Com essa mídia país não avança

Opinião do blog

Ao longo da terça-feira, a internet se divertiu com o post que este blog publicou sobre a missão difamadora da mídia brasileira que foi à França reclamar com a sua universidade Science-Po por ter outorgado ao ex-presidente Lula o título de Doutor Honoris Causa. O absurdo que se revelou deixou as pessoas atônitas e, assim, só restou rir.

Do post em questão, surgiu a hashtag #PorqueNaoFHC, que, em questão de minutos após ser criada, chegou ao Trending Topics do Brasil no Twitter. Foi uma brincadeira com a pergunta da jornalista de O Globo ao diretor da universidade francesa sobre por que a instituição premiou Lula em vez do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O que direi agora disse ontem nas redes sociais (Twitter e Facebook): apesar de parecer que me divirto, o caso é sério. Com uma imprensa… Ou melhor, com uma mídia como a nossa, o país não avançará até se tornar o que almejamos.

Vamos discutir isso, pois: o que almejamos que o Brasil se torne? Não estamos achando, os brasileiros, que poderemos nos tornar uma das maiores potências mundiais? Não temos os requisitos para tanto? O Brasil não tem tudo para figurar ao lado das grandes potências?

Claro que tem. Temos uma vastidão de terras férteis, um clima generoso, uma diversidade étnica e cultural das mais ricas, um subsolo que é um verdadeiro tesouro, as maiores reservas de água potável, uma indústria dinâmica como poucas, uma economia estabilizada e saneada, centenas de bilhões de dólares em caixa…

Este é o momento do Brasil. O mundo inteiro reconhece. A jornalista de O Globo que perguntou ao diretor da universidade francesa por que escolheu Lula e não o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para ser premiado e que insinuou que o prêmio se deveu a interesse francês em ajuda financeira do Brasil, sem querer admitiu o quanto este país avançou na década passada.

Ainda assim, este ainda é um país em que há quase tudo por fazer. Um país rico, com potencial, mas que tem uma cultura de ser roubado pelo setor privado por vias legais ou ilegais. Além de leis que doam à elite étnica e regional as riquezas que pertencem a todos, há também a corrupção endêmica, a cultura de levar vantagem.

A mídia (acima do conceito de imprensa) poderia contribuir para mudança desse aspecto da mentalidade nacional. Mas não com essa pregação hipócrita que criminaliza alguns por razões políticas e alivia com outros pelas mesmas razões, e que, além disso, acoberta os corruptores.

A esperteza da mídia partidarizada e elitizada é o pior exemplo para a sociedade. Ao se dizer isenta e agir como cabo eleitoral e despachante de interesses de classe, regionais e étnicos pretendendo abafar as queixas dá ao país o exemplo errado, da mentalidade de que quem pode mais chora menos.

A conduta midiática é a conduta do “sabe com quem está falando?”. Ao adotá-la, a mídia dá o exemplo de que se deve buscar sempre o lado mais forte, mesmo que a força que tenha talvez não seja o que parece – ou o que pretende – ser. O que é nefasto, porém, é incentivar o autoritarismo social, político e econômico.

É nesse ponto que me pus a refletir: nenhuma grande nação – desenvolvida, democrática, civilizada e próspera – avançou de verdade sem uma imprensa séria, responsável, imparcial ao máximo possível (porque totalmente é impossível) ou honesta ao ponto de reconhecer-se eventualmente parcial.

Nos Estados Unidos, por exemplo, há mau jornalismo, sim. Mas também há bom jornalismo. Na Europa, idem. E note-se que me refiro à grande imprensa, à grande mídia, aliás. No Brasil, é tudo uma droga. A comunicação corporativa tornou-se uma máquina de contemplar interesses políticos, econômicos e de classe de grupos restritos.

Nenhuma nação avança de verdade se não refletir uma sociedade justa, mas a mídia brasileira prega injustiça, prega sobreposição de todos por alguns, ainda que implicitamente.

A propaganda, por exemplo, retrata um país nórdico, povoado por gente branca, de olhos claros em um país de maioria afro-descendente. É um abuso, um insulto a todo um povo que este aceita porque acredita na cultura de que quem pode mais chora menos. Isso para não me repetir nos exemplos políticos, que já cansaram de tanto serem repetidos.

A democratização e a profissionalização da comunicação no Brasil, portanto, é a sua principal agenda nos próximos anos. De nada adiantará reduzir a miséria ao ponto em que pareça ter sido extirpada se os fatores que a geraram permanecerem incólumes, e acima de todos os fatores que a geraram está o uso da comunicação como meio de exclusão social e política.

Entre as grandes missões que se descortinam à administração Dilma Rousseff, portanto, está o encaminhamento dessa questão. No ponto a que este país chegou não é possível mais recuar. Ou se tem coragem de atacar esse foco de corrupção e de disseminação da cultura do quem pode mais, chora menos ou não iremos a lugar algum.

117 comments

    • Meu amigo, sem o controle social da Mídia nada vai avançar neste País. Na publicidade, precisamos ter um sistema de cotas que privilegie todas as etnias que compõem o povo brasileiro. Foi um grande tapa de pelica no rosto dos direitistas que uma negra de língua portuguesa tenha sido eleita Miss Universo no Brasil, um país que enaltece as Bundchens da vida e se esquece que a beleza maior está na nossa raça, em nossos campos e nossos morros. E, a hipocrisia maior é que são exatamente estas empresas arianas que agridem e espancam os negros que tentam fazer compras ou acessar serviços em seus estabelecimentos.~

      Parabéns, Eduardo Guimarães! Espero que até o dia 7 de outubro você ingresse no Partido dos Trabalhadores e coloque sua candidatura nas ruas para a Câmara Municipal de São Paulo.

      • Amigos, a corajosa ministra Eliana Calmon que luta para limpar o judiciario brasileiro com sua conduta e firmeza ímpares está sofrendo ataque vil e criminoso do Pelluzo e de todos os bandidos de toga que nao querem ver o CNJ continuar seu trabalho de investigacao e controle do judiciario (que acredita que nao tem explicacoes a dar a ninguem já que são deuses), temos que ATOLAR o site do STF e do CNJ com emails de apoio à ministra e exigindo que o CNJ continue com poderes para fsicalizar o judiciario, este que é o poder mais PODRE e CORRUPTO do país e que está merecendo uma marcha para mostrarmos a eles que eles TAMBEM tem satisfacoes a dar à sociedade e nao estar a servico de seus clientes endinheirados. Emails ao STF gente!

  • Nada a ver com o texto, mas sim com a imprensa de forma geral, copiei de um comentário no Yahoo!:
    “eliasrio 2 semanas atrás
    O povo é tâo burro que a elite fez propaganda contra a CPMF e todo mundo foi atrás! Era o imposto mais justo que houve nesse país! o que eram 0,38% para quem paga 7,5% ou mais na fonte? So FAZIA DIFERENÇA PARA QUEM MOVIMENTA MILHÔES E SERVIA PARA A RECEITA RASTREAR ESSES LADÕES DE COLARINHO BRANCO, POR ISSO ELES QUISERAM ACABAR COM A CPMF! E o povão burro aprovou batendo palmas!”

