Resistência a cotas explica desde a desigualdade até o mensalão

Opinião do blog

Durante a semana que finda, assisti reportagem do Jornal da Globo que se propôs a dar “dicas” sobre as profissões “em alta” no mercado e que ofereceu um dado absolutamente estarrecedor, ainda que não seja novo: o país tem enorme carência de profissionais em profissões absolutamente imprescindíveis ao crescimento econômico.

Um exemplo: faltam engenheiros a um país que, na contramão de um mundo em recessão, segue crescendo, ainda que, agora, em ritmo bem menor devido ao agravamento da crise econômica internacional.

O fato é que escasseiam profissionais com curso superior no país apesar do forte aumento do número de universitários nos últimos anos. Isso ocorre porque cursar universidade, por aqui, sempre foi privilégio da elite branca do Sul e do Sudeste. Foi assim que o Brasil chegou a ser um dos três países mais desiguais do mundo na segunda metade do século passado.

O gráfico que ilustra este texto explica a política no Brasil ao menos entre 1960 e 2012. Representa a Curva de Lorenz, desenvolvida pelo economista estadunidense Max O. Lorenz em 1905 para representar a distribuição de renda em regiões ou países.

O método é muito simples: quanto mais próximo de 1 maior é a desigualdade, e quanto mais perto de 0 é menor.

O Coeficiente de Gini, vale explicar, não é uma criação “petralha”. É calculado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) – no Brasil, é apurado em parceria com o IBGE e com o IPEA.

Como se vê no gráfico, em 1960 a posição do Brasil no índice era de 0,5367. Durante a ditadura militar a desigualdade foi aumentando e mesmo após a redemocratização o país continuou promovendo concentração de renda chegando ao ponto máximo em 1990, cinco anos após o fim daquela ditadura.

A partir de 1990, a desigualdade começou a cair, ainda que de forma quase imperceptível. Entre aquele ano e 2002, último ano do governo Fernando Henrique Cardoso, a desigualdade caiu de 0,6091 para 0,583. A partir de 2003, começou a cair em ritmo 3 vezes maior do que o preconizado pelo PNUD (ONU), chegando, ano passado, a 0,519 – inferior ao que vigia em 1960.

A queda da desigualdade brasileira durante o governo Lula, portanto, foi a maior em meio século – e, aliás, a maior da história do país em período tão curto (oito anos).

A correlação desses dados com a política é imensa. Como se vê, a ditadura militar veio para tornar o rico mais rico e o pobre mais pobre. E, após a ditadura, a situação melhorou muito pouco por mera falta de vontade política.

Durante os governos pós-redemocratização, mas anteriores à era Lula, a melhora da concentração de renda foi pífia apesar de ter caído timidamente durante a era FHC, quando chegou a subir um pouco e depois caiu de novo. Mas pouco, repito.

No período tucano no governo do Brasil, o índice caiu de 0,59 para 0,58, ou seja, quase nada. Eis a explicação para o fato de o PT ter vencido as três últimas eleições presidenciais: os três governos petistas vêm diminuindo a distância entre pobres e ricos como nunca antes na história deste país…

Os estudos do IBGE, do IPEA e do próprio PNUD também revelam um dos principais fatores para a maior concentração de renda a partir de 1964: houve um desmonte literal da educação pública.

A fim de cumprir o objetivo para o qual foi instalada, a ditadura tornou a educação de qualidade um bem das classes mais abastadas do Sul e do Sudeste, que são essencialmente de ascendência indo-europeia, ou seja, essencialmente brancas. Para ter boa educação escolar as famílias tinham que pagar caro, o que, obviamente, só estava ao alcance dos mais ricos.

Por conta disso, no começo da era Lula as universidades brasileiras – sobretudo as públicas – pareciam ser de países nórdicos. Os estacionamentos dessas instituições viviam repletos de carros de luxo e os corpos discentes eram de uma brancura de ofuscar os olhos, com seus olhos azuis e cabelos loiros.

A partir da década passada, porém, políticas públicas começaram a mudar essa situação.

Claro que o mérito maior para a queda acelerada da concentração de renda que o Brasil vem experimentando se deve ao Bolsa Família, mas a política reconhecidamente com maior potencial para mudar a ainda enorme concentração de renda no país é a que levou jovens pobres ao ensino superior.

Já dura quase uma década a política de cotas étnicas e sociais nas universidades públicas (sobretudo nas federais, como UFRG, UNB, UFRJ, UFBA e outras). Além das cotas há o Prouni, que permitiu aos jovens pobres chegarem a universidades privadas com financiamento federal.

No início, há quase uma década, quando o governo Lula trouxe para o Brasil a política afirmativa de inspiração norte-americana que criou uma classe média negra nos Estados Unidos, a elite branca do Sul e do Sudeste reagiu com ira e passou a propagar “criações mentais” (expressão em alta) sobre “prejuízo acadêmico”.

Mas o que seria esse “prejuízo acadêmico”?

Grandes grupos de mídia como as Organizações Globo, o Grupo Folha, o Grupo Estado, a Editora Abril e partidos políticos como DEM e PSDB abriram guerra contra o governo Lula valendo-se da teoria de que ao levar estudantes de escolas públicas para as universidades isso faria baixar o nível acadêmico delas.

A teoria demo-tucano-midiática era a de que, por terem formação escolar inferior, esses estudantes das escolas públicas – que, em maioria esmagadora no país, são negros – tornar-se-iam profissionais medíocres e não conseguiriam acompanhar os estudantes brancos egressos da escola particular, que proliferou durante a ditadura de forma a dar aos mais ricos chances melhores na vida.

O DEM, aliás, chegou a entrar na Justiça contra as políticas afirmativas petistas (cotas e Prouni) alegando que o governo federal estaria cometendo uma injustiça contra os brancos ricos das escolas particulares. O processo foi parar no STF e ali foi derrotado.

Ao mesmo tempo, a teoria sobre “prejuízo acadêmico” que seria gerado por jovens negros e pobres às universidades de elite (que, no Brasil, são as públicas, ou seja, financiadas pelos impostos sobretudo dos mais pobres), desmoronou.

Universidades como UFRG, UNB, UFRJ, UFBA e outras começaram a formar turmas de cotistas oriundos da escola pública e negros e o que se viu foi que não só tiveram o mesmo desempenho acadêmico que os egressos brancos das escolas particulares como, em alguns casos, até os superaram, sem falar que os cotistas abandonam menos os cursos, enquanto que os não-cotistas lideram as desistências.

Após a direita demo-tucano-midiática ter perdido a ação no STF contra as cotas e o Prouni, nesta semana perdeu no Legislativo – o Senado aprovou a política de cotas nas universidades federais. A mídia e os partidos de oposição reagiram, pois essa aprovação é ainda pior do que a derrota na Justiça porque materializa a política de cotas.

Não foi por outra razão que começaram a pipocar reações. Associações de escolas particulares prometem questionar na Justiça a política de reserva de vagas para negros e egressos de escolas públicas. Todavia, não passa de jogo político porque a instância máxima do Judiciário já rejeitou esse questionamento sobre as cotas serem injustiça de negros pobres contra brancos ricos.

No âmbito dessa gritaria política, a mídia ressuscita a teoria sobre “prejuízo acadêmico” que seria gerado pelos cotistas e abafa o contraditório e os próprios fatos.

Nos jornais ligados ao PSDB e ao DEM, as colunas de leitores e os colunistas voltam à carga contra as cotas com argumentos como o de que os cotistas rebaixariam o nível das universidades apesar de as experiências com a política afirmativa do PT mostrarem que os cotistas chegam a superar os não-cotistas.

Estabelecida a correlação entre a política de cotas e a queda da desigualdade mais intensa na era Lula, sobra outra correlação que o leitor certamente ainda não entendeu. Que relação têm as cotas com o mensalão?

Ainda na semana que finda, jornalistas respeitados como Janio de Freitas, da Folha, e até o ministro do STF Joaquim Barbosa ressaltaram como a mídia trata diferentemente os mensalões tucano e petista – o primeiro é abafado e o segundo vira “reality show”.

Ora, por que a mídia não gosta do PT a ponto de ser seletiva ao cobrir casos de corrupção desse partido? Afinal, todos sabem que nunca os ricos ganharam tanto quanto na era petista, ainda que não mais ganhem sozinhos.

Essa ojeriza ao PT ocorre simplesmente porque a mídia, o DEM e o PSDB representam os setores abastados da sociedade que impuseram ao Brasil uma ditadura militar que concentrou renda valendo-se da Educação como instrumento de injustiça social.

Por isso é que o mensalão tucano está sendo abafado enquanto a mídia transforma o julgamento do mensalão petista nesse espetáculo circense que todos estão vendo. Tenta, assim, convencer o país de que o PT encerra mais corrupção do que os partidos que defendem os interesses da elite branca do Sul e do Sudeste.

Simples assim.

  • Henrique

    Cotas, aqui no Brasil, a mídia detesta.

    Como começou as cotas:

    Lula é o cara que “não entendia de nada” mas colocou as cotas raciais para funcionar, que são um modelo de ação afirmativa implantado em alguns países para amenizar desigualdades sociais, econômicas e educacionais entre raças.
    A primeira vez que essa medida foi tomada data de 1960, nos Estados Unidos, para diminuir a desigualdade socioeconômica entre brancos e negros.
    No Brasil, na Universidade de Brasília (UnB) foi a primeira instituição de ensino no Brasil a adotar o sistema de cotas raciais, em junho de 2004.

    Portanto, é como escreve o Edu: “os três governos petistas vêm diminuindo a distância entre pobres e ricos como nunca antes na história deste país…”

    É isto que CORRÓI a imprensa golpista!

    • mauricio

      Além de “não entender de nada”, Lula ia quebrar o Brasil se eleito fosse: é a frase que eu mais ouvi nos anos 90. Agora eles gritam: “Petralhas ladrôes, Lula molusco ladrão, mensaleiros ladrões que só sabem roubar, roubar e roubar, etc etc etc”… HAHAHAHA os caras são uma piada. De mau gosto.

      • Luis CPPrudente

        E bote mal gosto nessa piada tucano-pefelê!

  • Carlos Roberto Bezerra Rolim

    O acesso à educação é o maior bem que um povo pode ter. Sua capacidade de discernimento sobre as questões sociais e políticas de uma sociedade e uma das características de desenvolvimento.

  • Fernando Soares

    BINGO!!!
    Mais uma vez na mosca.

  • Jose Pinheiro

    Muito pior que ter a mídia em campanha contra as cotas e outras políticas de inclusão, é ver que muitas vezes ela acerta e consegue convencer as pessoas, que deveriam ser as mais interessadas, de que é errada a política de cotas.
    Recentemente, vendo a repercursão da notícia em mídias sociais, vi que dois amigos próximos e queridos, porém representantes dessa elite branca com acesso fácil à educação, mostravam-se preocupados com as cotas.
    Tentei conversar com um terceiro (esse um colega de trabalho) sobre isso e a resposta me deixou “acabrunhado”. Ele – negro, pobre, e com certeza beneficiado pelas políticas de inclusão dos últimos 12 anos (mesmo que indiretamente) – era veemente contra as cotas.
    Segundo este pois como a educação pública é ruim, as pessoas a quem se destinariam essas cotas, deveriam se esforçar mais e se destacar para não ser preciso nenhuma cota e competir em condições de igualdade com àqueles (brancos, ricos e bem nascidos).
    Entristeceu-me que ele não enxergue o quanto a desigualdade é internalizada em sua cabeça, que não admite que cotas e programas de inclusão social são uma compensações de anos de abuso, exploração e discriminação.
    Envergonho-me em dizer, mas desisti. Não argumentei. Sou um fraco.
    Só espero que a história o faça mudar de opinião.

    • eduguim

      Vou publicar aqui um estudo que vai animá-lo: a maioria esmagadora dos brasileiros é favorável a cotas étnicas e sociais, por isso elas prevaleceram no STF e no Congresso

  • Jackelinne

    Edu minha admiração por ti não para de crescer. Um homem branco com os filhos brancos que tens esposa loira, classe média, do sudeste lutar tanto pela justiça social!!! Para negros pobres… E para alimentar a alma. Tens meu apoio hoje e terás sempre. Daqui do Rio Grande meu beijo fraterno. Jackelinne, historiadora, 66 anos

    • eduguim

      Jackelinne… Nem sou tão branco assim…rs Mas obrigado

    • José do Ceará

      Jackeline, o Eduardo é um patriota .O Blog cidadania presta importante serviço ao País. e de graça !

  • A diferença de tratamento entre mensalões se dá pelo fato de um ser de um partido que atualmente é o maior do Câmara, que tem o governo federal e segue no poder, com ampla base de apoio. O outro é de um partido que não está no poder há 10 anos e o esquema foi feito há mais tempo ainda, quando Azeredo era governador de MG, derrotado por Itamar em 1998, ou seja, há 14 anos, no mínimo. Sobre a questão das cotas, concordo plenamente.

    • eduguim

      Estranho que o jornalista Janio de Freitas, membro do conselho editorial da Folha, disse que quando o governo federal estava nas mãos do PSDB esse rigor com o partido que está no poder virou “suporte político”. Aliás, àquela época, quem ocupava a mídia era a oposição petista, que a cada eleição arrumava um escândalo contra o PT. Na verdade, esse fato mostra que você não passa de membro da tropa de choque tucana ao dizer essa aberração de que só se deve investigar e noticiar o que for contra o governo federal e esconder o que é contra a oposição, que, nos estados, é situação

      • Estranho que o jornalista Janio de Freitas, membro do conselho editorial da Folha, disse que quando o governo federal estava nas mãos do PSDB esse rigor com o partido que está no poder virou “suporte político”.
        —-

        Olha, Janio pode ser um grande nome do jornalismo, mas é óbvio que sempre esteve atrelado a petistas – ou, quando estes faziam algo que considerava “de direita”, os criticava, ou seja, sua entrevista não vem de alguém isento. Ele é tão isento quanto um colunista como aquela Eliane, sabidamente tucana. Assim, fazer críticas à imprensa, vindo dele, não é nem um pouco surpreendente.

        ===

        Aliás, àquela época, quem ocupava a mídia era a oposição petista, que a cada eleição arrumava um escândalo contra o PT. Na verdade, esse fato mostra que você não passa de membro da tropa de choque tucana ao dizer essa aberração de que só se deve investigar e noticiar o que for contra o governo federal e esconder o que é contra a oposição, que, nos estados, é situação

        Não, o PT não sofria quase nenhuma acusação quando oposição. Pelo contrário: usava o atual denominado PIG para fortalecer suas denúncias contra FHC. Quanto aos estados, bom, eu desminto você em relação a qualquer vínculo partidário. Por exemplo, em 98, apesar de ser uma criança, adorava política e gostei da vitória do Itamar. Aliás, traído por FHC, que, ao invés de apoiá-lo para presidência, comprou a reeleição; A imprensa local de muitos estados geralmente é governista,. sim, e Minas não foge da regra, principalmente na gestão Aécio. Aqui no ES ocorre o mesmo com Paulo Hartung, que não teve nenhuma oposição durante seus oito anos de mandato e só agora estão descobrindo seus podres. É aquela coisa de comprar imprensa, seja por acordos, publicidade estatal etc. O PT, aliás, está indo bem nesse aspecto, financiando blogs, sites e revistas com dinheiro público que têm poucos leitores e só servem para defender o governo. O que os petistas não suportam é não fazer isso com todos, ou, num projeto final, estatizar todos. É possível que consiga, ninguém sabe o futuro. Eu não duvido.

        Ah, sim, outra coisa sobre o mensalão tucano: ele não despertou interesse em ninguém até que o mensalão petista estava no ápice. Sua denúncia foi feita em 2005. Tudo só para dizer que todos são iguais. É uma técnica que o PT tem. E continua tendo.

        • eduguim

          Dizer que o PT não sofria quase nenhuma acusação quando era oposição significa duas coisas: ou você não entende nada de política, tem cerca de vinte anos e nunca estudou a política brasileira ou, então, é um cara-de-pau. Os jornais estão aí, com seus arquivos, para relembrar aos desmemoriados de verdade ou por conveniência. Janio de Freitas disse bem: a mídia foi “suporte político” de FHC. Chamar Janio de Petista, é piada. No Roda Viva ele foi exaltado pelos pistoleiros do PIG por sua isenção. E reconhecido por ter sido duro com o PT neste governo assim como foi com FHC, Collor, Sarney… Nem o direitista mais nojento (tipo Reinaldo Azevedo) jamais acusou Janio de ser petista. É sintomático, também, que você não tenha tocado em Joaquim Barbosa. O mensalão tucano tem 7 anos a mais que o petista. Por isso Barbosa, que parece que vai pela condenação no julgamento, diz que a mídia nunca o abordou. Enfim, como você não parece tão tolinho quanto sugere seu comentário, acho que é mentiroso mesmo.

          • O engraçado Edu, é que esse sujeito diz que o governo sustenta os blogs sujos!!! Será que ele se esqueceu que a Rede Globo, Revista Veja, Folha de São Paulo e o Estadão recebem milhões de patrocínios estatais???? Mente seletiva!!!!!!!

        • ocator

          Você tem razão. O PT sempre se serviu do PIG; lembro na eleição do Collor que a Folha para contribuir com os petralhas, arrumou umas camisetas do PT e botou nos sequestradores do Diniz para depois apresentá-los no jornal com essa indumentária. esse tipo de propaganda subliminar quase signicou a derrota do Collor.

        • João Paulo

          O massacre de Guariba em 1986, e o sequestro do Abílio Diniz em 1989 foram usados contra o PT.

          • eduguim

            Todo ano de eleição, desde a redemocratização, teve campanha da mídia acusando o PT de corrupção

        • A carcomídia sempre teve um ódio doentio contra o PT. E nunca escondeu isso. Os “jornalistas” dessa mídia servem à elite. Essa gente, se pudesse, extinguiria as favelas com lança-chamas.

          • Os jornais estão aí, com seus arquivos, para relembrar aos desmemoriados de verdade ou por conveniência. Janio de Freitas disse bem: a mídia foi “suporte político” de FHC. Chamar Janio de Petista, é piada. No Roda Viva ele foi exaltado pelos pistoleiros do PIG por sua isenção. E reconhecido por ter sido duro com o PT neste governo assim como foi com FHC, Collor, Sarney…

            Arquivos: isso. Mostram que a imprensa fazia acusações contra governos anteriores. Quanto a Janio, ele fazia críticas ao tom do PT. Pode ser que ele não seja petista, mesmo, se não for, errei de adjetivo, posso ter querido dizer esquerdista, mas tem afinidade ideológica com o PT;

            É sintomático, também, que você não tenha tocado em Joaquim Barbosa. O mensalão tucano tem 7 anos a mais que o petista. Por isso Barbosa, que parece que vai pela condenação no julgamento, diz que a mídia nunca o abordou. Enfim, como você não parece tão tolinho quanto sugere seu comentário, acho que é mentiroso mesmo.

            Eu sou admirador do Joaquim Barbosa, mas nesse caso discordo dele. Normal. O que difere é que não sou seletivo. Ele vira herói de blogs governistas quando por exemplo ataca Gilmar Mendes, mas é atacado quando seu alvo é o governo ou membros do PT.

            O engraçado Edu, é que esse sujeito diz que o governo sustenta os blogs sujos!!! Será que ele se esqueceu que a Rede Globo, Revista Veja, Folha de São Paulo e o Estadão recebem milhões de patrocínios estatais???? Mente seletiva!!!!!!!

