Heraldo Pereira, combata a falta de negros na Globo, agora

Manifesto

Nos últimos dias, o jornalista da Rede Globo Heraldo Pereira esteve em evidência por ter processado um desafeto de seu empregador que apontou um fato incontestável, mas de forma equivocada. Penso que o jornalista ganhou força para combater esse fato, pois está sendo apresentado, na grande mídia, como militante contra o racismo.

Pereira denunciou o jornalista Paulo Henrique Amorim por ter dito, de forma inadequada, o que basta olhar para a programação da tevê Globo para comprovar que é verdade: o jornalismo dessa emissora exclui negros, assim como as novelas, os comerciais e até o deprimente Big Brother Brasil, entre outros.

Aliás, vale lembrar daquele único “brother” negro da edição 2012 do BBB que, no primeiro dia do programa, foi questionado pelo apresentador sobre se, por ser o único negro entre quase duas dezenas de participantes, achava que deveriam ser criadas cotas para negros na televisão. O rapaz respondeu que não e poucos dias depois foi expulso do programa sem direito a defesa sob uma acusação que jamais se comprovou, de ser “estuprador”.

De qualquer forma, bem que o nobre Heraldo Pereira, que conseguiu uma das poucas e raras vagas que o jornalismo da Globo oferece a negros, poderia pensar, agora, também nos outros negros e, assim, passar a empreender uma campanha para que a emissora em que trabalha pare de discriminar negros em sua programação.

Pereira poderia começar argumentando com o fato de que, segundo o IBGE, o Brasil é hoje um país negro, pois mais de 50% da população se declarou negra no último censo, e, portanto, há uma desproporção inexplicável e escandalosa entre o perfil étnico do povo brasileiro e o que se vê na telinha da Globo.

Para ajudar a esse companheiro de luta contra o racismo no Brasil, portanto, apresento, abaixo, a prova de que negro quase não tem vez no jornalismo da Globo. Poderia fazer o mesmo com as novelas, com o BBB ou com a propaganda, mas podemos começar pelo jornalismo e depois iremos ficando mais ambiciosos.

Confira, abaixo, o perfil dos apresentadores dos telejornais da Globo e reflita se não faria sentido que o militante antirracismo Heraldo Pereira se preocupasse também com todos os que são barrados pela Globo, pois a composição étnica de sua programação nada tem que ver com a do país em que é apresentada.

163 comments

  • A Globo, quando põe negros nas novelas, é sempre em papel subalterno. No jornalismo de um país predominantemente negro a Globo mantém uma equipe praticamente toda branca.

    Aliás, você já reparou quantos negros existem no serviço público, enquanto que na maioria dos escritórios das empresas privadas eles são minoria? Sabe por que isso acontece? Porque no serviço público se entra por CONCURSO, enquanto que nas empresas privadas é preciso ser aprovado pelo depto. de recursos humanos e pelo futuro chefe. Aí entra o filtro racista.

      • A Record tem novelas nos quais os negros aparecem mais, sim. É muito pouco, mas já é um começo.

        Agora, tenha dó, defender a Globo acusando a Record? Isso parece aquela desculpa: “Sou, sim, mas quem não é?”

        O Heraldo é da Globo. Ele tem que combater o racismo no seu local de trabalho.

        • A Globo é péssima e racista.

          A Record é terrível com os negros tb. Alguém considera que a emissora de Bispo Macedo cumpra algum papel positivo antirracista?!

          Por favor, para entender o esgoto que é a Globo não é preciso amenizar o racismo de Macedo e sua IURD, Record está afinanadíssima com o racismo de seu dono

          …Devemos a ele, por exemplo, o dia 21 de janeiro ser o Dia Nacional Contra Intolerância Religiosa. Vejam no site do Geledés o porquê. Uma ialorixá morreu de infarte fulminante após ver sua foto no jornal da IURD ser vinculada com manchete que a chamava de enganadora, charlatã, etc.

          Orixás, Caboclos e Guias: Deuses ou Demônios?, best seller do bispo serve de embasamento para perseguições diárias violentíssimas contra o povo de santo e atualmente é alvo de processo pela Proc. da República da Bahia.
          A justiça condenou a Record a exibir um direito de reposta, baseado em intolerância religiosa e ataques às religiões de matriz africana. O processo ainda está correndo porque a Record apelou. Gente, esse vídeo, com mais de uma hora, foi uma conquista histórica, está no youtube para quem quiser conferir.

          É impossível dizer que a Record não comete crimes diários contra a população negra. E não é preciso fazer isso para constatar o enorme racismo das O. Globo

          Eduardo, vc chegou a ler o que disse Sueli Carneiro sobre este caso do PH e O Heraldo? Creio que o texto está sereno e desloca a questão posta pelo esgoto midiático: “PH é ou não racista?” e promove uma reflexão mais aprofundada.

          Abraços

          • Ninguém aliviou porcaria nenhuma para a Record, estou pedindo que o Heraldo ajude a causa da luta contra o racismo e não posso pedir que comece pela record, concorda?

          • Edu, TODOS os meios de comunicação sempre vão tentar passar a idéia que o Brasil é BRANCO! Isso porque a elite dominante é branca! Não somente GLOBO, BAND, RECORD… mas TODA a mídia, o mercado publicitário só usa negro quando o público alvo é especificamente negro. Ao contrário que o idiota mor, Ali Kamel, disse, o Brasil é um país preconceituoso e racista. Pergunte a um negro se ele já sofreu discriminação racial. Até nisso o Kamel foi preconceituoso. Ele deve ter escrito o livro dele dentro da sua bolha asséptica, longe das favelas e dos negros! escreveu um “documentário” totalmente do ponto de vista dele. Não se deu ao trabalho de viajar, de perguntar a um único negro se ele acha o Brasil um país racista! Nunca em toda minha vida vi algo tão absurdo! O Livro de Ali Kamel, Não Somos Racistas! – justamente o Chefe do Heraldo Pereira… O Heraldo vai ser demitido!!! Contrariou a posição do senhoril… Alias, o knowhow como Kamel escreveu seu livro é como a GLOBO faz jornalismo…

          • Juliana,vc fala em texto da Sueli Carneiro do Geledès -já li,e considero interessante algumas argumentações;prefiro o de Marcos Rezende,na minha opinião demolidor…N sei se ele é extremista(-o q vejo como bobagem;n temos poder) da luta negra;eu (logo,negro)é q n sou.O texto de Rezende corta na própria carne -e aqui temos um problema grave;a face mais destacada do mov. negro preserva o negro bem posto q renega os iguais;combate-os de forma genérica,teórica,mas evita o confronto;alguns dos ‘destacados’,até se dizem do mov. (caso do próprio heraldo -ao menos foi informação de navegante em outro blog.Teria sido vc?)…Temos um sistema racista infeliz;e além de enfrentar isso,vemos nosso discurso de afirmação levando bordoadas pela prática da maioria dos de “prestígio” -às vezes,Juliana,unzinho deles,p q n são lá essa enormidade,pode,PODE,alimentar mais a negação do negro enquanto negro,do q os próprios racistas.Explica-se,historicamente, a introjeção racista de um negro pobre de periferia;agora,tratar um ronaldinho fenômeno nos salamaques,é pedir muito!…Eu sei o quanto é repetitívo,mas num dá p’ra fugir,afinal,é simbólico e público:os sentimentos,em absoluto,estão presos às tons de pele;mas já passou da hora de nós negros questionar-mos a coincidência exagerada de negros bem situados em união c/ branco(a)s;geralmente o homem (e as mulheres tbém começam a descobrir tal coincidência) negro c/ bufunfa tá lá de tira-colo c/ a “loira” pobre(ou candidata à alguma coisa)…os homens brancos n vivem nessa coincidência -ocorre,mas n é o padrão…Outro dia postei em algum lugar,q,apesar de termos um número beirando a inexistência em novelas de personagens negros,deveriamos iniciar ‘batucada’ p/ aparecer um casal,par,romântico negro -enche o saco só vê lazaro ramos beijando a camila pitanga ou a thaís araújo;chamei atenção tbém,q beijo c/ casal negro só ocorrerá na novela do falabella -como tentativa de comédia,pastelão,onde os personagens negros são todos imbecis.Em pleno sec XXI,o geledès,apesar do respeito q tenho,n vai me dizer q essa é uma causa menor.

        • Ele ‘tem’ que combater o racismo na Globo? Mas que imposição ditatorial é essa? Livre arbítrio, já ouviram falar? Mesmo porque, onde está escrito que a Globo é racista?

          • Ninguém disse que ele “tem”, foi feito um apelo para que use sua nova condição de arauto do antirracismo para ajudar os negros. E não precisa escrever que a Globo é racista, basta olhar as fotos ou assistir sua programação para enxergar (para quem quer enxergar) que a emissora exclui negros em um país de maioria negra.

          • Você se lembra da novela ”Força de um desejo”, da Rede Globo? Para refrescar sua memória: mostrava Reginaldo Farias no papel de um senhor de escravos, grande produtor de café do Vale do Paraíba fluminense, carrasco para a esposa que era interpretada por Sônia Braga, mas ”IDOLATRADO” pelos escravos, a quem tratava magnificamente bem e dava até escola para eles estudarem.

            Agora você não acha que é estranho um senhor de café do Vale do Paraíba RJ ”a região mais atrasada e retrógrada do Brasil” ser idolatrado pelos escravos? Ainda mais quando se sabe que graças a eles o Brasil foi o último país do mundo ocidental a abolir a escravidão.

            Agora, tentar reescrever uma história de sofrimento como foi a dos escravos dando uma visão que favorece os senhores de escravos e ignora o sofrimento desses últimos é, sim, uma atitude racista.

            Outro exemplo: Novela Escrava Isaura. A escrava branca, boa e inocente (Isaura). A escrava negra, má e traiçoeira (Rosa).

            E tem muitas outras coisas:

            Novela O Cravo e a Rosa. Sobrenome da Dona Josefa no último capítulo da novela, foi Lacerda de Moura. Leitura subliminar: a feminista Maria Lacerda de Moura incomodou muito a burguesia. E ao dar o sobrenome dela a uma personagem que era prostituta, a Globo quis insinuar que Maria Lacerda de Moura era uma prostituta. Isto sem contar que a personagem Catarina, feminista, foi colocada como caricatura.

            Novela ”Irmãos Coragem”. Coronel Pedro Barros não queria vender as pedras preciosas para os gringos. Ele foi apresentado como um homem bárbaro, de maus costumes, e que no final da novela pôs fogo na cidade de Coroado.

            Portanto, a Globo não é só racista, é também anti-feminista e anti-brasileira.

            Assista as novelas da Globo com espírito crítico e você verá muitas coisas. Não falo de novelas atuais, porque já não as assisto mais.

            Saudações.

