Querem “autonomia” para Levy? Que ele dispute eleição. E vença

Opinião do blog

Dilma Levy

 

A oposição (formal), a mídia e o mercado se contradizem ao tentar se aproveitar do perfil supostamente mais ortodoxo do novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, para atacar a presidente reeleita valendo-se de duas teses antagônicas: nomeá-lo significa render-se aos neoliberais e, ao mesmo tempo, a nomeação do técnico não é para valer.

Do lado da oposição tucana, por exemplo, entre tantos outros o candidato derrotado à Presidência Aécio Neves, na última sexta-feira, no Jornal Nacional, deu a seguinte declaração:

Na verdade, o que eu vejo é uma grande contradição entre o discurso anunciado pela equipe econômica e a ação do seu próprio governo, porque no momento em que a equipe anuncia uma política fiscal mais transparente, a necessidade de ajustes, aqueles mesmos que ela negava durante a campanha eleitoral, o seu governo patrocina no Congresso Nacional uma enorme violência à lei de responsabilidade fiscal. A presidente Dilma deveria estar envergonhada de ter que se encontrar com a candidata Dilma nos corredores do Palácio do Planalto”.

Aécio, para variar, distorce os fatos. Dilma jamais negou a necessidade de ajustes na economia. Sobre ajuste fiscal, por exemplo, o que ela disse durante a campanha é que “Não é necessário um ajuste fiscal profundo”. Dilma reconheceu várias vezes, durante a campanha, que ajustes são necessários e pontuou que o que diferia os ajustes que faria dos ajustes que Aécio e Marina fariam seria a intensidade. Ponto.

Um dia antes da entrevista ao Jornal Nacional, porém, em entrevista a uma rádio gaúcha, o tucano cobrou de Dilma “autonomia” para o novo ministro da Fazenda trabalhar.

Vamos ver se ele terá autonomia para fazer o que é necessário

Ora, ora… Ao mesmo tempo em que os tucanos (assumidos e enrustidos) dizem que Dilma está adotando o programa deles – ou o de Marina, ainda mais radical em termos de “ajustes” –, duvidam de que ela o fará…

PSDB, contradição é o teu nome.

Mas, como de costume, os tucanos papagaiam o mercado financeiro. A verdadeira posição dos conservadores não é a de achar que Dilma cometeu estelionato eleitoral e está adotando o programa de governo que foi derrotado nas urnas. Isso fica claro nas opiniões dos “especialistas” do mercado.

Na avaliação de Felipe Salto, economista da Tendências Consultoria, a escolha de Levy é “um passo na direção certa”, mas sua maior dificuldade será a “interlocução com a presidente”. “Qual será o espaço político que Levy terá para fazer as tão esperadas reformas? O governo estará disposto a lhe dar carta branca para tomar medidas duras, mas necessárias, para cobrir o rombo fiscal?”, questiona.

Sergio Vale, economista-chefe da consultoria MB Associados, concorda: “Levy é um economista excepcional. Mas há dúvidas sobre se terá autonomia em relação à presidente para fazer as reformas necessárias”.

Já André Pereira Perfeito, economista-chefe do Gradual Investimentos, acredita que ainda é cedo para fazer essa avaliação, já que a equipe completa e as medidas a serem tomadas por Levy ainda não foram anunciadas. “O anúncio do ministro é a cereja do bolo, mas ainda não sabemos do bolo inteiro”, diz.

“Carta branca”? “Autonomia”? No way… Nunca houve um ministro do governo Dilma Rousseff com “carta branca”. Muito pelo contrário: a mídia tucana sempre afirmou que o “defeito” da presidente é ser “centralizadora”.

Nesse aspecto, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse o óbvio. Até porque, dizer o óbvio muitas vezes é necessário. Carvalho saiu em defesa de Dilma lembrando que, “Ao contrário do que dizem na imprensa, não é a presidente Dilma quem aderiu ao programa econômico de Levy, é ele quem aderiu ao dela”.

A escolha de Levy foi feita muito mais para que um técnico considerado de linha mais ortodoxa possa referendar a política econômica para o mercado. Isso já começou a ocorrer no mesmo Jornal Nacional, na quinta-feira passada. Matéria sobre a indicação da nova equipe econômica disse, com todas as letras, que Levy considera que o Brasil NÃO está em crise, ao contrário do que dizem a mídia, o PSDB e o mercado.

É grotesco dizerem que Dilma tem que dar “carta branca” a um subordinado. O papel dele será o de fiador de que não estão ocorrendo no país as desgraças que a mídia vem anunciando, e que o grau de ajustes será adequado. Afinal, é diferente um ministro independente como Guido Mantega dizer isso e um técnico “do mercado” dizê-lo.

Se querem que Levy tenha “carta branca”, que o convidem para ser candidato do PSDB ou do PSB à Presidência em 2018 e elejam-no. Até lá, ele será apenas mais um auxiliar daquela que, desde 1º de janeiro de 2011, tem dado a última palavra sobre cada ato do governo. E que acaba de ser reeleita com 54 milhões de votos.

