Presidenta se fortalece com lei da mídia

Análise

Infelizmente, a notícia não é sobre a presidenta brasileira, mas sobre a argentina. Cristina Fernández de Kirchner disparou nas pesquisas eleitorais para presidente da República Argentina. A eleição será em 23 de outubro próximo.

Segundo as sondagens, Cristina tem entre 45% e 55% das intenções de voto contra médias de 15% do deputado oposicionista Ricardo Alfonsín, filho do ex-presidente Raul Alfonsín, e de 7% do ex-presidente Eduardo Duhalde.

Quem acreditou nos noticiários brasileiro e argentino emitidos até o ano passado, certamente não entendeu esses números. O que vinha sendo dito por aqui era que Cristina estava desmoralizada politicamente por divergir da Santa Mídia.

A organização patronal brasileira ANJ recentemente premiou o grupo argentino Clárin em cerimônia pomposa em território nacional. Um ato político em que o monopólio argentino nas comunicações foi tratado como grande líder na luta que a direita latino-americana diz travar pela “liberdade de imprensa”.

Após a crise entre Cristina e o agronegócio em 2008, o grupo Clarín – que, com a nova “ley de médios”, se vê ameaçado de perder um controle sobre as comunicações que pode chegar a 70% do mercado – criou um clima político amplamente desfavorável para o governismo.

A máquina de comunicação da família De Noble passou a agir em relação a Cristina de forma ainda mais virulenta do que aquela com que a Globo agiu em relação a Lula durante os oito anos do seu mandato.

Este blogueiro mesmo, durante a viagem a Buenos Aires no fim do ano passado ficou impressionado com o clima político na Argentina e com o descontrole da inflação. Aquele país, porém, antecipava o que ocorreria aqui.

Montado em um crescimento econômico da ordem de 9% ao ano, em média, o país vizinho sofreu uma explosão de consumo tão ou mais intensa do que a que se vê no Brasil, o que levou a uma escalada de preços que, agora, com medidas econômicas análogas às brasileiras começa a refluir.

Todavia, não se pode desprezar o papel da “ley de médios” no fortalecimento político de Cristina. A desconcentração do monopólio do Grupo Clarín é um dos fatores que contribuíram para a popularidade da presidenta argentina.

O governo da Argentina já abriu licitação para 12 emissoras de televisão em Buenos Aires e várias outras no interior. A administração federal utiliza a polêmica Lei de Mídia, aprovada no final de 2009, que tem princípios básicos no que diz respeito à produção e veiculação audiovisual.

Com o fim de impedir a formação de monopólios e oligopólios, a lei põe limites à concentração de canais de rádio e televisão, estabelecendo tetos para a quantidade de licenças e por tipo de meio de comunicação.

Um mesmo concessionário só pode ter uma licença de comunicação audiovisual por satélite, até 10 sinais de televisão aberta ou por cabo e até 24 licenças de radiodifusão por assinatura. E a nenhum operador se permitirá que tenha mais do que 35% de audiência.

Quem tiver uma tevê aberta numa cidade, não poderá ter ali também uma tevê a cabo. Além disso, as companhias de telefonia estão proibidas de oferecer serviços de tevê a cabo ou aberta.

Outro ponto importante da lei determina que os proprietários de meios de comunicação terão que ser oriundos do setor e não poderão ter sido integrantes de governos dos níveis federal, estadual e municipal ou mesmo do poder legislativo.

Finalmente, o capital estrangeiro não pode ter mais de 30% das ações de nenhum meio de comunicação argentino e as licenças dos concessionários de tevês e rádios expiram dez anos após a concessão, e o processo de renovação da licença se tornou mais exigente.

Há muito mais. A lei argentina para o setor de comunicação foi amplamente fundamentada na legislação internacional e conta com amplo apoio até das Nações Unidas, via Unesco. E a prova de que está obedecendo ao Estado de Direito está nos questionamentos que o grupo Clarín está fazendo na Justiça.

Aliás, vale dizer que o grupo de comunicação da família De Noble vem obtendo vitórias em instâncias inferiores da Justiça, usando seu poder de pressão sobre essas instâncias similar ao que a direita midiática detém no Judiciário paulista, por exemplo. Todavia, nas instâncias superiores isso será revertido…

As direitas midiáticas brasileira e argentina andam dizendo que Cristina, de repente, tornou-se popular em seu país exclusivamente por conta da morte de seu marido. Foi de repente porque, até há pouco, diziam que ela era odiada por seu povo.

O fato é que a lei de mídia ajudou muito Cristina a enfrentar o bombardeio midiático. Mas a presidenta argentina também se ajudou. Jamais se calou diante dos escândalos pré-fabricados. Mas foi a lei do setor de comunicações que mais agradou aos argentinos.

Cristina está licitando uma dúzia de canais de televisão e, agora, o povo não tem mais que comprar assinaturas de tevê a cabo para assistir ao próprio campeonato de futebol, comprado pelo governo e difundido de graça na rede pública de televisão.

O apoio à lei da mídia, na Argentina, chega a 80% da população. A lei foi implementada através de ampla campanha publicitária no rádio e na tevê que explicou didaticamente os malefícios de a propriedade de meios de comunicação ser concentrada nas mãos de uma única família.

Se Cristina tivesse se acovardado, sobretudo depois da morte do marido, a Argentina não estaria dando a volta por cima na economia e a própria presidenta não teria se fortalecido tanto politicamente. Para lograr tudo isso, porém, foi preciso muita coragem.

—–

O vídeo abaixo pode dar uma idéia ao leitor do amplo debate que a Argentina travou durante o processo que desembocou na aprovação da lei de regulação das comunicações no país. Apesar de estar em espanhol, vale a pena assistir. Qualquer semelhança com o debate brasileiro não é mera coincidência.

133 comments

  • Eduardo,uma pergunta,voçe que fez parte da organização do 2º encontro nacional dos blogueiros progressistas,se houver um 3º,seria possivel convidar a presidente (e ver se irá) ou fazer uma entrevista com alguns blogueiros.Porque está se criando um fosso de comunicação, entendimento e desconfiança entre a presidente e a base social progressista,por falta de comunicação (fato que nem o Lula esta conseguindo mais contornar) e os seus atos que tem gerado muitas críticas e desconfianças (e tenho sido,alias ,sou um de seus críticos),para aparar arestas,e ouvir explicações da presidente,pois é justamente isto o X da questão,ela é ou esta presidente?

  • E, por aqui, o nosso governo vai empurrando com a barriga qualquer medida que ouse combater o monopólio dos barões da mídia, ano após ano. O governo realmente acredita que se fizer qualquer coisa nesse sentido ficará muito desgastado e, inevitavelmente, poderá cair, sem entender que é justamente o oposto. Na verdade, o governo sempre cai no conto do PIG… Eu lamento muito que o Brasil esteja deixando essa oportunidade passar. Será que ninguém de lá percebe que não conseguiremos “surfar na onda da economia para sempre e que, no momento em que a economia do país piorar um pouquinho, o golpe ficará muito mais fácil? A Cristina é a prova viva de que esse temor que o nosso governo tem da Globo é totalmente infundado… E olha que eu nem vejo o PIG acusar a Cristina de ser uma “ditadora” ou outra coisa qualquer…

  • Além de tudo isso que vc citou muito bem, não podemos deixar de lembrar que a Presidenta Cristina foi decisiva e apoiou clara, aberta e corajosamente o casamento gay na Argentina. Ou seja não tem medo de demagogia religiosa.

    Ou seja, não é só contra militares golpistas e torturadores (maioria já na cadeia, inclusive os grandões) que os argentinos e sua Presidenta não se acovardam, mas também diante da chantagem de grupos de pressão demagógicos.

    O que acontece na Argentina é a prova de que não adianta ficar em cima do muro com medo de desagradar a todo mundo achando que isso vai render algum fruto.

    Pelo contrário, um governo que não diz a que veio perde o respeito dos adversários e o apoio dos que o elegeram.

    Que a Dilma se inspire na coragem de Cristina Kirchner e pare de se acovardar diante de qualquer garotinho.

    • A Argentina tem CIDADÃOS conscientes e com um plus: sangue nas veias. Aqui infelizmente parece impossível conscientizar as pessoas, estão todas ocupadas com suas vidas e se lixando para o bem comum, aliás nem sabem o que isso significa. E essa lorota de que Dilma não está SABENDO contra atacar a imprensa é o maior golpe de auto ilusão que eu ja vi. O governo, Dilma e todas as forças ocultas que a cercam NÃO QUEREM lei de meios, nem banda larga popular, nem baixa de juros, nada disso, o que vamos ter desse governo é o programa brasil sem miséria e nada mais. O resto foi sonho de verão!

      • Infelizmente você tem toda a razão. Tanto em relação ao “sangue nas veias” dos argentinos, quanto à decepção que o governo Dilma vem causando.

        Ainda tenho uma modesta esperança de que algo mude.

        Mas depois do voto da AGU afirmando que o Brasil não precisa rever sua lei de anistia, como pede o Tribunal da OEA, está bem difícil manter alguma ilusão.

        Parece que o objetivo maior é manter a máquina que paga 200 bilhões de juros/ano pra banqueiros e rentistas funcionando bem e fazer compensações sociais com o que sobrar.

