Procura-se um analista político “imparcial”

Crônica

Uma de minhas maiores frustrações é não poder encarar o que considero um dos maiores desafios do homem em qualquer época, o de ser capaz de analisar qualquer coisa com base exclusivamente nos fatos, sem deixar que suas idiossincrasias – desejos, ambições, preconceitos, rancores ou amores – interfiram.

Para explicar por que não posso encarar tal desafio, tomemos a política contemporânea no Brasil como exemplo. Antes de analista político, sou um cidadão. Escrevo um blog intitulado pelo conceito imperioso de exercício da Cidadania.

Ora, exercer a cidadania é, sobretudo, tomar partido de um conjunto de ideias e ideais a partir dos quais aquele cidadão acredita que conseguirá melhorar o seu país. E para fazer prevalecer esses valores em uma democracia, só através de partidos políticos. Sem eles, a democracia simplesmente não existe.

No caso da conjuntura política brasileira, na qual vige um clima maniqueísta entre “tucanos” e “petistas”, fica difícil ser “imparcial”. Basta ir a qualquer blog ou site político da internet e analisar os comentários. Há uma vontade de um lado destruir o outro.

Quantas vezes você leu que os “tucanalhas” ou os “petralhas” são o mal encarnado e precisam ser extirpados da vida da nação? Chegam a pregar a prisão daqueles de quem divergem. Em alguns casos, já vi pregarem até a exterminação física.

Entre a direita midiática e a centro-esquerda “petista” só falta haver enfrentamentos físicos nas ruas, coisa que já acontece em países como a Venezuela, por exemplo, onde as pessoas se atracam e até trocam tiros por política, sejam chavistas ou antichavistas.

Apesar da quase inviabilidade da “imparcialidade” em um quadro como esse, parcela imensa do jornalismo nacional vive de namoro com ela, amante que corteja o tempo todo mas que trai em cada viés parcial que tenta contrabandear em textos ou na oratória julgando que ninguém irá notar.

Não é nem culpa dos jornalistas. Muitos deles nem agem assim conscientemente. A culpa é do caráter escandalosamente parcial que os donos dos grandes órgãos de imprensa imprimem a eles. Essa parcialidade mal disfarçada exacerba os ânimos e cria um clima propício ao sectarismo.

Se a grande mídia abandonasse o engajamento político-partidário-ideológico ou se ao menos o reduzisse a níveis aceitáveis, este blogueiro enveredaria pela seara da imparcialidade, pois gostaria muito de provar a si mesmo que é capaz de ser imparcial.

Enquanto o milagre da tomada de consciência pela mídia não vem, se não posso ser imparcial ao menos quero, em benefício do leitor, esclarecer que tenho lado, sim. E recomendar que você que me lê desconfie de quem disser que não tem. Simplesmente porque essa pessoa estará tentando lhe passar a perna.

113 comments

  • Eu não sou filiado a nenhum partido mas torço pelo governo atual por ser o que de melhor aconteceu para o Brasil e para o mundo. Enquanto tentarem dar golpes, seja por que meio for, estou na fileira defendeno o estado de direito. Eu também gostaria que as coisas fossem amenas para poder apostar em outras cabeças, mas enquanto continuar a atual conjuntura, vou ter que sustentar quem está no governo.

  • Eduardo o homem até pode ser parcial, mas as instituições não. Um jornalista pode ser imparcial, o jornal, não. O Merval, o Noblat e a Miriam podem ser parciais, mas O-A Globo não pode. O Homem até deveria ser imparcial ou pelo menos buscar a ser imparcial e se não consegue é da natureza humana.

  • Imparcial foi o belíssimo trabalho que vc publicou ontem, Edú, reproduzindo notícias da Folha (logo da Folha!!!) sobre o caos econômico que existiu nos anos FHC. Ali estão fatos, já parte da História, que independem de opinião ou parcialidade: basta ler e recordar.
    Qualquer argumentação dos tucanos só pode partir do que vc muito bem chamou de confiança na falta de memória do povo. Lembro-me perfeitamente daquela sra. , Teresa, funcionária de terceiro escalão do FMI, que vinha semestralmente ao Brasil (com ampla cobertura da Globo e afins, tapete vermelho e tudo) para verificar nossas contas, entrando em todos os Ministérios, e no Gabinete do presidente da República. Era uma auditoria externa do credor na casa do devedor. Ela dizia quanto podia ser aumentado no salário mínimo, onde se teria que cortar funcionários e gastos públicos, qual a inflação permitida, os juros, etc.
    Vivíamos num país colônia, nos tempos de FHC. Lula conseguiu, sem guerra nem revolução, mudar completamente esse quadro, incluindo o povo pobre na política econômica nacional. É isso que o FHC e a direitona-burra (e sem votos nem Pátria) não toleram…

  • Ser civilizado é optar por um lado. Sabendo que o outro lado nao é, olhe onde pisa para nao ser pisado. Deixe claro para o outro lado que voce está acordado , nunca dormirá e estará esperando eles dormirem.. Disputa pelo poder nao é para amadores. Nao queremos uma coleção de martires que tentaram, mas sim um time, uma torcida inteira de realizadores

  • Eu tenho lado sim, mas prefiro ler os blogs do Nassif e do PHA, pois não há nada mais divertido do que ler blogs financiados com dinheiro público, via estatais

    Me diverte o malabarismo mental, a cara de pau, na defesa do governo e do partido..

  • Dessa eu não fujo!

    Não sou, definitivamente, parcial.

    Detestei Sarney e FHC, entendi Collor.

    Engoli Itamar.

    Admirei o Lula.

    Mas eu sei o que aconteceu e não pela Globo…. sim, pela Globo, mas dentro dela!

    Admiro a Dilma, mas a critico no contacto com a imprensa, no autoritarismo de algumas decisões (destinação do lucro Petrobrás) e etc.

    Que estrago no exterior….. valeu?

    Comprou as Ons, como sugiro há anos?

    Critico Mantega pelo seu tatibitate, que fique calado, contrate um porta-voz.

    Já fui juiz de partida em que eu jogava…. se a bola tinha entrado, era gol! Não importava de quem era o gol.

    Meu pai foi assassinado…..pela sua esposa, com razão, legítima defesa.

    O médico perguntou o motivo.do óbito.

    Enfarte, Dr.

