Dória assume com apoio ostensivo da mídia antipetista

É óbvio que ninguém são cobraria da mídia – que fustigou Fernando Haddad do primeiro ao último dia de seu mandato – que atacasse o novo prefeito paulistano no dia da posse, mas o que a Jovem Pan fez para Doria é constrangedor. Foi um release. O material diz que Doria já teria “cumprido” suas promessas antes mesmo de assumir o cargo. A cobertura chapa-branca da mídia tucana de SP a fará levar muitos furos de blogueiros independentes.

Crescimento de Haddad na reta final sugere fraude nas pesquisas

Só pode ser brincadeira. Em 2012, Haddad passou a campanha eleitoral inteirinha dizendo que os institutos de pesquisa só mostrariam seu crescimento na reta final e isso aconteceu. E ele virou prefeito. Em 2016 foi a mesma coisa. Ele passou a campanha eleitoral dizendo que Datafolha e Ibope só mostrariam seu crescimento na reta final. E foi o que aconteceu. Esses dois institutos têm que ser denunciados à Procuradoria Eleitoral já na segunda-feira, assim como este blogueiro fez em 2010 e conseguiu abrir investigação desses mesmos institutos na Polícia Federal

Haddad começa a desmentir pesquisas, como em 2012

Pode estar ocorrendo em São Paulo o que ocorreu em 2012; institutos de pesquisa tentam derrubar Haddad até a última hora e, não conseguindo, nos momentos finais da campanha começam a “ajustar” números. Se a direita paulistana for derrotada por um petista, a direita brasileira sofrerá um golpe mortal. A esquerda local tem que enxergar o momento histórico, unir-se e votar em peso em Fernando Haddad.

Guerra da Jovem Pan contra Haddad viola lei eleitoral

A partir de 6 de agosto, emissoras de rádio e TV ficaram impedidas de veicular propaganda política e dar tratamento privilegiado ou negativo a candidatos, partidos ou coligações. Ou seja, são obrigadas a dar tratamento isonômico a todos. A guerra da Jovem Pan contra o prefeito de São Paulo viola de forma clara e escandalosa a legislação eleitoral. A coligação de Haddad pode e deve representar a Jovem Pan no Ministério Público Eleitoral.

Haddad e MPL fizeram despencar apoio a protestos contra aumento das passagens

O município de São Paulo já tem quase 12 milhões de habitantes. As manifestações contra o aumento das tarifas, porém, têm juntado um público microscópico, entre 7 mil pessoas (avaliação dos manifestantes) e 1 mil (avaliação da PM). Dirão que o uso da tática black bloc pelo MPL causou isso, mas essa versão não explica tudo. É que o custo do transporte na capital paulista não é mais um grande problema. Medidas do prefeito Fernando Haddad reduziram drasticamente até o problema do custo das passagens de metrô.

Haddad ensina como o PT deve travar a guerra da comunicação

Entrevista que o prefeito de SP, Fernando Haddad, deu na semana passada à rádio Jovem Pan foi uma aula de política. Há poucos políticos tão preparados quanto ele, no país. E quando se alude a preparo não é só o administrativo, mas o comunicacional. O prefeito paulistano é um comunicador nato. Se se expuser mais, como vem fazendo, que não duvidem: ele pode chegar muito mais longe na política do que se espera. O PT já dispõe de um candidato a presidente para 2018. Mas não é só. Haddad mostrou como o partido pode e deve enfrentar o massacre midiático. Haddad triturou Marco Antonio Villa e Raquel Sheherazade.

53% dos paulistanos acham que falta d’água é culpa de Dilma e Haddad

Quinta-feira, 8 de janeiro de 2015. Acaba de ser anunciado pelo governo tucano de SP que a multa por consumir água em SP passará a ser de até CEM POR CENTO. A população autóctone está revoltada, mas não com o autor dessa belezura. Irracional, a maioria dos paulistanos culpa quem nada tem que ver com o peixe. Entendeu o trocadilho, leitor? Peixe, água… Bem, eu sei que é infame. Desculpe por isso.