    • Brilhante comentário….o que aconteceu neste pais que deixamos nos levar por esse engodo que foi a campanha contra a CPMF. Quanto burro fomos pra não reagir a altura com esses argumentos simples de entender. Não foi só a publicidade, o jornal ..os meios em geral. Certamente tem mais alguma coisa no meio desta sopa!!!!
      A pilhagem continua em grande escala em nosso Brasil. Apesar do nosso comandante Lula ser abertamente reconhecido fora de nossas fronteiras.
      Abs.

      • TEM MAIS COISA SIM: A INCOMPETENCIA DA COMUNICACAO DO GOVERNO! COM LULA AINDA TÍNHAMOS ESSE FENOMENO DE COMUNICACAO QUE O EX PRESIDENTE ERA E NEM ASSIM CONSEGUIU CONVENCER AS PESSOAS DA NECESSIDADE DA CPMF, AGORA COM DILMA É QUE NAO VAI MESMO E PRA PIORAR NEM LULA NEM DILMA INVESTIRAM NA TV PUBLICA QUE PODERIA FAZER O IMPORTANTE PAPEL SOCIAL DE EXPLICAR ORIENTAR E MOSTRAR AO POVO TODOS OS PROJETOS E LEIS NECESSARIOS À IMPLANTACAO PLENA DE ACOES EM FAVOR DO POVO. AGORA FICAMOS NÓS AQUI ESGOELANDO SEM VOZ E SEM VEICULO DE MIDIA ENQUANTO O PIG E SEUS DONOS, OS MILIONARIOS DO BRASIL, TEM TODAS A FERRAMENTAS PARA CHEGAR À CASA DAS PESSOAS E DOUTRINÁ-LAS A SEU BEL PRAZER. DILMA, LULA E O POVO ESTÃO PAGANDO O PRECO ALTISSIMO DO GOVERNO NAO TER PRIVILEGIADO A TV PUBLICA E PIOR NAO PARECE QUE APRENDERAM A LICAO VISTO QUE A REFERIDA TV ESTÁ ÀS MOSCAS.

  • A mídia conseguiu livrar a cara de Barrabás e condenar Jesus. E agora tenta fazer o mesmo com FHC e Lula. O caso é que Ruchard Descoings está longe de ser Pilatos.

  • O Eduardo acerta ao falar que nossa midia é uma droga.Cabe ressaltar nesse ponto o fragilidade de nossos cursos de jornalismo que não conseguem formar sequer profissionais com o minimo de consciencia ética,de um espirito público mais apurado.A maioria dos jovens que saem de nossos cursos de jornalismo,saem ansiosos para irem atras dos holofotes e o caso do jovem reporter que tentou invadir o apartamento do Zé Dirceu no Hotel Naoum em Brasilia é o mais visivel.Se fossemos ser rigorosos o ideal seria fecharmos todos os cursos de comunicação que ensinam de tudo,menos como fazer um trabalho serio,honesto e voltado para os interesses da comunidade.O que se ve no curso de jornalismo da PUCCAMP,por exemplo,são pessoas totalmente desmotivadas,despreparadas e imaturas,incapazes de entenderem a importancia social e politica do trabalho com a informação que é prioritariamente um bem público.

    • TAMBEM ACHO, COM MILHOES DE CARROS POR AÍ, NAO TEM PUBLICIDADE MELHOR. AGORA FALTA A FRASE PORQUE CADA UM PODE ENCOMENDAR O SEU ADESIVO NAO É?
      DEMOCRATIZACÃO DAS COMUNICACÕES JÁ?
      LEI DE MÍDIA JÁ?
      OS CRIATIVOS PODIAM AJUDAR A BOLAR NOSSA FRASE.

    • Uns dias atrás fiquei pensando em colar um adesivo de combate à inflação. Era tanta notícia de que a inflação ia subir que tive essa idéia, mas ainda não evoluiu pra atitude, rss…

  • Tirar o país da miséria material é um dos objetivos a atingir por esse governo democrático que aí está. Que, por sinal, está conseguindo, agora falta tirarmos o povo da miséria intelectual, exigimos educação e informação eficientes e honestas.
    Seu texto é irreparável. Parabéns Edu.

  • Quando os Senadores,derrubaram a CPMF,senti um vazio no estômago,não dormi direito antevendo o caos que iria virar a Saúde Pública no Brasil.Novamente a Elite estava pouco se lixando p/ o ocorrido pois na sua alienação,juntamente com o Pig era um imposto a menos.Quanto falta de sensibilidade p/ com os menos favorecidos que se acumulam nas filas do SUS.Nós temos UNIMED,GOLDEN CROSS,PREVI e por ai afora,os pobres que se lasquem.Como pode haver Saúde Pública de boa qualidade sem recursos específicos,cortaram em uma noite 40 bilhões de reais de uma área sensível, fundamental p/os mais carentes,por pura vingança,por pura questícula política.Um dia quero ver a mídia tendo um papel íntegro e honesto p/ reforçar ainda mais a democracia no Brasil.

    • A CULPA É DO PRÓPRIO GOVERNO QUE APANHA DIA E NOITE DA MÍDIA E NAO FORTALECE A TV E RADIO PUBLICA QUE SAO OS INSTRUMENTOS PARA MOSTRAR AO POVO AS SUAS OBRAS E A IMPORTANCIA DE TAL E QUAL PROJETO. SE TIVESSEM INVESTIDO DE VERDADE NA TV PUBLICA QUE ATRAÍSSE A AUDIENCIA DO POVO OU DE GRANDE PARTE DELE PELO MENOS NO JORNALISMO, O POVO TERIA BRIGADO PARA MANTER A CPMF E TAMBEM JÁ TERÍAMOS INUMEROS PROJETOS APROVADOS QUE NOS FAVORECERIAM, MAS SEM ESSE VEICULO, TV, QUE É ACESSADO PELA MAIORIA ABSOLUTA DO POVÃO, NAO DÁ.

      • Concordo plenamente, o governo federal
        desde a época do Lula, já devia ter criado
        uma rede de tv que chegasse ao povão e
        que pudesse desmentir essas insinuações
        que a imprensa podre joga todos os dias nos
        lares do povo brasileiro e ao mesmo tempo,
        mostrar de fato, o quanto o país melhorou.
        A imprensa com raríssimas exceções tem
        sido o principal inimigo do Brasil.

        • acho deveriam ver melhor a questão dos 3 poderes pois governo não pode tudo e tv publica não pode ser dirigida pelo governo.e nem fazer guerrilha com dinheiro publico.
          Vamos criticar mas saber como e onde.
          A culpa é nossa que antes do Lula ninguém falava em mídia.apenas os filiados do PT falava pois sentíamos na carne tudo sem poder mostrar afinal não tínhamos a internet.
          Como ex lembro de 89 com Lula e tudo oque fizeram com Erondina na prefeitura de SP.
          esta guerra contra o PT que para muitos ficou mais clara com Lula no poder se da desde a fundação do PT.
          Assim temos cobrar todos os partidos e tudo que possa interferir neste processo .

          • Como guerrilha com dinheiro publico? A tv publica argentina faz o maior sucesso com bom jornalismo e com programas de entretenimento e eu acho que isso é direito do governo sim, usar a tv PUBLICA como intrumento e vitrine de suas acoes, porque no Brasil nao pode, nao deve, é feio, é ilegal, é anti ético? NADA que nos favoreca pode nessa terra , assim fica facil pro pig né.

