Com mais de 400 mil apoiadores, votação para indicar Lula ao Nobel da Paz vai até 31 de Janeiro

Todos os posts, Últimas notícias

A campanha internacional pela indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao prêmio Nobel da Paz continua recebendo adesões e segue até o dia 31 de janeiro.

Até às 16h desta quinta-feira, 10, mais de 434 mil pessoas assinaram a petição do argentino Adolfo Perez Esquivel, prêmio Nobel da Paz de 1980, em favor do ex-presidente Lula. A meta é de 500 mil assinaturas. Clique aqui para assinar.

“Para aqueles e aquelas que reconhecem a justeza e validade da postulação de Luiz Inácio Lula da Silva ao Prêmio Nobel da Paz 2019, a adesão deverá ser feita até 31 de janeiro próximo, por meio de formulário disponível na página do Comitê Norueguês do Nobel“, diz texto do Comitê de Solidariedade Internacional em Defesa de Lula e da Democracia no Brasil sobre o assunto.

Leia, abaixo, o texto na íntegra:

A correlação entre garantia dos povos aos direitos humanos, notadamente à saúde e à segurança alimentar, e a construção internacional da paz é patente. Esforços de combate à fome e à pobreza extrema são fundamentais para a constituição de um mundo mais democrático e socialmente justo. Indivíduos, comunidades e sociedades detentoras de reais oportunidades ao desenvolvimento inclusivo e acesso às condições básicas que assegurem a dignidade humana tornam-se resilientes para enfrentar as questões geradoras, início e continuidade de conflitos diversos. Afinal, da mesma maneira que fome e guerra configuram fenômenos que se retroalimentam, garantir a segurança alimentar figura entre os principais instrumentos para alçar a paz mundial.

Por isso apoiamos a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva ao Prêmio Nobel da Paz 2019. Ao longo do governo Lula no Brasil (2003-2010), as lutas contra a fome, pobreza extrema e desigualdade social adquiriram prioridade máxima através de políticas públicas cristalizadas em programas como o Fome Zero e o Bolsa Família. Tais programas foram os responsáveis majoritários pela queda dos índices de desnutrição no País (de 11%, em 2002, para menos de 5%, em 2007), e, igualmente, pela redução da pobreza extrema que, de acordo com relatório da Fundação Getúlio Vargas (FGV), caiu 50,6% no período relativo ao mandato de Lula. Isto possibilitou que o país alcançasse o feito histórico de sair do Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas em 2014.

Entretanto, o alcance das políticas de transferência de renda e para a superação da fome adotadas durante o governo Lula não se restringiram ao âmbito nacional, mas serviram também de inspiração para uma série de programas regionais e ao redor do globo. O governo brasileiro com apoio do Secretário Geral da ONU e dos presidentes do Chile e da França reuniu dezenas de Chefes de Estado em 2004 em Nova Iorque para lançar a iniciativa do “Fome Zero Internacional”.

A eficácia dos programas brasileiros foi reconhecida internacionalmente por instituições de prestígio internacional, tais como a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a Associação Internacional de Segurança Social (AISS), o Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (PNUD) e o Banco Mundial. O ex-presidente Lula recebeu reconhecimento oriundo de diversas organizações e países, por suas contribuições significativas relacionadas ao combate à fome no mundo e promoção da paz, por meio dos seguintes prêmios e homenagens: Conhecimento para o Avanço da Justiça Social da Universidade Brandeis (EUA); Prêmio Interamérica (Cidade do México); Prêmio Indira Gandhi pela Paz, Desarmamento e Desenvolvimento; Prêmio Nelson Mandela de Direitos Humanos; Prêmio pela Paz Félix Houphouët Boigny da Unesco; Prêmio Jawarhalal Nehru pela Compreensão Internacional; World Food Prize (Estados Unidos); Prêmio Internacional da Catalunha pelo combate à pobreza e à desigualdade além de dezenas de títulos de Doutor Honoris Causa de renomadas universidades.

A escolha de Lula para o Prêmio Nobel da Paz se justifica pela sua reconhecida trajetória e esforços contra a fome e a pobreza, bem como pela política externa de seu governo em defesa da paz mundial por meio de mediações de conflitos e outras atitudes. Entre as mediações podemos mencionar as tensões entre Venezuela e Colômbia, o conflito interno na Bolívia e a Declaração de Teerã que visou estabelecer um acordo para regular o programa nuclear do Irã. O Brasil foi um dos três países em desenvolvimento convidados a participar da Conferência de Annapolis em 2007. A política de cooperação internacional desenvolvida durante seu governo também foi importante em seu aspecto humanitário tendo dado contribuições importantes para o Programa Mundial de Alimentos.

O movimento internacional pela candidatura de Lula, liderada pelo Nobel da Paz de 1980 Adolfo Pérez Esquivel, é avalizada por personalidades exponenciais da contemporaneidade, bem como conta com a assinatura de mais de 400 mil indivíduos na plataforma change.org.

Trata-se agora de formalizar a candidatura de Lula e o Comitê de Solidariedade Internacional em Defesa de Lula e da Democracia no Brasil convida para aderir ao movimento. Além de pedir o seu apoio, os encorajamos a buscá-lo junto a indivíduos e organizações que atendam os seguintes requisitos:

Membros de assembleias nacionais e governos nacionais (membros do gabinete ou ministros) de Estados soberanos, bem como atuais chefes de Estado;

Membros do Tribunal Internacional de Justiça em Haia e do Tribunal Permanente de Arbitragem em Haia;Documentação

Membros do Instituto de Direito Internacional;

Professores universitários, professores eméritos e professores associados de história, ciências sociais, direito, filosofia, teologia e religião;

Reitores universitários e diretores de universidades (ou posições correlatas);

Diretores de institutos de pesquisa da paz e institutos de política externa;

Pessoas que receberam o Prêmio Nobel da Paz;

Membros da diretoria principal de organizações que receberam o Prêmio Nobel da Paz;

Atuais membros, ex-membros, ex-conselheiros e ex-assessores do Comitê Norueguês do Nobel.

Para aqueles e aquelas que reconhecem a justeza e validade da postulação de Luiz Inácio Lula da Silva ao Prêmio Nobel da Paz 2019, a adesão deverá ser feita até 31 de janeiro próximo, por meio de formulário disponível na página do Comitê Norueguês do Nobel: https://www.nobelpeaceprize.org/Nomination/Nominator-application-form

Pedimos aos que preencherem o formulário, se considerarem conveniente, que informem ao Comitê de Solidariedade Internacional que o fizeram por meio do e-mail: [email protected] para que possamos acompanhar a evolução da campanha.

Do Brasil 247