  • Mais uma vez a Sociedade argentina mostra que é muito mais evoluída do que a brasileira. Já o fizera quando punira os monstros torturadores da ditadura militar, e seus comandantes, canalhas sanguinários e covardes, e agora volta a fazê-lo conseguindo atacar o monopólio das comunicações por uma oligarquia, que controla a opinião e a informação, adequando-a aos seus interesses políticos, como também censura o direito de expressão de todos aqueles que dela divergem. A Presidenta Cristina deu um basta a essa censura da maioria por uma minoria e conseguiu aprovar uma Lei destinada a garantir a verdadeira liberdade de expressão. SÓ UM IDIOTA, OU ALGUM TROLL RETARDADO, NÃO PERCEBERÁ FACILMENTE QUE O CONTEÚDO DA LEI NÃO CALA NINGUÉM, APENAS DIVIDE O ESPAÇO PARA FALAR ENTRE TODOS. VAMOS A UM EXEMPLO BEM SIMPLES E DIDÁTICO : A LEY DOS MEDIOS; NO BRASIL, NA ARGENTINA E EM TODOS OS PAÍSES DEMOCRÁTICOS DO MUNDO QUE JÁ A ADOTAM HÁ DÉCADAS; PODE SER COMPARADA À DIVISÃO QUE É FEITA DO TEMPO DESTINADO AOS DISCURSOS EM UMA REUNIÃO ONDE EXISTAM DIVERSOS PALESTRANTES COM DESEJO DE FALAR. NINGUÉM SERÁ CALADO, APENAS CADA UM TERÁ SEU TEMPO PARA FALAR, PERMITINDO ASSIM QUE OUTROS TAMBÉM O FALEM. ATUALMENTE, AS COMUNICAÇÕES NO BRASIL PODEM SER RETRATADAS COMO O DISCURSO INNTERRUPTO E SOLITÁRIO DE UM ÚNICO PALESTRANTE, SÓ ELE FALA E NÃO PERMITE QUE MAIS NINGUÉM FALE, SENDO AINDA CÍNICO O SUFICIENTE PARA CHAMAR DE “CENSORES” AQUELES QUE QUEREM ACABAR COM A CENSURA QUE ELE EXERCE SOBRE OS OUTROS COLEGAS QUE IMPEDE DE FALAR, CENSURA QUE SÓ SERÁ EXTINTA COM O ESTABELECIMENTO DA REGULAMENTAÇÃO, DA ORDEM NAS PALESTRAS. MUDANÇA QUE NÃO CALARÁ O PALESTRANTE SOLITÁRIO; APENAS ABRIRÁ ESPAÇO PARA QUE ELE NÃO MAIS FALE SOZINHO, SENDO ACOMPANHADO PRO TODOS OS OUTROS QUE TÊM O MESMO DIREITO DE FALAR QUE ELE. É isso o que a Lei dos Medyos da Argentina estabeleceu, e é isso que pretendemos no Brasil : garantir que as comunicações não mais sejam controladas por 13 famíliai(que pertencem a uma mesma classe, a um único grupo político, portanto defendem apenas uma opinião, transformada em expressão da Verdade, quando apenas trata-se apenas da OPINIÃO, DA VISÃO DE MUNDO DE UMA CLASSE, A QUAL ATENDE SOMENTE AOS DESEJOS DESSA CLASSE, QUE É A MAIS PRIVILEGIADA DA SOCIEDADE, ENQUANTO RENEGA À EXCLUSÃO OS RESTANTES DOS BRASILEIROS). Pretendemos então que as comunicações tornem-se acessíveis a todos os outros setores sociais, a todas as classes e grupos de interesses, que assim poderão expor sua visão de mundo, em contraposição à visão conservadora que atualmente é a única difundida, permitindo ao expectador formar sua opinião livremente, através da análise e da comparação entre os inúmeros projetos e pontos de vista(inclusive o conservador, que evidentemente continuará sendo exposto)e assim garantindo que tenhamos uma Sociedade onde de fato a população faça escolhas racionais e não seja manipulada pela ignorância e pela impossibilidade de acesso integral às diversas informações, interpretações e projetos sobre a nossa Nação. E é essa perspectiva de termos uma população de fato livre e informada, com condições de fazer escolhas racionais, com acesso a dados e diferentes opiniões, o que causa pânico nos donos do poder, na minoria que controla as comunicações e, através da exposição de uma única opinião e censura às demais, transforma essa opinião em Verdade indicutível e em destino inelutável para milhões de brasileiros. A fala da deputada argentina que, em um momento declarou que o povo não precisa ter muitas informações sobre a realidade do país, uma clara afirmação de seu apôio ao controle da opinião nas mãos de uma minoria e, durante a votação da Lei dos Medyos, chamou a Lei de “censura”, é um exemplo perfeito do que é a “elite” latino-americana. Não desejam a liberdade de expressão, ao contrártio a temem, por isso defendem o status quo atual que possibilita o controle da informação por sua classe, e assim repudiam as Leis que pretendem democratizar a mídia, tentando colar nelas a falsa pecha de “censoras”, quando na verdade as temem porque acabarão com a censura secular da informação feita pela “elite”, a qual permite que mantenham o seu poder político. Não é à toa que a derrota eleitoral dessa “elite” latino-americana começa principalmente graças a dois fatores :a o primeiro foi o caos econômico que o neo-liberalismo(nova forma da exploração imperialista, da qual sempre foram cúmplices, só que agora em níveis extremos)jogou as nações de nossa região no final do século XX. E o segundo foi o início do acesso à opinião e à informação livres, através da exposição da visão de mundo de outros atores sociais que não pertencessem à classe dominante, possibilitada pela chegada da INTERNET. Foi principalmente esse segundo fator que garantiu a vitória(e principalmente a permanência das forças populares, uma vez que a memória sobre crises econômicas vai-se arrefecendo com o tempo), já que sua chegada e expansão permitiram que cada vez mais cidadãos passassem a ter acesso à opinião, e até mesmo ao relato dos fatos, que reflitam outros projetos políticos diferentes do modelo excludente que só benefiocia os dominadores. Todavia, o alcance da INTERNET ainda é pequeno, e será limitado por muitos anos, além do que, para lá da questão informativa, é também uma exigência Moral que todos possam expressar-se em meios que funcionam através de concessões públicas e/ou sustentam-se com dinehiro público, portanto têm obrigação de garantir a expressão de todo esse público que são seus controladores verdadeiros. Que sigamos o exemplo da Argentina(duvido que Dilma tenha a coragem de reagir sempre às agressões, como faz Cristina), mas, ao menos nós da socioedade Civil organizada devemos iniciar uma ampla campanha de conscientização entre os brasieleiros, a qual esclarecerá a todos o quanto a regulamentação das comunicações é um caminho sem volta para um país que pretenda garantir a liberdade de expressão verdadeira.

    • Perfeito, Carlos Henrique. A única realidade que a Globo permite que chegue ao conhecimento da população são os gols e o futebol dos Neymar e Gansos da vida, os quais não são “propriedade” da direitalha deste país.

  • Pela trajetória política e pelas promessas da Presidenta Dilma além de tudo que ela passou na campanha eleitoral esperava um pouco mais de seu governo, estou decepcionado com os recuos constantes e o caminho conservador que vai se desenhando em nossa frente, assim minha decepção só aumenta a cada dia. Por que a Presidenta não dá mais bola para os internautas após toda mobilização que fizemos para elegê-la? Beijar a mão do pig ela foi correndo e agora até elogia fhc.

  • Depois de Paloci a bola da vez é Mercadante
    Como Mercadante não fez nada de errado para que o JN dedique toda a sua pauta ao assunto, já começou um não assunto
    Um não assunto que, por conta da lavagem cerebral, pode virar um escândalo
    Não é que o PIG resolveu requentar um assunto de 2006, o caso dos aloprados que, como se sabe, foi arapuca dos próprios tucanos para pegar trouxas
    A conferir no blog do Brizola:
    http://www.tijolaco.com/quem-enfrenta-nao-apanha/

    • Mercadante e depois o ministro Fernando Haddad. Assim como o Palloci, candidatos a candidatos a prefeito de SP. Os tucanos e o pig estão mortosde medo de perder a última cidadela que lhes resta, a Tucanolândia, ou Piglândia, dá no mesmo
      Oque não pode é aDilma deixar que essa briga entre o PT paulista e os Pigtucanos contamine seu governo, como acointeceu no caso Palloci

      • ou seja:São Paulo.depois os Paulistas não sabem por que o nível de vida despencou!e engraçado,o eleitor paulista não confia em político mas,vota no candidato da Imprensa.curioso!

  • “Cristina está licitando uma dúzia de canais de televisão e, agora, o povo não tem mais que comprar assinaturas de tevê a cabo para assistir ao próprio campeonato de futebol, comprado pelo governo e difundido de graça na rede pública de televisão.”

    Para fortalecer a temática da democratização da comunicação no Brasil em contraposição à alegação de “censura” vinda dos outrora apoiadores da ditadura, a questão da popularização do campeonato brasileiro de futebol é uma forte bandeira a ser levantada.

    Imagine-se o apoio dos milhões de torcedores brasileiros!

    É de se difundir imensamente!

    • Ue, mas a Globo não passa o campeonato brasileiro de graça as quartas e domingos? Essa medida da Argentina me parece a política panis et. Circensis do império romano.

        • Estive no encontro de Brasilia ,e conversando falaram que la so passa jogo do RIO.
          Perguntei como eles podiam viver sem jogos do Corinthians rsrsrsr.
          Agora com governo comprando e distribuindo para as redes sendo patrocinado por propagandas .
          cada estado podera acompanhar os times locais .
          Assim Futebol não sera pacote unico .nem todos tera que ouvir o Galvão

      • A política na Argentina é “Panis e cadeias” pra torturador sem-vergonha.
        Só isso já vale qualquer coisa.

        Inclusive dar ao povão o que ele gosta sem que precise ser extorquido pela “iniciativa privada”. Onde se compra a TV a Cabo e depois ainda se tem que comprar o PPV.

      • Na Argentina, a TV Pública transmite quatro jogos do campeonato argentino aos sábados (14,16, 18 e 20 horas) e quatro aos domingos nos mesmos horários. Portanto, oito jogos (de um total de dez) nos fins de semana. Um pouco diferente do que a “ditadura” da TV Globo, não, meu caro Abel?

    • “comprado pelo governo e difundido de graça na rede pública de televisão.”” de gratis, viu gente o dinheiro do governo da em árvore, e o estado tem o “dever” de passar o campeonato.

