Datafolha mostra que Doria torra dinheiro com o MBL à toa

Destaque, Reportagem, Sem categoria, Todos os posts

 

Era inevitável. Tão inevitável quanto Lula e o PT se fortalecerem à medida que as pessoas descobrem que o “golpeachment” de Dilma foi um mau negócio. Cedo ou tarde a camada popular da capital paulista descobriria – ou começaria a descobrir – que João Doria, prefeito de São Paulo, não é, apenas, um embuste como administrador, mas um malandro que acha que só ele mesmo é esperto.

Pesquisa Datafolha publicada neste domingo (8/10) dá conta de que a aprovação de Doria despencou na capital paulista não só por ele estar tendo o descaramento de entrar em campanha para presidente da República sem mal ter começado o mandato de prefeito da cidade.

Doria começou sua gestão impondo varrição de ruas da cidade como símbolo. Basbaques paulistanos e a mídia tucana logo trataram de vender a imagem. Até a eterna apavoradinha do Brasil, Regina Duarte, colaborou com suas opiniões políticas superficiais como cobertura de bolo.

Marketing, porém, não enche barriga. Medidas virtuais só produzem resultados virtuais e a varrição de ruas despencou forte na capital paulista.

O mesmo se deu com outro símbolo da administração doriana, o programa “corujão”, destinado NÃO ao povo humilde, mas aos patrões. O programa realiza DE MADRUGADA os exames laboratoriais da rede municipal de saúde, ou seja, a população humilde não precisaria mais faltar ao trabalho para cuidar da saúde, em São Paulo. Mas como o programa é fake, só muda horários de atendimento, as filas continuam

Tudo isso sem falar no morticínio que está ocorrendo no trânsito com o aumento dos acidentes devido ao aumento da velocidade dos veículos que Doria decretou em atendimento a exigências da minúscula classe média alta que quer correr com seus carrões pela cidade, atropelando pobres como se fossem pinos de boliche.

Por alguma razão, o malandro João Doria acreditou que poderia governar tão pouco e tão mal e ainda assim conseguiria manter as classes populares tão extasiadas quanto as classes A e B, para quem ele de fato iria governar, em tese…

É bem mais fácil governar para essas classes porque nos bairros ditos “nobres” de São Paulo praticamente não há muito que fazer. Os serviços públicos são de boa qualidade. Varrição, asfalto, calçadas, hospitais e escolas públicos, segurança…

Contudo, São Paulo não é seus bairros “nobres”, São Paulo é muito mais periferia. A população que, sim, precisa do Estado é muito maior do que aquela que não precisa e essa população votou em peso em dória.

O que ganhou? Um grande volume de antipetismo e medidas imorais como a redução de merenda escolar para as crianças da rede pública de ensino.

O mais engraçado é que a maior parte da população atingida pela redução da merenda escolar votou em peso no mauricinho irresponsável.

Brasilândia e Nossa Senhora do Ó, por exemplo, foram dois dos bairros da periferia de São Paulo que mais votos deram a Doria na eleição do ano passado, conforme a lista do Tribunal Superior Eleitoral da votação nos diversos bairros da capital paulista.

Na Brasilândia, 376ª zona eleitoral, Doria obteve 44,45% dos votos, ou 67.513, Fernando Haddad teve 17,43% dos votos, ou 26.468 votos, Celso Russomano obteve 18,32% dos votos, ou 27.827 votos e Marta Suplicy obteve 13,32% dos votos, ou 20.232 votos.

Já em Nossa Senhora do Ó, na 327ª zona eleitoral, a votação de Doria foi acachapante. Ele obteve 58,67%, ou 45.296 votos; Fernando Haddad obteve 15,48% dos votos, ou 11.950 votos; Celso Russomano obteve 11,09% dos votos, ou 8.558 votos; Marta Suplicy obteve 8,01% dos votos, ou 6.181 votos.

Doria se acha esperto. Decidiu fazer um governo medíocre e amparado basicamente em antipetismo. Diante da queda de sua aprovação noticiada pela Folha, culpou o PT em vez de prometer fazer mais.

O método Doria para enganar otários se baseia em uma aposta milionária, as redes sociais e, nelas, o grupo fascista Movimento Brasil Livre, dirigido por um picareta cheio de processos na Justiça por suas picaretagens.

O MBL vem sendo financiado pelo PSDB e outros partidos de direita desde bem antes de Doria ser eleito. O portal UOL chegou a  divulgar áudio que comprova essa relação financeira com partidos de um movimento que se diz “apartidário”.

