Saiba por que países do Sul e do Norte divergem sobre Paraguai

Análise

 

Nesse imbróglio da deposição-relâmpago do bispo Fernando Armindo Lugo de Méndez da presidência do Paraguai, o que importa menos, agora, é o desempenho que vinha tendo.  Acusado por todos os partidos com representação congressual, estava isolado e faria um governo anódino até o fim, mas foi alvo de uma farsa que se tornou o cerne da questão.

As queixas sobre seu desempenho eram muitas e de variadas origens e a debilidade política de seu governo revelou sua inabilidade. Há, ainda, informações de que não vinha sendo tão progressista quanto se esperava, ainda que sejam opiniões de grupos políticos paraguaios mais à esquerda.

Sendo verdadeiros os relatos sobre a incompetência política e administrativa de Lugo, não se entende por que foi desfechado um processo como o que se viu, no qual lhe foram negadas as mínimas condições de defesa. Surgem várias questões:

1)      Por que o processo precisou ser tão rápido?

2)      Por que a Justiça não pôde se pronunciar?

3)      Por que tudo foi feito em surdina até o último momento, surpreendendo até o povo e a comunidade internacional?

4)      Por que causou tanta comoção um processo que a classe política paraguaia esperava que fosse muito mais facilmente aceito?

5)      Países como Estados Unidos, Alemanha, Espanha e Canadá estão reconhecendo o processo político. Por que os países latino-americanos não?

As respostas a tais perguntas são facilmente respondíveis.

1)      O processo de cassação do mandato de Lugo foi rápido para não dar tempo a articulações e exigências de prazo condizente a um juízo de tal importância

2)      Se houvesse um grão de legalidade nesse processo, não poderia ter sido concluído sem que a Justiça recebesse e analisasse o questionamento que o presidente deposto tentou fazer, mas, quando lhe bateu à porta, não havia quem recebesse a ação.

3)      Vide resposta um.

4)      Vide resposta dois.

5)      Porque o que aconteceu no Paraguai não tem poder de se alastrar pelos países que aceitaram o processo suspeito, mas tem para se alastrar pelos países latino-americanos.

Ainda assim, talvez tudo pudesse ser visto como mais uma das excentricidades de uma nação que funciona como um entreposto de livre comércio de tudo que é legal e ilegal (armas, drogas etc.), que não tem qualquer importância econômica e onde golpes de Estado constituem quase uma tradição – o último ocorreu há míseros 13 anos.

Coincidentemente, os países da Unasul, que não estão deixando o episódio paraguaio cair no esquecimento, são os mesmos em que grupos políticos e empresariais vêm tentando produzir situação semelhante.

Alguns desses países, aliás, acreditam que podem se tornar a bola da vez após a ruptura institucional paraguaia – que, repito, deu-se por a Justiça ter sido apartada e pela rapidez do processo. Bolívia, Equador e Venezuela, por exemplo, nos quais, em períodos recentes, houve tentativas de desencadear o mesmo, são os candidatos mais fortes.

Na noite de sábado, no Twitter, o senador petista Delcídio Amaral (MS), considerado um dos mais moderados e acusado por alguns de ser um dos petistas mais tucanos, tuitou propugnando retaliação dura ao novo regime paraguaio.

A própria Dilma Rousseff, que tem se pautado pela sobriedade e pelo comedimento, deu declarações fortes e chamou o embaixador brasileiro para consultas.

Como podem existir visões tão distintas como a dos países ricos e a dos países do entorno paraguaio? Foi um processo “normal”, como disse, por exemplo, o chanceler alemão, ou foi um processo golpista, como disse, em outro exemplo, a presidente argentina?

Em países parlamentaristas como os do norte, a destituição de Lugo seria normal. Um gabinete de primeiro ministro pode cair em prazos tão curtos e sob acusação de mau desempenho, mas, no presidencialismo – em que o presidente é não só chefe de Estado, mas também de governo -, não.

Nos EUA, nação presidencialista que nos inspira, o apoio ao golpe tem outra razão que não a confusão entre parlamentarismo e presidencialismo. É má fé mesmo.

O que está levando países como Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador ou Venezuela, entre outros países latino-americanos, a repudiar a destituição de um presidente tão polêmico quanto era Lugo e a propugnarem retaliação ao novo regime paraguaio, portanto, são as reações políticas em cada um deles.

Seja nos periódicos argentinos Clarín ou La Nacion, seja nos bolivianos El Deber ou El Mundo, seja nos chilenos El Mercúrio ou La Tercera, seja nos brasileiros Folha de São Paulo ou Globo, seja nos equatorianos Últimas Notícias ou El Comercio, seja nos venezuelanos El Universal ou El Nacional, sem falar das televisões, o tom é de comemoração e apoio ao golpe.

Em todos esses países, acusações de “corrupção” e de “incompetência” do governo central – acusações usadas contra Lugo – são a tônica do discurso da mídia e da oposição. Em quase todos eles, à exceção de Argentina, Brasil e Chile, de uma forma ou de outra já houve tentativas recentes de golpe – no Brasil, porém, houve tentativa de tentativa de golpe com o mensalão.

As reações da comunidade internacional, porém, estão assustando os golpistas paraguaios. O novo presidente, percebendo o estado de espírito dos governos vizinhos, trata de fazer gestos conciliadores como oferecer a Lugo que permaneça na residência oficial do governo até quando queira e lhe pede, até, para que ajude a explicar ao mundo o golpe que sofreu…

A televisão pública paraguaia, que estava censurando manifestações e que destituiu seu diretor porque mandava cobri-las, retrocedeu, a mando do presidente, e, no último sábado, transmitiu manifestação de milhares de pessoas contra o golpe que a mídia brasileira escondeu e que, nas poucas informações que divulgou, reduziu a duzentas pessoas.

O isolamento do Paraguai decorre da velha máxima de que “Gato escaldado tem medo de água fria”. O processo paraguaio é altamente suspeito. O conflito no campo usado como desculpa não será mais investigado por comissão do governo formada por Lugo antes de sair, o que sugere que o novo presidente, que tomou tal decisão, teme o resultado da investigação.

126 comments

  • É nesta hora que mais admiro Lula,este soube barrar os golpistas não gostamos de alianças,mas estas com certeza aprovaram os projetos de Lula e acalmar os golpistas.
    Com esta midia,com generais promovidos dentro dos quarteis,e controle de setores por poucas familias uma elite teremos que ficar bem atentos

    • Também digo Milton, e também o admiro pela aliança com o PP, respondendo ao babbaca aí que perguntou ao Milton. A alianã é com o PP e não com o maluf e quem tem o projeto da prefeitura para a campanha de Sampa é o PT e não o PP ou maluf.

    • Milton, acho que é o contrário. Na Venezuela, Chávez não faz esse tipo de aliança. Resultado: a tentativa de golpe contra ele foi fragorosamente derrotada, com os golpistas fugindo para Miami (sempre fogem prá la).

      No Paraguai, Fernando Lugo é homem “moderado”, que costuma fazer esse tipo de aliança com a direita. Resultado: o golpe contra ele contou com a ajuda de partidos “aliados”.

      • Mas aqui ao contrario do Paraguai temos hoje as duas casas do Congresso mais para centro esquerda. E o PT eh e outros partidos sao fortes no pais inteiro. Espero nao estar sendo otimista demais.

  • É simples mas complexo porque tem que pre calcular muita coisa. O brasil nao pode e nao quer ser árbitro assim… do bem e do mal, em terra alheia. Deixa esse papel voce sabe pra quem.
    Depois tem que passar ao isolamento e aos castigos pontuais mas nao letais ao pais guarani, porque se pesados demais seria contraproducente. Talvez nao expulsando mas suspendendo -o do mercosul de comum acordo com os outros socios.
    Ai entra o corolario: ja que somos tres, a entrada da Venezuela com muito mais cacife economico e comercial fica automatica. Otimo para as empresas brasileiras e argentinas independente de quem seja governo em Caracas. Quanto a Unasul, o Brasil deve deixar para o colegiado sul americano decidir sem impor nada.
    E quanto a politica geral sul-sul, depois dessa Dilma verá que tem que intensifica-la. E last not least, sacar o Patriota e dar-lhe uma embaixada em Kiev ou Praga.As duas cidades sao lindas.

  • Reconhecer o golpe paraguaio como legítimo é o fim.
    Há que se condenar, e não negociar com golpistas.
    Imaginem se a moda pega…
    Tem que se cortar o mal pela raíz..
    Golpe é golpe.
    Não devemos abrir concessões.
    Quem pode avaliar o governo do Lugo é o povo ,através do voto.
    Os golpistas são tão car-de-pau que disseram que irão pedir a Lugo que os ajudem a
    legitmar o golpe junto aos demais países.
    Socorro, pare o mundo que eu quero descer.

