Cadeia para os deputados bandidos que salvaram Temer

Destaque, Opinião do blog, Todos os posts

Foi amplamente denunciado que o presidente da República Michel Temer gastou 11 bilhões de reais de dinheiro público para comprar votos de deputados para votarem a favor do relatório da Comissão de Constituição e Justiça que rejeitou autorização para que o Supremo Tribunal Federal o processe por corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Também é de conhecimento público que as obras que viabilizaram as propinas que o presidente da República recebeu custaram 32 bilhões de reais aos cofres públicos.

Os parlamentares que votaram a favor de Temer mentiram criminosa e acintosamente ao país. Alguns chegaram a dizer que ao microfone, diante das câmeras de TV, no Plenário da Câmara, que o que estava sendo votado era a “substituição do presidente da República”. Outros chegaram a dizer que votavam a favor do presidente-bandido porque a economia estaria “melhorando”.

Todos também sabem que a última pesquisa Datafolha detectou que 94% dos brasileiros reprovam Temer e que 95% acham que o país está no rumo errado. Qualquer um entende, portanto, que o custo eleitoral para os deputados que votaram a favor dele na sessão da Câmara desta quarta-feira (25) cometeram uma espécie de haraquiri político.

É óbvio que essa maioria que votou a favor de um governo tão rejeitado e suspeito certamente recebeu “recompensa” substancial para agir como agiu. Some-se a isso notícias sobre quanto custou essa “absolvição” e tem-se aí um dos maiores assaltos aos cofres públicos da história brasileira, razão pela qual os deputados que votaram a favor de Temer merecem cadeia.

 

57 comments

  • Quem vai prendê-los? Nosso justiceiro coxinha?
    Temos, como diz o PHA, que assimilar a derrota para entender o processor
    Nós perdemos meu caro. O golpe avança!!

  • Engraçado é ver petista, eleitor de Temer, falando em assalto as cofres públicos. Vocês quebraram a Petrobras, os Correios, os fundos de pensão. Segundo delação de Joesley, cada voto a favor de Dilma no impeachment custou, em dinheiro vivo, 5.000.000,00 em compra direta do voto e não em liberação de mendas.

    • Mentiroso, babaca, safado… ninguém votou no traíra para presidente… ele se juntou ao bandido do Aécio, em que vc votou, para arruinar o país, e com ajuda de contas como vc… quem joesley comprou para derrubar Dilma foram seus parlamentares bandidos, e com muito dinheiro.. mentiroso, essa ck.pra de que vc fala não existe .. agora, graças a imbecil como vc, 32bi foram para a bandidagem…

      • Oi Leandro
        Como você é inteligente.
        Em qual banheiro do dória você se formou.
        Já ganhou a ração do dia com esse bostário.
        Não gosto de responder troll. Ma tem hora que…..

      • É mesmo?? E como ele se elegeu vice presidente? Refresque a memória…..

        “. Lula elogiou o papel do vice-presidente Michel Temer, “que tem cumprido papel particularmente significativo” no governo Dilma Rousseff.” 02/03/2013 às 11h24

        • O nome disso é política!As mesmas pessoas que criticavam não só o Lula, mas o PT e toda a esquerda, de ser radical, nunca criticaram a direita e o PMDB de serem desonestos, agora o criticam por ter feito concessão, a um partido que sempre esteve no poder.Isto tem um nome, vamos ver se você adivinha: C R E _ I N I C E!Complete com a letra que está faltando.

        • Leandro, deixe de ser otário. Ninguém vota no titular pensando no vice. É o mesmo que casar com uma moça pensando na sogra. Vá entubar uma brachola ou enfurnar um robalo. Melhor: vá pra puta que o pariu. Vá ser burro lá na casa do caralho.

          • Como não.Nos últimos 30 anos tivemos governos de 3 vices.Ninguem casa pensando na sogra, mas casa pensando no divórcio, caso contrário não seria necessário contrato de casamento.Quem elegeu temer foi o pt.

    • Primeiro, ninguém aqui acredita em seus argumentos piguentos e afirmações mentirosas. Segundo, o eleitor de temer é o eleitor de aécio, dória, serra, alckmim, bolsonaro… ou você vai jogar a culpa do traidor no traido(a)? E você me vem com essas afirmações nessa altura do campeonato?! Não seja otário rapaz!!

    • Você seu coxinha, que diz ser contra qualquer tipo de corrupção, tinha que ter sido O PRIMEIRO a ir na rua contra o Temer!!! Essa história do voto dos petistas em relação ao Temer é conversa para boi dormir seu trouxa!!!! Quem colocou este crápula lá, foram vocês coxinhas ao ir na micareta da CBF seu babaca!!!

      • É mesmo?? E como ele se elegeu vice presidente? Refresque a memória…..

        “. Lula elogiou o papel do vice-presidente Michel Temer, “que tem cumprido papel particularmente significativo” no governo Dilma Rousseff.” 02/03/2013 às 11h24

        • Não interessa esse seu argumento bobão!!! Vocês coxinhas tinham a obrigação moral de serem os primeiros a ir para a rua contra este crápula! Porque vocês se diziam paladinos anticorrupção! Seu hipocrita de m****!!! Vai para a PQP!!!

    • Parabéns Leandro, você é brilhante! Deveria escrever para o Globo, Veja ou melhor ainda o Washington Post. Não tinha me tocado que a culpa inteira da situação no Brasil atualmente é minha, que fui trouxa e votei na chapa Dilma-Temer. Me arrependo arduamente pela minha burrice.

