A verdadeira nudez de Myrian Rios

Análise

A deputada estadual do PDT do Rio de Janeiro Myrian Rios envolveu-se em uma polêmica ao afirmar, em pronunciamento na Assembléia Legislativa fluminense, que é contra projeto de lei que tramita naquela Casa – análogo ao projeto de lei do Legislativo federal que versa sobre os direitos dos homossexuais – porque, se aprovado, empregadores não poderiam deixar de contratar um empregado por “discordarem” de sua orientação sexual.

Diante do potencial polêmico de tal declaração, levantou-se uma onda de indignação contra a deputada pedetista em que os insultos acabaram sendo inevitáveis por aqueles que não conseguiram suportar que alguém tenha promovido ataque tão feroz a milhões de cidadãos brasileiros pela natureza intrínseca de cada um. A virulência do ataque da deputada fez alguns levantarem até aspectos de sua carreira artística que desautorizariam o seu “moralismo”.

Antes de prosseguir, portanto, faz-se necessário estabelecer claramente quem é a ex-atriz e atual deputada estadual Myrian Rios. Abaixo, o teor de sua biografia na Wikipedia.

—–

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Myrian Pinto Rios (Belo Horizonte, 10 de novembro de 1958) é uma atriz, apresentadora de TV e política brasileira.

Morou até quatro anos em sua cidade natal, quando se mudou para a pequena localidade de Guanhães, no interior do mesmo estado, onde viveu dois anos, após os quais sua família se mudou para a capital paulista.

Aos dezessete anos, disputou um concurso de novos talentos no programa de Moacyr Franco, onde ganhou uma participação em telenovela da Rede Globo.

Ainda iniciante, Myrian Rios fez fotos nua para ensaio da revista Lui, lançado em julho de 1978. No ano seguinte, voltou a posar nua por duas vezes para edições da revista Ele & Ela, da Bloch Editores. Esses ensaios causaram constrangimento ao seu noivo, o cantor Roberto Carlos, que optou por comprar das editoras todos os direitos sobre as fotografias, vedando que as fotos viessem a ser usadas novamente em qualquer publicação. Foi casada com Roberto Carlos por mais de 10 anos, mas não quis ter filhos, pois estava no auge da carreira.

Na Rede Globo, Myrian Rios, estreou na telenovela O Feijão e o Sonho, baseada no livro de Orígenes Lessa. Após a separação de Roberto Carlos, ela se casou duas vezes, e teve dois filhos: um com o médico Edmar Fontoura e outro com o ator André Gonçalves Barbosa. Ela se separou de seu último marido e não teve mais filhos, e nem outros casamentos, só namoros.

Atuou em várias novelas de sucesso como Escrava Isaura (1976), Marrom Glacê (1979) e Coração Alado (1980). Na década de 1980, ainda casada com o cantor Roberto Carlos, Myrian diminuiu sua participação na TV mas continuou a fazer personagens marcantes como a Gabriela em Ti Ti Ti (1985) e a Ana Galhardo em Bambolê (1987). Sua última participação em novelas foi em O Clone (2001).

Em 2002, passou a fazer parte do quadro de funcionarios da Fundação João Paulo II, mantenedora da comunidade católica Canção Nova. Essa é uma das várias novas comunidades católicas da Renovação Carismática. Atualmente, a atriz permanece no grupo religioso, e é consagrada e missionária na comunidade Canção Nova, participando de programas da rádio, internet e da emissora católica Canção Nova.

Em 2006, a atriz lançou o livro Eu, Myrian Rios, publicado pela editora Canção Nova, onde conta toda a história de sua vida e conversão à Renovação Carismática Católica. Em 2008 lançou o CD “Orações a São Miguel Arcanjo”.

Em 3 de outubro de 2010 elegeu-se deputada estadual pelo PDT-RJ, graças a expressiva votação do apresentador de TV, Wagner Montes que obteve mais de 500.000 votos.

Em 27 de junho de 2011, causou polêmica após declarações preconceituosas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro que associavam a homossexualidade à pedofilia.

—–

Apesar de que as declarações da deputada Myrian Rios foram amplamente reproduzidas pela internet nos últimos dias, quem não viu e quiser decidir por si só o que foi que ela disse, pode assistir ao vídeo abaixo.

Na opinião deste blog, o que a deputada disse foi que todo homossexual é um pedófilo em potencial. Apesar de o Supremo Tribunal Federal ter reconhecido que as relações “homoafetivas” são direito do cidadão e que, portanto, não podem lhe causar qualquer tipo de discriminação – e discriminação, obviamente, inclui empregadores recusarem contratação de alguém por sua sexualidade –, a deputada deixou claro que considera homossexualidade pré-condição para o crime de pedofilia.

Trata-se de um ataque quase impensável a MILHÕES de cidadãos brasileiros que pagam seus impostos e que não perderam um grama de cidadania pela natureza de suas relações afetivas, pois isso seria ilegal. A deputada equiparou esses cidadãos ao pior tipo de criminoso, o que ataca crianças.

Julgo plenamente compreensível, portanto, que algumas pessoas tenham se deixado indignar um pouco além da medida ao apontarem, por exemplo, que a moralista Myrian Rios de hoje tirou a roupa ontem para milhões de homens e mulheres que apreciavam o nu feminino.

Note-se bem que essas pessoas não estão acusando a decisão de alguém de posar nu, mas a contradição de uma moralista que quer decidir sobre a sexualidade alheia apesar de ter adotado conduta tão liberal no passado. Contudo, tal contradição poderia ser explicada através do argumento de que essa pessoa mudou e, agora, adotou dogmas cristãos que vetam tais comportamentos.

A nudez literal de Myrian Rios no passado, portanto, não é o que está em pauta – e nem deve ser colocado, a fim de não se usar moralismo contra os moralistas. O que se tem que discutir é o desconhecimento de uma deputada estadual dos princípios mais elementares de uma democracia e essa sua total ignorância científica, espantosa em alguém que recebeu mandato popular para propor e/ou votar leis que interferem nas vidas de toda a coletividade.

Além disso, há que discutir o aspecto penal dessa questão. Sim, porque, como este blogueiro disse ontem no Twitter, em seu entender a deputada Myrian Rios cometeu alguns crimes com as declarações que deu – calúnia e difamação, no mínimo.

Ainda não foi tipificado o crime de discriminação por orientação sexual, o projeto tramita na Câmara Federal, mas pelo menos a deputada difamou MILHÕES de cidadãos brasileiros homossexuais e de orientações sexuais análogas contra os quais não existe a menor prova científica de que tendem à pedofilia. Essa é a verdadeira e reprovável nudez de Myrian Rios, a das suas idéias deformadas, incompatíveis com a posição que ocupa.

Que a lei, portanto, faça-se ouvir e, mais do que isso, que se faça sentir.

  • Paulo Sousa

    Ontem mesmo comentei que essa senhora não tem a menor condição intelectual e política de ocupar o cargo que ocupa por dar um declaração tão nefanda quanto esta.

    Abraço,

    P.S.: Parabéns pelo excelente blog. Nunca escrevo nada, mas leio diariamente.

    • Mariana Silveira

      Que horror! Primeiro ela distorce o Caput do artigo quinto e dá uma interpretação cheia de opiniões permeadas de suas fé. Ela só esquece que este artigo é regido pelo Princípio da Isonomia, os desiguais devem ser tratados desigualmente a fim que, juridicamente eles se tornem iguais.

      Dentro dessa visão, a sua crença, suas convicções pessoais, devem estar acima da CF e utilizam tais argumentos para distorcer o artigo. Em outras palavras, ela é mais uma que distorce a interpretação da lei para impor suas convicções dentro de um estado laico. Curioso isso, muito curioso.

      Nada disso do que ela está a afirmar consta na lei, é uma discurso do púlpito que irá tomar as ruas e fazer a sociedade sentir mais ódio da opção sexual de cada um e aumentar os ataques aos homossexuais. É lamentável isso.

      Diga-se de passagem, uma hipocrisia dessa gente que utiliza o evangelho para expor seus preconceitos. E o pior que, pelo andar da carruagem, o Rio elegerá mais gente do mundo religioso. Até estas idiossincrasias serem dirimidas, muita gente vai aparecer morta e ser atacada por conta dessa intolerância, infelizmente.

  • maria regina

    Edu
    O título que você deu ao artigo diz tudo.

  • Roberto Pereira

    Edu, fiz esse comentário em outro blog, mas vou reproduzi-lo aqui porque diz o que eu penso sobre as declarações infelizes dessa Sra..

    Eu vi com assombro o pronunciamento da Deputada Myrian Rios.

    Assombro que foi num crescendo à medida em que se acumulavam e se agravavam as falácias, as injúrias, as ofensas, as calúnias CRIMINOSAS lançadas num estranho tom de muita serenidade usada por ela durante todo o seu lamentável pronunciamento.

    É muito triste ver alguém defendendo tão abertamente e sem pudor a discriminação e promovendo a segregação e o ódio contra milhões de pessoas inocentes.

    Ódio que custou a vida – por exemplo – de um menino de apenas 18 anos. Um menino que certamente a Sra. Deputada veria com extrema aversão e preocupação caso se aproximasse de seus filhos, pois trazia visível o estereótipo do que tanto lhe causa repulsa.

    A Sra. Deputada Myrian Rios, disse várias vezes que “não descrimina ninguém”, para logo em seguida demonstrar além de qualquer dúvida possível que faz EXATAMENTE o contrário. E PIOR: diz que tem e quer ter o direito de fazê-lo. Tudo baseado em suposições altamente ofensivas e erradas.

    Como já foi dito, a Sra. é um perigo para o convívio saudável em sociedade pois não tolera o diferente a quem teme, despreza e quer o direito de segregar – mesmo que entremeie seu discurso com vazias e apenas retóricas declarações de respeito para – como já disse – logo em seguida desmentir-se a si mesmo.

    Eu termino e confesso não saber o que é pior: acreditar que seu discurso foi sincero – fruto da total ignorância e preconceito (HOMOFOBIA), ou se foi feito de pura má-fé querendo angariar atenções e holofotes que há muito deixaram de focá-la.

  • Gerson Carneiro

    Compondo o rol de absurdos a Myrian Rios ainda usa babá e motorista como exemplo na associação maluca dela. Como se “a peste”, o homossexualismo, fosse doença das “camadas mais baixas da sociedade” (no que ela deixa transparecer).

    Ou seja, Myrian Rios, não admite que o patrão, e não somente os subordinados, dos filhos dela pode ser homossexua.

    E se o homossexual fosse o patrão, e não os subordinados, ela também recusaria? Viria a público denunciá-lo?

    Enquanto atriz Myriam Rios recusaria trabalhar com colegas/diretores homossexuais?

    Em suma: um discurso carregado de burrice extrema, além de todo o mais.

    E pior foi a nota emitida por ela dizendo ter sido mal interpretada.

    Log logo teremos gente matando homossexual e em seguida emitindo nota com pedido de desculpas aos que “entenderam errado” o ato praticado.

    Eu não quero ir para o ceu da Myrian Rios e do pastor Silas Malafaia.

    • Luiz Antonio Caliman Nalin

      Enquanto isto os padres pedófilos de sua igreja fazem e desfazem. Quanto hipocrisia.

      • Taciana

        Você está se comportando exatamente como ela: todos os Padres são pedófilos?

        • Gerson Carneiro

          É, mas a Myriam Rios deveria ao menos lembrar desse detalhe: que existem padres pedófilos e inclusive protegidos pelo Papa.

          • Lúcia Adélia

            Perfeito Gerson, ela poderia muito bem ter mencionado ou ainda já que tem tanto acesso à igreja católica por parte dessa tal associação porque não preciona o papa para acabar com esse crime dentro da igreja?

          • O principal problema é esse: “protegidos pelo Papa”. Pois pode existir um, digamos, cantor pedófilo. Mas se a Ordem dos Músicos o protegesse, estaria comprometendo toda a instituição.

          • Gerson Carneiro

            Matéria “Teologia do Espetáculo” publicada na edição nº 644 da revista Carta Capital, de 29/04/2011, tratando do assunto. Diz inclusive que dentre os protegidos pelo Papa Bento XVI pode haver até assassinos.

            http://www.cartacapital.com.br/internacional/teologia-do-espetaculo-2

          • JCarneiro

            Que cada um seja livre para exercer a sua cidadania. Que nenhuma lei “especial” tenha que ser editada para proteger minorias. Que nossos legisladores se ocupem realmente do que interessa ao povo e ou nosso país. E que as pessoas deixem de atribuir às instituições os desvios de caráter de alguns de seus membros. Como católico, me sinto ofendido toda vez que alguém generaliza afirmando que os padres são pedófilos. Está provado que o número de casos denunciados em qualquer parte do mundo, envolvendo membros da Igreja, é infinitamente inferior à média dos ocorrências com cidadãos não ligados à Igreja.
            Cabe a Igreja orientar seus seguidores com base nos ensimentos do Santo Evangelho, que não ensina ninguém a discriminar. Para Jesus as leis dos homens se tem valor para os homens do mundo, por isso ele perdoava a todos aqueles que os homens consideravam pecadores, por que o pecado é coisa dos homens e não de Deus.
            Quem agride a um homosexual é um doente que não tolera ver alguém assumir uma situação que le por certo desejaria mas não tem coragem.

        • Luiz Reis

          Luiz Antonio, a Taciana tem razão. Retire “os” padres pedófilos e deixa apenas padres pedófilos que fica tudo certo…

        • Pedro Soto

          Pois é, atacar a Igreja Católica nessas horas também é preconceito.

      • Rodrigo Leme

        Ahn, ela é evangélica….se não falou de padres pedófilos foi por falta de oportunidade, pq o que a militância evangélica mais fala é da pedofilia de padres católicos.

        Agora, eu acho engraçado: relacionar homossexualidade com pedofilia é um escândalo (e é mesmo), mas com catolicismo parece que é padrão, aceitável, normal.

        • eduguim

          O absurdo é maior, porque os que atribuem a pedofilia a um grupo social estão entre os que mais têm a praga entre si

          • Rodrigo Leme

            “Os que mais tem a praga entre si”. Qual a base para essa afirmação? E ainda que a afirmação seja real (não é) o que tem a ver a religião católica e seus praticantes com padres pedófilos? Pq a religião deles deve ser relacionada com pedofilia mais que o homossexualismo?

            Será que não existem homossexuais pedófilos também? E se baseado no extrato minoritário de homossexuais que também são pedófilos eu diria que os “homossexuais são os que mais têm a praga entre si”?

            Seria estúpido. Tão estúpido quanto relacionar catolicismo a pedofilia.

          • eduguim

            O absurdo de tudo isso é que quem generalizou foi a sua turma, dizendo que todo gay e pedófilo, e você inverte tudo

        • emanuel rego lima

          Rodrigo,
          Pois assumo o “escândalo”….

          Acho que há sim uma relação muito proxima entre pedofilia e homossexualismo masculino.

          Note que quase não se fala em pedofilia praticada por mulheres ( lesbicas ou não). Sempre o abusador é homem!

          No caso dos padres é quase irrenunciavel essa correlação. Os padres acusados de pedofilia são homossexuais. Obviamente, não assumidos, mas é muito visivel a homossexualidade em todos os casos já denunciados.

          Nos demais casos, especialmente no “voyerismo” virtual praticado pela internet é também muito grande a probabilidade de haver um homossexualismo enrustido.

          Isso não quer dizer, evidentemente, que todo gay é um pedofilo em potencial.
          Não!

          Mas a pedofilia é muito mais encontradiça entre os gays, isso me parece muito claro…

          PS- Por fim, acho que não se deve confundir pedofilia com o abuso praticado contra crianças por parentes/vizinhos bêbados e tarados.
          Nestes casos , quase sempre, as vitimas são crianças não porque atraiam os abusadores que as molestam, mas simplesmente porque são presas mais fáceis para seus desejos e taras liberados no mais das vezes por efeito de bebidas.
          Ou seja, neste caso o que move o agressor não é o fato da vitima ser uma criança, mas o fato de ser uma “presa indefesa”, por mais cruel que seja essa constatação.
          O pedófilo não…
          O pedofilo tem atração por crianças. Por mais doentio que isso seja, essa é a sua caracteristica.

          • eduguim

            Bem, então você tem que dizer de onde tirou esses dados, do contrário repassarei sua mensagem à associação LGBT para que decida o que fazer. Só te aviso que isso é difamação e você pode ser processado por ela. Aí terá que apresentar provas do que diz. Mais um aviso: estudos mostram que a quase totalidade dos pedófilos são héterossexuais

          • emanuel rego lima

            Eduardo,

            Sua “exigencia” de apresentação de “dados”, seguida de uma “ameaça” ( tudo entre aspas mesmo…) de encaminhar meu comentário para uma associação de gays onde eu poderia sofrer um processo por difamação, me fez voltar aos idos de 1972…

            Funcionário dos correios, submetido a curso de treinamento, como tarefa da cadeira de “moral e civica” ( veja só… tinhamos aulas de moral e civica…) redigi um texto sobre as “armas nacionais”.

            A diretora não gostou. Achou que estava eu debochando dos simbolos nacionais.
            Ameaçou entregar minha redação para o SNI, onde eu poderia ser processado por crime contra a segurança nacional.

            Tristes tempos…
            Pois é… tristes tempos….

            Nada a ver???
            é… nada a ver… só lembranças…

            PS- Não tenho os “dados” que vc exige. Me baseio pelo que tenho visto e lido por aí afora…
            Mas se vc tiver disponivel algum desses estudos que afirma ter conhecimento seria de grande valia permitir que também os conhecessemos…
            Não exijo, não ameaço, não condiciono.
            Peço, por favor….