    • Se os golpistas tem a cara de peroba suficiente para pedir ao presidente deposto que os ajudem a legtimar o golpe em outros paises,então tem alguma coisa aí que está muito errada.Eu tenho uma opinião muito pessoal a respeito de Lugo,mas prefiro me abster de expo-la,no momento,até mesmo para evitar a pecha de exagerado,ou pior,de paranoico.Será que estamos mesmo diante de um golpe de estado?Em principio,Fernando Lugo foi eleito presidente atraves de eleições,provavelmente,democraticas.Foi deposto em rito sumarissimo,sem que houvesse da parte dele,qualquer reação mais forte.Não sei não,mas tem algo que não se encaixa nesse quebra cabeças.

  • Como ja disse em meu comentario no topico anterior,estava mais claro do que nunca que Fernando Lugo,num pais com as caracteristicas como as do Paraguai,jamais chegaria ao fim de seu mandato,e isso para mim não foi nenhuma surpresa,porque desde o momento em que ele tomou posse eu ja estava prevendo esse desfecho.Fora os setores das classes dominantes que estiveram diretamente envolvidos nas articulações do golpe,como os latifundiarios e uma reduzida classe media que apoiou entusiasticamente o golpe,o restante da população é formada por pessoas praticamente analfabetas,carentes de praticamente tudo,principalmente de cidadania.Oras,num quadro de total esgarçamento social estava mais do que claro que um governo que praticasse uma politica com um minimo de progressismo seria um candidato ideal para o cadafalso.E foi exatamente o que ocorreu com Fernando Lugo.Pode acontecer um efeito dominó em outros paises,como o Brasil?Poder,pode,mas só o futuro poderá responder a uma pergunta como essa,se bem que a estrutura social brasileira seja muito mais complexa,mas nada impede que um golpe possa,eventualmente ocorrer no Brasil.Porem,as coisas,podem até demorar um pouco mais aqui e as consequencias a nivel continental podem ser ate muito mais traumaticas,tendo em vista não só a extensão do pais,como tambem o tamanho da população e o grau heterogeneo de percepção politica dessa população.

  • Os países sul-lamericanos, principalmente o Brasil, a Argentina e o Uruguai não podem deixar impuni esse golpe da direita paraguaia. Tem que isolar o novo governo paraguaio. As grandes coorporações mundiais estão transformando os governos em meros fantoches e, o povo que se f…

    • Está usando a arma do embargo.
      Embargo contra o Paraguay pode, já, em Cuba, é crime contra a população…
      Seria bom que decidissem: ou se é pró ou se é contra.

        • Não responderam porque não há resposta. Entendo.
          Quanto a ir para o paredón, hoje não mais. Iria para as masmorras, apodrecer, como fazem atualmente.
          E entendo que você é a favor, desde que seja em Cuba ou em qualquer outro país dito de esquerda.
          Com esse seu comentário, bem imagino como este país estaria se a guerrilha tivesse vencido.

          • Exato. Lugar de golpista é atrás das grades.

            É exatamente assim que seria se a guerrilha tivesse vencido. Ruim pra vc, né?

            Mas bom pra todo mundo.

          • Em primeiro lugar, contra Cuba vc apoia o embargo, então, vc pergunta se a gente apoiaria o embargo para um golpe no intuito de ver se somos “iguais a vc”.

            Em segundo lugar, eu respondo que apoio o embargo para um “golpe”, o que NÃO nos torna iguais a vc, por duas razões:

            1 – Sou contra golpe de direita ou de esquerda (Chavez já tentou o golpe e fui contra, mas eu apoio agora a forma como ele ingressou no poder, através do voto). Vc é totalmente a favor de golpes de direita.

            2 – Em Cuba o que houve foi uma revolução contra um governo ditadorial e tirano. Por sinal, era uma ditadura de direita, e o país éesta muito melhor hoje do que antes. Tem suas limitações causadas pelo embargo, mas é um país onde todos possuem educação e saúde, e não existem crianças mendigando. Numa revolução, as forças populares se unem para depor um governo ditatorial, num golpe, um pequeno grupo abastado com seus interesses derrubam um governo democrático e legítimo, constitucionalmente aprovado.

            Vc agora viu a grande diferença entre a gente. Então não precisa mais fazer esta pergunta insana.

          • Em Cuba, houve uma revolução. No Paraguai, houve um golpe. Em Cuba, puni-se o povo por não se alinhar aos EUA. No Paraguai, pune-se o grupo que usurpou o poder.

            Conseguiu perceber agora?

      • Prezada Ramiza.
        É a mesma arma usada pelo poderoso e admirado EUA, ou seja, o embargo contra a “poderosa e temível” Cuba pode (vigente a décadas), mas contra Honduras, Paraguai, Síria, Iraque … nem pensar, seria bom se eles e um monte de brasileiros que se dizem democráticos decidissem : ou se é pró ou se é contra.

      • Santa hipocrisia.

        O embargo contra Cuba existe há décadas com o objetivo EXPLÍCITO de forçar a adoção de outros sistema de governo, ou seja, com o propósito de alterar a vontade do povo.

        O embargo contra o Paraguai tem o objetivo de forçar a canalha que vc tanto admira a obedecer a lei e observar o amplo direito de defesa e não atropelar por conveniência de uma elite a vontade democrática e soberana do povo.

        Vc tem que ser muito desonesta pra começar a fingir que se trata da mesma coisa.

        • Aquele regime que tem láem Cuba é “vontade do povo”? Hehehehehe…
          Êta, de novo nosso amigo Pierri atacando de “Professor Hariovaldo”.

          • “Aquele regime que tem láem Cuba é “vontade do povo”? Hehehehehe…
            Êta, de novo nosso amigo Pierri atacando de “Professor Hariovaldo”.”

            E por que vc acha que não é vontade do povo, só porque o Globo/Veja/Folha/Estadão diz. Não dá nem para dizer que vc ataca como Professor Hariovaldo porque aquele é apenas uma sátira, e no seu caso é real.

            Pelo menos uma coisa real eu posso lhe assegurar, que sua vontade não é a do povo.

          • VC considera a antiga ditadura de Fulgêncio Batista “vontade do povo” ? .Cuba era, até 1958, um verdadeiro cassino e bordel dos EUA.Tinha sua população analfabeta e isso era a vontade do povo ? Ou vc é muito ingênuo ou insipiente….

          • Quer dizer, então, que quando é pra substituir uma ditadura da direita por outra da esquerda ai vale né?

            Um país que tem um único partido permitido, que tem a mesma dupla de irmãos governando-o há mais de 50 anos, que impede que seus cidadãos imigrem para outros países, que põe em masmorras ou fuzila pessoas que tem convicções políticas diferentes daqueles que estão no poder é o que, ora pois? Não posso chamar de ditadura pois sou “ingênuo ou insipiente”?

            Me poupe da suas tentativas de patrulhamento ideológico baratas.

          • Seu argumento é baseado na sua ignorância da realidade cubana.

            Primeiro, a revolução que lá ocorreu foi popular, e não um golpe como aquele que vc tanto admira.

            Segundo, tanto Fidel como Raul foram eleitos e re-eleitos. Há eleições a cada 4 anos por lá. Os candidatos NÃO se auto-indicam, mas são indicados pela comunidade a que pertencem. Não há financiamento privado de campanha. E a minoria que quer mudar o sistema político e econômico elege, justamente, uma minoria, diferentemente daqui, onde a minoria elege a maioria e temos um Congresso com mais de 50% de representantes de latifundiários apesar deles responderem por menos de 1% da população.

            Terceiro, NINGUÉM vai preso por “pensar diferente”. Muito pelo contrário, quem pensa diferente é respeitado por lá. Os que vão presos são aqueles que COLABORAM com o inimigo – os EUA. São os que são pegos negociando com eles formas de desestabilizarem o governo, recebem pra isso e depois se fazem de pobres vítimas inocentes.

            Haja vista a maior entreguista cubana, a Youni, ou seja lá como ela se chama. Ela é completamente livre pra escrever o que quer, até o momento em que for flagrada negociando com o inimigo pra derrubar o governo. Aí é cana pra ela, como deve SEMPRE ser, e é, em qualquer país.

