Santa Maria e a Lei de Murphy

Análise

Sempre que ocorrem tragédias como a que se abateu sobre Santa Maria (RS), parece que a sociedade descobre “de repente” problema que é antigo e para o qual, apesar dos precedentes, nunca ninguém jamais deu bola. Isso, porém, só ocorre porque tantas outras tragédias coletivas, oriundas de uma conjunção de fatores perversos, terminaram no ostracismo.

No entanto, estamos carecas de saber que tragédias como o incêndio na boate “Kiss”, na aprazível cidade gaúcha, são possibilidades vigentes em quaisquer espaços, abertos ou fechados, nos quais  grandes contingentes de pessoas se aglomeram.

Em 2004, em Assunção, no Paraguai, ocorreu um número parecido de vítimas em incêndio no supermercado Ycuá Bolaños. E as semelhanças não param no número de vítimas. Em maioria, as vítimas paraguaias morreram pela mesma causa que as gaúchas: asfixia.

O supermercado tinha três andares e um complexo comercial com restaurantes, escritórios e estacionamento subterrâneo. Houve explosões no primeiro andar. Como em Santa Maria, o pânico também tomou conta das pessoas. Os seguranças do supermercado, assim como se suspeita que possam ter feito os seus equivalentes gaúchos, fecharam as portas para evitar que as pessoas saíssem sem pagar.

A tragédia paraguaia foi um pouco maior do que a gaúcha. O relatório final das autoridades paraguaias confirmou 374 mortos, 9 desaparecidos e quase 500 feridos. A causa seriam instalações defeituosas para condutos de gás inflamável, que explodiu causando o incêndio.

Note, leitor, que se trata de estabelecimentos de naturezas distintas, com prováveis causas distintas, mas que, entre si, guardam uma semelhança fundamental: derivaram da tolerância com a falha, com a assunção de riscos “calculados”, conceito que está por trás da tragédia gaúcha, da paraguaia e de tantas outras por todo o mundo, desde casas noturnas, supermercados, cinemas e teatros  até hospitais, entre tudo mais que pode ser vítima da tolerância com o previsível.

Há, inclusive, epigrama da cultura ocidental que se tornou quase um lugar comum e que explica essa tragédia que ora se abate sobre o Brasil, mas que ocorre com muito mais freqüência do que supomos e com base nos mesmos fenômenos de incompetência e descaso administrativo e organizacional.

O que está na raiz dessas desgraças anunciadas é a inobservância da surrada “Lei de Murphy”, que reza que “Se qualquer coisa puder correr mal, irá correr mal”.

O Murphy que deu nome à teoria, para quem não sabe, é o engenheiro aeroespacial norte-americano Edward A. Murphy. Certa feita, encarregado de conduzir um teste de tolerância à gravidade por seres humanos, viu o experimento falhar devido a sensores que funcionaram mal. Isso ocorreu porque a instalação do equipamento foi feita de forma errada.

Frustrado, Murphy disse a frase que se tornaria célebre adágio: “Se esse cara tem algum modo de cometer um erro, ele o fará”. Dessa frase, decorreu a assertiva de que “Se existe mais de uma maneira de uma tarefa ser executada e alguma dessas maneiras resultar num desastre, certamente será a maneira escolhida por alguém para executá-la”.

E o que foi o desastre de Santa Maria se não uma tarefa mal-executada? A tarefa dos organizadores do evento, das autoridades locais e até da universidade que intermediou sua realização era “cercar” os fatores que poderiam dar errado. Ignoraram, pois, a boa e velha Lei de Murphy.

Nos próximos dias, confirmar-se-ão os absurdos da organização do evento de Santa Maria. O uso de “fogos de artifício” em um ambiente fechado é um absurdo tão grande que, só aí, já bastaria para definir o nível de desprezo por qualquer protocolo de segurança. Como um show tão concorrido (2 mil pessoas) é organizado sem que seus detalhes sejam submetidos à aprovação das autoridades?

Nem vamos falar da insuficiência das saídas de emergência ou dos seguranças que, sem instrumentos para saber o que estava ocorrendo do lado de dentro, possam ter impedido pessoas de sair. Há falhas muito mais óbvias, tais como o forro do ambiente, que, se obedecesse a normas de segurança exigíveis por lei, não pegaria fogo, pois deveria ser de material anti-inflamável.

Logo, portanto, surgirão propostas de novas leis e normas para os estabelecimentos comerciais e demais espaços que atraem grande afluxo de pessoas. Tudo bobagem. Não são necessárias. Regulamentação existe, e muita. O que não existe é cumprimento da regulamentação e, obviamente, fiscalização dessa regulamentação.

Há que refletir, pois, sobre como fazer para que espertalhões parem de correr riscos com a vida alheia ao ignorarem que deixar pontas soltas em questões como normas de segurança é certeza absoluta de que tragédias ocorrerão. E a melhor forma de desestimular esse tipo de mentalidade “empresarial” é punir exemplarmente quem a adota ou facilita.

