Despojos da Batalha do Mensalão

Crônica

Pensaram que era uma guerra, mas, ao buscarem despojos entre os escombros, descobriram que a luta sangrenta, que de fato venceram, não passou de uma batalha. Guerras, como se sabe, dão tudo aos exércitos vencedores. Batalhas não. Só servem para tomar posições ao inimigo, mas não premiam com o objetivo final da guerra.

Sim, venceram uma grande batalha. Invadiram a fortaleza inimiga, fincaram bandeira e aprisionaram generais – literalmente. Agora, arrastam-nos pelas ruas do espectro eletromagnético. Maltrapilhos, feridos, acorrentados, José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e João Paulo Cunha são exibidos como troféus pelas hordas midiáticas.

Mervais, Noblats, Azevedos, Cantanhêdes, Malafaias, Serras e que tais conduzem, meditabundos, o cortejo de flagelação que exibe para a cidadela capturada os líderes subjugados. Mas, de dentro da gaiola em que os prisioneiros são mantidos, um gesto: Dirceu, mais uma vez, levanta e exibe os grilhões. E sua voz, desafiadora, ainda se faz ouvir.

Sim, eles ainda controlam super soldados do STF capazes de produzir estrondos com o menear de um dedo. Todavia, agora se dão conta de que o inimigo ainda controla os macro movimentos do oceano eleitoral, que, em breve, derramará um vagalhão democrático que a tudo engolfará.

Os despojos dessa Batalha sanguinolenta, pois, não passaram de Dirceu e Genoino, em última análise. Só que eles já haviam sido capturados antes. E em condições muito mais adversas.

Aquela guerra que foi tirar o Brasil da ditadura que os mesmos de hoje implantaram ontem, no entanto, eles perderam. O regime ditatorial que dizem ter sido “mal necessário” – como se algum mal pudesse sê-lo –, caiu.  E aqueles verdugos operosos, altivos e arrogantes são hoje apenas uma sombra do que foram outrora.

Hoje, não passam de velhotes – ou velhacos – tímidos, frágeis, que já vão sendo encurralados pela (Comissão da) Verdade, pelo eco de seus crimes.

Após uma década, sonharam que era chegada a hora de dividirem, aos tabefes, os despojos almejados. Não aconteceu. Venceram, sim, a Batalha do Mensalão e, covardes, tripudiam sobre os capturados. Mas estes permanecem de cabeças e grilhões erguidos para lembrá-los de que vencer uma batalha não é vencer a guerra, que continua.

*

Abaixo, a nota de José Dirceu sobre a própria condenação

“NUNCA FIZ PARTE NEM CHEFIEI QUADRILHA

Mais uma vez, a decisão da maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal em me condenar, agora por formação de quadrilha, mostra total desconsideração às provas contidas nos autos e que atestam minha inocência. Nunca fiz parte nem chefiei quadrilha.

Assim como ocorreu há duas semanas, repete-se a condenação com base em indícios, uma vez que apenas o corréu Roberto Jefferson sustenta a acusação contra mim em juízo. Todas as suspeitas lançadas à época da CPI dos Correios foram rebatidas de maneira robusta pela defesa, que fez registrar no processo centenas de depoimentos que desmentem as ilações de Jefferson.

Como mostra minha defesa, as reuniões na Casa Civil com representantes de bancos e empresários são compatíveis com a função de ministro e em momento algum, como atestam os testemunhos, foram o fórum para discutir empréstimos. Todos os depoimentos confirmam a legalidade dos encontros e também são uníssonos em comprovar que, até fevereiro de 2004, eu acumulava a função de ministro da articulação política. Portanto, por dever do ofício, me reunia com as lideranças parlamentares e partidárias para discutir exclusivamente temas de importância do governo tanto na Câmara quanto no Senado, além da relação com os estados e municípios.

Sem provas, o que o Ministério Público fez e a maioria do Supremo acatou foi recorrer às atribuições do cargo para me acusar e me condenar como mentor do esquema financeiro. Fui condenado por ser ministro.

Fica provado ainda que nunca tive qualquer relação com o senhor Marcos Valério. As quebras de meus sigilos fiscal, bancário e telefônico apontam que não há qualquer relação com o publicitário. 

Teorias e decisões que se curvam à sede por condenações, sem garantir a presunção da inocência ou a análise mais rigorosa das provas produzidas pela defesa, violam o Estado Democrático de Direito.

O que está em jogo são as liberdades e garantias individuais. Temo que as premissas usadas neste julgamento, criando uma nova jurisprudência na Suprema Corte brasileira, sirvam de norte para a condenação de outros réus inocentes país afora. A minha geração, que lutou pela democracia e foi vítima dos tribunais de exceção, especialmente após o Ato Institucional número 5, sabe o valor da luta travada para se erguer os pilares da nossa atual democracia. Condenar sem provas não cabe em uma democracia soberana.

Vou continuar minha luta para provar minha inocência, mas sobretudo para assegurar que garantias tão valiosas ao Estado Democrático de Direito não se percam em nosso país. Os autos falam por si mesmo. Qualquer consulta às suas milhares de páginas, hoje ou amanhã, irá comprovar a inocência que me foi negada neste julgamento.

José Dirceu

22 de outubro de 2012″

308 comments

  • Acho que os ministros do Supremo, se apenas argumentassem sobre a condenação, sem fazer discurso politico, convenceriam mais. Do jeito que estão fazendo só agradam os mesmos. Lucro quase zero..

    • Concordo integralmente contigo Carlos. Já sabiamos da armadilha que seria esse julgamento. Agora aquele tricô entre os Ministros, aqueles discursos que pretendem ser um puxão de orelha na sociedade brasileira é que me deixam irada. INfelizmente aonde moro, que é Florianópolis ,os dois candidatos que disputam o segundo turno não representam o campo das esquerdas, mas estou atenta e na torcida pra que o PT e os partidos aliadosobtenham vitória no próximo domingo aonde estiverem disputando. Essa será a reposta do povo a toda essa encenaçãomidiática e judicial.

  • O Rui Falcão já deu a entender várias vezes que o PT mobilizará os movimentos sociais, CUT, MST, UNE e outros pra sair às ruas em protesto contra o STF.
    Não vejo a hora de sairmos às ruas para, como disse o companheiro Zé Dirceu, depois de “bater eles nas urnas”, “bater neles nas ruas”,

    • Seo Cirico, o Sr. acredita nisso? Além de uma notinha vazada em indignação e apoio, o PT não vai fazer nada. Porque é um partido covarde e acredita nessas histórias da carrochinha, nessas contos de fadas e papai noel de respeito às liberdades democráticas e da imprensa, equilíbrio dos três poderes, comportamento republicano e outras besteiras. Vão deixar Genoino e Dirceu assarem na prisão.

      • José Ricardo,
        Você NÃO está por dentro do diretório do PT. Como pode afirmar isso? Deixa acabar a eleição do 2º turno e esse julgamento, ou melhor, linchamento, depois você palpita, tá?

    • Rui Falcão é um vagabundo. Não espere nada deste calhorda idiota.
      Falcão só tem no sobrenome: não passa de uma galinha assustada; pior: é pusilânime.
      Aliás, parece ser característica sine qua non para se tornar presidente do PT. Lembram-se do outro vagabundo, o Dutra?
      Um monte de m(*) faria melhor figura.

    • Pode começar por redigir um nota oficial do PT repudiando de maneira dura o Mello do STF que comparou o 13 do PT ao número de réus condenados por formação de quadrilha. E que essas coincidências numéricas é coisa da máfia italiana.
      Tem que ser duro, por exemplo, lembrando que esse minsitro soltou o Cacciola, este sim mafioso e italiano.

  • POR QUE A DIFERENÇA?

    Pela lei, tem direito à prerrogativa do foro privilegiado no STF apenas políticos em cumprimento do mandato. No caso dos réus do “mensalão”, eram três.
    Mas o MPF denunciou 38 na ação que chegou à Corte máxima.
    E a Corte entendeu por bem julgá-los todos em conjunto.

    TODO O SHOW DO STF FOI E É CAPITANEADO PELA MÍDIA.

    Já no caso do “mensalão do PSDB”, o desmembramento foi aceito e cada qual responderá na instância que lhe compete: o ex-governador Eduardo Azeredo no STF e os demais nas instâncias inferiores.

    Constituição, artigo 102 – no inciso I, dispõe-se, na letra “b”, que o Supremo Tribunal tem competência para processar e julgar, originariamente, nas infrações penais comuns, “o Presidente da República, o Vice-Presidente, os membros do Congresso Nacional, seus próprios Ministros e o Procurador Geral da República”. Em seguida, na letra “c”, foi estabelecida a competência originária para processar e julgar “nas infrações penais comuns e nos crimes de responsabilidade, os Ministros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, os membros dos Tribunais Superiores, os do Tribunal de Contas da União e os chefes de missão diplomática de caráter permanente”.

  • O Governo e o Congresso devem deixar bem claro ao STF os problemas criados com um julgamento político. Já está na hora de reformas profundas no Judiciário, a começar com mandatos para Ministros como são com Senadores e Deputados. Colocar o CNJ sobre o controle da sociedade e restringir fortemente os gastos com a estrutura de todo o Judiciário.

  • O que a dupla de Mello’s conseguiu hoje, sequer pode ser considerada vitória em batalha, pois verá-se, ao correr dos dias, que foi de Pirro, pois desclassificaram-se como juízes, ao portarem-se como cabos eleitorais a produzir factóides que beneficiassem o seu lado político, o da casa grande.
    Mas nem mesmo isso conseguirão, sem contar que, escancararam de tal maneira o quanto esse supremo é menor, que a partir de hoje, de fato, no Brasil, supremo, só o de frango.

    Reforma do judiciário e regulação da mídia, já.

    • Com os discursos políticos dos ministros, cada um querendo ser mais contundente, a disputa entre eles vai ficando mais acirrada, não ‘dá para o Joaquim ficar com todos os aplausos e glorias. …oh vaidade! .

  • Cabe ao PT, através do governo da Dilma, aprofundar nas mudanças sociais como forma de vencer a guerra.
    Essa será a única forma de vencer a grande imprensa e direita raivosa inclusive infiltrada no STF.

  • Eduardo Guimarães, atente muito bem para a seguinte questão: o resultado de hoje foi de 6 à 4 pela condenação. Isso quer dizer que, em função dos 04 votos absolvitórios dados aos réus, caberão embargos infringentes da decisão. O julgamento não acabou, enquanto houver a possibilidade de recurso (embargos de declaração ou embargos infringentes) não haverá o trânsito em julgado da sentença penal condenatória.

    O poeta de oitava categoria que por ora preside o STF se aposenta dentro de 03 semanas. Teori Zavascki assumirá tão logo acabe essa primeira parte do julgamento (sem os recursos). O que eu quero dizer com isso? Quero dizer que a condenação de José Dirceu, de José Genoíno, bem como dos outros acusados de quadrilha ou bando NÃO é definitiva! Existe possibilidade real de virar o jogo e absolver os acusados!

    Mas, para que isto aconteça, é chegada a hora de o governo federal selecionar melhor os ministros do STF. Acho inadmissível que o governo Dilma Rousseff tenha indicado um imbecil como Luiz Fux para ministro… Isso é repugnante e inadmissível. Com a saída de Ayres Britto, abre-se uma grande oportunidade de indicar um juiz garantista para compor a corte. O jogo não acabou. Existem os recursos e pode haver reversão! Mas é chegada a hora de parar de fazer política de brincadeira e fazer política de verdade, com P maiúsculo. Seria ótimo começar com a indicação responsável do novo ministro do STF que ajudará a julgar os recursos.

    Converse com os teus contatos no PT Edu, o jogo não acabou! Mas o time petista tem de entrar em campo agora, sem medo de ser feliz, pois ainda dá para virar a partida e absolver os réus, por mais incrível que isto possa parecer… Abraço.

    • É isso aí, Diogo, a batalha ainda não é finda. Só uma coisa já é definitiva: o caráter de excepcionalidade desse julgamento e a sabujice do Supremo frente ao Poder midiático. Ayres de Brito, Luiz Fux, Celso de Mello, Gilmar Dantas, foram apenas bonecos de ventrilócuo dos Mervais, Nunes, Reinaldos, Catanhedes da mídia. Nunca, jamais,.juízes na a acepção do termo.
      Vergonha nacional esse julgamento.

    • Eu vou além, Diogo, a Dilma tem que nomear um garantista e ligado à esquerda (se for dificil de achar, procure até achar). É preciso contrabalançar os dois inimigos declarados do PT, gilmar e Marco Aurelio. O indicado pode ter dificuldade na sabatina, mas aí tem que fazer articulação política.
      Como você disse, é preciso fazer política de gente grande. E isso não é só marcar presença no palanque dos candidatos do governo.
      PS: Pode também ir para cima do Gurgel na CPI da Veja

  • Obrigada,mais uma vez, Edu, por fazer sua a nossa voz. Estou ansiosa pelo pronunciamento do Partido, que espero seja de coragem e destemor, para que possamos ir às ruas e iniciar a nova batalha ,pois só assim teremos como retribuir a Dirceu e Genoino parte de sua luta e honrar nossa história.

  • Eduardo Guimarães
    Quero dizer a voce e aos frequentadores deste magnífico, destemido e democrático espaço, primeiro; pelo fato de voce não ser jornalista, elogiar a sua postura e coragem.
    Quando eu digo, pelo fato de voce não ser jornalista, é que voce é igualzinho a nós, frequentadores do seu espaço, gloriosamente construído para agregar pessoas que comungam do mesmo pensamento.
    Não vou citar o sítio, mas devo lhe dizer que estou um tanto decepcionado com a postura daquele espaço que insisto em não mencionar. Mas se trata de um jornalista consagrado. Permita-me dizer que alguns comentários meus lá postado, não serão publicados. Eu só tenho a lamentar.
    Digo isso porque não adianta o jornalista levantar a bola e na hora “H” ele não deixa a gente chutar.
    Posso lhe garantir que não usei palavras de baixo calão, apenas usei as mesmas frases que o autor do texto usou no seu artigo, que não é de autoria do jornalista dono do espaço.
    Eu disse lá, e que não será publicado, que nós devemos empunhar bandeiras contra esse julgamento político do STF em conjunto com as pessoas aglutinadas num espaço vitorioso como o seu. Porque sozinho não dá para empunhar uma bandeira, um cartaz e sair pelo Brasil afora, sob o risco de sermos ridicularizado como a turma do “Cansei”.
    Nossa luta é dígna e gloriosa, pois temos o apoio das massas que vão eleger em segundo turno os candidatos progressistas da base aliada do governo Dilma/Lula.
    Sem bajulação, devo dizer que a sua obstinação pela luta pelos nossso direitos democráticos, que está sob julgamento, é digna de louvor, ainda mais pelos problemas familiares que voce enfrenta.
    Vejo em voce, um nobre cidadão, a semelhança de um Zé Dirceu, Genoíno e João Paulo Cunha, que tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente, tal como os tres, lutadores infatigáveis.
    Confesso que as vezes não tenho fôlego para tanto, mas se estimulado, vou as últimas consequências.
    Não tenho mais tempo para esperar o país do futuro que me venderam quando eu era adolescente.
    Estou pronto para luta.

  • Lewandowisk deve está se perguntando, o que eu estou fazendo aqui nesse tribunal de exceção? Ministro Lewandowisk eu me solidarizo com você nesse momento tão difícil para o justiça no Brasil. Você também deve ter percebido, o STF mostrou claramente que age em favor de um determinado grupo político e faz isso de forma descarada, trabalha contra a justiça. Hoje vejo o STF como o maior partido de oposição no Brasil (PSTF) juntamente com o PIG. Amanhã a história não perdoará, mostrará o atual colegiado do STF ( salvo poucas exceções) como uma das maiores quadrilhas brasileiras!

  • Parece improvável que estes ministros, antes de julgar os recursos, mandem prender os membros do PT na quinta ou sexta-feira para mostrar na Globo em plantão permanente até o final da eleição, e assim tentar eleger o Serra. Mas que podem fazer até esta barbaridade não se duvide. Já mostraram que estão dispostos a tudo, ao transformar o STF em curral eleitoral.

    Agora que o Supremo se prestará, antes das eleiçoes, a criar algum factóide para tentar eleger o Serra, fechando com chave de ouro esta palhaçada, eu não tenho dúvida nenhuma. Vou dar só um exemplo: mandar a Polícia invadir as casas dos membros do PT em julgamento, com a Globo filmando tudo, com a desculpa de recolher passaportes para evitar que os réus não fujam do país.

    Assim é bom que os membros do PT se acautelem quanto a esta e outras possibilidades.

    Afinal de contas, não se pode pensar que temos PAZ PÚBLICA no País quando um membro do Supremo Tribunal Federal defende o ‘mal necessário’, ou seja, a ditadura.

    • Francisco, o julgamento tem um objetivo muito mais pernicioso que beneficiar o Serra. O objetivo básico é criminalizar a política e os últimos governos de característica trabalhista. Tem que desconstruir o ex presidente e suas políticas de inclusão senão o zé povinho vai mandar no país.

  • Eles lutaram contra a ditadura e por um país menos injusto, por isso tem o meu respeito, aperto a mão de Dirceu e Genoíno na rua se os encontrar e de mim só receberão agradecimentos. O que meia dúzia de togados idiotas pensa não me importa, pois pra mim nunca moveram uma palha.

    Excelente Edu.

  • Brilhante,Edu!
    Quero compartilhar com os confrades deste blog uma belíssima poesia do cubano Silvio Rodriguez, traduzida pelo Miltinho (MPB4): Por quem merece amor
    Penso que essa canção mora na alma dos bravos Genuino e Dirceu, que novamente “dão suas vidas” pela liberdade do nosso povo.
    Por Quem Merece Amor

    Te perturba esse amor?
    Amor de juventude
    Meu amor é amor de virtude
    Te perturba esse amor?
    Sem máscaras por trás
    Meu amor é uma arte de paz
    Te perturba esse amor?
    Amor de humanidade
    Meu amor é amor de verdade
    Te perturba esse amor?
    Com todos ao redor
    Meu amor é uma arte maior

    Meu amor, minha prenda encantada
    Minha eterna morada
    Meu espaço sem fim
    Meu amor não aceita fronteira
    Como a primavera
    Não escolhe jardim

    Meu amor, não é amor de mercado
    Esse amor tão sangrado
    Não se tem pra lucrar
    Meu amor é tudo quanto tenho
    E se eu vendo ou empenho
    Para que respi-ra- a- a- ar

    ¿Te molesta mi amor?
    Mi amor de juventud
    Y mi amor es un arte en virtud
    ¿Te molesta mi amor?
    Mi amor sin antifaz
    Y mi amor es un arte de paz.
    ¿Te molesta mi amor?
    Mi amor de humanidad
    Y mi amor es un arte en su edad
    ¿te molesta mi amor?
    Mi amor de surtidor
    Y mi amor es un arte mayor

    Meu amor, alivia e acalma
    É o remédio da alma
    Pra quem quer se curar
    Meu amor é humilde é singelo
    E o destino mais belo
    É torná-lo maio- o- o- or

    Meu amor, o mais apaixonado
    Pelo injustiçado
    Pelo mais sofredor
    Meu amor abre o peito pra morte
    E se entrega pra sorte
    Por um tempo melho-o- o- or
    Meu amor, esse amor destemido
    Arde em fogo infinito
    Por quem merece amor…

  • Todo esse enredo fantástico criado pelo Gurgel e pelo Barbosa está baseado na tese de que Henrique Pizzolato roubou o dinheiro do mensalão do Banco do Brasil. Ele foi pinçado pelos dois entre quatro diretores do banco só porque era filiado ao PT.

    A condenação dele é a mais absurda, embora a menos comentada. A inocência dele está provada nos autos. Por mais injusta que sejam as condenações do Genoino e do Dirceu (e de outros).

    Para que os demais continuem a batalha por sua inocência, primeiramente seria necessário desconstruir toda a tese do mensalão pelo princípio: pela absolvição de Pizzolato.

    Só não sei, juridicamente, como isso pode ser possível. Até o Lewandowski caiu no conto e condenou o cara. Acho que não cabe qualquer tipo de recurso. Ou cabe?

    • Não cabe recurso.
      Mas se fala de que a Dilma deve dar um indulto pra todos os condenados.
      O que pode ser feito é para o futuro. Por exemplo, a presidente não deve mais preocupar-se em colocar juristas de notório saber e grande formação no STF. Gente amiga, que não tem sequer mestrado como o Tófolli, é exemplo de que o melhor para um governo de proletários é não ter representante da elite na corte suprema.

  • Texto espetacular, Eduardo, absolutamente espetacular!!!!
    .
    A carta de José Dirceu nos enche de orgulho, indignada mas serena, e acima de tudo, incisiva. Coragem é o nome desse lutador político, e sua luta não vem de hoje, assim como a de Genuíno e outros. E nos enche de coragem também. Mantenha a fé, Dirceu, nada como um dia após o outro, como demonstrado.
    .
    É paradoxal, mas injustiças tão flagrantes como essa que alguns juízes ( falsos juízes, vários ali no STF mostram-se tucanos infiltrados) fizeram com os membros do PT, longe de nos esmorecer, nos fortalece ainda mais. No domingo vamos dar mais uma resposta a eles ( PiG, direita e judiciário), nas urnas, como já fizemos no 1o.turno.
    .
    ( Obs: A partir de agora, espero que a presidenta Dilma faça escolhas bem mais cuidadosas nas escolhas para juízes do STF. Não é o ideal, mas, infelizmente, é necessário que seja assim. Equilibrar o jogo no STF parece ser peça importante para manter o país dentro de uma, digamos, normalidade democrática, pra não me estender muito.
    .
    Aliás, fhc sabia disso, a importância de indicar “corretamente” os juízes para o STF, muito bem).
    .
    Mas vamos lá, o mais importante agora é: no próximo dia 28 de outubro, vamos juntos com o PT! E vamos com força!
    .

  • Caro Eduardo
    Quanto mais os reacionáios perdem nas urnas, tanto mais eles buscam refúgios de uma máquina que foi montada por eles, o STF é uma máquina montada por eles, que estão usando no momento, numa forma de desmobilizar o PT.
    O PT tem por obrigação desmontar também essa máquina, e deixar ainda mais acuado essa minoria de menos de 1%, que comanda o Brasil a mais de 500 anos.
    Tirar SP capital das mãos deles, SP estado, investir em novas leis, será um choque contra eles, mas deve ser feito.
    O PT governa, mas com as leis dos “perdedores”.
    Saudações

  • Estou estarrecido com a descoberta de como alguns membros do supremo tribunal do meu país, possam ser tão primário e tão explícitos em suas intenções, indisfarçavelmente eleitorais como a obvia intensão de causar danos eleitorais a um partido político, que qualquer um, mas, qualquer um mesmo, pode constatar o quanto o odeiam. Qualquer que seja a perspectiva em que olhamos o caso, parece coisa encomendada. Eu vi ódio nos olhos dos dois Mel(l)os. Uma baixaria para rer lembrada na historia por séculos. Cadê a Marilena Chauí que sabe sempre o que dizer e como enquadrar pessoas deste tipo?

  • O ministro marqueteiro do STF, aquele que achou a “ditadura um mal necessário” está do jeito que gosta. Pagina inteira no blog trincheira do reacionários, hipócritas e preconceituosos.

  • A camarilha agendou a condenação do que eles chamam de ‘quadrilha’ para afetar milimetricamente as eleições e tentar favorecer um campo político, o mesmo campo que mandou no Brasil durante quarenta anos seguidos. Vamos responder nas urnas e nas ruas! Só falta alguém convocar o pessoal! As messalinas do STF condenaram os supostos ‘mensaleiros’ … vamos mostrar a todos quem elas são de fato. Garanto que se darão um generoso reajuste depois do serviço prestado a seus parceiros políticos.

    Mensalão é o escambau! Quem rouba voto é Lalau!
    Que o STF não roube os mandatos que o povo outorgou livremente!

    O STF está tungando é a população que votou nessas pessoas, ou seja, todos os eleitores de cada um desses políticos e partidos. Golpe contra a democracia quem está a praticar é o Sr. Ayres de Britto e sua camarilha.

  • A farsa conhecida como “mensalão”, engendrada e planejada nos mínimos detalhes pela mídia oligárquica, por grande parte do judiciário e pelo resquício de oposição direitista e conservadora que ainda existe no país, mas que vem continuamente diminuindo em tamanho e perdendo representatividade eleição após eleição, entra para a história como um vergonhoso tribunal de exceção, uma verdadeira mácula (mais uma) na trajetória do judiciário brasileiro. O caso “mensalão”, com toda certeza, será usado no futuro como exemplo de subserviência do poder judiciário a interesses mesquinhos que passam longe da preservação da Justiça; interesses que visam, unicamente, a superação de uma proposta política por meios outros que não o lícito, que é através de eleições e da verificação da vontade popular. Mas eis que o povo, imediatamente após esse instante vergonhoso que se verifica no judiciário, dá uma resposta à altura àqueles que se arvoram em donos incontestáveis da verdade, mas que não passam de serviçais do que de pior tem havido ao longo da história política de nosso país. A farsa “mensalão” já está ruindo, se desfazendo a olhos vistos diante do verdadeiro Juízo, aquele que é o Poder no seu estado mais puro: a vontade indiscutível do povo. Vivas à Vontade Popular, que é quem verdadeiramente julga e tem julgado ao PT, a Lula e à direção política que o país vem tomando desde 2002, para fortuna da enorme maioria do povo brasileiro!

  • O Marco Aurelio Mello chegou a fazer uma piadinha com o número 13, e pra chegar a esse número condenou a Geiza que TODO MUNDO absolveu, só pra completar o 13 ! É um absurdo completo … As consequências disso são imprevisíveis. Por ora, não há Supremo nem Globo que faça o Serra se eleger prefeito de SP. Mas, para 2014, não se sabe … O Golpe paraguaio lançou um modelo a ser seguido. Eles que mexam com o Lula…O povo vai para as ruas e eu estarei com eles. Se for o caso, invadiremos o Supremo! Não brinquem com o presidente que tirou mais de 40 milhões de pessoas da pobreza absoluta. Não brinquem com o povo. O brasil é PT o povo é PT ! Não vamos aceitar o golpe paraguaio que a mídia golpista a direita e o STF estão colocando em curso no Brasil ! Não vamos deixar que eles criminalizem a política para tirarem o poder de escolha do povo , para tomarem o poder para si. Nao vamos aceitar que o STF e a midiagolpista sejam o poder acima do poder político do povo e acima de todos os outros.

  • Foi decepcionante o SUPREMO, o Min Joaquim Barbosa. Para que serve a cota dos negros se poderão surgir vários capitães do mato, tipo JB? Como fica a comunidade afro? A gente fica decepcionado com os negros? Não pela parte juridica, principalmente, pelo PRECONCEITO contra LULA e o PT. Isto daria uma grande reportagem bastaria cita as ironias do Min. Joaquim Barbosa, capitão do mato, as ironias do PRENCONCEITUOSO mim. Marcus Aurelius, a caduquice de Celso, a leviandade de Gilmar. etc etc.

  • O Tribunal da Inquisição

    Passar-se-ão cem anos e nenhum destes homens e mulheres, que ora envergonham esta Nação que luta para ser justa e independente, farão pelos milhões de homens e mulheres que estão sendo paulatinamente libertados da escravidão da miséria, do obscurantismo intelectual, da opressão do racialismo e do sectarismo humano, quanto por estes fizeram José Dirceu, José Genuíno e Delúbio Soares.
    Não fossem estes grandes brasileiros, que movidos pela coragem de seus ideais se lançaram de corpo e alma na consolidação de um projeto de mudança real do poder no país, com base nas leis, usos e costumes em vigor, estaríamos ainda sob o manto da opressão e da miséria absoluta, o país da nau sem rumo, dirigido por uma elite apodrecida nos seus valores, sugando para seu deleito exclusivo as riquezas desta enorme e jovem Nação, que se ergue, orgulhosamente de si, pela liderança de Lula e sob a condução segura dos quadros do Partido dos Trabalhadores.
    Giordano Bruno, teólogo, filósofo, escritor e frade dominicano italiano foi condenado à morte na fogueira pela Inquisição Católica por heresia. Influenciado por Aristóteles e Tomás de Aquino, predominantes na doutrina Católica da época, suas idéias avançadas para a época atraíram perseguições. Em 1576 foi acusado de heresia, levado a Roma para ser julgado, abandonou o hábito e em 1579 deixou a Itália. Peregrinou pela Europa até 1590 período em desenvolveu a sua teoria do universo infinito, povoado por uma infinidade de estrelas, como o Sol, e por outros planetas, nos quais, assim como na Terra, existiria vida inteligente. Giovanni Mocenigo, membro de um das mais ilustres famílias venezianas, encontrou Bruno em Frankfurt em 1590 e convidou-o para ir a Veneza, a pretexto de ensinar a mnemotécnica, a arte de desenvolver a memória, em que Bruno era perito. Giordano estava há muitos anos na lista dos fora da lei pela Inquisição, mas Veneza gozava da fama de proteger tais foragidos e o filósofo sentiu-se encorajado a regressar. Mocenigo pretendia usar as artes da memória com fins comerciais, ou para prejudicar seus concorrentes e inimigos. Bruno negou-se a lhe ensinar. Mocenigo, “católico piedoso”, assustado com “as heresias” que o filósofo lhe expunha, perguntou a seu confessor se devia denunciar Bruno à Inquisição. O sacerdote recomendou-lhe esperar e reunir provas. Quando Giordano Bruno anunciou seu desejo de regressar a Frankfurt, o nobre denunciou-o ao Santo Ofício. Mocenigo trancou-o num quarto e chamou os agentes da Inquisição para levarem-no preso, acusado de heresia. Bruno foi preso em 23 de maio de 1592.
    No último interrogatório pela Inquisição do Santo Ofício, não renegou suas idéias e no dia 8 de fevereiro de 1600, foi condenado à morte na fogueira. Obrigado a ouvir a sentença ajoelhado, Giordano Bruno teria respondido com um desafio: Maiori forsan cum timore sententiam in me fertis quam ego accipiam (Talvez sintam maior temor ao pronunciar esta sentença do que eu ao ouvi-la).
    A execução da sentença ocorreu no dia 17 de fevereiro de 1600. Durante a execução teve a voz calada por um objeto de madeira colocado em sua boca.
    As contundentes manifestações de fundo moralista, externadas pelos Ministros do STF, tem o mesmo propósito dos magistrados da Inquisição – colocar uma trava de madeira na boca dos réus que integram o libertário Partido dos Trabalhadores.
    Quem deste homens e mulheres, que vivem à margem da vida real do país, em seu empedernido e exclusivo castelo de concreto, sabe o que é dor da humilhação, a dor da fome, a dor da miséria, a dor do preconceito, a dor da exclusão, a dor da homofobia, a dor da falta de sentido e esperança para a vida.
    Nenhum. Portanto, não compreendem a luta daqueles que se compungem com estes valores, para os quais não estes tem significado.
    Flanando em seus condomínios de luxo, a base de carros e passagens aéreas oficiais, sob o inclemente e agréeable espoucar dos flahs dos rabiscadores dos jornalões da elite dominante, nunca compreenderam o sentido de necessidade e urgência desta horda de excluídos que o Partido dos Trabalhadores tomou para si como causa de existência e luta.
    Tribunais de exceção sempre houveram. Sócrates foi julgado por um. Cristo foi julgado por outro. Giordano Bruno também o foi. Olga Benário foi vítima desta barbárie. A democracia brasileira foi sufocada por vinte anos sendo legitimada por este mesmo tribunal no dia do golpe que a matou. Este tribunal de exceção atual não foge a sua tradição.
    No entanto, os homens e as mulheres de verdade, que fazem a história e constam do rol dos humanos valorosos, são as vítimas; nunca os algozes. Estes a História os registra como modelo de iniqüidade.
    Todos aqueles que estão tentando enfiar uma trava de madeira na boca do Partido dos Trabalhadores e dos cidadãos brasileiros que lutaram para construí-lo e o transformaram na esperança de vida digna para milhões de brasileiros, por meio de um discurso moralista rastaqüera e covarde já sabem que constarão no rodapé da História.
    De nada valerão seus volumosos tomos de estudo a cerca da dignidade da pessoa humana ou dos direitos e garantias individuais, vendidos às favas as Universidades Públicas, se sabemos ora, que não se prestam para moldar o caráter decisório na ora do vamos ver.
    Disse-lhes Giordano Bruno, com a altivez dos que fazem a História, Maiori forsan cum timore sententiam in me fertis quam ego accipiam.

