Reação ao golpe cresce, surpreende golpistas e pode virar o jogo

É surpreendente a reação ao golpismo que está ocorrendo pelo Brasil e pelo mundo. Artistas, intelectuais, políticos, movimentos sociais, partidos de esquerda, altas autoridades da República – inclusive do Supremo Tribunal Federal – se unem contra o golpe paraguaio que tentam dar no Brasil. As manifestações desta quinta, 31 de março, aniversário do golpe anterior, podem tornar impagável o preço do estupro da democracia brasileira.

Protestos de ricos contra petistas deixam pobres desconfiados

Matéria da rede pública de televisão alemã Deutche Welle (Onda Alemã) marcou um enorme tento ao expor a opinião daquela massa imensa de brasileiros que desde 2002 votou quatro vezes no PT, mas que parou de votar. DW explica por que só havia burguês nesses protestos e, mais ainda, por que a direita midiática tem que prender Lula a qualquer preço. É porque, solto, ele se elege presidente em 2018. Quem não leu essa matéria, tem que ler. Quem leu, tem que refletir sobre ela a partir da perspectiva proposta.

Protestos antipetistas foram inflados por crime de agentes públicos

Executivo, Judiciário e Ministério Público paulistas aliaram-se à Justiça Federal, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal para levarem fanáticos de ultradireita às ruas neste 13 de março, mesmo dia e mês do histórico comício antigolpista da Central do Brasil, há 52 anos. Pouco importa o tamanho dos atos deste domingo. Serão todos resultados de crime cometidos por agentes públicos como o do procurador da foto deste texto, que pediu a prisão de Lula e que costuma ir à avenida Paulista insultar Dilma e pedir golpe de Estado.

Protesto em velório de ex-presidente do PT decreta falência moral do país

Próximo do funeral do ex-presidente do PT José Eduardo Dutra, em Belo Horizonte, um carro passou rápido e jogou papéis criticando o PT; um dos panfletos diz ‘petista bom é petista morto’, e, em um outro, a frase ‘só faz cagada’ sobre foto de Dilma sentada em um vaso sanitário. A culpa, porém, não é dessa gente. É da sociedade brasileira.

Tucano que ameaçou Dilma é a cara dos protestos de hoje

O ex-candidato tucano a deputado federal Matheus Sathler Garcia, quem ameaçou a presidente da República de morte, foi apenado com medida cautelar da Justiça Federal para que use tornozeleira eletrônica neste 7 de setembro, não possa se aproximar das solenidades em Brasília e não saia da cidade. Porém, em novo vídeo, ele desafia a Justiça e faz novas ameaças. Confira a decisão judicial e as novas sandices dessa fidedigna mascote dos fascistas que saem as ruas hoje pregando golpe de Estado

Manifestações de 20/8 não são “governistas”, mas são de esquerda

A mídia corporativa e tucana agarrou-se a declarações do PSOL e do MTST no sentido de que as manifestações de movimentos sociais e sindicais de 20 de agosto não são “governistas” e “só” em defesa da democracia. O objetivo midiático é impedir que essas manifestações atenuem os delírios golpistas do PSDB, dela mesma (mídia) e de outros movimentos fascistas. Porém, apesar de não serem “manifestações governistas” elas são nitidamente de esquerda e mandam um importante recado ao conclave fascista. Um recado que certamente será entendido, que ninguém duvide.

Enquanto houver Marietas Severo, Faustões não passarão

Foi um domingo de efervescência política, mas, à diferença de outros domingos assim que o país tem vivido, o último teve oposição à intolerância, ao ódio e à estupidez. Se Faustão fez um discurso derrotista e paranoico, Marieta Severo contrapôs lucidez e esperança; se imbecis agrediram Guido Mantega, o restaurante os expulsou e um pensador escreveu uma bela reflexão que quase compensa aquela burrice; se um grupelho fascista quis melar a inauguração da ciclovia da avenida Paulista, uma maioria esmagadora tomou o local e fez uma festa justificada por bela matéria do Estadão.

Vire à esquerda, presidenta

É impossível contemporizar com aqueles que fizeram bonecos de pano simulando a presidente da República e seu antecessor e os penduraram pelos pescoços em viadutos, sugerindo linchamento físico de ambos. Só com quem Dilma pode dialogar é com os setores progressistas que a reelegeram e que, se voltarem para seu lado, permitirão que ela enfrente o golpismo e a sabotagem do país.

Não dá para chegar a um acordo sobre os protestos… Ou dá?

Vejam que esses grupos que protestaram contra a Copa incluíram na categoria “presos políticos” os que mataram o cinegrafista da TV Bandeirantes. Se for possível algum diálogo com essas lideranças, portanto, muito bem. Do contrário, paralelamente às tentativas de diálogo a polícia deve localizar os mentores intelectuais de tudo isso, que estão pouco se lixando para quem vai preso.