73 comments

  • Pois é, Edu, o Brasil continua sendo o país do ‘jeitinho’, onde, para cada norma, para cada regulamento, sempre se encontra uma saída fácil, barata e definitvamente desastrosa para o interesse social. Aqui em Campinas a reinauguração do Teatro Castro Mendes foi conduzida pelo prefeito (graças a Deus não reeleito), apesar de ter sido vetada pelo Corpo de Bombeiros local. Vê se pode uma coisa dessas, logo o prefeito pondo em risco a vida da população. E assim vamos banalizando a vida (dos outros) em todos os espectros e campos sociais. Por falar em Campinas, toda hora vejo motoristas cruzando semáforos no vermelho e ‘quase’ atropelando pedestres. Andar de bicicleta? Um suicídio aqui também. Pois é, onde estão os fiscais de trânsito? Certamente, obedecendo a algum ‘jeitinho’ para não fiscalizar nada. Nosso Brasil, tão melhor hoje do que há 12 anos, ainda precisa de um novo espírito social, porque a lei do ‘levar vantagem em tudo’ nos envergonha demais e ainda mata muita gente.

  • Infelizmente Edu, geralmente autoridades e donos de estabelecimentos não querem GASTAR um pouco mais para dar segurança aos seus cidadãos e clientes, como você disse, leis temos muitas, mas muito poucas são devidamente obedecidas, precisamos cortar este circulo vicioso de desrespeitar as leis em pró de gastar menos e deixar a população em geral a mercê de autoridades e empresários que só pensam em resultados financeiros ou eleitoreiros, talvez quando isto finalmente serem resolvidos, quem sabe teremos muitos menos tragédias como esta ocorrida em Santa Maria, RS.
    Aproveitando quero cumprimenta-lo pela chegada de mais um neto e parabenizar seu filho e nora e também deixar meus sentimentos a todas as familias que perderam seus entes queridos nesta tragédia que jamais poderá curar as feridas da perda!
    abraços!

  • O Prefeito José Shirmer(PMDB)é que tinha que fiscalizar esta Boate Kiss,e esta estava com a licença vencida e os equipamentos anti-incêndios estavam vazios!Advinhem de quem a RBS afilhadinha da Globo e um advogado que estava dialogando com os caras do canal 40 da Globo,e a culpa foi direcionada para o Governador Tarso e a Presidenta Dilma,como é praxe!Que horor esta mentira !A Presidenta está a mais de 2000 kilômetros de Santa Maria e o governador Tarso a mais de 300 kilômetros!!!!

  • So posso me solidarizar com as famílias que perderam entes queridos,e deixar meu pesar.Eu que perdi minha mãe no final do ano passado em um leito de UTI ,sei o vazio,a dor que estão passando.Espero que em algum momento encontrem a paz,como encontrei e carreguem seus entes no coração,como carrego,de onde nada poderá tira-los de lá.

  • Eduguim, sabemos de sua coragem, mas assistir as globos sem cinto de segurança, é uma temeridade.
    Corrija essa bobagem global de parceria da UFSM com a casa noturna Kiss, pois só mesmo aquela dupla na globonews para não entender que o vice-reitor referia-se a parceria de alunos em ano de formatura com a casa noturna, bobagem reiterada durante todo o dia, até o reitor da Universidade, em entrevista noturna, explicar o óbvio, que a universidade não tem parcerias, formais ou informais, com casas noturnas.

  • Infelizmente haverá mais tragedias no Brasil, pois em todos os setores a corrupçao fala mais alto, como uma pandemia……exemplo: o Metro e as obras do Serra(principalmente a linha amarela…maior medo?) e do desgoverno de SP sao risco de vida 100%, e tem muitos prefeitos e governadores que economizaram muito dinheiro para os seus bolsos, com obras superfaturadas com materiais de pessima categoria, entao tem bombas em todos os lugares, nao só nas boates, shopping, supermercados, teatros, cinemas, templos religiosos, postos de gasolinas, escolas, faculdades, universidades, estradas, pontes, linhas ferroviarias, avioes com manuntençao precoce, onibus, caminhoes, linhas de transmissoes da CESP, CEMIG e etcs. Se tivessemos um CORTE DE JUSTIÇA tudo seria diferente, mais como há muitos bandidos de Toga no Podre Judiciario, isso vai se repetir, pois se alguem for preso? sera a faxineira ou o segurança, nunca o patrao…… é coisa feia…, haja mortos!!!. revoltante, revoltante

  • Espero que o PIG não venha atribuir a culpa do incêndio a Lula, como fizeram com o acidente da TAM. Está até demorando, mas qualquer hora, um individuo vai criar a tese de que foi Lula que colocou fogo na boate.

      • Pois é, Edu. Acabo de ver o Fábio Pannunzio na Band elogiar a ação e coordenação entre os governos Federal, do RS e a Prefeitura de Santa Maria, mas sem deixar de atacar o Lula, completando que desta vez foi “bem diferente do acidente com o avião da TAM em 2007, quando o Governo FEDERAL só se manifestou depois que entidades estrangeiras declararam solidariedade ao Brasil. Até que isso acontecesse, o Governo agiu como se nada tivesse acontecido.”

        • Mas é que dá gosto ter uma Presidente que, numa hora terrível com essa, não se importa em associar sua imagem à “coisas negativas”, estratégia de marketing político que alguns governantes já adotaram neste País.

          Certos Presidentes fugiram desse tipo de tragédia como o diabo fugiria da cruz.

          Dilma largou tudo que estava fazendo e correu a oferecer conforto às famílias de Santa Maria, assim como já o fizera com as vítimas do atirador do Realengo.

          Atitudes deste tipo diferenciam o estadista do simples político.

          PS1: sei que não voltarei a ser petista, mas estou a um trisco de virar Dilmista.