            Há duas diferenças aí: a primeira é que esses veículos tem um público muito maior, e a segunda é que os que são citados como “sujos” devem ter estas características: pouca gente lê e mesmo assim é cheio de propaganda estatal. Quando denunciaram, eu inclusive cheguei a comentar, não aqui, que essa denúncia, do PSDB. apesar de correta, só o prejudicará, porque falarão que é censura e também porque existem muitos blogs que defendem o governo e o PT sem ganhar tais “incentivos”, fazem por ideologia.

            Você tem razão. O PT sempre se serviu do PIG; lembro na eleição do Collor que a Folha para contribuir com os petralhas, arrumou umas camisetas do PT e botou nos sequestradores do Diniz para depois apresentá-los no jornal com essa indumentária. esse tipo de propaganda subliminar quase signicou a derrota do Collor.


            Os sequestradores tiveram como advogado de defesa Luiz Eduardo Greenhalgh, e sobre o sequestro, alegavam motivações políticas – no caso, queriam dar um golpe de estado num país da América Latina, não lembro o nome agora.

            Quanto a alguns ataques pessoais, relevarei. Não entrei nesse nível e quem entra, que faça à vontade, mas eu não vou revidar golpe baixo com golpe baixo. É só isso. Obrigado por publicar meus comentários, Eduardo. Gente como Reinaldo Azevedo, por exemplo, já barrou muitos comentários meus apenas por eu discordar dele.

          • Miguel Oliveira

            Mas parece que em SP alguém sempre lança alguma chama nas favelas, por coincidência ou por incidência mesmo. A verdade é que a frequência dos incêndios nas favelas paulistas é suspeitíssima.

          • Vejamos, caro Gabriel:

            “Arquivos: isso. Mostram que a imprensa fazia acusações contra governos anteriores. Quanto a Janio, ele fazia críticas ao tom do PT. Pode ser que ele não seja petista, mesmo, se não for, errei de adjetivo, posso ter querido dizer esquerdista, mas tem afinidade ideológica com o PT;”

            As tais acusações eram ordens de magnitude menores do que as que existem hoje, e sumiam rapidamente, além de, diferentemente do que ocorre hoje, o governo de então tinha espaço para se defender.

            “Petista” e “esquerdista” não são sinônimos. Ao usar o primeiro, vc sugere que há um partidarismo do jornalista, uma intenção de promover os interesses do PT, conotação que não existe ao usar o segundo termo. Logo, sua intenção era uma, e vc agora quer trocar os termos, mas manter a sugestão – que é o centro do seu “raciocínio, na verdade).

            “Eu sou admirador do Joaquim Barbosa, mas nesse caso discordo dele. Normal. O que difere é que não sou seletivo. Ele vira herói de blogs governistas quando por exemplo ataca Gilmar Mendes, mas é atacado quando seu alvo é o governo ou membros do PT.”

            Ele é atacado ao falar besteira e elogiado ao acertar. Ou será que deveria ser apoiado incondicionalmente? Será que a esquerda não pode discordar e concordar sem ser “seletiva”? Só vc pode?

            “Há duas diferenças aí: a primeira é que esses veículos tem um público muito maior, e a segunda é que os que são citados como “sujos” devem ter estas características: pouca gente lê e mesmo assim é cheio de propaganda estatal. Quando denunciaram, eu inclusive cheguei a comentar, não aqui, que essa denúncia, do PSDB. apesar de correta, só o prejudicará, porque falarão que é censura e também porque existem muitos blogs que defendem o governo e o PT sem ganhar tais “incentivos”, fazem por ideologia.”

            A quantidade de propaganda é irrelevante. O que importa é o PREÇO pago pela propaganda, coisa que vc convenientemente ignora em seu “raciocínio”. Assim, o que importa é a razão entre o valor da propaganda e a audiência dos blogs “sujos”, e se vc quer realmente argumentar, terá que checar essa razão. Se vc não a conhece, vc não tem opinião, mas um achismo tendencioso, uma desculpa esfarrapada pra condenar os blogs “sujos” que vc já condenou a priori por não compartilharem da sua “verdade”.

            “Os sequestradores tiveram como advogado de defesa Luiz Eduardo Greenhalgh, e sobre o sequestro, alegavam motivações políticas – no caso, queriam dar um golpe de estado num país da América Latina, não lembro o nome agora.”

            E o que é que isso tem a ver com o problema? O fato de serem defendidos por um advogado petista é razão pra dizer que eles tinham alguma ligação com o PT? Afinal, eles foram ATIRADOS nos braços do PT pela imprensa sem vergonha e nada mais natural do que alguém ligado ao PT os defender pra garantir que ainda mais abusos fossem cometidos.

            E quanto ao fato de serem revolucionários? Como, exatamente, isso “prova” que tinham alguma relação com o PT? É o mesmo que dizer que como o branco de seus olhos eram iguais, eles tinham alguma relação com você, oras!

  • A essencia da ação do Estado Brasileiro sempre se pautou pela repressão às classes consideradas perigosas,para a manutenção dos privilegios de uma classe dominante francamente desvinculada dos interesses e dos destinos do pais.Em que pese as ações do governo Lula e esse é o verdadeiro calcanhar de Aquiles da politica progressista,ou seja,apesar de todos os esforços de Lula no intuito de construir um caminho para uma sociedade menos brutalmente desigual,ele não conseguiu desarmar o mecanismo de acionamento da bomba da reação direitista e essa bomba uma vez acionada pode causar danos extremamente catastroficos e permanentes à cidadania e essa bomba se chama PIG e enquanto essa bomba não for desarmada ou pelo menos neutralizada,os riscos de golpe contra governos progressistas e portanto os riscos de retrocessos violentos sempre são possiveis.Não adianta dizer que o ¨povo sairia nas ruas caso isso acontecesse,na defesa de seus direitos¨,porque isso é bobagem,porque se acontecesse de haver um retrocesso violento nas conquistas havidas nos ultimos nove,dez anos,certamente o povo não sairia às ruas,como não saiu na defesa de Jango Goulart em 64 e tambem em muitas outras ocasiões em que os destinos do povo esteve em jogo.Até mesmo se houvesse um golpe contra o governo Dilma,haveria pouca ou nenhuma resistencia,essa é a verdade.Eu não sou otimista e mesmo porque não tenho obrigação de ser otimista.Se não houve golpe que lograsse exito no governo Lula foi por uma unica razão:os golpistas,são pessimos,seus porta vozes,mediocres,felizmente.Mas fosse um Carlos Lacerda seguido por um Golbery da vida e o governo Lula ja faria parte do rol de governos que foram interrompidos por um golpe de estado.Enquanto isso Dilma vai em festa de jornal golpista e em programa de emissora de televisão golpista.Em outras palavras,adora contemporizar com o inimigo.E isso pode ser fatal.

    • E enquanto isso nada de lei para conter a sanha golpista da midia canalha,ou seja, um marco regulatorio das comuncações.Mas tambem queriam o que com um petista de coração tucano,como Paulo Bernardo,no comando do MiniCom?PEDE PRA SAIR,HIBERNARDO.

      • Luis CPPrudente

        Cadê a Ley de Medios?

  • Bruce Guimarães

    Sem sobra de dúvidas as Universidades funcionam como um trampolim social. Há anos que várias gerações de pobres vêm conseguindo melhorar de vida através dela. Acho interessante a dicurssão de cotas para pobres, oriundos de ensino básico público. Cota para cor de pele eu acho uma aberração sem tamanho, é racismo da pior qualidade.

    Num país tão desigual, a educação é o principal canal para o pobre subir de vida. O perigo mora na qualidade do aluno que entra nas universidades. Levando para minha área, é muito difícil um aluno que não teve uma base de Matemática, Física e Quimica levar um curso de Engenharia por exemplo. Pode até conseguir em outras àreas, como a humanas. Mas, como o Brasil precisa mesmo é de engenheiros, enquanto não ensinarmos Matemática de qualidade na base, política desse jeito não funcionará.

    Ainda não vi um trabalho sério sobre uma análise do rendimento dos alunos cotistas. Falam que no geral é bom, mas vá saber. Queria ver um estudo desse tipo nas engenharias, duvido que alunos sem base irão dar bem nesse cursos.

    Existe uma maneira muito simples de resolver essa questão, melhorando o ensino de base. Melhorando o ensino que damos às crianças e adolecentes elas chegariam preparadas para disputar vagas com todos. O que o país vai fazer agora é um remendo muito do mal feito.

    • eduguim

      Bem, agora caiu a máscara dos anti-cotistas, pois atacam os dois tipos de cotas. Basta ler os jornais de hoje

    • Sávio Valença

      Já vi muito direitóide dar esta desculpa de que apoia cotas, mas de pobres. No fundo eles não querem cota alguma.

      É obvio que o ensino fundamental teria que melhorar e ser acessível a todos, com educação pública de qualidade, mas isto não se constrói assim do dia para a noite, até porque são questões de competências diferentes. A união só cuida das universidades federais, que ainda possuem um bom ensino. Sou formado em engenharia mecânica pela UFPE, tive um bom ensino lá. Bons professores com bons conteúdos.

      Apoio as cotas para negros por uma razão muito importante, o negro sofre discriminação psicológica, ou seja, sua identidade é deturpada e existe uma frustração imposta pelo racimo. Por isso, o racismo tem que ser combatido também por cotas afirmativas, e a cota para negros força este combate e separa os conservadores e os racistas dos que querem o fim dos preconceitos. Ou seja, um negro pobre ainda está em bem mais desvantagem do que um branco pobre. Então, o STF, acertadamente, utilizando do princípio da igualdade relativo instituído por Aristóteles, aprovou isto e sepultou qualquer tentativa de golpe contra um princípio constitucional tão valioso.

      • eduguim

        Conversa, agora estão atacando os dois tipos de cotas. Sempre foi conversa. Quem tem memória está vendo

      • Bruce Guimarães

        Já vi muito esquerdista defendendo cotas com esse argumento de que melhorar o ensino de base é medida a longo prazo. Então, posso pensar que quando a Dilma asssinar a lei das cotas o problema de desigualdade estará resolvido. O que não é verdade, a política de cotas que vai demorar dar resultado. O resultado eleitoral talvez seje imediato.

        De fato, é uma medida de longo praz investir em educação básicao, mas não tem jeito, esse é a saída. Qualquer outra coisa é remendo, que na minha opinião é mal feito. E se não começar logo, só fica tarde.

        Vejo também, muito pestista tirando o corpo fora da educação de base, dado que é uma “responsabilidade” dos Estados e Municipios. Esquecem, que a situação financeira da grande maioria dos Estados são péssimas e a se a União não chegar junto, nunca melhoraremos o ensino básico.

        Sou contra as cotas raciais, pois penso que as pessoas não podem ter previlégios por sua cor. Com esse papo de “descriminação psicológica”, se é que eu entendi o que é isso, podemos usar para qualquer outra classe que venha sofrer essa tal de discriminação.

        • eduguim

          Imaginar que basta assinar uma política que já vige há quase uma década para a desigualdade desaparecer gera uma premissa que dá vergonha alheia. Que pessoa boa das faculdades mentais formularia tal imbecilidade? Como discutir com alguém que escreve isso? Resposta: não dá para discutir com alguém nesse estado de miséria mental

          • Bruce Guimarães

            Me refiro a PLC 180/08 aprovada essa semana no senado, encaminhada para Dilma sancionar. A qual lei você se refere???

        • João Paulo

          Veja sr. Bruce Guimarães, malgrado nossas diferenças ideológicas foi encontrado um denominador comum entre uma opinião sua e uma minha quando disse:

          ”Vejo também, muito pestista tirando o corpo fora da educação de base, dado que é uma “responsabilidade” dos Estados e Municipios. Esquecem, que a situação financeira da grande maioria dos Estados são péssimas e a se a União não chegar junto, nunca melhoraremos o ensino básico”.

          Sempre defendi a federalização da Educação Básica, total ou parcial. A total seria a União se responsabilizar por toda a nossa remuneração. Parcial, seria se a União nos pagasse as gratificações e os Estados e municípios o parte fixa, pois só assim a Lei 11.738, seria cumprida em sua inteireza.

          Discordo, contudo, do emprego da palavra pestista em vez de petista.

        • Sávio Valença

          Bem, cada um pensa o que acha melhor, por isso que eu digo que: ainda bem que vc e os racistas fazem parte dos 4% do eleitorado.

    • Anderson

      Sim, é importante melhorar o ensino público como um todo para o aluno de escola pública poder disputar a vaga na faculdade pública em pé de igualdade.

      Enquanto isso não acontece apoio as cotas. Quem nasceu preto e pobre e concluiu os estudos na escola pública atual não pode simplesmente ser abandonado, as cotas são necessárias enquanto ainda existir o estereótipo preto = pobre = bandido, e realmente é necessário que a nossa sociedade tente se redimir do abandono que os negros sofreram após a escravatura.

      O problema dos negros é histórico, quando houve a abolição da escravatura os fazendeiros não quiseram contratar negros, preferiram trazer brancos europeus, desde então preto sempre foi cidadão de segunda classe, e isso ficou enraizado na nossa cultura, as cotas são uma ferramenta para mudar isso de uma vez por todas.

      • Maria Libia

        Sabe o que eu não entendo? A Alemanha, por causa da morte de milhões de judeus, paga a seus descendentes valores vários até que esses descendentes venham a falecer. O negro trabalhou 300 anos, como escravos, para o Brasil ser o que é hoje. Por que os negros não cobram estes 300 anos de trabalho escravo?

        • Carlos Lenin Dias

          …o mundo branco escravocrata viria à baixo;fica quieta…pra umas cotas,c/ decisão do STF,já é uma gritaria,’magina indenização!?

          • Awol55

            Se for para entrar nessa ciranda historica entao os judeus tambem deveriam receber indenizacao dos egipicios e todos os paises que jah foram colonias deveriam receber indenizacoes de suas ex-metropoles.

    • Miguel Oliveira

      Não se pode generalizar. Tem muita gente bem formada em escolas públicas e muita gente mal formada em escolas particulares, do mesmo jeito que tem negros, brancos , amarelos e vermelhos bem e mal formados. E já se falou várias vezes que os testes comprovam esta afirmação. Então, dizer que alunos de cotas não têm base é puro preconceito.

  • Sebastião

    Minhas considerações a respeito do post:

    1- Índice GINI:
    O índice Gini é um número importante quando se analisa a economia de um país, mas só ele diz muito pouco no contexto geral da economia. O índice Gini obviamente está relacionado a igualdade social mas não diz se os mais pobres tem ou não uma boa renda per capta e boa qualidade de vida.
    Existem países que têm um bom índice Gini mas a pobreza é imensa. Significa só que têm pouquíssimos ricos e classes médias e uma imensa quantidade de pobres vivendo todos igualitariamente na mesma mer##.
    Já em outros países cujo índice Gini não é la grande coisa, há grandes desigualdades com muitos ricos, mas os mais pobres da base da pirâmide social tem uma boa renda per capita que garante o mínimo aceitável para se viver com conforto e dignidade.
    Na minha opinião seria muito mais importante ao invés do índice Gini, ter um outro índice que medisse pura e simplesmente a renda per capita dos 10% mais pobres da população.

    2 – PSDB
    Você diz no penúltimo parágrafo que o PSDB foi um dos que “impuseram ao Brasil uma ditadura militar que concentrou renda….”
    Isso obviamente não condiz com a verdade, visto que o partido é de “centro” e na época da ditadura militar ele nem existia. E seus principais membros fundadores foram na sua maioria perseguidos pela ditadura.

    3 – Educação
    Quanto à educação, os governos (não só federal mas os estaduais e municipais) pouco ou quase nada fizeram pra melhorar a qualidade do ensino público fundamental e de segundo grau para dar melhores condições aos alunos que cursam essas escolas para entrarem em uma universidade pública, sem ter que recorrer às cotas e sem ter que baixar o nível.
    Querem aumentar a quantidade de vagas nas universidades e dar mais chances aos mais pobres sem resolver os problemas de base. Isto é como melhorar o telhado da casa sem antes reformar os alicerces e as colunas que estão caindo aos pedaços.

    • eduguim

      Está mal sua interpretação de texto. Releia o parágrafo que cita. O resto do seu comentário nem vale a pena comentar. É produto de total desconhecimento do assunto

    • Panambi

      Tião, acho que o Eduardo quis te dizer: “Dunga burro!”.

  • Roberto Pereira

    O único erro nesse texto é: ” espetáculo circense que TODOS estão vendo.”

    NINGUÉM está vendo o julgamento do mensalão, nem os juízes que dormem durantes as sessões. hahahaha

    Eu mesmo só volto lá quando começarem os votos de cada ministro.

    Tá vendo, Edu, quando vc manera um pouco na defesa do PT a qualquer preço, seus textos são muito bons.

  • mona

    Sinceramente, Eduardo, essa política de cota ampla e irrestrita, que deixa de ser cota porque o público atingido será metade das universidades, apenas trará a excelência do ensino universitário público para o nível atual das demais escolas públicas de nível fundamental e médio. Ou seja, um maior acesso ao ensino superior, para os pobres pardos, índios e negros. É uma mudança e tanto de paradigma, mas a que custo? Ao ínvés de elevar o nível na base, vai ser rebaixado o nível do alto.
    Você fala que os cotistas atuais dão uma boa resposta, quando postos a competir com o restante; mas, os futuros cotistas vão competir com quem? Eles mesmo? A esse respeito a coluna de hoje do Helio Shwartsman está bastante elucidativa. Quem se interessa por seus argumentos, vai o link:

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/1134590-populismo-universitario.shtml

    Com o rebaixamento do nível do ensino universitário, sobrará o quê? Aqueles que podem, vão colocar seus filhos nas melhores faculdades pagas, as quais formarão a elite da intelectualidade. Aliás, faculdades particulares com cursos mais complexos irão se multiplicar, justamente com base nessa propaganda de excelência; imagine quem terá as maiores chances no mercado – que está ficando mais exigente, importando técnicos de outros países; imagine quem vai compor a elite do funcionalismo público; as vagas de residências dos hospitais…

    A conferir, meu caro!

    • eduguim

      Esse artigo é justamente o que gerou este. Pelo visto você não tem o menor conhecimento sobre o assunto e, pior, nem leu meu texto. Dá tristeza um comentário como este. A pessoa que comenta um texto que não leu padece de mediocridade intelectual extrema.

      • Jurgen

        Parabéns pelo texto grande Edu. Se o sujeito acima leu, é disléxico.

        abraço

        ps: Sou brasileiro branco: Alemão com pitadas de indiano e portuga. 😉

      • Alyda

        Bravo, Edu! Mais um bom texto de quem tem sempre a mente e os olhos bem abertos e não sofre da síndrome do vira-lata alimentada justamente pelos preconceitos dos que são contra as cotas. Comentou bem o José do Ceará.

      • mona

        Como não li o seu texto, meu caro?
        O cerne dele, o argumento central, é que aqueles que têm receio do prejuízo acadêmico não estão considerando os resultados obtidos pelos cotistas existentes frente aos não-cotistas. Não estão considerando que eles têm resultado igual ou melhor aos não-cotistas, sejam cotistas pelo critério raça, seja pelo critério social. Esses são os fatos atuais nos quais vc se apóia para enaltecer essa ação afirmativa.