  • A minha única esperança é que esse julgamento seja um divisor de águas para a política nacional. Que venha a reforma política, com cláusula de barreira, financiamento público de campanha, voto distrital misto e por aí vai. Os desafios para o PT são imensos, mas nós temos quadros e competência para enfrentá-los, e vencê-los. Temos que olhar sempre os dois lados da moeda. A Política não pode ser demonizada. O próprio ministro Ayres Brito, ao proferir o seu voto na sessão de ontem do STF, disse a seguinte frase: “É Deus no céu e a Política na Terra”. O Brasil não é uma republiqueta de bananas. Trata-se da 6ª economia do Mundo, e com justiça social poderá se tornar a mais importante nação do Planeta. Penso que as nossas instituições democráticas estejam consolidadas, graças ao PT e seus aliados, com o apoio da sociedade civil organizada.

  • Dirceu foi condenado por que era Ministro.

    Logo, Lula é a bola da vez. Pode ser condenado por ter sido presidente.

    Precisamos nos preparar para uma grande batalha final.

  • No tempo em que os ideólogos (gurus) do PT eram Plínio Arruda Sampaio e Hélio Bicudo (ambos hoje apoiam Serra), o Partido dos Trabalhadores perdia uma eleição atrás da outra. Depois que a tarefa traçar a linha programática coube a Dirceu e Genoíno, o PT passou a ganhar todas. Entenderam agora porque é que os morcegões togados tentam calar os dois, condenando-os sem provas?

  • Como sempre digo, que a cadeia lhe seja fria pelos crimes que cometeu. A hora que alguém quiser se mobilizar para ir atrás da condenação dos mensaleiros de outros partidos, estou junto. Mas o tempo que me disponho a usar a isso pode tambem ser usado para combater quem quer ver criminoso livre.

    • Deixe de ser cínico, você não quer justiça alguma. É jogo político. Você criminaliza os petistas e lambe as botas dos tucanos. É só um mercenário. Não perca tempo em colocar seus comentários asquerosos aqui. Essa foi a última ofensa que você fez

    • Rodrigo, você vai esperar a Justiça e a “opinião pública(da)” se mobilizarem para condenar os “mensaleiros” tucanos e do DEM, para aí dar todo seu apoio a “punição de corruptos”, para mostrar sua imparcialidade, certo?
      Muito conveniente.

  • Caro Edu e amigos

    Quero convida-los para escrevermos um MANIFESTO AO POVO BRASILEIRO para colocarmos os pingos nos is. Como petista e cidadão não aceito a versão final manifestada por alguns ministros de que o PT é um partido golpista e criminoso como acentuaram bem o pequeno poeta e o Mello. Foram condenados (discutivelmente) alguns membros do partido, não o partido, a instituição como querem vender. Afinal, um partido que, dentro do jogo democrático, aliás, que contribuiu decisivamente para o aprofundamento da democracia política e econômica no país, vem buscando se manter no poder (que é um direito de todo e qualquer partido em todo mundo) para defender e implementar um projeto societário (que é seu objetivo, é aquilo que o legitima socialmente) de desenvolvimento com inclusão , com vistas a construção de uma sociedade menos injusta, soberana e inovadora no seu modelo econômico e solidária nas relações entre sua gente, que tem sido reconhecido pelo conjunto da sociedade (trabalhadores, empresários e instituições (afinal, o partido é legal, não foi cassado – embora é o que querem alguns) e aceito este projeto, não pode ser tratado deste jeito, criminalizado. ESTAMOS FALANDO DO PRINCIPAL PARTIDO POLÍTICO DO PAÍS. PORTANTO, É INACEITÁVEL A POSTURA DESRESPEITOSA E, ESTA SIM, GOLPISTA, DOS MINISTROS COM O PARTIDO. TEMOS QUE DISPUTAR A INFORMAÇÃO E ESCLARECER A SOCIEDADE DO QUE SE TRATA ESTE JULGAMENTO.
    Para isso, basta pegar o próprio comportamento dos ministros, da forma como foi organizada o processo e das falas dos próprios ministros, reconhecendo, inclusive, textualmente, a construção seletiva das provas.

  • Pelo que representam na luta pela democracia no país, Zé Dirceu, Genoíno são verdadeiro monumentos. O Supremo mexeu com monumentos nacionais. Ah, uma pergunta: quem vai julgar o STF pelo crime de lesa-pátria?

  • O que pode se esperar de um país que tem as comunicações dominadas por cafajestes, mafiosos e produtores de dossiês. A moeda de troca estampa milhôes e poderes inacreditáveis, com direito ao som do plim-plim. Qual é seu preço pode deixar de ser falado em off porque está tão visível a subserviência que é necessário vomitar todo esse azedume em qualquer banheiro de um boteco imundo. O povo com esse dito supremo nunca encontrara uma ripa de salvação e muito menos uma tábua.

  • Fale o que falarem, mas a PURA VERDADE é que os réus estão sendo condenados porque nadaram numa piscina de ILEGALIDADES e malandragens.

    Claro que entre todos há de todo tipo, inclusive de idealistas que apostavam que pela causa e poder valia tudo, até arriscar e delinquir.

    Infelizmente parece que pra alguns PSICOPATAS a maior dificuldade é a de se reconhecer e encarar. Pra ele os outros estão errados, e/ou a imagem que ele se faz normalmente não é aquela que condiz com a realidade.

    Astutos, atraentes, inteligentes, frios, intransigentes, líderes determinados ao extremo até que o golpe se contemple, são as características da maioria deles.

    CAPONI negou que lavava dinheiro em suas lavanderias de roupa ..NIXON morreu inconformado ..CABO BRUNO achava que fazia justiça ..MALUF, o “cumpadi cumpanheiro”, até hoje, mesmo tendo GRANA PRESA no estrangeiro em seu nome, e sendo procurado por sociedades mais HONESTAS que a nossa, ainda hoje nega ..DANIEL DANTAS ainda é recebido e frequenta muitas salas de visita ..enfim, é o mal do VAMPIRO, o de nunca se ver refletido

    R$ 300 MILHÕES, trezentos corrigidos (isso do que esta sendo julgado e do que se soube) ..falar que um esquema que promoveu esta DERRAMA não seria azeitado se por sobre ele não se desenvolvesse um modelo organizado e aparelhado, desculpe, aqui é só uma questão de ADJETIVO pra definir melhor seus atos substantivos desqualificados de ética.

    De tudo o que dizem, uma delas eu concordo, SEM DUVIDA que o processo NUNCA foi exclusivo, não surgiu agora, muito menos que a partir dele as praticas mudarão e/ou terão FIM.

    Que nada, pra mim, a julgar pelas regras que ainda brotam por sob as barbas de governos progressistas – por exemplo a semana de TRÊS dias pra Câmara – e/ou a inexistência de medidas mais duras e purgativas que viessem a combater estes esquemas ..por tudo isso, reitero, eu NÃO guardo a mínima expectativa de que esta BATALHA (pra usar uma figura de linguagem do Eduardo) guarda em si algo que nos indique de qq esperança por uma vitória da ÉTICA e da CIDADANIA contra o CRIME INSTITUCIONAL praticado por nosso modelo político de lideranças fabricadas.

    Verdade é que do jeito que vai, com ou sem este julgamento, o BRASIL continuará a ser a casa da Irene por muito tempo, no mínimo, até a geração dos nossos netos.

    ps – à lista citada eu gostaria de lembrar do Pizolato, João Magno e João Rocha, fora do malfeitor mor Roberto Jeferson, Valdemar da Costa, a turminha do PMDB, PP, do Banco Rural e de Marcus Valério tb

    http://www.youtube.com/watch?v=riG1RQzzy6g

  • Sinto vergonha alheia desses ministros do stf, em minúsculas mesmo pois retratam a estatura moral e ética desse tribunal de exceção, que em pleno Estado Democrático de Direito foi o primeiro a estuprar as garantias individuais tão duramente conquistadas após 20 anos de ditadura militar.

    A vontade insana desses ministros de condenar e referendar a sentença já proferida pela mídia e oposição desde 2005 está patente desde o início desse julgamento tipicamente de exceção, com ministros falando fora dos autos e adiantando seus votos pela condenação dos réus, num atropelo arrogante do direito e da justiça.

    A análise do crime de formação de quadrilha inova em toda a jurisprudência brasileira para tal crime, adotaram um novo figurino para enquadrar os réus petistas ao crime, o que interessa era dar a manchete ideal para os jornais de direita na ” boca de urna ” destas eleições.

    Esse julgamento será um divisor de águas na política brasileira, quando a suprema corte, que devia ter serenidade e julgar com as provas dos autos, de forma técnica e nos termos das leis penais e garantias processuais, decidiu fazer um julgamento político aceitando as pressões da oposição de direita e da imprensa partidarizada do Brasil, condenou sem provas !

    Sou advogado e estou chocado com a tibieza e espetacularização que o stf proporcionou nesse julgamento político, que parece aqueles espetáculos das antigas arenas romanas onde os cristãos eram jogados para serem devorados pelas feras para deleite do povo ensandecido, papél hoje desempenhado pela imprensa conservadora que tomou o lugar do partido de oposição, que comemora e rejubila-se apartada do sentimento da maioria do povo brasileiro, que passa ao largo desse estranho julgamento e dará sua resposta a essa manobra suja e rasteira no próximo domingo, com a vitória dos candidatos do partido ora em tentativa de criminalização por um tribunal que desonra as tradições da suprema corte brasileira.

    O grande Rui Barbosa e Raimundo Faoro, presidente da OAB nos tempos da ditadura devem estar se revirando no túmulo com tal afronta ao direito e a justiça cometido por esses ministros que condenaram sem provas atendendo ao clamor midiático.

    Fato curioso é que quando um partido gestado no seio do povo, seu legítimo representante que alça ao poder da nação e as forças reacionárias não conseguindo vence-lo pelo convencimento ou excelencia de suas gestões públicas junto ao povo, lançam mão da suprema corte do país para tentar criminalizar toda uma estrutura partidária com mais de 1 milhão de filiados em todo o país.

    O STF será responsável pela crise institucional que poderá se originar no país a partir dessas condenações estapafúrdias que proferiu, a história vai registrar as consequencias deste estranho momento que estamos vivendo, no mínimo a corte judiciária perdeu a credibilidade perante a parte majoritária da sociedade brasileira que apóia e vota nos candidatos do Partido dos Trabalhadores.

    Teremos a partir de agora o PSTF- Partido do Supremo Tribunal Federal x PT – Partido dos Trabalhadores.

    • É disto que estou falando no meu post.

      Segue artigo de um intelectual negro sobre o atual momento e julgamento do STF e a que interesses e forças políticas o julgamento do chamando mensalão atende.

      Não podemos ficar calados com tal acinte e arrogância contidos nesse julgamento de exceção e político do STF. José Dirceu e Genoíno não tiveram medo de lutar contra as forças da ditadura militar que prendia, torturava e matava que a enfrentava. Não podemos ter medo de denunciar esse julgamento do STF que tenta criminalizar o PT, partido político que defende a inclusão social edignidade do povo brasileiro.

      Ramatis Jacino: O sonho do ministro Joaquim Barbosa pode virar pesadelo
      publicado em 22 de outubro de 2012 às 13:50

      por Ramatis Jacino

      Negros que escravizam e vendem negros na África, não são meus irmãos
      Negros senhores na América a serviço do capital, não são meus irmãos
      Negros opressores, em qualquer parte do mundo, não são meus irmãos…
      Solano Trindade

      O racismo, adotado pelas oligarquias brasileiras para justificar a exclusão dos negros no período de transição do modo de produção escravista para o modo de produção capitalista, foi introjetado pelos trabalhadores europeus e seus descendentes, que aqui aportaram beneficiados pelo projeto de branqueamento da população brasileira, gestado por aquelas elites.

      Impediu-se, assim, alianças do proletariado europeu com os históricos produtores da riqueza nacional, mantendo-os com ações e organizações paralelas, sem diálogos e estratégias de combate ao inimigo comum. Contudo, não há como negar que o conjunto de organizações sindicais, populares e partidárias, além das elaborações teóricas classificadas como “de esquerda”, sejam aliadas naturais dos homens e mulheres negros, na sua luta contra o racismo, a discriminação e a marginalização a que foram relegados.

      No campo oposto do espectro ideológico e social, as organizações patronais, seus partidos políticos e as teorias que defendem a exploração do homem pelo homem, que classificamos de “direita”, se baseiam na manutenção de uma sociedade estamental e na justificativa da escravidão negra, como decorrência “natural” da relação estabelecida entre os “civilizados e culturalmente superiores europeus” e os “selvagens africanos”.

      É equivocada, portanto, a frase de uma brilhante e respeitada filósofa negra paulistana de que “entre direita e esquerda, eu sou preta”, uma vez que coloca no mesmo patamar os interesses de quem pretende concentrar a riqueza e poder e àqueles que sonham em distribuí-la e democratizá-la. Afirmação esta, que pressupõe alienação da população negra em relação às disputas políticas e ideológicas, como se suas demandas tivessem uma singularidade tal que estariam à margem das concepções econômicas, de organização social, políticas e culturais, que os conceitos de direita e esquerda carregam.

      As elites brasileiras sempre utilizaram indivíduos ou grupos, oriundos dos segmentos oprimidos para reprimir os demais e mantê-los sob controle. Capitães de mato negros que caçavam seus irmãos fugidos, capoeiristas pagos para atacarem terreiros de candomblé, incorporação de grande quantidade de jovens negros nas polícias e forças armadas, convocação para combater rebeliões, como a de Canudos e Contestado, são exemplos da utilização de negros contra negros ao longo da nossa história.

      Havia entre eles quem acreditasse ter conquistado de maneira individual o espaço que, coletivamente, era negado para o seu povo, iludindo-se com a idéia de que estaria sendo aceito e incluído naquela sociedade. Ansiosos pela suposta aceitação, sentiam necessidade de se mostrarem confiáveis, cumprindo a risca o que se esperava deles, radicalizando nas ações, na defesa dos valores dos poderosos e da ideologia do “establishment” com mais vigor e paixão do que os próprios membros das elites. A tragédia, para estes indivíduos – de ontem e de hoje -, se estabelece quando, depois de cumprida a função para a qual foram cooptados são devolvidos à mesma exclusão e subalternidade social dos seus irmãos.

      São inúmeros os exemplos deste descarte e o mais notório é a história de Celso Pitta, eleito prefeito da maior cidade do país, apoiado pelos setores reacionários, com a tarefa de implementar sua política excludente.

      Depois de alçado aos céus, derrotando uma candidata de esquerda que, quando prefeita privilegiou a população mais pobre – portanto, negra – foi atirado ao inferno por aqueles que anteriormente apoiaram sua candidatura e sua administração. Execrado pela mídia que ajudou a elegê-lo, abandonado por seus padrinhos políticos, acabou processado e preso, de forma

      humilhante, de pijama, algemado em frente às câmeras de televisão. Morreu no ostracismo, sepultado física e politicamente, levando consigo as ilusões daqueles que consideram que a questão racial passa ao largo das opções político/ideológicas.

      A esquerda, por suas origens e compromissos, em que pese o fato de existirem pessoas racistas que se auto intitulam de esquerda, comporta-se de maneira diversa: foi um governo de esquerda que nomeou cinco ministros de Estado negros; promulgou a lei 10.639, que inclui a história da África e dos negros brasileiros nos currículos escolares; criou cotas em universidades públicas; titulou terras de comunidades quilombolas e aprofundou relações diplomáticas, econômicas e culturais com o continente africano.

      Joaquim Barbosa se tornou o primeiro ministro negro do STF como decorrência do extraordinário currículo profissional e acadêmico, da sua carreira e bela história de superação pessoal. Todavia, jamais teria se tornado ministro se o Brasil não tivesse eleito, em 2003, um Presidente da República convicto que a composição da Suprema Corte precisaria representar a mistura étnica do povo brasileiro.

      Com certeza, desde a proclamação da República e reestruturação do STF, existiram centenas, talvez milhares de homens e mulheres negras com currículo e história tão ou mais brilhantes do que a do ministro Barbosa.

      Contudo, nunca passou pela cabeça dos presidentes da República – todos oriundos ou a serviço das oligarquias herdeiras do escravismo – a possibilidade de indicar um jurista negro para aquela Corte. Foi necessário um governo de esquerda, com todos os compromissos inerentes à esquerda verdadeira, para que seu mérito fosse reconhecido.

      A despeito disso, o ministro Barbosa, em uníssono com o Procurador Geral da República, considera não haver necessidade de provas para condenar os réus da Ação Penal 470. Solidariza-se com as posições conservadoras e evidentemente ideológicas de alguns dos demais ministros e, em diversas ocasiões procura ser “mais realista do que o próprio rei”.

      Cumpre exatamente o roteiro escrito pela grande mídia ao optar por condenar não uma prática criminosa, mas um partido e um governo de esquerda em um julgamento escandalosamente político, que despreza a presunção de inocência dos réus, do instituto do contraditório e a falta de provas, como explicitamente já manifestaram mais de um dos integrantes daquela Corte.

      Por causa “desses serviços prestados” é alçado aos céus pela mesma mídia que, faz uma década, milita contra todas as iniciativas promotoras da inclusão social protagonizadas por aquele governo, inclusive e principalmente, àquelas que tentam reparar as conseqüências de 350 anos de escravidão e mais de um século de discriminação racial no nosso país.

      O ministro vive agora o sonho da inclusão plena, do poder de fato, da capacidade de fazer valer a sua vontade. Vive o sonho da aceitação total e do consenso pátrio, pois foi transformado pela mídia em um semideus, que “brandindo o cajado da lei, pune os poderosos”.

      Não há como saber se a maximização do sonho do ministro Joaquim Barbosa é entrar para a história como um juiz implacável, como o mais duro presidente do STF ou como o primeiro presidente da República negro, como já alardeiam, nas redes sociais e conversas informais, alguns ingênuos, apressados e “desideologizados” militantes do movimento negro.

      O fato é que o seu sonho é curto e a duração não ultrapassará a quantidade de tempo que as elites considerarem necessário para desconstruir um governo e um ex-presidente que lhes incomoda profundamente.

      Elaborar o maior programa de transferência de renda do mundo, construir mais de um milhão de moradias populares, criar 15 milhões de empregos, quase triplicar o salário mínimo e incluir no mercado de consumo 40 milhões de pessoas, que segundo pesquisas recentes é composto de 80% de negros, é imperdoável para os herdeiros da Casa Grande. Contar com um ministro negro no Supremo Tribunal Federal para promover a condenação daquele governo é a solução ideal para as elites, que tentam transformá-lo em instrumento para alcançarem seus objetivos.

      O sonho de Joaquim Barbosa e a obsessão em demonstrar que incorporou, na íntegra, as bases ideológicas conservadoras daquele tribunal e dos setores da sociedade que ainda detém o “poder por trás do poder” está levando-o a atropelar regras básicas do direito, em consonância com os demais ministros, comprometidos com a manutenção de uma sociedade excludente, onde a Justiça é aplicada de maneira discricionária.

      A aproximação com estes setores e o distanciamento dos segmentos a quem sua presença no Supremo orgulha e serve de exemplo, contribuirão para transformar seu sonho em pesadelo, quando àqueles que o promoveram à condição de herói protagonizarem sua queda, no momento que não for mais útil aos interesses dos defensores do “apartheid social e étnico” que ainda persiste no país.

      Certamente não encontrará apoio e solidariedade nos meios de esquerda, que são a origem e razão de ser daquele que, na Presidência da República, homologou sua justa ascensão à instância máxima do Poder Judiciário. Dos trabalhadores das fábricas e dos campos, dos moradores das periferias e dos rincões do norte e nordeste, das mulheres e da juventude, diretamente beneficiados pelas políticas do governo que agora é atingido injustamente pela postura draconiana do ministro, não receberá o apoio e o axé que todos nós negros – sem exceção – necessitamos para sobreviver nessa sociedade marcadamente racista.

      Ramatis Jacino é professor, mestre e doutorando em História Econômica pela USP e presidente do INSPIR – Instituto Sindical Interamericano pela Igualdade Racial.

  • Ontem o PIG estava em êxtase, não conseguiam disfarçar a alegria pela nova condenação do Zé Dirceu. Mas o mais constrangedor, chocante e lamentável foram os votos de alguns ministros, onde deixaram clara sua preferência e direcionamento político, algo inconcebível e inaceitável para quem é juiz da corte suprema da nação. Enfim mais um capítulo lamentável desse julgamento de exceção pautado pela mídia conservadora.

  • Pois é. Voltamos definitivamente ao regime militar ditatorial, onde os milicos novos são o STF. Tribunais de exceção, imprensa golpista, políticos criminosos de direita impunes, militância direitista altamente reacionária , etc. A única diferença de antes, é que agora, pelo menos quanto ao povo, eles não conseguem mais enganar.

  • Não se contentando com o julgamento de exerção, alguns Ministro ainda debocharam dos réus. Assistir Marco Aurélio Melo e Gilmar Mendes dando aula de ética e honestidade, da nojo.
    Hoje vejo, que dos três poderes do pais, o pior é o Judiciário.

  • “É o maior escândalo da história.”
    Por que o senescente Celso de Melo fechou o supremo espetáculo midiático no Supremo com o mantra criado pela imprensa corrupta brasileira?

  • Oi Edu

    Esqeici de comentar, mas o faco agora. Este descontrolado joaquim barbosa e sua viceral aversao ao Dirceu talvez se explique naquela entrevivista que ele deu pra falha. Acho que ao chegar ao Planalto para receber a noticia de que iria ser ministro do supremo, deve ter, como sempre parece, se sentido perseguido talvez com um olhar do dirceu, ou talvez uma palavra em voz baixa, algo assim. Nao ha outra coisa que possa explicar esse descontrole. E triste.

    abracos

    wilson

  • É certo que Dirceu chefiou a quadrilha, todos sabem, inclusive você, Eduardo. Então não consigo entendê-lo – o quê você está defendendo? os meios justificam os fins?
    Vale qualquer coisa para impor o seu sistema político?
    Não voto em partido, voto em pessoas, as pessoas são confiáveis, os partidos não. Jamais voto em Lula, mas votei no candidato do PT de minha cidade, era o melhor dos candidatos.
    Não vejo ninguém aqui defendendo pessoas, o que se defende aqui são ideologias. Ora, ideologias são todas positivas, mas são todas teóricas, pois para colocá-las em prática é necessário que existam pessoas por trás, e aí é que está o problema. Quem são as pessoas que elegemos para colocar em prática as ideologias que defendemos?
    O que percebo é que, qualquer sujeito que aparecer dizendo defender a mesma ideologia sua levará seu voto, e sua defesa com unhas e dentes. Mesmo que seja um safado como José Dirceu.
    Neste caso, você comete um erro crasso, primeiro porque você não avalia se a pessoa tem esta capacidade, segundo porque você defende seus métodos (que você condenaria, se usada por um adversário) e terceiro porque você não consegue ver que está sendo ludibriado.
    Você acha que Dirceu tem o mesmo projeto que você? Acredita mesmo nisso?
    Dirceu quer o poder pelo poder. Não por você, nem pela massa sofrida desse nosso país, mas por ele, para ser absoluto.
    Esse sujeito, inteligentíssimo, seria uma grande força brasileira, se não fosse obscuro.
    Esta guerra de ideologias é maléfica para todos. Quer um exemplo? DILMA ROUSSEFF. Não votei nela. No entanto ela está surprendendo positivamente. Votaria nela hoje, mas, a continuar assim, distanciando-se daquilo que Dirceu e lula pregavam, você votaria nela? Tenho minhas dúvidas. Dilma não é PT, e seu governo é completamente diferente do de lula. Suponha que ela leve o Brasil ao progresso que tanto desejamos, que seu governo seja um sucesso. Lembre-se, Dilma é o oposto de lula, então pergunto: você votaria nela? NÃO, você não votaria, você votaria em Dirceu. Então faço outra pergunta: O QUÊ VOCÊ ESTÁ DEFENDENDO?

    • “Dilma é oposto de Lula”… tem gente que precisa escrever sandices na internet para acreditar nelas. Problema seu se vota em pessoas, não em partidos (imagine quantos aqui estão interessados nessa informação), mas você é mais um que acha que sua OPINIÃO é verdade absoluta, típico dos bossais (sem ofensa, é um termo técnico) que creem que estão informados ao ler a Veja…

      • Bossal? bem, não sei de que bossa você está se referindo, mas é provável que você seja um boçal – não se ofenda também – que supõe que eu só posso ter tal opinião por ser leitor da Veja.
        Seguindo esta linha eu pergunto qual cartilha você lê para ser tão boçal?

        • Como pode alguem dizer em tal nao voto nunca,e voto em pessoas…
          Saiba meu caro, que a verdadeira democracia é votar em partidos, em programas claros,nao em “artistas” preparados para determinada eleiçao. E Dilma, meu caro, é PT. Lula é PT.Somos todos, porque sou PT tambem da mesma linha partidaria e doutrinaria. Sugiro que se informe melhor.Lamentavel.

    • Mais que acha que engana,votei em fulano,mas não concordo com o partido,beltrano eu não votei,mas me surpreendeu.Como separar um politico de seu partido,ainda mais o PT. Se voçe tem este “esclarecimento”,sabe muito bem que o o mensalão foi uma farsa.Esta sua conversinha mansa não convence,Se candidato vai perder,assim como os partidos que representam seus ideais estão no mesmo caminho.O povo brasileiro ja mostrou que não acredita nesta farsa,nem no stf e nem nesta midia partidarizada.

    • Luiz, o que se está discutindo não é o que você está falando.
      A família do Direito Brasileiro é a família do Direito Romano, onde a Lei é a fonte primária.
      Portanto, não pode um juiz julgar de forma diferente da Lei.
      As Leis são ruins? Então devem ir ao Legislativo, pois, é lá que as leis devem ser feitas.
      Não pode um juiz se apropriar das funções do Legislativo e julgar de forma contrária ao que diz a Lei.
      Dito isto, informo que você deveria ler o que diz a Lei de Lavagem de dinheiro. Após esta leitura, pergunte a si mesmo se condenaria alguém com base na Lei, pelo crime de lavagem de dinheiro.
      Do mesmo modo, no crime de corrupção passiva, veja que excluiram os atos de ofício para poderem condenar.
      Ao modificarem e julgarem os acusados de forma diferente do que diz a letra fria da Lei, criou-se o Tribunal de Exceção o que é proibido pelo artigo 5º inciso XXXVII de nossa Constituição Federal.
      Isso é importante? Claro que é, pois, qualquer país que se diga democrático, precisa ter a “SEGURANÇA JURÍDICA” que são as normas iguais para todos sem exceções.

      • Luiz, q é Felipe:
        Mto bom, Doutor. Parabéns!
        Em poucas linhas, desmontou a “bossa” do boçal, q não vota em partidos, políticos. Afinal, heim?…. Os partidos são repletos de políticos; coisa ruim, q mtos têm o desplante – somente, agora, de descobrir q é um antro de boçais.
        Dá vontade de rir, Luiz – Do bem.
        Abraço, fraterno

    • Não se preocupe com quem almeja o poder, num regime democrático ele terá que se submeter ao crivo das urnas e portanto se não agradar será defenestrado, mais dia menos dia.
      Veja os exemplo que os tucanos tem dado ao Brasil, sendo alijados de vários cargos pelas suas incompetencias. Mesmo os do PT e de outros partidos, sofrem o mesmo destino quando não agradam.

      Atenha-se ao fato de que a violencia cometida no julgamento de exceção, posto que baseado em acusação inepta do PGR e que após 07 anos, E MUITO DINHEIRO GASTO, com salários entre outros, não logrou produzir provas cabais de crime.

      Este julgamento da forma como foi conduzida representa a tentativa de tomar o poder. Ele demonstra claramente de que lado está a corte (stf) e o que ela e os interesses que a defendem querem : Tomar o poder e se auto promulgarem como os senhores absolutos da lei e da ordem.

      Entramos na DITADURA do stf e por conseguinte do judiciário. Quando a exceção aberta pela jurisprudencia introduzida por este julgamento produzir seus filhotes, pelas instancias deste Brasil imenso, verás o que é atentado a democracia e ao estado de direito.

      Note bem, não estou dizendo para passar a mão na cabeça de quem fez algo fora da lei, estou apenas mencionando que a Lei tem que ser respeitada por todos e o estado democrático de direito defendido a todo custo. Principalmente pelo poder judiciário.

      Em que pais você quer viver ?

      Quantos anos você tem ? O que você sabe ou conhece do passado ? Você conhece o que foi o horror da ditadura ? Você viveu aquilo ? EU VIVI, e não desejo mais.

      Portanto quando um “ministro”, diz que a ditadura foi um mal necessário, para justificar o seu voto condenatório, estamos em pleno GOLPE !

    • Cidadão Luiz, qual “quadrilha” que Dirceu comandou? Aquela que tua globo mandou V.Sa. falar? Cidadão Luiz, Dirceu, caso o Sr. não saiba, NÃO É DO PSDB NÃO. Ele NÃO É DE DIREITA NÃO. A única quadrilha estruturada há, no minimo, 50 anos em nossa Pátria, é a quadrilha do PSDB/DEM/PPS(sempre travestidos com outros nomes, claro) que o Sr., com esse papinho de aranha com a mosca na teia, junto com a DIREITA MIDIATICA(o maior perigo da humanidade), DEFENDE. Pessoas como voces, Sr. Luiz, são incorrigiveis. A direita, para se manter no poder, APARELHA A TUDO E A TODOS. Voces vestem TODAS AS FANTASIAS. ATÉ AS FANTASIAS TOGADAS que, SEMPRE FIZERAM O TRABALHO SUJO DA DIREITA INTERNACIONAL. DIREITA MUDA O DISCURSO, MAS NUNCA OS PROPÓSITOS. DIREITA É O FLAGELO DA HUMANIDADE.