          PS2: moramos num País onde ocorrem 50 mil homícios por ano e não há pânico por isso. Parece normal que nos matemos. Definitivamente não respeitamos a vida humana no Brasil, e só isso pode explicar que os campeonatos estaduais não tenham sido suspensos neste domingo como demonstração de respeito pela morte de tantos compatriotas.

        • Esse Panuzzio deve ter Síndrome de Estocolmo: teve o blog fechado pelos Tucanos e mesmo assim ainda faz o jogo deles…É a definição perfeita do termo ”mulher de malandro”.

    • E a última palavra será da globo… está publicado nos portais da rede globo que TODOS os telejornais da empresa no dia de hoje serão televisionados a partir de Santa Maria . Está podendo, tb com aporte de 60%de verbas públicas até eu…
      Tarso Genro que fique esperto!

    • Reinaldinho Cabeção de [email protected] já começou criticando Lula por emitir nota de pesar em função da tragédia…Bom pra eles foi o (s)Ociólogo que na época do acidente da P-36 estava fora do Brasil e só se manifestou 2 dias após a tragédia

  • Punir exemplarmente? Sim! É o que esperam as tantas famílias envolvidas. Mas tanto quanto em um acidente aéreo, punições não servem para nada! Cultuamos um mundo imbecil do advogado (data venia) em detrimento de um mundo informado, sério, coerente. Assim como nos acidentes aeronáuticos, em que as ameaças retornam posteriormente, quando não há mais a pressão “popular”, o comportamento dos jovens, adolescentes, continuará inalterado: a busca imediata da felicidade, ou na melhor das hipóteses de um momento de felicidade (esta última opção seria um avanço sociológico). O que deveria realmente mudar, continuará o mesmo; que é a cultura do imediatismo, da vantagem em tudo, do querer ser feliz em detrimento de todo o resto. Esta perseguição parva da felicidade, que faz com que os jovens admirem um inferno como o de ontem.
    Não é, enfim, a justiça que impedirá outra tragédia destas, mas a educação, o conhecimento, a cultura. Um paradigma novo, diferente, que afaste os jovens da idiotice destes eventos, que os afaste da desvalorização da vida em prol do dinheiro, e que, sobretudo, impeça os adultos malevolentes de se locupletarem com a ignorância juvenil.

  • Nossa, Eduardo, eu tava meio esperando-meio rezando que voce nao visse ou lesse essa noticia pra nao estragar sua excelente noticia familiar do post previo! Sinto muito que voce a viu exatamente hoje, francamente!

    Abracao!

  • Prezado Edu, não precisa publicar essa mensagem. Queria apenas dizer que já pela segunda vez leio a expressão “se tratam de” em seus textos, quando o correto é não flexionar o verbo: QUE SE TRATA DE ESTABELECIMENTOS”.

  • Eu sinceramente espero que o que muita gente disse após o julgamento do mensalão seja realmente verdade. Que é “o início do fim da impunidade no Brasil”. Os donos da Boite serão presos? Os produtores do show serão responsabilzados?
    Ou, como toda tragédia causada pela ganância irresponsável de empresários, depois da comoção vem o esquecimento, a atenção da mída se desvia para outra coisa, e por falta de pressão da “opinião pública”, a justiça volta ao seu ritmo “normal”?
    Gostaria de acreditar na primeira hipótese, mas está difícil. Nunca vi a ganância criminosa do capital ser punida no Brasil

  • Eduardo

    Não há lei de Murphy no Brasil: pelo contrário, Deus é brasileiro e nos protege de nosso próprio “jeitinho”.

    Só isso explica que não tenhamos mais desgraças como essa.

    Todos os finais de semana, milhares de casas noturnas expõem seus frequentadores a tragédias como a de Santa Maria. Desde os barracões onde a periferia dança seu funk, até os barzinhos com bandinhas da luxuosa Henrique Schaumann em sampa.

    Locais apertados, super-lotados. Algumas casas enchem o ambiente com aquela maldita fumaça que lembra sauna para dar um “efeito” perto do palco. Todos bêbados. No máximo duas portas, mas com catracas (imagine passar por catracas num incêndio…).

    Já fui em baladinhas onde tínhamos que manter os braços levantados para poder beber, tamanha lotação (como um metrô no rush, sem exageros).

    Descobri que estava ficando velho e parei de frequentar tais baladas quando não tinha mais fôlego pra ficar lá dentro.

    Acredite em mim: se os órgãos de fiscalização levassem a ferro e fogo seu mister, e cumprissem à risca a legislação e normas técnicas de segurança do setor, 95% dos estabelcimentos desse tipo seriam fechados no Brasil.

    • Concordo, eu posso enumerar vários lugares iguais à danceteria Kiss, aonde se ocorrer um incêndio seria o mesmo desastre e pelas mesmas causas. Mas sabe como é, dinheiro vêm antes de vidas humanas.

  • Ocorrências como essa nos mostram o quanto ainda temos de avançar e evoluir, para que nos tornemos efetivamente um “país sério”… O grande culpado por essa tragédia é o famigerado “jeitinho brasileiro”; o hábito nacional de driblar e menosprezar as normas; governo e povo brasileiro ainda têm muito a amadurecer… Que essa tragédia, ao menos, sirva como aprendizado.

