Você vai ficar parado assistindo o golpe prosperar?

Manifesto

 

Ao fim da noite de quinta-feira, recebo uma ligação surpreendente tanto pelo autor quanto pelo que disse. E quem disse – e o que disse – importa menos do que aquilo que a chamada me fez concluir: não dá mais para ficar só analisando e comentando o quadro político. Quem luta há uma década para ajudar a sustentar um projeto político-administrativo que melhorou tanto o Brasil não tem o direito de ficar só reclamando do golpe que busca interrompê-lo.

Este Blog se converteu em uma trincheira dos que discordam de uma Onda que engolfou o país e que tem produzido muito mais calor do que luz, se não apenas calor. E o signatário desta página, assim como outros poucos, aceitou, de bom grado, pagar o preço que as catarses impõem a quem se recusa a integrá-las. Tudo em prol do país.

Seria muito fácil todos os que divergimos cedermos, integrarmo-nos à Onda que pretende “mudar o Brasil” marchando pelas ruas “pacificamente” no começo e selvagemente ao fim sob o argumento de que os selvagens são “um pequeno grupo”, o qual, porém, pequeno ou não, é tolerado em praticamente todas essas manifestações, nas quais o desfecho violento já se tornou previsível, sendo poucas aquelas manifestações em que não irrompe.

Em um momento de catarse, com as massas hipnotizadas gritando slogans e exigindo qualquer coisa, e com hordas de soldados da Onda tratando de reprimir toda e qualquer discordância, valendo-se, para tanto, da difamação, do deboche e de insultos, a tentação de se omitir, de calar, de se acovardar, de renegar as próprias crenças é quase irresistível.

Eis porque, ao longo de dezenas de conversas que tive neste fatídico mês de junho, descobri que muitos dos que compartilham a opinião de que essas manifestações são orquestradas e têm fins políticos preferiram subir no muro ou, no limite, adotarem uma causa na qual não acreditam.

Dúzias e mais dúzias de analistas políticos e de cientistas sociais vêm tentando entender um processo que convulsiona o Brasil e que já cobra verdadeiras profissões de fé das pessoas, que têm que exaltar tal processo sob pena de serem excomungadas e banidas, tratadas como portadoras do que o fascismo sempre considera uma doença contagiosa: a discordância.

Na última noite, após aquela conversa telefônica dolorosa e indignante, fui dormir impressionado com uma teoria acadêmica que, posta em prática, incendiou um país continental, pôs as instituições de joelho, paralisou a economia e impôs a ela prejuízos imensos que logo serão conhecidos e, de quebra, matou e feriu pessoas, dividiu compatriotas, enfim, funcionou como uma Onda gigantesca, uma tsunami que varre tudo em seu caminho.

A Onda social é uma teoria acadêmica inspirada em fatos reais e que até virou filme. Die Welle (A Onda) é uma obra alemã. Foi filmada em 2008. O diretor Dennis Gansel inspirou-se no livro homônimo do escritor americano Todd Strasser sobre um experimento social conhecido como “Terceira Onda”. O filme foi um sucesso de bilheteria na Alemanha. Mais de 2 milhões de pessoas o assistiram.

O enredo é eloquente. Em uma escola secundária alemã, um professor tenta provar que o fenômeno nazista poderia se repetir – e o nazismo, como se sabe, começou com um movimento de massas que também pretendeu “mudar” a Alemanha e que, num primeiro momento, conseguiu erguê-la de uma situação social adversa, mas que degringolou para um dos maiores horrores que a humanidade conheceu.

Os alunos da escola do filme não acreditam que uma ditadura poderia ressurgir na Alemanha moderna, então o personagem Rainer Wenger, o professor daquela turma, propõe a ela realizarem um experimento que, em sua concepção, mostraria o quão fácil é manipular as massas.

O professor organiza o grupo de alunos em uma marcha que, executada com perfeita sincronia rítmica, faz com que todos se sintam parte de uma única entidade. Porém, uma aluna se mostra relutante. Reclama de que o experimento atenta contra a individualidade e questiona o objetivo, “a causa” e, por isso, é hostilizada pelos demais e tem que mudar de classe.

O grupo cria um símbolo, que é espalhado na forma de adesivos ou pichações por toda a cidade, uma analogia para o vandalismo em curso hoje no Brasil. No filme, um aluno chega a escalar o prédio da prefeitura para pichar um logo gigante na fachada. Além disso, o grupo faz reuniões em que só membros do movimento podem entrar.

Dali em diante, hostilizar os não-iniciados se torna uma prática incontrolável que, aos poucos, vai descambando para a violência física como a que se viu na manifestação do último dia 20 na avenida Paulista, quando grupos que não obedeceram aos ditames dos manifestantes de não usarem roupas vermelhas foram agredidos violentamente.

A Onda acaba interferindo até na relação do professor experimentalista com sua esposa, professora na mesma escola que ele. Ela percebe que o experimento foi longe demais. Inebriado com o sucesso daquele experimento, porém, o professor acusa a mulher de estar com inveja de seu sucesso e o casal acaba se separando.

Alunos que não se integraram à Onda vão deixando seus membros cada vez mais irritados ao pregarem que é preciso fazê-la parar. No caso desse filme, não havia camisas vermelhas proibidas, como aqui no Brasil, mas camisas brancas que se tornaram o uniforme obrigatório dos membros do movimento, e que os distinguiam dos não-iniciados.

No fim, o que importa é que os que se distinguem da massa catártica por ostentar ou não um símbolo acabam sendo hostilizados por ela. E, como na vida real (na manifestação supracitada), quem ostenta ou deixa de ostentar símbolos e, assim, destaca-se da massa, passa a ser agredido violentamente, seja com palavras ou com golpes.

Abaixo, para quem quiser assistir, a íntegra de Die Welle (A Onda), legendada. O filme tem uma hora e quarenta e dois minutos de duração. Sugiro que quem não assistiu, não perca. Mas, antes, peço que o leitor termine este texto, pois aqui se fará uma exortação a quem discorda e teme o processo convulsivo em que o país mergulhou.

 

 

Proponho, a partir daqui, que façamos um exercício de “especulação”. Inventemos, pois, uma situação hipotética. Digamos que um “cacique” de um partido de extrema esquerda e outro de centro-direita como Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, e José Serra, do PSDB, unam-se contra um inimigo comum. Dois líderes políticos de visões absolutamente antagônicas, mas que simpatizam entre si, inclusive ideologicamente (?!).

O “exemplo” é bastante verossímil quando se sabe que um político que foi fundador do PT e candidato do PSOL à Presidência em 2010, como o ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio, disse, no fim do ano passado, preferir José Serra (PSDB) a Fernando Haddad (PT) na corrida à Prefeitura de São Paulo.

Da união imaginária desses caciques, suponhamos que surgisse um plano. Apesar de Serra ser visto hoje como um ex-esquerdista que se tornou ultraconservador a ponto de se aliar a cristãos fundamentalistas em 2010 para tentar derrotar Dilma Rousseff, o tucano se une a um dito “socialista” como Plínio, que demonstrou que sua ideologia e a do tucano, inexplicavelmente, são compatíveis a ponto de um apoiar o outro.

O partido de Plínio, como se sabe, tem uma enorme ascendência sobre grupos da USP. Como em A Onda, essa influência sobre estudantes pode permitir a elaboração de um experimento social que acaba sendo posto em prática.

Por que estudantes? Porque é na escola que existe o terreno mais fértil para fomentar Ondas, pois, ao contrário de sindicatos e movimentos sociais, a escola reúne as pessoas diariamente, impondo a elas convivência cotidiana. Some-se a isso a influência de professores como o de A Onda, capazes de mobilizar os que tutelam intelectualmente – e, às vezes, muito mais a fundo.

Os próprios estudantes não se dão conta de uma armação política. Deixam-se emprenhar pelos ouvidos e passam a acreditar na “causa”. Estão, pois, de boa-fé. E é nesse espírito que o movimento deles cresce, ganha as ruas e leva consigo um grupo disposto a fazer a parte “suja” do trabalho, que é tornar as manifestações insuportáveis, com atos de vandalismo e violência, buscando a reação de uma polícia famosa pelo seu despreparo e por seu caráter violento.

A violência policial contra meninos e meninas desperta a solidariedade de toda uma nação, que, indignada, produz hordas de cidadãos sem qualquer consciência política, mas que decidem também ir às ruas embriagados pela beleza inerente a um movimento idealista da juventude.

Como em A Onda, muitos querem sentir-se parte de um movimento vitorioso. A covardia da classe política e o oportunismo de impérios de comunicação conservadores produzem a fórmula perfeita para criar no país um clima de Queda da Bastilha, com o “poder” sendo “tomado pelo povo”. Finalmente chegou a hora de “o povo” tomar o poder, pensam as massas.

Como no filme alemão, porém, “as massas” saem de controle. Já nem sabem o que querem. Querem estar nas ruas, intimidando os políticos, mostrando que quem manda são elas. Mas que “povo” é esse? A maioria? Como aferir isso com todos intimidados por ter se tornado politicamente incorreto divergir?

O pequeno experimento social fictício do filme A Onda se transformou numa catarse verdadeira. E gigantesca. Um país que vinha melhorando, de repente se tornou imprevisível. A economia que resistia à maior crise econômica internacional da história da humanidade já caminha para mergulhar em uma hecatombe.

Investidores se recolhem, a economia é paralisada e a incerteza se torna absoluta. Os efeitos das manifestações sobre a economia em breve serão sentidos. E dificilmente serão revertidos, pois os agentes econômicos mergulharam em um turbilhão de desconfiança.

O que fazer? Nós, cidadãos comuns, pouco podemos fazer além de nos organizar em grupos que, por certo, serão pequenos. Mas centros de inteligência e de discussão terão que ser montados. Haverá que atrair pessoas que discordam para se unirem, porque quanto mais sozinhas estiverem mais terão medo de assumir seus pontos de vista.

Este Blog foi o nascedouro de uma das primeiras tentativas de organizar uma reação ao avanço de impérios de comunicação que ora se beneficiam da catarse que se abateu sobre o país. Em 2007, a partir daqui foi fundado o Movimento dos Sem Mídia, que, para quem não conhece, pode ter sua história contada pelo Google.

O MSM promoveu a primeira manifestação contra um império de comunicação do pós redemocratização, em 15 de setembro de 2007, diante do jornal Folha de São Paulo. Dali em diante, além de outras manifestações – algumas reunindo centenas de pessoas – a ONG representou contra impérios de comunicação no Ministério Público sob responsabilidade exclusiva deste que escreve, que cedeu seu nome para desafiar esses grupos empresariais que tanto mal já fizeram ao país, sendo o maior de todos atirá-lo em duas décadas de ditadura militar.

Bem, é no MSM que proponho nos entrincheirarmos. Em um momento como este, porém, sei que não serão muitos os que acorrerão, mas, sejamos quantos sejamos, se formos mais de um já seremos muitos. Sejam 5, 10, 20 ou quantos mais que queiram se reunir para discutir estratégias de reação, já seremos muitos mais do que um só, isolado em sua divergência.

Se você não quer ficar assistindo passivamente o golpe ser dado – do que decorrerá a volta da direita ao poder, com tudo que se sabe que isso encerrará de prejuízo para uma nação que vinha promovendo justiça social como nunca antes na história, com a desigualdade caindo em ritmo inédito –, convido-o a deixar aqui seu comentário de adesão à ideia.

No comentário, peço que informe seu Estado e Cidade. O e-mail você tem que colocar para postar o comentário e, como sabe, não será divulgado. Através desse e-mail vou manter contato. Organizarei um novo diretório de e-mails e vou organizar uma reunião em auditório que já consegui de graça, no qual discutiremos estratégias para fazer a iniciativa crescer.