      Obrigado por esclarecer que no sistema de governo que temos o vice presidente é quem retém todo o poder. Não deixa os mortadelas daqui tentar te convencer que a Câmara dos Deputados, o Senado e o STF tem algum poder. A final o vice presidente Temer, aquele petralha, deve ter usado algum controle mental comunista que ele aprendeu na Venezuela para controlar a mente dos tucanos e PFLs para que redigissem e aprovassem todas as medidas desastrosas do seu governo.

      O petralha do Temer inclusive deve ter armado aquela mala de dinheiro para o boníssimo Aécio Neves, para quem eu deveria ter votado. Ele também deve ter usado de alguma subversão da família forçar o José Serra, para quem eu deveria ter votado ao invés da Dilma na última eleição, a entregar o pré-sal pros Americanos e a Europeus. De fato é tudo culpa minha mesmo. Obrigado mesmo por esclarecer as coisas.

      P.S. Sua tese de que a Dilma pagou suborno para que os excelentíssimos parlamentares da direita votassem no impeachment dela é coisa de super gênio. Sou seu fã eterno.

      • E quem vai assumir?
        Espera uma intervenção divina?A volta de Jesus?Ele também foi perseguido, pelo mesmo tipo de pessoa que agora persegue o Lula.E que perseguiu Sócrates na antiguidade.E que matou John Kennedy, John lennon, Matin luther King, Stanley Meyer, Omar Torrijos, , Jaime Roldós, etc.

    • Petista votou na Dilma, cabeça da chapa, nós PETRALHAS nunca votaríamos se Temer fosse o cabeça da chapa, entendeu? Quem foi pra ruas como vc, Paneleiro e Pato da Fiesp é que com certeza votou no PÓecio. Não fale do que vc não sabe, sou funcionária dos Correios e lá sempre foi reduto da QUADRILHA do TEMER, do PMDB, o primeiro presidente do POSTALIS foi o deputado corrupto Heráclito Fortes, nomeado pelo então presidente também corrupto e ladrão, SARNEY, quem quebrou o Brasil foi a tua quadrilha TUCANA junto com o TEMER e o juizeco corrupto da Lava Jato, quando quebrou e decretou o fechamento das Construtoras… vc são AMESTRADOS e alfabetizados pela sonegadora de impostos Globo, vai estudar, ainda dá tempo.

  • O Traíra tem cada vez menos votos para fazer a Reforma da Previdência,vai continuar sangrando com uma popularidade próxima a 0 e os tucanos apoiando.Conclusão Lula ganhará no primeiro turno em 2018.

  • Prezado Eduardo:
    “Qualquer um entende, portanto, que o custo eleitoral para os deputados que votaram a favor dele na sessão da Câmara desta quarta-feira (25) cometeram uma espécie de haraquiri político.” Só pratica haraquiri quem tem honra( ex. os guerreiros e nobres do Japão e o reitor da UFSC, este último entre nós brasileiros. Quanto a esse bando de depufede( como dizia Stanilaw Ponte Preta) eles não conhecem o significado de honradez nem o de prestar serviços ao país. São traidores de seus eleitores e como tal devem ser tratados. Anote, muitos deles serão candidatos no futuro e certamente serão eleitos.Vale a pena ler o livro O NOBRE DEPUTADO-Relato chocante e verdadeiro de como nasce, cresce e se perpetua um Corrupto na política brasileira, de Marlon Reis, Ed. LEYA

  • Infelizmente Eduardo, o Brasil retrocede moralmente a cada dia. Levará tempo para o sofrido povo brasileiro assimilar que está derrotado e reagir. Espero que um dia reaja.

  • ♫ A junta médica que atende ao Exmo. Sr. Dr. Michê Temer divulgou agora à noite o seguinte comunicado:
    “Não foi infelizmente possível reverter o quadro clínico apresentado anteriormente pelo paciente, a condição SSPP – Só Serve Para Pipi. O agravamento manifestou-se rapidamente e os procedimentos realizados não impediram que a situação evoluísse para CLJF – Corta Logo e Joga Fora.
    Destarte, os médicos optaram pela ablação total do pinguelo do presidente, à qual procederam com a presteza e a diligência que a situação exigia. Transcorridas agora 12 horas desde a cirurgia, comunicamos que o paciente passa bem e apresenta-se conformado com o estado de radicalmente capado.”
    Brasília, 25 de outubro de 2017

  • Infelizmente Eduardo, o Brasil retrocede moralmente a cada dia. Levará tempo para o sofrido povo brasileiro assimilar que está derrotado e reagir. Espero que um dia reaja.”…

    ESSE é o blog “moderno & seguro” que você pediu dinheiro para desenvolver???

  • “Qualquer um entende, portanto, que o custo eleitoral para os deputados que votaram a favor dele na sessão da Câmara desta quarta-feira (25) cometeram uma espécie de haraquiri político.”. Vê-se que o blogueiro não entende nada de política. A enorme maioria dos eleitores nem sabem em qual deputado votou nas últimas eleições. Em 2018 , muito menos saberá de que forma os deputados votaram. Se o eleitor tivesse memória , Collor e Renan Calheiros não estariam no senado. Melhor você voltar à representação comercial. A depender de análises políticas o blogueiro morre de fome !