  • Não há necessidade de novas leis, mas que se cumpram as existentes. Infelizmente, as prefeituras e os governos dos estados fecham os olhos para isso, porque se fizessem a fiscalização necessária nenhum show seria autorizado, nenhuma boate ou casa de espetáculo funcionariam porque promotores de shows e donos de estabelecimentos estão pouco se importando com segurança que para eles representam despesas.

  • O pior é ver a direitalha canalha já querendo explorar a tragédia politicamente: Reinaldinho Cabeção de [email protected] já está criticando adivinhem quem??? isso mesmo: Lula!!!!

    Simplesmente pelo fato de Lula ter divulgado uma nota oficial de pesâmes aos familiares da tragédia, dizendo que Lula não pode fazê-lo por não ter mais ”cargo público”

    Pro Reinaldinho bom mesmo foi o (s)Ociólogo que no acidente da P-36 estava fora do Brasil e só se manifestou quase 2 dias após a tragédia.

    Ora, Lula se manifestou como qualquer cidadão sensibilizado com essa tragédia. Se fosse assim, artistas, esportistas e demais cidadãos não poderiam se manifestar, somente quem tem ”cargo público” pode fazê-lo…

    É muita canalhice, se esse mundo fosse realmente justo, quem era pra estar lá ardendo em chama seriam outras pessoas (?) que estão fazendo uso poltico dessa tragédia…

    • A Veja, através do Reinaldo”Escaravelho”Azevedo, está querendo instituir a LEI DA MORDAÇA , para atingir o ex-Presidente Lula e Família. Por essas e outras, que a credibilidade junto a assinantes/leitores, está em queda livre. A prova da minha afirmação, é que estão oferecendo até 50% de revistas de graça para incentivar as pessoas que não estão querendo renovar a assinatura da referida revista.

    • Um tal de Pedriali, de O Diário de Maringá, que só se refere aos petistas como “petralhas”, escreveu a mesma coisa. Será que copiu o outro colega, será que foi copiado? porque o comentário é o mesmo.

      • Agora vem o canalha (não há outro adjetivo para qualificá-lo) do Noblat publicar uma charge do Chico Caruso (outro canalha) onde se faz uso politico da tragédia…. Será que esses abutres nasceram de chocadeira? não tem famila? é essa a liberdade de imprensa que esses monstros defendem?

  • caro Edu, desculpe pela sumida que dei no seu blog… está na hora das autoridades públicas e empresários de casas de shows adotar o FMEA (Failure Mode and Effect Analysis – traduzindo: Análise do Tipo e Efeito de Falha) para evitar que ocorra esta tragédia em Santa Maria – RS.

    o FMEA, metodologia utilizada nas indústrias automotivas e de autopeças, é uma ferramenta que busca, em princípio, evitar, por meio da análise das falhas potenciais e propostas de ações de melhoria, que ocorram falhas no projeto do produto ou do processo. Este é o objetivo básico desta técnica, ou seja, detectar falhas antes que se produza uma peça e/ou produto. Pode-se dizer que, com sua utilização, se está diminuindo as chances do produto ou processo falhar, ou seja, estamos buscando aumentar sua confiabilidade.

    fica aí a sugestão… abraços meu amigo !!

  • Não posso deixar de pensar nas verdadeiras causas de tragédias como a de Santa Maria. A busca de lucro a todo custo, o interesse maior pelo bolso das pessoas e não pelo serviço a lhes prestar.
    Este comportamento é o que se percebe a todo momento nos mais diversos ramos de negócios. A burla à vigilância sanitária por parte de restaurantes e lanchonetes, o terço de medicamentos falsificados vendidos como bons, a atuação dos meios de comunicação e agências de publicidade que buscam idiotizar ssua assistência com manipulações, sensacionalismos, farsas.
    Enfim, uma, dita, “casa de espetáculos”, que recebe mais de mil clientes para lhes tratar como de resto são tratados genericamente pelos comerciantes e pelas indústrias: como tolos.
    Só há uma solução a curto prazo para sanar esta situação:
    Estado,Estado e mais Estado.
    A formulação de leis e mais leis de proteção ao cidadão e ao consumidor, sem o devido aparelho de fiscalização e punições exemplares, só desmoraliza o Estado e nos humilha todos os dias.

  • Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2013

    JOVENS DE SANTA MARIA (Cláudio José)

    Jovens de Santa Maria que partiram tão cedo
    Jovens na flor da mocidade e da felicidade
    Como explicar e tirar essa dor de pais e amigos?
    Só com Deus no coração, para amenizar esse enorme sofrimento
    O Brasil e o mundo, chora e sofre com essa cruel tragédia
    Em minutos sonhos e vidas se foram, e não vão mais voltar
    Em minutos pela ganância dos homens, os sonhos se acabaram pelo fogo
    Jovens de Santa Maria o céu os recebeu, e a mãe de Jesus agora dá o colo
    Jovens de Santa Maria os finais de semana, já mais serão igual aos outros
    O Brasil está de luto e o mundo mais triste, e eu chorando e rezando por vocês.