Mas Doria passou a dar dinheiro público ao MBL para defende-lo nas redes sociais. A dinheirama gasta por políticos com o movimento fascista, porém, parece estar longe de comprar o que ele vende.

A pesquisa Datafolha é arrasadora para dória Revela piora em todos os quesitos. A rejeição disparou, a aprovação despencou e todas os programas-vitrine que ele achou que iriam colar mesmo não sendo nada além de farsas, estão sendo malvistos.

Diz a Folha que a aprovação de Doria não é tão ruim quanto a de seus antecessores nesta mesma etapa da administração, ou seja, próximo a completar um ano.

Contudo, a Folha está enganada. José Serra foi ganhando aprovação ao longo de seu primeiro e único ano à frente da prefeitura de São Paulo e, por volta de outubro de 2005, estava no mesmo nível que Doria hoje. No ano seguinte, Serra tinha 56% de aprovação em São Paulo, com a mídia toda a favor, e se lançou candidato a presidente. Depois, perdeu a eleição e afundou politicamente. Doria é outro Serra, só que bem menos inteligente.

Eis que a fortuna que a prefeitura paulistana está enterrando no MBL não está se justificando e ainda expõe o prefeito a ter que se entender com a Justiça lá adiante. Ele e Temer estão torrando dinheiro público com esses picaretas do MBL em uma proporção escandalosamente alta para nada.

Até mesmo tucanos históricos como Artur Virgílio e Alberto Goldman reprovam os gastos da prefeitura de São Paulo com o MBL. O dinheiro que está faltando para tudo na capital paulista, até para a merenda, enche os bolsos dos moleques malandros do movimento fascista.

O que já se pode prever com facilidade hoje é que Doria vai ter que se explicar sobre o uso de dinheiro público para fazer politicagem barata usando o tal MBL para promover antipetismo de modo a manter drogada uma população que a cada dia vai acordar mais rapidamente daqui até o ano que vem.

*

Assista, abaixo, reportagem para o canal do Blog no YouTube

33 comments

  • Minha opinião? São Paulo (inclusive os pobres) merecem esse “jestor”, que não é político e muito menos “jestor”. Ele não passa de um vagabundo almofadinha e arrogante. Paulistanos, façam bom uso desse incompetente. Terão que aturar esse farsante por mais 3 anos e 3 meses.
    PS: Se ele pode chamar os outros de vagabundo, então eu também posso chamá-lo assim.

  • ♫ Em plena senescência e total decadência, a borradinha do Brasil (Regina Duarte) faz qualquer coisa para aparecer. Já não consegue nem fazer comercial de pasta anti-rugas, porque está parecendo um maracujá de gaveta além do alcance até mesmo do Photoshop. Em passant, acho que nunca vi nulidade semelhante ser guindada tão alto pelo marketing da Rede Goebbels.
    Quando à degringolada do Dória, acho que o nome dele devia ser mudado para João Glória, em memória do slogan do leite em pó Glória, que era “Desmancha sem bater”.
    Mas enquanto ele desmorona, os paulistanos sifu. Bem feito! Quem manda ser trouxa? Eles que empunhem vassouras, enterrem suas vítimas de atropelamento, taquem mais farinha nos filhos para estes não repetirem a merenda na escola e consertem eles mesmos os semáforos.
    Ainda bem que mudei para o Guarujá em 2002; ar puro, trânsito tolerável, vida amena etc. Pela manhã, praia; à tardinha, uma boa cerveja contemplando o mar; à noite, dormir tranquilo embalado pelo cri-cri dos grilos. Sorry, periferia. Quem pode, pode; quem não pode que sacuda o rabo do bode…

  • O pessoal do MBL virou capacho do Dória, a “gangue virtual” do prefake, segundo a Veja. Quando o Levante Popular fez um escracho na mansão do Dória, picharam o muro dizendo que SP não está à venda. Adivinha quem foi lá pintar o tal muro? O pessoal do MBL. E um tal membro do MBL, Cauê Del Valle ganhou até um emprego na prefeitura de SP como recompensa.

    https://www.brasil247.com/pt/247/sp247/306607/MBL-pinta-de-branco-picha%C3%A7%C3%A3o-feita-na-casa-de-Doria.htm

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/09/1921494-membro-do-mbl-que-pintou-muro-de-doria-ganha-emprego-na-prefeitura.shtml

  • Pobre classe média paulista, sempre se achando melhor do que a população humilde e pobre que lhes serve sem muito reclamar. Espero que a periferia acorde de uma vez por todas para poder mudar essa cidade de gente fascista e muito ignorante. Terão que aguentar o prefake botox e a atriz ridicula: tipica perua de Sampa. Pobre cidade.

