Direita não quer mais se arriscar a tirar Temer e pôr FHC

Mesmo que a pressão por diretas já não crescesse esmagadoramente se Temer caísse – e cresceria -, regra estabelecida na minirreforma eleitoral de 2015 diz que eleição para substituir presidente que cair no terceiro ano de mandato só será indireta se o registro da chapa for cassado nos últimos seis meses desse mandato. A direita não arriscará eleição direta agora. Sabe que Lula pode ganhar e não daria tempo de a Lava Jato impedi-lo. Aliás, quem disse isso foram Elio Gaspari e Reinaldo Azevedo. Não eu, mas concordo.

FHC presidente-tampão? Quem comprou uma reeleição, compra duas

Conforme cresce a possibilidade de Temer perder o cargo, meus cabelos se arrepiam. Não só porque não seria nada bom para a economia o choque do segundo afastamento de um presidente em menos de um ano, mas porque há planos declarados dos tucanos de colocarem FHC no lugar de Temer, como presidente biônico, sem votos, via Colégio Eleitoral. E, se isso ocorrer, poderíamos ter que ficar com ele até 2026. Não acredita? Ora, FHC já fez isso. Por que não faria de novo?

Guerra da Jovem Pan contra Haddad viola lei eleitoral

A partir de 6 de agosto, emissoras de rádio e TV ficaram impedidas de veicular propaganda política e dar tratamento privilegiado ou negativo a candidatos, partidos ou coligações. Ou seja, são obrigadas a dar tratamento isonômico a todos. A guerra da Jovem Pan contra o prefeito de São Paulo viola de forma clara e escandalosa a legislação eleitoral. A coligação de Haddad pode e deve representar a Jovem Pan no Ministério Público Eleitoral.

TSE aprovou R$ 10 milhões de caixa 2 para FHC em 1998

A postura do TSE que se vê hoje contra Dilma não é produto de melhora daquela Corte, mas de piora. Porque ser austera com alguns e leniente com outros é pior do que ser leniente com todo mundo, pois significa que o Estado está sendo usado para perseguições políticas, o que sugere, até, que pode haver um complô para prejudicar a presidente da República. Leia, clicando na imagem, o relato da tolerância do TSE com “rolos” das campanhas do PSDB. Chega a ser inacreditável.

Dallari rebate Ives Gandra sobre competência do TSE para cassar Dilma

Dois juristas eminentes divergiram publicamente, nesta quarta-feira (7). No início da tarde, o portal UOL publicou em sua home page, lado a lado, duas matérias evidenciando essa divergência. A primeira matéria: “TSE não tem poder para cassar Dilma, diz jurista Dalmo Dallari”. A segunda matéria: “TSE tem competência para anular eleição de Dilma, diz Ives Gandra”. O jurista de direita ainda disse que Dallari estaria “enganado”. Assim, o Blog foi ouvir Dallari, quem rebateu dizendo que Gandra “esqueceu a Constituição”. Dallari ainda deu a entender que com o seu ex-aluno Ricardo Lewandowski presidindo o STF, ilegalidades no TSE e no TCU não passarão.

Janot que arquivou caso Anastasia – que PF quer reabrir – também é “petista”?

Gilmar acusou Janot de ser “advogado do PT”. No dia seguinte, a PF pede para STF reabrir investigação contra o tucano Anastasia que Janot pedira para arquivar. E aí, Gilmar, Janot também advoga para o PSDB? Que Gilmar Mendes aprenda com Rodrigo Janot que para cobrar isenção de alguém é preciso ser isento, coisa que atos, palavras e biografia do ministro do STF e do TSE não lhe permitem dizer que tem.

Rodrigo Janot e Joaquim Barbosa dizem que não vai ter golpe

Foi com surpresa que entusiastas e adversários da derrubada de Dilma receberam a recusa do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a investigar as contas de campanha da presidente a pedido de Gilmar Mendes. Porém, mais surpreendente é que o carrasco-mor do PT, Joaquim Barbosa, acaba de declarar que não vai – e não deve – ter golpe nem no TCU nem no TSE. E que querer derrubar Dilma seria “Um abalo sísmico nas instituições”. Confira os efeitos práticos da decisão do procurador-geral da República, segundo juristas e constitucionalistas consultados pelo Blog.

Jurista Dalmo Dallari chama derrubada de Dilma pelo TSE de “fantasia política”

Provocou comoção no país a recente decisão do Tribunal Superior Eleitoral de dar prosseguimento a ação do PSDB que pede que Dilma Rousseff seja tirada do cargo e aquele que ela derrotou em segundo turno assuma o poder. Setores da mídia estão afirmando que o golpe já está concluído e que Dilma será derrubada e Aécio Neves será empossado. O Blog da Cidadania consultou um dos mais jurístas e constitucionalistas brasileiros, Dalmo de Abreu Dallari, que diz que esse processo é uma “fantasia política’, que não será assim tão fácil e poderá “durar anos”. Ele diz que a aceitação da reabertura do processo não quer dizer nada.