      • H. Pires, Belo comentário ! A Direita sempre mente,dissimula para atingir seus propósitos : Em 1939,Ribentroop (ministro de Hitler) assinou com Molotov (ministro russo) um pacto de não agressão com a URSS que foi ,solenemente, ignorado pela alemanha em junho de 1941.Nunca confiem na direita…

    • Você diz que “é certo que ele chefiou quadrilha”.
      A palavra certo, que você usa em seu texto, apesar da aparência concreta, em um julgamento se não estiver acompanhada de provas não passa de subjetiva, assim como as usadas pelos ministros do STF, “não tinha como não ser”, “é óbvio que sabia”, mas provas nenhuma sequer, nem um centavo depositado em sua conta, nem nada.
      Ninguém chefia uma quadrilha para não ganhar dinheiro, vide Carlinhos Cachoeira por exemplo, esse sim um chefe de quadrilha, ou vai me dizer que os petistas são tão borrabotas que até formando quadrilha dentro do governo, não conseguem ganhar dinheiro e enriquecer? Ou então me mostre as mansãoes de Dirceu e Genuíno, seu enriquecimento ilícito, serve também suas contas no exterior, nem que seja no nome da mulher, da filha, do genro, do primo…
      Porque se houvessem, desse cidadãos a mídia teria mostrado todos os dias nos últimos sete anos, diferente de outros políticos que, apesar das fortes evidências, vivem livres de questionamento.

      • Pobres coitados, por tamanha vaidade não conseguem entender a existência de uma amizade humana e verdadeira, que como se não bastasse ainda carrega consigo um objetivo nobilíssimo de erradicar a pobreza no Brasil.

    • Luiz, em que planeta você mora?
      “não vejo aqui ninguém defendendo pessoas”
      “Ora, ideologias são todas positivas”
      “Dirceu quer o poder. Não por você”
      “Dilma não é PT”
      “Dilma é o oposto de Lula”
      Quanta besteira e poucas palavras.
      Mas mostra sua personalidade de autoritário, dono da verdade.

    • Luis, você só pode estar de brincadeira.

      1 – releia os votos dos ministros, reflita sobre suas adjetivações – você acha mesmo que são adequados às justificativas de votos de magistrados, ou são argumentos utilizados em disputas políticas de baixo nível.

      2 – todas as leis são aprovadas no Congresso Nacional através de negociações políticas envolvendo às vezes partidos, mas muitas vezes bancadas temáticas (ruralistas, evangélicas etc). Ninguém sozinho, ainda que possua a mais bela retórica, a melhor convicção, o melhor propósito, pode influir nestas decisões. A negociação política é a alma da política democrática. É um primitivismo jurássico continuar pensando em pessoas e não em partidos.

      3 – Como um governo que resgatou a soberba nacional, sem aumento das alíquotas dos impostos (ao contrário perdendo a CPMF), sendo boicotado todas as vezes que precisou dos apoios, combtido incessantemente pela mídia, ascendeu uma quantidade incrível de pessoas a um patamar civilizatório mínimo, sem tirar as benesses das camadas mais altas, sem os recursos das privatizações, em plena crise planetária, aumentando o poder aquisitivo médio, melhorando a igualdade social, pode ao mesmo tempo ser o mais corrupto, o “poço da ética e moral” nunca visto? Estamos falando em reencarnação do Hobin Hood?

      4 – De onde vem o reconhecimento internacional da era Lula? O PT compra estas manifestações? Os líderes e a intelectualidade internacional são compostas de imbecis?

      5 – Mesmo os jornais que você lê e se informa, não contem denúncias de corrupções e desvios, com cifras astronômicas, muito acima dos que foram relacionadas no “mensalão”? Porque estas denúnicas não merecem por parte da mídia, da PGR, dos tribunais de justiça, pelo menos o mesmo tratamento do “mensalão”. Até mesmo uma situação similar – o mensalão mineiro – aliás, pior, pois tem comprovadamente e não ilações de dinheiro público?

      6 – Não lhe ascende qualquer dúvida, quando você vê comentaristas, meninnas do Jô, campanhas, estardalhaço, capas de Veja, fustigando incessantemente os governos mais voltados a uma melhor distrituição das nossas riquezas?

      Realmente, desculpe, Luiz, penso que você está de brincadeira. Só que está brincando com coisa séria

      • Svibra,
        Sua contestação é absolutamente pertinente. Ontem, cheguei a conclusão que o stf, de fato, quer usurpar o poder do voto! Nunca vi tamanho ódio, tamanho desprezo pelo voto cidadão! Já estava chocada com todo esse “julgamento de exceção”, mas ontem foi demais. É temerário o que estamos a perceber no stf. Não sei o que virá após, só sei de uma coisa: nossa democracia corre riscos. O judiciário, sobretudo o stf, criminalizou a política, as alianças, enfim, criminalizou a democracia e todos nós que lutamos por ela. Será que, a partir de agora, teremos uma democracia comandada pelos “sábios” do stf? Valeu José Dirceu, valeu José Genoino, valeu Delúbio que nada fez de diferente de muitos outros tesoureiros e, que assumiu, com coragem o que fez. As eleições do 2º turno demonstrarão tudo aquilo que o stf sem coragem, sem justiça, sem o mínimo de respeito está tentando “implantar” nesse nosso grande País. Viva o PT e todos os corajosos que o compõem!!!Viva LULA e DILMA, e que o stf respeite nossos votos. Vitória aos candidatos petistas, que São Paulo seja o principal condutor dessa mudança, com HADDAD!

    • “É certo que Dirceu chefiou a quadrilha, todos sabem”. “Não voto em partido, voto em pessoas, as pessoas são confiáveis, os partidos não”. “Jamais voto em Lula, mas votei no candidato do PT de minha cidade, era o melhor dos candidatos”. “Mesmo que seja um safado como José Dirceu”. É isto que vou lendo de pessoas sem um minimo de discernimento. Isto é pura raiva. Isto é atraso! Isto é saudades do tempo de ditadura.
      Vou lendo e pinçando o que as pessoas escrevem e me dou conta de que há falta de sensibilidades em analisar friamente o que esta acontecendo. Se temos ministros no STJ que enaltece a Ditadura Militar, quando mais algumas pessoas que insiste em enaltecer um regime assassino de vidas e de palavras em prol da democracia. Olha realmente lidar com atrasos mentais de pessoas é duro! Estas pessoas passarão, pois o tempo é o senhor dos destinos. Quem diria que um operário seria um Presidente da Republica ou uma torturada pelo regime militar seria nossa Presidenta. É! Isto incomoda a muita gente, mas estão ficando em número cada vez mais reduzido felizmente.

    • Prezado Luiz,
      Felizmente um país não é governado somente por uma pessoa, se assim fosse, seria uma ditadura. Ainda não inventaram melhor sistema que a Democracia, e esta tem na sua base a formação de grupos políticos, ou partidos se assim desejar, a diferença é um partido ter linhas gerais de atitudes. Não se engane, na política não se admite ingênuos, ninguém chega ao poder se não utilizar as armas disponíveis, que o adversário também usa.
      Líderes como o Lula são raridades, aparecem a cada 30 -40 anos, estes são os que conseguem mover os povos com um objetivo comum. Portanto só pelo fato de seu comentário desprezar esta liderança de fato, já indica que sua “ideologia” é contrária, ótimo assim, nenhum país cresce sem oposição. A democracia é a ditadura da maioria, nestes últimos anos e com sorte, nos próximos seis, manteremos uma “ideologia” que alterou as bases do Brasil, para melhor. A verdade é que tudo é estimado pela comparação, e você há de convir que desde o fim da ditadura o grupo político de Lula (PT) foi a melhor coisa que aconteceu ao Brasil, até agora. FHCs, Serras, Dirceus, Genoinos, e outros tantos serão mencionados pela história, porém Lula ficará como o maior líder brasileiro no século 20, e talvez do 21, quem viver verá, contado por nossa história e pela história mundial, não tenho dúvidas. Com relação ao José Dirceu, é um grande líder do PT, guerreiro como poucos, e fez o jogo certo, caso contrário ainda teríamos pouco emprego, baixa renda, povo sem auto-estima e déspotas como governantes, um Serra por exemplo. Obrigado Dirceu por assumir a frente neste campo de batalha, mesmo abatido, seguramente retornará para a contínua guerra do poder. Não existe sociedade sem política, nem política sem poder. Tomara que o STF não seja seletivo, que de fato, interprete a lei de forma rigorosa contra os crimes de corrupção, até nisto o Lula acertou, se assim continuar. O Eduardo aqui neste Blog não defende a corrupção, ele defende o Estado de Direito Democrático, não se pode condenar sem provas no Direito Penal, é disto que se trata. Nós podemos achar que houve corrupção, nós como eleitores temos o direito de julgar e usar o voto como punição, como está acontecendo com o Serra em SP, porém o Judiciário jamais pode condenar sem prova cabal e convenhamos, o uso da teoria do domínio do fato é uma aberração jurídica que somente foi utilizada contra ditadores ou chefes de máfia. Abs

    • Viajou Luiz, vc não está fazendo nada além de propagar o mimimi dessa mídia fajuta e manipuladora de que Dilma havia se distanciado do PT e de Lula, não vi ninguém até agora comentando a respeito das provas técnicas que os advogados do Dirceu forneceram contra as “evidências” apresentadas pelo STF, ex: o fato de que os dias dos depósitos coincidiram exatamente com inexpressivas votações a favor do governo, ué mas não era um pagamento para votarem a favor ?? O único que testemunhou dizendo que Dirceu era “chefe”, foi um Réu que por várias vezes mudou o tetemunho, estranho tanta confiabilidade num cara desses né, mas por fim, o grande passo foi dado por Lula, queira vc ou não, o politico notável que trouxe o Brasil para o 6° lugar ne economia mundial, distribuiu renda , nomeou Juízes sem apadrinhamento político como seu antecessor, problema seu, continue votando em “pessoas” que o discurso é um e a prática é outra como esse senhor Serra que fala que governa pros pobres.

    • Acho que o camarada Luiz, vive em outro planeta.
      Mesmo com tudo sua polidez, não sabe nem mesmo do que está falando ao criticar o Blogueiro.
      Ficaria melhor se você se pintasse com as Côres do Fernando henrique e saísse pelas ruas gritando o nome dos tucanos. Talvez ganharia uma bela fatia das riquezas depositadas pelos tucanos lá no caribe, por conta do assalto das privatizações.
      Todo guerrilheiro, tipo Dirceu, sempre será contestado pela elite, estabelecida nos três poderes,
      A sua Elite caro Luiz. Essa elite que provocou um século de trazo ao nosso País.
      Continue vivendo seu sonho. Seu mundo. Enquanto isso nós iremos derrotando sua classe nas urnas.

    • Tracking do PT terça feira, 22/10

      Haddad 61 % x Serra 39%, aumenta para 22% diferença nos votos válidos para Haddad.

      Agora realmente é Serra já, era.

      Publicado em 23/10/12 às 12h07

      Deu no Balaio do Kotscho

      PT não muda estratégia na reta final

      .A cinco dias da eleição do segundo turno em São Paulo, o comando da campanha de Fernando Haddad, do PT, decidiu não mudar a estratégia nesta reta final da campanha: vai continuar jogando na defesa para garantir o resultado apontado pelas pesquisas, investindo na apresentação de propostas para um governo de mudança contra a continuidade.

      Conversei na manhã desta terça-feira com o coordenador geral da campanha petista, vereador Antonio Donato, que não se mostrou preocupado com a bateria de ataques desfechada nos últimos dias pelo candidato tucano José Serra, em especial na área da saúde.

      Baseado nas avaliações de pesquisas internas, Donato disse que a campanha de propaganda negativa do adversário está aumentando a sua rejeição.

      “A saúde pública é o principal problema da cidade, mas o Serra está falsificando o debate, como sempre faz. Vende uma saúde que não existe e o eleitor simplesmente não acredita mais no que ele fala. Criou-se uma barreira entre o candidato e o eleitor. Por isso, não provocou nenhum ruído na nossa campanha”.

      Ao contrário, segundo Donato, os trackings do partido mostram agora uma vantagem ainda maior de Haddad do que a apontada nas pesquisas Datafolha e Ibope da semana passada: 22 pontos (61 a 39) nos votos válidos, o que reforça a ideia de manter a mesma estratégia:

      “Nós temos um roteiro definido para os programas e debates e não pretendemos mudar. A virulência dos ataques do adversário mostra que ele já entrou numa fase de desespero porque não tem propostas para apresentar ao eleitor”.

      Outro dado que justifica a tranquilidade do coordenador petista é a avaliação negativa do prefeito Gilberto Kassab, que nas pesquisas internas do PT atingiu seu nível mais baixo desde o início da campanha: apenas 17% aprovam a sua administração.

      Para Donato, o final do julgamento do mensalão não terá maiores consequências na campanha eleitoral. “O que tinha que influir já influiu lá no começo, mas agora acho muito difícil que possa mudar os votos do eleitor. Tanto que o PSDB até já desistiu de usar este tema na sua propaganda. O eleitor quer saber do futuro, não do passado”.

    • LUIZ:
      Respota a sua pergunta, feita ao EDU.
      O que voce esta defendendo?
      A inocentes funcionais como voce.
      Alem do mais sua inocencia não lhe credencia
      questionar a luda de brasileios que trabalham
      em prol do povo de seu pais…
      OBS. Ao EDU.
      Muitas vezes brinco com amigos que o Creador trabalhou 6 dias,
      no setimo saiu de ferias e nunca mais voltou…
      Brincadeirinha so quando deparo com criaturas como Sr. Luiz .
      Inda bem que tem criatura com nome de Luis…

    • Luiz, isso é 100% blá-blá-blá do PIG.
      Um pequeno dever de casa: se você é bom mesmo nas acusações que faz, vá até os autos do processo, traga uma única prova contra o Dirceu (que é quem você acusa aqui) e a apresente aqui que teremos o maior prazer em discutir civilizadamente. Até lá, vá remoendo suas frustrações eleitorais e nos deixe em paz, porque nós aqui já somos bastantes resolvidos nessa questão.
      Abraços.

    • Prezado
      Infeliz sua colocação quando diz que não vota em partidos e sim em pessoas.
      Primeiro vc deveria escolher um partido (ou orientação ideológica) e ai sim, dentro desta orientação ideológica, escolher seu representante. Isto vale para qualquer espectro político-ideologico
      Abs

    • EEEITA conversinha rebarbativa hein seu Luiz!!!!… Na minha já um tanto longeva vida sempre ouvi, desde os tempos de menino este papo: Voto em pessoas e não em partidos ( e deu no que deu – em São Paulo e no Brasil: Jânio, Adhemar,Maluf, Pitta, Serra Kassab, pra não falar das outras jóias da coroa como Carlos Lacerda, Moysés Lupion, Fernando Collor, César Maia, Hidebrando ‘Picadinho”, Sarney, Fleury, Quercia MOntoro, Newton Cardoso!….) É tão bom voitar em pessoas…. O que esta conversa tenta encobrir é que o “voto em pessoas” esconde duas coisas: desinformação e ignorância política em primeiro lugar, e um cripto conservadorismo ou um cripto reacionarismo , por outro. A segunda é bem pior que a primeira, pois esta se “cura” com o avanço das lutas populares e com a pedagogia intrinseca às derrotas de quem acreditou sinceramente em crápulas. O fenômeno é universal: na França, por exemplo, é conhecido como “poujadismo” e é interessante ver que, na medida em que as sociedades de classe crescem e amadurecem, o poujadismo dissolve-se rápidamente até quase desaparecer. Não é pois inimigo de preocupar.

      Agora a segunda das possibilidades é tremendamente preocupante, porque justamente não se confessa, não diz a que veio, não tem o descaramento do “rouba mas faz”, é hipócrita e reveste-se do manto da sobriedade, da”moral” ( que, como sempre é o último refúgio dos canalhas). Em suma, é dúplice, sonsa falaz: prega uma coisa ( os “valores eternos e universais”) e faz outra ( apoia subreptícia e eficazmente o que há de mais inconfessável).

      Convenhamos em uma coisa: é muito difícil dizer-se claramente de direita num país como o Brasil, tão cheio de contradições e de desigualdade. Uma olhadela – mesmo que superficial – na história política da America Latina nos mostra isso à saciedade. O discurso direitista, se explícito, não “cola”; deve pois ocultar-se, justificar sua meta por meio de um espantalho bem distante do alvo real. E é esta a manobra que tipos como tu – Sr Luíz – dedicam-se com constância e obstinação.

      Concedamos -ad argumantum- que houve corrupção no caso mensalão. Não a houve também – e muito maior – em vários outros casos? É só lembrar do Cacciola, da compra do segundo mandato de fHC, as privatizações, da pasta rosa, das ambulâncias superfaturadas ( que pessoalmente considero especialmente sórdido), o mensalão mineiro – pai do mensalão petista e muito mais grave quer pelo volume de dinheiro envolvido, que pelos atos praticados ( assassinatos, incendios criminosos, etc., etc).

      Minha velha avó sempre dizia que “pau que bate em Chico também bate em Francisco”. O problema é que isso não tem acontecido por aqui há muito tempo. Cadâ a fúria moralizadora do Juiz Quinzinho, do procurador sózia do Jô Soares e de outros tantos personagens de opereta do triste Teatro Brasileiro de Comédia no qual se tranformou a cúpula de nossa burocracia judiciiário, para com estes casos? Como pode um togado declarar-se impunemente favorárel ao Golpe de Abril – num momento em que a Comissão da Verdade funciona a pleno vapor e no qual as safadezas como a Operação Condor são desnudades a perseguidas, sem sequer ser admoestado por seus pares. Como podem juízes ameaçarem cidadãos sem processo ou acusação em justiça como se fossem esbirros de senhores feudais?. Como pode um juíz ou um promotor dizer de público que espera que seus atos possuam repercussão política, contrariando desta forma toda a teoria da separação de poderes que esteia o Estado Burguês h´pa quase 300 anos e tais palavras serem trompeteadas com gáudio pelo meios de comunicação como se foissem o resultado do futebol?

      O velho Estanislau Ponte Preta – que falta ele faz – costumava dizer: “ou haja moralidade ou todos se locupletem. O que não dá pra engulir é esta conversinha mole da moral seletiva: “eu vou votar no Serra porque o PT é corrupto”. Não, tu vais votar no Serra ( ou em “pessoas” como dizes) porque ele ou estas são as que – se vencerem- levarão adiante tua pauta pol[ítica retrógrada. Só que é chato assumir isto claramante, não é verdade/ Afinal das contas a TV nos ensina a sermos “liberiais” e “políticamente corretos’ no nosso dia-adia- cuidar bem das árvorezinhas e dos bichinos, reciclar lixo, comprar produtos ecológicos… e não fica bem assumir que se está do lado de um brucutú pelo simples fato de ele ser mesmo brucutú e poder levar, com a melhos chance de sucesso possível, a política regressiva que defendes!

      CLAREZA, meu caro Clareza. Embora seja há muitos anos ateu, é nestas horas que me vêm à mente uma palavrinhas simples que li num livro no qual não mais acredito, mas que são verazes: “sêde frios ou quentes, porque os mornos eu cuspirei pela minha boca.” FUI!

  • Eduardo, Lula que tirou mais de 40 milhões da pobreza, que criou políticas públicas inclusivas, livrou o país das garras do FMI, levou o país ao fosso moral, nas palavras de um determinado “juiz”?, mas veja que interessante, este senhor mora no Golden Green, condomínio de luxo na Barra que, Ronaldo comprou um apartamento e, na ocasião, a mãe dona Sonia, levou uns amigos de Bento Ribeiro lá e recebeu reclamações do condomínio porque não queriam aquela gente lá. E olha o que o 247 está falando sobre esta criatura do pântano.

    A moralidade deve estar se contorcendo com estes conceitos de moralidade da direita, viu? É de impressionar o conceito de moral desta gente. Causa espécie.

    Autor da tese do “fosso moral”, Mello é polêmico
    Edição/247: cacciola golden green marco aurelio luiz estevao

    Em 2000, Marco Aurélio Mello concedeu habeas corpus a Salvatore Cacciola, que era seu vizinho no condomínio Golden Green na Barra da Tijuca e, dias depois, fugiu do Brasil. “Uma coincidência”, disse o ministro, que também já foi criticado pelos laços estreitos com o ex-senador Luiz Estevão, o primeiro a ser cassado na história da República. Ontem, ele definiu a era Lula como “fosso moral”, antes de punir a “quadrilha dos 13”

    23 de Outubro de 2012 às 06:10

    247 – Num dos votos mais marcados pelo forte conteúdo político em toda a história do Supremo Tribunal Federal, o ministro Marco Aurélio Mello ontem falou na quadrilha dos 13, comparou o Partido dos Trabalhadores à máfia italiana e lembrou um discurso em que citou o “fosso moral” da era Lula. Mas o próprio Marco Aurélio já esteve envolido em várias polêmicas, como foi apontado em reportagem da revista Época em 2000. A mais citada de todas foi a concessão de habeas corpus ao seu vizinho Salvatore Cacciola que, acusado de causar um rombo de R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos, que, dias depois, figiu do Brasil e só foi recapturado muito mais tarde, quando decidiu jogar num cassino em Mônaco.

    Leia, abaixo, reportagem da revista Época de 2000 sobre as polêmicas de Marco Aurélio Mello, que era vizinho de Cacciola:

    Controvérsia na Corte

    Decisões de Marco Aurélio de Mello o transformam no mais polêmico entre os juízes do Supremo Tribunal Federal

    Marco Aurélio de Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal, tem um apartamento no Golden Green, condomínio cinco-estrelas na Barra da Tijuca. Piscinas, quadras de tênis, pistas de corrida, ciclovia e um campo de golfe de 60 mil metros quadrados tornam o empreendimento um dos mais valorizados do Rio de Janeiro. O lugar ganhou notoriedade por abrigar inquilinos conhecidos. Um deles é Salvatore Cacciola, dono do extinto Banco Marka, acusado de provocar um rombo de R$ 1,6 bilhão nos cofres públicos.

    Há duas semanas, o ministro decidiu a sorte do vizinho. No dia 14 de julho, valendo-se das prerrogativas de presidente interino do STF, Marco Aurélio determinou a libertação de Cacciola, preso havia cinco semanas. A sentença foi revogada cinco dias depois, quando o ministro Carlos Velloso reassumiu a presidência. Era o tempo de que Cacciola precisava para fugir do país. “Foi apenas uma coincidência”, diz Marco Aurélio. “Meu apartamento ainda está em obras e nunca encontrei Cacciola.” A sentença juntou-se à lista de decisões controvertidas que dão colorido ao currículo do ministro.

    Há quase nove meses uma liminar concedida por Marco Aurélio impede o Tribunal de Contas da União de tentar a recuperação dos R$ 169 milhões desviados da construção do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. O ministro atendeu a um pedido da Incal, empreiteira responsável pela obra. Outra decisão proibiu o Ministério Público de São Paulo de investigar os laços que unem a Incal ao Grupo OK, do ex-senador Luiz Estevão. Amigo da família de Estevão, o magistrado define como “social” o convívio entre ambos. “É preciso examinar com cuidado sentenças contra a investigação de desvio de verbas públicas”, afirma o senador Eduardo Suplicy (PT-SP).

    Na quinta-feira 27, a Associação dos Magistrados Brasileiros divulgou nota em defesa de Marco Aurélio. “Atacar a figura de um magistrado que chegou ao mais alto degrau do Judiciário em nada contribui para o fortalecimento da democracia”, diz o documento. Quem critica o ministro invoca mais antecedentes. Em 1996, ele inocentou um adulto acusado de estupro por manter relações sexuais com uma garota de 12 anos. Entendeu que não houve violência porque a menina concordara em fazer sexo. “Nos dias de hoje, não há crianças, mas moças de 12 anos”, justificou.

    Sucessivas divergências com seus pares na Suprema Corte lhe renderam o apelido de “senhor Voto Vencido”. O governo encara com desconforto um ministro que, por ter concedido liminares, ajudou a paralisar votações importantes no Congresso, como a reforma da Previdência, ou operações relevantes para o Planalto, como a privatização do Banespa.

    Advogado formado em 1973, tornou-se procurador na Justiça trabalhista dois anos depois. Em 1978, foi nomeado juiz. Levou apenas três anos para virar ministro do Tribunal Superior do Trabalho. Chegou ao Supremo em 1990, aos 43 anos, nomeado pelo primo e presidente Fernando Collor de Mello. Em maio de 2001, Marco Aurélio assumirá a presidência do STF, o cargo mais importante do Judiciário brasileiro.

    Supersticioso, programa posses e eventos importantes para o dia 13. É casado com a juíza federal Sandra de Santis. Há dois anos, foi ela quem subiu à ribalta com uma decisão polêmica: rebaixou de assassinato para “lesão corporal seguida de morte” a acusação contra quatro jovens da classe média de Brasília que atearam fogo ao corpo do índio Galdino dos Santos.

    Em fevereiro, o STF concedeu aos juízes auxílio-moradia de R$ 3 mil mensais, a pretexto de abortar a greve dos magistrados por aumento de salário. Entre os 11 integrantes do STF, dez abriram mão da verba extra. Marco Aurélio decidiu embolsá-la, embora não tenha problemas de moradia. Sua casa em Brasília soma 419 metros quadrados de área construída. Em outubro passado, vendeu o apartamento funcional de 523 metros quadrados a que tinha direito como ministro do STF. Foi um grande negócio. Em 1991, comprou o imóvel do Supremo por US$ 267 mil. Pagou 10% de entrada e financiou o restante. Oito anos depois, vendeu-o por R$ 900 mil, equivalentes então a US$ 452 mil – à vista. Com o dinheiro, bancou parte do R$ 1,25 milhão desembolsado pelo apartamento no Golden Green.

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/83700/Autor-da-tese-do-%E2%80%9Cfosso-moral%E2%80%9D-Mello-%C3%A9-pol%C3%AAmico.htm

    • Pois é temos todo o direito de desconfiar que pode ter havido intere$$e$ nos diversos ca$o$, em especial o do Cacciola, pelo domínio do fato é lógico.

  • Nao tenho nada a acrescentar a nao ser dizer que concordo e subscrevo tudo que foi dito acima, inclusive por Jose Dirceu e principalmente por Eduardo. Apesar dos meus 70 anos, ainda espero ver o Brasil melhor. Dez anos e pouco para desfazer o estrago feito pela ditadura, os mulambos travestidos de gente bem estao ai comprovar o que estou dizendo. Haja Deus.

  • Fico pensando:

    O que ocorrerá se este julgamento for invalidado pela suprema corte internacial da qual o Brasil tem tratado assinado?

    O PIG, com seus capangas, irá lançar seus panfletos dizendo que o PT comprou a corte internacional para invalidar o “super honesto julgamento imparcial”?

    Os direitóides irão fazer as passeatas com as “multidões” que eles dizem ocorrer contra uma decisão internacional “comunista”?

    Irão se fazer de vítimas e dizer que é um golpe “comunista” internacional?

    O que ocorrerá?

    • Vai sonhando. A “Suprema Corte Internacional” sequer existe.
      As cortes internacionais que existem são também formadas por gente da elite, não vão interferir em qualquer decisão no Brasil, o que seria inclusive inconstitucionais, pelas leis brasileiras.
      O que resta ao governo é, conforme esses atuais ocupantes do STF forem se aposentando, substituir por gente amiga como o Tofolli, o que fez, por sinal, o Chávez na Venezuela.
      Essa história de independência dos poderes é coisa de opressores.

      • Eu refiro-me a Haia e San Jose, que dá margens a diligencias internacionais. Já houve invalidação de julgamentos de supremos por estas cortes. No México houve um caso. No caso atual houve condenação por presunção da culpabilidade, sem direito a uma análise da defesa. Pura violação dos direitos humanos. Falta de provas.

        Não se preocupe, o PT não fará jamais o que FHC fez, colocou amigos na PGR e no STF, que engavetaram e abafaram tudo. Mas o PT cometeu o erro de colocar inimigos.

  • eu acho que agora, depois dessa baboseira toda, os politicos éticos deste país, juntamente com os éticos do direito,estarão propondo uma mudança enorme nesse antro de marginais de toga. espero que, essa mudança, provoque a imediata saída desses inúteis vendidos do direito. a “justiça” desse “tribunal” é vista lá fora, como um circo cheio de palhaços sem-graça nenhuma. esses “julgadores” de hoje, com certeza serão réus amanhã, disso eu não tenho dúvidas………qualquer coisa gurgel, a cpi do cahoeira te espera…..gilmar sem sobrenome…….furnas de espera……..e o “presidente – ministro” barbosa, a sociedade que não te aplaude, que é a imensa maioria brasileira,não os 60 praianos de domingo no leblon,esperam seus esclarecimentos quanto às suas agressões físicas contra sua ex-esposa.
    reinaldo carletti

  • Caro Edu,
    Não sou frequentador dos mais assiduos deste seu espaço! Costumo visitar com mais frequência o sitio do PHA, mas confesso que ao ler este texto, senti vergonha de brasileiro! Condenar Dirceu e Genoino como “quadrilheiros” é de um absurdo descomunal!!!

  • A “opinião pública” dessa direitalha safada são os 60 riquinhos gatos-pingados que eles consguiram reunir na praia do Leblon,
    Domingo que vem vamos às forra, Eduardo!

  • Penso que o maior problema do nosso sistema político é que ainda nos faltam partidos fortes, orgânicos, bem estruturados. Com tais características só o PT. Os demais não passam de meras siglas partidárias para disputar eleição. Daí a necessidade da reforma política para sanar este problema cruciante da nossa representatividade. O nome do candidato é importante na escolha do eleitor, mas é preciso saber quais as bandeiras políticas que ele defende, e que não sejam meras promessas de campanha, mas que estejam respaldas pelo programa do Partido Político que ele faz parte. Penso que o fortalecimento dos Partidos Políticos contribuirá, significativamente, para o aperfeiçoamento da nossa democracia.

  • Obrigada, Edu, por expressar nossa solidariedade aos companheiros do PT nesse belo texto.
    Aqui em BH, infelizmente, não haverá segundo turno, mas eu gostaria de dar uma sugestão: no domingo, dia 28 de outubro, dia de São Judas Tadeu, o santo guerreiro e defensor das causas difíceis, os petistas deveriam ir votar com uma tarja preta em sinal de luto pela injustiça cometida pelos velhacos do stf.

  • Destruir as lideranças verdadeiramente populares e a outrora oposição à bandalheira serro-fernandista/areno-pfl-demopsdbista será um desserviço monstruoso contra esta nação, contra o seu povo e o arremedo de democracia incipiente em que vivemos. O Supremo e a Globo, meia dúzia de indivíduos que não enchem uma kombi, sem votos de quem quer que seja, estão a ponto de garrotear o crescimento e a soberania desta nação com um ou mais (espere-se pelos próximos) julgamentos políticos e vergonhosos, onde prevalecem as condenações previamente concertadas, onde os togados bocejam ao ouvirem as peças de defesa que não pretendem nem de longe considerar. Eles estão a gerar as reações, ah sim, estas acabarão por vir, fatalmente surgirão pela provocação que empreenderam ao visarem perpetrar o golpe contra esta frágil democracia. Os que libertam em menos de 48 horas, por duas vezes, um banqueiro mais do que bandido, ou mais de um deles, e que deixam a solta um estuprador por ter muito dinheiro e ser da classe alta, não se pejam de reeditarem todo o mal que a ditadura praticou, especialmente porque não tratarão da mesma forma os bandidos aos quais se aliaram. Um juiz que se esmera em condenar seus adversários políticos obtém um empréstimo de 8 milhões para calar um denunciante quando muitos jovens empreendedores e criativos não conseguem sequer 50 mil reais pra criarem um novo modelo de máquina ou equipamento. Mas, diga-se, time que não faz, toma. Os que hoje estão condenados ou ameaçados contemporizaram e não puniram os bandidos da era Serra-FHC e colhem o fruto envenenado pelas serpentes que criaram. E o Bernardo jamais acordará, simplesmente porque se comporta como se fora um infiltrado.
    Como disse o soltador de bandidos ricos: “que vão reclamar pro papa”.