          • eduguim

            Ao dizer que milhões de pessoas são criminosas em potencial pela natureza delas é um ataque hediondo, a meu ver. Se não tem dados que comprovem, não difunda. Não pode tachar pessoas de criminosas doentias sem dizer no que se baseou. Isso se chamaq, no mínimo, irresponsabilidade.

          • Muito blablabla e nenhum conteúdo.

            No final das contas vc admite – sem nenhuma vergonha, diga-se – que não possui nenhuma evidência para fundamentar a sua afirmação. Ou seja, veio tudo do DataTroll.

            Pior, acusa quem o desafiou a provar sua afirmação (e provar é obrigação de quem afirma), tentando desqualificá-lo e contando uma historinha absolutamente irrelevante, como se exigir provas de quem acusa fosse algo autoritário.

            É gozado que, a princípio, achei seus comentários interessantes e inteligentes, mas acho que me enganei e não passas de mais um troll procurando briga. Uma pena.

          • Rodrigo Leme

            Vem cá Pierri, quando dizem mais de uma vez nos comentários aqui que os casos de pedofilia são mais numerosos na Igreja Católica, qual a base? Sempre desconfei que esse DataTroll trabalha pros dois lados…

          • “Vem cá Pierri, quando dizem mais de uma vez nos comentários aqui que os casos de pedofilia são mais numerosos na Igreja Católica, qual a base? ”

            Quem disse isso? Mais numerosos em relação a que?

            Pelo menos faça a pergunta de forma que possa ser entendida e respondida.

            Se alguém disse que a pedofilia é mais comum entre os padres católicos do que entre os homossexuais, a base é a mais pura observação e a lógica. É inegável que a pedofilia atinge uma proporção maior de padres do que de homossexuais, tanto que apesar do ínfimo número de padres em comparação com o de homossexuais, a quantidade de casos de pedofilia entre eles é gritante a ponto de tornar-se um problema grave.

    • nonato barboza

      Gerson, o pior de tudo foi ela “esquecer” que muitos pedófilos estavam ou estão ainda dentro do próprio rebanho do clero que ela, com ares de santarrona, participa. Os bispos americanos, alemães, brasileiros, de vez em quando estão envolvidos em sórdidos episódios de pedofilia. Vi na internet que até o irmão do papa enveredou pelo pecado de assediar crianças. A Mirian Rios já foi literalmente uma bela mulher agora se desnuda moralmente mostrando o quanto é preconceituosa e, sobretudo, seguindo um ditado popular, não olha para o próprio rabo. Usando um sentido bíblico poderíamos dizer que ela pode afirmar que somos míopes, mas não sente que tem uma trava no próprio olho.

      • Gerson Carneiro

        Exato Nonato Barboza.

        O grande erro da Myrian Rios foi tentar atribuir, de forma exclusiva e seletiva, a pedofilia aos homossexuais. De forma seletiva ainda por relaciona a babás e motoristas. E não se deu conta da existência de homossexuais, e pedófilos, e padres, em sua igreja.

        Só estamos dizendo: Peraí! Não há relação em ser homossexual, e pedófilo, é babá, e\ou motorista. Há padres, inclusive.

        O embrólio todo está na relação maluca que a Myrian Rios elaborou.

        • Taciana

          Gerson, mais acima você afirma:”Diz inclusive que dentre os protegidos pelo Papa Bento XVI pode haver até assassinos.”
          Puxa! Você não acha demais fazer esse tipo de acusação? Afirma insinuando, generalizando, sem exigência de prova, mas com veneno suficiente para tisnar todo o contexto?
          Logo você que briga tanto contra as “meias verdades de afirmações dúbias” que são a especialidade do PIG?
          Por respeito à sua inteligência e militância na blogsfera, por favor, emende ou acuse logo, mas deixar assim é cruel!

          • Gerson Carneiro

            Taciana, o que digo é fundamentado na reportagem da Carta Capital que também indico acima. Jamais farei acusações levianas. Por favor, leia a reportagem e você vai conhecer mais um pouco sobre Bento XVI, e a referência que faço sobre assassinato. Eu sei que é difícil aceitar um possível fato desse, por isso eu peço: leia a reportagem.

            Inclusive há um livro que trata de outro pecado de um outro papa: O Papa de Hitler – A história Secreta de Pio XII, de John Cornwell.

            Atualmente leio “…e o mundo silenciou”, de Ben Abraham, um sobrevivente do holocausto nos infernos nazistas. É muito triste saber que o Papa cruelmente pactuou com esses horrores.

            É por isso que tomei a decisão de me manter afastado de igreja, seja qual for, para me manter próximo de Deus.

            Então eu não defendo igreja nenhuma mesmo. E não faço acusações irresponsáveis. É uma decisão pessoal e quem quiser que siga a igreja que quiser. Também não farei campanha contra.

            Sinto muito, não é ataque pessoal a ninguém. É convicção.

            Um abraço querida. E mais uma vez peço: leia.

        • Taciana

          Gerson.
          sei que não é ataque pessoal. É pior é contra todo mundo que é católico. Tipo: “Pai, perdoai-os porque não sabem o que fazem”.

          Pensa bem querido, as convicções são suas. As dos outros são diferentes das suas ou são quase as mesmas.Mas, mesmo assim merecem ser defendidas e respeitadas.Ninguém é dono da verdade. Aliás, onde está a verdade? Com você ou com os outros que pensam diferente de você?

          Sofisma? Não creio!

          Veja que as leituras que você indicou são todas comprometidas com uma verdade que você agora aceita. E se depois você vir que não passam de verdades próprias dos interesses de quem escreveu? Dos que você citou, tem algum neutro?

          Complicado, não é?

          É sempre bom dialogar com você.

          Boa noite!

          • Gerson Carneiro

            Taciana,

            O respeito que tenho pelas convicções alheias jamais deverá impedir que exponho as minhas, como dever ser com todos nós.

            A discussão sobre a verdade vem desde Platão. E o que sabemos é que nem mesmo o que enxergamos com os olhos nem sempre é verdade.

            Havia, e ainda há, tribos cujo Deus era o sol. Jamais irei ridicularizar ou desmentir a crença alheia. Até porque no universo poderá existir alguém que tenha a certeza de que o Deus que acredito ser seja apenas um sol.

            Quanto à isenção, não existe ideologia isenta. Desde o útero tudo que ouvimos e aprendemos é por influência de alguém. De fato, é complicado.

            Bom dia!

  • leonardo-pe

    assombroso foi QUEM VOTOU nessa cidadã mais conhecida por ser a”eterna amada”de Roberto Carlos(o Cantor)!o q mostra q o eleitor Brasileiro é influenciado por essa Mídia ruim q temos!

  • ZePovinho

    Esperamos o pronunciamento da deputada católica sobre a pesada pedofilia na Igreja Católica…..

    • Lúcia Adélia

      Isso nem um pio, SANTA HIPOCRESIA o resto é conversa fiada ou pra boi dormir

  • Juliano Machado

    Espera aí… Eu li direito? A deputada é do… PDT… Partido Democrático TRA-BA-LHIS-TA. Trabalhista. Trabalhista!!!!!!!! O que o partido está esperando para expulsá-la? As declarações foram, além de discriminatórias em sentido amplo, completamente ofensivas ao direito do trabalho, que pressupõe a não discriminação. Se o PDT fosse um partido que quisesse preservar sua ideologia, utilizada para que seus membros encham a boca ao dizer que são herdeiros de Getúlio Vargas (o que não é lá grande coisa, diga-se), expulsaria a deputada. Leonel Brizola proporia tal expulsão?

  • Até quero ver quando é que estas lideranças religiosas vão se posicionar contra a violência e os maus tratos e assassinatos com requintes de crueldade contras pessoas por sua orientação sexual. Defender a criminalização da homofobia é antes de tudo uma questão de direitos humanos. Dona Miriam tire Deus testa burrice.

  • A maioria, senão a totalidade, das prisões no mundo por pedofilia são de heterossexuais.

    Isso absolutamente não quer dizer que todo heterossexual é um pedófilo em potencial.

  • Izabel

    Edu
    Já ví no twitter que Victoria está bem. Que bom.

    Quanto à Myrian Rios, que ministra é esta que aparentemente estudou os ensinamentos de Jesus e pratica exatamente o contrário do que ele pregou?
    Isto tudo me leva a pensar que a Igreja Carismática Canção Nova deve pregar e agir conforme outra qualquer orientação bem diferente à de Jseus.
    E mais, quantos homosexuais, babás e motoristas frequentam esta igreja? Porque, conforme a opinião dela, sé estas categorias se prestam à pedofilia.

    A palavra tolerancia (Jesus a pregou e mostrou para seus discípulos em todos os momentos), não deve fazer parte da vida de quem frequenta a igreja desta senhora. E conforme ensinamentos desse Jesus que ela tanto fala, devemos condenar os pecados e não os pecadores.

  • Creio que um acordo será possível pelo menos do ponto de vista dos direitos humanos, pois não tem cabimento uma religião ser a favor da violência, ou seja, que pessoas continuem sendo maltratadas de todas as formas, inclusive com assassinatos com requintes de crueldade, por conta da sua orientação sexual. Não me passa pela cabeça uma religião não estar defendendo a criminalização da homofobia. Não entendo mesmo, já tentei compreender estes lideres religiosos e cada dia que passa vejo que tais lideranças estão erradas sob todas as formas, inclusive sob o ponto de vista divino. A não ser que o Deus deles seja a favor da bandidagem e da violência, o que definitivamente não é o caso, pelo menos nos planos de Jesus, não é mesmo.

  • Marquinhos Santa Fé

    A turminha do Bolsonaro está mostrando as unhas!

  • Saiu no Nassif esta carta de desabafo de uma mãe à Miriam Rios:

    Pessoal,

    A carta abaixo foi escrita por uma amiga e decidi publicar aqui, porque estou tão ferida com o pronunciamento da sra. Deputada Myrian Rios, que essa mensagem serviu como um desabafo no meio de tanta má fé e crueldade de uma pessoa supostamente religiosa. Graça

    Deputada Miryam Rios,

    Meu nome é Kharla Tavares e eu sou lésbica. Eu e minha companheira estamos juntas há 12 anos e há 5, adotamos (legalmente, pelas leis dos homens) uma menina. Somos uma família homoafetiva e a nossa filha é uma menina saudável, feliz, que estuda, brinca e tem uma vida regular, como qualquer criança. Ela tem ciência da realidade de sua família e nunca, nem por um segundo, omitimos a nossa relação e a adoção. A nossa vida é baseada em verdade.

    Da mesma forma que a Sra. tem o direito de falar o que pensa, eu tenho o direito de dizer o que penso de (e para) pessoas homofóbicas como a Sra., afinal, eu voto, eu pago imposto, eu tenho os mesmos direitos e deveres que qualquer cidadão brasileiro. Por isso não dou a Sra., nem a outro homofóbico qualquer, o direito de me desrespeitar, de insinuar que homessexual é pedófilo. Como deputada (e mãe), a Sra. deveria pensar em suas palavras antes de usar o microfone público para expressar a sua particular opinião.

    A Sra. se esconde atrás da religião e como todo religioso fervoroso, reza muito, fala muito e carrega muita culpa, imagino. Sim, a culpa católica persegue o rebanho, enquanto a pedofilia que todos nós sabemos e assistimos na tv, percorrem os corredores e cantos das igrejas.
    Eu, como mãe, filha, trabalhadora, cidadã que cumpre seus deveres, brasileira e lésbica, não lhe dou o direito de insinuar inverdades sobre os homossexuais. Primeiro a Sra. deveria usar o seu discurso barato ao líderes das igrejas, porque molestar crianças indefesas, Sra. deputada, é crime, é feio, é vergonhoso, é baixo, é triste.Tenho certeza que minha filha vive em um lar de respeito, de honestidade, de verdade, onde ensinamos a ela o certo e o errado, o que siginifica mentira e verdade. Um lar, sim, um lar que a Sra. deve achar somente ser possível, se for constituído por um homem e por uma mulher.Queira a Sra. ou não, vivemos em um lar, o nosso lar. E a nossa maior preocupação em relação à educação de nossa filha é que ela se torne um adulto feliz, que saiba a diferença entre pessoas como a Sra. e pessoas que realmente lutam por um mundo mais pacífico e mais feliz, independente de seu credo, etnia, religião e partido político.
    Para finalizar, quero apenas dizer que é medíocre um ser humano depender tanto de regras santas e se achar soberana, acima do bem e do mal. E de pessoas com esse teor de mediocridade, como o da Sra., eu quero distância e rezo (sim, eu também rezo, porque Deus é para todos, inclusive gays e lésbicas) para que jamais cheguem perto da minha filha.

    Kharla Tavares

    “Eu não me importo com o que os outros pensam sobre o que eu faço; mas eu me importo muito com o que eu penso sobre o que eu faço. Isso é caráter.”

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/clone-de-desabafo-de-uma-mae

    • Izabel

      Palmas para Kharla Tavares.

    • emanuel rego lima

      Mudo o pensamento final da missivista para:

      “Eu me importo com o que penso sobre o que faço. Mas me importo muito mais com o que pensam sobre o que faço. Isso é carencia!”

      Bem… a minha eu assumo!
      Muitos são tão mais carentes que nem mesmo isso aceitarão…

      Além do quê, cá pra nós, essa coisa de não se importar com que os outros pensem dos nossos atos é um tantinho autoritário, né não?

      Carências e prepotências de lado, que tal um meio termo:
      Não devemos nos deixar levar cegamente pelas opiniões dos outros sobre o que fazemos, ou deixamos de fazer, mas também não devemos desconsiderá-las a ponto de afirmar que não tem importancia…

      • Maria José Rêgo

        Emanuel Rêgo, a preocupação maior “é com o que eu faço”, pois somente “eu” responderei por elas. Você já ouviu falar da “lei do retorno”?

        • emanuel rego lima

          Já…
          Mas não sou tão fervoroso assim….

          E me parece que não era esse o sentido do pensamento transcrito na parte final da carta.

          Salvo um erro de interpretação, parece que a autora defende a tese de que é prova de carater não se preocupar, não se importar, com as opiniões dos outros.
          Creio que não….
          É prova de egocentrismo, presunção, autosuficiencia, autoritarismo, uma pitadinha de cada coisa…

          Eu, carente assumido, me preocupo sempre com o que estão pensando de mim…
          ( não a ponto de transformar isso num norte, evidentemente….).

          Em todo caso, deixa pra lá… é apenas uma frase que se pretendeu de efeito…mas que parece ser de “defeito”…

  • Variante D

    Na Constituição, temos que “Art. 53. Os Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos.”

    A jurisprudência do STF tende a garantir a inviolabilidade material (opiniões, palavras e votos) de maneira ampla, especialmente quando diga respeito a discursos proferidos no interior da casa legislativa:

    “Assim, é de se distinguir as situações em que as supostas ofensas são proferidas dentro e fora do Parlamento. Somente nessas últimas ofensas irrogadas fora do Parlamento é de se perquirir da chamada ‘conexão com o exercício do mandato ou com a condição parlamentar’ (Inq 390 e 1.710). Para os pronunciamentos feitos no interior das Casas Legislativas não cabe indagar sobre o conteúdo das ofensas ou a conexão com o mandato, dado que acobertadas com o manto da inviolabilidade. Em tal seara, caberá à própria Casa a que pertencer o parlamentar coibir eventuais excessos no desempenho dessa prerrogativa. No caso, o discurso se deu no plenário da Assembleia Legislativa, estando, portanto, abarcado pela inviolabilidade. Por outro lado, as entrevistas concedidas à imprensa pelo acusado restringiram-se a resumir e comentar a citada manifestação da tribuna, consistindo, por isso, em mera extensão da imunidade material” (Inq 1.958, Rel. p/ o ac. Min. Carlos Britto, julgamento em 29-10-2003, Plenário, DJ de 18-2-2005).”

    Faz, enfim, parte do jogo democrático. Acho que, no caso específico da Deputada mineiro-carioca e numa ligeira opinião, o mais produtivo não seria a repressão penal (a qual soa inconstitucional), mas a repercussão (como, por exemplo, o que estamos a fazer).

    O melhor remédio para os percalços da democracia é mais democracia!

  • Milton Roberto freitas

    Desinteligência.
    Naturalmente soa estranho alguem que tenha um texto ruim como eu falar em desinteligência.
    Bem se vivemos em democracia representativa e este poder se da através de votos esta repercussão de Miriam Rios que estava morta lhe dara muitos votos .acharam a próxima senadora pelo RIO com o apoio do Brisola Neto.