        O que estou contrapondo, e usando como realce o texto do Helio, é que, com a destinação de 50% das vagas das universidades públicas para os egressos das escolas públicas, simplesmente o fator competição – que é um dos que provocam o aumento de rendimento dos cotistas – simplesmente não acontecerá, porque a grande maioria será cotista. Daí , o nivelamento da educação se dará por baixo, com a qualidade do ensino superior público se tornando igual à qualidade dos ensinos fundamentais e médios públicos.

        E acontecerá justamente o que acontece hoje em dia nesses setores: qualquer família que tenha um grãozinho de $ sobrando coloca seus filhos em escolas particulares; qualquer família que tiver esse mesmo grãozinho de $ sobrando colocará seus filhos em faculdades particulares. A dinâmica será a mesminha. E aquilo que hoje já é ruim, ficará pior… Enquanto isso, o país continuará a importar engenheiros, os médicos continuarão a vir dos estartos mais abastados da população; a maior parte dos formados em direito continuará a ser reprovada nos exames da Ordem; os que ocuparão os cargos das carreiras de elite do funcionalismo público (notadamente as carreira típicas de Estado) continuarão da vir das faculdades particulares de ponta ou de bolsões de excelência do ensino público como os Colégios Militares (tentem colocar seus filhso em um, para saberem o que é competição…). O resto… ah, o resto: mediocridade total! Mas, beleza! Socializaremos o ENSINO SUPERIOR ao máximo e poderemos dizer dele o mesmo que dizemos do SUS: temos um sistema de universalização da educação e da saúde que são exemplares para o mundo. Se nosso país continua medíocre, se a população continua acriticamente a perceber a realidade, sem poder ter como interpretá-la e sendo massa de manobra para qualquer salvador da pátria, com o seu discurso redentor, melhor para aqueles que fazem da política apenas o seu ganha-pão.

      • Antenor

        Parabéns, Edu.
        O sujeito acima aparenta ser extremamente disléxico!!! De uma coisa eu tenho certeza: Ele não está interessado em que haja cotas simplesmente porque não está ao seu alcance!!

  • José do Ceará

    Eduardo, Há uma revolução silenciosa no Brasil Profundo, Aquele Brasil dos rincões,Vários programas governamentais chegaram até essas populações até pouco tempo invisíveis ao poder público.O Programa Luz para todos universalizou a energia elétrica, modificando comunidades inteiras, antes isoladas.O Bolsa-familia distribui a renda de maneira capilar.As escolas técnicas,agora, estão ,também, nas cidades médias.As Universidades estão, também, mais próximas das familias que não podiam deslocar seus filhos para as capitais.Lula criou 14 e a dilma está implantando mais 04 Novas Universidades.Cada pólo deste, onde há uma nova Universidade, modifica-se para melhor rapidamente pelo intenso fluxo de alunos e dos serviços demandados.As antigas populações, anteriormene, invisíveis ao poder público, agora, são caçadas pelo MDS(ministério do desenvolvimento social através de um cadastro mais novo e confiável) . O Mapeamento da pobreza brasileira está concluído e esta será ,paultinamente, diminuída. O Consórcio do satanás (psdb+DEMo+pig) não enxerga tais ações e continuará sendo derrotado em eleições presidenciais. Com as recém medidas de estímulo ao crescimento econômico tomadas pela equipe econômica (Concessões) ,mais investimentos serão feitos,aumentando a produtividade e o crescimento.As obras de mobilidade urbana tangidas pela copa do Mundo serão um importante trunfo político parfa 2014. A população das grandes cidades perceberá rapidamente todas essas intervenções.É Dilma 2014, sem medo de ser feliz,de novo !

  • Bob Jr.

    “No início, há quase uma década, quando o governo Lula trouxe para o Brasil a política afirmativa de inspiração norte-americana que criou uma classe média negra nos Estados Unidos, a elite branca do Sul e do Sudeste reagiu com ira e passou a propagar “criações mentais” (expressão em alta) sobre “prejuízo acadêmico”.”

    É curioso como a elite do Sul e Sudeste idolatra os EUA, mas desconhecem completamente a história e o processo de formação daquele país.

    O mais engraçado é ver as reações deles quando confrontados como certos fatos, como as cotas raciais e food stamps, que eles simplesmente desconhecem, ou fazem de conta que não existem.

    Lembro de uma vez, testemunhando um momento de fúria de um classe média “wannabe elite”, numa terrível diatribe contra o MST e endeusamento dos grandes latifundiários, achando um absurdo distribuir terras aos pobres. Eu ouvi atentamente, até que ele afirmou que os EUA eram exemplo pela agicultura pujante. Aí não aguentem e perguntei:

    – Você sabe como funcionam as propriedades agrícolas do meio-oeste dos EUA? Sabe como elas foram formadas? Sabe como são administradas?

    O cara obviamente não sabia. Perguntei de novo:

    – Sabe quem é o rei do gado dos EUA? Sabe quem é o Olacyr de Moraes (ex-rei da soja) dos EUA?

    Resposta negativa de novo. Aí expliquei que esses conceitos não existem lá, que a maioir parte da agricultura é altamente mecanizada e FAMILIAR e que essas famílias receberam essas terras DE GRAÇA na segunda metade do século XIX, com a obrigação de fazerem melhorias e produzir. A maioria das famílias era de imigrantes alemães, do leste europeu, veteranos da guerra civil, alguns negros libertos, além de muitos irlandeses, que vieram para os EUA praticamente só com a roupa do corpo (isso sem falar na corrida de terras de Oklahoma, em que quem chegasse primeiro, pegava um lote….); muitas dessas terras ainda são das mesmas famílias até hoje.

    Bom, o cara deu uma “travada”, ficou um tempinho digerindo a informação… aí resolveu elogiar e perguntar porque não fizeram isso aqui também. Disse que teve um cara que até tentou esboçar intenção de fazer isso, um tal de João Goulart (que era um grande latifundiário tb), mas disseram que ele era um comunista por querer isso e o resto da história todo mundo sabe.

    Outra “travada” por alguns segundos… E o asunto mudou para a rodada do Brasileirão…

  • José do Ceará

    Para combater PIG, só o PAC e INVESTIMENTOS :

    Siderúrgica Latino-Americana (Silat)do Pecém-CE Licença prévia

    Coema emitirá parecer na terça-feira

    10.08.2012

    O Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) vai apreciar, na próxima terça-feira (14), em sessão extraordinária o processo referente à Licença Prévia (LP) da a Siderúrgica Latino-Americana (Silat). Caso haja parecer favorável por parte do conselho, a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) irá emitir a licença em um prazo de aproximadamente 14 dias, quando o documento será publicado no Diário Oficial do Estado.

    A Licença Prévia não permite que seja realizada nenhuma modificação no terreno que abrigará o empreendimento. O documento apenas aprova a concepção e localização do projeto.

    Após a LP, a Semace irá encaminhar aos empreendedores as condicionantes, exigindo informações extras, que devem ser respondidas para que possa ser então emitida então a Licença de Instalação (LI), permitindo o início das obras.

    A Siderúrgica Latino-Americana pertence ao grupo espanhol Hierros Añon e será instalada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp).

    OBS: Além desta,será instalada, no mesmo CIPP, uma outra LAMINADORA (AÇO CEARENSE)que receberão os insumos da Companhia siderúrgica do Pecém -CSP. O pólo metal mecânico cearense ficará consolidado Óitma noticia para a economia Cearense. Péssima noticia para DEMonios e tucanoides…

  • Maldoror

    Vou deixar um contraponto “contracorrente”… Abaixar o coeficiente GINI, per si, não quer dizer absolutamente nada. O importante é analise de como se abaixou o coeficiente. No caso brasileiro, através de políticas públicas de cunho redistributivo. Existem inúmeras pesquisas científicas espalhadas pelo mundo que apontam sempre no mesmo sentido: funcionam no curto prazo, mas puxam a economia e o desenvolvimento para baixo no longo prazo.

    A tática de “dar o peixe”, eficaz no curto-prazo, só funciona no longo prazo se além de dar o peixe, ensinarmos a pescar. E isso infelizmente não está sendo feito na escala apropriada para aproveitar o período de melhora que políticas redistributivas proporcionam no curto prazo.

    É preciso fazer com que o policytaker das políticas redistributivas ingresse na cadeia produtiva e se movimente dentro dela.

    A política de cotas é outro exemplo de política pública redistributiva mal feita. Surge para resolver o problema da desigualdade no acesso ao ensino superior público e o faz, eminentemente, partindo do pressuposto de que a desigualdade de acesso no ensino superior se dá por falta de cota, o que está MUITO LONGE de ser verdade. Vai funcionar? Desde que se combata as causas que geram o problema da diferença de acesso: ensino público básico e fundamental deficiente, professores mal remunerados, mal preparados e mal formados, escolas decadentes e sem condições físicas, alunos vítimas de violência doméstica, de fome e outros problemas básicos além de outros diversos.

    Propaga-se como grande feito do atual governo a expansão das Federais e IFES e o resultado está aí: ensino superior sucateado, todo mundo em greve, IFES repletos de vagas ociosas enquanto enche os bolsos do empresariado com FIES, Prouni e Nossa Bolsa.

    É um avanço? Sim! Porque no modelo anterior, o lugar do pobre era no ensino técnico profissionalizante. Agora ele tem acesso ao ensino superior, ainda que, a grande maioria, seja no provado e de baixa qualidade. Mas acredito que seja preciso rever o modelo de politicas redistributivas descasados de outras políticas públicas que realmente combatam as causas que geram os problemas públicos, fazendo com que, após alguns anos, os problemas sejam resolvidos e as políticas redistributivas acabem por terem atingido seu objetivo.

    Não há que perdurar um modelo perpétuo de cotas como o americano, pois isso é um atestato de que não se pretende fazer nada para dar qualidade de ponta ao ensino público básico e fundamental.

    • eduguim

      Parei de ler no primeiro parágrafo. Considerar que distribuição de renda é ruim no 12o país mais desigual do mundo e que antes de Lula era o sexto, após ter sido o quarto e até o terceiro, seria alvo de chacota em qualquer conversa com quem entende de estatísticas sociais. Converse com alguém do IBGE, do IPEA, do Banco Mundial, da ONU e depois conversamos. Assim, sem você entender nada do assunto, não dá pra passar do comecinho do texto. Depois que se informar leio o resto do que escreveu. Não dá para perder tempo com todo desinformado que passa por aqui, Não tenho como repôr em uma resposta tudo que você perdeu em termos de informação. PS: todas essas opiniões que proferi foram referendadas por Marcio Pochmann, ex presidente do IPEA, quando o entrevistei há alguns poucos dias.

      • Ricardo

        “A pessoa que comenta um texto que não leu padece de mediocridade intelectual extrema.”

      • Maldoror

        Não é ruim ou boa… É ruim quando é feita para minimizar estatísticas negativas sem combater as causas que geraram o problema. É boa quando é feita de forma casada com outras políticas que ajudem a erradicar os problemas.

  • José do Ceará

    Minha Casa, Minha vida abre licitação para mais 1.000 Casas em Fortaleza-CE (10.08.2012)

    Foi aberta a licitação para a construção de mil unidades habitacionais no bairro Cais do Porto, pelo programa federal Minha Casa, Minha Vida. De acordo com a Prefeitura de Fortaleza, cada uma dessas casas populares irá beneficiar uma família que mora em uma área de risco localizada no entorno do Farol do Mucuripe.
    A construção dessas residências e o reassentamento dos moradores dentro do próprio bairro fazem parte do projeto Aldeia da Praia de requalificação urbana do Titanzinho e Serviluz. De acordo com a coordenadora do programa, Romana Siqueira, o conjunto habitacional terá quadras poliesportivas, praças, centro de convivência e playground. “Se todos os prazos do trâmite licitatório forem cumpridos (avaliação da comissão licitatória, análise da caixa, além dos dias para recurso), a previsão é de que a obra tenha início já em outubro”, disse ela.
    A reforma do Farol também faz parte do projeto, que contempla, ainda, abrir uma via de 1,7 km na orla no Cais do Porto, com regularização fundiária para os imóveis da região. Segundo a coordenadora do Aldeia da Praia, ainda neste ano deverá ter início a construção da via. “A licitação das obras da avenida Beira-Mar do Cais do Porto deverá começar em outubro”, estimou.
    Beira-Mar
    Além da construção das casas, o projeto prevê uma outra licitação, para substituir os barracos localizados na área de risco por um Jardim da Praia, com praça paisagística e espaço de lazer para prática de esporte. “Essa outra licitação deve sair em um prazo máximo de um ano, porque é preciso aguardar a remoção dessas famílias para o conjunto habitacional que será erguido”, contou Romana.
    Conforme a Prefeitura, o investimento do Programa Aldeia da Praia é de mais de R$ 85 milhões, sendo R$ 24 milhões destinados à urbanização do Titanzinho e do Serviluz e mais de R$ 61 milhões a serem investidos na área de habitação. Os recursos estão garantidos e são oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2, em uma parceria da Prefeitura com o Governo Federal.
    OBS: Os beneficiários destas unidades são familias de baixíssima renda,diinuindo a desigualdade sócio-econômica existente.Bem diferente do que aconteceu no Pinheirinho…

  • Francisco Ribeiro da Silva Neto

    Essa porcaria de raça é conceito, provavelmente sem definição, que não resiste a escrutínio científico. Só imbecis, desculpem a ênfase, assumem a existência de raça. Os seres humanos são diferentes pela unidade que cada um representa, mas isso não autoriza falar-se em raça. Querem melhorar a educação, melhorem a educação básica, que seria a melhor distribuição de renda desse país, como reconhece o Filósofo Safatle. E continuem investindo no terceiro grau. Bom, basta.

    • eduguim

      A educação básica não irá melhorar de verdade enquanto rico puder pagar escola para os filhos. Se escolas públicas fossem proibidas do dia para a noite, em poucos meses o ensino público no Brasil se tornaria de primeiro mundo. Você manda que melhorem a educação básica. “Melhorem” quem, cara-pálida? Quem é responsável direto pelo ensino fundamental são estados e municípios. Aqui em São Paulo, quando se fala de melhorar o salário do professor o Serra e o Kassab mandam espancar professores em praça pública. As cotas, portanto, terão um papel excepcional: a escola pública terá que melhorar porque já não restam tantas vagas assim para quem tem mais dinheiro e só porque tem mais dinheiro. Podem usar a desonestidade intelectual que quiserem, graças a Deus o país não está mais na mão da direita e por mais que se recusem a admitir vão ter que ao menos engolir políticas afirmativas que deram certo onde foram criadas e que aqui também darão certo. Na marra.

      • Francisco Ribeiro da Silva Neto

        São Paulo não é Brasil. Apelando para o exemplo, como o faz, cara pálida, o Piauí, estado pobre, tem 13 escolas públicas modelo para o Brasil. 15% do Orçamento da União também ajudariam e não quebraria nosso País, como afirma Mantega, contestado pelo filósofo Safatle. Não esqueça da expansão de escolas federais, de aplicação e militares. Mais fatos e menos arte. Esse negócio de raça é que não cola. “Mais fatos e menos arte”, como diria a rainha-mãe de Hamlet. Sou cearense, brasileiro, amo nosso país e prefiro ouvir Miguel Nicolelis quando afirma que, se as autoridades quisessem, mudar-se-ia, para patamares superiores, a educação desse país. Pasme: em uma geração. Veja a experiência conduzida nos arredores do Centro Internacional de Neurociências de Natal e em um município baiano que ora não me ocorre. Grato por abrir debate democrático, dispensando pingue-pongue ridículo da última palavra. Deixe assente a palavra de cada um e a reflexão por conta dos seus leitores. Em tempo: não tenho bico grande. Mais uma vez, grato.

        • Francisco Ribeiro da Silva Neto

          Informação adicional: comecei a trabalhar aos treze anos, vendendo ovos. Aos quinze anos, incompletos, comecei a trabalhar com carteira assinado e descontando para previdência. Pela minha mãe, fui alfabetizado. Daí até o segundo grau, cursei escola pública. Pardo, sem precisar declará-lo, entrei para a UFC, pela porta da frente, do vestibular, sem precisar de cursinho, para o Curso de Comunicação Social, em 1970.. Ao aposentar-me, mais uma vez, também por vestibular, comecei a fazer bacharelado em Matemática, pela mesma Universidade. No próximo ano, devo fazer ENEN, para novo curso, Matemática Industrial ou Direito, sem utilizar sistema de cotas. Portanto, nada contra políticas de inclusão, desde que não atentem contra princípio constitucional: “todos são iguais… (…)”.

          • Awol55

            Concordo com voce, Francisco!
            Meu pai, hoje com 73 anos (filho de um imigrante espanhol que chegou no Brasil praticamente com a roupa do corpo e tocou a vida trabalhando no porto e conseguiu abrir um pequeno comercio jah depois dos sessenta anos de idade, casado com uma brasileira neta de indios), estudou no melhor colegio da cidade de Santos na epoca em que cursou os antigos cursos primario-ginasial…nome do colegio: “Colegio Canada”. Colegio publico (estadual). Disputava o titulo de melhor colegio da cidade com um outro colegio estadual de nome “Escolastica Rosa”.
            Enfim, o ensino publico decaiu enormemente de qualidade e isso, a meu ver, foi o principal fator que acabou elitizando as universidades publicas, pois a partir dai apenas quem estuda em escola particular e faz cursinho consegue passar no vestibular de uma USP, UFRJ, UNICAMP, etc.
            Acho que o sistema de cotas soh vai acabar por decretar a falencia irreversivel do ensino fundamental e medio nas escolas publicas.
            A questao eh muito complexa…nao existe solucao facil para problemas dificieis. O governo estah tentando, mas acho que essa ainda nao eh a solucao nem proxima da ideal. Afinal, como ficam os estudantes de esolas publicas que sao brancos e pobres? Basta simplesmente ignora-los?
            Complicado…

  • Acho engraçado que costumam falar que as cotas para negros é discriminação contra os negros. Eu também Só que não falam alguns detalhes sobre essas cotas: o negro não é obrigado a fazer o vestibular nessas cotas, ele pode, se achar que é discriminado, fazer o vestibular nas cotas normais, ou seja, a lei não obriga o negro a se discriminar, ele faz se assim achar melhor. Embora, acho que todos os negros deveriam impor e fazer valer o direito pra mostrar que não tem vergonha de se assumir como negro, ou seja, isso pode passar sendo uma esperteza, dos chamados brancos, para manter os negros afastados ao fazerem se sentirem inferiores. Será que os negros irão se sentir envergonhados ao se assumirem como negros e abrir mãos dos seus direitos ????? Eu não abriria mão e não vejo motivo para que abram!!!!!

  • renato arthur

    O discurso do Collor em 10/08 é assunto obrigatório e deve receber atenção de todos od verdadeiros democratas com o que está ocorrendo hoje no país. Desmascara essa Máfia Veja-Cachoeira e seu associado mor o procurador da república que se tornou um escândalo nacional, e que se omite e não responde as indagações do Senador. Collor p/ mim você é mais grata surpresa desse Senado.

  • Carlos.
  • Emília

    O QUE ESSAS PRAGAS RUINS QUEREM É VOLTAR AO TEMPO DA ESCRAVIDÃO, MAS A FARRA DOS SENHORES DE ENGENHO ACABOU, AGORA CHEGOU A VEZ DA SENZALA.