      Politica Pão e Circo não é nova.

      • Campeonato comprado pelo governo ,passa de graça para população ,mas não é grátis para os patrocinadores.
        Assim governo apenas tira os intermediários.

      • Pelo jeito a Argentina está indo no caminho certo! Se um sujeito como este AliançaNeoLiberal critica a postura da Ley de Medios da Argentina, é porque a Ley de Medios de lá é muito boa para a democratização dos meios de comunicação e para o desenvolvimento social.

        O tal de AliançaNeoLiberal defende com fervor que não exista a a nossa “Ley de Medios”, ele está muito contente com o poder monopolizador das famiglias Marinho, Civita, Frias e Mesquita.

        Este sujeito defende que um monopólio como a Rede Globo determine que o Pão e Circo ocorrra somente após a novela das nove e de acordo com os interesses mafiosos da Globo.

        Globo e AliançaNeoLiberal: tudo a ver. E como sempre contra a democracia!

        • Luis a questão é que vc quer que eu agredite em papai noel e o PT um partido que ja demonstrou a sua falta de etica democrática vai ser aquele que vai dar liberdade de imprensa.

          Trocar um monopólio privado por um monopólio estatal fica “dirfirçe “.

      • Não, o Estado não tem o dever de transmitir o campeonato.

        Mas ele tem o dever de impedir que meia dúzia de canalhas explorem o povo, usando seu poder econômico, o poder da imprensa “livre” e o apoio dos descerebrados.

        Pros descerebrados, essa exploração é “liberdade”, pois o mais fraco – como eles – que se exploda, pois é culpa deles serem fracos. “Quem mandou não ser nem nascer rico?”, pensam que pensam.

        Pro resto do mundo, é exploração descarada mesmo, abuso de poder econômico, imposição dos interesses de meia dúzia sobre todos os demais e a mais pura e cristalina OPRESSÃO.

  • É a Argentina ensinando ao Brasil como se faz… A “Ley de Medios” dos argentinos é um excelente modelo básico para que nós, brasileiros, elaboremos uma lei correspondente em nosso país. Analisando-se a estrutura da “Ley de Medios” argentina, é possível perceber que ela atende com rigor à demanda de divisão do poder na área de comunicações. É preciso exibir esse bom exemplo de democratização da mídia, discutí-lo e analisá-lo a fundo no maior número possível de setores da sociedade e, finalmente, lançar a proposta e exigir em uníssono a promulgação de uma lei similar no Brasil. É um trabalho de conscientização política longo e árduo, mas que precisa ser levado adiante, pois é INDISPENSÁVEL. Tomo a liberdade de reproduzir abaixo, um comentário meu do mês passado aqui neste blog que, talvez e modestamente, seja ilustrativo dessa questão:

    Fabio Amaral Di Fini
    22/05/2011 • 23:12
    Eduardo e amigos do Blog da Cidadania, segue aqui um pouco de reflexão que talvez ajude alguém a entender o que se passa, agora mesmo, no Brasil: “infelizmente, grande parte das pessoas não tem o hábito de refletir sobre o que lê nos jornais, vê na TV, escuta no rádio, etc. Essas pessoas não exercem um juízo sobre aquilo que recebem da mídia; apenas absorvem aquele conteúdo, sem se preocupar muito com sua autenticidade, veracidade ou com os interesses políticos aos quais tal conteúdo atende. A força da mídia está exatamente nessa relação de superficialidade que grande parte do povo tem com as notícias e reportagens que lhe são dirigidas. Dessa maneira, a mídia constrói mitos (por exemplo; Collor, o caçador de marajás) ou destrói reputações (por exemplo, o caso da Escola Base) com a maior facilidade e sem dar satisfações a ninguém. É isso que torna a mídia tão poderosa e é esse poder, que faz com que inúmeros políticos tenham aliança notória com órgãos da mídia ou, até mesmo e contra a lei, sejam os proprietários reais de órgãos da mídia em suas respectivas regiões. Os políticos buscam ter influência sobre a mídia, ou dela se apossarem, exatamente por causa desse poder extraordinário: ter um órgão da mídia a seu serviço coloca qualquer político, por pior que seja, muitos passos à frente na disputa pelas preferências do eleitorado. Mídia é poder! O que fazer para neutralizar tanta concentração de poder nas mãos de tão poucas pessoas? É aí que entra a questão da democratização da mídia. É preciso fazer com que a mídia, em vez de atender somente aos interesses da meia-dúzia de famílias da alta burguesia que são suas proprietárias, e aos interesses dos aliados políticos dessa meia-dúzia de famílias, passe a atender aos interesses da maioria da população! Como isso pode ser feito? Em termos legais, com uma legislação que REGULAMENTE (ou seja, que estabeleça regulamentos, normas, regras sobre) a propriedade e os serviços prestados pelos órgãos da mídia. Esse é o papel da ‘Ley de Medios’ na Argentina. Na verdade, o que acontece no Brasil é que a mídia é, toda ela, PROPRIEDADE PRIVADA daquela meia dúzia de famílias da alta burguesia, e essas famílias a colocam a serviço de seus aliados políticos (não casualmente, políticos e partidos da direita). Então, a regulamentação da mídia no Brasil viria no sentido de, digamos assim, expropriar parte dos direitos totais e absolutos que a burguesia midiática (as tais meia dúzia de famílias) tem sobre seus meios de produção (que são os órgãos da mídia), em benefício dos interesses de uma faixa muito mais ampla da sociedade. Essa é a razão de tanta resistência por parte do PIG (a mídia), quando se fala em regulamentar o exercício do poder midiático. Para o PIG, a regulamentação é uma revolução socializante; e como órgãos de direita que são, a palavra ’socializante’ causa arrepios aos integrantes do PIG! O que vemos com Palocci agora mesmo, é a mídia, mais uma vez, tentando destruir alguém (Palocci) por uma única razão: esse alguém é parte importante do governo legitimamente eleito, que não é aquele da preferência da mídia… Destruindo Palocci, a mídia estaria minando o governo do país e torpedeando-o seriamente. Eles (a mídia) querem isso e tudo farão para atingir tal objetivo, pois é a maneira que vêem de conseguir retomar o poder. As vantagens para o país de se ter um governo estável, e de todos os brasileiros, sejam governistas ou oposicionistas, trabalharem em conjunto pelo bem do país, não interessam à mídia. A mídia quer um golpe e vem tentando dá-lo desde muito tempo atrás, para recolocar a elite no mando do país. A meu ver, é isso que acontece agora, em nosso país.”

  • Por falar em futebol em futebol, triste foi ter que ver as carinhas de Serra (este, ao lado de Pelé) , Alkmin e Kassab assistindo o jogo do Santos pela Libertadores, no camarote. Estragou bastante o espetáculo.

    Obs. assisti o jogo pela SporTV (que pertence a Globo) pois não suporto assistir jogo na Globo e não tinha outra opção!

    Quem sabe o Governo daqui não faça como o da Argentina e passe os jogos pelo canal público! Ley de médios urgentíssimo!

    • Marquinhos.
      E na poltrona logo atrás de Serra, o seu padrinho e protetor, Gilmar Mendes com a camisa do Santos e ar de emburrado.
      Pelé, no gol do Santos, foi abraçar efusivamente logo o Serra. Tudo a ver. ……..plim.plim.
      Aí me lembro da vaia que Lula recebeu na abertura dos jogos no Rio.
      Dá um desgosto danado dessa elite e passo a não compreender a atitude de Dilma em se derreter em elogios desnecessários a FHC.

      • José, não cheguei a ver o Gilmar Mendes mas Serra, Alkmin, Kassab e Pelé numa mesma noita já é bastante pra mim! Aliás, se o Pelé não fosse esse chuchu da mídia teria minha admiracão. O Maradona além de bom jogador é um cara que tem personalidade, tem posicionamento político claro, tem lado. O Péle, apesar de ser o rei do futebol, é usado pelo sistema para manter esse estado de injustiças que vivemos.

      • Não, ela não passa os jogos de graça.

        Ela só passa um jogo escolhido a dedo por rodada, e ainda interfere com seu horário, obrigando-o a se adaptar à sua grade de programação, a despeito da conveniência dos torcedores, dos clubes e da CBF.

      • Este sujeito defende mesmo os interesses dos oligopólios. Ele não entende que o que a gente vê de “graça” pela Globo e com exclusividade dessa empresa mafiosa, nós pagamos de outra forma.

        Por isto que devemos ter a nossa “Ley de Medios”, ela pode democratizar as transmissões esportivas e tornar gratuita para toda a população o que é de “graça” somente na Globo.

        Queremos as demais emissoras (Rede Bandalha, SBT, RTV, Record, Educativas e emissoras regionais) transmitindo vários jogos esportivos em variados dias e horários.

      • Ainda bem que o finado José Serra não é santista, se fosse o Santos não seria campeão.

        É uma pena para o Palmeiras ter um torcedor como o finado José Serra.

    • Infelizmente, a Lei de Medios, ou que nome tenha, ficará trancada em alguma gaveta de Brasília, junto com a revisão da Lei de Anistia. O governo não dá sinais que nos animem nessas questões.

  • Tem uma coisa que vc tem que levar em conta: a média de educação do povo argentino é bem maior que no Brasil. Lá eles entendem o que significa monopólio na comunicação. Aqui as pessoas não entendem… Mesmo a “elite informada” copia e cola o que vê na TV e jornais.

  • Com certeza o governo tem que agir com cautela na divulgação de seu projeto regulatório: há muitos interesses políticos e financeiros que serão contrariados. Mas não precisa ser o governo a oferecer a ‘cara’ a tapa, num primeiro momento. Alguma organização poderia apresentar uma proposta de texto de marco regulatório das comunicações e telecomunicações em nosso país e colocar na blogosfera para debate e ressonâncias políticas (pro ‘povo’ de lá e de cá). Mais gente tem que participar dessa discussão, mesmo não podendo se encontrar presencialmente. Afinal, as redes virtuais servem também para isso. Tá mais do que na hora de alguém botar essa discussão na roda, com o cuidado de constituir uma articulação estratégica prévia com setores governamentais e não-governamentais. Pode mesmo ser por tópicos ou etapas, mas que tem de ampliar essa discussão, antes que ela enfraqueça ou ‘morra’, lá isso tem.

