Quem pode transformar o Brasil em uma Venezuela é o próprio Bolsonaro

Em sua campanha para a Presidência do Brasil, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, faz da Venezuela um sinônimo para inferno e liga Maduro ao PT de seu adversário, Fernando Haddad —partido que continua a defender o afilhado de Chávez mesmo tendo se convertido em ditador. As ideias do capitão reformado de direita que disse admirar Chávez em 1999, porém, têm pontos comuns com as do tenente-coronel de esquerda.

O aviso de Hugo Chávez

As relações entre o PIG venezuelano e o brasileiro vêm se estreitando desde a tentativa de golpe contra Chávez em 2002. De lá para cá, a mídia brasileira – Globo à frente – vem repercutindo, ipsis litteris, a retórica de Marcel Garnier (ex-proprietário da extinta televisão venezuelana RCTV), Pedro Carmona (presidente biônico e efêmero alçado ao poder pelos golpistas venezuelanos em 2002) e companhia limitada.

Oliver Stone desanca o PIG

“(…) 80% da mídia na Venezuela é privada, dirigida por ricos que falam mal do governo. Chávez brigou pela liberdade de expressão. Alguns canais e revistas convocaram greves e chamaram as pessoas para um golpe de Estado em 2002. Em meu país, se você fizer isso, sua licença [de TV] será retirada (…)”

Oliver Stone