    • Não passa. Espere para ver, no sábado, a BALA DE PRATA, que o PIG lançará logo de manhã. O JÒ quer que os condenados sejam presos imediatamente. Serão vistos por todo o país, ALGEMADOS. Genoino, então ira para a cela de presos comuns, pois não possui título universitário. Lei da Elite. TVs, jornais e revistas estarão ligados. A VEJA lançara uma revista extra, mostrando a prisão dos facínoras. A gráfica da Folha imprimirá a notícia, que será jogada em todos lugares onde há votação, no dia da eleição (ISSO ACONTECEU aqui em Atibaia e nem um dos dois ganhou). A noite, o JN editará, novamente, o debate entre Cerra e HADDAD, no estilo COLLOR X LULA., juntamente com a prisão dos facínoras do PT. Não sou a mãe diná, mas quem já fez com que o Abílio Diniz, numa corajosa atuação da polícia militar (hoje nem tanto, e com razão), fosse solto das mãos de sequestradores na véspera da eleição, com a camisa branca e o logotipo do PT, é capaz de muito mais. O GOLPE ESTÁ FEITO e o futuro prefeito de São Paulo será Serra, caso nós permitamos.

  • Eduardo, concordo com tudo que voce escreveu. Essa direita fascista que se esconde atras daqueles que condenaram o José Dirceu, José Genuíno, com certeza eles estão comemorando,venceram uma batalha e não ganharão a guerra jamais.Essa batalha que o stf ganhou para a casa grande, faz parte da guerra , é uma batalha.Por ora, os vermes, os verdugos e todos aqueles que se arrastam na escuridão podem festejar a vontade, tripudiar em cima de nós e exibir em rede nacional a sua vitoria de Pirro. Quanto a nós, vamos continuar lutando confiantes na vitória final.Tem uma música chamada Pesadêlo que a gente cantava muito durante os anos tenebrosos da ditadura militar que diz: “quando um muro separa,uma ponte une…se a vingança encara o remorso pune(…)voce me prende vivo, eu escapo morto… de repente olha eu de novo, vamos por ai eu e meu cachorro,olha o velho olha o novo chegando, que medo você tem de nós…” e finalizando ” o muro caiu olha a ponte, da liberdade guardiã, o braço do Cristo horizonte, aponta o dia de amanhã…olha aí…”
    É isso.Eles ganharam um round,mas não ganharam a luta. Um abraço grande e obrigada por nos ajudar tanto nessa caminhada difícil rumo a uma sociedade mais justa, democrática com o povo cada vez mais protagonista da história.Abraço na Victória e em toda a sua família.

  • Edu, parabéns pelo trabalho.

    É desgastante ter que elaborar todos os dias um texto bem construído, defendendo o lado certo, apesar da enxurrilhada de subversões que a grande mídia arrota diariamente.

    Parabéns pelo esforço.

  • O sr. Luiz, de forma canhestra, tenta desqualificar o texto do Eduardo. Fala em ideologia. Ora, meu caro, neste espaço já li textos de pessoas inteligentes que reforçam o argumento de que o PT e Lula modificaram de forma positiva o nosso país, especialmente no que tange à qualificação de vida das pessoas mais carentes. A autoestima do Brasil também mudou. O Brasil era o de ministro tirar sapatos nos aeroportos. A Espanha vivia devolvendo dos seus aeroportos os brasileiros que tentavam entrar no país. Agora os espanhóis reclamam sobre as dificuldades de entrar no Brasil, fazem fila para entrar. O FMI mandava uma senhora com uma pastinha a tiracolo para nos humilhar. Hoje o Brasil empresta dinheiro para o FMI. Realmente o Brasil mudou. Lula e o PT adotaram a “Ideologia da Multidão”, o Governo da Multidão. Multidões significam apoio de 80% da população. O que vc quer? Por mais que vc, Luiz, não queira, muitos dos que tentam desqualificar o ZéDirceu não merecerão citações nas páginas da história, outros talvez sejam apenas notas de rodapé. Zé Dirceu, com sua história de lutas tem garantido, pelo menos, um capítulo na história futura do Brasil. Mesmo com seus erros, defeitos, sua história desde a juventude não será esquecida por episódios que, com certeza, seus inimigos colocaram uma lupa de aumento. Vamos aguardar. As eleições de agora se configuram não como pregar a inocência do PT ou de ZéDirceu e outros petistas, mas que o julgamento do STF e mídia não foi suficiente para aniquilação do partido. Pelo contrário, os números já informam o PT como vencedor nestas eleições.

    • Muito bom comentário. Mas, o Marco Aurélio Mello e o Gilmar Dantas, digo Mendes (reconheça-se que FHC sabe nomear ministro de supremo) já avisaram que irão atrás do Lula. Gilmar Mendes é tucano de coração, aquele a quem o Serra chama, via celular e em plena campanha presidencial, de “meu presidente”. Ou seja, as raposas tomaram conta do galinheiro, escolheram aqueles a quem iriam destruir e se regalam após o banquete. Em resposta ao Lula que disse que o que vale são os milhões de cidadãos que lhe apoiam em mais de 87% (e não poderia ser diferente a menos que não estejamos em uma democracia), Mello disse que voto do povo não vale nada porque é de “leigo”. A caneta “tecnocrata” dele ( caneta cravejada de brilhantes eu diria) vale mais do que o meu, o seu, o de 50 milhões de eleitores que elegeram quem lhes trouxe melhoria de vida. O pitaco dele é “técnico” e que se dane a Política com “P” maiúsculo. Agora percebe-se claramente, irão atrás para destruir o maior presidente que este país teve, da mesma forma que fizeram com o grande Getúlio. Esperavam que o câncer fizesse o serviço sujo e definitivo no Lula, não o conseguiram e agora vão se servir dos meios “técnicos”. Ou reagir-se-á a isto ou teremos que chorar: “adeus democracia”.

  • O “coroné” Gilmar Dantas nomeou um membro da quadrilha de Cachoeira para “monitorar” a central telefônica do STF. A partir daí, podemos desconfiar que muitos ministros votaram sob chantagem. Outros, por afinidade com as elites.

    Eles condenaram o PT. E a população votou maciçamente no PT, que cresceu novamente, como observou, entristecido, o “colonista” da Folha da Ditabranda (como diz o PHA, o termo “colonista” nada tem a ver com cólon. A semelhança das palavras é só uma coincidência).

    Vencer uma batalha tem seu preço. Às vezes o preço é mais alto do que a vitória obtida. O preço pago por Joaquim Batman e seu circo dos horrores foi o descrédito. A população não deu bola pra eles.

    Grandes possibilidades de Joaquim Batman ser o candidato tucano em 2014. Se for, a população entenderá ainda melhor porque o STF condenou os petistas.

  • Enquanto a MÁFIA MIDIÁTICA grita “Pega Ladrão” a verdadeira quadrilha apenas sorri, pois seus crimes vão continuar impunes, são eles: Assalto ao patrimônio público (doação das estatais com empréstimo do dinheiro do BNDES para a compra), Assalto ao caixa do governo que ficou devendo ao famigerado FMI, compra da reeleição de FHC por 200 mil a cabeça, engavetamento de mais de 600 processos pelo engavetador geral Brindeiro, Máfia das ambulâncias Serra/Vedoin………..

    • A hora da verdadeira quadrilha, a que está a sorrir do outro lado dos muros, chegará. Como diria Chico Buarque, o dia virá a raiar antes do que eles pensam. O riso de hoje poderá se transformar em alguma hora em ranger de dentes e aflição. Nada como um dia após o outro. Uma pergunta: os torturadores da ditadura, aqueles que tinham os rostos escondidos pelas mãos e estavam a interrogar envergonhados uma jovem mal saída da adolescência, com uma altivez que será registrada para sempre na história, torturadores e inquisidores que da mesma forma que os supremos togados e os que tomaram de assalto a ABL se consideravam deuses não mortais, chegaram sequer a imaginar que a jovenzinha idealista, cuja vida ou morte dependia das suas canetas, seria a presidenta de um grande país de 200 milhões de habitantes e considerada uma das mulheres mais influentes do planeta? Cortejam-na Putin e o presidente da França, não? Muita água rolará sob as pontes, cachoeiras e mais cachoeiras. A verdade triunfará porque é eterna.

  • Dilma Housseff não é o presidente Lula por questões fisiológicas, qualquer indivíduo com sanidade mental pode detectar isso nessa linha de pensamento.

    Dilma é mulher e Lula é o homem, são almas diferentes, que pensam iguais no mesmo propósito, ambos tem a mesma ideologia. Absurdo dizer que Dilma Housseff faz um governo de direita. Mas quem diz isso é o próprio absurdo em vida.

    José Dirceu é um idolo para muitos, para muitos mesmo, de verdade. Não será essa condenação que lhe tirará esses méritos. Prendê-lo, também não vai diminui-lo. Alias ele sairá dessa muito mais poderoso e forte.

    Esse homem merece aplausos pelo que fez por esse país e pela democracia. Esse homem merece homenagem pelo que fez pelo povo brasileiro que desejava a democracia. Pois tem uns por aí, que adorariam que a ditadura voltasse.

    Esse homem é José Dirceu, que se eu pudesse guardava dentro da minha casa e me sentiria protegido ao lado de uma figura tão interessante. Desinteressante são esses que o criticam sem o menor sentimento humano e sem a menor gratidão pelo que este fez por nós.

    Esse julgamente é um julgamento de excessão e de perseguição política, enfim o estado conseguiu condenar José Dirceu, mas a história continua e a esperança em uma justiça de verdade também continua.

    Precisamos no Supremo de magistrados da categoria do Ricardo Lewandowiski, esse sim, merece ser aplaudido também. É um ser humano superior, é o ser humano perfeito para sentar em uma cadeira da suprema corte. Pois com ele temos a certeza de que julgamentos serão feitos a partir de provas concretas.

    José Dirceu será sempre um idolo do povo brasileiro que admira e quer o regime democratico!
    Viva José Dirceu.

    Dirceu guerreiro! do povo brasileiro!

  • antigamente haviam generais golpistas..hoje ha juizes togados golpistas!!! a luz das cameras do pig…..igualar esta quadrilha com a mafia italiana um disparate!!!o que se comenta um julgamento parcial…coincindindo com eleiçoes municipais..e o julgamento do mensalao do dem do psdb…..SERA JULGADO?????????????!!!!!!!!!! houve um presidente que saiu pelas portas dos fundos do planalto joao fugueiredo……o atual presidente do stf…..logo deixara a corte tb pelas portas dos fundos……enquanto sr. sebastiao guimaraes aos 90 anos pai de genoino vive ,com uma aposentadoria de salario minimo…..o ministro do stf se aposenta com 26.000………….esta ##### que apesar da cultura juridica, é analisada pelo povo….o 13….vai bombar neste segundo turno!!!!!!!!!!!!!!!

    • Os golpistas são os mesmos de sempre, apenas mudam os manipulados por eles, que acabam sem nenhuma credibilidade como estão hoje os militares mesmo depois de passados quase trinta anos do fim do golpe e da ditadura. Por causa da atual farsa, o STF e por consequência, o poder Judiciário, que já é percebido pelo povo como o pior dos poderes, correm um enorme risco de cair no descrédito como os militares.
      Gostaria de saber o que acontece se nos próximos julgamentos, do mensalão Tucano, da lista de Furnas, do caso Cachoeira, da Privataria e tantos outros, não forem seguidas as teorias elaboradas para condenar sem provas como aconteceu neste caso.

  • Sr. Eduardo, bom dia.
    O resultado das eleições em São Paulo me deixarão satisfeito, menos pela vitória do Haddad, mais pela derrota do Serra, que é uma pessoa prejudicial ao PSDB, no meu ponto de vista.
    Mas não creio que Haddad seja um político radical já que ele fez a seguinte afirmação numa entrevista:
    “As instituições estão funcionando perfeitamente no Brasil, portanto decisão do STF não se contesta”.
    Já muitos militantes do PT acham que o STF deve ser contestado sim, inclusive com manifestações nas ruas.
    O que o sr. acha da opinião de Haddad e da mobilização das entidades sociais para manifestações contra o STF?
    Espero que o sr. não considere minhas perguntas provocativas. Estou apenas querendo entender a opinião dos militantes do PT sobre o julgamento do mensalão e até onde iriam para defender os envolvidos.

    Grande abraço,
    Heitor.

      • Sr. Eduardo, obrigado pela resposta.
        E quanto as manifestações dos movimentos sociais nas ruas? O Sr. acredita que haveria apoio e participação do povo em geral, ou o povo, influenciado pela imprensa e oposição, não participaria ou apoiaria?

        Abraço,
        Heitor.

      • Eduardo,
        Seu texto é maravilhoso, emocionante. Você tem razão: a guerra não acabou; ela continua, e a prova disso é que Dirceu e Genoíno (meu conterrâneo) são pela segunda vez condenados políticos.
        Minha total solidariedade aos dois.

        • Helenice : “Há homens que lutam um dia e são bons
          Há outros que lutam um ano e são melhores
          Há aqueles que lutam muitos anos e são muito bons
          Mas há os que lutam toda vida
          Esses são imprescindiveis” ( Bertolt Brecht).

        • Catão, cê luta por uma causa que não vai te render nada.
          Pode lutar a vida toda que não vai cair coisa alguma do céu.
          Daqui a 20 anos, entra em algum site de busca e coloca decio brasil atibaia.
          Vai aparecer este monte de asneiras que tu escreve mais o monte de sarrafadas que tu leva.
          Será a hora de se perguntar: o que eu fiz?

    • O que você queria que o Haddad dissesse?
      Que ia contestar os juízes, que ia fazer um levante contra o STF?
      Meu filho, Haddad é um homem público, mesmo que ele não concorde não ia jamais insuflar o povo contra uma instituição, mesmo que não concorde com as decisões dela.
      Ele tem o dever de dar bom exemplo.

      • Concordo. Desrespeito às instituições é barbárie.
        Temos que aceitar democraticamente o resultado, apesar de discordar.
        Dizer que houve julgamento de excessão não apaga a existência de pessoas como Marcos Valério.
        Agora o que temos que exigir do STF é o mesmo rigor nos julgamentos dos mensalões do DEM e do PSDB.

      • Saci,
        Concordo com você. NÃO É HORA NEM MOMENTO para isso AINDA.
        Mas, após as eleições, será o momento certo para pormos prá fora (na rua )toda essa indignação que sentimos!

    • Heitor Voigt:
      Suas colocações são capciosas subliminares subjetivas e camufladas como
      as cores dos tucanos, lindas mas não passão de aves derrapinas…
      Se faz de morto para despenar o corvo…
      Para EDU, Abroleos EDU ja tiraram suas pedras do lugar hoje.
      obs. igual aquele verme e vagabundo( covarde e traidor )…
      Ei! Heitor perguntar não ofende sua alma e tucanada?

  • O stf pode golpear as Instituições e a Justiça por quanto tempo quizer. O que interessa é que a maioria discorda deste “julgamento” e dos membros deste tribunalzinho de exceção.

  • Vocês já observaram a idade de muitos dos Ministros do Supremo? Estão quase chegando lá! Não viverão para sempre, tampouco o mal que hoje fazem ao Estado de Direito, Democrático vingará totalmente. O povo votou no PT, irá votar no PT (não tem a oposição nenhum nome capaz de enfrentar a Dilma, neste momento, nem o neto do Arraes conseguirá, é preciso esperar mais um pouco, diz a prudência) e será o Brasil governo do PT até, pelo menos, 2018.
    Um está com as costelas avariadas (e o cerebro também, pelo que parece), o outro tem a velhice estampada na cara dividindo espaço com a feição de raposa, outro já se consultou para verificar a quanto anda o coração e assim vai. O certo é que nem sempre a velhice é boa conselheira e ter sujeitos no STF amalgamados com os interesses da elite nem sempre é bom para um país que se pretende moderno. Nada se pode fazer, no entanto, a não ser vê-los definhar, dia a dia e esperar a ocasião em que não deixarão nada de dignificante nas suas próprias bibliografias.
    O tempo irá apagá-los da memória dos brasileiros e só serão lembrados nas aulas de Direito naqueles conteúdos que se dedicam a mostrar aos alunos o que não se pode, nem deve fazer, numa democracia.
    Triste memória, quando houver, terão os brasileiros à respeito desses senhores. Recalques, defesa da elite, natureza golpista, este é o STJ. O Brasil, para seguir adiante nesta via desenvolvimentista que Lula abriu e Dilma persegue, precisa de juízes cujas ideias e ações estejam arejadas pelo bom vento das oportunidades e respeito iguais para todos, inclusive às leis estabelecidas pela Casa.

  • Cuidado povo brasileiro. Partido que se reúne pra fazer política e traçar estratégias agora mudou de nome.
    Partido que se reunir com mais de 3 pessoas agora é QUADRILHA.

    STF se tornou risível com aqueles ministros posudos, vaidosos e que pensam que estão no palco.

    • Somente se pretender diminuir os privilégios da elite. Se o partido for de elite e se reunir para saquear os recursos públicos, não é quadrilha, não senhor, são pessoas altamente respeitáveis que prestam alto serviço à nação e, como são mal recompensadas, tratam de complementar a remuneração por meio de métodos heterodoxos. Por que deveriam pessoas tão superiores perder tempo administrando esse buraco infecto de país, sem que sejam devidamente recompensadas? Mas pretender distribuir os recursos públicos para melhorar a vida e resgatar da pobreza muitos milhões de indivíduos é coisa de quadrilha. Afinal, esses recursos estão sendo roubados, injustamente, dos banqueiros e outros milionários, cuja superioridade permitiria que fossem gastos com mais elegância e bom-gosto do que nas mãos do zé povinho. Também quero entrar para a quadrilha.

    • O ministro Ayres Britto dizer que “alianças políticas devem se encerrar no dia da eleição” foi de uma estupidez intelectual incompatível com o cargo que ocupa. Querer que se faça política sem alianças, acordos, conversas, reuniões, apoios políticos e até financeiros é de uma cegueira enorme. Some-se isso à maneira com que alguns narraram seus votos, o ódio que vinha de suas palavras. Para mim, alguns ministros estão se vingando. Mas do quê? De quem? Do PT? Do Luis Inácio?

  • voce compraria um carro usado de genoino? vc em ganhando na Megasena e decidindo fazer um cruzeiro pelo mundo por seis meses daria uma procuraçao plena ao genoino para gerir suas despesas e negocios pelo periodo?
    quem o conhece diz que sim, sem duvida.
    ja o mesmo nao se pode dizer de a,b e c.

  • Sr. Eduardo,

    Revendo alguns post aqui do blog (“Hoje somos todos homoafetivos” e “STF extingue cotas de 100% para brancos nas universidades”) verifico que, infelizmente, para o blog, o STF só presta quando reza na sua cartilha.

    • O verdadeiro STF só apareceu agora, mostrando sua sede pelo que pensam poder rende popularidade. A maioria esmagadora é favorável às cotas e contra a discriminação de homossexuais. Entretanto, os juízes midiáticos se enganam quando pensam que a maioria aceitará a tese de que o PT é um partido-bandido. O julgamento do mensalão foi um aprendizado. E a lição não será esquecida: o golpismo está vivo. Foi até bom tudo isso ter acontecido…

    • Seu comentário revela que você não escutou e/ou leu os votos dos ministros que votaram pela condenação no tópico da formação de quadrilha, está portanto falando o que não sabe. Pois lhe informo que os votos foram claramente políticos procurando marginalizar o PT perante a sociedade, um dos ministros chegou até a ironizar que a quantidade de condenados que foram 13 era sintomático fazendo uma clara alusão ao número do PT que também é 13 . Entendeu ou tem que desenhar ???

  • Edu, você leu esta notícia no blog do José Dirceu?

    Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa

    Publicado em 22-Out-2012

    Raimundo Pereira, jornalista conhecido pelo rigor com que checa as informações que usa, abre a reportagem a ser publicada na sua Revista do Brasil, edição nº 64, nas bancas a partir do próximo 1º de novembro, com a afirmação de que “não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão”. E parte para a demonstração dessa afirmação.

  • Somos todos quadrilheiros, com muita honra, Senhores Juízes do STF.
    A Justiça num país capitalista é isso aí mesmo. Defende ferrenhamente os interesses do grande capital. Zé Dirceu e Genoino sempre foram uma ameaça para o deus mercado, os grandes grupos financeiros e econômicos nacionais e internacionais. É partirmos para a construção do socialismo brasileiro, fundamentado em nossas raízes históricas e culturais.Ou vai continuar tudo igual.

    • Maria Lucia, aproveitando a sua deixa, conclamo todos os navegantes aqui para que façamos parte da Quadrilha dos Brasileiros Bons!
      Integrantes Eméritos: Luis Inacio da Silva, José Dirceu, José Genoino, Dilma Vana Roussef, José de Alencar.
      Integrantes com louvor: Eduardo Guimarães, Paulo Henrique Amorim, Luiz Carlos Azenha, Luis Nassif, Renato Rovai, Altamiro Borges, Leandro Fortes, Mino Carta…..
      Vamos fazer desta quadrilha um imenso grupo de pessoas que tem o Bem no coração, que desejam um Brasil cada vez melhor, que não se deixam intimidar pelas pressões dos poderosos, que não se deixam enganar pelas mentiras da mídia e seus puxa-sacos, que não tem preconceitos e que sabem que somente na igualdade de condições para todos é que a Nação vai prosperar!
      Eu faço parte da Quadrilha dos Brasileiros Bons!
      E você?

  • O que me chamou a atenção foi o ódio que vazava dos votos de alguns ministros, principalmente Marco A. de Mello, Celso de Mello e Gilmar Dantas. Um comportamento lamentável dos quadrilheiros do STF. Quadrilheiros sim. Marco A. de Mello libera Cacciola e o assassino da Dorothy Stang. Gilmar Dantas libera Daniel Dantas e o médico estuprador Abdelmassih. Quem são os quadrilheiros?

  • Caro Edu,
    José Dirceu é o nosso Che Guevara. Pensando nisso, acho que desse episódio triste patrocinado pelo “nosso” Judiciário podemos fazer de um limão, uma limonada. Que tal divulgarmos em camisetas, botons, tatuagens, etc., uma foto marcante do Zé Dirceu capaz de imortalizá-lo na memória da esquerda do mundo todo. Sem falar que a nossa juventude está carente de um ícone que represente as suas aspirações de justiça e liberdade. Vamos nessa?

  • luiz
    23/10/2012 • 08:55

    LUIZ DO CÉU…

    Entenda que não estamos dizendo se Dirceu e Genoíno não inocentes ou não (embora falte provas para condená-los).
    O que está em pauta é O MOMENTO QUE O JULGAMENTO OCORRE!!!
    É difícil vc entender isso?
    Que este julgamento é político?
    Ou vc prefere não ver isso?
    Vc não estranha um caso que ficou engavetado por anos, ser DESENGAVETADO em época de eleições?
    Pior… a correria para julgar este caso na semana das eleições…

    LUIZ, SEJA FRANCO: vc acha isso normal?
    Se vc achar, com todo respeito, não tem discussão!

  • O José Dirceu, o José Genoíno, Delúbio Soares e os demais réus não devem se sentir diminuídos, porque, afinal, foram condenados por uma estirpe desprezível de magistrados. Todos sabem, até intuitivamente, que a verdadeira autoridade de um magistrado, a base de sua autoridade institucional, antes e acima de tudo, é sua autoridade moral. Que autoridade tem, por exemplo, esse Celso de Mello, uma juiz de merda segundo Saulo Ramos, no livro Código da Vida, para julgar e condenar eventuais desvios de algum cidadão ? Não tem nenhuma autoridade moral, tanto quanto não a tem o primo do Collor e suas decisões compadrescas para banqueiro ladrão como o Cacciola, e para estuprador como o médico Abdelmassih, assim como não a tem o Gilmar Mendes, aliás Gilmar Dantas segundo Noblat, facilitador da vida de outro banqueiro abutre, Daniel Dantas. E depois, tem o seguinte, a autoridade é para ser exercida, e a Presidenta da República deve exercê-la usando suas prerrogativas constitucionais e legais para indultar as pessoas que, ao invés de serem julgadas com serenidade, sobriedade e abordagem técnica pelos ministros, foram por eles linchadas em obediência ao que lhes comanditou a velha imprensa historicamente golpista e corrupta.

  • Os anos passam e os “verdadeiros golpistas, as verdadeiras quadrilhas” se mantém mais vivas e alertas do que nunca. Vide STF, toda vez que a esquerda chega ao poder, ou faz algo pelos menos favorecidos, eles entram em ação dando o golpe. Graças a Deus hoje temos a internet ao nosso lado. Podemos perder algumas batalhas mas jamais perderemos a guerra, pois essa luta está longe de acabar…
    Força Companheiro Quadrilheiros e Petralhas a luta é infinita……

  • Quando um fato desse se concretiza um sentimento enorme de impontencia toma conta da gente e fico pensando como fica essas pessoas e suas famílias condenadas com uma veemencia ´virulenta sem limite, são coisas tão absurdas que beira a insananidade, é como se concretizasse todo o preconceito, a raiva que a direita protagonizou durante todos esses anos de governo do PT, os petralhas finalmente condenados. O que fazer? como chergar a Dirceu, Genuino e aos outros que a maioria do povo brasileiro e me incluo neste grupo sofre com eles, sofre com Lula que mesmo assim continua lutando pelo seu
    povo. Força Dirceu, força Genuino e todos os outros dessa famigerada ação 470 voçes não estao sendo condenados pelo maioria do povo brasileiro e sim por um tribunal sem legitimidade e se pudesse faria um manifesto de desagravo a esse Tribunal de execessão mostrando que eles não represntam a opinão pública e sim a opinião de poucos.

  • Quando um fato desse se concretiza um sentimento enorme de impontencia toma conta da gente e fico pensando como fica essas pessoas e suas famílias condenadas com uma veemencia ´virulenta sem limite, são coisas tão absurdas que beira a insananidade, é como se concretizasse todo o preconceito, a raiva que a direita protagonizou durante todos esses anos de governo do PT, os petralhas finalmente condenados. O que fazer? como chergar a Dirceu, Genuino e aos outros que a maioria do povo brasileiro e me incluo neste grupo sofre com eles, sofre com Lula que mesmo assim continua lutando pelo seu
    povo. Força Dirceu, força Genuino e todos os outros dessa famigerada ação 470 voçes não estao sendo condenados pelo maioria do povo brasileiro e sim por um tribunal sem legitimidade e se pudesse faria um manifesto de desagravo a esse Tribunal de execessão mostrando que eles não representam a opinão pública e sim a opinião de poucos.

  • Iremos p/ rua sim. A Constituição permite o Presidente fazer o indulto, e nesse caso é valido, pois foram condenados fora dos autos, ilação, invenção. O Dirceu esta prontinho p/ continuar a luta.

    • Cuidado com essa história de indulto!!
      Se ocorrer, isso será certamente considerado uma declaração de guerra aberta do poder executivo contra o STF, correndo o risco da Suprema Corte politizar-se de vez e não votar em mais nada a favor do governo, como fez em referência às cotas e uniões homoafetivas.

      • O STF já declarou guerra ao PT e ao governo. Nas palavras de Ayres Britto e Celso de Mello: PT corrompeu para perpetura-se no poder. E arrematou Marco Aurélio: O PT lembra a máfia italiana.
        Então o governo tem que se defender. Primeiro indo na jugluar do Gurgel e depois nomeando dois minsitros próximos para o STf (tendo o cuidade de não se enganar com um vaselina traíra como o Ayres).
        Indulto é radical, mas não deve ser descartado.
        Fato é que o supremo (com minúscula) juntou-se ao pig contra o que eles chamam de “lulo-petismo”

  • “Arrastam-nos pelas ruas… maltrapilhos, feridos, acorrentados”
    Essa descrição evocou-me cena antiga, protagonizada pelo Cel Vilocq e Gregório Bezerra, em abril de 64, em avenida de Casa Forte, no Recife
    A História se repete como farsa

  • As condenações prolatadas pelo tribunal da casa grande apenas materializam os desejos incontidos da elite, da direita e do PIG, eles pertencem à mesma classe que sempre desgraçou o país e os trabalhadores.

  • Edu, não sei se já pensaram nisso, mas vai uma idéia: Todos os que estão revoltados com o julgamento do mensalão , se não o forem, deveriam se filiar no PT. O aumento do número de filiados dará uma resposta clara à mídia e ao STF do que a população pensa deste julgamento. Eu nunca fui filiada a nenhum partido, mesmo sempre votando no PT, vou , passadas as eleiçoes, me filiar aqui em POA. Pensa ,e se achares uma boa idéia poderias encabeçar uma campanha sobre este tema.Abraço e por favor paulistanos façam campanha pro Haddad! Um bj. na Vitória.

    • Maria Luiza…
      Entrei com meu pedido de filiação ao PT desde o dia em que vi Joaquim Barbosa e Gilmar Mendes dormindo no Plenário do STF quando deveriam estar atentos às defesas que faziam os advogados dos réus da AP 470. Na verdade, a partir daquele momento assaltou-me a certeza de que o julgamento seria uma farsa, como de fato está sendo.
      O André Luiz, responsável por minha filiação aqui em Aparecida de Goiânia, já me adiantou que até o final desse mês de Outubro estarei de posse da minha carteirinha de filiado ao Partido dos Trabalhadores.

  • Ao adotar o modus operandi de caixa dois dos tucanos, o PT cometeu o maior dos pecados, tudo que a oposição queria “munição” que sempre é recarregada pela midia e hoje o STF fincou a bandeira da vitória nesta “batalha”, a “guerra” estamos vencendo e aumentando nossas conquistas, porem, os inimigos encontraram um campo de batalhas onde jamais venceremos e neste campo todo cuidado é pouco, recentemente Honduras e Uruguai sofreram golpes vindo deste campo .

  • Não houve julgamento, houve linchamento. E o povo entendeu a maracutaia do julgamento político, com os ministros fazendo discursos sempre para plateia, e o resultado foi pífio para a oposição. FIM DA REELEIÇÃO LEGISLATIVA JÁ, os partidos podem fazer de acordo com a Constituição Federal art. 17, § a autonomia dos partidos, permitem as alterações nos seus estatutos. A sim poderemos aprovar a lei de mídias, modificar no que for necessário o judiciário. Pois no modelo de hoje os legisladores sai de eleição já pensando na outra e nada projeto de leis. Enfrentar a mídia?, o judiciário enfrentão é nada.

  • É MENTIRA que o embaixador dos Estados Unidos tenha aumentado sua segurança pessoal em razão da possível prisão de José Dirceu. A CIA afirmou que os tempos são outros e que não acredita em novo SEQUESTRO do embaixados em troca dos presos do MENSALÃO.

