Nota do casal que agrediu Zé de Abreu mostra que todo fascista é covarde

Crônica

casal capa

 

casal

A matéria acima foi publicada no site da Folha de São Paulo na internet na noite de domingo. Abaixo, a forma como essa nota cínica, covarde, repugnante foi apresentada no mesmo “Domingão do Faustão” em que o ator José de Abreu deu a sua versão dos fatos.

 

Que interessante, não? Onde foi parar o ímpeto “cidadão” do casal que começou a fazer comentários sobre Abreu na mesa ao lado da dele sem que ele nem soubesse que aqueles dois existiam, até então?

Antes de analisar esse episódio, vejamos reportagem da TV Bandeirantes que relata o que diz o gerente do restaurante onde ocorreu a briga entre Abreu e o casal. O gerente diz quem provocou o entrevero.

casal 1

Como se vê, a matéria da Folha e a do próprio “Domingão do Faustão”, entre tantas outras, não põem a questão em pratos limpos. Mas tem mais.

Como eu sempre digo, a mídia conta com a burrice do público, com a incapacidade das pessoas em somarem dois mais dois. Essa nota encerra uma verdadeira “bíblia” de dicas sobre quem é quem nessa história.

1 – Em primeiro lugar, a nota não esclarece por que – POR QUE?!! – José de Abreu cuspiu no casal. “Thiago” e “Ana Cláudia” não dizem por quê. Não é uma nota clara. Pelo contrário, é nebulosa.

2 – Em segundo lugar, a nota é lida em nome de duas pessoas sem nome. “Thiago” e “Ana Cláudia”, é? Só isso? Eles não têm sobrenome, não? Ah, querem manter a privacidade… Tendi… Mas por que não pensaram nisso antes de começarem a chamar o ator de “ladrão” e de “safado” e a esposa dele de “vagabunda”?

3 – Em terceiro lugar, “Thiago” e “Ana Cláudia” não dão os nomes por quê? Porque todo reaça, todo fascista, todo extremista de direita é covarde, ora. Veja neste Blog, leitor. Todos os fascistas comentam aqui com nomes e e-mails falsos porque querem agredir e não têm coragem de fazê-lo assumindo o que dizem.

4 – Em quarto lugar, a conduta da Globo de omitir os nomes dos agressores de José de Abreu é incompatível com o jornalismo responsável. Se querem fazer uma acusação como essa a José de Abreu, têm que assumir seus nomes, que, segundo está em vários órgãos de imprensa, são Anna (com dois enes) Cláudia Del Mar  e Thiago Marçal.

No Facebook, circula a foto deste homem como sendo do advogado que insultou José de Abreu

casal 2

A foto da mulher que insultou o ator é esta

casal 3

Então é assim: o casal, por alguma razão que não fica clara para ninguém, agride duas pessoas que estavam quietas no seu canto com insultos e calúnias variados. Quando os agredidos tentam dialogar, os agressores persistem na agressão. Quando surge a reação, dão uma de valentes.

Agora, que tinham a chance de vir a público dar a versão deles, acovardam-se. Não teria sido melhor não provocarem ninguém?

Seja como for, esse episódio mostra que com fascistas não dá para agir diferente. Eles só são valentes em bando e anônimos. Quando têm que assumir os excessos que cometem, escondem-se como ratos.

Entretanto, qualquer pessoa com dois neurônios vê que eles não mostram as caras e os nomes porque têm culpa no cartório, uma culpa que só diz respeito aos dois, já que estarem naquele restaurante juntos naquela noite é que parece ser o problema… Não é mesmo?

79 comments

  • E prestem bem atenção no nome do rapaz porque ele, como advogado, tem a obrigação de conhecer as leis que cita, caso contrário passa recibo de analfabeto jurídico. Por qualquer lado que se analise o acontecido, pega mal para o rapaz e para sua reputação como pessoa e, principalmente, como advogado. Consideremos duas situações: se ele conhece a lei Rouanet e mesmo assim a usou para ofender o Zé, cometeu crime, pois é crime de calúnia imputar falsamente crime a alguém, pois se ele conhece a lei sabe que ela apenas concede aos produtores uma autorização para captar recursos; se ele não a conhece a lei, não poderia, por decoro, ética e por inteligência, fazer acusações com base no que não conhece. Dito isto, depois desse imbróglio, quem, em sã consciência, entregaria qualquer causa a tal “advogado”?

  • Usando uma gíria bem popular atualmente, poderíamos dizer que “a casa caiu” para o casalzinho.
    Reflexo do fascismo cada vez mais presente em nossos dias.
    Aliás, os fascistas têm muitas “faces” e nomes.
    Vivemos a era Bolsonaro, Malafaia, Feliciano…
    Existe toda uma ala que se auto denomina “evangélica” e que cospe no mais sagrado dos Livros.
    Que transformou os altares das Igrejas em palanque político se associando ao que existe de mais sujo na política nacional.
    Confesso que tenho ficado assustado com o progresso dessa facção “evangélica”.
    Mas, é claro, existem milhares de exceções.
    Fazendo uma apologia, penso que a constituição deve reger a política para que haja, acima de tudo, justiça.
    E que a Bíblia deveria ser a “Carta Magna” dos Cristãos.
    Agora que digam, como fica a Constituição e a Bíblia após aquele episódio deprimente protagonizado pelos Deputados.
    Só quis fazer aqui uma referência a mais uma “banda fascista” que está em evidência, chamada “bancada da Bíblia”.
    Que Deus tenha misericórdia desse bando.

  • Você tem como definitivo que o casal insultou José de Abreu. O gerente do restaurante não viu o acontecido. E se o ator estiver mentindo ? E se realmente, o casal quer.se preservar da maledicência ( e como tem disso, não é mesmo ? ) procurando o anonimato e encerrar o assunto ?
    Por outro lado, lhe asseguro que se alguem ofender minha esposa, vai na cara do infeliz o que eu tiver na mão, jamais cuspe que é coisa de efeminado.

    • Por que diz que o gerente do restaurante “não viu o acontecido” se a matéria da Banda aqui postada diz o contrário? Mais: qual é sua tese? José de Abreu cuspiu no casal sem razão alguma? Não assistiu o vídeo? Não ouviu Abreu perguntando ao moleque o que ele queria? Não ouviu a “modelo” chamando o ator de “safado” antes de levar a cuspida? Sua homofobia denota duas coisas: primeiro, você tem problemas com a sua sexualidade; segundo, é uma pessoa desvinculada do mundo contemporâneo.

    • Na minha visão o Zé de Abreu passou pela mesa e viu um casal jantando tranquilamente, pensou, vou dar uma cuspida nestes dois, não tenho mais nada que fazer……

    • Em qualquer cultura no mundo ocidental, uma cusparada é a maior representação de desprezo e repugnância, “santa” ignorância.

  • Achei estranho. Alguém escreve um texto sobre si mesmo e coloca a idade após os nomes? “Ana Cláudia e Tiago, ambos com 25 anos”… Achei parecido com texto enquadrado em manual de redação de jornal. E isso, pra mim, tem tudo a ver com o fato de que o casal não tenha sobrenome.