  • O cidadão chama petista de eleitor de Temer. Eu fico impressionado que o sujeito vive no Brasil, escreve e lê nos blogs e fala uma besteira dessas sem nenhum constrangimento. Será que ele realmente ainda não entendeu o funcionamento do sistema político brasileiro? Ou será má fé mesmo?

  • DEPUTADOS QUE FECHARAM COM A CORRUPÇÃO
    Beto Barata 247
    Com 251 votos favoráveis ao parecer da CCJ, que recomenda a rejeição da denúncia por obstrução da Justiça e organização criminosa, o Plenário acaba de salvar Michel Temer, que segue no cargo, mesmo tendo sido alvo de duas denúncias e sendo reprovado por mais de 90% da população; confira como votou cada parlamentar
    25 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 21:47 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

    Revista Fórum – Depois da tentativa da oposição de obstruir a votação da segunda denúncia contra Michel Temer na Câmara dos Deputados, o Plenário da Casa atingiu quórum suficiente e, no final da tarde desta quarta-feira (25), aprovou por maioria a rejeição da denúncia por obstrução da Justiça e organização criminosa contra o peemedebista.

    A denúncia havia sido oferecida pela procuradoria-geral da República com base nas delações da JBS. De acordo com órgão, Temer, ao lado dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), formaram uma organização criminosa que teria recebido ao menos R$ 587 milhões em propina e atuado para atrapalhar as investigações.

    Foram 251 votos favoráveis ao parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que recomendava a não autorização da abertura de inquérito contra Temer no STF. 233 deputados votaram contra o parecer. Para que o inquérito fosse autorizado, eram necessários 342 votos.

    Com a decisão, Temer, que liberou milhões em emendas parlamentares, segue sendo o único presidente da história a ser denunciado em pleno exercício do mandato e, mais do que isso, ter as denúncias rejeitadas. Em agosto, o peemedebista foi salvo na Câmara de ter inquérito aberto no STF por corrupção passiva.

    Confira, abaixo, como votou cada deputado.

    Roraima

    Abel Mesquita Jr. (DEM) – não
    Carlos Andrade (PHS) – não
    Édio Lopes (PR) – sim
    Hiran Gonçalves (PP) – sim
    Jhonatan de Jesus (PRB) – sim
    Maria Helena (PSB) – sim
    Remídio Monai (PR) – sim
    Shéridan (PSDB) – não

    Rio Grande do Sul

    Afonso Hamm (PP) – não
    Afonso Motta (PDT) – não
    Alceu Moreira (PMDB) – sim
    Bohn Gass (PT) – não
    Cajar Nardes (Pode) – sim
    Carlos Gomes (PRB) – sim
    Covatti Filho (PP) – sim
    Danrlei de Deus Hinterholz (PSD) – não
    Darcísio Perondi (PMDB) – sim
    Giovani Cherini (PDT) – sim
    Heitor Schuch (PSB) – não
    Henrique Fontana (PT) – não
    Jerônimo Goergen (PP) – não
    João Derly (Rede) – não
    Jones Martins (PMDB) – sim
    José Fogaça (PMDB) – sim
    José Otávio Germano (PP) – sim
    Jose Stédile (PSB) – não
    Luis Carlos Heinze (PP) – não
    Marco Maia (PT) – não
    Marcon (PT) – não
    Maria do Rosário (PT) – não
    Mauro Pereira (PMDB) – sim
    Onyx Lorenzoni (DEM) – não
    Paulo Pimenta (PT) – não
    Pepe Vargas (PT) – não
    Pompeo de Mattos (PDT) – não
    Renato Molling (PP) – sim
    Ronaldo Nogueira (PTB) – sim
    Sérgio Moraes (PTB) – sim
    Yeda Crusius (PSDB) – ausente

    Santa Catarina

    Carmen Zanotto (PPS) – não
    Celso Maldaner (PMDB) – sim
    Cesar Souza (PSD) – sim
    Décio Lima (PT) – não
    Esperidião Amin (PP) – não
    Geovania de Sá (PSDB) – não
    João Paulo Kleinübing (PSD) – não
    João Rodrigues (PSD) – sim
    Jorge Boeira (PP) – não
    Jorginho Mello (PR) – não
    Marco Tebaldi (PSDB) – ausente
    Mauro Mariani (PMDB) – não
    Pedro Uczai (PT) – não
    Rogério Peninha Mendonça (PMDB) – sim
    Ronaldo Benedet (PMDB) – sim
    Valdir Colatto (PMDB) – sim

    Amapá

    André Abdon (PP) – sim
    Cabuçu Borges (PMDB) – sim
    Janete Capiberibe (PSB) – não
    Jozi Araújo (Pode) – sim
    Marcos Reategui (PSD) – sim
    Professora Marcivania (PCdoB) – não
    Roberto Góes (PDT) – Ausente
    Vinicius Gurgel (PR) – Ausente

    Pará

    Arnaldo Jordy (PPS) – não
    Beto Faro (PT) – não
    Beto Salame (PP) – sim
    Delegado Éder Mauro (PSD) – não
    Edmilson Rodrigues (Psol) – ausente
    Elcione Barbalho (PMDB) – sim
    Francisco Chapadinha (Pode) – sim
    Hélio Leite (DEM) – sim
    Joaquim Passarinho (PSD) – não
    José Priante (PMDB) – sim
    Josué Bengtson (PTB) – sim
    Júlia Marinho (PSC) – sim
    Lúcio Vale (PR)- sim
    Nilson Pinto (PSDB) – sim
    Simone Morgado (PMDB) – sim
    Wladimir Costa (SD) – sim
    Zé Geraldo (PT) – não