    Ai a famosa michadinha no poste marcar terreno e ela conseguiu .
    Acho que deveríamos perguntar a ela ,como é defender uma empresa multi nacional como a católica que vende saúde e educação neste pais e esta envolvida com as OSS em SP,o resto é varejo.
    Sabemos como é a justiça trabalhista neste pais onde eu mesmo tenho um processo contra o Correio que ja dura 12 anos e não se resolveu.
    Sabemos que empresas contrata quem elas querem e como elas querem ,onde contratação tem estágios de eliminação e no ultimo estagio se chagar os indesejáveis os estágios anteriores sera reformulado ,nem passar em concurso publico nos livra disto afinal médicos ,psicólogos e todos pelos qual somos entrevistados seguem orientação da empresa .
    Ela sabe mais que ninguém de tudo isto .sua fala referente a empregada merece um OSCAR pois fazendo metade de tudo que ela falou empregada estaria em cana e Roger Abdelmassih estaria freqüentando a casa dela e ganhando a TV pautado no arrependimento afinal se arrependera perante um padre pedófilo
    Mas o bom e velho varejo ,política de varejo.A guerra pelo nada afinal bastaria cumprir a constituição que garante direitos iguais e liberdade de escolha ,este projeto se dara naturalmente afinal tem o apoio de mais da metade da Globo e resto tera que seguir ou como trabalhara na casa o mesmo se da em outros canais assim esta causa esta muito bem defendida .
    Assim largamos os grandes temas que realmente podera mudar isto tudo .
    reforma política onde partido respondera por Miriam afinal voto sera em lista e ninguém perguntou ao presidente estadual e o nacional do partido dela oque eles enquanto partido achava disto ,e se ela estaria agindo dentro do estatuto partidário.
    financiamento publico de campanha assim até ela estaria livre da grana católica que a elegeu e garante seu emprego na canção nova .
    Quanto a opinião de Miriam ,nada como um bom contrato com a Globo para ela voltar a ser capa da Playboy o veinho aqui iria dar uma boa olhada

    • Milton Roberto freitas

      Chover no molhado .
      Vivemos em democracia partidária,representativa .
      Partidos pequenos ou médios vivem de caciques e estes fazem o topo dos votos ,logo se alguem vai ser eleito no partido sera eles pois com mais grana sua campanha é maior .
      Assim como ter votos em todas as tendências.independente de estatuto partidário encontramos tudo no mesmo partido para agradar a gregos e troianos .
      Veja PSDB mantem candidatos negros para captar votos entre estes ,mas com pouca grana para campanha ,basta ver bancada federal do PSDB no congresso,quando não tem dentro do partido alguem forte em algum cetor ele contrata ,como pastor ,Soninhas e Marinas etc etc etc.
      PMDB apoiá Dilma ,mas certamente manterá um estado contra afinal se o outro lado ganhar o estado que apoio proporcionara a paz e condução do mesmo até o poder .
      Assim encontramos Brisola Neto e Miriam no mesmo partido.
      Jean Wyllys e Plinio de Arruda Sampaio que nunca se pronuncio sobre o tema e sabemos que sua base é na igreja católica ,ambos do PSOL.
      Assim a questão não é de nome mas de partido .

  • A deputada com certeza externa coisas do fundo do seu caráter, tipo: “Quem disso cuida disso usa”…

  • As atitudes dessa senhora mostram que nossos partidos estão frouxos ideologicamente.

    No mesmo partido, PDT, temos um guerreiro como o deputado federal Brizola Neto, uma pobre alma como a deputada dona Myrian e um serrista como o deputado federal Paulo Pereira da Silva (o Paulinho), de SP.

  • aliancaliberal

    Sempre que o estado interfere = menos liberdade (para todos).

    • Uma das afirmações mais irracionais e ridículas que já li.

      Como de costume, de lavra do aliança, que parece não se cansar de falar besteira para defender o indefensável.

      O Estado, ao combater a violência, por exemplo, reduz a liberdade dos indivíduos segundo o aliança – talvez ele imagine que existe uma liberdade de matar e mutilar. Mas o fato é que isso permite que esses mesmos indivíduos exerçam suas liberdades reais sem receio de serem assassinados por algum “libertário” como o aliança.

      Ainda segundo o aliança, quando o Estado fornece educação gratuita, está reduzindo as liberdades individuais – talvez ao não deixar os pobres em uma posição na qual estarão sujeitos à mais ampla “liberdade de exploração”, que gente como o aliança defende com unhas e dentes.

      Enfim, pra variar ele falou algo insustentável e atentatório à inteligência de qualquer um que tenha mais de dois neurônios funcionais.

    • Rodrigo Leme

      É uma frase meio complicada. Assume-se que com menos interferência do estado há mais liberdade. Isso é óbvio. Porém, quanto mais liberdade melhor? Discordo.

      Acho que o estado deve sim interferir, apesar de em momentos discordar da forma de atuação. Por exemplo, ao invés de atuar isoladamente em grupos de interesse, o Estado poderia discutir a discriminação de forma mais ampla e criar mecanismos universais para que ninguém fosse discriminado por nada: altura, peso, cor, orientação sexual, religião (ou ausência de uma), etc.

      Mas nem sempre menos liberdade é ruim. O que precisa se medir é quão menos liberdade resolve os problemas da sociedade sem interferir com seu desenvolvimento.

      • “Assume-se que com menos interferência do estado há mais liberdade.”

        E assume-se errado.

    • Sávio Valença

      Yes my boy…. state sucks… it takes our freedom to be richer…. I WANT TO BE EVEN MORE RICHER…

      Uncle Sam

  • Se toda pessoa com propensão para amores homo-afetivos é um pedofilo potencial – o que será uma atriz medíocre, que não só posou nua, mas sempre foi muito medíocre – ela teria potencial para que atividade?

    Ser dançarina de boate?

    Prostituta?

    Cafetina?

    Ou ser uma freira dançarina no mosteiro?

    Mirian Rios, além de medíocre agora se mostra esclerosada também.

    PS. Não sou homo-afetiva, apenas respeito a diversidade, e a humanidade do ser humano incomum e diferente, e não me apego a dogmas esclerosados.

    • Jorge

      Não diria esclerosada, talvez hoje faça este tipo de afirmações por penitencia.

      Fica a grande questão!

      Por que? E para quem?

  • Carlos J.Ribeiro

    E se uma babá ou motorista se recusasse a trabalhar para uma patroa alegando que ela, patroa, é lésbica? E se, na sessão de fotos em que posou nua, ela descobrisse ser o fotógrafo homossexual? Exigiria a substituição ou continuaria? A deputada Myrian, ao vincular homossexualismo com pedofilia demonstrou sua ignorância e despreparo.

  • zé eduardo

    O ‘senso comum’ é tão hipócrita que só se sustenta num discurso oco: ‘faz o que eu digo, mas não faz o que eu faço’. Essa senhora não faz mais do que reproduzir o que pensa o ‘senso comum’ no âmbito da sexualidade, espaço privilegiado para os preconceitos. Mas há outros.
    Por exemplo, o ‘senso comum’ do brasileiro diz que aqui não há racismo por conta da miscigenação, posto que os negros e mulatos frequentam os mesmos lugares que os brancos e assim por diante. O ‘senso comum’ é raso, e ‘esquece’ o que lhe convém: que não são os brancos que são encaminhados ao ‘elevador de serviço’ pelos porteiros de alguns prédios, que não são os brancos que SÓ são ‘bons’ no samba e no futebol, que não são os brancos que são classificados como ‘subumanos’ e chamados de ‘macacos’, etc. A lista é longa e cheia de equívocos, no mínimo hilários. Quem já não ouviu ‘pérolas’ desse tipo: “se as mulheres querem falar em ‘direitos de gênero’ os homens também vão ter que se organizar”?
    Para o ‘senso comum’, embora quase todo o mundo, ao longo de sua vida, tenha feito ou faça quase tudo em termos de práticas sexuais, a ‘norma’ é o ‘papai-e-mamãe’ e tudo que se afasta da ‘norma’ é ‘desvio’, ‘doença’, ‘perversão’. Para o ‘senso comum’ sexo não deve ter a ver com prazer, mas com reprodução. Prá ficar no básico: o ‘senso comum’ não admite a masturbação, a não ser como ‘ensaio’ sexual adolescente (e olhe lá!). Claro, tem um imenso viés religioso aí que torna a questão mais difícil de discutir porque descamba para o âmbito do dogma. E dogma (convenientemente!) não se discute, né?
    Como o ‘senso comum’, que essa senhora expressa tão bem no seu discurso e provavelmente no seu cotidiano, ‘entende’ que a homossexualidade é ‘perversão’, associa a essa orientação sexual outros ‘crimes’, como a pedofilia, que não tem nada a ver com sexualidade, mas com a violência que está presente em qualquer relação assimétrica em termos de poder. E na sua pouca reflexão, o ‘senso comum’ segue falando em ‘opção’ sexual, como se a sexualidade fosse uma pulsão submissa à razão e à vontade, ou como se fosse ‘contagiosa’ ou definida por alguma espécie de ‘propaganda’. Na falta de argumentos, o que o ‘senso comum’ faz é confundir e passa a dizer que a proposta de uma legislação anti-homofobia é perigosa ‘propaganda’ da homossexualidade. Transformar as vítimas em culpados é coisa que o ‘senso comum’ há muito tempo já faz com as mulheres vítimas de estupro: “com aquela roupinha, ela tava mesmo é pedindo”…
    Vamos ver o que vai dizer a direção do seu partido.

    • Julio Cesar Montenegro

      Estrelato do corpo. Estrelato do espírito. Sindrome de Darlene Glória. Atriz no divino cast. Divino sabe.
      A explicação pra toda essa humana moral é… animal. Como mamíferos que somos ( mamando até fora das mamas, mesmo sem aparecermos assim nos nossos papeís de heróis & vilões na Bíblia), o elo sexual passava pelo odor dos corpos. O Veludo nunca precisou de chamada de celular e de vez em quando está em orgias que duram 4, 5 dias. Se for chip, é o natural do faro. Mas ele, como cão, continua animal. Tidos, por nós mesmos, como racionais, alguns um tanto (como essa Rios que passou) divinos, nos cobrimos. Escondemos pelos e abafamos cheiros. Muito antes do desodorante ter a atual intimidade. Pra comunicar nossa paix tes ão precisamos dar e receber sinais a corpos, como os nossos, revestidos e, cada vez mais controlados. Controle indispensável para desviar as musculares energias da (cada vez mais assistida) simples reprodução para a complicada sobrevivência da espécie. Mais da de uns. Ainda?
      O sucesso de vestir os nús foi diretamente proporcional ao crescimento das leis que serviam à moral e aos bons curtumes. E vacas e bois morriam para dar cobertura a corpos virtuosos e castigar corpos faltosos (por julgamento de pai, padre, patrão ou qualquer reconhecido figurão). Alimentando-se da morte alheia, a vida humana talvez necessite de um ser mais poderoso para poder se livrar da culpa de tanto e tão distante destruir. O pior é que quanto mais o crente vai ficando mais espiritual, quer dizer, quanto mais vai deixando de ser o animal que sente, mais passa a ser a figura que não con sente.
      Talvez nossa prosaica churrasqueira seja herança da religiosa fogueira. Com tantos humanos que somos, é mais… ecológico?… cuidar do nosso corpo numeroso / limitado do que incensar as ambições de um potentado com apetite sobre natural.

  • Romanelli

    nossa, eu não tinha visto o discurso em detalhes

    que coisa ?!

    é o que eu sempre denuncio ..nossos políticos são títeres, despreparados, normalmente serventes das grandes corporações, fabricados pela grande mídia (vide Kassab) ..nosso modelo não mais nos representa ..dá desespero ..nossa democracia é inconsequente ..IGNORANTE mesmo

    e como arrumar ? Romários (embora até aqui o MAIS comportado), Tiriricas, Popós ..Malufs procurados, Miriam Rios, Agnaldo Timóteo

    o que se precisa pra s ser um político? ..francamente, um mínimo de preparo e ética, lisura e honestidade, não ? ..será que peço muito?

    Alô mamãe ..e aqui ministro do supremo ainda é nomeado menino, antes dos 60, pra emprego vitalício ..me tira o TUBO

    é um festival ..confundir pedofilia com homossexualismo ..achar que nós temos o direito de mandar no livre arbítrio de marmanjo ..que arbítrio ! ..que petulância pra ficar num mínimo …

    • Emília

      É Romanelli, os inteligentes do Sul e do Sudeste ainda tem a pachorra de dizer que o nordestino não sabe votar. kkkkkkkkk
      Como disse o Tiririca, aqui não tem abestado não. kkkkkkkkkk

      • ramiza

        Quem o colocou lá foram os ‘do sul’, lugar onde ele encontrou ‘sustento’.

  • Osteobaldo Gonzales

    Sempre que o mercado (“livre”) interfere = mais miséria pra maioria.

    • Variante D

      Boa paráfrase!

      Esse dualismos (Estado-Mercado; Estado-Sociedade) são típicos do – ultrapassado – paradigma metafísico (seja o clássico [aristotélico-tomista], seja o moderno [filosofia da consciência]).

      O século XX foi extremamente produtivo, especialmente na filosofia e no constitucionalismo democrático, o que é muitas vezes ignorado. Alguns parecem estar no século XVIII, em que a burguesia desejava livrar-se dos limites feudais.

      Hoje, existimos em uma Sociedade (cada vez mais) complexa, em que o Estado é seu ser, ou seja, o Estado é a Sociedade ontologicamente. Isso é ainda mais significativo se considerados os avanços do último século.

  • francisco-niterói

    além da myriam rios (do PDT), chama a atenção no vídeo o aparte em apoio de deputado do PV, que se diz um partido “moderno”.

    Deveríamos cobrar da Marina, enquanto ainda deste partido, explicações sobre o seu “nobre” correligionário .

    Brincadeirinha: pelo discurso que apresentou em sua campanha presidencial, acredtio que a marina apoia, sem tirar uma vírgula, o que disseram os nobres deputados do PDT e PV na ALERJ.

  • Jorge

    Quer mesmo ser assim “cheia de inspiração” por sua formação cristã e por ela dar exemplos, então seria o caso de considerar com quantos viveu e partilhou sua cama.

    Não preciso de pessoas do naipe desta senhora para que tente instruir-me nas boas práticas de cristão; de mesmo modo não aceitarei como cidadão consciente com meus direitos e dos que devo respeitar nos como também direito dos outros cidadãos.

    Este tipo de cristianismo, tal como já lí por outros comentários, pratico todos os dias quando vou ao banheiro.

  • Paulo Marcel

    A posição dela fica bem clara a partir do momento em que ela se apresenta como católica.
    Outro ponto é o seguinte, ser homossexual não é pré-condição para ser pedófilo. Os pedófilos não necessariamente são homessexuais. Então, como você disse, faltou conhecimento básico a respeito da matéria.
    Nada justifica este comentário, mesmo a defesa de seus dogmas religiosos.

    http://todeolhomalandragem.blogspot.com

  • Avelino

    Caro Eduardo
    Ela é mais uma da direitona reaça, que em nada é diferente do Bolsonaro, do PIG e de outros mais.
    Seria melhor esse perfil no PSDB, DEM do que no PDT.
    Saudações

  • Marcelo de Matos

    Myriam Rios é mais um exemplo de que a reforma política é inadiável. Os partidos se apegam a puxadores de votos e dá nisso. Agora o PTB quer Ronaldo Fenômeno no Senado. Será que já não basta o Romário?

  • Kleber Carvalho – MG

    Pergunta que não quer calar: o que a Deputada pensa a rerspeito de mulheres que atualmente posam nuas para revistas masculinas? será que ela rejeitaria o voto destas mulheres?

    • Izabel

      Tenho certeza que ela não abriria mão do voto de um pedófilo ou de um homosexual.
      E se perguntar pra ela: se tirarem do salário seu salário os percentuais referentes aos impostos dos homosexuais?

  • Taciana

    Ela expressa a mesma mentalidade tacanha de alguns, inclusive alguns que comentam este post, de achar que todo Padre é pedófilo. Inclusive porque a maior parte desses que acham isso, sempre atribuem a pedofilia presente na Igreja ao fato dos padres não se casarem. Ou seja, são gays solteiros, logo são pedófilos! É a mesma lógica!

    • Carlos J.Ribeiro

      É isso mesmo. É a mesma cegueira. Há homens(??) casados, que não são padres e às vezes não católicos, que abusam de suas próprias filhas.

  • Fátima Sousa

    Eu contrataria uma lésbica para ser babá da minha filha, mas com certeza, relutaria em contratar um deputado pra qualquer função que fosse…

  • Escrevi nos comentários do Youtube e repito aqui. Ela deveria ficar preocupada com os pedófilos e não com os homossexuais, já que, penso, para a mente limitada dela, uma coisa é diferente da outra. Aliás, a tara pedofilia pode ocorrer em um número até mesmo maior entre os heteros, o que não supõe que todos os heteros sejam pedófilos. Confusão gigantesca provocada por ela.

  • yacov

    È tanta bobagem junta que eu nem sei o que dizer… CALA A BOCA MIRIAM!!!!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na gLOBo é um braZil para TOLOS”

  • Juliana Freitas

    Vamolá.

    Eu até entendo ela não querer contratar um homoafetivo para trabalhar dentro da sua casa, já que ela, na sua sacrossanta ignorância, jura que isso é coisa do capeta. A gente sabe que não é, que não na bíblia que ela acredita nenhuma palavra a essa respeito.

    Pra mim, que não acredito em deus, que acho que a bíblia não contém nada mais do que livros de ficção, e que tenho certeza que o capeta é histeria coletiva, acho tudo uma grande bobabgem. Mas continuo entendendo (tô fazendo força, gente) a deputada, já que eu também jamais contrataria alguém como ela para trabalhar aqui.

    Fundamentalistas religiosos, homofóbicos, racistas, nazistas, sexistas e outras aberrações também não trabalhariam dentro da minha casa, em contato direto com meu filho, de jeito nenhum, afinal de contas isso poderia influenciar diretamente na educação que dou ao Francisco.

    Entendam: eu sei que é bem diferente. Ser homoafetivo é condição biológica, e ser preconceituoso e imbecil é opção de vida, mas tô levando em consideração a fé (cega e burra) da moça.

    Pra mim, de verdade, o que matou, o que ferrou tudo, foi a argumentação (chega nessa parte e eles se lascam todos, um por um). Pra dizer que não é homofóbica ela joga a pedofilia no colo dos homoafetivos, como se isso fosse uma prerrogativa, como se todo homoafetivo fosse um pedófilo-praticante (pedofilia é patologia, o abuso e a exploração sexual é que são os crimes, há que se entender), sedento por bolinar seus filhos e os filhos de todos os homens de boa vontade. Aí a tia foi má, foi cruel, foi leviana. Ela não tem dados que comprovem isso, porque isso não existe. Sabemos que a maioria dos casos de abusos sexuais em crianças se dá no âmbito familiar, é cometido por homens heterosexuais. E outra grande parte dos casos que se tem conhecimento é praticado por líderes religiosos, que se aproveitam da sua posição e de seu poder (poder é a palavra quando o assunto é abuso sexual de menores e maiores, é o sexo pelo poder, não pelo sexo) diante do seu rebanho.

