O limite da fé

Opinião do blog

Antes de tudo, quero esclarecer uma coisa: considero que devem ser respeitadas todas as posições das pessoas que lutaram pelo projeto político que venceu a eleição presidencial do ano passado, sejam elas contra ou a favor do que vai se tornando um divisor de águas da política nacional, o armistício da presidenta Dilma com a oposição e a mídia.

Devido ao meu ativismo político, muitos, erroneamente, consideram-me um radical – o que nunca fui. Radicalizei com a mídia, chegando a promover atos públicos e ações na Justiça contra ela, só depois de, por anos, ter tentado, vez após outra, dialogar com os que passaram os oito anos do governo Lula tentando sabotá-lo.

Não me verão, portanto, xingando companheiros de luta que não viram nada de mais na aproximação de Dilma com a oposição e a mídia, que culminou com a participação dela na festa de 80 anos da Folha. Até porque, essas pessoas podem estar certas e eu, que como tantos outros companheiros considero um escândalo o que está acontecendo, posso estar errado.

Todavia, não posso me furtar a dizer o que penso. Até porque, se for aceitar patrulhamento é melhor parar com o blog. No momento em que tiver que escrever aquilo em que não acredito terei me tornado igual àqueles que critico, os paus-mandados da imprensa assumidamente golpista.

Já provei, aqui, que posso ser convencido a mudar de opinião se me mostrarem que estou errado. Para isso, no entanto, preciso de argumentos. E os que tenho recebido a favor da presença de Dilma no dito “rega-bofe” do principal braço do PIG na imprensa escrita e da relação dela com o resto dessa imprensa, não me convenceram nem um pouco.

Dizem, por exemplo, que ir à festa da Folha ou ao programa das garotas-propaganda do Cansei Ana Maria Braga e Hebe Camargo seria “estratégia” de Dilma. Mas que estratégia é essa? Seria, dizem, para não fazer desfeita se recusando a prestigiar os convites. Então pergunto: como o governo Dilma irá propor uma “ley de medios” se não quer contrariar o PIG?

Outros dizem que Dilma foi à festa da Folha para dar um “tapa de luva de pelica” no PIG. Minha dúvida: se foi isso o que aconteceu, por que o jornal não foi ao ataque nos dias seguintes e, ao invés disso, vem aumentando a intensidade dos elogios à presidenta? Ou será que o Otavinho não entendeu o “tapa” que teria levado?

Outra comparação imprópria é sobre o início dos governos Lula e Dilma. Quando Lula assumiu a Presidência, em 2003, o país estava arrebentado. A inflação e o desemprego estavam em dois dígitos e havia uma fuga de capitais que se estendia desde o primeiro ano do segundo mandato de FHC. O ex-presidente não podia reagir à altura às acusações de que era ele o causador do desastre que herdou do antecessor.

Ainda assim, Lula dava as suas estocadas, como no caso da Herança Maldita ou sobre o que os seus antecessores deixaram de fazer. Pouco mais adiante, há alguns anos, em entrevista à revista Piauí desancou a mídia tucana dizendo que não a lia e que jamais precisara almoçar com donos de jornais.

Comparações entre a presença do ex-presidente no enterro de Roberto Marinho e a presença de Dilma na festa da Folha tampouco me parecem fazer sentido. Roberto Marinho faleceu no primeiro ano do primeiro mandato de Lula, em 2003, ano de “lua de mel” entre o ex-presidente  e a mídia. As relações com ela só se agravaram no início de 2005.

Dilma recebeu um país organizado, com um governo montado em uma popularidade estratosférica, com uma oposição desarticulada e com representação parlamentar muito menor, praticamente sem condições de enfrentar a base governista. Além do que, ela está no poder desde 2003, enquanto que Lula, naquele ano, mal chegara ao poder.

O que mais tenho ouvido e lido para explicar a postura da presidenta, repito, são os termos “acho”, “talvez”, “quem sabe”, “pode ser que” etc., no que diz respeito à razão pela qual não apenas foi à festança da Folha, mas para explicar outros fatos que sinalizam uma sua vontade de se “entender” com as forças do atraso neste país.

É possível conseguir suposições para qualquer coisa, nesta vida. Contudo, essas sobre os motivos da presidenta para, até agora, ter endurecido com aliados – sindicalistas e PMDB – e amolecido com adversários – oposição imprensa – não me convencem, até porque são meras especulações contra fatos concretos.

Quero muito que o governo Dilma dê certo, mas quero deixar claro que não apoiei as idéias de Lula ou a candidatura de Dilma por causa do ex-presidente. Apoiei o ex-presidente e a candidata que escolheu pelas idéias dele e pelo governo que fez. Ou seja, eu jamais apoiaria um político sem saber por que estou apoiando, e é isso o que estou vendo acontecer com algumas pessoas respeitáveis.

Uma coisa posso garantir: do lado em que estiver o PIG, não fico nem que a vaca tussa. Se o governo de Dilma se tornar o queridinho da imprensa golpista assim como foi o de FHC, vou para a oposição. Porque essa imprensa é a causa e o efeito de tudo que há de ruim neste país e representa as oligarquias podres que tornaram o Brasil um dos campeões de injustiça social.

Neste momento, dois textos da mídia resumem o clima político que vai se formando. O primeiro, é de Leonardo Attuch, da revista IstoÉ, citado recentemente neste blog. O segundo, é uma reportagem do jornal O Globo sobre o derretimento do apoio dos movimentos sociais a Dilma, com o desânimo até da CUT, aliada desde sempre ao PT.

Leiam, abaixo, os textos. Depois continuo comentando.

—–

Dilma e FHC, tudo a ver

Leonardo Attuch, IstoÉ

Brotou uma faísca entre os dois que pode reaproximar PT e PSDB. Seria bom para o País

Pintou um clima. Ela gosta dele, ele gosta dela. A cena se deu na Sala São Paulo, na festa de 90 anos do jornal “Folha de São Paulo”.

Do encontro entre Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso, brotou aquela faísca que alguns especialistas definem como  paixão. Sorrisos furtivos, coração acelerado e promessas de encontros futuros.

FHC sugeriu levar a Brasília, ao Palácio do Planalto, um grupo de velhinhos, conhecido como The Elders, que, além dele, inclui outros líderes políticos, como Nelson Mandela, Jimmy Carter e Felipe Gonzalez.  Dilma retrucou de imediato: “Vá também sozinho.”

Nos últimos anos, FHC sempre reclamou pelos cantos do seu sucessor, dizendo que, nesse tempo todo, Lula nunca o convidou para tomar um café no Palácio do Planalto. E Lula vivia dizendo a interlocutores que FHC não era confiável. Apostava no seu fracasso para que um dia voltasse ao poder, carregado nos braços do povo.

Essa relação tensa entre os dois determinou o distanciamento progressivo entre PT e PSDB, partidos que estiveram juntos em diversos momentos históricos, mas que migraram para polos opostos. Mas que antagonismo é esse? Tanto PT quanto PSDB ocupam o campo ideológico da social-democracia. Ambos têm, entre seus fundadores, pessoas que lutaram contra a ditadura. No poder, lançaram mão de políticas sociais compensatórias.

Acertaram de maneiras parecidas, assumindo compromissos com a estabilidade, e também erraram de modo semelhante – quase sempre, escolhendo vencedores na economia. Na prática, os petistas deveriam ter mais afinidades com os tucanos do que com as velhas e novas oligarquias do PMDB. Assim como o PSDB deveria estar mais próximo do PT do que do DEM.

Essa aproximação seria benéfica para o País e tem defensores no núcleo duro do governo Dilma. Um deles, o ministro Antônio Palocci, da Casa Civil, que sempre reconheceu méritos no governo FHC.

Ao mesmo tempo, boa parte do PSDB – José Serra talvez seja a única exceção – gostaria de aderir a um governo que deve passar quatro anos com crescimento próximo a 5%. No fim, pode ser bom também para os dois.

A presidenta Dilma, mulher livre, carrega, com todo o respeito, um quê de Ruth Cardoso. E FHC, viúvo boa-pinta, que também anda com saudades da piscina aquecida do Palácio da Alvorada, daria um ótimo primeiro-marido. Só vai ser difícil administrar as crises de ciúme de Lula.

—–

Esquerda petista critica ajuste e juros altos

Silvia Amorim, O Globo

O descontentamento de setores do PT e entidades historicamente ligadas ao partido com o início do governo da presidente Dilma Rousseff começa a sair dos bastidores e pautar o discurso da militância mais à esquerda.

O foco de insatisfação é a área econômica, precisamente o corte de gastos para 2011 e a previsão de alta dos juros.

A Coordenação dos Movimentos Sociais, ligada à Central Única dos Trabalhadores, aprovou documento em que diz que as ações adotadas nos dois meses de governo “seguem num caminho diferente do apontado pelas urnas” e promete uma “jornada unificada de lutas” no primeiro semestre, em defesa de mudanças na política econômica.

Trechos do documento estavam até ontem no site da CUT. “As ações implantadas nesse início de mandato pela equipe econômica sob justificativas do controle da inflação e das contas públicas seguem num caminho diferente do apontado pelas urnas e reproduzem a pauta imposta pelos interesses do setor financeiro, sustentadas no Banco Central”, diz o texto, que ataca “o aumento dos juros, o congelamento das contratações públicas, o contingenciamento de R$ 50 bilhões e o pouco diálogo no debate sobre o reajuste do salário mínimo”.

Cerca de 80 dirigentes de entidades sindicais de 11 estados participaram do encontro. O presidente da CUT, Artur Henrique, classificou como retrocesso o corte de R$ 50 bilhões.

—–

Sobre a previsão do presidente da CUT de que a “lua de mel” de Dilma com a mídia durará apenas seis meses, talvez ele esteja enganado. Pode durar muito mais. Para isso, basta que ela não contrarie o PIG. Mas como promover a distribuição de renda que os patrões do mesmo PIG rejeitam sem contrariá-los? Só aderindo aos seus desejos…

Tudo se resume a uma questão de fé, pois é a mais pura fé no intangível o que tem sido dado como argumento para justificar essa aproximação do governo Dilma com a direita golpista. “Acho”, “talvez”, “quem sabe”, “pode ser”… É fé, não é razão.

A fé é ilimitada, ou não é fé. Acreditar no intangível quando os fatos mostram o contrário, é fé, messianismo. Se essa crença tiver algum limite, aí deixa de ser fé e passa a ser confiança.

Que alguns tenham confiança maior do que a minha, acho perfeitamente justificável – mesmo sendo eu o blogueiro que tantos, durante os últimos anos, disseram que era mais petista do que qualquer filiado de carteirinha ao PT.

Então, qual é o limite da sua fé? Você aceitaria, por exemplo, que o governo Dilma desistisse da “ley de médios”? Sim, porque se não dá para a presidenta rejeitar convite para participar da festa decenal da Folha para “não parecer vingativa”, como ela fará para propor uma lei que essa mesma mídia não aceita sequer analisar?

235 comments

  • Estou certo de que Dilma cumprirá suas promessas de campanha, da banda larga ao PNDH-3 passando pela democratização da mídia, que é um assunto espinhoso, em 8 anos Lula não conseguiu, pq Dilma teria que conseguir às custas de um decreto, a toque de caixa, só mesmo às custas de muita pressão da sociedade, via Congresso Nacional

    Quanto a este medo de Dilma venha a trair seus eleitores, é bom que se saiba que nenhum presidente ou governador de Estado ou prefeito, etc, teve ascendência sobre o PT, embora os governos sejam independentes em relação ao partido, ainda mais Dilma, que foi eleita por uma coalizão que englobou o centro

    Não é questão de ter fé mas de ser ser realista, o importante é que apoiemos a presidente(a), sim, criticando mas sem exagerar nas nossas análises, depositemos nossa confiança, só posso dizer que ela deu um passo errado daqui a 2 anos, ao olhar para trás e ver que Dilma não cumpriu nada o que poderia cumprir, segue link para artigo sobre a Comissão da Verdade, que Dilma quer ver implantada ainda neste ano

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-comissao-da-verdade-em-2011

      • Edu, minha resposta é não, pois não acredito que isso venha ocorrer, não podemos quebrar esta relação de confiança que temos com a presidente(a), você em especial, um dos primeiros a serem linkados no twitter quando da campanha, claro que não podemos querer que todas as metas sejam atingindas, pois há outras forças, a sociedade não está tão mobilizada em torno do assunto, pois o que vi mesmo na época da campanha foi muita gente repetindo o discurso do PIG “ah a Dilma fai censurar a imprensa”

        Faço minha as palavras do Sergio Leo:

        A regulação da mídia sem histeria

        Do Valor

        Regulação da mídia nos planos do governo

        Sergio Leo
        28/02/2011

        O projeto de regulação dos meios de radiodifusão está longe de ser arquivado pelo governo, como se chegou a especular com a chegada de Dilma Rousseff à presidência. Auxiliares da presidente acreditam que o projeto despertou grande polêmica por ter sido apontado como um primeiro passo para um controle governamental sobre os meios de comunicação de massa, e que o momento eleitoral não foi bom para o debate sobre a proposta. O governo aguarda o melhor momento para apresentar as novas normas, aplicáveis à radiodifusão, a serem discutidas com os interessados.

        Engana-se, portanto, quem vê nas declarações de autoridades do atual governo uma rejeição à ideia de regulação apresentada no ano passado pelo então ministro da Comunicação Social, Franklin Martins. Quando o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, avisa, como fez na semana passada, que fará um “pente fino” para eliminar possíveis “besteiras” no projeto deixado por Franklin, e que poderá desmembrá-lo em mais de uma proposta a ser encaminhada ao Congresso está demonstrando, na verdade, o forte interesse do governo em ver aprovada a proposta, depois de removidos os principais obstáculos políticos à sua tramitação no parlamento.

        Segue link para leitura na íntegra

        http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-regulacao-da-midia-sem-histeria

        • Zé Carlos, então vamos deixar claro: você não aceitará, por exemplo, que o governo Dilma retroceda na “ley de medios”. É só isso o que quero saber. Porque não pretendo tomar nenhuma decisão já. Vou esperar. E cobrar.

          • Pois é, Edu.
            Mas esperar quanto?
            Votei na Dilma porque era PT, a “Mãe do PAC” e aceitando o argumento de autoridade do Lula dizendo que ela era a continuação.
            Bom, já levamos umas pauladas nesses dois meses. Quanto mais aguentaremos sem perder as esperanças?
            Até quando suportaremos o desalento?
            Vejo pessoas aqui que parecem ter um (desculpe a expressão) saco de ouro e estão firmemente decididos a aguentar o rojão até limites extremos. A meu ver somente por questão de fé que você apontou.
            Pela “vontade de crer”. Torço para que estejam certos e eu errado.
            Que me chamem de roedor de corda (já me chamaram), de boca do inferno (já me chamaram), de pessimista (já me chamaram) e até de idiota imediatista (já me chamaram). Continuo desalentado e com sentimento de ter sido traído.

            Em tempo:
            Talvez seja melhor você explicar esse “Se o governo Dilma…vou para a oposição” aí de cima. Pode haver gente suficientemente estúpida para acreditar que você irá abraçar o Çerra, ou suficientemente canalha para tomar a frase aos pedaços e postá-la em algum lugar comentando que “…o Edu já desistiu”.
            Forte abraço.

          • Esse debate já era. É perda de tempo. Está todo mundo decidido. Não há mais o que debater. Agora é esperar e ver os próximos movimentos. Se informações que tenho se confirmarem, haverá uma legião de pessoas desorientadas. Não vai demorar. E não posso dizer nada porque não tenho certeza. O melhor, agora, é evitar a guerra que se estabeleceu entre conformados e inconformados. A esquerda está se enfraquecendo a cada dia, ao se dividir. Estou arrependido de tentar explicar. Meu texto nem está sendo lido. Já percebi que muitos estão comentando sem ler.

          • Caro, simpatizo muito com a presidente e respeito a sua história, mas relação do cidadão com o poder é outra coisa. Exijo o cumprimento das promessas e do rumo do presidente Lula.

          • Rumo do presidente Lula. Houve uma leve mudança na área econômica para conter gastos, no próximo ano está previsto salário acima de 600, Lei de Médios sendo debatida, banda larga sendo implantada, a mesma politica de Lula para educação, área social…

            Onde está o descumprimento de promessas, Edu.

            Este colunista da Isto É, um velho pigueiro, está apenas querendo provocar ciumes e, assim, dividir

            Pelo jeito, está conseguindo

            Eu pessoalmente sou crítico, não sou da linha fé cega, mas somente daqui a 2 anos, ao olhar para trás e ver que de fato as promessas não foram cumpridas, que o “Rumo Lula” foi alterado no sentido de prejudicar a população, ai sim, darei descerei a lenha, por enquanto é cedo

      • Edu e Avatar ex-Zé Carlos(brincadeira com o ex-Campineiro), permitam-me meter o pedelho nessa questão. Eu acho que você, Edu, está muito 8 ou 800. Não acredito que ela vá “deletar’ a lei de medios, mas pressinto que ficará aquém do que se deseja.
        Haverão concessões ao pig. Para mim é inevitável. Se não houver ficarei positavamente surpreso. É isso que sinaliza o Paulo Bernardo quando diz que primeiro haverá um amplo debate na sociedade. O pig será ouvido, como todos os envolvidos com o tema. Resta saber se o pig fará concessões também. Nesse sentido os espíritos desarmados ajudam.
        Para resumir diria que quando a criança, a proposta do governo para lei de medios, nascer, (se não for abortada), cada um que decida se ela é satisfatória ou não, adotando-a ou não
        Lembrando que é preciso ter um pouco de flexibilidade, já que a proposta pode também não ser o ideal para o governo que leva em consideração sua aprovação pelo congresso.
        Mas uma coisa é certa, o governo dará ouvidos aos blogueiros progressitas, como o Edu. Senão der, aí sim, será uma grande decepção

        • Juliano, 8 ou 800 estamos eu, os movimentos sociais (incluindo a CUT) e praticamente todos os blogueiros que, comigo, formam o time que tanto lutou para eleger Dilma. Vá ao blog do Miro (Altamiro Borges). Tem um artigo lá que explica meu ponto de vista por outro ângulo. Aliás, estive no sindicato dos bancários no sábado participando de um evento e só vi desalento. Mas respeito a sua opinião, feita com evidente boa fé.

          • Tenho muito contato com a CUT. Estive com eles no sábado. Você não faz idéia de como reina o desalento nos movimentos sociais. Com Lula jamais houve clima igual.

          • Esperar 1 ano Avatar???? O país não pode esperar tanto por projetos que eram para ontem! Ano que vem tem novamente eleições e vamos ver novamente a lenga lenga de governabilidade da qui, esperar um pouquinho mais para manter a base unida dalí, depois das eleições tudo vai dar certo por que o PSDB não vai atrapalhar, não podemos correr o risco de perder cidades importantes de cá e principalmente o discurso de que “nesse momento o projeto Lula precisa de nós”.

            Pelo amor de Deus né???? Recursos cortados do orçamento, inflação mordendo especialmente os mais pobres nas passagens de ônibus e alimentos, selic com previsão de aumento, salário mínimo demorando 12 meses para ganho real (mais pobres novamente tomando no **) e aproximação com o PIG.

            Tem coisas ditas contra as centrais sindicais que deixaram mais prejuízos nas relações do que durante os 8 anos de governo Lula. O país não é Dilma. Se chama Brasil e não pode esperar 1 ano!

  • Eduardo, hoje saiu artigo no Valor, de autoria do jornalista Sergio Leo, que tem muitas informações sobre o clima político de Brasília, cidade onde reside, e que tem a ver com o assunto da sua postagem.

    Colo aqui apenas o início do artigo, mas acho que vale conferí-lo por inteiro. Ele traz informações interessantes.

    “O projeto de regulação dos meios de radiodifusão está longe de ser arquivado pelo governo, como se chegou a especular com a chegada de Dilma Rousseff à presidência. Auxiliares da presidente acreditam que o projeto despertou grande polêmica por ter sido apontado como um primeiro passo para um controle governamental sobre os meios de comunicação de massa, e que o momento eleitoral não foi bom para o debate sobre a proposta. O governo aguarda o melhor momento para apresentar as novas normas, aplicáveis à radiodifusão, a serem discutidas com os interessados.
    Engana-se, portanto, quem vê nas declarações de autoridades do atual governo uma rejeição à ideia de regulação apresentada no ano passado pelo então ministro da Comunicação Social, Franklin Martins. Quando o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, avisa, como fez na semana passada, que fará um “pente fino” para eliminar possíveis “besteiras” no projeto deixado por Franklin, e que poderá desmembrá-lo em mais de uma proposta a ser encaminhada ao Congresso está demonstrando, na verdade, o forte interesse do governo em ver aprovada a proposta, depois de removidos os principais obstáculos políticos à sua tramitação no parlamento.”

      • Edu, reitero a minha posição, mas de maneira sintética. E respondendo a pergunta com outra pergunta: Partindo do pressuposto que ela será “desfigurada’, até que ponto essa “desfiguração” é aceitável para que se possa continuar chamando-a de democratizadora?