  • Solange Alves Pinto

    As cotas existem, faz muiiiiiito tempo. Só que as cotas eram econômicas, ou seja, quem tinha dinheiro para pagar melhores escolas e ou cursinhos preparatórios disputavam as vagas em boas universidades. Bem… Até então ninguém reclamava de nada.
    Hoje, quando se discute cotas para afro descendente, indígenas e alunos de escolas públicas aí a coisa muda. Como cotas? Eles não podem ter cotas, afirmam alguns!
    Ora… Agora tá de bom tamanho 50% ainda ficou para os que podem pagar escolas e os outros 50% para as” minorias”. Na verdade não acho que deveria haver escola melhores ou piores segundo classes sociais, mas, enquanto existirem essas desigualdades na educação, então, defendo as cotas!

  • Esse post vai direto ao ponto: a elite brasileira não suporta dividir seu bem estar com os pobres.

    De fato, os ricos ficaram mais ricos na última década. O governo Lula inclusive protegeu a indústria nacional da crise avassaladora que ocorreu – e continua – nos EUA. Isso salvou da falência muitos empresários que odeiam Lula e acham que negros têm que usar elevador de serviço.

    Só que agora os ricos não estão mais sós. Se para os ricos a década foi boa, para os pobres tambem foi. Há pessoas humildes nos aeroportos. Há pobres nos cursos de inglês. E uma parte da elite não suporta isso. Uma parte da elite adora “exclusividade”.

    ‘exclusividade” ==> TECLA SAP ==> esclusão

    Não foi à toa que o Dem entrou na Justiça contra o ProUni. A elite branca odeia que seu filho ou filha se sente ao lado de um(a) afrodescendente na sala de aula.

    Não é à toa que os demotucanos sejam contra a reserva de 50% das vagas nas universidades para escolas públicas. Eles acham que Educação deve ser privilégio de ricos. FHC não construiu NENHUMA universidade federal e NENHUMA escola pública federal.

    Dirceu e Genoino são representantes de uma atitude de inclusão dos pobres.
    Serra, Cachoeira, FHC, Daniel Dantas, Paulo Preto, Civita, etc, representam o outro lado, o lado da elite racista e egoísta.

  • erich tavares

    A eterna ‘Luta de Classes’ é a versão da esquerda burra para o ‘Porque Deus quis’ da direita ignorante. justifica tudo , mas não explica nada. Vcs se deturparam tanto com o passar dos anos que hj acham que Sarney, Maluf e Collor são bastiões da moralidade e da justiça. Eu fui na rua pedir a cabeça do Collor – o homem do confisco da Poupança!!!, eu vivi os 6 anos de Sarney de economia estagnada e inflação de 50% ao mês e dos planos econômicos eleitoreiros Cruzado, Cruzado2, Verão e eu sou de SP e conheço bem o que o Maluf faz – ROUBA, pq é isso ladrão faz.. Aonde é que esse mundo foi parar?

    • eduguim

      Além de insultar quem pensa diferente e mentir como doido, você não disse nada.

      • erich tavares

        1) qual a mentira? errei ao falar da biografia do maluf, sarney e collor? 2) vc defende a cota pela luta de classes, portanto não explica nada. seu discurso é brancos ricos x negros pobres. vc não discute a raiz do problema, (educação básica ruim e falha e como supera-la). e vc não o faz pq sabe que todos os governos (inclusive o seu) falharam nesta questão da educação basica. todos negligenciaram o futuro de milhões de crianças e jovens, pq não sabem ou não querem encarar o problema. Pq o IDH do Brasil não sobe? pq a educação não evolui. se eu sou ‘mentiroso’, vc é o que?

        • eduguim

          E daí, a biografia desses políticos? A sua quadrilha criou Collor, criou Maluf, criou Sarney e agora os usa contra o PT. Vá ver quem está do outro lado. Maluf, até ontem, estava no colo de Serra e Alckmin e gente como você não dizia um A – caras-de-pau. Eles, hoje, integram partidos aliados do governo porque o PT fez uma aliança de centro-esquerda. Não há aliança com Collor, há aliança com o PTB; não há aliança com Maluf, há aliança com o PP; não há aliança com Sarney, há aliança com o PMDB. Eu não expliquei nada além da luta de classes?!! Ah é, é? Mas vai ser cara-de-pau assim lá na Alemanha nazista. Quer dizer que a pobreza e a desigualdade no Brasil são pura invenção minha, é? Fala o que da educação básica? Que é ruim? Quem administra as escolas públicas, seu cara-de-pau? São o Estado e o município. E não melhoram porque não há interesse. E se formos esperar melhorar a escola pública, só teremos negros nas universidades daqui a décadas. É mel na chupeta pra os racistas que querem só os filhinhos loirinhos sem pretos ao lado. Perdeu, nazista. Perdeu eleição. Seus filhinhos ou netinhos arianos vão ter que conviver com etnias que você abomina. Queira ou não. Quanto à escola pública, agora que a particular perdeu força haverá menos resistência da nomenklatura ariana para que receba investimentos, pois alguns acharão que vale mais pôr os filhos na escola pública e pagar cursos e dar bens culturais aos da escola privada. Só que a lei previu essa manobra estabelecendo um teto de renda para o egresso da escola pública e para o negro. Ou seja, acabou a festa, meu caro. Nossos netos viverão em um país de todos

          • erich tavares

            Depois sou eu quem ‘ofende’ os outros. 1) nunca votei em nenhum tucano, pq os tucanos sempre estiveram atrelados ao PFL, PTB, PDS/PP, etc, ou seja, a Arena, salvo engano, 90% dos seus aliados de hj. Biografia conta sim e muito. 2) Não sou racista e não sou nazista. e isso respondo de maneira bem educado e serena, apesar da sua acusação covarde e imatura, pois como vc não sabe meu pai, já falecido, era negro e índio do MS e minha mãe, viva, é do AC. lugares estes nada elitistas ou de ‘branquinhos/loirinhos’ como vc diz que eu, meus filhos e netos são. 3) queira ou não se a educação básica é responsabilidade somente dos estados e municípios, como vc cegamente acredita, por motivos óbvios: a) então pra que existe o MEC? dar diretriz apenas não é o papel do MEC, nem perca o seu tempo dando essa justificativa que não explica. sua retórica de universitário rebelde não funciona comigo. b) a maioria dos estados e municípios são de partidos aliados ao seu governo há mais de 10 anos, portanto em 10 anos muita coisa já era pra ser diferente. como vc já mostrou no seu gráfico de abertura, 10 anos são mais do que suficiente para mostrar mudanças significativas. mas não é o que o IDH mostra. então seu governo falhou duas vezes. (i) mostrando que não sabe trabalhar com sua base aliada e (ii) não provocou nenhum legado de longo prazo, pq se por teoria os pagamentos do bolsa família parassem agora a concentração de renda voltaria aos patamares do FHC. concentração de renda só diminui de verdade com o incremento da Educação (e educação é ensino fundamental, médio, superior e pós-graduação) e não com canetada.

            Posso ser muita coisa como qq ser humano, como vc de maneira atabalhoada e sem necessidade tentou fazer/adivinhar, mas Demagogo como vc eu não sou.

            E aí quem perdeu?

          • eduguim

            Ora, quem perdeu foi quem não conseguiu mais impedir a ascensão social no Brasil, ou seja, você. Ser do Acre ou ter ancestral negro não diz nada. Está cheio de afrodescendente que se julga ariano por não ter nascido com pele escura e traços de negro como produto de miscigenação. Conheço até gente com evidentes traços afro que é racista e se ofende se disser que ela tem esses traços. O MEC serve para balizar mesmo as relações da Educação no Brasil. Você já viu alguma escola administrada pelo MEC? Há escola regular federal? Não, são todas escolas estaduais e municipais. O resto é suposição sua.

    • Sobre a existência ou não da luta de classes, o milionário estadunidense Warren Buffett disse, recentemente:

      “Há uma guerra de classes, e a minha classe está vencendo”.

      De fato, nos EUA há cada vez mais pobres. Além disso, lá os pobres estão ficando MUITO pobres. Há quase 50 milhões de cidadãos estadunidenses recebendo o Bolsa-Família deles (3 refeições gratuitas diárias). Enquanto isso, os ricos estão ficando cada vez mais ricos. Eles estão fazendo o caminho inverso ao da América do Sul. A distribuição de renda lá está piorando aceleradamente.

      • Avelino

        Caro Locattelli
        É claro que não há lutas de classes, isso é invenção daquele alemão chamado Marx. Mas voltemos ao assunto, a mídia apoia tanto as cotas de hoje, quanto no passado, apoiou o fim da escravidão.Mas não existe luta de classes.Eheheheheh.
        Saudações

    • Almir

      Sarney, Maluf e Collor nunca foram “bastiões” do pensamento que pregamos, mas já dão algum sinal de evolução.

      Já vocês estão fossilizados pelo Consenso de Washington, e como tal, condenados à extinçao, igualzinho aos dinossauros.

  • O que está ocorrendo no Brasil é que a Educação básica, responsabilidade dos senhores governadores, vai de mal a pior. Por isso, além das cotas, o ideal seria FEDERALIZAR a Educação básica.

    O Governo Federal deveria ir “comprando” as escolas estaduais e convertendo-as em escolas federais. Os prédios, quase sempre, estão caindo aos pedaços devido ao descaso. Os de São Paulo, por exemplo, estão assim. Então seria preciso reformá-los, contratar professores com salários MUITO melhores do que os governadores pagam. Aí, sim, seria possível fazer um belo planejamento de dez ou vinte anos para recuperar a Educação.

    Nossa Educação está parecida com a dos EUA. Lá também, há três ou quatro escolas de nível superior de EXCELENTE qualidade, e o resto – inclusive a educação básica – está em franca decadência. É a Educação para poucos, só para os ricos.

  • ramiza

    “O fato é que escasseiam profissionais com curso superior no país apesar do forte aumento do número de universitários nos últimos anos.”
    ———————————————————————————
    Desculpe, mas essa frase se contradiz. O que faltam são profissionais formados pelas ciências exatas, tais como engenheiros. O aumento do número de universitários não quer dizer que procurem essas profissões, pois se alunos do ensino médio pago já têm algumas dificuldades em passar nas exatas, imaginem os oriundos da escola pública (a de hoje). É por isso que se vê a maioria dos cotistas cursando História, Sociologia, Geografia, Magistério, Psicologia, Jornalismo e similares. Não é por acaso que mesmo bancos e empresas de publicidade estejam preferindo empregar engenheiros do que os formados nas Humanas. A base de conhecimento é muitíssimo superior.
    Hoje mesmo saiu notícia dizendo que o ITA, exemplo de ensino de primeirissima qualificação, não está no sistema de cotas. Um dos motivos – ou o principal deles – é que não responde ao MEC e sim às FA.

    • eduguim

      Não há contradição alguma. Estude interpretação de textos

      • ramiza

        Você nem ‘interpretou’ o meu texto. Não respondeu nada. E é imaturo para sua idade ao não aceitar críticas e argumentar com serenidade, o que aliás, você pediu aos participantes não faz muito tempo. O que falta atualmente no mercado brasileiro são formados em ciências exatas, coisa que as cotas não estão cobrindo simplesmente porque os candidatos não têm conhecimento e base suficientes para acompanhar. Falha dos ensinos básico e médio. Se não reforçarem essas áreas teremos uma enxurrada de sociológos, psicólogos e quetais inundando o mercado brasileiro e irão todos ‘vender suco’.

  • Décio – Atibaia/SP

    Então, quer dizer que a gritaria conservadora contra as cotas, é por causa da injustiça com os brancos, ricos, de olhos azuis?
    Ah, bom, pensei que fosse, por causa da injustiça contra os pobres, brancos, de olhos azuis.

    • eduguim

      Os pobres, brancos de olhos azuis são a minoria da minoria da minoria da minoria da minoria dos brasileiros e nem são tão pobres quanto os mais pobres, que são negros. Enquanto você está preocupado com a minoria de pobres brancos, estou preocupado com a imensa, esmagadora, arrasadora maioria de pobres negros que sugere a beócios como você que o negro é inferior, já que tantos negros são pobres. Canalha!

    • José do Ceará

      Caro Décio, Qualquer pesquisa vai demonstrar, claramente, que a Pobreza brasileira está :

      ESPACIALMENTE: Em partes do Campo e na periferia dos grande centros urbanos

      ETNICAMENTE : Majoritariamente, entre negros e pardos

      Alguma dúvida disso ? Se vc fosse chefe do executivo, onde vc concentraria os recursos ?Como se sabe , a Estatística é uma ciencia auxiliar (ferramenta) importante para diagnosticar o problema.Fala sério, colega…

  • Osvaldo

    Prezado Eduardo,

    É como alguém já disse:

    A CASA GRANDE FICA AFLITA QUANDO A SENZALA APRENDE A LER.

    • João Paulo

      Disse bem prezado Osvaldo. Ressaquinha é uma pequena cidade no interior de Minas. Lá houve uma mobilização para se criar o Ginásio Estadual. Até então só os filhos da elite estudavam em Barbacena, no Colégio Crispim Jaques Bias Fortes, um colégio de elite da cidade. O Cônego Nélson Sousa (por influência de um frade franciscano holandês, o Frei Joakim Vankstern) trabalhou para a criação da escola. Logo as elites lançaram uma campanha contra. Disseram que era um assalto ao produtor rural pois privalo-ia da mão de obra masculina nos currais e lavouras e feminina nas cozinhas da casa grande. O projeto derrotou a campanha subreptícia que foi feita na Assembleia Legislativa. Encaminhado para a sanção, as forças conservadoras foram pressionar o governador e banqueiro Magalhães Pinto, que já havia decidido não sancionar a lei, QUANDO RECEBEU UM TELEGRAMA DE DOM OSCAR DE OLIVEIRA, ARCEBISPO DE MARIANA, DANDO-LHE UM ULTIMATUM. Assinou, Lei 3883, de 20 de dezembro de 1965. Marcou-se a instalação solene para o dia 10 de janeiro de 1966. No dia aprazado todos estavam à espera do Secretário de Educação Dr. Bonifácio José Tamm de Andrada, que não chegava. Telefonou-se-lhe, e o Secretário revelou que lhe haviam telefonado antes DIZENDO QUE NADA NEM NINGUÉM O ESPERAVA EM RESSAQUINHA. Ele saiu de Belo Horizonte, e instalou a escola à MEIA-NOITE MAIS QUATRO MINUTOS DO DIA 11 DE JANEIRO DE 1966.
      O padre desde essa época começou a ser perseguido, a ponto de muitos desses rapazes de elite se declararem ateus e vaiarem estrepitosamente o padre até dentro da escola, onde foi o primeiro diretor.
      Desgostoso, pediu a Dom Oscar transferência para outra paróquia. E Dom Oscar criou a paróquia de N.S.do Rosário de Alfredo Vasconcelos especialmente para o Cônego Nélson.

      DETALHE INTERESSANTE: O Cônego Nélson é o mesmo Padre Nélson imortalizado pelo Roberto Drummond em Hilda Furacão. Paulo Autran representou magistralmente o padre Nélson na minissérie.

  • José do Ceará

    Minha Casa , Minha vida faz mais contratações no Ceará- Dilma entregará .1.200 Unidades

    10.08.2012

    Expectativa é que a presidente Dilma Rousseff venha a Juazeiro do Norte(CE) entregar moradias do Minha Casa

    Maior programa de habitação popular do País, o Minha Casa Minha Vida (MCMV) começa, aos poucos, a dar sinais de avanço no Ceará, apesar de só ter contratado 14 mil unidades habitacionais (casas e apartamentos), das 22 mil unidades previstas na primeira fase do programa, no MCMV1, para as camadas sociais com renda entre zero e três salários mínimos. No Estado, a Caixa já iniciou o MCMV2, com 3.250 moradias populares contratadas, de um total de 39 mil habitações previstas para serem construídas até 2014.

    No MCMV1, a Caixa contratou no Ceará 15.323 moradias populares, com montante aplicado de cerca de R$ 650 milhões FOTO: KIKO SILVA

    Na próxima semana, mais precisamente no dia 15, a presidente Dilma Rousseff está sendo esperada no Ceará, para fazer a entrega de 1.200 residências do MCMV1, no município de Juazeiro do Norte. “Essas casas já estão prontas há algum tempo, só falta entregar”, confirmou ontem, o vice-presidente da Área Imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), André Montenegro, para quem o programa, agora, deverá deslanchar.

    Apoio estadual

    O otimismo vem do apoio financeiro anunciado pelo governo do Estado, que prometeu complementar com recursos do erário, os valores que ultrapassarem os R$ 56 mil, financiados pela Caixa, para um imóvel de 40m² a 43m², às pessoas com renda de até três salários mínimos. “Nossa perspectiva agora é de retomada (do MCMV), porque o governo (Estadual) está apoiando financeiramente”, declarou Montenegro.

    Ele explica no entanto, que o complemento financeiro só será concedido aos empreendimentos habitacionais cujos custos de construção acima do teto estipulado pela União, forem comprovados pela Caixa. “Sou fã desse programa. De Norte a sul não se houve falar em corrupção. E isso acontece, porque não há intermediários. O contrato é feito direto, entre a construtora e a Caixa”, declarou o empresário.

    No MCMV1, a Caixa contratou no Ceará 15.323 moradias, com montante aplicado de cerca de R$ 650 milhões. Destas 11.042 são no interior, com investimento de R$ 460,6 milhões, e 4.281 em Fortaleza, com investimento R$ 189,4 milhões. No País, o número de unidades contratadas dentro das fases 1 e 2 do programa totalizou 1,8 milhão, até 31 de julho, segundo José Urbano Duarte, vice-presidente de Governo e Habitação da Caixa Econômica Federal. Já o número total de unidades concluídas e entregues até o final de julho, nas duas fases chegou a um milhão. Até 2014, o programa tem a meta de entregar 2,4 milhões de imóveis.

    Habitação

    39 mil moradias populares estão previstas para serem financiadas no Ceará, por meio do MCMV2, até 2014. Nesta segunda fase, apenas 3.250 foram contratadas

  • Verinha

    Na própria universidade se encontra esse tipo de pensamento predominante. A universidade pública brasileira, sobretudo em nível federal, sempre foi de classe média, para a classe média e pela classe média. Em meus mais de trinta anos como professora de universidade federal cansei de ouvir colegas afirmarem que davam aulas apenas para um terço da turma, porque os outros dois terços eram incompetentes (e isso, numa época em que nem se falava em cotas!); de ouvir colegas afirmarem que professor que aprovava a totalidade da turma era fraco e demagogo, e que era ‘preciso’ reprovar pelo menos 20% dos alunos para garantir a “qualidade” do ensino; de ver colegas completamente indiferentes à sorte dos alunos africanos que vinham por meio de convênios internacionais e tinham necessidades muito mais prementes do que os nativos, mas ficavam à deriva, buscando soluções por seus próprios meios; de ver colegas rejeitarem com fervor toda tentativa feita para criar cursos noturnos, em diversas áreas, sob alegação de que à noite o nível cairia necessariamente e a universidade desperdiçaria recursos; enfim, um sem número de gestos, atitudes e pensamentos que se identificam totalmente a essa conduta característica de uma elite brasileira que não suporta a emergência dos mais pobres. Na minha mais modesta opinião, portanto, uma parte dessa reação acalorada do professorado hoje contra o governo pode ser compreendida como um ressentimento contido contra essas políticas que abriram a universidade federal aos que não pertencem à classe média. Embora eu esteja afastada, por aposentadoria, e não participe mais ativamente da vida universitária, ouço e vejo condutas que me levam a pensar desse jeito.