O signatário desta página tem ideias, os que aderirem poderão trazer outras. Contudo, a discussão não pode ser aberta na internet. A ligação telefônica à qual me referi me induziu a essa crença. A partir daqui o que se fará é mobilização para encontro presencial em ambiente fechado para que se possa planejar de forma reservada os cursos de ação, pois a situação no país fugiu à normalidade.

Neste momento, minha confiança está abalada. Não sei mais distinguir um comportamento do outro. Se você se sente assim e não sabe o que fazer, aguardo seu comentário de concordância. Neste primeiro momento, busco pessoas de São Paulo e adjacências para nos reunirmos. Mas quem for de outros Estados também pode ajudar.

A você que já é filiado ao Movimento dos Sem Mídia, chegou a hora de atuar. Aguardo seu comentário para incluí-lo no novo mailing que será formado, pois vivemos uma nova conjuntura na qual as ideias sofreram mutações incessantes. Assim, é preciso ver quem continua acreditando nas causas que sempre foram abraçadas neste espaço.

Por estar constituído como Organização Não Governamental e por já dispor de alguma estrutura física para reunião e discussão, o Movimento dos Sem Mídia pode ser o instrumento para que quem diverge do que está acontecendo pelo menos possa se agarrar a uma boia salva-vidas. O resgate, porém, já é outra história. Todavia, sem afundar pelo menos pode-se buscar uma fórmula de reagir.

O futuro do país conta com você, ou melhor, “com nós”. Que tal fazer alguma coisa, então? Agora é com você. Ou “com nós”.

1.025 comments

  • Estou junto,nessa mesma luta, e com a mesma disposição. Pela democracia,sempre. Pela defesa desse programa de governo e pela defesa de nossa Presidenta.

  • Edu, conte comigo. Gilberto Celso Silveira Munhoz.Telefones em Floripa 48-96543068 e 32822044.Vamos em frente. Por uma pátria livre e justa.Munhoz

  • Edu, apesar de ter esperança na capacidade de Dilma e do PT resistirem e, na verdade, retomarem a ofensiva com o Plebiscito – e, pq não, evoluir para uma nova constituinte, completa – já coloco-me à disposição.
    Forte abs,

  • Caro Eduardo Guimarães,

    há muito tempo estou afastado de qualquer militância. É o momento de voltar. Sou de Ribeirão Preto, SP. Conte comigo.

  • É preciso urgentemente fazer alguma coisa. Tenho pensado nisso diuturnamente. Já estou numa faixa etária que não posso lutar diretamente como lutei na minha juventude contra a ditadura militar. Mas, no que for possível, quero contribuir pela manutenção do regime democrático e pelos avanços dos governos trabalhista Lula/Dilma.

  • Edu, ao que você nos relata eu incluo como visão pessoal minha. Tenho que este movimento tem origem em cursos de direito, daí as FAIXAS sobre a PEC 37. Acredito que o MP também está por trás destas manifestações, seja por apoio ideológico, politico, logistico e por não mover um dedo para investigar as hordas vandalas. Afinal não são eles que querem investigar tudo? Eu tenho debatido muito e desfeito várias “amizades de FACEBOOK” seja por minha contundencia contra a hipocrisia seja porque prego que não é hora para covardes e que se eu tiver que expor minha segurança física para defender meu voto e meu governo eu o farei. Abraços e conte comigo. Não é hora de ir ao MP (MESMO MP VENDIDO)?

  • Näo vivo no Brasil, mas só posso dizer vá em frente , espero que os leitores deste blog que vivem em SP, possam levar a sério seu convite, que na minha opniäo é o melhor caminho. Näo podemos cruzar os bracos e ficar apenas na internet postando nossas opniöes, temos que ir à luta. Parabéns pela iniciativa.

  • “Sr. Plínio, pense bem. Se a direita souber aproveitar o caos que V. Sa., entre outros, está causando, V. Sa. será responsabilizado e sua bela biografia de esquerdista irá para o lixo. Pense bem”. Deixei esta mensagem na pagina do facebook do Dr. Plínio de Arruda Sampaio. E, com certeza, a lata de lixo da história é o lugar de gente que faz o que o Dr. Plínio está fazendo.

  • Sem dúvida a Tucanalha e seus Cumplices da Máfia Midiatica estão ” $u$tentando ” a horda fascista.,

    No combete aos Golpistas Sem Voto , Conte comigo !!!

  • Não se faz politica sem conhecer verdades históricas.
    Verdades históricas devem ser conhecidas por toda população.
    Não é possível democratizar a informação para a consciência politica, sem democratizar os meios de comunicação.
    Quero e devo participar desta ação politica.

    Abraços!

    Marcos Nalin

    Goiânia, GO

  • Você tem toda razão. Análise perfeita. Um horda de zumbis “midiotas” está tentando destruir o pais para que a direita assuma o governo.

    Acho que a solução é, como sempre, LULA. Explico.

    Diante da atual conjuntura política, só vejo uma saída: UMA CANDIDATURA PURA SANGUE DO PT.
    Ou seja, poderia até ser LULA E DILMA. Aceitando-se apenas o PC do B, que é um aliado confiável e histórico.

    Com isto, acredito, jogar-se-ia toda esta canalhada de fisiológicos do PMDB, PP, PTB, para o outro lado.
    Não importa, pois a intenção seria esta mesmo: dividir o Brasil ideologicamente.
    O joio seria separado, definitivamente, do trigo.
    E o povo que decida se quer um projeto político de esquerda ou a canalhada de direita e sua mídia golpista.

    As coisas ficariam claras. O PT não precisaria mais se submeter as chantagens destes grupelhos da base aliada em nome da “governabilidade”.

    Tenho certeza que com a liderança e o carisma de Lula, ganharíamos com facilidade e assim poderíamos fazer realmente um governo com as bandeiras da esquerda.

    Acredito que é isto que irá acontecer. Se você tem algum acesso a Lula, tente a convencê-lo desta idéia.

    Nada de alianças. O PT já precisou delas para chegar ao Governo, atualmente, não precisa mais.

    Um abraço.

  • Caríssimo Edu,

    sei de suas sinceras intenções e sempre leio seus posts. Não sei como poderia colaborar com sua idéia. Mas mesmo que não colabore, sei que suas posições coincidem com as minhas. Por isso pelo menos você tem em mim mais um que apoia seu ponto de vista.

  • Caro Eduardo, a gente precisa fazer o máximo que puder para evitar esse golpe que está em curso, mas eu moro em Conde, na Paraíba. De qualquer forma, acho que estarei em São Paulo na próxima semana, por motivos outros. Esse filme tem também uma versão mais antiga, que assisti há muitos anos. Aliás, tudo o que estão usando já é bem batido…e, talvez esteja ainda em uso por ser eficiente. Sim, eu sou paranoica, acredito em conspirações políticas. Quantas paranoias dessas se provaram verdadeiras quando analisadas depois de 50 ou 100 anos?

  • Caro Eduardo:
    Creio que o seu sentimento está latente em todos aqueles que têm amor a este país. As conquistas que estão aí não podem ser subtraídas do povo por uma quadrilha de oportunistas. Os motivos destas “manifestações” têm que ser analisadas com seriedade e não com a leviandade que estamos vendo no momento. Portanto, a sua iniciativa vem de encontro com os meus anseios. Conte comigo!
    Eu sou o BELMIRO e moro em Santa Branca- SP.

  • Gostaria de participar, pois acredito que o mais importante para o nosso país é manter a estabilidade institucional, a legalidade e a confiança dos mercados, sobretudo neste momento de crise financeira internacional. O Brasil é um grande país e muito me entristece que haja, dentro de nossa classe política, pessoas dispostas a sabotá-lo.
    Rio de Janeiro-RJ

  • Estou dentro – Atibaia. Gostaria de participar do evento na semana que vem, em frente a RG. Não perderia de geito algum, mas devido a falta de verdes, não poderei participar, mas que seria a GLÓRIA, seria sim!

  • Apoio sua iniciativa Eduardo , não podemos permitir retrocesso a democracia e aos avanços sociais conseguidos só Deus sabe como.
    Recife – PE

  • Tenho este filme e já assisti por duas vezes e realmente era o que eu lembrava todo dia ao ver que acontece.Moro em Manaus-Am e estou tentando sempre divulgar seu Blog , mas nem tenho idéia de quantos por aqui o seguem. Tô a postos pro que der e vier , eu e meu filho que é estudante de Direito.
    Não sou filiada ao MSM. Mas me inclua.

  • Edu, adiro à sua proposta.
    Desde o início dessas passeatas, quando o monopólio midiático deu visibilidade e apoio ao movimento, desconfiei do gesto. Só tive certeza de que havia um golpe em andamento, quando o “historiador” Marco Antônio Villa, no Programa do Jô, declarou total apoio aos INDIGNADOS SEM CAUSA, dizendo, inclusive, que os “jornalistas chapa branca”, para tentar salvar o PT, está dizendo que o movimento é fascista.
    NOTA:
    Meu nome completo: Gilson Soares Raslan
    Endereço: Av. Pe. Adolpho Rohl, 1.718 – Centro
    Jaru/RO
    CEP: 76.890-000

  • Eduardo, somos do interior do RS. Estamos apavorados com a legião de inocentes úteis que se formou. Apoiamos sua iniciativa e estamos à disposição caso haja alguma coisa que possamos fazer daqui.

    Abraços

  • Apoio mais uma vez sua iniciativa.
    Estava me segurando ao máximo, tentando preservar algumas amizades, mas não dá mais para segurar. e vou começar a “reagir” respondendo com “fatos e dados”, emails de uns poucos que vivem poluindo minha caixa de entrada.
    Campinas – SP

  • Grande Edú!!!! Estarei disposto ao que vier para defender o Brasil, o projeto e nossa presidenta!!! Ademais, sugiro incluir, se possível, mecanismos de teleconferência ou similares nas reuniões que ocorrerão aí em SP.!! Acredito que somaria ao movimento de forma instantânea.

    Guanambi – Bahia

    Abraço

  • O que tenho feito ainda é muito pouco. Tento esclarecer algumas pessoas, mas a maioria que conheço
    não está nem aí pra politica. Pode contar comigo e me dá sugestões. Agradeço.

  • Posso participar, mesmo de João Pessoa.
    Acho que primeiro devíamos nos empenhar pela reforma política
    com financiamento público de campanhas; depois lutar pela democratização
    da mídia; depois lutar pelo fim dos privilégios, inclusive de magistrados e
    membros do MP (férias de 60 dias, licença-prêmio, aposentadoria compulsória etc.)

  • Sempre relembro esse filme e comento com amigos que, me olham como se eu estivesse tentando pregar algo. Não conheço ninguém da minha relação que tenha visto. Que coisa!
    Muito bem lembrado e oportuno citar essa história nesse momento.
    A questão é, como erguer uma muralha para estancar a onda? Como criar um movimento análogo tipo “#continuabrasil”? Como apresentar o verdadeiro líder para a “galera”, assim como no filme?

  • Conte comigo Edu ,e moro na capital de SP,eu fui uns dos primeiros a perceber isto ,como vc pode comprovar em comentários anteriores ,estou a postos!

  • Estou com você Eduardo. Sou de Resende-RJ

    Em tempo: O MSM pretende participar do protesto em frente a Globo marcado para, se não me engano, dia 03??

  • Olá Edu !

    Também estou receoso. Aqui no sul de minas, a faculdade que trabalho tem suspendido as aulas nos dias de manifestação. Quem esta incentivando e participando indiretamente é a associação comercial, entidade retrograda e ligada ao grupo do Aécio. Tem algo no ar além dos aviões de carreira.