  • Verdade , fascistas são assim e o país está cheio deles pq é um país com alto grau de analfabetismo político .Nas escolas o ensino da Política deveria ser obrigatório .

    Agora , apesar dos fascistas cometerem um número infinitamente maior de ataques , tb é verdade que o senador Cristóvam B. foi outro dia atacado e chamdo de traidor enquanto andava num shopp.Isso tb é lamentável .O nível de quem tem conhecimento de que se trata de um golpe de Estado deve ser melhor , maior , mais educado que o dsses fascistas doidos .

    • Não estou de acordo. Aqui mesmo, neste Blog, todos os dias somos xingados, ofendidos e humilhados por gente que sabe que está entrando num blog petista. No entanto, se acessarmos um blog “deles”, sequer somos publicados. O seu republicanismo não me atinge. Me ofendeu, leva.

  • :
    : * * * * 03:13 * * * * Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando: Viva o PT ! ! ! ! Viva os/as trabalhadores/as ! ! ! ! Viva o povo brasileiro ! ! ! !
    .:.
    * 1 * 2 * 13 * 4
    .:.
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
    * * * *
    * * * * * * * * * * * * *
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

  • FORA DA PAUTA

    Guerra neoliberal de Hillary Clinton & Wall Street
    contra a América Latina [1]
    Eric Dreitser,
    http://www.telesurtv.net/english/opinion/Hillary-Clinton-and-Wall-Streets-Neoliberal-War-on-Latin-America-20160429-0034.html

    Tradução Coletivo Vila Vudu

    
Já não é novidade em todo o mundo que há um golpe em curso no Brasil, e que a direita brasileira está usando todo tipo de medidas arbitrárias e extraordinárias para derrubar a presidenta eleita Dilma Rousseff.



    O que nem a oposição brasileira discute muito, em nenhuma das discussões que se travam sobre impeachment e corrupção no Brasil é o contexto mundial em que o golpe de 2016 se insere: o modo como o capital financeiro internacional está operando ao lado de Hillary Clinton e outros nomes das elites políticas dos EUA para reapertar as garras do Consenso de Washington no pescoço da América Latina; como toda a direita em todo o continente está operando em aliança; e como essa ação manifesta-se nos países-alvos.



    Embora muitas das peças desse quebra-cabeça permaneçam ainda escondidas pelo menos em parte, é hora de começar a organizar as peças que temos, para ir vendo o grande quadro. 



    Brasil e Argentina:
Casos a estudar, de intromissão de Wall Street 

Enquanto o mundo espera pelo próximo capítulo da novela brasileira em curso, é indispensável considerar por que motivo está montado esse espetaculoso processo de impeachment. Eleitos e reeleitos quatro vezes nas quatro últimas eleições, Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores, PT, são, inegavelmente, a formação política mais popular no Brasil, país tristemente conhecido como local do mundo onde há a maior desigualdade social, dividido desigualmente entre uma pequena elite de direita e rica, e as massas de trabalhadores, os mais pobres e parte das classes médias urbanizadas de esquerda que elegeram várias vezes os candidatos do Partido dos Trabalhadores. 



    Com essa dinâmica, não surpreende que o governo da presidenta Dilma Rousseff esteja sendo derrubado por uma coalizão de fundamentalistas de direita, que congrega desde os que apoiaram empenhadamente a ditadura militar que os EUA implantaram no Brasil, até os que simplesmente querem que o Brasil siga modelo mais neoliberal de desenvolvimento econômico. 



    Mas o que ainda talvez surpreenda muita gente é o papel determinante que alguns poucos mas poderosos grupos de interesses financeiros têm e continuarão a ter nesse processo e em qualquer outro governo que haja no Brasil.
    

Em meados de abril, quando a votação do impeachment ainda não começara, a Reuters revelou que o vice-presidente Michel Temer, da direita brasileira, já preparava listas com os nomes de seus presuntivos ministros, a serem empossados tão logo Dilma e o PT fossem derrubados. Temer estaria em contato com Paulo Leme, cogitando de lhe entregar o ministério das Finanças ou o Banco Central. Leme é presidente de operações do Goldman Sachs no Brasil – o que o põe como candidato presuntivo ao posto de representante de Wall Street no Brasil. 



    Evidentemente ninguém poderia desconsiderar a significativa influência que têm empresas como Goldman Sachs, que vão bem além dos negócios e holdings que o grupo controla diretamente no país. Por exemplo, o capital financeiro de Wall Street mantém relações muito próximas com o “homem mais rico do Brasil”, Jorge Paulo Lemann, multibilionário suíço-brasileiro proprietário das empresas Heinz Ketchup [é sócio, portanto, de Teresa Heinz Kerry, mulher do secretário de Estado dos EUA; o casal se conheceu no Rio de Janeiro; não se sabe por quê, esse pensamento dá-nos calafrios… (NTs)], Burger King, sócio majoritário das empresas Anheuser-Busch e Budweiser, e íntimo de Warren Buffett. Com tal pedigree na famiglia do capital financeiro, não é surpresa que Lemann e os interesses que ele representa estejam muito ativos no golpe no Brasil, apoiando financeiramente grupos envolvidos nos protestos de rua que pregam a derrubada do governo Dilma Rousseff. 



    Tampouco alguém ainda se poderia surpreender com a informação de que outros grupos ativos nos protestos de rua sejam financiados por outros interesses de Wall Street, a saber os infames Irmãos Koch. Charles e David Koch são a fonte de dinheiro que mantém o Movimento Brasil Livre e os Estudantes pela Liberdade, mediante a Atlas Economic Research Foundation e Atlas Leadership Academy, onde foram treinados vários dos principais líderes das manifestações a favor do golpe no Brasil.



    Por tudo isso, ninguém se deveria surpreender por atores chaves do golpe do impeachment da presidenta no Brasil deixarem ver que recebem ordens diretas dos, ou, no mínimo, estão em estreita colaboração com, os EUA. De fato, no dia seguinte, depois da primeira votação pró-impeachment no Parlamento do Brasil, um senador, Aloysio Nunes, do PSDB, apareceu em Washington para reuniões não oficiais com o senador Republicano Bob Corker, membro influente e presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado; e com o senador Democrata Ben Cardin, apoiador-chave da candidatura de Hillary Clinton. Nunes também tinha reuniões agendadas com o subsecretário de Estado Thomas Shannon, ex-embaixador no Brasil; terceiro na hierarquia do Departamento de Estado e encarregado de assuntos da América Latina; e também devia encontrar-se com lobbyistas da ONG Albright Stonebridge Group, cuja presidenta é a muito empenhada apoiadora de Clinton, Madeline Albright. 



