Golpistas usam Venezuela para Brasil esquecer a crise

DENÚNCIA – O título do post não informa, mas esse post contém informações que desmontam mentiras sobre a Venezuela como a de que “o governo Maduro matou cem pessoas”. Encontrará informações sobre a Venezuela que não saíram em lugar nenhum no Brasil. Mas o que importa é a razão de estarem forjando tantas mentiras. E as pessoas só saberão a verdade se você ajudar a divulgar estas informações. Agora é por sua conta.

Mídia esconde que novo chefe do Congresso venezuelano provocou chavistas

Os jornalões de Pindorama estampam em suas primeiras páginas nesta terça-feira que os chavistas “agrediram” o novo chefe do Parlamento venezuelano, Ramos Allup, que faz oposição ao governo. E sugerem que ele foi impedido de tomar posse pelos “chavistas”. É tudo mentira. Ramos Allup foi para diante do Congresso um dia antes da posse para perturbar um ato público chavista e começou a fazer provocações. Clique na imagem para saber dos fatos que a mídia brasileira sonega a você

Onda conservadora na América do Sul é só um soluço e passará logo

Apesar de a onda conservadora existir no Brasil, na Argentina, na Venezuela, no Equador, no Peru, o que a direita conseguiu na Argentina e na Venezuela pode nem se concretizar nos outros países sob ameaça dessa catarse reacionária que a crise econômica internacional instalou na região. Isso porque a nova administração argentina fará aquele povo ter saudade da era Kirchner e mostrará aos povos da região que a direita não é alternativa em países como esses.

Vítimas de protestos de 2014 na Venezuela denunciam senadores brasileiros

O Comitê de vítimas dos protestos organizados pela oposição venezuelana em 2014 acaba de denunciar que o grupo de senadores de oposição a Dilma Rousseff que foi à Venezuela para se reunir com os autores intelectuais das mortes de 43 pessoas e lesões corporais em 878 naquele processo, recusaram-se a reunir com o “outro lado”, caracterizando ingerência no processo político venezuelano. É como se senadores venezuelanos viessem ao Brasil reunir-se com os réus do julgamento do mensalão presos na Papuda e saíssem por aí dizendo que eram “presos políticos”

Mídia brasileira oculta histórico golpista do prefeito de Caracas

Na quinta-feira da semana passada (19/02/2015), a imprensa brasileira denunciou com estardalhaço a prisão de Antonio Ledezma, prefeito de Caracas, capital da Venezuela, que faz oposição ao governo Nicolás Maduro. O alcaide caraquenho vem sendo apresentado como vítima de um regime ditatorial. Aquele senhor de cabelos esbranquiçados e aparência inofensiva, porém, tem um histórico que, se revelado pela mídia brasileira, enfraqueceria sobremaneira a celeuma feita no âmbito de uma ação do serviço de inteligência venezuelano que pode ter desmantado mais uma tentativa de golpe de Estado como a de 2002, da qual o mesmo Ledezma foi um dos protagonistas.

Argentina e Venezuela mostram que regulação da mídia não é panaceia

Quando se fala em regulação da mídia, surgem vários equívocos. Frequentemente, regulação é confundida com censura. Quando a mídia faz alguma denúncia manipulada contra o governo, logo dizem que se Lula e Dilma tivessem regulado a mídia isso não estaria acontecendo. Mesmo que tivessem podido fazê-lo, porém, basta olhar para países que fizeram duras leis para regular a mídia para ver que não é bem assim. Regulação da mídia é medida civilizatória e necessária, mas não é panaceia (solução para todos os males).