Editora rebate racismo com o concurso literário #CoisaDePreto

Destaque, Reportagem, Últimas notícias

No embalo da campanha “#écoisadepreto”, marca procura romances escritos por negros

 por Estado de Minas 16/11/2017 12:49
No embalo da polêmica envolvendo o jornalista Willian Waack, da TV Globo, afastado da emissora por comentários racistas antes de uma gravação, uma editora aproveita para empoderar e promover autores negros com histórias sobre protagonistas negros.

A iniciativa é da Rico Editora, responsável pelo concurso “É coisa de preto”, nome que aproveita a campanha feita na internet com intuito de combater o preconceito, após o vazamento das declarações de Waack.Cada participante, com obra já publicada ou não, poderá inscrever seu romance (adulto, infantil ou adolescente) a partir do dia 20 de novembro de 2017. A data de término do concurso acontece no dia 20 de janeiro de 2018, sendo aceitas postagens por e-mail até às 23h59.

A obra vencedora será publicada na Bienal de São Paulo de 2018, com lançamento e autógrafos do autor. O edital pode ser acessado aqui

  • Obrigada, Edu. É bom saber que estamos do lado correto da história sempre!

    • eduguim

      né?

  • Para mim, é um orgulho ter a editora da qual eu faço parte citada por uma pessoa que admiro muito, a quem sigo o trabalho há tempos. É bom saber que, apesar dos ataques sofridos pela nossa iniciativa desde ontem, a quem esteja ao nosso lado. Obrigada!

    • eduguim

      Que legal. A iniciativa de vocês é magnífica. Me mande um telefone que eu não publico. Quero bater um papo com você

  • Zoé Brasileira

    Maravilha essa recuperação de um ato racista para transformar a narrativa em empoderamento da população negra. #CoisaDePreto! Apoio total! Também vou difundir na minha rede. Parabéns à Rico Editora!

  • Jimmy Cricket™

    ♫ Um belo exemplo de como pegar um limão e fazer uma limonada. Que o gesto da Rico Editora seja reproduzido ad infinitum et ad majorem gloriam Dei…

  • Atineli

    Ótima iniciativa da editora Rico que assim dá uma resposta genial aos racistas. Utilizar a narrativa do estigma para enfrentar o racismo é uma estratégia política de alto impacto. Espero que o momento infeliz desse “jornalista casa grande” continue a dar bons frutos no sentido da luta anti-racista.

  • SergioF

    Que maravilha. Enquanto uns acreditam que podem tratar com desprezo partes do povo brasileiro, outros, mais competentes usam essa força para alavancar e divulgar as capacidades dessa gente sempre tão lutadora. Parabéns à editora. Que haja uma chuva de inciativas desse tipo.

    abraço Edu, parabéns por dar visibilidade a essa iniciativa.

    • eduguim

      valeu, Sergio

  • Rafael Ramires

    Pq não uma antologia? Poderia impulsionar mais pessoas a contar histórias das mais diversas. No caso, somente uma publicação será feita. Não reclamo que a iniciativa é ruim, pelo contrário, agregadora em si. Só penso em de repente multiplicar ainda mais o debate. Só deixando uma ideia