    Sem dúvida esses encontros indicam o claro desejo, dos conspiradores brasileiros, de colaborar de todos os modos requisitados, com o Consenso de Washington – Republicanos e Democratas, capital privado e agências do governo dos EUA – e fazer uma transição suave, com mudança de regime no Brasil apoiado pelos EUA. Pode-se mesmo acreditar que tenham programado uma reencenação do golpe de 2009 em Honduras, autorizado e comandado por Hillary Clinton e seus amigos e lobbyistas dentro do governo dos EUA.
    […] Para ver como esse pessoal trabalha em perfeita coordenação e harmonia, basta olhar, ao sul do Brasil, o ofuscante exemplo da Argentina. 

Se a vitória era claramente sucesso para a direita Argentina, ela foi também o equivalente político de uma tomada hostil do país, por Wall Street. Poucos dias depois do sucesso eleitoral, Macri já revelava o núcleo duro de sua equipe econômica, recheada de insiders de Wall Street e de representantes do Big Oil, dentre outras indústrias.



    Em governo de Macri, a economia da Argentina está hoje nas mãos de Alfonso Prat-Gay (ministro de Finanças), há muito tempo banqueiro em Wall Street, ideólogo neoliberal e ex-presidente do Banco Central da Argentina. Francisco Cabrera (ex-empregado do banco HSBC e de outras fachadas financeiras) assume como ministro da Indústria; e outro ideólogo do neoliberalismo, Federico Sturznegger, é agora presidente do Banco Central. Como se fosse pouco, o novo ministro da Energia Juan Jose Aranguren foi presidente da divisão argentina da petroleira Shell. 

Na essência, Macri nunca escondeu que seu governo seria gerente de interesses do capital financeiro e do big business, como a equipe que se vê em volta dele comprova. […]

    Hillary Clinton e a Agenda Neoliberal na América Latina 



    Não há dúvidas de que um dos alvos na América Latina ainda são algumas matérias primas e commodities. […] Mas a coisa é muito mais profunda, dado que a América Latina foi convertida em ponto focal na avançada para estender a hegemonia de EUA-Wall Street-Londres, no campo econômico e no campo político.

    

Pode-se dizer que as peças centrais dessa avançada são os muito discutidos ‘tratados comerciais’, o Tratado da Parceria Trans-Pacífico (ing. Trans-Pacific Partnership, TPP) e o tratado da Parceria Trans-Atlântico para Comércio e Investimento (ing. TTIP), pensados para criar uma infraestrutura de negócios supranacional que, na essência, subordina as nações signatárias ao comando hegemônico de grandes empresas e do capital. Claro que as forças progressistas na América Latina e seus aliados postaram-se como uma muralha, para impedir que aqueles tratados fossem implementados. Mas tudo sugere que, depois de Macri, e se o golpe no Brasil for bem-sucedido, os tratados logo entrarão em plena vigência. 



    Macri já sinalizou que quer usar o Mercosul como veículo para integrar-se ao Tratado Trans-Atlântico, que abre o continente aos capitais e empresas europeias e norte-americanas. Sinalizou também que quer aproximar a Argentina dos países da Aliança do Pacífico, três dos quais – Chile, Peru e México – já assinaram o Tratado da Parceria Trans-Pacífico. O sucesso desses movimentos continentais depende crucialmente de dois importantes fatores.



    PRIMEIRO: é indispensável remover do poder o governo de Dilma Rousseff do Brasil, que, embora interessado em participar das conversações sobre o Tratado da Parceria Trans-Pacífico, não dá sinais de desejar subordinar os interesses do Brasil aos interesses do capital de Washington e Londres. [2] 



    SEGUNDO: é indispensável que Hillary Clinton seja eleita à presidência dos EUA – a principal representante de Wall Street nas eleições de 2016 nos EUA. Os laços que ligam a candidata a Goldman-Sachs e outros bancos poderosos são bem documentados; mas noticia-se menos – e a campanha eleitoral ‘repercute menos’ – nos EUA e na América Latina o empenho com que Clinton defende a guerra comercial como arma a serviço da política dos EUA. 



    Clinton mentiu descaradamente em debates nacionais entre candidatos Democratas sobre suas posições relacionadas ao Tratado da Parceria Trans-Pacífico; disse que hoje se opõe ao Tratado. Mas há apenas três anos, em 2012, como secretária de Estado, ela disse que o Tratado da Parceria Trans-Pacífico “define o padrão ouro em matéria de acordos comerciais”. Hoje, a candidata tenta fazer-se passar por progressista, fingindo que se opõe a um tratado que gerará graves dificuldades aos trabalhadores em todo o mundo – e também nos EUA. Verdade é que Hillary dedicou toda a sua vida política a apoiar esse tipo de política e acordo supostos “de livre comércio”, mas que são violentamente oligopolistas.



    Por sua vez, Donald Trump – que merece o benefício da dúvida, no mínimo – declarou que se opõe ao Tratado da Parceria Trans-Pacífico, mesmo que o argumento dele (que o tratado beneficiaria a China) seja ridículo. Mas, pelo menos, Trump não dá sinais de sofrer de amor carnal pelo tal tratado; e ele, com certeza, se eleito, mais atrapalhará que ajudará a organizar os interesses a favor do tratado. Por isso também, Hillary Clinton emerge como candidata preferencial de Wall Street. 



    Esse talvez seja o motivo pelo qual Charles Koch, um bilionários de direita Irmãos Koch, recentemente admitiu que há alta probabilidade de ele apoiar Hillary Clinton, se Donald Trump obtiver a indicação como candidato dos Republicanos. Fato é que essa já é posição declarada de grande número de pensadores e estrategistas da direita e extrema direita neoconservadora, entre os quais Max Boot, que se referiu a Hillary Clinton como “vastamente preferível”; Robert Kagan, para quem Hillary está “salvando os EUA” e Eliot Cohen que descreveu Clinton como “o mal menor, sem sombra de dúvida, por larga margem.

    “

E por que todos esses neoconservadores privateiros de direita e extrema direita, e tantos ideólogos neoliberais da política dos EUA alinham-se tão organizadamente na defesa de Hillary Clinton? Por uma simples razão: se eleita, Clinton fará o que diz que fará. E no que tenha a ver com a América Latina, é importante para os EUA, para assegurar o controle e a exploração econômica, levar a cabo todas as mudanças de regime em curso naquele continente. 



    Desde a ascensão de Hugo Chávez, a América Latina anda pelas próprias pernas, democratizando as relações sociais e afastando-se cada vez mais do velho status de “quintal dos EUA”.

    Com Hillary Clinton e Wall Street trabalhando mãos nas mãos com os seus prestimosos serviçais de direita na América Latina, Washington tenta reposicionar-se e reassumir o controle. Todos pagaremos o preço disso, os povos da região e, sem dúvida, também os norte-americanos.*****

    [1] Eric Draitser é analista independente de Geopolítica, com base em New York City. Edita o website StopImperialism.org e a CounterPunch Radio. Recebe e-mails em [email protected].

