Em 2003, SP teve crise hídrica igual; previsão era água acabar em 2010

Todo mês de janeiro – ou cada vez que, a espaços longos de tempo, ocorre um blecaute de energia elétrica – a mídia tucana anuncia um racionamento iminente de energia elétrica. Foi assim em 2010, 2011, 2012, 2013, 2014… Porém, o verdadeiro racionamento que existe e já dura mais de seis meses é o de água, causado pela irresponsabilidade dos vinte anos de governos tucanos em São Paulo. O mais impressionante, porém, é que, em 2003, o Estado teve outra crise hídrica e todos os especialistas alertavam: sem novo reservatório, água acabará em 2010. Durou um pouco mais, mas acabou. Apesar disso, para a mídia podre que temos, 45 minutos de falta de luz pesam mais do que 12 anos de falta de água

53% dos paulistanos acham que falta d’água é culpa de Dilma e Haddad

Quinta-feira, 8 de janeiro de 2015. Acaba de ser anunciado pelo governo tucano de SP que a multa por consumir água em SP passará a ser de até CEM POR CENTO. A população autóctone está revoltada, mas não com o autor dessa belezura. Irracional, a maioria dos paulistanos culpa quem nada tem que ver com o peixe. Entendeu o trocadilho, leitor? Peixe, água… Bem, eu sei que é infame. Desculpe por isso.

E a multa sobre consumo de água em SP, não é “estelionato eleitoral”?

Em novembro último, mídia e PSDB qualificaram como “estelionato eleitoral” da presidente Dilma o aumento de 3% no preço da gasolina, apesar de, em 2013, ter havido aumento no mesmo mês. Agora, Alckmin impôs multa ILEGAL de 50% sobre consumo de água após ter negado que o faria durante a campanha eleitoral. Além de essa multa ser ILEGAL (como mostrará o post), a medida constitui o mais claro estelionato eleitoral que se possa conceber. Quem dirá que é “estelionato eleitoral”? Eis o que os paulistas ganharam por reeleger Alckmin em 1o turno