Caçula de Bolsonaro posta fotos de aula de tiro em local proibido e depois apaga

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens, diz que as instalações da academia são privativas para policiais. A presença de civis é algo incomum. “A academia eventualmente recebe para treinamento pessoas ligadas a outras forças policiais e outros órgãos públicos, mas não é usual que pessoas alheias ao serviço público façam uso dessas instalações”, afirma. Nas postagens, Renan recebe algumas críticas, muitos elogios — e é chamado de “mitinho”.

Carta ao Major Olímpio: “Sou professor, não pistoleiro. Minhas mãos só sujo de giz”

“Não. Eu sou professor, não pistoleiro. Minhas mãos eu só sujo de giz. Eu não estudei Didática do Faroeste durante minha licenciatura. As armas que eu sei usar são minhas ideias, meus livros, meus conhecimentos, o carinho que eu sinto pelos meus alunos e principalmente minha vontade sincera de ajudá-los a serem pessoas boas.”. Leia emocionante texto de professor em resposta à proposta estúpida do Major Olímpio de armar professores.

Na Baixada Fluminense, prefeito afirma ter sofrido atentado a tiros

O prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, acredita ter sofrido um atentado na tarde desta sexta-feira, por volta das 15h, quando voltava de uma visita a obras de reforma em escolas municipais na localidade do Cangulo. De acordo com os seguranças de Reis, cerca de 30 tiros foram disparados durante o confronto com os criminosos. Uma das balas atingiu o pneu traseiro do carro da equipe de apoio. Um dos bandidos teria sido ferido.

Superintendência da PF em Curitiba sabe quem atacou acampamento Marisa Letícia

Há poucos dias a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba anunciou gastos de 300 mil reais por mês com a segurança de sua sede devido à presença do ex-presidente Lula no local. O gasto é com o entorno do prédio. O acampamento Marisa Letícia, atacado a tiros na madruga do último sábado, fica a 750 metros desse prédio. Esse acampamento é monitorado pelos policiais. Eles sabem quem atacou o acampamento e têm obrigação de revelar.