          • Cada vez que eu posto um petista vai preso…kkk.Acredita , , , funciona mesmo kkk

            Enquanto vcs comemoram denuncia…lamentamos por tanto politicos corruptos…a maioria deles petistas…
            Doria tem muito marketing e a seu favor poucos anos de politica…podres com certeza aparecerao.
            A verdade doi!!!

  • Fora de Pauta porque espantoso. ISSO MESMO, ESPANTOSO!

    Padres denunciam: PF impediu reitor de receber ajuda religiosa, por Raquel Wandelli

    No Blog do Nassif (veja o vídeo no final da matéria)

    O Jornal de todos Brasis
    Padres denunciam: PF impediu reitor de receber ajuda religiosa, por Raquel Wandelli

    seg, 09/10/2017 – 07:48

    dos Jornalistas Livres

    Padres denunciam: PF impediu reitor de receber ajuda religiosa

    por Raquel Wandelli

    #EXCLUSIVO | PADRE DENUNCIA: “FOMOS IMPEDIDOS DE PRESTAR APOIO ESPIRITUAL AO REITOR QUE SE SUICIDOU”

    Assista em vídeo a denúncia do padre da Pastoral Carcerária, William Barbosa Vianna, na missa em homenagem ao reitor da UFSC.

    Ao celebrar missa em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cancellier neste domingo (8/10), pela manhã, no Templo Ecumênico da UFSC, o padre William Barbosa Vianna fez uma denúncia espantosa: ele e outro frei foram impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, embora esse direito seja garantido pela Constituição. Cancellier foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial.

    Segundo o padre, a primeira recusa ocorreu quando a Pastoral Carcerária tentou visitá-lo no dia da prisão, em 14 de setembro. A segunda, quando a prisão de Cancellier foi relaxada, mas a juíza o manteve exilado da universidade e em reclusão domiciliar noturna. Sabendo de seu abalo emocional, os padres novamente tentaram socorrê-lo, mas não obtiveram permissão para visitá-lo, mesmo tendo essa prerrogativa.por lei.

    Assessor da Pastoral Universitária da UFSC, Vianna alertou: “É preciso lembrar que o direito à assistência religiosa é garantido pelo artigo V da Constituição”. Até então, sabia-se apenas que Cancellier foi privado do apoio de amigos, principalmente de pessoas de sua convivência na gestão da universidade. Durante la missa, Vianna eu o artigo V da Constituição, inciso VII: “É assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva”.

    William Vianna, que além de padre é professor e chefe do Departamento de Ciências da Informação da UFSC, disse com clara consternação que há muitos anos a Pastoral Carcerária vem avisando sobre os abusos nas revistas vexatórias a mães, filhas e familiares em geral dos presos. Também fez alusão às chacinas ocorridas neste ano nos presídios.

    Raquel Wandelli dos Jornalistas Livres

  • Já que estão falando em herança maldita do PT cabe destacar algumas: Bilhete Único, CÉUS, Faixa exclusiva para ônibus e táxi, ciclovias, ciclofaixas, CGU municipal com status de Secretaria, Paulista fechada aos domingos, só para citar as mais visíveis. Peço auxílio aos comentaristas para citar as heranças da direita progressista.

  • Bom dia, Edu.

    Esperemos que os trabalhadores e mais necessitados de políticas públicas possam refletir sobre os prejuízos que esse doria e sua turma estão lhes causando.
    Não foi Haddad que perdeu; quem perdeu foi São Paulo.

  • Nao se apresse, romancesqui.
    Fora do nordeste, ou em quaisquer cidades grandes, no ano da graça de 2016 qualquer petista perderia. A ma comunicação de Haddad foi só um ‘plus’ e mesmo se melhor fosse a derrota viria, com variação de grau.
    Pela razão que não havia nunca comunicaçao que contrabalançasse o anti PT de 2016.