    Paraná

    Alex Canziani (PTB) – sim
    Alfredo Kaefer (PSL) – sim
    Aliel Machado (Rede) – não
    Assis do Couto (PDT) – não
    Christiane de Souza Yared (PR) – não
    Delegado Francischini (SD) – não
    Diego Garcia (PHS) – não
    Dilceu Sperafico (PP) – sim
    Edmar Arruda (PSD) – sim
    Enio Verri (PT) – não
    Evandro Roman (PSD) – sim
    Giacobo (PR) – sim
    Hermes Parcianello (PMDB) – sim
    João Arruda (PMDB) – sim
    Leandre (PV) – não
    Leopoldo Meyer (PSB) – não
    Luciano Ducci (PSB) – não
    Luiz Carlos Hauly (PSDB) – sim
    Luiz Nishimori (PR) – sim
    Nelson Meurer (PP) – sim
    Nelson Padovani (PSDB) – sim
    Osmar Bertoldi (DEM) – sim
    Osmar Serraglio (PMDB) – sim
    Reinhold Stephanes (PSD)- sim
    Rubens Bueno (PPS) – não
    Sandro Alex (PSD) – sim
    Sergio Souza (PMDB) – sim
    Takayama (PSC) – sim
    Toninho Wandscheer (Pros) – sim
    Zeca Dirceu (PT) – não

    Mato Grosso do Sul

    Carlos Marun (PMDB) – sim
    Dagoberto Nogueira (PDT) – não
    Elizeu Dionizio (PSDB) – sim
    Geraldo Resende (PSDB) – sim
    Mandetta (DEM) – não
    Tereza Cristina (PSB) – sim
    Vander Loubet (PT) -não
    Zeca do PT (PT) – não

    Amazonas

    Alfredo Nascimento (PR) – sim
    Átila Lins (PSD) – sim
    Carlos Souza (PSD) – ausente
    Conceição Sampaio (PP) – não
    Hissa Abrahão (PDT) – ausente
    Pauderney Avelino (DEM) – sim
    Sabino Castelo Branco (PTB) – ausente
    Silas Câmara (PRB) – sim

    Rondônia

    Expedito Netto (PSD) – não
    Lindomar Garçon (PRB) – sim
    Lucio Mosquini (PMDB) – sim
    Luiz Cláudio (PR) – sim
    Marcos Rogério (DEM) – não
    Mariana Carvalho (PSDB) – não
    Marinha Raupp (PMDB) – sim
    Nilton Capixaba (PTB) – sim

    Goiás

    Alexandre Baldy (Pode) – sim
    Célio Silveira (PSDB) – sim
    Daniel Vilela (PMDB) – sim
    Delegado Waldir (PR) – não
    Fábio Sousa (PSDB) – não
    Flávia Morais (PDT) – não
    Giuseppe Vecci (PSDB) – sim
    Heuler Cruvinel (PSD) – não
    João Campos (PRB) – não
    Jovair Arantes (PTB) – sim
    Lucas Vergilio (SD) – sim
    Magda Mofatto (PR) – sim
    Marcos Abrão (PPS) – não
    Pedro Chaves (PMDB) – sim
    Roberto Balestra (PP) – sim
    Rubens Otoni (PT) – não
    Thiago Peixoto (PSD) – sim

    Distrito Federal

    Alberto Fraga (DEM) – sim
    Augusto Carvalho (SD) – não
    Erika Kokay (PT) – não
    Izalci Lucas (PSDB) – sim
    Laerte Bessa (PR) – sim
    Rogério Rosso (PSD) – sim
    Ronaldo Fonseca (Pros) – sim
    Rôney Nemer (PP) – sim

    Acre

    Alan Rick (DEM) – não
    Angelim (PT) – não
    César Messias (PSB) – não
    Flaviano Melo (PMDB) – sim
    Jéssica Sales (PMDB) – sim
    Leo de Brito (PT) – não
    Moisés Diniz (PCdoB) – não
    Rocha (PSDB) – não

    Tocantins

    Carlos Henrique Gaguim (Pode) – sim
    César Halum (PRB) – sim
    Dulce Miranda (PMDB) – sim
    Irajá Abreu (PSD) – não
    Josi Nunes (PMDB) – ausente
    Lázaro Botelho (PP) – sim
    Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM) – sim
    Vicentinho Júnior (PR) – sim

    Mato Grosso

    Adilton Sachetti (PSB) – sim
    Carlos Bezerra (PMDB) – sim
    Ezequiel Fonseca (PP) – sim
    Fabio Garcia (PSB) – sim
    Nilson Leitão (PSDB) – sim
    Professor Victório Galli (PSC) – sim
    Rogério Silva (PMDB) – sim
    Ságuas Moraes (PT) – não

