Ao noticiar massacre em Suzano, imprensa estrangeira destaca decreto de armas adotado por Bolsonaro

Ao noticiarem o massacre de Suzano (SP), nesta quarta-feira, 13, jornais estrangeiros mencionam a mudança nas regras sobre posse de arma adotada pelo governo de Jair Bolsonaro e o elevado índice de violência no Brasil. Também lembram outra tragédia em escola brasileira, a de 2011 em Realengo (RJ).

“É o primeiro fato deste tipo da presidência de Bolsonaro, e tem um antecedente dramático no Rio de Janeiro, onde em 2011 um ex-aluno matou 12 garotos em uma escola”, informou o Clarín, de Buenos Aires. “As leis sobre armas são extremamente estritas no Brasil, mas não é difícil comprar ilegalmente uma arma. O novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, recentemente anunciou que os controles sobre a posse de armas seriam reduzidos”, assinalou o britânico The Guardian.

O mesmo jornal e o francês Le Monde informaram que massacres em escolas são raros no Brasil. Mas ambos acrescentaram que o país é um dos mais violentos do mundo. A agência Deutsche Welle, da Alemanha,também ressaltou o alto nível de violência vivido pelo país nos últimos anos.

“O Brasil é um dos países mais violentos do mundo. Mais de 60.000 pessoas são mortas todos os anos”, diz a reportagem, que ressalta que até agora tiroteios em escolas foram raros. “Recentemente, Jair Bolsonaro modificou a legislação sobre armamentos para facilitar a compra de armas de fogo”, completa o jornal alemão.

O Guardian lembrou especialmente o caso de Realengo, quando o ex-estudante Wellington Menezes de Oliveira, matou 12 garotos na Escola Municipal Tasso da Silveira e se suicidou O jornal El País, da Espanha, igualmente mencionou esse episódio.

“O Brasil acaba de sofrer um desses massacres tão frequentes nos Estados Unidos, mas não em um país sul-americano. O cenário foi uma escola. O acontecimento lembra o massacre há sete anos em um colégio público do Rio de Janeiro, onde um ex-estudante entrou armado e assassinou uma de alunos antes de disparar um tiro contra si”, registrou.

A maioria dos meios internacionais tratou de apresentar a seus leitores os fatos já apurados sobre o massacre de Suzano, sem análises mais profundas sobre o episódio. Os títulos das reportagens, entretanto, não deixam de marcar a tragédia e a aproximação desse episódio aos frequentes tiroteios em escolas dos Estados Unidos.

A rede americana de televisão CNN abriu a notícia, em seu portal, com o título “Massacre em escola no Brasil: ataque mortal em São Paulo”. O jornal argentino La Nación trouxe os fatos com a manchete “Tiroteio escolar em São paulo: dois estudantes mataram oito pessoas e se suicidaram”.

Da Veja

admin

Share
Published by
admin
Tags: armas bolsonaro imprensa estrangeira suzano

Recent Posts

  • Todos os posts
  • Últimas notícias

Ministra afirma que não foi responsável por tirar Lula da pauta do STF desta terça

Já que ninguém se manifestou, a ministra do STF apanhou o dia todo nas mídias, Carmen Lúcia achou por bem…

% dias atrás
  • Todos os posts
  • Últimas notícias

George Soros e outros bilionários pedem imposto sobre grandes fortunas americanas

Os abastados alegam que querem ajudar a diminuir a desigualdade de renda e financiar investimentos para enfrentar as questões da…

% dias atrás
  • Todos os posts
  • Últimas notícias

Record cede ao patrocinador Bolsonaro e dispensa Paulo Henrique Amorim

A Record TV comunicou o afastamento do jornalista do programa Domingo Espetacular, sem revelar os motivos pelos quais vai "congelar"…

% dias atrás
  • Todos os posts
  • Últimas notícias

Guerra para aprovar a Reforma que vai empobrecer ainda mais o Brasil

"O partido do presidente vai fazer uma demagogia com determinados setores e todos os outros vão votar contra? ”, questionou…

% dias atrás
  • Todos os posts
  • Últimas notícias

Dilma tuíta o que o STF não quer assumir, mas todos sabem

No dia em que o STF resolveu adiar o julgamento do habeas corpus de Lula, em evidente manobra política, Dilma…

% dias atrás
  • Todos os posts
  • Últimas notícias

“Os crimes de Moro é que deveriam ser julgados amanhã”

Leia nota de repúdio e revolta do Partido dos Trabalhadores diante da decisão do STF em adiar o julgamento de…

% dias atrás