        • “O Heraldo é da Globo. Ele tem que combater o racismo no seu local de trabalho.”
          Aí está o escrito que diz que ‘ele TEM que combater o racismo no seu local de trabalho’.
          Como que “ninguém aqui disse isso”??

          • não percebi que você falava de um comentarista – eu olho os comentários por um sistema que não dá para ver quem está falando com quem. Agora, é evidente que o comentarista sabe que não pode obrigar ninguém a nada, até porque o Heraldo está há décadas na Globo e jamais se soube que tenha reclamado com a emissora por ela discriminar negros

        • “defender globo acusando record”

          Esse é o grande problema de vcs, governistas fanáticos: tudo virou um grande flaXflu. Tudo se resume na briga nós (os puros e os bons) contra eles (os maus e indecentes. TUDO até combate a racismo e preconceito.

          Se vc ler o que eu escrevi abaixo verá que não “defesa” nenhuma da globo de minha parte, mas sim quero demonstrar que tudo INCLUSIVE essa ridícula cobrança do “negro de alma branca” (um mero funcionário) obrigar a globo a contratar mais jornalistas e atores brancos.

          Tudo pra defender o amiguinho que escorregou no quiabo feio.

          Não seria mais fácil admitir que ele (PHA) errou feio ao invés de praticamente repetir os mesmos argumentos falaciosos do banco que quer ensinar a um negro como ser “decente”?

          Enquanto vcs ficam nessa briguinha de torcida de time de futebol, a direita mais arcaica e atrasada travestida em “igreja evangélica” vai dominando o governo de “esquerda” da dona Dilma-CRENTE- Rousseff e ameaçando o estado laico.

          O dia em que eles forem suficientemente poderosos para não precisarem mais FINGIR uma aliança com o PT talvez vcs acordem, mas aí já será tarde demais.

          A record tem mais negros do que a globo aonde?

          Há algum negro umbandista ou são todos crentes? Um repórter na Record pode fazer uma matéria favorável a alguma religião de matriz africana, ou dar uma visão positiva não preconceituosa sobre homossexuais?

          A record é uma emissora a serviço de uma visão fanatizada da sociedade. Algo muito sério.

          Por tudo exposto acima, a record é MUITO MAIS perniciosa do que a globo. Mas muito mais.

          Coisa que vcs do PT, por mero cálculo político, estão fazendo vistas grossas, embora duvido que uma pessoa tão esclarecida como o Edu Guimarães não saiba disso.

      • Se a Record fizer um comercial autoelogioso e, para “demonstrar” que não é homofóbica, colocar um blogueiro progressista (acho que quem fica de marcação com eles está mal-intencionado, mas deixemos barato) e homossexual citando essa sua condição como álibi para o empregador, então espero que se aponte o dedo para o mesmo e diga “HIPÓCRITA”. De preferência sem usar termos polêmicos, para não dar chance aos de sempre repetirem esse carnaval.

    • Os negros não passam no quesito “boa aparência”, caro Locatelli, (não o chamo de Roberto para não haver confusão com o Roberto “errado”).
      Outro exemplo pode ser dado. A comparação rádio e TV. Com certeza há mais locutores de rádio negros do que apresentadores de tv. Isso porque a rádio não ‘transmite” a aparência né?
      Até porque a voz do negro é sabidamente mais bonita do que a do branco

      • QUE NEGÓCIO É ESSE DE APARÊNCIA????? NEGRO TEM APARÊNCIA FEIA E BRANCO BONITA?????
        SOU BRANCO, QUASE TRANSPARENTE, PORÉM, CASADO COM UMA LINDA MORENA. AMO A COR MORENA E NEGRA. SALVADOR TEM 70% DA POPULAÇÃO NEGRA. QUANTOS REPORTERES NEGROS VOCÊ VÊ NA GLOBO BAHIA? UM? DOIS? POR AÍ. AGORA, VEJA A TVE BAHIA. SÃO VÁRIOS OS REPORTERES, TANTO EM PROGRAMAS AO VIVO NOS ESTÚDIOS, COMO NAS RUAS. O QUESTIONAMENTO É MAIS AMPLO DO QUE PEQUENAS QUETÕES DE “GOSTO”…

        • Você não entendeu. O Locatelli disse que tem mais funcionários negros em repartição pública do que em empresa privada. Porque na repartição se entra por concurso e nas privadas tem que passar pelos recursos humanos.
          Eu completei dizendo que as empresas quando exigem “boa aparência’ estão pensando numa pessoa clara com cabelos lisos e traços finos, a la européia.
          É claro que não acho o negro feio “por natureza”. Quem dera se eu fosse tão bonito quanto o Denzel Washigton ou o Will Smith

    • Para não dizer que ao negro papeis subalternos, há na novela global uma família de negros em que a mãe extremamente rica o é por herdar toda fortuna do marido de família riquíssima, mas, para chegar ao estado de Condessa roeu muito pé de cama como mulher de vida fácil. Sua irmã agora chega e coloca as rodas nos devidos trilhos. Está ficando feio o que tenta impor para as famílias negras. Falar mais me dá mal-estar. Heraldo siga a solicitação do pessoal.

      .

  • Eu também acho que a Globo se pudesse não teria um negro aparecendo no ar, mas igualmente também peço ao nobre PHA que combata a HOMOFOBIA da emissora em que ele trabalha.

    Que tal?

    E por que a cobrança em Heraldo Pereira? Um funcionário de destaque diminuto na emissora?

    Quantos negros apresentam telejornal (ou trabalham em novela) na Record, na Band, na Cultura?

  • É pedir mito pra ele que foi “aceito” no clube (ou na Casa Grande). Ser ama seca, fazer serviços domésticos (que aliás é reminiscência da escravidão no Brasil – doméstico não tem direito a uma jornada de trabalho de 44h semanais). A manutenção do “status quo” e o papel secundário do negro é o que se revela no episódio. O “racismo” no Brasil é velado e mantido pelo “Senhores de Engenho” da elite brasileira que não quer negros, índios ou minorias em Universidades…

  • Eduardo, por que os negros, nas novelas globais, são sempre serviçais ?O Antídoto anti consórcio do inferno(pig+psdb+demo) é investimento,geração de empregos e de renda.Vejam esta grosseira sinopse do que está sendo realizado no Nordeste e que repercutirão em 2014:
    MA- Refinaria premium I da Petrobrás
    PI – Transnordestina (cerrado produtor de soja)
    CE- Refinaria premium II / 02 siderúrgicas (CSP e ANÕN) / Transnordestina/ Transposição /Metrô
    RN- mini refinaria Petrobrás / Aeroporto São gonçalo / transposiçao
    PB – Tranposição
    PE- Refinaria Pedevesa / siderurgica / Montadora FIAT/ Trasnposiçao /Transnordestina
    BA- Planta de Regaseificação / Ampliaçao da Ford Bahia/Ferrovia Oeste-leste/ Metrô

    O Nordeste, há anos, cresce a taxas superiores às nacionais.alguém de bom senso vai trocar toda essa promissora realidade para ficar com as promessas mentirosas do vampiro nosferatu ? só se fôssemos idiotas..

    • Falando nisso, quantos desses nas fotos aí em cima são nordestinos? Será que é porque “cabeça chata sem pescoço” não se enquadra no “padrão global”?
      Nem sei porque perguntei. É claro que a resposta é sim, absolutamente “paraíba, a gente não vê por aqui, plim plim”

  • Não resta dúvida que, proporcionalmente ao número de “brancos”, o número de “negros” na tela da Globo está longe de representar o percentual da população. Todavia, não se pode esquecer que é das únicas do Brasil da darem, ainda que pouco, ao menos alguma visibilidade a jornalistas e repórteres negros.

    O Aldo acha que o assunto é a Globo. Mas não se faz análise de dado isolado. A Globo é muito ruim no quesito equilíbrio de proporcionalidade entre brancos e negros, mas, dói admitir, ainda é menos pior do que qualquer outra – ao menos do eixo Rio-São Paulo.

    Osvaldo Luiz Ribeiro

      • Ora, Edu, me fale de repórteres negros em outros canais. Se tiver um em cada é muito. Tem a Joyce, no SBT. Na Record, de bancada, nenhum. Na Band, nenhum. Na Rede TV, nenhum. Me engano? Na Globo tem dois. Vamos separar nossa bronca com a Globo das evidências. É você que deve apresentar evidências de que tem mais negros nas outras estações do que na Globo. Digo que não tem. Se tiver, mostre. Não tiver, estou certo. E não falo de retaguarda – falo de bancada e de apresentadores.

        Não estou dizendo que a Globo respeita a proporcionalidade – não respeita. Mas, historicamente, é a das poucas que deu lá dois ou três cargos de visibilidade, como Gloria Maria e Heraldo. Nas demais, zero ou um.

        Ela está em dívida com a sociedade, a Globo? Está, mas muito mais as outras.

        Parece que vocês se melindram e não se ligam ao conteúdo: a foto é evidência de que tem um ou dois negros na Globo, mas não é evidência de nada em relação às outras emissoras, e meu arrazoado foi cobrar de vocês que incluam as outras emissoras no debate. Parece mais que é bronca contra UMA emissora do que uma discussão sobre negros…

        Osvaldo.

        • Eu estou fazendo um apelo a alguém que ganhou condições de ajudar os negros a conquistarem melhores posições. A situação da Globo é igual – melhor, jamais – à das outras, mas não teria sentido o Heraldo começar uma luta que nunca começou justamente pelas outras emissoras; teria que começar por aquela em que trabalha e, depois, teria moral para cobrar as outras, ou cobrar todas juntas. Você não acha que alguém que superou tantas barreiras quanto ele e conseguiu o que é quase impossível poderia ter esse gesto de generosidade e ajudar outros jornalistas negros a conseguirem espaço na mídia? Faço esse pedido ao Heraldo. Acho que é um pedido para lá de razoável.

          • Edu, se eu que sou anti-Globo (não gosto mesmo) apercebi-me de “imparcialidade” no seu texto, que, a despeito de uma coisa (solicitar ao Heraldo que combata a discriminação em seu território), faz na verdade outra (acusa a Globo de discriminação velada e prática, imagina se aos pró-Globo o texto dirá alguma coisa!

            Há quem esteja a dizer que por trás do processo do Heraldo estava o Ministro. É uma acusação assim: em vez de ser uma coisa, é outra. O mesmo vale para seu texto: faz-se que é o Heraldo, mas no fundo é a Globo.

            E, a questão é o Heraldo ou os negros da Globo, de modo geral? E, se a questão são os negros em geral, por que só os da Globo? Eles são preteridos em todas as TV – todas.

            Mas vamos em frente.

            Só acho que um post desse soa apenas como ruído, e mais nada. Acho que não soma muita coisa. Se soma alguma.

            E continuo firme contra a Globo. Também por isso. Mas nesse quesito ela tem mais pontos que qualquer outra emissora Rio-SP.