    Mario

  • Caro Edu,

    Moro em Maringá, e percebo uma certa inércia na esquerda local.
    Parece que as pessoas não se deram conta do momento crucial que estamos vivenciando.
    A pauta local gira em torno de uma CPI para investigar a promiscuidade da TCC- Companhia de Transporte Coletivo da cidade com o grupo que está no poder faz tempo.
    Mas o que é uma falcatrua local diante da gravidade política do país?
    Gostaria muito de fazer algo mais concreto e decisivo.
    Vou esperar até domingo para ver o que vai acontecer na reunião do diretório do PT aqui em Maringá.
    Quero participar de sua iniciativa, do modo que for possível.
    Maringá PR

    Um grande abraço!

    Mariade Fátima

  • Olá Edu, quando abri o Face e me deparei com sua postagem tive arrepios.
    Agora confesso que estou mal. Mas temos que resistir. acho que já sou filiada ao MSM meu email esta acima mas vou repetir
    [email protected]. Vamos tentar aqui em niteroi abrir um movimento de resistência.
    Abrs

  • Apoio totalmente o que diz no texto. Vejamos como é estranho que tenha começado em São Paulo. Moro no Rio de Janeiro, mas pode contar comigo.

  • Caro Eduardo,
    Sou leitor assíduo do blog e concordo que temos que fazer alguma coisa, mas muitas vezes nos sentimos impotentes, pois a pusilanimidade do PT e dos partidos ditos “aliados” é de dar dó. Sou de Niterói-RJ e gostaria de participar dentro do possível no meu município. Conte comigo.

  • O que tenho feito ainda é muito pouco. Tento esclarecer algumas pessoas, mas a maioria que conheço
    não está nem aí pra politica. Pode contar comigo e me dá sugestões. Agradeço.
    Moro na cidade de Paulista em Pernambuco.

  • Acompanho com reservas o momento atual no Brasil: as recentes manifestações que começaram com o Movimento pelo Passe Livre, apesar de ter tirado da latência, uma boa parte da nossa sociedade, hoje, serve àqueles que há muito tempo vem disseminando ódio contra os governos de Lula/Dilma.

    Área Metropolitana de Belém – CEP 67200, Estado do Pará

  • Cá das Minas Gerais, Edu, conta com a gente.
    A proposta de teleconferência , do Romeu aqui, foi boa.
    Abraços.
    Belo Horizonte
    Bairro Prado.

  • Oi, Edu
    sou leitora assídua do seu blog e compartilho com você as preocupações sobre o golpe em curso. Gostaria de saber o que posso fazer para ajudar o Movimento dos sem Mídia a impedir esse golpismo. Sou de Belo Horizonte, MG. Email: [email protected]

  • Acredito que as manifestações são legítimas, que o povo deve manisfestar suas indignações e lutar por melhorias, porém, está fala de que não manifestantes que possuam ideologias políticas não devam levar pras ruas suas cores e suas bandeiras, é um discurso que tende para o fascismo. Não permitem os movimentos sindicais e sociais participarem das manifestações, mas permitem que um personagem importado se torne simbolo de uma luta? ou pior, em alguns grupos há o desejo de que os militares voltem ao poder. Se puder participar sem que seja necessário esconder minha ideologia política (coisa que nunca farei) podem contar comigo. Sou de Maringá/Pr

  • Caro Eduardo e demais
    Eles querem criar um foco de resistência e passar para uma outra, etapa, a etapa armada, aí teremos os “rebeldes” brasileiros, lutando contra um governo “corrupto”, que é o que eles, já tem em mente.
    Aí teremos, os grandes corruptores, armando os “rebeldes”. Uma nova Síria está sendo construída.Mãos muito poderosas estão atrás do Pré Sal, entre outras coisas, ainda mais agora que foi aprovado ser ele para Educação e Saúde.
    Os ‘rebelde” brasileiros, logo “precisarão” dos “ajudantes humanitários”.
    Saudações anti golpista

  • Vamos reagir politicamente agora, para não ter que fazer o que fez o povo, tardiamente, após o suicídio de Vargas. Tenho um modesto Blog por meio do qual procuro dar minha contribuição nesta batalha da informação. Mas infelizmente me deparo com uma preocupante apatia da esquerda. Minha cidade é Três de Maio – RS, o endereço do Blog é binicheskiopinioes.blogspot.com/.

  • Edu,

    Pode contar comogo ,moro em São Paulo e meu email esta na resposta .Precisa de mais alguma informaçao.
    Abraços,
    Manoel R.Mello Jr

  • Olá Eduardo, já sou filiada ao MSM. Concordo com o que você escreveu. Ao meu ver, definitivamente, nestes movimentos não houve a participação da classe social mais pobre. Também desconfio do Psol aliado ao PSDB, integralistas e velha golpista mídia nestes movimentos. Principalmente quando decidiram usar as máscaras.

  • Olá Edu.
    Leio seu blog todos os dias. Pouquíssima vezes comentei alguma matéria, por absoluta falta de tempo para fazê-lo. Meu tempo livre só dá mesmo para isso: Ler e agradecer de coração. Acesso você, O PHA, o Luis Nassif, o Viomundo, O escrevinhador, o E esquerdopata, atualmente com outro nome e outros, porque somente nesses blogs encontro conforto, em relação a tantas hipocrisias da mídia golpista e outros de direita. Embora não seja advogada, sou bacharel em direito e trabalhei quase trinta anos no Tribunal de Justiça de São Paulo. Participei de todas as greves no Tribunal de Justiça, sempre contra governo, ou melhor,desgoverno tucano. Então, Edú, se houver interesse, pode me contatar. Beijo grandioso em seu igualmente grandioso coração.

  • É claro q estou dentríssimo, pois o sentimento é absolutamente o mesmo q o teu( e qtos mais…). A sensação de imobilidade é terrível e se ‘re’-unir poder ser a única foram de aliviá-la e encontrar caminhos.
    Moro em São Sebastião – SP.

  • Luziânia. Goiás.

    Aqui vi a direita “orquestra” protesto, contudo também vi grupos de estudantes “retomar a direção” e relato o ANONYMOUS é uma real preocupação. Havia máscaras em um ou outro manifestante. Trataria de uma ofensiva internacional somado ao oportunismo direitista?

  • Fortaleza, Ceará. Assim como você, fico intrigado com tudo isto. Acima de tudo sou legalista e republicano e abomino qualquer tentativa de golpe contra governos trabalhistas.

  • Edu, venho dizendo algo neste sentido com minha esposa e a alguns amigos mais próximos. Próximos no sentido político.

    Tenho dito que é a hora dos trabalhadores, através da organização sindical, com o apoio do Lula, agirem. Mas não em forma de greve, que só serviria para a direita. Mas irmos para a rua no mesmo molde das atuais manifestações. A maioria dos trabalhadores trabalha de dia o que possibilita movimentos que se iniciam às 19:00 horas. A massa de trabalhadores precisa mostrar sua força para não deixar que os rumos do país seja levado por uma força muito menor, mas grande o suficiente para conseguir o que conseguiu até agora.

    Trabalho na Petrobras, graças a retomada da empresa pelo governo de Lula. Muitos dos meus colegas, muitos mesmos, acreditam na grande mídia, são levados por ela, e se esquecem da realidade, que se não fosse um governo à esquerda nenhum estaria aqui. E são pessoas com níveis de instrução acima da média nacional. Talvez por isso mesmo, já que a maioria veio da classe média, e sentem o orgulho ferido por ouvir isto.

    Meu pai foi praticamente chutado do Banco do Brasil pelo governo tucano e mesmo assim votou em Serra. É um paulista médio do interior, que sempre leu Veja e assite o Jornal Nacional. Sempre que conversamos sobre política nos desentendemos, e isso porque nos damos extremamente bem, tenho nele meu único amigo de total confiança, menos para política. Ele aprendeu a odiar o Lula e não há nada que eu possa falar que vá mudar seus sentimentos. O mesmo se dá com muito dos meus colegas de trabalho.

    Essa luta para qual você nos conclama é extremamente inglória, e mesmo assim, nós que temos consciência desta realidade não podemos fugir das batalhas. Quantos amizades se irão nesta luta? Mas outra virão…

    Acredito que mais do que reforma política ou qualquer outra reforma, precisamos derrubar o monopólio midiático da direita.

    Concordo com a opinião do PHA quando ele diz que essa classe média cada vez maior, um dia se esquecerá de onde veio, começará a creditar que faz parte da Big House e colocará no governo um “Berlusconi”.

    Conte comigo.

  • Eduardo, estou completamente confuso quanto ao que pode ocorrer no futuro e, para ser sincero, não tenho certeza que não possa sair um caldo positivo desta história, ainda que saiba que os riscos são enormes. O fato é que participei de vermelho no dia 20 na Paulista, participarei de vermelho no dia 11 e tenho intenção de participar de tudo que for possível em nome do povo humilde, da esquerda e do país. Peço que me inclua em sua lista, mesmo sabendo que posso não conseguir participar de todos os encontros pois, apesar de trabalhar em SP moro em Bragança Paulista. Mas conte comigo para qualquer boa luta.

  • Olá Edu, apoio totalmente sua iniciativa, embora eu more longe de São Paulo, quero de alguma forma ajudar, estou em Caçapava do Sul, RS.
    Eu assisti este filme A Onda acho umas 3 vezes e é muito bom (não digo bom no sentindo hollywoodiano) mas sim pela reflexão que nos trás, quem tem um pouco de memória e conhece alguma coisa da história da humanidade sabe que este momento em que o Brasil vive é certamente um divisor de águas, parece que a direita conseguiu achar uma brecha para tentar de alguma forma recuperar o “poder” (no caso governar de fato), estas manifestações é apenas uma espécie de cortina de fumaça para algo mais grave ali na frente (pode ser daqui alguns dias ou até mesmo ano que vem na época das eleições), se antes eu não acreditava em golpe de estado, como muitas vezes mencionei aqui em comentários anteriores, agora mais do que nunca estou percebendo que o golpe vem a galope, tenho escutado a principal rádio da extrema direita aqui do RS, a Rádio Gaúcha, e dá para perceber que pelo comentários de seus locutores e comentaristas que há algo no ar, como se soubessem de algo para vá acontecer em breve, noto uma certa felicidade na fala deles como prevendo a queda do governo Dilma em breve, em todos os programas eles convidam sempre mais os políticos de direita do que de esquerda e quando um de esquerda começa a explicar algo que possa comprometer o que a direita tanto defende eles cortam e chamam comercial ou porque terminou o horário do programa, então realmente devemos nos preparar para um provável golpe, Edu, confesso que não sei como se poderia impedir que isto aconteça se o próprio PT não esta preocupado com isto, parece que estão resignados ou de repente é algo que eles já sabiam a anos atrás, sabe é como se tivessem feito um contrato para encerrar em tal data e entrega a “casa alugada” aos donos do imóvel (Brasil), acho que você me entende e todos os leitores deste espaço entenderão o que escrevi acima. abraços Edu e estou contigo, embora como já disse anteriormente acima, não vejo como impedir o que já está traçado.

  • Anápolis – GO.

    A matéria traduz, essencialmente, o receio das consequências da situação “protestântica” instalada no país.

    As manifestações são válidas como elemento social mas, devem ter inicio, meio e fim, não poderão jamais se transformar numa revolução, principalmente da forma caótica como se apresenta, onde tudo é motivo de grito e todos contrários são corruptos.

    A título de exemplo, em minha cidade, um líder dos manifestantes local retirou do local, a gritos e empurrões, uma pessoa com o cartaz : ” A culpa não é só do Governo “.

    O que vemos é um movimento se alimenta de si mesmo, sempre em um crescedum de violência e intransigência.

    É preciso um basta, um chamado à razão !

  • Olá Edu!

    Sou um leitor assíduo do seu Blog, moro aqui em Natal (RN) e hoje neste momento está acontecendo mais uma dessas manifestações, sem que ninguém saiba o que estes manifestantes estão reinvidicando, pra você ter uma idéia do que está acontecendo, os shoppings, os supermercados, os bancos o comércio de uma forma geral estão fechando as portas temendo depredações. Isto tudo está muito esquisito, acho que o golpe já está marcha. Não sei o que poderia fazer para defender a nossa jovem democracia, por isso apoio sua iniciativa.