      • O espectro eletromagnético aberto, onde atua a parte mais influente dessa mídia é um bem público e como tal deveria ser exclusivamente utilizado pelo governo para fazer avançar um projeto nacional de veiculação de educação, cultura e informação de acordo com o interesse público. A maior parte da programação corrente das concessionárias das rádios e tvs abertas poderia bem migrar para os canais pagos. Por que não?

  • Para todos rirem mais um pouco, olhem essa notícia:
    Briga entre tucanos
    Pesquisa do PSDB dá vitória á Dilma, diz que governo de FHC é mais corrupto e gera briga entre tucanos

    Integrantes da bancada do PSDB na Câmara criticaram duramente a divulgação pelo partido de pesquisa encomendada ao cientista político Antonio Lavareda. A pesquisa, revelada pelo Globo no sábado, mostra que, se a eleição fosse hoje, Dilma ganharia no primeiro turno. O ex-líder do PSDB, Jutahy Junior (BA), atacou duramente a estratégia do partido, de divulgar números negativos contra o próprio PSDB.

    – O PSDB decidiu fazer divulgação seletiva contra o partido. Quanto pagamos para falar mal da gente? Foi feito um vazamento seletivo para gerar fatos negativos. – disse

    Ele criticou ainda a autonomia do contratado para fazer comentários e distribuir partes da pesquisa. O tucano questiona também o fato de pesquisa ter sido usada negativamente que, para os entrevistados, o governo Fernando Henrique Cardoso ganha o primeiro lugar em matéria de governo mais corrupto (Leia aqui no blog).

    Segundo a pesquisa, hoje Dilma teria 59% dos votos válidos, José Serra apenas 25%, e Marina Silva 15%. Na eleição passada, Serra teve 32,6% e Marina 19,3%, o que levou a disputa para o segundo turno.(Leia aqui no blog )

    Jutahy vai cobrar explicações do presidente do partido, o deputado Sérgio Guerra (PE). Já o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), convocou a bancada para falar sobre a pesquisa
    Do site: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

    Meu comentário: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • “Quanto pagamos para falarem mal da gente?”
      É o que me pergunto toda hora: porque e quanto pagamos à Veja, Falha e outros detritos pra que desanquem o governo?
      Chega de propaganda da Petro, BB e Governo Federal! Não precisam disso.
      Asfixiem economicamente, por 3 meses, a mídia golpista que ela estrebucha.
      Qualquer prejuízo para as estatais, adivindo da falta de propaganda (o que duvido muito que ocorra), por maior que seja, será barato.

  • Agora o Edu, pra variar, fez uma leitura precisa da situação. Edu, seguindo seu raciocínio, me faz pensar que o ponto aonde o mundo chegou atualmente, à beira do precipício, só foi possível graças à mídia mundial. É mais ou menos isso ou estou enganado?

      • Caro Edu,
        Tentei acessar o Cloacanews no link à direta da tela do seu blog e o Google dá um aviso dizendo que se acessar poderá danificar o computador. Vc. tem alguma informação sobre o Cloacanews?

        • Não tem vírus, não. Pode clicar em “continuar assim mesmo” que vc navega com segurança. Alguns blogs considerados sujo estão sob ataque de hackers na tentativa de assustar o visitantes desses blogs.
          Acho que é uma maneira que eles encontraram de tentar barrar as informações verdadeiras, já que na máfia midiática, os internautas não tem notícias sérias e imparciais.
          Portanto, pode continuar navegando à vontade que não tem perigo.

          • tenho encontrado isto em varios blogs ou mesmo em coisas comum pois fico fazendo pesquisa e sempre aparece .

  • Caro Eduardo
    Parabéns! Texto para ninguém botar defeito!
    Temos mesmo que exigir uma Lei da Mídia. Botar ordem no pedaço para que possa surgir uma expressiva mídia de qualidade, que dê vez e voz à maioria do povo brasileiro. Essa é a luta da hora, ao lado da Reforma Política. E do acompanhamento da Comissão da Verdade. Esses são os avanços políticos urgentes e imprescindíveis para que os outros avanços – econômicos, sociais e culturais – tenham chance de se realizar.
    Por outro lado, há que insistir com o Governo Federal sobre a urgente necessidade de melhorar o desempenho das tvs públicas, a Tv Brasil e a NBR. É importante também tornar o Blog do Planalto cada vez mais dinâmico e atrativo e dinamizar a Rádio MEC( Música, Educação e Cultura) e a Rádio Nacional. Porque o rádio é muito ouvido nas cidades do interior e na zona rural.
    E não vamos nos esquecer de prestigiar os bons órgãos de imprensa que já temos: Carta Maior, Pátria Latina, Revista Forum, Caros Amigos, Brasil de Fato.Correio do Brasil etc e há que fazer diferença entre uma Record e as outras tvs privadas. Aí em SP já funciona a TVT e TV -CUT com alguns programas muito bons.
    E notemos que entre o portal Terra, que está bem razoável, e o portal da uol, Pig puro, há consideráveis diferenças.
    É uma lástima que não tenhamos um grande jornal de circulação nacional, tipo o Página 12 da Argentina ou o La Jornada, do México.
    E, last but not least, todo poder e força aos blogs sujos.
    É ilusão acharmos que com a Lei da Mídia a FSP, o Estadão e o Globo vão ficar mansos, bons e puros como cordeirinhos recém-nascidos. Vão continuar vertendo o mesmo veneno e funcionando como porta-vozes das grandes corporações multinacionais e da elite brasileira a elas vinculadas. porém estarão disciplinados por normas legais claras que evitarão as barbaridades que estamos assistindo,dia após dia.
    As forças progressistas em geral têm que ter a sua mídia. E a mídia pública tem que ser de alta qualidade, como é a da Argentina e da Venezuela. Se não for assim, continuaremos SEM MÍDIA que represente realmente os interesses do Brasil e de seu povo, que prestigie a nossa cultura e enalteça os nossos melhores valores éticos.

  • Pessoal dos blogs sujos, tenho tudo na minha cachola, mas como não sou bom em redação peço ajuda aos universitários. Que tal bolar um texto pequeno, conciso, para postarmos no facebook, em resposta aos nossos “queridos amigos” que nos convocam a participar desta “marcha” contra a democracia?
    Abraços!

  • Imprensa ideologicamente isenta não existe. No terreno das idéias, todas têm sua tendência. Mas o que se espera é o exercício da atividade com ética e responsbilidade, e que se trabalhe para o bem do país e de seus cidadãos. Uma questão é: para que país trabalham?

  • Uau!

    Não é que finalmente estamos enxergando o centro da meta, das necessidades para um Brasil desenvolvido.

    A plataforma Brasil tem três pilares que teimam em permanecer absolutamente obsoletos, o JUDICIÁRIO (Eliana Calmon, finalmente alguém com coragem começa a lancetar, de dentro para fora, o fulcro da metástase do atraso), a MÍDIA partido (corajosamente exposta e combatida pela resistência na WEB) e a hereditária ELITE CANSADA, concentrada em seu bunker paulistano, protegido pela milícia da Mídia do Millenium (a batalha para o desmonte começa em 2012).