    • eduguim

      E sua forma de pensar faz todo sentido do mundo

    • Maria Libia

      A USP é assim. O pior é que os professores se acham os melhores e não passam de decorebas de livros. São muito poucos os professores de qualidade. É uma decepção a qualidade, VERDADEIRA, da USP.

  • Fernando Lamanna
  • Luis CPPrudente

    A coligação tucanodemonista formada pelo PSDB-PFL-PPS, com a participação intensa das famiglias do PIG fazem de tudo para provar que a lenda do Mensalão do PT existe. Isto mostra a necessidade de haver uma Ley de Medios para impedir que falcatruas cometidas pelo atual udenismo continuem a serem escondidos pela imprensa corrupta e desonesta do PIG.

  • mucio

    Gostei Edu. Ver um formador de opinião como tu escrever cotas étnicas e não mais cotas raciais. Afinal raça é coisa pra jumentos, porcos e racistas, o que da no mesmo. Agora continuo não entendo a insistência na palavra negro, que afinal é termo jurídico criado pelo branco escravista que definia a condição de escravo de pretos e índios. Tanto é que no “Directório do Índio'” (1755) do Marquês de Pombal, em que proibia a escravidão indígena proibia que os mesmos fossem chamados de negros. Dizia também que era um termo infamante que deveria ser usado apenas para referir-se ao pretos escravizados.
    VIVA MESTIÇAGEM BRASILEIRA, que foi motivo de crítica do racista norueguês que matou um monte a um tempo atrás.
    VIVA AS COTAS PARA POBRES.

    • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

      Mucio, me parece que o termo NEGRO possui atualmente uma conotação altamente positiva entre os que,com orgulho, passaram a se definir como tais ( camisetas que afirmam 100 % negros, por exemplos, mostram como a palavra incorporou-se afirmativamente entre os afro-descendentes). Por isso, remontar a uma época em que ela tinha uma conotação negativa me parece inapropriado. As organizações e movimentos são todas, se não me equivoca o desconhecimento de alguma que não o seja, autodenominadas “Negras”.

      • mucio

        Aposto com vc que a maioria desconhece a origem da palavra NEGRO. Ela vem de NEKROS que significa necrofilia, morte, cadáver. Em suma o que não tem vida, não tem brilho. Veja a conotação sinistra que há por trás do termo criado pelo escravizador europeu. Era preciso desumanizar o ser humano, pra poder tratá-lo pior que uma besta de carga.
        Aceitar este termo é dizer que o escravagista venceu e tem mais a única tradução da palavra inglesa NÍGGER para o português é NEGRO.
        A propósito não sei se sabe, o termo GAÚCHO era usado pelaS elites do Brasil colônia de maneira PEJORATIVA para referir-se ao sujeito rebelde que não se submetia às leis da coroa.
        Percebe a diferença?

        • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

          Independentemente do significado etimológico da palavra, penso que esse sentido se perdeu ( como aliás ocorreu com muitas palavras em todas as línguas que foram até, talvez, transformadas pelo desconhecimento do significado original das mesmas). Assim, respeitando a sua justa repulsa pelo significado original da palavra, acho que a aceitação da positivação a que ela se deu entre os que se dizem negros com orgulho pode ser perfeitamente recomendada. Quem será louco de pretender que os que se consideram NEGROS, com orgulho, estariam , em verdade, se auto-depreciando?

  • taurus

    Sabe o que posso dizer acerca desse (… como foi mesmo que chamou o que escreveu o artigo citado pela nazistóide tucanalha acima, que detesta preto e pobre?), ah, lembrei, populismo univeritário: ainda bem que , quando chegar a época de meu filho entrar em uma faculdade, vou poder dar a ele um ensino de qualidade…

  • José do Ceará

    10/08/2012 – 10h12

    Apesar de desaceleração, Brasil ainda atrai investimento externo, diz pesquisa

    Apesar da desaceleração econômica e da redução nas expectativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), o Brasil ainda é um dos mercados preferidos em investimento estrangeiro direto (IED), segundo uma pesquisa da Enrst & Young, divulgada na sexta-feira (10).

    De um total de 250 executivos globais, 60% disseram que planejam iniciar operações no Brasil em 2013. Na América Latina, o país continua sendo o principal destino de recursos, com a preferência de 78% dos pesquisados.

    “Para o investidor externo não existe temor de desaceleração. A perspectiva é de mais crescimento”, afirmou o vice-presidente de mercados da Ernst & Young Terco, Mauro Terepins.

    Apesar do cenário econômico mundial ser de incertezas, o Brasil registrou um recorde no número de projetos de investimentos estrangeiro direto em 2011, se tornando o segundo destino mais popular e o quinto em termos de números de projetos.

    Ainda assim, a projeção do Banco Central é de que haja um ingresso de US$ 50 bilhões neste ano, enquanto no ano passado o IED somou mais de US$ 60 bilhões.

    Desafios

    Mas, embora o país ainda seja visto com bons olhos, há problemas e desafios, sendo que os principais apontados pelos participantes da pesquisa são infraestrutura e educação. Mais de 28% dos pesquisados acreditam que o desenvolvimento da educação teria um maior impacto na atratividade do Brasil.

    “Alcançar as metas ambiciosas do governo brasileiro para o crescimento econômico no médio prazo exigem uma mudança no foco do uso da política fiscal de estímulo a demanda para investimentos em infraestrutura e educação, que são as maiores restrições que a economia enfrenta”, informou a consultoria em relatório.

    Países

    Segundo a consultoria, os Estados Unidos registraram os maiores investimentos no Brasil em 2011, tanto em número de projetos, como em valor e também em criação de empregos. Que segundo a Enrst & Young, é explicado pela proximidade geográfica e acordos econômicos entre os dois países. Em seguida, aparece o Reino Unido, em número de projetos e valor, enquanto a Espanha, registrou o terceiro maior número de projetos.

    A China ficou em quinto em termos de valores investidos no Brasil, atrás da Alemanha.

    OBS : Coitada da Urubóloga…e do consórcio do inferno (psdb+DEM+PIG) …

  • David Rodrigues da Silva

    O PIG, a Direita e a Extrema Direita com o acessório PSOL, agem como o reacionário e retrógrado partido Republicano do Tio Sam, quanto pior melhor, somos a FORÇA, e que os Pobres se danem, queremos o Poder para oficiá-los como ESCRAVOS MODERNOS. É isso. de Belo Horizonte.

  • Almir

    Aquele gráfico ali em cima não deixa a menor dúvida: o golpe militar de 64 foi aplicados pela burguesia para concentrar renda. O “combate ao comunismo” foi o pretexto que invocaram. Mas queria mesmo era espoliar os mais vulneráveis, Após 21 anos de ditadura mais uns 17 de neoliberalism desbragado, as áreas rurais do Nordeste ficaram desertas, enquanto as favelas das grandes cidades foram multiplicadas por 1000.

    Agora é que essa cena haitiana está começando a ser revertida, prs desgosto dos “neo-éticos” hipócritas.

  • Thiago

    Concordo em parte.

    Mas o que eu gostaria de manifestar aqui é o quanto o dono do blog é intransigente.
    Qualquer opinião contraria é atacada inclusive com ataques pessoas, chamando a pessoa de burra ou que falta conhecimento. O mundo não é apenas preto no branco.

    Não sou contra as cotas, mas sou estudante da UERJ, uma das primeiras faculdades a usar o sistema de cotas.
    Como convivo diariamente, posso perceber que muitos alunos cotistas tem EXTREMA dificuldade com português e matemática.
    E se por um lado eles estão se saindo “bem” na faculdade, por outro posso dizer: É com ajuda dos professores.
    Os professores simplesmente não estão tirando pontos de provas por erros de português, facilitam ao máximo com trabalhos “extras” comovidos pelo esforço de pessoas que tem que trabalhar o dia inteiro e a noite ainda encaram a aula. É aceitavél esta postura dos professores, mas não é aceitavel fechar os olhos para isso.
    Estamos simplesmente tampando o Sol com peneira.
    Tenho que concordar com o rapaz que comentou sobre a elite se transferir para as universidades particulares, e não me espanta em nada, se isto for orquestrado pelas próprias universidades privadas, que são muito bem representadas no governo.

    Concorde comigo ou não, só gostaria de não ser ofendido por ter opinião diferente a do blogueiro, que por sinal, escreveu um bom texto! Parabéns.

    • francisco niteroi

      Tiago
      “atire a primeira pedra”. Realmente, como vc citou, o ensino da nossa lingua vai muito mal no Brasil. VC critica os cotistas por erros de portugues. Mas eu prefiro que eles sejam auxiliados porque erros de portugues tornou-se a norma aqui. Ate porque o ensino do portugues no Brasil esta tao ruim que, veja o seu caso, vc critica os cotistas e sequer é tao bom assim, pois escrever “tampando” é um erro primario. MIL desculpas pois nao acho legal apontar erros nos outros, mas ja que vc aponta, estou aproveitando a deixa pra te dar um toque.
      OS cotistas têm dificuldades, mas acredito que quase as mesmas que apresentam os demais. Mas com uma atenuante: eles tiveram menos oportunidades.
      Em tempo: fiz faz pouco tempo um curso de espanhol numa turma de classe média alta com alunos ao redor dos vinte anos. Todos vindo das melhores escolas daqui. Eu ja passei dos 45 anos e fiquei chocado com ” o conhecimento” deles ao se expressar. Desconheciam palavras comuns da nossa lingua. Apesar de nao ser da lingua portuguesa, desconheciam quem era Garcia Marques, o que quase me provocou um infarto.
      Resumo: a nossa sociedade vai mal. Nao acuse os mais pobres por erros que a classe media, com mais oportunidades, comete diuturnamente.

      • francisco niteroi

        “erros de portugues tornaram-se”

  • Sandro

    Sou a favor de as vagas nas universidades serem 100% destinadas a alunos oriundos das escolas públicas, pois isso forçaria os mais abastados a matricularem seus filhos nas escolas públicas, e esses, por possuirem maior influência, e simpatia da mídia, exerceriam maior pressão pela melhora no ensino público.
    Quanto ao fato de mídia ser contra os governos do PT, é muito fácil de perceber o motivo, basta ver a quantidade de negócios que as empresas noticiosas fizeram e fazem, sem licitação por sinal, com os governos do PSBD, DEM e assemelhados, como é o caso em São Paulo, com Alckimim e Serra, e era também em Brasilia com Arruda, sem contar que a distribuição das verbas publicitárias do governo federal na época de FHC era bem diferente da de agora.

  • Henrique

    Oi Eduardo.

    Concordo com tudo que você escreveu. O que sempre me intrigou era o problema do “prejuizo acadêmico” mas pelo jeito os estudos mostram que ele não ocorre. Melhor assim. Mas há uma questão com relação ao processo de ingresso na universidade que me parece injusta. O ensino público em geral é muito deficiente: salas de aula em mau estado de conservação, professores com preparo deficiente, todo ano estão em greve etc. Como um pai quer o melhor para o filho, ele se ve obrigado a coloca-lo numa escola particular, apesar de certamente preferir a escola pública pois ele paga impostos. O ingresso na universidade se faz atraves de uma única prova, o Enem, igual para todos. E é nessa hora que vem a restrição das cotas, ou seja um aluno não cotista que tirou 7 pode perder a vaga para um cotista que tirou 6. Ainda não consigo ver como esse sistema de cotas para a universidade vai ajudar na melhora do ensino básico.

    • eduguim

      Não são estudos, Henrique, é a prática. As cotas vigem há quase uma década e jamais se detectou prejuízo acadêmico algum. Há pouco, formou-se uma turma inteira de médicos pelo sistema de cotas. Nada, absolutamente nada mostrou que por eles estudarem naquela universidade ela sofreu algum prejuízo. Aliás, acho essa afirmação absolutamente racista: é como se os negros e pobres, por serem negros e pobres, “sujam” os ambientes antes restritos aos brancos limpinhos. Sobre injustiça com pais que têm que colocar filhos na escola particular porque a pública é ruim, eu paguei escola particular (tradicional e católica de SP, ao preço de 1.300 reais para cada um dos meus três filhos crescidos) com um sacrifício imenso. Hoje eles não têm direito nem a crédito educativo por nunca terem estudado em escola pública. Eu acho é justo. Eu pude pagar escola melhor. Injustiça é deixar uma maioria imensa sem estudar, tendo o Brasil falta de formados, para que os que podem pagar por educação particular possam, assim, desfrutar da universidade que os pobres também financiam ao comprarem até um litro de leite.

      • Henrique

        Eu já li num artigo do Marcio Pochmann que os pobres pagam uma grande proporção dos seus salários em impostos indiretos quando consomem. Portanto merecem que seus filhos estudem em universidades federais. O problema é que as universidades públicas, em geral, são melhores do que as particulares. Estas quase sempre estão mais interessadas no dinheiro do que no ensino, além de quase não fazerem pesquisa. Acho que o governo deveria aumentar a quantidade de vagas nas universidades federais.

        Você não acha que, junto com as cotas para universidade (que atendem o curto prazo), o governo deveria investir pesadamente para melhorar os ensinos fundamental e médio? Assim, creio até que no futuro não precisaríamos mais de cotas pois os ensinos público e particular se equivaleriam e estariam em pé de igualdade frente ao Enem.

        • eduguim

          Qual governo? O de SP, que manda espancar professores que pedem melhores salários? Quem administra as escolas são os governos do Estado e do município. São 5 mil cidades, no Brasil. É piada jogarem isso pra cima do governo federal. E mais: se investissem o triplo em educação os resultados demorariam anos para aparecer. Até lá, uma geração inteira terá perdido sua chance na vida. Ainda bem que o brasileiro entende isso e não vota mais em quem pensa assim

  • Lorena

    Não sou contra as contas e acho que elas devem ser destinadas conforme a proporcionalidade étnica da população brasileira. mas negar que o nível acadêmico não vai cair (ao menos temporariamente) é pura ilusão.

    A triste e crua realidade é que o ensino fundamental e médio público no Brasil é simplesmente horrível, um sistema tão ruim, arcaico e deficiente que faz com que até os mais capacitados e brilhantes estudantes estejam defasados em relação aos estudantes medianos de escolas privadas.

    Acredito que deva-se investir primeiro no ensino básico – que claro é investimento de longuíssimo prazo – só assim haverá realmente uma grande e verdadeira mudança social e econômica.

    Não somos os EUA e acho errado querer incitar uma guerra de negros contra brancos num país onde pelo menos 85% da população- seja num menor ou maior grau- é tão miscigenada como no nosso Brasil. Creio que o problema seja mais socio-econômico do que racial.

    • eduguim

      A política de cotas vige há quase uma década. Nesse tempo todo, jamais se constatou prejuízo acadêmico algum. turmas inteiras de cotistas já se formaram nesse período. Com base em que você afirma que é “pura ilusão” negar o que jamais aconteceu na prática? Qual é a fonte para afirmação dessa dimensão, para uma enormidade como essa que você escreve? Qual é sua fonte? Que dado factual você tem para se contrapor à total inexistência, em quase uma década de vigência da política em muitas universidades federais, de um só indício de rebaixamento do nível daquela universidade por causa de cotas? Diga-me em que se baseia a sua afirmação além de em seu achismo.

    • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

      Não há , LORENA, uma contradição , um impasse do tipo ou o ensino básico ou a reserva de cotas. As políticas públicas devem perseguir a dupla solução. Até porque a reserva de cotas não concorrem com os investimentos em educação básica. Quanto a “guerra de raças” num país em que 85 % é formado por mestiços ( o dado empírico é seu, posto que não me encontro atualizado a respeito) , essa afirmação só teria sentido se inexistissem discriminações raciais ( o termo étnico aqui não se aplica, me precavendo já de quem elogiou ao Eduardo por ter evitado a palavra raça, que, embora efetivamente não tem sentido biologicamente falando, existe porquanto o racismo existe, e não é o “etnicismo” que estamos tentando combater). Porém, em nosso país a discriminação por “origem racial” se dá não apenas pela “quantidade de melanina presente na pele”, mas pela quantidade de traços fenotípicos característicos aos afrodescendentes ( lábios e narizes grossos, cabelo “ruim”, etc). Num país onde 85 % é de origem mestiça, os mestiços que possuem traços europeus se contam entre os brancos, pouco importando a condição de poderem ter ascendentes não brancos ( um estudo do departamento de genética da UFMG , com base no DNA mitocondrial , que se transmite por linha materna, chegou à conclusão que a maioria dos genes circulantes na população brasileira provém de ancestrais indígenas, superando os genes de origem europeia e africana. Porém, isto não importa para a definição e constatação da existência de práticas de discriminação raciais entre nós, uma vez que esta discriminação se dá pela aparência do indivíduo). Desse modo, pretender negar o racismo como um fato sociológico entre nós, é fechar os olhos para a aparência (me permitira dizer que o racismo à brasileira é um fenômeno sociológico baseada no fenótipo biológico.Para o racismo à brasileira os contra-argumentos com base no genótipo, tal como você o fez, não têm validade na vida real). Qual é a aparência ( o fenótipo) predominante entre os personagens da novela brasileira? Qual é o fenótipo ( a expectativa de aparência) que se tem antes de ser atendido por um médico que ainda não conhecemos pessoalmente? Um negro e um branco se aproximam de um fusca e de uma BMW: qual é a sua expectativa de quem provavelmente entrará em cada um dos carros? Na verdade, pelos dados que li sobre a adoção de cotas, tanto na UERJ quanto na UnB, ocorreu um pequeno desvio no rendimento escolar nos 4 primeiros semestres, como você de certa forma intuiu, LORENA. No entanto, esse desvio já era esperado e as duas instituições previram ações para combatê-los. O que importa é que, ao final do curso, os cotistas tiveram desempenho igual e,em alguns casos, superior, aos não-cotistas. É importante destacar que os cotistas se selecionam da mesma forma que os não-cotistas ( ou seja houve disputa por vagas entre diferentes concorrentes). Os que ingressam na universidade são, portanto, estudantes talentosos de origem pobre, porém mal preparados. Se pararmos para refletir, as universidades brasileiras é que estavam sendo prejudicadas ao fecharem as suas portas a esses indivíduos com grande talento cognitivo natural, mas mal instruídos pelo ensino formal, o que favorecia a indivíduos sem o mesmo talento natural, educados em escolas de boa qualidade. Assim, o país vinha desperdiçando , ano após anos, melhores cérebros , capazes de servirem de forma mais competente ao desenvolvimento das ciências em benefício de toda a sociedade, fornecendo-nos grandes físicos, químicos, cirurgiões, historiadores, geógrafos, jornalistas, escritores, etc, porque desconhecia um princípio básico de isonomia que recomenda que se dê tratamento desigual a pessoas em situações de disputa desiguais. Assim, para identificar quem entre dois indivíduos, sendo um deles negro, educado em uma escola pública de baixa qualidade, e,o outro, branco , educado em escolas particulares de boa qualidade,deve ou não ocupar uma vaga que é especial, posto que deverá ser reservada a uma competência cognitiva especial ( que , em última análise é, esta sim, uma qualidade intrínseca ao indivíduo, como o são as habilidades naturais de Neymar para praticar o futebol , devemos ponderar os exames, em favor não do rebaixamento da qualidade do ensino universitário,mas , pelo contrário, para que o indivíduo naturalmente mais apto a exercer uma atividade profissional que demanda uma preparação universitária seja ele o escolhido e não o outro como até aqui vinha ocorrendo. É isso LORENA! No mais< UM GRANDE ABRAÇO!