    Um abraço

    Carlos

  • Sugiro a utilização de um programa de conferências via voz, como o RaidCall, usado, primariamente, por grupos de jogadores on-line durante suas sessões de jogos.

    Com ele, é possível fazer reuniões muito mais habituais e sem nenhum custo (o programa e seu uso são totalmente gratuitos). Até mesmo diariamente. Sequer é necessário ter microfone, pois há o chat via teclado tbm.

    O programa permite, ainda, a criação de grupos específicos, com membros aprovados. Dentro de cada grupo, é possível criar diversas salas, com funções e regras diferentes. Por exemplo, salas apenas para membros do grupo, salas onde a conversa é livre, salas restritas aos moderadores/administradores do grupo, salas onde, para falar, é preciso “levantar a mão” e respeitar uma fila, etc.

    Além disso, o programa permite a criação de enquetes, pra facilitar as votações.

    É um programa excelente e extremamente flexível. quem quiser testar, basta baixá-lo no endereço http://www.raidcall.com/v7/index.html

    Eu criei um grupo para testes. Depois de instalá-lo e de criar a conta, é só digitar o nome do grupo no campo “nome ou Id do grupo” (o programa está todo em português, diga-se). O nome é Cidadania e o ID é 6561653.

    Experimentem. Acho que será uma ferramenta extremamente útil que, apesar de não substituir por completo as reuniões físicas, dará àqueles que moram longe ou que não podem se locomover a chance de participar.

  • Prezado Edduardo:
    Sou do MSM . Quero participar e preciso participar.Essa é a hora da onça beber água.Meu endereço está aí com você há muito tempo. Conte sempre comigo para as causas e ações do MSM.Não precisa nem consultar.

  • Oi Eduardo…tem o meu apoio, sou de São Paulo capital….mas todo o cuida é pouco como temos infiltrados nas passeatas, corremos o risco de termos aqui tambem,.. estou sendo muito paranoico?….sei não….

  • Eduardo,

    volto a me manifestar porque observei ter me esquecido de duas coisas, minha localização: São Paulo/Capital, e, a segunda é sobre a extemporaneidade que observei nas manifestações, eu explico:

    Considero as manifestações extemporâneas porque:

    1. A modalidade atual de manifestações, pelos movimentos sociais, se dá, pelo que vejo dos outros, através dos próprios interessados, que elegem algum(ns) representante(s) entre si. Me sou estranho que, na contemporaneidade, tenha aparecido um grupo de jovens falando por um contingente populacional, por sinal, distante de suas realidades. Que eu saiba, o empenho democrático vinha se fazendo no sentido de “dar voz a” e não “falar por”, que é uma forma que já tinha sido condenada e abolida quando do processos de organização social em movimentos sociais na década de 80;

    2. Na Democracia, diferentemente que em confronto com o autoritarismo, os movimentos sociais e sindicais, agitam no sentido de forçar negociação. Nunca tinha visto algum fazer uma exigência e pronto, e depois resistir em negociar, alegando não ter interlocutores, embora se sintam e apresentem como representantes ( ? ) ;

    3. A pressão por chantagem também não é usual nas práticas democráticas, que não coadunam com táticas de ameaçar e sitiar governantes para obtenção de pleitos, porque a humilhação impingida aos governantes atinge seus eleitores.

    Tratou-se do uso de formas autoritárias, excepcionais, dentro do regime democrático.

  • Como sempre me identifico nos meus comentários, sou de Santo André (SP), cidade que foi tão bem administrada pelo nosso saudoso Celso Daniel do PT. Não sei se poderei participar sempre, mas me coloco a disposição para ajudar no que for preciso e no que eu puder fazer.

  • são paulo – capital……….tô dentro

    já está mais do que na hora da policia federal,prender aquele bandido que se diz empresário e está morando ou se escondendo em miami. se ao menos tivessemos um ministro da justiça, tipo protogenes, esse idiota já estaria preso.
    reinaldo carletti

  • Eduardo, sou um daqueles que achava (já não acho mais) o golpe impossível.

    Apesar de não estar tão pessimista quanto você, não há como negar que – no mínimo – um grave risco de naufrágio eleitoral do projeto minimamente autônomo que a duríssimas penas conseguimos montar, foi parido.

    Sem dúvida, perturbador. Sou do interior, ou melhor, moro no interior (sou carioca), mais exatamente na cidade onde nasceu o atual governador de S.Paulo.

    Gostaria de colaborar, sim. Apesar de minhas possibilidades pessoais para tanto não serem exatamente as ideais.

    Mas alguma ajuda, sim, claro, posso e quero dar. A ditadura é a do capital. Um abraço.

  • Vejamos se a web nos ajudará na formação de uma Rede Nacional de Resistência ao Golpe. Conte comigo. sou de João Pessoa, Paraíba.

  • ¡No Pasarán!

    ¡No Pasarán!

    ¡No Pasarán!

    Com o slogan dos comunistas espanhóis que tentavam nos anos 30 barrar a escalada fascista, ¡No Pasarán!

    Marcos Oliveira.

  • Eduardo, você conseguiu desfazer uma leitura que eu tinha da conjuntura; espero, sinceramente, que sua fonte (seja lá o que lhe foi dito) esteja equivocada. Abs.
    Londrina, Pr.

  • Curitiba – Pr conte comigo, organiza essa lista e. Coloque-nos em contato um com outro.

    Seguindo a linha do post outro filme/livro q precisa ser absorvido: http://m.youtube.com/#/watch?v=91kVIU3hKcU&desktop_uri=%2Fwatch%3Fv%3D91kVIU3hKcU

    Gene Sharp, teórico indicado ao prêmio Nobel da Paz e autor de um livro que se dedica a mobilizar populações oprimidas para combater regimes autoritários através da não-violência.

    O livro chama da Ditadura a Democracia mas bem q pode ser usado para o inverso.

  • Não quero ficar parado vendo o Golpe ser tramado nas minhas fuças. Só que, como você disse, parece que só eu tô vendo isso acontecer…!!

  • Conte comigo aqui no Rio de Janeiro/RJ.
    A maior parte é de inocente útil. Manipulados e influenciados. Gente que não se informa e não lê, a não ser sua própria caixa de e-mail e aqueles posts de Facebook (uma imagem com uma mensagem).
    Lendo o post, pensei nessa imagem: http://bit.ly/19DwCa6 Ficou famosa como o homem que se recusou a saudar o Nazismo, como fazia a multidão. Poderia ser o símbolo dessa nossa resistência.
    Saudações!

  • Concordo com a ‘confusão social e de pensamento’ generalizada. Mais ainda com o oportunismo midiático e politico. Nada novo. O que me parece novo e que diferencia a mobilização dessa geração com as passadas são as facilidades de comunicação – possivelmente o maior responsável por tamanha mobilização. Por isso me pergunto se afastar essas discussões por vir do espaço da Internet traria algo positivo ou soh nos afastaria de um forte instrumento de comunicação. Parabéns pela iniciativa. Momento Importante de organizar as ideias.

  • O que vejo, sem muito entendimento do que é. Assisto uma juventude alienada. Alienada no sentido fordista da questão, Sendo manipulada, ao bel prazer, de uma direita carcomida e muitas vezes sem a devida consciência cidadã. Em minha cidade, Juiz de Fora- MG, por ex, ontem invadiram a Câmara dos vereadores, rasgaram a biblia em nome de um estado laico.Agindo sim, como intolerantes religiosos. E sabemos bem, que quando se chega a esse tipo de intolerância, é porque já passou por todas as outras, se carregou de ódio ao semelhante. Que não vê semelhante. Salvo os iguais.
    Vejo um grande erro de avaliação nos comentários e estudos em geral. Quando ficam dizendo que a classe média foi as ruas… Camufla-se as reais intenções da burguesia nacional. Ela sim! está levando a garotada ás ruas.
    Penso que o contra ataque deva ser um bombardeio de denuncias sobre os acontecimentos. Não á policia. Ao estado. Ou mesmo personagens da mídia patronal e partidários direitista. Mas, uma denuncia de classe.
    Começarmoas a mostrar a essa garotada, que existe um acirramento na luta de classes. E que eles estão sendo usados por uma, da qual, muitos não pertencem. E muito menos sabem, sequer, o que isso significa.
    Tipo: Povo trabalhador deste pais, a burguesia está nos atacando. Vamos todos nos defender / A classe burguesa quer tirar os direitos conquistados da classe trabalhadora. Levar a discussão pro chão, onde pisamos e vivemos.
    Somente a união da classe trabalhadora deste país poderá dar uma solução a este impasse em que nos encontramos.
    Basta! Você que é da classe trabalhadora, defenda o seu país. Seu emprego. O seu salário. Seus sonhos. Seus filhos… e por ai vai.
    Olha se quizerem aproveitar o que está escrito, caso concordem. Podem publicar á vontade. Nuncas me escondi. Já paguei caro por isso. Ajudo a construir esse pais. E não vai ser agora, que me furtarei disso!

    Walmir Esteves Ribeiro – Pulga – JF / MG

  • Gostei muito do que eu li aqui e gostaria de participar de forma efetiva. Me encontro em um momento profissional ruim, por isso minha militância tem se resumido ao twitter e a algumas poucas pessoas abertas no facebook. Participei da mudança deste país e quero lutar pela manutenção das nossas conquistas.

    Força e um abraço.

  • São Paulo – SP

    Eduardo, está programado um ato pela democratização da midia, na sede da rede globo na próxima quarta-feira 03/07/13,o informe está no site do Azenha.

  • Olá Eduardo Guimarães concordo com tudo que vc escreveu, e desde o início estou falando que isso tudo era um golpe da direita para derrubar o governo Dilma e consequentemente atingir o Lula. Conte comigo. Sou dentista, formada a 22 anos e também estamos passando por transformações, mas também muito difíceis, pois a galera é muito reacionária. Tenho um grupo de dentistas chamado União CDs RJ, e proliferamos para União CDs SP, MG, PE e PR. Mas são pouquissimos dentistas esclarecidos, muitos me assustam com posturas de retrocesso e até mesmo com pensamentos de retorno dos militares(arrepio) no poder!

    Estou a disposição para freiar esse processo integralista.

    Att

    Acácia

  • Bem Eduardo, por tudo que está acontecendo eu lembro da clareza do Professor Florestan Fernandes, o perfil da nossa elite que nunca teve um projeto de nação, a classe trabalhadora quando começa a ter acesso a cidadania sempre quer mais cidadania, isto é, quer um passo mais a frente, e a direita reacionário nacional e internacional sabem disso, e com certeza não é novidade que viria de alguma forma alguma tentativa de interronper esse processo, infelizmente o excesso de pragmatismo imobilaza o movimentos progressistas. O seu blog foi uma luz no fim do túnel frente a tormenta furiosa da mídia no ano de 2005 com o mensalão, foi através desse blog que conseguia ter mais clareza do que estava acontecendo, e você sempre tinha uma avaliação sensata, assim como na crise de 2008. Quanto a proposta Eduardo, nem sempre estou disponível, moro no interior de SP em Itapetininga, gosto de suas análises de conjuntura na política, economia, e nesses dias percebo poucos post no blog, isso me deixa inquietante, de qualquer forma deixo meu apoio e e-mail. Um grande abraço.

  • Eduardo,

    Vamos lutar contra esse poder da mídia que controla a comunicação do nosso pais. Devemos centrar fogo nessa questão, pois considero fundamental e essência para a garantia de nossa democracia real.

  • Edu, voltei só pra dizer que pode me colocar no seu mailing.. quero saber mais (se possível) sobre o telefonema que recebestes ontem e claro te apoio em tudo que for preciso fazer.. grande abraço!

  • Brasília.