    São Paulo

    Alex Manente (PPS) – não
    Alexandre Leite (DEM) – abstenção
    Ana Perugini (PT) – não
    Andres Sanchez (PT) – não
    Antonio Bulhões (PRB) – sim
    Antonio Carlos Mendes Thame (PV) – não
    Arlindo Chinaglia (PT) – não
    Arnaldo Faria de Sá (PTB) – não
    Baleia Rossi (PMDB) – sim
    Beto Mansur (PRB) – sim
    Bruna Furlan (PSDB) – sim
    Capitão Augusto (PR) – não
    Carlos Sampaio (PSDB) – não
    Carlos Zarattini (PT) – não
    Celso Russomanno (PRB) – sim
    Dr. Sinval Malheiros (Pode) – sim
    Eduardo Bolsonaro (PSC) – não
    Eduardo Cury (PSDB) – não
    Eli Corrêa Filho (DEM) – sim
    Evandro Gussi (PV) – sim
    Fausto Pinato (PP) – sim
    Flavinho (PSB) – não
    Gilberto Nascimento (PSC) – sim
    Goulart (PSD) – sim
    Guilherme Mussi (PP) – sim
    Herculano Passos (PSD) – sim
    Ivan Valente (Psol) – não
    Izaque Silva (PSDB) – não
    Jefferson Campos (PSD) – não
    João Paulo Papa (PSDB) – não
    Jorge Tadeu Mudalen (DEM) – sim
    José Mentor (PT) – não
    Keiko Ota (PSB) – não
    Lobbe Neto (PSDB) – não
    Luiz Lauro Filho (PSB) – não
    Luiza Erundina (Psol) – não
    Major Olimpio (SD) – não
    Mara Gabrilli (PSDB) – ausente
    Marcelo Aguiar (DEM) – sim
    Marcelo Squassoni (PRB) – sim
    Marcio Alvino (PR) – sim
    Miguel Haddad (PSDB) – não
    Miguel Lombardi (PR) – sim
    Milton Monti (PR) – sim
    Missionário José Olimpio (DEM) – sim
    Nelson Marquezelli (PTB) – sim
    Nilto Tatto (PT) – não
    Orlando Silva (PCdoB) – não
    Paulo Freire (PR) – ausente
    Paulo Maluf (PP) – sim
    Paulo Pereira da Silva (SD) – sim
    Paulo Teixeira (PT) – não
    Pollyana Gama (PPS) – não
    Pr. Marco Feliciano (PSC) – sim
    Renata Abreu (Pode) – não
    Ricardo Izar (PP) – sim
    Ricardo Tripoli (PSDB) – não
    Roberto Alves (PRB) – sim
    Roberto de Lucena (PV) – sim
    Roberto Freire (PPS) – não
    Sérgio Reis (PRB) – não
    Silvio Torres (PSDB) – não
    Tiririca (PR) – não
    Valmir Prascidelli (PT) – não
    Vanderlei Macris (PSDB) – não
    Vicente Candido (PT) – não
    Vicentinho (PT) – não
    Vinicius Carvalho (PRB) – sim
    Vitor Lippi (PSDB) – não
    Walter Ihoshi (PSD) – sim

    Maranhão

    Aluisio Mendes (Pode) – sim
    André Fufuca (PP) – sim
    Cleber Verde (PRB) – sim
    Eliziane Gama (PPS) – não
    Hildo Rocha (PMDB) – sim
    João Marcelo Souza (PMDB) – sim
    José Reinaldo (PSB) – sim
    Julião Amin – (PDT) – não
    Junior Marreca (PEN) – sim
    Juscelino Filho (DEM) – sim
    Luana Costa (PSB) – ausente
    Pedro Fernandes (PTB) – sim
    Rubens Pereira Júnior (PCdoB) – não
    Sarney Filho (PV) – sim
    Victor Mendes (PSD) – sim
    Waldir Maranhão (PP) – não
    Weverton Rocha (PDT) – não
    Zé Carlos (PT) – não

    Ceará

    Adail Carneiro (PP) – ausente
    André Figueiredo (PDT) – não
    Aníbal Gomes (PMDB) – sim
    Ariosto Holanda (PDT) – não
    Cabo Sabino (PR) – não
    Chico Lopes (PCdoB) – não
    Danilo Forte (PSB) – sim
    Domingos Neto (PSD) – sim
    Genecias Noronha (SD) – sim
    Gorete Pereira (PR) – sim
    José Airton Cirilo (PT) – não
    José Guimarães (PT) – não
    Leônidas Cristino (PDT) – não
    Luizianne Lins (PT) – não
    Macedo (PP) – sim
    Moses Rodrigues (PMDB) – sim
    Odorico Monteiro (PSB) – não
    Raimundo Gomes de Matos (PSDB) – sim
    Ronaldo Martins (PRB) – sim
    Vaidon Oliveira (DEM) – sim
    Vicente Arruda (PDT) – não
    Vitor Valim (PMDB) – não