        • Propriedade cruzada, por exemplo. Em nenhum país civilizado ela é aceita. Falava disso no sábado com o prof. Marcos Dantas, da UFRJ: a Globo, como ela é, não poderia existir nos EUA, na Alemanha, na Inglaterra, na França, na Dinamarca, na Bélgica e nem na Argentina. Mas há muito mais. Sem pressão, dizendo amém pra tudo, este governo se tornará o de Serra, não continuação do de Lula

          • Impossivel. Serra nao teria um governo tao aparelhado e estatizante. Infelizmente nao teremos a competencia administrativa como uma das qualidades desse governo.

  • Após a vitória de Dilma, fui interpelado por dois sobrinhos – um garoto de 14 anos e uma garota de 13 – sobre como eu gostava da Dilma, colocando um monte de qualificações subjetivas contra ela. Expliquei ela fora ministra, e que não podíamos náo gostar dela baseado em fofocas. Então, se ela não for a esses locais, vai apenas fortalecer a ideia que fizeram dela, como se ela fosse incapaz de falar sobre cor de batom na Hebe, por exemplo.
    É fundamental que a presidente mostre que não mata criancinhas. E penso que Dilma Roussef, uma mulher sem muita vaidade, não é nenhuma garota ingênua.
    é algo assim: venderam a idéia dela de despreparada e poste e agora , ela é super.
    Vendemos a idéia de preparada e guerreira e agora, ingênua.

    Não é legal aceitarmos as provocações infantis do Leonardo Attuch, que precisar urgentemente defender o Daniel Dantas. Precisamos é ficar de olho na justiça, em relação ao Attuch e seu cliente (ou ex-) DD.

  • É impressionante como no mundo da politica se justificam toda sorte de falta de respeito ao eleitorado, toda sorte de indignidade com relação as proprias afirmações, toda sorte de falsidade e falta de ética.
    Se politica for para ser esse mundo podre, então o ser humano, aquele que acredita em dignidade humana está fadado a extinção.

  • Você aceitaria, por exemplo, que o governo Dilma desistisse da “ley de médios”?

    A pergunta não ficou muito clara, mas eu NÃO ACEITARIA que o GF desistisse da Lei dos Meios de Comunicação, porém não posso garantir que o Executivo fará essa lei aprovando itens que desagradam as oligarquias, como ocorreu no caso do PNDH-3 ( que nem lei era e causou um desgaste tremendo).

    Aprovar essa lei vai ser tão difícil quanto transformar o crime de corrupção em crime hediondo. Penso que a questão da “Ley de Medios” está muito nas costas do Executivo. A sociedade em peso deveria estar participando desse debate. Edu, a comunicação é um problema crônico do Governo Federal, mesmo com duas tvs públicas à disposição. O Governo não consegue dar uma pronta resposta às mentiras da mídia.

    • Jorge, não sei que parte da pergunta você não entendeu. A sociedade civil compareceu em peso à Conferência Nacional de Comunicação, na qual fui delegado por São Paulo. A sociedade só poderá apoiar a lei se Dilma a enviar ao Congresso. Entendo, portanto, que se o governo não enviar essa lei, você não aceitará. É isso?

      • Agora entendi como funciona a coisa, Edu: primeiro o Governo envia a Lei, depois a sociedade a apóia. Como eu disse antes, eu não aceitaria de forma alguma que o governo desistisse desse passo tão importante para nossa democracia.

        Tenho certeza que o Governo vai enviar a lei, mas não creio que essa lei possa ser aprovada com temas polêmicos como questão da propriedade cruzada (questão de fé 1). Peço a Deus que eu esteja enganado (questão de fé 2). A conferir.

          • Edu, estou estranhando sua atitude, acho q vc sempre foi ponderado, porem nesse artigo está mais apressado, Acho que essa questao da lei da midia é bem complexa, como um jogo de xadrez, que nao dá para ir direto pegar o rei. Se quisermos conseguir isso temos que ir por etapas, e as vezes perder batalhas para ganhar a guerra. Estranho, pq vc sempre nos falou isso e agora parece que está querendo que se resolva em uma tacada? Calma amigo, estamos juntos nessa e acho q ninguem vai se conformar em ficar nesse monopolio de imprensa.

          • Marcelo, todo mundo que não apenas aceitou mas até elogiou a Folha para justificar a presença de Dilma lá está no meio do caminho para virar entusiasta do PIG, caso a presidenta se aproxime dele ainda mais. Aliás, peço que releia o texto. Coloco tudo no condicional, avento a possibilidade de estar enganado…Além disso, se Dilma não aproveitar o início de mandato para propor a lei da mídia, não fará mais. Vamos aprovar uma lei – que sequer sabemos se será mesmo enviada – sem o veto à propriedade cruzada? Será como jabuticaba, só existirá no Brasil permissão para uma organização como a Globo, que jamais seria permitida nos EUA. Se ficarmos dizendo amém pra tudo que o governo faz, logo, logo estaremos assinando a Folha.

          • entendo, porem acho q a questao da banda larga, por exemplo, é um pre-requisito para a lei da midia, pois na internet estamos todos numa mesma plataforma, é mais facil lutarmos em igualdade de condicoes, que na midia, onde só quem tem dinheiro consegue colocar suas ideias. veja por exemplo a secao de notas da folha, só quem é assinante q consegue postar. é como pedir a palmeirenses q dêm opiniao sobre o Palmeiras, por exemplo.

          • acho q alguns companheiros estao subestimando o poder da velha midia vigente. nao é simplesmente colocar uma lei, tem q preparar muita coisa para dar certo. E colocar uma lei sem essa preparacao pode queima-la, ja vimos isso milhares de vezes.

          • Edu, basta sair nas ruas e perguntar se as pessoas apoiam uma lei de midia. Estou estranhando pq vc sempre escreveu da enorme diferença entre o q pensa a populacao e o que acontece realmente…Hoje grande parte da populacao está doutrinada pela ‘midia’ a achar que a lei da midia é censura da imprensa, é preciso conscientizar essa massa, senao em duas linhas a midia fala q estao querendo censurá-la e um abraço para a lei da midia. nao estou entendendo porque estao achando tao facil aprovar essa lei.

          • Dilma tem um apoio estrondoso no Congresso. Nem FHC teve igual. Além disso, só no PSDB, no PFL e no PPS é que pode haver resistência, e não cem por cento. Até a direita já percebeu que a mídia tenta se colocar acima até do Estado.

          • A base de Dilma no Congresso é avassaladora. O PMDB praticamente em peso deve apoiar, depois do que a mídia fez com ele. Os partidos da base estão putos com o PIG. Ela vêm tratando todos como bandidos e oportunistas. Passa fácil.

  • Eduardo, você precisa corrigir a segunda linha do terceiro parágrafo. Está: “…na festa de 80 anos da folha…”, quando na verdade são 90.

    Concordo com você. Até o momento é bastante decepcionante, e ainda não formei uma opinião definitiva. Agora, lembremos que esta estratégia foi adotada pelo fernando Pimentel em MG. Qual a sua opinião sobre isso? Não estaria ele por trás dessa aproximação com o PSDB?

  • Não ,eu não aceitaria .Se a Dilma mudar de lado ,eu fui enganada e quero meu voto de volta.Poderia ter uma lei que quando enganados nas eleições,quando o candidato não cumprisse nada que prometeu,ou mudou de ideologia ao ser eleito,o eleitor q se sentisse ludibriado,enganado poderia pedir seu voto de volta.
    Dilma, e a “Ley de Médios”???

  • Eduardo, respondendo a sua pergunta: não, não gostaria que isso acontecesse.

    Mas até agora não há nenhuma evidência de que isso acontecerá. Sendo assim, não vejo porque não dar um crédito a Dilma, que tem uma história respeitável de lutas na esquerda brasileira.

    Meu ponto é apenas esse.

    • Claudio, não gostar que acontecesse é diferente de não aceitar. E Dilma tem meu voto de confiança, claro. Mas esse voto tem prazo de validade e não me impedirá de fazer críticas pontuais e construtivas. Quero entender, no entanto, que você não aceitará

  • Edcuardo, em minha postagem anterior manifestei minha insatisfação e estupefação com os rumos do governo Dilma. Agora respondendo a sua pergunda. Eu ficaria indignado, com o que seria uma indignidade desse governo, indignidade por que depois de tudo que houve nesta eleição que, segundo alguns conhecedores do metier, foi uma das mais baixas em nivel de atuação das corporações midiaticas tradicionais, depois de tudo que fizemos para que este governo iniciasse um processo de modernização da sociedade, de forma a trazer algum equilibrio nessa balança que pesa escancaradamente para o lado dos poderosos. Seria uma verdadeira traição aos interesses populares.
    Espero que este governo não haja como os conquistadores que apareciam com apitos e espelhos, enquanto solapavam a dignidade das diversas etnias levando-as a extinção.
    Me refiro a extinção do respeito e da fé.

  • Pra mim Edu o que está pra acontecer é como esse conto:

    O sapo e o escorpião

    Certa vez, após uma enchente, um escorpião, querendo passar ao outro lado do rio, aproximou-se de um sapo que estava à beira e fez-lhe um pedido:

    “Sapinho, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?”
    O sapo respondeu:

    “Só se eu fosse tolo! Você vai me picar , eu vou ficar paralisado e vou morrer.”
    Retrucou o escorpião, dizendo:

    “Isso é ridículo! Eu não pagaria o bem com o mal.”

    E o sapo sempre se negando a levá-lo. E tanto insistiu o escorpião que o sapo, de boa-fé, confiando na lógica do aracnídeo peçonhento, concordou. Levou o escorpião nas costas, enquanto nadava para atravessar o rio. No meio do rio, o escorpião cravou seu ferrão no sapo.

    Atingido pelo veneno, já chegando à margem do rio, moribundo, o sapo voltou-se para o escorpião e perguntou:

    “Por quê? Por quê essa maldade ? Por que você fez isso, escorpião ?”

    E o escorpião respondeu:
    “Não sei… Não sei mesmo !!! Talvez porque eu seja um escorpião e essa é a minha natureza…”

  • Lá vou eu de novo
    Um tanto assustado
    Com Ali-Baba
    E os quarenta ladrões
    Já não querem nada
    Com a pátria amada
    E cada dia mais
    Enchendo os meus botões…

    Lá vou eu de novo
    Brasileiro, brasileiro nato
    Se eu não morro eu mato
    Essa desnutrição
    Minha teimosia
    Braba de guerreiro
    É que me faz o primeiro
    Dessa procissão…

    Fecha a porta! Abre a porta!
    Abre-te Sésamo
    Fecha a Porta! Abre a porta!
    Eu disse:
    Abre-te Sésamo…

    Isso aí!
    E vamos nós de novo
    Vamo na gangorra
    No meio da zorra desse
    Desse vai-e-vem
    É tudo mentira
    Quem vai nessa pira
    Atrás do tesouro
    De Ali-bem-bem…

    É que lá vou eu de novo
    Brasileiro nato
    Se eu não morro eu mato
    Essa desnutrição
    A minha teimosia
    Braba de guerreiro
    É que me faz o primeiro
    Dessa procissão…

    Fecha a Porta! Abre a porta!
    Abre-te Sésamo
    Fecha a Porta! Abre a porta!
    Abre-te Sésamo
    Fecha a Porta! Abre a porta!
    Eu disse:
    Abre-te Sésamo
    Hêêêêi!
    Abre a porta!
    Eu disse:
    Abre-te Sésamo…

    Abre-te Sesamo
    Composição: Raul Seixas/Cláudio Roberto

  • Caro Eduardo, não aceitarei ver traído o meu voto de confiança na continuidade de um Governo Popular. A Lei de Mídia tornou-se urgente a partir da recente campanha eleitoral onde fomos bombardeados pelas prublicações falsas, desrespeitosas e caluniosas, das “Famíglias donas da imprensa do Brasil”. Creio que seja mais que hora do Governo Dilma enviar a Lei de Mídia para votação e responder em mesmo tom às falácias do PIG. Não aceito, por exemplo, o corpo mole do atual ministro das comunicações desdenhando do projeto revolucionário do ministro Franklin Martins. Tenho Esperança no governo da Presidenta Dilma, mas essa equipe ministerial não transmite confiança. *Em tempo: os familiares daqui ficaram muito felizes sobre o novo decolar da grande Victoria. Saúde a todos.

  • ” Então, qual é o limite da sua fé? Você aceitaria, por exemplo, que o governo Dilma desistisse da “ley de médios”? Sim, porque se não dá para a presidenta rejeitar convite para participar da festa decenal da Folha para “não parecer vingativa”, como ela fará para propor uma lei que essa mesma mídia não aceita sequer analisar?”

    A minha resposta é não. Em hipótese alguma. E falo isso não apenas com base nos oito anos de governo Lula. Falo me atendo aos acontecimentos históricos que foram sustentados por essa mesma mídia, essa mesma impresa.

    Um presidente cometeu suicídio. Outro foi deposto. E mais recentemente um foi chamado de “estuprador”. Estou falando dos três mais importantes presidentes trabalhistas que o Brasil já teve.

    Outro ponto que me faz ir contra quem não apoia uma lei dos meios de comunicação é o processo constante, contínuo de despolitização por que passa a população brasileira. Processo esse que se fortalece com a dupla educação de pouca qualidade + mídia manipuladora e mentirosa. Cabeça vazia é oficina do que, hein ?

    Não consigo ficar com quem está do lado dessa impresa irresponsável e nem um pouco nacionalista. E não vou rasgar o que acredito apenas para não ouvir críticas. Nesse processo, se eu esquecer o acredito e sempre defendi, terei perdido a mim mesma. Pode parecer exagero, mas 10 minutos por dia lendo a história desse país não permite outra reação.

  • Dilma alinha-se à pior imprensa, da raivosamente anti-Lula Folha se S. Paulo à malufista Hebe Camargo, como parte de uma estratégia de conquistar a classe média conservadora.

    Além disso, adotou uma política econômica desnecessáriamente ortodoxa, quando poderia limitar-se a recalibrar o neokeyseanismo do segundo governo Lula, utilizando-se inclusive da posição privilegiada do Brasil junto a órgãos como o FMI e o Banco Mundial para barganhar e alongar o perfil da dívida recente.

    Tal política econômica, somada ao congelamento de concursos e de contratações e do menosprezo total às reivindicações sindicais, dá mostras de que Dilma quer retransferir ao mercado o poder decisório que Lula trouxera de volta ao Estado.

    É o pior dos mundos e uma traição ao que foi prometido na campanha.

    Respondendo a sua pergunta, Eduardo: o limite de minha fé já foi ultrapassado.

  • Creio que não caiu a ficha ainda dos esquerdistas, Lula e Dilma e PT nunca tiveram ideologia na verdade poucos na política têm, para o PT ideologia só tem sentido para a tomada de poder.
    Aqueles que acreditaram idealisticamente na beleza do socialismo, no governo popular e se iludiram com os discursos políticos populista agora entendam o “esquema”.
    ……………
    Acabou a eleição seus serviços não são mais necessários.
    ………..
    O PT vai acabar com qualquer que tente tira-los do poder inclusive a própria esquerda será vitima disso. A ley dos médios é apenas uma forma de intimidação.Se os sindicatos levantarem a voz perde a contribuição, e assim por diante, cada setor que for contra o governo terá uma punição.
    ……..
    Os idiotas úteis não aprendem mesmo.

  • Se a Ley de Medios for esquecida, vou sentir a mesma decepção que senti quando Lula abaixou a cabeça para todas as sacanagens promovidas por Daniel Dantas, Gilmar Mendes e seu asseclas!!!

    Não tenho “fé” religiosa em nenhuma corrente política, não acredito que pessoas são incorruptíveis/imutáveis, nem que a política seja algo executado seguindo regras lógicas ou com precisão matemática.

    Portanto, apesar da decepção que descrevi no primeiro parágrafo, no fundo eu entendo a possibilidade da Ley de Medios ser engavetada e o motivo por trás desse possível engavetamento:

    Presidentes de correntes políticas diferentes, mas o poder financeiro e midiático continua nas mãos dos mesmos! Os progressistas têm os cargos principais, mas não possuem os meios para exercer o poder de fato!

    E eu sinto que há um medo nos partidos progressistas, medo de que a direita e a elite financeira façam as coisas desandarem do mesmo jeito que ocorreu em 1964. Sinceramente, acho que eles temem que ocorra o mesmo que aconteceu naquela época: revolução, supressão de liberdades… e a grande maioria não reagiu; uma parcela da população, feita de intelectuais e estudantes com acesso à informação se revoltaram (e hoje chegaram ao poder), mas a grande massa, sem acesso à informação e educação, simplesmente ignorou o que acontecia. Levantaram a cabeça pelo barulho que ouviram, mas logo em seguida voltaram ao trabalho…

    Eu acho que, apesar da aprovação recorde de Lula, o grosso da população não iria às ruas, nem chegaria ao ponto de arriscar o pouquíssimo que possuem por um ideal, mesmo que este seja benéfico para si e para os seus… do mesmo jeito que em 1964, infelizmente…

  • Eu não aceitaria uma situação onde não fosse enviada a proposta de Lei de Meios. Mais do que isto, não aceitaria uma lei que fosse aprovada e que não viesse a incorporar aquilo que é já de consenso em países ditos de “primeiro mundo”, estes que sempre foram exemplos de “democracia” para as mídias PIG.

    Se a lei não vier nos modos como vejo, do mesmo modo que ajudei e ajudo formar opinião, também agirei de modo a retirar do PT e seus apoiadores, os ganhos até agora alcançados.

    Se eles quiserem dividir o cocho entre eles, bom é que saibam que aqueles que enchem o cocho é a população com o apoio do voto. A sociedade deseja um país onde existe respeito às leis e, qualquer forma de discriminação, não devera ser aceita.

  • 1º – Para mim, o Eduardo é um dos melhores analistas que existem na internet. Não o considero um radical, no sentido de ser intolerante.

    2º – Para que Dilma fizeram campanha? Para a Dilma real ou para uma Dilma imaginária? Explico: a Dilma real nunca atacou o PIG. Lembro que o Nablat fazia uma campanha selvagem contra ela, uma campanha de destruição, pois bem, no aniversário do blog dele Dilma o enviou uma mensagem, dizendo que lia o blog e que respeitava quem pensava diferente que ela. Esta é a Dilma real. Isto foi antes da campanha, Dilma não mudou.

    Dilma foi nos programas populares quando era candidata, agora como presidenta não deve mais ir? Dilma não mudou.

    3º – A política econômica de Dilma segue a mesma de Lula, apenas está numa fase de ajuste. Quem foi que estabeleceu o salário em 545? Lula. Dilma não mudou.

    4º – Se Dilma não mudou, quem mudou? Ou melhor, quem pensou que ela mudaria?

    O que está de fato acontecendo é que querem que Dilma mude, Dilma não mudou, ela é a mesma de antes, querem que ela mude. Durante toda a campanha e antes dela Dilma disse as mesmas coisas que está dizendo agora, será que não viram? Ou estavam vendo miragens?

    5º – Tenho certeza de que Dilma vai cumprir o que prometeu (o que ela realmente prometeu), o que ela não prometeu, não precisa cumprir. Tenho visto isto em todos os governos do PT, radicais querem que os governos façam o que não prometeram fazer, ou seja, querem que fraudem a vontade popular que os levou a se eleger.

    6º – Fico impressionado como subestimam Dilma, como se ela fosse uma tolinha. Os verdadeiros tolos são os que a menosprezam, a reduzem, a subestimam.

    7º – Eduardo Guimarães é um companheiro que vale ouro, não foi à toa que ele recebeu do próprio Lula este reconhecimento.

    • Só uma coisa: Dilma era candidata, quando foi aos programas populares. Ir como presidenta é outra coisa. É o Estado brasileiro que está indo. E ninguém está pedindo que Dilma brigue com a mídia, mas que não se torne sua aliada e não descumpra as suas promessas. Ninguém subestima Dilma. A crítica surgiu de fatos concretos. Dizer que quem lutou para eleger Dilma a subestima, é absolutamente sem sentido. Se subestimasse, não tinha apoiado sua eleição. Repito: não se deve desqualificar ninguém que ajudou a eleger esse governo. Tem gente querendo dividir a esquerda ou achando que apontando “traições” de blogueiros conhecidos ganhará notoriedade. Volto a repetir: se esses que passam mais tempo nos blogs que chamam de “progressistas” (entre aspas) tentando patrulhá-los gastassem mais tempo com os próprios blogs, teriam muito mais sucesso em ganhar audiência e influência.

      • Edu, eu realmente gosto de vc, há anos te acompanho. Fui naquele manisfesto que houve da ditabranda. Soobre estas críticas que vc fez, eu não me identifico nelas, assim como eu não o critiquei diretamente.

        Eu quero chamar atenção, novamente, para a real Dilma, veja a mensagem dela nas comemorações dos 5 anos do blog do Noblat:

        Enviado por Ricardo Noblat –
        25.3.2009
        |
        9h36m

        5 anos – Por que leio este blog – Dilma Rousseff

        “Primeiro, porque ele tem estilo. E eu gosto de quem estilo. Porque ele tem posição. E eu gosto de quem tem posição. (E não precisa ser, necessariamente, igual à minha). Leio porque acerta muito. Como também sabe errar – e reconhecer o erro – com a inescapável frequência do jornalismo blogado. Leio porque tem bom gosto musical, em especial para o jazz (o que, aliás, é tarefa fácil). Leio porque sintetiza bem a mídia no geral, e sabe aprofundar, no particular, o que normalmente interessa. Mas leio, principalmente, porque ao longo de sua vida Ricardo Noblat tem demonstrado uma disposição visceral de lutar por um Brasil melhor.”