  • caro eduardo lamentavelmente esta e mais uma tragedia provocada e mais permitida pelas as autoridades locais que deveriam terem lacrado aquele local para qualquer tipo de festa se eles nao tinha alvara para funcionamento era para estar feichado se formos procurar culpados os primeiros sao os administradores publicos do municipio que tambem devem serem indiciados por negligencia em suas fiscalizaçoes nos brasileiros infelismente temos que continuar sofrendo juntos com todas estas familias que perderam seus entes queridos com esta tremenda dor este tipo de festividade nao podem existirem mais em lugar totalmente feichado como foi o caso desta boate em santa maria com tanta gente em um local tao apertado como aquele que so existia uma entrada e a mesma era a saida que Deus comforte estas familias por tamanha dor e que os culpados sejam eles quem for sejam punidos severasmente para que sirva de exeplo este pais precisa crescer e acabar com estas ipunidades de uma ves por todas que Deus esteja amigo com estes pais que estao sofrendo esta dor tremenda esta dor que vem ao nosso encontro por sermos dotados de sentimos do amor ao proximo que Deus esteja com todos e conosco hoje e sempre.

  • Edu, meu filho Mateus que nasceu em Santa Maria, está na cidade, visitando seu pai e irmãos. Ontem quando acordei e vi as primeiras notícias, não conseguia acreditar. Liguei para meu filho que não atendeu o celular. Liguei então para o pai dele, que me garantiu que todos estavam bem, estavam em casa. Falei com meu filho, me disse que na noite anterior tinha ido nesta boate. Quando vi o comentário de um bombeiro que os celulares tocavam sem parar no bolso dos jovens mortos, agradeci muito a Deus por ter me poupado desta dor. Agradeci porque meu filho, seus irmãos e primos não estavam entre eles. A alegria de saber que estão bem se mistura com esta imensa tristeza por todos estes pais que procuravam por seus filhos. É muito triste.

  • Tragédia devastadora. Assim como foi davstadora perante a boa fé do pública a forma como a rede Globo local, a RBS, tratou de evitar colocar em cena a municipalidade. Nem uma entrevista séria com o prefeito reeleito de Santa Maria, Cezar Schirmer (que disputou com o PT a Prefeitura da cidade) questionando sobre o descuido na aplicação e monitoria do conjunto de normas do Código de Posturas que regulam a utilização do espaço urbano . O jornalismo investigativo da RBS também não encontrou os proprietários da Kiss. A associação do desastre foi mantida exclusivamente com relação às vítimas (músicos e frequentadores da casa), e aos governos estadual e federal. Sobre as responsabilidades da Prefeitura de Santa Maria nem uma linha nos destaques. Desrespeito frente às familias que sofreram as perdas e frente ao público em geral, escamoteando responsabilidades. Uma lástima!

  • É o que acontece quando se deixa que “empresários” façam o que bem entendem. Essa turma trata os seus clientes como “gado”, aonde o show, os eventos promovidos são feitos da forma mais apressada e irresponsável possível para dar o máximo de lucro e aonde a segurança física do “gado” vêm em último lugar.

    Eu conheço aqui aonde eu moro mais de um lugar similar à esta danceteria, aonde as pessoas se amontoam ao ponto de mal ser possível se mexer e aonde não teria para onde correr se houvesse um incêndio. Mas acham que vão tentar resolver o problema, quando isso implica em reduzir os lucros?

    Não vão.

  • Espero que não tenhamos que assistir outras tragedias para conter a ganância dos donos de shopping centers.

    Aqui, no Rio, no verão onde os aparelhos de ar condicionados trabalham com carga maxima e as instalaçãoes eletricas também, os corredores são tomados por quiosques que impedem a evacuação em caso de incêndio. Predios como os do RioSul , Botafogo Praia Shopping, Norte Shopping, Tijuca etc ficam com corredores mínimos superlotados e sem saída adequada para a rua. Após o habite-se e liberação pelos bombeiros tudo é alterado em nome da ganância.

  • Edu, li quase todos os jornais dos países vizinhos e os comentários são unânimes em elogiar o comportamento da presidenta, a qual abandonou a cúpula e veio prestar solidariedade aos familiares das vítimas. No máximo, aqueles que não elogiavam, escreveram que Dilma fez o que cabe ao seu papel de chefe da nação. Adivinha onde estão os comentários mais raivosos e as piores críticas? Justamente nos meios de comunicação do Brasil….

  • Agora, “rigorosas investigações” Brasil afora. A maioria será fechada pois não passam de ratoeiras iluminadas. Seus proprietários entrarão na Justiça com liminares, que, claro, serão concedidas e as ratoeiras continuarão funcionando.

  • Uma declaração que foge um pouco ao tema da podridão da mídia, é o fato do sofrimento dessas famílias com a perda de seus filhos. Tenho um filho de 17 anos estudando lá, eu moro em Torres, e quando fiquei sabendo da tragédia, tentei desesperadamente ligar para ele, mas o congestionamento das linhas não possibilitaram esse contato e a mensagem dizia apenas “telefone fora da área”. Foram as piores horas da minha vida. Isso sem falar que liguei para o apartamento que ele divide com outros estudantes e esses, meio vacilantes, informaram-me que ele tinha saído no dia anterior e não tinha dormido em casa. Pensando nisso, imagino que foram apenas uma ou duas horas, e as famílias carregarão essa profunda e dilacerante tristeza pelo resto de suas vidas. Um amigo que ajudou no atendimento ainda no local, disse que tocavam vários celulares junto aos corpos dos jovens mortos, dá para imaginar coisa mais aterradora do que isso para tais famílias. Inclusive esse médico encontrou o próprio filho entre os mortos. Eu que levei apenas um susto, ainda sinto um nó na garganta até agora, simplesmente lamentável.