            Osvaldo

    • Caro Oswaldo, pelas fotos constatamos que nas equipes de jornalismo da Globo só tem dois negros. Além do Heraldo, tem a Zileide Silva e só. Acho que mais só encontraríamos entre os cabomens.
      Não sei das outras emissoraas, mas dizer que ter dois, dois!, negros é dar visibildade a negros, é um pouco de exagero, né?
      Só vejo negro como âncoras com constância na TV Brasil. Ainda bem, mostra que o governo se preocupa com essa questão na emissora pública

  • Negro que é negro se orgulha de sua cor, como eu. Se vc pedir para ele lutar por menos negros na Globo, ai sim, o serviçal da Casa Grande, o moleque de recados do Gilmar Dantas Mendes, convocará sua militância para lutar por tão “nobre” causa. Heraldo se sente honrado em ser recebido na Casa Grande e lavar a louça do sinhôzinho. Ele não sente orgulho da sua pele, e, sim, vergonha.

  • Fico nauseada, desculpem o termo forte, com o que tenho lido, os textos que determinam o “racismo” do PHA contra o heraldo pereira (nem falo de reinaldo azev).. Se o heraldo pereira virou figura do movimento negro, assim como Obamas, Micheles, capatazes e feitores, então eles se merecem, não é não? Nunca pensei que um dia falaria ou escreveria isso…
    Alienante e hipócrita o que se tem dito do chamado racismo do PHA. O movimento negro baseia-se numa perspectiva historica do negro oprimido e explorado pela raça branca, é só por isso ele existe. Nesse sentido usar a metáfora “negro de alma branca” nao é negar a humanidade do negro como o movimento negro diz por ai, mas é apontar para o defeito humano da brutalidade, ganância e hipocrisia. A não ser que o movimento negro não queira mais ver o negro como humano…. Obrigada Eduguim pelo espaço aberto para fazer meu comentário!

    • Mas que debate mais desfocado!!!!!!! Até parecem os debates dos movimentos negros dos anos setenta do século passado, misturando evidências com mágoas, ressentimentos e política. Como já disse alguém, “Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa”. Há vários Brasis dentro do Brasil. Há a Globo com seus (poucos) repórteres negros (esqueceram do Abel Neto)… há as outras emissoras com “zero” apresentadores ou repórteres negros. Mas querem falar em atitudes racistas? Pois então que tal falar da comunidade quilombola da Ilha da Marambaia, a menos de 90 km do Rio de Janeiro (e talvez menos de 30 do Projac) que vive sob o tacão do controle da Marinha. Não podem receber amigos e parentes em suas casas sem autorização da Marinha; não podem dispor de meios próprios de locomoção (só pode canoa) para ir e voltar ao continente; não podem reformar suas casas humildes porque a Marinha não permite. A propósito, é uma comunidade reconhecida pela Fundação Palmares, pelo Incra e pela Justiça como de ancestralidade quilombola. E vocês ficam nesse ramerrame de “visibilidade” do negro em BBB? Como diria o Bussunda, Fala sério.

      • A propósito, para me identificar. Sou militante de movimento negro há quase cinquenta anos. Fui diretor do Centro de estudos Afro Brasileiros em Brasília, fui um dos coordenadores do programa nacional do centenário da abolição do ministério da Cultura, fui Chefe de gabinete da Fundação Cultural palmares, Fui conselheiro do Conselho Geral do Memorial Zumbi, na serra da Barriga, lutei ao lado do Abdias, da Benedita, do Caó, do Carlos Moura, do Vovô do Ilê, do João Jorge do Olodum pelas conquistas na Constituinte de 1988. Hoje, tento organizar o movimento negro de um partido político no município de Mangaratiba, terras que já foram de um dos maiores traficantes de escravos do Brasil colônia e hoje tem sua história devidamente “esquecida”..

      • Podem atirar pedras, mas em defesa da Globo há que se registrar que é a única emissora que apóia as ações da CUFA (Central Única das Favelas) e do F4 (Observatório das favelas, Cufa, Nós no morro e Afroreggae), aqui no Rio de Janeiro. E isso não é de hoje. Perguntem ao MV Bill e ao Celso Athayde, ao Júnior quanto à importância do apoio e da divulgação, inclusive com a apresentação (em todos os telejornais locais) do Prêmio ANU 2012..

        • Lauro perdoe-me,tbém sou negro -embora c/ militância insignificante perto do q vc postou…O assunto aqui,parece,é específico.Mas já q deu panorâmica…ótimo q a globo tenha parcerias c/ comunidades negras;o estranho é q,c/ o poder q ela tém,seja tão tímida -Sim,”pior as outras q n fazem nada”,está coberto de razão…Mas lhe perguntaria:quém possui mais ibope?quém tém mais poder de alavancar discussões nacionais?Eu levei uns tempos querendo roteirizar p/ Tv -advinha qual é o sonho de qualquer autor de novelas,onde eles gostariam de trabalhar?…Lauro,n deixe suas questões pessoais(embora testemunho válido),guiar a lucidez;a globo,p’ra ficar em seara sinônima ao feitos q vc colocou,fez um belíssimo trabalho c/ a série Tenda dos Milagres -teve ibope na ousadia;pq q n continuou?! P q nos relega a pontuais destaque?…Mais.Seria o máximo trabalhar na globo,mas creio,c/ a idade,n teria mais saco p’ra deslumbramento…Ela,globo,Lauro,apesar dos pontos positivos específicos,é co-autora,p q ‘sócia’ e porta-voz,por,nessa altura do campeonato,séc XXI,ainda estejamos discutindo a inserção do negro como se lutava na déc. de 70,como vc se referiu.N é aqui a existência de uma razoável classe-média negra e seus valores.E se depender dela (e das outras) jamais será…Hoje,verdade,temos uma discussão -deveriamos está nos fatos.

  • Vou dar minha opinião final sobre a polêmica. O PHA foi indelicado, no sentido de que é sempre delicado referir-se a cor da pele dos outros.
    Mas que o Heraldo tem uma pinta de “negro de alma branca” isso tem.

  • Edu, Heraldo, nesta situação em que está momentaneamente metido, lembra-me o delegado negro do filme “CRASH – No Limite”. O referido delegado é abordado por um policial branco que acusa o seu parceiro branco de ser racista e pede para este tomar uma providência e trocando-o de parceiro. O delegado se vê numa sinuca de bico e comenta com o policial: Como você acha que cheguei a ser delegado? e o próprio responde: foi fingindo não ver os maltratos, os assédios as discriminações e tudo o mais a que foi submetido.
    Heraldo tem a mesma posição do delegado. Nunca teve e nem nunca terá opinião sobre questões raciais, pois isso comprometeria a sua carreira.

  • Não quero ser hipócrita, mas infelizmente quem vende produto neste país até para negros são os loiros e de olhos azuis, nem em propraganda de cachaça o garoto proporaganda é negro. Esse país é racista sim! Tem negro querendo ficar branco e branco ficar negro.

  • Não quero ser hipócrita, mas infelizmente quem vende produto neste país até para negros são os loiros e de olhos azuis, nem em propaganda de cachaça o garoto propaganda é negro. Esse país é racista sim! Tem negro querendo ficar branco e branco ficar negro. O Heraldo é um exemplo disso! Vê se não enchem ele de maquiagem para que pareça mais claro?

  • Edu, você é o compeão mundial, na arte de deturpar fatos e produzir factóides.
    Se existem muito menos negros nas emissoras de televisão, isso não é privilégio da Globo, mas, de todas as outras emissoras, o que, aliás, é algo anterior à discriminação na telinha.
    Até defender o BBB que foi expulso no primeiro dia!!!!…….ah, faça-me o favor.
    Deixe a cara -de-pau, ao menos uma vez, guardada, na gaveta.
    Sobre negros nas novelas, só para refrescar memórias, na última, ou, penúltima novela das 9, o galã era o Lázaro Ramos, casado, na vida real, com uma negra sensacional, chamada, Taís Araújo, uma das mais requisitadas atrizes da Globo.
    Na das 6, tem, se me lembro, 4 ou 5 negras, na das 9, tem, ao menos, 2…………
    Você é um cara irritantemente injusto.

    E esqueceu-se que o Bom Dia SP faz parte do jornalismo da Globo, e tem a Maria Julia Coutinho, nas externas.

    • Na novela das oito tem SÓ 2 negros. Na primeira vez que fui no Rio fiquei chocado, lá tá cheio de negros, como é que todas as novelas ambientadas lá não mostravam isso?

    • Décio de Atibaia,
      Você é um conhecido polemizador neste blog. Tudo bem, temos liberdade de expressão e liberdade de escolhas.
      Ali Kamel, Diretor da Central Globo de Jornalismo – e figurão emblemático do Partido da imprensa Golpista – PiG, publicou o livro “Não Somos Racistas”. É de um cinismo e hipocrisia sem tamanho o que esse sujeito prega.
      O Heraldo, que faz parte do grupo de Ali Kamel, numa atitude de vassalagem, moveu ação contra o PHA do blog Conversa Afiada, por uma declaração, que foi deturpada e considerada pelo Heraldo como racista. O que há por trás disso é que Ali Kamel, na minha opinião, um sujeito sem escrúpulos, usou o Heraldo para atacar seu desafeto PHA. E usou o racismo como artifício. E o Heraldo, aceitou esse papel. Ao invés de lutar contra o racismo em uma organização como a Globo, na minha opinião racista, foi covarde e sob a influência do patrão, racista, deu vexame. Seria mais dígno que o Heraldo lutasse pela honra de seus ancestrais, ao invés de se submeter a esse papel. Várias organizações de Negros apoiaram PHA e não apoiaram Heraldo.
      Pode-se fazer ligações desse fato com a Record, com a Band, com o Palmeiras, com a Somália, com a Suécia com o FMI, e seja lá com quem for, mas o fato é só esse, simples assim. Heraldo e a Globo pisaram na bola.

  • Tangenciando o assunto (só um pouco, porquanto pesquei no blog do PHA), sabem porque Serra aceitou ser candidato em Sampa? Ora, isso significa que a CPI da Privataria vem por aí.

    Como assim? Ora, sendo candidato, ele “se blindaria” contra a CPI, dizendo que tudo não passa de (mais uma) artimanha do PT para atingi-lo. Tentaria posar de vítima outra vez, entenderam?

    Portanto, a CPI DA PRIVATARIA está a caminho.

  • Não quero ser hipócrita, mas infelizmente quem vende produto neste país até para negros são os loiros e de olhos azuis, nem em propaganda de cachaça o garoto propaganda é negro. Esse país é racista sim! Tem negro querendo ficar branco e branco ficar negro. O Heraldo é um exemplo disso! Vê se não enchem ele de maquiagem para que pareça mais claro.