            Quarto, o sistema de partido único NÃO é anti-democrático, pois permite o debate dentro do partido, evitando, porém, o conchavo, as legendas de aluguel, etc. É bem mais democrático do que o bipartidarismo estadunidense, por exemplo, onde se evita completamente a discussão do que é essencial e centra-se na discussão de filigranas.

            E NADA disso quer dizer que Cuba é um paraíso. É um país como todos os demais, com seus méritos e seus vícios. Vc, porém, não apenas se concentra apenas nos vícios como um pretexto para condenar o sistema econômico cubano, mas vc os inventa, distorce e aumenta pra servir a esse propósito, engolindo, com imenso prazer, a propaganda estadunidense, por compartilhar com eles o mesmo interesse de condenar a priori tudo que venha de Cuba.

            Os EUA, porém, o fazem para se beneficiar…

          • Claro que é, ô indigente.
            A primeira coisa que Fidel fez após a revolução foi armar o povo para defendê-la.
            Mas, claro, para um idiota do seu jaez, Fidel será sempre um ditador.
            Vai ler alguma coisa alem da Veja, cretino.
            Não é possível que alguém pague uma cavalgadura dessas pra vir aqui nos dar no saco: ele faz isso de moto próprio.
            Sendo uma besta sem dono, poderia ir pastar alhures.

          • Enfim, meu caro, apenas pra vc pensar um pouco: enquanto os EUA enviam soldados pra todos os cantos do planeta, Cuba envia médicos…

            Eis a diferença entre tirania e democracia…

          • Xiii Pierri acho que você anda meio esquecido….
            Cuba não mandou soldados pra outros países?

            Você não lembra do que aconteceu la em Angola não?

          • Sebastião, o santo protetor dos cínicos.

            Querer comparar o que os EUA fazem, com bases militares espalhadas ao redor do mundo para, EXPLICITAMENTE “defender os interesses estadunidenses”, contando com centenas de milhares de soldados e bases permanentes durante décadas a fio com o envio de tropas à Angola na década de 70 para lutar contra exércitos apoiados e financiados por outras nações é simplesmente cinismo além da conta.

            Mas esperar o que do São Sebastião (o cínico, não o verdadeiro, claro)?

        • Indigente, cretino, besta, pastar alhures…
          Hehehe, como é bom conhecer a índole de certos extremistas da esquerdopatia, né, “Scan”?
          É assim que eles sabem discutir e argumentar…
          Imaginem esse pessoal no poder. É por isso que em pleno século XXI ainda temos esses trecos chamados Cuba e Coréia do Norte.
          Você como um dos capatazes dos Castros ou do Kim Jong-il se sairia bem cuidado dos seus gulags dando lições nos neoliberais traidores…

          • Caraca, e qual é a diferença entre o que o Scan escreveu e as suas sandices sobre Cuba?

            Apenas o fato de que o Scan tem mais razão do que vc. Só isso.

          • Chamar o que você vomita aqui de “argumentos”, é ofender o vômito.
            Você, de história, tem o mesmo conhecimento de uma criança de 8 anos não muito esperta, o que me faz desconfiar que seu livro texto era a Veja…
            Se manca, parlapatão, vá postar no Reinaldinho Cabeção que está mais para seu bico, golpista fracassado.
            Gente desonesta é f(*)…

          • Hehehehe. “Eu tenho mesmo conhecimento de uma criança de 8 anos não muito esperta” ?
            Com que argumentos fala isso?
            Continua com os mesmos xingamentos sem argumentos…
            E procure também combater o que o “Reinaldo Cabeção” fala com argumentos ao invés de simplesmente chamar o cara de “Cabeção”. Isso é que é falta de argumentos próprio de uma criança de 8 anos…

          • Eu “cínico”, Pierri?
            Por acaso falei uma mentira?
            Por acaso cuba não mandou milhares de soldados pra combater lá em Angola? Tá lá na história. É só pesquisar.
            Cuba hoje só não faz igual “USAmericanu capitalistas porcos” – que mandam soldados ao redor do mundo – porque estão caindo aos pedaços na mais completa pindaíba depois que pararam de receber a mesadinha de vários bilhões de doletas da falecida mamãe CCCP… hehe…

  • Se observarmos, quem segurou Lula no poder foi a não aceitação por parte do vice José Alencar de uma tentativa de Golpe branco durante o Mensalão. Corre boatos que o Vice José de Alencar foi sondado pela oposição para provável aceitação de tomar o lugar de Lula que foi prontamente rechaçado pleo mesmo. Talvez seja desse comportamento que o Lula tinha grande respeito e admiração pelo José Alencar!!! Já no caso da atual presidente Dilma Russef, será que o vice é de tanta confiança assim??????

    • Ah, pode ter certeza que o Temer e a sua jovem mulher, estariam sentadinhos na primeira fila da Missa, como na foto mostrada no site do Nassif, para “abençoar” o golpe intra palaciano.

    • Corre boatos..Deixa eu interpretar os boatos. Se o vice José Alencar foi sondado pra apoiar a tentativa de golpe contra LULA em 2005, deve não ter concordado com as condiçoes impostas pelos golpistas.

      Mas o que sustentou mesmo LULA no poder foi a reação popular contra a manobra golpista. Lembro muito bem dos adesivos que diziam: “Mexeu com ele, mexeu comigo”. Até o Sarney, sempre atento a tudo o que ocorre, ficou bem na fita: “Impeachment não passa no senado”.

      Daí que os golpistas desistiram do intento, decidindo abraçar a tese do “sangramento”: LULA tentaria a reeleição anêmico, fraquinho, um passeio pro Serra (que desistiu da candidatura, mandando o Alckmin apanhar no lugar dele).

  • O golpe contra Lugo foi um caso bem sucedido no Paraguai, e muito semelhante à tentativa frustrada daqui.
    Os neoliberais permitiram “um estranho” subir ao poder para então derrubá-lo. Com essa manobra reforçam (ou reforçariam) o autoritarismo, se auto-legitimando como inexoráveis donos do poder, e ilustrando com o “fracasso do intruso”. Lá no Paraguai conseguiram. Aqui tentaram, mas o sucesso de Lula, os 40 milhões de Brasileiros que melhoraram seu padrão de vida, a posição de destaque no cenário mundial, a retomada da auto-estima do povo Brasileiro, impediram que o golpe prosperasse.
    Ao início de seu mandato. Lula dizia: “Eu não tenho o direito de errar. Eu não posso errar. Porque se eu errar, o preço será elevado demais”. E ele acertou!
    Lugo tentou, mas foi impossível acertar em meio a um bombardeio de manobras da elite mais podre da América Latina.

  • Estive há alguns anos no Paraguai (Ciudad de Leste) e fiquei triste, quase deprimida, com a pobreza do País. O centro da cidade me pareceu ter apenas algumas poucas lojas maiores, sendo o restante, vendinhas humildes. Nessas lojas maiores, turistas faziam compras.

    No caminho de ida e volta para Foz do Iguaçu, vi camponeses passando, muito pobres. Em seus semblantes, os traços do povo indígena que originou aquela região.

    A Guerra do Paraguai, no século passado, deixou suas tristes marcas naquele País, até hoje. Creio ser absolutamente correto os países da UNASUL pressionarem fortemente o novo governo, pois alguns desses Países têm uma dívida a resgatar com o povo paraguaio, incluindo, acredito, o Brasil. A Guerra do Paraguai arrasou aquele País.

      • Acho que o Dimas estava dormindo na época em que o Brasil construiu sozinho Itaipu e deu de mão beijada parte dela para os paraguaios.
        Continuou dormindo quando os paraguaios exigiram aumento da energia que vendem e o Brasil aceitou sem chiar.
        Só falta o Dimas dizer que roubamos o Acre dos bolivianos.

          • Não vai dar Dimas, Suas idéias avançadas sobre o extermínio via fuzilamento e seu acurado senso de insultar no melhor estilo dos cortiços, numa patética sátira de Catão, exercem em mim uma catarse que me obriga a “ridendo castigat mores”

          • Calma companheiro. Não quer debater com “Porcos Capitalistas”?
            Não seja assim tão radical…
            Nós os “Porcos Capitalistas”, “Tucano-Demos” e direitóides reacionários amantes dos golpistas estamos sempre dispostos a perder uma parte de nosso precioso tempo (que passamos dedicados a explorar os pobres e armar golpes) para vir aqui e democraticamente debater ideias com vocês. Nos de uma chance!
            Afinal é bem mais saudável e democrático mantermos essa batalha virtual proporcionada por esse blog do que partirmos para uma batalha campal… Sejamos pacientes e pacíficos!