    É justamente neles que temos que concentrar o nosso fogo inimigo.

  • tb sou a favor de investimentos pesados na TV Brasil é um bom canal com bons programas!!!!

    será que a esquerda brasileira não conseguiria criar uma Tv, Rede Esquerda????…com anúncios durante seu intervalo e mais uma doação mensal de todos os militantes seja de que valor for, não daria para manter a emissora????

    • O problema é “conseguir uma concessão”!!!

      Os eternos donatários das capitanias hereditárias do Brasil controlam o Congresso Nacional!!!

      Acho graça quando “eles” falam que “o povo clama” por reformas trabalhista, previdenciária e tributária!

      O correto seria dizer “as elites perdulárias clamam” e não o povo, ou melhor dizendo: NÓS NÃO QUEREMOS MAIS PAGAR IMPOSTOS NEM RESPEITAR DIREITOS DO POVO!!!!

  • Eduardo, você leu o teor do discurso do Presidente Lula ao receber o título de Doutor Honoris Causa? sensacional, não? uma pena que os tucanos não o leiam, pois só sabem ler discursos em inglês… estão perdendo uma grande chance de conhecer o Brasil do jeito que ele é agora.

  • Eduardo, acompanho esse blog e admiro tuas análises sobre a “seletividade” da mídia. Entendo quando você explica a necessidade da Lei de Mídia. Mas dizer que jornalismo no Brasil “é tudo uma droga” cai na mesma simplificação que os críticos de qualquer regulação costumam fazer.

  • Eduardo, nas suas palavras, uma overdose de realidade:

    “Nos Estados Unidos … há mau jornalismo, sim. Mas também há bom jornalismo. Na Europa, idem. … No Brasil, é tudo uma droga. A comunicação corporativa tornou-se uma máquina de contemplar interesses políticos, econômicos e de classe de grupos restritos.”

    Ou então:

    “A democratização e a profissionalização da comunicação … é a … principal agenda nos próximos anos. De nada adiantará reduzir a miséria … se os fatores que a geraram permanecerem incólumes, e acima de todos … está o uso da comunicação como meio de exclusão social e política.”

    O que mais poderia ser dito? Aí está o cerne de nossa luta, que não se restringe à imprensa ou à mídia em geral, mas abrange também, e de forma muito profunda, a “Publicidade & Propaganda”; a qual, longe de se ocupar apenas em aumentar o ‘market share’ de produtos, representa, também, um dos principais veículos de dispersão da IDEOLOGIA… Essa mesma ideologia preconceituosa, ‘démodé’, depauperada e escrota que norteia a quase totalidade de nossa mídia.

  • Dois pontos sobre o assunto: primeiro, a imprensa estadunidense é tão ruim quanto a nossa (que não passa de uma cópia mal acabada daquela).

    Não se vê nem um dos grandes veículos sequer questionar a nomenclatura oficial, por exemplo. Todos chamam os que lutam contra a vergonha no Iraque de insurgentes e terroristas, enquanto usam sempre a mesma expressão para se referir aos atores na Líbia (rebeldes lutando contra “forças leais ao ditador”) – coisa que a nossa imprensa sem-vergonha repete até virar verdade.

    O mesmo vale para o ufanismo estdunidense. A grande imprensa deles opera sob a noção de que os estadunidenses não fazem parte da espécie humana, mas estão acima dela. A perda de vidas estadunidenses é sempre lamentada, mas a de outras nacionalidades – como se fossem vidas de outra espécie – são muitas vezes comemoradas. Nenhum deles tem a menor vergonha em admitir implicitamente que uma vida estadunidense vale centenas de vidas “inferiores”.

    Da mesma forma, veja quem se atreve a chamar a agressão ilegal cometida contra o Iraque como alguma coisa mesmo remotamente ilegal ou imoral… Tudo o que importa para eles, tudo o que eles questionam é o custo e o benefício, e mais nada.

    Toda a “grande” imprensa estadunidense é assim, toda ela trabalha para incutir essas noções subliminarmente no inconsciente coletivo. E todas fazem isso com plena consciência, intencionalmente.

    O segundo ponto é sobre a suposta inexistência de isenção, uma noção falsa, repetida pela própria imprensa até adquirir ares de verdade. Ela é possível, sim. A imprensa nunca foi o veículo ideal para a exposição de opiniões e para o debate público. Sua função sempre foi a de informar, e apenas isso.

    Admitia-se a opinião por um simples motivo: a imprensa era a única mídia, o único veículo que permitia esse debate e essa exposição. Hoje, porém, isso não mais se sustenta, e a presença da opinião se torna uma desnaturação, uma corrupção da verdadeira missão democrática e social da imprensa: a informação.

    Fatos não admitem nuances interpretativas com origem em opinião. Ou algo aconteceu, ou não aconteceu, ponto. Descrever o fato de forma correta e isolada de qualquer opinião sobre ele é coisa primária, trivial. E mesmo que ocorram falhas no processo, a intromissão da opinião na arena factual é acidente, e não a prática. É fruto de deslizes, e não da suposta impossibilidade de separar opinião do fato.

    No final das contas, o jornalista deve ser treinado para separar sua opinião de seu ofício, assim como um advogado é treinado para defender seu cliente, mesmo ciente de sua culpa.

    Uma imprensa isenta não apenas é possível, mas é essencial.

    • Pierri
      “Uma imprensa isenta não apenas é possível, mas é essencial.”
      Em termos ideais acho que vc está certíssimo. E ai de nós se não fossem as utopias.
      Porém ,na realidade,em todos os países que conheci vi uma situação em relação à grande mídia,similar a que existe no Brasil.
      A única diferença é que em alguns países já existem alguns meios de comunicação organizados e mantidos por forças políticas progressistas ou pelo governo progressista que lograram ter êxito. É o caso do Página 12, argentino e do La Jornada, mexicano. É o caso das tvs públicas argentinas e venezuelanas.
      É por essa razão que considerei em comentário anterior, que a Lei da Mídia é urgente e fundamental. Vai colocar limites legais e ordenar muita coisa.
      Porém não podemos prescindir de ter a nossa mídia progressista,pública ou particular, que dê voz e vez aos interesses do bem comum, da maioria do povo,da preservação da natureza e dos nossos valores culturais e éticos. Tudo isso com um jornalismo de primeira qualidade.
      Um abraço.

      • É exatamente essa a questão, Maria. Até agora, por décadas e décadas, a imprensa monopolizou a comunicação em massa e a usou para impor seus pontos de vista e escolher o que deve ou não ser levado a sério e debatido. Ela sempre foi a única via para a comunicação de opiniões em larga escala.

        Com isso, ela obviamente amealhou um poder incomparável e irreprimível. Tanto que governos de todos os matizes logo cuidam de cooptar a imprensa, ou a imprensa cuida de estabeler o governo que deseja.

        Com a internet, entretanto, acabou esse monopólio. Não é mais necessário que a imprensa sirva como veículo de opiniões e ela pode se tornar aquilo que sempre deveria ter sido mas nunca foi: um veículo de informações confiáveis e independentes e apenas isso.

