O tucano que iluminou o Brasil

Opinião

Semler

 

 

Ricardo Semler tem o perfil tucano padrão. Rico, 55 anos, paulista, empresário de renome, é hoje vice-presidente da Fiesp, além de CEO (executivo-chefe) e sócio majoritário da empresa Semco S/A. E não tem apenas perfil tucano; é filiado ao PSDB. E das antigas. Filiou-se quando Franco Montoro presidia o partido.

Semler tornou-se conhecido por ter implantado em sua empresa fórmulas inovadoras de gestão empresarial. Sob sua gestão, o faturamento da empresa subiu de quatro milhões de dólares em 1982 para 212 milhões de dólares em 2003.

A revista TIME elegeu o executivo paulista como um dos “100 Jovens Líderes Globais”, em 1994. O Fórum Econômico Mundial também o apontou em trabalhos semelhantes. Foi exaltado como gestor pelo Wall Street Journal – como “Empresário do Ano na América Latina”, em 1990, e “Empresário do Ano no Brasil”, em 1992.

Semler formou-se em Direito na USP e estudou Administração em Harvard. Além disso, escreveu livros que se tornaram sucesso em vendas no Brasil e exterior.

Na última sexta-feira (21), o empresário surpreendeu o país com um artigo no jornal Folha de São Paulo na linha super sincero. No texto, reconheceu que, apesar da gritaria hipócrita entoada hoje sobre corrupção – sobretudo na imprensa –, nunca se roubou tão pouco neste país.

O artigo em questão se espalhou como fogo e provocou polêmica apesar de não conter novidade. Tivesse sido escrito por um petista ou mesmo por um cidadão sem coloração partidária, teria passado batido. O que fez o texto repercutir tanto foi o fato de seu autor, declaradamente tucano, contrariar o discurso de seu partido.

O artigo de Semler gerou polêmica a partir do título: “Nunca se roubou tão pouco”. Dali em diante, sem abrir mão do discurso tucano contra o PT – de que, ao longo dos governos Lula e Dilma, houve corrupção e barbeiragens na economia –, o empresário tucano demonstrou que é possível defender as próprias bandeiras políticas e ideológicas sem cair no mau-caratismo.

O discurso de Semler em um texto literalmente antológico e que, a esta altura, quem se interessa por política com certeza já leu, se fosse entoado por Fernando Henrique Cardoso faria dele alguém que seria respeitado pela maioria, em vez de repudiado.

Infelizmente, à diferença do correligionário no PSDB, FHC se entregou à politicagem mais barata que se possa conceber, causando surtos de indignação quando se dá ao desfrute de fazer acusações de corrupção aos adversários políticos. Justamente ele, FHC…

Alguns dirão que Semler se contradiz porque reconhece que a corrupção desbragada que existia antes de o PT chegar ao Poder também existiu no governo federal de seu partido e, à diferença de hoje, não foi investigada.

Pela lógica binária, portanto, se o empresário reconhece que sob o PT a corrupção diminuiu, em vez de ter votado em Aécio Neves deveria ter votado em Dilma Rousseff. Este blogueiro, porém, entende que cada um tem o direito de votar de acordo com seus próprios interesses.

Explico: apesar de achar que os empresários brasileiros estarão mais bem-servidos por um governo que não joga nas costas do povo o preço da crise internacional, pois assim esse povo continuará movimentando a economia, Semler vive entre os ricos empresários paulistas, relaciona-se com eles, faz negócios com eles e com o resto do mundo capitalista. Por certo, não seria bem aceito em seu meio se fosse filiado ao PT, ao invés de ao PSDB.

Também dirão que Semler poderia não integrar partido algum. Mas como, se tem uma visão política tão clara e saudável como a que demonstrou em seu artigo?

Em minha visão, Semler é mais útil ao país sendo filiado ao PSDB do que ao PT. Por que? Simplesmente porque constitui uma reserva de sensatez e espírito público em uma agremiação que vem se perdendo em hipocrisia e cegueira política, ideológica e social.

Trocando em miúdos: ter gente como Semler dentro do PSDB ajuda a impedir que o partido piore ainda mais, mesmo que esse empresário provavelmente tenha pouca influência junto às hostes tucanas.

Ao ler o artigo de Semler, é quase impossível não sentir-se tentado a ser tão sincero e isento quanto ele. Aliás, sempre digo que isenção é para poucos – e sempre para os mais lúcidos e inteligentes.

Nesse aspecto, nós – blogueiro e leitores concordantes ou discordantes – que vivemos a política tão intensamente sentimos uma ponta de constrangimento porque estamos a anos-luz de sermos capazes de gesto igual ao de Semler.

Aliás, para um simpatizante ou um filiado tucano é muito mais fácil ser sincero, neste momento, do que para um equivalente petista, pois o governo recém-eleito de Dilma Rousseff está sob ameaça de golpe “paraguaio”, de modo que quem não se dá ao luxo da sinceridade de reconhecer as falhas do PT, como o empresário reconheceu as do PSDB, é porque sabe que não dá para ficar criticando o partido do governo sem ajudar aqueles que querem estuprar a democracia e jogar fora os votos de 54 milhões de eleitores.

Contudo, façamos uma concessão ao que chamo de o bom PSDB, ou seja, o PSDB que não existe mais, o PSDB daquele que Semler disse que assinou sua ficha de filiação ao partido, Franco Montoro, ou o PSDB do inesquecível Mario Covas.

Lembro-me de Montoro em 1982, lutando contra Reinaldo de Barros, candidato de Paulo Maluf ao governo de São Paulo, em um debate da campanha eleitoral para governador, naquele ano – a primeira eleição de governador após a ditadura.

O filho de Montoro André, é uma decepção. Politiqueiro, incapaz de um mísero gesto de sinceridade. Mas o pai, ah, o pai… Franco Montoro era daqueles políticos que já não se faz mais, assim como Mario Covas.

Mesmo os mais jovens devem se lembrar de Covas, em 2000, quase consumido pelo câncer interrompendo o tratamento derradeiro para apoiar Marta Suplicy contra Paulo Maluf no segundo turno da eleição para prefeito de São Paulo apesar de seu candidato, Geraldo Alckmin, ter sido derrotado no primeiro turno.

Aliás, lembro-me de Covas, na campanha a governador de São Paulo em 1998, sendo traído por FHC, que apoiou Maluf escancaradamente contra um correligionário. Quanta diferença entre Covas e FHC…

FHC Maluf

Aliás, votei em Mario Covas algumas vezes. No primeiro turno de 1989, pois então eu achava Lula “muito radical” – apesar de que votei no petista no segundo turno, contra Collor –, e quando a escolha foi entre o mesmo Covas e Maluf.

E, em 1982, é claro que votei em Montoro contra Reinaldo de Barros.

Semler resgatou o PSDB decente e social-democrata que poderia existir, mas que foi corrompido por FHC e se tornou a excrescência que é hoje. Um partido ligado à extrema-direita e povoado por ricaços insensíveis, racistas e egocêntricos.

Quanto ao PT, Semler tem lá sua dose de razão. Rendeu-se ao establishment, em grande parte. Mas enxergo que o fez porque não havia alternativa – ou melhor, havia: entregar o país a uma direita das piores que há no mundo.

Apesar de o PT ter admitido gente como um André Vargas em suas fileiras, apesar de ter apelado ao mesmo caixa 2 que o PSDB e todos os outros partidos sempre apelaram, ainda é o partido que tem a proposta mais aceitável para o país.

O que me leva a apoiar o PT tão decididamente – e estou certo de que Semler entende motivos como o meu – é que, apesar dos pesares, o partido tem uma proposta invencível: divide melhor os sacrifícios que o país tem que fazer.

Por fim, um tucano iluminar de forma tão digna e decente o país, como fez Semler, permite-me fazer uma concessão à sinceridade: talvez devamos, tucanos, petistas etc., refletir que ninguém é necessariamente bom ou mau só por ser petista, tucano, corintiano ou palmeirense.

*

Leia, abaixo, o artigo antológico de Ricardo Semler publicado na Folha de São Paulo de 21 de novembro de 2014

 

semler 1

114 comments

  • Um texto essencial mesmo. E se o Semler pode não ser representativo entre os caciques do tucanato, com certeza representa a elite econômica esclarecida do país. Que é tucana, não gosta do estatismo do PT e votará sempre contra o PT.
    Só que é responsável e não aceita ser conduzido pelos hidrófobos do PSDB, que são incentivados pelo caquético recalcado do FHC. Sabe que se essa insensatez de golpe paraguiao for levado adiante, dificilmente vão impedir a Dilma, que não é nenhum Collor, mas paralisarão o país, perdendo todo mundo, inclusive ele, um empresário atuante.
    Creio que é um aviso, Edu, para seus correligionários, e para quem, como ele, não gosta do PT. Baixem a bola, vamos respeitar a democracia, que em 2018 a gente chega lá. É um recado direto para a oposição partidária, e na sociedade, e claro, para o pig.

    • FHC e apenas um capataz do capitalismo americano, consequentemente traidor da PATRIA AMADA BRASIL Principal facilitador da corrupção deste pais. As regras da moralidade desapareceram quando ele era presidente da república.

  • O pessoal anda revoltado com a escolha de Katia Abreu para o ministério da Agricultura, mas particularmente eu não vejo problema, levando conta hoje em dia ela está na base aliada. Os critícos falam como se ela ainda estivesse no DEM

  • Pelo menos tem alguém sensato no ninho tucano. Que se multiplique e tome de conta deste ajuntamento da direita e o reoriente, para que tenhamos uma oposição decente e sensata. O País só terá a ganhar com isso.

  • Além de Semler, temos ainda o tucano Bresser Pereira. São exceções do PSDB e que precisam ser ouvidos. O texto de Semler merece uma reflexão dos leitores, sejam de que partido forem! Leitores que não tenham ódio no coração e pensam no Brasil!

    • Talvez os dois nomes citados possam ser ex-tucanos hoje, o Bresser não se considera mais tucano, pois o PSDB se tornou um partido de direita. Quanto ao Semler, ele ainda vai afirmar que não concorda com o PSDB direitista e reacionário que dos dias atuais.

    • Comunicação!!! Eis o calcanhar de Aquiles do PT de hoje. Após tudo o que aconteceu desde a AP 470, está mais do que na hora de a alta cúpula do PT convocar ”todos” os empresários desse país, pois tenho certeza de que a mesma maneira que Semler, muitos têm muito a dizer; e ao PT de ouvir, claro, sem perder o norte, mas para finalmente pagar a chave do castelo, que é o desejo de todos brasileiros com ”B” maiúsculo.
      Douglas Quina
      Mogi Guaçu – SP
      -”Amigo do Sr. Jasson, outro grande Brasileiro que mora em minha cidade”

  • Eduardo, no Roda Viva de 1990 o Semler foi entrevistado e já falava das empresas corruptoras, das relações incestuosas empresariado-governo e dos fiscais corruptos, ele mesmo montou um flagrante para prender um fiscal. Ele se recusava a pagar propina. Num trecho interessante ele fala que a sua empresa passou a funcionar “sem ler jornal” porque se fosse se guiar pelo sobe-desde dos índices ia ficar maluca, rs. http://www.rodaviva.fapesp.br/…/ent…/ricardo_semler_1990.htm

  • Edu, li ontem o texto e gostei muito e vejo que nem tudo está perdido.
    Em todos os quadros existem pessoas das mais diversificadas posições éticas e
    isto é inerente ao ser humano. O FHC, o Aécio e o Serra pertencem aos quadros
    mais nocivo para a sociedade e todos os três já mostraram a que vieram. O Lula
    e a Dilma são o vírus que vieram para transforma, para melhor, a nossa sociedade
    e radicais de qualquer lado tende ao desaparecimento. O equilíbrio é o caminho.

