muito tempo. Nesta segunda-feira (26), 460 deles desembarcarão no país com malas prontas e passaportes emitidos. A novidade, entretanto, é a divulgação do sistema de remuneração, que irá repassar ao governo cubano 70% do salário pago pelo Brasil.

    “Há muito tempo já estava decidida a importação. O dinheiro vai todo para a ditadura cubana. Aliás, todo não. São R$10 mil reais por médico. R$700 ficam com o médico. R$2,3 mil vão para a família do médico em Cuba e R$7 mil serão enviados para a ditadura cubana. Em três anos, o Brasil vai pagar R$1,5 bilhão para Cuba”, criticou o jornalista Alexandre Garcia durante comentário para a Rádio Metrópole.

    “Quatro mil médicos estavam em estoque, como mercadoria de exportação, esperando o embarque?”, questionou Garcia. ….”

    fonte: http://www.metro1.com.br/-quatro-mil-medicos-estavam-em-estoque-esperando-o-embarque-questiona-alexandre-garcia-10-35996,noticia.html

  • Carlos Henrique

    Está sendo noticiado na “grande imprensa” que o dinheiro desse médicos serão pagos diretamente ao governo cubano, e o governo passará apenas um percentual aos cubanos. Isso é verdade? Está sabendo de alguma coisa nesse sentido?

  • Antonio Lyra Filho

    A oposição só consegue barrar os médicos estrangeiros, por meio do Supremo.

  • Zuleica Jorgensen

    Acho a questão da vinda dos médicos estrangeiros apenas secundária no problema de saúde pública no Brasil. Quem assistiu ao lançamento do Programa Mais Médicos viu que além da melhoria de estrutura nas unidades de saúde de todo o país, o programa cuida também da formação médica, com abertura de vários novos centros de aprendizagem médica e hospitais escola em locais mais carentes de grandes estruturas urbanas.
    Durante todos esses meses em que a questão saúde esteve em pauta, ouvi muitos médicos reclamando da não existência de uma carreira médica do SUS, que pudesse dar aos médicos que se deslocassem para o interior a perspectiva de retorno aos centros maiores para, mais adiante na carreira, se tornarem especialistas. Alguns chegam a exigir que essa estrutura se dê nos moldes de uma carreira de estado.
    Vejo com alguma preocupação o fato de os médicos selecionados pelo programa irem trabalhar sem garantias trabalhistas básicas ( ferias, décimo terceiro salário, etc), recebendo uma bolsa ao invés de efetivos salários. A ausência de garantias no trabalho, até onde pude perceber, é preocupação de uma parcela mais conscientizada da classe médica. E nisso, convenhamos, eles têm razão.
    Além disso, existe também uma preocupação com a fiscalização que prefeituras de municípios pequenos fazem sobre os serviços de saúde. Em inúmeros lugares, nós sabemos, as autoridades municipais são as primeiras a não fazerem o que devem. Se médicos não aparecem para trabalhar ou o fazem por tempo menor que o contratado, o médico faltoso é culpado, com certeza, mas muito mais o é a prefeitura que não exige dele a prestação correta dos serviços. O desvio de verbas destinadas a equipamentos de saúde é uma realidade em numerosos municípios, inclusive nas cidades grandes.
    Então vejo, na questão da saúde pública, não só o problema de formação deficiente de médicos, que muitas vezes não passam de filhinhos de classe média e alta, mimados e voluntariosos, que não se preocupam nem um pouco com a saúde da população, mas um problema do estado, que não proporciona as necessárias garantias para a carreira médica, como também falha de forma absurda da fiscalização dos serviços prestados e na gestão dos recursos destinados à saúde pública.
    A rejeição aos médicos cubanos é, a meu ver, puro receio de que tais profissionais tragam a nu as deficiências do sistema, onde muitos ganham, inclusive os famigerados planos de saúde, bem como as falhas de formação e atendimento de nossos próprios médicos.

  • edu,

    você sabe que os cubanos não atuam sozinhos, como médico s/c, mas como internacionalistas, não sei se você lembra, quando ocorreu o furacão Katrina, que CUBA ofereceu médicos para socorrer os mais frágeis de de Nova Orleans, eles tinham tudo pronto, a brigada de médicos esperando um pedido norte americano para ajudar, tem até uma bela foto nos jornais da época, solicitação que os estados unidos jamais fizeram, é assim o médico cubano, temos que dizer isso ao promotor publico do trabalho que quer questionar a forma de pagamento dos médicos cubanos, tem que avisar a esse senhor que eles são SOCIALISTAS, portanto as leis são completamente diferentes das nossas que forma médicos em escolas mercantis médicos mercadores. Os portugueses estão chateados pois o convênio com os cubanos está acabando e eles terão que ir pra casa, se eu fosse português renovaria o convênio.
    Uma coisa interessante a se saber: sabe quem fez o melhor e mais perfeito Atlas do Corpo Humano e sabe onde ele é usado: quem fez foram os famosos médicos da SS e esse Atlas Médico é usado em Israel.

    um abraço.

  • Emília

    Na minha cidade, no sertão cearense, acontece o mesmo que em Miguel Alves, no Piauí, a diferença é que temos uma cidade maior e com médicos mais próxima do que a capital do Estado.

  • Lilica

    São 17:25 hs de 23/08 e está fresquinho nos portais de notícias: o presidente do crm ( minúsculo mesmo) de MG declarou que vai orientar que médicos brasileiros não devem corrigir erros de estrangeiros.
    Esse cara não merece uma punição por esse despautério? Mas o melhor de tudo é que a aprovação popular ao programa só faz aumentar.
    É o que eu digo, quando a dor de barriga aperta vc lá quer saber se o médico é brasileiro, cubano ou marciano? E outra, o povão sabe que a medicina de Cuba é muito avançada, aqui mesmo na minha cidade Pariquera-Açu, faz 20 anos, um rapaz são não ficou cego por que foi se tratar lá… recentemente um outro conhecido meu foi fazer fazer um tratamento que se mostrou super eficaz contra psoríase.
    Uma parcela dos médicos brasileiros estão sujando mesmo toda a categoria.
    Bem vindos médicos cubanos! Sem perder a ternura jamais!

  • Delano Pessoa

    Os medicoxinhas são os piores, estão nem ai, deixam morrer mesmo, importante mesmo é novela…

  • Osvaldo

    A formação dos médicos cubanos é voltada para a prevenção e isso é uma ameaça ao mercantilismo em que a medicina se transformou

    Não creio que os médicos decentes enfrentem o corporativismo dos seus Conselhos Regionais ou Federal.

    A iniciativa do governo vai vingar porque os pobres moradores dos rincões desse Brasil vão apoiá-la e os benefícios trazidos ficarão tão evidentes como os da bolsa família.

    Quero que os médicos mercenários se explodam.

    • Maria Rita

      Falou tudo, Osvaldo. Quem faz prevenção evita o pior, filas em hospitais superlotados, falta de especialistas na emergência, mínimo de clínicos gerais, frustração com planos médicos etc etc etc. A medicina preventiva evita inclusive os superexames, muitas vezes inúteis para um bom diagnóstico. Quem é craque em ouvir pacientes, chega a diagnósticos mais rápidos do que os das supermáquinas. Evita dar lucros para a indústria farmacêutica sem necessidade. Tem remédios que são verdadeiras bombas, podem dar até uma sobrevida, mas com efeitos colaterais perversos. Nos idos de 1972, quando meu pai faleceu, não havia UTI, quando a situação era muito grave, a própria família pedia para que o paciente morresse em casa. Mas havia o médico de família, o nosso era o Dr. Cascardo (de origem italiana), clínico geral do IPASE/RJ, na época o maior hospital da AL. Um excelente médico, uma pessoa maravilhosa. Não se achava nem agia como um DEUS. Tratava o próximo com respeito, garantia sua dignidade de paciente.

  • DR Laércio Ferreira

    Você não entende nada de medicina e não conhece (ou se faz que não conhece) a dura realidade da grande maioria dos hospitais públicos deste país com sua completa falta de infraestrutura p/ se trabalhar. Seus comentários são feitos movidos pela política e ideologia pra fazer proselitismo pro-governo.
    É um absurdo admitir médicos estrangeiros e coloca-los pra trabalhar sem qualquer avaliação e validação do diploma, o que obviamente coloca a saúde pública em risco.
    Mais absurda mesmo é o caso dos médicos cubanos que além de não validar o diploma serão empregados em regime de escravidão. Vem sem família (que ficam como reféns para garantir que não vão desertar) e recebem apenas uma fração do dinheiro (a maior parte fica com seus “donos”, o governo ditatorial cubano).

    • Pedro Henrique

      Os típicos “Doutores” do Brasil.

      Tudo o que o dotô Laércio diz, não tem também nada a ver com medicina, pura política, nesse caso corporativista.

      Todo mundo (Classes A e B) diz que a galera passa fome em CUBA e que é um país miserável sem estrutura…

      Pois em termos de saúde nos ensina que:

      Como os caras não ganham salários milionários não estão na profissão pelo STATUS ELITISTA ou por outra voisa que não seja o Juramento Hipócrates, não é o caso dos brasilieiros.

      Como CUBA não tem infraestrutura os médicos desse país são IDEAIS PARA A REALIDADE brasileira.

      Como CUBA mesmo sem todos esses recursos “ESSENCIAIS” para a classe nacional ainda possue índices de saúde melhore que os do brasil.

      Como não há a necessidade de já ser millionário para cursar medicina, encontramos profissionais de diferentes etnias com formação profissional exemplar sem restringir a classe a um nicho.

      Pelo fato da falta de estrutura, os exames clínicos exigem mais do profissional sem poder contar com os exames laboratoriais, o que aprimora sua experiência e trato com o paciente.

      R$10.000,00 por mês…de cara

      O que falta? Ticket Refeição? Condução? Insalubridade? 13º Salário? Participação nos Lucros? Previdência? Carreira de Estado? Salário habitação? Carro disponível? Shoppings nas proximidades? Asfalto? Arranha céus? Gente bonita? Acesso fácil a marginal? Trânsito?

      Que moleza… pro resto dos trabalhadores da até agua na boca…

      Infelizmente o fato é que a classe médica não conhece o brasileiro…e tá pouco se lixando para o miserável.

    • Ulisses

      Caro “Dr”! Você é doutor por ser médico ou por possuir título de doutorado obtido por universidade federal? Se não tiver este título é apenas médico! Doutor é quem título de doutorado. Tirando esta prepotência inicial de se auto denominar doutor, título este que possuo mas não fico me expondo idiotamente como forma de inferiorizar os outros, vamos ao fato. Trabalhei em Secretaria Estadual de Saúde e sei a realidade dos médicos. Os médicos são uma das poucas classe que pode fazer concurso para trabalhar no estado mas exercer outras atividades. Aí vejo um médico trabalhar na secretaria de saúde por 4 horas. Mas ele também trabalha em hospital particular, tem consultório e alguns dão aulas, alem de executarem os tais plantões de 12 ou 24 horas. Me explique, onde arranjar tempo para fazer isto? Simples, o estado! As tais 4 horas são falácias. Os postos de saúde da periferia não tem médicos por que lá não há fiscalização. Por que? Ninguém aparece na periferia a não ser na hora de eleições. Punição? Os secretários de saúde são médicos, todos amigos e aí, o classismo manda mais alto. Largar o hospital particular? É mandado embora por justa causa! E fica sem seu salário. O consultório? Largar os planos de saúde? Só se for tão bom que pode dar ao luxo de viver com clientes que pagam consulta superiores a R$200,00. Os plantões pagam uma fábula. Aí meu, o pobre que se exploda. E para o interior, onde Judas perdeu as botas? Ninguém vai. E vai criticar? Vocês estão com medo de profissionais reconhecidos pelos próprio EUA e em Portugal que não quer que eles saiam de lá para vir ao Brasil. Estão com medo de expor a fragilidade de muitos cursos de medicinas mequetrefes que cobram altas mensalidades e entregam péssimos profissionais ou profissionais que apenas viraram médicos por que tinham recursos para estudar mais, pagar altas mensalidades mas sem nenhuma atração pelo profissão.

    • anac

      Incrível, agora os médicos brasileiros que antes estavam preocupados com a qualidade do serviço de saúde que seria prestado aos pobres do interior, preferindo que estes morressem a míngua, agora estão preocupados que os colegas cubanos sejam submetidos a regime de escravidão. Quanto desprendimento!
      Resta saber qual vai será o próximo discurso da mídia golpista, que eles adotarão feito papagaio de pirata.

    • Scan

      “Doutor” Laércio, o senhor está entre os 50% de pajés que não conseguem interpretar uma radiografia?
      O Sr. tem trabalhos publicados em periódicos de renome internacional? O Sr. tem tese de doutorado?
      Uma busca com seu nome no gúgol não retornou nada; busca no Lattes também não.
      Portanto, senhor, tenha compostura e pare de usar um título a que não faz jus.
      “Doutor” Laércio, o senhor é uma fraude…e isto o desautoriza a falar o que quer que seja dos médicos cubanos.

  • Vanda Correa Nunes

    QUE RELATO PERFEITO DA SITUAÇÃO. SÓ A POPULAÇÃO QUE PRECISA SABE DA IMPORTANCIA DESSE PROGRAMA.