  • Honestamente, acho que estamos gastando muita vela com mau defunto. Heraldo Pereira é carreirista, que traiu a própria raça para ascender na Rede Globo. Não é o primeiro e nem será o último negro a virar as costas para o seu passado. Veja o caso do ministro do STF, que foi nomeado pelo presidente Lula e lá chegando encantou-se pelos holofotes da mídia e hoje é peça-chave no inquérito do suposto (e jamais provado) mensalão.

    Não tenho menor esperança que Heraldo Pereira vá trocar os lautos jantares na companhia de loiras glamourosas por causas mais nobres em defesa de sua raça. Como dizia o saudoso Joãozinho Trinta, pobre gosta de riqueza e quem gosta de miséria é intelectual. Negros bem mais famosos como Pelé e Gilberto Gil casaram com brancas. Até Michael Jackson, o negro mais famoso do mundo, quis virar branco.

    Portanto, vamos deixar este pobre coitado ter a ilusão de querer subir na sociedade. É um infeliz….

    • Eu acho que o Heraldo é um vencedor, mas poderia dividir a sua vitória com os que não tiveram a sua capacidade sobre humana de conseguir espaço onde não há para quem é negro

  • “…o nobre Heraldo Pereira, que conseguiu uma das poucas e raras vagas que o jornalismo da Globo oferece a negros, poderia pensar, agora, também nos outros negros e, assim, passar a empreender uma campanha para que a emissora em que trabalha pare de discriminar negros…” No dia em que isso acontecer, um ‘global’ criticar publicamente a Globo por qualquer razão, será o fim da História. Nesse dia não haverá mais miséria, nem guerras, nem degradação ambiental, nem injustiça; todos os políticos e juízes serão honestos e éticos; todos os governos serão confiáveis e governarão para o povo e pelo povo. Ou seja, esse dia, caro Eduardo, nunca chegará; é puro delírio, utopia, disparate, desvario…

  • Parece que Edu sugeriu o impossível ao Heraldo: Que sirva de exemplo aos negros que têm esperança de conquistar um lugar de destaque na escala social. Mas os seus defensores falam por ele e não permitem que ele o faça, pois seria descer a um nível abaixo de onde está. Essa é que é a impressão que aqui fica evidenciada.

  • Acho a discussão bem válida e dou uma sugestão ao blog. Que tal dazer um texto desses para a Record, que so tem o Luiz Fara Monteiro, outro para o SBT, que tem só a Joyce Ribeiro. Ainda daria pra fazer um textinho para a Band e outro para a Rede TV! que tem qual negro mesmo?

    O que não dá é inventar um motivo justo para atacar só a Globo.

    Vamos fazer uma discussão séria sobre racismo e telejornalismo brasileiro? Pode ser?

    • Claro que pode ser, mas em um manifesto dirigido ao Heraldo não dá para pedir a ele que interceda junto a outras emissoras, ainda que para os pau-mandados da Globo seja mais conveniente discutir as outras

  • Concordo e discordo em partes.
    Depois de ler o texto, eu tentei puxar na memória quantos professores negros eu tive na faculdade (eu cursei engenharia elétrica no interior de São Paulo) e quantas pessoas negras se formaram junto comigo. Lamentavelmente constatei que eu tive apenas um professor negro no primeiro ano ano, sendo que na minha turma até apenas um negro se formou. Que eu me lembre eu nunca fui atendido por um médico (a) negro e nas empresas que eu trabalhei (todas de grande porte, diga-se de passagem) os engenheiros negros eram bastantes raros, portanto, eu acho que o ocorre na Globo, ocorre nas empresas que trabalhamos, nas faculdades que estudamos, nos hospitais que somos atendidos e assim por diante.
    É obvio que o estereótipo do negro nas novelas da Globo é sempre de serviçal, com raríssimas exceções, se alguém quer ser aprofundar no tema, sugiro o documentário “A negação do Brasil”, na minha opinião um filme imperdível, mas também acho que de todas as emissoras a Globo e a que dá uma maior visibilidade para as pessoas negras, a visibilidade é minima, mas com certeza é maior do que as concorrente. Discordo apenas dessa pressão para que o HP se posicione a favor ou contra determinados temas, é um direito dele, gostemos ou não, dele não se manisfestar sobre racismo e ele já se manifestou ( http://www.revistaafro.com.br/portal/gente/286/ ). Para finalizar a única emissora que prega a abertamente a intolerância religiosa é a rede Record e eu nunca vi manifestações do PHA, sobre essa postura da emissora do qual ele é empregado.
    Cordialmente

      • Dados do CENSO de 2010, população brasileira.
        PARDOS 43,1%
        PRETOS 7,6%

        Na Universidade Federal onde estudei engenharia, não tinha professores PRETOS, mas PARDOS tinha muitos, mais que brancos. Isto nas Faculdades das Engenharias.
        Miriam Leitão e Patrícia Poeta são brancas apenas no Brasil, nos paises do norte da Europa elas seriam tudo menos brancas.
        A propósito filho de branco com preto, da indivíduo de quer cor ou de que etnia ou raça como gostam os racistas?
        Alguém poderia responder esta pergunta por favor.

          • Ciência e Inteligência são coisas pelas quais tenho profundo respeito. Aconselho você a conhecer o retrato genético do brasileiro mestiço, pelo trabalho do geneticista Sérgio Danilo Pena da UFMG.
            A propósito o livro O Trato dos Viventes de autoria de Luiz Felipe de Alencastro, págs 350/351trata da questão da miscigenação em Angola que não evoluiu para a MESTIÇAGEM brasileira. Como sei que você é um cara inteligente, acredito que enxergará coisas.
            Raça como construção social e cultural me enoja, pois que é a base onde assenta todo o racismo.
            Filho de preto com branco da o que mesmo?

    • Dadá,fuia o site agora.Aquilo n é um entrevista,é uma frase…”sou a favor das cotas nas universidades”,é o máximo de profundidade -e ficamos sem saber se é frase de efeito fulgaz,ou é à vera.Ele n tém culpa do estilo da “entrevista”;porém,o q n lhe falta,pelo prestigio,são outros espaços…As duas tres frases amenas,suponho,tava de bom tamanho -volta-se a estaca zero…Vou dormir.

  • sinceramente, eduardo, não acho que este seja o bom combate.
    por mais equivocado que estivesse na ação e ainda que se reconheça algum mérito nos termos da defesa utilizados pelo PH, lançar contra o moço todo este desafio, me parece um despropósito.
    ele não é responsável pela pauta da globo, nem o é zileide, pessoas que me parecem dignas, ainda que não pareçam ou não possam compartilhar dos mesmos pontos de vista que os nossos.
    são, de algum modo, vencedores. superar o racismo, dentro da globo, ou da tv record, ou em qualquer lugar, é luta que leva tempo e não podemos escolher os alvos errados. e não é uma luta individual.
    escolher este rapaz como foco é crueldade. sinceramente.
    e cá entre nós, lutar contra os absurdos do neopentecostalismo, as fortunas acumuladas em atos rigoramente extorsivos, me parece muito mais vigoroso e oportuno.

    • Ou seja, destruir Paulo Henrique e a Record para deixar a Globo aumentar seu monopólio, certo? Não vai dar. Sinto muito. Vou desmontar vosso discurso peça por peça. Ainda mal comecei.

      • Sua resposta à luzete diz que você está sendo parcial, e, principalmente, está preocupado só com o PHA.
        Que, acho, não conseguiria mais emprego em nenhum outro meio de comunicação.
        Se sair da Record, é provável que só a TV Brasil lhe abra as portas.

        • Isso é ruim para a democracia e para o jornalismo. O fato de um jornalista tão laureado ficar nessa situação por suas ideias só mostra que precisamos democratizar a comunicação no Brasil. Hoje é um jornalista que você não gosta, amanhã é um que você gosta e até você em sua atividade por suas ideias. O Brasil já viveu isso, caça a quem pensava diferente. Reacionários da sua geração ainda vivem em 1964

  • A questão é muito anterior, não tem nada a ver com a Globo. Estudei jornalismo e não tinha nenhum negro na sala de aula. É óbvio que se há menos jornalistas negros haverá menos negros nas equipes da Globo.

  • Apenas uma curiosidade histórica, talvez meio despropositada, mas vamos a ela.

    Outro dia estava lendo um perfil de Machado de Assis, escrito por Araripe Junior, nas obras completas do famoso romancista editadas pela Editora Nova Aguilar. Chamou-me a atenção o seguinte trecho: “O segredo (…) desta tranquilidade, observada na carreira burocrática de Machado de Assis, encontra-se na correção de funcionário e no mais decidido horror à vida política ativa, cortesã desbragada que às letras brasileiras tem arrebatado os seus mais belos talentos”.

    Consta que Machado de Assis não era muito dado a manifestações políticas, muito menos aquelas de caráter racial. Corrijam-me se estiver errado, mas ele nunca escreveu uma linha para ajudar os negros e mulatos do Brasil. Não estaríamos diante de um dos mais ilustres casos de preto de alma branca?

    Ele não estaria para a intelectualidade como Pelé está para as massas?

    Desde já peço perdão pela colocação herética.

      • Como observou o Mino Carta ao comentar o caso do estupro no BBB, é bem possível que para ser negro e da Globo, ao mesmo tempo, o camarada seja obrigado a assinar alguma cláusula ou termo se comprometendo com a “Antropologia” de Ali Kamel.

        Duvido muito que a curto prazo entre algum negro naquela emissora que destoe do pensamento do “Gilberto Freire platinado”.

        O negócio ali é obediência.

    • Penso que é preciso, sempre, ampliar o foco. Por falar em Machado de Assis, faz menos de quatro meses a Caixa Econômica Federal fez uma série de anúncios comemorativos dos seus cem anos. Muitos talvez nem tenham percebido que, nos primeiros dias, o “Machado de Assis” que aparecia como tendo uma poupança na Caixa, era loiro de olhos azuis. Depois das críticas de alguns setores do movimento negro, refizeram a peça publicitária mudando o ator para um mais “marronzinho”, mas logo a seguir tiraram a peça do ar. Teria sido racismo intrínseco da agência de propaganda? Pode ter sido uma dessas “explicações” de tendência de mercado? Mas e quanto àqueles da CEF que aprovaram a veiculação da primeira versão?

  • Não espere isto de Heraldo porque ele é um negro que não tem compromisso nenhum com o seu povo. E não espere isto da Globo, pois foi exatamente ela que, ao inserir as novelas, tirou o negro da teledramaturgia. No país que tem o maior contingente negro fora da África, a TV nos mostra como se vivêssemos num país nórdico.