    Rio de Janeiro

    Alessandro Molon (Rede) – não
    Alexandre Serfiotis (PMDB) – sim
    Alexandre Valle (PR) – sim
    Altineu Côrtes (PMDB) – sim
    Arolde de Oliveira (PSC) – não
    Aureo (SD) – sim
    Benedita da Silva (PT) – não
    Cabo Daciolo (Avante) – não (pediu intervenção militar)
    Celso Jacob (PMDB) – ausente
    Celso Pansera (PMDB) – não
    Chico Alencar (Psol) – não
    Chico D’Angelo (PT) – não
    Cristiane Brasil (PTB) – sim
    Dejorge Patrício (PRB) – sim
    Deley (PTB) – não
    Ezequiel Teixeira (Pode) – ausente
    Felipe Bornier (Pros) – não
    Francisco Floriano (DEM) – sim
    Glauber Braga (Psol) – não
    Hugo Leal (PSB) – não
    Jair Bolsonaro (PSC) – não
    Jandira Feghali (PCdoB) – não
    Jean Wyllys (Psol) – não
    Julio Lopes (PP) – sim
    Laura Carneiro (PMDB) – não
    Leonardo Picciani (PMDB) – sim
    Luiz Carlos Ramos (Pode) – não
    Luiz Sérgio (PT) – não
    Marcelo Delaroli (PR) – sim
    Marcelo Matos (PHS) – não
    Marco Antônio Cabral (PMDB) – sim
    Marcos Soares (DEM) – ausente
    Miro Teixeira (Rede) – não
    Otavio Leite (PSDB) – não
    Paulo Feijó (PR) – sim
    Pedro Paulo (PMDB) –
    Roberto Sales (PRB) -sim
    Rodrigo Maia (DEM) – presidente da Casa, não vot
    Rosangela Gomes (PRB) – sim
    Sergio Zveiter (Pode) – não
    Simão Sessim (PP) – sim
    Soraya Santos (PMDB) – sim
    Sóstenes Cavalcante (DEM) – não
    Wadih Damous (PT) – não
    Walney Rocha (PEN) – sim
    Zé Augusto Nalin (PMDB) – sim

    Espírito Santo

    Carlos Manato (SD) – não
    Dr. Jorge Silva (PHS) – não
    Evair Vieira de Melo (PV) – não
    Givaldo Vieira (PT) – não
    Helder Salomão (PT) – não
    Lelo Coimbra (PMDB) – sim
    Marcus Vicente (PP) – sim
    Norma Ayub (DEM) – não
    Paulo Foletto (PSB) – não
    Sergio Vidigal (PDT) – não

    Piauí

    Assis Carvalho (PT) – não
    Átila Lira (PSB) – sim
    Capitão Fábio Abreu (PTB) – não
    Heráclito Fortes (PSB) – sim
    Iracema Portella (PP) – sim
    Júlio Cesar (PSD) – sim
    Marcelo Castro (PMDB) – ausente
    Paes Landim (PTB) – sim
    Rodrigo Martins (PSB) – não
    Silas Freire (Pode) – não

    Rio Grande do Norte

    Antônio Jácome (Pode) – não
    Beto Rosado (PP) – sim
    Fábio Faria (PSD) – sim
    Felipe Maia (DEM) – sim
    Rafael Motta (PSB) – não
    Rogério Marinho (PSDB) – sim
    Walter Alves (PMDB) – sim
    Zenaide Maia (PR) – não

    Minas Gerais

    Adelmo Carneiro Leão (PT) – não
    Ademir Camilo (Pode) – sim
    Aelton Freitas (PR) – sim
    Bilac Pinto (PR) – sim
    Bonifácio de Andrada (PSDB) – sim
    Brunny (PR) – sim
    Caio Narcio (PSDB) – sim
    Carlos Melles (DEM) – sim
    Dâmina Pereira (PSL) – sim
    Delegado Edson Moreira (PR) – sim
    Diego Andrade (PSD) – sim
    Dimas Fabiano (PP) – sim
    Domingos Sávio (PSDB) – sim
    Eduardo Barbosa (PSDB) – não
    Eros Biondini (Pros) – não
    Fábio Ramalho (PMDB) – sim
    Franklin (PP) – sim
    Gabriel Guimarães (PT) – não
    George Hilton (Pros) – não
    Jaime Martins (PSD) – não
    Jô Moraes (PCdoB) – não
    Júlio Delgado (PSB) – não
    Laudivio Carvalho (SD) – não
    Leonardo Monteiro (PT) – não
    Leonardo Quintão (PMDB) – sim
    Lincoln Portela (PRB) – não
    Luis Tibé (PTdoB) – ausente
    Luiz Fernando Faria (PP) – sim
    Marcelo Álvaro Antônio (PR) – não
    Marcelo Aro (PHS) – sim
    Marcos Montes (PSD) – sim
    Marcus Pestana (PSDB) – sim
    Margarida Salomão (PT) – não
    Mário Heringer (PDT) – ausente
    Mauro Lopes (PMDB) – sim
    Misael Varella (DEM) – sim
    Newton Cardoso Jr (PMDB) – sim
    Padre João (PT) – não
    Patrus Ananias (PT) – não
    Paulo Abi-Ackel (PSDB) – sim
    Raquel Muniz (PSD) – sim
    Reginaldo Lopes (PT) – não
    Renato Andrade (PP) – sim
    Renzo Braz (PP) – sim
    Rodrigo de Castro (PSDB) – sim
    Rodrigo Pacheco (PMDB) – abstenção
    Saraiva Felipe (PMDB) – sim
    Stefano Aguiar (PSD) – não
    Subtenente Gonzaga (PDT) – não
    Tenente Lúcio (PSB) – sim
    Toninho Pinheiro (PP) – sim
    Weliton Prado (Pros) – não
    Zé Silva (SD) – sim