  • wanildo alves

    Caro Eduardo Guimarães, acessando o portal Brasil 24/7, me deparei com uma “fábula”, emitida pelo Sr. João B.G.Soares membro do CRM/MG, que diz o seguinte: “VOU ORIENTAR MEUS MÉDICOS A NÃO SOCORRER ERROS DE CUBANOS”, em outras palavras, é a turma do quanto pior melhor!. Claro que esses profissionais torcem contra o Brasil e principalmente contra os menos favorecidos. Deve ser esse tipo de dirigente de classe, que junto com os parlamentares do PSDB/PPS/DEM, derrubaram o imposto da saúde em favorecimento aos planos de saúde (que pertencem aos mesmos) . Tenho um irmão médico (Clinico Geral/Obstetra) que tenho certeza honra o juramento de salvar vidas, pois apesar de mais de 20 anos de formado e se encontrar financeiramente estabilizado, até hoje atende o pequeno município em que começou sua carreira.

  • Donizeti – SP

    Esses médicos que são contra o programa justificam apelido que o povão já dá para a classe: a máfia de branco.

    Vão ficar com a broxa na mão, pois no final o povo vai sentir os benefícios do programa e queimar a imagem de parte da categoria que entrou na besteira das corporações.

    Esses médicos não pensam a medicina no sentido de seu patrono Hipócrates, pois são cegos pelo dinheiro, verdadeiros hipócritas, veem a medicida de forma mercantilista e não de vocação.

    São contra pobre ter atendimento médico, não existe outra explicação, acham que medicina só para ricos.

    • anac

      É indiferente para os mercadores da medicina se no interior do Brasil o pobre vai morrer sem qualquer assistência medica. Eles querem apenas manter a reserva de mercado. Querem um cargo de carreira como de Juiz, Entretanto, ao mesmo tempo querem alem do emprego publico a possibilidade de exercer a medicina privada. O juízes e promotores passam muitas vezes 15 a 20 anos peregrinando pelo interior dos Estados da federação e estão impedidos por lei de exercer qualquer outra atividade remunerativa menos a de professor.

  • Marcelo Silva

    Só no Brasil existem passeatas de médicos contra… a saúde!!!!……

  • emerson57

    sr. eduardo,
    desculpe o fora de pauta. fique à vontade para não publicar.
    mas, é assunto que muito me preocupa.
    Libra: o povo não sabe de nada

    por Paulo Metri*, no Correio da Cidadania

    O povo não sabe nada sobre Libra e, se depender da mídia comercial, continuará inocente para sempre. Sugiro uma enquete feita por um instituto de pesquisa confiável, com uma única pergunta à população: “O que você acha do leilão de Libra, que vai ocorrer em 21 de outubro próximo?”.

    Aposto que, no mínimo, 95% dos entrevistados não saberão o que é Libra.

    No entanto, o leilão de oito a doze bilhões de barris de petróleo, que se convencionou chamar de campo de Libra, não poderia passar despercebido.

    Está em jogo a possibilidade de muito mais recursos estarem disponíveis, no futuro, para educação, saúde, habitação, saneamento e outros programas sociais, se este campo for bem aproveitado.

    Se for leiloado, a maior parte destes recursos irá para as petrolíferas estrangeiras.

    Este importante fato não é divulgado, simplesmente, porque a mídia comercial existente é subordinada aos interesses do capital e, neste assunto, as petrolíferas estrangeiras determinam que a sociedade deve permanecer em total ignorância.

    Desta forma, informações confiáveis, hoje, só na mídia alternativa.

    O que será desviado da sociedade com o leilão de Libra corresponde à maior apropriação de um patrimônio público desde a nossa independência.

    Só não digo desde a descoberta do país, porque não sei quanto ouro foi levado das nossas terras para Portugal.

    A totalidade do petróleo de Libra vale, no mínimo, US$ 1 trilhão, mas, provavelmente, chegará a US$ 1,5 trilhão.

    Nem tudo será desviado, pois existem o Fundo Social e os royalties.

    Mas poderia retornar mais para a sociedade, se Libra fosse entregue sem licitação à Petrobras, que assinaria um contrato de partilha com a União, satisfazendo o artigo 12 da lei 12.351, e com a máxima contribuição para o Fundo Social.

    Qualquer valor abaixo deste máximo que a Petrobras pode entregar deve ser considerado como um desvio de patrimônio da nossa sociedade.

    Assim, o desvio de Libra, se o governo teimar em leiloá-lo para as empresas estrangeiras, será maior que a transferência de todo manganês da Serra do Navio no Amapá para formar uma montanha em outro país.

    Será maior que o roubo da privatização da Vale, que chegou a US$ 100 bilhões, ou o das teles, que dizem ter sido em torno de US$ 40 bilhões.

    Se for tomado o desvio ou o caixa 2 dos chamados mensaleiros, da ordem de uma ou duas centenas de milhões de reais, o leilão de Libra significa uma subtração de recursos da ordem de 10.000 vezes maior que o tão divulgado rombo do “mensalão”.

    Contudo, no caso de Libra, temos o desvio institucionalizado, uma vez que o leilão não é a melhor aplicação da lei 12.351, mas ele também está previsto nesta lei.

    Se o argumento de que o leilão não traz o melhor impacto para a sociedade for levado a um juiz, ele poderá indeferir o pedido de sustação do leilão, alegando que este é previsto em lei e, se a lei é injusta, não cabe a ele, juiz, modificá-la.

    Aliás, todas as 11 rodadas de leilões da ANP já ocorridas, seguindo a lei 9.478, excetuando a oitava, tiveram respaldo legal.

    O Congresso Nacional, tão comprometido com o poder econômico quanto a mídia, só irá reverter esta lei se houver grande pressão popular ou se a população passar a votar melhor, inclusive se deixar de votar contra si própria.

    Para descrever a apropriação indevida, há uma correspondência clara entre este ciclo do ouro negro com o que aconteceu no ciclo do ouro passado, pois a Coroa são os atuais países-sede das petrolíferas estrangeiras, a Colônia é a mesma; a administração da Coroa na Colônia é, hoje, o atual governo brasileiro; os agentes da usurpação são, ontem e hoje, os estrangeiros; e os usurpados de hoje são os descendentes dos usurpados do ciclo passado.

    Fatidicamente, ficamos sempre com pouco usufruto sobre a riqueza que nos entrega a natureza ou o Criador.

    Espoliado desde a invasão européia de 1500, o Brasil está no grupo das nações supridoras de grãos e minérios para os opulentos, que têm tecnologia, indústrias e serviços com alto conteúdo tecnológico e forças armadas persuasivas e opressoras.

    Não há risco em Libra, pois não há dúvida sobre a existência deste petróleo.

    Não há pressa, a menos que o governo esteja com dificuldade para fechar suas contas, inclusive, o superávit primário.

    Mas, se este for o caso, lembre-se que estão comprometendo realizações futuras durante muitos anos por uma questão conjuntural.

    Se a Petrobras estiver com sua capacidade de envolvimento em novos negócios esgotada, pode-se esperar, pois o abastecimento do país está garantido graças a ela própria por, no mínimo, uns 40 anos.

    Aproveito para salientar que nenhuma empresa estrangeira se dispõe a abastecer o país, a construir refinarias, contratar plataformas e outros bens aqui.

    Querem unicamente o petróleo e seu lucro, em exploração completamente desvinculada da população que habita a região.

    Minha esperança, hoje, são os sindicalistas, os filiados a entidades de classe, os integrantes de movimentos sociais, os jovens que estão na rua, os internautas do bem, os perceptivos e honestos da mídia alternativa e o ex-presidente Sarney, a quem passo a fazer um pedido de público, já que não tenho canais de interlocução.

    Vossa Excelência, durante sua vida pública, deu claras demonstrações de compreender a importância de se preservar a soberania do país e que esta posição nacionalista era necessária para se conseguirem avanços progressistas, tendo o seu governo se norteado por estes princípios.

    De memória, cito algumas medidas soberanas e progressistas do governo de Vossa Excelência: criação do Mercosul; determinação do domínio completo da tecnologia do Ciclo do Combustível Nuclear; decisão da construção do submarino nuclear; acordo com a China para o lançamento conjunto de satélite; moratória da Dívida Externa; lançamento do Plano Cruzado com o controle dos preços; reatamento com Cuba; criação do Ministério da Reforma Agrária; criação do Ministério da Cultura, com a nomeação do economista Celso Furtado para exercer o cargo de ministro; legalização de todos os partidos antes clandestinos e reconhecimento das centrais sindicais; nomeação de um nacionalista como Renato Archer para o Ministério da Ciência e Tecnologia; defesa da Causa Palestina e da Nicarágua Sandinista nos fóruns internacionais; defesa na ONU da autodeterminação e independência do Timor Leste; e reserva de mercado da informática, com a criação da Secretaria Especial de Informática, reserva esta mal interpretada até hoje.

    Assim, peço a Vossa Excelência, político respeitado e de muitos aliados, que tem a sensibilidade necessária para compreender os argumentos de soberania, que é imprescindível para o progresso social, colocar todo o seu peso político, adquirido em anos de atuação no nosso cenário, para que o leilão de Libra seja suspenso e este campo seja entregue à Petrobras, sem licitação prévia, através de contrato de partilha, como permite a lei 12.351.

    O povo brasileiro, no dia que ganhar consciência plena, será muito agradecido a Vossa Excelência.

    Blog do autor, *conselheiro do Clube de Engenharia, aqui.

  • Luis Fernando

    O maior problema para os médicos cubanos será o alto grau de preconceito que irão sofrer em seu início de trabalho no Brasil. Temo até pela segurança desses profissionais que poderão ser vítimas do ódio e intolerância por parte por parte dos “doutores da burguesia”. Qualquer erro cometido por um deles será o caos. Quem dera o Brasil adotasse o método cubano de distribuição dos profissionais da saúde. O governo cubano paga todo o curso de medicina até o doutorado. Mas os médicos de lá são obrigados a irem para regiões que realmente precisam de sua assistência.
    Um outro detalhe que quero dizer é que em Cuba trabalha-se a medicina preventiva enquanto no Brasil e diversos outros países, adota-se a medicina curativa. Não se previne, cura-se. Assim, consultórios estão sempre lotados, planos de saúde estão sempre vendendo seus caríssimos planos e a indústria farmacêutica vendendo como nunca seus medicamentos milagrosos. Não é a toa que as indústrias farmacêuticas financiam milhares de médicos em congressos, dão prêmios, brindes e outros mimos para essa categoria continuar a viver bem, às custas do assombro e abandono de uma grande parcela da sociedade brasileira.

  • carlos alberto dias

    Edu,

    Por favor avise esta patricinha (duvido que ela na consulta não pergunta com nota ou sem nota) que o MAIOR ministro da Saúde (ARGH!!!) o economista sem diploma que se exilou (fugiu..) no Chile e inexplicavelmente ganhou uma bolsa de estudo nos EUA, em 1999, José Serra, , defendia a vinda de cubanos para atender as regiões com maior falta de profissionais da saúde.

    “O ministro da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso enfrentava dificuldade para preencher as vagas do programa Saúde da Família – no qual equipes vão até casas de famílias com objetivo de tratamento e prevenção. “Para criarmos mais 15 mil equipes, como pretendemos, vamos precisar de mais 15 médicos e isso não é fácil”, disse, segundo relato do Jornal de Brasília da época.”

  • Virgilio

    Já que o DataFolha é chegada a uma “manipulaçãozinha” nas amostras, que tal pesquisar a satisfação com o programa exatamente nos municípios e regiões que vão/estão recebendo os médicos?
    É preciso ir a cidades como estas e mostrar a falta de atendimento… e depois mostrar a presença de médico.. ouvir as pessoas. Por algo assim até vale pagar um bom dinheiro para o PIG dá acesso à população!
    Eu creio que o grande medo dos médicos e da corporação médica é exatamente estes médicos fazerem a diferença em termos de uma atendimento tão humanitário que a barreira de lingua e cultura sejam superadas.

  • Djijo

    Esse pessoal na foto não eram os funcionários que etavam ganhando horas extras para participar das manivestaões? Haja hipocrisia.

    • Laurita

      Patricinhas bobas! Não conhecem o passado recente do país! Dá pena! Que lástima!

      • Laurita

        À patricinha, provavelmente ainda estudante de medicina, que carrega um infame cartaz dizendo Dilma trate seu linfoma em Cuba, espero que em sua família, não tenha no futuro, alguém com tal problema. Caso positivo, que lembre desse sórdido cartaz que carrega nas mãos.
        Que ela saiba que possivelmente seus pais ainda não eram nascidos, quando Dilma foi presa e torturada pela ditadura, pois lutava para que nós brasileiros vivêssemos em liberdade plena, até mesmo para a patricinha supra citada , inconsequentemente, portar em suas mãos tão tenebrosas palavras! Que entende de Brasil essa moça? É deplorável!!!!

        • Altemar

          100%

        • Laurita

          Ontem, postei os dois comentários acima. Continuo indignada e constrangida com o cartaz que essa moça exibe nas mãos. Essa imagem faz muito mal às pessoas conscientes e dignas! Dá um nó no estômago verificar até onde chega a maldade e a imbecilidade de uma jovem que, pela aparência, não é uma desinformada! Ah!…. Quanta diferença! Será que ainda encontramos nesse nosso país, moças corajosas e íntegras como foi DILMA, em sua juventude? Eu espero que sim! Estou envergonhada pelo papel triste que essa moça desempenha com esse cartaz abominável! Envergonhada e triste pela educação que uma parte de nossa juventude está recebendo!

        • Vai pra Rua

          “….pois lutava para que nós brasileiros vivêssemos em liberdade plena…”

          Pois é…..as pessoas acreditam nestas mentiras e as espalham sem o menor pudor.

          Liberdade plena?? me mostra uma única linha escrita pelos movimentos aos quais a Presidenta esteve atrelada, que menciona a palavra Democracia e liberdade plena.