      • A elite do Paraguai tem mania de por a culpa de tudo de ruim que tem no país na Guerra do Paraguai e no Brasil. Assim eles podem continuar sugando o povo pobre de lá numa boa, sem fazer nada para melhorar. A guerra do Paraguai foi há quase 150 anos, aquela elite burra e retrógrada já poderia ter feito muito pelo país nesse período. Acredito que o Brasil deva ajudar os países pobres, dentro do que é possível, pois é do nosso interesse que os demais sejam prósperos e estáveis, tanto nas Américas quanto na Africa. Mas não ponho muita fé nesse negócio de sensação de culpa. No meu entender, isso só serve para a elite paraguaia continuar com suas maracutaias e roubalheiras.

        • Mentira! O Brasil foi agredido! O Paraguai invadiu o Mato Grosso e bloqueou a navegação no Rio Paraguai. Foi uma reação justa à agressão. Queria que não fizéssemos nada? Naquele tempo ainda existiam HOMENS e PATRIOTAS, ao contrário de hoje.

        • Há controvérsias. Esta versão circulou como forma de oposição à ditadura militar. Mas o problema começou com o Uruguai.
          Em 1863 Venâncio Flores se rebelou contra o governo de Atanasio Aguirre, Presidente do Uruguai, e do território argentino onde ele estava estabelecido, ele cruzou a fronteira e começou a revolta. O governo do Uruguai acusou a Argentina de fornecer armas para Venâncio Flores. No início de 1864, a Argentina pediu o apoio do Brasil no seu litígio com o Uruguai. Por outro lado, no Rio Grande do Sul ameaçavam o Império com uma nova guerra separatista, e no fim, o Brasil aceitou apoiar o Flores. Houve a Missão do Conselheiro Saraiva para protestar contra atentados a propriedades de brasileiros na fronteira. O Ministro do Exterior uruguaio devolveu a nota do Saraiva, dizendo ser indigna de figurar nos arquivos da República. Ao mesmo tempo tempo o Uruguai procurou a aliança do Paraguai, e mandou um enviado, José Vázquez Sagastume a Assunção. Em 11 de novembro de 1864 o navio Marquês de Olinda que levava para Mato Grosso, o presidente nomeado Frederico Carneiro de Campos, passou por Assunção. Solano López estava reunido com o seu Ministro do Exterior, José Berges, e com o enviado uruguaio Vázquez Sagastume. Este como alma danada da Guerra do Paraguai instava pelo apresamento do Marquês de Olinda. O Ministro paraguaio pedia calma com a situação. No fim de contas, López deu razão ao estrangeiro belicista, e mandou a corveta Tacuarí apresar o Marquês de Olinda. No dia seguinte, o navio estava de volta ao porto de Assunção, e o nosso Ministro em Assunção, César Sauvan Viana de Lima enviou uma nota ao sr. José Berges, perguntando os motivos da volta do navio. José Berges entregou a nota rompendo as relações diplomáticas entre os dois países. A esta altura o Brasil já estava com tropas no Uruguai, combatendo ao lado de Flores.
          No final de dezembro de 1864 saíram do Paraguai duas colunas de tropas, uma chefiada pelo Coronel Vicente Barrios, cunhado de López (e futuramente fuzilado por ordem deste) que pôs cerco ao Forte de Coimbra, que resistiu até se acabarem as munições, e nessa resistência se destacaram por seu valor um grupo de mulheres, chefiadas pelas esposas do comandante e do seu imediato. Elas inclusive fabricaram pólvora. Abandonaram o forte sem o perceberem os paraguaios. E foram num navio comando pelo Tenente Balduino Ferreira de Aguiar.
          A outra coluna entrou por Dourados, e enfrentou treze valentes brasileiros, sob comando do legendário Tenente Antônio João Ribeiro que morreu protestando contra a violação do solo pátrio. Foi um precursor do boliviano Eduardo Abaroa que resistiu aos chilenos em Antofagasta em 1879.
          O mês de janeiro todo foi terrível para os brasileiros. Derrota após derrota. Enquanto vencíamos no front uruguaio, éramos derrotados no front matogrossense. Só depois da vitória de Flores, e que pudemos nos dedicar a combater o Paraguai.
          O interessante é que os uruguaios esperavam as tropas paraguaias no sul, e López as mandou para a direção oposta, o norte.
          Até então o Brasil estava sozinho na guerra. O Paraguai pediu permissão à Argentina para passar suas tropas pelo território argentino, e a Argentina, querendo manter a neutralidade, não permitiu. López, logo depois de declarar guerra à Argentina, mandou o General Robles ocupar Corrientes, e os navios Veinte de Cinco de Mayo e Gualeguay foram apresados.
          Logo reuniram-se, Rufino de Elizalde, Ministro do Exterior argentino, o nosso Ministro em Buenos Aires, Conselheiro Francisco Otaviano de Almeida Rosa e o Ministro do Exterior uruguaio, Carlos de Castro. E assinaram o Tratado da Tríplice Aliança, em 1° de maio de 1865. Como necessitássemos do apoio argentino, tivemos de aceitar a cláusula que os argentinos fizeram colocar sobre os limites do Paraguai, sendo que a Argentina se apropriaria de toda a margem ocidental do rio Paraguai o ”Gran Chaco Gualamba”.
          Muitas vezes a versão prevalece sobre a verdade, e este foi um dos casos. O Paraguai pelos seus agentes na Europa soube suscitar a condenação internacional para nós. Mas o que não foi dito é que o exército paraguaio tinha mais homens em armas e era muito melhor equipado do que o dos três países da Tríplice Aliança. O problema é que não tinha bom comando. Se um general paraguaio agisse diferente do que López mandara, era simplesmente mandado fuzilar. E assim o Paraguai foi perdendo os seus melhores generais.
          Duas batalhas selaram o destino do Paraguai: Riachuelo, em 11 de junho de 1865, que permitiu a invasão do país em abril de 1866, e Tuiuti, em 24 de maio de 1866, que destroçou o exército do Paraguai.

          Claro houve destruição, crimes de guerra de parte a parte: incêndios de hospitais, jogar cadáveres coléricos no rio (crimes dos aliados), convocar crianças para a guerra (crime do Paraguai). Na época tudo isso era permitido pois não haviam leis internacionais que proibissem.

    • “O centro da cidade me pareceu ter apenas algumas poucas lojas maiores, sendo o restante, vendinhas humildes.”
      A ultima vez que Dona Luiza esteve em Ciudad del Este foi na década de cinquenta.

  • Na minha opinião, os países da Unasul deveriam exigir que se fizesse um processo de impeachment decente, com acusações, prazos, provas e direito de defesa. Se o presidente não está fazendo um bom trabalho, é incompetente ou corrupto, o país, qualquer país, tem que ter uma forma de destituí-lo. Mas o processo não pode correr de forma tão antidemocrática quanto aconteceu no Paraguai. E, é bom lembrar, se o presidente fizer um péssimo trabalho, ou for comprovadamente corrupto,os eleitores vão ficar, na sua maioria, contra ele.

  • A presidente Dilma está sendo comedida demais. Ela está querendo fazer omelete sem quebrar os óvos. O Chaves e Cristina foram rápidos e firmes e a Dilma está sendo lenta e leniente, com o perigo iminente que representa o golpe de Estado dado no Paraguai. Se ela está preocupada com os chamados brasiguaios, deveria saber que muitos deles gostariam que ela também fosse derrubada da presidência do Brasil. O Brasil agiu com firmeza e rapidez no caso de Honduras e também quando tentou intermediar uma negociação com Irã, referente à questão nuclear, porém, em relação ao Paraguai, que faz divisa e tem fortes ligações conosco, o governo está titubeando. Será que a Dilma não percebe que qualquer sinal de fraqueza de sua parte, ela também correrá um sério risco de ser deposta. A democracia brasileira ainda não está cnsolidada, portanto, não se deve demonstrar fraqueza numa situação como esta.

    • A Dilma ainda não está segura qto à sua força politica no pais. A direita segue à espreita de uma falha para também derrubá-la. Essa a razão desse comportamento tímido por parte da presidenta. Aliás, o próprio Lula agia também com muito comedimento com medo da possibilidade de golpe. Assim como no Paraguai e no restante da AL os golpistas sabem que sempre contarão com o apoio da matriz do norte.

  • Eu só discordo de tu Edu, qndo tu diz que somente os EUA reconheceu o Golpe por má-fé, Acho que Alemanha, Espanha tb foi por má-fé, não por serem parlamentaristas ou coisa parecida. A direita abomina a esquerda tanto qnto o Contrário. Mais os Direitosos Neo-Liberais na sua ambição e ganãncia não suportam ver um governo minimamente a esquerda e usam todo tipo de artíficios para destruir qualquer Governo à esquerda que houver no mundo.