        A imprensa no mundo inteiro é corrupta. Ela infesta e é infestada pelo poder, justamente em razão desse monopólio. Agora, estamos em um ponto crucial no qual podemos e devemos redefinir, reestabelecer a imprensa como ela melhor pode servir à democracia – o que presume o fim daquele monopólio e daquele poder. E ela se debate, tentando evitar isso a todo custo.

        A lei da mídia é essencial, mas não podemos pensar que apenas ela irá nos garantir a imprensa confiável, correta, ética e impoluta que precisamos. Temos que ir além e, para tanto, não podemos nos apegar aos conceitos que a velha imprensa sempre nos impôs como verdades absolutas (como a impossibilidade de isenção ou sua função de quarto poder ou de fiscal e juiz, etc).

        Assumir que esses conceitos são verdadeiros – e, consequentemente, estabelecer outros veículos parciais como contraponto à velha imprensa de direita – pode ser necessário em um primeiro momento, mas não pode ser o objetivo em si, sob pena de apenas aprofundarmos o paradigma atual e perdermos a luta logo de cara. Ou atiramos na lata de lixo tudo o que a velha imprensa sempre nos impôs como verdades absolutas e a repensamos do início, ou ela apenas se adaptará para continuar a ditar e manipular a opinião pública.

  • Valeu, Edu,

    só pra comentar como o setor de “marketing” e propaganda às vezes beira ao ridículo: tá circulando aí uma propaganda da Nextel, com vários “artistas” caminhando rumo a “não sei onde”, subindo algumas escadas. A música tema é “Come togheter”, dos Beatles, ou seja, “vamos juntos”. Porém, colocaram o Herberth Viana, do Paralamas, com essa turma, mas os marketeiros esqueceram um “detalhe”: ele é cadeirante! Como “vai junto” , se não inventaram, ainda, uma cadeira de rodas que sobe escada??? Esse povo é ridículo e alienado, um verdadeiro desrespeito e falta de noção.

    • Meu Deus, não acredito no que lí. Por que não comenta a furada da Caixa Econômica Federal que aprovou um comercial onde o escritor Machado de Assis, mulato (e não afro-descendente, que essa expressão não é da língua portuguesa), aparece branco? A Caixa, com essa ignorância e incompetência, jogou dinheiro público no lixo, pois teve que tirar o anúncio do ar. Vocês, com a ganância de criticar tudo o que vem da imprensa brasileira, acabam falando estupidezas.

      • A Vizinha (Pega Ela Peru)
        Mussum

        (…)

        Dona Maria tá com bronca da vizinha
        E manda a mesma pra tudo quanto é lugar
        Mas a vizinha, osso duro de roer
        Chama a Maria de maria-vai-com-as-outras, eu sei
        Mas Dona Maria começou a imaginar
        Um apelido que não fosse popular
        É aí, quando a vizinha enche a cara de pitú
        E passa na esquina é o maior sururu

        Pega ela peru, pega ela peru
        Pega ela peru, pega ela peru
        Pega ela peru, pega ela peru
        Pega ela peru, pega ela peru

        E Dona Maria…

        Dona Maria tá com bronca da vizinha, eu vou explicar
        E manda a mesma pra tudo quanto é lugar
        Mas a vizinha, osso duro de roer
        Chama a Maria de maria-vai-com-as-outras, eu sei
        Dona Maria começou a imaginar, pra se vingar
        Um apelido que não fosse popular
        E aí, quando a vizinha enche a cara de pitú
        E passa na esquina é o maior sururu

        Pega ela peru, pega ela peru
        Pega ela peru, pega ela peru
        Pega ela peru, pega ela peru
        Pega ela peru, pega ela peru

    • Caro Marcos
      BEm interessante o site que vc indicou.
      Já estive lá e deixei essa sugestão:
      “Acho de suma importância regulamentar criteriosamente a forma de administração das tvs e rádios públicas, como a Tv Brasil, a NBR e as Rádios MEC e Nacional.
      Para tal é preciso levar em conta que esses meios devem contar com profissionais de excelente qualidade profissional e técnica e terem como objetivo atingir amplamente a população do país com programas regionalizados,com canais diversificados voltados para crianças, adolescentes,idosos,população rural e de pequenos núcleos urbanos,população urbana etc a exemplo do que acontece com a TV Pública Argentina.
      É de grande importância que os movimentos populares,as federações e associações de moradores,os sindicatos,a UNE,o MST etc sejam ouvidos e consultados,sendo prevista intensas interação e participação popular.
      Seria interessante verificar como são administradas as televisoras públicas que contam com alta audiência, como por exemplo as da Argentina,da Venezuela e de muitos outros países que já têm bastante experiência nesse campo,como o Reino Unido(BBCs),a França e o Canadá.
      Não basta apenas ter emissoras de tv públicas. É preciso que elas atendam aos anseios da população o que necessáriamente faria com que tivessem ótimas taxas de audiência. O que não acontece em nosso país com as tvs públicas ou as rádios públicas.
      Essa questão é fundamental no meu entender. Fica difícil a compreensão do porquê os meios públicos de comunicação no país estão tão defasados se comparamos com outros países. É interessante analisar a causa desse fato. O que estaria impedindo termos uma ótima performance nessas áreas? Que interesses estariam em jogo para evitar o florescimento dos meios públicos?”

      • É isso mesmo, Maria Lúcia. Tão immportante quanto o reordenamento das regras para concessão de canais de tv e rádio, bem como exploração das novas mídias, é a construção de uma rede pública de comunicação eficiente, democrática e Brasileira, incluindo-se aqui a banda larga para todos. Daí a importância de estarmos atentos à esta iniciativa contribuindo com idéias e nosso apoio.

  • Os americanos exaltam os presidentes que tiveram grande destaque na história do país. Logo se ver que o PIG só gosta de imitar as características negativas do império. Olhem nossa história, todos os grandes presidentes deste país sofreram uma dura perseguição por parte da imprensa: Getúlio, Juscelino, Lula…

  • o Brasil só atingirá a maturidde democrática quando promover o controle ( externo, nada de enrolação com autorregulação) da Mídia, do Judiciário e da Publicidade.

  • Eduardo,
    Acabo de ler no blog do pha, um artigo impressionante do jornalista Luiz Cláudio Cunha, que relata como o golpe de 1964 foi construído a partir das mídias de então. Aqueles movimentos são, na essência, os mesmos que podemos notar hoje. Leia isso.

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2011/09/28/como-golbery-assaltou-a-opiniao-publica-para-derrubar-jango/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+pha+%28Conversa+Afiada%29

    • Eu li esse artigo e o achei extremamente interessante até mesmo porque se pode estabelecer um paralelo entre a personalidade sinistra,maquiavelica de Golbery e as personalidades de hoje.Gostem ou não,Golbery era um intelecto brilhante,voltado para o mal,porem,brilhante.E isso é incontestavel até mesmo para seus detratores.Hoje temos quem com a mesma argucia para costurar alianças,estabelecer estrategias,armar esquemas?Bolsonaro?Uma piada.Reinaldo Azevedo?Nulidade intelectual.Merval Pereira?Patetico.Hoje não existe a minima possibilidade de golpe,porque por tras de um ato politico dessa natureza tem que haver uma mente poderosamente brilhante de um estrategista,de uma pessoa capaz de manipular mentes e corações.Ah,mas teve o golpe de honduras.Seus promotores estão hoje desmoralizados perante a comunidade internacional.Ah,mas teve o golpe contra Chavez em 2002.Um golpe que durou exatas 48 horas e que no final tornou Chavez ainda mais forte.Não adianta,a direita brasileira nesse momento historico em que vivemos,sua midia vagabunda e seus serviçais que se encontram no parlamento estão num mato sem cachorro e pelo que se ve,vão continuar nessa situação por um bom tempo.