          Vamos lá, coragem…ou vc é outra que não entende nada sobre o Brasil recente???

    • ALFR

      EDÚ, COMO DIZ AQUÍ NAS GERAIS, ” num pó fala, écinho num dêxa,,,,,…. TEM NEGUINHO QUE FALA QUE BATE O PONTO NO HOSPITAL PÚBLICO,NAS UPAS DA VIDA ÀS 6 DA MATINA,….E ACORDA ÀS, 8 PARA ESTAR NO BLOCO CIRÚRGICO ÀS DEZ DA MANHÃ PARA, OPERAR NO PARTICULAR,

  • Manoel R.Mello Jr

    Caro Edu,

    Que venham os Medicos Cubanos, Espanhois ,Portugueses, etc.Quem vai se benefiaira e apopulaçao mais sofrida deste Pais .Esta cambada de elitistas que são contra estes Programas , deveriam estar aplaudindo e contribuindo pra um Pais Melhor.. Alias , para o PIG E COXINHAS, VEJAM O NOVO NUMERO DO IBOPE DE NOSSA DILMA .

  • José Souza

    Espero que, em minha cidade, o prefeito acompanhe a qualidade do atendimento dos médicos cubanos das cidades que possuam esses profissionais para uma eventual solicitação de troca do corpo clínico. Se a população tem o direito de ser atendida por médicos que seja pelos melhores profissionais. Quanto a “patricinha” da foto duas coisas: ou está sendo usada pela classe ou não tem conhecimento sobre o problema da falta de médicos no país. Sobre as duas coisas só temos a lamentar.

  • Juvenal Brasileiro

    Importar cubanos é um absurdo total! Simplesmente inacreditável que um país como o Brasil mantenha relações com a ilha-presídio. É um despropósito total! Pra quem não sabe, Cuba é um presídio, tem presos políticos, não tem liberdade individual, não tem imprensa comercial livre. Como é que o Brasil vai manter relações com um arremedo de país feito Cuba? Não dá para acreditar. Mas tem data para acabar: outubro de 2014. O Brasil vai promover um país que não respeita os direitos fundamentais? Já não basta apoiar regimes como o Irã? E por que os cubanos foram os escolhidos? Porque o governo terá de pagar muito menos do que se fosse um médico de outro lugar. Os médicos cubanos encaram qualquer coisa, porque sabem que qualquer coisa é melhor do que o presídio em que eles vivem. É por isso que os cubanos foram os escolhidos.

    • Otto

      Modelo de liberdade são os EUA e a Inglaterra, caçando o Snowden e o Assange pelo mundo afora.

      • Elizabete

        Modelo de liberdade é espionagem, invasões de países, prisão de Guantánamo, etc. etc….

    • anac

      Edu, publicar um comentário deste foi de proposito não foi?
      Para reforçar ainda mais seu post. A mente desse senhor estagnou em 1964.

      • José Arimatéia

        Isso mesmo. Vamos receber bem aos médicos cubanos e às suas familias.

        • LuizCarlosDias

          Sejam bem vindos senhores médicos, a casa esta aberta e feliz ao receber vocês e tantos outros milhares cubanos ou gringos, nossa população pobre irá abrir os abraços e rir de alegria.Que sejam sempre abençoados, viva o Brasil.

          • José Arimatéia

            Santa ingenuidade Luiz Carlos. Foi uma ironia. As famílias dos médicos não os acompanham. Ficam como refens em Cuba. Parte maior do salario de dez mil fica com o governo cubano. Terão de viver com quatro mil e, quando perceberem que outro médico estrangeiro percebe seu salário inteiro não vai poder se rebelar. Vai pensar na familia e trabalhar calado.

        • Vai pra Rua

          As familias não poderão vir….servem de lastro para que os médicos não peçam asilo.

          Outro que não entende nada sobre as “liberdades individuais” em Cuba

    • Nádia

      Tá ruim para você, a porta é a serventia do país, vá morar na Europa, pois, lá está muito bom para você, e nos deixe em paz, pois, para NÓS POVO VERDADEIRAMENTE BRASILEIROS está ótimo, nunca o país esteve tão bem.

      • Coralina

        Esse negocio de “povo verdadeiramente brasileiro” lembra muito os discursos ufanistas da Alemanha da decada de 30/40.

      • Awol55

        Essa estoria de “NOS, O VERDADEIRAMENTE BRASILEIROS” lembra muito os discursos nacional-socialistas da Alemanha de Hitler nas decadas de 34 e 40. 😛

    • Rogério Costa

      Meu Caro, tu falas tão mal de Cuba, que seria uma, “ditadura”, e por isto os EUA fazem um embargo quase centenário, certo? me diz uma coisa, criatura, por que estes mesmos EUA não fazem o mesmo com a China? sabes por que, não tem cunhões, não tem poder, e tem interesse na China que os impedem, e fazem com Cuba pra caras como tu achar que é pela Democracia;

    • Luís CPPrudente

      Juvenal, você usar o sobrenome Brasileiro é um absurdo total.

    • abrantes

      Você tem toda razão , Cuba realmente tem um presidio de nome GUANTÁNAMO que fica em uma área usurpada pelo país” mais democrático” do mundo ,onde todos os prisioneiros tiveram um julgamento justo e com amplo direito de defesa.

    • El Bartho

      Caro sr. Brasileiro assista este video sobre a medicia na livre iniciativa:
      http://www.youtube.com/watch?v=VoBleMNAwUg

      • Cláudio H. Medeiros de Andrade

        S E N S A C I O N A L,! El Bartho! Cliquei só pra ver o assunto e, talvez, agendar par depois mas simplesmente não consegui parar de assistir até o fim.

    • Svibra

      Estou com o Juvenal e não abro!!! Só que o Juvenal não compreendeu ainda que este lance de trazer médicos de Cuba é um grande jogada combinada para retira-los da sanha assassina dos Castros. Chegando aqui, a primeira coisa que estes médicos vão fazer é pedir asilo político para não terem que retornar a “ilha presídio” e à terrível vida que levavam lá.

      Preste atenção Juvenal, na quantidade de pedidos de asilo político vão aparecer na próxima segunda-feira. Depois, quando todos os médicos estiverem seguros, vão em passeata agradecer a generosidade da Dilma em livrá-los deste regime horroroso cubano.

      Palhaço!

    • Marcus Vinicius

      te compreendo… você estava em hibernação desde 1964 e foi reanimado agora…

      tsc, tsc, tsc…

  • celso

    Salário de um Juiz de Direito R$ 22.000,00, melhor dizendo existem juizes em municipios de 15 mil habitantes que não sentem falta de Shoppings(…) , promotores também.
    Por que Dilma não criou o cargo de médico ( de estado) ao exemplo de juizes, promotores e defensores?
    Seria muito fácil ou seja, pagaria 22 mil para o medico e ele ficaria de forma vitalicia e irremovivel no interior.
    Mas acho que posso responder o motivo de isso não acontecer, seria os Cubanos vem trabalhar por salario de fome e ainda ajudam a encher os bolsos de uma ditadura que impede seus cidadãos de ir e vir …
    O Brasil agora vai sustentar literalmente um regime criminoso e ditatorial .

    • anac

      Duvido que os médicos que ganham muito nas grandes cidades repletas de shoppings se submetam ao exercício EXCLUSIVO no interior de um cargo publico- impedidos de exercer a medicina privada – e passarem 15 a 20 anos no interior peregrinando por varias cidades. Os mauricinhos e patricinhas jamais aceitariam.

    • Nádia

      10 mil em uma cidade com custo de vida menor, é salário de fome???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????? Use outro argumento, pois, esse foi muito fraquinho.tchau!

    • Luís CPPrudente

      “O Brasil agora vai sustentar literalmente um regime criminoso e ditatorial .” (by celso, provavelmente um tucano-pefelê).

      Nós já sustentamos desde 1990 um regime criminosos e ditatorial: os governos do propinoduto tucano. Só que o regime criminoso e ditatorial tucano não nos oferece saúde com qualidade como os cubanos oferecem.

    • Abel

      Médico vitalício no interior? Quem disse que médico brasileiro quer ir para o interior? Nem para o interior do Rio de Janeiro, quanto mais da Amazônia, ou do Nordeste! Volta pra Júpiter, extraterrestre!

    • Simas Mayer, Hebert

      Mas, espera ai: como vc explicaria a qualidade da saúde pública cubana? O ditador de plantão, por lá, determinou q a saúde deveria ser a melhor do mundo? Engraçado, Celso, q a educação pública na Ilha, tbm é digna de elogios… Meus amigos q andaram por lá, afirmam, mesmo, q a simplicidade de vida, do povo, no geral, é marca registrada. Q não existem as afamadas invenções do mundo desenvolvido e democrático, conhecidas por “shoppings”; não existem. Afinal, por lá, só existe o de realmente necessário à vida… A Ilha é um país pobre e, como tal, precisa e deve avaliar o q realmente urge, de primeira necessidade, tais como educação e saúde… Futilidades vc, Celso, não encontrara, jamais, ao alcance do povo.
      Vc é a continuação do Juvenal… almejam pra Cuba, o destino de prostíbulo; simples casa de tolerância, como o foi, até os tempos do famoso Batista. Agora, a Ilha-presídio, como dá atenção, ímpar, à saúde pública, está ao nível de exportar sua medicina, caseira, sim, pro resto do mundo. E as coisas são postas, dessa forma, por lá; simplesmente, pq na Ilha presídio não existe comercialização de saúde pública…. Na Ilha existe presídio pra os mercadores das misérias q envolvem a saúde. Por lá se pratica a medicina preventiva. A mesma q meu plano de saúde acordou por fazer a ver… De tanto amargar prejuízos, o plano está a implantar a medicina de saúde, q cuida da saúde, não da doença…. Agora, se for o caso, ela, por conviver com a racionalização de custos, não se furtará ao atendimento.
      Celso, em outubro de 2014, será o fim, mesmo, do tucanato, paulista. Marcará a confirmação do sucesso petista no Gov Federal, brasileiro…. Ainda, em complementação, a derrocada, final do PSDB, em seu reduto, de sempre. Pq, em Sampa e em São Paulo, os governos serão petistas… Qto a Ilha presídio do Juvenal…. risos: continuará sendo ajudada pelo Petismo… Pq vc nem toca no assunto, passando direto, na ajuda q o petismo presta ao governo dito autoritário de Cuba, pra se modernizar? Pq vc e os seus praticantes da imprensa, democrática, cml, não faz uma reportagem sobre a Ilha presídio, atual… risos Não dá, heim?;;;; Tem empresário brasileiro, q não se furta em “colaborar”; neh? Só vc, Celso; só vc Juvenal não tratam da realidade cubana vc e os seus da imprensa, comercial…. risos Não é um absurdo, esse silêncio?
      Ah!,,, Ia esquecendo: os presídios, lá na Ilha, estão cheios de marginais e de democratas, ao feitio de Celsos e Juvenais….
      Até outrubro/2014. Não deixem de cravar a Dona Dilma e demais candidaturas do PT,

    • Almir

      Você está sugerindo que a classe médica seja elevada à categoria de um poder político constituído. Isso só seria possível através de uma nova Assembléia Nacional Constituinte. E como se chamaria essa nova vertente política? Poder Curativo? Já pensou médicos “empoderados”, que não precisasse bater ponto? Chegaria em suas “comarcas” nas terças-feiras e picaria a mula na quinta, como fazem os juízes do interior? Gozariam de 60 dias de férias, mais um “recesso”, como os juízes e parlamentares? Ou seja, seria criada mais uma classe de privilegiados.
      Olha, sua proposta não encontra ressonância em lugar algum, tá?.

      • Paulo Expedito

        Gostei ” poder curativo”.

    • Bob

      Relato de dois colegas que passaram em concurso para Oficial de Justiça no extremo oeste de SP, divisa com MS:

      Ao chegarem na cidade, já tinham imóveis previamente separados para eles, em locais nobres da cidade.

      Foram convidados para uma grande festa, com todos os vereadores, prefeito, deputado estadual da região, Juiz da região, grandes comerciantes e proprietários de terra.

      Muita champagne, festa refinada, só para receber novos Oficiais de Justiça.

      No final da festa, foram chamados pelo juiz ,prefeito e alguns fazendeiros. O recado foi simples e direto:

      “Se vocês forem inteligentes, vocês voltam para SP daqui a alguns anos com muita grana no bolso, podendo se dar ao luxo de viver de renda antes de completar 40 anos de idade.

      Mas se vocês quiserem bancar os heróis da justiça, vão voltar para SP dentro de um caixão… a escolha é de vocês…”

      Ambos desistiram do cargo.

      Isso aconteceu em 2001. Talvez te ajude a esclarecer a razão de juízes não se importarem de ir para os cafundós do interior…

    • Laurita

      CELSO, you are a nosense man!

  • Ana

    Vocês tem certeza que estas gurias da foto são, realmente, médicas? Porque vestir um jaleco branco qualquer um pode, até sequestradora de bebes.

    • Luís CPPrudente

      As gurias da foto parecem meninas mimadas.

  • ana de bonis

    Diante das inúmeras manifestações dos profissionais da medicina em defesa da reserva de MERCADO e contra a assistência medica aos miseráveis que residem nos rincões do Brasil, locais que se negam a exercer o ofício mesmo que por 100 mil, segundo declaração de um medico, só nos resta temer, mais do que a doença, os próprios mercadores dela, os médicos.
    Há muito tempo essa profissão perdeu a magia que tinha quando o medico passou a ver o paciente como mero consumidor de seus serviços e produtos. E para isso, precisa manter o paciente doente. No final eles administram a doença para faturar com o indigente. Rezemos para não precisar.