  • Thiago Cesar

    Sou a favor de cotas sociais, mas não concordo nem um pouco com cotas raciais. O que um negro tem de diferente de um branco? Seria ele menos capaz?
    Se ele estudou em colégio particular compita com os outros que também estudaram em colégio particular. Se ele estudou em colégio publico compita com os outros que também estudaram em colégio público.
    Simples assim, não tem segredo, dar cotas para negros é a mesma coisa que falar que ele é burro e não tem capacidade de competir de igual para igual.
    Um exemplo:
    Ano passado prestei vestibular para uma universidade pública que tem política de cotas para negros, infelizmente não passei. Tenho um colega que estudou no mesmo colégio, que tem uma situação financeira melhor que a minha, mas que nunca teve vontade de estudar, mas passou com cotas para negros tirando uma nota muito inferior a minha.

    Justo? Acho isso uma vergonha, ter vantagem em um processo de seleção porque nasceu com mais melanina na pele.

    Abraços.

    • eduguim

      Mas você acha justíssimo os negros não existirem na universidade pública, que financiam ao comprar um litro de leite, só por terem mais melanina. Estranho senso de justiça

      • Thiago Cesar

        E quando eu falei que eles não devem estar dentro da universidade pública?
        Se forem pobres devem utilizar as cotas para colégios públicos, se estudarem em colégios particulares devem competir de igual para igual com quem também estudou em colégios particulares.
        Estranho é o seu senso de justiça senhor e a sua incapacidade de aceitar as opiniões que divergem da sua.

        • eduguim

          Eu não tenho mais paciência com gente desonesta intelectualmente.

          • Thiago Cesar

            Aiai, complicado falar com quem se acha dono da verdade.

            “Traduzindo: você não concorda que os herdeiros da casa-grande “se misturem” com as crias da senzala.”

            Bela conclusão que você tirou, nada tendenciosa, você está de parabéns, interpretação nota 10.
            Eu só não acho justo que o negro de classe média tenha vantagem sobre um branco de classe média. Inclusive se eu quisesse poderia utilizar das cotas, já que minha vó é parda (concerteza devem saber do caso de brancos de olhos azuis entrando por cotas), mas vai contra o meu pensamento, quero entrar em uma universidade (já entrei inclusive) pelo conhecimento que eu tenho, não pela cor da minha pele.

            Abraços, não irei postar mais nesse “blogdacidadania” já que qualquer opinião contrária ao autor/leitores não é bem recebida.

      • Helder

        Muita gente não se dá conta das bobagens infantis que escrevem ou falam caro Eduardo. Não importa os dados que vc fale, esses tipos ainda acham racismo o afro-descendente poder estudar, “ele é gente como a gente”, “somos todos iguais”, mentiras descaradas que aparecem quando os privilégio é ameaçado, o cúmulo do pensamento torpe dessa gente é chegar e falar: “se não consegue é porque não se esforça” e citam casos esporádicos, que comprovam a regra e os privilégios, de aquele advogado negro, aquele jornalista, aquele médico.

        É uma diarreia mental sem fim para justifica o injustificável… mesmo sendo o negro o mais pobre, o menos tem acesso a educação, o que menos recebe, o que mais morre na mão da polícia, etc, etc.

    • Almir

      Traduzindo: você não concorda que os herdeiros da casa-grande “se misturem” com as crias da senzala.

      • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

        Na verdade, Almir e demais companheiros, o problema da reserva de cotas, e é isso que mais preocupa às elites, é a mudança que esta reserva promove na composição social dentro das universidades. Os afro-descendentes brasileiros ( assim como a maioria dos estudantes das escolas públicas) vivem fora do Brasil midiático. Os seus problemas, como observou uma companheira professora aposentada em seu comentário, não se debatem dentro das universidades. A reserva de cotas, tanto para afro-descendentes quanto para os estudantes das escolas públicas, devolverá às universidades um estudante capaz de entrar em sintonia com os problemas enfrentados pelo nosso povo, pelo nosso país. Com eles, a universidade pública pode ser pressionada a servir aos interesses maiores de nossa sociedade, escapando de vez das recorrentes tentativas de submetê-las aos ditames de interesses privados discricionários. É isso que as elites mas temem. A reemergência de uma universidade crítica, fundada em um movimento estudantil cuja composição social espelha à da própria sociedade. O medo real não é nem pela mudança da cor da pele, mas muito mais pela mudança da cor das bandeiras políticas. Essa é precisamente a questão de fundo, em minha opinião!

  • Helder

    Racismo no Brasil é afro-descendente querer melhorar de vida: “aonde já se viu, esse pretinho roubando minha vaga na universidade pública???”, esse é o pensamento de um Ali Kamel perto de vc.

  • Salvador Ferreira
  • mucio

    Em tempo, os guerreiros pretos que lutavam nos quilombos não eram NEGROS. Eram homens pretos livres.

  • Carlos Eduardo

    Ricardo, garoto branquelo de 12 anos, com caráter ainda em formação, chega em casa e fala pra mãe:

    “Mamãe, tirei 7 na prova, o João também……mas ele conseguiu a vaga, e eu não…porque ?”

    Mãe: “Porque ele é negro”

    Ricardo: “Crioulo filho da puta…”

    PARABÉNS DILMA !!! PARABÉNS PT !!! Foi isso que vocês conseguiram, CRAVAR O RACISMO NA CABEÇA DAS CRIANÇAS….

    • eduguim

      Se a mão desse garoto que você imaginou não fosse uma demente e explicasse que como os negros são maioria da população e nunca tiveram acesso à universidade apesar de a financiarem com seus impostos eles têm uma vantagem justa, ele entenderia. Aliás, um jovem em idade universitária não precisa da mãe pra explicar o óbvio.

    • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

      Eu nunca tinha ouvido essa expressão antes: CRIOULO , FILHO DA PUTA! …E, AÍ, MACACO? ( TAMBÉM JAMAIS OUVI). QUE PENA EU SINTO DOS AFRO-DESCENDENTES ESTADUNIDENSES! COITADOS, PRECISARAM INGRESSAR NA UNIVERSIDADE ATRAVÉS DESSA TAL DE RESERVA DE COTAS, QUE VERGONHA! E OLHA QUE LÁ OS NEGROS PERFAZEM APENAS 11 % DA POPULAÇÃO TOTAL! LOGO, LOGO, SE RESERVARÃO TAMBÉM COTAS PARA OS DE ORIGEM LATINA. JÁ PENSOU NO QUE ISTO PODE SIGNIFICAR? CREIO QUE ISSO CERTAMENTE DEVERÁ CONVERTER A SOCIEDADE ESTADUNIDENSE EM UMA SOCIEDADE RACISTA! AH, SE ELES SOUBESSEM COMO SERIA TUDO MUITO MAIS FÁCIL SE VIVESSEM COMO O CARLOS EDUARDO EM UM PAÍS LIVRE DAS DESIGUALDADES RACIAIS. AQUI, FELIZMENTE ( NÃO É MESMO CARLOS EDUARDO?) , JAMAIS ALGUÉM CHAMOU OUTREM DE CRIOULO,FILHO DA PUTA. NEGUINHO, PEGA AQUILO ALI PARA MIM! MAS QUE NEGONA, BUNDUDA! POIS É, É A EMPREGADA LÁ DE CASA! E AÍ, JÁ DEU UM COURO NELA? OLHA O CABELO DELA! PARECE ATÉ BOMBRIL DE ARIAR PANELA! AH,AH, AH, AH, AH! NÃO PODEMOS MESMO, CARLOS EDUARDO PERMITIR, ACEITAR QUE SE IMPLANTE, VIA DECRETO, COM A APROVAÇÃO DO SENADO E DO STF, O RACISMO ENTRE NÓS! SERÁ QUE NENHUM DESSES SENHORES LEU GILBERTO FREYRE?

    • Luiz

      Conta a tradição
      que Aristipo, grande filósofo grego, querendo demonstrar sua sabedoria e sua humildade, se vestiu com
      uma túnica velha, cheia de remendos e buracos. Empunhou Aristipo o pau da filosofia, e cheio de grande
      humildade se foi pelas ruas de Atenas. Assim chegou Aristipo até à casa de Sócrates.
      Quando Sócrates o viu vir exclamou dizendo: “¡Oh! Aristipo, se vê tua vaidade através dos buracos de tua
      vestidura”

      • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

        Desculpe-me, Luiz, mas por quem devemos tomá-lo em seu comentário enigmático? Por Sócrates ou por Aristipo?

  • adenilde petrina

    Amigo Eduardo, parabéns pelo texto, muito importante!Tambem gostei muito das suas respostas aos comentários. Por existir pessoas dignas, coerentes, corajosas e humanas como você é que nós, negros e negras deste país sentimos que estamos chegando a um novo tempo: onde teremos coragem de mostrar a nossa cara negra, o nosso sorriso que muitos acham feio… não esconderemos mais a nossa cultura, que para muitos é exótica, primitiva,e não teremos medo de falar de nossas religiões de matriz africana. É sempre revoltante saber que jogam pedras nos terreiros de candomblé, perseguem os praticantes de religiões de matriz africana e, que jovens candomblecistas evitam falar de sua crença para não perderem emprego ou serem xingados. Já me falaram que foram os negros que trouxeram o diabo para o Brasil.É chato tambem a má vontade em falar da História da África no ambiente escolar e assim a gente vai enfrentando essas dificuldades… é como a letra da musica do afoxé: ” vou subindo a ladeira, eu subo, eu caio, mas chego lá”! Por isso que é importante pessoas como você que não tem medo de levantar essa discussão e que está do nosso lado.Sinto muito orgulho de ter lhe conhecido e poder partilhar de seus textos, refletir sobre o que voce fala, alargar meus horizontes e fortalecer a nossa caminhada rumo a uma sociedademais fraterna. Obrigada….um abraço fraterno de todos e todas daqui de Juiz de Fora… sua presença aqui foi e é muito importante!

    • eduguim

      Beijão, minha amiga

  • Luiz

    Quer saber!!!!

    A vida se esvai como areia pelos nossos dedos…O tempo vai passando e vamos percebendo que a vida tem um princípio e um fim…. e que não há tempo a perder…. mas do que nunca precisamos de objetividade…

    A antiga frase é muito verdadeira… ” Todos os Homens Morrem mas nem todos Vivem.”

    Para aqueles que correm em suas veias e que está em seu sangue se indignar com as injustiças, que é o meu caso e de muitos, do contrário não estariam visitando o site do EDU umas 5 vezes por dia e acompanhando todos os blogs progressistas do Azenha, PHA, Nassif, Maria Fro, os Amigos do Presidente Lula, ao lúcido Miguel do Rosário no cafezinho, O aposentadoinvocado, o incansável José de Abreu, Carta Maior, Vermelho, onipresente, Professor Hariovaldo, etc…

    Podemos nos cansar por um tempo, sentir-se desanimado, aborrecido, isto faz parte do caminho, mas a verdade é que temos que combater esta MÍDIA diuturnamente, não podemos esmorecer o inimigo não deixará um Governo popular navegar em mares tranquilos, não deixarão….. temos que formar um verdadeiro esquadrão para que a justiça chegue aquelas crianças que estão sem oportunidades, com fome e na eminência de se perder…. Vamos usar o Bom senso , o discernimento para Apoiar LULA e DILMA que já mostraram que tem comprometimento com o Povo Brasileiro.

    Que toquem portanto as trombetas…. A guerra foi declarada, já começou e não sabemos ainda o seu final.

    Um Grande abraço e até a vitória se Deus quiser!!!

    Um Grande abraço Edu.

    • eduguim

      Outro abraço, Luiz

  • Roberto Ribeiro

    Outro assunto, o da capa da Carta Capital:
    O Vasco (amigão do PHA) vai passar o fim de semana na Cidade Jardim , pra ver se dessa vez o homem (da revista) implode o edifício com ele e tudo dentro, ou se toca fogo nas vestes e se atira no Rio Pinheiros. He, he he…..!

  • Pedro

    E pensar que toda essa discussão é por o LULA ser o melhor presidente como nunca antes e começou uma mudança irreversivel, boa para todos, o numero de milionários no Brasil nunca cresceu tanto, a pobreza esta caindo de forma vertiginosa e como consequência num futuro não tão distante cairá a criminalidade, os custos com saúde, e os próprios custos sociais. As cotas assim como o bolsa familia são fundamentais para essa mudança, esta fazendo a roda girar. Ser contra e atirar no próprio pé. Veja os exemplos dos paises mais pobres e desiguais, a vida é ruim para todos, pobres e ricos. Porque tanta resistência em repartir a riqueza, o ruim e repartir a pobreza.

    • luiz freire

      Viu, Pedro ? Nada do que você fala teria sido possível
      Sem o fim da inflação. Não sei sua idade mas quem
      viveu de 1960 a 1995 jamais esquecerá o que é uma
      inflação galopante. Em trinta dias $100 viravam $60.
      A única defesa era colocar seu dinheiro na poupança.
      As pessoas simples não tinham expediente para
      aplicar dinheiro ou comprar dolar.
      Vencida a inflação, tudo se tornou mais fácil, o que
      possibilitou as ações do governo FHC e depois,
      do Lula, que, com méritos, deu uma força maior
      ao Bolsa-familia.

      • eduguim

        Não teve ação nenhuma do FHC. O plano que ele implantou aqui foi implantado em toda a América Latina e por determinação de Washington

        • João Paulo

          Tanto é que o plano foi chamado de Plano Brady, e consistiu além das medidas internas de controle da inflação, na renegociação da dívida externa brasileira.

          • Alex Mamed

            De onde esses caras inventam essas coisas? Uma hora o Brasil foi lacaio do Conseno de Washington e do FMI, o que era ruim; outra hora é beneficiada por um plano que acabou com a inflação, o que foi bom! Afinal, decidam…

  • David Rodrigues da Silva

    O famigerado Nobat e do Chapéu nasceram em São Paulo? Qual a origem dos mesmos? São Paulistas ou Paulistanos, ou Carioca ou Mineiro? de Belo Horizonte.

    • Sergio-RJ

      Nordestino de alma paulista.

      O outro é conterrâneo do Berlusconi.

  • Romanelli

    nossa, os militares ferraram GINI de propósito ? ..nada sobre os DOIS choques do petróleo ..a URBANIZAÇÃO que por fatores exógenos deu errada ..a dependência externa ..a pressão dos EUA e FMI c/consequente sucateamento do ESTADO ?

    e ITAIPU, que sustenta ainda hoje quase 20% do BRASIL, nada ? Nada sobre a alavancagem da industria local, da Petrobrás e VALE, da agro-industria e mudança da matriz agrícola, da de pesquisa e petroquímica por exemplo ? ..caracas, vai sair imparcial assim no inferno, ou em Assunção se preferir..

    que tal falarmos de FUTEBOL ? ..quem sabe aqui saia coisa proveitosa a um bom e IMPARCIAL debate, de nível ?

    E sobre COTAS, ainda é cedo pra falar ..de qq forma, a CERTEZA é que as “étnicas” são aéticas, são racistas mesmo pois levam em conta o formado do NARIZ

    CERTEZA maior que os principais cursos, de maior status como engenharia, medicina, odontologia estão LONGE do alcance do pobre comum que, no máximo, conta com meio tempo pra se dedicar aos estudos .l.isso ainda se conseguir se manter até o fim

    mais, mais ainda, muitos dos atuais universitários estão cursando cursos de QUINTA categoria em faculdades de esquina, particulares ..e outra boa parte sequer tem aula, claro, como era de se esperar partindo do reconhecimento da força do CORPORATIVISMO que enfrentamos

    e sobre as recentes mudanças, o critério é cheio de BURACO, e tal qual outras “pseudo-conquistas” é melhor não colocar o burro na frente do carro (tal qual fomos levados a fazer com a norte-sul, transposição, pré-sal, industria naval e aumento da oferta em universidade federal por exemplo)

    e pra finalizar esta estória sem fim, que tal falarmos do desempenho do BRASIL nas Olimpíadas, só pra variar e ficar em assunto mais comum à maioria, hein ? ..e aí, será que em 10 anos de política social, será que alguma coisa mudou

    sei sei, tem o BOLSA FAMÍLIA alguns dirão, esta política que de transitória já promete ficar definitiva ..ou aqui alguém duvida se hoje, após oito anos, se tirarmos o encosto, se a maioria ainda não desabaria pela falta de alternativa ? …pois não se esqueçam, enquanto em tese já poderíamos pensar que o programa chegou no teto, e que daqui pra frente tenderia a diminuir, com muitos dos cidadãos assistidos podendo seguir sus caminhos altivos, não se esqueçam que o governo ainda pensa que será necessário agregar ainda mais famílias que não estão aguentando se manter sozinhas…

    e aí, quando lhes daremos a tão sonhada varinha ?

    • luiz freire

      A questão fundamental nessa história, sem a qual
      nada do que o Eduardo relaciona teria acontecido
      foi o fim de quarenta anos de inflação.
      Esse detalhe é muito importante porque as classes
      pobres mesmo, sem conta em banco, sem condições
      de salvar as perdas diárias, acabava se afundando em
      dívidas impagáveis. Este fato me leva afirmar, com
      toda segurança, que quem curou esse cancer foi FHC.

      • eduguim

        E esse povo ingrato que não apenas não reconhece esse governo maravilhoso como o repudia com fervor. Vocês do PSDB deviam pedir para o Brasil trocar de povo. Podiam importar alguns europeus ou norte-americanos (brancos, claro) para o FHC ter um povo à sua altura majestática.

        • luiz freire

          O fim a inflação atravéz do Plano Real foi possível
          depois de algumas tentativas malogradas. Cada
          vez que os governos partiam para um novo plano,
          acabava não dando certo e a consequencia para a
          população era um enorme transtorno em todos os
          sentidos da palavra.
          Fernando Collor chegou ao absurdo de encampar
          a poupança de todos os depositantes.

          • eduguim

            Vou lhe dar uma pequena aula de história: a inflação acabou simultaneamente em toda a América Latina. E isso ocorreu porque o plano real (nome da versão brasileira) foi desenhado pelo conclave Margareth Tatcher-Ronald Reagan.

          • Almir

            Oh, o bisonhão ainda acha que foram os tucanos e demos determinaram o fim do processo inflacionário!

            O povo, na sua imensa sabedoria, percebeu em 2002 a picaretagem demo-tucano-midiática, e elegeu LULA.

            O bisonhão ainda não “sacou” que o processo inflacionário na América Latina não interessava mais ao Consenso de Washington.

            O bisonhão ainda credita ao FHC, sem raciocinar que este não passou de um “desembrulhador de pacotes”.

            Por isso, o bisonhão “não entende” porque perde uma eleição atrás da outra.

          • Romanelli

            bem, aqui, verdade Eduardo ..fossem os EUA contrários a uma estabilidade, e JAMAIS o plano REAL teria dado certo

            Afinal, à época, bom lembrar, o ESTADO brasileiro já estava de joelhos e colocado à venda pelo DEMO-PSDB

            ..o CONSENSO sem POVO, o de Washington, que teve alguns signatários ordinários por parte do “futuro” governo eleito de Dom THC (tipo Malan que vinha desde Collor), este, o Consenso, já havia decidido de qual seria a nova partilha geopolítica do mundo

            o legal da história é que eles não previram a crise que os pegaria (tanto nos EUA como na Europa) e o novo papel e força da CHINA que, pro bem do BRASIL, conta muito com a gente, e nosso território, pra se manter estável (em recursos naturais e agrícolas eu diria)

            quanto a nós propriamente dito eu ainda não sei ..mas a julgar pela desindustrialização havida concomitantemente com o crescimento do peso do setor primário, tudo aliviado pela geração de empregos do setor de serviços do qual nossos cidadãos NÃO são os principais capitalistas a darem as cartas, bem, aqui eu diria que acho que será mais daquilo, saímos das garras do tio Sam pra sentarmos no colo do Tio Ling por um bom tempo

            agora, francamente, pela fama, tomara que o ‘bilau” deles não fira tanto a gente, né verdade ?