        Dilma Rousseff, ministra da Casa Civil da presidência da República ”

        Não foi quase exatamente o que Dilma disse na Folha?

        Então, o que eu não aceito é o argumento de que ela mudou. Só isto. Pq esta linha de argumentação não encontra base na realidade.

        São fatos, Edu, não estou aqui levantando hipóteses. Muito menos quero dividir o que já é dividido, apenas defendo Dilma das acusações de que mudou, de que traiu. Basta ver o que ela escreveu acima para conferir que ela está onde sempre esteve.

        Como já dizia Lula: Dilma é uma pessoa que não alimenta rancor.

        • Claro que lembro de você. Tranquilo. Não adianta brigar por isso. Ninguém convence ninguém a mudar de opinião política, ao menos entre pessoas politizadas. O jeito é esperar. Os dois lados podem estar enganados. Contudo, tenho o péssimo costume de acertar mesmo quando não quero. Esperemos, pois.

  • Eduardo

    A regulação da midia irá acontecer com certeza agora alguns detalhes precisam de análise, como o caso da propriedade cruzada, eu tenho dúvidas sobre esse aspecto do projeto. Isso deve ser exaltivamente analisado para que não haja recurso no judiciário. Você não pode tirar uma concessão sem que o concessionário fique quieto e ache tudo isso tranquilo. Ele pode e irá entrar com processo no judiciário e pode ganhar. Talvez tenha que haver uma um processo de transição para adequação das empresas. A propriedade cruzada é o mais polêmico.
    Outros aspectos da lei de midias, ela vai depender da atuação da sociedade organizada posterior a sua promulgação do contrários será apenas mais uma lei, morta esquecida na prateleira . Uma lei é um conjunto de palavras que para terem efeito devem ser discutidas com um conjunto maior da sociedade que faz uso dela, a mobilização antes é importante, depois é crucial.
    Vou te dar uma exemplo de como a lei boa não faz diferença se a sociedade não lutar por ela, a lei 9394/95 ( lei de diretrizes e bases da educação ) , ela trata em um dos seus artigos da gestão democrática na escola. Muitos governadores e prefeitos descumprem esse artigo ou quando cumprem o fazem de maneira parcial. Essa lei é de 1995( mais de 15 anos ) e tem gente até hoje que nem sabe que o seu prefeito ou governador fingi que ela não existe. De todos os artigo da 9394, eu considero esse aspecto, o democrático, o mais importante.
    Aqui em Brasilia só em 2007 que o projeto de lei foi enviada pelo governador de maneira correta, isso depois de muita pressão, muitas derrotas antes da definitiva vitória. Até convencer todo mundo que essa luta era justa levou-se 12 anos.
    Eduardo, você e os demais blogueiros fazem uma grande diferença na nossa sociedade, não tenham dúvidas sobre o que o governo Dilma vai fazer no seu mandato . Muitos ficaram sismados pois o PT não pegou a presidencia da comissão parlamentar das comunicações achando que o governo não estava interessado, isso não é verdade. A lei é importante contudo depende da educação,das finanças publicas do campo ,da cidade , da justiça ,da América do sul etc, etc e etc. A midia está muito interessada em instigar o Lula contra Dilma e vice-versa, instigar as Centrais Sindicais contra a Dilma e vice-versa, instigar o MST contra Dilma e por aí vai. Isso não vai acontecer pois o governo Dilma é de continuidade, a politica economica é de continuidade…
    A taxa de juros vai cair talvez não imediatamente agora os seus sinais já estão aparecendo o IPC-S ( http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=148303&id_secao=2 ) está em queda, e a queda desse indice é o que interessa pois mantém a politica da inclusão social preservada. Muita gente fala que essa politica é a mesma do Meirelles, só que a conjuntura mudou os alimentos estão assustadoramente altos, na época do Meirelles isso não acontecia, logo naquela epoca a politica não era a adequada hoje será a nossa salvação.
    Quando a imprensa diz que a politica economica vai quebrar as industrias elas não falam que a Dilma já cuidou disso lá atrás com a desoneração da produção. Quando a FIESP diz que as industrias vão sofrer ela diz a verdade, as multinacionais estrangeiras que tem filiais no Brasil que o digam e a maioria em SP. A valorização do câmbio as afeta diretamente, essas são as mais descontentes não porque estejam para quebrar mais porque estão repassando menos dólares para suas matrizes.
    Por tudo isso que eu coloquei, você Edu, deve pensar : Oh sua doida, então por que você não está defendendo de maneira mais apaixonada a lei de midia afinal estão golpeando uma politica economica salvadora do Guido ou igualando-as nas mesmas bases daquelas praticas pelo FHC? Há apenas uma diferença a politica do FHC perdeu , a politica do Lula ganhou e ela é a mesminha da Dilma.
    A FIESP não defende a industria nacional e nem a imprensa de SP, só que a máscara dessas duas é muito fácil de tirar. Nunca a imprensa de SP vai derrubar a Dilma e tampouco deixa o Lula fora da briga politica municipal, estadual ou nacional. Eu ja falei em varios blogs e falo aqui, o movimento do PMDB de SP para os lados do PT paulista com certeza tem as mãos do Lula e da Dilma. O que nos interessa em SP é o PMDB e quem mais vier, contra esse grupo não há imprensa que dê jeito.
    Tô tranquila…

    • Os artigos 220, 221 e 222 da Constituição respaldam uma lei de mídia. Só não foram regulamentados. Basta fazer a lei com base na Constituição. Aliás, há uma ADIN do prof. Fabio Comparato nesse sentido.

      • Edu

        A gestão democrática na escola também estava na Constituição art 206, Inciso VI. Esse artigo constitucional foi regulamentado na lei 9394 / 95, isso por que a categoria de professor é a maior do país e fez uma barulho miserável, mesmo assim esse artigo que eu volto a dizer é o mais importante do capitulo III seção I é deixada de lado por muitos governantes.

        Eu julgo a discussão da lei de midias a mais importante desse ano, contudo para fazer efeito o processo ainda é longo. Não acredito numa deturpação do projeto ele ainda é um bebê. Pelo que eu me lembro o projeto de lei da 9394 ficou tramitando no congresso por 7 anos até virar lei.
        Sei que já deveria existir um projeto de lei sobre regulação da midia agora com toda a certeza se definindo todos os parâmetro a tramitação será rápida desde que se resolva a propriedade cruzada, pois grande parte dos donos de mídia as possuia antes de 1988 quando a nova constituição foi promulgada então a pergunta que se faz: A constituição pode retroagir e atingir essas pessoas? E se poder como fazer ? Dar um tempo de transição de uma geração ou impor sociedade? E o politicos que tinham concessão antes da constituição como é que fica?
        Tem muito politico da base aliada que tem concessão…
        Esse é um terreno minada. Há de se ter muito cuidado , devemos usar detector de metais e ir desarmando as minas do contrário penas, braços e cabeças voarão. Muita calma nessa hora. Primeiro as reformas urgentes e menos polemicas depois o resto.
        Você nos fez uma pergunta, eu lhe faço outra: O que é mais importante para você a lei de midias sair agora ou a eleição de um petista para a prefeitura de SP e governo do estado? Tudo está sendo conduzido para isso caro Edu, veja quanto avanço já ocorreu do ano passado para cá. Nunca vi tantas possibilidades quanto nesse 2012 e 2014 para o PT paulista e mineiro.
        Pense muito bem antes de responder pois o embrolio está justamente aí.

        • não preciso pensar, Ana: pra mim, vitórias do PT só têm sentido se for para o partido fazer o que tem que ser feito. Trocaria mil eleições do PT em SP pelas medidas necessárias para o país

  • Eduardo, de acordo com sua resposta: “mas esse voto tem prazo de validade e não me impedirá de fazer críticas pontuais e construtivas”.

    É isso aí, concordo. Talvez possamos discordar (não apenas voce e eu, mas todos que querem ver essa regulação funcionando) sobre qual é esse prazo de validade.

    Tal prazo pode ser mais ou menos extenso. Nesse caso, precisamos ter todas as informações para avaliar o momento certo de encaminhá-lo, de forma a não haver retrocessos. Conforme disse em outra oportunidade, uma das maiores virtudes de um lider político é saber sentir o momento adequado de agir, de forma que se evite dar um passo a frente e retroceder dois.

    Para isso, é importante ter todas as informações que estão em jogo. Não sei se as teremos (alguns integrantes do governo têm essas informações em maior quantidade e qualidade, claro). De toda forma, concordo que devemos cobrar. De forma a construir, como voce disse.

  • Eduardo,apoiado em 100%,e eu não aceitaria de jeito nehum quaisquer tentaivas de amenizar ou arquivar a lei de medios,eu já disse aqui e em outros blogs que a ida da Dilma na festa da folha foi precipitada,alem do silencio para quem a apoiu,estando nós ainda na ressaca de uma .ou a pior eleiçao em termos de baixaria da história do Brasil.Vi pessoas que sempre baizaram suas opiniões na sensatez,fazerem críticas um tanto acidas sobre este ato.Pode-se cupa-las,critica-las? sim,mas há o momento para isso com animos serenados.Por esta questão,o bom senso de ter a visão humana das pessoas,em saber que há o momento certo de fazer as coisas.A presidente(ela assim se nomeou no discurso na folha,se contradizendo,então assim a chamarei,a presidente) e sua acessoria,abusaram da confiança em quem a apoiou e lutou,é de uma burrice grande,um desgaste desnecessario,fica um clima de desconfiança,uma tensão no ar,quer dizer em vez de se serenar os animosela como diriamos,apaga fogo com gasolina.Eu aguardo,ainda preciso confiar,dar um tempo,e como voçe diz Eduardo,este tempo tem lilmites,e o meu é inversamente proporcional as atitudes do governo,como agora com mais uma subida dos juros.

  • Edu, sempre haverá pessoas com alto conhecimento e dicernimento que como você se sentirão apenas traídos, e haverá sempre os palhaços de nirizes vermelhos que como eu sempre votarão e continuarão sendo esquecidos, escanteados, e jogados nos braços de um ser invisível, que nos dará uma vida em um paraíso do outro lado da vida, assim sendo. jamais cobraremos deste gigante adormecido chamado BRASIL, e de suas elites dominantes, que nos dêem vida dígna ainda neste plano terreno em que vivemos.

  • Tá sentindo falta do velho PIG combativo,EDu? Voce não perde por esperar. ele voltará. Mas ,enquanto ,isso, sugiro que voc~e compre uma assinatura do Estado de minas ou do Correio brasiliense. esses dois jornais irmãos já estão a todo vapor,deturpando e inventando, em favor de aécio neves. o velho PIG paulistanista, que ainda não se decidiu por serra ou Aécio, estámais focado na desconstrução do lula e o elogio da dilma faz parte disso.
    no mais,Leonardo Attuch não dá. Um dos piores colunistas da velha imprensa. tecnicamente e pessoalmente.

  • Edu, repito pela milionésima vez: NÃO HÁ argumento contrário -e eu já li TODOS os que flutuam na blogosfera- que me convença de que a ida da Dilma ao convescote podre da execrável Ditabranda não foi algo do ponto de vista “estratégico” absolutamente equivocado; Do ponto vista “protocolar”, absolutamente desnecessário; e do ponto de vista moral, ético, e da vergonha na cara, um gesto absolutamente abjeto, cretino e in-jus-ti-fi-cá-vel; O vexame daquela que segundo a Folha não passa de uma “gerrilheira-ficha-falsa” , de uma “aborteira assassina de criancinhas”, de “ladra assaltante de bancos”, e por fim, de uma “ordinária, vagabunda” – como afirmou de maneira transversa um dos “calunialistas” daquele arremedo de jornal do seu sorridente anfitrião, não passou de um gesto de baba-ovismo pelego, de uma cena pornográfica de pela-saquismo explícito!…
    P.S. Quanto á pergunta em si, Edu… Se eu continuaria apoiando o Governo Dilma caso ela desistisse ou afrouxasse as ESTRATÉGICAS e IMPRESCINDÍVEIS mudanças no marco regulatório dos meios de comunicação?… NÃO, NÃO E NÃO… ABSOLUTAMENTE, NÃO!!!…

  • Jamais aceitaria que esqueçam a ley de medios. Assim como não aceito o aumento da taxa de juros e corte de investimento em tecnologia. O povo sancionou um projeto pelo voto, a continuação das políticas do governo lula, que deve ser cumprido sem subterfúgios de pseudo-real-politik.

  • Eduardo, percebo que a presença da Presidenta na festa da Folha causou mais repercussão negativa do que o corte de R$ 50 bilhões no orçamento.

    O corte, traz consigo a justificativa de que as políticas adotadas durante a crise econômica mundial de 2008 compromteu o crescimento brasileiro, e levou o Governo a cortar impostos, auemntar o crédito e estimular (inclusive com um depoimento pessoal do Presindete Lula na TV) o consumo. Se a equipe econômica diz que isso pode reascender a inflação e que este corte se faz necessário, acho que devemos confiar e observar os próximos capítulos.

    O que não se justifica é a negativa em negociar. E não digo negociar com as Centrais Sindicais o valor do salário-mínimo. Estas tiveram o reajuste acordado de inflação + PIB de 2 anos atrás, o que leva a esse aumento pequeno em 2011 mas a um patamr mais aceitável no próximo ano. Mas o servidores federais por exemplo, ainda não foram recebidos para uma conversa, o que levou a um indicativo de greve nas Universidades Federais previsto para o fim de março.

    Voltando ao “rega-bofe” da Folha, o simbolismo do ato é realmente desastroso. Trouxe uma revolta totalmente justificável em todos que “compraram a briga” em defesa da candidatura e da pessoa da Presidenta Dilma durante o perído eleitoral.

    Nada contra uma aproximação do PSDB com o governo, se aquele abandonar o discurso de oposição pura e simples e vier a contribuir. Mas este movimento, embora na mesma direção do que está sendo sugerido, deveria ter um sentido contrário. Ou seja, de lá pra cá. E veja bem, isso não significaria se aproximar da grande mídia, que está atrás de recuperar as verbas de publicidade descentralizadas pelo Ministro Franklin Martins no Governo Lula.

    A “Ley de Medios” deve ser enviada ao Congresso após garantia de aprovação na base aliada, mas a pulverização das verbas publicitárias ou sua nova concentração nas maõs e bolsos dos neo-Dilmistas do PIG é que vai realmente servir de termômetro pra entender a tal estratégia que está incomodando a (quase) todos nós!

    Um abraço;

    Flávio Sereno

    PS: Parabéns pelo blog, está referenciado no nosso:

    http://blogdafamliasereno.blogspot.com

  • Edu, é obvio que eu não vou aceitar o retrocesso, quero a Ley de medios já, aliás isso já era para ontem. Contudo tenho confiança na Presidenta Dilma e tenho certeza que ela vai encaminhar para o congresso a ley de medios, aguardemos pois.

  • Essa história da paixão entre a Dilma e o FHC é muito ridícula, e o Lula com ciúmes do Farol? Não me faça rir. O Attuch parece que está escrevendo para “Caras”.
    Acho que todos estão exagerando sobre essa diferença entre Lula e Dilma. Estão julgando pelas aparências. Estilo é forma, conteúdo é outra coisa.
    Veja bem, você disse que o Lula começou reclamando da herança maldita. Só que ele fêz acordo para não fazer devassa do governo FHC. O que este preferia? O Lula falando bem dele mas autorizando devassa, ou falando em herança maldita mas deixando para lá os podres da privataria?

  • Eduardo e amigos, essa dissensão que se configurou com a ida de Dilma (e da cúpula petista, diga-se de passagem…) ao regabofe do jornaleco inominável, pode estar sendo supervalorizada… Me parece que, dado o pouco tempo transcorrido com Dilma no governo, qualquer julgamento sobre a fidelidade da presidente aos ideais que todos defendemos, seria prematura… Provavelmente, todos temos um limite em nossa fé no governo Dilma, já que Dilma não é ente religioso ou espiritual e está longe de ter poderes sobrenaturais que justifiquem uma fé cega de nossa parte, seus correligionários… Mas será que já estamos assim tão próximos, daquilo que seria o limite de nossa crença, fé ou confiança na presidente que acabamos de eleger? Talvez ela tenha tomado atitudes ou adotado medidas, recentemente, das quais não gostamos ou que não tenham nos caído bem… Mas seriam tais medidas e atitudes já suficientes para causar uma crise de confiança? É preciso ter em mente que nossos ângulos de visão e aqueles da presidente são, certamente, muito distintos… O panorama do ponto de vista de quem está poder, é muito diferente daquele de quem é apenas cidadão, ainda que participante e engajado… Eu, pessoalmente, só perderia a fé no governo Dilma, se percebesse nítida e claramente uma mudança de rumos, por parte da presidente e do governo. Mas dado o histórico de Dilma e seu compromisso com a corrente política que a apóia, sinceramente, acho tal mudança de rumos bastante improvável… O que pode estar ocorrendo, suponho, é apenas uma discordância em termos da estratégia para se atingir certos objetivos… Os objetivos, quero crer, permanecem e permanecerão os mesmos!

  • Caro Edu,

    sempre leio e divulgo os teus textos e com este será a mesma coisa.
    Respondendo a sua pergunta: a ley de medios tem que ser feita a qualquer custo. Me decepcionarei e MUITO se a Dilma não tiver fibra suficiente pra regulamentar algo que o ilustre mestre, Comparato, nos esclarece de maneira exemplar em seus textos… e não somente por isso, mas também porque em vários outros países isto é realidade e condiz com um país que se acha democrático.

    Caso ela tenha fibra pra fazê-lo, valeu o meu voto!

  • Tenho lido,assistido e acompanhado tudo que trata da lei de Medios e Banda Larga, programas e promessas que entendo que deverão ser implementados pela Presidenta. Os movimentos que tenho acompanhado através dos meios de comunicação e também pela internet estão a me levar a crer que 1). O governo Dilma,num primeiro tempo, está cozinhando em banho-maria a mídia e mexendo o tabuleiro visando proporcionar ao projeto um melhor ambiente para a sua aprovação, o que é perfeitamente justificável com as atitudes tomadas pela Presidenta. 2) Uma outra percepção que me vem a mente é que talvez a presidenta e seus conselheiros, animados com o resultado da eleição da Dilma, que na época só contava com a INTERNET para desmentir as mentiras assacadas contra sua campanha e de uma vez enfrentou todos os absurdos praticados pela imprensa nacional golpista, pela igreja,pelo serra e seu índio, pela mentira,pelo preconceito, ainda assim se elegeu presidenta da maioria dos brasileiros, possa, com o projeto da Banda Larga à preço acessível para todos os brasileiros, pavimente o caminho da Lei em foco. Quem sabe o povão mais informado com a Banda Larga acessível repita o recado da última eleição. A aposta é perigosa.AMIGOS VAMOS CONFIAR .

  • Interessante observar que em países onde a mídia tem regulação a população desses países comete muitas besteiras ao escolher seus representantes. E aqui no Brasil, mesmo com a midia exercendo o papel de “soldado” e protetor de uma elite corrupta, a população elegeu um operário para presidente da república. Isso mostra que essa midia é no mínimo incompetente, que não conseguiu exercer o papel a ela delegado. Há realmente a necessidade de muita conversa a respeito, pois corre-se o risco de proporcionar à midia mecanismos que a tornem realmente poderosa.

  • Edu, respondendo a sua pergunta, não concordo que a “Ley de Médios seja alterada nem arquivada.
    Começo a desconfiar da presidenta Dilma, estou achando que ela não cumprirá o que prometeu.
    Tomara que esteja errada caso contrario será uma grande sacanagem com o povo brasileiro e principalmente com o Ex presidente Lula.
    abraço

  • Olá Edu,

    Você disse que seu voto de confiança tem prazo de validade. Posso saber quando termina esse seu prazo ?

    Outra questão:

    Essa ida da Dilma ao Pig não seria a tal “carta ao povo brasileiro” na versão dela ?

    Forte abraço e Pé em Deus e Fé na Tábua rsrrss

    • Gerson, devido às trocas de insultos entre conformados e inconformados, o ambiente para discussão ficou impossível. Quando chega nesse ponto, ninguém quer mudar de posição para não dar o braço a torcer. Fiz uma questão clara aos leitores: você aceitaria que a Dilma desse pra trás na lei de mídia? Essa pergunta é a chave da questão. Não importa quanto eu esteja disposto a aguentar. Já disse que meu limite está próximo. Mas quanto você está disposto a aguentar, em termos de recuos e de afagos ao PIG? Detalhe: a carta aos brasileiros foi escrita antes da eleição, não depois.

      • Olá Edu,

        Quando falei em “fé na tábua” eu estou falando que não aceito que a Dilma dê pra trás na questão da Lei dos Medyos e respondendo mais claramente sua questão meu prazo de validade vai até o final deste ano para ver o encaminhamento do projeto para discussão no Congresso.