  • Valéria -Recife

    Parabéns por essa iniciativa do governo Federal. É urgente melhorar a saúde nesse belo país. Que os médicos estrangeiros sejam bem vindos.

  • anac

    São os Médicos com fronteiras. O dinheiro é a fronteira.

    Incrível, no minimo os médicos no Brasil são os maiores críticos e terminantemente contra a organização “médicos sem fronteiras” ou Médecins sans Frontières é uma organização internacional não-governamental sem fins lucrativos que oferece ajuda médica e humanitária a populações em situações de emergência, em casos como conflitos armados, catástrofes, ..

  • ruy marcondes garcia

    Em homenagem a “nuestros hermanitos”:
    http://www.youtube.com/watch?v=aNzL2KEgPlI

  • Nádia

    Estou super feliz com esse programa Mais Médicos. Parabéns Dilma! Essa classe médica que está gritando, quero nome de cada um deles, pois, NUNCA confiarei minha saúde nas mãos deles.

  • Jbmartins

    Não acredito que os medicos sejam manipulados por qualquer sindicato ou conselho, acho ate que são favoraveis a este tipo “intercambio”. a pressão esta do lado dos mesmos de sempre quanto pior melhor.

    • El Bartho

      Lembre-se que em sua maioria é leitor de veja, tanto é que somente encontro o “REVISTECO” em consultório médico.

      • Jbmartins

        isto mesmo, não me dei conta deste detalhe.

  • André

    Adivinhem quem não vai ganhar de novo o Palácio dos Bandeirantes?? Bye bye Tucanos!

  • Rafael Cavalcante

    Papo q tive com amigo médico:
    Eu: cara, em qual cadeira da faculdade vcs aprendem a “ensaiar o discurso”?
    Médico: Kkkkkkk! Ta falando do “mais médicos?!
    Eu: É…
    Médico: Corporativismo, cara. Ta td mundo com medo q isso cause uma redução nos honorários médicos. E vai causar…
    Eu: Então, pq n “meter os peitos” e falar o real motivo?!
    Médico: Ta louco?! Como é q eu, num país miserável como o Brasil, vou dizer q um salário de R$ 10mil é pouco?!

  • Henry

    Parabéns a Presidente Dilma pela iniciativa, coragem e sensibilidade!
    Médicos Cubanos, espanhois e portugueses já!!!!

  • Salvador Ferreira

    Eduardo.
    Alguem já perguntou e eu repito:
    Voce não “barrou” o comentario desse sem nome que diz ser Juvenal Brasileiro
    23/08/2013 • 20:24, por falta de tempo ou só para que nósoutros tenhamos azia?
    Esse cara é lá da veja, segundo o PHA, o detrito de maré baixa. PQP!

    • Simas Mayer, Hebert

      Salvador,
      É o q sempre digo, tentando me explicar:: Diariamente, corro à banca de jornais, pra ler as manchetes dos jornais, q chamo de malditos;;; È um ato q pratico, pra jamais me esquecer do mal q essa gente cultiva contra a nacionalidade. Qdo saio, eu o faço revigorado em meus sentimentos… Faz mtos anos repito, diariamente, essa faina.
      Vejo na atitude do Eduardo, qq coisa semelhante… Ele deixa q leiamos essas baboseiras, pra jamais nos esquecermos de q a situação existe e é perigosa. É o remédio, amargo, com seus efeitos, marcantes.
      Abraço, fraterno

  • Carlos Sapa

    Essas patricinhas e mauricinhos que buscam o curso de medicina, o fazem apenas pelo “status” de doutor. E por acreditar nesse título de doutor tomam uma postura tão surreal quanto é a atitude dessas patricinhas e mauricinhos que nem na “cara” da gente olham em uma consulta médica. Essas duas da foto são tão repugnantes quanto um verme. Esses são os futuros doutores nojentos que usam a medicina para se auto intitularem superiores aos outros seres humanos. Sejam muito bem-vindos médicos cubanos.

  • Thiago milet

    Caro Eduardo, acompanho sistematicamente o seu blog, o msm e os blogs cujos Links vc disponibiliza !
    Sou medico e milito nas trincheiras do sus desde o segundo ano de faculdade, tenho 10 anos de formado..
    Durante o movimento estudantil transitei nos conselhos de classe e sindicatos e é notória a guinada a direita desses espaços nos últimos 10 anos, principalmente do cfm. Porém tb a estratégia do governo foi bater de frente e tratorar e a dos conselhos foi se entrincheirar, mas com um discurso arrogante e sectário nao iria ganhar o clamor popular nunca. Os conselhos fizeram eleicoes em agosto ultimo e em canapanha ate os colegas de esquerda estao batendo no programa.Desfocou a estratégia e partidarizou o discurso, perdeu no ato medico e esta perdendo o debate no mais médicos porque nao coloca os argumentos mais contundentes nem articula bem nos bastidores e resolveu bater em qualquer fala do governo !
    Agora solta resoluções acuando os gestores médicos e supervisores do programa mais médicos. Essa mesma atitude é tomada de rotina com vários diretores técnicos de unidades publicas: indução de responsabilidades com o intuito político!

    Ja trabalhei em vários locais, sob vários modelos de gestão e uma coisa é certa: independente de ter plano de carreira, independente do vinculo, quando as condições de trabalho ofertadas são boas, os médicos nao tem preocupação com quantidade de trabalho e ainda fazem com que os profissionais tidos como ruins se excluam daquela unidade de saude. O medico vibra quando faz um diagnostico, quando faz uma cirurgia, quando vê a vida indo e retornando porque ele agiu. O cara que é ruim, enrola, faz esquema, é enquadrado e pede pra sair .
    Condição de trabalho boa é : consultório com cadeira, mesa e maca pra examinar , disponibilidade de um mínimo de exames e um ambiente q vc possa conversar e examinar o paciente.
    Hj isso ainda é luxo em muitas emergências Brasil afora… Nao tenho coragem de escrever o que ja fiz e ainda faco pra dar um mínimo de atendimento digno, varias vezes chego em casa tenso por nao ter tido oportunidade se fazer o melhor.
    Ser gestor de unidade publica tb é muito difícil, difícil lidar com fornecedores e interesses de cada um dentro do ambiente de trabalho. E os colegas ainda te rotulam de ladrão e que quer deixar de ser medico pra ser político!

    Agora carreira de estado é essesncial… Qualquer carreira, apenas alguém apresente uma e vote…
    Concluindo, desejo que o mais médicos seja um projeto de transição, pra resolver a falta de agora, mas que daqui a três anos tenhamos uma carreira definida e uma grande mudança ofertada para as condições de trabalho que enfrentamos.
    Com certeza se algum colega de trabalho ler isso serei retaliado, como vem sendo os que nao batem forte no governo e no programa . Os que estão trabalhando no mais médicos e estrangeiros ja estão sendo “perseguidos” pela classe que esta a procura de qualquer erro… Terrível esses dias para minha profissão !
    Espero ter contribuído para o debate
    Um abraço
    Thiago milet

  • Leleco

    Acho que talvez seja uma excelente oportunidade para o governo e a sociedade romperem definitivamente o status quo de quem atua na medicina no país.Todo esse corporativismo , reserva de mercado ,privilégios , etc,… ,apesar do nível sofrível dos médicos ,mantendo uma casta de profissionais que,diuturnamente , mercantilizam a bela profissão , dando uma banana para a população mais pobre. Como conservadores , um dos esteios da casa-grande. O interessante é que esse comércio é bancado por nossos impostos , ainda nas faculdades públicas. Vejam a troca de e-mail entre o médico Rogério Gondo ( formado pela USP ,dirigindo o belo Toyota ao ser pego no flagra , burlando a lei no vídeo acima )e uma representante de formandos de medicina da UFMG.Se isso não for a mais pura comercialização da atividade médica eu não sei o que seria ( ver em: http://br.dir.groups.yahoo.com/group/comissao122/message/301)

  • Grande Edu e colaboradores:
    você esperava mesmo que lendo e distribuindo a revista VEJA e congeneres em consultorios e etc, a grande maioria dos medicos do Brasil iria pensar diferente do esgoto?

    A grande maioria dos medicos brasileiros, infelizmente, lê e ACREDITA(!!!) na Veja, ve JN e Fantastico…

    Terrível, terrível…

    🙁

  • EFE

    Com toda razão que tem Dilma. Com toda necessidade de médicos, uma coisa é certa: esta estória envolvendo governo e médicos ficou muito MAL resolvida politicamente. Resolve-se um problema criando muitos outros. Traduzindo para a Língua Portuguesa: coisa de principiante. Amador. Colegial.

    • Wilsoleaks Alves

      Efe de Foda-se!

  • Que a imensa “parcela ética e decente da classe médica”, tenha a coragem de dizer que o desgoverno lulo-petista – mensaleiro, golpista e, agora, parceiro de Cuba, no tráfico de profissionais mal formados na ilha-presídio, e que atuam em regime análogo à escravidão – está protagonizando mais um escândalo sem precedentes na história deste país!

    • Marcus Vinicius

      zzzzzz….

    • Marcus Vinicius

      zzzzzz…. hã? ah tá…. zzzzzzzzzz…

      • Tico:

        zzzzzz

        Teco:

        Hã? Ah, tá… zzzzzz…

        • Luís CPPrudente

          1,2,3,4…testando.

          Ok. Tucano-pefelê com necessidades intestinais de mostrar que o PSDB é um partido de pessoas sérias, honestas e dignas. Só falta omitir todas as falcatruas do PSDB e esconder a cabeça dentro do buraco para não enxergar o propinoduto tucano.

    • Luís CPPrudente

      Este veio do País das Maravilhas, onde os tucano-pefelês reinam, onde propinodutos são coisas inventadas pelos que nada tem a fazer.

      Este tucano-pefelê tem muito a dizer, muito a comentar…para defender o reino encantado do PSDB.

      Então lá vai comentários do tucano-pefelê, depois ele volta a esconder a cabeça dentro de um buraco para não enxergar a realidade de fora do reino encantado do PSDB.

      • Esse outro veio do País dos Tolos, onde os petistas reinam, com seus propinodutos e mensalões.

        Trata-se de um petista que, como petista, não tem nada que preste para dizer em defesa do reino sombrio e podre do PT.

        Assim sendo, ele esconde a sua cabeçorra vazia dentro de um buraco para não enxergar que o reino sombrio e podre do PT está afundando num mar de lama;

        • Luís CPPrudente

          Como eu falei esse tucano-pefelê tem uma vontade enorme de mostrar que o seu partido, o PSDB, é um partido sério, honesto e ético. Então ele vai replicar insistentemente que ele é competente (a mesma competência do PSDB em surrupiar e desviar dinheiro público), que ele é honesto (a mesma honestidade do finado FHC que comprou os votos dos deputados para aprovar a reeleição), que ele é inteligente (tal qual o personagem Pateta), mas que o tolo sou eu.

          Esse tucano-pefelê não “conhece” o propinoduto tucano, como no reino encantado em que vive, o mesmo reproduzido pelas famiglias do PIG, ele é o mocinho (junto com o finado FHC, o Nosferatu Cerra, e o governador propineiro Geraldo Alckimin) e nós somos os bandidos. Assim, ele continua colocando a sua cabeça tucana num buraco só para não ver a realidade como ela é e sim como ele imagina (o reino encantado do PSDB).

          E lá vai mais réplica desesperadora desse tucano-pefelê.

        • Luís CPPrudente

          Tico do Daniel Tucano-Pefelê: zzzzzz

          Teco do Daniel Tucano-Pefelê: Hã? Ah, tá… zzzzzz…

          zzzzzzzz

          zzzzzzz

          E lá vem mais réplica do desesperado defensor da ética, honestidade e seriedade tucana (tal qual ele próprio)!

          • Como eu já demonstrei à exaustão, esse petralinha mequetrefe tenta insinuar que o seu partido, o Partido do Mensalão, é um partido sério, honesto e ético. Então ele vai replicar insistentemente que ele é competente (a mesma competência do Partido do do Mensalão em surrupiar e desviar dinheiro público), que ele é honesto (a mesma honestidade do Lula da Silva, que patrocinou o Golpe do Mensalão, na compra de deputados para aprovar projetos do seu desgoverno), que ele é inteligente (tal qual o personagem Pateta), mas que o tolo sou eu.

            Esse petralhinha mequetrefe “não conhece” o propinoduto petista, embora viva no reino sombrio e podre do Partido do Mensalão, junto com as famiglias do PIG (Partido da Imprensa Governista). Ele é o mocinho (junto com o decrépito Lula da Silva, a Nosferatu Dilma, e o governador propineiro Agnelo) e nós somos os bandidos. Assim, ele continua colocando a sua cabeçorra vazia de petralhinha mequetrefe num buraco só para não ver a realidade como ela é (o reino sombrio e podre do Partido do Mensalão) e sim como ele imagina.

            E lá vem mais réplica desesperada desse petralhinha mequetrefe.
            .

          • Luís CPPrudente

            O sujeito, tucano-pefelê, é do PSDB!

            Ele é aliado do propinoduto do PSDB!

            Ele esconde que é um tucano-pefelê!

            Ele não defende abertamente o seu patrão, o PSDB.

            Ele pega os podres dos PSDB e diz que são do PT!

            Esse sujeito é do PSDB, esse é o tal do Lucas Daniel!

  • Luís CPPrudente

    Mais médicos sim, inclusive de Cuba!

    É um absurdo que um trabalhador doente tenha de chegar num posto de saúde antes da sete horas da manhã, esperar para pegar a senha com um agente de saúde, depois esperar (novamente) que o médico o atenda somente depois das oito horas da manhã.