  • Estou contigo, Eduardo. O pior foi o show pirotécnico em ambiente fechado, nunca tinha visto isso. Será que quem faz esse tipo de show não é inteligente pra saber que o perigo existe ou é simplesmente irresponsável?

  • EDU, realmente existem ainda, no país, algumas área que precisam fechar e começar tudo de novo. Eventos em locais fechados é um deles. Aqui incluo os Shopping Centers. Nessa tragédia observa-se a sequencia e acumulo de erros. Construção com apenas uma saída, local de fumante fechado, extintores vencidos, acender sinaleiro em local fechado e por pessoa sem autorização, materiais de decoração inflamáveis, seguranças sem treinamento, lotação acima do permitido, alvará vencido. Outras irregularidades poderiam ser listadas mas pra mim já basta. O Governador e o Prefeito de Santa Maria deveriam demitir sumariamente e processar os responsáveis mas não só os donos. Engenheiro, Corpo de Bombeiros, Setor de Alvará da Prefeitura, Fiscais, todos deveriam ir pra rua e sem direitos trabalhistas pois a negligência foi grande e geral. Meus sentimentos às famílias e fica o pedido. Pais, perguntem a seus filhos, se diálogo tiverem, se o local em que vão possui o mínimo de segurança? O mais importante para os pais não é a ida a eventos mas a volta. Todos queremos nosso filhos de volta.

  • Concordo com seu post!

    A consequente politização da tragédia que vem no rescaldo é lamentável e deploravel.
    Mas tb isto faz parte de nossa cultura.
    Fizemos isto na P36, na Serra do Rio, no desastre da TAM com top-top oficial, nos prédios do Naji Nahas, no menino que foi arrastado por kilómetros no Rio, etc.etc.
    Falemos daqui a 3 anos e veremos, quantas culpados foram indiciados e condenado, e quantas famílias receberam indenizações.

    Pq o que é realmente preciso é parar com jeitinho, corrupção e outras leviandades, e aplicar a lei.

    • É de uma canalhice sem limites o que a imprensa está fazendo: já não basta a baboseira vomitada por Panuzzios e Azevedos e agora vem essa do Caruso, corroborada pelo Noblat.

      Será que se fosse algum parente deles ali ardendo em chamas eles fariam piadas do fato só pra atingir o governo federal? Começo a acreditar que sim , visto que esses seres viventes (me recuso a chamá-los de gente) não tem o menor resquicio de escupúlo ou de ética….

      • Quando Hitler mandou bombardear Guernica, num acordo com os franquistas, estava a testar, numa manobra real, a capacidade destrutiva de sua estrutura bélica.

        Mal comparando, o que essa charge expõe, em meu entendimento, é até onde vai a capacidade do (e)leitor em aceitar as futuras e piores ações de uma mídia golpista que partiu, definitivamente, para o tudo ou nada.

  • li um comentário de alguém indignado, que espera que os resposáveis sejam punidos:…Você declara seu IR corretamente?- Você cumpre com suas obrigações trabalhistas para com sua empregada? Voce dirige sabendo que tomou só uma latinha, mas que não é correto?, você ultrapassa pelo acostamento para ganhar tempo?, você entrega sua conta para seu amigo pagar na fila do caixa de um banco?, você oferece 100,00 tentando subornar o guarda rodoviário?,….PENSE…. Somente pessoas corretas, podem exigir o que é correto…..DEUS QUE ME PERDOE…….QUE ABENÇOE OS INJUSTIÇADOS…..

  • Ainda estarrecido com o festival de barbaridades que apareceram na dita ”grande midia” no dia de hoje, preparo o estômago para os próximos dias: amanhã virão MerDal Pereira e Eliane Tucanhaede, com certeza culpando Lula por tudo…Daqui a uns dias a tragédia virará piadas em humorisiticos…é esperar pra ver… Ai eu pergunto: é essa a liberdade de imprensa que esses canalhas defendem? capaz até de tripudiar em cima de uma tragédia…

  • se houvesse uma lei que obrique publicar os alvarás
    com os nomes e assinaturas de quem vistoriou, quem aprovou etc
    talvez as pessoas responsáveis seriam mais criteriosas nas aprovações.
    abraços

  • Sem dúvida, houve diversos fatores que contribuíram para o desastre. Não há como subtrair a culpa dos organizadores da festa e os donos da boate. Forro que pega fogo, fogos de artifício no palco, uma porta de saída, já são riscos gravíssimos.

    No mais, é aguardar as investigações, pois há informações desencontradas. Uns dizem que os seguranças impediram a saída, outros garante que não. Uns dizem que a boate estava funcionando sem alvará, outros dizem que um juiz teria dado uma liminar para o funcionamento.

    O que não se pode fazer é mentir para a população, como a Globo News fez, colocando um “especialista” dizendo que o alvará é expedido pelo governo estadual. Aí já entra a politicagem.

    • Um adendo: um bombeiro comentou que muitos estabelecimentos fazem o seguinte: se preparam direitinho para a vistoria, recebem o alvará (pois todos os itens exigidos estão ok) e, depois, alteram totalmente o local para sua conveniência.

