Governo interferindo em Sínodo da Igreja é algo raro e preocupante

O secretário-geral da instituição, dom Leonardo Steiner, criticou a intenção de interferência governamental no evento, afirmando que é “da Igreja para a Igreja”. Heleno, representando o governo federal, apontou preocupação com intervenção externa em assuntos domésticos, como é o caso da Amazônia brasileira. Dom Steiner ressaltou que oito países compõem a Floresta Amazônica, assim sendo difícil incluir a presença de representantes de diversas nações, como foi solicitado à CNBB pelo governo federal.

João Chaves: Moro se tornou fiador jurídico de um governo de lunáticos

O pacote anticrime apresentado por Moro nesta segunda-feira (04/02) possui algumas medidas demagógicas e outras, pouco efetivas. O chamado “populismo penal” ajudou a eleger Bolsonaro, sobretudo porque o discurso de endurecimento de medidas contra o crime ignora o papel das desigualdades sociais e do crescimento exponencial da população carcerária no aumento da violência urbana.

Bolsonaro cairá: não pela corrupção, mas pela estupidez

Bolsonaro cairá. Não pelas ostensivas ligações de sua família com as milícias no Rio de Janeiro, mas cairá. Aos donos do poder pouco importa terem um miliciano como presidente, desde que faça as reformas que requerem. Mas Bolsonaro é o cara errado, é incapaz, um ser completamente imbecilizado, e já escrevi sobre isso. Ele foi e será o idiota útil até quando interessar ao sistema.

Com governo tosco, Bolsonaro ainda possui apoio de sua base conservadora

Entre essas coisas essencialmente perigosas e danosas, não nos esqueçamos do viés ideológico que pratica, negando-o, seja no projeto pedagógico-educacional, seja na política externa. Ou da sua vertente-integralista-modelo-século-21, aquela que une a antiga divisa “Deus, Pátria e Família” ao liberalismo econômico. As respostas espantadas a essas esquisitices parecem ignorar a plataforma conservadora sobre a qual se assentou a campanha bolsonarista.