  • Acabei de lê uma entrevista da Presidente do Jornal o Dia e Brasil Econômico, no site Brasil 247, muito interessante, quem sabe esteja nesse grupo midiático lusitano informações confiáveis e imparciais.

  • Edu, gostaria de ver essa sua mente brilhante a serviço exclusivo da coletividade. É uma pena que as suas atividades impeçam de aplicar toda a sua energia e inteligência na formatação de políticas e outras ideias coletivas. Isso ainda vai acabar acontecendo naturalmente….

  • Uma equipe da TV Alterosa em Minas,que retransmite a programação do SBT mas é do grupo do jornal estado de minas,a fôia mineira,foi hostilizada pelos professores que estiveram em greve por quatro meses reividicando que o anestasiado cumprisse a lei e pagasse o piso salarial.Como o PIG mineiro a exemplo do paulista e do sulista(rbs) só tem olhos para o que acontece em Brasília,mesmo assim apenas para um lado,já que o PIG é vesgo, deu pouquíssimo espaço para os grevistas. Os apresentadores de um telejornal da emissora citada deram o maior chilique no ar,chamando os professores de “bardeneiros”. Até que enfim a população está acordando.

    • Seria a gloria ver meus conterraneos gritando em coro toda vez que reporteres do pig mineiro transmitissem ao vivo para que eles sintam na pratica o quanto estamos atentos para a nojeira descarada que eles praticam com a capa de jornalismo, mas que aqueles que tem ao menos 2 neuronios em pleno funcionamento sabe perfeitamente ser apenas o jornalismo de programa e não jornalismo verdadeiro!

  • Com relação ao combate a corrupção o pig não pratica jornalismo e sim publicidade.
    São peças publicitárias a título de notícias para alardear por ai que só há corrupção no governo federal, sendo as prefeituras e governos estaduais um mar de honestidade
    Tem que abrir o mercado da área do jornalismo, isso tem que ser encarado como um importante setor da economia com oportunidade para o pessoal da área jornalistica, pois como está os profissionais são obrigados a se sujeitar a trabalhar sob o chicote do baronato da midia
    Que capitalismo é esse que não aceita abertura nem competição
    Afinal de contas ja na Era Collor ja se aventava por ai a necessidade do fim da reserva de mercado e a abertura da economia
    Porque afinal de contas isso não vale para o jornalismo, só por uma questão de se manter o poder politico nas mãos de umas casta?
    Desde quando isso é democracia?

  • O dia em que se fizer um jornalismo investigativo,sobre a grana que a Globo pega por projetos em parceria com prefeituras governos estaduais e federais e sabermos qual a globo cumpriu o contrato acha que a globo vai ter que explicar.
    Edu acho que receita que entra na Globo através deste contratos é muito alta.
    teria como um Blog como o PHA,NASSIF ou o Miro ter estas informações folo deles porq

    • Eu gostaria de saber é se o contrato de 17 milhoes da rede Golpe com o ministerio do turismo para treinar 80 MIL PESSOAS para a copa erá investigado! As 80 mil ppessoas foram treinadas? Tem comprovacao com documentos que essas 80 mil foram treinadas e bem treinadas? Se nao houve treinamento cadê a grana? A devolucao é pra que dia? Quem responderá ? Isso é trabalho para o MP, ele está fazendo seu trabalho ou com a rede Golpe o MP nao funciona?

  • Se a pessoa não gosta da tal midia “partidarizada e elitizada ” há uma solução definitiva;

    Jornais; não compre
    Tv; mude o canal
    Rádio; troque de estação.

    Simples, não é mesmo ?

    • negativo. é a mesma coisa que eu dizer pra você que se não gosta da visita, mude de casa. tv e rádio são concessões públicas. pertencem a todos nós. por isso os países impõem leis, por isso o brasil fará leis. como todos os países civilizados fazem.

    • Nada simples, Luizão. Porque o espaço rádio-elétrico de um país não é ilimitado. E pertence ao povo do país. Se o meio de comunicação não cumpre o que é a função da imprensa,que é informar de forma verdadeira,se mente,desinforma, corrompe e manipula não deve merecer ocupar o nosso espaço rádio-elétrico.
      Não se esqueça que o direito à informação veraz é um direito de cidadania e a imprensa existe em termos legais para atender a esse direito.
      As concessões para televisoras e rádios, em todo o mundo, são por tempo determinado. Se um meio não cumpre o que determinam as leis do país a respeito dessas concessões, a concessão é cassada. E aquele espaço concedido a outro empreendedor na área de comunicação.
      No caso da imprensa escrita, embora não use o espaço rádio elétrico,o meio de comunicação também tem que exercer a função de informar verdadeiramente, corretamente, sem distorcer a realidade. Além de ser impedido legalmente de cometer os crimes previstos nas leis do país.
      O Brasil já teve Leis de Imprensa razoáveis. Porém, na Constituição de 1988, foram definidos artigos, que seriam posteriormente regulamentados. Porém até hoje não foram regulamentados. Falta portanto essa regulamentação que estamos chamando ” Lei da Mídia”. Isso é urgente e imprescindível pois queremos ser um país civilizado, não é mesmo? E nos países civilizados a imprensa é regulamentada.

    • Comprar que jornal?
      Mudar para que canal de televisão?
      Mudar para que estação de rádio?

      A mídia está toda do mesmo lado. Isso é uma vergonha para o Brasil.
      Se aproveitam de causas aparentemente comuns, como por exemplo, exacerbar ao máximo as rivalidades com a Argentina, no futebol ou fora dele, disseminar sem limites a alienação das novelas, do BBB, do carnaval e criar uma falso clamor popular contra a corupção, mas SÓ do governo federal.

      Isso é mais manjado do que andar pra frenta. Só não vê quem não quer.