  • Muito sensato. Mesmo porque não há democracia sem oposição. FHC, obcecado pela volta dele próprio à ribalta, não pára de pregar alternância de poder. Ora, ele conta com todos os instrumentos deletérios para retornar ao poder, dentre eles o PIG oligopolizado e o dinheiro das empreiteiras e de empresários de visão caolha que flue a rodo para as propostas que o pseudo partido que encarna leva adiante, partido que na atualidade comprova-se como sendo extrema direitista e sobretudo entreguista. Mas, alternância em uma democracia é pelo voto e não pelo golpe. E a maioria do povo, apesar dos Marinhos, Frias, Mesquitas, Cívitas e todos os seus cinturões de asteróides, não confia nos Partidos dos Lobos, Hucks, Necas, Fhc/ Cerras/ Aloysios/Aecios e CIA.
    Se o PT tiver que ser apeado que seja para melhor e pelo VOTO. Além disto, fica a pergunta: o que se passa com as propostas da oposição que são tão nebulosas e inverídicas? Quando o povo, o qual já não é tão bobo, confiar nas propostas desta oposição que temos, a mesma ascenderá ao poder, legitimamente. Até lá os tucanos terao que deixar de servir água de esgoto tratado aos seus eleitores e os seus espasmos serão ilegítimos. Entendo que está pseudo oposição começa a repensar o próprio papel, o que é saudável. Sair de uma velha política para um novo caminho, com competência e sem a falácia marinista, inconsistente e utópica. Uma tal postura tende a elevar o nível do debate dos dois lados, o do governo e o do seu oponente. Parabéns Edu, pela visão que demonstra neste post. O Brasil tem que dar certo.

  • Ótima análise, Edu. Concordo integralmente com você, até na questão de não me permitir fazer críticas públicas ao PT, pois só as faço com quem tenho certeza que entenderá o que eu disser. Atualmente, são poucas essas pessoas.
    Está difícil, cada dia mais, encontrar pessoas que façam um juízo político ponderado, com base sólida. Isso é um claro reflexo da despolitização em parte causada pela mídia, e nunca defendida em uma postura combativa por parte do meu partido como um todo. Pequeno desabafo.
    A propósito, alguma das suas fontes sabe sobre a veracidade da indicação da Kátia Abreu para o Min. da Agricultura? Espero, ansiosamente, que seja mais uma barrigada da mídia.

  • Quando Cantanhêde foi demitida, junto com o Fernando Rodrigues, eu interpretei como um gesto de diminuição do tucanismo no jornal. Ao publicar este artigo do Semler, eu tenho mais certeza ainda da minha análise. Por certo, a Folha já tinha publicado coisas divergentes do tucanismo , mas o artigo do Semler é uma forte ruptura a uma narrativa hipócrita e surreal ( por conveniência, claro) construída pelo consórcio mídia/PSDB ao longo dessas décadas. Para mim, foi uma bomba atômica em cima do partido e dos seus teleguiados. Então, se formos aplaudir o Semler por ter dito o que disse, teremos que aplaudir à Folha de São Paulo por ter publicado e disseminado. Não deveria ser motivo de aplauso uma pessoa ser sincera e um jornal publicar uma opinião divergente com tamanho alcance, mas se tratando do PSDB e do PIG que conhecemos, com certeza é um avanço.

  • Nada mal Eduguim, nada mal mesmo!

    Tenho plena concordância com você. Só porquê sou petista isso não significa que eu não tenha o direito de criticar aqueles a quem votei. Aliás, mesmo que se goste de alguém, isso não é desculpa para não se poder criticar. Não dá para se gostar de alguém que não suporta um critica simples (do tipo bem pequena mesmo).

    Dito isso, vou deixar minha crítica para a escolha do ministro da Fazenda: Não gostei muito, mas podia ser pior.

    Quanto à escolha da Kátia Abreu para a Agricultura: ela não tem muito apreço pelos movimentos sociais, mas tenho a impressão de que não irá deixar nada murchar. Considerando que os ruralistas estavam gritando muito alto, sinto que ela será capaz de pelo menos acalmar os ânimos, por enquanto. A escolha dela para o ministério foi política, não tenho dúvida, mas isso não significa que eu a ache ruim, mas ficarei atento.

    • No caso da latifundiária Kátia Breu, a escolha dela foi estrategia de Dilma, dar um passo para trás para avançar mais adiante. Pegar uma aliada não tão confiável e dar um ministério para acalmar os latifundiários. Ao mesmo tempo o Governo Dilma vai fazendo com que a latifundiária Kátia Breu aprenda um pouco de ideias progressistas e assuma um pouco dessas ideias.

      Ninguém gosta de dar um passo para trás depois que avançou, muitas vezes devemos retroceder para avançar depois. É isto que o Governo Dilma está fazendo neste momento. Mas é necessário que o Governo Dilma tenha uma comunicação mais direta e constante com o povo, é necessário também que ela tome medidas para diminuir as forças do PIG (o corte nada republicano das verbas publicitárias, cortando só as que se direcionam ao PIG, pode ser um caminho a ser seguido).

  • Procuro não olhar pelo prisma dos “bons e maus” nas Relações de Classes.
    Porém a falta de caráter, em sentido restrito a desonestidade, parcialidade e
    hipocrisia, está presente em todas as classes e suas agremiações. E tudo isto
    vêm sendo cultuado e estimulado através do ódio , preconceito e da “Apolítica”.

  • Edu,
    O título deveria ser este, “Virando a mesa da hipocrisia”, em alusão ao seu revolucionário livro!
    Creio que muitos dos blogueiros conhecem Ricardo Semler, empresário genial, que foi roqueiro, e que escreveu o extraordinário livro, “Virando a própria Mesa”, que conta suas experiência na empresa que herdou, SEMCO!
    Tive a sorte de ler este livro, lá pela década de 80, se não me engano, quando foi lançado, aprendí muitas das suas experiências com operários da sua empresa, e até tentei aplicar sua ideias na empresa em que trabalhava.
    O que escreve acima desmistifica o bla-bla-bla da direita “honesta” e “ética” e do capitalismo “santo”!
    Espero que muitos tucanos e outros aprendam com ele, neste texto maravilhoso!

  • Tem a estória do sujeito que morreu e foi para o Céu.

    Lá em cima parecia que a sociedade era mais igualitária até que um dia percebeu um burburinho, uma algazarra danada, daí perguntou pra um anjo que ia passando qual seria o motivo de tanta euforia e como resposta ficou sabendo que o céu estava em festa porque acabara de chegar a alma de um homem rico.

    O sujeito tomado de enorme desalento disse: – Ora, pensei que o Céu fosse diferente da Terra, mas pelo visto, aqui também os ricos são paparicados.
    E o anjo: – Acontece, meu amigo, que rico vir para o Céu é tão raro que quando acontece fazemos festa por muitos dias.

    É por aí…

  • NÃO É SÓ UMA COISA. É OUTRA COISA TAMBÉM

    Opinião diversa desse petista enrustido tem, por exemplo, o NYT, que considera o Petrolão como o maior escândalo de corrupção em países democráticos no mundo moderno. Como o apoio entusiástico de 51 milhões de brasileiros que não votaram na manutenção desse sistema corrupto de desgoverno.

    Além disso, o petista enrustido deveria ter em mente que não se trata apenas do saque sem precedentes que o Partido dos Mensalões vem praticando, mas, também, do fato de que esse saque não é só para enriquecimento ilícito. Ele é, também, e aí que mora o perigo maior, para subverter o Estado Democrático de Direito, transformando-nos numa republiqueta comunofascista bolivariana.

    • Ahahahaha!
      O NYT “considera” o “petrolão”, é, minha nega?
      O mesmo NYT que “considera” o Putin responsável pela derrubada do MH17?
      Ahahahhaha!
      Cara, você já é tão incompetente utilizando-se da mídia nacional e ainda tem topete de citar a MSM internacional?
      Ahhhhh, vira latas, vai cuidar das tuas feridas, vai, nega. Não te metas onde não entendes.
      Não adianta, indigente, citar o WaPo, WSJ, BBC, Die Welt e outros lixos pra mostrar que é “informado”. Ahahahaha!
      Sei que a falta d’água te traz pruridos e que ficas irritadiço com o desconforto e aumentas a quantidade de besteiras por conta disso. Te perdoamos, mas avia-te.
      Continua a ler Veja que já é o máximo que consegues: não vá o sapateiro além do sapato.
      Fracassado e impotente…uma combinação devastadora.

  • Eduardo. Parabéns pela bela análise do texto do Sr. Ricardo Semler. Seria muita pretensão ver no, domingo a noite, no programa líder em audiência da principal emissora de TV onde geralmente se repercute o que a Folha publica na semana criticando falhas das administrações petistas repercutir o terceiro e os dois últimos parágrafos deste artigo com comentários elogiosos chamando a atenção dos telespectadores para o que diz o lúcido empresário?.

  • É, ROUBA.

    Essa ideías de que o Partido dos Mensalões “não róba nem dêxa robá”, de que “rouba pouco”, de que “rouba, mas faz”,de que “rouba para o bem dos pobres e oprimidos”, de que “rouba, mas os os outros também roubam” são tipicamente petralhas.

    Tudo indica, então, que o “pretenso” tucano deve ter contraído o vírus que já contminou milhões de petralhas: o “É, rouba”.

    • Gostaria de uma vez na vida vê-lo argumentar. Sua xingação tenta disfarçar a falta de argumentos para demonstrar que a corrupção aumentou, quando os dados citados por Semler mostram o contrário

      • Liga o mata burros eletrônico, Edu.
        Sei que é falta de banho, mas o cara tá muito assanhadinho: tá postando direto.
        E só asnices, pra variar.

        Gostei do artigo, se bem que o Covas…acho que toda bandalheira PSDBista começou com ele e com o dono da Tejofran em São Paulo e Campinas.

  • Olha que curioso:dentro do PSDB,não tanto é verdade,há filiados como um Ricardo Semler e não se ver ninguém além dos “arroz de festa” já conhecidos tais como serra,Aluisio Nunes,FHC,Aécio,Alkmin,Roberto Freire(é tucano.Serviçal,é verdade) e as hostes de pára-jornalistas a defendêlos.Mas renovação que é bom,nada!até porque os caciques não deixam espaço para tal.
    O PT que apesar dos acordos esquisitos que faz para tornar possível a governabilidade com gente de ética suspeitíssima tem nos últimos anos apresentado jovens como Fernando Haddad,Alexandre Padilha e outros que levarão a bandeira da distribuição de renda,da justiça social por muito tempo.
    E após essas operações da Polícia Federal que colocaram nas manchetes e na cadeia os Grandes Corruptores com todo o constrangimento que talvez eles jamais pensariam passar poderá e será o divisor de águas que colocará a hipocrisia de lado e novos métodos de se fazer política surgirá.Se o Judiciário de rabo preso e Políticos de moral execrável não atrapalharem,´claro!