  • Edu, eu não estive recentemente na Argentina, mas creio que a Presidente não tá com essa bola toda, não. O problema da Argentina, como aqui, é falta de Oposição.

    • Eu estive em Janeiro, Jaime e a impressão que tive, tanto na Patagônia como em Bs As (pelo menos entre taxistas) foi que a presidente não eh tão querida quanto faz crer o dono do blog

      • Ueba!
        Agora vai!
        Troll respondendo pra troll. Em condordância, claro.
        O que importam as pesquisas se dois preparadíssimos trolls nacionais foram pra Argentina e perguntaram pro motorista de taxi? Ora, as pesquisas…
        Eheheheheheh!
        Onde será que deixaram o cérebro desta vez?

        • Caro Scan.
          Eu viajo para a Argentina todos os anos. De 2010 para 2011 deu para perceber uma grande mudança nas opiniões, com um grande crescimento da Cristina, o que aliás é reconhecido pelos próprios jornais Clarín e La Nación. Um motorista de táxi, governista, explicou-me que a profissão dele é reconhecidamente uma das mais reacionárias do país, pela própria natureza individualista dessa atividade. Poucos são sindicalizados e a maioria vota com a direita. Mas as pesquisas não deixam margem a dúvida: 48 a 17% a favor da atual presidenta é muita diferença.

        • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, adorei Scan, é exatamente isso, TROLL FALANDO PARA TROL KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      • Olha, Abel, eu também estive em Buenos Aires em Janeiro e minha impressão foi justamente a oposta da sua. Se você prestou bastante atenção nas ruas da cidade, deve ter visto que havia vários cartazes pelos muros com as palavras “Fuerza, Cristina”, pois há pouco tempo seu marido havia falecido. E pelo Centro da cidade, jornais alternativos ao Clarin e o La Nacion eram distribuidos aos montes, como o El Argentino e o Tiempo Argentino, com notícias que retratavam bem os os avanços conseguidos pelo governo. Era bem nítido que o kirshnerismo está em alta por lá, mas, é claro que talvez nos bairros de classe média alta como a Recoleta, a opinião das pessoas mude, por razões óbvias.

      • O Abel botelho fêz uma enquete na Patagônia, entre pinguins e descobriu que a Cristina não está com essa bola todo, confirmando o que acha o J.Trollinski.
        É o Datatroll em ação

      • Um heterônimo escrevendo para outro heterônimo da mesma pessoa?

        Um monólogo tentando se passar por um diálogo!

        Como sempre o troll defende as posições mais recionárias.

        Será que este troll, heterônimo, também gosta de processar os que questionam a sua visão reacionária?

    • Breno, sinceramente, não me pareceu haver ali algum traço de preconceito. Pelo menos, é o que eu vi, se há, eles foram bem espertos, pois se invertermos, ou seja, se trocarmos os objetivos da cozinha e as nacionalidades, fica assim: “Apesar de francês, ex-jogador abre um restaurante de comida baiana…”

      Não sei, posso estar sendo ingênuo, mas não vi como você. Mas a Globo, sempre será a Globo, é só esperar e virá um outro episódio tipo o do Paraguai.

      Um abraço.

      • Se há um preconceito, é muito sutil.

        Ninguém diria: “apesar de ser carioca, abriu restaurante de comida francesa”.

        Baiano só pode abrir restaurante para vender acarajé?

        Chic está escrito entre aspas, criando tom de ironia, e está associado a “francês”.

  • Texto sensacional. Parabéns, infelizmente por aqui as coisas estão desandando. Achar que aqui é Coréia, cuja sociedade e estado são bem diferentes da nossa história repleta de golpes, violência e concentração de renda, ou que o saneamento básico é mais necessário que a banda larga, é c… na cabeça de todo mundo e deixar Dilma pendurada com a broxa na mão.

      • Abel.´
        Este é o mesmo argumento do Paulo Bernardo.
        Banda larga só pra quem pode, como você?
        E o povão que continue se desinformando junto à Globo, não é?
        Afinal, pra que povão informado? Fica mais fácil ser boi de manada como está.
        Infraestrutura e informação são ambas importantíssimas e prioritárias para o Governo Dilma.
        Ou não?

        • Pierri.
          A infraestrutura é problema sério em algumas regiões mais pobres do Brasil.
          Até mesmo em cidades “ricas” como SP há problemas sérios de infraestrutura, em especial nas regiões carentes. Vide favelas paulistas (e seus incêndios não apurados), as primeiras a ser atingidas pelas enchentes nas marginais.
          O que não é aceitável no Gov.Dilma é a questão ser colocada pelo ministro Bernardo, como se infraestrutura e comunicação fossem excludentes, ou uma mais ou menos importante que a outra.
          Isso é dar uma de “lavar as mãos” e fazer o jogo da mídia, que quer uma população cada vez mais desinformada e manipulada.

        • Relatório do IBGE do ano passado: o número de casas atendidas pelo saneamento básico passou de 35,3% para 47,3% de 1991 ao ano 2000. Já nos últimos dez anos as melhorias neste setor avançaram menos, para os atuais 55,5%. Ou seja, quase estagnou.

          Nada como os bons números do próprio governo para desmistificar o papo da militância. A verdade é que o saneamento básico é o grande calcainhar de aquiles da gestão do PT. A referência de Paulo Bernardo a esse ponto não foi à toa. Portanto, vamos ao esgoto antes da banda larga!

          • Vc está completamente errado.

            Vc está se referindo ao número de municípios com tratamento de esgoto, e não ao número de residências com acesso à rede de tratamento de esgoto.

            Em 2000, 33,5% dos domicílios possuíam acesso à rede de tratamento, e esse número subiu para 44% em 2008. Infelizmente, a PNSB de 2000 não informa quantos domicílios possuíam esse acesso em 89, limitando-se a informar o número de municípios com rede de tratamento, e não pude localizar essa informação no site do IBGE.

            Enfim o que vemos é mais uma tentativa descarada de manipular dados para “provar” um argumento pré-concebido. Como visto, a porcentagem de domicílios com acesso à rede de tratemento de esgotos cresceu 10,5% em OITO anos, muito embora a porcentagem de municípios com rede de tratamento tenha crescido apenas 3% – ou seja, os municípios com rede de esgoto atendiam poucas residências, e passaram a atender uma quantidade maior delas.

            Mais, muito embora vc tenha dito que sua informação se refere ao período de 1991 a 2000, ela se refere ao período de 1989 a 2000. Ou seja, o aumento de 47,3% para 52,5% se deu ao longo de 11 anos (5% em 11 anos, 0,45% em média ao ano), enquanto o crescimento daqueles 52,5% para 55,5% se deu entre 2000 e 2008 (3% em 8 anos, ou 0,35% ao ano em média), o que é um crescimento MUITO próximo no número de municípios com rede de tratamento de esgoto, mas muito inferior ao crscimento no número de domicílios permanentes com acesso à rede de tratamento.

            Nada como usar os dados corretos de forma honesta para exterminar a propaganda maliciosa tucana.

          • Retiro parte do que eu disse. Os dados que vc informou não batem com nada no relatório do PNSB de 2000 ou de 2008.

            A porcentagem de municípios com rede de esgotamento sanitário passou de 47,3% em 1989 para 52,2% em 2000 e para 55,2% em 2008.

            Como perguntei em outro comentário, queria saber de onde vc tirou essas informações, pois ainda não consegui achar.

  • Estou esperando os trolls deestimação do blog aparecerem para nos dizer onde tem “censura a liberdade de imprensa”, na ley de medios que o Edu nos mostrou aqui em detalhes
    Dilma, mira la hermana Cristina,si?

  • Eduardo:
    Sou inteiramente a favor da lei de meios – ou seja lá como se chame – e também sou a favor, com urgência, de uma forma de responsabilização especial da Imprensa pelas informações que divulga. Que não seja a censura como era antes. Mas, não pode continuar essa irresponsabilidade absurda que determina uma censura às avessas: eu mesmo censuro tudo que possa ser benéfico para os meus inimigos. E crio, repercuto e alardeio tudo que lhes possa ser prejudicial. E ninguém me toca! Nem ao menos, me ameaça.
    Mas, francamente, não acho que funcione tão bem aqui. As novas concessões feitas nesse modelo de desconcentração de propriedade, poderão funcionar como funcionam os pequenos partidos: siglas de aluguel!
    Como controlar o poder da Globo? Os laranjas existem para retirar do meu nome tudo que a lei não permitir que fique. E mesmo que se consiga, essa Impressona é toda de direita, mesmo. Tanto faz ser de Chico como de Mané. É tudo a mesma coisa. A Veja não é da Globo e vice e versa, mas a cadeia da mentira funciona muito bem entre elas todas. Além disso, as emissoras são REDE de repetição, meramente, de transmissão e não são propriedades da empresa Globo.
    E como enfrentar o crescente poder da Record? Agora aliada a alguns dos expoentes do bloguismo democrático, como PHA e Azenha? E respaldada por uma idéia religiosa? A mais poderosa das idéias!
    Sem nos esquecermos da Rede Band. Agora surfando na direita radical. Ontem assisti um pedaço do noticiário e Bóris Casoy é o mesmo de antes! Piorado, até!
    Além de tudo, sem uma programação local nada poderá ser feito pela brasilidade.

  • Inglês – Pig

    Português – Porco

    Nordestinês – Poico

    Espanhol – Cerdo.