    Na sexta da semana passada, fui na CUT e no PT aqui da cidade, saber qual era a estratégia em face da apropriação pela direita das massas.

    O pessoal da CUT havia estado na explanada, quando o Itamaraty foi quebrado. Perguntei se levaram bandeiras, e me disseram que não foram enquanto organização, mas como cidadãos. Estavam cheios de boa-fé.

    No PT me disseram que a executiva se reuniria no mesmo dia para deliberar sobre a estratégia. Orientaram-me a acessar o site do PTDF, para saber o resultado. Até hoje, nada.

    Vamos impedir a direita de volyar ao poder.

    Eduardo, podíamos fazer um “Inside Job” da Privataria. Angariaríamos recursos com pequenas doações e o Amauri cederia o direito de fazer o documentário.

  • COncordo em número, gênero e grau em tudo o que escreveu; já assisti a esse filme e ele reflete exatamente o momento por que passamos no Brasil, hoje.
    Meu nome é Mozar e moro em Palmas no Tocantins.

  • Conte comigo, EDU. Acho que a única forma de deter o avanço dos fascistas e reaças é a união de ESTUDANTES, TRABALHADORES e MILITANTES para ir às ruas pressionar de forma organizada e com uma pauta definida de reivindicações. Abs.

    ANOS tuKKKânus LEWINSKYânus NUNCA MAIS !! NO PASSARÁN!! VIVA GENOÍNO!! VIVA ZÈ DIRCEU!! VIVA A LIBERDADE, A DEMOCRACIA E A LEGALIDADE!! VIVA LULA!! VIVA DILMA!! VIVA O PT!! VIVA O BRASIL!! ABAIXO A DITADURA DO STF E MÍDIA LACAIOS & SEUS ASSECLAS!! LIBERTEM BRADLEY MANNING JÁ!! FORA YOANI !!CPI DA PRIVATARIA TUCANA, JÁ!! LEI DE MÍDIAS, JÁ!! “O BRASIL PARA TODOS não passa na gLOBo – O que passa na gloBO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

  • Edu, se voce que é bem articulado e mais experiente está confuso, eu confesso que entrei em parafuso e tive que procurar ajuda médica. Na luta pela defesa de nossa frágil democracia pode contar comigo, moro em Indaiatuba-SP.

  • Edu,

    Também sou daqueles que não acreditam que este movimento estudantil manipulado por integralistas financiados pelo PSDB e o DEM é fruto de uma eclosão espontânea das massas populares movidas por um insatisfação represada que explodiu de repente, espontaneamente, exatamente no início da Copa das Confederações, no momento que as atenções de todo o mundo estão voltadas para o Brasil!
    Evidentemente que havia uma insatisfação reprimida, principalmente numa classe média despolitizada na qual germinou um sentimento de ódio e rancor contra os governos populares de Lula e Dilma como consequência da, entre outras causas, permanente e massiva campanha midiática que massacra esses governos desde os idos de 2005 com o advento do chamado mensalão.
    Para mim foi aí que começou o golpe com a pretensão de lograr o impeachment de Lula. Frustrado este propósito, prosseguiu latente com surtos de exacerbação (julgamento do mensalão que não foi agendado por acaso para o momento das eleições municipais) até chegar ao momento atual.
    Para mim a insatisfação reprimida mencionada foi cientificamente estudada para, no momento oportuno ser inflada pela redes sociais.
    O Brasil do pré-sal, a 6ª economia do mundo, é grande demais para que o capital internacional aliado ao poderio midiático e à nova direita deixe entregue a um metalúrgico atrevido que assombrou o mundo com a revolução que realizou aqui sem violência e dentro da normalidade democrática.
    Concordo com você:o inimigo é poderoso e o momento é grave!
    Estou interessado em participar deste debate e de contribuir no que for possível, estando em Brasília.
    Me coloco a sua disposição,
    Meu telefone é 61 81504140! Maiores informações a meu respeito pesquise no google em Crescêncio Antunes da Silveira Neto
    Um abraço.

  • Edu, como posso participar? Blogs como o seu, o Viomundo, Brasil247, Conversa Afiada, entre outros, ainda me dão forças para continuar. Tenho me decepcionado com amigos do facebook, sofro agressões, às vezes tb passo do ponto de tanto ver asneiras. Nas reuniões de amigos e família é um mal estar, qualquer aniversário se torna um pesadelo, tanto se eu discutir, como se eu ficar calada, ouvindo.

  • Quero participar! Não aguento mais essa mídia golpista, ja não assisto mais nenhum programa jornalistico, nem de esporte, nem humoristico, nem mesmo de igrejas seja ela qual for! Sou de Porto Velho capital do estado de Rondonia! VIVA O POVO BRASILEIRO! VAMOS LUTAR PELO BRASIL, POR NOSSO POVO!

  • Acompanhei no seu blog, em outro dia voce disse que se sentia COVARDE de não ter lutado na ÉPOCA da DITADURA MILITAR. Uma comentarista disse que na época voce não estava preparado e que a hora de lutar é agora. Ela está certa, chegou a hora. Moro em Cajazeiras no Estado da Paraíba. Eu não concordo com essas manifestações por não apresentarem projeto político e onde seus líderes usam máscaras. VOCE NÃO SABE QUEM SÃO. NÃO DÁ PRA CONFIAR EM MASCARADOS.

  • Edu, sua idéia é fantástica, fiquei até mais animada, porque nesses últimos dias me bateu um misto de tristeza, revolta e desânimo. Claro que temos que ter formas de organização mais eficientes e inteligentes, claro que vai haver confronto, claro que temos que agir. Conte comigo, sou de BH, provavelmente, terão que ser criados núcleos em outras cidades, também. Ah, não sei pq mas o link do post que vc mandou por e-mail não abriu dessa vez. Consegui abrir através do twiter. Tenho convicção que a classe média reacionária aplaude e estimula o vandalismo, li um texto no blog do Saraiva que resume o que eu penso, também. Grande abraço.

    • Eduardo, mais uma vez, parabéns pela iniciativa … esse espaço se transforma, a cada dia, numa trincheira de resistência ao atraso e às intenções golpistas da direita esquizofrênica…
      .. embora tenha várias vezes discordado de vc aquí, creio que nesses tempos precisamos buscar os pontos de convergência, o que nessa quadra de nossa história são mais do que evidentes prá mim…
      .. aquí em BHz parece que estamos no covil das cobras … toda a imprensa/mídia por aquí está histérica, com alguns “jornalistas” até mesmo pedindo a renúncia de Dilma etc … a manipulação é covarde e sorrateira, a cara do psdb ..
      .. assim e porisso tudo, conte comigo, sim, para essa iniciativa …
      abç
      Rogerio Rais

  • Edu, estou dentro.
    Sou de Fortaleza, Ceará.
    Aqui as manifestações (impregnadas de jovens da classe média que nunca estiveram sob a tutela de uma ditadura) já foi cooptada pela direita facista.
    Estou sem esperanças, sem norte e muito desmotivado.
    Mas vou reagrupar minhas forças e me engajar no projeto.
    Quando se estender para cá, conte comigo.
    Abraço.

    • Pinheiro Neto, também sou de Fortaleza e já acompanho o MSM do Eduardo Guimarães desde muito tempo. Também faço minhas as suas palavras. Há uma onde sincronizada de informação para criminalizar as esquerdas onde muitos dão como certo que o vandalismo agora praticado foi uma arma do PT antes de ser governo. É uma mentira que rola em algumas redes sociais. Vamos que vamos!

  • Apoiadíssimo!

    Sou de Fortaleza/CE.

    p.s.: Edu, espero que seu telefone seja anti-grampo… você falou em ligações telefônicas e sabe como é, existem muitos ‘Guardiões’ por aí..

  • Concordo,Edu. Pode contar comigo.

    Professor aposentado do Instituto Federal de Educação, ciência e tecnologia de São Paulo

  • Manipulação esta solta ! Pessoas marchando repetindo palavras de ordem sem nem saber pq so pq “todos vão” Gente repetindo canção de propagandas televisivas e com agendas concordantes com instiruições que criticam… outros sabem bem qo que fazem e aproveitam a confusão mental de alguns… Concordo que é muito grave! Precisamos estar atentos e lutar Edu.

  • Apoio, Edu.

    Mas meu desânimo está mais a respeito desse nosso governo e do PT, pois eles não querem ser ajudados. Seus olhos e ouvidos estão hipnotizados e viciados pela mídia golpista. Enquanto Mercadante, Bernardo, Cardozo e assemelhados possuírem a voz e a caneta do poder, não teremos êxito. Temo que depositaremos nossas forças em construções onde as ondas quebram. Irmão, estou muito negativo, eu sei.

  • Conte comigo.

    Luiz Felipe

    Rio de Janeiro – RJ

    Os participantes do Rio de Janeiro deveriam ter um e-mail para se comunicarem e poder conversar também, inclusive para elegermos representantes para irmos pessoalmente a São Paulo para, juntos com os nossos irmãos Paulistas, encontrarmos soluções para evitar que os novos cabos Ancelmos sejam infiltrados em nosso tecido social.

  • É muito bom ter com quem poder falar, estou me sentindo realmente incomodado, mesmo companheiros de esquerda tem imensa dificuldade em perceber o que esta ocorrendo.

    Campinas – SP

  • Tenho me preocupado, há dias.
    Confesso que preciso de um certo tempo para organizar minhas ideias, mas, claro, sou favorável à resistência a esse possível “Golpe”.

  • Eduardo,

    Autorizo você a passar a o meu e-mail para todos os seus comentaristas de BH que queiram criar um coletivo aqui. Estou disposto a agregar o maior número de amigos a esse seu chamado. (Veja minha resposta para a Márcia Figueiredo)

  • Caro Eduardo,

    Sou do Rio de Janeiro. Concordo que existe uma gravíssima cooptação dos movimentos de contestação pela direita e extrema-direita. Mas vejo esperança de mudança. As esquerdas vem, com dificuldades, se unindo contra o “inimigo comum” da ascensão fascista.
    Tenho muito medo do crescimento eleitoral da direita que pode advir dessa confusão toda, e já tenho tentado, com sucesso relativo, reunir grupo de amigos para discutirmos ideias e propostas que, sem desprezar o incomensurável ganho social que veio na última década, em especial para as camadas mais humildes, pensem em melhorias e modificações que o país ainda precisa empreender.

    Alguns dos principais pontos que acho que deveriam ser abordados pelo governo do PT, e que, dificilmente tem se visto nas manifestações:

    -Taxação de grandes fortunas

    -Regulamentação e democratização da mídia

    -Desmilitarização de unificação das polícias

    -Reforma política com financiamento público de campanha

    -Estatização do transporte coletivo

    -Redução da jornada de trabalho para 40 horas

    -Reforma agrária

    Mas penso que a coisa tem melhorado. nesta semana, estive na plenária aberta, convocada pelos movimentos de esquerda e estudantes, e algumas dessas questões foram abordadas. Além disso, amigos que estiveram na manifestação de ontem já me contaram que o clima era bem diferente, com reivindicações bem mais politizadas e grande presença de militantes de partido.

    Enfim… não sei se concordo plenamente com sua visão – um tanto apocalíptica – mas gostaria de participar desse tipo de discussões, principalmente capitaneadas pelo MSM, que admiro. Tenho grande interesse em participar, e mesmo me filiar à entidade. O que devo fazer?

    Abraço fraterno,

    Rodrigo

  • Não sei se me expressei bem. Por mais que deseje ver modificações mais profundas em nossa sociedade, não quero ser parte de golpismo de qualquer lado e não quero dar ensejo ao fim desse processo, iniciado pelo governo do PT.

  • Gostei da proposta de combate. Sou militante de esquerda, acredito que a representatividade faz-se por aí. Assim, não proponho-me a filiar-me a uma ONG. Mas, admito discutir propostas. A primeira: referendo já, plebiscito, não.