        Achas que estou mais paciente do que deveria ?

        • Desculpa, Edu e Gerson. Mas para mim não é quando, mas como. Como virá a proposta do governo? Terá concessões, sem dúvida. Mas até que ponto consideraremos estas concessões aceitáveis para continuar chamando-a de uma lei de medios democratizante?
          O Edu falou em proibir propriedade cruzada, Também concordo que essa é uma condição sine qua non. Mas o que mais? Nós temos que entrar na discussão do conteúdo. E evidentemente pensar na sua aplicação não para o dia de São nunca, como o pig gostaria.

  • E sobre a lei da comunicação: falta combinar com os russos! Alguém acha que será assim, Dilma enviará um projeto de lei para mudar algo que existe a mais de 50 anos? Que Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Peluso, etc. irão ficar calados, como manda a boa lógica da magistratura, e não vociferarem que O PROJETO DE LEI é inconstitucional e que será alvo de ADIN antes mesmo de ser votado no congresso? Tenho certeza que o projeto será enviado ao Congresso Nacional, só que tenho a convicção que isso levará algum tempo. Dilma está empurrando a ley dos medios goela abaixo do PIG e eles não estão “tintindo” nada. Tenha fé, homem de Deus, estamos nesse mundo há bastente tempo para vermos que a humanidade anda a passo de formiga!

    • Haroldo, como já disse, chegamos a um ponto em que nem que Dilma se filie ao PSDB fará os que estão conformados mudarem de idéia. Os insultos a quem questionou a postura dela mostra a impossibilidade do diálogo. Assim, esta é minha última resposta: se Dilma enviar a lei de mídia ao Congresso da forma correta – por exemplo propondo veto à propriedade cruzada – e ela for rejeitada, paciência – aliás, isso não aconteceria, se fosse feito agora. O problema é que para manter o clima amistoso com a mídia, uma lei prevendo o fim da propriedade cruzada não será enviada. Mas não adianta ponderar neste momento. O que as pessoas estão querendo é não perder a discussão. Então, vamos esperar. Pelas notícias que tenho, em breve só deixará de se revoltar quem tem fé religiosa no governo Dilma. Aí é caso perdido.

  • A frente pela regulação da mídia

    Da Folha.com

    Frente governista entra em campo por regulação de mídia

    Folha.com

    A decisão do governo de propor um novo marco regulatório da mídia digital levou 171 deputados aliados a criar frente em defesa do projeto, coordenada por PT e PSB.

    O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP), disse que o debate é “prioritário” para a bancada e que será “iluminado pelos princípios da liberdade de imprensa”.

    Segundo a deputada Luiza Erundina (PSB-SP), a frente “fará a base para o governo enviar o projeto do marco regulatório”.

    Na semana passada, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) disse que o marco deve ser encaminhado ao Congresso no segundo semestre e que não será divulgado agora, pois “tem grandes chances de ter uma besteira no meio”.

    A Folha apurou que o texto do governo já está quase finalizado, mas será enviado ao Congresso após a consolidação do movimento pró-marco. A ideia é anunciá-lo em março, com um manifesto em defesa da “democratização” do setor.

    O representante do PT será o deputado Emiliano José (BA), jornalista e professor.

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-frente-pela-regulacao-da-midia

    • Como eu disse, é perda de tempo continuar nesta discussão. Participei de uma conversa sobre essa frente parlamentar há 3 semanas. Sabia dela antes de ser anunciada. Isso significa que o projeto do governo proporá o fim da propriedade cruzada, por exemplo? Claro que não. Aliás, o ministro Paulo Bernardo diz que o governo Lula deixou um anteprojeto que pode conter “besteiras”. Chegamos a um ponto em que todos só querem ter razão. A discussão em si se perdeu.

      • Eduardo,

        Uma pergunta. Por que o Lula, do alto de sua popularidade estratosférica, não enviou a Lei de Médios ao Congresso? Não digo no início de seu governo, mas pelo menos nos 3 últimos anos de seu segundo mandato. Teve tempo e condições para isso. É muito fácil bater agora na Dilma, falar em “fé cega” no seu governo, mas a tal “fé cega” também existiu no governo Lula.

        Não vale o argumento de que Dilma tem composição mais favorável do que Lula no Congresso. Votação de salário mínimo é uma coisa, votação de lei de comunicações é outra bem diferente. O Congresso está infestado de deputados e senadores proprietários de veículos de comunicação ou estreitamente ligados a eles. Essa história de “tem que pelo menos tentar” é ingenuidade. Um governo não entra numa briga desse porte para “tentar”, “arriscar”, tem que ser para ganhar, sob o risco de perder não apenas a votação da lei, mas o próprio governo.

        Repito: Lula teve tempo e condições para enviar a Lei de Médios ao Congresso e não enviou. Não adianta dizer que Lula enfrentou o PIG. Enfrentou nada! Criticar o PIG em discursos diários, disparar algumas farpas, como ele fazia, é uma coisa, agir é outra. Querer agora que no primeiro ano de seu mandato ela mexa num vespeiro que Lula, um mito da história nacional, não mexeu em 8 anos, é pedir demais. Eu também sou como você, Eduardo, não tenho problemas em mudar de idéia, mas preciso de argumentos realmente convincetes.

        Minha restrição à Dilma até agora não vem desta área, mas na condução da economia, que está cada vez mais tucana. Por mais que o Palocci esteja formalmente fora da área econômica, acho que a opinião dele tem peso junto à Dilma, e ele é um roda presa, o mais tucano dos petistas. E este Tombini foi saudade como uma renovação, mas vem com a mesma ladainha do Meirelles.

        No mais, Eduardo, apoio você em tudo e sou seu fã. Pelo IP você pode perceber que não se passa um dia sem que eu acesse o seu blog.

        Abraços

  • Caro Eduardo
    O estágio de consciência política dos argentinos em relação à questão da mídia era muitíssimo mais avançado do que é , hoje, o da maioria dos brasileiros em relaçã ao mesmo tema – quando há cerca de um ano, a Ley de Médios foi aprovada naquele país vizinho.
    Hoje, o que vc constata ? 75% dos argentinos apoiam a Ley de Médios, segundo dados que li no Página 12, na semana passada.
    Lutaram bastante por ela. Levantaram os dados, fizeram as análises, discutiram amplamente a questão da mídia argentina. Pressionaram o Congresso Argentino a aprová-la. Conhecem-na em detalhes e lutam pela sua aplicação. Se vc conversa com argentinos das classes populares, ele ou ela irão lhe dar uma aula sobre o que é essa Ley de Médios.
    Penso que a administração Dilma Rousseff está chamando a população para um amplo debate sobre o marco regulatório da mídia. É certo que, ao final do Governo Lula, houve todo um trabalho realizado e tivemos a Confecom. Foi um avanço importantíssimo. Franklin deixou um trabalho alinhavado sobre o tema, e sabemos de sua seriedade e competência. Mas a imensa maioria da população ignora o debate, desconhece o que foi discutido. Pode estar certo que quem votou em Serra e Marina, achava que a mídia brasileira estava de bom tamanho. Aí estão, vivos e agindo com competência política, não nos iludamos.
    Trata-se então, agora, de levar esse debate ao povo. De ouvir as reflexões do povo a respeito.
    Não basta aprovar uma lei, por cima, sem que o povo participe ativamente. Isso não é democracia.
    Agir de afogadilho é colocar a perder todo o avanço que já houve quanto ao tema.
    É preciso que se façam “cartilhas” sobre o tema e que sejam distribuídas e debatidas amplamente. Bom que Lula retorne e como Presidente de Honra do Partido dos Trabalhadores que é, comande o debate político junto ao povo trabalhador, sobre essa questão, em nome do PT. Essa é a função de partidos políticos, não? Que outros partidos façam o mesmo. Que os movimentos de massa venham ao debate.
    Pelo que estou ouvindo e vendo, Dilma Rousseff e seu governo estão firmando posições e convidando o povo brasileiro a agir como agiu o povo argentino. Porque é o povo que irá garantir a aplicação de uma lei dessa natureza.
    O resto ou é uma clara manifestação da pressa pequeno burguesa e seu consequente esquerdismo, ou uma nítida antecipação de candidaturas para 2014.
    Se há dois meses de um governo, já quiséssemos saltar do barco, das duas uma: ou nunca nele se embarcou de fato ou éramos apenas um lastro dentro do barco.
    O que temos que fazer é construir uma mídia nossa, vibrante e atual, com a cara do nosso tempo.Onde está o nosso Página 12, o nosso Argentino ou nosso Tiempo ( Argentina) , o nosso Correo del Orinoco( Venezuela)? Onde está a nossa Telesurtv, a nossa Tv Pública Argentina? Por que esse atraso entre nós? De quem é a responsabilidade disso? NOSSA! Exclusivamente NOSSA!
    É a nossa incapacidade de mobilização, de união e de realização no campo midiático.É o oportunismo, o divisionismo, o estrelismo, o farinha pouca , meu pirão primeiro. O sempre presente lema oculto “vamos levar vantagem em tudo”. Sempre a espera que a Casa Grande resolva o problema.
    Um pouco de auto-crítica não nos fará nada mal. Talvez nos faça, isso sim, mais propositivos,ativos e positivos. Aí sim, venceremos!

  • Boa Eduardo!!

    Concordo com você em relação a nossa imprensa. Da mesma forma me causa desconforto nessa aproximação da Presidenta com esses órgãos de imprensa que sempre quiseram manter as coisas como estão.

    Um abraço.

  • Sobre o texto do Miro:

    “Um triste regresso ao “malocismo”?

    Numa linguagem empolada, típica de quem esconde as maldades, Mantega argumentou que “este ajuste, esta consolidação fiscal, possibilitará que nós alcancemos o superávit primário” – outro termo que causa orgasmos nos banqueiros e rentistas. A União, explicou o ministro, já teria reservado “quase R$ 81,8 bilhões” somente para o pagamento dos juros – isto é, o dobro dos investimentos orçamentários destinados ao Plano de Aceleração do Crescimento, o PAC (de R$ 40,15 bilhões).

    Na prática, as decisões recentes do governo parecem indicar um triste regresso ao “malocismo” – uma mistura de Pedro Malan, czar da economia no reinado de FHC, e Antonio Palocci, czar da economia no primeiro mandato de Lula. Os seus efeitos poderão ser dramáticos, inclusive para a popularidade da presidenta Dilma. De imediato, as medidas de elevação dos juros e redução dos investimentos representam um freio no crescimento da economia e, conseqüentemente, na geração de emprego e renda.”

    Com esta parte não posso discordar, com o restante não, e torço para que Dilma, Lula, o PT, nós, a sociedade, sejamos mais fortes que o malocismo,

  • Caro Sr. Eduardo

    Creio que o Senhor esta com muita pressa. Amanhã fará apenas dois meses de mandato da Presidenta Dilma. Todos os sinais, até agora , são no sentido do cumprimento das promessa de campanha. O estilo da Presidenta é diferente do Presidente Lula. O Sr. esta com mais pressa do que o PIG, pois já começou a criticar e eles, o PIG, estão dando corda para ver se a Presidenta se enforca. Ela não vai cair nessa armadilha. Ela é bem mais esperta do que eles.
    De mais um tempinho e o Senhor verá a capacidade da Presidenta.

  • Se a imprensa é a força do atraso, então presumo que José Sarney e Collor e Renan Calheiros sao as forças progressistas, que são grandes aliados de Lula, dilma e pt?

  • Meu caro Eduardo: quando dos funerais do Néstor Kirchner, nas imagens das cercanias da Casa Rosada, divisei uma faixa que ficou na minha memória. Dizia simplesmente: “Cristina, nenhum passo atrás!” Poucas, mas sábias e proféticas palavras. A suave presidenta parece que também viu a faixa, pois seu governo tem seguido a linha do saudoso marido, não se intimidando com a poderosa elite argentina, nem com sua reacionária imprensa. O último exemplo é a democratização das transmissões do futebol e dos esportes naquele país. Nos primeiros dias da posse da Pres. Dilma, encaminhei ao planalto um e-mail, pedindo à guerrilheira que refletisse sobre a simbologia daquela faixa, sobre a similaridade com a situação no Brasil. Não sei se a mensagem de um humilde cidadão chegou a seu destino. Tudo isto para dizer que acompanho, com apreensão, como você, esses ambíguos passos de aproximação do governo com o que há de pior no contexto político nacional. Nos últimos dias, tive verdadeiros arrepios, quando li sobre a tentativa de fusão da pior escória da extrema direita braileira (Kassab e Katia Abreu, entre outros), com o Partido SOCIALISTA Brasileiro, para apoiar a presidenta! Mesmo não concordando com essas atitudes do novel governo, espero que sejam apenas medidas iniciais para garantir uma governabilidade mais serena. Um abraço e alegria pelos progressos da estóica Vitória!

  • Edu, já começaram as articulações no Congresso pelo pela “Lei de Medios”:

    A decisão do governo de propor um novo marco regulatório da mídia digital levou 171 deputados aliados a criar frente em defesa do projeto, coordenada por PT e PSB.

    O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP), disse que o debate é “prioritário” para a bancada e que será “iluminado pelos princípios da liberdade de imprensa”.

    Segundo a deputada Luiza Erundina (PSB-SP), a frente “fará a base para o governo enviar o projeto do marco regulatório”. (FSP).

    Agora é irreverssível…

    E Dilma foi ao PIG, simbolicamente de vestido vermelho (isso diz muito!), cravar uma estaca no coração da imprensa golpista (F.de São Paulo), mostrar que quem é a presidenta do Brasil é ela, estendendo a mão para a oposição, como ela mesma falou em sua posse, esse gesto, de ir ao centro do PIG, não tem nada de capitulação, mesmo porque Dilma sabe quem eles representam, seria muita inocência, crer em uma trégua em se trantando do PIG, porém Dilma sabe que tem que governar para “todos”, seja para o PIG, seja para o povo, não tem outra saida…

    As notícias que começam a surgir sobre a “Lei de Medios”, confirma a estratégia da presidenta,ela vai implantar a Lei, queira o PIG ou não…

  • Se o governo Dilma é de continuidade, se o projeto elaborado pelo Franklin Martins é, para mim, muito bom ( será que os ministros à época Dilma e Paulo Bernardo tinham objeções e as colocaram?), e como considero que a falha de São Paulo e o restante da chamada “grande” imprensa não são absolutamente confiáveis….E considerando-se que a ANJ, pela sua diretora Judith Brito e o instituto millenium já se declararam a verdadeira oposição ao governo…..
    Se o atual governo não encaminhar de pronto o projeto de regilação da mídia sem desfigurações vou me decepciomar muitíssimo e vou clamar pela volta de Lula em 2015.

  • O que seria lei dos Médios?

    Ainda não entendí nem pesquisei algo sobre isso.

    O que passa para mim, e acredito que pra outras pessoas leigas como eu, é que seria alguma lei pra censurar a imprensa. Espero está errado, pois, por pior que seja; a imprensa tem que ser livre; e se uma medida dessa, for ao debate, desgasta qualquer governante.

  • Edu,
    concordo com você 100% nesse assunto. Aliás parece até que fui eu quem escrevi tudo que você escreveu. No meu grupo de discussão eu já havia levantado esse assunto e as conversas foram idênticas a desse blog. Me espanta a facilidade com que as pessoas ficam cegas e perdem o bom senso, não digo deixar de apoiar o governo mas manter o bom senso e o espírito crítico. Nossa, eu passei a campanha inteira do ano passado postando charges da folha no lixo, fotos das vans emprestadas à ditadura, artigo da jornalista demitida enquanto foi presa pelos ditadores, o crime do alarmismo na febre amarela, como poderia agora ouvir que a folha é um “grande” jornal e não dizer nada porque quem disse isso é de esquerda?? Me poupem.Chama o ladrão. Aliás, chama o neoliberal, rsrsrsrs…. Na minha opinião a DIlma caiu na conversinha dessa gente que ela insiste em manter por perto, gente tipo Palocci….

  • Acho que falta ser mais didático nessa questão.

    Por exemplo: O que é propriedade cruzada ?

    99% da população não tem a menor idéia do que seja isso e qual o mal nisso.

    Podiam fazer um tipo de glossário explicando melhor para as massas.

  • Edu diz” … fiz uma pergunta que me ajudaria que fosse respondida: você aceitaria, por exemplo, que a “ley de medios” fosse desfigurada ou arquivada?”

    Rápido e rasteiro: Não. Aliás, de algum tempo já não acredito na maioria dos dirigentes do PT. O do Paraná é de um mau exemplo só. Ainda há poucos dias Maria Inês Nassif discorreu sobre a possibilidade do PT degringolar completamente. É insuspeita, não?

    Confiar no Paulo Bernardo? Não boto a mão no fogo. Minha família é toda de Londrina. Paulo Bernardo é de lá. Perguntem a ele sobre o Belinatti? Se pudéssemos acompanhá-lo ao mundo sobrenatural, perguntaríamos a ele sobre o José Janene também. Falta carisma ao ministro. E por suas relações passadas ele irá até onde sua história permitir. Pra mim está ensaboado. Por qual tangente deslizará? Até pode sair pela da “ley de medios”, mas não dá nem pra apostar.

    Por que São Paulo vota no PSDB e Curitiba também? Não me digam que o povo é tolo? O povo é que iludido pelo PSDB? Ou nem essa ilusão o PT dos dois estados consegue impingir aos eleitores?

    O PSDB está moribundo e vejo que dirigentes do PT podem tirá-lo da UTI. Para mim, já é passada a hora de se buscar um caminho de solidariedade associada à ética. Certas estratégias adotadas pelo PT para alcançar o poder poderiam até ser toleradas. Hoje, não mais. Que cristão somos? Que socialismo propomos? Não há necessidade de pressa, mas em algum tempo do futuro haveremos de ser cristãos e socialistas. Já dá pra começar, sem ficar depositando confiança irrestrita em personagens do passado, que nem mais existem. Viraram fantasia.

    Acho melhor esquecer, pois o passado é um engodo diante da premonição de que estas considerações são fruto de “mágoas”. Não é para entender mesmo. A confusão e decepções políticas avalizam um tostão de surrealismo.

    • Ainda bem que nessa hora estarei trabalhando e não vou assistir…

      Seria capaz até de vomitar se visse a Dilma trocando dicas de cozinha com a musa do “Cansei”.

  • Desculpem: Não sei se conseguir postar. Caso não, segue:

    Edu diz” … fiz uma pergunta que me ajudaria que fosse respondida: você aceitaria, por exemplo, que a “ley de medios” fosse desfigurada ou arquivada?”

    Rápido e rasteiro: Não. Aliás, de algum tempo já não acredito na maioria dos dirigentes do PT. O do Paraná é de um mau exemplo só. Ainda há poucos dias Maria Inês Nassif discorreu sobre a possibilidade do PT degringolar completamente. É insuspeita, não?

    Confiar no Paulo Bernardo? Não boto a mão no fogo. Minha família é toda de Londrina. Paulo Bernardo é de lá. Perguntem a ele sobre o Belinatti? Se pudéssemos acompanhá-lo ao mundo sobrenatural, perguntaríamos a ele sobre o José Janene também. Falta carisma ao ministro. E por suas relações passadas ele irá até onde sua história permitir. Pra mim está ensaboado. Por qual tangente deslizará? Até pode sair pela da “ley de medios”, mas não dá nem pra apostar.

    Por que São Paulo vota no PSDB e Curitiba também? Não me digam que o povo é tolo? O povo é que iludido pelo PSDB? Ou nem essa ilusão o PT dos dois estados consegue impingir aos eleitores?

    O PSDB está moribundo e vejo que dirigentes do PT podem tirá-lo da UTI. Para mim, já é passada a hora de se buscar um caminho de solidariedade associada à ética. Certas estratégias adotadas pelo PT para alcançar o poder poderiam até ser toleradas. Hoje, não mais. Que cristão somos? Que socialismo propomos? Não há necessidade de pressa, mas em algum tempo do futuro haveremos de ser cristãos e socialistas. Já dá pra começar, sem ficar depositando confiança irrestrita em personagens do passado, que nem mais existem. Viraram fantasia.

    Acho melhor esquecer, pois o passado é um engodo diante da premonição de que estas considerações são fruto de “mágoas”. Não é para entender mesmo. A confusão e decepções políticas avalizam um tostão de surrealismo.

  • Acredito que a maioria dos frequentadores do blog seja favoravel à regulação da imprensa, eu inclusive. Entretanto mais importante é que o governo Dilma seja uma continuidade dos governos Lula que de fato mudaram a cara do país. Lula conseguiu reduzir nossa enorme desigualdade, promover a inclusão social e proporcionar trabalho digno a milhões de pessoas. Porém para que o Brasil mude consistentemente é necessário que o atual governo não de desvie das metas traçadas que tiveram em Dilma uma de suas formuladoras. Essa, creio eu, é a tarefa maior deste governo. Muita coisa ainda há por fazer, haja vista a situação da saúde e da educação. Regular a mídia é importante, mas fundamental é dar condições ao povo para que este adquira conhecimento suficiente para promover essa mudança. Hoje se fosse feito um plebiscito acerca do tema garanto que 90% das pessoas responderiam “tanto faz”.