    Não seria parcial a ponto de tomar seus direitos, ela uma dádiva em sua vida… foi agredida, revidou com um castiçal, mas não o matou…. o álcool o matou… estava bêbado como sempre e caiu mal… e era meu pai.

    A parcialidade me enoja!

    Analisar algo com absoluta isenção é essencial… ou não é análise!

      • Prezado Edu, concordo com você. Imparcialidade é coisa de ciência positivista do século XIX. Nossas tomadas de decisão são embasadas na nossa memória (conceitos, juízos, educação, experiências, capacidades inatas, capacidades e habilidades adquiridas ao longo da vida, bagagem cultural, perfil psicológico etc), no contexto e nos objetivos futuros. Não há quem não os tenha. Análise significa ver um determinado fato sob uma perspectiva (a nossa, única e intransferível). A parcialidade nada mais é que do que a análise que cada um pode ter, segundo seus conhecimentos, crenças e convicções. Garanto que todos aqueles que fazem uma “análise” tem uma memória, um contexto e objetivos a serem perseguidos (vontade e desejos). Cada qual coloca no seu modelo de “mundo” aquilo que acha que é valoroso (traço subjetivo) e relevante de acordo com sua perspectiva. Ciência objetiva e capaz de prova objetiva é coisa do século XIX, como observa Popper em seu livro Conjecturas e Refutações. Se Newton estivesse certo na sua teoria não haveria Einstein, Heisenberg, Feynman etc. Cada qual viu o mundo segundo suas limitações, cada qual viu PARCIALMENTE o mundo. Impossível vê-lo todo, a não ser que sejamos deuses ou a própria natureza. Esses homens brilhantes foram parciais por imposição de seu contexto científico, filosófico e cultural; Julgaram. Não segundo uma ciência onipotente que tudo vê e tudo determina, mas segundo a ordem dos homens, segundo as suas perspectivas e pontos de vista. Por defenderem suas posições (parciais e não totalitárias) foram brilhantes, não importando quanto durou a “verdade” de cada um. Importou sim a capacidade de serem coerentes consigo mesmo e com seu pensamento, mesmo sabendo que poderiam estar errados. É essa nossa absurdamente interessante condição humana. A condição da opinião (doxa e não episteme). Opinião que, segundo os gregos e seu conceito de democracia, deveria ser debatida nos simpósios e nas praças públicas. A verdade é filha de Éris e não propriedade de qualquer um que se julgar seu senhor. Grande abraço. Chico Marinho

  • Estamos acostumados ao perene festim de atrocidades ditas pelo midiáticos:Merval, Noblat e Miriam, para citar apenas alguns dos mais eloquentes em expurgar o elemento infernal que tem dentro de si, destilando sua verborréia nazista contra o governo Lula, e agora Dilma. Sejamos muito parciais!!!!!

    • O que me incomoda nos analistas políticos alem da parcialidade é a arrogância,a mirian leitão fala da economia da Alemanha como se soubesse resolver todos os problemas da UE. Eu não sei porque ainda não chamaram a dita cuja pra colocar a economia da Europa no lugar. É muita pretenção.

  • Caro Eduardo, como leitor assíduo do Blog da Cidadania permita-me reproduzir o que Ricardo Kotscho postou em seu blog há algum tempo atrás sobre imparcialidade.

    “Imparcialidade não existe no jornalismo.

    Todos os jornalistas e donos de meios de comunicação têm lado. Só escrevo o que penso e sinto, sem pedir licença nem querer agradar ou desagradar a ninguém.

    Nem precisava dizer isso para quem acompanha meu trabalho há quase 50 anos, mas para os que estão chegando agora é bom repetir: meu lado é o do Lula, do PT e o da maioria do povo brasileiro, que venceu 500 anos de opressão e hoje vive num país melhor e mais justo.” Ricardo Kotscho.

    Querido Eduardo, quero dizer a você que também tenho lado, o lado dos pobres, dos invisíveis, dos oprimidos, dos discriminados… e com muito orgulho estou do Lado do Lula, da Dilma, do Eduardo Guimarães, do Ricardo Kotscho e da maioria do povo brasileiro.
    Um grande abraço, Eraldo.

  • Eduardo, vc não deve considerar-se frustrado, pois é ,perfeitamente, normal que em qualquer relato, análise,ponhamos nossa visão de mundo neles.Não é só vc, são TODOS. Não há textos, completamente, ISENTOS. Em diversas atividades, Historiadores, Jornalistas etc, ANTES de ler os seus textos, todos temos que “lê-los” (Identificar QUEM escreve ou relata). A partir daí, pode-se compreender mais facilmente o conteúdo lido.Só temos que nos policiarmos para não enveredar, demasiadamente, na militancia e assim ,esquecer outros aspectos importantes do assunto em pauta.Um Abraço, de seu leitor diário .

    Aproveitando esse seu espaço valioso,que o PIG nos sonega para divulgação dos avanços do Brasil ,vejam a seguinte matéria:

    Cid Gomes se reúne com Ministro das Cidades / LINHA LESTE DO METRO DE FORTALEZA

    Ter, 26 de Fevereiro de 2013 15:21

    O governador Cid Gomes se reuniu nesta terça-feira (26), em Brasília, com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, para tratar da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. “É um investimento, entre obras civis e equipamentos, em torno de R$ 3,3 bilhões. A presidenta Dilma já anunciou R$ 1 bilhão do orçamento da União; R$ 1 bilhão em financiamento com recursos da Caixa Econômica e R$ 1,3 um bilhão de contrapartida do Estado”, disse o Governador.

    Ele ressaltou que o Governo Federal lançou uma chamada pública para que os estados apresentassem projetos de mobilidade urbana. O Ceará apresentou a implementação da Linha Leste e teve a proposta selecionada. “São 13 quilômetros de extensão e será todo subterrâneo. Ele será feito com uma tecnologia nova, não tem nenhuma intervenção externa. Um equipamento vai construindo o túnel por baixo e a vida segue transcorrendo normalmente na superfície”, explicou Cid. Até o início do próximo semestre esses equipamentos (shield) estarão chegando ao Ceará para o início dos trabalhos.

    • Este então é o caso do partido que a Marina Silva e a Heloisa Helena pretendem formar!
      É tão neutro e imparcial quanto o PSDB-PFL-PIG é…partido de canalhas, de mafiosos, de privateiros.