  • Sou de Maceió.Você tem razão de pensar que essas manifestações não são espontâneas.A falta de mobilização da esquerda é muito esquisita…..finalmente estão esperando o quê?

  • Estou contigo EDU.

    Tento expressar justamente este sentimento de que estão arruinando algo que está dando certo.
    Certo para quem?
    Para as classes sofridas por 500 anos de dominação.
    A direitona não admite até hoje o fato do LULA ter dividido o bolo. Mas esquece que o pedaço dela também cresceu, visto que o país é absurdamente mais sustentável hoje do que era antes.
    Esquecem que o pobre quando compra, compra de alguém, girando a máquina industrial do país.

    É impressionante como esta sociedade é contaminada com o espírito de “Casa Grande e Senzala”.

    Abraços,

  • Oi Edu, quero participar, só que estou no interior de S.Paulo, o que puder ajudar por email, virtualmente o farei.

    Vera Lucia Pasqualetto – Bauru – São Paulo

    Pode contar comigo

  • Sinto-me indignado, com esta iniquidade, velho filme de segunda classe.Nossa Elites, utilizam novamente a corrupcão para ganhar os corações e mentes da classe media e jogar o Brasil novamente na escuridao da ditadura.Parabens Eduardo, estavámos sentindo falta deste canal, que canalizasse nossa revolta e fizesse confluir de forma proativa, toda nossa convicção e garra para resistir!

  • Valdir – S Paulo – SP. Pode contar comigo incondicionalmente, meu caro Eduardo. Acho que houve algum problema com meu comentário inicial de adesão, pois o mesmo não foi publicado.

  • Edu, certa vez depositei um dinheiro numa conta que vc me deu para ajudar o MSM. Não sei se estou afiliado ao órgão eu quero estar, portanto…

    Rildo Ferreira dos Santos – Nova Iguaçu, Rio de Janeiro.

  • 375 apoiando. No dia aprazado comparecem 50 e depois vem as justificativas; “Tive que levar a sogra ao médico”, ” Pensei que era amanhã”, “Minha mulher não me deixou ir por causa das arruaças”.

  • Abdias – JUIZ DE FORA – MG

    a coisa tá feia..a direita controla totalmente as manifestações…pedem de deposição da Dilma no face.

  • Demorou, Edu! Sinto-me perplexo como você, que foi uma das poucas pessoas que viram os fatos de forma realista desde o início. Estou no interior, em Campinas. Estou sempre compartilhando os teus textos no Face e no Twitter, e pode contar comigo para qualquer ação que estiver ao meu alcance.

  • MUITO, MUITO DIFERENTE!

    referendar=Aceitar a responsabilidade de alguma coisa já aprovada por outrem.

    plebiscito=Voto expresso diretamente pelo povo, que tem por objeto deliberar sobre uma proposta, uma lei ou resolução que lhe é submetida.

  • Moro no interior do Rio de Janeiro, continuo a apoiar o governo que ajudei a eleger pelo voto. E acho sua idéia muito boa. Só chamo atenção para uma coisa, o espaço aqui é importante também. Uma outra estratégia para esse espaço e prestar atenção nos jornais, mídias alternativas. Não no que eles falam, mas sim o que falta nesse discurso, o que sobra como pano de fundo é mais importante do que o que está iluminado.

  • Perfeita sua análise. Mesmo eu ainda não acreditando que vá ocorrer um golpe, sei que não quero ficar parado a esperar o que está para acontecer.

    Sou de Belo Horizonte e estou à disposição para fazer parte do grupo.

  • Caro Eduardo,

    Apesar de ter militado por muitos anos conclamando os cidadãos para irmos às ruas reivindicar cidadania, desta vez, desde o início olho com desconfiança essas manifestações conclamada por um movimento até então desconhecido para mim. Depois o comportamento do PIG que no início rechaçou, estimulou o a violência contra ele e agora estimula a violência a partir dele.
    Moro em Riachão do Jacuípe – BA. Não sei o que fazer, nem como fazer algo, mas gostaria ao menos de saber o que é possível fazer. Vamos à luta!

  • Edu, da forma que eu puder ajudar, conte comigo.
    Nem que seja para receber informações e repassar para meu círculo de amizades, pois assim tb ajudamos a difundir a palhaçada toda. Falo de Florianópolis – SC.
    abs

  • Edu, MG, BH,

    Em tempo, concordo inteiramente que essa onda brasileira pode estar sendo orquestrada.

    Acredito que a extrema direita quer deixar o governo na corda bamba e na eleição (se houver), dizerem: Dilma não consegue manter em paz o Brasil.

    • LH, se você for quem eu estou pensando que é, me ajude a criar um coletivo do MSM em BH para agirmos juntos.
      (Se você for esse, saberá fazer contato comigo)

  • Caro Edu.
    Como você sabe, moro no interior do Estado do Rio de Janeiro, na cidade do Carmo. Estou com você desde a fundação do MSM e agora mais ainda.
    O que eu puder fazer, pode contar.
    Abraços.

  • Olha eu aqui de novo!

    Estou dentro,ainda mais agora que a imprensa vem dando destaque para grupos de 50 pessoas.

    Antes com 4 vezes mais do que isso éramos invisíveis.

    Interessante seria confeccionarmos faixas enormes com dizeres”interessantes.”

  • não vou entregar de bandeja pra esses golpista …. nossa luta foi árdua até aqui .. o BRASIL mudou e sabemos disso .. somos e sempre seremos a favor da democracia assim sendo se quando tivermos q devolver nosso país pra esses ” desgovernantes ” .. então q seja através do voto e jamais por um golpe … assim estou aqui … moro em uma cidade portuária onde o PSDB já miséria … Paranaguá litoral do Paraná … se é pra lutar prefiro lutar do lado da esquerda ! …..

  • Venho defendendo esse governo , no OLobonlie com rechaço de ira e fúria dos direitistas que me dão mais ânimo de combate-los, pelo menos no ciberespaço. Congratulo-o pois até agora foi o único movimento consistente de reação concreta `a Reação de direita , oportunista.Barco à deriva acaba batendo em rochedo.

  • Prezado Edu, estou perdido, sou militante Ptista da corrente articulação de esquerda, estou vendo meu pais escorrer pelas minhas mãos, todo avanço foi jogado na vala comum . Meu fone residencial é 02732267132, celular é 2798843534, leio sempre seus comentários estou com você para ajudar não quero mais ditadura e a direita comandando o nosso grande país. Aguardo seu retorno, estou completamente perdido. Saudações. obs não aguento mais ouvir a cbn no carro do meu chefe estou sem carro, ouvir sardenberg tenho vontade de vomitar. O Brasil transformado por eles o pior dos mundos, toda momento parece igual o golpe da Venezuela.

  • Edu…concordo mesmo com o experimento do projeto Onda.Está acontecendo aqui e agora.Fiquei presa numa manifestação,motoristas atordoados,esgotados…Um deles largou o carro e foi bravo conversar com os estudantes…tbém sai do carro e fui ver a conversa…Motorista – Preciso atravessar a manifestação e eu nem votei no PT.Foi uma conversa com um conteúdo muito proveitoso.Os jovens na faixa de 13 ou 14 anos(apolíticos) e um homem que pra evitar o bloqueio se dizia horrorizado com o PT.Terrível, mas o nazismo começou do mesmo jeito.Acorda PT!!!!

  • Precisamos informar ao povo a verdade que nos é escondida diariamente.
    CARTAZES, CARTAZES E +++++++++++++++++CARTAZES nas manifestações para as pessoas ao menos se interessarem em saber o que os desgovernos tucanos fazem com o povo com a nação.
    A SONEGADORA DE IMPOSTOS rede LODO, o prevaricador gurgel, o big ben de propriá, as despesas de viagens de PRIMEIRA CLASSE da esposa do Gilmau dantas mendes, a festa de aniversário do fucks you e por aí vai.
    Estamos contigo para salvar o Brasil de verdade, pois muitos pensam que o Brasil veste camisa amarela e tem 22 jogadores.

  • URGENTE

    Edu

    a sua conta do uol não está recebendo as mensagens, acabei de te mandar
    uma para vc e ela voltou faça uma nova conta URGENTE, as pessoas querem lhe
    falar a sós, uol sempre foi um problema.

    Ademir/são roque/ em 1982 estive na fundação do pt.

  • Burgues que é burgues
    não aceita um bolsa-
    família menos ainda um
    cotista em uma
    faculdade. Estava
    também claro que eles
    viriam para a rua tentar
    barrar as recentes
    ´conquistas sociais.

  • Concordo, sou de Belo Horizonte.
    Pelo que tenho acompanhado aqui, pela internet, alguns líderes do PT de Minas Gerais têm se mobilizado, acompanhados por professores, MST, funcionários da CEMIG, e , também, o Frei Gilvander , incansável guerreiro na luta por uma sociedade mais justa e solidária, tem convocado a classe trabalhadora para as ruas.
    Ainda não fui, mas não faltará oportunidade.

  • Edú, estou em Vitória da Conquista-Ba pronto para a luta.
    Junto com outros companheiros tentaremos levar adiante o que for discutido pelo movimento e em pequenas reuniões, discutiremos algumas propostas e enviaremos para você.
    Abraços e vamos a luta.

  • Senhor Eduardo, me surgiu “na cabeça” lembrar-lhe da possibilidade de algum “adesista fictício”, apenas interessado em saber quais serão os “planos”…

  • Que essa iniciativa possa mostrar aos jovens brasileiros o que realmente vem ocorrendo em nosso país, e frear o golpe que se avizinha. Parabéns Eduardo.
    Uberaba – Minas Gerais

  • Estamos totalmente alinhados, exceto pelo começo do fato. Minha opinião é que este seria mais um protesto contra o aumento das passagens, como os que ocorrem todo semestre, e ação da polícia de SP atraiu os olhares e a adesão de muitos. Até esse ponto a mídia defendia Alckmin, mas o volume de pessoas nas ruas despertou a imprensa para a oportunidade de reverter o conceito da coisa, e aí veio a ideia de manipular o movimento, o que é muito fácil quando se tem todos os canais de TV e os maiores veículos impressos. De minha parte, logo no começo percebi que alguém usaria esse movimento, troquei minha foto pela imagem da campanha pela Reforma Política, liguei para o Instituto Lula, passei a trabalhar horas por dia no Face. Sei que tem muita gente fazendo a mesma coisa, mas precisamos mesmo unir forças.
    Também estou exausta, mas acho que se pararmos agora, a onda brasileira não será diferente da fictícia alemã.
    Sou de Goiânia mas, por uma feliz coincidência, ESTAREI EM SÃO PAULO DURANTE TODO O MÊS DE JULHO. Chego dia 04 de manhã.
    Estou à disposição. Sou especializada em Jornalismo Político e ex-Abraji, me afastei há um ano quando a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo foi aparelhada pelos tucanos. Renunciei ao jornalismo como profissão, fiz dele uma ferramenta, passo o dia instigando as pessoas a questionarem e postando provas de que estão desinformados sobre a realidade do país.
    Aguardo contato.

  • Estou nessa, em Águas da Prata, SP.
    Por aqui não acontece nada de diferente: interior profundo e calmo.
    A movimentação da Dilma me parece muitíssimo oportuna e espero que consigamos ter algumas melhorias no funcionamento político.
    Mas há notícias e situações muuito estranhas mesmo.

  • Eduardo

    Moro em uma cidade bem conservadora (Londrina-Pr), com dificuldades de mobilização das pessoas, o que der para eu ajudar daqui é só falar.

    Um abraço.

  • Sou paraibano da capital João Pessoa, residente na Avenida Bahia, 231, bairro dos Estados, CEP 58030-130, concordo em gênero número e grau. Sou aposentado e com disposição para o embate. Vamos a luta.

