CPI pretende provar propinas e ligá-las a privatizações de FHC

Análise

As primeiras menções que a grande imprensa vem fazendo à ressurreição do escândalo das privatizações da era Fernando Henrique Cardoso, ressurreição essa desencadeada pelo livro A Privataria Tucana, têm sido no sentido de desqualificar e minimizar as denúncias. A desqualificação se dá em relação ao autor da obra, como todos sabem, mas pouco tem sido dito sobre a minimização do que ela denuncia.

A imprensa minimiza as denúncias dizendo que não estabelecem ligação entre a surpreendente movimentação internacional de pequenas fortunas por parentes e assessores do ex-ministro, ex-prefeito e ex-governador José Serra e o processo de privatizações empreendido pelo governo federal do PSDB (1995-2002). Além disso, esses órgãos de imprensa acusam as denúncias de ser “requentadas” por já terem sido divulgadas por eles mesmos.

É surpreendente como às vezes é difícil enxergar as coisas com clareza. Notem que em nenhum momento esses órgãos de imprensa questionaram as denúncias ou negaram que alguma afirmação contida no livro seja verdadeira. E não fizeram isso simplesmente porque o livro comprova que filha, genro, primo e tesoureiro de campanha de Serra, pelo menos, envolveram-se em movimentações financeiras das quais ninguém sabe a origem e que, essas sim, constituem fatos novos.

As relações perigosas do ex-diretor da área internacional do Banco do Brasil e ex-tesoureiro de campanha de Fernando Henrique Cardoso e José Serra, Ricardo Sergio de Oliveira, com o empresário Carlos Jereissati, irmão do tucano Tasso Jereissati, bem como as offshores, os doleiros, o duto formado pelo MTB Bank e o Banestado, toda aquela rede suspeita e sua movimentação criminosa foram alvos da CPI do Banestado, em 2003. Todavia, nunca foram vistas provas tão sérias de que Verônica Serra enriqueceu muito, rapidamente e ainda muito jovem.

Alguém com a capacidade de Verônica de ganhar dinheiro (antes dos trinta anos) partindo só do trabalho assalariado deveria ser uma das pessoas mais famosas e comentadas do mundo. Modesta, porém, a filha de Serra sempre foi avessa a holofotes quando deveria ser motivo de orgulho para o pai e estudada como expoente da genialidade brasileira. Ainda assim, Justiça e imprensa jamais tiveram efetiva curiosidade sobre esse prodígio do mundo dos negócios.

Já sobre o livro da privataria não comprovar que os milhões de dólares que pingaram nas contas de parentes e amigos de Serra têm ligação com as privatizações, de fato a obra não comprova. Até porque, se comprovasse não haveria o que investigar. O inquérito seria concluído rapidamente e os envolvidos seriam condenados pela Justiça sem maiores discussões.

Parte da oposição lembra que já houve uma CPI das privatizações e que por isso seria ocioso criar outra. De fato, uma CPI com esse objeto foi criada em janeiro de 2006, ano de sucessão presidencial, como forma de coibir o ímpeto da oposição nas CPIs dos Correios e dos Bingos. Com a criação de uma Comissão para investigar as privatizações tucanas, todas essas CPIs acabaram em pizza e todos os envolvidos foram alegremente disputar as eleições daquele ano.

A CPI das privatizações mal chegou a funcionar. Não foram convocados os principais cabeças do processo, denúncias sobre pagamento de propinas não foram investigadas e o próprio preço pelo qual as empresas foram vendidas não foi devidamente questionado, até porque dizia-se que fazê-lo criaria temor nos mercados de que o Brasil viesse a promover “quebra de contratos”, ou seja, que viesse a retomar as empresas vendidas a preço vil.

Eis, então, o potencial explosivo da CPI da Privataria que pode vir a ser instalada já no alvorecer de 2012. Em primeiro lugar, esses parentes e amigos de Serra certamente terão que explicar a origem dos incontáveis milhões de dólares que pingaram em suas contas. Conseguirão – ou ao menos conseguiriam – explicar alguma coisa?

Até hoje não surgiu uma única explicação para o enriquecimento súbito dos parentes e amigos de Serra além da genialidade empresarial dessas pessoas. A CPI, portanto, terá, obrigatoriamente, que convocar Verônica Serra, Carlos Jereissati, Ricardo Sérgio de Oliveira, Gregório Marin Preciado, José Serra e até Fernando Henrique Cardoso, entre outros. Mas quem terá que dar mais explicações serão pai e filha.

Por que a filha de Serra teve que abrir offshore nas Ilhas Virgens?

É aceitável que a filha de um político tão importante tenha tido milhões de dólares trafegando por instituições financeiras acusadas de lavar dinheiro de terroristas e traficantes?

Que salários o fundo de investimentos americano International Real Returns (IRR) pagava à genial filha do tucano para ela aumentar tanto e tão rapidamente seu patrimônio?

Está certo a filha de um ministro de Estado receber bolsa de estudos em Harvard – ou em qualquer outra parte – de empresários que tinham interesses no governo a que esse ministro servia?

Essas são apenas algumas das questões que o livro da privataria levanta e que desmontam a aura de santidade que a imprensa criou em torno de Serra ao ignorar questionamentos a ele que jamais foram ignorados em relação a Lula e aos seus filhos, por exemplo.

Se explicações muito convincentes não surgirem sobre o enriquecimento do entorno social e familiar de Serra, haverá que descobrir se ele mesmo não foi o beneficiário dessas fortunas sem origem. Estará caracterizado, assim, que essas pessoas e o próprio tucano beneficiaram-se de algum esquema ilegal. Então algum espírito de porco perguntará: que esquema?

O único esquema disponível para especulações será aquele que o livro diz ter permeado o programa de privatizações do governo FHC. É nesse momento que se chegará à conclusão de que se propina houve, alguém pagou. Investigando de onde veio esse dinheiro todo que irrigou as contas dos parentes e amigos de Serra, então, poder-se-á chegar a empresários que compraram o patrimônio público privatizado.

Se até hoje não se conseguiu provar que os preços pelos quais as empresas foram vendidas eram preços aviltados, diante da comprovação de que quem comprou pagou propinas a quem conduziu o processo não restará nada além de concluir que são falsos ou distorcidos os argumentos que “explicam” os baixos preços de uma Vale ou de um Sistema Telebrás.

A pergunta de um trilhão de dólares, portanto, é a seguinte: se as empresas foram vendidas por preços aviltados e se houve roubo de patrimônio público, o que acontecerá com elas? Serão retomadas? Os compradores terão que pagar a diferença? Ou dirão que o negócio não deveria ter sido feito, sim, mas já que foi feito não haverá mais o que fazer? E se as empresas forem retomadas, os “mercados” internacionais aceitarão tal “quebra de contrato”?

Viu, leitor, como será difícil instalar essa CPI?

107 comments

  • Realamente será muito difícil para o Brasil, mas se fosse com a China, ela retomaria as empresas, fuzilaria os gatunos e os países ocidentais ficariam com a boca fechada. Em nosso caso….
    A charge é muito boa, parabéns.

  • Pois é…basta juntar..o livro do Aloysio Biondi e do Amaury e muita gente vai ter o que explicar, no entanto, sem pressão popular, acho difícil essa CPI render alguma coisa. Lembro que na CPI da Dívda Pública, PT e PSDB obstruiram o quanto puderam os trabalhos, manobraram e impediram o depoimento de FHC nessa comissão, sem falar que o imprensalão quase não noticiou a existência dessa CPI, um relatório de mais 900 páginas de irregularidades foi entregue ao MPF e sabe-se lá a quantas anda…

  • “…Se até hoje não se conseguiu provar que o preço de venda da Vale foi aviltado…”

    Uma empresa estatal Vale 200 bilhões de dólares e é vendida por 3 bilhões.

