Dilma: “Expulsão de Katia Abreu do PMDB é uma violência”

Últimas notícias

 

A senadora por Tocantins, Katia Abreu, já foi uma figura execrada pela esquerda. Em dezembro de 2014, pouco após a eleição em que Dilma Rousseff se reelegeu, intelectuais de esquerda e representantes de movimentos sociais criaram um abaixo-assinado no qual cobraram da presidente “coerência” entre o discurso de campanha e as práticas de governo.

Esse abaixo assinado, inclusive, foi a deixa usada pelos movimentos de extrema-direita para desencadear o discurso do “estelionato eleitoral”, que ainda ganharia reforço da mesma esquerda no limiar do segundo mandato de Dilma.

Passados cerca de três  anos daquele abaixo assinado, tudo mudou. Hoje, à esquerda, todos reconhecem que nunca houve justificativa para a celeuma que se armou em torno de Katia Abreu. Ela acabou sendo a pessoa mais fiel à ex-presidente durante o suplício dela durante o ano que precedeu o golpe que a derrubou.

Nesta sexta-feira (24), Dilma criticou duramente a decisão do Conselho de Ética do PMDB de expulsar a senadora Kátia Abreu (TO). Prestando solidariedade a aliada, a petista disse que a punição dada à parlamentar “é um jogo de cartas marcadas” e uma “violência” imposta pelo “grupo que se apossou do PMDB”.

Kátia Abreu foi ministra da Agricultura no governo Dilma, votou contra o impeachment da ex-presidente e, nos últimos meses, foi de encontro às reformas propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB).

Segundo a ex-presidente, a resposta ao PMDB sobre a punição da senadora virá das urnas em 2018. “Todos os tocantinenses terão oportunidade de homenagear a sua competência, coragem e decência em 2018”, previu.

Ao comentar sobre o assunto, Dilma ainda destacou que Kátia Abreu honrou o cargo de ministra e “se posicionou contra o impeachment fraudulento que derrubou o governo eleito e está lutando contra todos os retrocessos sociais e econômicos impostos pelo golpe”.

 

  • Rodrigo Rios

    Tal figura cujo nome prefiro omitir ficava olhando todos os dias a agenda do Haddad, quando prefeito de SP. Agora nem olha a agenda de Doria.

    Eduardo, cancele tal comentario, era pra ser publicado em outra materia, a de jornalista de JovemPan.

    • Luiz Mattos

      Cancele não percebemos e foi muito bom,repita la.

  • Jose Eduardo

    E tudo indica que o próximo da lista, Eduardo, é o bravo senador nacionalista Roberto Requião. Os quadrilheiros tomaram de assalto o partido (já tomaram o país!) e agora o objetivo é expulsar todos os melhores quadros que restaram no PMDB. Afinal, nas organizações criminosas não pode haver “pontas soltas” como ocorre na máfia. Ai se o doutor Ulisses Guimarães fosse vivo!

  • Amarilio Dantas

    Kátia Abreu é um excelente quadro, mulher de fibra pena que tem poucos políticos com a sua lisura, parabéns Senadora Kátia vc me representa!

  • Reginaldo Ruiz

    No PMDB só cabem Corruptos!

  • Luís CPPrudente

    E eu que chamava a Katia Abreu de Kátia Breu, pois ela é uma pessoa de direita, que veio do DEM! Percebo que há pessoas de direita que são nacionalistas, caso da Kátia Abreu, uma mulher honrada e ética se compararmos aos bandidos da direita (Cerra, Temer, Aécio e outros canalhas).

  • Robby Souza
  • Anônimo

    O interessante mesmo será assistir Gleisi Hoffman perdendo o mandato. Sem que nenhum pessedebista corra para ajudá-la. Ao contrário do que seu deu no affair Aécio. Senador mineiro que seguirá, tranquilo, até o final de seu mandato, a despeito de ser recordista em investigações/denúncias.

  • Nigro

    A organização tem o direito de fazer o que quiser. Katia pode ir para o PT junto com o Requião, serão bem recebidos no partido de Dirceu et caterva.

  • Anônimo

    Rapaz, o que se poderia esperar do lado do PMDB?
    Os caras foram longe demais. Não me surpreenderei quando sacarem da manga um parlamentarismo à brasileira. Confiram, sobre isso, o que vem dizendo a autorizada voz de um Jesse Souza, por exemplo.
    O quadro é perigoso. Corremos o sério risco de não termos eleição presidencial no ano que vem!