  • É isso aí. Dramas como esse atingem o Brasil e o mundo. Porém teto de igreja desaba na cabeça de fieis, tumultuo em rodeios deixam pisoteados em Parques de Exposições, desabamento de arquibancadas em estádios de futebol, barcos que afundam no Rio Amazonas e em Copacabana são coisas nossas. Tragédias como essa ocorrem vez por outra, ou melhor, quase sempre, diariamente, com mais ou menos mortos e feridos. De comum, o desleixo dos “empresários” e “organizadores”, e, via de regra, o silêncio conivente das “autoridades” locais. Não foi a primeira vez que usaram pirotecnia em locais fechados, nem será a última. A estupidez humana é infinita. A capacidade de desrespeitar o óbvio é sempre siderúrgica. Vamos esperar sentados mais outra tragédia que se sucederá, pois o esquecimento e a impunidade são o maiores combustíveis para a falta de bom senso que permeia algumas atividades empresariais, especialmente nesse ramo do “entretenimento”.

  • Esse acontecimento mostra o quanto “alguns” empresários nacionais estão esquentando a cabeça com a vida humana. Sempre dão um jeito para gastar mais e maximizar seus lucros a qualquer preço. Mais traumatizante foi a charge do Chico Caruso (acho que seria mais apropriado o chamar de ex-chargista) divulgado pelo “nobre” Ricardo Noblat. É o puro exemplo de falta de comprometimento com a vida humana, ainda pior, tentando ligar a tragédia à Dilma e ao PT. Aí fala que ninguém entendeu a charge! Bando de pilantras e insensíveis. Blogueiro (Ricardo Noblat) e chargista (Chico Caruso)!

  • A tragédia abalou a todos, porém, li algumas coisas no twitter que são de estarrecer quase tanto quanto a tragédia. O twitter dessa pessoa @Liane_LC chega a ser surreal, inacreditável. Desculpe o momento, mas estou chocado com a tragédia e inconformado com a imbecilidade dela, precisava compartilhar isso.

  • Edu, olha o que o noblat respondeu a uma leitura que ficou indignada com a charge de extremo mal gosto do caruso:”Os que criticam a charge do Chico Caruso perderam o bom senso, a se levar em conta a violência com que escrevem. O que a charge tem de chocante, de desrespeitosa com quem quer que seja? Dilma pôr as mãos na cabeça e dizer “Santa Maria”? Isso é um absurdo? Só enxerga nisso uma crítica à presidenta os fanáticos políticos de plantão. Aqueles que politizam tudo. Os que alugaram sua pena e sua mente a interesses partidários. Dilma não faz política quando grita “Virgem Maria”. Nem a charge sugere isso. Dilma revela seu desespero. Sua inconformidade. Que é nossa também. Ela não tem culpa alguma pelo que aconteceu. Foi solidária com todos os que sofrem. Esteve em Santa Maria. Sinceramente se comoveu com o que viu. O que tem mais na charge? A boate transformada numa prisão? As janelas gradeadas? As mãos crispadas dos que ali ficaram retidos clamando por ajuda? Mas não foi mesmo numa prisão em que a boate se transformou? Numa armadilha? Numa ratoeira? Perdão, mas vcs não sacaram nada, nadinha. Noblat”

    Simplesmente bizarro!

  • Será que as normas vigentes dão conta do recado e só falta mais fiscalização? Hoje, 28/01, num programa matinal da Record, um bombeiro de Santa Maria era entrevistado e dizia que as normas brasileiras têm que mudar, pois a boate Kiss atendia a tudo o que as normas exigiam. Disse que pediu para colocarem mais saídas de emergência, mas que a solicitação dos bombeiros só seria atendida se o empresário quisesse, pois a boate, tal e qual estava, atendia ao exigido pelas normas. Os proprietários não atenderam à solicitação.

  • Conheço um caso em que o pai deu um potente carro para o seu filho tão logo ele obteve habilitação.

    Dois dias depois o garoto estava morto dentro de um túnel aqui no Rio, tendo perdido o controle do veículo em alta velocidade e se arrembetado todo contra as paredes do túnel.

    O carro foi fabricado cumprindo todas as exigências, o túnel foi construído pelas melhores técnicas de engenharia – tudo dentro dos conformes

    A dor dos pais é indescritível. Além da morte do filho vivem com um enorme sentimento de culpa.

    O filho foi irresponsável, achando-se, como próprio da idade, um imortal. Os pais também foram irresponsáveis por não entenderem que o filho ainda se achava imortal.

    Talvez não seja hora de trazer outros atores para discutir as questões de responsabilidade da tragédia da boate Kiss. Mas penso que, ainda que a mídia querendo sangue e vinganças não vá permitir, a responsabilidade destes próprios jovens e de seus familiares também tem que ser verbalizadas.

  • Falou e disse tudo Eduardo.

    No Brasil, não faltam leis, regras ou normas. O que falta é castigo severo. Castigo para quem não cumpre as leis, e mais castigo para quem possibilita o seu descumprimento.