    Acho sim que a deputada tinha que responder criminalmente pelas acusações que fez. Ela não tem o direito de imputar a outrem, seja ele quem for, uma característica, um comportamento, uma patologia qualquer, em nome de seu preconceito, da sua sandice, da sua histeria, da sua fé cega (e a faca bem amolada). Ela foi criminosa. Ela tem que responder pelos absurdos que disse, e se lésbica eu fosse, processaria a deputada, porque me sentiria extremamente ofendida e prejudicada diante de suas declarações.

    Edu, acho que a gente precisa encampar um movimento sério e grande por um estado verdadeiramente laico. Não quero mais ouvir deputado, juiz, senador, delegado, ou quem quer que seja, decidindo a vida dos cidadãos brasileiros em nome de deus, ou de seja lá quem for que não seja em nome da lei, e da justiça, da igualdade e da cidadania plena de todos.

    Beijo procê e um cheiro na pequena!

    Ju

    • Marge

      Parabéns Juliana!

      Perfeito seu comentário.

  • Fabio Amaral Di Fini

    Eduardo e amigos do Cidadania, tais declarações preconceituosas são de se esperar, vindas de alguém ligado a essa tal comunidade Canção Nova, que é um apêndice (inflamado) da famigerada Renovação Carismática… Esta última é apenas uma TFP (Tradição, Família e Propriedade) com outra roupagem, que teve origem na direita espanhola na época do franquismo… São todos, Canção Nova, Renovação Carismática e TFP, farinha do mesmo saco ultra-conservador e fascista. Movimentos que tomam o catolicismo romano (que já é reacionário por si só), como base para desenvolver ações políticas de extrema direita. Na minha modesta opinião de esquerdista convicto e agnóstico deísta resolvido (após ter passado por muitas religiões e crenças, do Catolicismo Romano à Umbanda, passando pelo Zen Budismo e Santo Daime), o destino apropriado às declarações dessa senhora é estritamente a lata do lixo. Aliás, querer interligar a homossexualidade à pedofilia revela, além de grande ignorância, pura má fé…

  • Lúcia Adélia

    O que mais me espanta é essa hipócrita e falsa moralista estar no PDT como é que pode, por quê não assume e se filia em partidos conservadores e retrógados? E o PDT vai deixar por isso mesmo, isso é crime ela merece expulsão não? E faço aqui minhas as palavras do amigo Gerson, só lhe faço mais uma perguntinha bem básica. E o seu posicionamento quanto aos muitos PADRES PEDÓFILOS, hein dona Myrian?

  • Nora Cúneo

    Parabéns, Edu. O blog tomou a posição correta, mais….tem hora que estou de acordo com Yacov “É tanta bobagem junta que eu nem sei o que dizer…”

  • Emília

    Acho que a ‘nobre’ deputada nunca leu a história da igreja católica, deveria, pois é de tampar o nariz pra não sentir o cheiro forte de podridão.

    O preconceito é o refúgio dos idiotas, já disse o poeta inglês, e eu concordo.

    Posso discordar de qualquer pessoa, posso achar feio qualquer coisa, posso até desgostar de qualquer pessoa, mas JAMAIS crucificar alguém por não ser como eu, primeiro porque ninguém é igual a ninguém e segundo, todos somos da mesma espécie, não importa a cor, a opção sexual ou religiosa.

    • Izabel

      Emília
      Esta senhora não estudou nem mesmo a própria Biblia e os Evangelhos.
      O que está norteando a crença e o discurso dela é o que passaram pra ela, porque quem interpreta e age conforme os ensinamentos cristãos sabe que pre conceito não se sustenta nos valores de Deus.

      • Maxwell B. Medeiros

        Correto. E na bíblia se ensina de que devemos amar o pecado e não o pecado.

        • Maxwell B. Medeiros

          Desculpe, quis dizer que devemos amar o pecador, e não o pecado.

  • José Melquíades Ursi

    Myrian Rios, mais um exemplo. Digo sempre a meus alunos:

    — Prestem atenção aos moralistas de qualquer tez. São os primeiros a enfiar um dos pés na jaca.

    Uma pena. Deveriam sempre enfiar os dois de uma vez para se atolar nessa fruta. Panaceia para se sentirem ridículos.

  • Maria José Rêgo

    Cala a boca, Míriam Rios!

  • Eduardo, tudo tranquilo?

    Vamos lá. Ontem a deputada estadual, e ex-rainha , Myrian Rios expôs seu discurso na Assembléia Legislativa Fluminense, repleto de ignorância, digna do mais reles bolsonarista, No entanto, embora provavalmente não faça a menor idéia, teve o mérito de reabrir pelo menos três muito importantes.

    O primeiro, mais óbvio e com maior repercussão, é o debate sobre a criminalização de ações homofóbicas, que discriminam e fomentam o ódio entre as pessoas, como fez a própria deputada.

    O segundo tema, este um um pouco menos explícito, embora evidente, trata do intervenção cada vez maior das religiões nos espaços políticos, nesse aspecto é fundamental o cuidado de evitarmos generalizações e preconceitos, bem como a compreensão de que não são apenas as igrejas evangélicas, a católica faz isso há séculos e continua fazendo, como Myrian Rios evidenciou.

    O último tema, inconscientemente levantado pela deputada, ainda que oculto, é a incoerência e o oportunismo eleitoral dos partidos políticos. No mesmo PDT, do grande Leonel Brizola, encontram-se Myrian Rios, conservadora e representante da bancada evangélica; Paulinho Pereira, presidente pelêgo da Força Sindical; e Brizola Neto, jovem de esquerda engajado com causas sociais importantes como a democratização dos meios de comunicação. Esse não é um problema exclusivo do PDT, na verdade o maior saco de gatos da política nacional é o PMDB que consegue manter José Sarney e Roberto Requião.

    Abraços,

    Alex

    • ramiza

      Então ficamos assim. As minorias têm todo o direito de se expressar, de colocar imagens de santos em passeata gay – isso é provocação à Igreja Católica – mas os conservadores não!
      Tenham a santa da paciência. Sejam coerentes. Ou todos têm o direito de se expressar livremente, ou ninguém tem. Quanto a preconceitos, informo aos senhores que se nem todo homossexual é pedófilo, nem todo padre e homossexual. Simples assim.

      • eduguim

        Quem quer respeito, tem que respeitar. Quem desrespeitou primeiro foram os católicos.

        • Rodrigo Leme

          Todos os católicos? Se todos os católicos desrespeitaram “primeiro” aí diria que merecem.

          E acho complicada essa moral de “o outro errou, ganhei o direito de errar. Muito humano.

          • eduguim

            É inevitável. Quem usa de injustiça não pode esperar justiça para si

          • Rodrigo Leme

            Então a sua avó católica merece ser justiçada em nome de 0,001% de padres católicos pedófilos?

        • ramiza

          Entendo então que você é uma pessoa que respeita o próximo, mas se te desrespeitarem, lixo com os bons preceitos. Supondo que se alguém entra em sua casa e comete um latrocínio, você também irá à outra casa e fará o mesmo. Atitude bem difícil de se entender. Na antiguidade, quando as pessoas eram menos evoluidas, isso se chamava Lei de Talião.

      • Roberto Pereira

        Não havia imagens de santos. Havia imagens BASEADAS em imagens de santos é uma grande diferença. Que, claro, os FANÁTICOS e os CÍNICOS já se apegaram pra continuar com o mimimi contra os homossexuais.

        Porque não se preocupam com aquele padre de SC que foi pego em flagrante fazendo pedofilia com uma meninA de 13 anos?

        Ou com o pastor de Brasília que foi preso também por pedofilia poucos dias depois de participar da marcha da “família”?

        Preferem ficar com essa FRESCURA por causa de uns cartazes que não tinham NADA a ver com imagens sacras reais.

        • ramiza

          É a mesma coisa. Estão aplicando a Lei de Talião. Se fizeram primeiro, faremos também.
          Com esse tipo de pensamento, não chegarão a lugar nenhum. Isso funciona também em questões governamentais: ‘ah, mas eles roubaram primeiro que nós’. Como se isso desculpasse o crime.
          É desolador ver que ninguém consegue só usar a razão.

      • Fabio Amaral Di Fini

        Senhora, não vejo absolutamente como desrespeito o uso de imagens de santos na passeata gay… Os gays têm o mesmo direito de usar tais imagens, que os cidadãos de qualquer outra crença ou prática. Imagens são apenas imagens; faz uso delas quem quiser e como quiser. Eu, de modo algum me importaria, se visse o retrato de Marx ou o símbolo da foice e martelo nos estandartes de uma procissão. Por que deveria? Cada cidadão tem o direito de usar as imagens, símbolos e figuras que bem entender, como bem quiser. A senhora, a meu ver, está tomando posse e querendo exclusividade sobre um imaginário que é público e, portanto, não pertence a ninguém. Sua atitude, me desculpe, denota suas convicções que, ao que parece, têm uma certa vertente fascista… Estarei errado?

        • Abel Botelho

          Aquele pastor da Igreja Universal “fez o que quis” com a imagem de Nossa Senhora Aparecida e quase perdeu o pé que ele chutou a santa por conta de uma “gangrena”. Sabia disso? Dizem que depois de quase perder o pé converteu-se ao catolicismo.

          • eduguim

            cada uma…

          • Roberto Pereira

            kkkkkkkkkkkkkkkkkk

            esse tipo de post não merece outra coisa.

          • Fabio Amaral Di Fini

            Esse é o monstro que mais me apavora… A ignorância!

      • Juliano Santos

        Eu estou achando muito doido essa história de defender a “liberdade de expressar racismo e homofobia”. Falam com uma convicção tal que fica parecendo que há nessa afirmação estapafúrdia uma lógica que todos devessem ver. Para mim quem insistir em ver “logica” nisso vai dar um nó no cerébro

      • Direito de se expressar livremente, e até de provocar, todos têm. Até o direito de falar as maiores sandices, como a que a deputada falou.

        O que eles não têm é o de discriminar através da expressão, ou incitar a violência. Ou difamar, caluniar e injuriar.

        Talvez vc não entenda a diferença, mas ela existe.

  • raphael

    É evidente que os homofóbicos exageram, mas essA PL 122 é uma aberração. Na prática, vai transformar gays em categoria privilegiada, com uma proteção que mais ninguém terá. a pessoa que não gosta de gays tem de ter o direito sim de dizer isso e não conviver com eles. Se as leis no Brasil fossem seguidas corretamente, não precisaria haver essa babaquice de leis específicas para esse ou qauele grupo. Ê paisinho que não toma jeito mesmo.

    • Izabel

      Então, pelo seu raciocínio, os negros também se transformaram e categoria privilegiada?

      Será exagero viver na iminência de morrer ao dobrar a primeira esquina?

      Cada uma que a gente vê.

    • Como, exatamente, ela vai transformar os homossexuais em uma classe privilegiada?

      O que a lei proibe é que alguém discrimine um homoessexual na hora de contratar ou demitir um empregado. Como é que isso resultará em privilégio, se todos os que não pertencem à “classe” dos homossexuais NÃO são discriminados?

      Onde está o privilégio, se eles serão tratados como qualquer outra pessoa?

      Ou vc não faz ideia do que a lei realmente prescreve, ou quer tratar diferentemente os homossexuais – o oposto do suposto privilégio que vc sustenta.

  • André

    Tem que ter muito peito para fazer está fala!!!

    • Juliano Santos

      Tem sim, ou melhor tinha. Eu vi a revista na época que saiu. Tem outras coisas também. Desculpe Edu, mas não resisti a piada

  • Peço licença para reproduzir a carta aberta que enviei à deputada e que publiquei em prcequinel.blogspot.com.

    Carta aberta para Myrian “Anencéfala” Rios, deputada LGTB-fóbica do PDT-RJ

    DE prcequinel@yahoo.com.br
    PARA myrianrios@alerj.rj.gov.br

    1. O seu espantoso pronunciamento na sessão da Alerj que discutiu e votou a PEC 23 merece minha mais dura e franca resposta, deputada religiosamente obtusa. Não vou aqui esgrimir argumentos porque, descerebrada como é, certamente não entenderá coisa alguma, será perda de tempo.

    2. Além de nos informar que existe mais um Malafaia, o Samuel, e de nos apresentar o impagável deputado Xandrinho, sua falação, deputada obtusamente LGTB-fóbica, lembra um deslizamento descontrolado: conceitos equivocados, lixo moralista e imundícies religiosas descem do deserto da sua cabeça e soterram o bom senso, a razão, a inteligência.

    3. Você ofendeu meu filho, deputada estúpida. Ele tem 17 anos e decidiu viver sua sexualidade de forma aberta e tem meu amor incondicional e, enquanto eu estiver por aqui vou defendê-lo, e nos meus termos, contra qualquer pessoa que ouse ofender sua moral, seus valores, seus sentimentos, sua imagem, sua honra. E você fez isso, deputada obtusa quando, por exemplo, afirmou que homossexuais são pedófilos. Aliás, quem entende de pedofilia é a santa madre, hipócrita, genocida, misógina e LGTB-fóbica igreja à qual você bovinamente serve como missionária. Simples assim: ofendeu meu menino, seja quem for, haverá resposta e nas fuças, deputada de abundosa ignorância.

    4. Meu filho é gay e não ameaça a sua ou qualquer outra família. É amoroso, carinhoso, excelente aluno, vai começar a trabalhar e, embora não seja melhor que ninguém, tem lá os seus defeitos, dele tenho completo e irrestrito orgulho, até porque ousa viver sem anular-se, sem esconder-se, sem negar-se, e vou proclamar esse orgulho e vou defendê-lo enquanto eu puder, deputada obtusa e LGTB-fóbica. Não será ele que ficará acuado, ao contrário: no que depender deste velho turrão, serão vocês, tropa de atrasados doentios, intolerantes, preconceituosos e promotores da violência que haverão de sentir-se constrangidos e acuados. Vocês é que devem envergonhar-se, não o meu menino.

    5. Permita-me sugerir, deputada anencéfala, verifique com o presidente que preside a Alerj (como diria o seu impagável colega, o deputado Xandrinho Seje-Sim, Seje-Não) se, além da imunidade parlamentar você não pode ser declarada inimputável por conta da evidente ausência de cérebro que a caracteriza. Além disso, envie o vídeo com o seu acachapante pronunciamento ao STF para que os ministros vejam o milagre que você representa: nasceu descerebrada e hoje é missionária católica e deputada. Quem sabe assim a Alta Corte acabe proibindo o aborto quando ocorre anencefalia, não é mesmo?

    6. Ao encerrar, ao tempo em sugiro que pense mesmo na possibilidade de um implante cerebral, devo dizer que se você não entendeu esta carta aberta, o que me parece inevitável, experimente pedir a seu assessor que lhe explique ou, veja como estou hoje bem humorado, mande-me um e-mail que faço outra utilizando o método Ivo Viu a Uva para LGTB-fóbicos de origem religiosa.

    7. Você entendeu, Myrian “Anencéfala” Rios, ou quer que meu inoxidável neto de 7 anos, o German, faça um desenhozinho?

    8. Gente como você me provoca ânsias de vômito, recorrentemente. Tenho nojo de vocês todos, tropa de atrasados LGTB-fóbicos doentios!

    Antes que meus dois outros filhos, ambos heteros, reclamem que eu só falo de Jean, aí vai: Paulo Jr. e Luciano, esse pai turrão ama e tem orgulho de vocês dois também, incondicionalmente, viu meninos?

    Meu nome é Paulo Roberto Cequinel, brasileiro, aposentado, residente em Antonina/PR, à Rua João Leão, 324.

    (Mensagem enviada em 27 de julho, 11:10 horas)

    • José Honório

      Onde voce quer chegar com tanta grosseria? Com toda a sua prosopopéia, duvido que voce tenha desejado ter um filho gay. Então pare com esta hipocrisia. Aceita seu filho,muito bem, é um dever seu., mas não venha fazer proselitismo sobre a condição dele, pois soa falso.

      • emanuel rego lima

        José Honorio,

        O que me espanta é a intolerância dos tolerantes….

        Eu, e tantos outros, retrógrados, atrasados, reacionários, autoritários, intrensigentes, preconceituosos, somos assim, seres que ainda não alcançaram a luz!

        Mas ver os progressistas, as mentes mais esclarecidas, os mais tolerantes falando com tanto ódio, tanta vontade de separar, tanto desejo de “morte e de dor” ( como diria o Lupcinio Rodrigues) é espantoso.

        E preocupante!!!

        • eduguim

          Pode se preocupar. Você perderá o direito de oprimir que a lei ainda te faculta ao não criminalizar quem diz o que você diz. Pode esperar que este país aprovará a criminalização da homofobia.

          • emanuel rego lima

            Eduardo

            Creio que toda essa discussão desconsidera um dado importante na celeuma criada pelo discurso da deputada.
            Ela fazia referencia a uma hipotetica contratação para serviços domesticos.
            Todos sabemos que a despeito da lei praticamente equiparar o empregado domestico ao empregado de empresas há peculiaridades que os distancia.
            A relação de trabalho numa residencia não é ( nem poderia ser…) igual a que existe numa empresa.
            Os criterios de confiança, afinidade, e até mesmo amizade são bem mais fortes na relação domestica.