79 comments

  • Edu, excelente este teu artigo, mas está na hora das esquerdas em PESO, PEDIR QUE O PIG E SEUS “TROMBONES” disputem eleições SE QUEREM MANDAR O BRASIL. Se submetam às urnas e não à corrupção do litrinho de wisks para escreverem o que o patrão mamda.

    • Querem mandar? Então arranjem um um bom candidato e esqueçam as siglas: PSDB, PMDB e DEM, candidato esse com uma passado íntegro e não um coxinha igual a AECIM, cheio de vícios desde a juventude, um sujeito que teve tudo para ser um bom candidato, mas, não pensou que num futuro próximo tudo viria à tona! Querem mandar no Brasil? Sejam corretos e trabalhem em prol do país, seus coxinhas malditos!

      • Dona Silene, este que a senhora se refere como “AECIM, cheio de vícios desde a juventude, um sujeito que teve tudo para ser um bom candidato, mas, não pensou que num futuro próximo tudo viria à tona” recebeu 51 milhões de votos dos brasileiros.

        • o que é uma lástima, visto que o PSDB/Mídia é um partido anti-povo….se o povo está votando num candidato que é contra ele próprio, algo de muito sério está acontecendo e que é de conhecimento de todos: a manipulação abjeta da própria mídia.

        • Caro Yared

          A mídia conseguiu que 51 milhões de pessoas votassem no Aécio, após 12 anos de constantes mentiras contra o PT.
          Quem quer que fosse indicado pelo Aécio, o trabalho dele seria desempregar, desmontar e vender a Petrobras, entre outras coisas, que é a base do PSDB, DEM entre outros.
          Aécio e demais querem a autonomia, desde que venha ordem dos EUA.

          Saudações

        • Prezado Yared,

          Para não ser prolixo, escrevo o seguinte:

          Se Arinos disse que Jânio era a UDN “de porre”, por que não dizer que Aécio é a UDN “doidona” ?

        • Muitos votos destes conseguidos á custa de mentiras, ilações, fofocas, terrorismo psicológico e outras táticas próprias de imprensa desonesta.

      • Aecim, vai trabalhar no Senado, coisa que você não faz (acostumou na juventude a ser fantasma como assessor de papai). Você foi derrotado para a Presidência, aceita que dói menos. Como analista político, você é ainda pior do que o péssimo senador que é. Quem o convenceu que estamos interessado no que você acha? A Dilma não tem que ter vergonha… você é que precisa ter vergonha e procurar teu lugar. Está ultrapassando o ridículo essa ideia fixa de quase presidente.

      • O curioso é que pessoalmente ele era de direita, enquanto os personagens tinham viés de esquerda. O Chaves por exemplo retrata a desigualdade social na América Latina, e o Chapolin em alguns episódios rivalizava com o Super Sam, representante do império norte-americano. Outra coisa me chamou atenção, no facebook muita gente reclamou do seu cigarro. Chespirito era fumante inveterado e viveu 85 anos! Pra ver como esse negócio é relativo, tem muita gente que não fuma nem bebe e morre cedo

          • Não vá me expurgar do blog se eu escrever que fumar não é uma boa e que existe tratamento para isso.

            Pense na responsabilidade que você assume perante aqueles que o leem e pense na responsabilidade que você assume perante si mesmo. Parede fumar, Sr. Eduardo Guimarães !

  • Brilhante relatório inclusive com a juntada de provas (transcrições do Pig).

    Como sempre você desmascara os inconformados que tiveram seus projetos vetados pelos eleitores.

    Parabéns.

  • Edu, é como eu disse em uma postagem anterior (não lembro qual era o tema da postagem), não existe isso de convidar um ministro (seja qual for a pasta) e o presidente e ou a presidente serem obrigados a darem carta branca somente porque a mídia e a oposição partidária assim quer, quando um presidente convida alguém para trabalhar em um ministério está automaticamente dizendo que aquele indicado vai aceitar os termos para ser o ministro e ou ministra, isso que a mídia e a oposição fica pedindo é uma bravata sem tamanho e digo mais, duvido que o playboy Aécio daria “carta branca” aos seus ministros, pois todos sabemos que um ministro está apenas executando seus serviços sob a batuta e critério de um presidente, nada mais que isso. infelizmente temos uma mídia que distorce, manipula e MENTE descaramente a população (ao menos a parcela da população que dá audiência a determinada mídia, eles (mídia) sabem que não mandam em nada, principalmente em se tratando do governo atual, eles pensam que podem dar algum pitaco, mas influir na rotina de trabalho do governo federal, isso não conseguem, apenas a mídia joga um “osso” para ver se cola no governo e também tentar jogar a população (que lhe dá audiência) contra o governo federal.
    abraços!