    Tudo a mesma coisa. Pena que Dilma, minha Búlgara de Vermelho, pela qual perdi noites de sono e amigos, desbota a cada dia.

    Ou se toma as medidas difíceis logo no início do mandato, quando a opinião pública é favorável a mudanças drásticas, ou elas não ocorrerão. O inevitável desgaste diário mina o apoio popular. Quando se cogita de privatizar até pesquisa espacial, a gente começa a procurar a saída de emergência.

    Ou Dilma está além de Maquiavel ou teremos um governo meramente assistencialista. Ley de Medios, banda larga eficiente e acessível, cada vez mais parecem quimeras.

  • As nossas conquistas só serão realidade se iniciarmos o trabalho de conscientizacão feito formiguinhas, eu falo com minha familia, amigos, com pessoas com quem mantemos contato mesmo que momentaneamente e sovar a massa para ver se vira pão, porque se dependermos de governo, qq governo, qq partido, estamos na mão de calango, essa democratizacão não interessa àqueles que já estão com a vida ganha e nao dependem de nenhuma medida de governo para continuar usufruindo das benesses que possuem. Isso, a democratizacao, conscientizacão interessa àqueles que nunca tem chance de progredir e aos altruistas que sabem que sociedade justa é o que garante que todos possamos viver em paz, sem violencia, sem injusticas e com condicoes dignas de vida.

  • Acho que o momento é de sabermos quem esta a favor da banda larga e marco regulatorio da comunicação e com muito briga quanto propriedade cruzada .
    deveríamos cobrar a posição das OAB em cada estado e da OAB nacional.
    Centrais sindicais ,UNE ,UNES,reitores .artistas ,intelectuais ,partidos e políticos individualmente .
    Abaixo assinado virtual e em listas também coordenado por todos os movimentos que apoiar causa .
    Quem sabe faz a hora .

  • A sorte do Brasil é que o PT só usa essa gente como massa de manobra pra se eleger e enriquecer a cumpanheirada. Se fossem dar ouvido ao que se propõe nesses blogs progressistas, já estaríamos numa naba pior que a da Venezuela.

    • Gaucho acho que és um assalariado que depende de leis trabalhistas .assim vais ver que muitos dos seus direitos foi conseguido através desta massa de manobra .
      Mas como o Brasil é um pais onde assalariado se julga um burguês.vc esta certo afinal não vou ser contra todo o pensamento comprado que lhe impuseram .
      Para mudar vc teria que pesquisar pensar e ver numeros .mas para que usar a cabeça se podes comprar tudo pronto do PIG

    • Como tem gente feliz com o mundo em que vive, não?
      Alienação é #VERGONHAALHEIA com certeza.
      O cara faz um comentário imbecil desses e acha que tá abafando.

      Muito PIG e pouco estudo dá nisso.

    • Isso, muito bom, alivou? Tá tranquilinho? Agora, faz favor, volta pra frente da RBS ou vá ler o Zero Hora, mas não precisa voltar aqui pra despejar os resíduos das suas absorções diárias. Já que não lê o Blog, ou se lê não entende, nossa tela não é penico.

      E ainda, o gauchinho enfezado, chama a nós de massa de manobra.

    • que vergonha me deu de ser gaúcho agora…..esse deve agreditar em tudo que o pig local fala, alias pessoal o pig local…..nem queiram saber….

  • tera o sistema globo mais poder no brasil que o grupo clarin na argentina?
    sera a ala progressista de nosso pais politicamente mais fraca que a corrente similar de nosso vizinho?
    ou estaremos um passo atras no processo, e ao final o brasil tambem se libertara oligopolio nas comunicaçoes?

    • FALTA SANGUE NOS ÓIOS! Somos uma gentinha molenga, que não reage a nada, nada e nada! Merecemos todos os politicos podres que temos, os empresarios ladrões que temos e a imprensa vendida que temos! Deve estar muito bom para a maioria, já que ninguém se mexe de verdade p mudar nada, esperemos pelos ets.

    • Carlos, não dá pra comparar. País nenhum no mundo tem um poder igual ao da Globo. Pra começar, não existe povo mais alienado do que o brasileiro, a ponto de permitir uma audiência de mais de 50% para as idiotizantes novelas que, há 45 anos, disseminam a ignorância em toda as camadas da nossa sociedade. As “elites” impuseram um mundo de ficção ao povo brasileiro. Como é que ele vai se preocupar com a reforma das comunicações?

      • Cara ninguém me tira a certeza que a Rede Globo é uma jogada da CIA.
        Logo depois de Cuba os americanos estavam apavorados de medo do Brasil “virar comunista”.
        Tanto é que fizeram o que fizeram com aquele embaixador pilantra de Linconl Gordon.
        Além do golpe arrumaram um jeito de emburrecer e alienar a população de norte a sul.

        • Roberto, faça uma pequena pesquisa e verá que, no início, a TIME LIFE era a sócia do Roberto Marinho na empreitada e “saiu” por divergências entre os generais ditadores, mas quem pode garantir que não houve mais coisas por baixo do tapete?

  • Ora, saneamento básico é ruim? De jeito nenhum. É mais do que necessário. Banda larga para todos é importante? Claro, tanto quanto é importante a igualdade de oportunidades e acesso ao conhecimento, não só voltado para uma meia dúzia, mas para toda a população brasileira, ou seja, o equivalente ao programa “Luz para todos” do governo federal que iluminou, por exemplo, 100% dos domicílios no Rio Grande do Norte. Mas, os papagaios do PIG (porque será?), ao que parece até um ministro de estado, estão a repetir de forma previsível: banda larga não, saneamento básico sim. Não deveríamos ter educação universal e de boa qualidade extensiva a todos? E saneamento? E saúde? È óbvio. Bem, o PIG fez o serviço sujo contra a CPMF que o governo queria aplicar na saúde. Juntos, PIG, PSDB e DEM derrubaram festivamente a CPMF, prometendo à população baixar preços, em uma deslavada atuação manipuladora e mentirosa, visando enfraquecer o governo federal e favorecer sonegadores de grosso calibre e especuladores financeiros de todos os rincões, com maior aporte aos encastelados nos bancos e ditos industriais paulistas e da FIESP. Saneamento básico também implica em saúde, prevenção de doenças, etc. etc. Mas, eis que em São Paulo, o estado mais rico, politizado e aprimorado culturalmente, com o segundo aporte em arrecadação de impostos no Brasil, o saneamento básico já não deveria ser problema após 20 anos de administração tucana, uma vez que aqui não se gastou um centavo em universalizar a banda larga. Mas não é isto o que se vê em uma gestão que se perpetua em SP ( por incompetência em se desmascarar os tucanos, independentemente de ser a oposição petista ou não), uma gestão voltada à privataria, terceirização de bilheterias de serviços públicos entre amigos privilegiados pelo poder, uma escalada de escândalos não desvendados e ocultados pelos aliados no PIG (Globo, Folha e Veja na linha de frente) envolvendo empreiteiras, Metrô, trens urbanos etc. SP é um estado cuja empresa de saneamento básico, a SABESP, já com os seus lucros privatizados, deveria, a esta altura, ter alcançado todas as metas sociais. Afinal, alcançou-as ou não? Caso afirmativo, para começar, banda larga barata e para todos no estado de SP. Caso contrário, e isto é o que se viu no último verão em bairros inteiros da zona leste paulistana, literalmente atolados na lama, que se pare de fazer demagogia A sra. Judite, expoente do PIG, afirmou que a oposição está fragilizada, para não dizer dizimada. Esqueceu-se de reconhecer que o PIG, que na concepção daquela senhora é a verdadeira oposição no Brasil, não passa, em matéria de fazer política e de ter capacidade de gerar soluções para o país, de um formidável zero à esquerda. Mas, esta camarilha de traidores da pátria que se apossou das comunicações entre nós ainda é muito forte. Seria um erro fatal subestimar a sua força.

    • Que grande SACADA, mermão!! Na verdade a LEI DE MIDIAS não é para retirar a liberdade de expressão da grande imprensa, mas para conceder a mesma liberdade de expressão PARA TODOS os brasileiros. Como o Programa LUZ PARA TODOS, que levou Luz para o todo o sertão do Brasil, a LEI DE MIDIAS vai ILUMINAR as mentes de TODOS OS BRASILEIROS, aos quais se abrirá um leque maior de informação, que acessadas e comparadas por TODOS indistintamente, em sua ampla multiplicidade, darão maior legitimidade às escolhas cidadãs, e evitarão o monopólio da formação da opinião por quem quer que seja. O PNBL e a LEI DE MIDIAS fazem parte do ILUMINISMO BRASILEIRO. È isso aí: LIBERTÉ, IGUALITÉ, FRATERNITÈ!!! AVANT LES ENFANTS DE LA PATRIEQUE!! VIVE LE BRASIL!!!

      “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

      • O problema, gente amiga, é que o saneamento estagnou nos ultimos anos, como mostram os números do próprio IBGE (e como mostrei alguns posts acima). É por isso que faz sentido a crítica de quem diz que esgoto é mais importante do que internet. Se o esgoto estivesse indo às mil maravilhas, tudo bem. Mas não está! Tem algo mais importante do que saúde e higiene?

        (Acessem o http://www.ibge.gov.br... o número de casas atendidas pelo saneamento básico passou de 35,3% para 47,3% de 1991 ao ano 2000. Já nos últimos dez anos as melhorias neste setor avançaram menos, para os atuais 55,5%. Aumento de menos de 10% em 10 anos! É muito pouco….)

  • Por falar em PIG,Mercadante responde às mentiras do PIG Revista Veja :

    O Ministro Mercadante responde as mentiras da “última flor do Fáscio”-nota do blogueiro-

    Comunicado do Ministro de Estado Aloízio Mercadante

    A revista Veja publicou na sua última edição, de 22 de junho, matéria na qual sou alvo de falsas insinuações que me levaram a divulgar esta nota pública, voltada para a sociedade brasileira e, em especial, para toda a comunidade de pesquisadores, cientistas e agentes da inovação. Ao tentar envolver meu nome em uma suposta trama que teria ocorrido há cinco anos, quando fui candidato ao governo de São Paulo, a matéria agride valores essenciais ao Estado democrático de Direito.

