Especialista diz que conluio Judiciário-MPF afeta economia

“Depois da identificação dos envolvidos e dos fatos a serem comprovados aí sim teríamos indícios suficientes para formarmos a convicção de que houve no minimo, uma politização da Justiça. Estaríamos diante de uma insegurança jurídica ainda maior, uma vez que se trata de membros do Poder Judiciário e do MP. Tais fatos contribuiriam fortemente para o enfraquecimento institucional do Estado brasileiro e, consequentemente, da própria economia”, avalia a constitucionalista Vera Chemin.

Soltura relâmpago de Temer escancara abusos contra Lula

A soltura  de  Temer não demorou nem o tempo total gasto pelo Jornal Nacional para exigir da “justiça”, em rede nacional, o encarceramento sem provas, escandaloso, arbitrário e ilegal de Lula. Assista ao comentário do editor do Blog da  Cidadania, Eduardo Guimarães, sobre o verdadeiro significado de mais esse episódio escandaloso do espetáculo tragicômico da perseguição a Luiz Inácio Lula da Silva. 

CPI para investigar ativismo judicial perde força no Senado

A proposta de criação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) contra o “ativismo judicial” em tribunais superiores, apelidada de “CPI da Lava Toga”, não tem mais as assinaturas necessárias para ser instalada no Senado Federal. Dois parlamentares retiraram, nesta segunda-feira (11), o apoio que haviam dado à investigação, sugerida pelo senador Delegado Alessandro Vieira (PPS-SE). Caso ele não consiga “repor” essas assinaturas, a CPI deve ser enterrada de vez.

Tratamento da justiça a Lula vai na contramão de valores civilizatórios

Difícil saber para onde caminha a humanidade. Mas é fácil perceber que os agentes públicos que sonegaram a Lula o direito de velar o corpo do irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá, caminharam na contamão dos mais elementares sentimentos humanos. Atropelaram-se valores civilizatórios como o humanismo e a própria Lei de Execuções Penais, que autoriza os presos a deixar o cárcere para comparecer, mediante escolta policial, a velórios e enterros de parentes próximos. O Supremo interveio. Mas a autorização chegou quando o corpo do irmão de Lula já se encaminhava para a cova.