  • Caro Eduardo, em minha humilde opinião suas críticas são um pouco precoces. O governo Dilma está completando 2 meses hoje. É muito pouco tempo para uma análise como essa.

    O texto ridículo do Leonardo Attuch, que você replicou em seu post, quer isso mesmo, criar intrigas e divisões entre as forças que elegeram Dilma, sugerindo uma aproximação entre ela e o FHC, que simplesmente não existe.

    A política se apresenta por meio de gestos e simolismo, porém acho que carregar demais na busca de simbolismo em tudo o que acontece é o que se chama na minha terra de “procurar chifre na cabelça de cavalo”.

    Acho que cabe aqui de novo (e por isso vou sim repetir) a lembrança do início do Governo Lula. Lá em 2008, muitos aliados esperavam gestos simbólicos de Lula. Queriam uma auditoria nas privatizações, um peso muito maior da esquerda e dos sindicatos, o anúncio de uma reforma agrária revolucionária, etc, etc… E algumas pessoas criticaram a reforma da previdência entre outras medidas de austeridades que eram necessárias mas foram interpretadas como “traição da classe trabalhadora” por parte das mesmas pessoas. Muitas delas sairam do PT atirando furiosamente contra o “traidor” Lula.

    E a direita através da grande imprensa deu a maior força para essas pessoas. Heloísa Helena virou a heroína das classes trabalhadora, em oposição ao “traidor” Lula.

    Mesmo nessa época, o pessoal deu mais de dois meses para fazer essa avaliação precipitada.

    Se fosse seguir o critério deste texto quem achou essa atitude de certos esquerdistas precipitada, ou achou que eles estavam caindo na jogada que a imprensa queria que eles caíssem, seria considerado como quem estivesse sendo motivado por uma fé cega.

    Discordo hoje, como discordei em 2003. Acho que Dilma está usando o início do mandato para tomar medidas de austeridades que trarão resultados positivos ao longo de seu mandato e que não são em hipótese alguma nenhum tipo de “traição” da classe trabalhadora. Também acho que ela está procurando evitar um confronto com a imprensa em pontos que não são importantes e que não trarão resultados concretos. Dizer que esses gestos impediriam ela de dar apoio ao processo de democratização dos meios de comunicação é precipitação.

    Respeito sua posição e pode até ser que você esteja certo. Mas eu acho que hoje não existem elementos para tirar as conclusões que você está tirando. Essa diferença de opinião em nada diminui o respeito que eu tenho pela sua posição, mas acredite em mim, a minha opinião de que está sendo feito uma tempestade em um copo d’água não é motivada por fé, mas pela minha avaliação de que são conclusões precipitadas e que vão ao encontro do que o PIG deseja, divisão provocada por radicalismos extemporâneos. Posso estar errado sim, mas é uma opinião baseada em minha vivência e não fruto de fé ou messianismo.

    Ao querer colocar-se frontalmente contra o PIG, você corre o risco de fazer o que o PIG quer. Pense nisso. Eu também avalio que o PIG é o maior mal que assola o País, só que eu acho que o que eles querem é que nós fiquemos brigando por picuinhas sem importância, perdendo de vista as questões centrais da democratização dos meios de comunicação.

    • Ruy Acquaviva
      Ler seu comentário me poupou de fazer o meu, pois só tenho que concordar.
      Sobre a mídia e o FHC, acrescentar que a melhor maneira de conhecer o inimigo é olho no olho, e para isso também tem de ter coragem, que creio, muitos que criticam , à distancia, não teriam.
      Para aproveitar vou colocar um comentário que postei no blog do Azenha:

      “Mas báaah tchêee !!!
      A gurizada tá cheia de anseios e com cabelo arrepiado!!!
      É preocupação a toa.
      É só um “freio de arrumação” que a Guria tá fazendo, tá contando os pila pra saber quanto e onde gastar.
      Vai ensinar os moleques a fazer muito com pouco, parar o desperdício e dizer pros aumentador de preço que não é por ai. Tem empresário mal acostumado, que prefere subir o preço ao invés de produzir mais. É um recado.
      Não esqueçam que tem a Copa 2014 que vai exigir muito dim dim e vai movimentar a economia para mais de metro. Não pode deixar o “boi fugir com a corda”.
      E tenho dito.
      Vai lá Guria, estou contigo e não abro, sei que na hora certa você vai meter espora nesse Brasilzão velho sem porteira.
      E vamo que vamo. “

      • Concordo Aquaviva,na verdade ,a grande estratégia do pig atualmente é a desmobilização da militância,eles tentam passar a impressão de que fomos traídos para poder impor seu projeto político em 2012 e 14,eles tiveram,em outubro passado a prova da nossa força,e sabem que o grande apoio político real que este governo tem é o nosso,assisti a entrevista do Paulo Bernado na rede TV neste domingo e não vi indício nenhum de retrocesso quanto a vontade deste governo de tocar a “lei de médios”,vi sim,uma vontade enorme de acertar e ao mesmo tempo não dar margem de sabotagem nem antes e nem depois da promulgação da lei,vamos dar tempo ao tempo e aguardar..
        Consolidação em forma de lei a politica de valorização do SM, e a atuação da Maria do Rosário na secretaria de direitos Humanos é sinal de retrocesso?
        Seja um pouco Maquiavélico Eduardo!

    • Concordo com você. É precipitada esta cobrança com 2 meses de governo e é tudo que a oposição quer.Que nós temos petistas-tucanos no governo é um fato, mas Dilma não é boba nem criança; afinal. quem mais sofreu na campanha com o PIG–me recuso a chamar isto de mídia—foi a propria ,alem de ser cria da esquerda revolucionaria e ter convivido com Brizola.Respeito a opinião de Edu mas darei mais tempo á Dilma, mesmo não confiando em Palocci, Jobim e Cardozo .

  • A Ley de Medios, ou Lei Geral das Comunicações, acabou se tornando a encruzilhada decisiva para o Governo Dilma.

    Cristina Kirchner não titubeou: fez uma Ley de Medios, mostrando firmeza e determinação.

    Se Dilma não a fizer ainda este ano, será uma atitude inaceitável. Significará que o Governo Dilma perdeu sua conexão com a esquerda, com o avanço do país e com o progresso.

    Independente do que ocorrer, acho que desde já as forças de esquerda devem se articular firmemente para pressionar o Governo.

    Nesse sentido, em abril ocorrerá o Encontro Estadual de Blogueiros Progressistas do Estado de São Paulo. Esse evento, preparatório ao Encontro Nacional, é um canal para a articulação dessas forças que apoiaram Lula e Dilma, e agora querem acelerar o processo de democratização das comunicações no país.

    • Quando você coloca, na ponta do lápis, os números do governo Lula e do governo FHC, a diferença chega a ser covardia. Acredito que um governo Dilma Roussef medíocre é 100 vezes melhor do que um governo tucano.

      Sobre a Ley dos Medios: sem pressão, não sai um marco legal e regulatório sobre as comunicações. Acredito que a presidenta não tem esse marco como foco, ela parece ter outras prioridades.

      Mas é nosso papel pressionar, por que não nos iludamos: esses salamaleques do PIG em relação à presidenta têm prazo de validade.

      Com o PIG, não há meio termo, ele precisa ser enquadrado, para impedir a baixaria que vimos na última eleição, para impedir que tratem futuros candidatos a presidente com a falta de educação mostrada com a presidenta, em entrevista conduzida por certo “casal telejornal”.

      O PIG já fez mal demais ao Brasil, precisa começar a fazer bem. Mas isso não acontecerá, a não ser por imposição legal. Presidenta, gostamos da senhora e de suas boas propostas, mas em relação às comunicações, como não estamos satisfeitos, nosso papel é pressioná-la.

  • Caro Eduardo, li boa parte (creio que metade) dos posts e julguei ser o bastante para ter uma noção razoavelmente clara da posição de seus leitores.

    Quanto à sua pergunta, NÃO aceitaria de modo algum que a presidenta Dilma desfigurasse ou arquivasse a tal “ley de medios”. Pelo fato de que se trata muito mais do que uma lei específica relativa a um setor determinado da vida nacional. Trata-se, na verdade, de um instrumento pelo qual passa o próprio sistema de respiração e articulação da vida democrática. Desistir da “!ley de medios” ou “deixá-la para mais tarde”, a essa altura dos acontecimentos, seria muito pior do que uma estagnação. Seria um retrocesso de ordem política e social que levará décadas para ser corrigido _ se é que algum dia o será.

    Dito isso, lamento afirmar que temo pelo pior. Li hoje, no blog de Luis Favre, reprodução de entrevista com o ministro das Comunicações na qual ele, sem dizer isso de maneira categórica, deixa mais do que implícito que o investimento na banda larga é algo que deve ficar a cargo da iniciativa privada. Ele, que já disse repetidas vezes que antes de pensar na ley de medios é preciso cuidar da banda larga…

    Basta fazer um pouco de aritmética semântica, somar dois e dois para concluir que, no que depender do atual ministro, a ley de medios já era.

    Espero estar inteiramente equivocado em minha conclusão. Um grande abraço a você e mais uma vez, parabéns por sua dedicação e paciência.

  • Amigos, vamos com calma, pra que tanta pressa gente, tem só 500 anos de exploracao do povo ; sempre
    existiu a elite e nós seus pacientes servicais, que lambanca é essa de querer essa tal de cidadania e direitos
    agora? Vamos parar de bestagem, pó pará, já pro fundo da cozinha que é nosso lugar deixa essa coisa de
    governar pra quem pode e vamos obedecer porque nao é assim que a banda toca nao, tem que ter paciencia gente!!!!! Quando acabarem todos os recursos naturais do país e nao tiver mais nada a ser explorado quem sabe a elite embarca pros isteites e zoropa e aí záz, a gente se apropria dos restos? Ó que beleza!!!! Vamos fazer juz a nossa indole gentil e pacata e nossa alegria frente a tudo que nos violenta, afinal temos agua de coco nas veias, nao temos SANGUE na veia como os Argentinos, eles sim merecem a recompensa de uma vida melhor porque exigem seus direitos em qualquer situacao em todas as areas, mas nem fico com inveja, de jeito nenhum… Avante decendencia de Jó!!!!

  • Vc cita o Altamiro Borges e a CUT, nem um dos são isentos em suas análises de conjuntura, pois o Miro e do PC do B, que disputa espaço com o PT, embora aliados de sempre, e a CUT também não é isenta, por ter que entoar um discurso sindical, para sua base, e não para o eleitorado brasileiro como um todo

    São precipitados em suas análises, temos que ter cuidado, em muitos países os avanços tiveram que retroceder por causa do umbigo do movimento sindical, eu que já fui diretor de sindicato, falo com conhecimento de causa

    E olhe lá que o Judiciário está indo mesmo embalo, vide blog do Ricardo Kotscho, salários de até 90 mil reais no STJ, se abrir a porta o país arrebenta,

    Necessito de análises isentas sobre o tal “malocismo”, no resto discordo totalmente, Dilma está acertando em todas as áreas do governo, repito, minha dúvida é apenas o tal “malocismo’ mas,é claro, preciso de análises isentas, as da CUT e Miro não me servem

    Não se trata aqui de nenhuma depreciação com relação ao Miro e a CUT, claro que não, só estou dizendo que a análise deles não é totalmente isenta, pelos motivos já expostos

  • boa noite, edu

    realmente a sua preocupacao tb e a minha com relacao a dilma. e digo mais: ela e muto pq perto da forca do pt e da forcas progressistas do pais, nas quais me incluo e tb a vc. nada como um dia atras do outro para a gente cobrar dessa senhora que ela disse ter um lado de maneira muito clara. nos colocamos; nos ´podemos tirar…
    tenho certeza que a sua justificada aflicao tb e a de milhoes de pessoas q lutaram por essa senhora qdo ela estava sendo chamada de traveco, etc pelas forcas do atraso que agora ela quer flertar.
    edu, sua luta nunca foi e nunca sera em vao e acredite: temos muito orgulho de ter um irmao como vc. isso mesmo: para mim vc e como um irmao.
    abracos

    wilson

  • Fiz campanha, briguei ao ponto de dispensar “amizades”, acreditei e votei na Dilma pela continuação do Governo Lula. E a continuação do Governo Lula continha no pacote a regulamentação da mídia através da “ley de médios”. Sendo este item, na minha opinião, o carro chefe dos projetos.

    Um mês e meio após empossada a Presidente Dilma, como nunca antes na história do Governo Lula, através de atos contraria toda a lógica de enfrentamento às oligarquias responsáveis pelas injustiças sociais neste país.

    O que está ocorrendo nessa relação do Governo Dilma com a velha mídia é a personificação da fábula do escorpião com o sapo. Aquela em que o escorpião precisa atravessar o rio e solicita uma carona nas costas do sapo fazendo com que o sapo passe a acreditar que o escorpião não o ferroará. No meio do rio o escorpião, por instinto, ferroa o sapo, e antes dos dois morrerem, o sapo olha para o escorpião e pergunta:

    – Por que fizeste isso? Você havia me prometido que não o faria.
    – É a minha natureza.

    É exatamente isso que está ocorrendo. A velha mídia precisa atravessar o rio, temeroso de uma possível regulamentação e carente de verbas públicas federais em virtude da ameaça da internet, e por isso nesse momento monta nas costas da Dilma com promessas de não a atacar. Mas sabemos a real natureza da velha mídia. Chegará o momento em que a velha mídia, por natureza, exibirá seu ferrãoe e espetará as costas da Dilma. Ainda que seja ao final caso Dilma indique um sucessor que não agrade à velha mídia.

    Como política, na minha opinião, não é questão de fé, mas muito mais de teimosia, eu cito a letra do Raul Seixas que traduz meu sentimento nesse momento:

    Lá vou eu de novo
    Um tanto assustado
    Com Ali-Baba
    E os quarenta ladrões
    Já não querem nada
    Com a pátria amada
    E cada dia mais
    Enchendo os meus botões…

    Lá vou eu de novo
    Brasileiro, brasileiro nato
    Se eu não morro eu mato
    Essa desnutrição
    Minha teimosia
    Braba de guerreiro
    É que me faz o primeiro
    Dessa procissão…

    Fecha a porta! Abre a porta!
    Abre-te Sésamo

    Isso aí!
    E vamos nós de novo
    Vamo na gangorra
    No meio da zorra desse
    Desse vai-e-vem
    É tudo mentira
    Quem vai nessa pira
    Atrás do tesouro
    De Ali-bem-bem…

    Abre-te Sesamo
    Composição: Raul Seixas/Cláudio Roberto

    • Xará faz tempo que a gente não se fala, beleza com vc ? Espero que sim. A ultima vez foi lá no Azenha.

      Voltando ao tema, o que vejo é o tal do PRAGMATISMO rolando. Já comentei aqui no Edu que meu prazo de validade é até o final deste ano pra ver o projeto sendo enviado ao Congresso.

      Se eu acreditasse diferente disso votaria nulo.

      Não existe o tal “Caldo de Cultura” para chutar o pau da barraca em certas questões, por equanto.

      O que acho fundamental:

      O PIG sabe exatamente o que a gente quer e está preparado para bombardear na mídia, para detonar qualquer projeto que saia fora do controle deles.

      A única vacina que vejo contra isso é ser mais didático (já falei disso hoje neste espaço) para as massas numa linguagem que elas entendam. Se isso não for feito, veremos até nas novelas globais cenas tratando dessa questão como uma tentativa de controle da liberdade de imprensa.

  • A dúvida é uma dor insuportável, mas, no dia que aceitarem que a esquerda discursou de forma coerente com as ideologias esquerdistas,, aí incluídos, PT, Lula e Dilma, só para ganhar o poder, seus corações se tranquilizarão.
    Querem uma prova do que digo?
    Se o Lula não aparecer dando palpite no atual governo e a Dilma não arrumar uma briga com ele é porque estava tudo escrito nas estrelas.

  • e se a gente fizer um resumo deste texto:

    “Dizem, por exemplo, que ir à festa da Folha ou ao programa das garotas-propaganda do Cansei Ana Maria Braga e Hebe Camargo seria “estratégia” de Dilma. Mas que estratégia é essa?
    […]
    se foi isso o que aconteceu, por que o jornal não foi ao ataque nos dias seguintes e, ao invés disso, vem aumentando a intensidade dos elogios à presidenta?”

    não fica mais legal?

  • Prezado Eduardo,
    Se você olhar pelo prisma do que foi publicado pela folha hoje, o Brasil está uma desgraça só.
    Tudo indica que o flerte durará pouco.
    Em relação a suas pertinentes indagações, quem viver verá.
    Cordialmente, María Edith

    Oposição critica cortes no Minha Casa, Minha Vida

    MARIA CLARA CABRAL/ GABRIELA GUERREIRO/ DE BRASÍLIA/ 28/02/2011 – 17h14
    Líderes da oposição no Congresso afirmaram nesta segunda-feira (28) que, com os cortes de R$ 5,1 bilhões no programa Minha Casa, Minha Vida, fica comprovado que o governo da presidente Dilma Rousseff “trabalha com ilusões e promessas que não pode cumprir”.
    “A fatura da falsa propaganda que o governo do PT fez para eleger a presidente Dilma Rousseff chegou. E o brasileiro vai pagar a conta”, disse o líder da bancada do DEM na Câmara, ACM Neto (BA).
    Corte de emendas parlamentares ao Orçamento será de 72%
    Dilma diz que valorização do mínimo vai gerar riquezas
    Primeiras ações parecem governo ‘Lula 3’, diz Mantega
    Ibama acha madeira ilegal no Minha Casa, Minha Vida
    A oposição também diz achar que os cortes detalhados vão crescer ainda mais até o final de 2011. “Não serão apenas R$ 50 bilhões. As despesas cresceram, a necessidade do ajuste é evidente. No final do ano vamos ver que esses cortes foram muito maiores”, disse o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR).
    Já o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) criticou também o “inchaço da máquina pública”. “Se gastou demais na campanha, agora chegou a conta. E o governo não para de inchar a máquina pública, agora vão criar ainda mais um ministério.”
    GOVERNO
    Em entrevista hoje, o governo afirmou que as despesas com os programas sociais e com os investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) serão integralmente mantidos, mas, ao mesmo tempo, disse que o corte de despesas no Orçamento deste ano irá afetar fortemente o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida.
    A contenção para o programa, uma vitrine de Dilma, será de mais de R$ 5 bilhões nos repasses do governo, o que representa 40% de corte –passará de R$ 12,7 bilhões para R$ 7,6 bilhões.
    De acordo com a ministra Miriam Belchior (Planejamento), a redução de despesa tem relação com o fato de a segunda parte do Minha Casa ainda não ter sido aprovada pelo Congresso. A ministra espera que isso ocorra em abril.
    Segundo o detalhamento do corte das despesas do Orçamento, os gastos discricionários dos ministérios tiveram uma redução de R$ 36,2 bilhões. Os vetos à Lei Orçamentária respondem por R$ 1,6 bilhão em despesas.
    Já as despesas obrigatórias tiveram uma redução de R$ 15,7 bilhões, sendo R$ 3,5 bilhões de gastos com pessoal, R$ 8,9 bilhões nos subsídios, R$ 2 bilhões de gastos previdenciários e R$ 3 bilhões em abono salarial e seguro-desemprego.
    Segundo a Consultoria da Câmara, haverá um corte de R$ 18 bilhões das emendas parlamentares, o que corresponde a aproximadamente 72% das emendas apresentadas, que ficaram próximas aos R$ 25 bilhões.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/882271-oposicao-critica-cortes-no-minha-casa-minha-vida.shtml

    Governo corta 64% no orçamento do Ministério do Esporte
    O Ministério do Esporte foi o segundo órgão do governo federal com maior corte no orçamento para 2011, atrás apenas do Ministério do Turismo.
    O anúncio foi feito hoje pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que determinou corte geral de R$ 50 bilhões no Orçamento da União, para promover o “ajuste fiscal”, isto é, equilíbrio das contas públicas – receita e despesa.
    Originalmente, o Ministério do Esporte havia alcançado o maior crescimento orçamentário para 2011, chegando a R$ 2,3 bilhões, 63% sobre o ano anterior.
    Agora, com corte de 64%, o Ministério do Esporte terá R$ 853 milhões para gastar. Já o Ministério do Turismo sofreu um golpe maior, corte de 84%.
    Esportes
    Na prática, a medida do governo não afetará os principais programas do Ministério do Esporte, pois o aumento de 63% no orçamento deste ano foi em decorrência da inclusão de emendas parlamentares. Isto é, recursos que o governo destina para a construção de pequenos ginásios, quadras etc, nas regiões eleitorais dos deputados.
    Até agora o governo divulgou somente os ministérios e os valores cortados. Os programas atingidos serão conhecidos na edição de amanhã do Diário Oficial da União.
    Moeda de troca
    Ao tomar a medida extrema, o governo abre uma frente de atrito justamente com os políticos, que terão a incumbência de votar as propostas que vierem do Palácio do Planalto.
    Mas, na verdade, a presidente Dilma Rousseff trabalha da mesma forma que governos passados: promove cortes – como os de hoje – que atingem as verbas dos políticos e fica com os recursos das emendas para liberar em futuras negociações, na hora de votar este ou aquele projeto de interesse governamental. É a chamada tese do “é dando que se recebe”, que vigora há anos na Esplanada dos Ministérios.
    http://blogdocruz.blog.uol.com.br/arch2011-02-01_2011-02-28.html#2011_02-28_17_02_54-139474431-0

    Corte de R$ 3 bi não afetará programas do MEC, afirma Haddad
    Amanda Cieglinski/ Da Agência Brasil/ Em Brasília
    O corte de R$ 3 bilhões em despesas discricionárias do MEC (Ministério da Educação), anunciado hoje (28) pelo Ministério do Planejamento, não afetará os programas da pasta. O ministro Fernando Haddad, que está em Recife para participar da cerimônia de abertura do ano letivo da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), reafirmou que as ações previstas serão executadas.
    Leia mais
    • Federais podem perder 10% da verba por causa de cortes do orçamento
    • Valor investido pelo governo fica abaixo do custo mínimo de qualidade em 22 Estados
    • Confira os valores do Fundeb para o ensino médio
    • Veja tabela com os valores do Fundeb do fundamental

    Despesas discricionárias são aquelas em que o governo tem poder de deliberação sobre sua execução, de acordo com as prioridades, podendo ser objeto de contingenciamento. Por exemplo : gastos com diárias, passagens, compra de material e contratação de serviços.

