Delação de Cunha é problema dos golpistas

A preocupação da esquerda com a prisão de Cunha resumiu-se não ao que ele dirá, mas à razão da prisão; a mesma esquerda que (em parte) dizia ser “boato” a ameaça de prisão de Lula passou a se preocupar com ele vir a ser o próximo. Mas a direita, essa sabe que deve até a alma nesse caso. Sabe que se o ex-presidente da Câmara abrir a boca o governo Temer, o PMDB e o PSDB estarão fritos, pois envolveram-se até o pescoço com Cunha

Prender Mantega e deixar Cunha solto é uma bofetada no país

Para que, diabos, prenderam Mantega na porta da sala de cirurgia em que sua esposa tratava um câncer? Ele estava intimidando testemunhas, como Cunha? Ele estava coagindo testemunhas, como Cunha? Não. Mantega foi torturado mentalmente para a Lava Jato exibir seu poder discricionário ante uma sociedade indefesa e, por enquanto, ignorante do arbítrio que se alevanta contra si.

Investida da Lava Jato contra peemedebês é só pra inglês ver

Até aqui, a Lava Jato serviu à corrupção ao afastar a presidente que garantia a continuidade da investigação. Mas como o afastamento dela não é definitivo e a prisão de petistas já não tem o mesmo “charme”, se a operação continuasse parada – como estava desde que a derrubada da presidente se mostrou irreversível – haveria o risco de ela voltar, já que as patuscadas de Temer estão afundando os golpistas. Por isso essa encenação sobre prender golpistas como Aécio, Cunha et caterva

Cunha é suspeito de chantagear deputados para aprovar impeachment

Como a maioria da Câmara não parecia disposta a agir contra Cunha por conivência ou “rabo preso”, o STF afastou o parlamentar da Presidência da Casa e do próprio mandato. E pode, agora, suspender atos variados de Cunha que prevaleceram ao custo de chantagem, intimidação e até via subornos. Entre esses atos, está a aceitação do processo de impeachment de Dilma. Há relatos de parlamentares que teriam sido pressionados por Cunha para votarem a favor. Daí tantas “traições” no dia 17 de abril

Missão cumprida. Representação contra Cunha entregue. Cumpra-se a lei

Agora, cabe às autoridades acolher e dar andamento à representação popular que receberam. Fizemos o que muita autoridade tinha obrigação de fazer e não fez. Podemos nos orgulhar de ter agido como cidadãos responsáveis que recorreram aos seus direitos constitucionais em defesa da cidadania. Convido a todos a lerem o relato da entrega da representação contra Cunha e a conferirem o protocolo do documento no gabinte do procurador-geral da República e no protocolo eletrônico do Ministério Público Federal. Para ler, clique na imagem