  • Edu, sou parcial no sentindo de defender o que é bom para mim, família e ao povo em geral, a imparcialidade para mim só valeria se eu não vivesse dentro de uma situação como acontece e aconteceu (ERA FHC) e no caso nada disso em principio me afetaria, é claro que bom que pudesse existir uma imprensa (mídia) imparcial, mas isto no Brasil isto não existe e creio eu nem no resto do mundo existe e agora alguém da direita vai me perguntar, então qual o problema da imprensa brasileira se ela é igual ao dos outros países? respondo, o problema está que em outros países dentro da imprensa (mídia) existe a possibilidade do contraditório e também para as pessoas que assistem podem trocar de canal e ver que tem a visão do outro lado do espectro político, ou vocês da extrema direita acham que aqui no Brasil existe o contraditório na mídia nacional? PROVEM POR FAVOR!!!
    Mas mudando um pouco e aproveitando deixo aqui um texto que achei muito bom e que tem a ver com o tópico deste post e também do post anterior:
    http://rachelsnunes.blogspot.com.br/2013/02/para-exercicio-da-paciencia-diaria.html

    Abraços Edu!

  • Edu, acho que o homem nunca é imparcial. Fico com a visão neomarxista sobre ideologia: sempre deturparemos a realidade, interpretando-a conforme nossos valores. E claro, falo no conceito de deturpaçao da sociologia, que não tem nada de intencional. Simplesmente ao vermos um fato, o lemos, o interpretamos e ai o fato não é mais o fato, mas a leitura que fazemos dele.
    Isso não é errado. Errado é não se permitir analisar sem paixões, sem forçar a barra. Tenho muitos amigos que sempre digo que eles precisam deixar o governo acertar, pois se o governo faz A está errado e se faz nãoA esta errado também.
    Ai não é analise, é paixão, é torcida!
    Concordo com o andré. As pessoas são parciais. As instituições não. Ou, ao menos, se assumam como parciais e assumam seu lado (como é comum nas democracia mais consolidadas da Europa).Abraço

  • Texto perfeito, Eduardo. Acho que faz parte da natureza humana não ser imparcial, e políticamente falado, é quase impossível ser parcial, mas se todos fosse honestos e verdadeiros nas opiniões e ideias respeitando o contraditório, o confronto físíco nunca acontecerá.

  • No mundo da matéria é impossível ser imparcial. Tudo, sem excessão, é regido pela lei da dualidade, seja no plano físico, intelectual, moral, sentimental ou abstrato. Sendo assim, qualquer coisa, para existir, tem que admitir o seu contrário. Não há meio e o absoluto, bem como a imparcialidade, é uma fraude. Como bem disse, Eduardo, desconfie de quem se diz imparcial: está mentindo. As pessoas têm lado. O importante é ser sincero, e esta sua declaração merece elogios pela sua sinceridade, e estar de espírito aberto para o contraditório, aceitando as provas em contrário e mudando de opinião quando ditar a nossa razão (ela também, é claro, parcial e comprometida). O que nos resta é sermos honestos. O que se vê às vezes, por aqui e por aí (nos outros blogs sujos) é uma trupe de trolls que tem por objetivo tumultuar e disseminar a mentira. Espero, e já me manifestei aqui em outras ocasiões, que este excelente blog continue assim: com lado claramente exposto e determinado.

  • … a análise política não permite parcialidade … senão vira torcida, né .. a honestidade intelectual tem de superar os desejos pessoais para encontrar a verdade ..
    .. por exemplo, em seu post de ontem, Eduardo, sua análise é demolidora, pois alicerçada na realidade histórica … quando é assim, não adianta espernear: só os canalhas e os mal intencionados ousam contestar …

  • Edu, sinto muitissimo te trazer esse off-topic, mas eh o mesmo de sempre.

    Eu estou sendo assassinado pelo governo dos Estados Unidos. Alguem por favor faca alguma coisa. Peco a todo mundo que escreva pra eles diretamente:

    http://contact-us.state.gov/app/ask

    Nao se esquecam de perguntar porque eu estou sendo monitorado 24 horas por dia, ao vivo, em real time, porque eles infectaram o computador da minha filha de 11 anos, e que dia eles pagaram qualquer conta minha.

    • Meu amigo,
      Você ainda não viu nada. Esse povo da extrema direita está implantando chips nas pessoas para vigiá-las e monitorá-las. Eu sou uma vítima. Tentei previnir todo mundo, mas ninguém acredtia. Preferem enfiar a cabeça na areia.

  • fiquei fascinado quando li
    que a cultura de uma época
    é a cultura da classe dominante

    quero dizer, menos pela cultura praticada CULTIVADA
    do que pela inveja
    do PODER com que domina DOR
    se enfeita
    se exibe
    se re INVESTE

    a crescente utilzação das máquinas
    em transporte produção & serviços
    está aproximando trabalhadores da ciência
    e afastando encenada hierarquia
    para a generaliz ação
    da burocratiz ação
    da carne sensível
    à espiritual religião

    humanos seres
    maquinados
    somos mutantes

  • Penso que não existe imparcialidade.

    Ficar em cima do muro não é tomar também uma posição?

    E não creio que jornalistas sejam parciais inconscientemente.

    Alguns podem até ser partidários por ideologia, mas quantos há que o são apenas por dinheiro?

    Tomar partido de A ou de B é questão de valores e de caráter, não?

  • Mais importante do que ser imparcial é ser honesto e franco com as próprias escolhas. O que você faz com maestria. Acho que na política, sobretudo quando se trata de defender pontos de vista tão díspares, é praticamente impossível alcançar tal isenção. Ter um lado e defendê-lo é vital para a construção da identidade de uma pessoa, de um grupo, de um povo. E o Blog da Cidadania é um espaço fundamental para esse exercício.

  • Eu cá, não acredito no ser humano imparcial. Pra mim, quem diz ser de centro é por conveniência, por necessidade ou porque ainda não saiu do armário.

  • Eduardo todos temos lado.
    Lado que influencia aquilo que vemos por conta daquilo que somos, por conta das realidades de cada um.
    Se eu e você estivermos sentados numa mesa e for colocado entre nós um objeto qualquer,por exemplo um lápis a visão de cada um será diferente do outro. È um objeto, e mesmo assim teremos angulos diferentes.
    O que dirá de fatos, palavras, emoções, persepções etc… que dependam de nossos conhecimentos anteriores acumulados até aquele momento?

