Direita em pânico: Jovem Pan ataca Folha por Bolsonaro

A direita está cada vez mais perdida e dividida. De um lado, Alckmin enrolado com a Justiça, desmascarado, não deslancha. Agora, a Folha de SP denuncia enriquecimento suspeito de Bolsonaro. Para completar, a Jovem Pan fica do lado de Bolsonaro contra a Folha e começa a atacar o jornal. Roubar a democracia foi fácil, mas na hora de dividir o roubo, dá nisso. Não há honra entre ladrões

Caso William Waack pode conter surto racista no país

Estudo recentíssimo (outubro) mostra que dispararam os casos de racismo no Brasil. Até o mês de outubro, já foram computados 41 casos. Aumento de 64% sobre 2016. O que vem estimulando os ataques racistas é a impunidade, dizem os especialistas. A destruição moral e profissional de William Waack pode frear esse surto alarmante de racismo em um país de maioria negra como o Brasil

Racistas se protegem protegendo William Waack

Pretendia escrever um longo post sobre as defesas repugnantes que Augusto Nunes, da Veja, Raquel Sheherazade, do SBT, e Reinaldo Azevedo, da Rede TV, fizeram da agressão infame que o ex-âncora da Globo William Waack assacou contra, segundo o IBGE, 54% dos brasileiros. Porém, achei que barbaridades como a que essa gente disse merece uma resposta sonora, vívida, contundente. Eis porque aí vai minha resposta EM VÍDEO a esse surto de corporativismo racista.

Listas de “petralhas” estariam sendo usadas para perseguições

Declaro-me alvo de perseguição política e acuso um colunista e um ex-colunista da Veja de serem responsáveis por isso e por tudo o mais que possa ocorrer com os alvos de listas criminosas de “petralhas” (nas quais este blogueiro figura) levadas a cabo para prejudicar pessoas por conta de suas opiniões políticas, como acontece em toda ditadura. Confiram as listas criminosas feitas por Augusto Nunes e Rodrigo Constantino. Listas que, segundo testemunhos, estariam sendo usadas para perseguições políticas. Afinal, ninguém faz listas à toa.