  • Pensando de maneira mais clara e pragmática, penso que devemos dar esse voto de confiança ao trio que Dilma escolheu. Só acho que na indicação de Kátia Abreu a inflexão foi muito exagerada para não dizer mais. Mas o verdadeiro problema se chama Regulação da Mídia. Ou a presidenta usa de todos os meios possíveis e cooptáveis junto ao nosso parlamento que é fisiologista ao extremo, para aprovação dessa lei, ou….não haverá Lula, blogs, redes sociais que revertam a derrota em 2018. Aliás, acredito que estamos perdendo tempo com essa propalada Reforma Política, deixem a igreja e os movimentos sociais fazerem a pressão e o governo deveria se concentrar na mídia golpista, até por que se houver Reforma Política, a mudança mais importante já está com os dias contados no STF, que é a proibição do financiamento privado nas campanhas.

    • Fico contente que tenha pensado melhor. Também ficaria contente se repensasse algumas coisas que disse sobre mim por dizer aquilo que, agora, você entende melhor.

      • Caro Eduardo Guimarães,

        Você tem e continuará tendo a minha admiração por essa militância incansável em favor dos brasileirinhos. Desculpe se em algum momento não me fiz entender corretamente, mas as críticas que fiz foram para Dilma e o novo Governo, que naquela momento me parecia ensaiar uma capitulação frente ao conservadorismo golpista.
        A verdade é que essas eleições nos deixaram marcas profundas e infelizmente, também inúmeras amizades perdidas. Torço para que Dilma melhore sua interlocução junto a nós, o povo brasileiro, que também quer o bem do nosso Brasil, um Brasil de todos. No mais ficam minhas desculpas por algum ato que realmente não foi intencional. Abs.

  • http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/162122/Gilmar-barra-a%C3%A7%C3%A3o-contra-engavetador-tucano.htm
    Edu, mudando o assunto da matéria do seu blog e entrando nesse do G.M
    Quem pode investigar e mesmo punir esse verme?
    Não seria o Senado?
    Se for o Senado, porque o PT , digo seus senadores não entra com pedido de investigação contra esse verme, mesmo o PT não sendo maioria, só de pedir investigação já daria um recado forte a esse verme que é o Gilmar Mendes.

  • Discursos decorados e combinado. O PIG golpista diz: Vou gravar com você e colocar hoje à noite no Jornal Oposição, prepare o texto e decore. Tabelinha dos derrotados. Globo e Golpe tudo a ver. Porém, o povo não é mais bobo.

  • Prezado Eduardo:

    1. “Aécio, para variar, distorce os fatos. Dilma jamais negou a necessidade de ajustes na economia. Sobre ajuste fiscal, por exemplo, o que ela disse durante a campanha é que “Não é necessário um ajuste fiscal profundo”. Dilma reconheceu várias vezes, durante a campanha, que ajustes são necessários e pontuou que o que diferia os ajustes que faria dos ajustes que Aécio e Marina fariam seria a intensidade. Ponto.”
    “ Não se pode gerenciar mudanças, somente estar `à sua frente.Hoje não ouvimos muito a respeito de “ superar a resistência às mudanças” que há 10 ou 15 anos era um dos tópicos mais populares nos livros e seminários de administração. Atualmente todos aceitam que “ mudanças são inevitáveis”, mas isto implica que elas são como “ morte e impostos”: devem ser adiadas o máximo possível e nenhuma delas é muito preferível.

    Mas em períodos de tumultos, como este em que vivemos, mudança é a norma. É claro que são dolorosas, arriscadas e requerem uma grande dose de esforço. Porém, a menos que se entenda que a tarefa da organização é liderar as mudanças, ela – seja uma empresa, universidade, um hospital – não irá sobreviver. Em períodos de rápidas mudanças estruturais, os únicos que sobrevivem são os líderes de mudanças.
    Portanto, é um desafio central de gerenciamento para o século XXI que toda organização se torne líder de mudança. Um líder de mudanças as vê como oportunidades. Ele busca mudanças, sabe como achar as boas mudanças e como torná-las eficazes, fora e dentro da organização. Isto requer:

    • Políticas para criar o futuro

    • Métodos sistemáticos para buscar e prever mudanças

    • A maneira certa para introduzir mudanças, dentro e fora da organização

    • Políticas para equilibrar mudanças e continuidade

    É destes quatro requisitos para ser um líder de mudanças que trata esse capítulo.

    III.1 POLITICAS DE MUDANÇA
    Fala-se muito hoje sobre “organização inovativa” . Mas tornar uma organização mais receptiva a inovações – ou mesmo organizá-las para elas – está longe de ser suficiente para um líder de mudanças. Pode ser até um desvio. Para ser um líder de mudança é preciso disposição e capacidade para mudar aquilo que está sendo feito, assim para fazer coisas novas e diferentes. São necessárias políticas para fazer o presente criar o futuro.