    Precisa provar mais alguma coisa ou só falta é mandar esses vendilhões da pátria para a cadeia?
    Não precisa nem de CPI para isso. Eu acho que o que falta mesmo é vergonha na cara de nós, brasileiros.

  • Os preços foram absolutamente irreais, de tão baixos. A venda da Vale não incluiu, por exemplo, o valor das milhões de toneladas de minério de ferro que a Vale comercializaria. Simplesmente, não se incluiu o patrimônio do subsolo brasileiro no preço. Foi dado de graça.

    Quanto à quebra de “contratos”, duas coisas a considerar: 1) se houve propina, isso já se constitui numa quebra de contratos. 2) a crise do capitalismo está provocando dezenas de quebras de contratos e obrigando governos a socorrer bancos pilantras.

    Então, que se investigue e que o Brasil receba de volta o patrimônio que lhe foi roubado.

    • Caro Roberto,
      Se houvesse ocorrido com os Estados Unidos, eles retomariam as empresas, pagariam o que julgassem justo e ponto final. Nenhuma mídia levantaria a voz contra elese até tomariam tudo com normalidade.
      Os americanos fariam no peito e na raça e quem reclamasse que fôsse lá tomar satisfações.
      O mesmo faz a China nos dias de hoje, quando copia as tecnologias e ninguém reclama; os americanos ficam só na retórica.
      Em nosso caso, tanto o Lula quanto a Dilma, dizem que os contratos devem ser respeitados. Ora, isso é uma tremenda e descarada subserviência. Quando um contrato não serve às partes, ele deve ser denunciado e rescindido.
      E mais, existem as renovações das concessões públicas, onde a Dilma vai renovar e não retomar.
      Imagine se o “Último Imperador”, houvesse vendido a base de Alcântara para os americanos, o quê faria o Lula ou a Dilma ? Diriam, vamos respeitar os contratos, ainda que sejam péssimos para o povo brasileiro.
      Ora, falta um bocado de vergonha na cara dess gente.
      Concordo que o Lula fez um bom governo e a Dilma tb está fazendo, mas falta muita coisa de suma importância para o Brasil, que não lhes interessa fazer.
      Gostaria muito de saber o por quê.

  • Edu, já disse isso no twitter e repito aqui: pra mim essa CPI da privataria será usada como moeda de troca contra o povo que vem derrubando um ministro por mês. Aliás, como vc mesmo contou – e eu não sabia – que já havia sido criada uma tal CPI da Privataria no auge do mensalão em 2006 e serviu para acabar tudo em pizza.

    Quanto ao ideal de retomar o patrimônio público doado a estrangeiros, esqueça.

    O Brasil está num momento econômico de ascensão, passando a outrora orgulhosa Inglaterra no PIB e jamais fará uma marola desse tamanho retomando grandes empresas que geram lucros bilionários ao capital estrangeiro.

    Infelizmente.

  • O Nassif outro dia publicou um post afirmando que as privatizações jamais seriam revertidas, mesmo que ficasse provado que houve propina na hora de vendê-las. Não concordo com esse entendimento. Se eventualmente uma CPI comprovar que houve pagamento de propinas nas vendas (embora na prática todos nós saibamos que houve), essas transações são nulas e deverão ser desfeitas. Não é caso de quebra de contrato, porque, na verdade, o contrato sempre foi nulo. Além disso, mesmo que uma ou outra privatização fosse desfeita, os compradores não poderiam reclamar, uma vez que lucraram até o presente momento das empresas privatizadas. É por isso que Dilma saiu fora logo na primeira vez que foi interpelada sobre o assunto. Se essa CPI sair, para mim será uma surpresa. Ninguém que está no poder vai defendê-la. Depende totalmente da mobilização social.

    • O problema MAIOR não as propinas, mas sim o AVILTAMENTO do preço de venda da Vale, por exemplo.
      Para reverter isso é necessário apenas ter DECÊNCIA, VERGONHA NA CARA, SANGUE NAS VEIAS, CORAGEM, CARÁTER, ETC., ETC., ETC.
      Em certos países isso seria motivo para uma REVOLUÇÃO!

        • Desculpe, mas o preço baixo de venda não justifica a reversão das privatizações. Se o bem é seu, você pode vendê-lo pelo preço que quiser, pelo preço que bem entender. Não adianta porque isso não anula nada. E, além do mais, os tucanos sempre alegarão que aquele era o preço da época. Havia um monte de consultorias que diziam que aquele preço era o de mercado. É diferente se ficar provado que as transações estavam viciadas.

          • Desculpe, mas o preço vergonhoso da venda a particulares significa um assalto às riquezas do país. Se o preço estava baixo, NÃO ERA PARA VENDER!
            É caso de cadeia, sim.

          • “Se o bem é seu, pode vendê-lo pelo preçp que quiser”.
            Concordo plenamente, mas o que essa direitalha precisa entender é que O BEM NÃO É DELES, COISA NENHUMA. Pertence a todo o povo brasileiro!

            Ninguém é eleito para vender o que não lhe pertence.

    • Amigo, permita-me discordar, mas, a lei 8.666 diz que a administração pública não pode aceitar, por exemplo, numa licitação, pregão ou carta convite, objetos com preços inexequiveis ou mesmo de graça. Também num leilão não deve vender nada com preço inexequivel, como foi o preço da Vale do Rio Doce e outras estatais! CPI e cadeia neles!!!

  • Eduardo,
    Acho muito pouco crível que a famiglia Serra consiga esclarecer, com provas incontestáveis, a origem de tanto dinheiro em um espaço de tempo tão diminuto e logo após as privatizações, principalmente do setor de telefonia. Aliás, este setor, foi muito disputado e envolvdem sempre as mesmas figuras por todos nós conhecidas, cujo maior expoente é o “brilhante” Daniel Dantas. Se formos partir do criminoso para o crime, ou seja, do final para o começo, sabemos que o rapaz de olhos azuis sempre teve muita desenvoltura e trânsito livre no governo FHC e que ele sempre teve muita influência nas cúpulas dos poderes da república e seu “modus operandi” é, e sempre foi, comprar, literalmente, facilidades, aqui e acolá e que ao assim proceder, igualmente oferecia seus préstimos de banqueiro, para que a sua instituição chamada Opportunity, e seus milhares de satélites, trabalhassem com o dinheiro oriundo das propinas que ele mesmo pagava, visando reinterná-los no país, sob a figura de investimentos externos. Isto tudo o Amaury descreve a a Operação Satiagraha, que ainda se encontra sob o manto do sigilo judicial, vem ratificar o “modus faciendi” do Dantas. A mim, me parece que o Serra não tem saída, pois não conseguirá alegar lícitas as transações envolvendo seus parentes mais próximos e também assessores diretos (voce entregaria as chaves do caixa de sua campanha presidencial para alguém desconhecido???).
    Se deixarem a CPI ser instalada e igualmente deixarem que as investigações se aprofundem, a situação vai ficar muito ruim pra muita gente boa, pois vai desenterrar a CPI do BANESTADO, a qual foi fulminada por um “acordão” e será possível nominar, um por um, altas figuras da corte, do empresariado, dos banqueiros, dos barões da mídia e altas figuras dos três poderes da república do Brazil…zil…zil…zil…
    Como eu disse, esqueçam o Serra, foquem os trabalhos e investigações sobre o protagonista disso tudo: DANIEL VALENTE DANTAS, alcunhado de “o brilhante”.