    A elite branca brasileira, que escravizou e tirou qualquer direito de um outro ser humano ao trabalhar a inferioridade dele por conta da cor de sua pele e de sua crença, não aceita e não aceitará uma mudança de realidade, pois mudar esta realidade, passa, também, pela forma de ver o mundo a partir do africano, que não tem nada a ver com o mundo capitalista. Então, muita gente vai trabalhar em cima da religiosidade africana como sendo coisa demoniaca e, ao lado disto, a construção de que o negro é feio e de que tudo que vem dele, é de origem demoníaca. É um discurso religioso, cultural e hipócrita, construído por quem domina, que não será uma caminhada fácil para o negro. E qual a razão de tudo isto? A essência de sua cultura é incompatível com o capitalismo que é, por natureza, individualista e ególatra.

    Diferente a cultura africana que está centrada na ancestralidade, no viver em comunidade, no comungar de crenças comuns e numa cosmovisão totalmente diferente. Ora, se esta cultura impede o avanço de um domínio supostamente branco, é preciso que eles sejam destruídos, que se construa políticas contra eles para que de fato, eles se sintam inferiorizados, feios e intelectualmente inferiores. É uma construção secular absurda na destruição do outro, infelizmente. Mas do fundo do meu ser, espero que isto tenha um fim.

    E falo isto, com orientação cristã, que tenho buscado compreender a crença africana e sua cultura. Mas lamento por esta coisa absurda que se faz com o outro e ainda usam firulas bíblicas para justificarem tamanha barbaridade.

    A ancestralidade africana expandindo a intelectualidade negra

    https://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:eUWk8dEtEDsJ:www.brasa.org/_sitemason/files/jgM3V6/Souza%2520Edileuza%2520Penha%2520de.pdf+ancestralidade+africana&hl=pt-BR&gl=br&pid=bl&srcid=ADGEEShM-YxY8Ea8bobP63VBTYyDvDqA5UYfbwsV59nfxrr6j-SKQj6WK8enZ2-H8UHxOz3nMkGYCUYpeGlwFOPPnZ2RyxG8Rp2pwEh7oSz8sNWMUfZZGdyRD7-7Cd7u2gsHDOGqZio7&sig=AHIEtbT8O1lWQvczVU0r3gdhgoagLLCcEQ

    Ancestralidade Africana.
    http://www.mestredidi.org/egungun3.htm

    Ancestralidade Africana no Brasil.
    https://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:l72ui2TBdH4J:www.bn.br/portal/arquivos/pdf/PROJETOBASICO-8-FBN-2011.pdf+ancestralidade+africana&hl=pt-BR&gl=br&pid=bl&srcid=ADGEEShAqGSSMPQaL4-zSU2kU9fmmAQwg23RGmns-AryP5-U_o-cdxMJ6x7gbo3UNdNTcz89DI59gzpwuj31Z3m1XKRNKK3X4uioQfDxQrNr8dTp22vz5y8u61-PpfpktJaJMlzlf6og&sig=AHIEtbQrL7tKy8hELuQ2RCrYXucSReBuXA

    África e Ancestralidade

    http://www.ifatola.com/index.php?option=com_content&view=article&id=22&Itemid=27

    • Que coisa, não? E eu que pensava que o compromisso de todos nós fosse só com o povo brasileiro.
      A senhora está sendo seletiva em relação à ditas ‘raças’.

  • Quem quiser se informar sobre a cultura negra e sua cosmovisão, algumas coisas que tenho visto na internet nos últimos dias.

    O MIlagre do Candeal
    http://www.youtube.com/watch?v=t2QqKVSpxeM

    Mestre Didi – Escultor
    http://www.youtube.com/watch?v=xQqITJQgx8A&feature=fvst

    Jorge Amado, cultura negra o carnaval

    http://atv.atarde.com.br/video.jsf;jsessionid=A5ED1751BC866E8321C28AB93A4953A4.fmjp0101?v=8844&g=3

    TVE Debate – Lei Áurea e Dia da Consciência Negra

    http://www.irdeb.ba.gov.br/tve/catalogo/media/view/743

    Pierre Verger – O francês baiano.

    http://www.irdeb.ba.gov.br/tve/catalogo/media/view/2720

  • Não se deve confundir “Pires de Oliveira” com “pratinho de azeitonas”. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Ninguém está dizendo que a Globo ou a Record são racistas. O que o Eduardo sugere é que o Heraldo, que ora se revela um negro batalhador pelos negros, defenda mais negros no “cast” da Rede Globo. Very simple. Se ele tentar, quem sabe a Globo não o ouve e cria mais oportunidades para negros?

    • O Heraldo nunca se disse defensor dos negros. Ele se sentiu ofendido pessoalmente e, ao que se saiba, nao esta defendendo a honra de ninguem que nao seja a sua.

      • Senhor Botelho, ao se defender, Heraldo está, automaticamente, defendendo os negros, porque o tema da causa contra PHA atinge a todos. Querendo ou não, Heraldo se torna defensor de uma causa negra e a sugestão do Eduardo é que ele avance mais, dentro de seu ambiente de trabalho, a Globo. Qual é o problema de ele fazer isso?

        • Não me senti atingido pelo que PHA falou. Também não me senti atingido ao ler o editorial do Mino Carta em que ele chama aquele BBB, que teria cometido um estupro ao vivo, de “provável preto de alma branca”.

          “Preto de alma branca” é o que não escreve uma linha, ou move uma palha, conforme seja seu ofício, para defender as pessoas da sua mesma condição. Esses existem aos borbotões. Seja Machado de Assis, que muito aprecio, com seus inegáveis méritos literários, ou Pelé, o maior de todos no futebol.

      • Complementando: dizem que o jornalista Ali Kamel, diretor geral de jornalismo da Rede Globo, teria escrito um livro com a visão de que no Brasil não existe racismo. Não li o referido livro, mas se isso for verdade, esta seria uma razão adicional para mais negros no jornalismo da Globo. Aliás, há negros e negras belíssimos, que fariam bela figura na TV (lembrando que as TVs costumam gostar de pessoas bonitas em tela).

  • Acho que a Globo, o SBT, a Record e a Band não tem quase nenhum negro na programação. O preconceito racial nesses canais, que detém concessão pública, está evidente. Negar isso é burrice. A sociedade brasileira é deve lutar pra mudar isso, pois é maioria negra, afinal de contas.

  • Edu, vc é um cara próximo ao PHA e acho que deveria alertá-lo sobre a campanha explicita que o RA da Veja está fazendo contra ele: todos os dias são pelo menos 2 posts acusando PHA de ser racista numa clara intenção de minar a credibilidade de PHA

    Aquele seu post desmacarando RA foi excelente, fez ele cair em contradição (ele sempre diz que nã lê blogs progressistas, então como ele soube do seu post???) mas ainda acho que foi pouco: creio que PHA deveria processá-lo por injúria e danos morais, afinal todos sabemos que PHA fez um ACORDO com Heraldo, onde o mesmo reconheceu que não havia ofensa racial por parte do PHA, mas o ”jornalista” da Veja insiste na tese de racismo, sendo copiado e até citado pelos demais veiculos do PIG

    Creio que já passou da hora desse individuo sentir os poderes da justiça, afinal ele se julga acima até da constituição e ofende e calunia todo aquele que não concorde com as ideias absurdas dele

    fica a sugestão.

  • Heraldo, jornalista negro, deve começar combatendo o racismo em seu local de trabalho, a Globo, mas o PHA, jornalista branco, pode escolher entre combater o racismo primeiro em seu local de trabalho , a Record, ou em outras redes, como a Globo.
    É isso que vc defende?
    Se não, se os dois devem combater o racismo primeiro em seu local de trabalho, por que vc critica o Heraldo, alvo do PHA, e não esse, que nunca combateu o racismo na Record mas cobra do Heraldo essa postura na Globo?
    Por que só os jornalistas negros devem arriscar seus empregos, enquanto os brancos podem apenas cobrar uma postura que eles mesmos não adotam onde trabalham?

    • Vamos lá, então, vou te explicar: o PH está sendo atacado pela sua luta desmedida contra a tese de Ali Kamel de que não há racismo no Brasil. Heraldo, jornalista negro, jamais empenhou publicamente seu nome com o ímpeto que Paulo, jornalista branco, empenhou em seu blog. Se formos reunir todos os textos do Paulo contra o racismo, a favor das cotas e contra o livro de Kamel, dará um tomo de mil páginas. Paulo ainda deu palestras incontáveis, participou de seminários incontáveis, posou ao lado de incontáveis líderes de movimentos negros, e está sendo processado por ser racista. Diga-me um jornalista da Globo que tenha feito semelhante coisa e aí a gente conversa.

      • Então diga-me um texto em que o PHA tenha combatido o racismo em seu local de trabalho, a Record, pois é exatamente isso que vc está cobrando do Heraldo.
        Substitua o “Heraldo Pereira, combata a falta de negros na Globo, agora” por “PHA, combata a falta de negros na Record, agora”.
        Ou apenas os jornalistas negros devem arriscar suas carreiras no combate ao racismo, enquanto os jornalistas brancos podem combater o racismo apenas nas redes concorrentes?
        Bem conveniente esse raciocínio para os jornalistas brancos, não?

        • O problema é que veio uma onda com um texto basicamente idêntico ao seu tentando, coincidentemente, mudar o foco da discussão da Globo para a Record, ou seja, vemos a Globo bater bumbo dizendo que PH é racista (através dos comentaristas da emissora na internet e até nos jornais) e o resto da mídia embarca nessa, mas quando quero discutir se quem acusa PH junto com Heraldo tem moral para discutir, você simplesmente fala que não, que quer continuar discutindo aquele que quer atingir. Nada disso. Se acusaram PH de racista, vamos ver quem está acusando. Seu comentário é o 11o hoje com um texto basicamente igual. Está claro que é uma onda organizada. Este blog não servirá para tentarem evitar que se discuta quem são os que acusam PH. vocês têm todo o aparato midiático para discutir isso e ainda querem impor a vossa agenda ao outro lado? No way.

  • Heraldo não tentou e nem vai tentar. Ele apenas nasceu negro, mas não tem comprometimento com a identidade. E não é apenas ele, Pelé, Zileide Silva e tantos outros.

    É uma questão de postura e comprometimento, vejam os exemplos de Milton Gonçalves e Zezé Mota, e muitos outros. Todos têm comprometimento com suas origens identitárias. Quando PH afirma que Heraldo é um branco de alma negra, ele, em outras palavras, está afirmando que Heraldo aceita o domínio de uma cor sobre a outra e nada faz para que a realidade de onde ele veio, ou seja, o povo que, pela cor, ele pertence, nada faz.

    E aí entram os discursos oficiais de que há não há racismo e que todos são iguais perante a lei. No fundo, fundo todos sabemos que para o negro a coisa é diferente e que tem uma longa caminhada pela frente para vencer estas barreiras.

    A construção da destruição de sua cultura, de sua identidade enquanto ser foi feita por séculos e o quem dominou e domina o país nada fez para mudar esta realidade. O que os movimentos negros não devem fazer é ser curvar e aceita toda esta coisa absurda.