  • Eduardo, obrigado.Como sempre belo texto.
    Nada como um dia,após do outro.
    Essa quadrilha do stf está nua.

    Como diz o CHICO amanhã vai ser outro dia.

  • Independente do resultado do julgamento, a forma que o STG (supremo tribunal global) conduziu o julgamento foi vergonhosa. Tudo, rigorosamente tudo, foi feito de acordo com a vontade da midia, tinha votos que até pareciam que foram elaborados nas redações da grande midia. O que aconteceu com estes seres podemos imaginar: ameaças??? rabo preso???chantagens????corrupção???vaidades???promessas de candidaturas a Presidente???covardia???incompetencia???

    Outra coisa, cade a turma da CUT, UNE, PT, MST, etc que iriam para as ruas???? Desse jeito podem prender o Lula, que acho que fica por isto mesmo!!!

    Continuamos na ditadura, só mudou a forma.

  • vc é lúcido demais Edu,fico imaginando que em breve todos nós do PT seremos taxados de quadrilheiros,minha mãe de 87 anos está sendo acusada de ser corrupta só porque vai votar no PT,essa galera golpista é sem noção,o clima esquenta até o domimgo,aqui em SSA estamos com a mão na massa,muito trabalho é assim que se ganha eleição,e não se fazendo terrorismo!gente besta essa do PIG!

    • Prezada Nancy Lima

      A eleição aí em Salvador está me preocupando muito mais do que a do Haddad em São Paulo. Sei da importância da Bahia no conjunto nacional. E temo que ACM grampinho se eleito vá ser cabo eleitoral do Aécio em 2014, do Aécio que quebrou Minas, do Aécio da farsa do déficit zero. Fico lembrando de quando ACM era aliado de Tancredo Neves.

      Faço votos que a militância petista consiga vencer o carlismo, e Nélson Pelegrino seja eleito prefeito da nossa 3ª maior metrópole. Fico torcendo pela vitória do bem sobre o mal.

      Saudações, deste mineiro, Professor João Paulo Ferreira de Assis.

  • Eduardo e demais leitores. ,Busquem acesso ao portal Uai (uai.com.br), o qual reflete o jornal estado de minas(pig daqui), de ontem, dia 22/10. Há um depoimento de um dos sócios da SMP&B e DNA, empresas de publicidade tidas como instrumento de ação predadora dos envolvidos no chamado mensalão. o tal sócio, Cristiano Paz, protesta inocência e falta de oportunidade de defesa, acusando surdez da justiça para suas declarações e, até, manipulação de seu depoimento contra ele mesmo e outros tidos como réus. Acho interessante e paralelamente instigante como outros, José Dirceu inclusive, afirmam sua inocência e apontam manipulação de dados para que fossem incluídos em um esquema que ninguém é capaz de desenhar, cabal e indubitavelmente. A imagem das pessoas, segundo o depoente, está sendo utilizada para fins ininteligíveis e as evidências de não envolvimento não podem ser utilizados, ou não são levantados pela própria mídia que criou o monstro e dele não pode abrir mão sem que sua respeitabilidade vá ao chão. Sugiro lerem esse depoimento e, para você, Eduardo, posso enviar a cópia do que capturei do portal, se interessar. Enfim, acho que poderíamos formar uma petição à Carta Capital e à Caros Amigos, para aprofundar esse tipo de levantamento que não temos tempo ou técnica para fazermos, nós próprios. Afinal, onde anda a ex-secretária do Marcos Valério? O que foi feito dela? Esse mensalão merece um novo levantamento, estudo e conclusão. Pelo menos, para mim, que gostaria de saber e ver a verdade estampada.

  • Pelo visto, o pig e o STf formaram quadriha mesmo. O próximo passo é o mensalão 2 para pegar o Lula. Se o governo e o PT continuarem passivos enquanto os udenistas tramam contra eles, o Lula vai sim parar no banco dos réus, ou pelo menos, ficará na iminência de.
    Só não vai, porque a reação daqui da “quadrilha” do lado de cá, vai dar um susto neles. No dia seguinte que o Gurgel denunciar e o STF acatar contra o Lula, já estarão se formando caravanas para Brasília. Além da CUT, MST e UNE, o bloco do MSM sob a liderança do bravo Edu, lá estará também, para acampar em frente ao judiciário.
    Mas esperemos que o PT e o governo reajam, para que isso não seja necessário

  • Dilma é Lula. Lula é Dilma.

    Dilma está enfrentando os banqueiros.
    Os tucanos são lambe-botas dos banqueiros.

    Dilma está continuando a política externa de Lula. Ela apoia, por exemplo, a criação do Estado Palestino.

    Dilma e Lula estão batalhando pelos candidatos do PT e da base aliada.

    Então, não adianta Jabor e outros lixos insistirem nessa estratégia de separar Lula e Dilma.

    _____________________
    Detalhe eleitoral importante: O PMDB de São Paulo preferiu lançar candidato próprio. Se deu bem mal, pois seu candidato teve votação ridícula. Então, é bom certos partidos aliados, como PSB e PMDB, ficarem espertos. Capaz de Dilma dispensar o peso morto desses partidos em 2014. Alguém duvida que ela tem boas chances de ganhar sem eles?

  • Caro Edu, você é mesmo um herói. Consegue ler os “colonistas” do PIG e responder aos cães-de-guarda da diretona que vêm aqui, no seu blog.
    Parabéns pelo texto.
    Toda nossa solidariedade ao Zé Dirceu e às demais vítimas do processo STF/PIG. E toda nossa indignação ao comportamento servil do ministros do Supremo, que condenaram sem provas para agradar a mídia golpista.

  • Lula, o maior presidente da história do Brasil.
    Basta examinar os números do seu governo.
    É admirado no exterior como quase um deus.
    Lula fortaleceu a Polícia Federal e a CGU.
    Criou condições de apurarem-se corrupções.
    Fez renascer as empresas públicas.
    Não se aproveitou de seu altíssimo índice de aprovação para alterar a Constituição em favor de um terceiro mandato. Não colocou no STF nenhum juiz com as críticas que pesam sobre, por exemplo, Gilmar Mendes e Marco Aurélio Mello.
    O chamado “mensalão” não convenceu. Ninguém provou o mensalão. Nem mesmo desvio de dinheiro público, a Visanet é empresa privada e o seu sistema de pagamentos vinha sendo utilizado no governo dos tucanos sem nenhum questionamento, o bônus de volume é legal e a Globo é a sua maior beneficiária, os serviços da SPMB foram feitos.
    O jornalista Raimundo Pereira demonstra a armação que está sendo feita neste julgamento de exceção.
    Dirceu e Genoíno não possuem fortuna.
    Não se abafou nenhuma denúncia no governo do Lula.
    Se há um partido no Brasil em que os eleitores podem confiar é o PT, pois até um peido que alguém soltar nesse partido é investigado, criminalizado e condenado.
    O PT é o único partido que não pode roubar e nem mesmo fazer manobras que possam se confundir com roubo.
    Como se pode chamar o seu governo de corrupto, sem prova alguma que convença?
    Quando é que a mídia, a PGR e o STF falarão da Privataria Tucana?
    E da Lista de Furnas?
    E o mensalão tucano, quando será julgado? Em setembro de 2014, um mês antes das próximas eleições?
    Quando serão convocados na CPMI do Cachoeira o PGR , o Policarpo e o Civita?
    Quando será feita a Lei da Mídia, democratizando o direito à informação e proibindo monopólio e a propriedade cruzada? ( a Lei da Mídia da Argentina, que os donos do poder aqui chamam de ditatorial foi elogiada pela ONU ).

    • Osvaldo mais claro que você postou impossível, só mesmo anencéfalo que não consegue enxergar. “Mensalão” NÃO COLOU” , como poderia? com tantas falhas? até jurisprudência foi criado somente para condenar, isso passa dos limites, NÃO TOLERAMOS ISSO. Parabéns pelo comentário. Agora SIM corremos sério risco na democracia, agora entende-se que se pode condenar SEM provas. É isso mesmo, PT é o único partido que podemos confiar, pois, está TODO MUNDO de olho, é o judiciário, é a mídia, enquanto o PSDB NÃO PODEMOS CONFIAR DE JEITO NENHUM, POIS A MÍDIA ESCONDE AS FALCATRUAS E OS JUÍZES NÃO CONDENAM OS CRIMES COMETIDOS PELOS TUCANOS. Como poderemos confiar num partido desses? Pelo menos PT é vigiado 24 horas por dia.

    • É golpe!!!
      Condenados que escaparam das penas pela prescrição: o ex-dono do Banco Econômico e ex-ministro da Indústria e Comércio Angelo Calmon de Sá; o ex-senador Luiz Estevão; o empresário Artur Falk, ex-dono do Papa-Tudo; o ex-presidente do Banco Central Chico Lopes e dirigentes do Banco Marka e FonteCindam, além da quadrilha do fiscal da Receita Federal Rodrigo Silveirinha;Sentenciado a 28 anos e 10 meses de prisão por fraudes de US$ 16 bilhões e prejuízo de US$ 9 bilhões aos cofres públicos, o ex-dono do Banco Nacional Marcos de Magalhães Pinto ficou três dias na carceragem da Polícia Federal no Rio pelosn crimes- fraude de balanço, formação de quadrilha, gestão fraudulenta e forjar informações ao Banco Central – já prescreveram e as penas foram extintas.
      Um homem ficou preso, no paraná, mais de dois anos por furtar doze pés de alface e cinco cabeças de repolho. Outro, dezesseis vassouras. Outro, uma dúzia de telhas Eternit, e outro, acredite, um pacote de cigarro;Uma empregada doméstica NEGRA, ficou 06 MESES PRESA por furtar UM POTE DE MARGARINA!Daniel Dantas desviou BILHÕES DE REAIS da economia brasileira;ofereceu UM MILHÃO DE REAIS DE SUBORNO a um DELEGADO DA PF e…FOI SOLTO PELO MINISTRO GILMAR MENDES!

      Ate quando vamos aguentar tanta injustiça?

  • Edu, a ultima vez que fui a uma grande festa da vitóri foi na primeira eleição do Lula. Quero comemorar a vitória do Haddad. Onde será a festa? Quero estar junto com 1 milhão de pessoas. Precisamos ir às ruas e a luta. Abçs.

  • Permita-me discordar. Para mim, a batalha não se encerrou. Apenas ocorreu uma refrega, e das mais sangrentas, traumáticas. Portanto, um contra-ataque deverá ser muito bem planejado. Por exemplo, o BUFÃO GURGEL, permanecerá intocável? Será reconduzido às funções da PGR?

    Espero que o Governo Federal, PT e base aliada saibam manobrar corretamente, e não falhem como Aníbal…

  • COMENTÁRIO QUE ACABO DE POSTAR AO BLOG DO REINALDO AZEVEDO . NELE EU SOU UM PERSISTENTE TROLL. TALVEZ ISSO SEJA UMA DOENÇA. MAS ME DIVERTE !

    Quando for chegada a sua hora de pagar pelos crimes de traição nacional que você comete todos os dias, sua punição será a de alimentar-se por autofagia. Um cozinheiro francês será designado para preparar e servir as suas partes cuidadosamente amputadas pelo melhor dos cirurgiões. Assim, um dia, você desaparecerá para sempre degustando o último pedaço de si mesmo com molho de champignon.

    • Uma interessante forma de desaparecer.
      No fim, restará apenas um cabeção.
      Interessante, pois trás ainda uma singularidade: se no fim dos tempos cada alma estará em seu corpo, como é que ele vai se virar?
      Sua alma habitará excrementos?
      Bem, pensando melhor, neste caso nada terá mudado pra ele…

  • Não se une água ao óleo. A ridícula oposição, que há uma década definha, tendo como apoio esses seus membros que atuam nas páginas da internete, na realidade não tem a condição de alcançar, de ver o jogo antidemocrático que vem sendo jogado, tendo nossa Suprema Corte como protagonista de uma das páginas mais deletérias de nossa história forense, inciando pelas mãos de um juiz poeta, sem rimar Justiça com Democracia, certamente a fase mais negra de nossa Justiça. O grande crime de Dirceu e do PT é ter perseverado por quase duas décadas, feito as indispensáveis alianças, e levando o grande líder político, Luis Inácio Lula da Silva, nosso Lula, que se mostrou um de nossos maiores estadistas, se não o maior, que com sua habilidade, mantendo e surfando nos pressupostos do neoliberalismo vigente, conseguiu melhorar a condição de vida do trabalhador e do miserável no nosso país. É para a direita odiar mesmo o José Dirceu. Estão tendo de engolir nessa década políticas também em benefício dos que trabalham e ajuda aos mais pobres. Não tem sido o desejável, mas foi um avanço que assusta essa oposição, grande parte composta por viúvas da ditadura. Em tudo que está acontecendo só não compreendo porque, no julgamento da Ação Penal nº 470, a defesa aceitou o fatiamento da denúncia como proposto e realizado pelo eminente (por sua postura no plenário parece mais alguém iminente a cair) ministro Joaquim Barbosa, sem que a defesa se fizesse pari passu. Este procedimento na prática inibiu a defesa, o julgamento se deu sem a participação desta. Ficou ao largo. Os advogados dos réus, dos mais conceituados do país, dois ex Ministros da Justiça, em todo o julgamento não passaram de simples assistentes, verdadeiros formandos em Direito que estivessem mergulhados em seus aprimoramentos na técnica jurídica, participando somente com suas presenças do maior (trinta e oito réus) e mais importante julgamento do pais. Não havia porque aceitar tamanha desfaçatez. Saiba entretanto: preso ou não, Dirceu e seus companheiros condenados sem provas, sem base nos autos, por meras ilações dos juízes, não deixarão de, na sequência, porque não foram vencidos mas golpeados, ter importantes e participações na continuação e no aprimoramento das políticas que beneficiam nosso povo, que a oposição tenta impedir, de forma válida, através do voto.

  • Sr. Eduardo, estão falando que a Dilma deve indultar os condenados pelo STF, usando sua prerrogativa constitucional. Isso significaria indultar TODOS os acusados como Marcos Valério, que até o Sr. concorda que é um bandido.
    Por outro lado já diz um grande ditado: “Mais justo um culpado solto do que um inocente preso”.
    O que o sr. acha desta possibilidade?

    Mais um abraço,
    Heitor.

    • A melhor coisa que a presidenta Dilma vai fazer é indultar o José Dirceu, o Genoíno, o João Paulo e o companheiro Delúbio.
      Eles foram os grandes responsáveis pelo PT conseguir aprovar no congresso leis que beneficiam o povo até hoje.
      Agora o nosso grito de guerra será “INDULTA DILMA!!!”.

          • Então eles teriam que cumprir um terço da pena antes de serem indultados?
            Não tem problema, um decreto da presidenta pode resolver isso.

        • Sim, é prerrogativa constitucional do presidente da república indultar quem quer que seja.
          O problema é que o STF pode achar isso uma afronta.
          Mas como o STF já declarou guerra ao governo, a presidenta não deve preocupar-se, deve sim criar uma reforma constitucional a toque de caixa para que os juízes do STF tenham mandato de, no máximo, 4 anos. Com isso os atuais juízes inimigos do governo, teriam quer ser todos trocados em breve, quando a presidenta poderá colocar juízes amigos como o Tofolli e o Levandovisky.

          • A questão não é nem colocar juizes amigos é colocar Juizes que cumpram a lei, o que os doutos do STF não fazem, pois rasgaram a Constituição, ofenderam os principios do in dubio pro reu, do duplo grau de jurisdição, do onus da prova é de quem acusa, do contraditorio e da ampla defesa, etc. Tentando dar um golpe contra o governo marcaram propositadamente o julgamento do mensalão para o periodo das eleições para influencia-la politicamente. Isso é serio gente.
            Vejam bem que, como a sujissima veja e demais integrantes do PiG foram devidamente calados com o escandalo do cachoeira e demostenes, a direita passou a utilizar o seu braço juridico – STF – para enfraquecer o governo de esquerda. Antes a Veja esgoto era suficiente pois com factoides, mentiras, calunias e ofensas paralizava o governo Dilma derrubando ministros. Assim agiram com o governo Lula. A historia do Brasil mostra que é uma velha tatica da direita udenista lacerdista de tornar o governo inviavel criando escandalos para depois tentar golpea-lo. Getulio conseguiu impedir o golpe com o suicidio. Juscelino foi vitima dos mesmos golpistas.A famosa frase – suprassumo do golpismo – de Carlos Lacerda, de que “Juscelino não deveria ser candidato; se fosse, não deveria ganhar; se ganhasse, não deveria tomar posse; se tomasse posse, não deveria poder governar”, espelhava aquele objetivo do golpe. Inviabilizar o governo com factoides é uma forma de impedir o governo de governar. Contra fatos não há argumentos.

            Isso é golpe!!!

            Sempre defendi mandato para os ministros do STF. Não há o porquê de serem vitalicios. Não são juizes de carreira e mesmo assim após indicados para o cargo de ministro se aposentam ganhando altos salarios. Eles pensam que dão a ultima palavra. Mas a ultima palavra esta e sempre estará com o povo através dos legisladores. Reforma politica, da Justiça, Lei dos médios JÁ!!!!

    • Edu, este sujeito, logo, logo, vai querer saber o número do seu cartão de crédito e se você sabe onde estão os ossos da Dana de Teffé…

      A sondagem tá ficando cansativa, seu Heitor. Abra logo o jogo porque seu time a gente já conhece.

  • José Dirceu tem história de militante de Esquerda que lutou contra a Ditadura Militar/Midiática, depois pra piorar as coisas, pro lado dele, fez do metalúrgico e retirante nordestino um Presidente da República
    E que Presidente?
    O grau da vingança que essa gente tem para com Dirceu é incalculável.
    O STF apenas está cumprindo o papel, voluntário, de braço armado da Direita para vingar a Esquerda.
    A Direita é dona do Mundo, vamos recorrer a quem?

  • Este julgamento do STF me dá nojo:nunca vi nada mais abjeto e inescrupuloso! Vejo a reencarnação do Torquemada; revejo os julgamentos da época dos expurgos de Stalin. E o pior: estão sendo enviados para o gulag brasileiro, homens que, como José Dirceu e Genoíno, foram nossos heróis na luta sangrenta contra a ditadura militar. Heróis que, a partir de agora, estão mortos para a memória nacional, enquanto os covardes, aqueles que estão por trás dos juízes deste julgamento, fugiram naquela época e hoje posam de santos, malgrado eles formarem a verdadeira quadrilha: a quadrilha do Daniel Dantas, cuja prisão o Gilmar Mendes julgou desnecessária; a quadrilha do mensalão tucano; da privataria tucana. E o pior: os mesmos ministros que agora julgam estes homens, inocentaram outros tantos que realmente eram corruptos e mafiosos. Além de Dantas, temos que lembrar que o Marco Aurelio de Mello livrou a cara de Alfeu Crozado Mozaquatro, da máfia do boi, um mega esquema de sonegação fiscal, ato que não lesou apenas os cofres públicos, mas a todos nós que pagamos nossos impostos em dia.
    Estou indignada; estou triste; estou desiludida. Minha esperança em um Brasil justo acabou, pelo menos a médio prazo…

    • Milu, e tem mais um agravante, vi no programa “Fala que eu te escuto” na Record(madrugada) o depoimento da mãe de um dos rapazes que foram jogados do trem por um grupo de skinhead aqui em São Paulo, ela disse que quando foram condenados a mãe de um deles que é juíza, recorreu ao stf(minúsculo mesmo) e foram ABSOLVIDOS, quer dizer, um rapaz ficou sem um braço e outro morreu e o stf absolveu os assassinos. Pode? Assim funciona o stf, condenam inocentes e absolvem criminosos. Isso nos leva a pensar o que?

  • Olá Edu,

    Acho que falta um texto escrito de forma clara e direta para que todos entendam o que realmente aconteceu neste caso do mesalão. Acho que as pessoas, no geral estão confusas, tamanho a quantidade de informações (verdadeira, meias verdades e não verdadeira) que são repetidas diariamente. Até mesmo eu tenho dificuldades para argumentar nas rodas de conversas com amigos e familiares
    O que foi que aconteceu?
    O PT emprestou dinheiro pois precisava para cobrir despesas. ok, aqui entra o problema do caixa 2 que é proíbido.
    O Delubio procurou o Marcos Valério (ou este se ofereceu) e disse ter condições de fazer tal emprestimo.
    O Marcos Valério conseguia empréstimos no Banco Rural (ou BMG).
    A diretoria deste(s) banco(s) simulava os empréstimos e é aqui que existe a tal fraude?
    Onde é que existe a ilicitude, se é que existe? É do Marcos Valério para trás?

    Bem se vc puder me ajudar eu agradeço. Se não, entederei também (confesso que estou frustado e p da vida) com tudo isso.

    1 abraço

      • A vertigem do Supremo – Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa –

        _______________________________________________________________________________________

        22-Out-2012

        Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa

        Raimundo Pereira, jornalista conhecido pelo rigor com que checa as informações que usa, abre a reportagem a ser publicada na sua Revista do Brasil, edição nº 64, nas bancas a partir do próximo 1º de novembro, com a afirmação de que “não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão”. E parte para a demonstração dessa afirmação.

        A matéria disseca, analisa a fundo, a tese que Raimundo definiu como a “viga mestra” do mensalão. Escreve: “Essencialmente, a tese do mensalão é a de que o petista Henrique Pizzolato teria desviado de um “Fundo de Incentivo Visanet” 73,8 milhões de reais que pertenceriam ao Banco do Brasil. Seria esse o verdadeiro dinheiro do esquema armado por Delúbio e Valério sob a direção de José Dirceu. Os empréstimos dos bancos mineiros não existiriam. Seriam falsos. Teriam sido inventados pelos banqueiros, também articulados com Valério e José Dirceu, para acobertar o desvio do dinheiro público.”

        A tese, segundo Raimundo, é falsa. “O desvio dos 73,8 milhões de reais não existe” e “os autos da Ação Penal 470 contêm um mar de evidências de que a DNA de Valério realizou os trabalhos pelos quais recebeu os 73,8 milhões de reais”.

        Raimundo não afirma isso por simples boa fé ou por algum interesse em livrar este ou aquele réu: no site da revista ele dá acesso a 108 apensos da Ação Penal 470 com documentos em formato pdf “equivalentes a mais de 20.000 páginas e que foram coletados por uma equipe de 20 auditores do BB num trabalho de quatro meses, de 25 de julho a 7 de dezembro de 2005 e depois estendido com interrogatórios de pessoas envolvidas e de documentos coletados ao longo de 2006”.

        Segundo afirma, a auditoria foi buscar provas de que o escândalo existia de fato. Encontrou documentos que provaram o contrário. Com base nas conclusões dos auditores, Raimundo afirma que “o uso dos recursos do Fundo de Incentivo Visanet pelo BB foi feito, sob a gestão do petista Henrique Pizzolato, exatamente como tinha sido feito no governo FHC, nos dois anos anteriores à chegada de Pizzolato ao banco. E mais: foi sob a gestão de Pizzolato, em meados de 2004, que as regras para uso e controle dos recursos foram aprimoradas”.

        O jornalista diz que, tendo analisado toda a documentação da auditoria, encontrou questionamentos e problemas. “Mas de detalhes. Não é disso que se tratou no julgamento da AP 470 no entanto. A acusação que se fez e que se pretende impor através do surto do STF é outra coisa. Quer apresentar os 73,8 milhões gastos através da DNA de Valério como uma farsa montada pelo PT com o objetivo de ficar no poder, como diz o ministro Ayres Britto, “muito além de um quadriênio quadruplicado”.”

        Em seguida, Raimundo Pereira classifica a conclusão a que chegou o tribunal de “delírio”. Escreve: “A procuradoria da República e o ministro Barbosa sabem de tudo isso [basicamente, da conclusão da auditoria, de que a parte do FIV a que o BB tinha direito foi repassada à agência de publicidade para pagar serviços que foram comprovadamente realizados e que, no final das contas, levaram o BB à liderança no uso da bandeira Visa no Brasil]”. E conclui: “Se não o sabem é porque não quiseram saber: da documentação tiraram apenas detalhes, para criar o escândalo no qual estavam interessados”.

        Viga mestra é a que sustenta a construção. Se ela é retirada, ou tem algum problema grave, a própria construção não consegue permanecer de pé.

        Leia a íntegra da reportagem do Brasil 247:

        22 de Outubro de 2012 –
        Brasil 247 –
        URL: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/83657/A-vertigem-do-Supremo.htm

        A vertigem do Supremo
        :

        247 publica em primeira mão a reportagem de Raimundo Rodrigues Pereira, um dos mais consagrados jornalistas brasileiros e editor da Retrato do Brasil, sobre o julgamento da Ação Penal 470; amparado em documentos, ele demonstra que o desvio de R$ 73,8 milhões do Banco do Brasil, por meio da Visanet, simplesmente não ocorreu; corte julga o capítulo final, que trata da formação de quadrilha

        247 – Raimundo Rodrigues Pereira é um herói do jornalismo brasileiro, que criou o jornal Movimento e enfrentou a ditadura militar. Agora, ele abre uma nova frente de combate, desta vez com o Supremo Tribunal Federal, ao demonstrar que o desvio de R$ 73,8 milhões do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão, simplesmente não ocorreu. Leia em primeira mão a reportagem de capa da revista Retrato do Brasil, que vai às bancas em 1º de novembro e que, nesta semana, estará disponibilizada no site da revista, amparada também em documentos:

        A VERTIGEM DO SUPREMO

        Os ministros do STF deliraram: não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão. Acompanhe a nossa demonstração

        Por Raimundo Rodrigues Pereira, da revista Retrato do Brasil

        A tese do mensalão como um dos maiores crimes de corrupção da história do País foi consagrada no STF. Veja-se o que diz, por exemplo, o presidente do tribunal, ministro Ayres Britto, ao condenar José Dirceu como o chefe da “quadrilha dos mensaleiros”. O mensalão foi “um projeto de poder”, “que vai muito além de um quadriênio quadruplicado”. Foi “continuísmo governamental”, “golpe, portanto”. Em outro voto, que postou no site do tribunal dias antes, Britto disse que o mensalão envolveu “crimes em quantidades enlouquecidas”, “volumosas somas de recursos financeiros e interesses conversíveis em pecúnia”, pessoas jurídicas tais como “a União Federal pela sua Câmara dos Deputados, Banco do Brasil-Visanet, Banco Central da República”.

        Britto, data vênia, é um poeta. Na sua caracterização do mensalão como um crime gigante, um golpe na República, o que ele chama de Banco do Brasil-Visanet, por exemplo? É uma nova entidade financeira? Banco do Brasil a gente sabe o que é: é aquele banco estatal que os liberais queriam transformar em Banco Brasil, assim como quiseram transformar a Petrobras em Petrobrax, porque achavam ser necessário, pelo menos por palavras, nos integrarmos ao mundo financeiro globalizado.

        De fato, Visanet é o nome fantasia da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, responsável, no Brasil, pelos cartões emitidos com a chamada bandeira Visa (hoje o nome fantasia mudou, é Cielo). Banco do Brasil-Visanet não existia, nem existe; é uma entidade criada pelo ministro Britto. E por que, como disse no voto citado, ele a colocou junto com os mais altos poderes do País – a União Federal, a Câmara dos Deputados e o Banco Central da República? Com certeza porque, como a maioria do STF, num surto anti-corrupção tão ruim quanto os piores presenciados na história política do País, viu, num suposto escândalo Banco do Brasil-Visanet, uma espécie de revelação divina. Ele seria a chave para transformar num delito de proporções inéditas o esquema de distribuição, a políticos associados e colaboradores do PT, de cerca de 50 milhões de reais tomados de empréstimo, de dois bancos mineiros, pelo partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

        No dia 13 de julho de 2005, menos de um mês depois de o escândalo do mensalão ter surgido, com as denúncias do deputado Roberto Jefferson, a Polícia Federal descobriu, no arquivo central do Banco Rural, em Belo Horizonte, todos os recibos da dinheirama distribuída. Delúbio Soares, tesoureiro do PT, e Marcos Valério, um empresário de publicidade mineiro, principais operadores da distribuição, contaram sua história logo depois. E não só eles como mais algumas dezenas de pessoas, também envolvidas no escândalo de alguma forma, foram chamadas a depor em dezenas de inquéritos policiais e nas três comissões parlamentares de inquérito que o Congresso organizou para deslindar a trama.

        Todos disseram que se tratava do famoso caixa-dois, dinheiro para o pagamento de campanhas eleitorais, passadas e futuras. Como dizemos, desde 2005, tratava-se de uma tese razoável. Por que razoável, apenas? Porque as teses, mesmo as melhores, nunca conseguem juntar todos os fatos, sempre deixam alguns de lado. A do caixa-dois é razoável. O próprio STF absolveu o publicitário Duda Mendonça, sua sócia Zilmar Fernandes e vários petistas, que receberam a maior parte do dinheiro do chamado valerioduto, porque, a despeito de proclamar que esse escândalo é o maior de todos, a corte reconheceu tratar-se, no caso das pessoas citadas, de dinheiro para campanhas eleitorais. E a tese do caixa-dois é apenas razoável, como dissemos também, porque fatos ficam de fora.

        É sabido, por exemplo, que, dos 4 milhões recebidos pelo denunciante Roberto Jefferson – que jura ser o dinheiro dele caixa dois e o dos outros, mensalão – uma parte, modesta é verdade, foi para uma jovem amiga de um velho dirigente político ligado ao próprio Jefferson e falecido pouco antes. Qualquer criança relativamente esperta suporia também que os banqueiros não emprestaram dinheiro ao PT porque são altruístas e teria de se perguntar porque o partido repassou dinheiro ao PTB, PL e PP, aliados novos, e não ao PSB, PCdoB, aliados mais fiéis e antigos. Um arguto repórter da Folha de S. Paulo, num debate recente sobre o escândalo, com a participação de Retrato do Brasil, disse que dinheiro de caixa-dois é assim mesmo. E que viu deputado acusado de ter recebido o dinheiro do valerioduto vestido de modo mais sofisticado depois desses deploráveis acontecimentos.

        O problema não é com a tese do caixa-dois, no entanto. Essa é a tese dos réus. No direito penal brasileiro, o réu pode até ficar completamente mudo, não precisa provar nada. É ao ministério público, encarregado da tese do mensalão, que cabe o ônus da prova. E essa tese é um horror. No fundo, é uma história para criminalizar o Partido dos Trabalhadores, para bem além dos crimes eleitorais que ele de fato cometeu no episódio. O escândalo Banco do Brasil-Visanet, que é o pilar de sustentação da tese, não tem o menor apoio nos fatos.

        Essencialmente, a tese do mensalão é a de que o petista Henrique Pizzolato teria desviado de um “Fundo de Incentivo Visanet” 73,8 milhões de reais que pertenceriam ao Banco do Brasil. Seria esse o verdadeiro dinheiro do esquema armado por Delúbio e Valério sob a direção de José Dirceu. Os empréstimos dos bancos mineiros não existiriam. Seriam falsos. Teriam sido inventados pelos banqueiros, também articulados com Valério e José Dirceu, para acobertar o desvio do dinheiro público.