    [2] A ideia dessa subordinação existe no Brasil desde 1952, quando o general Golbery da Costa e Silva escreveu, numa monografia para uso da Escola Superior de Guerra e em 1967 repetiu em seu Geopolítica e Poder, que o Brasil só teria futuro se se desenvolvesse “ancorado aos países desenvolvidos” (no pós-guerra, significava, claro, ‘ancorar o Brasil’ aos EUA). É a mesma ideia-projeto que está por trás do golpe militar de 1964 – do qual o general Golbery foi um dos principais teóricos, que levou o Brasil a quase meio século de ditadura militar, da qual ainda subsiste hoje muito “entulho autoritário”. E também, claro, que está por trás do neogolpe hoje em curso, atentado pelo vice-presidente Michel Temer, com a ajuda da tucanaria da privataria [NTs, com informações de http://mondediplo.com/2013/06/08latinam , traduzido ao português em http://www.conferenciapoliticaexterna.org.br/index.php/todas-as-noticias/13-internacional/43-brasil-cada-vez-maior-das-dificuldades-da-solidariedade-internacional-no-mundo-do-capital-global – leitura interessantíssima.]

  • :
    : * * * * 04:13 * * * * Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando: Viva o PT ! ! ! ! Viva os/as trabalhadores/as ! ! ! ! Viva o povo brasileiro ! ! ! !
    .:.
    * 1 * 2 * 13 * 4
    .:.
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
    * * * * * * * * * * * * *
    * * * *
    Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
    * * * *
    * * * * * * * * * * * * *
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

  • O casal estava sentado durante a discussão, enquanto José de Abreu estava em pé. E só cuspiu no casal no momento que vê o segurança do restaurante próximo a ele. Cuspiu e correu se esconder, e ainda tem coragem de chamar a vítima de covarde. Covarde é esse ptralha safado.

  • Edu,

    Você os qualificou direitinho, são ratos de esgoto que fogem ao contato com a luz. Segundo. “O Cafezinho” Temer -pede-oracao-a-feliciano-que-ordena-que-os-demonios-saiam-do-brasil. Logo, logo nos livraremos de todos os fascistas, inclusive do judiciário.

  • Eduardo tem que dar a sua definição do que é “fascista”,porque na definição clássica não tem nada de fascismo no casal.
    Vejo que os petistas e a esquerda usam e abusam do termo, parece que fascismo é quem não reza pela cartilha do partido.
    Virou “”modinha” o militante chamar quem não é fascista de fascista como recurso retórico.Começou na década de 60 , a new left americana descobriu que a maior ofensa para um conservador é chama lo de fascista exatamente o contrário que é um republicano conservador e dai em diante banalizaram o uso do termo.
    Pode notar quando começa “vocês” isso “vocês” aquilo, pode saber que é um intolerante falando escrevendo.
    O texto já começa agredindo ao desqualificar o casal nem precisa ler o texto completo para ver qual é o intuito , intimidar.
    O casal tem medo claro, quem vai se opor a máfia petista, imagina a retaliação que virá.
    Pior de tudo é ver um bom homem como é o Eduardo virar um membro da Stasi petista.

    • É muito simples: fascista é quem agride em locais públicos ou privados pessoas que têm opinião política diferente. Um exemplo: fascistas são os que foram ao velório do ex-presidente do PT José Eduardo Dutra insultar a família dele por o defunto ter presidido o partido em vida. Outro exemplo: fascistas são os que insultaram o maior símbolo da música popular brasileira, Chico Buarque de Holanda, em um restaurante por conta de sua opinião política. Mais um exemplo: fascistas são os que agrediram o cãozinho de uma garota na rua com pontapés por o animalzinho usar um lenço vermelho no pescoço. São centenas de exemplos só nos últimos meses. Vocês perderam o controle. Há que controlá-los de alguma forma. É preciso reagir. É só ver o que gente como você fez na Alemanha dos anos 1920/1930

      • Você esqueceu de falar da agressão a Mario Covas em maio de 2000, não esquecendo que o governador tratava de um câncer e estava em tratamento quimioterápico. Fascista tambem foi a atitude do presidente da Contag ameaçando invadir fazendas e residências.
        Achei fascista você dizer que quem acha que cusparada é coisa de afeminado tem problema na sua sexualidade. Quem gosta de viado tem problema com sua identidade sexual.

        • Enquanto centenas de agressões fascistas ocorrem diariamente você vem falar de algo que aconteceu 16 anos atrás e por culpa de Covas. Ninguém foi incomodá-lo enquanto jantava com a esposa em um restaurante, ele que pulou no meio de uma manifestação de professores empurrando e xingando todo mundo pra se vitimizar. Mas o mais hilariante é o “quem gosta de viado”. Cara, sai do armário. ESua sua preocupação com a intimidade sexual dos outros denota devaneios sexuais reprimidos. Há montes de estudos mostrando que todo homofóbico é um homossexual reprimido.

        • Mário Covas foi quem começou a roubalheira do psdb. Seus descendentes estão seguindo o avô. É só ver o covinha, na câmara municipal, os projetos de leis que ele vem apresentando. Estes fdp, sabendo que este é blog de petista, vem mostrar a falta de caráter, vergonha, honra (se é que sabem o que é isto) que possuem. Porcos, cada vez mais se chafurdam no lamaçal próprio.

      • O que você descreve não é fascismo.
        Observem o uso de “vocês” na escrita do petismo, eu já vi isso, o intuito é desumanizar o oponente,, com o tempo vai ser desculpa moral para atrocidades, “eu não matei seres humanos eles eram fascistas” troque fascistas por nazistas, comunistas, negros , judeus, burguesia etc.

        • Ora, ora… Mas quem agride pessoas nas ruas e locais públicos por sua ideologia são vocês. Quem desumaniza são vocês. São centenas de casos. Todo dia há uma agressão nova contra alguém por usar roupa vermalha ou meramente por ser simpatirante do PT, como José de Abreu e Chico Buarque. Vocês usam a palavra petista como desqualificação pré via, justamente para humanizar. Esse comentário é um deboche. Mas a culpa é minha. Porque publicar gente como você? Isso acaba aqui. Não haverá mais espaço para fascistas comentarem

  • Caro Eduardo
    Depois da nota covarde, onde o provocador, chama o Zé de Abreu de ter iniciado o desagravo, tenho comigo, que o tal Thiago tá ali de boi de piranha. Não acredito que seja ele, que no momento, estava com a Anna.
    A nota é repulsiva, e esconde a verdade.
    A globo, nunca ouviu os dois lados de muitas histórias, mas nessa fez questão.
    Saudações

  • Cara…

    Esse momento da vida brasileira

    está sendo tremendamente desgastante.

    Penso que além do golpe de 64, embora eu fosse moleque

    da periferia e não sabia de nada, mesmo depois, na adolescência,

    o que está acontecendo – o golpe 2 -, embora tenha consequências terríveis a longo prazo,

    está desmascarando parte da sociedade, que sempre colocou a culpa dos problemas nas mãos

    dos políticos. Aquele povo classe média que foi na Paulista segurar faixa de apoio ao Cunha, que

    elegeu os 380 quadrilheiros, etc, vão ter vida dura pela frente.