    É inadmíssivel a aceitação do homem ser dominando e desconstruído por outro homem por conta de dominação econômica, cultural e financeira. Não haverá mudança na Globo, não esperem isto. A Globo quer ganhar em cima disto e mudar a através da alienação a própria sociedade brasileira.

    Mas a Globo, assim como não entra em algumas igrejas, também não conseguirá nada nos terreiros, assim como muitos que vão lá. Globo, capitalismo são incompatíveis com a comovisão africana.

    Globo e o cristianismo autêntico, ou seja, o cristianismo que é tão mágico quanto a crença africana: aquele que transfigura, que cura, que expulsa demônios, que conversa com outros, como Moisés e Elias, este cristianismo mágico e não o cristianismo teologizado pela visão de mundo grega e que se reinterpreta a cada geração, que nos faz compreender o oriente através da visão de grega de mundo, este cristianismo é compatível com o capitalismo.

    Mas o cristianismo tal qual concebido através da visão mágica do mundo que assemelha o sagrado, este, também, é incompatível com o capitalismo. A diferença é que, enquanto o cristianismo teologizou-se, e passamos a compreendê-lo a partir da visão oriental de mundo. A crença africana, que é transmitida pela oralidade e o segredo, permanece com o seu sagrado todo mágico e aí tem-se a desconstrução, além de os doze povos da Europa terem se apoderado do cristianismo e formarem os homens da igreja, à semelhança de europeus.

    Então, não será fácil para o negro, não será fácil para os movimentos sociais, o que não pode é se curvar a isto. A força interior que surge daqueles que creem em algo, é a mola que move o mundo para mudar sistemas egoístas, mesquinhos, dominadores e aniquila o próprio homem.

    Heraldo, portanto, não irá fazer nada, pois a empresa que ele trabalha tem esta representação, se ele se preocupasse uma unha com a situação do negro, teria postura como outros que são jornalistas e estão na TV como ele têm, como, por exemplo, Muniz Bandeira, João José Reis, Zezé Mota e tantos outros, atuando em diversos setores, se posicionam.

    O que veremos, é Zileide Silva repetindo o mantra impregado pela empresa que trabalha, assim como Heraldo. E eles não são os únicos, mas há outros que fazem a mesma coisa.

  • A record quer o poder político da globo…mas a discussão n é essa…heraldo processou PH por racismo.Tá.A questão é q,a saia justa,é trabalhar numa empresa q,se n vocifera q é racista,esfrega q o é!Ela é a emissora mais poderosa do país,impõe moda e valores;no entanto,é de timidez algo criminosa p/ c/ os negros -na sua tela,os afro-descendentes brasileiros estão aquém dos negros norte-americanos do cinema da déc. de 20 e 30.Passou da hora de um avanço…E o q faz mister heraldo?silêncio.A globo foi contra o Estatuto da Igualdade Racial,assim,claro,como das cotas.Heraldo falou,pronunciou,escreveu alguma coisa colocando-se de lado oposto aos seus patrões?!Como disse certa vez PH,vender sua força de trabalho (capitalismo),n é tornar-se propriedade do patrão…Trabalhar na globo n é o problema -o problema é q, até fora do trabalho,se pensa e age de acordo às diretrizes da empresa.

  • Heraldo Pereira na luta contra o racismo?

    Chiiiii, isto é um sonho impossível! Ainda mais que o HP deve apoiar todos os argumentos daquele famoso livro do Ali Kamel.

  • KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK! Adorei essa campanha para que o hipócrita, racista e servil Heraldo Pereira torne-se o “militante pela igualdade racial” da não menos cínica e discriminatória Globo! Só discordo da suposta inadequação da expressão que PHA usou para definir Pereira, afinal, como o confirmaram militantes sérios e honestos do Movimento Negro, em textos enviados a este blog, a expressão “negro de alma branca” define sim para eles o que Pereira é : um negro que serve àqueles que oprimem o seu povo, que luta em favor da ideologia destinada a impedir a ascensão do negro, mantendo-o preso à ignorância e à marginalidade, como comprovam as fotos com o “perfil” étnico dos colegas de Pereira(o qual é também o mesmo perfil racial existente nas novelas e comerciais globais), todos brancos, o que mostra qual o projeto de Sociedade que o patrão de Heraldo Pereira defende : um país excludente, racista, opressor, violento e desumano, no qual uma minoria de brancos teriam direito a uma vida digna, enquanto o povo de Pereira seria condenado à miséria e à exploração. ESSE É O SUJETO QUE, PROCESSOU PHA : UM TRAIDOR DO POVO NEGRO, UM PÚSTULA, UM SUJEITO QUE NEGA SUAS ORIENS EM DEFESA DAQUELES QUE OPRIMEM SEU POVO HÁ SÉCULOS.

  • Se o governo do PT tivesse coragem deveria encaminhar ao Congresso Nacional a discussão sobre a proporcionalidade populacional como regra para todas as peças de audivisual produzidas por governos e empresas, pela seguinte questão: quando a uma determinada categoria étnica ou social é negada a voz e a imagem essa deixa de existir.
    A atuação dos meios de comunicação no geral é escandalosamente racista. Indigna-me o fato do negro não aparecer em temas, por exemplo, que tratam a questão do “belo”. É somente dá uma expiadinha na prateleiras da banca e supermercados e procurar um elemento negro (principalmente o masculino) nas capas das edições que tratam de moda e beleza.
    As políticas afirmativas e tímidas adotadas a partir de 2002 não são o bastante. O governo tem de se empenhar, confrontar e implementar todas as medidas necessárias a mudarmos essa predominância caucasiana da sociedade brasileira, sugerida pelos meios de comunicação.
    Coragem!

    • Gostaria de saber como seria essa questão de proporcionalidade em um país cuja maioria absoluta é mestiça. A coisa seria baseada apenas no fenótipo e na auto-declaração? Dois irmãos, nascidos do mesmo pai e da mesma mãe, com fenótipos de diferentes, um moreno com olho azul, outro branco com cabelo pixain, mas ambos autodeclarados negros, teriam prevalência em relação a alguém pardo, que se dissesse assim? Cara, no brasil, essa questão fenotipial é um verdadeiro “samba do crioulo doido”. E se vc partir para o biótipo, vai descobrir que a maior parte do gens é européia, apesar da matriz genética africana da humanidade… Em resumo: já está provado cientificamente que raça não existe. Aí, a gente volta para a questão fenotipial e entra num looping por conta do altíssimo grau de mistiçagem do brasileiro…

      • Quer saber como identificar negros? Vá aos lugares onde eles não entram. É incrível como essa dúvida singela some quando é hora de discriminar. A maior forma de racismo é negá-lo.

        • Não conheço qualquer lugar no país onde seja proibida a entrada de negros. Vc os conhece? Aponte-me. Ah, dizer Shopping Hienópolis não vale, pois a qualquer um, independentemente da cor, é garantido o acesso. Eu mesmo, com o fenótipo absolutamente negróide, entrei sem problemas. Da mesma maneira, no Shopping Iguatemi de BSB ( la creme de la creme da capital) e em qualquer outro canto que quis entrar. E aí, meu rei?

          • Você acha que não proibirem a entrada de negros em estabelecimentos comerciais é prova de que não há racismo no Brasil? Talvez racismo, para você, exista só se amarrem o negro ao tronco… Eu já vi, sim, negros serem impedidos de entrar em um shopping, ou melhor, vi através de minha filha mais velha que, com o marido e a filha dela, entraram e discussão com um “segurança” (negro) que tentava impedir crianças de rua de entrarem no shopping. Recentemente, em restaurante de São Paulo, um garoto de 6 anos, negro, filho adotivo de um casal branco de espanhóis, foi pego pelo braço pelo gerente do estabelecimento e colocado na rua enquanto os país adotivos serviam-se no buffet. Quando retornaram, o filho sumira. Desesperados, saíram à rua em busca da criança; encontraram-na a um quarteirão de distância encolhida em um canto e chorando muito… Faça o favor de poupar este blog de seu racismo

      • Quer dizer que você me julga de ultradireita apenas porque utilizo argumentos que destoam dos seus, sem que eu tenha feito ofensa a quem quer que seja? Sabe como isso se chama? Reacionarismo, sectarismo. E adivinha, essas são as mesmas caracteristicas daqueles que você condena. Esse pensamento binário, bem e mal, (eu o bem), eles (aqueles que discordam de mim, o mal), revela a sua verdadeira natureza, nada democrática. Lamento muito. Agora um ataque a minha pessoa você posta, sem mostrar, aos demais leitores do blog, a prova do que supostamente me acusa. Isso é democrático, isso é justo, isso é de esquerda? Não, não é. Seria bom se aprovasse o comentário para que todos os seus leitores vissem como eu não ataquei você, não ofendi absolutamente ninguém, apenas manifestei uma posição, digamos assim, complementar a sua, não negando a sua afirmação, mas ampliando o horizonte da mesma. Mas agora vejo que isto não ocorrerá e tampouco acredito que este comentário venha a ser postado. Lamento que você, um homem a quem eu admirava e contra quem jamais levantei nenhum questionamento a respeito do caráter ou motivação, haja desta forma, cerseando uma argumentação pacifica e justa, apenas pelo motivo de contrariar a sua visão binária. Lamento.

          • NOTA DO EDITOR: o leitor pode escolher entre expor a sua tese ou não. Este blog não será palco de sua tentativa de polemizar com seu autor. Diga o que pensa a respeito do post, mas não serão aceitas acusações a Paulo Henrique Amorim por processo em que jamais foi condenado.

  • Resumindo a “PIG” é racista é este o ponto em comum entre eles.

    A MIDIA BRASILEIRA eu digo : globo,record,bandeirantes,veja,jornal estado,folha de sao paulo etc etc ………..
    são todos do mesmo balalio, se julgam os superiores mas se esquecem que vamos todos pro mesmo buraco e temos data de validade neste planeta.IDIOTAS…………………………………… INFELIZES…………………………

  • Cena de época:
    Lá pelo século XVII, senhor da casa grande que era abolicionista tinha todo tipo de retaliação por parte dos outros senhores. Não podiam permitir riscos a um negócio tão “certo” como pagar a mão de obra com pouca comida e ter poder sobre a vida e a morte de sua propriedade, os escravos. Alguma abstração, ou a sociedade já viveu dias como esses?
    Um negro escravo pegava furtivamente um pouco de leite para dar ao seu filho que estava doente. O Senhor da casa grande descobria. O negro ao tentar salvar seu próprio filho, tinha que receber do senhor uma punição exemplar. Era amarrado ao tronco e submetido a 100 chibatadas. Agora, vamos imaginar que o dono da casa grande era o Ali Kamel, e o carrasco que dava as chibatadas no escravo era o Heraldo, homem de confiança do Kamel.
    A dívida para reparar o mal é MUITO grande. Que haja muito empenho de todos para que um dia as diferenças e preconceitos criados ao longo de nossa história sejam pelo menos amenizadas. E não será em pouco tempo. Não toque de mágica que mude o cenário de um dia para o outro. Mas tem que começar. Comece, Heraldo.