  • Para Cuba, a ONU (EUA) impôs embargo econômico,
    Para o Irã, a ONU (EUA) tenta embargo econômico,
    Para a Coreia do Norte, a ONU (EUA) impôs embargo econômico,
    Para o Iraque, a OTAN impôs embargo econômico e exclusão aérea,
    A Unasul conseguiria impor embargo ecômico e exclusão aérea ao Paraguai?
    Com a palavra, os EUA!

    • O embargo contra Cuba não é coisa da ONU. É algo exclusivamente feito pelos EUA, ao arrepio da própria carta da ONU, e algo já condenado pela Assembléia Geral daquele órgão.

    • Nesse caso teríamos que saber a opinião dos BRICs. China e Rússia, por exemplo, já têm interesses econômicos fortes no Brasil. O Brasil não é mais o quintal dos EUA como na época do FHC. Agora os EUA são um país que devemos respeitar e admirar como os demais. Mas não de quatro.

  • Prezado jornalista
    A aceitação passiva de lugo mostra que a Unasul precisa urgente de um plano B.
    Talvez a suspensão temporaria do Paraguai no Mercosul , aproveitando para inserir a Venezuela que espera a 6 anos a aprovação do parlamento paraguaio.
    E o tal de lugo hein?
    Só quatro votos contra seu impedimento monstra que sua liderança política era nula.

    • E p q diabos a justiça de lá n se pronunciou?!As supremas cortes são guardiães das constituições…ou p q n avaliou q a deposição foi ilegal?!…Ah,sei;parece c/ as duas vizinhos -a “opinião publica”,q são as mídias,fazem a pressão…isso num tá cheirando bem

  • O governo do Brasil chamou o seu embaixador no Paraguai depois que a hermana tomou esta decisão. Não quis passar vergonha e ainda perdeu a iniciativa da atitude.

    O Chavez já foi bem mais prático. Cortou o petróleo.

    Não acho que devamos parar de enviar a energia de Itaipu, pela legalidade e por solidariedade.

    Fechar a ponte para apertar os falsificadores e contrabandistas seria fácil e adequado. Mas não acredito que o governo tenha coragem. Vão argumentar que atrapalha a vida das milhares de formiguinhas que vivem de trazer as tranqueiras chinesas.

    Aliás, sempre fui contra esta liberalidade para com o Paraguai, que rouba nossos carros e nossos empregos. Deve ser sensação de culpa pela Guerra do Paraguai. Mas esta síndrome poderia ser corrigida com atitudes muito mais dignas e eficazes para o bem do povo paraguaio e não de suas oligarquias atrasadas.

    Posso imaginar o Marco Aurélio debatendo com o Patriota as medidas que Brasília deve tomar . . .

    • Você é daqueles que, diante do Paraguai, ruge grosso como um leão, mas passa a miar bem fininho, como um gatinho, só de ouvir falar em Estados Unidos.

  • Edu, escrevi este comentário no Nassif e reescrevo aqui por acha pertinente com seu post:

    É impressionante como esse golpe de Estado no Paraguai tem uma grande semelhança com aquele momento em 2009 quando a Velha Mídia (alcunhada por PIG) e a oposição descobriu finalmente que o Sarney é o Sarney.

    E por causa de um telefonema da neta – uma bobagem – queriam derrubar o presidente do Senado.

    Na ocasião o vice-presidente do Senado era o Marconi Perillo (sim, este envolvido com uma organização de matiz mafiosa).

    Sarney derrubado, Perillo assumiria a presidência do Senado e esperaria qualquer fato sem importância para votar o impechment de Lula a 1 ano da eleição.

    Lembrem-se que naquela época a maioria no Senado era apenas ocasional.

    O vice presidente, José de Alencar, já estava com a saúde fragilizada.

    Prato cheio para eleger em 2010 Dom José I, o Único, o Predestinado.

    Então seria como um passeio na Disneylandia para Monsanto, Chevron, etc.

    Curioso, muitas semelhanças com o golpe no Paraguai.

  • o site g1 foi consultar os ricos fazendeiros brasileiros que vivem explorando o pobre povo paraguaio. E chegou a conclusão que eles(os fazendeiros) estavam muito felizes com o golpe ocorrido. É o fim!

  • o que demonstra a importancia da base na sustentação de um governo popular. por isso é bom pensar antes de malufar de novo. e lembrar a importancia da eleição para vereador. vamos inundar a camara de legitimos representantes dos movimentos sociais

  • Interessante é que tem colunistas dentro de órgãos do PIG que denunciaram o Golpe.
    Então a ideia de que o golpe está sendo comemorado no PIG, pelo menos o PIG do Brasil, deve ser relativizada.

    • Claro que ” tem colunistas dentro de órgãos do PIG que denunciaram o Golpe.”
      Mas o percentual desses heróis deve girar em torno do astronômico percentual de uns 0,000001% do total dos colonistas do PIG. Ou seja, toda regra tem exceções. que só servem para confirmá-la.

  • O Mercosul acaba de suspender o Paraguai do bloco, segundo a Agência Brasil. Certamente, também será suspenso da Unasul, onde exerce a Presidência na rotatividade de liderança deste bloco. A Venezuela já chamou de volta seu Embaixador em Assunción, e mais importante, cortou o fornecimento de petróleo ao Paraguai, que depende em mais de 50% de seu consumo do petróleo venezuelano. Parece que os países democráticos da América do Sul passaram da perplexidade à ação! Espero que os próximos capítulos mostrem a asfixia econômica dos golpistas, via “operações padrão” do Exército e Polícia Federal nas fronteiras, ou até o fechamento conjunto das fronteiras de Brasil, Argentina e Bolívia ao Paraguai, incluindo o espaço aéreo.

  • Para nós, que já passamos por tantas experiências dramáticas e frustrantes (golpes, ditaduras, censuras, torturas e assassinatos), o processo democrático é diário e é difícil, imagina o que é para os paraguaios que há tão pouco tempo puderam eleger seu primeiro presidente que deu voz ao povo.Embora não tenha maiores referências sobre o passado de Lugo, além dele ter feito parte da Teologia da Libertação, ter sido bispo e ter tido filhos, não acredito que ele tenha fraquejado em não ter defendido seu mandato. Não adiantaria nada ele tentar ser um novo Allende (para mim um dos maiores líderes democráticos da AL), sua história é muito diferente. Mas, essa não ação talvez tenha tido muito mais força para desmascarar o ato golpista. E ele teve um discurso honesto e corajoso ao sair, não saiu como vítima, mas como alguém que ainda pode denunciar e lutar pelo processo democrático em seu país. E o povo foi às ruas para defender algo maior do que o próprio presidente, foi defender o seu voto e as novas perspectivas de vida democrática. Concordo em gênero, número e grau com tudo o que foi analisado e escrito pelo Eduardo.

  • Existe uma clara divisão ideológica nessa discussão sobre o golpe branco paraguaio:
    Enquanto todas nações latinas de esquerda, exceto Cuba por obvias razões, condenaram o jeito com que o impeachment foi conduzido, nações mais conservadoras ou de governos de direita, dizem que o processo foi legal.

  • Prezado Edu, concordo com o post. Se digno for, fui a missa de Sétimo Dia do meu melhor irmão casula e amigo, o Jornalista Cláudio Vilça. Não sou religioso, mas fui. Nós dois lutávamos e lutamos contra o PIG, eu como Sindicalista filiado ao PT e ele ao PC do B pela Associação dos Jornalistas no Serviço Público- AJOSP/MG. Aos 38 anos me deixou. Estou Feliz nesse momento. Ele espiritualmente falou comigo, visto que estava muito choroso e exigiu-me para recompor-me, pois tenho que criar seu filho de 04 anos de idade. Desculpe-me em colocar no seu blog esse sentimento triste. Desculpe-me. Estou desabafando meu lado chorosso. de Belo Horizonte.

  • Dilma…Dilma…Faça a regulação dos meios de comunicação até o primeiro semestre do ano que vem.
    Vamos, menina, não durma no ponto. O cerco se fecha a cada dia.
    A direita não tem voto. Mas tem capacidade de fazer o que fizeram no Paraguai. Se não ganham no voto, ganham no golpe.
    Dilma…..Dilma…..Acorde, minha querida.
    Vamos agir antes que seja tarde demais.