  • Eduardo.
    Vejo que devo aplaudir duas situações; o artigo do Semler e suas análise.
    Parabens.
    Gostaria de ter alguns “Semler” no PT.

    PS: porque devemos aturar AINDA um lucas daniel vomitando asneiras aqui?
    Com tantos blog “limpinhos” por ai e nos vem esse “respeitável senhor” a
    nos brindar com tanta verborragia?

  • Prezado Eduardo Guimarães,

    Esse texto do Ricardo Semler diz verdades , mas não diz novidades.

    Você, o Azenha, o Kotscho, o Fernando Brito e outros estão divulgando esse texto, como se nele houvesse algo estrondoso.

    Não há.

    Você é home de comércio e sabe que praticamente não há licitação sem corrupção.

    Isso não é nenhuma novidade.

    Pode ser que haja algum pregão ou leilão sem corrupção. Notadamente para aquisição de material corriqueiro.

    A modalidade concurso é específica para a contratação de artes e de material científico e pouco influencia, porque não envolve valores expressivos.

    Mas, de convite para cima ( convite… tomada de preço e concorrência ) a coisa é escabrosa. principalmente em obras de engenharia.

    Eu sou engenheiro há mais de trinta anos e trabalhava com licitações para a antiga Telebrás e para um único grupo de órgãos que eram as procuradorias.

    Até nas procuradorias, a empresa vencedora tinha e tem que contribuir, pagando ao “operador” algo assim que recebe.

    O Estado está todo loteado entre empresas que não deixam outras entrarem e o jogo é pesado. Quem “fura” corre dois riscos… o risco de ser fiscalizado com extremo rigor e / ou o risco de ser ameaçado.

    Quem “fura” esquema só recebe com meses de atraso.

    Nas licitações estaduais , a coisa é pior ainda.

    Mas, o estranho é que os Semler já foram grandes corruptores na década de 1970, quando o Brasil era o segundo maior estaleiro mercante do mundo. Eles fabricavam bombas hidráulicas ruins e conseguiam colocá-las nas embarcações , por forte pressão dos militares, com lucros elevadíssimos.

    Ricardo Semler não virou mesa alguma, porque escreveu o livro em operação “casada” com a percepção de grande capital judeu estrangeiro, fazendo com o que o faturamento da SEMCO saísse de 4 milhões de dólares e atingisse mais de 200 milhões de dólares em pouco tempo.

    O texto de Semler tem por objetivo trazer um ar de lisura ao PSDB. Nada além disso.

    Mas, muito provavelmente a SEMCO contribuiu , e muito, para a panfletagem contra a Dilma, durante a copa. Ajudando a Multilaser a fazer o serviço sujo, juntamente com os Civita e outros.

    Quem conhece o Ricardo não o compra.

    Você, que é blogueiro experiente, tente fazer uma entrevista, colhendo-lhe a opinião sobre a necessária e constitucional “auditoria da dívida pública”.

    Ou… por que será que ele não tece comentários sobre as atitudes nada republicanas do PSDB no Congresso ? E quanto à privataria, o que os Semler têm a dizer ?

    Rentistas, os Semler estão no rol das tais 15 mil famílias que rateiam diariamente a “bagatela” de DOIS BILHÔES DE REAIS só de juros. É muito dinheiro, Eduardo. É esse o valor que o Estado depreende todos os dias.

    Ricardo Semler não é nada diferente daqueles que fazem a bolsa desabar, quando um candidato petista sobe nas pesquisas, alimentando a especulação midiática.

    Portanto, ainda que o texto traga verdades, eu sou contra ao enaltecimento desses tipos. Notadamente, em Blogs que ajudam a população a reconhecer a necessidade do debate político de viés nacionalista.

    ———————————————–

    Com relação à internação da sua filha, conte comigo… inclusive se precisar de algum dinheiro… Não sou um Semler, mas estou disposto a ajudá-lo naquilo que estiver ao meu alcance.

    .

    Saúde e paz é o que eu lhe desejo. Cabeça fria , muito carinho para a sua filha e tudo dará certo.

    Valeu.

    ========================================================================

    • Brilhante análise, Sergio Govea. Só por causa desse “segundo de lucidez” do Sr. Ricardo Semler não vamos partir para o endeusamento da figura.

    • Ricardo Semler com esse artigo atiçou parte da extrema-direita.

      O referido empresário tucano pode não ser grande coisa. Não ponho a minha mão no fogo por ninguém.

      Seu artigo, entretanto, espalhou-se como fogo em mato seco.

      Ele teve o mérito de divulgar o que muita gente sabia, mas era objeto de boicote de uma mídia parcial e partidarizada.

      Por ser tucano de carteirinha não pode ser acusado de ser governista. Daí o impacto causado entre aqueles que estão esperando vencer as eleições no tapetão e no terceiro turno: aqueles que passaram a pedir intervenção militar; aqueles que passaram a acusar os nordestinos, pobres e negros por terem votado na Dilma.

      Não sei de onde apareceu esse Sergio Govea.

      Vi apenas seu comentário no Tijolaço do Fernando Brito.

      Ao contrário de rebater o Ricardo Semler com argumentos, esses senhor Govea partiu para o mais puro preconceito. Seu primeiro comentário contendo a frase “Não confie em judeus” foi suprimido pelo Fernando Brito.

      Não contente, voltou a comentar e a repetir a mesma frase, além de ter agredido o Fernando Brito por este ter suprimido seus primeiros comentários.

      Se o Fernando Brito não suprimir também este comentário, típico do discurso de ódio, ele poderá ainda ser encontrado no link abaixo:

      http://tijolaco.com.br/blog/?p=23197

      Esse senhor Govea, no melhor estilo Marco Feliciano, acha que tem o direito de não gostar de judeus, assim como este pastor se acha no direito de não gostar de gays.

      Enfim, se ele gosta ou não gosta de judeus, gays, negros, nordestinos, pobres, petistas, ou se é a favor da volta dos militares, é um direito que ele tem. A propagação do discurso de ódio, entretanto, ultrapassa esse direito.

      Racismo e a sua manifestação pública, no Brasil, é crime.

      Aqui no blog do Eduardo Guimarães ele está mais contido.

      Para mim, entretanto, não passa de mais um troll de extrema-direita inconformado com o resultado das eleições. Um desses que resolveram sair às ruas agredindo todos aqueles com os quais possui divergências políticas, sociais, sexuais, religiosas, regionais. Muito provavelmente, é mais um provocador.

      • José Antônio,

        Eu não vou transformar o Blog do Eduardo em Fórum de debates interpessoais em respeito a todos e em respeito ao próprio Eduardo. E até em respeito a você.

        Mas, fui citado e entendo ser cabível a defesa no mesmo ambiente e com a mesma publicidade.

        Eu mantenho tudo o que eu escrevi . Aqui e lá.

        E o que eu escrevi não se configura como sendo discriminação injuriosa:

        1) porque externar desconfiança em relação a alguém ou em relação a algum grupo não configura crime de ódio (não se enquadra na lei 7.716/89) e nem é tipificado como injúria e/ou, calúnia e/ou difamação;

        2) as atividades de certos grupos lastreiam , com fatos, sentimentos de desconfiança. Aliás, de profunda desconfiança.

        A supressão do meu comentário, naquele Blog, apenas mostra que há Blogs (evidentemente que não todos) que querem a democratização da liberdade de expressão apenas para si, replicando exatamente o que se vê na grande mídia. O dono do Blog mencionado suprimiu o meu comentário sem qualquer embasamento que não fosse um outro comentário que questionava a assertiva “não confie em judeus” .

        Dentro daquele texto, eu fiz a devida ressalva de que não se trata de generalizar. Eu mencionei as tais “honrosas exceções” e expliquei, didaticamente, os porquês de não pactuar com as “auras de honestidade” , contidas no texto do Ricardo.

        ===================

        Pela lei de Moisés, filho de ventre judeu é judeu. Portanto Tarso Genro é judeu.

        Eu confio em Tarso Genro…. Mas, foi a Associação Israelita do Rio Grande do Sul que lavrou , com todas as letras, que os judeus não confiam em Tarso Genro.

        E qual foi o motivo para que Tarso tenha sido expurgado da comunidade judaica ? Leia você mesmo, Antônio e conclua…..

        http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/08/11/entidade-israelita-do-rs-declara-governador-tarso-genro-persona-non-grata.htm

        E no entanto, ninguém achou algo muito ruim mais essa atitude flagrantemente discriminatória por parte da comunidade israelita , nesse caso, representada pela FIRS.

        Você mesmo, Antônio, não escreveu nenhum comentário, recriminando tal atitude.

        ============================

        Você escreveu sobre a minha pessoa, transcrevo a seguir:

        …. “Ao contrário de rebater o Ricardo Semler com argumentos, esses senhor Govea partiu para o mais puro preconceito. Seu primeiro comentário contendo a frase “Não confie em judeus” foi suprimido pelo Fernando Brito.

        Não contente, voltou a comentar e a repetir a mesma frase, além de ter agredido o Fernando Brito por este ter suprimido seus primeiros comentários.

        Se o Fernando Brito não suprimir também este comentário, típico do discurso de ódio, ele poderá ainda ser encontrado no link abaixo: ” …..

        Se você é pessoa que mantém palavra e quer mesmo saber quem eu sou . Processe-me.

        Faça o tripé processual : Dos fatos, do direito e do pedido. ( artigos 282 e 283 do CPC ).

        Vamos… mostre a todos que você tem absoluta certeza daquilo que escreve contra mim.

        Mostre a todos e a você mesmo que você mantém o que escreve e que eu , provavelmente, o que você chama de troll.

        Sergio Govea Pereira

        Carteira de identidade : 5988 / D CREA DF

        CPF 375 517 367 00

        Endereço comercial : SCLN 411 Bloco E Loja 15 Asa Norte Brasília DF CEP 70866 550

        Você me acusa e o ônus da prova cabe a você.

        Se você não sabe de onde eu venho, permita-me mostra-lhe.

        Diante de todos os meus dados, se você não me processar cairá em descrédito.

        Eu terei todo o direito de concluir que você não é homem sério. Que não mantém o que escreve.

        Eu tenho provas documentais que corroboram cada palavra que eu escrevi e escrevo.

        Desculpe, Eduardo, mas eu tenho que me defender e espero que o Antônio procure um advogado o quanto antes, para defender a confiabilidade pública de judeus como os Semler.

        • Senhor Govea,

          Não quero ficar alimentando trolls.

          Observo apenas que seus argumentos para desqualificar todos os integrantes de uma comunidade, “salvo honrosas exceções”, são bastante infantis.

          Recentemente tivemos noticias da excomunhão de um Padre Católico pelo Vaticano. seu crime: defender gays.

          O Vaticano oficializou a excomunhão do padre Roberto Francisco Daniel, 49, conhecido como padre Beto, de Bauru (a 329 km de São Paulo). O processo de excomunhão começou em abril do ano passado após o padre declarar em entrevistas apoio a homossexuais e a questionar dogmas da igreja.

          http://tools.folha.com.br/print?site=emcimadahora&url=http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/11/1548953-vaticano-oficializa-excomunhao-de-padre-que-defende-gays-em-sp.shtml

          Por raciocínio idêntico ao teu eu deveria dizer para que não confiem em católicos?