    Começa logo pela manhã quando neguinho olha no espelho e baixa os olhos…

  • Não tem que cuspir. É pouco. Com fascistas temos que tratar na porrada. Temos que reagir, caso contrário os fascistas vão fazer o que bem quer com o apoio do PIG.

    • Autoflagelação. Não resisti a piada. Facista é “quem agride pessoas na rua ou restaurantes por pensar diferente”. (Eduardo Guimarães em blog da cidadania em 3/5/2016). Boa.

  • Bom dia Edu!

    Os fascistas na realidade são bullies de escola que não se amadureceram ao chegar na vida adulta! É só você prestar atenção na atitude deles!

    Um abraço!

  • Os dois casais são um bando de otários.
    Aquele que aceita a provocação e agride também só está mostrando q é igual ao outro.
    Isso é uma palhaçada bando de ignorantes, típico de pessoas que acreditam ser melhor que os outros e acabam passando vergonha aí depois vão na televisão tentar explicar q estavam corretos.

  • Xiii, olha ai bem que eu avisei pra vocês tratarem bem e darem apoio à Vovó Mafalda ao invés de joga-lo às traças e deixá-lo à própria sorte.
    Por que não o acolheram e apoiaram (como foi com o Zé Dirceu, Genoíno, etc)? Só porquê ele não é um petista da gema?

    Pois é, ele se sentindo abandonado pelo PT resolveu entregar todo mundo e fez um grande estrago.
    E agora não tem mais jeito, o Janot não teve como segurar a bucha. A coisa vai azedar de vez:

    http://www.valor.com.br/politica/4547583/janot-pede-ao-stf-autorizacao-para-investigar-dilma-e-lula

      • Quem disse que o Aécio é meu chefe? É você que tá inventando.
        Se ele também entregou o Aécio é outros 500. E se for provado que é verdade o que ele fala do Aécio (e também do Lula) que ambos se lasquem e vão em cana juntos e fiquem numa mesma cela da Papuda com o Zé Dirceu e os empreiteiros da Lava Jato.
        O problema maior é ele entregar os companheiros do próprio partido, justamente por tê-lo jogado às traças num momento em que ele tentava de alguma forma – atabalhoada – calar o Cerveró pra coisa não ir adiante.
        O Zé Dirceu e é tido como herói do partido. Já ele… Coitado. Teve o desprezo.
        Não foi uma atitude inteligente o partido tê-lo desprezado, assim como na época do mensalão que o Zé Dirceu tratou com desprezo o Roberto Jefferson (ai ele ficou com raiva e chutou o pau da barraca).
        Tudo isso que está acontecendo hoje é que os petistas estão pagando caro por sua arrogância.

        Vocês petistas costumam automaticamente rotular aqueles que criticam os governos do PT de “tucanos”.
        Não tem o discernimento de que alguém pode não ter um partido de preferência e ser critico daqueles que roubam dinheiro público não importa o partido.
        Vocês foram testemunhas que os próprios “coxinhas verde/amarelos” que protestavam na Paulista contra o PT vaiaram o Alckmin e o Aécio quando eles apareceram por lá.
        Já os “coxinhas” vermelhos amam o Lula e a Dilma de paixão, aconteça o que acontecer…

        • Eles abandonaram a Vovó Mafalda porque ela foi gravada corrompendo. Assinou recibo! Aí ia dar muito na cara, né?
          Se você for petista, roubar mas não assinar recibo, ficando tudo em provas circunstanciais, ou documentais, mas sem sua letra, sem sua imagem e sem sua voz, você será protegido pela cumpanheirada. Garanto!!

  • Na minha humilde opinião, a defesa da democracia deve ser conduzida em moldes democráticos, com a sábia utilização de meios exclusivamente legais.

    Tudo o que extrapole a legalidade, e viole direitos de quem quer que seja, deve ser rigorosamente evitado e desestimulado, pois toda e qualquer forma de violência e abuso serve aos interesses da direita golpista.

    O fascismo foge dos debates sóbrios por não ser capaz de enfrentar a verdade e a lógica.

    Exemplo magnífico foi aquele do Baile do Funk de Copacabana no dia 16/04, pois mostrou como é possível marcar posição e atrair a tenção da sociedade de forma coerente, equilibrada e criativa.

    Creio, com base nas lições da História e na filosofia holística, dialética, que ocupações, bloqueios de vias e depredações, assim como porradas, insultos e cusparadas, são instrumentos apenas para os que não podem dispor do respeito perseverante e da argumentação consistente.

    Sigamos unidos e articulados, com perseverança e coerência.

  • Eu acho uma utopia ficarmos aqui esperando alguma ação honesta de coxinhas. Eles estão blindados pela grande mídia, elite branca, judiciário direitista e estão por cima da carne seca, não precisam se defender.

    • Parece também uma forma pejorativa de identificar o outro, aquele que pensa diferente. Continuo aguardando quem possa esclarecer o uso do adjetivo “fascista” especialnente no contexto em que vem sendo amplamente utilizado.

  • Caro Eduardo,

    Esse episódio é o reflexo do estado de desagregação e de degradação em que se encontra boa parte da sociedade brasileira, onde os valores das pessoas já não são mais respeitados.

  • Volto a reafirmar: fosse comigo, eu teria arrebentado os dois idiotas filhinhos de papai agressores do Zé de Abreu!!! Acho que não viveriam para contar história!!

  • Edu, sei que o assunto é outro, mas, peço a gentileza de mencioná-lo aqui. Há mais de uma semana, tem circulado entre os blogues e alguns políticos ditos progressistas (PHA, Tereza Cruvinel, Roberto Requião, Paulo Paim, etc.), uma proposta pra lá de ardilosa, dando conta de que a Dilma deveria renunciar e convocar novas eleições. Ora, isso seria de uma covardia indescritível. Seria dar um murro no nariz de quem está indo às ruas defender a Democracia. Isso não é ser democrata. É ser covarde. É fazer o serviço sujo do STF. É tudo o que a oposição golpista quer. Que ela renuncie e que se convoquem novas eleições, para liberar o STF de ter de chancelar o golpe. É dar um verniz de “democracia” no golpe. Surpreende muito que esses ditos progressistas estejam dantescamente se revelando marinistas. Defensores das idéias daquela oportunista. Se a Dilma renunciar, a leitura que será feita pela imprensa e por grandes segmentos da população será a de que ela o fez por ter culpa no cartório. Essa será a versão vendida. Se ela fizer isso, pode dizer adeus ao PT. O PT vai perder milhões de eleitores. Entre eles, perderá o meu voto. Nunca mais voto no PT para nada. E farei campanha contra.

    Peço a você, Edu, que tem acesso à PR, que mande um e-mail para ela e diga que, se ela renunciar, estará fazendo exatamente o que quer a oposição: livrar-se do governo sem o ônus do golpe. E, ao renunciar, levará consigo uma quantidade razoável de eleitores, que jamais voltarão a confiar no PT.

