Comandante de operação que matou indígena no MS é nomeado assessor no Ministério da Agricultura

Em maio de 2013, uma operação de reintegração de posse na fazenda Buriti, em Sidrolândia (MS), resultou na morte do indígena Oziel Gabriel, de 35 anos, atingido por balas 9mm disparadas pela Polícia Federal (PF). A ação também deixou outros 21 indígenas do povo Terena feridos. O delegado da PF Marcelo Alexandrino de Oliveira, que comandou a operação, foi nomeado nesta quarta-feira (27) assessor especial da Secretaria Especial de Assuntos Fundiários (SEAF) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O novo escândalo envolvendo Damares, ONG e sequestro de crianças indígenas

Em 2010, a vida de Arã, uma jovem indígena sateré-mawé, mudou radicalmente. Nascida em uma aldeia acessível apenas por vias fluviais, no coração da floresta amazônica, ela foi parar na chácara de uma ONG religiosa em Brasília, acompanhada de seus pais adotivos. Lá, a menina, então com 14 anos, buscaria tratamento para problemas mentais, mas acabou engravidando de um jovem de outra etnia que também havia ido parar ali. Arã queria que sua filha se chamasse Mariana, mas não teve a oportunidade de dar o nome à criança. Quatro dias após o parto, o bebê foi retirado de seus braços e entregue ao irmão e à cunhada de uma das dirigentes da ONG.