          Seu incentivo a que outros participem do seu preconceito, incitando-os a não confiarem em judeus é estabelecer a seguinte equação: judeu=mentiroso=traiçoeiro. Era o mesmo estereótipo empregado na malograda tentativa de se construir o Reich de 1000 anos.

          Não pretendo perder meu tempo processando-o. Se o fizesse, deveria fazer o mesmo com toda a horda de extrema-direita que, inconformada, saiu dos manicômios e perdeu a vergonha nas últimas eleições, passando a clamar pela volta dos militares e a insultar e culpar, pela derrota eleitora, os nordestinos, pobres, pretos, índios, gays e outras minorias.

          Agora, diante de um artigo produzido por um tucano de carteirinha e que chamou a atenção de todos para a grande onda de hipocrisia que assola a mídia desde 2002, seu autor vem a ser desqualificado por … ser judeu.

          Como se FHC, José Serra, Aécio Neves, Álvaro Dias pudessem sempre dizer/escrever o que bem entendem, sem nenhuma contestação, pelo fato de… não serem judeus.

          Que coisa, hein? Esses governos petistas, além de transformarem os aeroportos em grandes rodoviárias, querem transformar o Brasil em uma grande sinagoga?

          Não pretendo, também, defender os judeus. Acho que eles saberão se defender sozinhos, melhor do que eu. Lamento, apenas, que muitos judeus não tenham, ainda, percebido que eles têm sido “defendidos” por gente com as quais seria melhor manter distância. Pessoas como Olavo Carvalho, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo e Rodrigo Constantino, frequentemente se arvoram em “defensores de judeus”. Como são useiros e vezeiros em aplicar o mesmo discurso do ódio, com “defensores” assim os judeus estão muito mal servidos.

          Até Diogo Mainardi, diante do “desconforto” causado por suas observações em relação aos nordestinos, se viu obrigado a pedir desculpas.

          É velho o discurso: “Eu não sou racista, tenho ATÉ um amigo negro (nordestino, judeu, etc)“.

          Sua busca pela tais “honrosas exceções” deveria envergonhá-lo.

          Para cada judeu como Victor Civita, existe um judeu como Vladimir Herzog; para cada judeu como o Barão de Rotschild, existe uma judia como Rosa Luxemburgo; para cada judeu como Silvio Santos, existe uma judia como Iara Iavelberg; para cada judeu como Bernard Madoff, existe um judeu como o rabino Henry Sobel, injustamente abandonado pela Congregação Israelita de S. Paulo por ocasião do lamentável “episódio das gravatas”. Episódio este que Sobel teve a hombridade de assumir que ocorrera não por que estava sob efeito de medicamentos, como anteriormente chegou a ser usado como explicação, mas sim por fraqueza humana, mesmo. Para alguns, a explicação simples seria a de “por ser… judeu”. Para outros, foi uma espécie de vingança pelo papel que Sobel e D. Paulo Evaristo Arns tiveram por ocasião do sepultamento de Herzog.

          Ridículo citar Mark Zuckerberg como “prova” de que não se deve confiar em judeus. Para cada Zuckerberg existem vários Marx, Freud, Einstein, Cesar Lattes… todos “filhos de ventre judeu“.

          Há quem acredite ser de esquerda usando práticas da extrema-direita. Na realidade, não estou tão convencido, assim, que uma pessoa que emprega o discurso de ódio, embora muito bem embrulhado no papel de seda de um comentário, aparentemente muito bem educado, esteja imbuído dos ideais de esquerda e não de direita.

          Dentro desse “educado comentário” vem disfarçadamente uma grande bofetada.

          Sou branco, hetero, ateu, habito o sudeste, mas tenho amigos de todos os credos, raças, regiões e orientação sexual. Tenho mesmo amigos tucanos, o que recentemente tem se mostrado uma prova difícil para mantermos um mínimo de convivência pacífica. E não é por falha minha. O anti-petismo, por força da mídia, se tornou epidêmico e não existe nada equivalente em sentido contrário. Ainda assim trata-se de um debate de caráter político e, da minha parte pelo menos, livre de preconceitos.

          Mas cada ataque generalizado a nordestinos, negros, gays, judeus, muçulmanos, é como se o ataque estivesse dirigido aos meus amigos. Neste momento assumo, por coerência com meus princípios e por lealdade com meus amigos, a identidade de todos eles, e passo instantaneamente a ser nordestino, negro, gay, judeu, muçulmano, o que for.

          Lamento muito que o Blog da Cidadania, nome muito bem escolhido por Eduardo Guimarães, por já ter este blogueiro demonstrado, por diversas vezes, compartilhar desses mesmos ideais, esteja sendo usado como plataforma para o discurso da disseminação de ódio contra comunidades minoritárias.

          • Prezado Eduardo,

            Veja o paradoxo,

            Ontem, eu tentei reconciliar com o Fernando Brito, inserindo um comentário sobre as chuvas, correlatas à questão da água em São Paulo.

            Percebi que fui expulso, banido do Blog ” O Tijolaço ” , pelo que fiquei imensamente triste. Triste mesmo.

            Continuo triste e , se algum dia, eu escrever algo com o que você discorde, não me expulse em rito sumaríssimo, porque quem comenta passa a respeitar e a gostar do blogueiro.

            Nós não nos conhecemos, mas eu o acompanho. Na maioria das vezes não redijo comentários.

            Os blogs são como líderes de uma comunidade “sem mídia”. E você sabe bem disso.

            Eu redigi que não transformaria o seu site em fórum de estéril e enfadonho debate interpessoal.

            Fiz o que deveria fazer.

            Quem ler, tirará as suas próprias conclusões.

            Se a imprensa oligopolizada pode cometer crimes sem ser devidamente punida, o paradoxo se completa por tido eu cometido o “crime” de opinião.

            A sensibilidade ultra exacerbada quanto ao que chamam de “antissemitismo” é algo que conflita com a realidade dos fatos.

            É uma relação assimétrica … muito assimétrica.

            Seria “antissemitismo” um brasileiro se revoltar com o aumento unilateral da “prime” e da “libor” , por parte exclusivamente de bancos judeus nas décadas de 1970 / 1980 ?

            Aumento esse que causou milhões de mortes ao redor do mundo todo e que, aqui no Brasil, equivaleu à queda de dois aviões 747 por dia.

            Morriam cerca de 900 pessoas de fome no Brasil por dia, durante cerca de dez anos. Terá sido um holocausto ?

            E se fosse o contrário ? Será que Israel não se revoltaria , se bancos brasileiros causassem a morte de milhões de judeus ? Quem é o radical nessa história ? Quem propala o ódio e o terror nessa história ?

            Não sei se você me lê , on line, mas se o fizer, percebeu o quanto eu teria que escrever e não escreverei.

            Luvas de pelica existem.. e eu as usei de forma magistral nesse episódio.

            “José Antônio” mostrou a todos os que leem / leram esses comentários que ele não sustenta o que redige. E que o faz de forma anônima.

            Covardemente “escondido” por detrás de um computador.

            É isso aí. Assunto definitivamente encerrado.

  • Muito bom texto, mas não basta o que estão mostrando é que o PT é um monte de ladrão e isto tem que mudar, tem que ter mídia, divulgação e um longo processo de comunicação. Um ou dois anos não bastam para cicatrizar está ferida, o PT tem que começar a agir logo senão vai ser sugado para o mar de lama sozinho onde todos estão no mesmo barco, não pode deixar a globo, a folha , o estadão e veja deitar e rolar.

  • Só gostaria de lembrar que um também fundador do PSDB o ex-ministro Bresser Pereira apoiou Dilma no 2°turno, bem como o Xico Graziano, um dos coordenadores da campanha de Aécio, posicionou-se terminantemente contrário ao tal “impeachtment” que os reacionários intentam contra a democracia; também tem o Alckmim que busca diálogo com a presidenta Dilma. Creio que está havendo uma separação de águas naquele partido que cada vez mais fica mais partido.

  • Na verdade, acho que a Dilminha ainda não caiu na real. Os próximos passos da Lava-jato serão na caça dos políticos. Com certeza, virão atrás dela e do Lula. O Pig tentará com certeza jogá-los na fogueira. Não se vê no governo uma estratégia de luta e defesa. Existe um porta-voz do governo? Por outro lado, as denúncias são tantas que ninguém sabe mais o que é verdadeiro ou não. Até os coxinhas estão desorientados. A presidente, por enquanto, continua ainda sem comunicação com a sociedade. Os ministros nomeados foram bons, seguem a estratégia Lula. Só falta nomear ministros “nossos” nas Comunicações e Justiça.

  • Usando o linguajar futebolístico, essa pegou na veia e foi no ângulo, indefensável !!
    Semler é um cara acima de qualquer suspeita, rico, bem sucedido, social democrata e muito inteligente, a ponto de administrar suas empresas ao estilo capitalismo escandinavo; muito respeito ao empregado, gestão participativa e responsável com uma remuneração justa.
    Esse artigo é para enquadrar e deixar na sala de visitas para os nossos amigos tucanos e burgueses ficarem babando na gola e se remoendo de ódio por tanto achincalhar os luladilmapetistas.
    O que deve doer para os tucanos é ver alguém como Semler, que se tivesse tido sucesso na disputas partidárias poderiam estar no lugar do Aécio na disputa presidencial, colocando o dedo na ferida do próprio partido e da velha burguesia tupiniquim.
    Semler não é um qualquer, fez MBA em Harvard após enviar carta ao reitor reclamando do processo seletivo e discriminatório com candidatos como ele, que não eram estadunidenses. Deu aulas em universidades americanas e fez consultoria para transnacionais estadunidenses.
    Quando fiz a faculdade tivemos que estudar alguns livros com vários estilos de gestão, tais como de Akio Morita (Sony), Lee Iacoca (Chrisler), Bernard Tapye (Ex Adidas e PSG) e do próprio Semler, e após leituras, trabalhos e seminários, a obra de Semler era unanimente a melhor e de maior vanguarda nos anos 90.
    Edu, sempre votei muito parecido com você e acho que sempre estivemos no mesmo lugar, foram os partidos que mudaram ao longo dos anos, com o PT vindo para centro esquerda e o PSDB indo para centro direita.

  • Muito oportuno seu artigo, Eduardo. Lembrei do livro escrito pelo jovem Ricardo Semler nos anos 1980. Em pleno regime militar. Semler publicou Virando (a própria) Mesa, assim era o título na primeira edição. Ao herdar a Semco aos vinte e poucos anos, Semler revolucionou a empresa. Suspendeu a “revista de funcionários” no fim do dia, demitiu parentes que ocupavam cargos e nada produziam, cortou um bom número de chefes e sub-chefes e diminuiu a distância entre ele (presidente da empresa) e os operários. Distribuiu galões de tinta de várias cores e disse aos trabalhadores que pintassem suas seções com as cores que bem entendessem, enfim, lembro de ter lido um belo livro que mais parecia ter sido escrito por um roqueiro (que, aliás, ele era) do que por um empresário. Quando se fala de esquerda e direita, há de se juntar a palavra civilizada. E se queremos uma direita civilizada, com pessoas como Ricardo Semler, temos também de querer uma esquerda civilizada, tal e qual. Você toca nessa ferida, Eduardo, quando cita Franco Montoro, Mário Covas… Quem hoje pode se comparar a tais nomes no PSDB atual? O mesmo serve para o PT e para toda a esquerda. E por mais que a Veja (esse detrito sólido de maré baixa), como diz PHA, faça o diabo para derrubar Dilma, acredito piamente que ela e Lula ainda são nossas reservas morais. Com outros nomes, óbvio, não cabe estender demasiadamente um simples comentário.