  • Os órgãos do PIG, que procuram se mostrar imparciais, que procuram se mostrar acima do bem e do mal, acabam sendo os menos imparciais em relação ao noticiário político, econômico e social.

    Blogues sujos como este, revistas como Carta Capital e Fórun deixam claro a sua opinião política, com isto procuram ser o mais imparcial que podem. Na prática são muito mais imparciais que os órgãos mafiosos do PIG, pois procuram tratar dos assuntos com a máxima veracidade e tentando se ater somente ao fato ocorrido. Dessa forma acabam se tornando fontes confiáveis para muitos de nós comentaristas e leitores.

    Confio mais na imparcialidade do Blog da Cidadania do que nos órgãos das famiglias do PIG, pois percebi, através dos tempos, a honestidade e a angustia em se manter imparcial que o dono deste blog sempre relata nos seus posts.

    Temos uma opinião política e uma visão de mundo, é a partir destas opinião política e visão de mundo que opinamos tudo o que lemos e ouvimos, sobre os fatos mostrados pela imprensa. E a partir dela formamos a ideia que temos sob determinado fato. Preferimos a versão do Blog da Cidadania e outros blogues sujos, preferimos a versão de Carta Capital, Fórun e outras revistas sérias e honestas, pois como acompanhamos e percebemos o jogo sujo do PIG e suas famiglias, precisamos tomar partido de quem pensa igual a gente e age como a gente.

    Não somos neutros, temos opiniões e queremos que elas sejam aceitas pelos demais, isto fazemos através das discussões (algumas vezes com xingamentos, somos humanos).

  • A imparacialidade, a neutralidade são apenas figura de retórica. As pessoas reais têm lado, dai serem parciais. O que. a meu ver não é problema. Problema é ter um lado e não assumir e querer passar a imagem de imparcialidade. Isso é hipocrisia!

  • FALOUUUUUUUUUUUUUU….. EDU!!!!temos lado sim…..o lado do Brasil/Soberano….do MSN…….escrevendo neste Blog….desde 2005!!!!!Parabens Companheiro!!!!!!!

  • Oi Edu,

    Só não concordo com eximir de culpa os jornalistas; nem com a tese de que muitos deles agem de maneira inconsciente. Lembra do abaixo-assinado dos jornalistas da globo em defesa da “imparcialidade”da cobertura da emissora? Dá prá dizer que não sabiam o que estavam fazendo?

    São inconscientes quando se valem de técnicas de redação aprendidas na faculdade no sentido de distorcer informações e induzir o leitor a conclusões equivocadas, que nada tem a ver com a verdades dos fatos? Quando constroem sofismas sofisticados com o intuito único de transformar vinho em água?

    Ah, não! Eles sabem muito bem o que fazem…

    • Essa foi a piada do ano. O cara não deixa um argumento a favor do PT ser publicado. O cara não deixa um argumento contra qualquer baboseira que ele tenha escrito ser publicado. Além de totalmente parcial, o cara é um autocrata de meia tigela.

    • A fonte desta informação citada pelo João Pedro são os famosos especialistas de plantão da famiglia Marinho. Estes especialistas comprovaram por A+B que o Reinaldo Cabeção é o colonista mais neutro, imparcial e inodoro que tem por aí!

  • Quando mentalmente realizamos o julgamento de fatos e coisas, o fazemos segundo o nosso conhecimento, nossa formação e educação. Ora, já estamos assim, fazendo uso de nossa ideologia particular.
    Não há, como coloca o Edu, opinião sem ideologia.
    Porém, o Eduardo, mostrou como se pode fazer uma análise imparcial dos fatos e das opiniões em post anterior, onde além de comparar estatísticas oficiais, trás de volta as manchetes e artigos da Folha de São Paulo e prova como o jornaleco e seus analistas, tratavam de modo muito diferente o governo anterior ao do PT.
    Aí sim, o Eduardo fecha o circuito, apontando os números e as análises políticas.
    Desta forma, podemos chamar de análise imparcial.
    Do post de hoje discordo da opinião de que os analistas tem pouca culpa das opiniões tendenciosas.

  • Meu caro Edu, imparcialidade é utopia. É o ideal a ser alcançado, porém, impossível de ser realizado ao homem comum. Somente através da razão (plenitude) pode-se atingi-la, jamais pelo ego (intelecto), portanto, faz-se necessário promover o egocídio em prol do Eu pleno (razão). Qualquer processo analítico implica em parcialidade, pois analisar significa decompor um todo em suas partes. Enquanto mortais comuns, somos limitados pela nossa própria condição humana. Seres humanos são partes do todo (Criador) potencialmente plenos, mas ainda não os são. Logo aquilo que é parte é parcial e não poderá ser imparcial, ou seja, agir como um todo. É uma questão de lógica. No entanto, para que haja harmonia é preciso haver equilíbrio entre as partes, pois sem isso, o que se tem é o caos. É possível conviver com o PIG desde que haja um anti-PIG em condições de igualdade. A força dos contrários (ação e reação) é que produz movimentos! Sem o atrito dos pneus com o asfalto, o carro não sai do lugar… Democracia pressupõe equilíbrio de forças políticas entre oposição e situação. Liberdade de imprensa sem o contraditório é ditadura de imprensa!

  • Não vejo problema em defender uma opinião ou um dos lados de forma inteligente e bem argumentada, mas não é o que acontece na maior parte das vezes. Ao invés disso, temos comentaristas distorcendo e manipulando descaradamente a informação de maneira a favorecer os seus ou prejudicar o outro lado. É tão óbvio que são rapidamente desmascarados e desmentidos mas continuam mantendo a pose e fingindo que acreditam na sua própria mentira (vide Eliane Cantanhede e o episódio da reunião de emergência amplamente desmentida até mesmo pela própria FSP).

    Edú, o mais importante é ser ético, é ser honesto com você mesmo e se manter fiel à sua opinião. O resto é bobagem.

    Um abraço!