    Bahia

    Afonso Florence (PT) – não
    Alice Portugal (PCdoB) – não
    Antonio Brito (PSD) – não
    Antonio Imbassahy (PSDB) – sim
    Arthur Oliveira Maia (PPS) – sim
    Bacelar (Pode) – não
    Bebeto (PSB) – não
    Benito Gama (PTB) – sim
    Cacá Leão (PP) – sim
    Caetano (PT) – não
    Claudio Cajado (DEM) – sim
    Daniel Almeida (PCdoB) – não
    Davidson Magalhães (PCdoB) – não
    Elmar Nascimento (DEM) – sim
    Erivelton Santana (PEN) – ausente
    Félix Mendonça Júnior (PDT) – não
    Fernando Torres (PSD) – não
    Irmão Lazaro (PSC) – não
    João Carlos Bacelar (PR) – sim
    João Gualberto (PSDB) – não
    Jorge Solla (PT) – não
    José Carlos Aleluia (DEM) – sim
    José Carlos Araújo (PR) – ausente
    José Nunes (PSD) – não
    José Rocha (PR) – sim
    Josias Gomes (PT) – não
    Jutahy Junior (PSDB) – não
    Lucio Vieira Lima (PMDB) – sim
    Márcio Marinho (PRB) – ausente
    Mário Negromonte Jr. (PP) – sim
    Nelson Pellegrino (PT) – não
    Paulo Azi (DEM) – sim
    Paulo Magalhães (PSD) – não
    Roberto Britto (PP) – sim
    Ronaldo Carletto (PP) – sim
    Sérgio Brito (PSD) – não
    Uldurico Junior (PV) – não
    Valmir Assunção (PT) – não
    Waldenor Pereira (PT) – não

    Paraíba

    Aguinaldo Ribeiro (PP) –
    André Amaral (PMDB) – sim
    Benjamin Maranhão (SD) –
    Damião Feliciano (PDT) –
    Efraim Filho (DEM) –
    Hugo Motta (PMDB) – sim
    Luiz Couto (PT) – não
    Pedro Cunha Lima (PSDB) – não
    Rômulo Gouveia (PSD) – sim
    Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) – não
    Wellington Roberto (PR) – não
    Wilson Filho (PTB) – sim

    Pernambuco

    Adalberto Cavalcanti (Avante) – ausente
    André de Paula (PSD) – não
    Augusto Coutinho (SD) – sim
    Betinho Gomes (PSDB) – não
    Bruno Araújo (PSDB) – sim
    Daniel Coelho (PSDB) – não
    Danilo Cabral (PSB) – não
    Eduardo da Fonte (PP) – sim
    Fernando Coelho Filho (PSB) – sim
    Fernando Monteiro (PP) – sim
    Gonzaga Patriota (PSB) – não
    Jarbas Vasconcelos (PMDB) – não
    João Fernando Coutinho (PSB) – ausente
    Jorge Côrte Real (PTB) – sim
    Luciana Santos (PCdoB) – não
    Luciano Bivar (PSL) – sim
    Marinaldo Rosendo (PSB) – sim
    Mendonça Filho (DEM) – sim
    Pastor Eurico (PHS) – não
    Ricardo Teobaldo (Pode) – ausente
    Sebastião Oliveira (PR) – sim
    Silvio Costa (PTdoB) – não
    Tadeu Alencar (PSB) – não
    Wolney Queiroz (PDT) – não
    Zeca Cavalcanti (PTB) – sim

    Sergipe

    Adelson Barreto (PR) – não
    Andre Moura (PSC) – sim
    Fábio Mitidieri (PSD) – não
    Fabio Reis (PMDB) – ausente
    João Daniel (PT) – não
    Jony Marcos (PRB) – não
    Laercio Oliveira (SD) – ausente
    Valadares Filho (PSB) – não

    Alagoas

    Arthur Lira (PP) – sim
    Cícero Almeida (Pode) – não
    Givaldo Carimbão (PHS) – não
    JHC (PSB) – não
    Marx Beltrão (PMDB) – sim
    Maurício Quintella Lessa (PR) – sim
    Paulão (PT) – não
    Pedro Vilela (PSDB) – não
    Ronaldo Lessa (PDT) – não

  • Certamente merecem cadeia. Cadeia é pouco. Dar grana via emendas para salvar político é coisa de marginal.
    Mas sabemos que não é exclusividade de Temer. Seja via mensalão, seja via emendas, o fato é que a compra de deputados é coisa corriqueira na Banânia.
    Engana-se com o Haraquiri. Vão todos se reeleger, ainda mais com esse sistema eleitoral ridículo onde o político fica muito distante do público. Bem feito.

  • este povo nao deu o golpe a toa……..vao empurrar oMT ate o fim!!cumpre salientar::em 2014 o senhor temer fez um acordo com a presidenta Dilma sobre Plano deGoverno que foi vencedor nas urnas–quem viroua casaca e traiu foi o entao vice presidente!!

  • Revoltante a mentalidade de certas pessoas, que fiadas nas “reporcagens” de Veja, Globo, Estado (comatoso) de SP e o resto da nossa “gloriosa” (só que não) imprensa, ficam repetindo a ladainha de que quebramos a Petrobras, os Correios e etc… Ignoram, esses desinformados que quem sucateou a Petrobrás, os Correios e as empresas públicas em geral foi o Fernando Henrique e sua turma. Sem falar nas três vezes que ele quebrou o Brasil. Agora, com esse maldito golpe, estão quebrando tudo de novo, e nos transformando em um arremedo de colônia. Obrigado à todos os retardados que apoiaram esse golpe maldito, com suas camisetas da CBF, dancinhas ridículas e comentários insensatos nas redes sociais. Recebam como prêmio o desemprego, as altas da gasolina, gás de cozinha, eletricidade… A culpa dessa desgraça toda é de vocês, e dos estrumes que vocês elegeram como deputados e senadores.

  • Bom dia Edu!