      • Desculpe, Eduardo, está se propagando que Semler é vice-presidente da Fiesp, quando na verdade o vice atual é Benjamin Steinbruch, outro empresário realista que em fevereiro de 2014 escreveu O Copo na Folha de São Paulo. Aqui vai um trecho para mostrar que além de Semler há empresários enxergando com bons olhos os rumos seguidos pelo governo: “Luiza Trajano é uma empresária respeitada e admirada no país. Dias atrás, acusada em programa de televisão de ser otimista demais em relação ao Brasil, ela deu uma aula de bom-senso. Nós, brasileiros, disse ela, temos o hábito de olhar sempre a parte vazia do copo e nunca a cheia.

        Texto completo: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/benjaminsteinbruch/2014/02/1410342-o-copo.shtml

  • Edu, excelente sua análise sobre o artigo do Semler. Gostaria que algum repórter perguntasse aos caciques do partido a opinião sobre o artigo do Ricardo.

  • Eduardo, não o conheço pessoalmente e a ligação mais pessoal que tenho com você talvez seja seu nome. Eduardo é o nome de meu irmão. Acho que nunca chamei meu irmão de Edu. Tirando estes fatos de nossas biografias, talvez pouco ou quase nada aparentemente são familiares em nós dois. Mas, você é a pessoa mais impressionante que conheço a distancia. O que me impressiona em você vai muito além de toda e qualquer aparência. Você é realmente uma pessoa especial e especialmente impressionante. Sua vida, sua família, seu ganha pão, sua militância, sua ousadia, sua por vezes ácida impertinência e seu orgulho de ser brasileiro me comovem de forma impressionante. Você muitas vezes fala de sua filha especial, há nisto amor, cuidado, responsabilidade, um senso dever acima de tudo e uma imensa força de lutar e arrancar um minuto, uma hora, um dia, um tempo melhor e a mais do próprio tempo e da vida. Você é especial, sua esposa é especial, sua família é especial, especialmente para sua filha especial. Por isto eu tiro o chapéu para você e para vocês, pois as palavras me faltam e me faltariam sempre para agradecer para você que eu ainda possa acreditar que existem pessoas especiais de verdade que são especias de tal forma que tornam tantas outras igualmente especiais. Muito obrigado amigo deste seu distante e inimaginável amigo.

  • Eduardo, análise perfeita, como sempre ! Ainda resgatou este outdoor do Maluf não muito bem acompnhado, diga-se ( o Maluf tava parecendo até o Robert De Niro no papel do Al Capone ).

    O Semler deu uma Aula Magna , coisa rara no Brasil onde a oposição tucano-demoniana tem figuras do esgoto como Imbassahy, Agripino Maia, Aécio Neves ( pós 2014 ), Fhc, Serra, Aloisyo, José Anibal , ACM Neto, Heráclito Fortes, Bolsonaros, Artur Virgílio, César Maia, Aleluia, Ronaldo Caiado, Eduardo Cunha ufaaa, e o pulso aida pulsa ( escaparam alguns de outros partidos mas de alma do Demo ou Psdbista ).

    O Semler provou que é possível ser oposição sem canalhices, sem falso moralismo e sobretudo com um profundo interesse no desenvolvimento nacional.

    Tomara mesmo que a DILMA não deixe pedra sobre pedra ! Inclusive na mídia grande e suas ligações !

  • Precisa ser muito ingênuo acreditar que o sr.Paulo Roberto Costa vai acusar algum tucano numa delação premiada conduzida por procurador e delegados tucanos do Paraná. Tanto é assim que a mais nova acusação do delator vazada pelo juiz Sérgio Moro para o PIG envolve o senador pernambucano Humberto Costa, do PT, de que este teria recebido 1 milhão do esquema de propinas da Petrobrás. Tucano acusado só morto, como foi o caso do ex-senador pernambucano Sérgio Guerra. Por essa razão, as delações de Costa só vão atingir PT e seus aliados, desde o início ficou claro que as denúncias só vão até o governo Lula e nunca vão chegar ao período de FHC e seus comparsas. Se a nossa presidenta não assumir as rédeas da situação, ela vai passar os 4 anos refém de “escândalos” fabricados a seguir Eletrobras, Banco do Brasil, CEF entre outros

  • Eduardo, é louvável sua incansável luta para esse país tornasse melhor e mais justo, pena que grande parte das pessoas que são pagas para tomarem medidas mais efetiva na luta por mais cidadania e igualdade se omitam numa hora como essa. Me refiro aos parlamentares do Partido dos Trabalhadores que vêm o partido e o governo sendo achincalhado e simplesmente não fazem nada, não defende, não contra-ataça, e se escondem covardemente. Me diga qual foi o parlamentar que veio a público enfrentar a grande imprensa nesses dias pós eleições que a mídia diuturnamente vem atacando o governo e o PT.

    Ao mesmo tempo começo a desconfiar que esse governo tem mesmo vocação para mulher de malandro, pois há anos que vem apanhando e invés de reagir com firmeza e seriedade ele oferece mais verba publicitária para quem o ataca.

    Edu, faz um favor, já que você tem acesso ao comando do Partido dos trabalhadores, avisa que os simpatizantes e a aguerrida militância já está exaurida tanta frouxidão e desprezo, pois não é possível não ser ouvida durante todos esses anos. A gente briga, luta, encara situação difíceis e ficam este bando de frouxos se escondendo com medo da Globo e cia limitada.

    Se continuarem agindo com covardia, dentro de mais algum tempo não serei só eu sue que vou lavar as mãos, serão centenas de milhares de apaixonados eleitores.

    Quando saiu a matéria da Veja às vésoeras das eleições do segundo turno, a Dilma veio a público dizer que ia fazer acontecer com a revista, e hoje já saiu a segunda tentativa de derrubar o governo e até agora não vimos nenhuma medida judiciária sendo tomada nem pela presidente Dilma e nem pelo governo.

    Um governo que não tem Ministro das Comunicações, não tem Ministro da Justiça e muito embora tenha meios de se comunicar com a sociedade não sabe usar esses meios. Governo incompetente.

    Fica aqui o meu abraço fraterno e solidário a você Eduardo e a sua família por mais um momento difícil diante do estado de saúde da Victória.

    Valeu!

  • FARRA ELEITORAL, OU PARA QUANDO O GILMAR VIER PARA CIMA DA DILMA

    Jean Wyllys: Devolve, Gilmar! Vamos falar sério sobre corrupção e política

    publicado em 20 de novembro de 2014 às 16:06 no Vai o Mundo: http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/jean-wyllys.html

    gilmar-mendes

    Os sentidos da Operação Lava Jato: devolve, Gilmar!

    A promiscuidade entre política e mundo dos negócios produz enormes prejuízos para a democracia: além da corrupção, dá poder às empresas de eleger candidatos e conseguir maioria no Congresso

    por Jean Wyllys, em CartaCapital

    A Operação Lava Jato poderia ser uma oportunidade excepcional, dessas que quase nunca ocorrem, para discutir seriamente o problema da corrupção no Brasil e a forma com que ela prejudica a democracia. Pela primeira vez, as principais empreiteiras estão sendo investigadas e 21 executivos foram presos pela Polícia Federal, entre eles os presidentes de algumas delas. Não estamos falando de quaisquer empresas, mas daquelas que realizam as mais importantes obras públicas, financiadas pelos governos federal, estaduais e municipais de diferentes partidos e que, ao mesmo tempo, são as principais financiadoras das campanhas eleitorais que elegeram esses governantes.

    Os grandes esquemas de corrupção — que sempre são apresentados pela cobertura jornalística, de forma falaz, como se fossem apenas uma espécie de degeneração moral de determinadas pessoas — geralmente associada ao partido que está no governo, revelam-se no caso da Lava Jato como o que realmente são: um componente fundamental de um sistema econômico e político controlado não por funcionários corruptos, mas pelas empresas corruptoras.

    Repassemos alguns dados.

    As empreiteiras investigadas são nove: OAS, UTC, Queiroz Galvão, Odebrecht, Camargo Corrêa, Iesa, Galvão Engenharia, Mendes Junior e Engevix.

    Juntas, elas têm contratos com a Petrobras de 59 bilhões de reais. Só no Rio de Janeiro, três dessas empreiteiras (OAS, Camargo Corrêa e Odebrecht) participam, associadas em diferentes consórcios, das dez maiores obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas (linha 4 do metrô, Maracanã, Parque Olímpico, Transcarioca, Transolímpica, Porto Maravilha etc.) por um valor total de 30 bilhões. Elas têm contratos com governos de quase todas as cores. Várias delas também participam da privatização dos aeroportos e das obras do PAC, do governo federal, mas também das obras do metrô de São Paulo, envolvidos num caso de corrupção pelo qual é investigado o governador Geraldo Alckmin, que também recebeu dinheiro de empreiteiras para sua campanha.

    Com negócios diversificados e participação em diferentes escândalos de corrupção, a lista das empreiteiras mais importantes do País é liderada pela Odebrecht que, segundo o ranking da revista O Empreiteiro, tem um faturamento de 5.292 bilhões de reais.

    Você sabe quanto dinheiro “doou” essa empresa para diferentes partidos e candidatos nas últimas eleições? Mais de 30 milhões de reais! A Odebrecht doou para todos os seguintes partidos: PSDB, PT, PSB, PMBD, PP, DEM, PCdoB, PV, Solidariedade, PROS, PRB, PSD, PPS, PSC, PCdoB, PTC e PSL. Eles doaram 2,95 milhões para a campanha da Dilma, 2 milhões para a campanha do Aécio e 500 mil para a campanha de Eduardo Campos (depois somou quase 50 mil a mais para a campanha da Marina), mas também para candidatos a governador e deputado e para os comitês financeiros e as direções nacional e estaduais de diferentes partidos.

    De todos os partidos que elegeram representantes para o Congresso Nacional, o único que não recebeu dinheiro de nenhumadas empreiteiras investigadas (aliás, de nenhuma empreiteira!) foi o PSOL. Sim, foi o único!

    A segunda maior empreiteira do ranking, com um faturamento de 5.264 bilhões, é a Camargo Corrêa, que doou, por exemplo, 1,5 mi para o DEM. A empreiteira Queiroz Galvão fez doações de campanha por mais de 50 milhões, beneficiando candidatos de 15 partidos, entre os quais o PT, o PSDB, o PMDB, o DEM e o PSB. Também doaram 200 mil reais para a campanha do nanico pastor Everaldo.

    Outra campeã das doações foi a OAS, com uma generosidade política de mais de 52 milhões que beneficiou Aécio, Dilma, Marina e candidatos de 12 partidos. A UTC fez doações de 34 milhões e também foi ampla na distribuição, beneficiando a 11 partidos, entre os quais estavam os mais importantes da situação e da oposição. E por aí vai. Todas elas estão envolvidas na investigação da Polícia Federal.