    De acordo com o MEC, do total a ser cortado, cerca de R$ 2 bilhões são de emendas parlamentares. A pasta vai analisar quais tipos de despesa terá que cortar para fazer a economia referente ao R$ 1 bilhão restante. O orçamento do MEC previsto para 2011 era de R$ 69 bilhões.
    http://educacao.uol.com.br/ultnot/2011/02/28/corte-de-r-3-bi-nao-afetara-programas-do-mec-afirma-haddad.jhtm

  • “Então, qual é o limite da sua fé? Você aceitaria, por exemplo, que o governo Dilma desistisse da “ley de médios”?”:

    De maneira nenhuma. So faltava mesmo! So falta mais uma idiota no poder do continente cercada de lobistas mentirosos, como Obama.

    1–Dilma ERROU ao ir pra festinha da falha de SP. 2–Dilma ERROU ao aceitar os argumentos lobistas de reducao de gastos do governo, o unico buraco sem fundo do dinheiro brasileiro eh o judiciario. 3–Dilma ERROU ao colocar Ana de Hollanda aonde esta.

    Nao eh bom sinal nao…

  • APARTHEID SOCIAL… BEM AQUI, PERTINHO, NOS JARDINS.

    Clube obriga babá a usar branco e barra ida a restaurante

    Pinheiros diz que existem áreas, como piscina e locais de eventos, que possuem regras específicas para acesso

    Para coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, regras significam um apartheid social

    CRISTINA MORENO DE CASTRO
    DE SÃO PAULO – FOLHA

    O crachá deve estar sempre no pescoço e a roupa deve ser toda branca. Em alguns dos mais tradicionais clubes de São Paulo, não basta às babás apresentarem carteirinha, como os sócios. É preciso estar trajada de acordo com as regras.
    É assim no Pinheiros, no Paineiras e no Paulistano, todos na zona oeste, cujos títulos chegam a R$ 25 mil.
    No Pinheiros, algumas babás relatam que são cobradas a usar calçados fechados, mesmo em dias quentes. No Paulistano, é preciso usar “sapatênis, sapatos ou tênis da mesma cor do uniforme”.
    “Acho discriminação”, diz a babá Silvana Santana, 36, que vai ao Pinheiros duas vezes por dia. Na semana passada, ela teve apreendida sua carteirinha (onde se vê escrito “acompanhante”) porque vestia bermuda jeans e blusa branca. Foi avisada de que só o patrão poderia retirar o documento.
    Outra passou por uma “blitz de babás” e teve a carteirinha retida, pois não usava branco. Ficou “constrangida e envergonhada.”
    Sua empregadora, que preferiu não se identificar, afirma que ficou tão incomodada que enviou uma carta ao clube explicando que ela não usa uniforme em casa e pedindo que não tivesse de fazê-lo no clube. “Foi indeferido. Alegaram que é regra.”
    Juliana Rodrigues, 25, também babá, diz que já lhe chamaram a atenção no Pinheiros porque sua blusa branca tinha “uma florzinha no canto” e porque usava sandália “neste calor”.
    Diz ainda ser proibida de ir ao restaurante acompanhada apenas das crianças e conta que um sócio já pediu que ela se levantasse de um banco perto da piscina.
    O Pinheiros confirma que as babás só podem ir ao restaurante infantil.
    Sócia do clube, a professora Nuria Carbó, 35, considera o uniforme discriminatório. “Passaram a vir de branco porque muitos sócios reclamaram da presença delas.” Já Paula Krishnan, 37, também sócia, acha que a regra é uma forma de controle. “Assim como os funcionários do clube, [as babás também] têm identificação.”
    O coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Martim Sampaio, vê discriminação na exigência da roupa branca e, sobretudo, no veto ao restaurante.
    “O clube tem o direito de saber quem está adentrando a dependência, até por questão de segurança, mas a carteirinha basta para isso”, diz.

    “É um constrangimento ilegal a empregada ter que se vestir de forma diferenciada e é absurdo impedir que ela entre no restaurante. Ser obrigada a levantar do banco é um apartheid social.”

    Segundo o Pinheiros, o clube tem 37 mil sócios e 1.500 acompanhantes de idosos, crianças e deficientes cadastrados. Eles devem apresentar crachá “e portá-lo em local visível durante a sua permanência no clube, como acontece com funcionários em qualquer organização”. Uniforme e crachá servem para identificação, diz.

    Afirmou que algumas áreas possuem “regras específicas para acesso, podendo ser reservados exclusivamente aos associados”. Paineiras e Paulistano não se manifestaram

  • Parabéns, Eduardo, texto brilhante! É exatamente o que eu penso. Dilma pode escolher a direita, mas vai se dar muito mal. Quando o consórcio mafiomidiático resolver puxar o tapete, Dilma não vai poder contar com o apoio popular com o qual contou na eleição. É um desastre o que está acontencedo: corte de gastos, aumento de juros, desaceleração da economia… O Nassif acabou de publicar um post sobre essas medidas econômicas, que é o retorno do malanismo. E é exatamente a pauta do consórcio mafiomidiático. Ninguém elegeu Dilma Rousseff para isso. Juro por Deus que se esse for o caminho tomado pelo governo Dilma, eu estou fora definitivamente. Acho que até agosto ou setembro já teremos alguma ideia do que está acontencedo. Mas, insisto, se esse for o caminho, estou fora. Note que os mafiosos da mídia estão se divertindo com tudo isso. É deprimente! Eles já sacaram os movimentos iniciais de Dilma. Para enteder a estratégia do consórcio, basta ler o blog daquele cara da veja. Ele entrega tudo. Lá tem um texto em que ele tenta jogar Dilma contra Lula. Mas a questão é: de que lado Dilma efetivamente está??? Ela precisa decidir e demonstrar isso com urgência.

  • Prezado Eduardo,
    Veja agora o tema dos cortes no orçamento feito pelo governo da Presidente(a) Dona Dilma a partir da explicação da Ministra de Planejamento Mirian Belchior e a analise do Nassi publicada no seu blog: “Cortes para todos, menos para os juros”
    Cordialmente, María Edith

    Os cortes no orçamento, segundo Mirian Belchior

    Enviado por luisnassif, seg, 28/02/2011 – 15:15
    Conversei há pouco com a Ministra do Planejamento Mirian Belchior a respeito dos cortes no orçamento. O método utilizado foi o de evitar cortes lineares, para perfazer os R$ 50 bi anunciados.
    Primeiro, definiram-se em cada Ministério os programas prioritários, através da Secretaria de Orçamento do Planejamento e os próprios ministérios.
    A partir daí começou a discussão sobre os cortes. Dos R$ 50 bi, foram cortados R$ 15,8 de despesas obrigatórias e R$ 36,2 bi de despesas discricionárias.
    Parte dos cortes decorreu de vetos na lei orçamentária. Os vetos tiveram que ser maiores para compensar os créditos extraordinários de R$ 3,5 bi para a defesa civil.
    Quem sofreu mais foram os Ministérios que aumentam muito os recursos no Congresso. É caso do Ministério do Turismo, cujo orçamento entrou no Congresso com R$ 800 milhões e saiu com R$ 3,6 bi – em emendas. Na revisão, sofreu cortes de 84% – ou 28% sobre o que foi mandado para o Congresso. O Ministério da Educação, por exemplo, terá corte de R$3,1 bi. Já os cortes no Ministério da Saúde totalizam R$578 milhões.
    Segundo Mirian, em relação ao ano passado houve aumento da dotação para os Ministérios da Educação, Saúde e Desenvolvimento Social.
    Com os cortes, as despesas caem de 18,8% para 17,8% do PIB. E preserva-se o superávit primário de R$ 87 bi (incluindo todos os entes federados), de acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).
    Mirian acredita que estados e municípios não terão dificuldade em cumprir suas metas. No final do ano passado, houve problemas com os repasses aos municípios, devido à redução da arrecadação do Imposto de Renda. Mas nos dois primeiros meses do ano, tem havido forte recomposição do tributo.
    Descrição dos cortes orçamentários

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-cortes-no-orcamento-segundo-mirian-belchior#more

    Cortes para todos, menos para os juros

    Enviado por luisnassif, seg, 28/02/2011 – 18:44
    Mais cedo ou mais tarde, a política econômica vai ter que chegar a um meio termo. Assim não dá. Há que se ser cauteloso, não embarcar em aventuras fiscais, tratar o mercado com racionalidade, para evitar estouros da boiada.
    Mas há algo de profundamente irracional nessa estratégia econômica que procura se impor pela racionalidade.
    No ano passado foram tomadas medidas prudenciais, em contraposição à política pavloviana de aumentar os juros.
    Há sinais desencontrados na economia, com setores aquecidos e outros em processo de desaquecimento, frutos justamente das medidas adotadas. Ora, se existem esses desencontros, é sinal de que o aquecimento é setorial, mais na construção civil, menos na indústria automobilística. O único dado mais generalizante é o do desemprego aberto – que caiu bastante. Mas mesmo na Fazenda há dúvidas sobre os sinais emitidos pelo mercado de trabalho.
    Ora, se o aquecimento se dá no mercado automobilístico, estiquem-se os prazos de financiamento – como foi feito. Se se dá no mercado imobiliário, reduzam-se os incentivos e o crédito. Há um conjunto de ferramentas permitindo atuar diretamente sobre os setores aquecidos.
    Quando se aumentam os juros, afeta-se a economia como um todo – como se todos os setores estivessem aquecidos. E com todas as contraindicações possíveis:
    1. Aumento dos encargos da dívida.
    2. Mais cortes nos gastos públicos para garantir a meta de redução da relação dívida/PIB.
    3. Mais dólares entrando provocando apreciação cambial e mais custo fiscal, com a necessidade de comprar dólares e ampliar as reservas cambiais.
    4. Encarecimento do investimento, pelo aumento da taxa de retorno esperada.
    Então, qual a razão?
    O governo Dilma conquistou adesões devido ao fato de ser racional, dos agentes econômicos esperarem decisões racionais e responsabilidade na condução da política econômica.
    Então qual a razão dessa demora em abrir a discussão sobre os juros? Qual a razão de anunciar o aumento da TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) afetando todos os financiamentos do BNDES voltados para ampliação da capacidade produtiva?
    Como justificar todos os cortes sem discutir abertamente os efeitos da Selic sobre as contas públicas, já que existe uma relação direta entre ambos? Seria até uma maneira de legitimar os cortes para todos os setores afetados.
    A racionalidade exige muitos sacrifícios: inclusive os de investir contra os dogmas irracionais do mercado.
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/cortes-para-todos-menos-para-os-juros#more

    • Olha, Gabriel, se ela quer mesmo um segundo mandato, então deveria fazer o contrário do que está fazendo. Cortando verbas do orçamento, indo a festas do PIG e mantendo ministros duvidosos como Nelson JohnBin, Tony Palocci e Zé Dantas Cardoso, ela não tem a menor chance de se reeleger.

  • Otimo ver tanta disposição ,bem as conquistas vem de cobrança e movimentação .
    agora com tanta concordancia quem sabe as picuinhas dos blogueiros acaba e baixa a humildade e coisa que não aconteceu na entrevista com o Lula .afinal vimos a repercução .
    Bem agora estes mostrarão toda capacidade de organização ,dialogo e concordancia e nesta união saira a verdadeira cobrança sobre lei dos medios .com segundo encontro e metas para isto.
    mas até la não poderemos condenar quem se da ao trabalho de buscar o dialogo ,afinal ela governa para todos ,assim não pode fazer simplismente biquinho e recusar convites em lugares que reclamavamos por não dar voz a outros que não os deles .
    Mas nada como estar bem na fita e simplismente ser contra .
    Sabemos que este pais não tem mão de obra ,empresas e condições para suportar um crescimento que sonhamos ,triste ,sim ,mas quem não preparou o pais para estes dias?
    Vemos o Lula fazer acordo com centrais no referente ao minimo ,agora vemos centrais descumprir acordo .
    Quem errou Lula em confiarnas centrais ou Dilma ao cumprir o acordado .
    Centrais e partido tem eleições assim sugiro a muitos que antes de ver jogo de sena ou materias para a globo participe como ouvinte ou dialogue com membros destes para saber da real.

  • O mais engraçado (no sentido de ridículo) do texto do Attuch é o machismo implícito na insinuação do “clima” entre a presidenta e o ex. A mulher reduzida a sua afetividade…

    Mas acho que a presidenta fez bem em promover um armistício com a imprensa velhaca, a esta altura do campeonato. A conferir o desenrolar do governo, no entanto.

  • A comida continua a ser postada na mesa onde nunca antes aparecia… pessoas que nunca sonharam possíveis continuam a ter acesso a aquisição de moradias… o Brasil avança, vamos enfrentar enormes desafios estruturais… continuamos a conviver (e aceitar) agentes públicos altamente corruptos em altos cargos, pois a vida é como ela é e temos que esperar as condições de modificar tanto entulho… no Congresso, conta-se no dedos os que estão ali pelo nosso interesse… Enfim, estamos, democraticamente, engulindo toda uma parafernália da qual decorrem ainda injustiça que por sua vez provoca violência e desordens.

    Claro que temos que cobrar da nossa Presidenta o melhor dos seus esforços para minimizar toda os enormes erros ainda presentes. Claro que uma da nossas mais importantes bandeiras é a democratização da informação. Entretanto estamos partindo do princípio de que este é o maior dos males e resolvido este, todos os demais cairão como castelo de cartas.

    A Dilma não parece pensar assim. Tem muita comida ainda para ser garantida na mesa de todos, ainda mais agora que ela propõe, mais do que justificadamente, tolerância zero quanto a miséria.

  • Olá Dudú.
    Seu texto está 100%, muito bom mesmo.
    Quero acrescentar um detalhe; a Dilma vai realmente fazer a Lei dos Meios, mas não será a Lei que queremos. Penso que ela vai preservar muita coisa para a Globo, i.é, vai cortar alguma coisa, mas não tudo .
    Aguardar e ver.

  • Saiu no BLOG Amigos do Presidnte Lula..Análise perfeita

    Dilma com Ana Maria Braga: a estratégia, a imagem e a notícia

    A estratégia política

    Quando a presidenta Dilma foi à cerimônia de 90 anos da Folha de São Paulo, na semana passada, causou mal-estar em todos nós que apoiamos o governo Lula e a candidatura dela, contra o jornalão. Mas, como estratégia política, ela estava certa.

    Ela colocou no bolso a oposição demo-tucana paulista e o PIG (Partido da Imprensa Golpista). A oposição, que já está na UTI, ficou menor ainda, foi desarmada, com ela sendo o centro da festa em pleno reduto oposicionista. De quebra, Dilma tomou a bandeira da liberdade de imprensa, daqueles que a criticavam justamente por isso.

    • Espero que seja por aí mesmo amigo (eu acho que é).

      E tem mais; se alguem amanhã falar que ela é contra a midia fica sem argumento.

      É só ela falar: queremos um lei igual ao primeiro mundo, ninguém aqui quer tolher a liberdade de imprensa, pelo contrário; vamos dar mais liberdade do que já temos.

      Agora, pra isso tem que se preparar e ser mas didática com o povão se não eles não vão entender.

      E por tabela vem o PNBL (ou este vem antes ?)

    • Prezado Roberto,

      Sabes me dizer quanto tempo depois de eleita a Cristina conseguiu aprovar essa lei ?

      Eu não sei. Mas acho que não foi assim do dia pra noite.

      Grande abraço.

  • Não gostei do texto do Leonardo. Não falo de estilo, mas do fato de se tentar prever o que, por ora, me parece demasiado precoce. Concordo, no entanto, que a leitura feita por ele parece mais plausível do que a de muitos que acreditamos numa estratégia da presidenta. Com todo respeito a você e ao Leonardo, o último parágrafo do texto dele é nauseante, mesmo se tratando de metáfora. Agora, a insatisfação dos movimentos socias, das centrais sindicais, a minha, a sua, a nossa insatisfação… essa, sim, era facilmente previsível. Confesso que tento esconder de mim algo que me afligiu de repente. Estou certo de que a atitude da presidenta ainda pode ser considerada uma estratégia – fazer-se mais popular (Ok, talvez a minha fé me faça acreditar nisso). O que ocorre é que o risco me parece altíssimo e que ela pode acabar ultrapassando o limite – se é que existe algum limite seguro nessa estratégia – e terminar tropeçando na própria astúcia. O que me afligiu? A ideia de que a possível estratégia não passe de medo da imprensa. E isso não é o pior. O pior é pensar que a náusea a que me referi seja apenas uma reação natural diante de uma possibilidade real. Só o tempo trará a resposta que tanto queremos. Agora, “como o governo Dilma irá propor uma ‘ley de medios’?” é uma ótima pergunta, mas por enquanto fico com: que “ley de medios” o governo será capaz de propor? Deixemos de lado a questão da aprovação porque posso desistir da esperança e acabar ficando com o desalento. Um abraço!

  • Alguém tem um sinônimo ou algo que se aproxime disso. Penso que algo parecido está ocorrendo com a presidente… Ou estou me iludindo.
    A Síndrome de Estocolmo é um estado psicológico particular desenvolvido por pessoas que são vítimas de “sequestro”. Ela se desenvolve a partir de tentativas da vítima de se identificar com seu captor ou de conquistar a simpatia do “sequestrador”. Pode ser também chamado assim uma serie de doenças psicológicas aleatórias.
    As vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os “sequestradores”, a princípio como mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência.
    É importante notar que os sintomas são consequência de um stress físico e emocional extremo. O complexo e dúbio comportamento de afetividade e ódio simultâneo junto aos captores é considerado uma estratégia de sobrevivência por parte das vítimas.
    É importante observar que o processo da síndrome ocorre sem que a vítima tenha consciência disso. A mente fabrica uma estratégia ilusória para proteger a psique da vítima.

    Afinal, está difícil de entender…

  • Não aceito qualquer titubeio em relação à ley de médios, tem de vir em sua mais completa acepção, pois sem ela a democracia brasileira sempre estará à mercê de farsantes e canalhas. Estou pronto para erguer barricadas para defender esta posição.

  • Bem, os “achismos” são dos dois lados pois o que irá acontecer só veremos de fato quando e se acontecer.

    Repito que a única hipótese de Dilma estar fazendo o jogo do PIG é ela ser uma traidora.

    Com a história de vida que ela teve, esse não me parece o perfil dela.

    Portanto um pouco de calma na esquerda não faria nada mal.

    Dois meses e as medidas econômicas seguem sim o receituário palociano, mas Edu, não foi vc mesmo que postou falando que o Brasil não suporta outro ano de crescimento a 7,5 ou 8% e que as medidas de freio na economia (que já vinham sendo implantadas DESDE o final do governo Lula) são necessários para evitar que a inflação de demanda saia do controle?

    Sim, esse Antonio não me parece nem um pouco Patriota como o excelente Celso Amorim.

    Sim, Ana de Holanda aparelhando o Min da Cultura como órgão arrecadador de artistas e sucursal do ECAD cheira muito mal

    Sim, o silêncio do governo federal quanto a condenação do Brasil na OEA em relação aos desaparecidos políticos é desanimador

    E a ida na festinha fazer agrado no Jornal “democrático” defensor de ditaduras dos Frias também cheira mal demais.

    Agora, se tudo isso não for tática pra minar o PIG (parte dos 44% os que votaram com o PIG), então a Dilma está fazendo um governo a lá Serra.

    Eu AINDA – apesar de alguns sinais – NÃO ACREDITO nisso.

    Pra mim Dilma e Lula sabem o que fazem.

    O quê, eles não me contaram. Mas acredito que haja método nessa loucura.

    E o artigo do cara da Isto é é NOJENTO. Coisa de vizinha alcoviteira.

    • Tenho pensado muito até que ponto o PT está pensando em sua própria sobrevivência. Pode parecer estranho, pois é o partido que está no poder executivo federal, fez a maior bancada do Congresso, mas só isso explicaria com maior clareza, para mim, as últimas ações do governo Dilma.