  • Srs., na opinião deste modesto eletricista que vos escreve, tudo está relacionado ao que Eduguim citou como ‘riscos calculados’.
    Não se trata deste caso, mas todos sabem que grande porcentagem das causas de incêndios está diretamente ligada a problemas com fiação elétrica, dispositivos eletricos mal instalados, projetos deficientes, etc.
    Bem, riscos calculados são a desculpa preferida de 11 a cada dez empresários inescrupulosos. O (último) acidente da TAM não me deixa mentir. O reverso da turbina foi travado num claro ‘risco calculado’.
    Em minha profissão tenho lidado com este tipo de situação, onde certos ‘empreendedores’ forçam a barra pra não gastar nada além do estritamente necessário. Afinal ‘ninguém abre negócio pra gastar, só pra lucrar’.
    Semana que passou fui chamado para dar um parecer sobre o que deveria ser feito nas instalações eletricas do palco de uma danceteria aqui da minha cidade, e pude comprovar o ditado que diz que ” de noite todo gato é pardo”. Traduzindo: com o teto e as paredes pintados de preto fosco, e com a iluminação usual destes ‘ambientes’, o cidadão normal não consegue ‘enxergar’ a quantidade colossal de gambiarras escondidas atrás de painéis, paredes falsas, algumas até feitas de tecido (imaginem!). Já com a luz do dia a história é outra: tomadas com terminais arregaçados, plugues com capas derretidas, fios de bitola inferior á correta, disjuntores ‘travados’ com palitos de fósforo, emendas nos fios sem isolação e por aí vai.
    E se alguém pensa que minha lingua só é ferina aqui atrás do teclado, se engana.
    Imediatamente tratei de desqualificar (uma palavra até meio fraca para isso) a tal instalação e propor o que seria correto do ponto de vista de algo eficiente e acima de tudo seguro, no que fui prontamente acatado pelo funcionário, que já agendou dia e hora para a execução do serviço.
    É óbvio e ululante que para o funcionário tudo aquilo é de vital importância, já que na hora do ‘pega pra capar’ é ele quem vai sifu…
    Só que na hora do ‘vamo ver’, o tal ‘empreendedor’ deixou pra ‘outra ocasião’.
    Resultado: mais uma ‘casa de espetáculos’ prontinha pra levar pro caxaprego o meu, o seu, os nossos entes queridos, sem mais delongas e sem nenhum remorso.
    E vai lá na prefeitura, corpo de bombeiros, defesa civil ou o que seja reclamar….
    Cidade pequena é, como diria Fócrates, soda!
    Em tempo: usei apóstrofos de montão, mesmo. Infelizmente, é tanta coisa errada que a gente tem de destacar e demonstrar uma boa dose de ironia.
    Eduguim, um abração e beijos na Victória!

  • Eduardo, concordo plenamente com o artigo. A Lei de Murphy como a Lei da Gravidade e outras, são parte do universo.
    Concordo também que não precisamos de mais legislação e sim do cumprimento da que existe. Cumprimento e não preenchimento de papéis que é o que mais vemos.
    É certo que usar fogos de artifíco em ambiente fechado é por si só uma loucura mas, até que ponto, o agente de palco produziu e o jovem cantor podem ser responsabilizados se por suas idades podemos supor com razoavel dose de certeza, serem os dois, entre tantos, jovens imbecilizados deformados por uma educação que deixa a desejar e por uma imprensa que glorifica os imbecis. Quanto ou tanto mais imbecil, maior será seu destaque!
    Outro aspecto, a ignorância, a cupidez pelo lucro fácil e a corrupção, são aspectos relevantes nestes casos.
    Ignorância dos proprietários sobre os riscos e consequências, uso de materiais baratos muito aquém do desejado no aspecto segurança e a corrupção ativa sobre os agentes de fiscalização que em troca de um vale “boca livre” atesta que tudo está em ordem.
    Acabo de ouvir no noticiário da noite que o prefeito de São Paulo reuniu-se com seu staff para avaliar estes casos e a conclusão foi que não será necessário alterar nada pois as normas do município de São Paulo impediriam que fatos como este ocorram em São Paulo.
    Pois bem, aposto com quem quiser, qualquer quantia que se for composta uma turma de especialistas probos e forem feitas vistorias neste tipo de casa em São Paulo, seguramente, quase a totalidade seria impedida de funcionar.
    Eu mesmo já estive em recepções e casamentos neste tipo de casa e foram usados fogos de artifício. O comandante do Corpo de Bombeiros deu declarações no dia de hoje sobre a proibição vigente em São Paulo com relação ao uso de objetos que produzam fogo, faisca, luz etc. Citou inclusive decreto assinado pelo governador. Temos ai a velha hipocrisia, no papel tudo está dentro da lei!
    A ganância dos empresários é que leva algumas casas a terem portas comandadas por cartões magnéticos que são habilitados depois que o conta for paga.
    Em caso de emergência…!!!!
    Acidentes e tragédias como esta ocorrem em todo lugar, são decorrentes do tipo de vida mas, como já ocorrido em outros países e como o de domingo passado decorrem muito mais da ganância e corrupção.
    Também das pessoas que frequentam estes lugares, não dão a mínima importância a nada nem pensam ou avaliam os riscos que uma bela noitada pode trazer.
    Quase sempre não acontece nada…………algumas vezes…………..

  • Edu, vamos fazer um cálculo macabro. Quanto havia de dinheiro no bolso de cada um dos mortos? Se se considerar que eram de classe média eu diria, no mínimo, que R$100,00/cada. Onde foi parar essa grana? Isso sem falar nas joias. Esta abordagem ainda não foi ventilada nas emissoras de tv ou nos jornais. Será investigado? Eu sou cético quanto a isso. Quanto a charge e o comentário do rola-bosta já era de se esperar. Dessa turma só sai isso. Novamente, meus sentimentos às famílias das vítimas.

Deixe uma resposta