    Não consigo entender esse golpismo oportunista desses ditos progressistas (que estão se provando progressistas de araque). Por que viraram casaca? Será que não percebem que é isso o que os golpistas, a começar pela Globo, querem? Que a Dilma renuncie? Que o golpe seja lavado por uma medida pseudo-democrática?

    Ora, a Dilma foi eleita para ficar quatro anos no poder. Não foi eleita para dar uma de Jânio Quadros.

    Se fizer isso, fará a maior cagada da história. Terá dado um nocaute em si mesma e acabará com qualquer possibilidade de defesa de seu governo e de seu legado. E levará, consigo, o legado do Lula.

    [ ]s,
    Ninguém

  • Escrevi um texto sobre o fascismo dia desses.
    Espero que ajude a discussão:

    Fascismo à brasileira

    Cláudia Garcia

    Recomendo com veemência a leitura do texto “O fascismo eterno”, de Humberto Eco, escrito em 1995. Ele nos revela o fascismo italiano, de Mussolini, vivido pelo autor quando de sua meninice, bem como nos alerta para o recrudescimento de práticas e atitudes fascistas nos tempos atuais, em todo o mundo.
    Tendo este texto como base, podemos nos debruçar a esmiuçar o fascismo à brasileira. Prato indigesto com o qual estamos sendo servidos, de maneira mais sistemática, nestes últimos dois anos (de meados de 2014 até hoje, abril de 2016).

    1- O fascista brasileiro tem um medo irracional. É obcecado com a ideia da implantação do comunismo e acha que governos progressistas irão fazer isso. Não adianta lembrar a ele que na primeira eleição, em 2002, Lula obteve mais de 60% dos votos válidos, apoio da ampla maioria da população, sendo esse o melhor momento para “implantar o comunismo no Brasil”. E porque não o fez? Porque nunca houve essa intenção. Ao contrário, nesses anos todos, o Estado brasileiro ajudou a fortalecer as instituições financeiras e outros símbolos do “capital”. A intenção nunca foi a de acabar com as diferenças entre as classes sociais. Sabemos o quão utópico é ao menos pensar nisso… A intenção sempre foi a de diminuir, minimamente que seja, esse enorme abismo social. Num país onde, por exemplo, existe criança que possui sessenta pares de sapatos, não é possível que existam aquelas que são obrigadas a andar descalças.

    2- O fascista brasileiro tem ódio no coração. Ódio, muito ódio. Um ódio visceral, ilógico, irracional. Se vê a cor vermelha em uma peça de roupa (não importa se fazendo referência à bandeira da Suíça…), ataca ferozmente o portador do símbolo “comuna”. E aí comete todo o tipo de agressão às pessoas (públicas ou não) que são da corrente ideológica contrária à sua. Essa agressão vai desde a hostilização em restaurantes, aeroportos, hospitais, consultórios médicos… Numa espiral de ódio tão terrivelmente forte, tão terrivelmente triste…

    3- Cego pelo ódio, o fascista brasileiro não percebe que é manipulado por uma mídia golpista e criminosa. Pergunte ao fascista brasileiro porque ele odeia determinado político, por exemplo. Ele responderá: “Você é louco? Em que país você vive? Não lê jornais? Não vê a TV? Você recebe alguma benesse desse partido?”. Assim, vê e escuta, ano após ano, a exibição de reportagens que tem como intuito, única e exclusivamente, criar um ambiente de pensamento único: o de que há um partido corrupto, com gângsteres comunistas sedentos por poder e dinheiro, que destruiu um lindo e próspero país de homens probos e retos. Essa mídia, durante dois anos, escondeu todas as notícias alvissareiras e exibiu à exaustão as más notícias. Alimentou o medo, o ódio e o dissenso. A crise econômica que atingiu o Brasil, uma crise real, foi inflada de maneira artificial. As péssimas notícias veiculadas diuturnamente inibiram os investimentos e o consumo, piorando exponencialmente o que já estava ruim.

    4- O fascista brasileiro precisa de ídolos, de heróis, aqueles que farão o papel de “mocinhos” e os defenderão da terrível ameaça da bandidagem vermelha… Com o tempo, vai percebendo que estes ídolos têm os pés de barro. E que não há nada de relevante que desabone os tais “bandidos”…

    5- O fascista brasileiro é covarde: agride em bando, subjuga mulheres, idosos e pessoas sozinhas quando estas não compactuam de seu pensamento. Esconde-se, em sua covardia, sob perfis falsos na internet, para atacar, difamar, desmoralizar.

    6- O fascista brasileiro é oportunista: utiliza a justa indignação com a corrupção para apoiar um golpe contra o mandato de uma governante democraticamente eleita.

    7- O fascista brasileiro é troglodita e acha que resolverá os problemas sociais “no braço”. Para ele, “bandido bom é bandido morto”, direitos humanos são para “humanos direitos”, prefere construir cadeias a escolas. Esquece-se que a violência é um sintoma da falta de justiça social. Pensa que se extinguir a febre vai conseguir debelar a infecção… Mas, um detalhe: essa lógica torta só serve para o preto, o pobre e o morador da periferia.

    8- O fascista brasileiro finge ignorar as conquistas sociais dos últimos 13 anos: para ele não houve melhora na educação, por exemplo. Não, não foram abertas mais universidades, não houve aumento no número de vagas nos cursos de Medicina, não foi implementada a política de cotas, milhares de jovens não foram beneficiados pelo PROUNI, não aconteceu o REUNI, não aumentaram exponencialmente os contratos do FIES, não aconteceu o ENEM nem o SISU, não aconteceram centenas de incursões de universitários rondonistas Brasil afora, milhares de estudantes universitários não tiveram a oportunidade de fazer intercâmbio em outros países pelo Ciência Sem Fronteira, as universidades federais não foram modernizadas, inúmeras vagas em cursos técnicos não foram criadas…

    9- O fascista brasileiro não consegue conversar sobre política com quem discorde dele sem desqualificar o “oponente”. Debocha, ri, faz piada, mas não sustenta o diálogo por falta de embasamento teórico ou de um mínimo de lógica. Sua melhor performance está nas frases feitas e nas piadas preparadas por outros fascistas que ele replica ad infinitum. Isso porque parte dos fascistas brasileiros é bom de verve. Fala um monte de asneiras com uma convicção, uma firmeza, com uma desenvoltura tal, que você quase acredita…

    10- O fascista brasileiro lê muito pouco ou não lê. Prefere tentar entender a política vendo vídeos. E mensagens curtas via Facebook ou Whatsapp.

    11- Justamente porque não lê, o fascista brasileiro é facilmente manipulável. Contenta-se com as manchetes, com o primeiro parágrafo de um texto para “formar sua opinião”. Acredita, por exemplo, que o denominado Escândalo na Petrobrás é o maior escândalo da face da Terra, momento em que trilhões de bilhões de quaquilhões de reais foram surrupiados e estão no bolso da calça comprida do sapo barbudo… Acredita que o PT inaugurou a corrupção no Brasil e que todos, absolutamente todos os que pensam de forma diferente ou beneficiam-se da corrupção ou são funcionários do governo ou, ainda, recebem algum tipo de benefício social.