  • Acusação a Paulo Henrique Amorim????????!!!!!!! Que acusação eu fiz a ele?

    Não salvei o texto do comentário, mas procurarei reproduzi-lo o mais fiel possivel:

    Primeiro: a afirmação de que mais de 50% da população se declarou como negra, no último censo, é errônea, pois, para atingir este número, você junta negros e pardos e, conforme um texto elucidativo do IBGE, especificando a significação dos termos, que em uma oportunidade já foi postado nos comentários por um outro leitor, negro não é o mesmo que pardo.

    Segundo: odeio ter que falar isso pois parece que sou um defensor da Globo, quando não o sou. Apenas não me deixo, não me permito, ser parcial e apenas apontar o dedo acusatório contra um e fechar os olhos para outros. Se a Globo pouco faz pela causa do combate ao racismo e pela democratização da imagem do negro na TV, ela, ainda assim, é a unica que faz algo a favor dessa causa, enquanto as demais redes de TV nada fazem.

    A pergunta que farei a seguir fiz no Vi o Mundo, mas lá não obtive resposta:

    Qual o ator/atriz, apresentador ou repórter, de destaque, negro ou negra na Record?

    Tenho 35 anos e era bem pequeno na época, mas me recordo claramente de uma novela da Globo, cujo nome me foge à memória, na qual a Zezé Motta interpretava uma mulher de classe média que namorava um branco, vivido pelo Marcos Paulo, e que sofria com o preconceito por essa relação multirracial. Isto nos anos 80.

    Também nos anos 80, lembro de Tenda dos Milagres, baseada na obra de Jorge Amado, que apresentava a cultura negra bahiana e discutia o preconceito não apenas racial, mas também em relação a cultura negra, o candomblé, a capoeira. Anos 80.

    Mais recentemente, embora tardio, mas antes tarde do que nunca, dois negros destacam-se como atores do do alto escalão da Globo, protagonizando as novelas do horário nobre, Thais Araujo e Lázaro Ramos. Este, aliás, que também protagonizou uma série de sucesso veiculada pela Globo a alguns anos, “O Pai Ó”, que se passava em Salvador e que contava com quase todo o elenco negro.

    Além do mais, Glória Maria alcançou o status de verdadeira instituição da Rede Globo. Não simpatizo com ela, mas é inegável a posição que ela atingiu na Globo. Mas será que Glória Maria não conta? Seria ela “uma negra de alma branca”? Por quê?

    Não digo que a Globo seja justa em relação a democratização do acesso dos negros a posições de destaque na TV, ou que faça muito no combate ao racismo, mas chamo a atenção pro fato de que ela ainda é a única que faz algo.

    Qual o apresentador negro de programas jornalisticos ou de variedades da Record?

    Qual o protagonista negro de novelas da Record?

    Qual o programa da Record que já abordou diretamente a cultura negra?

    Antes de se criticar a Globo pelo pouco que faz – embora deva-se cobrar por mais – deveria-se cobrar que as outras redes de TV, sobretudo a Record, do PHA, do Azenha e do Rodrigo Azevedo, façam pelo menos o minimo que a Globo faz.

    P.S.: onde está a acusação leviana a quem quer que seja aí?

    • No texto original você disse julgar que PH foi racista.

      Sobre você questionar o fato que nem precisava de estudo (de que a maioria da população é negra), pois basta ter olhos para ver, chega a ser ridículo. À época da superação do contingente de brancos pelos negros a mídia inteira comentou estudos do Ipea, amparados nos do IBGE, que revelaram a nova composição étnica majoritária no Brasil. Matéria da Folha de São Paulo mostra bem como o assunto é tratado pelos técnicos. Aí vai:

      —–

      13/05/2008 – 14h28

      População negra supera branca neste ano, mas renda só se equipara em 2040

      PUBLICIDADE

      LORENNA RODRIGUES

      da Folha Online, em Brasília

      http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u401394.shtml

      A população negra deverá ser maior do que a branca no Brasil ainda neste ano, segundo projeção feitas pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). De acordo com a entidade, porém, a renda da população negra só será igual à da branca em 32 anos. Atualmente, negros ganham, em média, 53% da renda do branco.

      De acordo com a pesquisa, feita com base nos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil terá a maioria de sua população negra, ou seja, mais da metade dos brasileiros, em 2010. A pesquisa considera negros os brasileiros que se declaram pretos (termo utilizado pelo IBGE) e pardos.

      O coordenador da pesquisa, Mário Theodoro, diretor de cooperação e desenvolvimento do Ipea, afirma que isso se deve à maior taxa de fecundidade entre as mulheres negras e pardas. A tendência, porém, é que após 2010, haja uma estabilização da população de negros, em torno de 50% da população.

      Em 1976, ano da primeira Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), a população brasileira tinha 40,1% de negros e 57,2% de brancos. Em 2006, havia 49,5% de negros e 49,7%.

      Renda

      No quesito renda, porém, segundo Theodoro, a igualdade só será possível se, além das políticas de universalização, como o programa Bolsa Família, o governo investir em ações que facilitem o acesso dos negros ao mercado de trabalho e diminua a desigualdade de renda em relação aos brancos.

      Ele cita como exemplo as cotas para negros na universidade, combatidas por parte dos intelectuais, alguns deles negros. “A cota na educação tem um ponto positivo porque é a educação que dá aceso às melhorias sociais. A questão é importante e complementar às políticas universais”, afirmou.

      Para Theodoro, a melhoria de renda dos negros, a partir de agora, dependerá de outras questões além da ajuda do governo. “Os programas de transferência de renda já estão em seu limite porque já atingem, atualmente, quase toda a população pobre que pode ser beneficiada”, afirmou.

      Mercado

      De acordo com pesquisa do Ipea, a taxa de desemprego entre os negros é de 9,3%, enquanto que a dos brancos é de 7,5%. A pesquisa cita, ainda, que nos setores com menor remuneração a maioria dos trabalhadores é negra, caso da agricultura (60,3%), construção civil (57,9%) e serviços domésticos (59,1%).

      —–

      Saia às ruas deste país, moço. Você conhece o povão, a esmagadora maioria dos brasileiros? É esse povo das novelas, dos telejornais, do Big Brother? De que adianta ficar se prendendo a detalhes para tentar vender a ideia de que o povo escandinavo da propaganda, da televisão é o povo brasileiro? Acha que é possível vender a ideia de que a televisão e a propaganda reproduzem o que é o povo brasileiro?

      Não há forma mais torpe de racismo do que negá-lo, e dizer que o Brasil não é um país de maioria afrodescendente insere-se em tentativa de negar o racismo por vias tortas.

      Você diz que não é defensor da Globo, mas é. Nos últimos dias, só se discute se Paulo Henrique é racista ou não. Pessoas como você têm toda a mídia para acusarem. Hoje há ataques no Globo, no Estadão e em vários portais e blogs corporativos da grande mídia, sempre no mesmo tom, e você vem querer impor que aqui também se discuta o Paulo, a Record, mas nunca a Globo?

      Quero saber quem são os que acusam Paulo, eu e muitos outros que estão cansados de ler só o seu lado da história na grande mídia, pois, até hoje, nenhum veículo deu voz àquele que acusam.

      Vá o Paulo Henrique tentar conseguir espaço em O Globo, na Folha, na Veja, no UOL, no G1, no Estadão… Nem depois de morto seria publicado. Mas vocês querem espaços para vocês que não dão àquele a quem acusam.

      No dia em que a direita der espaço para o Paulo Henrique nesses veículos farei o mesmo aqui pelos bate-bumbos da Globo, mas, até lá, esta foi a última concessão, a que lhe dei, a menos que queiram discutir quem são os acusadores de Paulo Henrique também.

      Sobre a Record, tem tantos negros quanto a Globo, ainda que não tenha mais, o que também é errado. Contudo, na Record não há pressão sobre jornalistas que defendam cotas, que digam que há racismo na tevê. O Azenha, o Paulo Henrique, o Nassif, o Rodrigo Vianna criticam o racismo da televisão. Quem faz o mesmo entre os jornalistas da Globo? Pelo menos a Record não patrulha ideologicamente.

      Agora, você quer que jornalistas brancos combatam o racismo de seus patrões mas não quer que um jornalista negro vitorioso, competente e inteligente use de seu posto quase único no jornalismo brasileiro para ajudar seus irmãos. Coerente, não?

      Enfim, é isso. Só aceitarei comentários, daqui em diante, que não tentem fugir, escancaradamente, da propositura do post. Este blog é financiado pelo meu salário de representante comercial, não ganho um centavo com isto, jamais sequer vi a cor de dinheiro público. Este blog é a minha casa e não a da mãe Joana, onde podem impor discussões.

      • Com licença (para entrar em sua casa), Parabéns, sua resposta é irretocável.Sua resposta me fez lembrar inúmeros examplos de celebridades norte americanas, citarei dois: cidadãos quem em vários momentos das suas vida foram discriminados, eis a reação e ação: O ator americano (negro) Denzel Washington fez uma doação de US$ 2,25 milhões à universidade nova-iorquina de Fordham, onde estudou jornalismo e interpretação nos anos 1970.’Queria criar a bolsa de estudos Denzel Washington de Teatro em Fordham para poder oferecer uma influência positiva para as futuras gerações de estudantes’, afirmou o ator nova-iorquino em comunicado divulgado nesta quarta-feira no site da instituição educativa.
        Oprah Winfrey ( cidadã afroamericana, a mais rica e poderosa personalidade de comunicação do mundo), dia 14/01/2012, foi a África do Sul, para acompanhar a formatura da primeira turma de jovens formadas em sua fundação, a Oprah Winfrey Leadership Academy. A escola têm como objetivo levar educação para mulheres em níveis de extrema pobreza .
        Eu não concordo com a expressão “negro de alma branca”, mas PHA oportunizou o debate sobre ideologia de embranquecimento, compartilhamento, invizibilidade, naturalização da desigualdade social e injustiça racial, estereótipos, e desqualificação para distorcer a realidade, tudo patrocinado, mantido pelo monopólio/oligopólio da mídia coronelista que mantém os privilégios aos que continuam no topo da pirâmide social construida há 500 anos. Grata.

