Imprensa internacional desce a lenha em Bolsonaro após contágio confirmado

Todos os posts, Últimas notícias

Foto: Reprodução

O New York Times, que já vinha destacando o risco de Jair Bolsonaro estar com Covid-19 desde o dia anterior com base na CNN Brasil, levou o resultado à manchete digital (acima, no aplicativo para smartphone), “Presidente do Brasil testa positivo para coronavírus”. Logo abaixo:

“O presidente Jair Bolsonaro revelou que tem Covid-19, depois de meses negando a gravidade da pandemia. Mais de 65.000 brasileiros morreram.”

Na manchete do alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung (abaixo, no site), “Bolsonaro confirma sua infecção por coronavírus”, com texto na mesma linha:

“Ele não só desconsiderou a obrigação de usar máscara, como lutou vigorosamente contra ela. Agora está coberto de má vontade” –referência aos ataques de que está sendo alvo em mídia social.

Uma segunda chamada do jornal alemão anuncia “O vírus chamado Bozid-17”, sobre o próprio Bolsonaro.

O também alemão Süddeutsche Zeitung escreve no texto da submanchete que ele “subestimou repetidamente o vírus como ‘gripezinha’ e o Brasil se tornou um foco da pandemia”.

O espanhol El País dá manchete noticiosa e anota, logo abaixo, que ele “afirma que se está tratando con hidroxicloroquina”. O inglês The Guardian também dá manchete em sua versão internacional, mas não na americana, e o descfreve como “presidente de extrema direita que trivializou repetidamente a pandemia”.

Entre os financeiros, o Wall Street Journal dá a notícia e acrescenta que Bolsonaro é “um dos mais proeminentes líderes no mundo a minimizar a pandemia”. O Financial Times traz na chamada que o “líder de extrema direita relata temperatura alta, mas diz que está de bom humor”.

Folha