        Essa história já existia desde a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. Foi encampada pelos dois procuradores-gerais da República, Antônio Fernando de Souza e Roberto Gurgel, que fizeram os trabalhos da acusação. E foi transformada num sucesso de público graças aos talentos do ministro Joaquim Barbosa na armação de uma historinha ao gosto de setores de uma opinião pública sedenta de punir políticos, que em geral considerada corruptos, e ao surto anticorrupção espalhado por nossa grande mídia, que infectou e levou ao delírio a maioria do STF.

        Por que a tese do mensalão é falsa? Porque o desvio dos 73,8 milhões de reais não existe. A acusação disse e o STF acreditou que uma empresa de publicidade de Valério, a DNA, recebeu esse dinheiro do Banco do Brasil (BB) para realizar trabalhos de promoção da venda de cartões de bandeira Visa do banco, ao longo dos anos 2003 e 2004. E haveria provas cabais de que esses trabalhos não foram realizados.

        A acusação diz isso, há mais de seis anos, porque ela precisa de que esse desvio exista. Porque seria ele a prova de serem os 50 milhões de reais do caixa dois confessado por Delúbio e Valério inexistentes e de os empréstimos dos bancos mineiros ao esquema Valério-Delúbio serem falsos e decorrentes de uma articulação política inconfessável de Dirceu com os banqueiros. Ocorre, no entanto, que a verdade é oposto do que a acusação diz e o STF engoliu. Os autos da Ação Penal 470 contêm um mar de evidências de que a DNA de Valério realizou os trabalhos pelos quais recebeu os 73,8 milhões de reais.

        No nosso site na internet, RB está apresentando, a todos os interessados em formar uma opinião mais esclarecida sobre o julgamento que está sendo concluído no STF, um endereço onde pode ser localizada a mais completa auditoria sobre o suposto escândalo BB-Visanet. Nesse local o leitor vai encontrar os 108 apensos da AP 470 com os trabalhos dessa auditoria. São documentos em formato pdf equivalentes a mais de 20.000 páginas e foram coletados por uma equipe de 20 auditores do BB num trabalho de quatro meses, de 25 de julho a 7 de dezembro de 2005 e depois estendido com interrogatórios de pessoas envolvidas e de documentos coletados ao longo de 2006.

        A auditoria foi buscar provas de que o escândalo existia. Mas, ao analisar o caso, não o fez da forma interesseira e escandalosa da procuradoria geral da República e do relator da AP 470 Joaquim Barbosa, empenhados em criminalizar a ação do PT. Fez um levantamento amplo do que foram as ações do Fundo de Incentivo Visanet (FIV) desde sua criação em 2001.

        Um resumo da auditoria, de 32 páginas, está nas primeiras páginas do terceiro apenso (Vol. 320). Resumindo-a mais ainda se pode dizer que:

        * As regras para uso do fundo pelo BB têm duas fases: uma, de sua criação em 2001 até meados de 2004, quando o banco adotou como referencial básico para uso dos recursos o Regulamento de Constituição e Uso do FIV da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento (CBMP); e outra, do segundo semestre de 2004 até dezembro de 2005, quando o BB criou uma norma própria para o controle do fundo.

        *Entre 2001 e 2004, a CBMP pagou, por ações do FIV programadas pelo BB, aproximadamente 150 milhões de reais – 60 milhões nos anos 2001-2002, no governo Fernando Henrique Cardoso, portanto; e 90 milhões nos anos 2003-2004, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. E, nos dois períodos, sempre 80% dos recursos foram antecipados pela CBMP, a pedido do BB, para as agências de publicidade contratadas pelo banco.

        *O BB decidiu, em 2001, por motivos fiscais, que os recursos do FIV não deveriam passar pelo banco. A CBMP pagaria diretamente os serviços através de agências contratadas pelo BB. A DNA e a Lowe Lintas foram as agências, no período 2001-2002. No final de 2002 o BB decidiu especializar suas agências e só a DNA ficou encarregada das promoções do FIV. Os originais dos documentos comprobatórios das ações ficavam na CBMP, não no BB, em todos os dois períodos.

        *O fato de o BB encomendar as ações mas não ser o controlador oficial das mesmas fez com que, nos dois períodos, 2001-2002 e 2003-2004, fossem identificadas, diz a auditoria, “fragilidades no processo e falhas na condução de ações e eventos”, que motivaram mudanças nos controles de uso do fundo. Essas mudanças foram implementadas no segundo semestre de 2004, a partir de 1 de setembro.

        *O relatório destaca algumas dessas “fragilidades” e “falhas”. Aqui destacaremos a do controle dos serviços, para saber se as ações de promoção tinham sido feitas de fato. Os auditores procuraram saber se existiam os comprovantes de que as ações de incentivo autorizadas pelo BB no período tinham sido de fato realizadas. **Procuraram os documentos existentes no próprio banco – notas fiscais, faturas, recibos emitidos pelas agências para pagar os serviços e despesas de fornecedores para produzir as ações. Descobriram que, para os dois períodos 2001-2002 e 2003-2004 igualmente, somando-se as ações com falta absoluta de documentos às com falta parcial, tinha-se quase metade dos recursos despendidos.

        **Os auditores procuraram então os mesmos documentos na CBMP, que é, por estatuto, a dona dos recursos e a controladora de sua aplicação e dos documentos originais de comprovação da realização dos serviços. A falta de documentação comprobatória foi, então, muito pequena – em proporção aos valores dos gastos autorizados, de 0,2% em 2001, 0,1% em 2002, 0,4% em 2003 e 1% em 2004.

        *Dizem ainda os auditores: com as novas normas, em função das mudanças feitas nas formas de controlar o uso do dinheiro do FIV pelo BB, entre janeiro e agosto de 2005 foram executadas sete ações de incentivo, no valor de 10,9 milhões de reais e se pode constatar que, embora ainda precisassem de aprimoramento, as novas regras fixadas pelo banco estavam sendo cumpridas e os “mecanismos de controle” tinham sido aprimorados.

        Ou seja: o uso dos recursos do FIV pelo BB foi feito, sob a gestão do petista Henrique Pizzolato, exatamente como tinha sido feito no governo FHC, nos dois anos anteriores à chegada de Pizzolato ao banco. E mais: foi sob a gestão de Pizzolato, em meados de 2004, que as regras para uso e controle dos recursos foram aprimoradas.

        Mais reveladora ainda é análise dos apensos em busca das evidências de que os trabalhos de promoção dos cartões Visa vendidos pelo BB foram feitos. E essas evidências são torrenciais. Uma amostra dessas promoções que devem ser do conhecimento de milhares e milhares de brasileiros estão no quadro abaixo.

        Em toda a documentação da auditoria existem questionamentos, são apresentados problemas. Mas de detalhes. Não é disso que se tratou no julgamento da AP 470 no entanto. A acusação que se fez e que se pretende impor através do surto do STF é outra coisa. Quer apresentar os 73,8 milhões gastos através da DNA de Valério como uma farsa montada pelo PT com o objetivo de ficar no poder, como diz o ministro Britto, “muito além de um quadriênio quadruplicado”. Essa conclusão é um delírio. As campanhas de promoção não só existiram como deram resultados espetaculares para o BB tendo em vista os objetivos pretendidos. O banco tornou-se o líder nos gastos com cartões Visa no Brasil.

        Em 2003, o banco emitiu 5,3 milhões desses cartões, teve um crescimento de cerca de 35% no seu movimento de dinheiro através deles, tornou-se o número um nesse quesito entre os associados da CBMP. No final do ano, 18 de dezembro, às 14h30 horas, em São Paulo, no Itaim Bibi, rua Brigadeiro Faria Lima 3729, segundo andar, sala Platinum, de acordo com ata do encontro, os representantes dos sócios no Conselho de Administração da CBMP se reuniram e aprovaram o plano para o ano seguinte. Faturamento esperado nas transações com os cartões Visa para 2004, 156 bilhões de reais. Dinheiro do FIV, ou seja: recursos para as promoções dos cartões pelos vários bancos associados, 0,10%, ou seja 1 milésimo, desse total: 156 milhões. Parte a ser usada pelo BB, que era, dos 25 sócios da CBMP, o mais empenhado nas promoções: 35 milhões de reais.

        Pode-se criticar esse esquema Visanet-BB. O governo está querendo que as taxas cobradas dos estabelecimentos comerciais pelos uso dos cartões sejam reduzidas. Na conta feita no parágrafo anterior, dos 156 bilhões de reais a serem movimentados pelos cartões em 2004, o dinheiro que iria para o esquema Visanet-BB seria de 4% a 6% desse total, ou seja, ficaria entre 6 a 10 bilhões de reais (ou seja, a verba programada para o fundo de incentivos na promoção dos cartões foi pelo menos 40 vezes menor). A procuradoria da República e o ministro Barbosa sabem de tudo isso. Se não o sabem é porque não quiseram saber: da documentação tiraram apenas detalhes, para criar o escândalo no qual estavam interessados

    • Robinson, tenho as mesmas dúvidas. Pelo que li e ouvi, houve caixa 2 e lavagem de dinheiro. Mas dinheiro “sujo” de quem? Desconfio do Daniel Dantas. E pergunto: alguém saiu lesado? Os empréstimos foram pagos pelo PT. O dinheiro da Visanet não é público, é dinheiro privado. Por que entre quinhentos e tantos deputados, só dez foram arrolados como réus? Seriam esses dez tão importantes para aprovar projetos do governo? Desses projetos, a reforma da Previdência foi apoiada até pela oposição, pois era necessária. A reforma tibutária, se não me engano, nem saiu do papel. A outra é sobre lei de falências. E o “mensalão” não chegou ao Senado? Ficou só na Câmara Federal? O Paulo Cunha aceitou propina e manda a esposa pegar o dinheiro, ela se identifica e assina recibo? Assinar recibo de propina?

    • Robinson, o mensalão nada mais é do que um nome midiático, uma espécie de marca comercial, que designaria um esquema de compra de votos no congresso, fato nunca comprovado, e que por isso passou a designar uma série de fatos que poder ou não ter relação entre si, mas que em nada se associam a compra de votos. Tanto é que foi pedido para ser feito o desmembramento do processo, que foi negado pelo STF, mas que depois foi julgado em partes.
      Na época que o nome mensalão foi inventado, duas CPIs estavam em atividade. Uma dos Correios, outra dos Bingos, que foi apelidada de “fim do mundo”, porque não parava mais de agregar fatos e informações, algumas sem qualquer vínculo com os bingos. Em tudo isso foi utilizada a marca mensalão.
      Lembra das acusações contra o Palocci? Da quebra de sigilo do Francenildo? Palocci teve que sair do governo, e depois foi absolvido.
      E o caso Celso Daniel? O irmão dele, que é do PTB, partido do Roberto Jefferson, e adversário político de Celso Daniel, também foi depor na CPI dos bingos, e fez uma série de acusações contra o irmão e o PT, que nunca foram comprovadas. Isso foi citado na época que surgiu a expressão do mensalão.
      Mas, você sabe porque o PIG nunca explicou o mensalão? Porque se fizer isso as pessoas vão entender que as acusações e os fatos não tem nada a ver com o nome utilizado, e que o mensalão, enquanto mensalidade, não existe.

        • È verdade Nádia. E comprou sem licitação porque tinha muitos que não valiam um vintém. E depois da gastar o suficiente para a compra dos votos, ele decidiu dar a vale e, não contente, ameçou entregar a Petro. Um verdadeiro crime de lesa-pátria. Mas que pátria? O Brazil??

    • Vê se ajuda em alguma coisa: A vertigem do Supremo – Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa –

      _______________________________________________________________________________________

      22-Out-2012

      Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa

      Raimundo Pereira, jornalista conhecido pelo rigor com que checa as informações que usa, abre a reportagem a ser publicada na sua Revista do Brasil, edição nº 64, nas bancas a partir do próximo 1º de novembro, com a afirmação de que “não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão”. E parte para a demonstração dessa afirmação.

      A matéria disseca, analisa a fundo, a tese que Raimundo definiu como a “viga mestra” do mensalão. Escreve: “Essencialmente, a tese do mensalão é a de que o petista Henrique Pizzolato teria desviado de um “Fundo de Incentivo Visanet” 73,8 milhões de reais que pertenceriam ao Banco do Brasil. Seria esse o verdadeiro dinheiro do esquema armado por Delúbio e Valério sob a direção de José Dirceu. Os empréstimos dos bancos mineiros não existiriam. Seriam falsos. Teriam sido inventados pelos banqueiros, também articulados com Valério e José Dirceu, para acobertar o desvio do dinheiro público.”

      A tese, segundo Raimundo, é falsa. “O desvio dos 73,8 milhões de reais não existe” e “os autos da Ação Penal 470 contêm um mar de evidências de que a DNA de Valério realizou os trabalhos pelos quais recebeu os 73,8 milhões de reais”.

      Raimundo não afirma isso por simples boa fé ou por algum interesse em livrar este ou aquele réu: no site da revista ele dá acesso a 108 apensos da Ação Penal 470 com documentos em formato pdf “equivalentes a mais de 20.000 páginas e que foram coletados por uma equipe de 20 auditores do BB num trabalho de quatro meses, de 25 de julho a 7 de dezembro de 2005 e depois estendido com interrogatórios de pessoas envolvidas e de documentos coletados ao longo de 2006”.

      Segundo afirma, a auditoria foi buscar provas de que o escândalo existia de fato. Encontrou documentos que provaram o contrário. Com base nas conclusões dos auditores, Raimundo afirma que “o uso dos recursos do Fundo de Incentivo Visanet pelo BB foi feito, sob a gestão do petista Henrique Pizzolato, exatamente como tinha sido feito no governo FHC, nos dois anos anteriores à chegada de Pizzolato ao banco. E mais: foi sob a gestão de Pizzolato, em meados de 2004, que as regras para uso e controle dos recursos foram aprimoradas”.

      O jornalista diz que, tendo analisado toda a documentação da auditoria, encontrou questionamentos e problemas. “Mas de detalhes. Não é disso que se tratou no julgamento da AP 470 no entanto. A acusação que se fez e que se pretende impor através do surto do STF é outra coisa. Quer apresentar os 73,8 milhões gastos através da DNA de Valério como uma farsa montada pelo PT com o objetivo de ficar no poder, como diz o ministro Ayres Britto, “muito além de um quadriênio quadruplicado”.”

      Em seguida, Raimundo Pereira classifica a conclusão a que chegou o tribunal de “delírio”. Escreve: “A procuradoria da República e o ministro Barbosa sabem de tudo isso [basicamente, da conclusão da auditoria, de que a parte do FIV a que o BB tinha direito foi repassada à agência de publicidade para pagar serviços que foram comprovadamente realizados e que, no final das contas, levaram o BB à liderança no uso da bandeira Visa no Brasil]”. E conclui: “Se não o sabem é porque não quiseram saber: da documentação tiraram apenas detalhes, para criar o escândalo no qual estavam interessados”.

      Viga mestra é a que sustenta a construção. Se ela é retirada, ou tem algum problema grave, a própria construção não consegue permanecer de pé.

      Leia a íntegra da reportagem do Brasil 247:

      22 de Outubro de 2012 –
      Brasil 247 –
      URL: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/83657/A-vertigem-do-Supremo.htm

      A vertigem do Supremo
      :

      247 publica em primeira mão a reportagem de Raimundo Rodrigues Pereira, um dos mais consagrados jornalistas brasileiros e editor da Retrato do Brasil, sobre o julgamento da Ação Penal 470; amparado em documentos, ele demonstra que o desvio de R$ 73,8 milhões do Banco do Brasil, por meio da Visanet, simplesmente não ocorreu; corte julga o capítulo final, que trata da formação de quadrilha

      247 – Raimundo Rodrigues Pereira é um herói do jornalismo brasileiro, que criou o jornal Movimento e enfrentou a ditadura militar. Agora, ele abre uma nova frente de combate, desta vez com o Supremo Tribunal Federal, ao demonstrar que o desvio de R$ 73,8 milhões do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão, simplesmente não ocorreu. Leia em primeira mão a reportagem de capa da revista Retrato do Brasil, que vai às bancas em 1º de novembro e que, nesta semana, estará disponibilizada no site da revista, amparada também em documentos:

      A VERTIGEM DO SUPREMO

      Os ministros do STF deliraram: não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão. Acompanhe a nossa demonstração

      Por Raimundo Rodrigues Pereira, da revista Retrato do Brasil

      A tese do mensalão como um dos maiores crimes de corrupção da história do País foi consagrada no STF. Veja-se o que diz, por exemplo, o presidente do tribunal, ministro Ayres Britto, ao condenar José Dirceu como o chefe da “quadrilha dos mensaleiros”. O mensalão foi “um projeto de poder”, “que vai muito além de um quadriênio quadruplicado”. Foi “continuísmo governamental”, “golpe, portanto”. Em outro voto, que postou no site do tribunal dias antes, Britto disse que o mensalão envolveu “crimes em quantidades enlouquecidas”, “volumosas somas de recursos financeiros e interesses conversíveis em pecúnia”, pessoas jurídicas tais como “a União Federal pela sua Câmara dos Deputados, Banco do Brasil-Visanet, Banco Central da República”.

      Britto, data vênia, é um poeta. Na sua caracterização do mensalão como um crime gigante, um golpe na República, o que ele chama de Banco do Brasil-Visanet, por exemplo? É uma nova entidade financeira? Banco do Brasil a gente sabe o que é: é aquele banco estatal que os liberais queriam transformar em Banco Brasil, assim como quiseram transformar a Petrobras em Petrobrax, porque achavam ser necessário, pelo menos por palavras, nos integrarmos ao mundo financeiro globalizado.

      De fato, Visanet é o nome fantasia da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, responsável, no Brasil, pelos cartões emitidos com a chamada bandeira Visa (hoje o nome fantasia mudou, é Cielo). Banco do Brasil-Visanet não existia, nem existe; é uma entidade criada pelo ministro Britto. E por que, como disse no voto citado, ele a colocou junto com os mais altos poderes do País – a União Federal, a Câmara dos Deputados e o Banco Central da República? Com certeza porque, como a maioria do STF, num surto anti-corrupção tão ruim quanto os piores presenciados na história política do País, viu, num suposto escândalo Banco do Brasil-Visanet, uma espécie de revelação divina. Ele seria a chave para transformar num delito de proporções inéditas o esquema de distribuição, a políticos associados e colaboradores do PT, de cerca de 50 milhões de reais tomados de empréstimo, de dois bancos mineiros, pelo partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

      No dia 13 de julho de 2005, menos de um mês depois de o escândalo do mensalão ter surgido, com as denúncias do deputado Roberto Jefferson, a Polícia Federal descobriu, no arquivo central do Banco Rural, em Belo Horizonte, todos os recibos da dinheirama distribuída. Delúbio Soares, tesoureiro do PT, e Marcos Valério, um empresário de publicidade mineiro, principais operadores da distribuição, contaram sua história logo depois. E não só eles como mais algumas dezenas de pessoas, também envolvidas no escândalo de alguma forma, foram chamadas a depor em dezenas de inquéritos policiais e nas três comissões parlamentares de inquérito que o Congresso organizou para deslindar a trama.

      Todos disseram que se tratava do famoso caixa-dois, dinheiro para o pagamento de campanhas eleitorais, passadas e futuras. Como dizemos, desde 2005, tratava-se de uma tese razoável. Por que razoável, apenas? Porque as teses, mesmo as melhores, nunca conseguem juntar todos os fatos, sempre deixam alguns de lado. A do caixa-dois é razoável. O próprio STF absolveu o publicitário Duda Mendonça, sua sócia Zilmar Fernandes e vários petistas, que receberam a maior parte do dinheiro do chamado valerioduto, porque, a despeito de proclamar que esse escândalo é o maior de todos, a corte reconheceu tratar-se, no caso das pessoas citadas, de dinheiro para campanhas eleitorais. E a tese do caixa-dois é apenas razoável, como dissemos também, porque fatos ficam de fora.

      É sabido, por exemplo, que, dos 4 milhões recebidos pelo denunciante Roberto Jefferson – que jura ser o dinheiro dele caixa dois e o dos outros, mensalão – uma parte, modesta é verdade, foi para uma jovem amiga de um velho dirigente político ligado ao próprio Jefferson e falecido pouco antes. Qualquer criança relativamente esperta suporia também que os banqueiros não emprestaram dinheiro ao PT porque são altruístas e teria de se perguntar porque o partido repassou dinheiro ao PTB, PL e PP, aliados novos, e não ao PSB, PCdoB, aliados mais fiéis e antigos. Um arguto repórter da Folha de S. Paulo, num debate recente sobre o escândalo, com a participação de Retrato do Brasil, disse que dinheiro de caixa-dois é assim mesmo. E que viu deputado acusado de ter recebido o dinheiro do valerioduto vestido de modo mais sofisticado depois desses deploráveis acontecimentos.

      O problema não é com a tese do caixa-dois, no entanto. Essa é a tese dos réus. No direito penal brasileiro, o réu pode até ficar completamente mudo, não precisa provar nada. É ao ministério público, encarregado da tese do mensalão, que cabe o ônus da prova. E essa tese é um horror. No fundo, é uma história para criminalizar o Partido dos Trabalhadores, para bem além dos crimes eleitorais que ele de fato cometeu no episódio. O escândalo Banco do Brasil-Visanet, que é o pilar de sustentação da tese, não tem o menor apoio nos fatos.

      Essencialmente, a tese do mensalão é a de que o petista Henrique Pizzolato teria desviado de um “Fundo de Incentivo Visanet” 73,8 milhões de reais que pertenceriam ao Banco do Brasil. Seria esse o verdadeiro dinheiro do esquema armado por Delúbio e Valério sob a direção de José Dirceu. Os empréstimos dos bancos mineiros não existiriam. Seriam falsos. Teriam sido inventados pelos banqueiros, também articulados com Valério e José Dirceu, para acobertar o desvio do dinheiro público.

      Essa história já existia desde a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. Foi encampada pelos dois procuradores-gerais da República, Antônio Fernando de Souza e Roberto Gurgel, que fizeram os trabalhos da acusação. E foi transformada num sucesso de público graças aos talentos do ministro Joaquim Barbosa na armação de uma historinha ao gosto de setores de uma opinião pública sedenta de punir políticos, que em geral considerada corruptos, e ao surto anticorrupção espalhado por nossa grande mídia, que infectou e levou ao delírio a maioria do STF.

      Por que a tese do mensalão é falsa? Porque o desvio dos 73,8 milhões de reais não existe. A acusação disse e o STF acreditou que uma empresa de publicidade de Valério, a DNA, recebeu esse dinheiro do Banco do Brasil (BB) para realizar trabalhos de promoção da venda de cartões de bandeira Visa do banco, ao longo dos anos 2003 e 2004. E haveria provas cabais de que esses trabalhos não foram realizados.

      A acusação diz isso, há mais de seis anos, porque ela precisa de que esse desvio exista. Porque seria ele a prova de serem os 50 milhões de reais do caixa dois confessado por Delúbio e Valério inexistentes e de os empréstimos dos bancos mineiros ao esquema Valério-Delúbio serem falsos e decorrentes de uma articulação política inconfessável de Dirceu com os banqueiros. Ocorre, no entanto, que a verdade é oposto do que a acusação diz e o STF engoliu. Os autos da Ação Penal 470 contêm um mar de evidências de que a DNA de Valério realizou os trabalhos pelos quais recebeu os 73,8 milhões de reais.

      No nosso site na internet, RB está apresentando, a todos os interessados em formar uma opinião mais esclarecida sobre o julgamento que está sendo concluído no STF, um endereço onde pode ser localizada a mais completa auditoria sobre o suposto escândalo BB-Visanet. Nesse local o leitor vai encontrar os 108 apensos da AP 470 com os trabalhos dessa auditoria. São documentos em formato pdf equivalentes a mais de 20.000 páginas e foram coletados por uma equipe de 20 auditores do BB num trabalho de quatro meses, de 25 de julho a 7 de dezembro de 2005 e depois estendido com interrogatórios de pessoas envolvidas e de documentos coletados ao longo de 2006.

      A auditoria foi buscar provas de que o escândalo existia. Mas, ao analisar o caso, não o fez da forma interesseira e escandalosa da procuradoria geral da República e do relator da AP 470 Joaquim Barbosa, empenhados em criminalizar a ação do PT. Fez um levantamento amplo do que foram as ações do Fundo de Incentivo Visanet (FIV) desde sua criação em 2001.

      Um resumo da auditoria, de 32 páginas, está nas primeiras páginas do terceiro apenso (Vol. 320). Resumindo-a mais ainda se pode dizer que:

      * As regras para uso do fundo pelo BB têm duas fases: uma, de sua criação em 2001 até meados de 2004, quando o banco adotou como referencial básico para uso dos recursos o Regulamento de Constituição e Uso do FIV da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento (CBMP); e outra, do segundo semestre de 2004 até dezembro de 2005, quando o BB criou uma norma própria para o controle do fundo.

      *Entre 2001 e 2004, a CBMP pagou, por ações do FIV programadas pelo BB, aproximadamente 150 milhões de reais – 60 milhões nos anos 2001-2002, no governo Fernando Henrique Cardoso, portanto; e 90 milhões nos anos 2003-2004, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. E, nos dois períodos, sempre 80% dos recursos foram antecipados pela CBMP, a pedido do BB, para as agências de publicidade contratadas pelo banco.

      *O BB decidiu, em 2001, por motivos fiscais, que os recursos do FIV não deveriam passar pelo banco. A CBMP pagaria diretamente os serviços através de agências contratadas pelo BB. A DNA e a Lowe Lintas foram as agências, no período 2001-2002. No final de 2002 o BB decidiu especializar suas agências e só a DNA ficou encarregada das promoções do FIV. Os originais dos documentos comprobatórios das ações ficavam na CBMP, não no BB, em todos os dois períodos.

      *O fato de o BB encomendar as ações mas não ser o controlador oficial das mesmas fez com que, nos dois períodos, 2001-2002 e 2003-2004, fossem identificadas, diz a auditoria, “fragilidades no processo e falhas na condução de ações e eventos”, que motivaram mudanças nos controles de uso do fundo. Essas mudanças foram implementadas no segundo semestre de 2004, a partir de 1 de setembro.

      *O relatório destaca algumas dessas “fragilidades” e “falhas”. Aqui destacaremos a do controle dos serviços, para saber se as ações de promoção tinham sido feitas de fato. Os auditores procuraram saber se existiam os comprovantes de que as ações de incentivo autorizadas pelo BB no período tinham sido de fato realizadas. **Procuraram os documentos existentes no próprio banco – notas fiscais, faturas, recibos emitidos pelas agências para pagar os serviços e despesas de fornecedores para produzir as ações. Descobriram que, para os dois períodos 2001-2002 e 2003-2004 igualmente, somando-se as ações com falta absoluta de documentos às com falta parcial, tinha-se quase metade dos recursos despendidos.

      **Os auditores procuraram então os mesmos documentos na CBMP, que é, por estatuto, a dona dos recursos e a controladora de sua aplicação e dos documentos originais de comprovação da realização dos serviços. A falta de documentação comprobatória foi, então, muito pequena – em proporção aos valores dos gastos autorizados, de 0,2% em 2001, 0,1% em 2002, 0,4% em 2003 e 1% em 2004.

      *Dizem ainda os auditores: com as novas normas, em função das mudanças feitas nas formas de controlar o uso do dinheiro do FIV pelo BB, entre janeiro e agosto de 2005 foram executadas sete ações de incentivo, no valor de 10,9 milhões de reais e se pode constatar que, embora ainda precisassem de aprimoramento, as novas regras fixadas pelo banco estavam sendo cumpridas e os “mecanismos de controle” tinham sido aprimorados.

      Ou seja: o uso dos recursos do FIV pelo BB foi feito, sob a gestão do petista Henrique Pizzolato, exatamente como tinha sido feito no governo FHC, nos dois anos anteriores à chegada de Pizzolato ao banco. E mais: foi sob a gestão de Pizzolato, em meados de 2004, que as regras para uso e controle dos recursos foram aprimoradas.

      Mais reveladora ainda é análise dos apensos em busca das evidências de que os trabalhos de promoção dos cartões Visa vendidos pelo BB foram feitos. E essas evidências são torrenciais. Uma amostra dessas promoções que devem ser do conhecimento de milhares e milhares de brasileiros estão no quadro abaixo.

      Em toda a documentação da auditoria existem questionamentos, são apresentados problemas. Mas de detalhes. Não é disso que se tratou no julgamento da AP 470 no entanto. A acusação que se fez e que se pretende impor através do surto do STF é outra coisa. Quer apresentar os 73,8 milhões gastos através da DNA de Valério como uma farsa montada pelo PT com o objetivo de ficar no poder, como diz o ministro Britto, “muito além de um quadriênio quadruplicado”. Essa conclusão é um delírio. As campanhas de promoção não só existiram como deram resultados espetaculares para o BB tendo em vista os objetivos pretendidos. O banco tornou-se o líder nos gastos com cartões Visa no Brasil.

      Em 2003, o banco emitiu 5,3 milhões desses cartões, teve um crescimento de cerca de 35% no seu movimento de dinheiro através deles, tornou-se o número um nesse quesito entre os associados da CBMP. No final do ano, 18 de dezembro, às 14h30 horas, em São Paulo, no Itaim Bibi, rua Brigadeiro Faria Lima 3729, segundo andar, sala Platinum, de acordo com ata do encontro, os representantes dos sócios no Conselho de Administração da CBMP se reuniram e aprovaram o plano para o ano seguinte. Faturamento esperado nas transações com os cartões Visa para 2004, 156 bilhões de reais. Dinheiro do FIV, ou seja: recursos para as promoções dos cartões pelos vários bancos associados, 0,10%, ou seja 1 milésimo, desse total: 156 milhões. Parte a ser usada pelo BB, que era, dos 25 sócios da CBMP, o mais empenhado nas promoções: 35 milhões de reais.

      Pode-se criticar esse esquema Visanet-BB. O governo está querendo que as taxas cobradas dos estabelecimentos comerciais pelos uso dos cartões sejam reduzidas. Na conta feita no parágrafo anterior, dos 156 bilhões de reais a serem movimentados pelos cartões em 2004, o dinheiro que iria para o esquema Visanet-BB seria de 4% a 6% desse total, ou seja, ficaria entre 6 a 10 bilhões de reais (ou seja, a verba programada para o fundo de incentivos na promoção dos cartões foi pelo menos 40 vezes menor). A procuradoria da República e o ministro Barbosa sabem de tudo isso. Se não o sabem é porque não quiseram saber: da documentação tiraram apenas detalhes, para criar o escândalo no qual estavam interessados

    • É necessário esclarecer também as controvérsias que envolvem no nome de Henrique Pizolatto. A tese do mensalão está ancorada na suposição de que ele roubou o dinheiro do Banco do Brasil. Mas tudo indica que isso não existiu. Condenação injusta.

  • Passamos a ter novamente no Brasil condenados Políticos. Cadê as provas? Passaremos a partir de agora acompanhar cada suspiro, cada gesto, cada olhar, palavra e ação no STF e acompanharemos os seus votos sobre diferentes cidadãos e vamos ficar atento aos seus pareceres. Quem será observado a partir de agora será os julgadores. Não tenho dúvida s/ Dirceu e Jenuino que lutaram pela Democracia desse país deram a sua vida por uma causa.