  • No seu blog de hoje o Noblat apresenta argumentos contra o livro de uma fragilidade cavalar.
    Só falta dizer que o PT também apoiou a privatização do trenzinho do Corcovado.

  • Estou com 50 anos,será que depois da ditadura,de lutar contra ela,pela redemocratização,ainda verei este pais ser uma republica de verdade,ou continuaremos esta republiqueta de bananas.Torturadores,não,não podem toca-los.mídia,não,não pode toca-los,judiciário,não,não poe toca-los, políticos corruptos da direita,não,mas não mesmo pde-se toca-los.Surge fatos,como o livro do Amaury,que nos dá um novo alento mas depois descobrimos………bem………sabe,a coisa não é bem assim…….é que,porem,todavia,contudo.Ai bate o desalento.

  • Eduardo, faz poucos minutos que me manifestei no Blog do Nassif preocupado sobre o posicionamento dos líderes do PT, que precisam assumir a CPI, nem que seja por pressão social. Lembrei que o calendário eleitoral é contrário à CPI. Ela vai coincidir com o momento de definição de candidaturas e com os acordos para o embate eleitoral. Então, temos que ficar muito vivos para não esvaziarem a CPI.

    @edmarrp
    http://www.unipress.blog.br

  • Caramba! prá não escrever outra palavra que também começa com ca…..! E esse VAGABUNDO do fhc continua com essa cara de BUNDA de inocente!!! Braga

  • Eu acredito que uma outra razão pra essa CPI não ser instalada é a falta de interesse do PT em partir par ao ataque contra a oposição neste momento.
    O que vemos hoje é um governo que vai bem, uma oposição desorientada, sem um candidato forte pra fazer frente na próxima eleição contra Lula ou Dilma, no caso de reeleição.
    Interessaria mexer nesse vespeiro que poderia vir a atingi-lo o PT, já que muitos falam que o próprio PT também foi resposável pela pizza da CPI do Banestado, quando viu que também poderia sair dela chamuscado?
    Interessa ao PT entrar numa briga que ninguém sabe como vai terminar?

  • Se a ‘CPI da Privataria’, por meio da mobilização popular e do empenho de políticos confiáveis, vier de fato a ser instaurada, é mais que claro que seu objetivo será, antes de mais nada, político; mas “político”, no sentido mais nobre da expressão. Essa CPI terá o ‘propósito político’ de resgatar para o Brasil, a verdade sobre o que se passou neste país no final do século passado e que foi vilmente ocultado do povo brasileiro, para salvaguardar tanto a reputação de políticos e tecnocratas corruptos, como os interesses dessa mídia que aí está, que sabidamente se locupletou com a venda de bens públicos a preços irrisórios. A ‘CPI da Privataria’, se instaurada, deverá dar nome aos bois, mostrando ao povo brasileiro quem foi quem nos processos de privatização e quais interesses, afinal, foram atendidos por quais personagens. Outro possível resultado louvável da ‘CPI da Privataria’, seria o estabelecimento de punições exemplares àqueles que, comprovadamente, forem culpados de favorecimento indevido a ‘A’, ‘B’ ou ‘C’, no curso das negociações. Por outro lado, pretender que a CPI das privatizações resulte na recuperação dos bens privatizados é, na minha opinião, “sonho de uma noite de verão”… Os negócios, bons ou maus para o país, foram fechados pelo governo (estadual ou federal) em exercício à época; de forma que voltar atrás nessas decisões, a esta altura, me parece uma temeridade; não só em termos de imagem para o país, como para a manutenção da estabilidade econômica. Em todo caso, meu palpite é que o Brasil não precisará se dar ao trabalho de refletir sobre estas questões no ano que entra, por uma única e simples razão: a despeito do esforço de alguns, e de tanto a Lógica, como a Ética favorecerem a instauração dessa CPI, ela não vai se concretizar. O governo não deixar que um ‘rebuliço político’ dessa magnitude venha chacoalhar o país…

    • Concordo. Esta CPI pode paralisar o país.Quando da “melação” da CPI do Banestado,em meio a disputa eleitoral,não havia “clima” para levar adiante este que é o maior crime de lavagem de dinheiro do mundo!!! O roubo ,supera a capacidade democrática do estado brasileiro de apurar,tamanho o envolvimento das figuras dos mais diversos setores da vida nacional envolvidos.Hoje certamente vivemos um outro “clima”,porém,não suficiente ainda para enfrentar tal monstro.Não culpo o PT,afinal,não é quem fez o assalto.Culpo o imaginário produzido pela elite.desse país,incrustado a ferro e fogo na inocência de seu povo que nem de longe,imagina o que se passou e se passa nos bastidores da vida pública.Seria necessário uma revolução clássica e não temos estrutura ,nem popular e nem política,para podermos levar a cabo uma CPI que extinguiria toda a República de uma “lapada” só!!!Infelizmente,se quiser continuar o processo de construção do Brasil,a duras penas iniciado no governo Lula e agora com Dilma,o PT terá que empurrar,mais uma vez,esse monstro com a barriga.O patriotismo é revisado ,nesse momento,como o fez Lula, não por “rabo preso”,entenda bem,mas pela faalta de politização do povo brasileiro e da falta de estrutura do estado que ainda não dispõe das armas necessárias para tal enfrentamento,sem que corra o perigo de uma “quartelada” em nome da “Moralização”,sic,dos agentes políticos.O Poder ainda é da direita.Basta ver o que o PIG fez na campanha passada e permanece fazendo,sem a menor reação do PT.Não é a toa.Considerando que estamos no início de uma democracia,que ainda levará alguns anos para se instalar,é colocar os tímidos passos conseguidos até aqui,nas mãos do Capital,que está esperando apenas um motivo para reconquistar o pequeno espaço que perdeu em nosso país.Precisamos crescer muito ainda.Por enquanto,Golias palita os dentes e apenas observa a barriga grávida da Senhora Liberdade!!!

      • Prezado Isnard; estou de acordo com praticamente tudo que você escreveu. Só não sei se a reação da direita e do capital internacional, a uma hipotética revisão das privatizações, poderia ser através de uma “quartelada”… Acredito que no presente panorama político, seja aqui no Brasil ou lá fora, não haveria muito espaço para isso… Em todo caso, é perda de tempo teorizar sobre o que, muito provavelmente, não acontecerá. Independentemente da concretização ou não da ‘CPI da Privataria’; me parece que ao longo das discussões sobre a mesma, que fatalmente terão lugar agora ao início de 2012, haverá um espaço perfeito para desmascarar ainda mais o que resta da falácia tucana. E esse espaço precisa ser utilizado de forma apropriada, para que nós, da esquerda, logremos sepultar definitivamente o falso e famigerado ‘bom-mocismo tucano’… É incrível, mas ainda existe muita gente que acredita no virtuosismo dos bicudos; um efeito evidente dessa porcaria de mídia que há no país.