    Que venha mais médicos de Cuba, pois muitos dos nossos médicos não querem atender o trabalhador doente no SUS.

    • Luís CPPrudente

      Mais médicos sim, inclusive de Cuba!

      É um absurdo que um trabalhador doente tenha de chegar num posto de saúde antes da sete horas da manhã, esperar para pegar a senha com um agente de saúde, depois esperar (novamente) que o médico o atenda somente depois das oito horas da manhã.

      Que venha mais médicos de Cuba, pois muitos dos nossos médicos não querem atender o trabalhador doente no SUS.

  • Abel

    Parece “off-topic”, mas não é. Por estes dias, estava lendo o “Crooks and Liars” (que é o equivalente de “blog sujo” nos Estados Unidos), e vi um post muito interessante que levanta uma hipótese sobre a rejeição dos republicanos ao “Obamacare” (a tentativa do Obama de implantar um “sistema único de saúde” nos EUA – pois é, querem copiar o SUS ;). A questão não seria técnica, ou de impostos pagos por todos os contribuintes para bancar os que não tem grana para pagar plano de saúde: o que o autor do post disse é que os republicanos morrem de medo do “Obamacare” dar certo, e, a população pobre agradecida, garantir mais algumas décadas de governos democratas pela frente. Os médicos brasileiros, como foi bem notado aqui, provém de um dos estamentos superiores da sociedade; nestas horas, o espírito de classe fala mais alto do que os 10 mil oferecidos pelo governo federal. O andar de cima não quer arriscar perder mais uma eleição para a “canalha”. Daqui até outubro de 2014, como se diz em jargão futebolístico, “abaixo do pescoço, tudo é canela” 😉

  • Erica

    Querem ver os coxinhas apoiarem medico cubano no Brasil? Qdo. O primeiro deles pedir asilo politico, vai virar heroi coxinhense, huabuahauabuahaua

  • José Roberto T Miranda

    Assino embaixo, Eduardo.

  • Scan

    A classe médica brasileira mata mais do que qualquer campanha militar.
    Metade da corja que cursa o sexto ano sequer consegue interpretar uma radiografia.

    “Os dados são parte dos resultados de uma prova aplicada pelo Cremesp (Conselho Regional de Medicina) a alunos do sexto ano de 25 faculdades do Estado [SP]. A prova, opcional, mostrou que 46% dos formandos não sabem conteúdos básicos e, por isso, não estão preparados para a profissão.”

    http://www.advsaude.com.br/noticias.php?local=1&nid=7915

    Que sejam bem-vindos os cubanos!
    E que a máfia nacional pegue fogo.

  • Bruno Ribeiro

    A cidade gaúcha de Carlos Barbosa tem um dos maiores IDHs do Brasil, fica a 100km da capital Porto Alegre, possui um centro de saúde em perfeitas condições e ainda assim não há médicos dispostos a trabalhar nela, como se pode constatar nesta matéria: http://noticias.terra.com.br/educacao/cidade-do-rs-oferece-estrutura-e-r-10-mil-por-mes-mas-faltam-medicos,7f40f70171710410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

  • Fabricio Alves

    BATE-PAPO COM LOBÃO E OLAVO DE CARVALHO

    https://www.youtube.com/watch?v=-ARru63yog0

  • Miguel Oliveira

    Muito lamentável que alguns médicos como esses manifestantes sejam tão desprovidos de senso humanitário, condição essencial para essa classe profissional. Deveriam ter procurado outro ofício.
    Também ridícula , falsa e mentirosa a argumentação de “mau atendimento” dos médicos estrangeiros. Não acredito nem um pouco que realmente considerem um pajé, uma benzedeira ou parteira analfabeta atenda melhor que qualquer médico formado, estrangeiro ou não. Eles mesmos sabem que são embusteiros e vigaristas, assim como qualquer pessoa com um mínimo de bom senso.

  • Zorg

    Honestamente acho que não entendi o problema.

    De um lado o governo federal parece tomar decisões em um vácuo. O problema de falta de médicos e as soluções de recrutamento no exterior, ou até de trabalho compulsório dos médicos Brasileiros, parecem ter surgido da noite para o dia; sem debate, sem análise das consequências maiores que um novo modelo teria para os profissionais e para a sociedade em curto, médio e longo prazo.

    De outro lado, os médicos parecem não admitir problemas nenhum na medicina nacional. Mesmo quando admitem, não retrucam com nenhuma proposta alternativa ao do governo federal. A posição dos médicos me parece ser a do “status quo e calem a boca!”

    No caso dos médicos Cubanos o desconforto desta classe é muito esquisito. Que sejam os piores médicos do mundo (e não acredito nisso) o programa é para levá-los a lugares que os médicos Brasileiro se recusam a ir. De novo, qual é a alternativa proposta pelos médicos?

    Me intriga a resistência ferrenha que as máfias profissionais fazem para não serem expostos a concorrência internacional. O Brasileiro não é ciente de quão exclusivo é a mão de obra no país. Tenho experiencia pessoal com isso: sou engenheiro nascido no Brasil, criado e formado no exterior, e já fui imigrante 3 vezes na vida. A imigração mais difícil que já fiz foi para o Brasil onde encontrei de longe os piores profissionais e a maior resistência a validação dos meus diplomas.

    Posso estar enganado, mas acho que o medo aqui é o mesmo que encontrei na engenharia: que outros profissionais de outras culturas venham a se opor aos esquemas, métodos e meias verdades que esta classe já consolidou.

  • C.Paoliello

    O blog estava inacessível hoje de manhã. A ação de hackers contratados pela direita continua Eduardo?

    Quantos aos médicos, sendo a medicina cubana reconhecidamente competente (vejam o documentário de Michael Moore “SOS Saúde”, em DVD), acho que há ciumeira ou medo de uma pequena parcela da categoria médica brasileira que tem medo da comparação.

  • Carlos J. Ribeiro

    Se não estou enganado, o texto abaixo é do PH. Amorim:

    “O cidadão rico (ou aquele que pensa que é), só precisa do Estado quando enfia seu carro privado num poste público, pago com impostos. Então, bombeiros públicos pagos com impostos, o resgatam com material público, também pago com impostos. O colocam numa ambulância pública, paga com impostos. Ele é levado a um hospital público (você conhece algum plano de saúde que cubra politraumatismo e recolha o cliente no asfalto? Eu não), pago com impostos, onde fará tomografias públicas, radiografias públicas, exames de sangue públicos, usará um banco de sangue público, será operado por médicos que são funcionários públicos (segundo os neoliberais, todos vagabundos), usando material hospitalar público. Ficará em observação numa UTI pública, monitorado por enfermeiros que são funcionários públicos. Ficará lá até que todos os exames caros bancados pelo Estado sejam feitos e algum médico público o declare estabilizado. Daí, de uma “UTI móvel” particular saltarão pessoas vestidas de laranja para remover o paciente rico para seu quarto particular num “D’or” da vida onde ele vai acordar e dizer: “Que bom que tenho um plano de saúde. Se dependesse desse governo eu estaria morto…”.
    Depois ninguém sabe para onde vai o dinheiro da Saúde”.

    • Scan

      Carlos, independente de quem escreveu, está perfeito.
      []’s

    • Zorg

      Excepcional! Vou copiar o texto para meu facebook.

    • anac

      Já vi caso em que um cara podre de rico após um acidente com seu helicóptero ao pousar em uma reserva ecológica que mantem para seu exclusivo deleite foi socorrido por um helicóptero UTI publico e levado para um Hospital Publico quando estabilizado foi levado pelo mesmo Helicóptero público com UTI para outro Hospital publico que tinha heliponto, para ser levado enfim para um Hospital privado sem heliponto que ficava próximo ao publico, com heliponto.

  • Henrique

    A médica(?) de jaleco com cartaz falando da Dilma é de uma estupidez preconceituosa de um ser mortal vivente que ainda não adquiriu conhecimento, o que a faz tão burra.

    Como é fácil colocar um jaleco branco e sair por aí defecar pela boca.

    Como é fácil ser coxinha, ser uma ovelha amestrada,…

    Que medo ela tem dos médicos estrangeiros?

    Será que, essa ovelha amestrada, com jaleco branco, que se diz médica, sabe o que é uma unha encravada, uma diarréia, um estrepe(espinho) no pé,…?

    Será que essa ovelha amestrada, com jaleco branco, que se diz médica, sabe o que é um “ameaço de garganta”?

    Obsv.:’ ameaço de garganta’ é como algumas populações dos confins do Brasil chama para “dor de garganta”.

    Esta veemência com que ela aconselha a presidenta a se tratar em Cuba, clinicamente, é algum problema passado mal resolvido em sua vida.

    Ela deve ser bem avantajada para representar o povo brasileiro! E a medicina passou longe desse ser!

  • Olha porque os médicos não querem o fim dosbenefícios http://www.youtube.com/watch?v=9lYTliKYqUA

  • Salvador Ferreira

    Simas Mayer, Hebert
    24/08/2013 • 01:04.
    Somente agora 18:05 leio sua informação.
    Obrigado pela atenção.
    É, provavelmente o Eduardo nos dá uma “lição” subliminar
    para que tenhamos conciencia de que, lendo esses lixos saibamos melhor
    analisar a verdade que ele, Eduardo escreve no post.
    Acho que é isso, salvo melhor juízo.
    Abs. , tambem fraternos.

  • dr socrates
    dr.ernesto guevara
    dr. bashar el assad.
    Sao tres medicos que eu hoje respeito e admiro. Quem nao gostar da lista, paciencia.

  • Luciano Mendonça

    Uma sugestão inicial seria a busca, uma pesquisa básica, na internet com as seguintes palavras-chave: médicos – cubanos – Tocantins.
    Descobriremos então que a situação não é nova nessa paragens (ou será que Tocantins não é Brasil?).
    Médicos cubanos trabalharam no Programa Saúde da Família.por 8 (oito) anos – convênio assinado com o Governo de Cuba (Fidel Castro, né) em 1997 – e em 2005 uma decisão judicial provocada pelo CRM do Tocantins mandou cessar as atividades dos médicos. Esses médicos chegaram a retornar para Cuba, porém uma decisão de segunda instância reformou a decisão anterior e disse que a contratação via convênio com o Governo de Cuba poderia continuar, e assim alguns desses médicos continuaram assistindo a população carente, no SUS. Olha aí um entendimento judicial que garante a ação administrativa do Governo Federal.
    Detalhe: em 1997, época da assinatura do convênio, o Governador era Siqueira Campos do PSDB, e o Presidente da República era FFHH do PSDB. É claro que os tucanos agora dirão que a “idéia” foi deles (Aécio esquecerá o que disse, ou dirá que não disse o que disseram que ele disse).
    Agora, a onda bate na areia da praia do PIG, faz espuma, mas essa onda já bateu anteriormente, fazendo pouca espuma.
    Então, qual é o problema agora?
    O Governo do PT estende a medida para os municípios que requisitaram médicos em todo o Brasil e dá visibilidade a Padilha, e dá um cheque-mate no problema da falta de médicos, depois, claro, de uma convocação local e mundial para achar médicos interessados em atender nos rincões e nas periferias dos grandes municípios do Brasil.
    E o medo – tipo Regina Duarte – da classe (ou “elite”) médica, que é saber que há médicos – provavelmente mais gabaritados que a média da “elite” médica nacional – que trabalham por amor ao próximo, e não amor ao bolso do próximo.
    E fim de papo.
    Edu, passemos pra outro assunto.
    Ah, ia esquecendo, golaço de Dilma e Padilha.

  • José Medeiros

    Na primeira foto o rosto jovem e aformoseado da nossa elite. egoísta, insensível, perversa, de mentalidade escravista, corporativista, comodista e quase que totalmente inútil. Elite individualista, sem consciência de cidadania, de povo, de pátria, de bem estar coletivo. Toda esta reação convulsiva está a vir à tona porque os tempos são outros. É de se pensar: quando foi que, antes, a poderosa rede de comunicações que adentra 90% dos lares, uma instituição sonegadora da VERDADE e dos impostos, a qual não denuncia no JN os seus próprios crimes, a perversa, má e sofisticada Rede Globo e todos os seus aderentes, disseminadores de mentiras ou, na melhor das hipóteses, de meias verdades estaria a lutar desesperadamente ( há 10 anos) e sem êxito para derrubar um governo? Certamente trata-se de um governo onde o viés democrático admite que se denuncie a sonegação bilionária e os golpes que a poderosa instituição apelidada de “vênus platinada” ou “plim-plim” patrocina contra a nação,.
    O Brasil nos moldes desta elite que aí está representada na foto não mais se sustentará. É uma questão de tempo, as mudanças ocorrerão, os seus privilégios absurdos derrocarão. Terão ainda os seus estertores com que adiarão um fim iminente, porém acabarão por dar o último suspiro.
    O Brasil desta pseudo elite perversa tem o seu megafone cúmplice no PIG e, infelizmente, em alguns partidos políticos que reinaram antes no Brasil e ainda resistem em dois dos principais Estados brasileiros. Tralha política e entulho antidemocrático nas comunicações que depenaram o país e os cofres da nação na maior roubalheira dos séculos, a PRIVATARIA tungana e que permanecem soltos, leves e impunes, com o seu porta voz e representação mais autêntica e nefasta no PIG.
    Não existe um grande país sem uma elite de grande qualificação. Infelizmente a nossa é da pior safra e precisa ser renovada, transformada, oxigenada. Isto acabará por ocorrer ou o país cairá fruto da própria incompetência em se renovar do ponto de vista das idéias e da política. Que haja uma oposição diferente da que defrauda o pais em bilhões e sai a gritar com o megafone do PIG: pega ladrão. Em tempo: Joaquim Barbosa acabará por se candidatar, age com este fito, persegue os seus adversários politicamente. Será o fim da picada se por um descuido subir a rampa. O Brasil não merece um prestidigitador desta lavra.