  • Que diferença faz você sendo financiado pelo PT ou o MBL sendo financiado pelo PSDB?
    Ou você não é financiado pelo PT e sim por pessoas “comuns” que desejam ver a opinião.
    Porque não pensar que acontece a mesma coisa com o MBL.
    O PT e PSDB ou qualquer outro partido pode e deve ter grupos de interesse dentro da sociedade não é imoral, não é ilegal.
    O que não é democrático é achar que você pode e outros não.
    Muito maniqueísmo.
    Vocês tem que entender que a politica “antiga” acabou, o populismo não vai ter voto (a não ser que a “Smartimatic” continue).

    • Oneide, deixe de ser cínico!

      Uma coisa é um site/blog ser financeiramente apoiado por um projeto de crowdfunding, por pessoas que, sendo petistas, comunistas, esquerdistas ou whatever (coloque nessa lista os seus “istas” preferidos) estão sendo voluntariamente impulsionadas a ajudar com grana do próprio bolso.

      Outra coisa completamente diferente, é a de políticos cascudos, institucionalmente vinculados à uma administração pública, utilizar de dinheiro público (através das verbas multimilionárias de “propaganda” para a mídia técnica) para promoverem a si mesmos e aos seus planos, através de um movimento nas redes e nas ruas.

      Se Dória (e algum site seu que fosse) estivesse sendo apoiado por qualquer grupo social, em termos políticos, de forma voluntária e rateada entre seus membros na sociedade civil, vá lá! Seria um direito dele como de qualquer outra figura pública que, supostamente levantam bandeiras e ideais nos espaços públicos e virtuais.

      Definitivamente, não é o que está acontecendo. E o senhor, tergiversa.

      • Porque você não acha que é assim que o MBL e “apoiado por um projeto de crowdfunding, por pessoas que, sendo direita, liberal, ou whatever (coloque nessa lista os seus “istas” preferidos)
        Leo nem imagina (creio) que quem financia a globo foi o PT com 7 bilhões nos 13 anos do seu governo.

        • Pois o MBL, que se diz pretensamente apartidário, não só foi financiado por partidos políticos em pleno processo de discussão do impeachment, bem como está sendo bancado desde 2016, por dinheiro público de verba de propaganda do Gov. Federal e Paulista. Como fins meramente de sua defesa política nas redes sociais.

          A maioria da verba publicitária liberada nos anos Petistas, para a grande mídia seguia o critério de mídia técnica, onde deviam massificar as campanhas INSTITUCIONAIS das principais estatais e seus respectivos Ministérios, para o conhecimento de ações públicas para a população.

          E já respodendo ao outro cidadão aí que comentou após: A CUT e o MST não só nunca se disseram apolíticos ou apartidários, como também, possuem seus próprios meios de financiamento (pelo imposto sindical, ou, pela contribuição dos assentados). Evidentemente que têm um vínculo político umbilical ao PT, do qual tiveram vários fundadores em comum. O que não significa que tenham recebido verba pública (proveniente do Tesouro), para que fizessem panfletagem deslavada.

          Se acompanhar por exemplo, a trajetória do Stédile, verá o quanto o mesmo batia noite e dia no fraco programa de reassentamentos durante o Gov. Dilma, bem como, de seu desmantelamento de parte do poder de coordenação do INCRA.

          • Sindicato que deveria defender os trabalhadores de forma geral nao pode ser politico…se um unico trabalhador que contribui nao for petista ele é ilegitimo…
            MST se financia com invasao e venda de lotes…ou seja o maior grileiro do pais…
            Ganharam mais de 1 bilhao e o pai dos pobres vetou sua fiscalizacao…
            http://www.google.com.br/amp/economia.estadao.com.br

            O que me diz do tamborin e da bolsada?

  • Isso era uma Crônica de uma Morte Anunciada.Só o povo paulistano “inocente”, para não dizer um palavra mais pesada, percebeu.No Estado de São Paulo, a maçonaria,grupos evangélicos e da igreja católica, outros conservadores da mídia, comandam o gado que lhes obedecem prontamente.Por isso, o PSDB comanda esse Estado a vinte anos.E a nossa esquerda, ainda não conseguiu um antídoto contra esse veneno.Até quando, hein…..

  • Dória e seus moleques. Malas sem alça que São Paulo, por mais reacionária que seja, não faz por merecer. A história os colocará nos seus devidos lugares.

  • Cada povo tem o Governo que merece. Os paulistanos ao votarem em massa no prefake, assumiram o risco de serem cobaias idiotizados da direita maldita representada pelo PSDB.
    Agora não adianta lastimar, vão ter que engolir o Doria (ana) por 3 anos ainda. Quando São Paulo tiver destruída, não adianta querer que consertem. Fodam-se.

Deixe uma resposta