  • Xará,
    Eu acho que se deixarem a CPI tomar vida e corpo, a história desse país terá que ser reescrita e outro grupo político, diferente dos que já foram e que são governo, terá que surgir pra governar esse país. Ninguém me tira da cabeça que o famigerado acordão pra arquivar a CPI do Banestado foi pra deixar encoberto as maracutaias de “gregos e troainos”.
    Tá todo mundo com rabo preso e ninguém vai querer bolinar nesse vespeiro. Isso, acho cá com os meus botões, e gostaria de estar redondamente enganado. Essa história de que a CPI da Privataria não é boa pra o momento político e que atrapalhará as eleições de 2012, é conversa mole pra boi dormir.
    É provável que até a reabertura do congresso nacional em fev/2012, vamos assistir uma tomada de posicionamento, para um lado ou para o outro e as nossas conclusões serão inevitáveis.
    Estamos, sim, diante do chamado ponto de saturação e não há mais como retornar à “normalidade”. Estes fatos trazidos à baila pelo Amaury, são o divisor de águas da nossa recente história democrática. Basta que tudo siga o seu curso natural, sem desvios, que não só a privataria, mas a roubalheira da coisa pública como todo, sejam descobertas, doendo a quer doer, sacrificando a quem sacrificar, desmascarando a quem desmascarar…
    Nós, os brasileiros, precisamos e merecemos que tudo isso seja esclarecido para que, os verdadeiros ladrões paguem por seus erros e devolvam tudo quanto foi, e ainda é, roubado. Quem nada deve, nada teme, os fatos e evidências vão demonstrar e provar suas inocências.

  • O fato é que quando eu me lembro de todas as empresas que foram vendidas, confesso que sinto vergonha de ser brasileiro. Veja o caso das telefônicas, por exemplo. Acho que a venda dessas empresas foi muito pior para o Brasil do que a venda da Vale. Atualmente a internet é fundamental para a sociedade. Quem não tem acesso à internet é um tipo analfabeto. A pessoa fica fora da sociedade e perde oportunidades, tanto de trabalho, quanto de educação. Poderia haver uma revolução na área de educação, por exemplo, se a internet fosse um bem de acesso coletivo. Mas hoje boa parte das escolas públicas não tem acesso à rede, quanto mais as famílias. Isso foi um crime contra o Brasil. Nenhum governo no mundo consegue pagar a essas empresas de telefonia privadas pela ampliação do acesso à internet a todas as pessoas. Se as empresas fossem públicas, o governo poderia utilizá-las como forma de inclusão social, expansão da educação, da informação, etc.

  • Enquanto isso…
    Kassab aproveita incêndio misterioso e devastador para evacuar Favela do Moinho
    Fábio Nassif
    O incêndio que destruiu boa parte dos barracos, matou duas pessoas e desalojou centenas de famílias nas vésperas do Natal está sendo utilizado como novo pretexto para a liberação da área, como um caso típico que contrapõe interesses empresariais e o direito à moradia.

    Prefeito Gilberto Kassab (PSD) tenta desde 2006 despejar os moradores, primeiro com a realização de um cadastro que contabilizou 600 famílias e depois com um decreto e uma ação judicial pedindo desapropriação.

    Local de disputa histórica entre Prefeitura de São Paulo e moradores, o terreno que abriga a Favela do Moinho é objeto de mais uma forte ofensiva do capital imobiliário. O incêndio que destruiu boa parte dos barracos, matou duas pessoas e desalojou centenas de famílias nas vésperas do Natal está sendo utilizado como mais novo pretexto para a liberação da área, como um caso típico que contrapõe interesses empresariais e o direito à moradia.

  • Caro Edu
    Se quizernos ver essa CPI instalada e funcionando a contento vamos ter que sair à rua, fazer plantão no Congresso. É agora o papel dos blogs, aglutinar a tropa e partir parar o combate.
    Se essa CPI “melar”, acaba a militância progressista, e ai, como diz o PHA: BABAU!!

    • Betinho, concordo com você; não podemos esmorecer de forma alguma; se é uma coisa que eles querem é o esquecimento desse fato, e é por essas e outras que as maracutaias continuam sobre o manto da impunidade.

  • COMPARAÇÕES
    Lula vs Serra – quem era o mais preparado para governar o país? Ele era economista, embora nunca tenha exibido um diploma.Segundo Serra, Lula, além de não ter diploma algum, nunca teve cargo executivo e ele teve. Vários. Para quê???
    Dilma vs Serra – quem era o mais preparado? Segundo Serra, ele sabia o que era bom para o Brasil, ela nuca teve um cargo eletivo. Ele teve. Para quê???
    Ministro Palloci vs,. Verônica Serra. Se o enriquecimento do ex-ministro foi espetacular em 1 ou 2 anos, o que dizer do fenomenal enriquecimento de Verônica em espaço de tempo muito inferior ao do ministro. O ministro caiu e na Verônica, ninguém chega (principalmente a mídia que “vigia a ética tupininquim”. Por quê???
    A casa do Ministro dos Esportes vs. casa que Verônica adquiriu e “emprestou” pro daddy (eles moraram nos EUA, ok?). O ministro caiu sem nada ser comprovado, nenhum jornalismo ético, nenhum Gurgel se manifesta, nem chega na Verônica. Por quê???
    Apenas algumas perguntas que não querem calar!!!!

    • Maria Rita, Lula é um ser humano iluminado … ter investido na Dilma e conseguido elege-la, ele sabia exatamente o que estava fazendo, foi a conclusão que cheguei ao término do livro “A Privataria Tucana”. Não podemos jamais esquecer de um grande guerreiro Eduardo Guimarães, que com galhardia desmontou as pesquisas eleitorais.

      • Fátima, concordo plenamente. Talvez não tenha sido clara no texto. A ironia é que “o mais preparado Serra” foi desmascarado (se bem que a mim nunca enganou). Nada do que dizia ou diz tem sentido, pois tudo que fez foi enriquecer de maneira ilícita (pelo que lemos, vimos e ouvimos). O Lula e a Dilma tem projeto político de longo alcance e de qualidade superior a qualquer discurso demo-tucano. E ambos tem uma trajetória de vida que dão credibilidade e suporte aos seus discursos. Não tenho a menor dúvida quanto a isso.

  • Essa CPI não vai pegar mesmo. Se grandes empresas, incluindo o PIG, provavelmente, pagaram propinas para os DEMOTUCANOS, então esta gente farra de tudo para barrar a CPI.

  • Eduardo, hoje fui dar um pitaco em um site do Terra e coloquei o que segue:

    Dieese: poder de compra do mínimo será o maior desde 1979
    O LULA E ADILMA SÃO OS CULPADOS!!!

    Olha o que recebi como resposta:

    PARA CPI JÁ:

    Tua mãe tá na zona e teu pai no presídio.

    ***Eu acho que ”eles” estão desesperados!!!!

  • O problema da CPI é que ela apura, mas a punição fica por conta do judiciário. Se o juiz fosse um De Sanctis, a coisa andava, mas como disse o próprio Amaury, os tentáculos do Serra são bastante abrangentes. Se houver mobilização popular, dá para ter esperança de algum resultado, nem que seja o de desmascarar de vez os tucanos e a mídia.

  • CORRELAÇÂO DE FORÇAS è o escambau, gente!! Se ficar comprovada a falcatrua, além dos criminosos serem exemplarmente punidos, as estatais vendidas a preço vil devem ser imediatamente reestatizadas, com opção de compra ao atual proprietário, caso ele pague em hum ano, um preço justo a ser estimado por órgãos competentes, ou com a devolução, pelo estado brasileiro, do preço efetivamente pago pelo “arrematador”, digo, comprador. E não se fala mais nisso!! E fuck p’ro mercado!! Penso que o Brasil está maduro para fazer esta discussão e que dela resultará um NOVO BRASIL. A sociedade brasileira se alçará a um novo patamar, e sairá desse processo mais madura e consciente de si mesma, de quais são essas “forças” que se correlacionam, e de quais são os seus reais objeivos. CPI DA PRIVATARIA, JÁ!! “YES WE CAN” !! E diria mais: “YES WE NEED”!!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

    • Assino embaixo, Yacov! Principalmente com relação à Vale do Rio Doce.
      OS MINÉRIOS AINDA NÃO EXTRAÍDOS NÃO FIZERAM PARTE DA AVALIAÇÃO.
      E tem mais, nem me interessa se houve ou não suborno. A roubalheira é, no mínimo, moral.