  • Trazíbulo Meireles de Souza

    Esses médicos que saem às ruas contra o programa do governo federal, seguramente, são aqueles que nos seus haras tratam os seus cavalos melhor do que as pessoas nos seus consultórios ou sequer atendem pelos SUS.

  • Augusto

    Prezado Edu.

    Então, temos vários procedimento, que ajudará muitos
    enfermos a se curarem ou amenizarem seus sofrimentos,
    que é auto-hemoterapia e caixa de orgônio. A auto-hemoterapia
    até a Globo já tentou desmoralizá-la como terapia alternativa, é claro
    que tem a máfia das farmácias que cujos proprietários devem serem no mínimo
    serem amigos dos Marinhos. Todavia, peço aos companheiros que
    vejam no google, tanto a auto-hemoterapia quanto a caixa de orgônio,
    e, também leia sobre o simpático Dr. Luiz Moura.

  • Michael

    Me causa decepção ver uma classe de profissionais tão inteligentes agir com tamanha ignorância, burrice, egoísmo e HIPOCRISIA, contrariando o “Juramento de Hipócrates” que todos os médicos um dia fazem.

  • Maria Rita

    Com toda essa leitura toda, lembrei-se de uma consulta feita no final dos anos de 1990 ou princípio de 2000, com um ortomolecular em Brasília. Careiro, mas sua secretária garantiu uma consulta de 1 hora. Pois bem, na época poucas pessoas tinham celular. Ele passou mais de 20 minutos no celular durante a minha consulta, marcando com um amigo uma partida de golfe. Hoje eu reclamaria, mas na época fiquei extremamente constrangida e frustrada. Já vem de longe essa falta de respeito por parte de alguns especialistas, principalmente daqueles que estão na moda. Até os consultórios são refinadamente decorados. Algumas especialidades viraram grife de tratamento de saúde. Tudo aparência.

  • Regina Braga

    As patricinhas desconhecem que: O Centro Médico de Havana,é referência no tratamento de câncer.Volta pra sala de aula e vai estudar,depois ,escreve um cartaz descente!Quisera os brasileiros, com câncer,fazerem tratamento em CUBA…A vacina do CÂNCER DE PULMÃO é produzida pelos cubanos.Que horror, a arrogância!!

  • Givaldo

    Ao ler uma matéria do UOL que falava sobre a chegada dos médicos cubanos ao Brasil, causou-me surpresa a qtde de comentários a favor desta chegada. A gde maioria demostrou apoio à esta medida, alguns , inclusive, criticos de Dilma e Lula, dizendo que não votariam neles, mas que era a favor destas medidas. Em suma, esta entidade corporativista conseguiu o improvável que é fazer c/ quem não gosta do PT apoiar algumas medidas. Obrigado CRM´s e CFM

  • Guará Matos

    Depois de tantas décadas, a presidente (presidente, sim) resolve apoiar a escravidão absoluta! A tirania chamada Cuba açoita a dignidade humana. Os médicos cubanos são apenas produtos para serem vendidos e alimentar a corja maldita dos Castros e do comunismo ordinário pra ticado na ilha caribenha!

    Sei, sei que a manada guiada pelo PT esta adorando, afinal como viverão se esse partideco de latrina sair? As “bolsas” doadas para manter o gado atrás da cerca, é o que há!

    Bem… Se não concordam, mudem pra Cuba e vá viver com um tantinho de ração e depois me contem, hahaha!

    Podem xingar a vontade, continuo me lixando para isso tudo!

    “… Vida de gado, povo marcado, povo (in) feliz.”.

    ______
    Ps. Vejo gente corrigindo, mas não sabe escrever! Ah, sim, é a Educação do PT….

  • Romanelli

    Esta questão dos médicos tem o POTENCIAL de reeleger Dilma !!!

    Esta certo o governo, certo diante de uma juventude que formada DE GRAÇA em universidades públicas ainda tem o direito de se negar a dedicar dois míseros anos de sua vida pra retribuir à parcela da sociedade mais humilde e que justamente aquela, mais sofrida, que os sustentaram via impostos regressivos.

    Esta ceto o governo que não ficou paralisado diante deste SINDICATO do CRIME que conclama seus filiados a promoveram o preconceito e o lockout por todo país.

    Sim, esta certo o governo que diante da realidade, de que a nossa sociedade esta FALIDA sobre os mais diversos aspectos, principalmente ético, mesmo assim buscou um sopro de coerência e criatividade pra tentar reverter estas nossas vergonhas nacionais que já viraram cina.

    Parabéns Dilma !!!

    Agora, agora pra ficar bonito só falta oferecer SIM hospitais, clinicas, postos, materiais e equipamentos em quantidade e qualidade.

    ..agora só falta o governo apresentar uma política INDISTINTA, preventiva, voltada a toda família.

    ..agora só falta o governo propor a CENTRALIZAÇÃO racional e produtiva do modelo, tanto na assistência como no fornecimento propriamente dito, como o da distribuição de medicamento.

    ..agora só falta o governo tentar entender pq os nosso cursos de medicina DEMORAM tanto tempo pra formar um profissional, ainda medíocre.

    ..agora só falta o governo acabar com as filas e HUMILHAÇÕES nos milhares de pontos de atendimentos espalhados pelo país.

    Agora, AGORA só falta o governo dotar o país, nem que somente em seus pontos regionais (N, NE, CO e S) de um parque hospitalar similar ao que encontramos em SP por exemplo (Clinicas)

    agora só falta o governo arrumar de vez o caos que se instalou e que nunca mais acabou nas Santas Casas do Brasil.

    Enfim, agora só falta o governo fazer todo o resto que não tem feito nestes benditos quase 11 anos no poder.

    http://www.mecatronicaatual.com.br/secoes/leitura/1173

  • Milton Quadros

    Tenho relacionamento pessoal com médicos excelentes, pessoalmente e profissionalmente. Fico surpreso com a estratégia adotada corporativamente para o assunto, coisa de burros ou de radicais de direita essas ameaças aos médicos estrangeiros.

  • Peixoto-Pres.Prudente/SP

    Será que teríamos estes protestos da “sociedade” e do Conselho de Medicina se estes médicos fossem Americanos ou Ingleses???????…

  • Luiz

    O problema é que os “doutores CRMs” querem manter a reserva de mercado no Brasil só para eles, nada de Programa “Mais Médicos”. Aqui no meu Estado “doutor” que se preza não tem menos de três empregos, e querendo mais, daí que não querem perder a boquinha né?

  • Essa é uma das expressões mais evidentes do racismo e da falta de sensibilidade da classe mérdia brasileira.

  • carloslf

    Como médico, sinto-me constrangido com a postura atual de nossas entidades de classe. Não me sinto representado por elas em relação ao mais médicos e ato médico.

    • Dr. fale isso publicamente pra não ser confundido com a minoria irresponsável

      • carloslbf

        Faço questão de deixar claro, Aninha, sempre que tenho oportunidade. Acho que o texto do Edu foi (como habitual) muito preciso em captar a mensagem que a categoria está passando à população. Imagino que pagaremos um preço com o tempo. Abs Carlos

        • Alexandre J. Monnerat

          Parabéns Dr. o Sr. sim é digno de ser chamado MÉDICO.

  • Luiz

    Como sempre observamos, os “doutores CRMs” parecem dedicar um cuidado especial em manter seus jalecos sempre limpos e branquinhos, porém seus caráter e atitudes demonstrados até agora estão mesmo é precisando de uma “boa lavagem”.

  • Sugestão para palavras de ordem das “manifestações” contra os médicos cubanos:

    “Somos ricos e canalhas,
    não cuidamos de gentalha.”

    “Nem que meu salário dobre,
    eu não cuido de gente pobre.”

  • Caro Eduardo Guimarães, apenas gostaria de dar uma dica simples para ajudar o carregamento das suas páginas. Veja que a imagem acima das médicas mafiosas é da extensão .bmp ou bitmap com 546kb quando poderia ser em .jpg com 10 ou 12 vezes menos peso. Um arquivo de 50kb por ex. Isso é fácil de fazer, basta salvar como jpeg ou exportar para jpeg dependendo do editor de imagens que se usa.
    Quanto ao texto em si quero parabenizá-lo pois concordo totalmente com suas colocações. Abs

  • A desculpa inicial era que não havia “infraestrutura” e “plano de carreira”.

    Depois que essa desculpa foi desmascarada, os mauricinhos e patricinhas acusaram os médicos cubanos de incompetentes.

    Como essa também não colou, agora estão dizendo que são contra o “Mais Médicos” porque os médicos cubanos são ponta de lança da “invasão” cubana. Tomara que sejam mesmo.

    EUA distribuem bombas. Cuba distribui médicos.

    Aliás, no Haiti os médicos da Cruz Vermelha caíram fora, assim como os estadunidenses. Ficaram 4 mil médicos cubanos, sustentando o sistema de saúde precário do país.

  • Ex Xavs

    Foi bom você ter avisado para que não caiamos em generalizações, há bons profissionais, eu mesmo conheço um que está trabalhando nas comunidades ribeirinhas de Belém, sou totalmente a favor da vinda dos médicos cubanos e de outras nacionalidades que vem solidariamente prestar serviços àqueles que carecem de assistência de saúde, esse bando de mercenários que cacareja nas ruas não nos representa, são inimigos do povo, tem mansões, jatinhos e tem matrícula no serviço público certamente para roubar o material dos hospitais e levar para seus consultórios chiques, cuja consulta, a mais “barata” está por cerca de R$200,00 e mais, São Paulo, por incrível que pareça, também precisa de médicos, assim como o Rio, para a periferia dessas grandes cidades, a saúde está gravemente enferma e precisa de mudanças, quem deve cair fora, são esses “médicos” das classes altas, apodrecidos pela mercantilização, até um pedacinho de gaze, esparadrapo, essas clínicas particulares safadas cobram.
    Bienvenidos todos.!

  • Leo Mendes Filho

    Meu Caro Edu…

    o problema é que esta tal “parcela ‘ética, decente e responsável'” que você reclama é minúscula, se é que existe! A Cynara Menezes, em seu “Socialista Morena”, posta um texto muito pertinente sobre a postura do médicos brasileiros, vale a pena. De resto, o problema é de caráter, de humanidade… ou melhor, da falta de caráter e de humanidade…

    Leo Mendes Filho
    (Parauapebas/PA)

  • É verdade, Roberto. Olha a grande diferença (que ironia do destino): enquanto a democracia americana distribui morte, à custa de milhões de dólares, “a ditadura cubana” distribui saúde pelo mundo, com parcos recursos.

  • Carlos Henrique

    “Ricos” até pode ser, “cultos” jamais, já que representam nossas classes média e alta, as quais, destacam-se principalmente pela burrice, ignorância (fazer faculdade não dá cultura a ninguém)e mesquinheza espantosas e assustadoras. As patricinhas com os cartazes da foto acima, a macaquearem sua maldade e imbecilidade em letras coloridas, são um exemplo do que são essa gente e a classe a que eles pertencem(obviamente há exceções, mas por serem exceções não negam a regra, ao contrário, sua condição de minoria só confirma a afirmação), que controlam a saúde no Brasil, sendo responsáveis diretos pelos problemas terríveis que temos num país com carência gigantesca de profissionais dessa área, a qual, reitero que não é maior nessa ou naquela região, mas em todas as regiões e também dentro das cidades consideradas “desenvolvidas”, pois a matéria do SBT revela um situação caótica e canalha, médicos que aparecem, batem o ponto e não trabalham, que ocorre num Hospital público de São Paulo, poderia ocorrer num de qualquer outra capital brasileira, além do que se fizermos um estudo estatístico dos índices de saúde nas periferias das grandes cidades e interiores menos afastados, veremos que se forem retiradas as “facilidades” de deslocamento que esses locais possuem(estão próximos de grande hospitais e têm vias de acesso mais transitáveis)perceberemos que se dependessem apenas das estruturas de saúde localizadas neles mesmos(quantidade de médicos e hospitais que possuem) seus indicadores de saúde seriam semelhantes aos dos locais mais miseráveis e afastados do Brasil. Portanto, em se tratando de saúde o problema é bem mais classista do que propriamente geográfico, ou seja, o caos está ao nosso lado, na periferia de nossas cidades que vivem a mesma falta de médicos dos interiores longínquos. E se vivem esse problema é exatamente pela composição classista e visão capitalista da classe médica, oriunda das classes média e alta, que alinham ao calhamaço de preconceitos sociais intrínsecos de suas classes a uma visão mercantilista da profissão, exacerbada nas próprias Faculdades de Medicina(que são em boa parte públicas, sustentadas pelo dinheiro de todos os cidadãos, mas formam médicos oriundos das classes que mais têm recursos para custar a educação com os próprios meios), as quais ajudam a incutir nesses profissionais um completo descaso pela vida, um desprezo ao semelhante e um apego sórdido ao enriquecimento. A chegada dos médicos estrangeiros além de suprir um problema urgente, carência de médicos, ajudou a escancarar quem são de fato esses profissionais, e principalmente no que diz respeito aos cubanos, trará para o Brasil uma outra visão da Medicina, já´que teremos profissionais de QUALIDADE MUITO SUPERIOR A DOS MÉDICOS BRASILEIROS(PARA QUEM NÃO SABE, CUBA TEM NÃO SOMENTE INDICADORES DE SAÚDE EXTRAORDINÁRIOS, MELHORES QUE OS DOS EUA E ALEMANHA; MAS TAMBÉM É PIONEIRA EM PESQUISA E TRATAMENTOS DE SAÚDE, SENDO O ÚNICO PAÍS DO MUNDO QUE POSSUI, ENTRE OUTROS ÊXITOS, A CURA PARA A RETINOSE PIGMENTAR, DOENÇA DEGENERATIVA DOS OLHOS QUE LEVA À CEGUEIRA, E SÓ NA ILHA TEM ESSE PROCESSO DEGENERATIVO INTERROMPIDO, GARANTINDO A MANUTENÇÃO DA VISÃO. ALÉM DE SER PIONEIRA NA DESCOBERTA DE VACINAS), MAS QUE APESAR DA SUPERIORIDADE EM CONHECIMENTOS, TÊM UMA VISÃO HUMANISTA DA MEDICINA, SEM ARROGÂNCIA, E VÊEM SEU OFÍCIO COMO UMA MISSÃO, ALÉM DE TEREM UMA COMPOSIÇÃO PLURAL, JÁ QUE A MAIORIA TEM ORIGEM NAS CLASSES OPRIMIDAS DE ANTES DA REVOLUÇÃO, AS QUAIS GRAÇAS AO SOCIALISMO CONSEGUIRAM FORMAR SEUS FILHOS. OU SEJA, TEREMOS MÉDICOS BRILHANTES, FILHOS DE CAMPONESES E OPERÁRIOS, QUE PUDERAM ESTUDAR GRAÇAS A UMA NOVA SOCIEDADE QUE SURGIU EM SEU PAÍS, DIFERENTE DAQUELA ONDE VIVERAM SEUS PAIS, E QUE ALÉM DO CONHECIMENTO GANHARAM DESSA SOCIEDADE A INEXISTÊNCIA DE PRECONCEITOS E A PREOCUPAÇÃO COM O PRÓXIMO. Sobre os médicos cubanos, só um exemplo de sua devoção à profissão neste pequeno episódio : Conta-se que Milton Nascimento foi fazer um show em Cuba e sentiu-se mal, foi atendido e medicado por um médico cubano. Após o término da consulta, Milton quis pagar ao profissional por seus serviços, ao que o médico recusou-se a receber dinheiro, afirmando ao cantor que exercia a medicina para servir às pessoas, não por dinheiro. E ainda não entendem como o Socialismo é extraordinário!