  • Concordo com várias críticas destinadas à classe média… acredito que seus piores defeitos são a hipocrisia, o preconceito com quem não assimila os valores dela, pensa, se veste, fala, ama diferente… Mas essa classe média também estuda muito e trabalha várias horas por dia… De toda a incoerência dessas manifestações fica uma importante lição: não se pode governar um país para os pobres, matando os mais ricos de ganhar dinheiro e sufocando a classe média até levá-la ao desespero… afinal, ela continua pagando 27,5% de imposto de R E N D A sobre sua remuneração pelo esforço físico e intelectual desprendido, continua não recebendo os serviços públicos que atendam às suas necessidades… Mas viu seu aluguel ir para as estrelas e o preço de sua pretendida casa própria também, viu as ruas se encherem de carros sem transporte público de qualidade/preço justo como alternativa… BRASIL para todos – os governos que aí estão nasceram das aspirações de boa parte dessa classe média, enquanto a esmagadora maioria dos pobres era manipulada, alienada e votava na extrema direita que se fazia maioria com os votos dos menos favorecidos…

  • A citacao do filme e perfeita. Estou em agonia total de estar vivendo isso de longe. Moro na Franca, mas vou sempre ao Brasil (Rio/RJ, onde tenho residencia) e quero manter contato , pra quando for ao Rio, em agosto proximo. Meu Deus, que “no passen” !

  • Estou longe dos grandes centros Palmas – TO mas já tínhamos cogitado isso. Ta muito estranho esse movimento e lavando a cabeça de uma galerinha que não viu como era antes. Eu estava lá!
    Sinto por não querer usar o face pra essa luta. Acredito na web pra divulgar o que é bom e o que é ruim.Mas de qualquer forma tô dentro!

    Torço pela conscientização da nova geração! PALMAS – TO

  • Caro Eduardo! Precisamos conversar e muito. Sou do Rio Grande do Sul e temos uma galera com disposição que adoraria ajudar. Gente sem mídia que trabalha com mídia.
    O maior obstáculo para profissionais do ramo, é sem dúvida nenhuma o MEDO, mas não é qualquer medo. É o medo de ficar fadado à perseguição e a estagnação de sua vida profissional, tamanho é o poder que esses grupos de comunicação exercem na sociedade, e principalmente e infelizmente nas universidades brasileiras de Jornalismo, publicidade e comunicação.
    Não sei se o melhor caminho a seguir é pôr essas instituições de ensino em cheque, talvez somente depois que o nosso primeiro objetivo for alcançado. Acho que não é segredo pra ninguém, nem pro Obama, que queremos democratização da mídia. Mas é preciso que seja feita por inteiro, precisamos mostrar que somos capazes de gerar conteúdo e ter estrutura administrativa superior aos múmias do cenário atual. Afinal, como todos sabem querendo ou não, é um mercado milionário.
    A paz entre a rede Globo e os governos Brasileiros está podre. Não há como perdurar, não há quem aguente.

  • A direita vem usando profissionais de internet sediados na Ásia, para divulgar suas mentiras. Precisamos nos organizar melhor para não perdermos as conquistas. Quero fazer parte deste grupo. Fui pioneiro na radiodifusão comunitária e colaborador na Radio Havana Cuba no departamento de emissões em esperanto.

    Emilio
    São Vicente – SP

  • Edu,

    acompanho vc todos os dias. Também vejo o PHA, Rodrigo Vianna, Azenha e Nassif. Todos deveriam participar…Vejo o golpe andando a passos largos. É impressionante como gente com certa cultura repete infantilmente tudo que a grande mídia inventa e fomenta. É triste, mas é assim que nossa classe média funciona…Estamos aí..
    RJ.

  • Sou de Maringá – Pr.
    Estou com você, tudo o que você expôs retrata o meu sentimento também, quando tudo isso começou,
    me lembrei desse filme, mas não me lembrava do nome, para mim esse filme era bem mais antigo e o
    ator principal era Sidney Pottier, mas isso não vem ao caso no momento quero dizer, parabéns pela
    iniciativa, conte comigo.

  • Brasil! “um filho seu não foge á luta”!
    Mais uma vez, Eduardo tens meu apoio do modo que for possivel.
    E é possivel de qualquer modo.
    Nova Iguaçu – RJ

    • Compartilho de suas idéias e creio que não é impossível reverter essa situação desde que seja um movimento organizado e coerente contra essa horda de nazifascistas que devido ao pouco acesso a educação, se transforma em manada e acredita estar reformando o Brasil.

  • Estou acompanhando o andamento dessas manifestacoes e concordo que algo precisa ser feito antes que seja tarde demais, gostaria de participar de alguma forma. Rio de Janeiro.

  • Caro Eduardo,

    Concordo absolutamente em tudo com as suas análises.
    Desde que começaram as manifestações olhei atravessado, querendo visualizar os cordões que a manipulavam, aliás coisa não tão difícil de se saber.
    Nunca conheci um mês de junho tão preocupante como este que vivenciamos.
    Tem sido duro confrontar as pessoas, discordar das paixões manipuladas, até mesmo de membros da família que acreditam piamente estão “mudando” o Brasil, que triste né?
    Manifestações idealmente corretas, reivindicações justas, porém na hora errada, no lugar errado.
    Direto de Feira de Santana – Ba, quero dizer que estou como sempre, pronta para mais uma batalha!

  • Edu, concordo com a sua análise sobre o momento que estamos vivendo,contudo não acredito que possamos fazer muita coisa. Todas os povos têm vários níveis de consciência, e a de nós brasileiros ainda está em formação e corre sério risco de nunca amadurecer. No entanto, tem me incomodado ficar apenas pensando sem nada fazer. Estamos juntos. Talvez eu descubra que gritar valha a pena. Sou piauiense e moro em Salvador.

  • Estamos juntos. Não foi fácil, junto com os governos Lula e Dilma , chegarmos onde chegamos. A volta da direita raivosa e irracional, nem pensar.

  • Eduardo,
    eles passarão…eu passarinho, se estivermos juntos seremos um bando.
    Só é possível para estes manifestantes sentirem-se úteis para transformar a nação entoando em seus pleitos o discurso de uma mídia vendida, traidora e sem compromisso com o país, porque estes estavam adormecidos. Nada mais justo para com este país o movimento que estas defendendo. Não podemos permitir um retrocesso no desenvolvimento que já atingimos em todos os setores e que uma mídia entreguista quer acabar.
    Como podemos aceitar que uma mídia, que diz ser pacífico um movimento onde ela mesma é impedida de estar entre os participantes, possa ditar o que será melhor para nós! Podem os meios de comunicação concedidos pelo povo verem pessoas e patrimonios, públicos e privados, serem vandalizados, e seus repórteres estarem ao lado dos policiais e os mesmos não terem a dignidade de cobrarem que estes se mobilizem para protege-los.
    Onde querem que estas massas ordeiras ou descontroladas cheguem? Nós sabemos Eduardo.
    Abraço

  • Ótima ideia, Edu. Mas, vc já pensou a respeito dos infiltrados que comparecerão a essas reuniões? Sou de Curitiba, por favor me inclua nesta lista.

  • Aííí, Duzmeu! Vou completar um ano com uma inflamação nos pés; acho que nem vou conseguir fugir dos mercenários da direita… Mas estou convosco faz anos! Me inclui nessa que tenho alguns cérebros militantes para multiplicar. Mas também vamos manter o otimismo e a crença laica de que nossos Governos vão fazer do limão um suco de anti-oxidantes!! ´NÓS é que vamos OXIDAR A DIREITA!
    Ah! Manda o número da conta bancária do MSM!
    Há braços!

  • Não sendo de São Paulo não sei muito como participar. Mas concordo que tem que haver uma reação organizada, por todos que compartilham de idéias progressistas,antes que seja tarde demais. Desde o início estou muito preocupada com esta “onda” que assolou o país, tenho acompanhado seus comentários, muito lúcidos como sempre eestou ansiosa por uma tomada de atitude da esquerda desse país.

  • Edu, quero participar. Sou do interior de São Paulo. Talvez possa ir em algumas reuniões na capital, ou ajudar da maneira que for possível. abraços.

  • Estou nessa. Agora mais do que nunca, e até que enfim, é hora do lema de nossa bandeira. Ordem “para o” progresso.
    Juiz de Fora-MG

  • Edu, boa noite.

    Sou de Goiás e estou pronto para unir os esforços em prol do futuro do país mais democrático e mais justo com o seu povo!!

  • Quero participar, me envie com urgência os canais de contato. Ainda bem que somos muitos. E vamos nos preparar a guerra apenas começou. E eu não quero ficar parada vamos agir companheiros e companheiras.

  • Nossos filhos não merecem que fiquemos parados. Não moro em São Paulo, não tenho ideia de como participar. Apenas sei que não posso ficar sem fazer nada. Conte comigo.
    Maria Assunta

  • Sou de Porto Alegre. Trabalho numa estatal federal, cujo sindicato está sendo dirigido por uma turma de esquerdistas e anti-petistas.Na minha categoria viceja a insatisfação e desilusão com o PT, muito por conta do perfil patronal adotado pelos atuais diretores, na maioria ex-sindicalistas ligados ao PT. Vejo cotidianamente o germe do golpe em movimento, unindo extremo-oportunistas, desiludidos rancorosos e direitistas assumidos. Quero também um espaço para construirmos propostas e ações para deter esta marcha de insanos. Pode contar comigo. Venceremos!

  • Conte com meu apoio Eduardo. Gosto de ler seu blog e de suas ideias. Não sou petista, mas pelo que analiso na política, sempre entendi que a razão está com a centro-esquerda, onde há um discurso mais franco, sendo inegáveis as conquistas da última década, apesar de problemas de percurso que existem em qualquer lugar do mundo. Não moro em SP, mas gostaria de ajudar. Vamos defender o Brasil!

  • Também estou junto, Edu.

    Sugiro como início de atividades discutir e definir modo de cobrança e divulgação de ação junto ao MPU

    quanto aos escândalos engavetados na PGR, como o mensalão Tucano, a Privataria tucana, Mensalão do

    DEM, e tantos outros. Li que há possibilidade de não ocorrer julgamento deste último ainda neste ano, o que

    possibilitará novamente candidatura do Arruda ao governo do DF.

    Imagino que a divulgação simultânea de assuntos semelhantes através dos diversos blogs progressistas,

    além do uso do facebook e outros meios, com o devido debate e enfoque, dará aos temas maior alcance.

  • Desde o inicio suspeitei dessa teoria do psol estar envolvido,principalmente apos assistir a entrevista do MPL, no Roda Viva.Achei-os muito bem fundamentados politicamente,e dizendo-se apartidarios,sem sequer se declararem como de esquerda.Leio seu blog todos os dias e considero-o muito lucido.Nos que lutamos pela democracia ,nos variados foruns,sabemos dar o devido valor a ela. Pode contar com o meu apoio e o que precisar,mas quanto a presença fica dificil,moro no interior do Rio de Janeiro.