    Alguns candidatos não recebem dinheiro de uma determinada empresa de forma direta, mas essa empresa doa para o comitê do partido, ou para sua direção nacional ou estadual, que por sua vez faz uma doação ao candidato. Ou então a empresa pode doar para um candidato a deputado, que depois faz uma doação para o candidato a presidente, ou vice-versa. Algumas empresas têm diferentes denominações, cada uma com um CNPJ distinto. Mas a quantidade de dinheiro que sai da União, dos Estados e dos municípios e vai para as empreiteiras mediante contratos para obras públicas, e que sai das empreiteiras e vai para os candidatos e seus partidos, é imensa. E essa promiscuidade entre política e mundo dos negócios produz enormes prejuízos para a democracia.

    O problema não é apenas a corrupção direta, a propina e a lavagem de dinheiro. É também o poder que essas empresas têm para desbalancear o sistema democrático, apoiando determinados candidatos e candidatas com quantias absurdas de dinheiro que fazem com que os e as concorrentes de outros partidos tenham pouquíssimas chances de vencer, a não ser que entrem no esquema.

    Nas últimas eleições, 326 parlamentares tiveram suas campanhas financiadas por empreiteiras (nenhum do PSOL!). E, entre eles, 255 receberam dinheiro das envolvidas na operação Lava Jato. Façamos as contas. Os candidatos das empreiteiras são maioria no Congresso! Dentre eles, 70 deputados e 9 senadores são citados nas investigações. E há governistas e opositores — inclusive petistas e tucanos (mas alguns jornais e revistas citam apenas os petistas).

    O financiamento empresarial das campanhas favorece esse esquema e prejudica os que não querem fazer parte dele. Eu fui o sétimo deputado federal mais votado do estado do Rio de Janeiro, com 144.770 votos, e a receita total da minha campanha foi de 70,892.08 mil reais em doações físicas, sendo que, destes, 14 mil correspondem a trabalhos de voluntários. Não recebi (e nem quero!) um centavo das empreiteiras.

    Agora vou dar um exemplo contrário: deputado Eduardo Cunha, que teve 232.708 votos e foi o terceiro mais votado do estado, declarou uma receita de mais de 6,8 milhões de reais! Sim, você leu bem: quase 7 milhões. Os diretórios nacional e estadual do PMDB, seu partido, que também doou dinheiro para ele, receberam “ajuda” da OAS (3,3 milhões), da Queiroz Galvão (16 milhões), da Galvão Engenharia (340 mil) e da Odebrecht (8 milhões). O PMDB governa o estado que dá a algumas dessas empreiteiras obras públicas milionárias. Isso sem falar dos bancos, empresas de mineração, shoppings e outros empreendimentos que depositaram na conta de Cunha.

    Vocês percebem como o é injusto e antidemocrático que um candidato honesto, que conta apenas com doações de amigos, militantes e simpatizantes, contra outro que recebe quase 7 milhões de bancos e empreiteiras? Vocês percebem como isso faz com que nosso poder, eleitor, seja cada vez menor, e com que o poder da grana se imponha cada vez mais?

    Agora pense no seguinte: Eduardo Cunha pode ser o próximo presidente da Câmara dos Deputados! Ele é um dos cérebros da bancada fundamentalista, foi o grande articulador da presidência da CDHM para o pastor Marco Feliciano e é o porta-voz do que há de mais reacionário, retrógrado, conservador e antipopular no Congresso. Algumas pessoas acham que o grande vilão da direita é Jair Bolsonaro, mas na verdade, ele é apenas um personagem caricato, bizarro, que tem mais holofotes do que merece. O verdadeiro poder radica em personagens menos conhecidos, como Cunha, que se mexem nas sombras. E as doações milionárias entram na conta dele.

    Mas eu comecei dizendo que tudo o que está acontecendo em torno da operação Lava Jato poderia ser uma oportunidade excepcional para discutir seriamente o problema da corrupção no Brasil e a forma com que ela prejudica a democracia. Poderia ser, mas não está sendo. A maioria da imprensa e alguns líderes da oposição com espaço na mídia está tentando passar a impressão de que se trata, apenas, de um novo “escândalo de corrupção do PT”.

    Delegados e fontes do judiciário ligadas a partidos de direita vazam de forma seletiva informações que envolvem apenas os corruptos petistas, mas escondem as que poderiam prejudicar os corruptos tucanos ou de outros partidos. Tudo passa a ser “culpa da Dilma, do Lula e dos petralhas”. E o PSDB e seus aliados da direita tentam se apropriar da operação e se apresentar como os paladinos da moral e da honestidade que querem nos livrar dessas mazelas. Hipócritas!

    É claro a corrupção na Petrobras durante os governos petistas que tem que ser investigada — mas também durante os governos tucanos e os governos anteriores aos tucanos! É claro que temos que investigar todos os funcionários e parlamentares envolvidos nos esquemas, seja do partido que forem. O PT e seus aliados têm uma enorme responsabilidade nisso tudo. Mas enquanto pensarmos na corrupção apenas como uma sucessão de casos particulares e olharmos para ela apenas como um problema moral seremos como aquele personagem da publicidade “Sabe de nada, inocente!”. O escândalo está sendo instrumentalizado por uma parte da imprensa não apenas para atacar o governo, mas também para colocar a Petrobras no alvo de discursos privatizadores! Ou seja, a questão é muito mais complexa!

    Por isso, e se realmente quisermos fazer algo que tenha impacto real contra a corrupção, o primeiro passo é acabar com o financiamento empresarial de campanha. A OAB apresentou no Supremo Tribunal Federal uma ADIN (ação direta de inconstitucionalidade) para proibi-lo, e tem todo o apoio do PSOL. Seis dos onze ministros já votaram favoravelmente, mas o ministro Gilmar Mendes, Advogado Geral da União durante a presidência de Fernando Henrique Cardoso, pediu vistas do processo em abril desse ano e, desde então, nada fez a respeito.

    Diversos movimentos sociais e políticos lançaram a campanha #devolvegilmar, para que o ministro conclua suas vistas e permita que ela seja julgada. O fim do financiamento empresarial de campanhas deveria ser, também, um dos principais eixos da reforma política que o Brasil precisa. Porque com um Congresso cujos integrantes foram financiados pelas principais empreiteiras envolvidas nesses esquemas, não haverá “CPI das empreiteiras”, da mesma forma que não avançará a CPI da Petrobrás. Tudo será tratado como mais um escândalo.

    Se quisermos que a corrupção deixe de ser, apenas, o tema favorito das manchetes de jornal, e passe a ser combatida de forma realista e eficaz, sem hipocrisia, precisamos produzir reformas estruturais no sistema político e econômico e não apenas fazer julgamentos morais partidarizados. Precisamos cortar um dos principais rios de dinheiro que corrompe a política e, ao mesmo tempo, diminui o poder dos eleitores, transformando os governos e o Congresso em reféns dos interesses de um pequeno grupo de empresários com negócios bilionários.

    Devolve, Gilmar! Vamos falar sério dessa vez!

  • Caro Edu,
    achei o texto do Semler fantástico logo que o li pela primeira vez. Mas, quase que imediatamente após, me bateu um monte de indagações, pois senti que algo não me desceu muito bem, como, por exemplo, louvar o progresso e votar pelo retrocesso. Pinçando elementos do texto, ele é muito avançado, mas, me desculpe, o “conjunto da obra” não me agradou. Me parece ocultar alguma intenção. As considerações do Sr. Sérgio Gouvea me ajudaram a reforçar o sentimento de que algo não está se encaixando no todo.
    Grande abraço, amigo.
    PS: Algo com Victória? Posso ajudar?

  • Prezado Eduardo Guimarães,

    Sugiro que a comissão na câmara que aprovou por 12×11, a quebra do sigilo bancário, fiscal e telefônico do tesoureiro do PT, façam o mesmo com o tesoureiro do PSDB, QUEBRANDO TAMBÉM SEUS SIGILOS BANCÁRIO, FISCAL E TELEFÔNICO DOS TESOUREIROS DO PSDB DESDE A ÉPOCA DE FHC. OS PALADINOS DA ÉTICA, ACOBERTADOS PELA GRANDE IMPRENSA TEM DE SEREM INVESTIGADOS. QUE O PT, PMDB E ALIADOS NÃO DÊEM MOLEZA AO PSDB, TAMBÉM CITADOS OS SEUS TESOUREIROS E OPERADORES PELOS LOBISTAS E DIRETORES DE EMPRESAS. PSDB É UM PARTIDO DE FASCISTAS. A INVESTIGAÇÃO TEM DE IR PRA CIMA DELES.

  • O artigo de Semler é importantíssimo sim, por mostrar que um conservador escancara a hipocrisia dos conservadores e mostra que a corrupção sempre existiu(o que é óbvio, mas precisamos desenhar para escancarar na cara de pau da mídia e dos robôs que a seguem), só que agora ela está sendo investigada e punida. Ele deveria ter completado que desde a chegada de Lula no poder, começou-se a investigar e punir os corruptos e corruptores(o que foi a Satiagraha senão a maior operação de combate à corrupção neste país, já que envolvia a corrupção existente nas privatizações de FHC, que entregaram o Estado brasileiro à classe dominante e às multinacionais, enriquecendo a corja do PSDB. Só que exatamente pelo que revelava, a corrupção da classe dominante, dos gringos e do PSDB, foi abortada pela direita). Apesar de cair em generalizações e mistificações idiotas, quando afirma que o PT enfiou os pés pelas mãos na corrupção(aonde, cara pálida!!!!!?????? O PT é segundo todas as estatísticas o partido menos envolvido em casos de corrupção, sem contar o calhamaço de acusações e condenações “absurdas” impostas ao partido, bastando-se constatar essa característica ao analisá-las, seja por critérios Lógicos, factuais ou jurídicos). Mas seria esperar demais de um capitalista que, depois de atingir tal grau de sinceridade(algo dificílimo para qualquer ser humano)não desse “uma na ferradura” e aceitasse um lugar comum que limpasse sua barra com o grupo a que pertence. Fora isso, é fundamental que alguém saia da histeria coletiva construída pela mídia e comece a clarear os fatos, não somente sobre a corrupção pública, mas mostrando algo que nossa mídia privada sempre esconderá, QUE A CORRUPÇÃO É UM FENÔMENO QUE PERPASSA TODA A SOCIEDADE E TAMBÉM ATINGE O SETOR PRIVADO, SEMPRE ENDEUSADO POR GLOBO E SUA TURMA, ONDE TAMBÉM AS PROPINAS APARECEM, DE FORMA AINDA MAIOR DO QUE NO SERVIÇO PÚBLICO, JÁ QUE OS MECANISMOS DE CONTROLE SÃO MENORES DEVIDO À CONCENTRAÇÃO DE TODOS OS ESFORÇOS NA OBTENÇÃO DO LUCRO, MOSTRANDO QUE A GÊNESE DESSE FENÔMENO É MUITO MAIS PROFUNDA DO QUE AS SIMPLISMOS DA MÍDIA NEOLIBERAL E ESTÁ NA PRÓPRIO CAPITALISMO(ISSO SEMLER JAMAIS ADMITIRIA)E NO SEU ESTÍMULO À GANÂNCIA E AO INDIVIDUALISMO. Contudo, com sinceridade ou não de Semler e de quem quer que seja, a principal forma de ganharmos essa guerra e não deixarmos que a Operação lava Jato seja contada pela Globo, e transformada em mais um “escândalo do PT”, é intensificarmos a luta pela imposição de uma nova versão dos fatos, que enfrente a partidarização midiática e mostre a a verdadeiras origens e componentes do escândalo da petrobrás. Evidentemente o Governo Dilma e o PT precisam ajudar, rebatendo os ataques midiáticos e divulgando todos os fatos relacionados à Lava Jato(que tal mostrar que o “esquema” de Paulo Roberto da Costa começou em 1998, no desgoverno FHC? Ou que o PSDB está entre os partidos que receberam doações das empreiteiras da lava jato – doações legais que a mídia transforma em ilegais? Ou que essas empresas denunciadas são as mesmas que participaram do escândalo do metrô de São Paulo, sempre escondido pela mídia? Ou que José Serra está entre os maiores beneficiados pelas doações das empreiteiras da lava jato? Ou que as empresas envolvidas no escândalo do metrô, as mesmas da lava Jato, conseguiram, com o apoio de José Serra, abafar as investigações sobre o cartel criaram para disputar as licitações das obras do metrô?) São essas versões que têm que chegar ao público, do contrário Globo e sua turma usarão a operação para destruir o PT, Dilma, Lula(já começaram a atacar Lula ontem), a Petrobrás e todo o projeto de desenvolvimento autônomo do Brasil. Não dá para ficar calado, o clima de ódio e golpismo é forte demais neste momento e o PT e o Governo precisam sair da defensiva.