  • Carlos

    Caro blogueiro,

    Você cita que o médico brasileiro não quer ir trabalhar nas periferias mesmo quando há estrutura adequada eu, como médico, lhe explico o porquê: o vínculo oferecido por essas prefeituras é precário! O médico que se dispõe a trabalhar nessas regiões não tem nenhum, repito nenhum, direito trabalhista, sejam férias, licença saúde ou 13o salário, sequer a garantia de que vai receber os tão propagados altos salários que os prefeitos dizem que pagam, entreviste qualquer médico que trabalhou no interior e todos sem exceção já levaram calote! Por isso nenhum de nós se propõe a ser moeda de propaganda partidária! Segundo nenhum de nós é contra a vinda de médicos de Cuba, da China, Afeganistão ou da Faixa de Gaza que seja! Somos contra a NÃO revalidação dos seus respectivos diplomas! Algo que é exigido em qualquer país minimamente sério, diga-se de passagem que o Revalida é apenas uma prova teórico-pratica enquanto que em países como os EUA o processo de revalidação pode chegar a 02 anos!!! Ora se esses médicos cubanos são assim tão bons por que 90% deles foram reprovados na revalidação? Mas claro que para o governo é mais fácil acusar os médicos de mercenários e playboys do que promover uma real estruturação do SUS com concursos públicos com bom salário e boa infra-estrutura não apenas para nós, mas todos os outros profissionais de saúde!

    • Eliezer Batista

      Que é isso “Dr ? Carlos”? Não é bem assim… Eu resido em uma cidadezinha de 60 mil habitantes, Euclides da Cunha, na região nordeste do estado da Bahia, com várias outras cidades de menor porte ainda ao redor, portanto vou lhe falar com profundo conhecimento de causa. Para a nossa cidade e região nenhum médico de ponta aceita trabalhar. As desculpas são diversas, a mais ouvida é que a cidade não oferece opções de lazer e conforto para suas famílias, os que vêm pra cá são estagiários em sua maioria e não se conformam em ganhar menos de 8 mil reais por semana. Explico: Trabalham em regime de plantão todos os dias da semana a + ou – 2 mil reais por plantão, colocando à frente de tudo uma ganância exacerbada pelo dinheiro, querem enriquecer em 2 ou 3 anos de profissão. Como dão plantão todos os dias, não tem tempo para o sono, que é vital e sagrado, eles ficam quase sempre no conforto médico, obrigam enfermeiros e técnicos irem bem além dos seus conhecimentos e responsabilidades. E quando chega alguma emergência que eles vão atender quase sempre estão com sono e com um péssimo humor, precarizando ainda mais o atendimento.
      Com relação a estrutura hospitalar é tudo balela. Apenas falta médico.
      Amigo Carlos, vocês estão achincalhando com a profissão. Se não querem os rincões desse país é um direito de vocês, agora queiram a desgraça e a morte da nossa gente. Deixem vir pra cá Cubanos, Venezuelanos, Pré-colombianos, Incas, Maias, Astecas… Garanto pra vocês que são melhores que muitos estagiários cheios de má vontade que exercem medicina por aqui. Quanto ao revalida Dr é uma situação emergencial. E é realmente emergencial. A população menos favorecida sabe disso. Aliás, sente isso na pele.
      Dr. Ficar contra o “Mais médicos” é fazer política contra o governo e atentar contra a vida dos mais pobres.

      • Vera Silva

        Seu comentário é correto, Eliezer Batista.
        Nossa doméstica confirma que em Miguel Alves, Piauí, há um hospital montado em que faltam muitos médicos.
        Confirmo também que, no DF, médicos, que estudaram de graça na UnB, fazem residência em 2 e até 3 hospitais particulares (ao mesmo tempo) – até mesmo em UTIs (!!!) – como plantonistas, fazendo 3 plantões por dia e ganhando uma “baba”.
        Além disto, trabalham sem contrato nestes hospitais, até onde sei. Mas, não querem trabalhar no SUS. Por isso sou a favor de 2 anos de trabalho no SUS para profissionais de saúde formados em universidades federais. Penso que deveria ser mais extenso ainda o tempo e que seja a exigência estendida a qualquer universidade pública.

      • Laurita

        Parabéns, Eliezer. Infelizmente uma grande parte da classe médica ( não são todos, graças a Deus ), está totalmente contra o governo e fazendo campanhas mentirosas e insensatas contra o projeto. Elogio nessa oportunidade, os médicos justos e de bom senso que têm através dos Blogs, mostrado suas simpatias ao projeto do governo! Que recebam nossas congratulações!!

    • Para um advogado exercer sua profissão, tem que ser aprovado num dificílimo exame, obrigatório, da OAB. Os conselhos de medicina promovem um tipo de exame de avaliação similar, com os médicos, NÃO OBRIGATÓRIO. Poucos médicos se sujeitam a esses exames. 50% dos que se inscrevem, VOLUNTÁRIAMENTE, não comparece às provas. Dos que comparecem, VOLUNTÁRIAMENTE, mais de 50% são reprovados. Os conselhos de medicina, com seu corporativismo, não publicam o resultado desses exames. E os reprovados seguem, faceiros, exercendo sua profissão, mesmo sem o menor preparo para tal. A aversão aos médicos estrangeiros, principalmente aos cubanos, é puro medo de serem comparados.

      • Uma correção: na verdade quem promove essas provas voluntárias de avaliação médica é a AMB e não os conselhos de medicina. No resto do comentário nada muda

  • Flavio de Oliveira Lima

    Realmente esta uma vergonha o comportamento das entidades médicas. Como conheço a classe (sou médico), não esperava coisa muito diferente. E não adianta avisar ou manifestar-se a respeito, é cegueira ideológica braba. Sem muita chance de consertar a curto prazo. Não vou sair gritando por isso, Edu. O tempo vai desmoralizar essa posição, e conheço muitos colegas (uns 30%) que vão sentir vergonha no futuro (médio pra longo prazo).
    E o pior é que isso acaba atrapalhando um proposta excelente que é a da carreira de Estado do médico, necessária e urgente. Alem de ter atrapalhado a regulamentação da profissão médica, a unica das 14 profissões da área da saúde que ainda não era regulamentada.

  • Ligia Malta

    Como faz frequentemente, voce pegou o assunto, o cercou, e de la tirou todas as conclusoes possiveis, simples e diretamente. Pra mim Nao resta mais nada a ser dito, a Nao ser para a “ala etica dos medicos” !

  • Lucas

    No link, um hospital de Cuba, que deixa os do Brasil no “chinelo”, realmente não sei dizer qual é pior, mas antes de defecar com palavras perceba que o problema não são os médicos, e sim as condições! Pelo amor de Deus, um médico ganha uns R$200 pra fazer uma cirurgia pelo SUS enquanto a PRESIDENTE gasta R$3000 com maquiagem para aparições públicas e os deputados federais ganham R$ 26.723,13 pra trabalhar em toda mordomia (e olha que não são os sete dias da semana).
    Toma vergonha nessa cara de tacho, que essa manipulação só engana trouxa, que acha que essas suas palavrinhas infames sobre o elitismo de médicos são sérias.
    “parabéns pelo artigo”, me poupe!
    http://www.therealcuba.com/Page10.htm

  • Ana

    Essa guria de jaleco branco, segurando o cartaz em primeiro plano está, com uma cara de bravinha, igual a uma patricinha que foi comprar um par de sapatos, gostou e não tinha o número dela. Não está?

    • Ana

      corrigindo….em primeiro plano, está com…..

  • Helga

    Eduardo, sou mãe de três médicos e sogra de dois e estou muito contente com a vinda dos médicos estrangeiros. Isso já devia ter acontecido há décadas. Espero muito que o SUS seja fortalecido. Creio mesmo que será.

    Quanto ao aspecto eleitoreiro do programa, por que não? Faz parte do jogo político, uai! Felizmente é para o bem. O combate ao programa também é eleitoreiro, com a diferença que é para destruir os parcos ganhos sociais do governo Lula e do atual.

    Que venham agora os professores dos quais o país tanto precisa. Que venham instruir os brasileiros que não se dão conta que o petróleo, as estradas, os portos, os aeroportos, as comunicações, o capital , enfim, os pontos estratégicos do nosso país estão em mãos estrangeiras. Nada de novo desde 64, ou melhor, desde 1500!

  • Os médicos têm que entender que a verba da Saúde não é única: ela é composta da verba federal, dos repasses constitucionais do governo federal a estados e municípios e das verbas próprias desses entes federativos. O atendimento também não é unitário – por ser uma responsabilidade compartilhada, cada ente tem sua própria responsabilidade. Investir no Mais Médicos, portanto, não retira dinheiro dos municípios e estados, ou seja, não pode ser responsabilizado pela eventual falta de plantonistas nas capitais. Por outro lado, a decisão é de um governo eleito, com base em opiniões de especialistas em Saúde, e não palpites de leigos ou de analistas individuais e o programa atende a uma demanda importante. Quanto aos médicos que farão parte do programa, seus currículos podem ser validados por convênios existentes entre o Brasil e diversos países e organismos – o sistema de acreditamento ou reconhecimento de diplomas estrangeiros já existe há muito tempo e obedece a normas próprias. No caso, os médicos que virão devem ter larga prática e currículo compatível com o exigido dos formandos brasileiros. São médicos com uma média acima de 15 anos de prática em missões em vários países e com especialização em doenças tropicais e atendimento domiciliar. A lama que associações e conselhos de medicina, em colaboração com a mídia tucana, estão jogando na iniciativa e nos próprios médicos que estão chegando é fruto do corporativismo e da oposição política desleal. Não há, tampouco, ‘trabalho escravo’: o salário idêntico ao que foi oferecido aos médicos brasileiros que aderiram ao programa, de dez mil reais mensais, é o que será repassado à OPAS, que é quem contrata e paga os médicos – que não estão vindo acorrentados ou obrigados, diga-se de passagem.
    Chega de idiotices!!! Médicos estrangeiros sim! O Brasil é um dos países com menor índice de profissionais de saúde estrangeiros. Chega de xenofobia e politicagem barata!!!

  • Nigro

    Ora.

    Dizer que o programa é emergencial é balela. O problema está aí há décadas. Nunca foi atacado. Agora, um surto…..
    Dizer que o médico é a figura central da saúde é errado. A saúde é mais que a ausência de doença. O povo não tem noção de higiene, prevenção de DST, come mal, mora mal, dorme mal.
    Fácil querer culpar o médico.
    Fácil chamar de playboys, quando os governantes se tratam diretamente com os especialistas do Sírio. Fácil para esses blogueiros qurerem mandar os outros pros rincões que eles mesmos não vão.
    Dizer que isso é um projeto é uma loucura. É um rabisco feito às pressas, nas coxas, e ideologicamente contaminado pela idolatria ao regime DITATORIAL, atrasado, de Cuba.
    Uma parceria legal os Castro- ditadores e notórios assassinos.
    Os médicos cubanos são meros funcionários do governo Cubano, que é uma “empresa” terceirizada neste ramo. Não devem ser hostilizados. Estão aí como poderiam estar em qualquer biboca do mundo. É um serviço interessante este prestado pelo Governo Cubano, de maneira inteligente, para ganhar dinheiro.
    Não deixa de ser absurdo e inaceitável o fato de que médicos batem ponto e não trabalham… É tragicômico.
    Quer serviço estatal decente? Fácil. Pague bem, carreira estável, dedicação exclusiva. Vai sobrar candidato bom. Veja que nos rincões não faltam juízes ou promotores. Carreira de estado médica é o caminho. Mas demora e o Sr Padilha (do diploma duvidoso) quer se eleger logo… E assim caminha, a passos largos, o inexorável fracasso brasileiro. Talvez sejamos assim mesmo, é nossa vocação- a derrota, a sujeira, as ruas esburacadas, os aeroportos-favela, as mentiras, a corrupção, o povo preguiçoso e como bem disse o Mino Carta, “Estupidamente festeiro”. Nos vemos no bloco dos Cubanos no Carnaval.

