Confira detalhes da investigação do MP-RJ sobre Queiroz e Flávio Bolsonaro

O Ministério Público do Rio de Janeiro elaborou relatório de 111 páginas que explica, detalhadamente, os pontos de investigação contra o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz e o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.
O documento enviado à Justiça serviu de base para a operação da promotoria na semana passada, que mirou endereços ligados ao parlamentar e ex-funcionários de seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Entendendo a “rachadinha” dos Bolsonaro

A Promotoria identificou que Queiroz recebeu R$ 2 milhões por meio de 483 depósitos de dinheiro em espécie feitos por 13 assessores ligados ao gabinete do filho do presidente da República.
Embora seja considerada frequente por especialistas e investigadores, a prática só se tornou conhecida de muitos brasileiros neste ano, por causa da repercussão do caso Queiroz.
Ela consiste no repasse, por parte de um servidor público ou prestador de serviços da administração, de parte de sua remuneração a políticos e assessores.