  • Acho que a mídia-empresa tem e sempre teve lado: a do lucro. A mídia sempre estará ao lado daqueles que a financiam, portanto sempre estará contra a maioria que não lhe paga nada. Aí fica fácil decidir qual o nosso lado. Se não fazemos parte da elite que paga a propaganda e, principalmente, paga os salários dos tais “formadores de opinião” deveríamos todos ter o dever de saber qual o nosso lado.
    A mídia-empresa sempre será contrária ao governo que pretende melhorar a vida dos muitos. E, ao contrário, sempre ficará ao lado do governo que encare o povo como grande consumidor de seus negócios desviando suas funções às empresas privadas de amigos ou corporações da qual faça ou tome a sua parte.
    Portanto, para a mídia-empresa a finalidade será sempre os negócios e assim a manipulação da informação. Só não vê quem não quer.
    Por isso estarei sempre ao lado de Lula que acha que deveríamos nos unir e fazermos nós a nossa mídia ao invés de sermos pautados por essa mídia-empresa medíocre que temos aqui.
    E agradeço a você, Eduardo, que já vem fazendo isso há um tempão.

  • Acho interessante o que faz alguns veículos de comunicação faz, por exemplo a Folha, ao mesmo tempo que tem um Jânio Freitas e um Elio Gaspari coloca uma Eliane Catanhêda também para escrever, A época faz isso, colocando duas visões diferentes

    A Veja e a Carta Capital é que não ligam a miníma para essa diversidade de visões.

  • Quando vejo tantos comentários raivosos dos defensores da oposição e do PIG, acaba sendo crível uma resposta “pérola” dada no ENEM: “O macaco é descendente do homem”. Ou até mesmo aquela que dizia que o porco é chamado assim porque é nogento (sic). Parafraseando digo: Não é o retrato fiel do PIG?

  • Os “imparciais” são facilmente reconhecidos pela utilização constante e ad nauseam do termo “crítica construtiva”.
    Mostre-me um “crítico construtivo” e eu lhe apontarei um “imparcial”.
    Adoro eles…

  • Alguém já disse que há uma tendência mundial de partidarização da mídia. Isto não me incomoda. O que me deixa chateado é a distorção proposital dos fatos para beneficiar os representantes do seu lado e a falta de patriotismo que leva seus formadores de opinião a denegrir a imagem de nosso país, como se não morassem e dependessem de nossa gente.

  • Prezado Eduardo Guimarães, os valores que você defende são os mesmos que os milhões de brasileiros defenderam nas urnas das eleições presidenciais de 2002, 2006 e 2010. Portanto companheiro, fique tranquilo, feliz e alegre porque você está, como de fato sempre esteve, do lado certo, ou seja, do lado da decência, da justiça e da dignidade da pessoa humana, plenamente consciente da grandeza desse povo que não se deixa abater frente as adversidades da vida cotidiana. Abraços fraternais!

  • Caro Eduardo,
    Uma pequena observação sobre as figurinhas. Há um pequeno erro no caso do “pouco imparcial”. Ele não deveria ser representado como um anjo e deveria figurar no mínimo entre o “parcial” e o “pouco parcial”, afinal a expressão indica parcialidade e não proximidade com a imparcialidade.
    Abs,

  • Muito boa a sequência dos bonequinhos!
    Na primeira olhada não dei importância, depois percebi que é perfeita a assimetria do conjunto.
    No campo da parcialidade pode haver simetria: ha o muito parcial, o parcial e o pouco parcial.
    Ja no campo da imparcialidade, so o extremo faz sentido; a imparcialidade não admite gradações. Não ha o adjetivo “muito”, e o “pouco” é apresentado como uma quimera: o humano fingindo-se de anjo.

    Como os dois extremos ja são as quimeras de deus e do diabo e o “pouco imparcial” uma irrealidade logico/semantica, o campo humano restringe-se ao dos muito e pouco parciais. E não por acaso o “pouco parcial” esta na posição idealizada do meio do conjunto.
    Perfeito, e depois você desenvolve isso no seu texto brilhante.

    Ps: Desculpe-me, Pimon, de entrar em um assunto tão gravemente pessoal, sem nenhuma critica, mas no seu caso ser imparcial seria relatar o fato real, e você foi um pouco parcial, em prol da sua mãe, não?

  • Eu até que gostaria de ser um pouco imparcial e criticar o governo. Tem outras coisas, fora a não atuação em favor da regulamentação da mídia, que eu gostaria de criticar, mas de forma construtiva. Não o faço neste momento crucial em que a grande mídia venal empreende uma cruzada desonesta contra um grupo político, grupo este que atualmente governa o país e que tem sido o responsável por grandes êxitos nas áreas sócio-econômicas. A grande mídia, mais conhecida como PIG, tem interesses privados que vão de contra os interesses populares, por isso, precisam formar uma coalizão com outros partidos de direita – tais como PSDB, DEM e PPS (partido socialista falsificado) – e até com órgãos do judiciário e da PGR em caso de não obterem vitórias em pleitos eletivos.

    em tempo: Ex-presidente Lula propõe criarmos nossa própria mídia, para combatermos o PIG de frente. Ele disse que já existe uma forte contrapartida, mas que está desorganizada, que são os blogs progressistas. Eu acho que o governo tem que financiar também a mídia progressista sim, ele não financia a mídia reacionária.

  • Muitas vezes a velha mídia fala na necessidade de colocar “técnicos” imparciais em cargos na área econômica do governo, ao invés de colocar uma pessoa com viés político. Ao longo da história constata-se que esses “técnicos” aplicam friamente os cânones do mercado, provocando recessão, desemprego e fome, tudo porque “a ortodoxia assim recomenda”. Ou seja, eles não são imparciais: pendem para o lado mercadista.

    Da mesma forma, “analistas” como Sardenberg e Miriam Leitão sempre ressaltam que o Banco Central tem que ser “independente”, para aplicar decisões técnicas e sem viés político. Mas não existe nenhuma instituição humana que seja “independente”. Se o Banco Central não é subordinado ao governo, fatalmente será subordinado aos banqueiros, que é o que ocorre na maioria dos bancos centrais.

  • No meu modo de ver, “Imparcialidade” plena, total e em seu estado puro, simplesmente, não existe. Essa Imparcialidade é, digamos, um paradigma para o jornalismo honesto, mas não existe concretamente. O importante é que quem tem uma posição, e todos têm, se assuma enquanto tal; exiba suas verdadeiras intenções. Se não o fizer, estará vendendo gato por lebre… Quanto ao que você diz, Eduardo,quando coloca que ‘Entre a direita midiática e a centro-esquerda “petista” só falta haver enfrentamentos físicos nas ruas…’; bom, na minha modesta opinião, isso é só uma questão de tempo… E acho que não está muito longe esse dia. E se for para que o Brasil amadureça ainda mais como Nação; então, que assim seja.