    12- O fascista brasileiro é péssimo em diferenciar a verdade da mentira, mas ótimo em fazer a mentira circular (sim, o fascista brasileiro é, ao mesmo tempo, muito ingênuo e muito maldoso). Repete tantas vezes a mentira que, inclusive, acaba por acreditar nela.

    13- O fascista brasileiro não entende, nunca entendeu as pautas que são historicamente defendidas pelas pessoas não fascistas: respeito aos negros, respeito à opção/orientação sexual, respeito às mulheres, contra o latifúndio, etc. Clama pelo “mês da consciência branca” e pelo “dia do orgulho hetero”, por exemplo. Culpa as mulheres quando elas são violentadas. Resmunga, contrariado, quando trabalhadores sem terra ocupam terras improdutivas (nunca ouviu falar na função social da terra).
    Para protestar, bate panelas. Não sabe que esse tipo de protesto foi o símbolo da classe média argentina empobrecida e de panelas vazias…

    14- O fascista brasileiro acha que as políticas de repasse de recursos às populações mais pobres são esmolas. Esquece-se que a cada 100,00 reais que 500 famílias de determinada cidade recebam, cada uma, serão cinquenta mil reais a aquecer a economia daquela cidade. Um governo popular sabe que, quando “injeta” dinheiro no sistema financeiro, esse dinheiro vai para a especulação. Quando “injeta” dinheiro nas famílias pobres, elas usam para a sua sobrevivência, gastam-no, fazendo o dinheiro circular e aquecer a economia local. Em seu preconceito, o fascista acha que esse benefício irá deixar as pessoas preguiçosas e sem vontade de crescer na vida: ele se esquece que a necessidade é finita, mas o desejo, infinito…

    15- O fascista brasileiro não sabe com o que sonham os brasileiros mais empobrecidos. Pensa que sonham em não trabalhar e viver do Estado. Não sabe que o brasileiro pobre quer exatamente, para si e para os seus, o que quer qualquer outra pessoa: ter sua casa própria (o maior sonho da maioria das famílias), ter comida de qualidade, saúde, educação, segurança, lazer, acesso à cultura, dignidade, respeito… Por achar que sabe o que as pessoas mais pobres querem, o fascista brasileiro aplaca sua culpa social doando aquilo que não quer mais, normalmente por já estar muito velho ou danificado. Esquece-se que os pobres recebem a doação de bom grado, por não terem alternativa, mas gostariam, isso sim, de entrar em uma loja e escolher, eles próprios, as roupas, sapatos e objetos que vão usar. Os pobres são carentes, principalmente, de direitos e não de caridade.

    16- O fascista brasileiro precisa de serviçais. Não porque não tenha tempo ou habilidade para cuidar de tarefas domésticas. Mas porque jamais se sujeitaria a lavar um vaso sanitário (o próprio que seja…). Jamais lavaria a própria roupa. Ter que pagar os direitos trabalhistas dessas pessoas (desses “serviçais”, desses trabalhadores de “segunda classe”) atiçou, ainda mais, o ódio do fascista contra um governo popular.

    17- O fascista brasileiro pratica a solidariedade seletiva. Consegue, por exemplo, arrecadar fundos e ser solidário com a família síria, que em busca de melhores condições de vida, fugindo da guerra, refugiou-se no Brasil. Mas não consegue ter um mínimo de solidariedade com a família haitiana que, em busca de melhores condições de vida, fugindo da miséria e da fome, refugiou-se no Brasil…

    18- O fascista brasileiro é racista, homofóbico, preconceituoso, machista e misógino. Ele só consegue reconhecer o “outro” se esse outro for um “ele mesmo”… Então ele não reconhece como merecedor de amparo e de direitos os negros, os homossexuais, os sem terra, os sem teto, os dependentes de drogas, os das religiões de matriz africana… Todos que não caibam em sua cartilha branca, heteronormativa, plutocrata, cristã.

    19- O fascista brasileiro é um falso moralista: preocupa-se com quem o outro dorme, a quem o afeto é dedicado, o que consome nos seus momentos de lazer, tudo em nome da “moral” e dos “bons costumes”. Mas frauda o fisco, estaciona em fila dupla, desrespeita vaga de idosos e deficientes, humilha os subordinados…

    20- O fascista brasileiro pratica a indignação seletiva: para ele, os mesmos doadores das campanhas eleitorais doam dinheiro sujo para os partidos de esquerda e dinheiro limpinho e sacrossanto para os partidos de direita. Querem punir, de preferência com a degola em praça pública, aqueles que cometeram crimes estratosfericamente menores desde que sejam da “esquerda”.

    21- O fascista brasileiro é desmemoriado: para ele, os tempos da ditadura militar que espancou, torturou e assassinou brasileiros e brasileiras, ou a época FHC que privatizou grandes companhias nacionais, vendendo-as a preço de banana para conglomerados estrangeiros foram tempos bons, subvertidos pelo perigo comunista do lulopetismo…

    22- O fascista brasileiro acha que ser de esquerda é ser comunista/petista/gaysista/comedor de criancinha/do foro de são Paulo/apoiador de ditadores etc., etc., etc. Acha que quem defende uma melhor distribuição das riquezas não pode consumir um produto caro ou morar em um lugar confortável. Não entende que a melhora social proposta no Brasil não tem por objetivo que todos tenham exatamente os mesmos bens, mas sim que todos tenham direito a uma vida digna, sem passar fome, com moradia, saneamento, escola, serviços de saúde… Parafraseando um pai que explica ao filho de cinco anos a diferença dos termos “esquerda” e “direita”, fingem não saber que é “de esquerda” todo aquele que almeja o bem comum, o bem da maior parte da sociedade e “de direita” aquele que almeja o próprio bem, o dos seus “iguais”.

    23- O fascista brasileiro é cínico: horroriza-se com um palavrão dito em uma conversa privada, entre dois adultos; mas cala-se, complacente, ante um estádio de futebol inteiro que xinga, dos mais abjetos nomes, uma senhora que tem quase setenta anos…Finge, no seu cinismo, ser aceitável, um adesivo de carro que simula o “estupro” dessa mesma senhora.

    24- O fascista brasileiro tem muita maldade no coração: para ele não importa o fato dos governos Lula e Dilma terem feito as taxas de mortalidade infantil despencarem ano a ano (filho de gente pobre morre muito mesmo, não é?). Importa é o dólar alto impedindo as viagens internacionais.

