Ricardo Salles é criticado por site alemão e responde relacionando o país ao nazismo

No texto, o colunista Philipp Lichterbeck diz que Bolsonaro caminha para “transformar o meio ambiente brasileiro num inferno”. Salles disse que o cenário descrito no artigo era semelhante ao da Alemanha na época do nazismo. “Essa sua descrição se parece mais com o que a própria Alemanha fez com as crianças judias e tantos outros milhões de torturados e mortos em seus campos de concentração”

Em manifesto, quase 300 mil pedem saída de Salles do Meio Ambiente

O manifesto leva em consideração que a sentença proferida pelo juiz Fausto José Martins Seabra é resultado de uma ação civil pública ambiental e de improbidade administrativa, movida pelo Ministério Público de São Paulo em maio do ano passado. Entre os atos condenados estão a falsificação de mapas e da minuta de decreto do plano de manejo da Área de Preservação Ambiental Várzea do Rio Tietê, quando Salles ocupava o cargo de secretário estadual do Meio Ambiente do governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

Com 80 anos, amigo de Chico Mendes refunda jornal para denunciar retrocessos do governo

O jornalista acreano Elson Martins acabava de participar de uma importante reunião de trabalho na segunda-feira (11) quando, no fim da noite, começou a receber mensagens de diferentes colegas indignados com a notícia que se tornou uma das mais divulgadas no país: o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acabara de chamar Chico Mendes, o sindicalista internacionalmente reconhecido como ambientalista, de “irrelevante” para o atual momento. Amigo do seringueiro durante as décadas de 70 e 80, ele viu ainda mais sentido em seu trabalho.

Versão do ministro Ricardo Salles coincide com a dos assassinos de Chico Mendes

Durante o cumprimento de prisão domiciliar, há 10 anos, o assassino Darly Alves afirmou, em entrevista realizada em sua casa, em Xapuri (AC), que se sentia insultado porque, na sua opinião, o seringueiro “não valia nada”. Em outra entrevista, realizada em 2013, seu filho Darci – aquele que disparou o gatilho – se irritou e deu opinião que lembra a noção de tempo do atual ministro de Jair Bolsonaro: “É coisa velha, já passou, é defunto velho”.