    A primeira política – e a fundação de todas as outras – é abandonar o ontem. A primeira necessidade é liberar recursos, deixando de comprometê-los com a manutenção daquilo que não mais contribui para o desempenho e não mais produz resultados. Não é possível criar o amanhã, a menos que antes se jogue fora o ontem. Manter o ontem é sempre difícil e consome muito tempo, e a sua manutenção sempre compromete os recursos mais escassos e valiosos da instituição – e acima de tudo seu pessoal mais apto – com não resultados. No entanto, fazer coisa diferente – quanto mais inovar – sempre conduz a dificuldades inesperadas : requer liderança de pessoas de capacidade alta e comprovada, as quais, se estiverem comprometidas com a manutenção do ontem, simplesmente não estarão disponíveis para criar o amanhã.
    Desse modo, a primeira política de mudança, para toda a organização, deve ser o abandono organizado.
    O líder de mudanças coloca cada produto, serviço, processo, mercadoria, canal de distribuição, cliente e uso final em julgamento pela vida.E faz isso segundo uma programação regular. A pergunta deve ser feita – e a sério. “ Se já não fizéssemos isso, sabendo o que sabemos, nós o faríamos? “ Se a resposta for negativa, a reação não pode ser “Vamos fazer outro estudo”, mas sim “ O que faremos agora” A organização está comprometida com a mudança.

    O texto acima foi extraído do livro Desafios Gerenciais para o Século XX – Peter Drucker – Ed. Pioneira.

    Está claro que Drucker enfoca o assunto em termo micro econômico, mas, ampliando o nosso horizonte mental, podemos e devemos ver pelo ângulo macro econômico, pois é disso que Eduardo está tratando.
    Não vejo conflito nessa comparação e sim um elemento base para a mesma.

    Vamos mais uma vez citar Peter Drucker e façamos um paralelo entre o que ele diz e a decisão da presidenta Dilma.
    “ Em vez de tomar inúmeras decisão, os executivos eficazes concentram-se no que é importante. Tentam tomar as poucas decisões importantes no nível mais alto do entendimento conceitual. Procuram localizar o que é invariável em uma situação, pensar no que é estratégico e genérico, em vez de “resolver problemas”. Portanto, não se sentem excessivamente impressionados pela rapidez na tomada de decisões. Ao contrário, consideram a virtuosidade em manipular um grande número de variáveis um sintoma de reflexão descuidada. Querem saber do que se trata a decisão e que realidades subjacentes ela tem de satisfazer. Querem impacto, em vez de técnica. E desejam ser justos, e não brilhantes.
    Executivos eficazes sabem quando uma decisão deve basear-se em princípios e quando deve ser tomada pragmaticamente, conforme o mérito da questão. Sabem que a decisão mais enganosa é aquela que se situa no meio-termo entre a decisão correta e a errada, e já aprenderam a distinguir uma da outra. Sabem que a etapa que mais consome tempo, no processo, não é a tomada de decisão em si, mas o ato de colocá-la em prática. A menos que uma decisão se converta em trabalho, ela não será uma decisão; terá sido, no máximo, uma boa intenção. Isso significa que , embora a decisão eficaz seja tomada com base no mais alto nível do entendimento conceitual, o compromisso com a ação deve estar o mais próximo possível da capacidade das pessoas encarregadas em cumpri-la. Executivos eficazes sabem, sobretudo, que a tomada de decisão tem seu próprio processo sistemático e seus próprios elementos claramente definidos.”. Extraido do Livro – Drucker – Peter Drucker, Ed. Campos.

    OBS : Enquanto o PT trabalha , o PSDB sabota do desenvolvimento do Brasil.

    • Transcrevo o que entendo ser o tópico frasal de todo o seu texto:

      …”o compromisso com a ação deve estar o mais próximo possível da capacidade das pessoas encarregadas em cumpri-la”….

      Ainda dentro do tema “Levy é ministro e não presidente”, reporto, de forma muito sucinta, calorosa discussão mantida ontem, sábado, numa famosa creperia de Brasília, entre mim e um figurão da Febraban:

      …. Como jamais poderia deixar de ser, alguém na mesa fez a mesma fatídica pergunta : ” por que os juros são tão altos no Brasil ? ” …..

      O gajo (da Febraban) se pôs a discorrer o também inevitável e velho discurso de que o Brasil não tem credibilidade suficiente, para que os juros arrefeçam. Puro clichê.

      Evidentemente, que eu me contrapus, mencionando outros países com muitíssima pior carência de refinanciamento ( rolagem ) dos títulos públicos. Países esses, onde os juros são , digamos , … civilizados.

      Muitas pessoas aderiram ao meu discurso e o gajo se viu obrigado a aplicar a tal “chave de galão”:

      …. ” não adianta colocar o Levy, porque se o mesmo não “obedecer” ao mercado, será liquefeito do mesmo modo”….

      É daí que eu fico , ao mesmo tempo, consoante com a liderança da presidenta e apreensivo com o que será sem dúvida uma disputa por maiores taxas de juros, sob o pretexto de ceder em favor da governabilidade.

      Eu apoio Dilma e reconheço-lhe a liderança. Mas, também pondero que houve cessão em direção ao tal mercado. Seria esse um gesto de diálogo ? Mas, até que ponto esse diálogo será convertido em monólogo, sinceramente não sei.