  • No Paraguai foi GOLPE. Sim. Seus 6 milhões de habitantes, mais de Um terço , vive abaixo da linha da pobreza. Um terço vive mendingando. Apenas Dois por cento da população é de Rico e classe média, vide relatório da ONU. O mais miserável Estado Brasileiro é melhor que o Paraguai em todos os Índices de avaliação. A Unasul e demais organizações sul-americanas têm que EXPULSAR o Paraguai de tais entidades. Torná-lo politicamente um pária Internacional. A América Sul tem que punir essa Ditadura Instalada agora no país vizinho e que sirva de exemplo aos demais. Sejamos Intolerantes com a DITADURA ” Constitucional” do Paraguai. Não nos esqueçamos que esse Golpe foi possível com a União dos Parlamentares, mais Mídia, ou PIG de Lá, mais Igreja Católica…Sempre a Igreja Catótica conspirando segundo seu interesse latifundiário. Não nos esqueçamos do bispo de Guarulhos contra Dilma. Isso é um Horror!

  • Durante o periodo que chamaram de “mensalao” houve uma reuniao da cupula do PFL e do PSDB num apartamento em Higienopolis. O rumo da conversa foi para instalar processo de impeachment contra Lula, com devido apoio da velha midia.
    Uma voz colocou um argumento importante que demoveu os caciques golpistas: e se o povo sair as ruas e clamarem pela volta dele? Teremos criado um mártir.
    FHC apavorou a oposiçao.

  • Edu, veja bem, o Vaticano é um Estado oficialmente reconhecido pela ONU, como Estado Oficial. Durante a Ditadura Italiana de Mussollini, depois da omissão da Igreja a deixar que Judeus, Ciganos, Negros, e minorias em geral fossem trucidadas, isso é fato Histórico Hoje. É essa a construção do Estado do Vaticano com seus escândalos da Máfia no seu banco chamado AMBROSIANO, sem contar o Último escândalo atual, que foi nomeado um brasileiro á chefia para abafar geral. O Vaticano é Fascista. Quer o poder a qualquer preço aos moldes da compilação da Bíblia no Império de Constantino. Afinal de que cuida o Vaticano? De Golpe? Das almas de seus fiéis? Afinal, institucionalmente, a Igreja Católica não passa de enganação? Deus não criou esse luxo exposto pela Igreja Católica. Deus não nasceu numa mangedora? Ostentação é PODER. A Igreja Católica Institucional do Paraguai, impôs ao COVARDE LUGO, a sair calado. Aqui no Brasil, temos a picaretarem jornalística do PIG Folha, Globo, Veja, Exame, Valor Econômico, ISTO È, e a famigera Época…, o que importa, é que o Vaticano é o maior latifundiário do mundo, não se esqueça que em países Latinos e de concepção de Isabela de Castela e Fernão de Aragão e em nome da IGREJA extermiram em milhões seus nativos, os verdadeireiros Brasileiros.O Vaticano como Estado, foi uma negociata com a Itália e o Papa. E a Itália perdeu. Em sã consciência, pode você representar Deus e o Capeta? Não esqueçamos, que a secular Igreja Vaticana tem o maior banco de imblóglio e um Pária em relações Financeiras Mundial, lembra-me a injustiça dessa igreja a Giordano Bruno, Joana Darc. de Belo Horizonte.

  • “É o VICE, estúpido, é o VICE”…

    Candidato a presidência tem que ter muito cuidado ao escolher o VICE.
    Se não fosse José Alencar, Lula também teria caído.
    “Ellles” o procuraram para que assumisse o governo e ele se NEGOU a tal disparate.

    Por isto, eu relutei tanto quando da escolha do Michel Temer para Dilma.
    O Vice é um perigo….

  • Edu, . O Acordo da Igreja Católica a se tornar ESTADO dentro da Itália, que Maquavel em 1513, quando escreveu o PRÌNCIPE, discordava. A Itália Unificada de Maquiavel se deu em 1870. Com os Garibaldes. Hoje a Itália vive como museu de História ao Lívre do Novo Mundo, cultura milenar. Atualmente no Brasil, ascendentes Italianos, é MAIOR que a população Ibérica. É melhor, não nos afrontar, afinal, estamos longe do Vaticano. de Belo Horizonte.

  • BOM texto, vc tocou em vários temas importantes ao fato.

    SEI que a Zona do EURO cometeu erros básicos, por exemplo, ao se propor integração econômica sem levar em conta as diferenças de VALORES e leis entre os países.

    CLARO que estamos longe de uma integração tão profunda como a deles, mas desde já seria bom pensarmos nas QUALIDADES das leis e ditames constitucionais que nossas NAÇÕES vizinhas carregam, isso pra não ficarmos criando cláusulas tipo como USHUAIA que depois, se desafiadas, seriam “fáceis” pra se driblar ou difíceis de se apenar.

    Será ? Será que as constituições da Venezuela, Equador e Bolívia se permitem também SIMULAR um julgamento justo dando-lhe aparente ar de legalidade constitucional ? ..será ? penso que sim, pois se até aqui já tem neguinho que mesmo DESCONSIDERANDO AS PROVAS já fala que um Collor caiu por “igual motivo e em caso similar” (só pq eLLe quer, eu digo) ..difícil

    Fiquei contente de ver vc comparar a ação tomada lá como se o presidencialismo fosse coisa igual ao parlamentarismo ..SEI não, mas acho que pelos ensinamentos, as REGRAS CONSTITUCIONAIS que regem o modelo presidencialista precisam mudar em casos aonde há flagrante risco de “VACÂNCIA de poder”, um cenário tão deletério a qq país ..pois se assim permanecer, quem mais perde não são os grupos que ascendem ou descem, mas SIM o povo que acaba tendo que esperar pelas mudanças que NUNCA aparecem.

    ..aliás, o que aconteceu no Paraguai é exemplo do que sempre digo sobre se ser DE FATO uma democracia de verdade, uma aonde o cidadão fala e é ouvido, e o se ser só uma democracia de aparências e formalidades, esta aonde o que vale mesmo são os caprichos de alguns líderes que INVARIAVELMENTE não nos dizem o que querem, defendem ou pensa, tudo dentro de um contexto de impunidade.

    em tempo – segundo noticiário o PARAGUAY não participará da cúpula do Mercosul ..resta-nos aguardar sobre que tipo de medidas poderiam ser tomadas sem que o país empobrecido viesse a sofrer mais com isso, ou sem que não se passasse a ideia de interferência externa por sobre uma decisão soberana dum se seus membros (“a lei nos protege” poderiam alegar eles)

    ..e mais, agora, com o seu afastamento, considerar a entrada da Venezuela neste quadro, justo ela que vinha sendo barrada pelo mesmo Congresso que derrubou LUGO, será que isso não seria meio que agir por impulso e se acabar adiando qualquer desarmar de ânimos futuro ?

    ..e sobre se criar um governo paralelo, francamente, o que pensa quem propôs uma coisa dessas, talvez ter DOIS problemas ao invés de um pra lidar ? “o que NÃO quero pra mim não desejo pro outros” ..simples assim

  • Eu rolei de rir ao saber que Cuba ” condenou energicamente o golpe de Estado parlamentar” do Paraguai.
    É mole? Fala sério!
    Ver os irmãos Castro condenar um “golpe” em outro país não tem preço… hehehehe…
    Essa bem que podia sair no Monkey News.

    • Pois é, seu país símbolo, os EUA, que se dizem o pilar da democracia, não condenou o golpe!!
      Que vergonha, não é mesmo?
      Você ter que contar com Cuba para criticar o golpe…

      • Pois é, o “meu país simbolo”, durante esses mais de 50 anos de governo dos Irmãos castro trocou quantas vezes de presidente de forma democrática?
        Eles tem que dizer que é golpe aquilo que aconteceu no Paraguai e não podem se recusar a ter comércio com aquele que mantem os mesmos ditadores no governo durante esses anos todos?

      • Ahhhh entendi… Revolução é diferente de golpe né?

        Então em 1964 tivemos uma revolução, como diziam os milicos, não é mesmo?
        Então podemos dizer também que no Paraguai houve uma “revolução” do parlamento contra o presidente conforme os motivos que eles alegam né?