      É como se eles, do PT, estivessem de olho no eleitorado de Marina-Serra. Esse eleitorado conservador. Como se estivessem indo para o centro para garantir o futuro junto a esses eleitores, garantindo a ação do partido nesse segmento. Principalmente a nova classe C, tão celebrada pela mídia. Seriam ações, então, para um projeto de partido, não de país.

      Como você bem colocou, há muita coisa estranha acontecendo. E incrivelmente em pouco tempo. As peças estão se movendo no tabuleiro e a confusão de agora não durará muito. Em pouco tempo será possível ver e entender com maior clareza os motivos e consequências desse distanciamente de tudo que esteja à esquerda por parte do PT.

      Minha decepção e revolta inicial dão espaço para uma tentativa menos apaixonada e mais realista de compreender o que estamos vivendo. Ao menos para isso serviu a festa da Folha.

  • Boa noite Eduardo!!

    Concordo em número, gênero e grau contigo (desculpe os chavões no texto). O PIG e o PSDB estão tentando encontrar brechas para voltar ao poder. De que forma? Só com outro chavão: “Se não podes contra eles, junte-se a eles”. E essa lua de mel só durará quando surgir o primeiro caso de corrupção. NOTA: Obviamente torço para que sejam exterminados todo e qualquer indício de pessoas corruptas, não que, para deixar bem claro, penso que isto acontecerá no governo da presidenta. Torcerei para que seu governo derrube um milhão de casos, mas que derrube, como o ex-presidente Lula o fez. Mas voltando.
    Essas pessoas que atualmente vem “namorando” Dilma tem um único e determinado objetivo: tentar esfacelar o que o ex-presidente construiu. Ou seja, no desespero, as pessoas se transformam. Certamente, a presidenta é astuta. Mas o que preocupa é a “puxada de tapete”. E esta, geralmente, não prevemos a hora exata. É, para mim, preocupante esta aproximação com cara de noite de núpcias. Não tenho dúvidas sobre a índole do PIG e daqueles que a comandam por anos. Esta estória está se assemelhando com a fábula do escorpião e o sapo para atravessar o rio. O escorpião pede para ir na “cacunda” do sapo. O sapo sabe da natureza perversa de predador do escorpião. O escorpião verbaliza para o sapo afirmando que ele não irá descarregar seu poderoso veneno no sapo, pois se o fizer ambos morrerão afogados. O sapo consente. O escorpião sobe nas costa do sapo para atravessar o rio, pois não sabe nadar. No meio do rio o escorpião desferi seu veneno no meio das costas do sapo, cravando sua poderosa cauda. O sapo indaga: Mas porque fez isto? Você agora morrerá afogado? O escorpião com um “semblante perspicaz, autoritário e arrogante” responde: é minha natureza, é minha índole!!! Portanto amigos, cuidado com estes escorpiões do PIG e do PSDB!!!!

    Abraço

    Romeu C. Moura

  • Ao Governo Dilma desistir da tal “ley de médios” estará aderindo ou se capitulando diante da facção política mais corrupta, conservadora, egoísta, cínica e antidemocrática da História do País.
    Se a “lei dos meios de comunicação” não é, ou nunca foi, um projeto do Governo Dilma e da cúpula do PT, deverá ser o da maioria das pessoas que desejam a efetivação da Democracia no Brasil.
    Os egípcios demoraram 30 anos para derrubar a ditadura de Mubarak, talvez aqui um dia, (nós) o Povo Brasileiro tenha que escrever a sua História por si só, certamente ao PT não interessa mais fazer-nos companhia, está a caminho de se juntar aos demais partidos de centro, de direita e de esquerda, que abominam e repudiam a presença e os anseios e necessidades deste mesmo Povo.
    Portanto, se ao PT e ao Governo Dilma não interessa mais participar da construção de um País justo e Democrática, paciência.
    Vou continuar, como “Povo” a fazer a minha parte.

  • …………………………O deputado Cndido Vaccarezza PT-SP ser o lder do governo Dilma Rousseff PT na Cmara mesma funo que ocupou no ltimo ano de mandato do presidente Luiz Incio Lula da Silva. A indicao para o cargo de lder do governo realizada pela prpria presidente que deve oficializar a deciso hoje…Vaccarezza era apontado como o preferido de Dilma para ser presidente da Cmara mas perdeu a disputa interna no PT para Marco Maia RS que ontem foi eleito para comandar a Casa. Dilma no oficializou a escolha de Vaccarezza para a liderana do governo antes da eleio para a presidncia da Cmara para evitar reflexos na disputa…Vaccarezza est em seu segundo mandato na Cmara.

  • Se estivéssemos na Alemanha e perguntássemos se a primeira ministra Ângela Merkel deveria ou não aceitar um convite para festa em conceituado jornal, ou comparecer a programas de TV de renomadas apresentadoras, o cidadão questionado ficaria pasmo: por que não aceitar? Nada mais natural que governantes e mídia mantenham uma relação civilizada. Na cultura tupiniquim as coisas não parecem tão simples. Leonel Brizola, certa vez, quis amenizar o clima de tensão que havia entre ele e a família Mesquita, desde os tempos de Getúlio Vargas. Resolveu fazer uma visita ao Estadão, mas, foi barrado na portaria… O Brasil mudou muito, isto é, está crescendo bastante. Logo seremos a quinta economia do mundo, ali junto com a Alemanha, mas, com uma cultura política bem diferente. Dizem que agora a mídia tornou-se amiga da Dilma. Em contrapartida, a blogosfera progressista, ou “amiga”, está cada vez mais arredia. José Dirceu e Luis Nassif sempre criticaram a política econômica do governo. Parece que eles fizeram escola: tem muito blog por aí pedindo a cabeça de Palocci.

  • Retificando o primeiro parágrafo do comentário anterior:
    “Ao desistir da tal “ley de médios” o Governo Dilma estará aderindo ou se capitulando diante da facção política mais corrupta, conservadora, egoísta, cínica e antidemocrática da História do País”.

  • Boa noite,

    Quem quiser ver o Poeta Ferreira Gullar debochar do ex-presidente Lula, e arrancar gargalhadas do pseudo-jornalista Algusto Nunes,da VEJA, e do retardado Paulo Moreira Leite, da ÉPOCA, pode sintonizar na TV BRASIL. Tá passando o Roda Viva, do psdb.

  • Vcs querem saber o que Dilma pensa ta muito cedo, e ela pensa como mulher a estratégia é differente,e se nos decepcionar mudamos de lado qual é o problema estamos acostumados.

  • concordo e assino embaixo o seu texto. Lula deixou um congresso como nunca antes ao sucessor, Dilma tinha ou tem toda a chance de fazer as mudanças ou discutir esses temas. Não dá sinal de faze lo. Brada liberdade de imprensa para o PIG como se o governo lula tivesse tido censura a imprensa, como se o governo lula desse sinal de ditadura, a não ser na visão do PIG, já que lula o enfrentava mesmo. Mas nunca um sinal do governo nesse sentido. Dilma brada liberdade de imprensa e ditatura, como se no projeto por exemplo da regulação da midia tivesse censura como quer a imprensa pense. Como se FRanklin Martins tb não tivesse vivido a mesma luta que ela na ditadura, e ai vem um ministro do governo dizendo que pode haver besteira no projeto de franklin Martins? Isso é o fim da picada…Dilma e seus ministros dão o tom de elogios recebidos do PIG com criticas ao governo lula, intencional ou não. Como disse bradar liberdade de imprensa como se lula não desse e do qual governo ela e esse ministro participaram. Não dá.

    ir a folha e elogiar parece ter sido fácil, assim como criticar sua assessoria pelo erro do nome da cidade, mas se foi ela ou sua assessoria quem escreveu seu discurso na folha, esqueceram de mencionar a participação da folha na ditadura. O salário minimo até tendo entender o valor, mas não como foi tratado o debate e os sindicalistas. Defender os direitos humanos no mundo eu tb defendo, mas não saber separar direitos humanos de uma aproximação econômica e investimento, tb não da para aceitar. Digo isso no sentido de defendemos o irã como investimento, economia, mas condenamos como são tratados os direitos humanos. por exemplo. Essa foi a política de lula, mas Dilma parece não enxergar e dá apoio ao PIG quando só acena nesse sentido.

  • Caro Eduardo,
    uma lei para controlar e democratizar a nossa mídia é muito pouco: na minha opinião pessoal a questão deveria ser resolvida no paredão (ou guilhotina).
    Mas quem quer a “ley de medios” somos nós, formados, concientes, progressistas; o povão não tem a menor idéia, tá ca****o e andando.

    • Reis, o que precisa de fato ser implantada é uma Ley de Medios que tenha como alicerce a participação popular. Como? Com a criação de comitês populares (formados por sindicatos, ONGs e entidades), que atuariam dentro dos veículos de comunicação analisando previamente o material a ser divulgado. Para isso, haveria aprovação no Congresso de um Código de Ética que regularia a forma como uma informação poderia ser levada a público. Ou seja, denúncias precisariam ser fundamentadas em documentos ou em depoimentos em “on”, por exemplo. O direito de resposta passaria a ser uma atribuição constitucional. É inadmissível que um sindicato dos jornailstas não possa atuar diretamente nos veículos em que seus filiados trabalhem, concorda? Os comitês populares representam a base da democracia por permitir ao povo manifestar a sua expressão. Ninguém é obrigado a ver as obscenidades de um Big Brother apenas por que a Globo nos impinge sua vontade. Sem isso, jamais teremos uma mídia isenta neste país. Agora, será que Dilma terá respaldo para isso? Tenho minhas dúvidas….

      • Paulo,
        sem entrar no mérito dos comites populares como melhor caminho para uma Democracia qualificada, a questão é o RESPALDO.
        A própria eleição da Dilma mostra que é o respaldo do povo que supera o poder econômico e os interresses das elites – que a mídia representa, e dos próprios políticos – senadores e deputados são detentores de mídias!
        Menos ansiedade: o ansioso blogueiro PHA, que muito cobra a “ley de meios”, já arrefeceu a sua. Talvez tenha percebido que HÁ uma estratégia para promover o debate e angariar o apoio da população, na qual se incluí o PNBL – a banda larga, e o jogo do “bom” e do “mau” entre Dilma e Lula frente a mídia reacionária.
        Correndo o risco de me repetir, a “ley de medios” é muito significativa para nós que somos “sem mídia”, mas para o povo, a nação Brasil, as prioridades são: EDUCAÇÃO, SAÚDE, DESENVOLVIMENTO.

    • Estou chegando hoje nesta discussão, por problemas profissionais estive no interior de São Paulo 2a. e 3a. feira, mas vamos lá.

      1. Realmente, os primeiros movimentos políticos do governo Dilma não entusiasmam os que lutaram com unhas e dentes na defesa da sua candidatura, pela continuidade do projeto do governo Lula e que votamos nela contra o retrocesso certo que seria uma vitória do tucano José Serra.

      Mas as primeiras medidas do governo Dilma realmente parecem a implementação da agenda neoliberal e midiática derrotada no ano passado, com o aumento dos juros da taxa selic; o corte de 50 bilhõe do orçamento federal para 2011 e o aumento pífio do salário mínimo e seu confronto com as centrais sindicais.

      Mas isso não deve surpreender quando temos agora na Casa Civil um Palocci, que já foi apelidado de Antonio Malocci, uma espécie de cruzamento genético/político de Pedro Malan + Antonio Palocci, que já foi visto no primeiro governo Lula como uma pedra no caminho do crescimento da economia brasileira naquele período, foram célebres as discussões dos ministros do governo Lula dito desenvolvimentistas ( incluida a então Ministra Dilma) x ortodoxos, como Palocci e Meireles no BC;

      2.- Outro sintoma estranho do governo Dilma é o derretimento do PIG em relação a nova Presidenta.
      Isso realmente não é um bom sinal, pois essa turma da imprensa conservadora nunca primou por apoiar nenhum governo que tivesse víés trabalhista e social, sempre cairam de pau em cima, sem dó nem piedade;

      3.- Agora, se o governo Dilma realmente desistir de implementar a regulamentação da mídia, que está acéfala após a revogação da antiga lei de imprensa, lei 5250/67, por lobby escancarado dessa própria mídia, os motivos para dúvidas em relação aos rumos desse governo serão enormes;

      O que consola é que já se disse e é um fato que o PIG não quer nem ouvir, é que nesse jogo na defesa dos reais interesses da maioria do povo brasileiro, que acredito que a Presidenta Dilma não renegará, apesar desse início algo desanimador, é que temos um PELÉ POLÍTICO NO BANCO DE RESERVAS, o ex- PRESIDENTE LULA, prontinho para entrar em campo em 2014 se for necessário , por sinal o ano da Copa do Mundo de Futebol no Brasil.

      Espero que não seja preciso colocar nosso Pelé político em campo em 2014 para resolver esse jogo, vital para o futuro do nosso Brasil e da maioria do nosso povo.

  • Somos apressados demais. Leiamos, releiamos o comentário de Ruy Acquaviva acima. Releiamos. Não entendemos? Acho que é aquilo mesmo.
    Digo eu, Dilma não é propriedade nossa. Algumas pessoas pensam ser traição ela flertar com a direitona, Hebe, Ana Braga, Otávio Filho e outros. O cargo dela é pra nós. Eu, você, Ana Braga, Hebe, e todo mundo.

    • Só, Evaristo, que por enquanto ela só esta sendo presidenta da hebe, ana e sua turma, explique para uma pessoa que precisa urgente fazer uma hemodialise que a Dilma não tem coragem para recriar a CPMF, agora para enfrentar trabalhadores ela tem. Só esta faltando a famosa frase: temos que esperar o bolo crescer

      • Política sem algum nível de enfrentamento não existe. Conciliação, nunca existiu entre elites e ralé (prá usar um termo tucano).
        A máfia midiática não quer, nunca quis e não acredita em Democracia. Ou melhor: Democracia tem um valor monetário prá essa cambada. “Fez-se a Revolução democrática”, na manchete do Globo em 64.

        Quem está enfrentando quem no Brasil de hoje? A presidenta chamada de terrorista, abortista, ladra, sapatão, corruputa, “poste”, é um lado do debate.

        Do outro lado está a direita do salário mínimo de R$ 600,00, os cristãos que combateram a Seita Satânica do Michel Temer (Papa incluso), e por vamos.

        Nunca existiu acordo de cavalheiros quando em um dos lados não há cavalheiros. Pobre da Dilma se quiser conquistar a máfia. Tem mais é que agir e falar como hoje em Irecê. E dái prá frente. E vai levar porrada, cacete, porque do outro lado é a máfia, são os torturadores (por favor, a Elite econômica é respeitável, mas a direita-burra enche o saco porque tem ainda alguma mídia).

  • Eduardo, viciados em drógas e criminosos têm direitos de se recuperarem.

    Você por não aceitar e dizer que vai para a oposição, mostra um radicalismo muito forte.

    Não foi isto que Lula pregou no seu governo, nem Dilma está pregando.

    Sabemos do mal que a mídia fez a este pais, mas não lhes dar o direito de mudança, é difícil de se aceitar.

    Esta é a primeira vez que discordo da sua pessoa.

  • Se Dilma não cumprir com a criação da ley de medios, lógico que ficarei muito aborrecido, a propriedade cruzada é uma anomalia que tem que ser combatida. Ficarei mais chateado se ela, de fato, se unir com a grande mídia e fizer tudo que ela quiser, como privatizar a Petrobrás, Privatizar o Pré-Sal, acabar com os programas desenvolvimentistas criados por Lula, etc…. Aí eu iria apoiar a esquerda mais radical.

  • Bom dia Eduardo, repito aqui o post de ontem que você me pediu pra repetir. Aguardo sua opinião:

    Eduardo, percebo que a presença da Presidenta na festa da Folha causou mais repercussão negativa do que o corte de R$ 50 bilhões no orçamento.

    O corte, traz consigo a justificativa de que as políticas adotadas durante a crise econômica mundial de 2008 compromteu o crescimento brasileiro, e levou o Governo a cortar impostos, auemntar o crédito e estimular (inclusive com um depoimento pessoal do Presindete Lula na TV) o consumo. Se a equipe econômica diz que isso pode reascender a inflação e que este corte se faz necessário, acho que devemos confiar e observar os próximos capítulos.

    O que não se justifica é a negativa em negociar. E não digo negociar com as Centrais Sindicais o valor do salário-mínimo. Estas tiveram o reajuste acordado de inflação + PIB de 2 anos atrás, o que leva a esse aumento pequeno em 2011 mas a um patamr mais aceitável no próximo ano. Mas o servidores federais por exemplo, ainda não foram recebidos para uma conversa, o que levou a um indicativo de greve nas Universidades Federais previsto para o fim de março.

    Voltando ao “rega-bofe” da Folha, o simbolismo do ato é realmente desastroso. Trouxe uma revolta totalmente justificável em todos que “compraram a briga” em defesa da candidatura e da pessoa da Presidenta Dilma durante o perído eleitoral.

    Nada contra uma aproximação do PSDB com o governo, se aquele abandonar o discurso de oposição pura e simples e vier a contribuir. Mas este movimento, embora na mesma direção do que está sendo sugerido, deveria ter um sentido contrário. Ou seja, de lá pra cá. E veja bem, isso não significaria se aproximar da grande mídia, que está atrás de recuperar as verbas de publicidade descentralizadas pelo Ministro Franklin Martins no Governo Lula.

    A “Ley de Medios” deve ser enviada ao Congresso após garantia de aprovação na base aliada, mas a pulverização das verbas publicitárias ou sua nova concentração nas maõs e bolsos dos neo-Dilmistas do PIG é que vai realmente servir de termômetro pra entender a tal estratégia que está incomodando a (quase) todos nós!

    Um abraço;

    Flávio Sereno

    PS: Parabéns pelo blog, está referenciado no nosso:

    http://blogdafamliasereno.blogspot.com

      • Eduardo, acho que o discurso de Irecê bota um rumo nessa conversa, né? Juntando com as entrevistas prá Hebe e a Ana Maria Braga, parece que a Presidenta, que os änalistas” do Egoto acusavam de poste e de “muda”terão que mudar sua estratégia.
        Agora gastarão milhões para criticar o que “a muda” fala.
        É divertido ver a direita sem rumo, os saudosos da ditadura e do neoliberalismo, os Gadaffi brasileiros, os Mubarak, todos ciscando.
        Enquanto a direita-burra curte seu dinheiro roubado e tenta salvar-se como Gadaffi, o povo brasileiro faz o Carnaval, e a Presidenta governa em fina sintonia com o País.
        Aliás, ela estava linda hoje, não acham?….rsrsrrs

  • Ontem escrevi que me recolheria, mais não aguentei, portanto vamos la:

    Eduardo, infelizmente sou obrigado a concordar em genero , numero e grau com voce, ontem foi o limite:

    -Levei minha filha para fazer a inscrição em disciplinas na Universidade Publica que ela passou , cujo novo campus tinha sido recentemente inaugurado, mais ainda faltam biblioteca, laboratorios, etc. Enquanto ela fazia a inscrição andei pelo local e perguntei aos funcionarios se iriam concluir as instalações, me informaram que estavam suspensas pelo corte de verbas. Ha! me lembrei imediatamente que algum amigo do blog, ainda inocente, que me disse uma ocasião para minha filha ficar tranquila, pois ele acreditou na DIlma no discurso que fez sobre educação, pois é, minha filha é nova acreditou e lutou pela eleição da Dilma, sofrendo na pele muitas agresões, pois vivemos numa cidade reacionaria agora esta decepcionada, é lógico que com o Serra seria pior, mais não podemos dizer que um bandido é melhor que o outro porque cometeu menos crimes.
    -Corte de 40% no programa minha casa minha vida, prejudica quem???
    -Corte de quase 3 bi na educação,prejudica quem???
    -Corte no ministério das cidades (lembram das enchentes??) , prejudica quem???
    – Corte na convocação de quase 40.000 aprovados em concurso, prejudica quem???
    – Ida a FSP, para agradar quem??
    -Postergação da ley de médios, para agradar quem????
    -Aumento de juros, quem lucra????
    Olha que com apenas 60 dias de governo esta lista poderia continuar, mais não precisa,se responderem a estas perguntas fica facil perceber de que lado esta o Governo, ao lado das elites financeiras, apoiadas pelo PIG, que é quem verdadeiramente manda neste Pais

    Outro fato interessante é o seguinte, ja que a DIlma esta com uma base parlamentar tão solida ao ponto de aprovar com facilidade o SM, porque que ela não tem coragem de recriar o imposto socialmente mais justo que este pais ja teve (CPMF). Falar duro para os trabalhadores é facil, agora encarar os poderosos fica dificil
    Temos medo de crescer???PO… quando conseguimos chegar a apenas 7,5%, temos que reduzir???? quem perde e quem ganha???

    Agora veja a diferença, a Cristina na Argentina enfrentou o PIG local e as Elites e esta crescendo 10%

    Perdi a Fé tambem, e o pior correr para onde????

    • Antonio, acho que não se pode dizer que tudo isso seja “estratégia”. Acredito que seja a identidade da presidenta mesmo.
      Infelizmente já estou de barbas de molho… mas ainda é cedo. Vou esperar mais. Só não acredito que as leis dos meios saiam após tanta troca de gentilezas.