      Termino da mesma forma que iniciei:

      …”o compromisso com a ação deve estar o mais próximo possível da capacidade das pessoas encarregadas em cumpri-la”….

      O compromisso da presidenta todos nós conhecemos, mas…. qual tem sido o compromisso do mercado com “ação” diferente daquela que aponta para a submissão crescente dos Estados nacionais ?

      Valeu.

  • Caro Edu.
    Sempre brilhante!
    Acho, inclusive, que um dos papéis do Levy no governo da Dilma é o de fazer um contraponto necessário nas discussões sobre as decisões a serem tomadas, pois é nos confrontos saudáveis que a melhor solução aparece. Esse negócio de um falar algo e o outro confirmar, não provoca soluções muito consistentes.
    Parabéns, amigo!
    Grande abraço.

  • as famílias dos barões da mídia e dos políticos da direita brasileira geraram nesses últimos anos uma quantidade tão grande de karma negativo, que eu fico me perguntando se os descendentes deles vão conseguir segurar a onda. Eu nunca vi tanta mentira e canalhice despudorada em nenhuma outra classe no país.

  • os barões da mídia e dos políticos da direita brasileira geraram nesses últimos anos uma quantidade tão grande de karma negativo, que eu fico me perguntando se os descendentes deles vão conseguir segurar a onda. Eu nunca vi tanta mentira e canalhice despudorada em nenhuma outra classe no país.

  • A oposição alucinada já mandou a realidade às favas faz tempo. É incrível como o discurso deles é completamente divorciado dos fatos.

    Por exemplo, no governo Dilma foram registradas as menores taxas de desmatamento da Amazônia. Aí vem o SBT e diz que a Amazônia está em perigo, de uma forma tal que aparenta que o desmatamento aumentou!

    Aí o Zé Ruela anti-PT nem quer saber se é verdade ou não, se faz sentido ou não, e já tasca mais uma acusação de “descaso com a Amazônia” e “incompetência” e por aí vai!

    É simplesmente surreal. A verdade não interessa pra essa gente, que só quer tirar o PT do poder e ponto final.

    É uma oposição doente, fanática.

    Caso de hospício.

  • LEVI terá autonomia quando vinher com medidas progressistas, pelo social , pelo desenvolvimento, mais se ele vier com medidas recessivas digo RECESSIVAS, ENTAO ele nao terá autonomia, porque a presidente ja tem um zero a esquerda que é esse Edudardo Cardoso, e ainha ter um justamente onde mexe mais com o governo é impossivel.

  • O bloguerio Eduardo Guimarães é um sujeito engraçado, há uns dias escreveu que o Ricardo Noblat não era homem por que o jornalista não dizia ( não há necessidade, todos sabem quem são) os nomes dos integrantes da “rede de blogueiros chapa branca”, mas o Eduardo Guimarães também não é homem de ir ao 247 rebater as bem embasadas críticas ás besteiras que o blogueiro escreve. O blogueiro prefere ficar escondidinho em seu próprio blog, trocando figurinhas com os puxa-sacos que aparecem por aqui, mas não dá as caras por lá, onde não pode censurar comentários de gente inteligente e bem informada!

    • Eduardo Azevedo
      Eu não sei quem são os “blogueiros chapa branca” é antiga essa tática usada quando não existem provas “todo mundo sabe” genérico demais pra ser chamado de jornalismo. Essa é a mesma tática que o PIG usa de tão genérico e anônimo impede o direito sagrado e constitucional de defesa. Mais ou menos como a matéria sobre o doleiro na veja..”eu acho” que Lula e Dilma sabiam…”achismo” e jornalismo não combinam a não ser na revista “quem”. De o direito de defesa seja claro por favor…Eduardo Guimarães é um blogueiro “chapa branca”??????

  • Na verdade o tempo vai mostrar para o que veio o novo ministro da fazenda, não acredito que Dilma iria jogar sua credibilidade fora junto ao seu eleitorado que se empenhou como nunca para uma vitoria apertadíssima. Ajustes serão feitos como esperado mas nada muito drástico, o próprio Levy já afirmou que a renda e emprego não serão afetados. Já numa eventual vitoria dos tucanos e seu “guru” Armínio Fraga a frente da fazenda as “medidas amargas” teriam alvo certo que seria a classe trabalhadora, vamos aguardar mas confio na coerencia da presidenta

