Enfraquecido, Bolsonaro tem que “convencer” subordinados

Em Brasília, vira e mexe alguém diz que o presidente teve que convencer o ministro X ou Y a adotar determinada medida. Só que presidente não pede nem convence, presidente manda. No caso do ministro da Saúde, desde que a crise do coronavírus transformou-se numa espécie de meteoro a caminho do Brasil, o presidente perdeu a prerrogativa de mandar, perdeu força.