  • Caro Eduardo
    O Brasil está avançando,apesar da mídia, voz da direita carcomida, falar que não. A direita é que dia a dia procura se transformar, como agora está acontecendo o DEM via PSD, e os neosdiscursos do FHC, Serra e cia.
    Dia a dia a mídia perde espaço para as ações dos consumos, dos novos empregos, do crescimento das nets.
    Acredito que devemos forçar a Dilma a fazer a Lei da mídia, assim como ir para 10% os gastos na saúde e na educação, de forma que ela reestruture as verbas federal.
    Não se pode dar descanso para a midía, desesperada para lucrar e fazer do Brasil uma nova Grécia, ou ainda, quem sabe, num futuro, uma nova Líbia.
    Saudações

  • Sobre a canalhice que os lacaios amestrados dos barões da comunicação fizeram com Lula : NÃO ACHEI NENHUM MOTIVO PARA RIR! Ao contrário, fiquei bastante revoltado com tamanha demonstração de ódio, preconceito, ignorância, imbecilidade e cinismo! E você sabe muito bem há quantas chegou a minha revolta! Por sinal, fiquei ainda mais indignado ao saber que, na coletiva dada pelo Diretor da Science Po sobre a concessão do merecidíssimo título de Doutor Honoris Causa a Lula, além do já citado Diretor, O ÚNICO QUE DEFENDEU O MAIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA DESTE PAÍS DA SANHA DE ÓDIO HISTÉRICO E IRRACIONAL DOS “JORNALISTAS” AMESTRADOS BRASILEIROS FOI UM JORNALISTA(ESSE SEM ASPAS, POIS É UM JORNALISTA DE VERDADE)ARGENTINO, CORRESPONDENTE DO EXCELENTE PÁGINA 12(PARA QUEM NÃO CONHECE, O MAIOR JORNAL DE ESQUERDA DA ARGENTINA QUE, AO CONTRÁRIO DO BRASIL, SEMPRE TEVE UM GRANDE JORNAL DE ESQUERDA, MESMO ANTES DA DEMOCRATIZAÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, REALIZADA PELA PRESIDENTA CRISTINA KIRCHNER, FATO QUE MOSTRA O QUANTO AQUELA NAÇÃO ESTÁ HÁ ANOS LUZ NA NOSSA FRENTE EM TERMOS DE CONSTRUIR UMA DEMOCRACIA DE VERDADE). Não há nenhum motivo para rir-se de uma barbaridade desse tipo : “profissionais” de comunicação que comportam-se como despachantes dos interesses e das amarguras mais reacionárias de uma “elite”(só nos recursos, pois moral e intelectualmente representa a mais vulgar escória)retrógrada, truculenta, preconceituosa, sórdida e pernóstica. Desse caso concreto, podemos chegar à compreensão de como funcionam todos os modelos de preservação do status quo de injustiça e discriminação em nosso país, através da imposição de “padrões”, considerados como os unicamente aceitáveis, a uma Sociedade que tem sua grandeza exatamente na diversidade de formas, a maioria das quais, diga-se de passagem, é bem mais rica, complexa e sofisticada que os padrões que os dominadores e seus lacaios tentam nos impor. Assim, a mídia joga na nossa cara o padrão étnico branco(num país em que, EM TODOS OS ESTADOS, A MAIORIA DA POPULAÇÃO É COMPOSTA POR NEGROS E MESTIÇOS, QUE AINDA COMPÕEM AS CLASSES OPRIMIDAS, POR ISSO MESMO ESCONDIDAS); o padrão econômico do neo-liberalismo(que está falido em todo mundo, vejam-se as tragédias que atravessam os atingos “bastiões” liberais, Europa e EUA); o padrão “cultural” de uma parte do Sudeste(é insuportável ligar-se a televisão e ver-se gente miando o sotaque paulista e/ou carioca. Para quem não mora nesses dois estados, esses sotaques, além de horrorosos, soam como uma imposição, como a ação violenta de alguém, a família Marinho por exemplo, que detesta todos os estados diferentes dos dois “padrões” da mídia brasileira, e tenta destruir a diversidade e riqueza culturais que existem na outras partes do Brasil que, por sinal, têm uma cultura muito mais rica, complexa e sofisticada que a dos estados “queridinhos” dos barões da comunicação); o padrão urbano das metrópoles(como se a vida fora das capitais e dos engarrafamentos fôsse marcada pelo atraso e falta de perspectivas); o padrão social da classe média(como se nas outras classes as pessoas não tivessem vida pessoal, não fôssem felizes e amassem). Enfim, a concentração das comunicações nas mãos de 13 famílias levou não apenas a uma uniformização do discurso político, mas uma padronização fascista, burra, reacionária, cínica e míope de toda a vida humana em nosso país, negando aos brasileiros o direito de enxergarem-se em sua diversidade. Ao contrário, levando-os a terem vergonha dela, a sentirem-se “inferiorizados” se não se encaixarem nos padrões considerados “certos” pelos barões da comunicação(quando são apenas um tipo numa gama de tipos que compõem o nosso país. E geralmente nem são dos mais interessantes). Ou seja, os negros devem negar sua aparência; os que não forem neo-liberais devem procurar sê-lo; as regiões do Brasil que estiverem foras do Rio e de São paulo devem tentar copiá-los; os moradores do campo devem tentar imitar a loucura das grandes cidades; os pobres devem sentir-se inferiorizados. É a essa violência que temos que reagir. É verdade que a reação a ela já ocorre : os negros e mestiços aumentam a auto-estima a cada dia; os defensores do Keynesianismo e do socialismo sorriem ironicamente diante do fracasso neo-liberal; os estados brasileiros, fora do Rio e de São Paulo, celebram sua cultura e seu sotaque(DIGA-SE DE PASSAGEM QUE, EM PERNAMBUCO, ESSA CELEBRAÇÃO, ESSE AMOR ENORME À NOSSA CULTURA E DIVERSIDADE SEMPRE EXISTIRAM. NUNCA, NEM NO AUGE DO PODER MIDIÁTICO E NEO-LIBERAL, NENHUM BARÃO DA COMUNICAÇÃO CONSEGUIU SEQUER AMEAÇAR O ORGULHO, A RAÇA, A PAIXÃO QUE OS PERNAMBUCANOS NUTREM POR SUA TERRA E SUAS TRADIÇÕES); também os moradores do campo orgulham-se cada vez mais em serem “moradores do campo”, ou seja, conservam o modo de vida saudável de suas terras; como também os pobres a cada dia celebram o sentimento de auto-estima e amor às suas comunidades, inclusive não permitem que a ascensão financeira que tiveram com Lula afaste-os dos padrões comportamentais e de consumo de sua classe, ao contrário, usam o crescimento de renda para reafirmá-los. É A TODOS ESSES GRUPOS, CONSIDERADOS FORA DOS “PADRÕES” IMBECIS E DOENTIOS DOS BARÕES DA COMUNICAÇÃO, QUE DEVEMOS COMEÇAR A FALAR SOBRE AS DEFORMIDADES QUE A CONCENTRAÇÃO DA PROPRIEDADE DAS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NAS MÃOS DE UMA MINORIA PROVOCAM NA SOCIEDADE BRASILEIRA. ELES ENTENDERÃO MAIS RAPIDAMENTE A IMPORTÂNCIA DE QUESTÕES COMO DESCONCENTRAÇÃO DA PROPRIEDADE DOS MEIOS, FIM DA PROPRIEDADE CRUZADA, REGIONALIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO; CONTROLE SOCIAL DA COMUNICAÇÃO, OBRIGATORIEDADE DA MÍDIA EM REFLETIR TODAS AS DIFERENTES VISÕES DE MUNDO E OPINIÕES QUE COMPÕEM O PÚBLICO QUE A SUSTENTA E DO QUAL É UMA CONCESSIONÁRIA DE SERVIÇOS. ELES SÃO O BRASIL DE VERDADE!