  • Eduardo,

    Há dias atrás, escrevi sobre os erros que o PT vem cometendo no texto: “Petistas críticos a escolhas de Dilma quiseram “refundar” PT devido ao mensalão”, não quis entrar em detalhe sobre a equipe econômica porque quero esperar para poder falar sobre o assunto. Você é uma pessoa de grande conhecimento e escreve muito bem e tenho certeza que é uma pessoa séria que realmente apoia o PT. Mas acredito que não conhece toda a história do PT dede sua formação. Achei estranho sua expressão no texto acima (tucanos assumidos ou enrustidos). No PT, infelizmente isso acabou, era comum muitos debates por discordâncias de posicionamento e isso fez com que o partido crescesse. E essa coisa de divisão em tendências dentro do PT surgiu através da imprensa e de parte de petistas que foram se capitulando. Eu, por exemplo, sou petista, sou filiado ao PT e para mim essa tendências dentro do partido não faz o nenhum sentido. Ou é petista ou não é. O texto que escrevi é justamente reclamando desta posição dos que passaram a mandar no PT e começaram a excluir parceiros antigos que mesmo discordando de posições adotadas lutavam juntos.
    Essa democracia que foi acabando no partido e que está perdendo o sentido defender o partido ou não, pois, isso não está sendo levado em conta pela corrente dominante no Partido. Nunca dependi de qualquer partido para nada. Sempre apoie o PT por ideologia, mas sinto que os eleitos pelo partido só lembram dos militantes no período eleitoral, e espero mais do que isso para apoiar um partido.
    Pessoalmente, não faria diferença nenhuma se ganhasse Aécio, Marina e Dilma, não dependo da política para nada. Mas, sei que de Aécio ou Marina ganhasse, seria muito ruim para a população mais carente. E por isso votei e me empenhei para que os candidatos do PT se saíssem bem.
    Concordo que temos de defender o governo Dilma de qualquer tipo de golpe, mas o PT precisa buscar entender o passado para aceitar os erros e corrigi-los, caso contrário continuará cometendo os mesmos erros.
    Quanto a questão da mídia, por exemplo, desde o primeiro governo Lula que o governo vem destinado valores absurdos para a globo de R$690.000.000,00 por ano, para que ela tenha recursos para bater o tempo todo no PT. Isso sem falar nos outros integrantes do PIG. Porque, não economizaram parte desses recursos para saúde, educação, e também para fortalecer a TV Brasil. Tudo isso poderia ser feito sem uma lei de regulamentação da mídia. A lei de regulamentação é importante, pois, incluiria outras questões como direito de resposta, entre outros. Mas só a retirada destes recursos do PIG já tirariam seus recursos para bater o tempo todo no PT.
    Eu não sou PSDB nem assumido e nem enrustido e ainda sou filiado e militante do PT, mas estou seriamente pensando em apenas votar, já que o Partido só precisa dos militantes na época da eelição.

  • Quer dizer que DILMA da a última palavra sobre tudo em seu governo ?!

    ..aguardemos pelo petrolão, então …vamos ver qual vai ser a desculpa

    Tá bom, concordo, o PSDB é a contradição em pessoa.

    Mas o que dizer dos PTistas que sobraram ? ..destes que defendem qualquer diabo e/ou tese desde que os mandem fazer, mesmo sabendo que as defesas INSANAS ofendem qq tipo de lógica e/ou credo ?

    Defensores tipo como aqueles que falavam que as obras ficariam prontas a tempo ..que a COPA iria salvar a Nação ..que a economia estava uma UVA ..que o país não estava DESCARRILHADO e prostrado ao chão ..enfim, gente que dizia que não havia nada de errado na economia, e que o governo de DILMA, não só tinha avançado como teria dado conta do recado ??!!

    Olha verdade verdadeira é que o governo das “fêmeas” foi um FIASCO, e hoje sobra caco pra todo lado ..vai ser difícil arrumar, viu ??!!

    • Bananélli !!! Você voltou ?! Pensei que você já tinha se escafedido.

      Por falar em sumiço… Você sabe onde está o Brinco, Bananélli?

      Aquele pulguento fugiu da coleira e nunca mais foi visto. Se você o vir avise que comprei Papita de sabor costelinha.

      Abração* Bananélli.

      * de tamanduá

  • O fato é que o Governo baixou PELA METADE o tal “superávit primário”, que é a reserva que garante o pagamento de rentistas e especuladores. Só isso já mostra a disposição do Governo de direcionar recursos para Saúde, Educação e Infraestrutura.

    • Prezado Roberto,

      Isso pode ser bom e pode ser ruim. Ao fazê-lo, o governo pode também estar sinalizando para um maior “déficit nominal”.

      Ou seja, as coisas são muito correlacionadas.

      Baixar o “superávit primário” sem forte sinalização de queda no refinanciamento ( notadamente o de curto prazo ) pode não ser nada bom.

      E, sinceramente, … na lata …. (eu voto PT… sou PT CNF 6377107)… não vejo nada bom no horizonte.

      A viabilidade do pré-sal tem sido atacada por um fenômeno conjunto ( xisto / OPEP ) que tende a manter o barril abaixo de 80 dólares.

      O governo é o fiador de projetos incomensuravelmente caros no petróleo e na defesa…. e também nas áreas sociais.

      Sinceramente…. na lata…. eu acho que o governo emitirá uma quantidade enorme de títulos nos próximos dois anos, porque não dá para “voltar atrás” nesses projetos.

      Permita-me chamar os rentistas de “abutres”, porque eles sabem disso e espreitam o que se tem chamado de fim e ciclo, para poder “ofertar” com uma mão e “sabotar” com outra.

      Valeu.