            Esqueçamos um ´pouco essa discussão sobre a homossexualidade. Vamos a um exemplo hipotetico – mas que pode perfeitamente ocorrer de verdade – envolvendo discriminação por motivos religiosos.

            Uma casa de pessoas muito religiosas ( catolicas, mulçumanas, evangelicas, não importa…) contratam uma babá para cuidar de crianças pequenas.
            A empregada, que se declarará sem religião no momento da admissão, se mostra eficiente e zelosa.
            Mas, um belo dia, resolve fazer parte de determinado culto religioso diferente do que é professado pelos patrões.

            Indago: Continuará havendo condições para a permanencia desta empregada nesta casa? Seus empregadores devem ser OBRIGADOS a mantê-la no emprego, sob pena de serem processados?
            Não é razoavel a justificação dos empregadores que dizem temer influencia nas crianças, ainda que sem intenção por parte da empregada?
            Como resolver esse conflito?

            ( um parentesis: Não vale dizer – Demita a moça sem dizer qual a razão, ou dando outro motivo qualquer. Muito facil isso… Seria como se a lei dissesse: Para escapar da criminalização deves mentir!)

            Veja bem… Numa empresa comercial, industrial, etc… essa situação pouco alteraria a relação entre empregado/empregador. Aqui sim, não haveria justificativa para uma eventual mudança nas relações contratuais pactuadas inicialmente.
            Mas é sensato imaginar que uma alteração de postura religiosa não vá ter qualquer consequencia dentro de uma casa???
            Não seria uma violencia contra os empregadores? ( e eventualmente até mesmo contra a empregada?).

            Por favor, se vc puder argumentar sem ameaças ou catastrofismos eu agradeceria sobremaneira.

          • Roberto Pereira

            Nossa!
            E eu já levei esse cara a sério.
            E é a mesma conversa mole dos reaças.

        • Dimas Antonio Granado de Pádua

          Não perco tempo e nem levo a serio pessoas como vc.

  • Fernando

    é como eu sempre digo esse país caminha para se tornar uma república fundamentalista cristã…e quando esse dia chegar teremos no interior do país campos de extermínio onde esquerdistas(militantes, simpatizantes e politicos) homosexuais, negros( que seguem religiãos Afro-brasileiras), orientais e muçulmanos serão todos elimindados em nome da pureza da religão…podem ter certeza disso pessoal!!!!

  • El Cid
    • lembra desta revista?? era show de bola!!! : D

  • José Honório

    Interessante, todos gritam por liberdade de expressão para sí ou para o seu grupo, mas quando alguém exerce o contraditório, vem logo a patrulha babando de raiva. A analogia que leva aligar a pedofilia ao homossexualismo não é nova, mormente nas igrejas católicas ou protestantes onde os sacerdotes homossexuais achacam crianças. Então, porque a depudata não pode dizer o que pensa?

  • A minha pergunta é: porque raios vc contrataria se vc não concorda? Meu Deus, quanto preconceito , quanta bobagem, quanta mediocridade de pensamento … Conclui-se pelo seu pensamento que todo homossexual é tarado e descontrolado… Nota-se que você não conhece realmente nenhum homossexual! São pessoas muito mais dignas do que a senhora!

  • Maxwell B. Medeiros

    Perfeito o seu texto Eduardo. Eu desci a lenha lá no Vi o Mundo por causa de um texto da Fátima de Oliveira em que ela se vale da declaração da deputada para espinafrar a religião católica. Sou católico e não apoio o que a deputada disse. Homossexualismo não tem relação com pedofilia, e há de se lembrar que a maioria dos crimes cometidos foi por pedófilos heterossexuais.

    • Taciana

      Deixei de acessar o Viomundo por causa dessa campanha insana contra a Igreja, na qual não respeita direitos dos católicos e nem as sua pessoas. PHA lança lama nos símbolos do catolicismo e do Nordeste somente para atingir Serra.
      O interessante é que não se pode ofender judeu, muçulmano, umbandista, que toda a blogsfera esclarecida cái de pau. No que eu concordo plenamente, em virtude das minhas convicções políticas e religiosas.
      Mas se for para ofender a Igreja e os católicos, vale qualquer coisa. Qualquer meia verdade ou mentira serve de munição. Da mesma forma que todos querem respeito, os católicos também querem. Os judeus não têm culpa pelo que faz o Estado de Israel. Os muçulmanos também não têm culpa se algum terrorista explode um monte de gente. Mas todos insultam e culpam os católicos por tudo que sempre aconteceu de errado desde a vinda de Cristo.
      O capitalismo domina o mundo ajudado por algumas denominações cristãs, desde sempre. Critica-se o capitalismo e esquece-se de quem o acompanhou sempre e tradicionalmente até hoje.

      Vamos parar para pensar.

      Essa histeria condenatória não cabe num lugar em que se prima pelo debate democrático como aqui.

      • eduguim

        Se tem algum histérico, ele está entre certos religiosos (não só católicos)

        • Taciana

          Essa histeria, Eduardo, não tem nada a ver com a condição religiosa da pessoa. Tem a ver com o seu grau de intolerância e falta de argumentos.

          Essa histeria está em qualquer religião ou credo político. A maior parte dos que condenam os outros, o fazem simplesmente por serem diferentes deles próprios. Quando não se reconhecem têm medo e às vezes têm mais medo por se reconhecerem e não se aceitarem.

          O seu post foi muito equilibrado, generoso, sem deixar de emitir os seus juízos e demonstrar o seu posicionamento. Debate democrático. Parabéns!

          Mas nem todos se chamam Eduardo.

      • Juliano Santos

        Bom, mas foi exatamente porque ninguém denunciou ou enfrentou a escalada de intolerância da Igreja Católica que surgiu a Inquisição. Alias, alguns fizeram isso e foram parar na fogueira.
        Sei que estamos em outros tempos. Mas qualquer manifestação de intolerânia venha daonde vier tem que ser enfrentada. Democraticamente, é claro, obedecendo-se as leis e a constituição.

  • É tentador pensar que é a religião que produz o tipo de burrice e preconceito crônicos demonstrados pela deputada. Mas, na verdade, a religião apenas serve de escudo para esse tipo de gente.

    É a religião organizada que produz essas aberrações. E todos sabemos que religião organizada nada tem a ver com religião, mas apenas com poder.

    Engraçado que a maioria dos comentários preconceituosos começa com o caveat “não sou preconceituoso, mas…”. Bem poucas vezes ouvimos essa frase dita por alguém que realmente não o seja.

    Ela faz uma confusão generalizada pra justificar seu preconceito – se não se pode vencê-los, confunda-os. Fala em igualdade de direitos, confunde homossexualismo com pedofilia, invoca o amor ao próximo, etc tudo para “fundamentar” a discriminação e o seu exercício.

    Ela é um demérito para o PDT – e se Brizola estivesse vivo, certamente a expulsaria, como expulsou tantos outros – e é uma desgraça para o nossos sistema democrático o fato dela ter sido eleita em razão dos votos recebidos por Brizola Neto, que não compartilha de sua visão preconceituosa.

    Fica evidente a necessidade da reforma política, mas não aquela dos tucanos, que enfraquece a integridade ideológica dos partidos, mas sim de uma que a fortaleça. E é ainda mais evidente a necessidade de debater questões como a pedofilia, já que o discurso discriminatório se baseia na nossa própria reação preconceituosa em relação a ela.

    • ruy marcondes garcia

      Acho que não há coisa neste mundo que mais produza intolerância, fanatismo, imbecilidade, violência e hipocrisia (entre tantas outras barbaridades) que as religiões organizadas.
      Elas já deixaram há muito tempo de ser apenas o “ópio do povo” para se trasformarem, como bem realça o Pierri, em instrumentos de poder político e econômico.

      • Não é só a religião organizada, não (a religião, per se, não causa nada disso). Infelizmente, a crença em dogmas deixou de ser exclusividade das religiões organizadas e agora existem devotos e fanáticos seculares tbm, pra piorar a situação.

        Estamos ferrados e mal pagos.

    • Paulo Ribeiro

      Só queria fazer uma pergunta a esta senhora. E uma aleijada, a senhora contrataria? Na hora de se promover, não teve escrúpulos em se casar com um deles.

      • ramiza

        Eu não posso crer no que estou lendo.
        Não é nem pobreza de espírito. É falta.
        Gente com esse tipo pensamento não faz falta.

        • Eu sou da opinião que a inclusão social tem de chegar a todas as pessoas, sem distinção de credo, raça e cor. Agora, seria bom que todos que estão fazendo essas observações em relação a Miriam Rios pudessem se informar um pouco mais sobre o assunto que ela pautou.
          Aconselha a Sra Miriam Rios quando preparar os seus discursos tenha um pouco mais de cautela nas palavras,
          Shalom

    • Aldo ternieden bredan

      Achamos gozadissima este tipo de Senhora!!!!oras!!!posou nua em revistas masculinas!!!!ficou casou namora com dezenas de pessoas!!!teve filhos com dois homens diferentes!!!!!Nao esta casada …com ninguém…que pessoa mal amada mal resolvida!!!!nao tem competência para nada!!!!!GOzada vc!!!literalmente gozada!!!!

  • Osteobaldo Gonzales

    É engraçado todo esse apreço pelas minúcias do discurso: se se fala “todos”, se o Edu estaria “generalizando”, ou sendo “parcial”. A mensagem do texto é clara. Toda essa preocupação com a forma por parte do Rodrigo Leme, parece mero pretexto pra fugir do conteúdo.

  • José Abreu

    Por essa linha de pensamento seria prudente que os católicos não deixassem seus filhos frequentarem as catequeses e evitassem qualquer tipo de contato com os padres, já que é público e notório que vários membros da igreja católica são acusados de praticar pedofilia em várias partes do mundo!

    • eduguim

      brilhante

      • EFE

        A ideia central não é essa. A defesa é que todos tenham os mesmos direitos. Eu também quero garantidos os meus.

        • eduguim

          Para garantir os seus, tem que respeitar os dos outros. Os outros têm o direito de fazerem o que quiserem com suas vidas sem serem insultados e discriminados por isso.

          • EFE

            Mais uma vez você concorda comigo: para garantir “os dos outros” é preciso respeitar os meus (de todos).

        • Efe:
          Os seus já estão garantidos, suponho que seja hetero.

    • Claríssimo.

    • Jose Honório

      Estes padres pedófilos são homossexuais enrustidos. Voces deveriam ter mais cuidado ao atacar instituições, que mal ou bem, ainda os maiores freios sociais, em nome de uma discutível liberdade que só envergonha as famílias.

  • Luiza

    A deputada extrapolou completamente. Deveria ser expulsa do PDT.

    • Apoiado

    • Luíza, deixa ela ganhar seu dinheirinho, todos merecem uma segunda chance, existem atitudes piores em nossa sociedade, Você já esquece o Collor, você já esqueceu a época do militarismo, quantas famílias ainda estão sofrendo? você já esqueceu de algumas lideranças políticas que a justiça tirou do cargo, porém, já estão de volta lá dentro, convivendo como se nada estive ocorrido.
      Luíza, só um pouco de calma.
      Tem momentos que temos de colocar uma dosse de humor ou então, morreremos de infarto.
      Te desejo tudo de bom.
      Não se esqueça de domingo ir a missa ou o culto, isso é uma ótima terapia.
      Shavua Tov = Boa semana!

  • Roberto Ribeiro

    Assustador!

  • Fábio

    Cara, que interpretação esquisita dessa moça. Será que ela sabe o que é um pedófilo?

    • Sabe tanto quanto conjugar verbos. Antes de destilar preconceito ao microfone, deveria trocar “Se eu não querer…” pelo correto, “Se eu não quiser…”.

  • Abel Botelho

    Acho que a deputada errou (e muito) ao relacionar pedofilia aos gays.

    Creio que na verdade ela queria defender um ponto de vista (o da liberdade de não querer ser obrigada a conviver com gays) e utilizou um argumento extremamente infeliz, generalista e, por isso, preconceituoso.

    Contudo, querer recriminá-la por não gostar de conviver com gays é tão insensato e odioso quanto o que ela fez.

    • eduguim

      Ninguém quer recriminá-la por não querer conviver com gays, mas por usar um cargo público para exortar outras pessoas a fazerem o mesmo.

      • Abel Botelho

        Não mesmo?

        “4. Meu filho é gay e não ameaça a sua ou qualquer outra família. É amoroso, carinhoso, excelente aluno, vai começar a trabalhar e, embora não seja melhor que ninguém, tem lá os seus defeitos, dele tenho completo e irrestrito orgulho, até porque ousa viver sem anular-se, sem esconder-se, sem negar-se, e vou proclamar esse orgulho e vou defendê-lo enquanto eu puder, deputada obtusa e LGTB-fóbica. Não será ele que ficará acuado, ao contrário: no que depender deste velho turrão, serão vocês, tropa de atrasados doentios, intolerantes, preconceituosos e promotores da violência que haverão de sentir-se constrangidos e acuados. Vocês é que devem envergonhar-se, não o meu menino.

        5. Permita-me sugerir, deputada anencéfala, verifique com o presidente que preside a Alerj (como diria o seu impagável colega, o deputado Xandrinho Seje-Sim, Seje-Não) se, além da imunidade parlamentar você não pode ser declarada inimputável por conta da evidente ausência de cérebro que a caracteriza. Além disso, envie o vídeo com o seu acachapante pronunciamento ao STF para que os ministros vejam o milagre que você representa: nasceu descerebrada e hoje é missionária católica e deputada. Quem sabe assim a Alta Corte acabe proibindo o aborto quando ocorre anencefalia, não é mesmo?

        6. Ao encerrar, ao tempo em sugiro que pense mesmo na possibilidade de um implante cerebral, devo dizer que se você não entendeu esta carta aberta, o que me parece inevitável, experimente pedir a seu assessor que lhe explique ou, veja como estou hoje bem humorado, mande-me um e-mail que faço outra utilizando o método Ivo Viu a Uva para LGTB-fóbicos de origem religiosa”

        • Não o conheço, Abel e espero que você ao utilizar texto de terceiros cite a fonte. Você copia e cola um trecho do que escrevi (com nome e sobrenome, e endereço) e o utiliza de forma descontextualizada.
          Utilizando uma expressão um pouco, digamos, mais chula, isso é gozar com o órgão sexual de terceiros.

          • Abel Botelho

            Também não o conheço. Como o sr. comprovou, não seria necessário citar o seu nome como autor da mensagem para que os créditos lhe fossem conferidos.

    • “Contudo, querer recriminá-la por não gostar de conviver com gays é tão insensato e odioso quanto o que ela fez.’

      Mas não mesmo!

      Ela DEVE ser recriminada por ser uma idiota preconceituosa, incapaz de passar por cima de um PEQUENO detalhe da personalidade de uma pessoa antes de decidir se “gosta” ou não de conviver com ela.

      Merece ser recriminada por seus ATOS.

      E isso não tem absolutamente nada com a recriminação apriorística, genérica e preconceituosa que ela emitiu contra TODOS, independente de seus atos, apenas por terem um detalhe em comum.

      Ela condenou todos a priori. Nos estamos condenando-a exclusivamente por seus atos e preconceito. A diferença é astronômica.

  • Milton Roberto freitas

    Bem em apoio a Miriam Rios e seus seguidores venho sugerir a coleta de assinaturas para beatificação do São Pedofilo.
    Bem não faltara candidato pelo mundo a este posto ,lógico tem que ter o aval do Papa para o posto de futuro Santo.

  • EFE

    Eu também quero ter garantidos os meus direitos de expressão, liberdade, preferências e orientação sexual. Respeito os direitos dos outros para que respeitem os meus. Eu não quero os direitos de ninguém; SÓ QUERO (garantidos) OS MEUS.

    • eduguim

      Seus direitos terminam onde começam os do outro

      • EFE

        Então você concordou comigo. Grato.

        • eduguim

          Se o que você acha é que o homossexual tem direito a trabalhar em qualquer função porque o que faz com seu corpo é problema seu, então concordamos

          • EFE

            SEM DÚVIDA. Desde que as minhas preferências e orientações sejam, também, respeitadas e GARANTIDAS, com a mesma intensidade, direção, embora opostas.

          • Haroldo Mourão Cunha

            O EFE, então qual a razão de ficar batendo na mesma tecla? PelamordeDeus, Eu, você ou qualquer pessoa, não tem o direito de usar a religião para ofender ninguém, e pelo que estou entendendo (ou não) tu está se sentindo ofendido por alguma coisa. Caso algum homoxessual te ofenda, proceda conforme a lei, pois ele é um cidadão igual a ti, está sujeitos às leis que nos governam. Responda-me: é a lei que está por ser votada que te ofende? Essa citada lei te prejudica em algo? Ou você deseja o “sagrado” direito de ter liberdade para ofender alguém por preconceito sobre algo?

          • E a sua orientação está sendo discriminada? Vc foi demitido por ser heterossexual?

            Não?

            Então não torra.

        • Roberto Pereira

          Alguém em toda a sua via já te desratou por ser meramente hetero?
          Já foi discriminado por fazer parte da maioria?
          Já teve deputada te comparando de público a pedofilo?

          Não, né?

          Então deixa de conversa mole.

    • Variante D

      Do egocentrismo ao sociocentrismo

      Do consumismo à cidadania

      Da vilania à benfeitoria

      Da capitalismo à democracia

  • Douglas Otaviani Tôrres

    Edú,o que aprecio em voçe é esta sua vocação a Dom Quixote,já te disse antes,eu na maioria da vezes consegui enxergar seus moinhos,outra poucas,não vi.Hoje estou vendo claramente,me sino o sancho Pança.Mas é uma dureza ser assim,talvez ,aliás com certeza sua Victória é essa guerreira que aprendi a admirar e respeitar.