  • A única coisa que fará a diferença será a pressão popular.
    Só o apoio e a cobrança muito forte da sociedade podera resultar em uma CPI como se deseja e a punição aos bandidos oficiais.
    Agora será preciso nós, povo, sociedade levar a bandeira até o fim.

  • A CPI deve ser criada, principalmente, para esclarecer ao povo brasileiro que os tucanos e seus comparsas nos roubaram descaradamente em muitos milhões, mas receber de volta o que foi surrupiado, duvido.

    QUE EM 2012 SEJAMOS MENOS ENGANADOS PELAS GRANDES CORPORAÇÕES COORUPTORAS E USURPADORAS DOS PERTENCES DO POVO BRASILEIRO.

    FELIZ 2012 PARA VOCÊ E SUA FAMÍLIA, EDUARDO!

    FELIZ 2012 PARA TODOS DO BLOG.

  • Essa ligação já está apontada no próprio livro ao menos em alguns casos. Vejamos um deles ; lembremos que entre as offshores que remeteram recursos entre si estão duas empresas, uma delas pertencente a Ricardo Sérgio de Oliveira(ex-diretor do Banco do Brasil e o principal operador da máfia tucano-serrista) e a outra pertencente a Carlos Jereissati, UM DOS PRINCIPAIS BENEFICIADOS NAS PRIVATIZAÇÕES DE FHC, UMA VEZ QUE ADQUIRIU O CONTROLE ACIONÁRIO DE BOA PARTE DA TELEFONIA NACIONAL, ATRAVÉS DA EMPRESA OI. ORA, SE JEREISSATI FOI UMA DOS “EXITOSOS” COMPRADORES DA TELEFONIA NACIONAL, OFERECENDO UM ÁGIO RIDÍCULO, PRATICAMENTE COMPROU AS EMPRESAS PELO VALOR DE FACE DAS AÇÕES(SEMPRE FINANCIANDO A TRANSAÇÃO ATRAVÉS DO BNDES)E DESCOBRE-SE QUE ELE REMETEU, POUCO ANTES DA EFETIVAÇÃO DA COMPRA, RECURSOS ILEGAIS PARA UMA EMPRESA DE FACHADA, PERTENCENTE A UM TUCANO, O QUE MAIS SE PRECISA PARA CONCLUIR A CULPA : QUE JEREISSATI E RICARDO SÉRGIO SEJAM PEGOS NUMA FOTOGRAFIA, DEVIDAMENTE ILUSTRADA POR LEGENDAS, EM QUE AFIRMASSEM TEXTUALMENTE QUE SÃO O CORRUPTOR E O CORRUTO NESSSE PROCESSO!!!!!!!!????????? Como essa há inúmeros outros crimes comprovados facilmente apenas com os dados do livro de Amaury e, para os que necessitam de posterior comprovação, descobrir-lhes a origem e os culpados é tarefa para uma investgação simples, já que a certeza da impunidade levou os tucanos a não se preocuparem em esconder o rastro. O problema da CPI não será investtigatório, mas resultará da relação e da tensão de classes que estabelece. Descortinar as privatizações de FHc é revelar a classe dominante, a nacional e os seus patrões estrangeiros, em sua prática secular de dilapidar o patrimônio do Brasil. Por isso a Operação Satiagraha, que revelava também essa prática, foi abortada. E por isso a realização da CPI, e principalmente a mobilização popular para que ela de fato se efetive e gere consequências, será decisiva. Dela, poderemos finalmente punir os dominadores por suas práticas, retirando-lhes o poder econômico obtido pelo roubo, como tambbém o controle das comunicações(sem contar o controle de outras áreas da Economia); como também retirar dos estrangeiros o controle que ainda possuem sobre a nossa Economia, afinal o processo fraudulento das privatizações(com suas propinas e vendas de empresas por preços risíveis)tem que ser revisto, as vendas têm que ser anuladas e devemos fazer isso por cima dos pitis do mercado,.

    • Disse bem, “a certeza da impunidade”.
      Tinham a mídia vergonhosamente a favor e duas vitórias tranqüilas do FHC no primeiro turno. Se achavam os donos da cocada preta.
      Venderam a preço de banana aquilo que não lhes pertencia.

  • Eduardo, estou enviado cópia de um e-mail que recebi. Como não sei qual é o e-mail do Blog Cidadania, envio em forma de comentário. O PIG

    Os cinco Generais Presidentes… Comparações

    Por Favor, Leia!

    Jornalista Carlos Chagas.
    “Erros foram praticados durante o regime militar, eram tempos difíceis. Claro que no reverso da medalha foi promovida ampla modernização de nossas estruturas materiais. Fica para o historiador do futuro, emitir a sentença para aqueles tempos bicudos”.

    Mas uma evidência salta aos olhos.

    Quando Humberto de Alencar Castello Branco morreu num desastre de avião, verificaram os herdeiros que seu patrimônio limitava-se a um apartamento em Ipanema e umas poucas ações de empresas públicas e privadas.

    Arthur da Costa e Silva, acometido por um derrame cerebral, recebeu de favor o privilégio de permanecer até o desenlace no palácio das Laranjeiras, deixando para a viúva a pensão de marechal e um apartamento em construção, em Copacabana.

    Emílio Garrastazu Médici dispunha como herança de família, de uma fazenda de gado em Bagé, mas quando ele adoeceu, precisou ser tratado no Hospital da Aeronáutica, no Galeão.

    Ernesto Beckmann Geisel, antes de assumir a presidência da República, comprou o Sítio dos Cinamomos, em Teresópolis, que a filha vendeu para poder se manterem no apartamento de três quartos e sala, no Rio.

    João Baptista de Oliveira Figueiredo, depois de deixar o poder, não aguentou as despesas do Sítio do Dragão, em Petrópolis, vendendo primeiro os cavalos e depois a propriedade. Sua viúva, recentemente falecida, deixou um apartamento em São Conrado que os filhos agora colocaram à venda, ao que parece em estado lamentável de conservação.

    Não é nada, não é nada, mas os cinco generais-presidentes até podem ter cometido erros, mas não se meteram em negócios, não enriqueceram nem receberam benesses de empreiteiras beneficiadas durante seus governos. Sequer criaram institutos destinados a preservar seus documentos ou agenciar contratos para consultorias e palestras regiamente remuneradas.

    Bem diferente dos tempos atuais, não é?
    Por exemplo, o Lulinha, filho do Lula era até pouco tempo atrás funcionário do Butantã/SP, com um salário (já na peixada política) de R$ 1200,00 e hoje é proprietário de uma fazenda em Araraquara/SP , adquirida por 47 milhões de reais, e detalhe, comprada a vista.
    Fora seu pai que entrou sem nada na presidencia e no palacio e levou toda a mobilia, foram mais de 20 caminhões para carregar tudo que ele podia.
    Hoje é dono de centenas de aptos. casas e fazendas pelo Brasil e realmente ninguém fala nada, calaram-se até os militares.

    Centenas de outros políticos, também trilharam e trilham o mesmo caminho.