  • Continuarei votando no PT porque esse é único partido que não pode roubar.
    Por ser parte interessada e fazer parte da quadrilha do PSDB/DEM a imprensa
    Golpista nunca irá denunciar os bandidos desses partidos.

  • EXEMPLO DE MILITÂNCIA – O candidato a prefeito de João Pessoa/PB, Luciano Cartaxo(PT) está massacrando o tucano Cícero Lucena nas pesquisas: 65% x 24%. No entanto a militância petista não dá um minuto sequer de trégua ao adversário. É festa todo dia. Com mensalão fajuto e tudo. Hoje tem comício no Bairro de Mangabeira, com presença de LULA. Vejam: http://www.lucianocartaxo13pt.com.br/

  • Edu,
    Em resposta ao comentário de Heitor Voight, é prerrogativa da Presidenta da República, no art. 107, II, CP, a anistia, graça ou indulto. Apesar de o processo tramitar em última instancia, o próprio regimento interno do STF em seu art. 333, prevê que sentença não unanime é passível de recurso, o mais provável é o Recurso de Embargos Infringentes ( art. 609, P. U, CPP, ), ou Embargos de Declaração ( art. 619, do Codigo de CPP e serão deduzidos em requerimento, de que constem os pontos em que a decisão judicial ou acórdão é ambíguo, obscuro, contraditório, omisso ou duvidoso) , os advogados dos réus farão a melhor avaliação. Voltando ao ponto, não acredito que a Presidenta se manifeste, até porque existe recurso ao Tribunal Internacional, ao qual o Brasil é signatário. A luta só começou!!!
    Abraços fraternos

  • Eduguim, estes ‘navegantes’ que insistem diuturnamente que Dirceu e Genoino são criminosos, na verdade são apenas inocentes bobalhões, óbviamente direcionados pela mídia, que acreditam que o PT deveria continuar vendendo botons e camisetas para fazer caixa de campanha. Assim sendo, continuaria sempre na rabeira nas eleições, o que para ele seria a situação ideal.
    Como Dirceu teve o arrojo de levar o PT á presidência da República, tirando de lá os eternos mandatários (eu diria melhor, mandaotários), arregimentou o ódio destes, que agora querem se vingar a qualquer custo.
    Nem que para isso tenham e pisar nas leis. E já que o papo é quadrilha, então vamos fazer parte da Quadrilha dos Brasileiros Bons!
    E faço parte, e você?

  • Torço o tempo inteiro para que estes valorosos guerreiros, que sofreram perseguições no passado e que novamente são atingidos por elas, possam encontrar justiça, ainda que que fora do país.

  • Edu,
    Mais uma lenhazinha na fogueira para quem está enaltecendo o voto do Ministro Celso de Melo:
    Mas, vejam o que disse dele seu padrinho!
    – Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto…votei contra para desmentir a Folha de São Paulo ( que na véspera noticiou o voto certo em favor de Sarney )…

    O Presidente já estava vitorioso e não precisava mais do meu…Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do Presidente…

    O Senhor entendeu?

    – Entendi.
    ENTENDI QUE VOCÊ É UM JUIZ DE MERDA!

    Bati o telefone e nunca mais falei com ele.

    Muitos advogados sabiam que Celso de Mello havia sido meu secretário na Consultoria da República e nomeado Ministro do Supremo por empenho meu. (fls. 169 /176 do livro Código da Vida)”.
    Saulo Ramos

  • Espero, sinceramente, que os advogados peçam outro julgamento, e sem holofotes, quem sabe assim, as Supremas Estrelas das Oito do Supremo julguem de acordo com as provas dos autos e não conforme o desejo dessa mídia vagabunda que muito acertadamente foi denominada de PIG.

  • Se o exército hoje derrotado trabalhar direito poderá derrubar majores coronéis, generais e até um marechal da coligação da extrema direita (PSDB/PFL/PPS/PIG).
    Vejamos se será um confronto direto ou uma guerra de guerrilha.

  • Caro Eduardo.

    O romanceado da sua postagem é de se aplaudir de pé.
    Parabéns. Li tudo, inclusive todo o final dos comentários para manifestar minha opinião.
    É triste ver nossa mais alta corte de justiça apequenar-se, amesquinhar-se tanto diante dos interesses inconfessáveis da mídia-PIG-.
    Causa-me asco, repugnância, ler esses visitantes assalariados do ‘pig’ tomar esse espaço democrático para digitar besteiras. Acusações e/ou insinuações de baixa qualidade.
    Faz muito tempo, diante dos destemperos desses vassalos da mídia, sugeri o corte radical dessas mulas. (Perdão ao animal).
    Vejo que vc custou, mas acertou a ‘porrada’ que faltava.
    Parabenizo com antecedência, o povo paulistano pela derrota que dará num dos piores políticos dos últimos tempos.
    A você, meus respeitos e admiração pelo seu caráter e cede de justiça.

  • Caro Edu
    Os indivíduos que condenaram Dirceu tem a mesma essência daqueles que condenaram o Cristo: são iguais.
    E no final, para manter a farsa, Cristo foi crucificado entre dois ladrões.
    Diria o Ministro Collor de Mello: “um mal necessário”….

  • Giordano Bruno,
    no Tribunal da “Santa” Inquisição,
    após ouvir o pronunciamento da decisão
    que o condenou à morte na fogueira,
    por não haver se retratado da Verdade:
    “Tendes muito mais medo vós,
    ao ler vossa sentença,
    do que eu, ao escutá-la.”

    • ANAC
      Pelo menos o Giordano julgava que seus inquisidores tinham consciência da aberração que faziam, o que não é o caso do procurador e de quase todos os ministros do stf no julgamento do mensalão.
      Ainda mais anestesiados pelos holofotes da mídia.

  • Venceram uma batalha, mas não venceram a guerra! Todavia por terem vencido essa batalha devemos ficar atentos, e, reagir imediatamente à próxima batalha que empreenderão ao verem que a sua “vitória” primeira foi de Pirro, não empreendeu grandes resultados, já que ao triunfo dos ditadores togados e midiáticos seguiu-se a vitória democrática nas urnas, que consagrarão o PT no próximo domingo como o grande vencedor destas eleições municipais, o que já era evidente desde o primeiro turno, e será coroado com o triunfo em inúmeras capitais, cidades importantes e no reduto conservador que é São paulo. Por isso, os fascistas partirão para a terceira etapa do golpe que armaram(venceram a primeira com as condenações, mas perderam a segunda); essa próxima etapa já é desenhada nas boçalidades veborrágicas e falastrantes dos togados patéticos do STF, seu objetivo é bem claro e explicita os ditadores medíocres que mal disfarçam-se em juízes e jornalistas, o QUE ELES PRETENDERÃO AGORA É COLOCAR LULA NA CADEIA, USANDO ESSA PALHAÇADA DE MENSALÃO QUE NUNCA EXISTIU. PROVAS, LÓGICA, PODEM PERGUNTAR-SE OS TOLOS OU INGÊNUOS? ELES FABRICAM!!!!!!!!!!!!!! Não vou perder tempo sintetizando novamente para que serve o arcabouço jurídico, somente uma arma para a justificação da dominação de classe; evidentemente contrabalançada por concessões obtidas pela pressão dos oprimidos, os quais impõem traços(através de algumas regras) dos interesses da maioria num aparelho institucional que tem como objetivo maior manter o status quo, regras essas “esquecidas” providencialmente para construir-se os despautérios em que se converteram as condenações do STF contra o PT. Pois bem, para enfrentar-se esse moldagem de regras, que em sua maioria já destinam-se a proteger os poderosos, conforme os interesses desses mesmos poderosos, e evidentemente dos EUA, só há uma saída; a qual, não passa por perder-se tempo com tecnicalidades iníteis e ahistóricas do Direito; essa saída é a mobilização da Sociedade Civil organizada, que comandará as massas na reação contra o golpismo jurídico-midiático em curso, cujo objetivo é bem claro : diante da evidente derrota da direita em 2014(nem candidato eles têm: quem poderiam colocar com chances de vitória : Serra? Que não ganha nem as eleições de síndico em uma província. Aécio? Um bêbado cheio de vídeos comprometedores circulando na INTERNET. Talvez Álvaro Dias, mais sujo do que pau de galinheiro, com denúncias acumulando-se sobre os anos em que foi o coronel governante do Paraná); pois bem, diante da clara inviabilidade eleitoral dos conservadores, como em 1964, a direita midiático-jurídica pretende impedir Lula e Dilma de concorrerem às eleições de 2014, preferencialmente colocando ambos na cadeia : OU AGIMOS AGORA OU NO INÍCIO DE 2013 COMEÇARÃO OS MALABARISMOS JURÍDICOS; ROBERTO GURGEL, GILMAR MENDES E JOAQUIM BARBOSA À FRENTE; DESTINADOS A “JUSTIFICAR” O GOLPE PARAGAUIO, EVIDENTEMENTE MAIS DO QUE “EXPLICADO” PELOS JORNAIS NACIONAIS, ARNALDO JABORES E MERVAIS PEREIRAS DA VIDA; E EM BREVE A DIREITA IMPORÁ NO BRASIL A VERSÃO LOCAL DO NOVO-VELHO GOLPE CONSERVADOR DE SEMPRE : O GOLPE PARAGUAIO. Está nas mãos de cada um de nós, eles nos temem e demonstraram isso ao não pedirem o impeachment de Lula em 2005 com medo, medo da população ir às ruas; por issso, temos que agir indo às ruas denunciando o golpe do mensalão, exigindo um noivo julgamento do caso, feito somente após o julgamento dos mensalões do PSDB e do DEM, como também forçando Dilma a imediatamente democratizar as comunicações neste país, levando à votação no congresso o projeto deixado por Lula, permitindo que finalmente no Brasil todos os atores sociais possam expressar-se sem sofrer censra da minoria que controla a mídia de forma despótica e arrogante.

  • Além do que considerou o golpe de 64 um mal necessário temos esse:

    No romance autobiográfico “Código da Vida”, o ex-ministro da Justiça Saulo Ramos conta como ajudou a nomear Celso de Mello para o STF e como rompeu com o ex-pupilo; o ministro havia dado um voto contra José Sarney, que o nomeara, por pressão da Folha de S. Paulo, mas apenas porque a votação já estava decidida em favor do ex-presidente; depois disso, ambos romperam e Saulo disparou: “Você é um juiz de m…”
    247 – Responsável ontem pela comparação entre o PT e duas organizações criminosas que roubam e matam (o Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital), o ministro Celso de Mello, “decano” do Supremo Tribunal Federal, é saudado há vários anos pelos meios de comunicação como uma espécie de herói por sua defesa constante da liberdade de expressão.
    Essa conexão com os meios de comunicação foi apontada em 2007 pelo ex-ministro da Justiça, Saulo Ramos, que foi um dos articuladores de sua ida para o Supremo Tribunal Federal. Naquele ano, Saulo publicou o romance “Código da Vida”, com pitadas autobiográficas, em que falou sobre o ex-pupilo Celso de Mello.
    Segundo Saulo, o ministro
    deu um voto contra José Sarney, que o nomeou, por pressão da Folha da S. Paulo, que questionava sua independência – assim como muitos jornais fazem hoje em relação a Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. E essa revelação teria sido feita pelo próprio Mello a Saulo numa conversa telefônica reproduzida no livro.
    Além de confessar a pressão da Folha, Mello teria dito ainda a Saulo que votou contra Sarney apenas porque a votação já estava decidida em favor do ex-presidente, que pôde mudar seu domicílio eleitoral para o Amapá, onde se elegeu senador. Ou seja: se fosse necessário, ele votaria de outra maneira.
    A ligação terminou com o rompimento definitivo entre ambos. “Você é um juiz de merda”, disparou Saulo.
    Confira trecho do livro:

    “…a Suprema Corte estava em meio recesso, e o Ministro Celso de Mello, meu ex-secretário na Consultoria Geral da República, me telefonou:

    E continua:

    Veio o dia do julgamento do mérito. Sarney ganhou, mas o último a votar foi o Ministro Celso de Mello, que votou pela cassação da candidatura Sarney.

    Deus do céu! O que deu no Garoto? Votou contra o Presidente que o nomeara, depois de ter demonstrado grande preocupação ( o assunto do telefonema para o “padrinho” ) com a hipótese de Marco Aurélio de Mello ( primo do Collor ) ser o relator.

    Continuando a narrativa:

    Apressou-se ele próprio a me telefonar, explicando:

    – Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto…votei contra para desmentir a Folha de São Paulo ( que na véspera noticiou o voto certo em favor de Sarney )…

    O Presidente já estava vitorioso e não precisava mais do meu…Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do Presidente…

    O Senhor entendeu?

    – Entendi.

    ENTENDI QUE VOCÊ É UM JUIZ DE MERDA!

    Bati o telefone e nunca mais falei com ele.

    Muitos advogados sabiam que Celso de Mello havia sido meu secretário na Consultoria da República e nomeado Ministro do Supremo por empenho meu. (fls. 169 /176 do livro Código da Vida)”.

  • julgamento viciado, politicamente, junto com uma eleiçao, resumindo da recurso em qualquer pais serio do mundo, vamos manchar o judiciario brasileiro? com a palavra a justiça

  • Pelo menos, o circo se desfaz sexta feira dia 26 de outubro. O palhaço justiceiro vai se tratar na Alemanha dos males da coluna. Que não volte tão cedo.

    • Que nada! Vai é se consultar mediunicamente com o Roland Freisler de quem Herr Joachim Barbosa é pupilo e empedernido sectário.
      Só espero que também lhe caia, como ocorreu a seu mestre, uma viga de madeira de 20 polegadas nas costas e o leve desta para o quinto dos infernos.

  • Edu o que está sendo julgado nesse tal AP-470 é 1968 (AI-5).E tem mais companheiro quero vê o negro/Barbosa quando a paparicagem,mixarem do lado do PIG e afins.Conheço e conheci muito negro eletizado que foram defenestado depois de um tempo pela Casa Grande e aí é triste vê-los com o rabo entre as pernas tentado voltar ao verdadeiro rincão de onde nunca deveriam,sair!!!
    A terra é rodanda,né!!!

  • Não leio todos os comentários, porisso às vezes a gente escreve o que outros já escreveram. Acabei de ver o JN e fiquei impressionado com o tempo dedicado ao “Julgamento do século”. Até as pessoas interessadas na novela logo depois já estavam de saco cheio com aquela verdadeira ladainha. Fez-me lembrar De Gaulle: O Brasil, com a mídia e o judiciário que tem, não é um país sério.

  • Marco Aurélio Mello voltou a defender a ditadura, e explicou: “às vezes o eleitor vota errado”.

    Ou seja, o povo pode votar em quem quizer, desde que a elite aprove. Se o povo votar “errado”, a elite dá o golpe.

    É como a direita está dizendo na Europa: a democracia atrapalha o capitalismo.

  • Eduardo,

    É bom separar o joio do trigo. Não sei o que faz o minstro zé cardoso e o bernado nos ministérios. Sabemos que já teve eventuais contatos com o zé cardoso, que não engana ninguém. Fica sempre calado e durante a CPI do mensalão foi um traíra do PT.

  • Edu, Espero que o “oceano eleitoral” em que Haddad está navegando o leve para a vitória. Porém, pelo que fiquei sabendo do JN hoje, o PIG tentará de tudo até sábado. Poderia comentar algo a respeito? Abs

  • Estiloso o seu gongorismo.Mas seu discurso vai bater na trave.
    Quem acha que Dilma vai colocar em risco sua reeleição salvando o pêlo da caterva condenada pelo STF está muito enganado.

  • GENOÍNO VOCÊ É MEU HERÓI!!! RESISTA GUERREIRO, RESISTA MEU GUERREIRO!!!!! VOCÊ É INOCENTE E O BRASIL INTEIRO VIU A CONDENAÇÃO SEM PROVAS. O EMPRÉSTIMO QUE VOCÊ ASSINOU NÃO INTEGROU O VALERIODUTO SEGUNDO O PRÓPRIO MP E MESMO ASSIM, BARBOSA O EX-RENEGADO, LIDERADO PELO TRAIDOR AYRES BRITTO, O ANTIGO “CARLINHOS DO PT”, JUNTO COM O SEU CAPANGA GILMAR DANTAS MENTES QUE ABSOLVEU O SEU CONTERRÂNEO PEDRO HENRY, DE MATO GROSSO E O BORBA SOMENTE PORQUE É DO PMDB, QUE ARQUIVA SEUS VÁRIOS IMPEACHMENTS NO SENADO. O BRASIL ESTÁ DE OLHO EM VOCÊS SEUS SAFADOS HIPÓCRITAS!

  • A Pholha, mais uma vez, vem propor golpe. Claro assim, direto assim. Catanhede assim. Canalha assim…

    Vacinas: votar no PT, eleger o Haddad, o Elmano, o Cartaxo, todos os petistas que disputam 2o. turno e seus aliados. Dar testemunho às pessoas simples que comentam nas ruas, sem saber direito do que se trata, induzidas pela tucanomídia, de que não é bem do jeito que elas estão recebendo a notícia, que sempre houve aluguel de legendas, que no caso era um Caixa 2 mesmo, que é um delito bem menor. Que o Congresso só funciona assim, com algum tipo de barganha política e que já era assim quando Lula, Dirceu, Genoíno e Dilma chegaram lá. Que o julgamento é político tanto que foi agendado para coincidir com as eleições. Estarmos bem unidos e fazermos muita militância na rede e fora dela – e se você não é PT, pelo menos não comungue com os golpistas que querem roubar no tapetão os votos de quem foi eleito diretamente pelo povão.

    Visitem meu bloguinho também:
    http://salafehrio.blogspot.com.br

    Lá, além de alguns textos e charges toscas, tem os links pra baixar o filme do Saul Landau e Haskell Wexler gravado no Chile com frei Tito, Maria Auxiliadora Lara, o Jean Marc e outros. O nome do filme é “Brazil: a report on torture”.

    Minha última charge, que eu batizei de ‘Exercício de Memória’ ou ‘Atitude’:

    http://1.bp.blogspot.com/-FFl5-OoLFIc/UIdhC3BlkEI/AAAAAAAAALU/5bHe94ZlwjA/s1600/ATITUDE.GIF

  • Muito está se falando da interpretação canhestra da lei por parte do Judiciário. Já vi falarem até que este poder pensa até em anular as leis que foram aprovadas pelos supostamente comprados votos dos parlamentares. Então pergunto, na minha ignorância do funcionamento dos poderes : e o Legislativo, não pode anular as decisões do Judiciário que consideram não estar de conformidade com as leis, ou seja, inconstitucionais? Ou o Judiciário pode interpretar como quiser a constituição, sem questionamento de quem a promulgou? A lei não exige que se prove os crimes para fazer condenações? ou o Executivo e o Legislativo, e o resto da população devem se dobrar à vontade de menos de uma dúzia de indivíduos que fazem daCarta Magna o uso que quiserem? O blogueiro ou algum de seus leitores pode me responder a essas dúvidas?

  • Caro Eduardo

    Os despojos que eles exibem como troféus, na verdade não são despojos, são a antítese do golpe chamado mensalão, que eles tentaram dar no PT. É daí, desses despojos que surgirá a antítese a esse golpe. E você com esse belíssimo discurso já inicia o movimento dialético de resistência e luta de cada brasileira e brasileiro. Quer se chamem Dirceu, Genoíno, Fernando, José, Maria, João, Lula, Dilma, Edu, Aguiar…. A Luta continua!

  • PT, as praças estão vazias em São Paulo. Cadê os “comicios” nas praças? Cadê OS CARROS NA RUA? Ta faltando grana pra gasolina? Seria proibido fazer “comicios” ainda que relampagos nessas praças? CADÊ OS ALTO FALANTES DOS CARROS FALANDO DE HADDAD? Ta tudo mudo? Os únicos “FALANTES AUTOS”, são os da globo, ou os “FALANTES AUTOS” DO STF para a própria Globo? Falta pouco PT. VAMO TRABALHAR PT! AS RUAS, AS PRAÇAS, AS SAIDAS DAS ESCOLAS, DAS FACULDADES QUEREM OUVIR VOCES!

  • Vamos falar sério?

    Agora que os ilustres magistrados do STF concluíram que o governo do PT pagou deputados para que votassem a favor de seus projetos no Congresso, vamos parar de hipocrisia.

    O PT não comprou deputados, comprou a direita. Isso mesmo, os partidos incriminados pelos doutos togados são PL, PTB, PMDB e PP, que historicamente sempre votaram contra o povo brasileiro. É o Centrão da Constituinte, lembra?, que votava contra todos os avanços sociais e os direitos dos trabalhadores. Aqueles 300 picaretas a que o Lula se referiu ainda antes de ser eleito. É a turma que trocou o quinto ano de mandato para Sarney por concessões de rádio e TV. Os que se locupletaram para que FHC pudesse ser reeleito.

    O PT comprou gente como Roberto Jefferson, que resistiu na tropa de cheque de Fernando Collor até o último minuto antes do impeachment. E só denunciou o tal mensalão quando a Polícia Federal pegou um apadrinhado dele levando propina nos Correios.

    Não há ninguém do PC do B, PDT ou do PSB, que eram da base governista, citado até agora. Porque eles votaram a favor do povo sem pedir nada em troca.

    Ao chegar ao poder, depois de 500 anos de governos da elite mais egoísta, da aristocracia mais arcaica, o PT deve ter se deparado com um dilema: com esse Congresso de maioria conservadora, nada será aprovado, o governo simplesmente não vai andar, porque esses representantes históricos das oligarquias não vão deixar. Havia duas alternativas para fazer as mudanças que o país esperava. Ou fechava-se o Congresso e prendia-se os picaretas, ou trocava-se seus votos por facilidades pecuniárias.

    Foi com o dinheiro do povo que o PT comprou os deputados?

    Até eu, sinceramente, entraria numa vaquinha para ajudar a pagar a corja. Daria com prazer 5 reais do meu bolso para que essa turma de parlamentares, eleita pela ignorância do brasileiro, aprovasse as leis e projetos que fizeram de Lula o presidente mais pouplar da história do Brasil.

    Não me interessa de onde era o dinheiro, não sou hipócrita. O que me interessa é que mais gente agora almoça e janta. Que a transposição das águas do Rio São Francisco está sendo feita e o sertanejo não vai mais morrer de sede. Que mais de 200 mil jovens carentes chegaram à universidade. Que, com o bolsa família, milhões de crianças não precisaram mais esmolar nas ruas e se mantêm na escola. Que a Polícia Federal prendeu quase 3 mil corruptos durante o governo Lula (e a Justiça soltou quase todos).

    E o que me interessa é que a Dilma, mulher inteligente e honrada, está aí para continuar a inclusão social de um povo que sempre foi vilipendiado e esquecido dentro de seu próspero país.

    A questão é que esses deputados conservadores não iriam deixar Lula governar, fariam obstruções e mais obstruções, a gente sabe como é… o que nós poderíamos esperar de gente que votou contra a reforma agrária na Constituinte de 1988?

    Os petistas acusados de comandarem o esquema deveriam vir a público, encher o peito e dizer: “Compramos os picaretas sim!” Não deveriam se envergonhar, nenhum deles construiu uma cascata no jardim de casa nem anda por aí desfilando de Porsche.

    Aquele entre nós que nunca deu uma cervejinha pro guarda de trânsito, que atire a primeira pedra.

    Quem pode falar em ética? Marcelo Freixo, surpreendido fazendo campanha ao lado de um miliciano?

    E o jornal que emprestava seus carros para o DOPS transportar presos políticos durante a ditadura, pode posar de guardião da moralidade?

    Quem mais critica o mensalão é a revista cujo editor passou centenas de horas ao telefone, tudo gravado pela Polícia Federal, fazendo conchavos e tramóias com Carlinhos Cachoeira.

    A TV, que serve violência, sexo e cerveja a crianças a qualquer hora do dia chama o mensalão de “imoral”. É para matar de rir…

    Imorais foram as privatizações do PSDB.

    Imoral é o silêncio da mídia em relação ao mensalão do tucano Eduardo Azeredo em Minas, a escola em que Marcos Valério aprendeu tudo.

    Imorais são os cabelos biônicos do Álvaro Dias..

    Imoral é o fato de os meios de comunicação num país de quase 200 milhões de habitantes estarem nas mãos de meia dúzia. Por isso a imprensa se comporta descaradamente como maior, e único, partido de oposição aos governo do PT.

    Difamaram Luiz Gushiken nas manchetes durante meses e ele foi inocentado pelo STF. E agora? Fica por isso mesmo, porque a indústria da mídia no Brasil pode tudo.

    E a imprensa virou o único partido de oposição porque o PSDB não vence nem o Celso Russomano em São Paulo. E se o PSDB perde em São Paulo, perde em qualquer lugar.

    Postado por Marcelo Migliaccio

  • O STF já virou abóbora. Acabou o baile, o circo vai embora e o Barbosa já começou a ser rifado pela mídia até virar um pária, tanto pela direita como pela esquerda. será o mais famoso juiz do reino ostracismo. E nem tem julgamento do mensalão mineiro do PSDB no horizonte.

    Alguém duvidava? Ele inclusive?

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/83776/E-o-%E2%80%9Cher%C3%B3i%E2%80%9D-do-julgamento-n%C3%A3o-conhecia-a-lei.htm

    E O “HERÓI” DO JULGAMENTO NÃO CONHECIA A LEI…

    Ao vivo e em cores, na sessão que começou a definir a dosimetria da Ação Penal 470, o ministro Joaquim Barbosa tentou aplicar penas não previstas em lei e teve de passar pelo constrangimento de ser corrigido por colegas no plenário; cultuado pelos meios de comunicação e transformado em fenômeno popular que virou máscara de Carnaval, o relator teve de consultar o Código Penal em plena sessão; até Merval Pereira reparou

    24 DE OUTUBRO DE 2012 ÀS 05:45

    247 – “Finalmente”. Esta foi uma das primeiras palavras usadas pelo ministro Joaquim Barbosa, presidente eleito do Supremo Tribunal Federal, antes da sessão que começaria a definir a chamada dosimetria da Ação Penal 470. Era chegada a hora de começar a mandar os réus para a cadeia e o relator mal escondia sua satisfação – diferentemente de ministros, como Ayres Britto, que, ao condenar falavam do gosto “de jiló, de fel ou de mandioca roxa na boca”, talvez apenas como figura de retórica.

    Cultuado pelos meios de comunicação como “o menino pobre que mudou o Brasil” (Veja) e como o justiceiro com a grande chave da cadeia (charge do Globo desta quarta-feira), Joaquim Barbosa é um herói popular, cogitado até para uma disputa presidencial e, apelidado de “nosso Batman”, máscara de Carnaval já pronta para 2013.

    No entanto, Barbosa não estava preparado para a sessão do “gran finale” e cometeu erros em série, tendo que passar pelo constrangimento de ser corrigido pelos próprios colegos, ao vivo e em cores, na sessão transmitida pela TV Justiça.

    O que ocorreu ontem foi tão inusitado que até o colunista Merval Pereira, chefe de torcida pela condenação nos meios de comunicação, reparou e publicou, nesta quarta, a coluna “O STF se perde”. Eis alguns trechos:

    “Barbosa em diversas ocasiões demonstrou que não se preparou adequadamente para a sessão de ontem. Deu uma pena para Marcos Valério por formação de quadrilha e ainda por cima aplicou uma multa (….) Luiz Fux tentou acudir, comentando baixinho: ´Eu tenho a impressão de que não há previsão de multas´. Barbosa insistiu, chamando a atenção para seu próprio erro: ´A previsão de multa é genérica´. Não era, não, e Celso de Mello e Ayres Britto, consultando o Código, alertaram que naquele artigo não havia previsão de multa.”

    Merval citou ainda outro erro de Barbosa, ao tentar aplicar uma pena por corrupção ativa para Marcos Valério prevista não na lei correta, que é mais branda do que a atual. Foi corrigido por Lewandowski, irritou-se, disse que a propina a Henrique Pizzolato foi paga em janeiro de 2004, mas foi corrigido por vários ministros. Celso de Mello pediu até para que a sessão fosse encerrada.

    Preocupado com o vexame de ontem, Merval afirmou que se os ministros não se reunirem antes das sessões – talvez para alertar Barbosa sobre possíveis novos erros – o julgamento não terminará amanhã (antes das eleições) como estava previsto e os réus poderão apresentar muitos embargos.

    Segundo o colunista do Globo, ontem o STF se perdeu. Talvez tenha se perdido um pouco antes.

    Leia, também reportagem da Folha sobre os erros em série de Joaquim Barbosa na sessão de ontem, classificados como “vergonha” por um advogado dos réus:

    Relator comete erros ao definir penas e é corrigido por colegas

    Joaquim Barbosa quis aplicar pena de multa ao crime de quadrilha, o que não existe, e usou uma legislação errada

    Advogados disseram que os ‘equívocos’ do ministro devem levar aos chamados embargos à decisão

    DE BRASÍLIA

    O ministro relator do mensalão Joaquim Barbosa cometeu erros em seu voto sobre a aplicação das penas ao empresário Marcos Valério, foi corrigido pelos colegas no plenário e recebeu críticas dos advogados dos réus.

    O primeiro equívoco de Barbosa ocorreu quanto ao crime de quadrilha. O relator quis aplicar a pena de multa, que não é aceita para o crime. Ele foi alertado sobre o engano pelo ministro Luiz Fux e afastou essa punição.

    Barbosa também recuou após adotar uma pena prevista em lei que não estava em vigor quando aconteceu o crime de corrupção ativa de Valério em contratos de publicidade do Banco do Brasil.

    O revisor Ricardo Lewandowski lembrou que o delito ocorreu em 2003, quando ainda valia norma que estabelecia penas de 1 a 8 anos de prisão para o crime. Só após novembro de 2003 a punição passou a ser de 2 a 12 anos.

    A princípio Barbosa disse que a pena que estava aplicando (4 anos e oito meses) não estava fora dos parâmetros legais, mas o ministro mais antigo da corte, Celso de Mello, sugeriu que a votação fosse suspensa para que ele adaptasse seu voto à lei correta. A sessão foi encerrada.

    Na discussão Barbosa disse que havia deixado de considerar em seu voto fato que poderia aumentar a pena de Valério. A lei prevê que na hipótese de corrupção a pena é maior se o ato pretendido pelo corruptor se concretiza, o que ocorreu, segundo o STF.

    A manifestação do relator só ocorreu depois que Marco Aurélio e Lewandowski apontaram tal situação. Em um momento da sessão o relator não achou o próprio voto e chegou a pedi-lo aos colegas.

    EMBARGOS

    Advogados disseram que os “equívocos” do ministro devem levar aos chamados embargos de declaração [recurso contra obscuridade, contradição ou omissão].

    “Foi uma vergonha o que fizeram aqui hoje. Rasgaram o princípio da legalidade”, disse Leonardo Yarochewsky, que defende Simone de Vasconcelos. Outros quatro advogados também criticaram os erros de Barbosa ontem.

    Até ontem, pelo menos seis memoriais sobre a dosimetria da pena haviam sido enviados. Entre eles, dos réus ligados ao Banco Rural (Kátia Rabello, José Roberto Salgado e Vinícius Samarane) e do ex-deputado Pedro Corrêa (PP), além dos publicitários Marcos Valério e Cristiano Paz.