    • Douglas Otaviani Tôrres

      ops.completando e terminando,por sua causa.

  • CASADO

    DIZ a lenda que ele andava em plena luz do dia com uma lanterna acesa na busca persistente, porém inútil, de um homem virtuoso. Seu nome era Diógenes, filósofo que viveu em Atenas no quarto século AEC.

    “A época de padrões de moral aceitos por todos já passou”, diz Alan Wolfe, sociólogo especializado em religião. Também se atribui a ele esta declaração: “Nunca antes na História foi tão forte o sentimento de que as pessoas não podem confiar nas tradições e nas instituições para guiá-las em questões de moral.” A respeito dos últimos cem anos, o jornal The Los Angeles Times comentou a observação do filósofo Jonathan Glover de que o declínio da religião e das leis de moral universais foi decisivo para a atual onda de violência no mundo.

    Mas será que é possível todas as pessoas concordarem quanto a que padrões adotar? Obviamente não. Então, sem um acordo sobre padrões para diferenciar o certo do errado, como alguém poderia avaliar qualquer valor? Esse relativismo moral está em moda hoje. No entanto, pode-se ver que essa atitude não melhorou a moral como um todo.

    • NUNCA houve uma moral universal. Quem escreveu isso ou é ignorante ou está de má-fé.

      Toda cultura tem sua própria moral, seus próprios valores. A igreja bem que tentou impor seu próprio código moral a todos, mas felizmente falhou.

      O relativismo moral – ou seja, a ideia de que cada código moral de cada cultura é tão válido e “correto” quanto os demais – não é causa dos conflitos, mas sim a violação desses códigos por quem imagina ser o “correto” apenas o código que ele segue.

      É a arrogância, a prepotência, a intolerância que leva a esses conflitos, e não o milenar relativismo moral (que, aliás, deveria significar a ideia de que as regras morais não se aplicam a alguns, por serem “especiais” ou privilegiados – algo evidentemente condenável – e não a acepção que lhe é dada hoje em dia).

  • cvilela,

    Eu acho que tem dois pontos distintos a esclarecer: um é associar a homossexualidade à pedofilia, o que é injustificável; e outro, é você, empregador, ter o direito de escolher o perfil de seu empregado, que, no caso dela, exemplificou a não contratação de um empregado homossexual por orientação religiosa. São situações distintas.
    Uma coisa é você humilhar outra pessoa por preconceito de raça, credo; e outra é não contratar uma pessoa que você não quer para a sua casa ou empresa por não ter o perfil desejado. Calma lá! É direito do contratante estabelecer alguns critérios, desde que não inflijam a lei. Outro exemplo: uma pessoa que aplica tatuagem em grande parte do seu corpo ou coloque “piercing” nas ventosas terá, naturalmente, dificuldades de preencher certos critérios estabelecidos para a escolha de candidatos no meio empresarial. Isto é óbvio, ou é puro preconceito? Um concurso de uma agência de modelos exigir que as candidatas sejam negras, para atender um anúncio de um determinado público, não quer dizer que esta agência esteja praticando racismo. Você contrataria o Diogo Mainard para ser professor particular de história para o seu filho?

    • eduguim

      Leia a Constituição Federal

      • Abel Botelho

        Você contrataria o Diogo Mainardi para ser professor de história de seu filho? E o Reinaldo Azevedo para professor de português? Claro que não! E ainda tiraria seu filho da escola em que eles lecionassem. É um direito seu! Assim como eu não posso ser obrigado a manter em casa um fulano que, do dia para a noite, passa a se vestir de Carmen Miranda no trabalho. Repito: a deputada errou (e feio) ao associar os gays à pedofilia, mas seu ponto de vista acerca de não querer ser obrigada a manter relações de qualquer nível com quem possui orientação sexual da qual não é adepta e com a qual não concorda é válido.

        • eduguim

          A Constituição proíbe isso e a Justiça vem condenando quem deixa de dar emprego ou demite alguém por sua orientação sexual. Assista ao filme Filadelphia http://pt.wikipedia.org/wiki/Filad%C3%A9lfia_(filme)

          • José Abreu

            Ótima lembrança, Edu! Assistir a esse filme pode ser uma excelente oportunidade para que alguns reflitam melhor sobre essa questão.

          • Andréia

            Se um homosexual esconder sua orientação conseguirá emprego, porque se ele assumir não conseguirá? Muitos homosexuais se escondem a vida toda para poderem trabalhar e ninguém os acusa de pedófilo, porque uma coisa não tem haver com a outra.

          • Abel Botelho

            Repito a pergunta: o sr. contrataria Reinaldo Azevedo para ser professor de português do seu filho. Me parece que não, apesar dele, incontestavelmente, ser um conhecedor do assunto. E o sr. o faria simplesmente porque os srs. possuem modos de pensar completamente distintos e o sr. não gostaria de ver um filho seu sujeito a uma possível “contaminação” do seu pensamento por alguém que o sr. não concorda com o modo de pensar, não eh mesmo. O sr. se consideraria preconceituoso só por isso?

          • Zuyla

            Se a lei me obriga a conviver com que não gosto, a contratar quem eu não quero, então a lei ESTÁ ERRADA e deve ser mudada. Se para assegurar o direito de um, a lei tirar o direito do outro é porque esta lei não PRESTA.

          • eduguim

            A lei não te obriga a conviver, a lei te impede de discriminar. E será mudada, sim, para tirar ainda mais de você o direito de discriminar, até que não possa nem dizer o que está dizendo sem ter que responder pelo crime que está cometendo

          • Jose Alberto SSA BA

            Eduardo.
            Não entendi.
            Você está se referindo ao meu comentário?

          • eduguim

            deve ter saído em lugar errado

          • Jose Alberto SSA BA

            Eduardo.
            Por favor, peço que esclareça se o seu comentário se refere aos pontos levantados por mim contra o posicionamento da deputada. Não entendi nada.

          • eduguim

            não entendi, nada tem que ver com você

          • Roberto Pereira

            Desiste, Edu!

            Nem perca tempo explicando pra gente do tipo botelho ou rego que ninguém é influenciado a “virar” gay e que homossexualidade NÃO PEGA.

            Já doutrinação política e RELIGIOSA em crianças (ou seres de baixo nível cultural) é MUITO PERIGOSA porque cria seres lamentáveis e cheios de ódio como bolsonaro, silas malafaia e myrian rios.

          • Juliano Santos

            Ô Abel Botelho, é tão dificil assim ver a diferença entre não contratar alguém porque o considera reacionário, elitista, facista mesmo, do que não o fazer por conta da sua preferência sexual?
            O que o Reinaldo Azevedo pensa sobre o mundo, o Brasil, as relações sociais importa se ele vai ser professor do meu filho, mesmo que de português.
            Agora, você não contratar alguém para esse cargo porque ele é “viado”, é totalmente diferente pelo simples fato do que a orientação sexual é algo de forum íntimo, e nada interfere em sua competência como professor.
            É disso que trata a lei anti-homofobia: Descriminização por opção sexual. Como diz o povo, quer que desenhe?

          • Sávio Valença

            “Repito a pergunta: o sr. contrataria Reinaldo Azevedo para ser professor de português do seu filho. Me parece que não, apesar dele, incontestavelmente, ser um conhecedor do assunto.”

            A “direitada” adora misturar alhos com bugalhos… uma coisa é a personalidade e outra coisa é a orientação sexual… a “direitada” fala tanto em “estado democrático de direito”, mas na hora H, por conveniência, adora passar por cima dele….

        • Marcelo Fraga

          Uma coisa é rejeitar algum candidato ao hipotético emprego pelas suas escolhas.
          Outra coisa é rejeitá-lo por alguma característica intrínseca ao indivíduo, como a cor da pele, a orientação sexual, o tipo físico, etc.

    • Variante D

      A nossa República tem por objetivo fundamental promover o bem de todos, sem preconceitos (art. 3.º, IV, CRFB).

      O seguinte dispositivo legal está harmoniza-se a esse fundamental objetivo: “Artigo 1º – Fica proibida a adoção de qualquer prática discriminatória e limitativa para efeito de acesso a relação de emprego, ou sua manutenção, por motivo de sexo, origem, raça, cor, estado civil, situação familiar ou idade, ressalvadas, neste caso, as hipóteses de proteção ao menor previstas no inciso XXXIII do artigo 7º da Constituição Federal.” (Lei 9.029/1995)

      Obviamente que se houver razoabilidade na exigência de certa condição (exemplo: modelo negra) não há essa proibição. Aliás, em 2010, foi publicado o Estatuto da Igualdade Racial, dispondo que: “Ficará sujeito às penas de multa e de prestação de serviços à comunidade, incluindo atividades de promoção da igualdade racial, quem, em anúncios ou qualquer outra forma de recrutamento de trabalhadores, exigir aspectos de aparência próprios de raça ou etnia para emprego cujas atividades não justifiquem essas exigências.”

    • cvilela,

      Eu tenho colegas gays que trabalham comigo e são super competentes, e por isso os contrataria certamente, caso tivesse uma empresa. Agora, eu insisto que o empregador tem o direito de estabelecer critérios e exigir o perfil dos seus empregados, desde que não inflijam a lei. Se alguém for recusado por não atender um determinado perfil e se sentir vítima de preconceito tem todo o direito de acionar os meios legais para a pretensa reparação. Este é um problema muito complexo, que envolve valores e que pode ser alterado com o tempo.No caso de concurso público isto não seria admitido, com excessão das forças armadas, que vivem este dilema há muito tempo.

      • eduguim

        Como já lhe disse, a lei pune quem deixa de contratar ou demite alguém por ser gay. Não só aqui, nos EUA também. Se alguém provar que não foi contratado ou que foi demitido por ser gay, vence uma ação na Justiça. O filme Filadelphia, com Tom Hanks, mostra bem isso.

        • Haroldo Mourão Cunha

          Edu, apesar de concordar com a lei (e com você), esse é um processo subjetivo, os RHs pelo mundo afora fazem discriminção por enes razões, a lei punir algo, que dificilmente será provado, não vale de nada.

    • “Você contrataria o Diogo Mainard para ser professor particular de história para o seu filho?”

      A questão é que o Diogo Mainardi é sempre igual ao Diogo Mainardi. Eu não o contrataria por ele SER o imbecil do Mainardi e n~çao saber droga nenhuma de história.

      E um homossexual não é igual a todos os outros. eu não contrataria um homossexual que não soubesse nada de história, ou que fosse o Mainardi. Mas contrataria qualquer outra pessoa, homossexual ou não, que entendesse o suficiente de história.

      • Abel Botelho

        E se,hipoteticamente, o Mainardi soubesse tudo de história?

        • alvaro crespo

          tu é chato assim mesmo? ou tá recebendo pra isso?

          TROLL TROLL TROLL TROLL TROLL TROLL TROLL

        • Juliano Santos

          “Se o Mainardi soubesse tudo de história” não seria o Mainardi tal qual conheçemos

          • ramiza

            Conhecemos é sem ‘c’ cedilha, aliás, nunca foi com.
            Não é só de História que ninguém sabe nada.

          • Juliano Santos

            Obrogado pela correção, dona Ramiza. A senhora, como o Mainardi, e o guru de vocês, o Reinaldo Azevedo, são uma aberração não só em história, como em sociologia, politica, e demais matérias das áreas humanas também.
            Mas quando se trata de gramática, são 10. São uns verdadeiros corretores ortográficos ambulantes. Vocês servem para alguma coisa afinal contas

        • Se o Mainardi soubesse tudo de história não seria o Mainardi. E eu não o contrataria da mesma forma pois, como já muito bem colocado, fascismo, falta de caráter e estupidez são transmissíveis, mas homossexualidade não.

  • José Abreu

    Abaixo trecho de artigo do pastor Ed Renê Kivitz, escrito por conta da polêmica visita do time do Santos, durante a páscoa, a um centro espírita. Na ocasião, Robinho e Cia não quiseram realizar a entrega de ovos de páscoa a crianças portadoras de deficiência no local.

    “O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância. A religião coloca de um lado os adoradores de Allá, de outro os adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus. Isso sem falar nos adores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí vai. E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixam de existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus, com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus. Mas quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas. E quando você está com o coração cheio de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz. Os valores espirituais agregam pessoas, aproxima os diferentes, faz com que os discordantes no mundo das crenças se deem as mãos no mundo da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e iguala, independentemente de raça, gênero, e inclusive religião”.

    http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=8239

  • Tilda

    expulsão do PDT já!

  • Luís CPPrudente

    O discurso da deputada Mirian Rios mostrou que ela é muito preconceituosa, que não soube diferenciar homossexualismo de pedofilia. Ou será que quis confundir propositalmente para causar confusão e estigma contra os homossexuais?

    Será que a deputada católica da reacionária Canção Nova quer tipificar o homossexualismo como crime?

    É esta liberdade que ela defende, a liberdade de poder tipificar os homossexuais como pedófilos?

  • Rogério Bezerra

    É muito interessante não ver( ler) experiências pessoais nos blogs…
    Bem, lá vai a minha vivência.
    Acho que se você não gosta de uma certa pessoa você tem o direito de afastar-se dela e afastar seus filhos.

    Num gigante grupo francês que trabalhei não haviam negros trabalhando… Nem como boys! Por anos não encontrei um nos corredores… Já homosexuais, eu via.
    Curioso relembrar isso agora.
    Acho que trabalhei com quase todo tipo de gente, não tô nem aí. Trabalho é trabalho!
    Agora, na minha casa mando eu!
    Aqui não entra Malufista, FHCista, Amimsista, Colombista e outros “istas” menos votados… Fundamentalistas então nem passam na rua… Se chegarem na porta correm risco de morte!rarrararra

    Rogério Neibert Bezerra
    De Floripa, no meio da Mata.

  • Andre I souza

    Cara, fiquei assustado com a declaração da deputada, e junto, ainda, com os comentários favoráveis às ideias dela virou um verdadeiro esgoto a céu aberto.

    O mundo tá ficando perigoso, se a turma do apartheid geral e irrestrito se apoderar da faca e do queijo, meu, “tâmu” ferrado.

  • Carlos Henrique

    Não é de hoje o caráter reacionário de Mírian Rios, o qual vai muito além do habitual conservadorismo que permeia boa parte dos “ex” ou atuais serviçais das hordas globais(eu disse boa parte, e não todos). Contudo, a declaração de Rios estrapolou todas os limites do absurdo, mais do que isso, evidencia um preconceito e um viés de obscurantismo religioso(Rios é membro da conservadoríssima “Renovação Carismática”), necessitando-se de uma reação rápida e severa da Sociedade para que um despautério como esse, dito por uma parlamentar em uma Assembléia Legislativa, não seja a ponta do iceberg para outras declarações e/ou ações de cunho fascista, principalmente quando o Brasil começa ainda que lentamente a entrar no inveitável caminho civilizatório que leva à legalização da união civil entre pessoas de mesmo sexo(e futuramente do direito óbvio que têm de adotar crianças), prática mais que saudável de nossa Sociedade, já estabelecida em diversos países do mundo, ainda sofrendo oposição dos setores mais reacionários(principalmente da direita, mas infelizmente também de alguns da esquerda), oposição que sustenta-se através da ignorância e do estímulo aos preconceitos mais cruéis. E é exatamente movida por essa crueldade que Myrian Rios relinchou declarações tão absurdas e criminosas(Rios sabe muito bem a quantidade de pedófilos heterossexuais existente, tão numerosos quanto os homossexuais), as quais, pela tentativa anti-científica e mentirosa de atribuir a um grupo; os homossexuais; uma prática bárbara que existe nos diferentes segmentos sociais, indepentemente de orientação sexual ou de qualquer outra característica, pode e deve ser enquadrado no crime de discriminação. Ou seja, apesar de não haver a previsão legal para o crime de discriminação sexual(tipificado apenas como injúria), o fato de Rios procurar atribuir aos possuidores de determinada característica, oriunda da opção sexual, a exclusividade de um crime que perpassa toda a Sociedade, pode possibilitar a caractrização do crime de discriminação, não tanto priorizando-se a questão sexual, mas o fato de tentar “marcar” negativamente um grupo(ou seja, poder-se-ia usar esse raciocínio do mesmo modo se Rios, ao invés dos homossexuais, tentasse atribuir o horror da pedofilia exclusivamente aos seguidores de uma ideologia política). É um caminho que deve sedr analisado. O importante é que a deputada nazista seja punida pelos horrores que declarou, punição que além de garantir a Justiça contra uma discriminação monstruosa, poderá impedir que coisas piores advenham dos despautérios dessa louca. Quanto a usar-se o passado de Rios para contrastar com suas declarações, entendo e não reprovo aqueles que assim agiram no calor do momento, mas concordo com você que não se deve enveredar por esse caminho, o qual além de preconceituoso, também pode acabar ajudando-a, uma vez que poderia levar Rios a vitimizações hipócritas quanto ao “arrependimento” pelos “erros” do seu passado “mundano”, mundanismo do qual tentaria livrar a Sociedade, enfim, um falso moralismo mentiroso e piegas com a cara dos hipócritas religiosos a quem ela se vincula. Assim, atacar Rios pela monstruosidade Moral, pela violência fascista e pela ilegalidade jurídica de suas declarações é o melhor caminho para impedir-se que essa e outros intolerantes propaguem o ódio e o preconceito.

  • Zuyla

    Ela foi infeliz na comparação e ERROU ao dizer que as pessoas ESCOLHEM ser homossexuais.
    Uma pessoa tão instruída que prega e até escreveu livro não tem o direito de dizer que as pessoas escolhem ser homossexuais.