    • Marco

      Olha, boa sorte para os médicos que vierem aqui argumentar.
      O texto está tão tendencioso, tão com vontade de amaldiçoar os médicos, que preferi ir atender os meus pacientes do convênio, ou os que eu atendo de graça, hoje já foram 3, e olha que nem é o dia em que faço atendimento voluntário. Boa sorte aos colegas, que já vejo que estão escrevendo bem.
      Gostaria de saber a carga horária da formação do colunista, pra ver se ele faz idéia do que é o tempo de estudo e formação de um médico.
      Ah, acabei de ver que a próxima paciente minha, aqui, é também atendimento voluntário.
      Como sou mercenário…

      • eduguim

        Meus textos sempre deixam claro que há exceções na classe médica, mas você, pelo jeito, não passa de um demagogo barato querendo atribuir aos médicos uma conduta humanista que, ao menos os médicos brasileiros, não têm. A maioria é mercenária, desumana, egoísta

  • Antônio Carlos

    Argumentação bem contradizente. Se no interior paga-se fortunas gigantescas sem trabalhar, por que é que os médicos não estão lá?

  • Luis Falavigna

    Respota ao Programa “Mais Médicos”
    Sou médico geriatra: 6 anos de graduação na Universidade Federal do Paraná (UFPR), 2 anos de Residência em Clínica Médica no Hospital de Clínicas-UFPR e 2 anos de residência em Geriatria no Hospital das Clínicas USP-Ribeirão Preto. Trabalho no SUS, trabalho atendendo convênio (de forma terceirizada) e atendo particular. Escrevo na intenção de esclarecer minha visão a respeito da política de saúde adotada principalmente nos últimos meses. Assim, divido o assunto em 7 partes:
    1o) Vinda de médicos do exterior: Partindo do pressuposto de que todos já saibam que o programa “Mais Médicos” já está pronto há 1 ano e meio e que não foi uma resposta às manifestações. Até porque após as manifestações, que tinham como lema “a melhora da segurança, da saúde e que condenava a corrupção”, a presidente Dilma se reuniu com 3 pessoas que nada ajudariam nesse sentido: o marketeiro, o ministro da defesa, e o ex-presidente e atualmente em investigação por improbidade administrativa Lula. Primeiramente, a maioria dos médicos estrangeiros estão também concentrados nos grandes centros. No Paraná, dos 136 médicos do programa “Mais médicos” somente 24 estão em locais onde não havia médico fixo anteriormente. Porém, a vinda de médicos não se justifica. Façamos o cálculo: há 400.000 estudantes de medicina no Brasil; dividindo por 6 (pois são 6 anos de medicina no Brasil… em Cuba é metade), para chegar ao número de médicos que se formarão neste ano, obtemos mais de 66.000 médicos. Destes, aproximadamente 1/3 (pelo menos) atuarão no SUS (em tempo integral ou em parte de sua jornada de trabalho). O número final portanto são de 22.000 médicos. O programa “Mais Médicos” quer trazer em torno de 10.000 médicos do exterior. Veja que a pergunta a se fazer é por quê esses 22.000 médicos brasileiros não vão até as áreas mais carentes do país trabalhar. Essa resposta inclui: a) falta de remuneração, a qual somente é paga nos primeiros meses e, posteriormente, quando o médico recebe, o pagamento vem com atraso; b) falta de carreira de médica (o presidente do CFM somente aderiu ao programa, pois lhe foi prometido que haveria carreira de estado para o profissional médico, o que não foi feito!); c) contrato sem carteira de trabalho ao qual o programa “Mais Médicos” da mesma forma assim o realiza; d) falta de estrutura para o trabalho. Este merece um tópico só dele, mas antes quero denunciar de que médicos brasileiros continuam sendo substituídos por aqueles do programa “mais médicos” (tenho diversos relatos comprovados).
    2o) Infraestrutura: Após o atendimento médico, em média cada médico solicita 5 exames de sangue e 1 de imagem para o paciente. Aproximadamente, a demora do Raio-X é de 1 mês, da ultrassonografia é de 4 meses, da Tomografia de 8 meses, e da ressonância de 1 ano. Se houver mais atendimentos médicos sem primeiramente a melhora da infraestrutura, o que ocorrerá é que a demora para a realização de exames será duas vezes mais lenta, ou seja, uma Tomografia, por exemplo, demorará mais de 1 ano e meio para ser realizada. Este exame é muito importante na detecção de diversos tipos de câncer. Nesse contexto, a demora no diagnóstico irá dobrar! Repassando a culpa unicamente para os servidores da saúde, o governo aprovou uma lei que obriga o início do tratamento do câncer em até 2 meses após o diagnóstico. O problema é que para a realização desse tratamento é necessário aumentar o numero de vagas no ambulatório dos hospitais, assim como o número de leitos. Porém houve redução de 42.000 leitos no SUS nos últimos 7 anos. Só no Paraná foram reduzidos 951 leitos em 3 anos, sendo 94 leitos este ano no maior Hospital do Paraná, o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Entenda o caos que se instaurou na saúde: sem leitos, os pacientes mais graves virão à óbito aguardando leitos. Mas o problema não é só a falta de leitos. Falta fio de cirurgia, falta vacina no posto, falta seringa para administração de insulina, faltam eletrocardiogramas e outros meios diagnósticos, faltam medicações básicas para hipertensão, diabetes, e tantas outras doenças… enfim, falta infraestrutura. A afirmação, portanto, de que o “problema no Brasil é a falta de médicos” me parece tão absurda quanto dizer que o problema das estradas, avenidas e ruas é por falta de motorista de ônibus, de guardas ou de radares.
    3o) Diferença no tratamento médico de políticos e do povo: Políticos são tratados no Hospital Sírio Libanês e com o nosso dinheiro, pois dispõem de uma verba “astronômica” para isso. Nesse mesmo contexto, vemos as diferenças do tratamento: A presidente Dilma recebeu um medicamento chamado Rituximabe que, hoje, é um dos pilares para o tratamento do Linfoma (espécie de “Câncer” do sistema linfático); porém esta mesma presidente vetou o uso dessa medicação no SUS. Genoíno, Sarney, Lula, Dilma entre tantos outros foram sempre transferidos ao Hospital Sírio-Libanês.
    4o) À respeito do “Exame de Ordem” ao final do curso de medicina: Uma ouvinte no programa da CBN no horário do 12:00-13:00 do dia 04/11/13 referiu que deveria haver uma prova ao final do curso de medicina, tal qual há no curso do exame de ordem da OAB. Veja, essa é a forma de tentar remediar o problema e não ir na cerne dele. É o mesmo que dar cotas em universidades em vez de melhorar o ensino básico. Não se pode dar um diploma médico em qualquer faculdade ou universidade sem que o formando esteja apto para realiza-lo. Aí que está o problema. O governo deve fiscalizar as faculdades/universidades para que isso não ocorra. Caso contrario, teremos “exames de ordem” para engenheiros, pedagogos, jornalistas, arquitetos, matemáticos, geógrafos… Esse não é o caminho. Ainda, o governo diz que aumentará a vaga de graduação em medicina, porém não investiu em mestres e doutores, não deu recursos para a implementação de serviços capazes de formar bons médicos. Traduzindo, haverá cada vez maior porcentagem de maus médicos no Brasil.
    5o) Má Gerência dos Recursos: Em 2012, houve a maior redução de verba justamente na saúde com corte de 5,47 bilhões da saúde o que equivale a 6% da verba aprovada pelo congresso. Isso após derrubar, pela emenda constitucional no 29, a destinação de um percentual mínimo da receita para saúde, ou seja, eles cortaram parte do mínimo repasse que deveria ser feito para a saúde! O que já era pouco, ficou menor ainda. Só para constar o segundo maior corte foi na educação.
    6o) Exame do “Revalida”: Este exame tem o único objetivo de promover a segurança da população ao trazer médicos estrangeiros, ao querer provar que estes estão aptos, no referente a conhecimento, para tratar dos brasileiros. A maior falácia foi o discurso do ministro Padilha ao dizer que “os médicos estrangeiros não podem fazer o revalida, pois senão eles poderão atuar em qualquer lugar do país e não somente onde queremos que eles atuem, onde a população mais precisa”. Isso é o mesmo que dizer que somente poderei contratar um empregado por tempo determinado se eu não entrevistá-lo! Veja o absurdo da declaração. A forma, maneiro e onde eles vão trabalhar é definido através de contrato e não através de uma prova de conhecimentos. Esse argumento é tão absurdo que não sei nem como a mídia realmente divulgou a declaração citada sem nem rebatê-la. Quando aplicada, a estudantes brasileiros do sexto ano de medicina, 70% passa na prova, contra menos de 10% dos estrangeiros. Neste ano, dos 1.595 médicos estrangeiros que prestaram prova do Revalida, apenas 155 (9,7%) passaram. Isso nos traduz que muitos não apresentam a habilidade mínima exigida.
    7o) Quem responderá pelo erro do médico do programa “Mais Médicos”: Esse é um assunto muito ardiloso. Após constatado o erro de um médico estrangeiro, quem será o responsável? E se ele voltar ao seu país sem responder judicialmente?

  • DANIEL

    Jornalismo barato. É claro que a situação descrita pode ocorrer em um local ou outro mas o caro jornalista mostra-se completamente tendencioso. Não realizou nenhum contra ponto…assim fica fácil escrever….reportagem superficial…mestre do disfarce.

  • Adriel Gracco

    Fico profundamente triste em ver uma reportagem como essa. Sou médico há 11 meses, recém formado por uma faculdade federal, vejo os meus pais, que trabalharam toda a vida como feirantes ainda suarem, mesmo após eu ter conseguido realizar o meu sonho. Atualmente trabalho como médico temporário do exercito e presto assistência ao SUS, através de plantões em CAIS e SAMU. E antes que me atirem pedras gostaria de chamar a cada um dos que me chamaram de mauricinho a comparecer a uma das unidades onde trabalho. Que tal? Em apenas alguns minutos já consigo lhes mostrar que mesmo trabalhando numa CAPITAL, existem medicações vencidas, falta respirador (aparelho que permite a respiração de pacientes inconscientes), e também mostro diversos pacientes que estão aguardando vagas de UTI… A reportagem acima cumpre a função apenas de manifestar a sua opinião através da crítica. Fala de uma infra-estrutura que se quer ela mesma viu… Ao contrário do que vc acha meu jaleco está sujo de sangue, já constatei alguns óbitos , alguns por falta de exames que pudessem comprovar um câncer de forma precoce, e dessa forma me sinto completamente desmotivado. Acusar por acusar é muito fácil,, mas estar na nossa pele na hora de dar a notícia de uma morte a uma mãe , todos olham para nós… Infelizmente com tão pouco tempo de formado , já começo a perceber que o Brasil não valoriza quem se capacita. E a população adora ser manipulada 1 ano antes das eleições

    Viva o marketing eleitoreiro. Destruir uma classe trabalhadora. Para se ganhar uma eleição. Esse é o PT.

  • Agnes Clini

    Minha pergunta: você é médico? Já trabalhou no interior? Se não, então acho que vc não tem condição de saber exatamente o que acontece. Eu sou médica e após 9 anos de formada, com residência em especialidade médica resolvi ir para uma pequena cidade do interior, almejando uma qualidade de vida melhor. Passei 4 anos nessa cidade, onde no inicio até material médico tive que comprar para paciente SUS. Sem reembolso! Bem, depois de quase seis meses sem salário da Prefeitura municipal, resolvi voltar, e sim depois de 16 anos na justiça consegui receber os salários atrasados! Por mais que se tenha amor a profissão, tudo tem limite, precisamos criar e educar nossos filhos, de preferencia com as mesmas ou melhores condições que fomos criados. Hoje tenho formação também em direito, conheço promotores, juízes, e funcionários do tribunal, que ganham do Estado muiiiiiito mais que qualquer médico, com vínculo trabalhista estável, plano de carreira e outras regalias, e são tratados pela sociedade com muito mais consideração e respeito. Por que?! Porque sua profissão não está sendo deturpada, destruída pela mídia, que mostra o que acontece com uma fração mínima de maus profissionais existentes em todas as categorias. Médicos até podem ganhar bem, mas para isso trabalham muiiito, se desgastam física e emocionalmente. A maioria de nós não sabe o que são todos os fins de semana livres, noites sempre em casa, natal, ano novo e carnaval sem trabalhar. Já pensaram nisso?!

    • eduguim

      Acredito que existam médicos decentes, mas a maioria de vocês cresce ouvindo do papai rico – só rico se forma médico, no Brasil – que irá ganhar muito dinheiro na profissão – e irá mesmo. Assim, crescem com essa mentalidade mercenária que 90% dos brasileiros, segundo as pesquisas, condenam