  • Eduardo, tenho três preocupações:
    1. Possível não aprovação das contas da campanha 2014, visto que quem a julga é quem é.
    2. Possível eleição daquele pmdebista (que sabota a república) para a presidência da câmara.
    3. Votação da próxima terça a respeito do superávit primário.
    Tens alguma novidade?

  • Edu,

    Na sociedade atual autonomia é utopia. Levy que trate de se adequar, senão que vá se catar.
    Está na hora de Dilma começar a aparar as asinhas desses Zecutivos.

  • Muito bom, Eduardo. Fiquei com um pé atrás com a indicação do Levy e, confesso, até assinei o manifesto contrário à indicação dele e de Kátia Abreu. Depois de ler seus comentários e de outros comentaristas lúcidos, faço mea culpa sobre minha opinião a Levy. Não o faço, entretanto, com Kátia Abreu que, como diria Dilma, “nem que a vaca tussa”. É importante ler comentários como você os faz, porque opiniões podem ser mudadas e não me envergonho disso. Quanto ao Aécio que disse num tom cínico como é do seu perfil que “a presidente Dilma deveria estar envergonhada de ter que se encontrar com a candidata Dilma nos corredores do Palácio do Planalto”, pergunto: quando ele se olha no espelho será que ele sente vergonha de ver uma figura sem escrúpulos que teve a indecência de construir um aeroporto com dinheiro público em propriedade própria e, como se não bastasse, dar a chave do mesmo para o tio? Respondo: não, ele não sente vergonha pois não passa de um sem-vergonha de marca maior.
    Parabéns, Eduardo, pelos seus comentários sempre norteados pelo bom-senso.

  • Ao Senhor Marcos Faria.

    Grato pelo texto que acabei de ler de sua autoria, pois tenho o mesmo pensamento seu com relação ao PT.
    Muito embora eu não seja filiado me sinto nas mesmas condições suas e de muitos outros Petistas militantes e admiradores que só são lembrados em períodos de eleições.

    Engolir a Kátia Abreu é dose. Nem quero aqui defender as estratégias da presidente Dilma em abrir um canal de diálogo com determinados setores, mas ela já deve ter sentido o golpe ao ver a Ministra Kátia Abreu sair em defesa do Ministro Gilmar Mendes, né?. Sem contar que a Kátia já está criando uma cisão dentro do próprio PMDB por ela não fazer parte da cota do partido no governo. Se trouxe a Kátia para somar e garantir mais conforto no congresso, tenho as minhas dúvidas. Por enquanto prefiro esperar mais um pouco. Mas a Ministra já mostrou claramente para a presidente de que lado estar e por certo não é do lado do governo, pois se estivesse do lado do governo não apoiaria o Gilmar Mendes tão enfaticamente. Todos sabem da posição do Gilmar Mendes com relação ao governo e ao PT.

    http://jornalggn.com.br/noticia/katia-abreu-um-elefante-em-loja-de-loucas

    • Caro José Saguy,

      Quando Kátia Abreu exalta o Gilmar Dantas Mendes, talvez esteja querendo uma ajuda para aprovação de suas contas e de seu filho que foi eleito deputado. No período eleitoral Kátia Abreu enviou carta a todos os agricultores filiados a CNA pedindo ajuda para a campanha num tom de de intimidação, por isso, talvez seja esse o fato dos elogios a Gilmar.
      Obrigado por concordar comigo no que escrevi, não quero ser dono da verdade, apenas quando escrevo estas questões acham que tenho ressentimento do PT por algum motivo, mas não é nada disso. O que acontece é que não há como negar que o PT mudou muito de posição e quando escrevemos sobre isso, a gente é que é o errado.
      há alguns dias atrás, estava num cafezinho junto com duas pessoas filiadas ao PT e o presidente o PDT chegou com toda arrogância dizendo que o PT acabou com a Petrobrás por causa da robalheira. Discuti com ele, e disse a ele que é aposentado por invalidez e trabalhou como comissionado no mandato que terminou em 2012 e perguntei para ele se isso era correto ou era corrupção. Todos concordaram comigo, mas depois comecei a pensar e ontem mesmo fiquei sabendo que ele está cotado para ter cargo na administração do PT este ano, não vou citar o governo para não surgir alguém da oposição e querer prejudicar o governo. Tenho uma outra história de um militante que apoiou a candidata a prefeita cujo vice era do PT e que depois foi colocado como secretário de saúde. este militante perdeu a casa que caiu, teve de ir morar com a sogra, mas os móveis ficaram guardados na casa da mãe, ele estava desempregado e
      tentou conseguir um emprego entre tantos que foram colocados na prefeitura, não conseguiu, enquanto pessoas da oposição conseguiram. Num dia chuvoso ele foi tirar uma goteira do telhado que era de amianto e que estava estragando seus móveis. a telha quebrou e ele caiu e quebrou o braço e costela. Depois da internação, mesmo o secretário de educação sendo do PT e este militante ter trabalhado para ele, o militante ficou mais de um ano aguardando vaga para fazer fisioterapia.
      Todos nós sabemos que não se governa sozinho, mas em todo governo quem sede mais é o PT. Quantas vezes o PMDB votou contra os projetos do PT? Aliados assim, é melhor não ter. aliás aqui na minha cidade o PMDB tem a apelido de a maior prostituta, porque vai para o lado que dá mais.
      Desse jeito o PT está afundando cada dia mais e nós que queremos e lutamos para ver se o partido enxerga os erros para melhorar, somos colocados de lado e até maltratados.