    Se fosse aberto um processo generalizado de avaliação dos bens de todos políticos, garanto que 95% não passariam, ié, seria comprovado destes o enriquecimento ilícito.
    Quem poderia começar alguma coisa contra isso seriam os estudantes, mas estes nas suas cupulas já estão co0rrompidos, o presidente da UNE hoje é deputado federal pelo PT e o resto só pensa em balada.
    Como diria Boris Casoy: “Isto é uma vergonha” e pior, ninguém faz nada.

    Abraço…….

  • Eduardo, estou enviado cópia de um e-mail que recebi. Como não sei qual é o e-mail do Blog Cidadania, envio em forma de comentário. O PIG e os seus arautos começaram a espalhar que os presidentes militares foram honestos. Depois dos militares, tivemos seis presidentes, todavia, só citam um.
    É mais uma batalha dessa guerra que está sendo travada na internet.
    Por favor, não publique isso.

    Um abraço,

    Marko Plekhanov

    Os cinco Generais Presidentes… Comparações

    Por Favor, Leia!

    Jornalista Carlos Chagas.
    “Erros foram praticados durante o regime militar, eram tempos difíceis. Claro que no reverso da medalha foi promovida ampla modernização de nossas estruturas materiais. Fica para o historiador do futuro, emitir a sentença para aqueles tempos bicudos”.

    Mas uma evidência salta aos olhos.

    Quando Humberto de Alencar Castello Branco morreu num desastre de avião, verificaram os herdeiros que seu patrimônio limitava-se a um apartamento em Ipanema e umas poucas ações de empresas públicas e privadas.

    Arthur da Costa e Silva, acometido por um derrame cerebral, recebeu de favor o privilégio de permanecer até o desenlace no palácio das Laranjeiras, deixando para a viúva a pensão de marechal e um apartamento em construção, em Copacabana.

    Emílio Garrastazu Médici dispunha como herança de família, de uma fazenda de gado em Bagé, mas quando ele adoeceu, precisou ser tratado no Hospital da Aeronáutica, no Galeão.

    Ernesto Beckmann Geisel, antes de assumir a presidência da República, comprou o Sítio dos Cinamomos, em Teresópolis, que a filha vendeu para poder se manterem no apartamento de três quartos e sala, no Rio.

    João Baptista de Oliveira Figueiredo, depois de deixar o poder, não aguentou as despesas do Sítio do Dragão, em Petrópolis, vendendo primeiro os cavalos e depois a propriedade. Sua viúva, recentemente falecida, deixou um apartamento em São Conrado que os filhos agora colocaram à venda, ao que parece em estado lamentável de conservação.

    Não é nada, não é nada, mas os cinco generais-presidentes até podem ter cometido erros, mas não se meteram em negócios, não enriqueceram nem receberam benesses de empreiteiras beneficiadas durante seus governos. Sequer criaram institutos destinados a preservar seus documentos ou agenciar contratos para consultorias e palestras regiamente remuneradas.

    Bem diferente dos tempos atuais, não é?
    Por exemplo, o Lulinha, filho do Lula era até pouco tempo atrás funcionário do Butantã/SP, com um salário (já na peixada política) de R$ 1200,00 e hoje é proprietário de uma fazenda em Araraquara/SP , adquirida por 47 milhões de reais, e detalhe, comprada a vista.
    Fora seu pai que entrou sem nada na presidencia e no palacio e levou toda a mobilia, foram mais de 20 caminhões para carregar tudo que ele podia.
    Hoje é dono de centenas de aptos. casas e fazendas pelo Brasil e realmente ninguém fala nada, calaram-se até os militares.

    Centenas de outros políticos, também trilharam e trilham o mesmo caminho.

    Se fosse aberto um processo generalizado de avaliação dos bens de todos políticos, garanto que 95% não passariam, ié, seria comprovado destes o enriquecimento ilícito.
    Quem poderia começar alguma coisa contra isso seriam os estudantes, mas estes nas suas cupulas já estão co0rrompidos, o presidente da UNE hoje é deputado federal pelo PT e o resto só pensa em balada.
    Como diria Boris Casoy: “Isto é uma vergonha” e pior, ninguém faz nada.

    Abraço…….

    • Essa história foi desmontada faz tempo. Nem a genial Verônica Serra, idolatrada pelos grandes fundos de investimento norte-americanos, tem alguma propriedade de 47 milhões. Aliás, fazenda de 47 milhões devem existir poucas no Brasil. Eles poderiam ter sido menos ambiciosos na mentira. Ficaria mais crível.

    • Os tais 5 generais-ditadores na verdade apenas “garantiam” a segurança institucional do golpe dado em 64. Sem querer duvidar da honestidade deles, não passavam de meros gendarmes, haja vista que os “negócios” do governo eram conduzidos por burocratas e políticos da Arena (Sarney, Maluf, Marco Maciel, Delfim Netto etc, só mecionando os que ainda estão vivos).

      Já com referência ao henriquecimento (com “h” mesmo) do filho de LULA, há uns três anos atrás a burguesada colaboracionista (inocente ou não, mais sempre útil) propagou na internet imagens que seriam da “fazenda do Lulinha”, adquirida com recursos públicos roubados, segundo eles.
      Aí vai um link:
      http://adrenaline.uol.com.br/forum/papo-cabeca/208870-evolucao-do-lulinha-filho-do-lula.html

      Acontece que a foto é, na verdade, do prédio de uma faculdade, a ESALQ – Escola Sperior de Agricultura Luiz de Queiroz, localizada em Piracicaba. Taí o link:
      http://www.imagens.usp.br/?attachment_id=305

      E ainda tem neobabaca acreditando nessa história de henriquecimento (com “h” mesmo) do Lulinha.

      • Almir:

        Excelente comentário, faço apenas uma observação: Maluf foi um sapo que os militares se viram obrigados a digerir.
        Ex: a legislação previa que poderia haver candidatos aos governos estaduais, mas ninguém se atrevia a, enfrentar o indicado pelo Planalto. Aqui em São Paulo, o “ungido” era Laudo Natel.
        Maluf, aproveitando a brecha eleitoral, candidatou-se e derrotou o afilhado dos militares na convenção do partido.
        Achei loucura quando o senador Amaral Furlan me antecipou a entrada de Maluf e assisti ao vivo a vitória imprevisível do “turco”. Queimei a língua.
        Que Maluf era amigo ou presenteou com um colar de pérolas dona Iolanda Costa e Silva, não contesto. Mas isso não servia pra muita coisa, os “bolinhas” é que mandavam no clube.

  • Eduardo, acho então que você deveria levar estes questionamentos para o deputado Protógenes Queiroz, para que tudo isso possa ser estudado minuciosamente e nós possamos tentar colaborar em algo e tentarmos “tornar mais fácil” essa CPI. Simplesmente dizer o quão difícil será fazer uma CPI não ajuda em nada…

    Fica aqui minha humilde sugestão

  • Não vou pensar assim, prefiro pensar que, logicamente, será difícil, haverá pressões e tudo o mais, mas se houver pressão popular, além da ação dos governistas e a CPI for instalada, essa mesma pressão pode fazer a diferença. Sinceramente, dizer que “será muito difícil” e tal, é começar perdendo um jogo que está por ser jogado ( assim queremos e esperamos). Como diz o ditado, uma caminhada, por mais longa que seja, começa com o primeiro passo.

  • Instalada a CPI, imagino que para o Serra será uma tarefa muito amarga ter que ir à Brasília ser interrogado. Pior ainda caso haja necessidade de acareação com o Amaury Jr.

    Em relação às empresas privatizadas e a grana, possa mesmo ser que não dê em nada mas, que a carreira política do Serra estará liquidada, estará sim.