        Eu fico pasmo com esses argumentos.
        Quando a ditadura a ser implantada é de esquerda vale tudo…

  • Vamos devagar, já que sua análise contém alguns erros que devem ser corrigidos : Para começar é verdade que o Governo Lugo não conseguira aprofundar as reformas mais que urgentes no modelo sócio-econômico do Paraguai, todavia, também é verdade que se não o fez, não foi devido à incompetência(velho mito capitalista), mas por estar imobilizado em virtude de um Congresso em que não tinha maioria; ao contrário, por exemplo, de Dilma Rousself, a qual ainda assim é bantante “moderada” nas mudanças que realiza; como também por sofrer do mesmo mal comum a todas as forças de esquerda latino-americanas, e mundiais, o fato de que controlam em seus países apenas uma parte do poder político, continuando outros poderes; como o midiático e principalmente o econômico, totalmente controlados pelos conservadores. Ainda assim, Lugo conseguiu alguns avanços no Paraguai : se não realizou a reforma agrária por completo, iniciou-a nas terras do Estado e procurava resolver os conflitos com diálogo(atitude que garantia-lhe o ódio dos latifundiários, entre eles os brasileiros, os quais desejavam que o Governo tratasse os movimentos de trabalhadores sem terra com violência(isso não lembra um país que conhecemos?). Por sinal, a União Ruralista Paraguaia(como a UDR brasileira, um clubinho nazi-fascista de coroneis)foi uma das primeiras instituições a reconhecer o golpe, juntamente com os militares e a Igreja. Além disso, o Presidente conseguiu, primeiro do que no Brasil, instalar uma Comissão da Verdade para investigar os crimes da ditadura Strossner. Essas posturas renderam a Lugo um apoio popular, pesquisas davam-lhe cerca de 58% de apoio(lembrando que são números obtidos pelos institutos que pertecem aos barões da mídia de lá, portanto suspeitíssimos no que concerne a diminuir a popularidade do presidente), sendo maior ainda no campo, onde vive cerca de 60% da população paraguaia e concentra-se a miséria. POR ISSO A DERRUBADA DE LUGO SE DEU EM TEMPO RECORDE, PARA EVITAR A REAÇÃO POPULAR, TEMIDA PELOS CONSERVADORES E QUE JÁ DERA-SE EM 1999, NOS PROTESTOS REALIZADOS CONTRA O GOLPE DAQUELE ANO, NOS QUAIS DESTACOU-SE UMA NOVA LIDERANÇA, O BISPO FERNANDO LUGO, INICIANDO SUA CARREIRA POLÍTICA QUE O LEVARIA À PRESIDÊNCIA. A classe dominante temia o povo paraguaio, a possibilidade de organizar-se para defender Lugo(que presidente incompetente tem esse apoio?)e por isso realizou o golpe político-jurídico em tempo recorde, o que mostra que sua preparação prévia foi clara – tanto no plano interno, como no externo – sinalizando não apenas o apoio e o conhecimento de outros países, mas até mesmo sua participação direta nas articulações(olha os ianques aí, gente?). Outra coisa, não apenas os EUA, mas nada melhor para uma Alemanha à beira da falência(não apenas ela, mas toda a Europa : isso sim prova de incompetência, nos roubaram por 500 anos e ainda assim conseguem queimar toda a fortuna que retiraram das nações latino-americanas); cheia de multinacionais e de instituições financeiras exploradoras, do que reconhecer e participar da “divisão do quinhão exploratório”, ainda que como sócia coadjuvante dos EUA, de um Paraguai agora nas mãos da velha direita do Partido Colorado, pronta a dar aos gringos tudo o que desejam(o ditador pertence ao partido Liberal Radical, mas esse há muito abandonou sua identidade inicial de partido inimigo da velha ordem e rendeu-se aos desejos da classe dominante, tanto que os colorados já voltaram à cena principal do jogo político). Os países da América do Sul estão certíssimos em condenar o golpe, e devem exigir o retorno de Lugo, principalmente pelo temor de que ocorram novos golpes em nossa região : só um imbecil não enxerga que, como no passado com os golpes fardados, essa onda de golpes semelhantes, agora com a roupagem branca, político-jurídica, faz parte de uma articulação regional, resultante do conluio de sempre entre os EUA e as “elites” reacionárias locais, para tentar devolver o poder à classe dominante latino-americana e restabelecer o modelo social excludente implantado em nossa região desde a colonização, que vem sendo progressivcamente alterado por governos progressistas. Sem dúvida, Venezuela, Equador e Bolívia têm tudo para ser a próxima “bola da vez”, principalmente a última, onde as instituições parecem ainda mais frágeis. Outra coisa, além desse golpe com uma origem interna(ainda que falsa, já que a semente desse tipo de golpe é tanto interna como externa, mais precisamente sua origem “internacional” ocorre na sede da CIA, em Washington) as Américas do Sul e Latina, principalmente a do Sul, devem precaver-se contra o cerco que os ianques irão montar em nossa região, instalando bases no Paraguai e no Chile, governado pela direita pinochetista, e assim colocando a “arma na cabeça” de Brasil e Argentina, para deleite de Globo e seus “jornalistas” amestrados. Suspender o Paraguai do Mercosul e da UNASUL foi excelente, contudo a reação deve aprofundar-se através de sanções econômicas diretas, como o fez a Venezuela(Chávez é o máximo!)suspendendo o fornecimento de petróleo para o Paraguai. A desculpa esfarrapada de Dilma de que não quer “trazer prejuízos para o povo paraguaio” não cola : Prejuízos os paraguaios terão com a manutenção no poder de uma ditadura, que não somente os reprimirá, mas perpetuará e aprofundará o modelo excludente que fez de seu país um dos mais pobres de nossa região. O que Dilma não teve coragem foi de peitar os capitalistas brasileiros, com “interesses” comerciais, e classistas, no Paraguai. Deve peitá-los pois, amanhã, se surgir uma nova tentativa de golpe político-jurídico no Brasil(um novo “mensalão”, falso, mas transformado em verdade pela ditaduira midiática) esses capitalista a quem agrada agora, serão os primeiros a enfileirarem-se contra ela. Volto a dizer que o problema é gravíssimo e a reação da América Latina deve ser forte, partindo tanto dos Governos como da Sociedade Civil.

    • Olha,vc pode estar até brincando,mas aí está uma ideia tentadora,porque o Brasil é um pais grande demais,para ser um mero coadjuvante na politica latinoamericana.É evidente que bolivianos,peruanos,argentinos e uruguaios não morrem de amores pelo Brasil,historicamente sempre existiu uma rivalidade entre eles e nós,Se estamos aparentemente juntos é por conta do Mercosul,fora isso a rivalidade é mais do que evidente.Não digo anexar,mas manter uma zona de influencia na America do Sul é de suma importancia.Não se pode dar as costas a provaveis inimigos.

    • Até concordei com seu comentário anterior sobre o Paraguai ter começado a guerra, porque de fato foi isso que aconteceu.

      Mas por favor, anexar o Paraguai? Isto é ferir o direito de autodeterminação dos povos que o Brasil tanto respeita, e violar o inciso III do artigo 4° da Carta Magna.
      Nossa Constituição no seu artigo 4° caput reza o seguinte: ”A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
      I – Independência nacional;
      II – prevalência dos direitos humanos;
      III – AUTODETERMINAÇÃO DOS POVOS;
      IV – não-intervenção;
      V – igualdade entre os Estados;
      VI – defesa da paz;
      VII – solução pacífica dos conflitos;
      VIII – repúdio ao terrorismo e ao racismo;
      IX – cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;
      X – concessão de ailo político.

      Peço-lhe que não fique aqui colocando esses seus desejos, se não quiser ser rebatido.

  • Ô Roger! O Maluf de hoje é o Serra. Seria muito errado o PT se aliar ao PSDB, mas se o PSDB quiser aderir ao PT, ele será benvindo. Pelo Brasils

  • O que se está testemunhando no Paraguai é um gigantesco desrespeito e uma afronta àquilo que conhecemos por Democracia, seja no Paraguai ou em qualquer outra parte do mundo… A Constituição paraguaia e a vontade livre e soberana de seu povo foram pisoteadas em nome de interesses escusos e (más) intenções ocultas. Se Lugo era bom ou mau presidente, se tinha ou não habilidade política e competência para governar, não é o que está em questão agora. O ponto crucial é que o Parlamento paraguaio, em comum acordo, decidiu exonerar o presidente de imediato, sem qualquer questionamento e sem consultar o povo. Isso constitui uma violação da igualdade entre os três poderes: o Legislativo, mancomunado com o Judiciário, deu uma rasteira no Executivo. Num país onde esse tipo de coisa pode ocorrer, o que mais se pode esperar? E é fato que Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela, Equador e demais vizinhos e integrantes da América Latina, daqui por diante, têm de ficar de olhos muito abertos e guarda erguida, se não quiserem passar por esse tipo de “surpresa”…

  • Quais são as leis complementares à constituição do Paraguai que orintam o processo de medir o desempenho administrativo do chefe do executivo?