    25- O fascista brasileiro é boçal: acredita em meritocracia mesmo sabendo que este conceito só é válido quando o ponto de partida é o mesmo. Quer que o garoto que trabalha nos dois turnos, pega ônibus lotado para a escola, alimentação deficiente e não tem acesso a material de qualidade tenha tanto sucesso no vestibular quanto aquele que se dedica somente a estudar, com todo o apoio material de que necessita…

    26- O fascista brasileiro é burro. Burro porque não entende o jogo global de poder. Não entende que um país dividido, politicamente enfraquecido, é um prato feito para qualquer potência mundial que almeje as riquezas minerais desse país. Não consegue ver que o Foro de São Paulo é uma organização para o fortalecimento dos países da América Latina, assim como a União Europeia para os países daquele continente. Acha, em sua paranoica sandice crônica, que é uma tentativa de implantação do comunismo no continente americano…

    27- O fascista brasileiro é um falso nacionalista: abraça-se à bandeira do Brasil e canta com olhos marejados, voz alta e firme, o hino nacional. Mas compra o enxoval do filho em Miami (mesmo que isso custe a sobrevivência desse ramo da indústria têxtil brasileira); passeia na Europa e EUA sem conhecer nada ainda das belezas do próprio país (enchendo as burras de dinheiro desses países); cultua o Halloween mas não sabe nada do nosso folclore, critica festa junina, ajuda a pasteurizar o carnaval, não apoia o cinema nacional. Bebe da cultura alheia e cospe na nossa.

    28- O fascista brasileiro tem complexo de vira-latas. Acha lindo tudo o que vem dos EUA ou da Europa e despreza o Brasil ou a cultura latino americana. Acha natural vendermos, a preço de banana, nossas estatais (“estrangeiros administrariam melhor”, na ótica vira-latas deles…).

    29- O fascista brasileiro é cruel: chama “mortadelas” àqueles brasileiros mais pobres que vão às manifestações a favor da governante democraticamente eleita, mesmo sabendo que parte significativa da população foi beneficiada sim, por políticas de inclusão social e é essa a parcela que seria mais prejudicada numa possível paralisação das políticas sociais. Foram muitos os brasileiros que receberam do governo a sua primeira moradia ou a chance de voltar a estudar.

    30- O fascista brasileiro, em sua maioria, diz-se cristão mas age de forma diametralmente oposta àquela que o Cristo ensinou. Acusa sem provas, presta falso testemunho, mente, beneficia o rico em lugar do pobre, tem pavor a dividir, divulga a mentira, provoca a discórdia…. Com uma mão ajuda a destruir os sonhos dos despossuídos, com a outra, oferece o dízimo à igreja… Não percebe que, com seu fascismo, aparta de si o Jesus Cristo da misericórdia, da bondade, da justiça.

    • Compartilhei seu texto no Face, pois o considerei um dos mais lúcidos e bem escritos por aqui. Espero que me perdoe a insolência de fazê-lo antes de que você me autorizasse. Abraço, Luca.

      • Prezado Luca Barbabianca,
        Fiquei muito honrada com sua gentileza em compartilhar meu texto.
        Meus filhos dizem: “Pô mãe, pára de escrever textão…ninguém lê!”
        Viu só? Eles estão errados: você leu!
        Um abraço,
        Cláudia

  • Exclusivo! A trama internacional que sustenta o GOLPE NO BRASIL!

    O acovardamento do STF e toda a JUSTIÇA brasileira tem um porquê!

    ESPIONAGEM, CHANTAGEM, AMEAÇAS, CRIMES!

    Parlamentares amedrontados, instituições neutralizadas, compra de votos, O SUBMUNDO DO GOLPE que nos atinge.

    Como será o amanhã? Como reagiremos? Como impediremos o enredo já traçado?

    Leiam em: LUZ, CÂMERA, AÇÃO!!! A HORA DO CONTRAGOLPE CHEGOU!!!
    https://rebeldesilente.wordpress.com/2016/05/04/luz-camera-acao-a-hora-do-contragolpe-chegou/

  • Venho reiterar comentário postado no início da tarde de ontem, para verificar se a não liberação do mesmo foi decorrente de alguma falha técnica.

    A hipótese de o referido comentário haver sido desaprovado pela moderação do blog parece pouco provável, inclusive por se tratar de texto que reproduz comentário liberado anteriormente em outra notícia sobre o mesmo assunto editada neste mesmo espaço.

    Aproveito o ensejo para mencionar que a exibição de mensagem que confirme a envio do comentário é item que pode agregar valor ao funcionamento deste admirado site.

    [Segue reiteração do comentário acima referido.]

    COERÊNCIA É ESSENCIAL

    Na minha humilde opinião, a defesa da democracia deve ser conduzida em moldes democráticos, com a sábia utilização de meios exclusivamente legais.

    Tudo o que extrapole a legalidade, e viole direitos de quem quer que seja, deve ser rigorosamente evitado e desestimulado, pois toda e qualquer forma de violência e abuso serve aos interesses da direita golpista.

    O fascismo foge dos debates sóbrios por não ser capaz de enfrentar a verdade e a lógica.

    Exemplo magnífico foi aquele do Baile do Funk de Copacabana no dia 16/04, pois mostrou como é possível marcar posição e atrair a tenção da sociedade de forma coerente, equilibrada e criativa.

    Creio, com base nas lições da História e na filosofia holística, dialética, que ocupações, bloqueios de vias e depredações, assim como porradas, insultos e cusparadas, são instrumentos apenas para os que não podem dispor do respeito perseverante e da argumentação consistente.

    Sigamos unidos e articulados, com perseverança e coerência.

  • Prezado Edu,

    Postei em meu FB o seguinte comentário dois dias após o ocorrido:

    Sobre cuspes e cusparadas

    Ainda que abomináveis, porquê agressões, os tão na moda, cuspes e cusparadas diferem fundamentalmente de socos e pontapés: estes provêm de uma raiva incontida, aqueles são gerados pelo desprezo, pelo nojo.
    Alguém em sã consciência acredita que o ator José de Abreu tenha saído de casa para jantar com sua esposa em um restaurante pensando deliberadamente que “hoje vou cuspir em uns dois ou três”? Certamente que não. O referido ator, figura pública e largamente conhecida, sequer ocupa cargo público.
    O fato que me causa espécie, entretanto, é a importância desproporcional dada ao seu gesto de cuspir no rosto de dois cidadãos que o ofenderam simplesmente por pensar de forma distinta das suas. Ao que me conste, sob a Constituição de 1988, que muitos querem rasgar, todos temos o direito de pensar e nos expressar. Ao fazê-lo, portanto, o ator não cometeu crime algum. Já seus detratores, ao privá-lo de seu direito, sim, cometeram crime. Basesdos e apoiados por uma imprensa fascita, parcial e comprometida, o crime destes fascistóides de plantão é desconsidetado ou considerado irrelevante e as cusparadas consideradas hediondas.
    Normalmente cuspimos, quando necessário, em uma pia, numa privada, em uma lata de lixo, no esgoto. Ao sofrer as agressões advindas de dois párias o ator simplesmente cuspiu no esgoto, nas duas privadas mais próximas. Cuspe que saiu assim como um grito de NÃO ao estupro mental e intelectual sofrido. Cuspiu por você que não se deixa manipular, cuspiu por mim.
    Beira o surreal ter de pedir isto, mas vou fazê-lo: – Pelo amor de Deus, deixem-nos pensar!

Deixe uma resposta