    Em primeiro lugar, porque um dos principais personagens citados, de quem democraticamente divergi durante toda a minha vida política – inclusive nas últimas eleições – faleceu recentemente e, por isso mesmo, não pode mais ser ouvido. Em segundo lugar, a matéria não informou que estas ilações já haviam sido mencionadas à época e que o ex-Procurador Geral da República, Antonio Fernandes de Souza, reconhecido pelo rigor de seus pareceres, pronunciou-se de modo inequívoco e isentou-me de qualquer envolvimento na suposta operação.

    A revista também não mencionou que, por unanimidade, a instância máxima da Justiça brasileira, o Supremo Tribunal Federal, inocentou-me completamente do episódio. Não poderia deixar de reafirmar à sociedade brasileira meu apego ao Estado de Direito, às regras da democracia e o respeito aos direitos e garantias individuais. Essa foi e continuará sendo a marca de meu caráter. As falhas de informação e as opiniões marcadamente distorcidas não mudarão minha atuação à frente do Ministério da Ciência e Tecnologia, nem diminuirão o esforço que desenvolvemos para assegurar a mais ampla liberdade de imprensa e a transparência como valor essencial da vida pública.

    Aloizio Mercadante
    Ministro da Ciência e Tecnologia

    http://dilmanarede.com.br/jorgemendes/dilma-e-mercadante-neles/ministro-aloizio-mercadante-responde-materia-da-pig-revista-veja.

    • Agora sim!
      A veja está contra?
      Eu estou a favor.

      A veja tá fazendo campanha?
      PNC da veja.

      Tudo que desagrada aquele lixo decadente me agrada.

      Não precisa nem perguntar o assunto.

      Requentando coisa da época dos aloprados?
      Que tédio.

  • Edu,
    Como a Dilma vem falhando feio com as propostas feitas em campanha, que tal fazer chegar a ela este post?
    Pelo modo como a Dilma está agindo eu penso que não completa dois anos como presidente.

      • Concordo. Acho inclusive que os nossos queridos blogueiros democráticos ainda têm um pouco de ranço machista contra ela. Deviam apoiar mais e cobrar menos.

      • Eu assisti e assisti também quando perguntaram sobre a Satiagraha e o Lula prometeu que resolveria antes de de passar o governo…Por que o Danielzinho bandidaço continua soltinho da silva? Eu e muitos outros estamos na espera…
        Eu fui criada e convivi com pessoas decentes: palavra dada, palavra cumprida!
        Sem opções!
        O Serra é um louco de pedra

    • Como assim?
      As cobranças ao governo devem ser no sentido de se conseguir as melhorias que tanto queremos para o nosso País, mas algumas ,me desculpem, parecem mais ameaça.Também estou desapontada com alguns recuos,mas não arrependida.A outra alternativa era algo impensável.Acredito que a Dilma ainda merece confiança.Façamos a sociedade o nosso papel,cobrar o que foi prometido,mas não precisamos com isso desmerecer o povo do qual fazemos parte,nem a totalidade de um governo que ainda pode fazer muito.Acredito que a carta dos blogueiros progressistas expõe todas as reinvindicacões de forma clara e justa .Parabéns a Argentina e sua Presidenta.Não precisamos invejar ninguém.Cado povo tem sua história de luta,com características próprias,não cabendo comparações.Não é fácil lutar contra forças tão poderosas a anos arraigadas no poder das comunicações,mas chegaremos lá como já chegamos em outras áreas no governo Lula.

      • Sempre anulei meu voto, mas desta vez votei na Dilma. Já estou ficando irritada de tanto defendê-la. Fico aguardando que ela use pulso firme contra os exploradores do nosso país e do nosso povo. Com o seu histórico de vida, sinceramente, pensei que ela fosse partir para cima dos abutres da nação, mas…

  • CARA, seria sensacional ver isso no BRASIL!! Estamos limitados a poucas emissoras de TV nos canais convencionais, que é concessão pública. Porque não abrir licitações, no esquema RDC, para, dentro de certas normas de funcionamento, admitir novas emissoras convencionais?? Isso diluiria o poder midiático dos grandes grupos. Mas tem que haver um controle rigoroso para que as pequenas não sejam co-optadas pelas grandes. Isso acoplado a limitações á propriedade cruzada e PNBL seria fantástico para o Brasil no terreno das Comunicações e da Formação Legítima da Opinião Pública. Evidente que com as políticas sociais inclusivas e investimentos pesados em educação, espera-se uma elevação do grau de informação do cidadão e, por conseguinte, do “espectador médio”, o que deve determinar uma elevação do nível das programações das emissoras, além de abrir um leque maior de opções para o cidadão. TOTALMENTE APROVADO!! Aonde é que eu assino???

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

  • Pelos comentários que li acima, parece que a DILMA é o nosso PROER. Este tão decantado plano, como qual os incautos dizem que o fhc saneou o sistema financeiro nacional, ele nada mais fez que um BOLSA-FAMILIA para banqueiros. Ou seja, entregou metade do dinheiro em circulação aos bancos, para eles se “acostumarem” a viver num mundo sem inflação. Quer dizer, a DILMA foi escolhida para levar a coisa “no banho-maria”, abaixando os juros a conta-gotas até 2014, data marcada para o sistema financeiro se “acostumar ” a viver sem juros altos no Brasil??? Não é justo, mas posso até conviver com isso, se favorecer a redução das desigualdades sociais e a inclusão social, mas não se deve deixar de atacar outras áreas nesse meio-tempo, e me parece que as Telecomunicações são estratégicas, ou a grande imprensa elege um “Aético Berlusconni Never” no caminho e os planos vão todos por água abaixo… Alguém combinou com os russos???

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

  • O que a burguesada neoberal quer não é liberdade de imprensa, porquanto isso eles já têm de sobra. O que eles querem é EXCLUSIVIDADE. Os meios de comunicação não podem pertencer a duas dinastias, passando de pai pra fio, pra neto, indefinidamente. Aliás, nada que seja hereditário presta: até as doenças hereditárias são as piores. Democratização dos meios de comunicação já! Vem lei de meios, vem!

  • O que mais me desagrada em Lula e no PT é que em oito anos não moveram uma palha em direção ao controle social da mídia, à comissão da verdade e à punição dos torturadores. Represaram toda essa carga que agora enverga o espinhaço de Dilma. Eu já tenho 50 anos e não quero fechar os olhos sem ver nada de concreto realizado nessas áreas. Temo que o poderio da Globo (que se opõe a tudo isso) seja bem maior do que consigo imaginar. É sintomático que o Palocci tenha escolhido justo o Jornal Nacional como última tentativa de salvação. A maior pústula que nosso país não consegue extirpar é a linha editorial política da Rede Globo.

    • Como é que não moveran uma palha meu amigo???? E a CONEFECOM e tantas outras conferências??? E odebate que os blogueiros sujos estão desenvolvendo??? Poderia ter feito mais???? Acho que poderia, mas a grande mídia ainda é muito poderosa e é aconselhável não bater de frente com ela. Mas eu penso que a população, a cada dia que passa, está mais vacinada contra suas maquinações, por isso eles não se elegem há 3 pleitos no plano federal, ainda que nos estados tenham alguma força. O fato é que a falta de credibilidade está corroendo as estruturas da grande mídia. a cada dia, sua audiência vem caindo. Daqui aá pouco eles caem de maduro. O Problema é paciência para esperar esta queda. A LEI DE MIDIAS e o PNBL seriam o golpe de misericórdia nesses pôdres.

      “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZiw para TOLOS”

  • Um trecho para reflexão. Extraido de: História da Imprensa, QUINTERO, A., Lisboa, 1996

    A imprensa na Revolução Francesa

    A Revolução Francesa constitui um importante marco histórico da transição do mundo para a idade contemporânea e para a sociedade capitalista baseada na economia de mercado. Proclamou os princípios universais de “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”.

    A função da imprensa na difusão das notícias e dos reflexos da Revolução foi muito importante. Muito depressa, em liberdade estritamente vigiada, a imprensa difundiu os acontecimentos da França e foi o coração do dispositivo pedagógico da Revolução conquistadora.

    Em 1789 a imprensa começa a ter um papel cada vez maior nos acontecimentos políticos. Vários políticos importantes tornaram-se jornalistas, surgem grandes figuras do jornalismo como Marat, Hérbert, Mirabeau e Brissot que escrevem artigos revolucionários e incendiários. Lutaram activamente por aquilo que chamaram de “direitos naturais” dos cidadãos. Tratava-se sobretudo de uma luta contra a censura, ou seja, pela liberdade de imprensa. É a Revolução francesa que instala três grandes ideias que vão marcar toda a acção dos jornalistas nessa época. A primeira, é a de que o segredo é sempre detestável, é contra a revolução, a primeira ambição é a transparência nos assuntos públicos. È necessário que tudo se passe sob o olhar atento dos cidadãos. Em segundo lugar, a obceção em reinventar uma democracia directa. A terceira ideia que rege o jornalismo em França durante a revolução é o facto de imprensa não constituir apenas um espelho da política mas também ser um actor central ao contribuir para dar aos acontecimentos um ritmo acelerado.

    Como nunca aconteceu até hoje, a imprensa estabeleceu um contacto permanente e directo com os seus leitores. A publicação excessiva das ideias do público deve-se ao facto de nenhum dos jornais conseguir suportar as despesas dos correspondentes, os leitores compensavam esta falta tornando-se repórteres de ocasião.

    Descobriu-se que os jornais são os laços mais eficazes entre os representantes do povo e o próprio povo. Só a imprensa pode ter o lugar de interpretar o papel de intermediário permanente.