  • DESENCANA ..na vida há momentos de vitórias, e dr empater ..importante mesmo é sabermos se o resultado foi conquistado com lealdade.

    Imparcialidade pra mim comunga com verdade, ética, HONESTIDADE, debate, convencimento, respeito, argumentos, ISONOMIA e justiça, enfim, cidadania ..não significa não se ter opiniões e/ou conceitos claros, ou se ser só afeito a críticas por exemplo.

    ..a imparcialidade NÃO significa acefalia, compra de consciência ou não se ter de opinião ..pra mim a parcialidade significa o cultivar da mentira, do voluntarismo, da intriga, da incoerência, da injustiça, da negação da realidade e/ou do estímulo ao uso de uma régua de valores que seja aplicada diferentemente a quem se julgar amigo e/ou opositor, ou dependendo da “situação”.

    Particularmente tenho meus valores, minhas idéias, conceitos e argumentos, minhas preferências, estas que não considero como imutáveis e perfeitas, sendo que normalmente as divulgo e as defendo, OUVINDO sempre a quem se dispuser a confrontá-las com educação, inclusive pra receber a contribuição de críticas sinceras, aperfeiçoamentos, tudo pra me certificar (ou não) de suas consistências e coerência, enfim, de se eu estaria ou não caminhando pela trilha mais correta.

    • ahh sim, em tempo, sobre qdo vc diz:

      “..esclarecer que tenho lado, sim. E recomendar que você que me lê desconfie de quem disser que não tem. Simplesmente porque essa pessoa estará tentando lhe passar a perna..”

      eu não penso assim ..julgo que tenho idéias, conceitos e valores, todos fruto da minha vivência e experiência, dos meus sonhos e expectativas.

      ..atualmente, por já se terem expostos, EU não me sinto confortável com as propostas dos diversos grupos políticos contemporâneos, ou com o modelo político representativo, nem com este sistema CAPENGA capitalista-assistencialista, enfim.

      Aliás, é como já disse, hoje milito pela existência e viabilização de uma democracia PARTICIPATIVA, mais plebiscitária, consequente, e menos burocrático, assimétrica, esta que hoje é feita por, e PARA poucos caciques nos conduzirem (e o TIRIRICA que não me deixa mentir).

      ..e nem por isso eu quero e/ou pretendo passar a perna em ninguém…

  • Sou parcial: Estou do lado do Brasil que ressuscitou dos mortos com Lula e Dilma. Mas, não posso deixar de dar para os trolls da direita exemplos de “imparcialidade”: A rede globo, a veja, a folha, o estadão, noblat, merval, leitão, o prevaricador e o stf.. Com minúsculas mesmo.

  • E por falar em parcialidade, acabo de assistir um pronunciamento do dep, Jair Boçal-naro no plenário da câmara sobre uma entrevista que a Ministra da Secr. Especial de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci, deu ao Correio Brasiliense em que ela se confessa bi sexual e que tem orgulho de ter uma filha gay.
    Disse o boçal-naro que a ministra não representa as mulheres da sua família, que embora não as conheça e com todo o respeito, devem ser totalmente alienadas, a começar pela mãe que criou essa criatura com essa mentalidade.
    Para variar o cara estava babando e com os olhos saltando das órbitas e, para não faltar à sua pauta, tratou de envolver a presidenta Dilma, questionando a nomeação da ministra e insinuando que poderia ter sido porque ambas ficaram presas juntas, por três anos!
    É no mínimo lamentável.

  • Falar em “imparcialidade” ou “isenção” é sempre difícil, quando se pretende honesto…No caso da mídia oligárquica, o discurso de que seria imparcial é a mais deslavada desonestidade. Para se aproximar de algo como “imparcialidade” basta ser honesto apontando suas preferências polítco-ideológicas claramente, mas levando sempre em consideração os argumentos contrários. Mais uma vez, a mídia não faz isso, é desonesta!

  • Edu. Bom Dia!

    1. Não tem como ser isento quando você observa uma mídia que deveria refletir o Orgulho de um povo pelo seu país, a DESMERECER e fazer ESCARNIO pela opçãodeste povo em defender o Brasil.

    2. Não tem como ser IMPARCIAL quando você observa uma elite fora da realidade Nacional, e quiça mundial, e quem em qualquer país decente, essa elite seriam tratados como traidores.

    3. Não tem como ser imparcial com uma imprensa que se deixou levar pelo lucro do mercado, rasgando a cartilha da ética jornalistica.

    4. Não tem como ser IMPARCIAL sem ser considerado alienado ou entreguista.

    5. Ñão seria ético nem honrado, dar o PAÍS de nossos filhos e NETOS nas mãos de grupos entrageiros.

    6. Resumindo EDUARDO, hoje me dia ser IMPARCIAL, e SER OMISSO frente a ÉTICA A CIDADANIA E A NAÇÃO.

    Abraços Cláudio.

    • SUPREMO PARA POLÍTICOS É COMO ÁGUA PARA SAPOS.
      PRIVILÉGIOS. ROUBAM PORQUE SÃO PRIVILÉGIADOS?

      POLÍTICOS CORRUPTOS PRIVILEGIADOS SÂO JULGADOS PELO SUPREMO É COMO JOGAR SAPO NA ÁGUA.
      POR ISSO QUE SEMPRE ROUBAM.

      ENQUANTO ERAM JULGADOS E CONDENADOS NO MENSALÃO, ROUBAVAM NO PETROLÃO. rssss

      TODOS OS POLÍTICOS MENSALEIROS O SUPREMO JÁ PÔS NAS RUAS. DÁ PARA CONFIAR?

      ===
      01- EUA E WEAKLEAKS! Obrigado!
      O “COMUNISTA” LULA, FO IAGENTE DE COMÉRCIO EXTERIOR DOS CAPITALISTAS NACIONAIS JUNTO A 4 PAÍSES NO SEU SEGUNDO MANDATO, USANDO O BNDES PARA FINANCIAR SUAS EMPRETEIRAS.