  • Marcos, são exatamente sobre essas mazelas do PT, que eu tenho feito críticas, mas sempre ouço dizer que nano é hora de se criticar o governo nem o PT, pois estamos em fase de formação de governo. E que em nome da governabilidade devemos engolir um monte de sapos enormes. Nessa últimas eleições ninguém via uma única bandeira do PMDB junto com a nossa, em momento algum você viu alguém do PMDB, exceto o senador Riquião, sair em defesa do governo ou do PT, mas basta, sair o resultado favorável para esse chupim vir botar a faca no pescoço do governo exigindo cargos.
    E o PT, o governo além de não enfrentar a velha mídia, ainda dá dinheiro ela, parece até mulher de malandro. Não temos Ministro da Justiça e nem das Comunicações.

  • É evidente que essa palhaçada de “autonomia” significa impor a ideologia neoliberal como uma Verdade Universal, a pairar acima das escolhas políticas democráticas da Sociedade, quando ela é somente uma ideologia perversa que foi rejeitada pelos brasileiros ao escolherem Dilma nas eleições. Contudo não sejamos ingênuos : escolher o neoliberal Joaquim Levy para compor a equipe econômica, no cargo mais importante, de um Governo que tem o desenvolvimentismo como obrigação histórica indispensável só poderia dar nisso. Juntamente com as piadinhas da mídia calhorda, Joaquim Levy é mais do que um nome, É UMA ESCOLHA POLÍTICA, DESENVOLVIMENTO É UMA ESCOLHA POLÍTICA, E NÃO SE PODE ACHAR QUE ESSA ESCOLHA NÃO TERIA PESO. Não se trata de saber que Levy será subordinado a Dilma, isso é importante, mas ainda há aspectos maiores; trata-se de saber que ao escolher Levy Dilma amarrou sim uma parte(e espero que seja somente uma parte) de seu mandato aos ditames do “Mercado”, adotando na melhor das hipóteses a política conciliadora do início do Governo Lula. Só que ao contrário daquela época, o país agora é outro; e falo outro no sentido positivo, não pela ótica negativa que costumam usar os blogueiros progressistas que defendem essa tese; o Brasil está no momento de combater as estruturas fundamentais de seu atraso e iniciar um verdadeiro processo de desenvolvimento. Nossas reservas altíssimas, o imenso mercado Consumidor que os doze anos do PT criaram, a descoberta do pré-Sal, as obras de infraestrutura, o fortalecimento dos BRICS e do Mercosul o início de uma política industrial que o Governo Dilma elaborou, colocam-nos na posição de finalmente romper as amarras de nossa inserção subalterna na Economia internacional, tornando-nos um país superavitário em seu Balanço de Pagamentos(que inclui royaltes e serviço da dívida), o que só ocorrerá com a inserção do Brasil nas grandes cadeias de produção tecnológica. Esse é o momento de baixar juros e parar de enviar bilhões para fora através da dívida interna e não de colocar um fazedor do “dever de casa ” neoliberal(que é somente um eufemismo para amarrar o país na exploração financeira estrangeira)iniciando o abortamento de um processo que, ao meu ver, se não fossem as mesmas medidas neoliberais tomadas por Dilma em 2011, quando aumentou os juros e baixou o câmbio, já nos estaria colocando num processo de desenvolvimento autônomo ainda mais contundente. Dilma precisaria de um Luiz Gonzaga Belluzzo ou uma Maria da Conceição Tavares no Ministério da fazenda, se não ousarmos e enfrentarmos a ortodoxia , morreremos na praia eternamente, e não se render(com maior ou menor grau)ao neoliberalismo colocando um bancário para comandar umas Economia que precisa de um choque de produção tecnológica independente para crescer. Dilma precisaria um Celso Furtado e colocou um George Soros para comandar a Economia. Depois não quer que a direita ache graça!

  • Não podemos descansar. Aécio é o cara que votou 50 vezes contra o trabalhador.

    Basta distribuir essa informação no Facebook, Tweeter, Wats Up. Vamos detonar esse sujeito que não entende que não foi eleito. D E T O N A R.

    Ademais ele está aterrorizado pela possibilidade de abertura da caixa preta de Minas.

    Vamos lá Deputado Correa….. votamos em você. Aperte o bicho na parede.Faça cair sua ficha.

  • Ele terá o tanto de autonomia necessária para tornar a economia mais sólida, porque como todos sabemos, socialismo não gera riqueza, só distribui a riqueza (que alguém gerou).

Deixe uma resposta