    ATENÇÃO PARA O ÚLTIMO PARÁGRAFO. Que o PT autista, incluindo a Dilma (Lula – arrependido tardio), ainda não descobriu.

    • Ou seja, meia dúzia de “iluminados” fazendo a cabeça de todo mundo, interpretando unilateral e parcialmente os acontecimentos e escrevendo a história em benefício próprio.

      Isso não é imprensa e nunca foi. É panfletagem política, exercício de um poder anti-democrático. Não há diferença alguma entre ter uma imprensa única, funcionando como porta-voz do poder político, e uma imprensa com vários veículos, todos defendendo seus interesses comuns.

      A imprensa ou é imparcial e se posiciona ACIMA dos interesses próprio e do poder (seja ele do governo ou da classe dominante), ou não passa de meio de propaganda de um ou de outro, manipulando o povo para impor as próprias idéias e interesses.

      É isso que vcs ainda não entenderam.

  • Ninguém é contra a presidente. Se ela se candidatar contra qualquer adversário do dem-pstu ou psdb-psol(é só verificar como eles se aliam no Congresso, para votar contra tudo do governo), eu voto nela. Agora, não se pode tapar o sol com a peneira. Elogiar daquela forma a falha e o farol. Isto é indescupável, lamentável e sem cabimento. Até hoje muitos estão atônitos com tal procedimento. Também acho que o governo não apoiará a lei da mídia. Vai ficar tudo como está. Já se esqueceram da carta aberta assinada pela então candidata, que disse que não mexeria com os meios de comunicação? PS: Entendo também que hoje o mídia vil está incitando o povo brasileiro contra qualquer governo petista, com suas matérias distorcidas e tantas vezes mentirosas.

  • Vcs não desejam a liberdade de imprensa apenas usam esta desculpa para impedir que a imprensa critique e fiscalize o governo.
    Deixar para que o estado se torne detentor de controle da imprensa (controle social), mais do que já é, e restringir a pouca liberdade que temos.
    Pode ter certeza que mensalão, Eurenice guerra, e demais escândalos nunca mais serão divulgados, esta é a intenção.

    • A imprensa brasileira não tem liberdade?
      A de Minas é ligada ao governo mineiro. Não divulga absolutamente nada que possa comprometer os que estiveram e estão no poder.
      Onde estava o PIG quando os blogs sujos mostraram que a filha do Çerra tinha uma empresa em Miami que quebrou o sigilo de milhões de pessoas na época do FHC?
      A mídia brasileira distorce, manipula, inventa e mente. Qual é a verdade da Lei das Licitações? Eles simplesmente estão dando voz às empreiteiras que preferem que o processo seja feito como na linha lilás,no metro de SP. Agora mesmo, com o caso dos hackers, tenho certeza que a mídia sabe muito bem o que está acontecendo e simplesmente está se aproveitando da situação.

    • Antes que eu me esqueça.

      “Deixar para que o estado se torne detentor de controle da imprensa (controle social), mais do que já é, e restringir a pouca liberdade que temos.”

      Acabou de confirmar que você está apenas defendendo o seu ganha pão e não pensa como a grande maioria dos brasileiros que só quer um País decente, sem que o PIG faça e desfaça para ter sempre o poder nas mãos. Ato falho?

    • Pouca liberdade que temos? É pouco a liberdade de chamar presidente de estrupador? De publicar ficha falsa de candidata a presidente? De propagar pânico sobre uma falsa epidemia de febre amarela?
      E como sabe qual a ley de medios que queremos? Sendo que nem todos estão fechados numa só proposta. A da Argentina por exemplo. Aponte onde na ley explicada pelo Edu tem cerceamento de liberdade de imprensa?
      Você realmente acredita que somos burros o bastante para achar que existe liberdade de expressão no Brasil?
      O que tem é um oligopólio com a “liberdade de se expressar” a seu bel prazer. Fora disso é trollolló

    • Calúnias, manipulações, omissões NÃO SÃO “fiscalização do governo”, pra começo de conversa.

      É impressionante que vc tenha a cara de pau de fingir que o que a imprensa faz é correto e honesto. Vc SABE que não é, mas precisa fechar os olhos já que a SABOTAGEM que a imprensa faz o beneficia.

      Só isso. É puro interesse próprio disfarçado de “defesa de princípios”, como de praxe para a direita.

      Outrossim, NÃO é função da imrpensa fiscalizar porcaria nenhuma. Ela não tem competência nenhuma pra isso – quem fiscaliza precisa entender do que está fiscalizando. Ela não tem mandato nenhum, ou seja, o povo não lhe concedeu esse poder – o que ela faz é vigilantismo.

      E, acima de tudo isso, ela não é imparcial, condição necessária para fiscalizar qualquer coisa. Ao contrário, ela tem um interesse muito claro: manipular o povo em proveito próprio.

      Ou seja, sequer se pode confiar na imprensa, mas vc quer que ela fiscalize alguma coisa ainda assim, apenas pq a sabotagem que ela faz é do seu interesse ideológico.

      Sinceramente, não sei quem é pior.

  • Um pouco “fora de pauta”, mas nem tanto….

    Sempre defendi a “antipática” tese de que a internet não pode ser considerada um “território livre”, onde cada um faz e diz o que quer.

    A invasão dos sites do governo Brasileiro por Hackers deverá servir, espero, para mitigar essa “ânsia liberal” dos defensores da “liberdade sem limite” na blogosfera.

    É muito melhor que tenhamos regras claras de limites e controles, válidas ionclusive para ação de fiscalização de governos, que ficar a mercê de piratas modernos e arapongas não tão modernos…

    “Liberdade sem limites” encontra como limite o impedimento do exercicio da liberdade.

  • Fica dificil a nossa presidenta combater os barões da mídia, as empreiteiras e os que sempre dilapidaram o patrimônio público. Alguns dos “nossos” hoje repercutem todas as ilações criminosas do PIG, e com mais força, pela credibilidade. O Conversa Afiada, do PHA coloca hoje o Lula no mesmo patamar de qualquer pilantra pego em falcatruas. Sérgio Cabral é amigo inrimo do empreiteiro que tem obras no governo do RJ e ele faz ilações porque o Lula dá palestras pagas pelo Odebrecht…