      • Almir

        Larga de ser bisonho, ô cara! Dentre outras variedades utilizadas, a inflação foi a mais eficiente e cruel forma de concentração de renda utilizada pelos acólitos da ditadura. Numa apertada síntese, inflação significa que “dinheiro na mão de pobre não tem valor, pois evapora rápido”.

        Até a “cura” do mal (que você atribui a FHC) foi pra lá de dolorosa, porquanto o “remédio” era dividir a renda de todo mundo por 2.750 e congelamento (da renda) por tempo indeterminado. Ou seja, para que a inflação acabasse, os pobres tiveram que trabalhar praticamente de graça, a troco de um pão dormido, e enquanto mais trabalhavam, mais miseráveis ficavam.

        “O dinheiro está escasso demais, de que adianta a estabilidade dos preços, se eu não ganho nada?”, diziam os pobres ná época.

        E depois vocês ainda “não entendem” por que perdem uma eleição atrás da outra.

      • A inflação não acabou coisa nenhuma.

        O Plano Real foi apenas a aplicação de uma ordem da Casa Branca, transferindo a pressão inflacionária para a divida pública pra beneficiar as grandes fortunas especulatórias – os agiotas internacionais. Todos os malefícios da inflação foram substituídos por outros, tão graves quanto. Os malefícios desse novo modelo, em vez de quebrar o povo como fazia a inflação, quebrou o pais todo 3 vezes. E continuou a concentrar a riqueza nas mãos dos mais ricos.

        O que mudou isso, o que impediu novas quebras e reduziu um pouco a concentração da renda foram justamente medidas contra-indicadas pelos criadores do modelo – os mesmos que hj estão afundando a Grécia -, e pelos seus testas-de-ferro domésticos que o implantaram aqui. Pode ver como eles se opuseram a TODAS as políticas econômicas de distribuição de renda, redução de juros e desenvolvimento do atual governo e do passado.

    • João Paulo

      Se você estudar a história do Chile você vai ver que toda a infraestrutura atual daquele país foi construída por Pinochet, que como administrador foi irrepreensível. Foi Pinochet que construiu a Carretera Austral, a Transamazônica chilena que deu certo. Só que governos que violam direitos humanos não são bem conceituados, ainda que o país lhes deva tudo.

      O mesmo acontece com os militares brasileiros, que investiram na construção de infraestrutura, notadamente Costa e Silva, Médici e Geisel, que ao lado de D.Pedro II, Getúlio, Juscelino, Lula e Dilma, são os governantes que cumpriram o seu dever na parte de construção de infraestrutura. Os militares criaram o nosso próprio satélite Brasilsat. Só que as famílias daqueles que foram mortos queriam ter os seus entes queridos consigo até hoje.

      • Darcy Brasil Rodrigues da Silva

        JOÃO PAULO, tentar encontrar em um general fascista, chefe de um dos regimes mais sanguinários, como Pinochet, supostos méritos economicistas, me parece, no mínimo uma ingenuidade anilítica. Avaliá-lo com base em obras de infra-estrutura por ele realizadas, para reconhecer ações positivas em seu governo é totalmente inadequado. O governo de Pinochet representou o primeiro balão de ensaio da implantação de uma política neoliberal em todo o mundo, antes de qualquer outro país. Ali assistimos a privatização de todas as empresas estratégicas chilenas, entre elas, as do setor mais rentável, vinculado à exploração do cobre; privatização dos serviços básicos, tanto no setor de saúde como no de educação ( não é à toa que assistimos,nos dias atuais, sistemáticas revoltas dos estudantes em luta por uma educação pública e de qualidade, que lá inexiste em qualquer uma de suas etapas) ; privatização da previdência social ( nos dias que correm os aposentados que foram obrigados a aderir à previdência privada, veem seus rendimentos totalmente defasados em relação ao que antes fariam jus, num verdadeiro escândalo que permitiu a grandes instituições financeiras privadas surrupiarem recursos de trabalhadores , recolhidos compulsoriamente) . Obras de infra-estrutura não significam nada por si sós. A primeira pergunta que deve ser feita é ” para que elas foram construídas?”. A segunda, é ” a quem elas beneficiam ?” Em uma economia totalmente privatizada e, pior ainda, transnacionalizada como a do Chile, tais obras, por serem construídas com recursos públicos, recolhidos dos impostos e tributos da população chilena, por servirem ao escoamento e à logística de um sistema produtivo voltado às exportações de matérias-primas em estado bruto, sem valor agregado,e controlado por grandes mineradoras agora estrangeiras, representaram um sobre-lucro, uma transferência adicional de renda dos trabalhadores e do povo chileno para os cofres desses interesses transnacionais, patrocinadores do golpe de estado chileno. Pinochet, além de fascista sanguinário e covarde, foi também,portanto, um traidor imundo do povo chileno. João Paulo, não tome isso como uma ofensa pessoal. Conheço poucos militares na intimidade e,outros, porque pertencem à minha família e deles ouço falar em minha casa: um deles, é bastante admirado pelos meus familiares, seja por sua indiscutível inteligência, que o fez ingressar na academia militar em primeiro lugar, seja por sua integridade moral, que o fez ser um militar de carreira, vocacionado, portanto ,para um ofício que,eu, entendo ser fundamental para a defesa dos interesses maiores de nosso país,de nossa nação: refiro-me ao general Sérgio Ernesto Alves Conforto, ex-diretor da AMAN e que se reformou recentemente enquanto juiz do STM, indicado por Lula; o “general Conforto”, como o conhecem os que com ele serviram, é meu primo pelo lado da família “Conforto”,sobrenome de meu pai.

        • João Paulo

          As obras que Pinochet construiu tiveram esse sentido de escoamento de riquezas sim, mas também tiveram um sentido geopolítico. A Carretera Austral foi para assegurar ao Chile a posse de um pedaço da Antártida. Tanto é que o Chile não termina mais em Punta Arenas ou em Puerto Williams. Pior foram os argentinos que nem isso fizeram.

      • Muito fácil fazer obras com o sangue alheio.

        Simples assim.

  • Romanelli

    e pra variar, mais um capitulo desta nossa DEMOCRACIA DE BRINCADEIRA, INCONSEQUENTE em todas as correntes, uma feita de MITOS E mentiras, de exageros, de conquistas falsas, análises rasa e/ou realidades distorcidas

    SECRETARIA da educação de SP INTIMA diretores de escola a comparecer a ato de apoio a candidatura de J.Serra

    “…”A Dirigente Regional de Ensino convida os diretores e vice-diretores para evento com a presença do prof. Alexandre Schneider na Casa Ilha da Madeira, Rua Casa Ilha da Madeira, nº 214, 11/08/2012 às 10h”, diz o texto. Schneider é o vice da chapa de Serra e ex-secretário municipal de Educação.

    Segundo diretores e vice-diretores ouvidos pela reportagem, depois de disparar a circular, Espagolla telefonou para os subordinados ameaçando os que não comparecessem à reunião da campanha com a perda do cargo…”

    leia mais em

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1135677-secretaria-convoca-diretores-de-escola-publica-para-ato-pro-serra.shtml

    e aí, o que estão esperando pra DEMITIR esta delinquente ?

  • Emille

    Oi Edu,

    eu nao nego o papel social importantissimo desempenhado pelas cotas nos ultimos anos, mas como filosofia ela me preocupa muito.

    Acho que ninguem discorda que em media, o ensino nas escolas publicas de nivel basico (fundamental e medio) eh inferior ao das escolas particulares. Dado isso, o fato dos cotistas se sairem bem na universidade nao indica que o problema esta no vestibular? Isso nao nos deveria indicar que o processo de selecao eh falho?

    O que me preocupa eh a sensacao de que muita gente acha que as cotas sao as solucao definitiva para os problemas. Do meu ponto de vista, elas deveriam ser uma medida temporaria, para que o jovem da escola publica hoje possa ter uma chance. Mas a longo prazo, nao deveriamos trabalhar para que a qualidade do ensino publico melhorasse e para que o vestibular fosse mais adequado a sua funcao, de modo que as cotas nao fossem mais necesarias?

    • Emille, as cotas, tanto no Brasil como nos EUA, são adotadas não como solução definitiva, mas como correção de rumos.

      O vestibular sempre foi falho. Ele sempre selecionou aqueles que tinham dinheiro para pagar um bom cursinho pré-vestibular. Esse “bom” cursinho, por sua vez, ensinava a… passar no vestibular.

  • Romanelli

    será, será que agora vai? …vai nada

    AGU admite que REITOR que paga grevista deve ser responsabilizado por improbidade administrativa ..ainda mais se a greve (greveS) é política, não ?

    Pois é, enquanto a NAÇÃO ora é tomada de refém por sindicalistas aloprados, ou noutras épocas por outras correntes comandadas por empresários ordinários, enquanto isso, quem é usado como BUCHA deste revesamento é a população, o cidadão que acaba por pagar e pra ficar sem os serviços essenciais e de direito mínimo para sua existência

    GREVE é instrumento válido contra a mais valia, NÃO contra a cidadania

    A população não pode pagar, ser feita de refém, em assunto que não depende dela modificar

    Saúde, justiça, energia, comunicações, segurança, desembaraço de portos e estradas, forças armadas, serviço funerário e educação, são dentre outros, direitos FUNDAMENTAIS, essenciais à dignidade, convivência e garantia do respeito humano ..

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/1135488-reitores-que-pagam-salarios-de-grevistas-devem-responder-por-improbidade-diz-agu.shtml

  • Nádia

    Estamos vivenciando um grande momento. Não sei se alguém já percebeu, acredito que sim, o planeta está passando por uma mudança, as pessoas que se escondia por trás da ética, compromisso, caráter social, não está mais conseguindo se blindar, sem perceber estão mostrando a verdadeira cara. Os verdadeiros interesses estão sendo expostos, como por exemplo os atos dos EUA em relação aos países da América Latina e Arábia. Nesses países que sempre serviu de quintal aos EUA, os aliados dos norte americanos em troca de dinheiro, poder estão sendo desmascarados. Aqui no Brasil a mídia não consegue mais manipular as pessoas como antes. Não sei se já perceberam, mas, está havendo divisão, as pessoas que só pensam em si próprio, frias com sofrimento alheios, egoístas, sem ética, caráter, arrogantes, petulantes(graças à Deus hoje o número é menor) estão entrando em sintonia com os reacionários, mídia, tucanos, DEM, PSD, PPS, PTB. Ao contrário, os que se preocupam com o próximo, é a favor ao crescimento, igualdade, progresso do país, estão na mesma vibração, junto com PT, PCdoB, PDT que fazem exatamente essa política. Já li isso em algum livro, não lembro se era de Chico Xavier, chegou o momento da separação do joio com o trigo.

  • matos

    Por favor Eduardo não se comporte igual a PIG golpista, comente as defesas feitas pelos advogados dos réus. O teu blog é igual a veja, só publica aquilo que interessa. Não acabe com o seu pais, bandidagem é bandidagem, não importa o partido. Defender o PT acusando o PSDB / DEM é no minimo leviano. Prefira pessoas e não partidos

    • eduguim

      Deixa de ser cara-de-pau, tucanos virem aqui pedirem para ajudá-los em sua guerra política contra o PT, é piada. Volta pro ninho.

      • matos

        Perceba, sua resposta justifica a minha crítica e qualifica o seu discurso. Quado afirmo, não importa o partido mas sim a pessoa, pretendo com isso justamente minimizar os malefícios causados pelo jogo poitico, não estou fazendo guerra politica, mas você se comportando desta maneira sim. Sei lá, tenta ser cara de pau o suficiente para justificar os desvios para o caixa 2, certeza que existem arcabouços jurídicos que vão te ajudar a provar que tudo foi UMMMMMM GRAAAAAANDE SONHO DO PGR HAHAHAHAHAHAH

        • eduguim

          Se tudo o que a acusação diz fosse prova incontestável não precisava nem ter julgamento. Vem cá, você tenta convencer alguém que sua razão é a ética? Está aqui porque quer punição dos corruptos, é? Não admira que vocês não parem de perder eleição após eleição. Acham que todo mundo é idiota

          • matos

            Eu gosto dos posts que você escreve em alguns aspectos e em outros não. Fico sabendo de muitas falcatruas do PSDB / DEM e outros. O que eu não concordo são com as suas posições frente aos fatos, as considero um tanto quanto mesquinhas e desnecessárias . Acho que te deu vergonha alheia escutar tudo aquilo né porque você defendeu em demasia a tese de que não aconteceu nada. E já que você mencionou a ética, vamos lá.Se considerarmos que a moral se estabelece partindo de reflexão ética, pode até ser que esses comportamentos dos envolvidos se justifique. Mas na minha opinião, a maior parte das regras se estabelece conforme a necessidade de grupos dominantes que não suportam a possibilidade de perder o poder.

        • Meu caro, se vc acha que a pessoa importa, então é vc que está a gir sem ética.

          O que importa são os atos e as provas desses atos. Se vc condena baseado na pessoa que está sendo acusada, vc não está julgando, mas perseguindo aquela pessoa.

          Simples assim.

          • matos

            Quer o que com esse jogo de palavras. Quando falo pessoas é obvio que me refiro ao comportamento praticado por elas. Só um otário não perceberia que o que vc quer é justificar os atos de alguns, apoiando-se no comportamento equivocado de outros. Só uma coisa Pierre, eu já te disse uma vez que as datas dos saques coincidiam com as votações e foi justamente essa uma das provas que do PGR, portanto toda aquela baboseira que vc postou no seu blog falando que não passou de uma mera coincidência hahahahaha que dó

          • Cara, nem sei quem é vc ou o que vc escreveu ou não no meu blog, pra começo de conversa.

            Agora, se vc diz “o que importa é a pessoa”, não venha me dizer que “é óbvio” que vc queria dizer “os atos e as provas desses atos”, pq não há leitor de mentes capaz de interpretar uma coisa da outra. Vc deveria, pelo menos, ter a decência (e a ética, que não passa de uma palavrinha pra ser usada contra os outros pra vc, pelo jeito) de admitir que se expressou mal, no mínimo, e não vir com essa arrogância infantil, como se a culpa de vc ter escrito besteira fosse dos outros.

            Quanto à tal relação das datas, o que lhe respondi continua sendo verdadeiro: POUCAS datas coincidem, não há padrão mesmo entre as que o fazem, algumas ocorrendo antes e outras, depois e, finalmente, dada a quantidade de votações “de interesse do governo”, se vc escolher qualquer dada aleatoriamente, a chance dela ocorrer alguns dias antes ou depois dessa votação é imensa.

            Simples assim, meu caro. Ah, e obrigado por lembrar de mim, pq eu realmente não faço a menor ideia de quem sejas.

    • Almir

      Outro bisonhão que ainda acredita no “mensalão do PT”

      Ô bisonhão, “caixa 2” partidário não é crime, porquanto NENHUMA LEI criminaliza essa conduta.

      E no “caixa2” do PT não há dinheiro público,

      E mais: aqui não é o blog do Reinaldo Azevedo. Aqui você dá de cara com a verdade, e não com a distorção dos fatos.

      • matos

        Eu faço parte de uma banda de micos amestrados pela máfia tucano-midiática

    • Quando é que vcs vão ter a decência de admitir que ninguém “defende o PT atacando o PSDB e o DEM”?

      Apontar a evidente perseguição política cometida contra o PT pela imprensa canalha (que já julgou e condenou todo mundo sem sequer avalar as provas, baseados apenas em sua agenda politiqueira) e demais apêndices (como o PGR e alguns ministros de quinta categoria no STF), e PROVAR a existência dessa perseguição apontando o fato inegável de que casos similares (e até mais graves e devidamente provados) cometidos por tucanos e demos NÃO são tratados com o mesmo critério, com o mesmo destaque, ou mesmo com a mesma indignação.

      Alias, enquanto um processo contra uns gatos pingados do PT e outros partidos (e mesmo alguns de partido algum) são tratados como condenações in limine contra TODO o PT e, especialmente, contra um ex-presidente, PSDB e DEM são devidamente blindados de qualquer culpa nos demais casos.

      E isso além de todo o exagero e histrionice em torno da AP470. Enquanto exige-se condenação independentemente de provas e faz-se um verdadeiro circo em um caso, nos demais limita-se a dizer o mínimo do mínimo, sem nenhuma condenação apriorística.

  • Sem mudança estrutural e sem transformação na natureza do Estado Brasileiro,com cotas ou sem cotas,com politicas afirmativas ou sem politicas afirmativas,a ação estatal sempre se pautará pela repressão cruel contra as classes perigosas,as classes dos despossuidos,dos excluidos.Seja em Canudos no final do seculo XIX,seja em Eldorado dos Carajás,no Pará,no final do seculo XX,seja em Pinheirinho,já em pleno seculo XXI,a violencia do Estado é a mesma deixando um saldo de muitos mortos e feridos tanto fisica quanto psicologicamente.Politicas compensatorias de nada adiantam,se não houver um questionamento profundo,radical,contundente pela maneira como o Poder Público tem se relacionado historicamente com as classes ditas perigosas.A face do Estado que se faz presente junto às classes dos excluidos é a face assassina,atraves de uma policia truculenta,desumana,com metodos de atuação que beiram a selvageria,seja na periferia de São Paulo ou nas favelas ¨pacificadas¨do Rio de Janeiro.Portanto sem uma mudança radical na natureza do Estado Brasileiro politicas compensatorias e meramente compensatorias serão como chover no molhado,embora tais politicas sejam melhor do que nada.

  • Behaviorista

    ” começaram a formar turmas de cotistas oriundos da escola pública e negros e o que se viu foi que não só tiveram o mesmo desempenho acadêmico que os egressos brancos das escolas particulares como, em alguns casos, até os superaram”

    Analisando através do conhecimento indutivo ( analisa os casos particulares para identificar uma lei geral) imagine um jovem negro pobre, criado na certeza de que jamais chegaria a uma faculdade e que sua trajetória de vida seria semelhante à de seus pais. Eis que, aproveitando-se da lei de cotas, vê-se legalmente dentro do meio acadêmico. É claro que vai se agarrar a essa oportunidade com todas as forças que puder reunir, auxiliado e apoiado por sua família que vê nele a oportunidade da até agora sonhada ascenção social.

    O blogueiro, contudo, não prova com dados confiáveis sua afirmação.
    Dizer tambem que a esmagadora maioria do povo brasileiro apoia as cotas ( que agora recebem os qualificativos de étnicas e sociais ) é um evidente exagero.