    Todos pedem a aplicação da pena mínima. O argumento mais usado é o de bons antecedentes de seus clientes.

  • Faço minhas as palavras de Cynara Menezes, em CartaCapital

    Em agosto deste ano, o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello concedeu liminar suspendendo o júri popular que finalmente faria Justiça ao “caso Nicole”. O empresário Pablo Russel Rocha é acusado de, em 1998, ter arrastado com sua caminhonete, até a morte, a garota de programa Selma Artigas da Silva, então com 22 anos, em Ribeirão Preto. A jovem era conhecida como Nicole.

    Grávida, Nicole teve uma discussão com Pablo. A acusação diz que ele a prendeu ao cinto de segurança e a arrastou pela rua. Pablo, que responde pelo crime em liberdade, diz “não ter percebido” que a moça estava presa ao cinto e nem ter ouvido os gritos da moça porque “o som da Pajero estava muito alto”. O corpo de Nicole foi encontrado, totalmente desfigurado, do outro lado da cidade. Com a suspensão, a família de Selma/Nicole vai esperar não se sabe quantos anos mais pelo julgamento do acusado.

    Na segunda-feira 22 de outubro, o mesmo ministro Celso de Mello condenaria os petistas Delúbio Soares, José Dirceu e José Genoino pelo crime de formação de quadrilha. Já os havia condenado por corrupção ativa. “Eu nunca vi algo tão claro”, disse ele, sobre a culpabilidade dos réus.

    Em novembro de 2011, o ministro do STF Marco Aurélio Mello concedeu habeas corpus ao empresário Alfeu Crozado Mozaquatro, de São José do Rio Preto (SP), acusado de liderar a “máfia do boi”, mega-esquema de sonegação fiscal no setor de frigoríficos desvendado pela Polícia Federal. De acordo com a Receita Federal, o esquema foi responsável pela sonegação de mais de 1 bilhão e meio de reais em impostos. Relator do processo, Marco Aurélio alegou haver “excesso” de imputações aos réus.

    Na segunda-feira 22 de outubro, o mesmo ministro Marco Aurélio Mello condenaria os petistas Delúbio Soares, José Dirceu e José Genoino pelo crime de “formação de quadrilha”. Já os havia condenado por “corrupção ativa”. O esquema do chamado “mensalão” envolveria a quantia de 150 milhões de reais. “Houve a formação de uma quadrilha das mais complexas. Os integrantes estariam a lembrar a máfia italiana”, disse Marco Aurélio.

    Em julho de 2008, o ministro do STF Gilmar Mendes concedeu dois habeas corpus ao banqueiro Daniel Dantas, sua irmã Verônica e mais nove pessoas presas na operação Satiagraha da PF, entre elas o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta (que morreu em 2009). A Satiagraha investigava justamente desdobramentos do chamado mensalão, mas, para Mendes, a prisão era “desnecessária”.

    Segundo o MPF (Ministério Público Federal), o grupo de Dantas teria cometido o crime de evasão de divisas, por meio do Opportunity Fund, uma offshore nas ilhas Cayman que movimentou entre 1992 e 2004 quase 2 bilhões de reais. O grupo também era acusado de formação de quadrilha e gestão fraudulenta.

    Na segunda-feira 22 de outubro o mesmo ministro Gilmar Mendes que livrou o banqueiro Daniel Dantas da cadeia enviou para a prisão a banqueira Kátia Rabello, presidente do banco Rural, por formação de quadrilha. Já a havia condenado por gestão fraudulenta, evasão e lavagem de dinheiro. “Sem dúvida, entrelaçaram-se interesses. Houve a formação de uma engrenagem ilícita que atendeu a todos”, disse Gilmar.

    O final do julgamento do mensalão multiplica por 25 – o número de condenados – a responsabilidade futura do STF. É inegavelmente salutar que, pela primeira vez na história do País, um grupo de políticos e banqueiros tenha sido condenado por corrupção. Mas, a partir de agora, os olhos da Nação estarão voltados para cada um dos ministros do Supremo para exigir idêntico rigor, para que a Justiça se multiplique e de fato valha para todos.

    Estamos fartos da impunidade, sim. E também estamos fartos dos habeas corpus e liminares concedidos por alguns ministros em decisão monocrática, em geral nos finais de semana ou em férias, quando o plenário não pode ser reunido. Não se pode esquecer que o Supremo que agora condena os petistas pelo “mensalão” é o mesmo Supremo que tomou decisões progressistas importantes, como a liberação do aborto de anencéfalos e da união civil homossexual e a aprovação das cotas para afro-descendentes nas universidades. Estas foram, porém, decisões do colegiado. Separadamente, saltam aos olhos decisões injustas como as que expus acima.

    Se há, como defendem alguns ministros, uma evolução no pensamento do STF como um todo, que isto também se reflita nas posições tomadas individualmente por seus membros. Não se pode, diante das câmeras de tevê, anunciar com toda a pompa a condenação e a prisão de poderosos e, à sorrelfa, na calada da noite, soltar outros. Cada vez que um poderoso for libertado por um habeas corpus inexplicável, ou que uma liminar sem pé nem cabeça for concedida por um ministro do Supremo para adiar o julgamento de gente rica, estará demonstrado que o mensalão não foi um divisor de águas coisa nenhuma.

    Daqui para a frente, os ministros do Supremo Tribunal Federal têm, mais do que nunca, a obrigação de serem fiéis a si próprios e ao que demarcaram neste julgamento. Nós, cidadãos, estaremos atentos às contradições. Elas serão denunciadas, ainda que ignoradas pela grande mídia.

    A Justiça pode ser cega. Mas nós, brasileiros, temos milhões de olhos. E estaremos vigiando.

    • Assim também como ninguém viu o dinheiro que os teus donos roubaram com a privataria, mensalão tucano, mensalão demista, alston, e outros escândalos, dinheiro que saiu do Brasil para contas em paraísos fiscais.

  • Essa é a estratégia do PT de agora em diante: ameaçar o STF e todas as instituições que lhe for contrário.
    O Brasil está sem oposição, então só resta a imprensa, que relata os demandos do governo, e a justiça, que aplica a lei e pune estes safados.
    Temos que fortalecer a oposição, do contrário, o PT vai acabar com a democracia, calando a imprensa e tomando de assalto o STF.

    • Caro Luiz, você deve adorar os Tucanos.
      Ou não deve ter vivido no período em que governaram este País.
      Quer mais oposição que a da mídia?
      Você deve estar em outro planeta.

    • Quem fez isto foi a direita na ditadura e ainda tem seus resquícios no estado, STF atual que o diga, um verdadeiro tribunal de exceção que condena sem provas e não ouve a ampla defesa e o contraditório. O que vcs direitóides querem é um estado que faça tudo que a máfia TUCANODEMOMIDIÁTICA queira.

    • LUIZ:
      Nada pessoal.
      Aponte seu dedo indicador para um “safado” e trez outros dedos apotam para vôce.
      Ha muitos tipos de safados, uns que apontam o dedo, (ou o bicãozinho)…
      Outros safados que enfretaram patas de cavalos, baionetas, cacetetes,prisões,torturas,
      exilio, traição, perderam vidas, condenações humilhação, para serem execrados por um
      SAFADO que deveria no minimo dar respeito pelo que aqueles safados o deram sem
      ao menos saber que seriam agrididos no futuro por um safado…
      Perguntar não ofende, quais dos safados enquadram sua familia?
      Vôce escolhe…
      Obs. Para todos que são do lado de LA, e desrespeitam o PT, e o povo brasileiro.

    • Alto lá, querem acabar é com o PT na marra,
      pois nos votos ja perderam ate o rumo da seção de votação.
      Juntos oposição, poder judiciário e midia PIG não tem forças
      suficientes pra eleger representantes, serão eternas minorias
      enfraquecidas e com rabo sujos, privatas corruptos apontando
      dedo sujo a quem olha e faz bem ao Brasil, glorioso é o PT.
      Viva Lula/Dilma/Haddad/Dirceu e todos do lado de cá.

  • vertigem do Supremo – Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa –

    _______________________________________________________________________________________

    22-Out-2012

    Raimundo Pereira demonstra que viga mestra da tese do Supremo é falsa

    Raimundo Pereira, jornalista conhecido pelo rigor com que checa as informações que usa, abre a reportagem a ser publicada na sua Revista do Brasil, edição nº 64, nas bancas a partir do próximo 1º de novembro, com a afirmação de que “não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão”. E parte para a demonstração dessa afirmação.

    A matéria disseca, analisa a fundo, a tese que Raimundo definiu como a “viga mestra” do mensalão. Escreve: “Essencialmente, a tese do mensalão é a de que o petista Henrique Pizzolato teria desviado de um “Fundo de Incentivo Visanet” 73,8 milhões de reais que pertenceriam ao Banco do Brasil. Seria esse o verdadeiro dinheiro do esquema armado por Delúbio e Valério sob a direção de José Dirceu. Os empréstimos dos bancos mineiros não existiriam. Seriam falsos. Teriam sido inventados pelos banqueiros, também articulados com Valério e José Dirceu, para acobertar o desvio do dinheiro público.”

    A tese, segundo Raimundo, é falsa. “O desvio dos 73,8 milhões de reais não existe” e “os autos da Ação Penal 470 contêm um mar de evidências de que a DNA de Valério realizou os trabalhos pelos quais recebeu os 73,8 milhões de reais”.

    Raimundo não afirma isso por simples boa fé ou por algum interesse em livrar este ou aquele réu: no site da revista ele dá acesso a 108 apensos da Ação Penal 470 com documentos em formato pdf “equivalentes a mais de 20.000 páginas e que foram coletados por uma equipe de 20 auditores do BB num trabalho de quatro meses, de 25 de julho a 7 de dezembro de 2005 e depois estendido com interrogatórios de pessoas envolvidas e de documentos coletados ao longo de 2006”.

    Segundo afirma, a auditoria foi buscar provas de que o escândalo existia de fato. Encontrou documentos que provaram o contrário. Com base nas conclusões dos auditores, Raimundo afirma que “o uso dos recursos do Fundo de Incentivo Visanet pelo BB foi feito, sob a gestão do petista Henrique Pizzolato, exatamente como tinha sido feito no governo FHC, nos dois anos anteriores à chegada de Pizzolato ao banco. E mais: foi sob a gestão de Pizzolato, em meados de 2004, que as regras para uso e controle dos recursos foram aprimoradas”.

    O jornalista diz que, tendo analisado toda a documentação da auditoria, encontrou questionamentos e problemas. “Mas de detalhes. Não é disso que se tratou no julgamento da AP 470 no entanto. A acusação que se fez e que se pretende impor através do surto do STF é outra coisa. Quer apresentar os 73,8 milhões gastos através da DNA de Valério como uma farsa montada pelo PT com o objetivo de ficar no poder, como diz o ministro Ayres Britto, “muito além de um quadriênio quadruplicado”.”

    Em seguida, Raimundo Pereira classifica a conclusão a que chegou o tribunal de “delírio”. Escreve: “A procuradoria da República e o ministro Barbosa sabem de tudo isso [basicamente, da conclusão da auditoria, de que a parte do FIV a que o BB tinha direito foi repassada à agência de publicidade para pagar serviços que foram comprovadamente realizados e que, no final das contas, levaram o BB à liderança no uso da bandeira Visa no Brasil]”. E conclui: “Se não o sabem é porque não quiseram saber: da documentação tiraram apenas detalhes, para criar o escândalo no qual estavam interessados”.

    Viga mestra é a que sustenta a construção. Se ela é retirada, ou tem algum problema grave, a própria construção não consegue permanecer de pé.

    Leia a íntegra da reportagem do Brasil 247:

    22 de Outubro de 2012 –
    Brasil 247 –
    URL: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/83657/A-vertigem-do-Supremo.htm

    A vertigem do Supremo
    :

    247 publica em primeira mão a reportagem de Raimundo Rodrigues Pereira, um dos mais consagrados jornalistas brasileiros e editor da Retrato do Brasil, sobre o julgamento da Ação Penal 470; amparado em documentos, ele demonstra que o desvio de R$ 73,8 milhões do Banco do Brasil, por meio da Visanet, simplesmente não ocorreu; corte julga o capítulo final, que trata da formação de quadrilha

    247 – Raimundo Rodrigues Pereira é um herói do jornalismo brasileiro, que criou o jornal Movimento e enfrentou a ditadura militar. Agora, ele abre uma nova frente de combate, desta vez com o Supremo Tribunal Federal, ao demonstrar que o desvio de R$ 73,8 milhões do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão, simplesmente não ocorreu. Leia em primeira mão a reportagem de capa da revista Retrato do Brasil, que vai às bancas em 1º de novembro e que, nesta semana, estará disponibilizada no site da revista, amparada também em documentos:

    A VERTIGEM DO SUPREMO

    Os ministros do STF deliraram: não houve o desvio de 73,8 milhões de reais do Banco do Brasil, viga mestra da tese do mensalão. Acompanhe a nossa demonstração

    Por Raimundo Rodrigues Pereira, da revista Retrato do Brasil

    A tese do mensalão como um dos maiores crimes de corrupção da história do País foi consagrada no STF. Veja-se o que diz, por exemplo, o presidente do tribunal, ministro Ayres Britto, ao condenar José Dirceu como o chefe da “quadrilha dos mensaleiros”. O mensalão foi “um projeto de poder”, “que vai muito além de um quadriênio quadruplicado”. Foi “continuísmo governamental”, “golpe, portanto”. Em outro voto, que postou no site do tribunal dias antes, Britto disse que o mensalão envolveu “crimes em quantidades enlouquecidas”, “volumosas somas de recursos financeiros e interesses conversíveis em pecúnia”, pessoas jurídicas tais como “a União Federal pela sua Câmara dos Deputados, Banco do Brasil-Visanet, Banco Central da República”.

    Britto, data vênia, é um poeta. Na sua caracterização do mensalão como um crime gigante, um golpe na República, o que ele chama de Banco do Brasil-Visanet, por exemplo? É uma nova entidade financeira? Banco do Brasil a gente sabe o que é: é aquele banco estatal que os liberais queriam transformar em Banco Brasil, assim como quiseram transformar a Petrobras em Petrobrax, porque achavam ser necessário, pelo menos por palavras, nos integrarmos ao mundo financeiro globalizado.

    De fato, Visanet é o nome fantasia da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, responsável, no Brasil, pelos cartões emitidos com a chamada bandeira Visa (hoje o nome fantasia mudou, é Cielo). Banco do Brasil-Visanet não existia, nem existe; é uma entidade criada pelo ministro Britto. E por que, como disse no voto citado, ele a colocou junto com os mais altos poderes do País – a União Federal, a Câmara dos Deputados e o Banco Central da República? Com certeza porque, como a maioria do STF, num surto anti-corrupção tão ruim quanto os piores presenciados na história política do País, viu, num suposto escândalo Banco do Brasil-Visanet, uma espécie de revelação divina. Ele seria a chave para transformar num delito de proporções inéditas o esquema de distribuição, a políticos associados e colaboradores do PT, de cerca de 50 milhões de reais tomados de empréstimo, de dois bancos mineiros, pelo partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    No dia 13 de julho de 2005, menos de um mês depois de o escândalo do mensalão ter surgido, com as denúncias do deputado Roberto Jefferson, a Polícia Federal descobriu, no arquivo central do Banco Rural, em Belo Horizonte, todos os recibos da dinheirama distribuída. Delúbio Soares, tesoureiro do PT, e Marcos Valério, um empresário de publicidade mineiro, principais operadores da distribuição, contaram sua história logo depois. E não só eles como mais algumas dezenas de pessoas, também envolvidas no escândalo de alguma forma, foram chamadas a depor em dezenas de inquéritos policiais e nas três comissões parlamentares de inquérito que o Congresso organizou para deslindar a trama.

    Todos disseram que se tratava do famoso caixa-dois, dinheiro para o pagamento de campanhas eleitorais, passadas e futuras. Como dizemos, desde 2005, tratava-se de uma tese razoável. Por que razoável, apenas? Porque as teses, mesmo as melhores, nunca conseguem juntar todos os fatos, sempre deixam alguns de lado. A do caixa-dois é razoável. O próprio STF absolveu o publicitário Duda Mendonça, sua sócia Zilmar Fernandes e vários petistas, que receberam a maior parte do dinheiro do chamado valerioduto, porque, a despeito de proclamar que esse escândalo é o maior de todos, a corte reconheceu tratar-se, no caso das pessoas citadas, de dinheiro para campanhas eleitorais. E a tese do caixa-dois é apenas razoável, como dissemos também, porque fatos ficam de fora.

    É sabido, por exemplo, que, dos 4 milhões recebidos pelo denunciante Roberto Jefferson – que jura ser o dinheiro dele caixa dois e o dos outros, mensalão – uma parte, modesta é verdade, foi para uma jovem amiga de um velho dirigente político ligado ao próprio Jefferson e falecido pouco antes. Qualquer criança relativamente esperta suporia também que os banqueiros não emprestaram dinheiro ao PT porque são altruístas e teria de se perguntar porque o partido repassou dinheiro ao PTB, PL e PP, aliados novos, e não ao PSB, PCdoB, aliados mais fiéis e antigos. Um arguto repórter da Folha de S. Paulo, num debate recente sobre o escândalo, com a participação de Retrato do Brasil, disse que dinheiro de caixa-dois é assim mesmo. E que viu deputado acusado de ter recebido o dinheiro do valerioduto vestido de modo mais sofisticado depois desses deploráveis acontecimentos.

    O problema não é com a tese do caixa-dois, no entanto. Essa é a tese dos réus. No direito penal brasileiro, o réu pode até ficar completamente mudo, não precisa provar nada. É ao ministério público, encarregado da tese do mensalão, que cabe o ônus da prova. E essa tese é um horror. No fundo, é uma história para criminalizar o Partido dos Trabalhadores, para bem além dos crimes eleitorais que ele de fato cometeu no episódio. O escândalo Banco do Brasil-Visanet, que é o pilar de sustentação da tese, não tem o menor apoio nos fatos.

    Essencialmente, a tese do mensalão é a de que o petista Henrique Pizzolato teria desviado de um “Fundo de Incentivo Visanet” 73,8 milhões de reais que pertenceriam ao Banco do Brasil. Seria esse o verdadeiro dinheiro do esquema armado por Delúbio e Valério sob a direção de José Dirceu. Os empréstimos dos bancos mineiros não existiriam. Seriam falsos. Teriam sido inventados pelos banqueiros, também articulados com Valério e José Dirceu, para acobertar o desvio do dinheiro público.

    Essa história já existia desde a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. Foi encampada pelos dois procuradores-gerais da República, Antônio Fernando de Souza e Roberto Gurgel, que fizeram os trabalhos da acusação. E foi transformada num sucesso de público graças aos talentos do ministro Joaquim Barbosa na armação de uma historinha ao gosto de setores de uma opinião pública sedenta de punir políticos, que em geral considerada corruptos, e ao surto anticorrupção espalhado por nossa grande mídia, que infectou e levou ao delírio a maioria do STF.

    Por que a tese do mensalão é falsa? Porque o desvio dos 73,8 milhões de reais não existe. A acusação disse e o STF acreditou que uma empresa de publicidade de Valério, a DNA, recebeu esse dinheiro do Banco do Brasil (BB) para realizar trabalhos de promoção da venda de cartões de bandeira Visa do banco, ao longo dos anos 2003 e 2004. E haveria provas cabais de que esses trabalhos não foram realizados.

    A acusação diz isso, há mais de seis anos, porque ela precisa de que esse desvio exista. Porque seria ele a prova de serem os 50 milhões de reais do caixa dois confessado por Delúbio e Valério inexistentes e de os empréstimos dos bancos mineiros ao esquema Valério-Delúbio serem falsos e decorrentes de uma articulação política inconfessável de Dirceu com os banqueiros. Ocorre, no entanto, que a verdade é oposto do que a acusação diz e o STF engoliu. Os autos da Ação Penal 470 contêm um mar de evidências de que a DNA de Valério realizou os trabalhos pelos quais recebeu os 73,8 milhões de reais.

    No nosso site na internet, RB está apresentando, a todos os interessados em formar uma opinião mais esclarecida sobre o julgamento que está sendo concluído no STF, um endereço onde pode ser localizada a mais completa auditoria sobre o suposto escândalo BB-Visanet. Nesse local o leitor vai encontrar os 108 apensos da AP 470 com os trabalhos dessa auditoria. São documentos em formato pdf equivalentes a mais de 20.000 páginas e foram coletados por uma equipe de 20 auditores do BB num trabalho de quatro meses, de 25 de julho a 7 de dezembro de 2005 e depois estendido com interrogatórios de pessoas envolvidas e de documentos coletados ao longo de 2006.

    A auditoria foi buscar provas de que o escândalo existia. Mas, ao analisar o caso, não o fez da forma interesseira e escandalosa da procuradoria geral da República e do relator da AP 470 Joaquim Barbosa, empenhados em criminalizar a ação do PT. Fez um levantamento amplo do que foram as ações do Fundo de Incentivo Visanet (FIV) desde sua criação em 2001.

    Um resumo da auditoria, de 32 páginas, está nas primeiras páginas do terceiro apenso (Vol. 320). Resumindo-a mais ainda se pode dizer que:

    * As regras para uso do fundo pelo BB têm duas fases: uma, de sua criação em 2001 até meados de 2004, quando o banco adotou como referencial básico para uso dos recursos o Regulamento de Constituição e Uso do FIV da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento (CBMP); e outra, do segundo semestre de 2004 até dezembro de 2005, quando o BB criou uma norma própria para o controle do fundo.

    *Entre 2001 e 2004, a CBMP pagou, por ações do FIV programadas pelo BB, aproximadamente 150 milhões de reais – 60 milhões nos anos 2001-2002, no governo Fernando Henrique Cardoso, portanto; e 90 milhões nos anos 2003-2004, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. E, nos dois períodos, sempre 80% dos recursos foram antecipados pela CBMP, a pedido do BB, para as agências de publicidade contratadas pelo banco.

    *O BB decidiu, em 2001, por motivos fiscais, que os recursos do FIV não deveriam passar pelo banco. A CBMP pagaria diretamente os serviços através de agências contratadas pelo BB. A DNA e a Lowe Lintas foram as agências, no período 2001-2002. No final de 2002 o BB decidiu especializar suas agências e só a DNA ficou encarregada das promoções do FIV. Os originais dos documentos comprobatórios das ações ficavam na CBMP, não no BB, em todos os dois períodos.

    *O fato de o BB encomendar as ações mas não ser o controlador oficial das mesmas fez com que, nos dois períodos, 2001-2002 e 2003-2004, fossem identificadas, diz a auditoria, “fragilidades no processo e falhas na condução de ações e eventos”, que motivaram mudanças nos controles de uso do fundo. Essas mudanças foram implementadas no segundo semestre de 2004, a partir de 1 de setembro.

    *O relatório destaca algumas dessas “fragilidades” e “falhas”. Aqui destacaremos a do controle dos serviços, para saber se as ações de promoção tinham sido feitas de fato. Os auditores procuraram saber se existiam os comprovantes de que as ações de incentivo autorizadas pelo BB no período tinham sido de fato realizadas. **Procuraram os documentos existentes no próprio banco – notas fiscais, faturas, recibos emitidos pelas agências para pagar os serviços e despesas de fornecedores para produzir as ações. Descobriram que, para os dois períodos 2001-2002 e 2003-2004 igualmente, somando-se as ações com falta absoluta de documentos às com falta parcial, tinha-se quase metade dos recursos despendidos.

    **Os auditores procuraram então os mesmos documentos na CBMP, que é, por estatuto, a dona dos recursos e a controladora de sua aplicação e dos documentos originais de comprovação da realização dos serviços. A falta de documentação comprobatória foi, então, muito pequena – em proporção aos valores dos gastos autorizados, de 0,2% em 2001, 0,1% em 2002, 0,4% em 2003 e 1% em 2004.

    *Dizem ainda os auditores: com as novas normas, em função das mudanças feitas nas formas de controlar o uso do dinheiro do FIV pelo BB, entre janeiro e agosto de 2005 foram executadas sete ações de incentivo, no valor de 10,9 milhões de reais e se pode constatar que, embora ainda precisassem de aprimoramento, as novas regras fixadas pelo banco estavam sendo cumpridas e os “mecanismos de controle” tinham sido aprimorados.

    Ou seja: o uso dos recursos do FIV pelo BB foi feito, sob a gestão do petista Henrique Pizzolato, exatamente como tinha sido feito no governo FHC, nos dois anos anteriores à chegada de Pizzolato ao banco. E mais: foi sob a gestão de Pizzolato, em meados de 2004, que as regras para uso e controle dos recursos foram aprimoradas.

    Mais reveladora ainda é análise dos apensos em busca das evidências de que os trabalhos de promoção dos cartões Visa vendidos pelo BB foram feitos. E essas evidências são torrenciais. Uma amostra dessas promoções que devem ser do conhecimento de milhares e milhares de brasileiros estão no quadro abaixo.

    Em toda a documentação da auditoria existem questionamentos, são apresentados problemas. Mas de detalhes. Não é disso que se tratou no julgamento da AP 470 no entanto. A acusação que se fez e que se pretende impor através do surto do STF é outra coisa. Quer apresentar os 73,8 milhões gastos através da DNA de Valério como uma farsa montada pelo PT com o objetivo de ficar no poder, como diz o ministro Britto, “muito além de um quadriênio quadruplicado”. Essa conclusão é um delírio. As campanhas de promoção não só existiram como deram resultados espetaculares para o BB tendo em vista os objetivos pretendidos. O banco tornou-se o líder nos gastos com cartões Visa no Brasil.

    Em 2003, o banco emitiu 5,3 milhões desses cartões, teve um crescimento de cerca de 35% no seu movimento de dinheiro através deles, tornou-se o número um nesse quesito entre os associados da CBMP. No final do ano, 18 de dezembro, às 14h30 horas, em São Paulo, no Itaim Bibi, rua Brigadeiro Faria Lima 3729, segundo andar, sala Platinum, de acordo com ata do encontro, os representantes dos sócios no Conselho de Administração da CBMP se reuniram e aprovaram o plano para o ano seguinte. Faturamento esperado nas transações com os cartões Visa para 2004, 156 bilhões de reais. Dinheiro do FIV, ou seja: recursos para as promoções dos cartões pelos vários bancos associados, 0,10%, ou seja 1 milésimo, desse total: 156 milhões. Parte a ser usada pelo BB, que era, dos 25 sócios da CBMP, o mais empenhado nas promoções: 35 milhões de reais.

    Pode-se criticar esse esquema Visanet-BB. O governo está querendo que as taxas cobradas dos estabelecimentos comerciais pelos uso dos cartões sejam reduzidas. Na conta feita no parágrafo anterior, dos 156 bilhões de reais a serem movimentados pelos cartões em 2004, o dinheiro que iria para o esquema Visanet-BB seria de 4% a 6% desse total, ou seja, ficaria entre 6 a 10 bilhões de reais (ou seja, a verba programada para o fundo de incentivos na promoção dos cartões foi pelo menos 40 vezes menor). A procuradoria da República e o ministro Barbosa sabem de tudo isso. Se não o sabem é porque não quiseram saber: da documentação tiraram apenas detalhes, para criar o escândalo no qual estavam interessados

  • Conheco um punhado de pessoas hipocritas iguais ao Luis, geralmente comecam a comer pelas beiradas, ele entretanto foi direto ao assunto, certamente ele devia estar passeando na lua no tempo do governo FHC, decerto se assim nao fosse nao estaria agora a escrever estas baboseiras.

    • Luiz, voce usa a mesma estratégia TUCANALHA, para chamar de safados os mesmos que na ditadura, ofereceram suas vidas, foram torturados para restabelecer a democraica que voce se vale até para escrever as inverdades que leio. Afinal estamos numa democracia, ou não ? E voce Luiz, omde estava na época do golpe ? ~Pelo que diz, não é díficil adivinhar.

      • SINEZIO BERNARDO:
        Eu adivinho o dito cujo se tiver 70 anos estava do lado de LA…
        Se for menino estava nos testiculo do papai do lado direito de LA…
        Como senador AGRIPINO, dito por DILMA, quando o mesmo dice
        que ela mintia sob tortura. O senhor senador estava do lado dos
        torturadores. e eu com acorda no pescoço…

  • Hoje, não passam de velhotes – ou velhacos – tímidos, frágeis, que já vão sendo encurralados pela (Comissão da) Verdade, pelo eco de seus crimes. e DE SUAS CONSCIÊNCIAS, SE TIVEREM.

  • Só tem uma definição que cabe às sombras humanas que opinam como o tal luiz; são corpos humanos ocos, cujo espaço é ocupado apenas pela mediocridade, ou existe outra definição para indivíduos cujo maior sentimento é o de ser “contra a paixão ou ideologia alheia”, não conseguem sequer ter a sua própria paixão, contentando-se pela vida afora a buscar a derrota alheia, sem competência para a sua própria busca. São dignos de pena.

  • STF e o Domínio dos Fatos, por Vagner Freitas
    Publicado em 05-Out-2012

    Em artigo publicado hoje no website da Central Única dos Trabalhadores, o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, analisa as decisões dos ministros do Supremo em relação à ação penal 470 e suas implicações na vida política do país. Para ter acesso,

    http://www.cut.org.br/destaques/22620/stf-e-o-dominio-dos-fatos-por-vagner-freitas-sp

    Fernando Lima comenta acerca do expediente utilizado pelos ministros do STF para condenar o núcleo politico do mensalão. Na ausência de provas de pratica efetiva de conduta, os ministros invocam a “teoria do domínio de fato”, de natureza alemã, cuja aplicação não está legislada no Brasil.

    http://www.youtube.com/watch?v=PrT5ZfWBemg

  • Edu, esse Supremo ficará na história ( com h minúsculo mesmo), porque deixa na memória dos que acompanharam
    as sessões desse julgamento, batizado de Mensalão, a marca indelével da injustiça cometida julgamentos pelosTRIBUNAIS DE EXCEÇÃO. Jogaram fora a grandiosa oportunidade de terem contribuído para o fortalecimento da democracia. Mas essa construção não se faz com pequenos,medrosos, submissos. Só houve, verdadeiramente, um juiz que se debruçou sobre todos os documentos, dissecou os autos e, até mesmo, tentou penetrar nas almas e sentimentos dos réus. Não por compaixão, mas para fazer JUSTIÇA.
    Seu nome? Lewandovsky. Valeu, MINISTRO!

  • Lembro uma frase do discurso do Presidente Lula, quando assumiu pela 1ª vez, em que com energia e vigor, completou afirmando que vamos recuperar o orgulho de ser brasileiro.
    Foi de grande efeito, porque no nosso intimo esta gravado um grande sentimento de inferioridade e incapacidade de resolução dos problemas.
    Esse sentimento é em razão de que, o que nos foi imposto é que o de fora é o melhor e que não tinhamos liberdade de criar. Esse cenário, foi formado entre 1963 e 1994, no qual foi possível criar uma forma de pagamento para quem tinha o direito de auxiliar nas tomadas de decisão (os parlamentares), é um sistema covarde. As pessoas foram substituídas nesse sistema, que se manteve sempre forte, que hoje conhecemos pelo nome de “mensalão”, e que só foi possível ser desmantelado, sem crise institucional de proporções catastróficas, pelo genial presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Deixe uma resposta