    • Não faço nenhuma crítica à sua avaliação. A novela que você citou do Marcos Paulo com a Zezé Mota causou sérios problemas à Globo. Bastou, num capítulo, se beijarem para a emissora receber milhares de “cartas de protesto” e muitos anunciantes ameaçarem retirar patrocínios. Mas é assim mesmo, a sociedade avança devagar. Depois disso, a Thais Araújo já foi protagonista fazendo par com o Gianechinni, beijando e não havendo protestos. Nas cobranças dos movimentos negros, a Globo já melhorou muito e pode melhorar mais ainda.
      Ah… desculpe, faço uma crítica sim. “preto de alma branca” é expressão tão racista quanto “mulata” (oriunda de mula, a mistura de duas raças equinas) e o tal “pardo” do IBGE que você citou. Como dizia o saudoso Abdias do Nascimento, “escapou de branco, é preto” e “pardo é aquele papel de embrulho.”

    • Verdade, também acho muita prepotência dizer que mais da metade do Brasil é negro, caso os ignorantes não saibam, o Brasil é feito de brancos, negros, indios, asiáticos, e as misturas que ocorrem entre cada um, pardo pode ser de branco com indio, ou de asiatico com negro, mas de forma alguma pode ser considerado negro, cada um é cada um, e hoje em dia e provavelmente sempre será dessa forma, o Brasil tem em sua maioria brancos, seguido por pardos, e depois com pouco mais de 11% negros.

  • Mas não é só na Globo, em todas as emissoras faltam negros. Nos EUA tem muito mais negros na televisão, e ainda falamos que eles é que são racistas.

  • O 14 de maio de 1888 é hoje.Houve a “extinção” jurídica do trabalho que coisificava milhões de pessoas, mas não houve adoção de Políticas Públicas para promoção e desenvolvimento daqueles que com sangue, suor e lágrimas construiram o país nos quatro séculos de escravização, suas histórias e contribuição não foi (não é) contada nas escolas. A Justiça sustentada ainda é utopia.
    A população negra impedida por legislação de aprender a ler e escrever – decreto 1331, art.69 parag. 3º, proibidos de comprar terras _ Lei da terra de 1850, tem hoje na negação do direito a ter direitos a continuação da escravização, na dinâmica que oprime, invisibiliza, separa, exclue, e culpabiliza as vítima deste horrendo fenômeno (racismo) que impede o direito à vida digna.
    O debate do “negro de alma branca”, traz consigo o debate sobre a sociedade que queremos viver e a sociedade na qual vivemos, traz o debate da história de cada um de nós e de nossa ancestralidade, das lutas, crueldades e crimes contra a humanidade.

    • Se o Reinaldo Azevedo morre, vocês, reaças teleguiados, não saberão nem escovar os dentes… Ninguém está querendo ensinar nada aos negros, estamos querendo que uma concessão pública não pratique racismo.

  • E se seu post pretende ser honesto e justo, faça uma parâmetro
    com as outras emissoras como fez com a Globo.
    Coloque fotos dos programas de outras emissoras também.

  • Na novela das 7, Aquele Beijo, tem, pelo menos, uns 10 negros em papéis importantes, trrabalhando.
    Desafio alguém a apresentar esse número, num outro canal de televisão.

  • O caro redator precisa dar atenção ao fato de que num contexto de mídia politizada, como acontece no Brasil, defender ou atacar um, acaba sendo defender o outro. A forma agressiva com que se defende das justas proposições dos visitantes de fazer uma análise igualmente minuciosa das outras emissoras depõe contra a suposta imparcialidade que seria esperada do blog. Temos presenciado no Brasil uma verdadeira guerra entre grupos políticos que representam as minorias. De um lado as feministas pedem a saída do BBB que alegam ter feito sexo sem o consentimento da parceira (o que tipificaria o crime). De outro o movimento negro tenta dar uma conotação totalmente racista à expulsão do participante. E no fim pode ser que não seja nem tanto pra um lado e nem pro outro. Precisamos de equilíbrio pra saber discernir a verdade com sabedoria. Se ficarmos nesse cada um por si Deus por todos a radicalização vai aumentar. Fica a pergunta: o blog é evangélico pra se esquivar tanto da comparação com a Record?

    • O blog é laico e não se esquiva de nada. Como a Globo destacou gente pra vir aqui tentar tirar o foco de si e desviá-lo para a Record, optei por não dar espaço a uma ação orquestrada. Este blog já disse, reiteradas vezes, que o problema do racismo atinge TODA a televisão brasileira e TODA a propaganda. O que se discutiu neste post é que quem acusa PHA age da mesma forma que acusa ou pior. A Record não acusou ninguém, a Globo acusou. Por isso o foco é a Globo. Aliás, ao apontar só a Record como emissora que faz o mesmo que a Globo ao não dar espaço condizente ao negro, a tropa de comentaristas organizada pela Globo mostrou sua origem.

  • A falta de negros e muito grande nas televisoes de todo o mundo,as pessoas julgam por ser de cor negra,ela tem que ver que o importante nao e a cor e sim o cidadao o carater que a pessoa e.E que um negro e igual a todo mundo.
    Entao gente primeiro olha a capacidade do ser humano e nao a cor.
    Espero que isso mude o mais breve possivel.

  • Estou preocupada,

    Esta nova novela do SBT, declaradamente infantil ira exibir um personagem que ao meu modo de ver é ofencivo de degradante a nossa raça.

    A emissora vai exibir a figura de um menino negro, o único em uma sala de aula de mais de 20 alunos, o sei não compreende a porcentagem adequada ao Estatuto da Igualdade Racial – Lei 12288/10 | Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010 e este único aluno declaradamente diz que gostaria de ser branco?

    Sou mãe de uma menina de 5 anos, negra e linda que eu luto e dou exemplo para que ela se orgulhe de sua raça e de sua cor, eu assisti esta novela quando criança e me sentia ofendida com o posicionamento do menino Cirílo, pois este confrontava com toda a nossa luta de crianças negras crescendo num país de preconceito, isso nos rebaixava e nos tornava menos orgulhosos de nossa condição.

    Hoje é inaceitável este tipo de comportamento racista do personagem da novela infantil, que degrada e humilha as crianças negras de todo o país, minha filha não assistirá esta novela e por graças ela é uma menina, mas eu tenho sobrinhos.

    É muito fácil aderir a um comportamento hipócrita quando de verdade não se é sensível ao tema, exclamando a demonstração de uma realidade cruel que espero não existir de forma ascendente, muito pelo contrário nossos negrinhos estão mais confiantes, autônomos, felizes e satisfeitos com a evolução de seus pais e não merecem terem as suas imagens ultrajadas em uma novela nacional e dirigida a eles.

    Independente do desfecho toda a fala do menino em relação a sua cor é degradante e ofensiva e é este tipo de exposição que deve ser vigiada que não se trata de um adulto espancado ou ofendido ou um negro orgulhoso admitindo ser um grande animal da selva e sim a auto estima das crianças negras deste país que devassada e afetada por um questionamento inútil sendo que os relacionamentos inter raciais que a novela quer mostrar estão em voga .

  • 1º- o mais triste desta intervenção é essencialmente promover o racismo.
    2º-Hoje está na moda e é politicamente correto o tema de fundo que é o racismo.
    3º-Porque será que só se fala de Branco e Preto e não nas outras cores
    4º-Porque não existe uma matéria a repudiar a falta de Vermelhos ( Índios ) nas Emissoras e respetivos programas?
    5º-Porque será que não se fala da pobreza dos Índios?
    6º-Será que num reino de racismo o Índio é tão descriminado que nem sequer tem direito á descriminação?
    7º-E os amarelos ( Asiáticos), onde estão estão eles?

    Resumindo, tristemente em termos de racismo, tudo se resume a duas cores, uma que quer manter a sua superioridade e a outra que quer necessariamente a superioridade que tanto critica no outro. A verdade é só esta.
    A vitimização do Negro chega a ser revoltante principalmente fora do continente Africano. Hoje em dia, tudo o que é negativo atribui-se culpa ao branco e porquê? simplesmente porque é mais fácil, á muito que o poderio branco em Africa acabou, e o que vemos agora em Africa? Países na miséria, quem manda é bilionário e o povo simplesmente na miséria ( não existem brancos no poder). Então porque não exigir seus direitos, lutar pela igualdade, lutar por melhores condições? Bom, não existem brancos para culpar nem para acusar, então para quê se mexer…Aqui não, só se fala em direitos e cadê os deveres?

  • Eduguim, esses comentários estão do tipo “maquina de resposta”. E o engraçado é que no Blog do PHA e do Miro está do mesmo jeito!! Interessante não.

    • uma resposta generalista, citando um livro escritopor Ali Kamel;O nosso racismo é um dos piores do mundo!!! pois é silencioso, é covarde, não é possível que num pais com uma porcentagem de negros, não encontre repórteres negros âncoras negros apresentadores negros.O pião da globo no jornalismo, é o repórter, porèm como esta a frente das câmeras ou se preferir na frente dela. mesmo sendo um cargo de inicio nós não vemos negros, será que não tem negro formado em jornalismo, ou com boa dicção, com certeza o morro as favelas se sentiriam mas representados pela midia, Ali , deixa sua filha se apaixonar pelo câmera men, pelo cobo men, e misturar as cores dentro da sua casa,isso é não ser racista, enquanto a maju for excessão, o racismo existira, a frase tem um negro na minha empresa, sou amigo de um negro é a caracterização do racismo, tenho um filho militar, tenho um filho de 18 anos no segundo periodo de bilogia na celso,pois optamos não fazer a ufrj no qual ele passou, por causa das greves absurdas, moro no alto da boa vista em um apartamento de 800.000,00 carro quitado. mas não me vejo representado na midia de um modo geral, assisto futebol redação, sportv só vejo branco sentado naquelas mesas redondas, quando nossos jogadores, os grandes foram negros, patricinhas falando no é gol sem nenhum conhecimento de causa. e o nosso futebol só star na seleção brasileira do jeito que estar, porque os jogadores na sua maioria, não saem mais da varzea,pois descobriram que dá para pagar 1.000.000,00 a um jogador como AdrianoRomario, Edison Vampeta, pois eles não se curvam a mídia hipócrita. então estão procurando jogadores mauricinhos fabricados, que vem de indicação ou da fabrica do futebol. Ali olha ao seu lado, e veja não te servindo, como porteiro, cafezinho, faxineiro, olhe ao seu lado na reunião e veja se existe racismo ou não , Boechat disse em uma esplanação, exatamente isso, que da portaria do predio da casa dele até a portaria da band ele se depera com centenas de negros, quando ele entra ne redação, pra cima os negros somem… sem contar que o nosso salario quando nos tornamos gerente como sou de uma empresa, é em media 45% menor, e só me torno gerente depois de aceitar acordos cabulosos para provar minha qualidade, pois quando a vaga é direta para gerente, geralmente sou o unico candidato negro, e o resultado o senhor ja sabe>…. mas vai mudar… na midia demora uns 50 anos ainda pois vossos filhos não deixam espaço pra ninguem, datena, datena filho, fernada torres, tarcisios filhos, clã Chico anisios, e por ai vai… olha do seu lado direito agora……

Deixe uma resposta