    No entanto concordo com o reso do discurso. Ninguém é obrigado a gostar de homossexuais nem é obrigado a mantê-los no emprego só porque são homossexuais. Assim como ninguém é obrigado a gostar de quem não coabita com seus princípios étnicos, morais e culturais nem de gente com as quais não simpatizam.

    Eu tenho o direito de ESCOLHER com quem eu quero conviver e me relacionar. A lei não pode obrigar as pessoas a aceitarem aquilo que elas não querem ou que vai contra seus princípios. Somos obrigados a RESPEITAR as pessoas e não conviver com quem não queremos.

    E acho essa parada gay um lixo, onde as pessoas saem pras ruas como caricatura.Tanto quanto o carnaval onde homens e mulheres desfilam semi-nus atraindo turismo sexual ao Brasil.

    Os gays têm todo direito de reivindicar seus direitos, casar entre eles e adotar filhos como qualquer pessoa digna. Porém sou contra a imposição da presença aos outros, tanto de héteros quanto de homos.

    EU QUERO TER O DIREITO DE CONVIVER COM QUEM EU GOSTO E TENHO AFINIDADE
    EU QUERO TER O DIREITO DE NÃO CONVIVER COM QUEM EU NÃO GOSTO E NÃO SIMPATIZO.

    • eduguim

      Você não tem esse direito. Se descobrir que um empregado seu é homossexual e demiti-lo por isso, será condenada na Justiça

      • Zuyla

        Não foi isso que eu disse no comentário.

        Parece que pegaram um único ponto do discurso ERRÁTICO da deputada. Mas tem muito mais coisas dentro do discurso do que demitir alguém por suas características pessoais. E estou falando do “todo” do discurso e não de uma parte pinçada.

        Todo ser humano TEM que ser respeitado independentemente de qualquer opção sexual ou religiosa, porém ninguém é obrigado a levar pra casa pessoas que não gostam. Desde que seja uma pessoa honesta e de bom caráter pouco importa se é gay ou não. E se eu não gostar de gay é um direito que eu tenho desde que eu não saia por aí xingando nem batendo. No meu caso não preciso de lei pra não fazer isso, pois fui educada para respeitar TODAS as pessoas.

        O pior problema é não querer entender e nem ACEITAR as nuances da questão. Isso é a ditadura do pensamento único. Na minha casa só entra quem eu quero e não devo satisfação das minhas escolhas a ninguém.

        • TODO o discurso da deputada é preconceituoso e trata de um suposto direito de discriminar, de decidir-se pela contratação de alguém baseado no próprio preconceito.

          Quando alguém diz que não gosta de alguém por esse alguém ser homossexual, ele não está dizendo que não gosta dessa pessoa, mas sim que não gosta de qualquer um que não seja homossexual.

          E isso não é gostar ou não de alguém, mas sim odiar uma característica. É o mesmo que não gostar de negros, ou de mulheres, ou de homens, ou de pessoas com problemas físicos. Não é desgostar de uma opinião, ou de uma escolha. Não é não gostar de algo que alguém faz, mas sim quem alguém É.

          É apenas preconceito burro. Todos tem o direito de ser tão burros e idiotas quanto quiserem, mas não tem o direito de dizer que o preconceito é “o direito de gostar ou não de alguém” e muito menos de discriminar alguém, negando-lhe emprego por ele não ter nascido como vc gostaria que ele tivesse nascido.

          Uma coisa é não gostar da forma como um determinado homossexual se porta (talvez vestindo roupas espalhafatosas, por exemplo) – isso é um direito, e se aplica a qualquer pessoa que se porte daquela maneira, independentemente de ser uma coisa ou outra.

          E outra coisa é não ligar para o que ele faz, mas não gostar de como ele nasceu.

          Uma coisa é não gostar de alguém, e a outra é odiar todo um grupo de pessoas.

    • O que vc não entende – e que é bastante simples – é que a questão não é “ser obrigado a manter no emprego um homossexual, por ser homossexual” mas sim de NÃO DESPEDÍ-LO por ser homossexual.

      Entende a diferença? Não é uma imposição do homossexual a vc, mas sim a proibição da discriminação. Vc não pode tratar diferente alguém por ele ser homossexual.

      Se ele for homossexual e um mal caráter, estás completamente livre para tratá-lo como um mal-caráter.

      Mas não “gostar” de conviver com alguém que vc não conhece e cujo caráter não tem a menor condição de avaliar, apenas por ele ser homossexual, faz de vc um idiota completo. E vc tem a liberdade de ser um idiota completo. Ou até mesmo dois idiotas completos, se quiser, DESDE QUE NÃO DISCRIMINE os outros por sua orientação sexual.

  • José do Ceará

    FORA DE PAUTA: A CIA Vale do Rio Doce está construindo, no Ceará, uma Siderúrgica, a CSP(Companhia Siderúrgica do Pecém ) no porto do mesmo nome, a 30 km de Fortaleza.Esse mesmo porto que abrigará também uma Refinaria premium II da Petrobrás será o intermodal que receberá a ferrovia Tansnordestina para escoamento da produção de Soja da nova fronteira agrícola PI-MA e da Fruticultura irrigada de BA-CE-RN.A conclusão da Interligação de Bacias (Transposição) levará perenidade(segurança hídrica) ao semiárido setentrional com a consequente alteração do seu perfil econômico.Esses recursos do pré-sal se bem direcionados alavancarão ainda mais a economia Nordestina. Lembrem-se ,lá está o segundo maior colégio eleitoral(maior que o sul e o centro-oeste) e onde o Presidente Lula obterá,no mínimo 85% dos votos,se candidato for….Alguém duvida? …

  • Lalo Pereira

    Miriam Rios é hoje ligada a um dos grupos católicos mais direitista e reacionário do país. A Congregação Canção Nova, com sede em Cachoeira Paulista-SP é a mesma daquela Padre que fez discursos absurdos contra Dilma na campanha eleitoral.
    Esse núcleo do Catolicismo Brasileiro é o que mais se fortalece, pois arrecada mensalmente quase 20 milhões de reais em doações voluntárias e venda de produtos religiosos. Eles tem redes de tv e rádios e núcleos de missionários espalhados pelo país. Do mesmo agrupamento religioso participam Gabreil Chalita e um cantor dos anos setenta que caiu no esquecimento chamado Sílvio Brito.
    Miriam conseguiu o impossível, ficar mais careta que seu ex-marido o Roberto ‘são muitas emoções’ Carlos. Ela não falou gratuitamente, é porta voz de um movimento inquisitório existente no inteiror do catolicismo brasileiro

  • Jose Alberto SSA BA

    É incapacidade de discernimento (vincular homo com pedofilia, sem ressalvas) ou é má fé da deputada? Fico com a segunda hipótese.
    Existe uma cruzada no Brasil hoje, com seus representantes dos Poderes Legislativo, do Judiciário e da grande mídia. Cruzada religiosa, que pretende, se deixarmos, mandar para a fogueira quem não comunga com seus princípios religiosos.
    Opus Dei de um lado e fundamentalismo evangélico do outro. Onde vamos parar?
    Ela falou para seu público votante. Por trás dela estão seus eleitores, e do Rio de Janeiro.
    Não é qualquer cantinho dominado pelos coronéis no Nordeste não. É o mesmo Rio de Malafaia, de Bolsonaro.
    Vou ao Rio todo o ano e não sinto nas ruas esse ódio, essa maluquice de raciocínio da deputada. Aí é que me pergunto se esses deputados serão reeleitos.
    Me pergunto também como fica o PV do Rio, com o apoio de um deputado seu a esse retrocesso. Eles que se acham tão “in”, tão evoluídos. Também não combina com o Rio liberal, e liberado, que vejo.
    Vincular religião com política de Estado pode nos estar levando a uma intolerância com consequências extremamente danosas para o nosso futuro. Muita violência gratuita pode estar vindo por aí.

  • Almir

    Ela deve de ter sido aluna da mesma escola do Bolson, o capitão das cavernas.

  • Caetano Greco Junior

    Pelo raciocínio (?!?!?!) da eminente Deputada, recomenda-se não ter filhos com mulheres que posaram nuas para revistas masculinas, afinal de contas a respeitabilíssima igreja católica considera o nudismo como ato de depravação. E, ainda sobre o raciocínio da dita cuja, que homem deixaria uma depravada criar sua prole?

    • ramiza

      Esse comentário é ainda pior do que aqueles que estão a discutir a sexualidade das pessoas.
      Depravada…
      Deuys me livre de cruzar com alguém assim.

      • Caetano Greco Junior

        Ramiza, ou seja lá quem for, darei a você a chance de reler meu comentário soletrando letra por letra, principalmente onde escreví “pelo raciocínio da deputada” ou ainda “a respeitabilíssima igreja católica considera o nudismo como ato de depravação”. Caso ainda assim não conseguir entender, tentarei desenhar a você.

      • Vc leu o resto do comentário, ou é apenas denso mesmo?

        Ah, esqueci que vc é um troll, e só está interessando em trollar…

  • Leonardo Vasconcelos

    Me espanto profundamente com alguns comentaristas que estão defendendo essa lamentável fala da deputada e que insistem na defesa da prática da discriminação de indivíduos por questões de foro íntimo. O argumento de que elas (essas pessoas) não são obrigadas a conviver com homosexuais e que, portanto, a discriminação seria aceitável, é totalmente falaciosa, impregnada de preconceitos e totalmente desprovido de consciência cidadã. Ninguém pode ser discriminado por orientação sexual, genêro, cor e religião, e é isso que está na lei. Ninguém é obrigado a conviver ou ser amigo de ninguém que não queira, mas quando estamos falando de contratação profissional, adentramos outra esfera que nada a tem a ver com a questão de amizade. Já no período de transição entre os séculos XIX e XX, um autor clássico da sociologia, Max Weber, descrevia as características do que ele denominou de “organizações burocráticas” e, dentre elas, está o fato de que essas organizações (empresas) eram regidas por critérios profissionais e que a contratação de seus membros era pautada estritamente pelo conhecimento e qualificação que aquela pessoa possuía com relação ao cargo que iria ocupar, tendo que passar por um processo seletivo para tal. Dessa forma, se eu tiver que contratar alguém para trabalhar em minha empresa, essa contratação deve ser pautada por tais critérios e não por questões que dizem respeito apenas àquela pessoa e ninguém mais. Se eu sou responsável por fazer contratações em alguma empresa, o que me interessa é saber se a pessoa conseguirá desempenhar de forma adequada suas funções e nada mais. Se essa pessoa é evangélica, católica, muçulmana, budista, branca, negra, heterosexual, homosexual, bisexual, de direita, de esquerda, isso é o que menos importa, desde que atue de forma ética e faça o que deve ser feito. Tenho lido aqui comentários tão absurdos e preconceituosos e comparações tão fora da realidade que às vezes me pergunto se essas pessoas realmente estão apenas fazendo brincadeiras de péssimo gosto ou se conseguem realmente acreditar no que dizem.

  • Não vou falar sobre a postagem, vou falar por aquela que te motiva. Que bom Edu que sua pequena preciosidade melhorou e aliviou seu coração preocupado com um sorriso. Que ela se restabeleça e fique forte cada dia mais. Desejo de verdade dias amenos para vocês. Abraços.

    • eduguim

      grato, Elke

  • Juliano Santos

    é impressionante isso. O Reinaldo Azevedo diz que defender o direito de se expressar favoravelmente à descrimilização do uso da maconha, é o mesmo que defender o “direito” de ser pedófilo(!?)
    Agora essa ex-mulher do Rei e ex-atriz da Globo diz que também é defender a pedofilia, o ato de se impedir que se demita alguém por orientação sexual.
    Esse uso esdrúxulo da pedofilia nos debates ideológicos, virou cartlha da direita fundamentalista e obtusa, agora é? Que coisa.

  • Gil Teixeira

    Edu, toda vez que ouço, vejo, leio o que esses radicais religiosos falam sobre vários assuntos eu me pergunto: Será que eles entenderam mesmo a mensagem que deixou um tal de Jesus?

  • Roberto Pereira

    As pessoas são tão inacreditável e indecentemente preconceituosas e IGNORANTES que esse assunto LGBT acaba derretendo o leve verniz de civilidade e pseudossofisticação desse tipo de gente.

    Sabe o que está me espantando agora?

    Essa coisa de “não quero ser obrigada a conviver com quem não gosto”.

    Mas que PALHAÇADA É ESSA?!

    Por acaso uma lei que impeça – ou ao menos puna, já que impedir é impossível, a ofensa e destrato público ao homossexual por acaso vai obrigar alguém a conviver com um DENTRO DE SUAS CASAS?

    Porque só isso justificaria essa histeria idiota.

    A não ser que os aprendizes de Hitler queiram partir para segregar quem eles “não gostam” também do convívio social. Acho que deve ser isso. Por que agora estamos avançando mais um degrau na insanidade da homofobia para se querer negar o direito básico do cidadão de trabalhar.

    Daqui a pouco vai começar uma caça aos homossexuais reais ou imaginários dentro das empresas porque as dondocas HISTÉRICAS e os dondocos INSEGUROS DE SUA SEXUALIDADE não querem nem conviver socialmente próximo de um homossexual real ou suposto – porque o preconceito cega.

    Qual é o próximo passo depois de retirar dos LGBTs a sua possibilidade de trabalhar para ganhar a vida? Mandar para um campo de concentração? O que vem depois? Forno Crematório?

    Seria muito bom que as tais “lideranças religiosas” colocassem um pouco a mão na consciência – se é que ainda a tem – e veja o grau de histeria social que essa demonização sem tréguas dos LGBts está causando nas pessoas.

    Seria bom que Dilma Rousseff percebesse agora o imenso erro que foi ter recuado sob coação em relação ao kit anti-homofobia e o que é pior, ter dado aquela declaração mais do que infeliz praticamente avalizando a distorção de que colocar políticas públicas anti-discriminatórias tão necessárias seria fazer “propaganda de opção sexual”.

    Se ainda houvesse alguma duvida da necessidade urgente tanto do PLC122 quanto do projeto escola sem homofobia, bastaria ver a reação de turba enfurecida que a mera discussão desse assunto causa, tal o grau de preconceito e ignorância que a população tem sobre o assunto.

    Governar também é intervir corajosamente em assuntos como esse. Não adianta o governo se esconder e se omitir achando que vai passar incólume nessa questão.

    Fazendo ou não ações concretas para esclarecer a população, os adversários irão colocar no colo do governo Dilma a decisão do STF. O povão mais humilde não sabe diferenciar a autonomia de poderes. Pra ele é tudo governo. E se o governo não esclarecer a população sobre esse tema da homofobia vai se dar mal mesmo se curvando às chantagens dessa lamentável bancada evangélica.

    O nível desse gente já vimos no exemplo dessa deputada.

  • Gabriela Martins

    Assustador mesmo são os santos pornográficos com cara de gigolos que a Parada Gay de SP fez. Não sou católica e muito menos moralista, mas na minha humilde opinião, eles extrapolaram com a falta de respeito com a religião alheia.
    Concordo que também a religião católica tem sua parcela de cupa, mas utilizar simbolos religiosos de outros para atacar é um modo de não civilidade.
    O Brasil, queira ou não , é um país com fevor religioso. Houve muitos comentários a respeito disso e garanto, pegou mal.
    Com certeza, no ano que vem, acredito que enhum candidato, mesmo do PT, poderá apoiar isso, pois com certeza, essa ofensa religiosa (assim como o aborto em 2010) vai ser muito explorada, não só pelos católicos, mas tambem por seguidores de outras religiões, pois até mesmo so evangélicos se manifestaam contra, Quem apoia esse tipo de coisa, perde voto, é o sistema, cara !!
    Acho que a organização da Parada foi burra nesse aspecto.
    Eu não sou católica, votei em Dilma, sou a favor de manifestações, mas dessa vez, a Parada GLBT pisou na bola!!!

    • eduguim

      É reação. Se você age injustamente com alguém, não espere justiça em retribuição. É espantoso que alguém critique os gays por ironizaram uma igreja que tem feito com eles tudo o que a igreja católica tem feito

      • Gabriela Martins

        Não concordo. Acho também que foi falta de respeito aos cidadãos (que também pagam impostos) que são católicos e tem fevor religioso. Dessa vez, tenho que discordar de vc. então quer dizer que se me sinto ofendida, devo reagir com absoluta falta de respeito a um sentimento religioso. Acho que isso é um golpe muito baixo.
        A parada fez golpe baixo , sim.

        • eduguim

          Minha santa avozinha sempre dizia que “amor, com a amor se paga”. Para ter moral para se rebelar contra ofensa a imagens de gesso pintadas à mão, você teria que se rebelar contra ofensa a seres humanos de carne e osso, tratados pela igreja católica como aberrações. Como só se preocupa quando o seu lado é ofendido e não com o lado que o seu ofendeu, você apenas exercita a intolerância burra dos católicos fanáticos

          • Roberto Pereira

            BINGO!

          • Gabriela Martins

            Já disse que não sou católica. A Parada não ofendeu a INSTITUIÇÃO IGREJA CATOLICA , mas sim ofendeu os cidadãos com fervor religioso, propositalmente ou não (isso eu não posso julgar) .
            Depois, não fique desesperado como vc ficou em 2010, quando houvve uma ameaça do avanço da direita.
            Achei muito sábia uma frase: “Assim como a direita é perversa, a esquerda é intolerante”. quem está demisntrando despreza e intolerância para com as pessoas católicas é você. Só achei uma ofensa para o CIDADAO que é católica. quanto à INSITUICAO, ela é sim muito falha e julga demais as pessoas, não só gays, como mulheres, negros, islamicos, evangélicos etc…
            Agora, meu caro Eduardo, que essa provocação, no ano que vem, vem dividendos políticos (assim como o aborto em 2010) em época de eleição municipal, pode apostar !!!!!!