      OBRIGADO EUA, OBRIGADO WEAKLEAKS. SEM VOCÊS NUNCA SABERÍAMOS.
      ===

      ===
      02- SEM CUBA, ANGOLA OU VENEZUELA TE ESPERA….
      OU, NÃO FUJA,
      JÁ TEM “‘ ADVOGADO'” E JUIZ ESFREGANDO AS MÃOS ANCIOSOS PARA SOLTÁ-LO, antes mesmo de preso!!…rsss…

      ESPEREM PARA VER….OS MENSALEIROS JÁ ESTÃO TODOS NAS RUA…

      SE PIZZA..OLATTO TIVESSE VINDO JÁ ESTAVA NAS RUAS TAMBÉM…rsss…

      • Imparcial não existe. Existe ou insensível, omisso, alienado? Ou se acende uma vela a Deus ou ao diabo. Não dá para acender para os dois ao mesmo tempo.

        Cada um defende o time que joga e critica o do outro. Há quem critica quem rouba ou defende os ladrões. Os próprios corruptos criticam quem os combate. Vejam, criticam Sergio Moro, mas não critica o juiz que colocou os mensaleiros condenados por Joaquim Barbosa nas ruas.

        Não há ética, moral ou lei relativa como quer o PT. Uma lei que os proteja e outra para o resto. Uma lei ” dois pesos e duas medidas”.

        Não dá para ficar imparcial, em cima do muro como sempre ficou a oposição desde que Lula ganhou. Em cima do muro somente a oposição ( FHC, Aécio, Aliem, Serra…)

  • Me parece que por aquí circulam alguns daqueles bovinos leitores do R. Azevedo e do A, Nunes.
    Já fiz estas pergunta para estes “colonistas” da Veja, e óbvio, não publicaram….
    Faço agora a estes leitores ( deles) que aparecem por aquí:
    O que vcs acham destes blogs, com textos diários, de mais de 500 comentários, que não aparecem NENHUM comentário discordante, e TODOS os outros publicados são de seus bovinos leitores que concordam com TUDO que é publicado, inclusive com ofensas a xingamentos ao ex-Presidente Lula e à Dilma????

  • Ser simples, verdadeiro e honesto é o que basta para ter credibilidade. É diferente desses “imparciais”, devotos de Santa Hipocrisia. Aliás, me falaram que a sede universal da Igreja de Santa Hipocrisia fica no Jardim Botânico-Rio de Janeiro. Acho que fica mesmo.

  • Edu já passei da fase de ficar indignado, pois muitos deles, escrevem por causa da sobrevivência das suas famílias no final do mês, mas no fundo no fundo, em muitos casos, nem eles acreditam no que escrevem.

  • Penso que ser parcial é nato do ser humano(até quando dois cães estão brigando, notamos a parcialidade do dono, pois ele procura apartar o embate, se possível agindo encima do cão estranho, muitas das vezes só interfere se o dele estiver em desvantagem, do contrário deixa a briga rolar, pra depois se vangloriar que o cão dele é “o bicho”). Na vida há situações que a parcialidade prejudica uma comunidade, uma cidade e até uma nação e isso é nocivo e o que mais acontece. Questão de caráter. Enquanto a escola, a família, a religião e até mesmo a sociedade, não trabalhar o caráter das pessoas, buscando moldar seu caráter para o bem, viveremos sem perspectiva de um mundo justo. Edu, seus posts. forçam comentários lúcidos como muitos que li aí encima. Parabéns!

  • sr. eduardo,
    esse post é uma vacina contra o pig.
    como faço sempre, vou enviar o link para os meus amigos teleguiados pelo pig.
    ………….
    como pode haver isenção em uma luta de david contra golias?

  • Eduardo, se vc mudar uma vírgula da sua posição atual, infelizmente deixarei de ser leitor do seu blog. O pig declarou uma guerra sem quartel e estamos nela para defender o projeto democrático escolhido pelo povo em eleições livres.
    O problema da extrema-direita, que não quer oposição nenhuma, é abrigar psicopatas e sociopatas, a exemplo do que fez o nazifascismo, o pinochetismo e demais ditaduras militares pelo mundo afora.

  • Parabéns, Eduardo….como sempre verdadeiro, guerreiro e corajoso. Felizmente você tem lado e é o lado dos que são deserdados pela sociedade. Aqui no seu blog a gente se sente bem, amparada e amparado por alguem que é nosso parceiro nessa caminhada rumo a um mundo mais fraterno. Se blog é uma luz, nesse mar de escuridão. É isso! Abração!

    • Edu: Não há como ser imparcial vendo as desigualdades que a extrema direita se acha possuidora. Ou Você ou ourro qualquer acha que este pessoal considera que alguém menos afortunado possa usufruir algum direito seu neste País. Esta turma acha que só eles é que tem direito a tudo os outros menos afortunados ficam com os restos que se sobrarem na mesa. Se sobrarem, é o que eles pensam!

  • Edu

    Duvido dos que se dizem imparciais. Não acredito há muito tempo de que é preciso e possível “ver para crer” . Se até a ciência já admite que persegue e promove aproximações e, não, verdades, quando se trata de fatos não científicos ou políticos, o máximo que conseguimos é admitir que “vemos o que cremos”. E olha que fazemos um esforço enorme para tentar olhar para, no mínimo dois dos possíveis lados.
    Continue olhando e se posicionando do lado que escolheu, coerente com sua crença de que democracia e cidadania são possíveis e desejáveis.
    Gosto disso! Admiro você por isso!
    Um abração!