  • Querem ver o quanto roubaram PT/PSDB? Abram a SATIAGRAHA…simples assim!!! Não foi à toa que ambos os partidos removeram mundos e fundos para anular e arquivar a dita cuja!!!

  • Caro Edu, eu só não gostei do trecho: “Votei pelo fim de um longo ciclo do PT, porque Dilma e o partido dela enfiaram os pés pelas mãos em termos de postura, aceite do sistema corrupto e políticas econômicas.”….É contraditório com o próprio texto. Ora, como aceitar se é justamente a partir dos governos do PT que efetivamente se começou a combater o mal Será que a política econômica anterior ao PT foi melhor? Não há evidências… Será que ele não votou no Alckmin, pelo longo ciclo tucano e cuja política econômica fez a locomotiva parar? Tirando esses detalhes , foi um ótimo artigo !!

    Felicidades para ti e sua família… e que a princesa Vitória tenha uma ótima recuperação!

    • Caro Cidinho…

      Acho que nesse caso você deve relevar, afinal, mesmo que um tucano tenha um repente de honestidade ainda assim continuará sendo tucano.

      Um grande abraço, Amigo El Cid.

  • Um grupo de fazendeiros brasileiros em viagem pelo interior dos EUA nos anos de 1990 visita uma fazenda modelo parceira da multinacional que pagou toda a viagem de 15 dias. A visita terminara e todos os 38 brasileiros estavam entrando no ônibus que cortava 1.400 kms dos EUA mostrando aos equipamentos e produtos. Foi aí que um dos brasileiro virou-se para o guia e disse. ” Sabe a colheitadeira ( ou algo parecido) que o farmer americano acaba de nos mostrar com tanto orgulho e que ele tem apenas uma? Sim, Maravilha, não? respondeu o guia. – Lá na minha fazenda eu tenho 12!”. Este é o Brasil, surpresas e mais surpresas!

  • Eduardo, com certeza foram os melhores dois textos que li nas últimas semanas: i) o do Ricardo Semler; e ii) este seu post. PARABÉNS!!!

    Abs, Fábio Faiad.

  • O Governo e PT abrem os braços aos céus quando depara-se com um tucano lúcido e fica enaltecendo o sujeito para sempre, quando na verdade deveria tomar outra atitude, pois, há doze anos é o mesmo roteiro, a grande mídia calhorda, achincalha um governo confuso, covarde, frouxo e medroso que finge não ser desmoralizado, pois nem seus parlamentares muito menos seus ministérios da justiça e seus órgãos de comunicação têm competência para enfrentarem de forma firme e serena a imprensa que a toda a maneira torna sempre o governo refém, para extorquir com verbas publicitárias um governo cagão que sempre entrega o ouro.
    E a grande maioria dos parlamentares do PT se omitem ou por covardia ou por deverem mesmo, mas a verdade é que essa situação já se tornou cansativa e desgastaste. Um bando de covarde que vivem às custas da militância. Não vemos os parlamentares do PT saírem em defesa do partido ou do governo. A Presidente Dilma que disse que não ficaria pedra sobre pedra, levou mais uma pedrada ontem, da Veja.

    Pior, antes mesmo de anunciar a nova equipe de governo as informações vazam mais que o núcleo da PF do Paraná. Uma Graça.

    Nem quero acreditar que a Kátia Abreu é a nova ministra da Acricultura, pois sendo assim, nessa toada logo seremos informados que o novo Ministro da Justiça será o Joaquim Barbosa e o Ministro das Comunicações o será o Merval Pereira.

    Triste eleitor Petista.

    • Pois como você está acusando pessoas do PT já que eles não defendem o governo, então a Presidenta o jogou na cova dos leões, bem feito para eles se tiverem envolvidos, que paguem então, que é o correto responderem por seus piores erros.

    • Já reparou que tipo de congressistas foram eleitos? Na conjuntura “atual” ela tenta fazer o melhor que pode. Mai respeito e confiança nessa mulher valente e digna!

    • Os parlamentares do PT não defendem o partido nem o governo?
      Ora, assista a TV Câmara e a TV Senado, e lá vc verá nossos parlamentares, nas sessões de votação, ou simplesmente na tribuna, fazendo bravas defesas do governo petista – mas que nunca são repercutidas pela mídia golpista, obviamente!! Todos sabemos que nada “pró-PT” jamais será noticiado pela mídia oposicionista!!

  • Edu,

    Esse cara está mais pra vaga-lume, que usa a LUCIFERina para brilhar e é conhecido em Portugal como caga-lume.
    Daqui a pouco eles vão se apresentar, in vida, ao Papa Chiquinho , para serem canonizados.

  • Eduardo, boa tarde.
    Tenho o costume de ler seus artigos e apreciar todos os comentários.
    Hoje me deparei com o comentário de um de seus leitores que me deu um golpe há mais de 8 anos, me vendendo um notebook (novo, de sua loja virtual) e nunca me entregou, quando eu morava no Mato Grosso.
    Tentei inutilmente contato com ele, até que sumiu.
    Não posso te pedir para me passar o e-mail dele ou quaisquer outro meio de contato, pois sei exatamente os limites da ética que tenho certeza vc faz questão de preservar, nem de minha parte cito de público o nome dessa pessoa.
    Você tem idéia de como eu poderia resolver isso? Ou devo deixar quieto?
    Um abraço.
    Claudio Kirsten

  • Oh, ze saguy eu tava tao disperplexo como tu, porem vai dai que alembrei que a supergerente acabou de ler mês passado a biografia de Getulio vargas!
    Isso explica (explica?) umas koisas.
    Tinha umas carvoarias isoladas e ele fez a CSN. Tinha uns lampiões de gas e ele fez a Petrobras. TInha um amontoado de relaçoes de semi escravatura feudal e ele fez uma CLT. Tinha uma serie de fazendas dispersas no territorio e ele fez um estado-naçao unificada.
    E o que será, saguy, que nossa presidenta -que acaba de enlouquecer – espera ou delira fazer por aqui?quem souber me explica senão quem vai pro pinel sou eu.

  • O E-MAIL ESCANDALOSO, SEGUNDO VEJA, A REVISTA DO PSDB

    sábado, 22 de novembro de 2014
    Veja bate recorde de capa mais idiota. Só prova honestidade de Dilma.
    A revista Veja desta semana deu mais um vexame e corre o risco de entrar para o livro dos recordes como a reportagem mais idiota do mundo.

    Querendo derrubar Dilma, só provou a honestidade da presidenta. Pois a revista e seus vazadores vasculharam, procuraram coisas no material da Operação lava-jato e só conseguiram achar um email sem nada suspeito, de Paulo Roberto Costa para Dilma, em 2009, quando ela era ministra da Casa Civil e ele era diretor da Petrobras.

    Até os assinantes burros da Veja (para continuar assinando a Veja tem que ser muito burro), se lerem o email com objetividade chegarão à conclusão:

    1) O email não tem nada de mais, nem nada suspeito. Poderia ser publicado no Diário Oficial, como um ofício qualquer de um órgão para outro.

    2) O conteúdo do email apenas encaminha para Dilma cópia do relatório do TCU que recomendava paralisação de obras em refinarias. O relatório é público, não contendo nenhum segredo, e foi enviado tanto à Petrobras como a própria Casa Civil recebeu também diretamente do TCU.

    3) Só mostra que Dilma é honesta, trabalhadora e exigente em ser informada sobre qualquer coisa que afetasse o cronograma das obras do PAC que seu ministério acompanhava na época. Um diretor recebeu um relatório que poderia afetar o andamento e encaminhou como, provavelmente, deveriam fazer todos os funcionários que tivessem responsabilidade sobre o andamento de obras.

    4) O email usou endereço oficial de trabalho da Petrobras para o endereço oficial de trabalho da Casa Civil no Palácio do Planalto.

    5) Foi enviado por uma funcionária de Paulo Roberto a pedido dele e endereçado para o então chefe de gabinete da Casa Civil, com cópia para o endereço genérico do gabinete da Casa Civil, que deve ser processado por funcionários. Portanto não se trata de qualquer comunicação sigilosa, nem pessoal.

    6) O texto mostra que Paulo Roberto Costa não tinha a menor proximidade com Dilma, pelo tratamento formal.

    Eis a íntegra transcrita do e-mail, segundo a Veja:

    De: [email protected] Em nome de [email protected]
    Enviada em: terça-feira, 29 de setembro de 2009 19:53
    Para: [email protected]; [email protected]
    Assunto: TCU. FISCOBRAS 2009 – OBRAS COM RECOMENDAÇÃO DE PARALISAÇÃO. Situação da REPAR, Refinaria Abreu e Lima e Construção de terminal de granéis líquidos no porto de Barra do Riacho/ES.
    .
    Senhora Ministra Dilma Vana Rousseff,
    .
    Seguem em anexo os dados do TCU (FISCOBRAS 2009) com a recomendação de paralisação de três obras do Abastecimento:
    .
    1) RNEST (Refinaria Abreu e Lima em Pernambuco);
    2) REPAR (Refinaria Getúlio Vargas, no Paraná) e
    3) Terminal de granéis líquidos no Espírito Santo – Obra do Plangás (GLP).
    .
    Conforme consta na nota, os processos são preliminares, não representando a posição final do TCU, assim como o TCU está enviando a CMO (Comissão Mista de Orçamento) do Congresso Federal, a quem compete a paralisação ou não das obras.
    .
    No ano de 2007, o TCU propôs a paralisação de quatro obras da Petrobras, não tendo tal posicionamento sido ratificado pelo Congresso Nacional.

    Como se vê, não há nada no email que indique maracutaia.