          • eduguim

            Há uma guerra no Brasil contra o preconceito. E o grande opressor é a igreja católica

          • Taciana

            Eduardo, quanto você conhece da Igreja Católica?
            Gostei muito de um recado que Gerson postou para mim.
            “Taciana,

            O respeito que tenho pelas convicções alheias jamais deverá impedir que exponho as minhas, como dever ser com todos nós.

            A discussão sobre a verdade vem desde Platão. E o que sabemos é que nem mesmo o que enxergamos com os olhos nem sempre é verdade.

            Havia, e ainda há, tribos cujo Deus era o sol. Jamais irei ridicularizar ou desmentir a crença alheia. Até porque no universo poderá existir alguém que tenha a certeza de que o Deus que acredito ser seja apenas um sol.

            Quanto à isenção, não existe ideologia isenta. Desde o útero tudo que ouvimos e aprendemos é por influência de alguém. De fato, é complicado.

            Bom dia!”

            Reflita!

          • eduguim

            Fui batizado, fiz comunhão, crismei-me, casei-me e batizei meus filhos e neta na igreja católica. Estudei, até o fim do ensino médio, em escolas católicas como São Luis e São Bento e Liceu Coração de Jesus, em São Paulo.

          • Edu:
            Somente a católica? E os evangélicos, ficam fora disso?

          • Alberto Silva

            Boa Edu!

            Sempre tenho esse texto aqui pramostrar nesse debate.
            http://www.overmundo.com.br/overblog/carta-aos-fundamentalistas

        • Juliano Santos

          Ô Gabriela, não sou católico nem homosexual, por isso sinto-me confortável para analisar a situação de fora.

          O que acontece é que existe um embate entre as religões institucionais, todas elas, e os gays. A única forma dos gays lutarem para serem considerados ‘pessoas normais” e exercerem sua identidade sexual sem culpa e saudavelmente é enfrentando com contundência os dogmas religiosos.
          No caso da Igreja Católica isso significa uma luta no âmbito do simbólico. Ela se utilza de símbolos para impor sua verdade, e esta oprime os não heterosexuais. É quase uma luta pela sobrivência. Não posso recriminar pessoas que lutam pelo simples direito de ser como são. E a Igreja quer negar-lhes isso.
          PS: São Sebastião, aquele todo flechado, já é um ícone gay a muito tempo

    • Roberto Pereira

      Demagogia!

      Vc e as outras pessoas que estão tão indignadas por causa de umas fotografias que não tinham NADA de sacras e sagradas fariam melhor em se preocupar e se revoltar com as crianças que são alvos de abusos sexuais desses mesmos que defendem imagens ocas mas não respeitam a integridade física, mental, emocional e moral de crianças.

      Se preocupem com os pedofilos católicos e evangélicos (não é só padre não!) que afetam gravemente seres de carne e osso indefesos e não com meras imagens.

      HIPOCRISIA.

  • Taiguara

    A Dona Miriam Rios, por acaso, se preocupou com a liberdade de escolha de suas duas meninas ou de seus dois meninos, quando lhes impõe a orientação religiosa de confissão católica? Na minha opinião a imposição de doutrinas religiosas à crianças deveria ser tipificada no Código Penal como PEDOFILIA INTELECTUAL.
    Traduzinndo: essa ex-vedete é PEDÓFILA.

    Caro Eduardo, tive o prazer de conhecê-lo por ocasião do encontro dos Blogueiros em BH. Desde então acompanho o seu Blog, que, como disse-lhe pessoalmente (no cafezinho) ainda não tinha acessado. Fato, pelo qual me penitencio, e que depõe contra a minha diuturna participação em outros Blogs ( (Nassif, PHA, Azenha, Amigos dos Presidente e Presidenta), Vermelho e tantos outros.

  • Yuri Simon

    Ninguem tem direito de ser preconceituoso… Myrian Rios subverte a Lei, coloca no inicio do discurso dela que “todos são iguais perante a lei” e professa então por isso ter o direito de ser preconceituosa!!! ISSO NÃO É UM DIREITO, independente de religião. Seu discurso é preconceituoso, mesmo que não aliasse hossexualidade a pedofilia. “Tenho o direito de não querer um trabalhador homossexual”… como assim? se isso não é preconceito é o que então… independente de religião… É o mesmo que dizer tenho direito de não querer um trabalhador negro!

  • Leonardo

    PDT é de esquerda. Fica evidente a hipocrisia e a demagogia da esquerda que prega uma coisa mas faz outra.

    • Desde que Brizola faleceu, o PDT passou a ser um partido de aluguel, como todos os outros. Deixou de ser de esquerda faz tempo, e são poucos os que se salvam por lá.

      Se Brizola fosse vivo, já teria limado essa múmia, assim como limou o Garotinho e tantos outros.

  • P. Ilianovic

    É impressionante a polêmica que esse assunto causa, não? Como os preconceitos são arraigados…

  • Variante D

    Será que eles terão a misericórdia divina?! Ou irão para o inferno?! Talvez, o purgatório… Afinal, eles são inferiores aos seres humanos em termos de racionalidade… (será?!?!??!)

    “Homossexualidade no reino animal

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    Machos da espécie Pato-real se relacionando.

    A homossexualidade no reino animal, ainda que não remeta diretamente à homossexualidade em seres humanos, referencia o comportamento sexual humano na medida em que os humanos não deixam de ser primatas, e assim compartilham uma série de comportamentos nalguma medida análogos aos de outros grandes primatas, por exemplo, tal como descritos no livro Macacos, escrito pelo médico brasileiro Drauzio Varella.

    O tema é também um contraponto à expressão contra-natura utilizada para referenciar actos sexuais entre pessoas do mesmo sexo no passado, sendo menos usual hoje em dia.

    Outros Animais

    A fim de relatar o comportamento homossexual nos outros animais, o Museu de História Natural de Oslo, na Noruega, apresentou em 2006 a primeira exposição dedicada a “animais gays”, que foi chamada de “Against Nature”, exibindo cerca de 500 espécies que existem relatos de comportamento homossexual de um universo de 1.500 relatos, desde mamíferos e insetos até crustáceos. Nos pássaros australianos Galahs (Roseate Cockatoo), por exemplo, cerca de 44% dos pares são formados por indivíduos do mesmo sexo. Além desses, há registros bem mais antigos, como os de Aristóteles, que fez menção a hienas lésbicas.

    Em entrevista à Revista da Folha, o coordenador da mostra Geir Söli disse que “a idéia surgiu depois de analisarmos o livro do biólogo Bruce Bagemihl, ‘Biological Exuberance: Animal Homosexuality and Natural Diversity’, no qual ele descreve cientificamente a homossexualidade de muitas espécies animais. Acreditamos que essa seja uma forma de contribuir socialmente para a discussão de um tema que ainda causa tanta polêmica”.

    Um estudo publicado pelo periódico “Trends in Ecology and Evolution” concluiu a importância do comportamento homossexual para a evolução de muitas espécies animais, como entre as fêmeas do albatroz-de-laysan (Phoebastria immutabilis), do Havaí, que se unem a outras fêmeas para criar os filhotes, especialmente na escassez de machos, tendo mais sucesso que as fêmeas solteiras. O estudo conclui que a homossexualidade ajudou as espécies de diferentes maneiras ao longo da evolução.”

  • Paulo

    A Myriam arranjou um modo tacanho de voltar às manchetes. Agora ela só entrega a santo.

  • Heidi Maria

    Edu,
    :

    Afinal ela teve sorte, se seus eleitores fossem preconceituosos , ela não teria sido eleita.,

  • Afonso

    O referido projeto de lei federal tem que ser aprovado( ou não) por plebiscito ou referendo,não sei qual dos dois procedimentos é o correto.
    É algo muito sério para ficar somente com os congressistas.

  • Lucio

    Infelizmente não consigo ver outra coisa nos comentários sobre esse assunto, além de radicalismos de um e outro lado. Ninguem deve recriminar ou discriminar alguem por ser religioso ou homossexual. Mas concordo com o direito de qualquer proprietário de residencia ou empresa privada aceitar ou não pessoa religiosa ou homossexual, pois jamais aceitarei a invasão do estado na vida privada de alguém.

    • eduguim

      A lei proíbe discriminação por raça, religião ou orientação sexual. Se deixar de contratar ou demitir um funcionário por ser gay e ele te processar, se ficar provado que você agiu pela orientação sexual dele, você será condenado.

  • Lucio

    Para uns o deus é o dinheiro, para outros a promiscuidade, para outros os que acreditam num Ser Supremo criador do universo. Cada um segue o seu. A dificuladade é que uns querem mudar, proseliticamente, o deus dos outros.

  • antônio claret carvalho

    Caro Eduardo,
    Mais uma vez quero parabenizá-lo pelo seu excelente blog. Quanto à opinião desta senhora Myrian, é lamentável que uma pessoa que se diz católica seja tão preconceituosa, difamante e caluniosa com o ser humano criado à imagem e semelhança de Deus. Se Jesus nunca discriminou a ninguém como que pessoas que se dizem seguidoras dele tomam tais atitudes?
    A religião nos ajuda sim e muito a vivermos o amor fraterno, o mal é quando as pessoas se fanatizam; aí acabam achando que são donas da verdade e querem impor seus pensamentos a todas as outras pessoas. A verdade só encontramos em Jesus.
    Sou padre da Igreja Católica Apostólica Romana, abomino a pedofilia. Nunca apoiei o que certas pessoas que se dizem católicas ou mesmo evangélicas têm feito em relação às pessoas com orientação homossexual. É necessário vivermos o amor fraterno, respeitarmos todas as pessoas e não condenarmos a ninguém; pois Jesus nunca as condenou; teve amor para com todas as pessoas.
    Abraços.

  • Haroldo Serratalhada

    Isso é liberdade de Expressão! estupido! Quer gostamos ou Não, e a deputada responde por um seguimento da sociedade, que acha isso e ponto, simples assim.

  • Roberto Pereira

    Olha, pra quem ainda não entendeu o REAL significado do que fez Myrian Rios, talvez em forma de piada as pessoas entendam:

    http://www.youtube.com/watch?v=LAwCKPiRH1I

    Vejam, deem boas risadas e reflitam.

    O cara foi genial. E deixou bem claro o quão absurdo e torto foi o discurso dessa deputada e de TODOS que pensam como ela e ainda tem coragem de dizer que não discriminam e não tem preconceito.

    Parabéns ao Celso André – humor inteligente e no ponto certo.

  • Robinho
  • Dimas Antonio Granado de Pádua

    Não vou fazer um longo comentario.Isto posto quero apenas dizer que a¨nobre¨deputada perdeu uma ótima oportunidade de ficar com o seu órgão bucal devidamente fechado.Mas no caso da ¨nobre¨deputada,talvez a ansia de querer aparecer seja maior do que o decoro necessario para o exercicio de um cargo eletivo.Claro,a¨nobre¨deputada.no exercicio de cargo eletivo não pode ser responsabilizada criminalmente pelos seus votos e opiniões.Só que a¨nobre¨deputada porque é uma pessoa honrada deveria pensar duas vezes antes de emitir opiniões que indiretamente e diretamente ofende milhares de pessoas.Alias o inferno está cheio de pessoas honradas como a ¨nobre¨deputada.Eu iria dizer o que penso da ¨nobre¨e honrada deputada,mas como tenho respeito pelo responsavel por este blog e pelos demais colegas-comentaristas,me abstenho de faze-lo.

  • SôniaG.

    Está absolvida. Ninguém é culpado por ser burra; mas estão condenados os que desperdiçaram o voto com ela e o PDT por aceitar uma candidata como ela quando há tantas mulheres com vivência de luta e com inteligência. O problema é que há outros tantos iguais a ela a falar e fazer bobagens sem apresentar projetos e ações que justifiquem o seu salário.

  • O ponto central dessa discussão não é religiosidade, e sim preconceito. Antes velado hoje escrachado, preconceito que mata, que rouba não somente a liberdade. Esta que nos acostumamos a exigir que nos seja dado; uma tal liberdade que muitas vezes nem sabemos usar quando temos.

    Minhas criticas maiores não são somente a pessoa Míriam Rios; cuja falta dos próprios conceitos cristãos de amor, faz dela uma tolinha que apenas disse tolices. E que defende uma religiosidade burra em nome dos seus próprios receios e não em nome de deus.

    Levanto aqui sobretudo criticas a todos nós, gays que somos cerca de 25% da população brasileira e nada fazemos quando nos é dado a tal liberdade que tanto queremos. Falo do voto, que mistura direito e obrigação mas que só lembramos de faze-lo pela ultima. Somente através de uma conscientização de que temos sim que colocar no poder pessoas que defendam NOSSOS interesses, conquistaremos a tal igualdade de direitos.

    Mas infelizmente isso ainda esta longe de se tornar um fato, porque nos acostumamos a mendigar e nos glorificar de pequenas conquistas, alem de usar de expedientes onde o protesto a crítica e porque não o deboche deveriam prevalecer, como desculpa pra mais uma pegação e exaltação do estilo fútil de ser, que apenas gera mais e mais preconceito por nos posicionarmos justamente como Míriam Rios. Primeiro pelados e cheios de purpurina depois brigando por uma causa que nós mesmos desconhecemos.

  • Ronaldo Dias

    Não sou homossexual, e não vejo discriminação nela , apenas ignorância. Trabalhei muito tempo no comércio , e tive muitos amigos gays. A maioria nasceu gay, não teve escolha , simplesmente se descobriu atraído por outra pessoa do mesmo sexo, se não cai uma folha sem o consentimento de Deus, quer dizer que ele permite por algum motivo, que nasçam pessoas assim. Por outro lado, tive dois amigos gays, que foram abusados quando criança, e isso acabou afetando o psicológico deles, e cresceram achando que isso era normal, só depois de adultos entenderam realmente o que haviam passado. Como garantir que essa experiência de abuso , numa idade em que a formação moral de uma criança está se desenvolvendo, numa idade em que ela está aprendendo o que é certo e errado, mas não tem discernimento nenhum, e acaba achando que aquilo faz parte da vida , e que tem que aceitar o que está passando, e, quando ela cresce mais ,e, aí sim descobre que o que está acontecendo com ela é abuso, o estrago já tá feito, nunca mais ela apaga isso da mente, não tem como. Falo isso, pois quase passei pelo mesmo, duas vezes, e , nas horas em que se está sozinho, nossos demônios nos fazem pensar, e essas coisas voltam, você nunca esquece. Foi um tio , hoje falecido, num dia em que dormia na minha avó, ele me acordou esfregando o pênis em mim, e tentando me beijar, a sorte foi um despertador que tocou , minha avó veio me chamar para ir à escola, e numa segunda vez, já adolescente, num assalto, fui obrigado a fazer sexo oral num cara, que depois descobrí interessado na minha namorada. Foi muito humilhante e sempre volta à mente, e , se fosse hoje , eu preferia ter reagido e morrido alí. Essa experiência mexeu comigo, e achei que tinha me afetado, e afetou mesmo, gosto de mulheres , sou casado , tenho um filho, e quando vejo notícias falando de abuso, me dá uma revolta tão grande , que eu tiraria a vida de um desgraçado desse se encostasse no meu filho. O medo da deputada tem fundamento, não tá de todo errado, pois por muito tempo os homosexuais foram vistos como marginais, promiscuos, e se querem corrigir isso , devem começar agora a se respeitar e respeitar à família tradicional , que é aquela que gera frutos. Ficar se beijando em lugares públicos é ruim até para heterossexuais, tem lugar certo prá isso. Para demonstrar carinho, em público, basta um olhar. Se sabem que incomodam, por que não evitar? Às vezes parecem provocar mesmo, pois por mais que queiram mostrar normalidade, isso não é o natural, “Deus” criou o sexo para reprodução, por isso é bom , se fosse uma experiência ruim , acabava o mundo, mas a reprodução só acontece entre sexos diferentes. Para a deputada , só posso dizer , que se ela for contra homossexuais , ela vai ofender muita gente , mas se for a favor, também vai…para uma boa convivência deve haver respeito de ambos os lados, e com limites…

  • Anedina de Paulo

    Quem esta mulher pensa que é ? Os homossexuais são pessoas maravilhosas, profissionais compewentes, são organizados , educados e extremamente carinhosos . Não é que eu apoie a homossexualidade , mas amo todos os homossexuais , oro por eles e torço muito para que sejam felizes.Democracia é isso , liberdade de escolha.Que vergonha de vc Mírian Rios!

  • Bruno

    O que dizer ? Pessoa sem crédito para opinar. Ignorante, e digo que pessoas como essas só tem esse poder de voz (e para dizer tais asneiras) porque a colocaram lá. Direita de c´ é rola. Racista, preconceituosa, tome ginkobiloba que é bom para memória, veja o que você mesma fez em seu passado e tenta argumentar mais alguma coisa(ex-roberto carlos, andré gonçalves, pelé). Pedófila foi você na minha infância naquela revista ” ELE” na qual ainda menino me acabava. Obrigado SENHORA MIRIAN RIOS por ter sido parte importante na minha infância.

  • madelon de souza

    todos os comentários atacam a Deputada grosseiramente mais os ignorantes já pararam para analisar a emenda da pec que ela está contestando. nesse país de pessoas não letradas, eu fico assustada com a importância que vocês dão para o modernismo e não se preocupam nem um pouco com o que realmente tem valor! família, filhos, dignidade,

  • NILTON DE SOUZA MORAES

    SOU PRIMO DE SERGIO SAMPAIO ROBERTO CARLOS GRAVE UMA MUSICA SUA