  • Acredito que ninguem nesse blog teve alguma esperança, que as mudanças iniciadas em janeiro de 2003,com a chegada de Lula à presidencia da República,fossem ser feitas sem conflitos.E a verdade é que quanto mais as mudanças forem sendo feitas,no ambito de uma sociedade que parece ter sempre convivido normalmente com as abissais diferenças sociais,muito mais agudos e muito mais violentos se tornarão esses conflitos.É uma guerra suja em que a direita usa e abusa dos expedientes mais criminosos,para manter seus privilegios imorais,incompativeis com um minimo grau de civilização.O Brasil ainda é um pais em construção,possibilidade de retrocessos sempre serão possiveis,enquanto mudanças substanciais não forem efetivadas,consolidadas.Essas mudanças ainda estão por vir.E essas mudanças,sim,vão atingir em cheio um ninho de vespas porque mexem em privilegios mais do que centenarios.Aí é que realmente veremos se o governo tem forças suficientes para atravessar um periodo de extrema instabilidade.Mas se queremos que o Brasil seja uma nação socialmente equilibrada e soberanamente justa será inevitavel que atravessemos um periodo extremamente conturbado.O que vimos até agora é um mar de rosas perto do que está por vir.Uma vez atravessado esse periodo de incertezas,de perigo de retrocesso,poderemos dizer que as mudanças feitas vieram para ficar.

    • Antes não da para falar nada.Fica se apenas nos limites de mudanças meramente topicas,sem atingir o cerne da questão central:desprivatizar o Estado Brasileiro,que sempre serviu de suporte às ambições de uma minoria poderosa economicamente e influente do ponto de vista politico.Encetar de fato uma reforma estrutural dessa natureza,é mexer num ninho de vespas,de serpentes,de quaisquer outros animais peçonhentos.

  • aliançaliberal

    Um pouco de contraponto já que para defender o governo não falta gente neste país.

    O indice GINI de TODOS os paises do mundo fora raras exceções teve melhoras significativas no período 1990 a 2012 não podendo colocar como mérito do governo Lula esta melhora.

    Se olharmos bem o Brasil teve um desempenho MENOR que a maioria dos outros países.

    Esta melhora não pode ser colocada na conta do PT que adora ser pai de méritos alheios(como a maioria dos politicos).

    O Brasil esta a frente de uns poucos países do mundo só ganha de alguns países da africa e ainda assim os que estão ou estavam em guerra.

    Apesar da retórica à lá manual do idiota latino americano o grande causador da desigualdade social do nosso país tem um nome bem definido INFLAÇÃO.

    Inflação nada mais é do que emissão de moeda por parte do governo para saldar suas dividas, este “novo dinheiro” que entra concorrendo com o consumo do “velho dinheiro” gera uma transferência do mais pobre o ultimo a receber este “novo dinheiro” para o mais rico que tem mecanismos para lhe resguardar .

    Como classe média alta vc deve ter “investido” no overnight, era protegido pela indexação da economia brasileira, mas os trabalhadores que recebiam e consumiam não tinham qualquer proteção contra a inflação.

    Reforço inflação não é aumento generalizado de preços como a mídia fala, é mais uma desinformação que ate a esquerda acredita, pq não quer defenestrar o estatismo já que teria que admitir que o culpado pela inflação é o estado e não os “capitalistas” gananciosos.

    …………..
    Sobre cotas podemos ir por dois caminhos do pq da cotas.

    Primeiro o estado brasileiro investe 70% do orçamento da educação no ensino superior. Então em vez de alocar mais recursos para a educação e melhorar o ensino como um todo sai mais barato criar “cotas” do que investir no ensino básico e médio.

    Sairia muito “caro” melhorar a qualidade de todo o sistema educacional brasileiro então se faz este “remendo”.
    A questão e que crianças não vota já universitários votam e ainda são bons para serem usados como massa de manobra.

    Segundo em termos de ideologia a criação de cotas tem como objetivo instigar a segregação racial criando
    crise onde não existe, separar para dominar ainda é o melhor método para implantar uma hegemonia na sociedade.
    A UNE assim como o DEM entraram na justiça contra as cotas e contra o PROUNE voltando atrás depois de serem convencidos diga se “comprados ” pelo governo.

    • eduguim

      Vamos fazer o seguinte: divulgue a fonte desses dados e vamos analisá-los com isenção. Pelo que sei, o mundo inteiro se debruça sobre a experiência brasileira justamente pela sua efetividade. Agora, se você tem dados diferentes vamos analisá-los. Aguardo.

      • KKKKKKKKKK Como é que ele vai divulgar a fonte, se ele não passa de um repetidor de “verdades” alheias (e isso quando não repete o texto completo com um copiar e colar)?

        É evidente que ele fala besteira. Durante o reinado do Farol de Alexandria, com a inflação controlada, o coeficiente de GINI diminuiu muito menos e chegou até a aumentar! Mas esse “detalhe” não impede o coitado de dizer, indiretamente, que a “paternidade” da maior e constante redução dessa desigualdade é das políticas de FHC.

        Aliás, ele sequer deve conseguir entender que a redução do coeficiente não é linear. É imensamente mais difícil reduzir de 0.53 para 0,51 do que de 0,60 para 0,59, por exemplo. E basta pensar um pouco no que significa esse coeficiente pra perceber isso, nem precisa entender como ele é calculado.

        O coitado continua a repetir propaganda desacreditada de dois séculos atrás, como a dessa balela sobre inflação e emissão de moeda… querer que ele produza as fontes de suas afirmações amalucadas é pedir o impossível.

      • aliançaliberal

        ex:

        https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2172rank.html

        http://data.worldbank.org/indicator/SI.POV.GINI/

        Difícil achar um país com indice GINI superior a do Brasil e mesmo assim são os que estão ou estavam sofrendo com guerras.
        Vendo os dados da pra notar a melhora nos indices GINI no mundo e que eu saiba Lula não governou o mundo.

        2007-2011

        Argentina 54,3 50,6 49,4 49,3
        Brasil 55,9 55,1 54,7
        Equador 54.3 50.6 49.4 49.3
        Uruguay 47.6 46.3 46.3 45.3
        Ucrania 29,6 27,5 26,4
        Russia 43.7 42.3 40.1

    • Luis CPPrudente

      Aliança NeoLiberal, o finado FHC talvez diga que você é brilhante, um brilhante defensor da ideia que foi o PSDB que melhorou a vida dos brasileiros!

      Você também deve ser um defensor brilhante a confirmar com convicção que tanto a “lenda do mensalão do PT”, quanto a lenda das sereias não são lendas, mas de fato coisas reais!

      Você é brilhante! Tão brilhante quanto o Noblat.

  • Hélio

    Arrastarm o jovem Stuart num quartel,colocaram a boca dele num escapamento de um gipe,eu imagino o martírio desse ser ,aviltado covardimente por sádicos,vermes,companheiro a tua morte não ficará impune´,tua morte não foi em vão,é a volta do sipó de arueira no lombo de quem mandou dar…….

  • É interessante como tem gente que insiste em misturar diversos tópicos pra ofuscar o debate.

    As cotas étnicas não se destinam a reparar a desigualdade social, mas a desigualdade racial. É simples assim: as famílias negras foram prejudicadas por séculos de preconceitos. Sempre competiram em condições desiguais, e foram literalmente impedidas de atingir seu potencial pleno. Foram gerações e gerações marginalizadas, resultando na atual situação de comporem, hoje, a imensa maioria da camada mais pobre da população.

    Essa é a injustiça que essas cotas visam reparar tardiamente.

    As cotas sociais tem por objetivo reduzir diferenças sociais, dar a quem não tem condições econômicas a chance de cursar uma faculdade e, quiçá, melhorar as condições de vida de sua família.

    São objetivos completamente diferentes, e igualmente importantes. Duas injustiças: a primeira, a marginalização de gerações de uma etnia, a segunda, o fato da educação superior ser um privilégio em uma sociedade que a reservou a quem tem dinheiro.

    E um terceiro tópico é a melhora da educação fundamental, completamente irrelevante já que, mesmo que se conseguisse, por um passe de mágica, reparar os danos provocados por décadas de sabotagem da educação pública, não se repararia nem a injustiça étnica, nem a social por mais algumas gerações no mínimo.

    Aliás, embora reparar a educação fundamental deva ser uma prioridade, estabelecer o sistema de cotas não elimina essa necessidade, e nem significa que essa questão será colocada de lado.

    Ao contrário, se o sistema de cotas tiver o sucesso que se espera, teremos mais pessoas em condições de entender a necessidade dessa reforma e de exigi-la. Ou seja, o sistema de cotas irá apenas facilitar a reforma da educação fundamental, e não impedi-la. Afinal, quem quer manter a educação como ela é hoje certamente não quer formar pessoas capazes de exigir mudança no futuro.

    Simples assim.

  • Voltando as cotas. É preciso se informar mais, saindo do lugar-comum daquilo que a mídia corporativa comprometida até a raiz dos cabelos com os interesses de seus patrocinadores e com a sua mania de brincar de deus procurado influenciar corações e mentes costuma dizer.

  • Armando S Marangoni

    É Edu, os mercenários (com qual dinheiro?) estão à toda. Haja paciência.

  • Carlos Henrique

    Só lamento de que esse seu texto maravilhoso(com o qual concordo no conteúdo essencial, ou seja de que a direita mais reacionária é contra as políticas de cotas para impedir que os pobres tenham acesso à educação de qualidade), apesar disso, cometa um erro gravíssimo, que infelizmente é resultante do fato de que até mesmo um pessoa bem intencionada como você não conhece de fato o Brasil, tendo a visão dele que a mídia impõe. REFIRO-ME AO ERRO GROSSEIRO QUE COMETE AO AFIRMAR QUE A “ELITE” BRANCA E REACIONÁRIA ESTÁ LOCALIZADA SOMENTE NO SUL E SUDESTE. ESSA “ELITE” EXISTE EM TODO O PAÍS, REPETINDO NOS 26 ESTADOS BRASILEIROS A MESMA DIVISÃO DE CLASSES QUE VOCÊ CITA EM SEU TEXTO, COMO TAMBBÉM, EXERCENDO EM TODOS ELES OS MESMOS PRECONCEITOS E POSTURAS REACIONÁRIAS QUE VOCÊ ACREDITA SEREM “EXCLUSIVIDADE” DA “ELITE” SULISTA. SOU PERNAMBUCANO COMO VOCÊ BEM SABE, DE CLASSE MÉDIA E DESCENDENTE DE EUROPEUS, CONVIVO COM ESSAS PESSOAS BRANCAS E REACIONÁRIAS NA SUA MAIORIA, PUDE ESTUDAR EM ESCOLAS PARTICULARES, E CURSEI UNIVERSIDADE PÚBLICA, A QUAL, EM PERNAMBUCO E EM QUALQUER ESTADO DO BRASIL, TEM EXATAMENTE O PERFIL QUE VOCÊ CITOU, É COMPOSTA SOMENTE POR BRANCOS DE DESCENDÊNCIA EUROPEIA(ALGUNS COM SOBRENOMES SAXÕES), FORMANDO UMA “CLUBE” DE EXCLUSÃO QUE SALTA AOS OLHOS. COMO FUI DO MOVIMENTO ESTUDANTIL, E SEMPRE DE ESQUERDA, LEMBRO-ME QUE ADORAVA PROVOCAR OS CONSERVADORES DA UNIVERSIDADE EM QUE ESTUDEI AFIRMANDO-LHES QUE IRIA PROVIDENCIAR UM PASSAPORTE PARA IR ÀS AULAS, JÁ QUE QUANDO CRUZAVA OS PORTÕES DA UNIVERSIDADE PARECIA-ME QUE INGRESSAVA EM OUTRO PAÍS, DIFERENTE DO QUE VIA NAS RUAS. SEM CONTAR OS REPRESENTANTES CONSERVADORES DESSA GENTE(SÓ PARA CITAR O MEU ESTADO, LEMBRO-LHE QUE SÉRGIO GUERRA, MARCO MACIEL E RAUL JUNGMANN – OS DOIS ÚLTIMOS ENTERRADOS POLITICAMENTE POR LULA E PELA CONSCIÊNCIA DOS PERNAMBUCANOS – SÃO TÃO BRANCOS E REACIONÁRIOS COMO QUALQUER UM DOS POLÍTICOS NAZI-FASCISTAS DO SUL/SUDESTE).DA MESMA FORMA QUE OS POLÍTICOS CONSERVADORES DE TODO O PAÍS SE UNIAM PARA APOIAR A EXPLORAÇÃO DO BRASIL PELOS EUA, JÁ QUE ISSO LHES GARANTIA A PERPETUAÇÃO DA ORDEM SOCIAL DA QUAL ERAM BENEFICIADOS, OS POLÍTICOS CONSERVADORES DAS REGIÕES EXPLORADAS, NORDESTE, CENTRO-OESTE E NORTE; SE UNIAM PARA GARANTIR A PERPETUAÇÃO DA EXPLORAÇÃO DE SUAS REGIÕES PELOS “SULISTAS”, FEITA ATRAVÉS DE UM ESTRUTURA TRIBUTÁRIA DESTINADA A TRANSFERIR OS RECURSOS DE TODOS OS ESTADOS, RECOLHIDOS PELA UNIÃO, PARA FINANCIAR O “DESENVOLVIMENTO” DO SUL/SUDESTE, PRINCIPALMENTE DE SÃO PAULO, ORDEM EXPLORATÓRIA QUE BENEFICIAVA A “ELITE” BRANCA E RETRÓGRADA DAS REGIÕES EXPLORADAS. POR ISSO, AS “ELITES” BRANCAS DE NOSSAO PAÍS ODEIAM LULA, TANTO PORQUE COMEÇOU A MUDAR A ORDEM SOCIAL EXTERNA DE EXPLORAÇÃO, COMO PORQUE MODIFICOU A INETRNA; OU SEJA, PORQUE COMEÇOU A MODIFICAR O MODELO DE EXPLORAÇÃO QUE TRANSFERIA AS RIQUEZAS DO BRASIL PARA OS EUA, COMO TAMBÉM PARALELAMENTE MODIFICOU O MODELO DE EXPLORAÇÃO INTERNA QUE ROUBAVA AS RIQUEZAS DO RESTANTE DO BRASIL E AS ENTREGAVA PARA SÃO PAULO. CONTINUANDO NO RESTANTE DO BRASIL, CONVIDO-O CARO AMIGO PARA SAIR DE REZENDE, COMO DIRIA PHA, E CONHECER O BRASIL FORA DAS LENTE DE GLOBO E SUA TURMA. ASSIM, VERÁ QUE A “ELITE” BRANCA DO BAIRRO DE BOA VIAGEM(QUE ENTROU NA JUSTIÇA COM DEZENAS DE AÇÕES SÓ PARA TENTAR IMPEDIR QUE A PREFEITURA PETISTA DE RECIFE CONSTRUÍSSE UM PARQUE NAQUELE BAIRRO COM O NOME DE D.LINDU, A MÃE DE LULA, JÁ QUE A ARROGÂNCIA DESSE FASCISTAS NÃO ADMITIA TEREM NO “SEU” BAIRRO UM PARQUE – LUGAR PÚBLICO – E AINDA POR CIMA COM O NOME DE UMA MULHER DE ORIGEM HUMILDE )É TÃO ARROGANTE E DEMENTE QUANTO A “ELITE” DOS JARDINS. DIGO ISSO NÃO PARA ACHAR QUE O NORDESTE, O NORTE E O CENTRO-OESTE SÃO “MELHORES” POR TEREM OS MESMOS INDO-EUROPEUS PSICOPATAS QUE VOCÊ ALIENADAMENTRE ACREDITA SEREM EXCLUSIVIDADE SULISTA, ESSA CORJA É UMA PRAGA EM QUALQUER LUGAR, MAA EXATAMENTE PARA QUE ESTE ESPAÇO AO MENOS REPRODUZA UMA VERSÃO CORRETA DO BRASIL, LIVRE DOS ESTERIÓTIPOS QUE A MÍDIA ALARDEIA, JÁ QUE SOMENTE CONHECENDO ESTE PAÍS É QUE PODEREMOS COMBATER MELHOR OS SEUS PROBLEMAS E SABER QUE AS FORÇAS DO ATRASO ESTÃO EM TODOS OS ESTADOS DO BRASIL, AGINDO EM UNÍSSONO EM SUAS REGIÕES PARA IMPEDIR ESTE PAÍS DE MODIFICAR-SE, É ESSENCIAL PARA TERMOS ÊXITO EM UM COMBATE QUE OCORRERÁ EM TODOS OS CANTOS E PRECISA DE FORÇAS QUE CONHEÇAM O.BRASIL.

    • João Paulo

      Carlos Henrique, muito bom o seu comentário. É isto mesmo. Você me fez lembrar os anos oitenta, eu era então professor de Geografia quando dei aula em Carandaí para uma menina pernambucana, cujo pai estava trabalhando na Companhia Cimento Tupi. Os avós maternos da menina moravam em Pernambuco, no sertão ou no agreste, não me lembro mais qual a região. Só sei que numa das muitas secas que houve foi construído com dinheiro público um açude nas terras de um fazendeiro. Os tios da menina tinham que buscar água de madrugada, pois o latifundiário simplesmente não permitia que o povo fosse buscar água ali. E as pessoas morrendo de sede, e o homem com um açude particular.

      Sr. Carlos Henrique, não se sinta ofendido se eu lhe disser uma verdade: Eu custei a ler suas sábias palavras, pois letras maiúsculas embaralham minha vista. Terei de comunicar isto ao meu oftalmologista na próxima vez que for à consulta.

      Uma sugestão: divida-o em pequenos tópicos numerados. Não precisa fazer dez comentários se tiver dez tópicos. Pode fazer num único comentário.

      • Alex Mamed

        Ah, é mesmo? Então me digam por que vocês fazem aliança com o Sarney (elite do Maranhão e Amapá), Collor e Calheiros (Alagoas) Roriz (DF) Maluf (São Paulo) e tantos outros próceres de nossa velha oligarquia, que dão sustentação ao Governo desde a era Lula?
        .
        Então os reacionários são apenas os que são de oposição? Vocês acham que essa turma tá preocupada com pobre?

        Beleza, então. Tamo combinado!

        • eduguim

          Não existe aliança com de partidos e governos com pessoas, mas com partidos. O que sua turma tenta dizer é que quando a direita faz alianças é lícito, quando a centro-esquerda faz é imoral. O projeto de país é o do PT. Aí estão a distribuição de renda e a redução da pobreza – bem como o soerguimento internacional do Brasil – que não me deixam mentir. Isso mostra que a aliança foi acertada. Só a esquerda não governa um país como este sozinha. E nem a direita. O importante é que a cabeça seja progressista. O resto é chororô de perdedor

  • Alex Mamed

    Mas a lei é tão bacana, tão bana mesmo que o Governo vai deixar o IME e o ITA de fora… por que será?

    Essa pseudoamplicação do ensino superior foi uma balela. Bilhões de reais para despejar milhões de analfabetos funcionais no mercado.

    Somente entre 15 a 20% dos bacharéis conseguem ser aprovados no Exame de Ordem da OAB. Espalhe isso para as demais áreas de formação e se terá noção do estrago.

    Aqui nem se trata de ser elitista: trata-se de aplicar o remédio errado e na dose errada. O Governo deveria priorizar o ensino fundamental e médio, ensinando a ler e fazer conta. Conheço universitário de particular do Prounic que não sabe fazer conta de dois números (nem didivir nem multiplicar). Que miserável de profissional vai ser esse?

    Bem, podem cantar as loas do país maravilha registrado em cartório: ele existe lá e na cabeça de vocês.

    • eduguim

      E da maioria ESMAGADORA do povo brasileiro

  • Concordo plenamente com o artigo, que está muito bem escrito diga-se de passagem…

  • Parabéns pelo blog e pelo trabalho!