    A Veja trata seus leitores como sendo tão burros, que “interpreta” o email como se o próprio Paulo Roberto Costa estivesse se auto-denunciando na época.

    A Presidência da República emitiu a seguinte nota sobre a revista:

    Nota à imprensa sobre reportagem da revista Veja

    A reportagem de capa da revista Veja de hoje é mais um episódio de manipulação jornalística que marca a publicação nos últimos anos.

    Depois de tentar interferir no resultado das eleições presidenciais, numa operação condenada pela Justiça eleitoral, Veja tenta enganar seus leitores ao insinuar que, em 2009, já se sabia dos desvios praticados pelo senhor Paulo Roberto Costa, diretor da Petrobras demitido em março de 2012 pelo governo da presidenta Dilma.

    As práticas ilegais do senhor Paulo Roberto Costa só vieram a público em 2014, graças às investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.

    Aos fatos:

    Em 6 de novembro de 2014, Veja procurou a Secretaria de Imprensa da Presidência da República informando que iria publicar notícia, “baseada em provas factuais”, de que a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, recebeu mensagem eletrônica do senhor Paulo Roberto Costa, então diretor da Petrobras, sobre irregularidades detectadas em 2009 pelo Tribunal de Contas da União nas obras da refinaria Abreu e Lima. O repórter indagava que medidas e providências foram adotadas diante do acórdão do TCU. A revista não enviou cópia do e-mail.

    No dia 7 de novembro, a Secretaria de Imprensa da Presidência da República encaminhou a seguinte nota para a revista:

    “Em 2009, a Casa Civil era responsável pela coordenação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Assim, relatórios e acórdãos do TCU relativos às obras deste programa eram sistematicamente enviados pelo próprio tribunal para conhecimento da Casa Civil.

    Após receber do Congresso Nacional (em agosto de 2009), do TCU (em 29 de setembro de 2009) e da Petrobras (em 29 de setembro de 2009), as informações sobre eventuais problemas nas obras da refinaria Abreu e Lima, a Casa Civil tomou as seguintes medidas:

    a. Encaminhamento da matéria à Controladoria Geral da União, em setembro de 2009, para as providências cabíveis;

    b. Determinação para que o grupo de acompanhamento do PAC procedesse ao exame do relatório, em conjunto com o Ministério de Minas e Energia e a Petrobras;

    c. Participação em reunião de trabalho entre representantes do TCU, Comissão Mista de Orçamento, Petrobras e MME, após a inclusão da determinação de suspensão das obras da refinaria Abreu e Lima no Orçamento de 2010, aprovado pelo Congresso.

    Nesta reunião, realizada em 20 de janeiro de 2010, “houve consenso sobre a viabilidade da regularização das pendências identificadas pelo TCU” nas obras da refinaria Abreu e Lima (conforme razões de veto de 26 de janeiro de 2009). Foi decidido, também, o acompanhamento da solução destas pendências, por meio de reuniões regulares entre o MME, o TCU e a Petrobras.

    A partir daí, o Presidente da República decidiu pelo veto da proposta de paralisação da obra, com base nos seguintes elementos:

    1) a avaliação de que as pendências levantados pelo TCU seriam regularizáveis;

    2) as informações prestadas em nota técnica do MME que evidencia os prejuízos decorrentes da paralisação; e

    3) o pedido formal de veto por parte do então Governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

    Este veto foi apreciado pelo Congresso Nacional, sendo mantido.

    A partir de 2011, o Congresso Nacional, reconhecendo os avanços no trabalho conjunto entre MME, Petrobras e TCU, não incluiu as obras da refinaria Abreu e Lima no conjunto daquelas que deveriam ser paralisadas.

    E a partir de 2013, tendo em vista as providências tomadas pela Petrobras, o TCU modificou o seu posicionamento sobre a necessidade de paralisação das obras da refinaria Abreu e Lima”.

    A inconsistência da reportagem de Veja é evidente. As pendências apontadas pelo TCU nas obras da refinaria Abreu e Lima já haviam sido comunicadas, em agosto, à Casa Civil pelo Congresso e foram repassadas ao órgão competente, a CGU.

    Como fica evidente na nota, representantes do TCU, Comissão Mista de Orçamento do Congresso, Petrobras e do Ministério de Minas e Energia discutiram a solução das pendências e, posteriormente, o Congresso Nacional concordou com o prosseguimento das obras na refinaria.

    Mais uma vez, Veja desinforma seus leitores e tenta manipular a realidade dos fatos. Mais uma vez, irá fracassar.

    Secretaria de Imprensa
    Presidência da República

  • Tira o talvez da frase abaixo e ela fica mais adequada.

    “Por fim, um tucano iluminar de forma tão digna e decente o país, como fez Semler, permite-me fazer uma concessão à sinceridade: talvez devamos, tucanos, petistas etc., refletir que ninguém é necessariamente bom ou mau só por ser petista, tucano, corintiano ou palmeirense.” (do texto)

    Eu por exemplo não tenho no momento nenhuma cor partidária, pois não acho que nenhum partido me represente perfeitamente. Tenho consciência de que a política é uma escolha, não do ideal, mas do que melhor se adapta ao futuro que queremos. Mas ainda assim não devo alijar quem quer que seja que tenha opinião diferente da minha, temos sim que sempre ouvir o opositor e discutir dentro do respeito ao próximo.

    Não entendo que devamos criticar o outro como pessoa pelo fato de ter outra opinião, devemos discutir política como qualquer outro assunto de interesse comum, como por exemplo o que é melhor para o meu condomínio. O partidarismo no Brasil está sufocando a discussão sadia de políticas, precisamos entender que política é diferente de futebol, neste sim as paixões superam tudo o mais, mas na política não.

  • Edu, eu quero saber como envio seus artigos para outras pessoas, nao sei como fazer. Por favor me diga como fazer. Enviar por email. Nao possuo facebook…

    • Giana, clique na barra de endereços e o endereço do post ficará marcado. Clique as teclas control C para copiar o endereço realçado e a tecla control V para colar numa mensagem de email esse link. Daí é só enviar para quem quiser

  • O PSDB seria o partido mais próximo do PT para governar o que teria evitado a coligação com o PMDB e os partidos nanicos que tanto mal fizeram aos governos do PT. Essa luta desmedida entre PT e PSDB surgiu em SP e infelizmente se extendeu para todo território brasileiro. PSDB E PT continuarão a disputar as eleições para presidente. Dificilmente aparecerá um partido que quente essa hegemonia . Está no inconsciente do eleitor que quando o “bicho pega” os partidos mais sérios e confiáveis são PT e PSDB. Juntos permitiria ao Brasil avançar nas reformas sem o da lá toma cá próprio dos partidos que independente de quem tem o poder permanencem ao lado do poder. Já estivemos mais próximos hoje a distância é enorme muito mais pela vaidade do que pela ideologia.. Não tenho dúvidas que o momento atual pode aproximar esses partidos… Não acredito que diante de um possível golpe PT e PSDB se juntariam a favor da democracia. Como petista me arrependo de ter participado do “fora” Collor e de participar da onda “Fora FHC”… Um governo eleito pela vontade popular devec sempre chegar ao fim com a ajuda dos dois maiores e mais legítimos partidos políticos. Acho que o PSDB governa melhor os Estados e Municípios e o PT pelas políticas de inclusão e suas bases sociais governa melhor o país. O Brasil avancaria mais rápido com mais eficiência se PSDB e PT fossem aliados . Afinal a política exige a aproximação naquilo que temos em comum e o afastamento no que somos diferentes… Antes de morrer Lula e FHC deveriam fazer essa aproximação reconhecer os meritods e erros de PT e PSDB…quem sabe um dia será possível ver PSDB apoiando o PT e vice versa para um país melhor . São primos como os Judeus e Árabes..não da pra justificar o ódio que existe sem reconhecer erros que que ambos cometeram..PSDB e PT deveriam ser aliados e não inimigos mortais quem perde é o país e toda sociedade brasileira.

    • Papagaio do Magnoli. Você é patético. Não sabe nem do que se trata. Então um dos maiores empresários do Brasil escreveu aquele artigo para manter o suposto contrato com os Correios… Você não tem informação alguma. Não sabe detalhe algum, mas tem que difamar urgentemente. A tese de que a corrupção existia antes do PT é mortal para safados sem-vergonhas como você. Ô coisinha insignificante e nojenta que você é….

  • Assim.
    Katia Abreu, aceitamos.
    Tucano falando que roubamos, mais pouco, aceitamos.
    Veja falando de Dilma, aceitamos.
    Não temos o que escrever, escrevemos estas aberrações.
    Desculpe, mais são todos os Blogs.
    Estou hibernando, mas acho que vou desaparecer.
    Não dá para defender algo assim.
    Estamos como os refens de Estocolmo. Não acreditamos
    em nossa força.
    A Direita é sempre melhor e mais cheirozinha, afinal é o
    Patrão. Vou convidar para ser meu padrinho de casamento ou de
    meus filhos..
    Que pena…

  • Prezado Eduardo Guimarães.

    Parabéns pelo seu blog, pela sua coragem e pela sua honestidade intelectual.

    Diante de uma polêmica que me vi envolvido contra um comentarista que parece procurar pelo em ovo para justificar o injustificável, permita-me repetir aqui, e assinar embaixo, seu último parágrafo:

    Por fim, um tucano iluminar de forma tão digna e decente o país, como fez Semler, permite-me fazer uma concessão à sinceridade: talvez devamos, tucanos, petistas etc., refletir que ninguém é necessariamente bom ou mau só por ser petista, tucano, corintiano ou palmeirense.

    É isso aí.

  • Olha, pode me chamar de radical, xiita, do que for, mas, apesar de ter gostado de muita coisa que ele falou, na minha cabeça, é inaceitável que ele continue sendo tucano. Respeito quem pensa diferente, por isso espero que me respeitem também. Aceito que pessoas não sejam petistas, mas, sinceramente falando, tenho muita, mas muita dificuldade MESMO, de aceitar que alguém digno seja tucano. Nesse ponto sou radical, cabeça feita, reconheço e admito o meu ódio mortal aos tucanos. Se o Semler se desfiliasse do partido-quadrilha, aí sim eu o admiraria. Gostei do tapa na cara que ele deu nos seus representantes no Congresso e no FHC, mas, na minha forma de ver, ele só seria ainda mais admirável se dissesse que deixou ou deixará o partido. Com esses caciques podres que aí estão, eu morreria de vergonha de me declarar filiada. Montoro e Covas já morreram, e aquele PSDB de outrora morreu com eles.

  • MUITO INTERESSANTE ESSE TEXTO. MAS NA TV SENADO HOJE FOI DEPRIMENTE.

    OS DEPUTADOS E SENADORES DO PSDB FALAM DESRESPEITOSAMENTE E

    AGRESSIVAMENTE CONTRA A PRESIDENTA DILMA. ACHO QUE RESPEITO É BOM

    E NECESSÁRIO. SERÁ O FATO DELA SER MULHER? OU SER DO PT? DE QUALQUER

    MANEIRA O DESRRESPEITO É GRANDE E DEMONSTRA PRINCIPALMENTE QUE NÃO

    SE CONFORMAM COM A DERROTA. MAS PERDERAM E PONTO.

Deixe uma resposta