    Aliás, esse livro enterrou de vez a possibilidade do Serra voltar a dar um cheiro no cangote do Aécio como vez na campanha eleitoral passada.

    Depois desse livro, e mais a CPI da Privataria, se o candidato for o Serra a derrota será certeira; se o candidato for o Aécio, o Serra fará tudo para o Aécio não vencer.

    Nessa briga de tucanos torço para os dois e traço o risco no chão. Quem cuspir por último é a mulher do Bispo.

  • Caro Eduardo..

    Como disse um comentário logo acima, só consigo comunicacao com voce atraves deste espaco…

    Circula no Facebook, pois vi somente hoje, uma propaganda/apelo da Fiesp sobre o valor das tarifas eletricas em nosso pais…
    O apelo é legitimo, contudo, ao assisti-lo sem a devida analise, convence. Porém, em um link de reportagem contida no próprio Sit que hospeda essa propaganda, deixou-me em dúvida quanto a legitimidade desse apelo para uma tarifa mais barata.
    Poderia analisar também?

    Veja no link
    http://www.energiaaprecojusto.com.br/

    Abracos

  • ESSA CPI JÁ ESTA INSTALADA. NÃO HÁ COMO VOLTAR ATRÁS. FALTA SÓ SER FORMALIZADA NA CAMARA. Vejamos: Com certeza mais de 300 mil(está quase chegando neste número) livros vendidos e emprestados a outras pessoas. Milhões de pessoas, nas redes sociais, trocando e exigindo mais informações e punições aos bandidos privatas.Todo o “sistema” operado por esses MARGINAIS, apontados no livro, alertaram a América Latina inteira, sobre os´”metodos” utilizados que é igual em todos os países, por esses bandidos. Ficou ESCANCARADO, para o MUNDO TODO, tal qual foi O METODO MURDOCH DE FAZER “JORNALISMO”, igualmente empregado aqui pela globo. Milhares de pessoas, em todos os setores, estão TOTALMENTE REVOLTADAS com o que foi feito. Mesmo dentro do psdb/dem/pps, do judiciário, de todas as policias, do Exercito e outras forças(lotadas de patriotas), dos Ministérios Públicos etc.. Todos os setores sociais estão QUERENDO/EXIGINDO a FORMALIZAÇÃO DESSA CPI. Nós, os BRASILEIROS PATRIOTAS, PAGADORES DE TODOS OS IMPOSTOS, TRABALHADORES INCANSÁVEIS, DECENTES, HONESTOS, DEDICADOS INTEGRALMENTE A SUAS FAMILIAS E FILHOS, QUE AMAM ESTA TERRA ABENÇOADA, EXIGEM ESSA CPI E DOA A QUEM DOER pois, serão sempre aquela meia dúzia de MARGINAIS DA MIDIA E DOS PARTIDOS POLITICOS. ESTAMOS E CONTINUAREMOS UNIDOS. NÓS SOMOS A PÁTRIA E A PÁTRIA VENCERÁ.

  • O PSDB é como uma barata tonta com as patinhas para cima. Resta saber se desta vez, o PT vai ter coragem de esmagar a baratinha.

    Sobre os “cânceres em massa” de líderes de centro-esquerda latino-americanos, veja só que link interessante da Wikipedia sobre experimentos clandestinos da CIA em seres humanos. Com destaque para os tópicos envolvendo radioatividade:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Unethical_human_experimentation_in_the_United_States

    Não são bruxas, Eduardo. É a realidade!

    • A CIA é a central de delinquencia dos norte americanos,com certeza,e sendo constituida por mercenarios e bandidos,tudo é possivel.Basta ler o livro A Grande Mentira Branca de Michael Levine,ex agente DEA,agencia norte americana de combate ao trafico de drogas para se conhecer a ação da CIA na America Latina.

  • Fico com a hipótese de que os compradores terão de pagar a diferença e os criminosos pagar pelos seus crimes.
    Agora… o estado voltar a gerenciar a telefonia…nunca.
    Em 1994 eu comprei um telefone por uma fortuna e esperei mais de um ano para ser instalado.
    Hoje tem empresa de telefonia que faz com 2000 funcionários mais do que 7000 mil faziam quando a empresa era dirigida pelo estado.
    Se o estado não atrapalhasse tanto, este país já seria a 3ª e não a 6ª economia do mundo.

    • Bobagem, o que permitiu à empresa de telefonia gerir (segundo você afirma) com 2 mil funcionários o que antes demandava 7 mil é o mesmo fenômeno que permite que hoje os bancos tenham muito menos funcionários do que há uma década, ou seja, a tecnologia. Antes da privataria, você comprava uma linha telefônica por 3 mil e pagavas contas baratinhas. Como a privatização fez as contas subirem 500%, hoje você compra uma linha por ano só pagando as contas, pois o Brasil tem a tarifa telefônica mais cara do mundo, graças aos contratos que FHC firmou e que têm que ser “honrados”

      • Então que se corrija estas distorções.
        Bobagem é retroceder ao tempo da ditadura militar onde o estado era dono até de produtora cinematográfica.
        Estas reduções de gente deu-se imediatamente após as privatizações o que comprova os cabides de empregos que são as estatais.
        O inaceitável nas privatizações é uma empresa inglesa, a Anglo American, ter a concessão para retirar minério do solo brasileiro a preço de banana.

        • Tampouco é verdade que as privatizações fizeram diminuir imediatamente o quadro de funcionários dessas empresas. Isso foi ocorrendo ao longo do tempo por conta da tecnologia que avançava. Também é um despropósito dizer que se propõe que o estado retroceda ao “tempo da ditadura”. Onde você leu isso? O que tem que ocorrer é saber se as privatizações foram subfaturadas e, se foram, haverá que retomar as empresas, nem que seja para privatizá-las de novo, só que pelo preço correto.

        • É realmente “muito ótimo”, sensacional, você ligar para o atendimento ao cliente das operadoras, e falar com um robô.
          O robô não “entende” o que você quer e fica repetindo as mesmas orientações por horas a fio.
          Até que se Deus quiser e se tiver uma paciência infinita, você consegue ouvir um “para falar com um dos nossos atendentes disque 9”. Mas aí a ligação caiu..tumtumtumtum
          O dr. Apolinário adora tudo isso

        • Se as estatais são cabides de emprego, vai lá arranjar um pra ver se é fácil. Por exemplo, tenta primeiro o concurso da Petrobrás. É mole, mole.
          Esse seu discurso anti-estatal é o cerne do pensamento neo-liberal. Deram com os burros n’água no mundo inteiro.

    • Quando você comprava o telefone, na verdade estava comprando ações da Telebras.
      Estas ações foram, após a privatização, devida e totalmente desvalorizadas e hoje (se você ainda tem a linha), pode ver seu “saldo” enviado por algum banco que detinha a custódia. Hoje valem centavos.
      Alguns ainda citam, a título de exemplo do suposto “preço absurdo”, que os telefones eram declarados ao imposto de renda, tão caros eles eram. A verdade é que tinham que ser mesmo: o proprietário de ações tem que declara-las.
      Propalar que o “telefone era caríssimo” é mais uma falácia repetida ad nauseum pelos interessados até se tornar verdade insofismável. Compra o peixe quem quer.
      Ademais, o Sistema Telebras contava com um centro de pesquisa e desenvolvimento que gerava tecnologia nacional na área de comunicações.
      O centro desenvolveu a central de comutação Trópico (padrão de excelência no mundo), fibras ópticas, equipamentos de transmissão, laser de estado sólido, etc, etc, etc.
      Hoje o que temos, além de tarifas altas e um call center “vamos estar resolvendo”?
      Nada. E alguns se sentem felizes com isso, né, doutor? Afinal, o importante é ter um celular para que possamos pedir receitas de arroz doce para aquela tia que mora em Minas.