  • Tô com a sensação de ter perdido a eleição… Esse governo tá parecendo o PSDB.

    Corte de 40% no programa minha casa minha vida;

    -Corte de quase 3 bi na educação;

    Dilma na Folha de São Paulo;

    Dilma na Ana Maria Braga;

    Dilma na Hebe;

    Espero que isso passe quando a Ley de Medios sair do papel.

    Se sair.

    Se não sair, vou embora pra Argentina ou para os E.U.A

    Na Argentina e nos E.U.A. há confronto entre direita e esquerda, inclusive na mídia. Assim caminha a humanidade. Quando não há debates, vem o sedentarismo político. E quem sempre ganha com o sedentarismo político é o P.I.G e a direita, que são a mesma coisa.

  • Caro Eduardo,

    Compartilho com sua opinião. Veja bem, Em Minas Gerais O petista tucano Fernando Pimentel que contribuiu para tirar o PT da prefeitura de Belo Horizonte depois de 16 anos no poder, foi agraciado com um ministério por, supostamente, ser amigo pessoal da Dilma.

    Enquanto que por pressão do Lula o PT e de alguns petistas tucanos como o citado acima, o Dep. Reginaldo Lopes, presidente do PT mineiro, entre outros aceitou ter o vice na chapa para governador de um representante do PIG, Hélio Costa.

    E quem fez o sacrifício, Patrus Ananias, tudo para ajudar a alavancar a Candidatura de Dilma no estado.
    Há boatos que a Dilma não se dá muito bem com Patrus Ananias e mesmo ele fazendo o sacrifício foi abandonado por ela.

    Hoje, Patrus Ananias voltou ao antigo cargo, técnico administrativo na Assembléia de Minas Gerais. Para mim não é um comportamento muito digno.

    Contudo, gostaria de fazer uma sugestão: que os blogueiros progressitas solicite uma entrevista com a Presidenta e, aí poderia esclarecer ou comprovar várias dúvidas.

  • A Lei dos Médios vai sair por que é a hora, nem eles se agüentam mais. Pode não sair do tamanho que eu e tu esperamos, mas se sair 50% desta vontade nossa, já é um avanço. Minha maior angústia nem é pela doma dos meios, mas pela miséria que ainda temos no país. Acho esta briga da Dilma mais importante do que a luta contra o pig.

    • Não considero o governo covarde, mas não adianta ter somente boas intenções, é necessário colocá-las em prática. Então o Governo Dilma tem que mostrar que é continuidade do Governo Lula e aprofundar as mudanças sociais e não regredi-las.

  • Assisti parte do programa da Ana Maria Braga. Posso ter perdido algo importante, mas baseado no que vi e ouvi insisto no que alguns já dissemos: só o tempo nos dará as respostas que tanto queremos. Dilma Roussef, a meu ver, é uma excelente estrategista. Poderá dentro de alguns meses dizer: ok, respeito a imprensa, converso com a imprensa, quero que ela continue livre, e precisamos de uma lei que atenda aos interessas dela e também aos interesses do povo desse país. Com esta atitude ela faria a proposta que sairia dolorosa para a imprensa e benéfica para o país. Cenário de sonho, certo? E como é difícil achar matizes nessa relação, a outra possibilidade – não me sinto capaz de acreditar nela – é um acordão com a imprensa: olha gente, eu vou lá, mostro que sou um ser humano, uma mulher como qualquer outra, e a gente suspende essa lei – ou pelo menos faz uma lei que lhes prejudique menos, senão eu fico mal com meu eleitorado.

    Sinceramente, depois de ter sonhado – é mole? – que minha mãe era ministra da presidenta, prefiro simplesmente alimentar minha esperança, mesmo estando ciente do que pode estar cheirando mal nesse reino. Caso um odor insuportável tome conta do país e o tal do acordão se confirme, direi: tudo dentro da normalidade, a política nesse país é mesmo uma piada. E pior do que está, sempre fica!

  • Só tenho um reparo a fazer ao comportamento da Pres. Dilma e refere-se à sua ida à Folha: não é de bom tom ir a um velório usando vestido vermelho.

    • Era só o que faltava ela ir com a roupa da cor da bandeira dos tucanos srsrsrsrsrsr !!!!!!! acho que a Dilma não seja tão tapada!!! acho …por enquanto…pois não sei se minha opinião mude!!!as vezes as atitudes de quem defendemos possam nos magoar, mas se faz bem para o povo brasileiro, quem sou eu para julgar!!! vou só torcer que prevaleça o bom senso para com quem acreditou nela!!!saudades do LULA!!!!

  • Votei e fiz campanha para Dilma Roussef. Também não estou contente com a tendência que este governo Dilma vem assumindo.

    Não considero que a economia brasileira esteja em crise para que o Governo Dilma corte gastos, não contrate servidores novos e defina o salário mínimo em 545 reais.

    Se a economia está em crise, por que este governo não corta os juros da dívida que tanto prejuízos causam ao erário público e que só beneficiam os banqueiros. Para sair da crise tem que investir e fazer com que a sociedade usuflua do turismo, do comércio, dos serviços diversos, que isto gerará empregos e receitas para o Governo. O que não vai gerar receitas para o Governo é continuar pagando os altos juros ao sistema mercenário e sanguessuga financeiro do país, onde o dinheiro de uma nação inteira escoa para os bolsos dos bandidos (aqui sinônimo de banqueiros e agiotas).

    Lembro muito bem de uma entrevista que o Guido Mantega fez no final do Governo FHC, ele disse textualmente (num programa da então jornalista Maria Lidia da Gazeta) que era necessário que o Estado investisse nas áreas sociais, mesmo que houvesse aumento da inflação, era necessário que o Governo colocasse dinheiro nas mãos dos mais pobres e isto faria a economia brasileira girar, isto melhoraria a situação econômica dos mais pobres…Mas hoje a equipe econômica da Dilma, parece ter esquecido o que o Governo Lula fez e pretende seguir o receituário do FMI e dos bandidos que controlam e ganham dinheiro com o sistema financeiro do país.

    A nossa presidenta Dilma Roussef tem que acordar e ver que não foi eleita para fazer as ações neo-liberais do PSDB e sim para continuar e aprofundar as ações sociais do Governo Lula.

    A nossa “Ley de Medios” também é muito necessário para o desenvolvimento do país…mas parece que a nossa presidenta foi entorpecida pelo PIG e não quer saber da nossa “Ley de Medios”.

    Continuo apoiando o Governo Dilma, mas com ressalvas. Desejo sucesso para este governo, desde que este sucesso redunde no aprofundamento das ações sociais iniciadas no Governo Lula.

  • A esquerda e suas correntes.
    Muitos falam que o PT mudou.
    Esta analize simplista das coisas leva muitos que nunca militarão a criar muitas teses.
    Mas sabemos que o PT foi e é a unica via que realmente chegou a alguma mudança neste pais .
    Em sua fundação foi a via possivel para muitos ,assim tivemos os mais a esquerda ,os radicais e até os sonhadores onde tudo que pregavam não passava de sonhos afinal com democracia e 3 poderes ou mudamos com maioria e tempo ,ou ficaremos vagando entre suposições e novos caciques .
    Mudanças se constroi nas bases ,pois a cupula esta tomada por aqueles que sempre estiveram la .
    Mas temos os que critam,usam os seus meios para gritar e conquistar espaço,gritam na real ou gritam nos papais .
    O PT passou anos mantendo suas bases ,os mais a esquerda nunca se deram ao trabalho de ganhar as bases,fazendo a politica dos encostados como fazem até hoje ,ficaram disputando bases prontas como sindicatos e faculdades ,lugares onde não colocam a mão no bolso para mante-las .
    Hoje o PT é dominado por uma corrente que mantem e procura o dialogo ,tem consciencia dos 3 poderes e sabe do potencial e concequencia de partir para o radicalismo.
    Esperamos tudo do governo,afinal a geração que se organizava cobrava ,com articulação proposta viaveis agora espera do governo.
    Vemos o PSTU,PCO,PSOL fazer o obvio gritar para conquistar votos ,mas a efetiva mudança ,dentro de um campo que ninguem pode contestar o campo da democracia onde os mais ferrenhos opositores não pode contestar quem fez foi o PT, atraves de uma corrente moderada onde alguns chaga a chamala de centro,mas que centro é este que nos da maradia, trabalho,educação e se propoe a dar uma melhor saude .
    Não me coloco como funadador do PT como muitos embora ja panfletava gratuitamente na primeira eleição ,fiz isto para Miguel Guillen enmSto Andre .
    Assim posso dizer que nunca vi os mais a esquerda em dzs ou bases ,os caciques dos mais a esquerda ,querem tudo pronto o mais facil ,nunca vi um Pomar .ou representantes das correntes que sairam vir as bases perguntar oque era nessessario para manter aquilo.pois mantinham e mantem suas bases em locais prontos sem custo ou trabalho,sindicatos e faculdades fora isto tente achar os mais a esquerda .
    encostam em movimentos mas quando alguem vai em cana veja de que partido é a não ser que seja os locais prontos sem custo.
    A porta esta aberta ,dialogo ,cobrança e participação ,agora não da para analisar a real atraves de blogues ou pelo PIG,pois o jogo não se da neste campo, ele chega a este campo e as veses ja chega com seu fim definido.
    Devemos mudar ,sim é um direito ,mas falar que não vai participar de um partido não impede de conhece-lo e saber que em reunião dos dzs em SP vcs nunca achara os mais a esquerda ,mantendo pagando e politizando pois so querem os prontos ,assim o PT tomara as atitudes votadas pela sua maioria ,manupulada ou não ,quer mudar milite filie-se e vote .

  • Que eu esteja equivocado, mas essa lua-de-mel da nossa presidenta com pig está me parecendo uma versão microcósmica do Pacto de Não Agressão Hitler-Stalin (ou Pacto Molotov-Ribbentrop), assinado em 1931 e que terminou com a invasão alemã ao território soviético em 1939.
    É a Pax Dilmapiguemista.

    • Espero que você esteja certa. Que a nossa Dilma comece logo a grande batalha de Stalingrado e derrote o mais rápido possível os nazifascistas do PIG.

      Também poderia derrotar os banqueiros, diminuindo os juros pagos à esses bandidos e aplicando esse dinheiro nas áreas sociais!

  • O que ‘e isto? Fico fora umas duas semaninhas e me confronto com esta noticia, eu diria, auspiciosa?
    Desculpem, mas ‘e engracado. Muito. Ainda mais as reacoes dos esquerdistas frustrados. Aprendam. Ser como foi o lula nao leva a nada. Nao a longo prazo. Tanto ‘e assim que ele esta’, digamos, ficando de escanteio, nacional e internacionalmente. Pode tardar mas assim sera’.

    Vai reagir da pior forma que conhece e conhecemos.
    Quem viver vera’.

  • Boa tarde;

    Eduardo, acompanho este blog desde 2008, portanto não sei se em 2007 a entrevista de Pach Adams ao Roda Viva da TV Cultura teve alguma repercussão neste espaço.
    De todos os documentários e entrevistas que assisti, posso dizer que este homem possui um dos discursos mais eloqüentes, envolventes e emocionantes! Simplesmente imperdível.
    Consegui comprar o DVD com a entrevista neste endereço : “http://artmosfera.webstorelw.com.br/products?keywords=pach+adams”, mas à links disponíveis na internet, para assistir on-line.
    Mesmo que já tenha repercutido em seu blog, acho importante traze-lo de volta para que mais pessoas tenham acesso a esta relíquia que está perdida na grande rede, eu mesmo achei por acaso. A entrevista não traz nenhuma informação nova, mas faz uma crítica clara e direta ao sistema, nos obrigando a repensar nossos próprios valores sociais, geralmente impostos pela minoria dominante.

    Fica a sugestão!

    Alcides Luiz Egewarth
    Palhoça – SC

  • Edu, concordo plenamente com quase tudo que tu falou. Não sou simpatizante deste governo mas não vejo problema algum na presidenta comparecer a festa da Folha. Não pretendo fazer oposição “infantil” ou radical como faz o PiG.
    Mas só não entendo como na nossa situação, que apesar de MUITO MELHOR ainda é lastimável, tu podes achar normal a popularidade estratosférica do governo. Seria possível isso ser normal? Em uma análise rápida podemos achar “possível”, mas em uma completa vemos que tem alguma coisa de errado!
    Acho que é um dos principais pontos que bato contra este governo, que é a política que considero populista. É minha opinião. Portanto, temo que tu possa um dia vir pro meu lado, como tu comentou. Apesar de eu não achar isso tão simples de acontecer. Mas é sim possível.
    Pra terminar, vi o comentário do Julio Cesar e me espantei! Caramba, eu acho que oq ele “reclamou” deste governo não passa de situação normal. Nada mais do que decisões corretas. Eu, oposição, em! E estamos só no fim de Fevereiro. Crescimento populista, insustentável e inflação batendo na porta. Para mim este é o cenário do fim do governo Lula.
    Será que Plínio estava certo? Ainda é cedo para afirmar.

    t+

  • Enoja; causa ânsia de vômito; ler o lixo escrito por Leonardo Attuch(um dos capachos do “Sistema Dantas de Comunicação”, termo brilhantemente criado pro Paulo Henrique Amorim para definir o séquito de “jornalistas” e políticos destinado a defender os interesses do “banqueiro-marginal”, Daniel Dantas, mais uma das tantas aberrações surgidas das privatizações de FHC). O “texto”, além de machista e vulgar, é claramente parte da maquinaria propagandística, acionada pela ditadura midiática para tentar cooptar Dilma(como também o é o artigo do Globo). Mas, diga-se de passagem, a maior culpada pelo início do funcionamento dessa máquina nefasta é a própria Dilma, que empreendeu uma “alisação” asquerosa com os barões da comunicação, postura que gera repugnância, temor e desapontamento naqueles que tanto lutaram por sua vitória. NÃO DÁ PARA SE CONFRATERNIZAR COM A DIREITA : CONFRATERNIZAÇÃO COM A DIREITA ACABA EM PERNICIOSIDADE, EM RECUO. E POR UM MOTIVO BEM ÓBVIO : A DIREITA BRASILEIRA NÃO CEDE, OU ELA COOPTA OU PARTE PARA A GUERRA, MAS NÃO NEGOCIA. ESSE DIAGNÓSTICO QUE APRESENTO(AO CONTRÁRIO DO QUE PODEM PENSAR OS POLITICAMENTE CORRETOS DE PLANTÃO), NÃO SE TRATA DE NENHUM PRECONCEITO OU EXTREMISMO, TRATA-SE DE UMA CONSTATAÇÃO SOCIOLÓGICA, BASEADA NO CONHECIMENTO PRÉVIO DE QUAL A BASE SOCIAL QUE COMPÕE NOSSA CLASSE DOMINANTE(A DOS DESCENDENTES DOS ANTIGOS SENHORES ESCRAVISTAS COLONIAIS), QUE, DEVIDO À SUA ORIGEM, FOI MOLDADA NA ARROGÂNCIA E NA CERTEZA “DO MANDO”, NÃO ACEITA NEGOCIAR POR ACREDITAR-SE DESTINADA AO PODER POR DIREITO DIVINO E POR POSSUIR UM DESPREZO INTRÍNSECO CONTRA TODOS OS QUE A ELA SE OPÕEM. Em suma, não adianta Dilma “alisar” a direita se acredita que isso facilitará o caminho para as mudanças que necessita implantar em seu Governo : não facilitará nada, porque a direita não negocia! “Alisá-la” só levará Dilma a perder credibilidade entre os seus apôiadores e/ou a ceder aos conservadores. Além do mais que, como já disse no comentário anterior, ao contrário de Lula e também graças a ele, Dilma chegou ao poder num momento em que o país precisa sair das “amenizações”, que Lula implementou em nossa ordem social excludente, para reformas concretas, capazes de realmente modificarem essa ordem(como as Reformas Agrária, Midiática e a Mudança de Nossa Inserção Subalterna na Economia Internacional). Esse momento só pôde ocorrer para Dilma graças ao seu antecessor, o que permite à Presidenta a possibilidade de ser a líder das mudanças verdadeiramente contundentes que construirão um novo país; mas também gera-lhe o ônus de ter que enfrentar conflitos bem mais pesados que os enfrentados por Lula, uma vez que irá destruir privilégios seculares. Contudo, enfrentará tais conflitos num país robusto, organizado e com a Economia em crescimento, ao contrário de Lula, que teve que assumir o Governo de um país à beira do caos. De qualquer forma, não será confraternizando-se com a direita que Dilma cumprirá seu mister, essa postura só a levará à paralisia, à cooptação e até mesmo à desintegração das “amenizações” feitas por Lula(as quais, apesar de suas limitações, já melhoraram a vida de milhões de brasileiros), que serão as primeiras vítimas de um retrocesso conservador, o qual ocorrerá inexoravelmente se Dilma não confrontar os interesses dos donos do poder. Por último, quero lembrar que, se por um lado procede o seu argumento de que Lula estava, em 2003, numa posição bem mais fragilizada do que a Dilma neste momento; ainda assim TAMBÉM CONSIDERO UM ABSURDO A IDA DELE AO ENTERRO DE UM CANALHA COMO ROBERTO MARINHO(QUE PASSOU 30 ANOS TENTANDO DESTRUIR O MAIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA DESTE PAÍS); como também algumas outras “alisações” que empreendeu na ditadura midiática(como enviar dois dos mais importantes Ministros de seu Governo, Dilma e Mantega, à festa da Veja. Contudo, essa discussão é irrelevante, já que o fato de medirmos quem atingiu o maior grau de “puxa-saquismo” com os barões da mídia; se Lula ou Dilma; não torna menor o erro de Dilma, que é o erro do presente, o qual nos interessa, já que suas consequências poderão ameaçar toda a luta que empreendemos.

  • Por acaso, hoje ouvi uns podcasts de um tal gurú da direita brasileira, chamado Olavo alguma coisa. E ouvi sua fala em 2008, dizendo, entre outras besteiras, que a economia da China depende dos Estados Estados Unidos.
    Não errou por pouco: simplesmente inverteu os fatos, como está provado.
    Este imbecil, que usa dois palavrões em torno do nome de Nossa Senhora, vive nos Estados Unidos às custas do vice-governador de São Paulo, Afgif Domingos.
    A mesada que o Afif paga ao velhinho pornô, deve ser muito alta, e sai da Associação Comercial de São Paulo, da qual Afif é presidente eterno.
    Será que a ACP não tem um diretor, ou conselheiro fiscal para indagar onde estão sendo gastos os milhões pagos para esta entidade? Serão todos os comerciantes de São Paulo admiradores do canalha golpista Olavo, a ponto de sustentá-lo nos EUA para agredir a Democracia brasileira?

  • Eduardo, esse foi o melhor post que já li nos últimos tempos sobre o que vem ocorrendo desde o início do governo Dilma. Eu fico cada vez mais desanimado quando leios os editoriais enaltecendo o governo Dilma, por que todos sabemos que isso não tem nada a ver com arrependimentos ou revisão de postura, mas tão somente uma mudança na estratégia fracassada desses veículos nos últimos anos a qual também possui o intuito de desconstruir o sucesso em torno do governo Lula.
    Eu fico relembrando as horas a fio que gastei no período de eleições escrevendo milhares de e-mails para a minha lista com o intuito de rebater cada um dos ataques mais absurdos e ofensivos que eram feitos contra o governo. Enquanto a oposição demo-tucana de fato era expert em criar centrais de boataria e despejavam um sem número de mensagens diariamente com os ataques mais caluniosos possíveis, nós, os militantes, ficamos responsáveis pelo contra-ataque, até mesmo porque o PT mostrou-se jurássico na utilização da internet, como ocorreu na eleição de 2006. Agora, Eduardo, me pergunto o seguinte… caso essa lua de mel termine, será que teremos o mesmo ânimo em desconstruir a mentirada da imprensa golpista como fizemos nas eleições? Com que moral nós ficamos se, depois de todo o esforço que temos feito para denunciar o PIG, a nossa presidenta optou por confraternizar com esses veículos? Na Argentina, a Cristina está em primeiro lugar na disputa eleitora, com todas as dificuldades que tem enfrentado, e eu duvido que ela comparecesse a um evento promovido pelos grupos Clarin ou La Nación. A política pressupõe divergência de interesses e é inevitável que alguma parte fique contrariada. Querer agradar a todos é a melhor forma de não agradar ninguém. Eu, sinceramente, não acredito que algum marco regulatório vá sair, a não ser que seja algo apenas para constar e que não desagrade aos grandes meios de comunicação. Caso contenha algo que seja mais polêmico, duvido que o sr. Palocci não mande cortar imediatamente. Um exemplo foi essa exoneração do Emir Sader de hoje… Bastou apenas dois dias de campanha negativa contra ele por parte de Folha e O Globo para que o fato fosse consumado. No governo Lula, pelo menos, a grande mídia se esforçava bem mais para derrubar alguém…

  • Eduardo, tambem estou descontente com este inicio de governo demo-tucano da presidente Dilma.
    O que mais mostra que a mesma esta se preocupando muito mais com a direita exploradora deste pais do que com a massa popular que a elegeu.

Deixe uma resposta