Escanteado por Eduardo Bolsonaro, Ernesto Araújo diz que foi importante em viagem aos EUA

Ofuscado durante a viagem a Washington pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o chanceler Ernesto Araújo fez, nesta quarta-feira (20), uma defesa da sua administração à frente do Itamaraty e disse que sua atuação foi importante para os resultados alcançados durante o encontro bilateral entre Jair Bolsonaro e Donald Trump, como o apoio dos EUA para o ingresso do Brasil na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Ernesto Araújo, o chanceler “bugado”

Araújo é um principista de um tipo nunca antes visto na chefia deste quase bicentenário Itamaraty. O chanceler-filósofo abusa da verbosidade e dos simbolismos. Explora sem cautela os turnos de fala, incorrendo com frequência em imprecisão e contradição. Aferra-se aos tais “valores ocidentais” sem o recomendável jogo de cintura político. Sua relação pavloviana com certas palavras-chave – Trump, ideologia, Venezuela, PT, liberdade, religião, nacionalismo, Bolsonaro – o impede de fazer modulações e reconsiderações, como na disparatada comparação entre Maduro e Kim.

Chanceler venezuelano afirma que país venceu batalhas diplomáticas na ONU e OEA

O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, fez nesta segunda-feira (28) um balanço positivo das reuniões diplomáticas ocorridas na Organização de Estados Americanos (OEA) e no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Na pauta das duas organizações, estava a tentativa de golpe contra o presidente Nicolás Maduro. Na última semana, o oposicionista Juan Guaidó se autodeclarou “presidente encarregado” do país e foi reconhecido pelos presidentes de países como Estados Unidos e Brasil.