    • VC está brincando, né?

      2000 funcionários? E os terceirizados, meu chapa?

      Depois da privataria da telefonia, os que foram despedidos acabaram sendo “absorvidos” por empresas para fazerem o mesmo que faziam nas estatais, mas por um décimo do salário.

      Mais, vc reclama de pagar uma fortuna pela linha telefônica, então me diga o quanto vc gasta de tarifas hj. Como um exercício mental, calcule em quantos anos vc gasta, só com as tarifas atuais, o mesmo que gastava com a linha telefônica do passado. Depois imagine quantos anos mais vc continuará pagando essas tarifas, e calcule quantas linhas mais daquelas antigas vc poderia ter comprado com essa fortuna.

      O grande problema dos ideólogos é deixar a realidade de lado, só pra reduzí-la a seus pré-conceitos…

  • Você que faz parte dos 26 mil compradores de imóveis da Encol que ficou na rua da amargura (comprou, pagou e ficou sem dinheiro, sem imóvel e sem esperança) deve ler “A Privataria Tucana” para entender como a maior construtora do país foi à falência em um piscar de olhos.

  • MINHA HUMILDE OPINIÃO

    Fazer de conta
    que muda para
    ficar como
    sempre foi.

    A Privataria Tucana foi lançado com apenas dois propósitos:

    Desnudar o caráter de José Serra e sepultar de uma vez por todas a possibilidade de ressucitar o “caso mensalão”.

    Além de que se existir um pingo de sentimento de nacionalista, etico e moral, daqui para frente a classe política passe refletir e começar a tomar doses cada vez maiores de vergonha na cara.

  • Eduardo, antes de mais nada, desejo a você, sua família e todos os nossos companheiros do blog, um FELIZ ANO NOVO.
    Que em dois mil e doze tenham o que sempre desejaram.
    Parabéns pela charge. Bem “bolada”.
    Quanto a postagem, tenho alguma coisa que não me deixa tranquilo pelo que leio referente ao: “como será difícil instalar essa CPI”. Você deixa certo pessimismo.
    Não creio que o Deputado Protógenes, Delegado que afastado das suas funções por ter descoberto “a trilha da onça”, deixe por menos agora de posse de autoridade parlamentar. Com a ajuda já demonstrada pelo Deputado Brizola Neto – que já fez vários pronunciamentos da tribuna da Câmara – tenho esperanças de uma caça aos corruptos. Não temo pela instalação da CPI.

  • Que tal começar a repor o prejuizo do país, começando por sequestrar todos os bens dos deliquentes?

    Feliz 2012 para todos!

    Continuaremos na luta!

  • Esse enriquecimento desse pessoal me lembrou do falecido João Alves (um dos anões do orçamento), que ganhou várias vezes na loteria. Frase dele: “Deus me ajudou e eu ganhei dinheiro”.

  • É Edu, se os senhores de Brasília acharem que a CPI pode tomar esse rumo, ficará difícil que saia mesmo. Não dá para imaginar o Jereisatti “devolvendo” a OI-Telemar. O mexicano Carlos Slim “devolver” a Vivo?!
    Nem os radicais do PSTU se iludem com isso.
    No entanto, pode cair a ficha para a sociedade que essa é uma oportunidade preciosa para se combater de fato esse mal que é a mistura do público com o privado. Esse pecularidade brasileira (não só, dela, claro) é a origem da corrupção endêmica que tem raízes na colonização portuguesa.
    Se o cidadão brasileiro como um todo resolver encarar à vera esse “carma’, pode exigir dos políticos que não empurrem a CPI para debaixo do tapete.
    Afinal, ele são ou não, nossos representantes?

  • Quanto a uma reestatização, podem esperar sentados.

    A CPI não tem poder para rescindir a venda. Apenas o judiciário, depois de demonstrado o vício (corrupção) independentemente (o que a CPI decidir não tem valor de prova), que poderá rescindir o negócio. E isso levará o resto de nossas vidas naturais, caso as ações não sejam enterradas pelas mãos amigas dos Gilmares da vida.

    A CPI não é um tribunal. Não pode condenar, exceto em seu próprio âmbito (como, por exemplo, cassar o mandato de alguém). Cale-lhe apenas investigar, e as decisões provenientes dessa investigação são puramente políticas, e sem efeito jurídico. No máximo, são ferramentas para a demanda de algo perante o judiciário, e mais nada.

  • Caro Eduardo,

    se todo esse processo conseguir colocar publicamente a pecha da corrupção no pescoço dos falsos moralistas que sempre a mereceram mais do que ninguém, ainda que tudo acabe em “pizza”, o que, infelizmente, pode acontecer, já terá sido um lucro. De quebra, o desmascaramento absoluto e indefensável de todo o império midiático venal que nos assola, viria em boa hora.

    Um ótimo 2012 para todos nós!

      • FELIZ ANO-NOVO, ZELIA, EDUGUIM, MARCELLUS E PIERRI,
        MUITO BEM LEMBRADO AS PRIVATIZAÇÕES CONTESTADAS PELA POPULAÇÃO E QUE REVELARAM O MENOSPREZO DOS GOVERNANTES PELA OPINIÃO PÚBLICA.
        O PSDB, SERRA E ALKMIM SÃO FARINHA DO MESMO SACO E FOI ISSO QUE PRODUZIU A SUA REJEIÇÃO POPULAR QUE RESULTOU NA ELEIÇÃO DESSE LULLA.
        AS CPIs NÃO ESCLARECEM, NADA DESCOBREM, NÃO, PUNEM O BANDITISMO ENGRAVATADO E SÓ TÊM SERVIDO PARA DESVIAR ATENÇÃO DE OUTROS DESASTRES.
        NOTEM QUE NÃO SE FALOU EM CPI SOBRE OS IANOMAMIS, NA TRAIÇÃO QUE CRIOU OS CURDOS DO BRASIL, NA RAPOSA SERRA DO SOL, QUE FEZ DO RORAIMA O NOSSO KOSOVO E QUE AGORA CONSIDERAR UMA SOBERANIA RELATIVA NA AMAZÔNIA.
        CONSIDEREMOS, SEMPRE, QUE OS TUCANOS SÃO AVES DEVORADORAS, QUE SÃO TAMBÉM ONÍVORAS, E QUE O JUDICIÁRIO SE ACOSTUMOU A CURVAR-SE À BRISA DO OPORTUNISMO E DA PRÓPRIA CONVENIÊNCIA.
        NEM SE ESQUEÇAM DE QUE FHC, SERRA, OS NEVES, O PSDB E AS COLIGAÇÕES PARTIDÁRIAS É QUE CHOCARAM O OVO DESSA SERPENTE QUE AGORA NOS FLAGELA…
        NÃO SE ILUDAM: VEM AÍ O EURO-NEO-COLONIALISMO, VIA MULTINACIONAIS COMPANHIAS DAS ÍNDIAS, TRIBUTO DA SUZERANIA QUE PAGAREMOS PARA RECUPERAÇÃO DA EUROPA: ESSE GOVERNO É CAPAZ DE TUDO PELO PODER.
        DESCULPEM-ME, SE ESTIVER FORTE, MAS É QUE ALGUMAS PALAVRAS NÃO TÊM SINÔNIMOS BRANDOS.

Deixe uma resposta