  • Não há problema nenhum em ser parc ial, até porque a imparcialidade é impossível, o grande objetivo a ser conseguido é sempre manter-se honesto. A imparcialidade é uma piada, um golpe fabricado por aqueles que desejam usá-la como máscara para disfarçar o seu desejo de manipular os outros. A partir do momento em que você escreve sobre algo, já está manifestando suas preferência, se não pelo assunto(acreditando-se que é algo que desconhece, sobre o que não tem opinião, o que inexiste naqueles que escrevem sobre política), ao menos nas questões que perpassam o tema, como valores, atitudes, posturas, atos e ideias; que inegavelmente virão associados ao assunto que analisa e aqueles que forem opostos a ele. Assim, mídia imparcial é uma mentira, já que não existem seres humanos imparciais e a mídia é feita por seres humanos; o que deveríamos ter, e não temos(por isso a necessidade de regulação da mídia para, além da pluralidade opinativa, tentar-se construir essa honestidade na construyção textual)é uma mídia honesta, que assuma seu lado no espectro ideológico, seus apoios; separe opinião de fato(divulgando os fatos concretos na parte de jornalismo e a opinião do órgão e de seus colunista nas colunas de “Opinião”. Por exemplo : Na parte jornalística informo os números concretos da economia brasileira, resultantes de apurações matemáticas, sem esconder nada e na coluna de “opinião” escrevo o que acho sobre esses números, preferencialmente, colocando opiniões diferentes para refletirem a pluralidade do público que é dono do espaço rádio-elétrico em que o veículo transmite seus sinais, no caso da rádio-difgusão e dos recursos públicos que sustentam todas as empresas de mídia. Ainda que nessa mesma coluna possa existir uma que represente, de forma honesta, a “opinião” da empresa de comunicação. Esse seria o modelo se um jornalismo honesto, talvez possamos ver algo próximo disso somente em uns poucos veículos brasileiros, como a Carta Capital, que assume as posições da revista de forma clara e tem colunas de opinião separadas das dos fatos; modelo que constroi-se para além de falsos dilemas sobre uma impossível “imparcialidade”, mas que dentro da mais que humana “parcialidade”, tenta erguer-se dentro da “honestidade”, da “decência” e da “seriedade”..

  • Edu, eu acredito que a imparcialidade é algo que simplesmente não existe. Não existe nas ciências, na medicina, na física, quanto mais em política. A mídia aplica o golpe da imparcialidade, apresentando-se como a voz da verdade que paira sobre o que seria a “podridão política”. O mais sintomático é quando nos embates ideológicos os anti-petistas se apresentam como apolíticos e usam como argumento os recortes do PIG. Num embate que tive com um anti-petista, o que ele fez ? Pegou notícias do Estadão, mostrou uma coluna do Ferreira Gullar, mas quando eu perguntei em qual partido e candidato ele votou nas 3 últimas eleições, simplesmente não quis responder. O golpe da mídia é esse: estimula uma pretensa posição apolítica, calcada na ilusão da imparcialidade, e aí, quando a pessoa não tem um partido ou uma liderança política que lhe seja referência, as suas referências políticas passam a ser aquilo que a mídia publica. Daí a força política que a mídia exerce sobre muitos, sob esse manto de despolitização.

  • “A culpa é do caráter escandalosamente parcial que os donos dos grandes órgãos de imprensa imprimem a eles. Essa parcialidade mal disfarçada exacerba os ânimos e cria um clima propício ao sectarismo.”
    Por isso a democratização do acesso, produção e difusão dos meios de comunicação é tão urgente !
    Ley de Medios Já !

  • Os gregos já expressavam a palavra idiota para aquele individuo sem paixões políticas e voltado para seus próprios interesses.
    A história universal esta repleta de fatos não críveis.
    Explicar um fato sem um míinimo de viés valorativo pessoal ( O homem é fruto do meio) é o máximo que nossa interpretação egoística permite.. O ser humano não tem pensamento unánime e seria burrice.( segundo Nelson Rodriguez que afirmaque a unanimidade é burra)
    Tambem não podemos esposar as idéias e versões dos fatos pois não seria fruto de uma reação cognitiva e passa a ser dogmática e superficial. Não é radical porque não discute com profundidade com conhecimento da profundidade das raizes. Mas simplesmente porque todos somos reacionários e não aceitamos limitar as nossas opiniões. Seria como procurar represar a agua com as mãos.

  • E AGORA JOSÉ? E AGORA SILVIO DE BARROS FIEL ESCUDEIRO DO MAL?

    JÁ PODEMOS ENCOMENDAR SEU ENTERRO SIMBÓLICO?

    01- E A OPOSIÇÃO NEM P´RECISOU FAZER NADA!

    Revista Veja:
    QUANDO A CABEÇA DO EX-PRESIDENTE LULA FOR ENTREGUE NA BANDEJA ( por Leo Pinheiro), E NÃO HOUVER MAIS NINGUÉM PARA ENTREGAR, AINDA VAI CONTINUAR DEFEDENDO SEU CHEFE E SEU ‘ REGIME”?…rsss…

    02- A HORA E A VEZ DO EX-PRESIDENTE!

    E QUANDO PROCURADORES DA LAVA JATO CHAMAREM MARCOS VALÉRIO PARA DEPOR SOBRE O PETROLÃO;

    SOBRE A COMPRA DO SILÊNCIO DO CASO CELSO DANIEL, ATRAVÉS DE SUA EMPRESA ( SPMB)!…

    03- A HORA E VEZ DO ” EXPRESIDENTE”.

    E QUANDO SEU AMIGO ( LÉO PINHEIRO) COLABORAR COM OS PROCURADORES, CONTANDO SOBRE O LULÃO NO PETROLÃO E SOBRE SEU FILHINHO BIOLIONÁRIO, LULINHA!(?)?
    ===
    04- O SILÊCIO DOS INOCENTES! DEVEMOS TEMER MAIS O SILÊNCIO DOS INOCENTES, DOS JUSTOS E DAS PESSOAS E BEM; DO QUE OS CANALHAS MALFEITORES.

    05- Somente os mortos, alienados, irresponsáveis, omissos analfas funcionais, os relativamente capazes, os totalmente incapazes, os loucos de todos s gêneros conseguem ser imparciais, amorfos, moluscos, SERVIS DEFENSORES DO INDFENSÁVEL A TENTAR TAPAR O SOL COM A PENEIRA, são imparciais.

    ANUENTES, LENIENTES, CONIVENTES E SUBSERVIENTES COM A CRIMINALIDADE! São imparciais.

    ESTAMOS TODOS PAGANDO PELO CAOS IMPLANTADO…rsss….

    06- Desculpem-nos que aqueles que estão engajados com a libertação do país da ditadura da corrupção, os quais se expõe corajosamente suas ideias e os impedidos por qualquer natureza.

    Diante do que acontece a cada dia, somente os mortos, alienados, irresponsáveis, omissos analfas funcionais, os incapazes, os loucos de todo gênero, OU CAPACHOS DEFENSORES CEGOS DO QUE ESTÁ AÍ, conseguem ser imparciais.

    Lamentamos muito!

  • Acho que imparcialidade tem a ver com logica. Se voce pensa e age baseado na logica, e nao se vende de maneira alguma, entao voce consegue ser imparcial. E essa figura que foi utilizada para ilustrar o texto nao tem nada de imparcial..rs

Deixe uma resposta