  • As leis e atos jurisprudenciais devem seguir anseios populares, nesse caso a ditadura argentina não se compara a brasileira.
    A lei de midias argentina teve um fato gerador de comoção social, crianças arrancadas dos braços de suas mães e entregues a pessoas ligadas diretamente a ditadura, uma deles dono do Clarin. Nós tivemos uma ditadura brutal, o Araguaia que o diga, a Dilma que o diga, contudo por pior que isso tenha acontecido aos nossos patricios isso ainda não é suficiente para uma mobilização nos moldes argentinos.O Brasil levará mais tempo que a Argentina, contudo a nossa será carregada de mais tranquilidade, será mais sustentável.
    Nós tivemos a nossa comoção, ela foi em 1989( manipulação da rede Globo na eleição), de lá para cá o povo se manifestou e disse com todas as letras estar cansado dos condidatos da midia, isso não é pouco. O povo é pratico, o povo tem instinto de sobrevivencia se a economica for mal ele esperneia se não ele se acalma. Mesmo a imprensa colocando que o Brasil do Lula foi um fracasso o povo sentia o contrário e deu seu voto de confiança na Dilma, mesmo a imprensa colocando que Dilma está fazendo tudo errado, o povo senti o contrário. Quem perde com isso? A imprensa. Ela diz que o Brasil tem descontrole, aí vem o Mody´s e diz o contrário, ela não noticia, o cara vê na internet que isso aconteceu e a impresa não deu, quem perde com isso, a Dilma? Claro que não, a imprensa.
    Tememos que a imprensa corporativa atrapalhe a Dilma de um jeito que ela não se sustente em 2014. Isso está longe de acontecer, um dos casos mais classicos é a inflação recente, parte era real e outra parte ficção produzida pela imprensa, contudo com medidas macroeconomica desenvolvimentistas isso vem se arrefecendo e o que é pior as notas internacionais no pior momento da segunda onda do tsunami coloca o Brasil como o país mais confiável em matéria de investimento. Nunca vimos isso na nossa historia, o derramamento de dolares no Brasil é algo incrivel, muitos vão dizer: É nossa taxa selic. Se isso fosse verdade os indices sociais ( emprego, desemprego) indices economicos estariam desajustados. Tudo bem, nem todos estão gostando, principalmente a industria de peças como você já vinha apontando, afinal os juros interferem do Cambio, contudo isso se chama ENTREGUISMO FHCeano, se a CSN e a VALE fossem estatais isso se reverteria. Vamos sofrer ainda por anos esse entreguismo do Fernandito, contudo uma coisa de cada vez, a prioridade é a solução da pobreza extrema.
    Edu, a Argentina pode se dar ao luxo de priorizar a reforma midiática graças ao Brasil. Nós estamos trazendo todo tipo de investimento à América do Sul, com o encolhimento estadunidense as transações internadas entre paises sulamericanos se aprofundou e isso graças a todos, mas principalmente ao Brasil.
    Sua luta é nobre, seu trabalho importante, contudo gostaria de fazer algumas ressalvas:
    Quando do encontro dos blogueiros voce colocou ao ministro que este estava mudando alguns temas da reforma midiática. A questão como eu já coloquei no passado é muito complexa. A propriedade cruzada não se resolve numa simples votação no congresso sem observar o passado, não só antes da Contituição de 88 como a lei regulamentadora que está em construção. Existi um principio juridico que diz: Nenhuma lei ou ato juridico deve ser tal que provoque danos, se o suposto lesado for a justiça e provar que houve danos ele ganha. Eu como já disse no passado tenho convicção que propriedade cruzada futura não pode exitir, as que atualmente exitem devem passar por transmutação, deságio ou outro nome mais bonitinho. Deve-se dar tempo as empresas proprietárias a se desfazer desse patrimonio. Muita gente diz : Concessão é um direito não é propriedade. Isso está correto, contudo uma frequencia de radio ou TV para ser usada precisa de antenas transmissoras, isso não é barato. Muita gente diz que a TV Brasil poderia ser melhor, contudo se esquece que todo melhoramento tem custo, na atual situação nacional a prioridade é a erradicação da fome, posteriormente miséria, posteriormente desemprego ou tudo ao mesmo tempo. A transmissão de imagem da rede Globo era a melhor do Brasil, isso por causa de suas antenas transmissoras, a Record está indo no mesmo sentido, isso graças ao Lula que democratizou a distribuição de verbas publicitárias. Não precisou de lei para isso, Lula só usou o principio pétrio da Republica, a ISONOMIA : Todo somos iguais perante a Lei ou ato administrativo publico. Eu adora esse principio.
    Edu, sou uma mulher prática, pois sou muito preguiçosa, devemos ter objetivos simples e poucos, na verdade prioridades simples. Quando Dilma disse que sua prioridade é a erradicação da pobreza com foco na empregabilidade, achei que não poderia ter escolhido tema melhor. Todos os problemas começam daí, resolvendo este resolve-se todos os demais por tabela. A lei de midia é só um pontapé incial, o jogo vencedor dura mais tempo, na verdade o pontapé inicial quem deu foi o Lula com a sua visão ¨irritante¨de seguir principios, a lei vai ser o final do primeiro tempo, segundo tempo é com a sociedade fiscalizando, apontando defeitos, excessos, ilegalidades. Acho que tanto o Barão de Itararé quanto os blogues progressistas devem voltar o olhar para a UNE , UMESB e GRÊMIOS ESTUDANTIS. O Emir Sader…
    http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=716
    …. levantou a bandeira, acho que ele está certo no tema, no objeto acho que não. Ele fala que o Governo Federal deveria usar a forma mobilizadora dos jovens para a cultura. Eu acho que os Govenos Estaduais e Municipais progressistas-desenvolvimentistas é que deveriam fazer isso não só na cultura, na verdade as escolas deveriam se mobilizar para que os Gremios se fortalecessem. A meninada adora se expressar artisticamente, midiaticamente. Eu fiz um teste durante a campanha de 2010, criei um jornal improvisado chamado ¨Cachorro Louco¨ com uma corrente de vinte elos, meu foco eram capturar eleitores para Dilma maiores de idade. Algo estranho aconteceu, a meninada do meu predio ( 5 a 10 anos) adorou a foto do cachorro louco que eu havia copiado do Leandro Fortes (http://brasiliaeuvi.wordpress.com/2010/08/16/caso-lunus-a-versao-do-cachorro-louco/) e por isso leram o panfleto e mandaram para os pais lerem também .
    Edu, sei que seu foco é outro, seu olhar é para a imprensa de SP dos jornais que você era critico e depois colunista independente, contudo o maior problema ainda se chama Rede Globo. Ela tem ainda muita penetração nos lares brasileiros, contudo sua força não é mais a mesma, seu poder hoje no maximo elege prefeito, tenho duvidas se elege governador. 2012 será a prova dos nove, vamos ver o tamanho de sua força. A dança das cadeiras recente da Vênus Platinada foi o efeito Dilma, não vi ninguém que tenha assistido a entrevista da Dilma com o casal 45 e mais a manipulação da bolinha que não tenha se indignado. Sei que pode ser uma visão acomodada de uma pessoa preguiçosa, mas acho que o maior inimigo hoje da Imprensa corporativa é sua falta de confiabilidade, de credibilidade. As pessoas assistem a esses programas da Globo e dos outros canais ainda por falta de opção, contudo quanto mais dinheiro no bolso a população tiver mais poder de usar o controle terão, disso não tenho menor duvida, logo voltamos a prioridade:
    -Distribuir , desenvolver e consequentemente crescer não só economicamente, principalmente socialmente. Estamos muito bem graças a todos, principalmente a Lula e seus colaboradores diretos. Alguns estados precisam de uma boa faxina, contudo o mais importante já conquistamos o poder federal, daí para limpar os estados e munipios fica mais fácil.

    P.S. Num poste anterior fosse se referiu a criminalização das drogas como algo que está sim escrito no codigo penal. Uma lei efetiva deve seguir o seguinte principio: Toda transgressão deve ser acompanhada de punição para que seja efetiva essa punição tem que ser na medida, não pode ser de magnitude talr que provoque trauma e nem menos que não corrija. O codigo não fala da punição, contudo ela não deixa de ser efetiva por tal omissão haja visto que um juiz pode determinar que tipo de punição o transgresso deve sofrer. Nós ultimos 5 ou 8 anos não vi até hoje um juiz prender um fumante de maconha, tudo bem prender é demais, contudo nunca vi pena alternativa do tipo pagar cesta basica, tudo bem isso também seria demais. Nós ultimos anos vejo os juizes analisando os casos de usuários com dependentes quimicos e neste caso não sofrem sanções penais, é quase uma desobediencia civil. Tudo bem eu não trabalho em delegacia tampouco em tribunal posso está completamente equivocada, contudo esse movimento em favor da discriminalização é só o que aparenta ser tem mais do que se apresenta. Nunca vi o FHC dá ponto sem nó, apesar de sua baixa inteligencia cognitiva ele sabe muito bem o que está fazendo. O FHC não está nessa para parecer moderno. Observe que o movimento cresceu no ano passado depois que ele abraçou a causa. Para o azar do Sr. Fernando há estudos que mostram que não se resolve tais problemas de USO VICIOSO das drogas apenas liberando, o seu governo foi o que mais teve aumento no USO VICIOSO das drogas, isso porque causa da sua politica concentradora de renda. O governo que houve efetiva redução foi no governo Lula.

    P.S.2 Os usuários sociais de maconha, de cocaina, de heroina, de morfina, de codeina etc, agradeçam aos viciados, aos dependentes. É graças a eles que a justiças começou a discriminalizar o usuário, afinal os psiquiatra provam por A + B, que o dependente é um doente. Eu não estou nem aí para quem usa maconha para relaxar depois de um dia estafante, não estou nem aí para os brochas que usam cocaina de vez em quando para terem prazer sexual já perdida há tempo, não estou nem aí, pois sei que esses usuários eventuas quando foram pegos no passado usavam a tese da dependencia, hoje em dia os delegados sabem tão bem que se denunciar por uso terão suas denuncias recusadas por muitos promotores, pois muitos bons juizes olham o usuário como doente e nem sequer abre processo.

    P.S.3 Volto a dizer Edu, a Holanda usada pelo FHC com modelo está longe disso, tanto é verdade que ela mandou seus aviões ajudarem na espoliação da Libia. A tese de reduzir a criminalidade, a violencia é seria uma tese antes de 2000, agora não a Holanda é um grande ponto de interrogação. Se esse país é tão avançado por que destruir a Libia desse jeito? A direita tomou conta da Holanda depois da legalização, isso é fato e estamos ver depois disso toda a Europa caminhando no mesmo sentido.

    P.S.4. Estou doidinha para ver o FHC ser chamando a COMISSÃO PARLAMENTAR para mostrar esses bons numeros da Holanda e da Europa civilizada, mas principalmente quero ver o FHC dizer em alto e bom som que ele não quer só a discriminalização, mas a tão sonhada legalização. Eu em 2010 disse ao Procurador da Republica ( por escrito com carimbo e tudo ) que o FHC iria defender essa tese. Nem nos meus melhores sonhos imaginaria que o Fernandito iria defende-la de corpo presente. Há antes que eu me esqueça eu disse ao Procurador da Republica que Fernandito jamais defenderia a Africa. Quero que a Comissão pergunte ao Fernandito o que ele acha da Holanda civilizada mandar bomba nos Africanos, pois hoje sabemos que a Africa é ponto primordial para o trafico de heroina que chega a boa e civilizada Holanda, a Libia é um dos poucos paises que não participam da orgia da heroina. Espero que Fernandito não vá roer a corda.

  • Não houve invasão nenhuma aos sites do governo federal. O que foi divulgado pela mídia não passou de dados que se encontram fácilmente no Google e de um post num blog.
    O tal que se diz hacker é um sujeito de Goiãnia, que já divulgaram o CPF, Ident e tem uma boa lista de crimes.
    A situação criada pode facilitar que dados sigilosos sejam divulgados (vide Palocci) e a culpa seja colocada nas costas de hackers. O uso do cachimbo faz a boca torta.
    Vejam comentários aqui: http://twitter.com/#!/stanleyburburin

  • O campeonato brasileiro não se resume a Corintians e Flamengo. A propósito: porque será que os sócios da Globo, tais como Ricardo Teixeira, Coríntians e Flamengo, estão sempre envolvidos em casos de corrupção ?

  • “Todavia, nas instâncias superiores isso devera ser revertido”…
    Pela correção e clareza da sua informação/exposição espero
    que sim. Pois as nossas decisôes superiores não tem sido
    muito animadoras.

  • Tanto tempo sem comentar, mas a cara de madeira é a mesma… Tenho visitado pouco o blog, passei pra olhar rapidamente, tentar atualizar a leitura. Esta discussão sobre a “ley de medios” só me levou a pensar que Dilma tem tantos desafios ao redor dela que não deve(ria) dormir direito, e que o medo que se atribui a ela nas discussões está totalmente invertido. Mil perdões pelo trocadilho – inclusive é tão óbvio que já deve ter sido dito – mas… quem tem, tem medios. O que nos compete como cidadãos, creio, é divulgar e discutir essa questão entre amigos, na blogosfera e fora dela, para que mais pessoas saibam disso. Afinal, ouso afirmar apesar de não ter tempo nem pra assistir tv, o debate sobre o assunto não ocorre em larga escala (acho que só em banda larga mesmo…). Um grande abraço, Edu! Boa semana pra você e seus leitores.

Deixe uma resposta