  • Não se foi o Nassif o autor do termo “Velha Mídia” para definir o status quo das mídias(jornais, TVs, rádios, portais) vinculadas aos grandes grupos de comunicação. Entretanto, foi lá no seu blog que o li pela primeira vez e, não custa negar, exprime perfeitamente o anacronismo delas.
    Os imensos investimentos em tecnologia e na expansão no quadro de profissionais destoam como água do vinho no que tange à dissociação clara com os anseios e interesses da comunidade de dispor de um jornalismo despido de viés ideológico pelo e no qual são contrabandeados interesses de classe, quando não alienígenas(contra o país).
    Com o surgimento e a disseminação da internet esboroa-se à olhos vistos o Poder antes exibido por esses grupos midiáticos (de)formadores de opinião. Hoje, à exceção de algum excêntrico ou direitista da velha guarda, os leitores de uma VEJA, por exemplo, já não ostentam garbosos os seus exemplares da “maior revista semanal do mundo”. Tem mesmo é vergonha.
    Ou eles mudam ou perecerão. Quem viver, verá.

  • Edu,

    Quero saber é se alguém da imprensa foi perguntar para aqueles que colocaram o Merval Pereira lá o porquê da decisão ? Ou melhor, por que não o Armando Nogueira (aquele que saiu da Venus Platinada por não aceitar a editoração do famoso debate Lula x Collor) ??

  • Edu,

    Quero saber é se alguém da imprensa foi perguntar para aqueles que colocaram o Merval Pereira entre os imortais da nossa literatura o porquê da decisão ? Ou melhor, por que não o Armando Nogueira (aquele que saiu da Venus Platinada por não aceitar a editoração do famoso debate Lula x Collor) ??

  • CartaCapital poderia pegar este gancho da premiação do Lula e explorar bem o preconceito e as reações da mídia em geral..

    Matéria merecedora de capa.

  • Bravo Eduardo, bravo!

    Como dizem alguns locutores esportivos, você pegou esta “na veia”

    O Brasil que a grande mídia enxerga e pública é o país do “nunca será”, onde um governo PT é culpado por todo e qualquer mal que tenha perseverado por séculos, e mesmo que o partido dos trabalhadores inventasse uma forma de sanar chagas tão profundas instantaneamente a imprensa díria: “Não fazem mais do que a sua obrigação”

    E assim elege os tópicos, cria apelidos para difundir melhor os “escandalos” do Pt.

    Nisso temos o mensalão, e agora o PT é acusado de indiretamente ter inventado o fisiologismo na politica brasileira.

    Temos tucanos que faziam piada das montadoras chinesas, protestando quando a medica do governo para proteger a industria nacional em um momento de incerteza global.

    Eles parecem não incluir bom senso e honestidade discursiva na sua dieta intelectual.

    E assim vamos, caminhando cinicamente enquanto um jingle em língua inlglesa toca e atores de olhos azuis fazem o mesmo gesto de sempre:

    UMA BANANA PARA O PAÍS.

    PS: Divulgo o video do nível de futilidade de pessoas que se deixam pautar por esta mídia:

    http://youtu.be/LNTsdXKfp3Q

  • A propósito: há uma semana Lula recebia o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia. A imprensa não noticiou, não deu chilique, não questionou?

    Agora, quando o título vem da França a imprensa dá chilique e questiona o merecimento do Lula.

    “A esperteza da mídia partidarizada e elitizada é o pior exemplo para a sociedade.”

  • Parabéns!!!!!!!
    Colocação foi perfeita!!!!!!!
    Considero, já de algum tempo, essa como sendo a meta política número 1 que esse governo deveria adotar.
    Devemos continuar na carga.

  • Se a imprensa continuar assim estamos bem arrumados. Ela destruirá a própria credibilidade, logo as revistas e jornais serão vistas como meros panfletos.

    Fico imaginando, o que será que o professor Descoings pensou depois disso tudo…

  • Tem um email sendo vomitado pela direitalha, falando sobre um livro (O CHEFE) !!!! Estão usando um argumento tosco: De que o tal livro (?) só tá disponível na NET pq nenhuma editora quis publicá-lo !!!! É pra morrer de rir !!!!

  • Concordo com tudo que você falou, porém, esqueceu o mais importante. Os interesses que essa gente defende, são externos.
    Nenhum país pode ser uma grande Nação com a Mídia constituída de uma corja entreguista.
    Se um dia o Brasil recebesse “bondosas” bombas “protetoras de civis”, de que lado você imagina que a Globo estaria?

  • Enquanto isso o conselho de “etica” livra a cara do Valdemar…

    A corrupção nunca vai acabar nesse país. Edu, precisamos urgentemente fazer alguma coisa.
    Organizar uma marcha contra esses corruptos que só servem para sugar o dinheiro de nossos impostos.

  • Estimado Eduardo Guimarães, você acertou em cheio ao dizer que temos uma mídia que é uma verdadeira desgraça para o país. Lamentavelmente, isto é a pura verdade. O que não me pareceu correto é você ter dito que nos países capitalistas avançados a mídia tem comportamento mais decente. Sinceramente, não há provas de que isso seja verdade. A grande mídia nos países de capitalismo avançado é tão manipuladora como a nossa. Lá como aqui, todas querem mostrar-se “ponderadas” e “isentas” quando os privilégios dos poderosos não estão em perigo. Todas deixam aflorar seu espírito “vejístico” (de nossa Veja) ao menor sinal de que o sistema que defendem (os interesses das grandes corporações) corre perigo. Os exemplos da BBC, da Inglaterra, e do jornal El País, da Espanha, vêm a calhar. Estes órgãos, que costumavam ser citados como exemplos de bom jornalismo, podem hoje ser apresentados como modelos de como a manipulação impera na grande mídia mundial. Ou seja, estamos muito mal, mas não será buscando inspiração na grande mídia dos países poderosos que encontraremos a saída. Teremos de criar outros meios totalmente desvinculados das corporações midiáticas que dominam o fluxo de informações (desinformações) no planeta. É só uma leve observação crítica, pois, a essência de seu texto é muito boa.

  • É…
    Aqui no Brasil a carteirada nunca vai deixar de existir.
    “Sabe com quem ce tá falando?”
    Aqui na minha cidade um vereador foi condenado por crime eleitoral, mas como o papai é desembargador…Até as más linguas deitam a falar que o tal papai chegou na galera ‘empresarial’ dizendo assim: “ou o meu filho ganha a eleição, ou ganha a eleição…”
    Por quê? Porque o tráfico de influência é tão grande que com ele a moçada aqui compra a candidatura, os votos, a posição da cadeira que o cara vai sentar no plenário, a escolha da sala em que vai ficar o gabinente do sujeito, e por aí vai.
    E os ‘notórios’ cidadãos de bem compactuam com isso. Depois, ficam aplaudindo as tais marchas contra a corrupção, etc., pra se fingirem de ‘honestos’.´
    É…
    Sobre os corruptores ninguém diz uma palavra.
    Bela imprensa!

    Luciano, o eletricista que só leva choque quando assiste a globo…

  • Acredito que se deve pegar emprestado as falas de Caco Barcelos e passar a chamar a imprensa brasileira de Imprensa ou Mídia militante. Partidarizada acho que todas são. A diferença está de como isso é feito.

Deixe uma resposta para Augusto G. Sperandio Cancelar resposta