    Acho que o vagabundo do Mordomo das Trevas infelizmente vai ficar até o fim do mandato! E eu acho que uma parte dos deputados só salvaram a pele dele achando que vai piorar ainda mais a economia pois falta pouco mais de um ano para acabar o mandato deste crápula!

    Mas uma coisa é certa: se Lula puder ser candidato, o sr. Michel Temer está fazendo um excelente favor à ele! Tenho certeza que Lula terá mais da metade dos votos válidos e poderá se eleger no primeiro turno ou eleger quem ele indicar até a metade do ano que vem! Talvez isso explique o porquê os protestos contra ele se arrefeceram desde a metade deste ano!

    Um abraço!

  • E o Lula naquele famoso quarto de hotel em Brasília, à época do impeachment? Poderia descrever para nós, ignorantes e manipulados? Eu sei que vc bloqueia, assim como sei que lê. Entendeu pq estou sempre aqui? Eu sei o quanto mente, distorce, alucina. Por isso estarei sempre aqui, mostrando que pessoas de formação, conscientes e que sobretudo sabem o que é povo e vida real compreendem que o PT e seu Deus maior não passam de uma farsa.

  • Estou desiludido com tudo isso.
    Sinto-me como num lodaçal sem condições de sair.
    Nosso infeliz Brasil, agora sim, dorme (dopado) em berço, não esplêndido, nocauteado.
    Todo homem que se vende, nunca vale o preço pago.
    CANALHAS, CANALHAS< CANALHAS !

  • Mais um que estou vendo: Salvador Ferreira [email protected] “O seu comentário está aguardando moderação.
    Estou desiludido com tudo isso.
    Sinto-me como num lodaçal sem condições de sair.
    Nosso infeliz Brasil, agora sim, dorme (dopado) em berço, não esplêndido, nocauteado.
    Todo homem que se vende, nunca vale o preço pago.
    CANALHAS, CANALHAS< CANALHAS !"
    Caso não arrume isso começarei a enviar mensagens para estas pessoas alertando sobre a falha grave no seu blog!!!

  • Cada povo merece o governo que tem.
    Se esse povo votou nesses deputados corruptos, merecem amplamente cada centavo que Temer desviou para compra-los.

    Se esse povo que está ai, foi p rua vestido de verde e amarelo, seguinte um pato amarelo, cantando absurdos como “nossa bandeira jamais será vermelha”, merecem cada centavo que Temer deu aos deputados.

    Ah sim, lembrando a massa acéfala apataiada que, se a “Comunista China” executar a dívida pública do maior país capitalista do mundo, os EUA vão p/ brejo e leva um monte de chupins (OTAN) consigo.

  • Antes de tudo fora temer.
    Foram 251 a favor e 233 contra. Creio que uns 100 votaram a favor do impedimento de Dilma e contra Temer. Ou seja temos apenas 100 deputados com alguma coerência.
    …..
    Um pouco é conversa mole da esquerda. Se realmente desejassem retirar Temer já teriam feito.
    Porque não colocaram Lula em Brasilia, porque não se movimentarem contra o Temer.
    Porque é uma vantagem ?
    Pode ser , ou a esquerda não tem poder algum que não seja comprado com mortadela e pão.

  • Os palermas, do quilate de oneide, guilherme santos, etc fizeram barba e bigode. Eles colocaram esta criatura repugnante na presidencia e os deputados destes palermas ratificam a sua manutençao no posto. Parabéns, palermas pobres de direita(pobre de direita ja’ diz tudo,né?).

    • Quem colocou foi quem votou em Dilma.
      A questão é falcatrua só se une com falcatrua.
      …..
      A pobreza é condição natural do ser humano, a questão é o rico de esquerda, Joesley era um rico de esquerda mantido pelo estado.
      …..
      O PT criou um monte de rico de esquerda para lhe financiar as custas do povo.
      Bobo você não é, então assuma que todo um sistema foi criado para financiar eternamente o PT e seus amigos, inclusive o PMDB de Michel Temer.

  • Temer só cairá quando houver um levante popular. Isso parece impossível, mas não é. Em novembro, entra em vigor o fim da CLT. Aí é que veremos de que estofo o povo brasileiro é feito.

  • Só rindo mesmo.
    Está indignado com o uso de verbas de emendas parlamentares (que nome ridículo) para dar aquele “estímulo” aos deputados?
    Dilma fez o mesmo. Mas não deu certo. É notório.
    Eles todos o fazem, além claro de mensalões e de dar cargos para vagabundos poderem explorar as empresas estatais, puros cabides de emprego para fracassado e ladrão.
    Veja-se que até a privatização (correta) do aeroporto de Congonhas saiu do radar. Precisam manter a grana fluindo na Infraero (hahaha, Infraero! Que piada!!) para os aliados ajudarem.
    Se fosse o contrário estariam todos aqui dizendo que “pulitchika” é assim mesmo, todos o fazem etc etc etc…

  • Caro Eduardo, com todo respeito e admiração que tenho pelo seu trabalho acho que vc está errado ao pedir prisão para os deputados. Sou consciente que é a política da maioria da esquerda, mas neste momento de Estado de Exceção, do qual vc também é vitima e sentiu na pele, ficar pedindo prisão por tudo só piora as coisas.Talvez a raiva de ver os abusos dos golpistas,sua demagogia e a nossa impotência leve a isso, mas não vai adiantar nada e só vai trazer prejuízos para a esquerda.Nem que mereçam prisão perpetua estamos em momento de apoiar essa política.

Deixe uma resposta