    Quais são as leis complementares à constituição do Paraguai que definem o desempenho administrativo no nível baixo?

    Onde está o amparo legal para a destituiçaõ de Presidente?

    Foi GOLPE!

    • Sr. Roberto, acho que V.S laborou em erro. O Dimas não é um troll ele é dos nossos, uma das pessoas mais valorosas da nossa fraternidade.

    • Até compreendo o confrade Dimas quando ele perde a paciência com alguns dos trolls que vêm aqui. Eu ainda os tolero, porque estou de licença médica, afastado da docência na Escola Estadual Deputado Patrús de Sousa, em Carandaí. Se eu estivesse ainda a me defrontar com o desinteresse e a indisciplina dos alunos, eu não teria paciência. Porque só de me afastar da sala de aula, meu colesterol baixou de 240 (alto risco) para 212 (risco moderado) e minhas triglicérides estão em 151, e glicose em 81. E isto de me afastar me fez bem, porque hoje a profissão de professor é INSALUBRE.

  • A guerra do Paraguai foi genocídio praticado pelo Brasil contra o país vizinho.

    A liderança que o Brasil exerce sobre o Continente seria exercida hoje pelo Paraguai se o Brasil não tivesse arrasado com ele, a mando da Inglaterra. Os ingleses tinham muito medo do Paraguai, assim como hoje os EUA têm medo do crescimento econômico da América do Sul e do BRICS.

    No final da guerra, os soldados paraguaios eram crianças de 14 ou 15 anos, pois os homens adultos já estavam quase todos mortos. Foi um massacre.

    Por isso, temos, sim, uma dívida com o Paraguai.

    • Roberto

      Voce realmente acredita nessa estoria de que o Brasil agiu a mando da Inglaterra na Guerra do Paraguay?
      E o fato do nosso pais ter sido invadido em dois locais diferentes (MT e RS) pelo exercito paraguaio nao conta nada?
      Voce sabia que Francisco Solano Lopes e sua familia eram donos da maioria das terras daquele pais ou apenas prefere esconder essa verdade historica por mera conveniencia ideologica?
      Ah! Jah sei….voce eh mais um daqueles que leu (ou ouviu falar) do livro “Guerra do Paraguai – O Genocidio Americano” nao eh?
      Voce estah muito desatualizado, meu caro….nem o proprio autor do livro reconhece como autenticas as varias informacoes “historicas” escritas por ele em sua peca de propaganda ideologica.
      Solano Lopes era um ditador e latifundiario que fez com o povo paraguaio exatamente o que todos os governantes exploradores continuaram fazendo com o pais depois dele, e fazem ateh hoje….exploracao em beneficio proprio. Alias fez pior….lancou o pais numa guerra insana que soh terminou
      A ideia do tal “Paraguay-Maior” pode muito bem ser comparada as ideias expansionistas de Hitler em relacao a Alemanha da decada de trinta.
      Deixe de fazer proselitismo ideologico em cima de uma mentira historica e vah se informar melhor, meu caro.
      Faz bem visitar uma biblioteca de vez em quando ao inves de ficar tendo aulas de historia com sociologos…
      Sua tese de que o Brasil tem um debito historico para com o Paraguay, alem de entreguista eh estupida.
      Vah estudar, camarada!

    • Disse tudo Roberto. Ficar alheio ao que está acontecendo no país vizinho, sería permitir que “uma quadrilha atuante” seja morador de tua casa vizinha. Fora a história, no qual o Paraguay foi massacrado não só pelo Brasil, mas pela Argentina, Uruguay e Bolívia.

      • Vamos devagar com o andor…..
        Agora ateh a Bolivia tambem “massacrou” o Paraguay juntamente com Uruguay, Argentina e Brasil???
        Isso soh pode ser piada, neh?
        A Bolivia nem participou da Guerra da Triplice Alianca!!!
        Basta uma consulta simples a Wikipedia para saber que a Guerra do Paraguay aconteceu no Seculo XIX (1864 – 1870) e a Guerra do Chaco, entre Paraguay e Bolivia, aconteceu no Seculo XX (1932 – 1935) e que a Bolivia saiu derrotada no conflito, inclusive com perda de parte de seu territorio (o chamado “Chaco Boreal”) para o Paraguay!!!
        Que possam haver opinioes discordantes sobre o que aconteceu no Paraguay na semana passada faz parte do processo historico do fato, agora, violentar a Historia com inverdades soh para reforcar supostos argumentos ai jah eh pura delinquencia intelectual.

    • Sr. Roberto, eu sempre admirei seus comentários muito bem postos, por sinal, mas creio que esta dívida histórica para com o Paraguai nós já pagamos.

      Em 1943, quando o Presidente Higino Morinigo visitou o Brasil, O Presidente Vargas perdoou a dívida de guerra do Paraguai. Está na História do Brasil do Mário Vasconcelos Da Veiga Cabral, que era o manual de História que concorria com o do João Ribeiro e do Borges Hermida pela preferência dos principais colégios do Rio de Janeiro.

      Depois a construção de Itaipu, em que o Brasil praticamente a construiu sozinho, foi mais uma etapa do pagamento desta dívida, assim como a Argentina fez com Yaciretá-Apipé.

  • Não pdoemos nos esquecer, também, que se tentou impedir via Supremo a posse de Lula para o segundo mandato. Marco Aurélio mello – então presidente do TSE – e Gilmar Mendes deram declarações de que a legalidade de sua eleição “seria analisada”. Depois voltaram atrás.

  • A resposta de tantos “por quês” das questões questionadas pela matéria., a resposta é por demais simples. PORQUE FOI UM GOLPE DE ESTADO. ARTICULADO, OSQUESTRADO, PROGRAMADO E EXECUTADO PELA CERNE INDESTRUTÍVEL DESDE A ÉPOCA DE ALFREDO STROESSNER, ditador, sanguessuga em território paraguaio. O partido “colorado” está diretamente ligado a esse golpe., assim como MONSANTO, empresa AMERICANA., o qual é representado pela escória que comanda a mídia nacional paraguaia., o sócio proprietário do ABC COLOR., Sr. Aldo Zuccolillo. A oportunidade “criada” por esses meliantes “era a deixa” para a execução do plano escabroso para a destuição do Presidente Lugo.
    Este golpe não só fere a “democracia” tão almejada pelo povo paraguaio., mas também é uma afronta aos países da América Latina. Se deixarem como está., sería a MESMA COISA QUE DEIXAR LIVREMENTE UM VIZINHO DE NOSSA CASA, PRATICAR LIVREMENTE SEUS CRIMES. O PARAGUAY FOI TOMADO POR UMA QUADRILHA DE PERIGOSOS MALFEITORES.

  • Todos aqui tem o direito de duvidar, questionar ou ficar contra como o Brasil, após Lula e agora com Dilma, se comporta em relação às questões internacionais (cito, para ficar em alguns, Honduras, Irã e agora Paraguai), o fato é que, acertadamente ou não, eles não se postaram como o governo FHC em relação aos EUA.
    FHC, sempre que que tinga que dialogar (ou seria monologar?) com os estaites estava de quatro e com as calças arriadas, sempre.
    Um b….!

  • Se a UNASUL e o MERCOSUL não tomarem medidas severas, e urgentes, contra os golpistas do Paraguai a sanha golpista da direita na América Latina se agigantará e, em breve, será impossível detê-los. Quanto aos EUA (a escória da raça humana), nada que venha de lá nos surpreende. É preciso reforçar as instituições latino-americanos, como os dois organismos citados acima e, principalmente, a defesa armada da América Latina, pois, dia virá em que, mesmo a contragosto, teremos que nos defender dos ianques com armas em punho. Quando seu poder de imposição política e/ou econômica não for mais suficiente (é o que já temos visto) eles partirão para a invasão militar. Quem viver verá!

  • Na minha modesta opinião, mais golpes estão sendo planejados pelos Estados Unidos, inclusive, a longo prazo, no Brasil. Vou dar um exemplo: os dois links logo a seguir me trouxeram dor-de-cabeça. O Ministro Celso Amorin foi, devidamente e previamente, consultado ? A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional foi ouvida ? Um assunto que envolve o responsável por todas as ações militares estadunidenses na América Latina pode ser tratado apenas a nível de Codevasf? Tenho a impressão de que seja um “acordo da corda com o pescoço do enforcado”.

    http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012/07/brasil-contrata-exercito-dos-eua-para-planejar-hidrovia-no-sao-francisco.html

    http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=4&cid=127402

Deixe uma resposta