  • Edu acho que várias cabeças pensam melhor:
    :
    Gostei da ideia do Dias.
    :
    A melhor maneira de se acabar com um apelido é fazer de conta que ele não existe.
    A melhor maneira de acabar ou modificar manifestações, é fazer de conta que ela já passou a sua primeira fase.
    Acho que para o momento, é preparar discursos de que foi ótimo as manifestações embora tenham sido uma merda, E fazer a pregação de um segundo momento, começar discutir plebiscito e referendum
    :
    Propor dizeres cartazes, e colocar nas mãos desses bobinhos que vão pra rua sem saber porque.
    TIPO ASSIM:

    O QUE VOCÊ MUDA COM PLEBISCITO……………………..O QUE VOCÊ OBEDECE COM REFERENDUM
    Listar as possibilidades de mudanças………………………..Listar às possibilidades que voce terá que dizer
    com o Plebiscito …………………………………………………………..Sim, ou seja um conjunto de mudanças para
    – Reforma política………………………………………………………….Ficar tudo como era antes.
    -Financiamento de campanha
    -Lei dos médios
    Etc

  • Sou professor e digo isto para os meus alunos “animadinhos” com as “brincadeiras” de rua: vocês estão destruindo hoje o emprego de amanhã. E procuro saber o que eles conhecem da história do Brasil, das tentativas de golpes, e do que vem acontecendo recentemente. Desgraçadamente, eles não sabem muita coisa, e como um papo de alguns minutos fora do programa da disciplina não altera a percepção anárquica que eles têm do mundo, o assunto descamba sempre para o último modelo de “carrão” importado e da modelo mais “gostosa” que circula nas passarelas da vida. Esses meus alunos não podem ser chamados de despolitizados. Pelo contrário, eles são “politizados” pela Globo. E se for preciso destruir o Brasil para destruir um partido levemente progressista, que se destrua o país. E isto já está sendo feito e com muita habilidade pela direita, com a ajuda inestimável dos bisnetos de Hitler. Adeus emprego no futuro!

    • Infelizmente, é isso mesmo que tenho observado à minha volta, mas, em determinados ambientes, por qualquer observação que eu faça, sou vista como antiga e careta, fora do tempo. Ontem mesmo, comentando esta situação com reivindicações tão generalizadas, eu considerei que atualmente estamos vivendo uma boa fase, comparada com as décadas passadas. Minha sobrinha, estudante de curso superior, retrucou de forma irônica: é mesmo? será?Então me lembrei de uma colega de faculdade, em 1966/7, que tinha um defeito físico no pé, e foi presa e torturada. Não podíamos andar em grupos, nem mesmo em dupla, vinha logo a ordem: circulando, circulando!
      Por tudo isso, acho que os governos, tanto o federal quanto os estaduais e municipais deveriam incentivar e abrir mais espaços para o estudo de História e Filosofia, pois isto é prioridade para a formação dos nossos jovens.

  • Estou dentro, feliz com a organização de um movimento pela defesa das conquistas, políticas.
    Impossível não aderir ao chamamento.
    Vamos, lá!
    Estou no Rio – Zona Oeste.

  • Concordo com o que você escreve, gostaria de fazer parte deste núcleo pensante. Estou também atônito com o que acontece. Sei que não é espontâneo e mais do que isto. Este movimento que teve inicio sobre um lema de abaixar o custo da passagem de ônibus e acabou sendo usado para se dar inicio a um golpe as instituições e a tomada do poder pelos que neste momento não aceitam que a maioria usufrua o que é produzido em impostos e que voltam em serviço para a população em sua grande maioria.
    Obrigado pela atenção.
    .

  • A meninada está sendo enganada.Promove-se a bagunça,baderna,depredações(e mortes) e o descontrole, até o aparecimento do “salvador”,incensado pela mídia, que irá restabelecer a “ordem”.Já vimos esse filme.Só falta saber quem será o nosso Carmona.A FIESP,de histórias não muito edificantes,(Skaf)já flerta com alguns candidatos.

  • Caro Eduardo Guimarães
    Aqui de Aparecida de Goiânia – GO estarei sempre disposto e atento para engrossar as fileiras que defenderão o legítimo Estado de Direito.
    Aguardo seu comunicado.
    Wilson Carvalho Alves

  • Em várias cidades, o caráter de classe dos manifestantes mudou drasticamente. Com a CUT, o MST e outras entidades participando, a luta começa a mudar: ao invés de ser para derrubar Dilma, é para exigir que seu governo faça uma curva à esquerda, ou seja, que o governo retome a reforma agrária, faça a democratização da mídia (reforma agrária na mídia) e outras demandas. Para isso, Dilma contará com a força do povo para defenestrar gente como Helena Chagas, Paulo Bernardo, Zé Cardoso, Guilherme Afif Domingos e outros que são a direita encastelada no Palácio do Planalto e que, por isso, paralisam o governo.

    Pesquisa do instituto databranda mostra uma queda de Dilma. Que sirva de alerta, há um ano e meio das eleições, para que o PT deixe de confiar em “trackings” e volte a militar nas organizações populares para se re-enraizar na classe trabalhadora.

  • Pernambuco, Recife. Apoio a sua ideia, só não sei o quanto minha colaboração será afetada por você estar tão longe. De qualquer forma, quero muito ajudar pois partilho exatamente dessa visão, e ao contrário de outros a exponho aos quatro ventos para quem quiser ouvir(nunca tive medo de briga e não seria agora que um espírito de fanatismo iria me fazer recuar), mas entendo que é mais do que urgente que reajamos a esse golpe em curso, criado por interesses nacionais e estrangeiros(é óbvio que a CIA está ao lado da classe dominante, coordenando esse bando de fascistas juvenis, os “métodos” utilizados lembram com clareza golpes anteriores que os EUA promoveram pelo mundo, principalmente na América Latina)e acredito que a reação tem que partir para atitudes concretas, ou seja, não podemos combater ações práticas somente com teorias, mas principalmente com ações igualmente práticas em sentido contrário. Contudo, sem uma teoria e um planejamento bem adequado a direcioná-las, nossas ações práticas tornam-se improducentes, difusas, e podem até beneficiar a extrema direita, juvenil e senil, que organiza esses golpes. Por isso, a organização das pessoas capazes de enxergar a sabotagem que está por trás dessas “passeatas”(as quais já começam a cooptar, intencionalmente ou não, até sindicatos ligados à CUT, que resolveram planejar um greve, ou atos de paralisação, no momento mais inoportuno)é essencial para articularmos a reação, a qual passa sem dúvida por desmoralizarmos o discurso pseudomudancista desse marginais, mostrando que são incapazes de atacar os verdadeiros culpados pelos problemas que fingem questionar, construindo uma narração paralela que aponte os verdadeiros motivos e quem de fato são esse bando de golpistas. O momento é gravíssimo, mas acredito que da mesma forma que em 2005, se as forças populares souberem reagir(e não devemos esperar um Lula para iniciar essa reação, Dilma não tem esse grau de liderança e nem carisma para construí-lo)e conseguirem desmoralizar esse golpe através da explicitação de sua verdadeira natureza, poderão produzir uma catarse em sentido contrário(até porque existe uma maioria silenciosa, milhões de brasileiros que passaram a ter dignidade em suas vidas graças aos doze anos de Governos do PT e não participaram desse circo, prontos para serem despertados de sua letargia ao perceberem que o verdadeiro alvos dos “manifestantes” de classe média alta são eles, mais precisamente pretendem retirar-lhes tudo o que conseguiram e devolvê-los à miséria e à falta de perspectivas do tempos de FHC), não somente recuperando a confiança da maioria esmagadora da população no Brasil, se é que ela foi abalada, mas fazendo soar para o resto do mundo; que está sem dinheiro e tem que ouvir as vozes de um Mercado Consumidor de milhões; que este país continua a potência em ascensão de sempre, que não serão fanáticos que irão retirá-lo dos trilhos, e que o projeto de uma nova Sociedade continua em plena formação

  • Eu quero participar: Ribeirão Preto – SP. Nunca tive qualquer atividade relacionada com o jornalismo, mas como faço para me filiar ou colaborar de alguma maneira ao MSM?

  • Eu já tinha comentado com meus filhos sobre o filme A Onda, e sobre a semelhança com o momento atual.
    Semelhança de certa forma meio previsível…. percebo entre os amigos de meus filhos muitos jovens inteligentes, mas que não têm a memória da ditadura e dos anos FHC. tudo o que conhecem é o Governo Lula, já pegaram tudo “pronto”, um estado de bem-estar social, econômico e cultural crescentes. Uma geração-sem-lugar-na História. Uma geração que não aprendeu a fazer o debate, a ir para a luta, a respeitar as formas de organização da sociedade. Uma geração sem lutas (“por um mundo sem wi-fi???”). Uma geração que pensa que a vida pode ser um vídeo-game.
    Sugiro aos que me lêem que assistam tb ao filme EDUKATORS, imperdível!!!!

  • Quero participar, quero me filiar ao MSM e acho que vc tem razão em não abrir as discussões por aqui, pela internet… sinto exatamente isso … depois que li o livro do Assange e vendo como a midia golpista se apoderou da maior parte da nossa internet… é preciso mesmo muita atenção e não fazer um gol contra… bom, moro no Rio e espero que possamos organizar uma assembleia aqui também.

  • Caro Eduardo,

    Estou em São Paulo-capital.
    Se for necessário pego até em armas para defender nossa jovem democracia ameaçada.
    Conte comigo.

    João

  • Fiquei surpresa (melhor dizendo, [email protected]) com o entusiasmo de parte dos analistas com as manifestações, principalmente a partir do dia 17. Você lembra do filme A Onda. Eu, de Hanna Arendt.
    Estou em São Paulo-Capital.

  • Claro que quero partipar, e estou em São Paulo/SP
    Quanto ao texto, estou sem folego…
    Tudo que eu sempre quis, mas não tinha palavras para falar!

  • Eduardo,

    Apoio o MSM e gostaria de me manter informado sobre as discussões e atos públicos.

    Com relação ao Plínio (PSOL), ele não disse que preferia o Serra como prefeito, mas como concorrente, pois seria mais fácil derrotá-lo no segundo turno.

    Sou ex-paulistano e moro em Salvador/ BA desde 1995.

    Um beijo na Victória.

    E um abraço,

    Rivaldo

  • Algo tem que ser feito com urgência e cuidado. Nem sei o quê, mas urge que comecem a discutir como enfrentar e anular sem violência, essa onda que cresce porque está envolvendo muitos inocentes úteis, que repassam no facebook reivindicações embutidas que são próprias da oposição. O Zé Serra está “aparecendo” mais que o normal ultimamente, é bem capaz de estar orquestrando tudo isso. Pelo menos posso repassar o que for necessário. Sinto no ar um forte Cheiro de Golpe ! É hora de cuidar!

  • Caro Eduardo,

    Gostaria de fazer parte do Movimento dos Sem Mídia. Infelizmente é pouco provável que eu esteja na Assembleia do próximo dia 3, por conta de dificuldades com deslocamento (moro em Valinhos; trabalho em Campinas), mas estou disposto a integrar a este esforço e poder contribuir de alguma forma e ampliar o movimento para outros lugares (ontem mesmo tive uma experiência um tanto desagradável com um jornal local).

    Meu e-mail, para envio de informações e contato, é o [email protected]

    Um grande abraço!

  • Florianópolis, SC.
    Desde o início em que as hordas foram pra rua, não me pareceu natural. Algo sinistro deve estar por trás, fomentando tudo isso. Agora parece que amainou; talvez uma retirada estratégica pra calcular o estrago. Muitas marias-vão com as outras desistiram de se juntar ao estouro da boiada. A conferir amanhã no final da tal Copa das Confederações, e nas semanas seguintes.

  • Eduardo, só para avisá-lo que você não está sozinho nessa e não somos poucos. Em Florianópolis estamos eu, meus pais e meu irmão preocupados com o que estamos vendo. Assim como você, luto desde os 12 anos de idade por esse projeto de país e não vou e não quero deixar uma corja tomar conta. Acredite, precisamos de força nos bastidores, no boca a boca, na atitude inteligente e na sabedoria de pessoas como você, que tem a capacidade de mover multidões. Aguardamos as pautas das reuniões de vocês aí em SP. Se preciso for vamos pra São Paulo também. Um abraço!

  • Pessoal, é legal ver o que muitos escrevem aqui: “Edu estou nessa” Ëdu, estou contigo” Ëdu, conte comigo”, agora na prática, na prática mesmo, isso não acontece, pois muitos apenas vão apenas na empolgação….
    Haja vista a ajuda que o Eduardo pediu aqui para manter o blog e são poucos os que contribuem para mantermos esse blog vivo e atuante. A participação de todos escrevendo, reproduzindo os posts, comentando alertando, é muito importante, mas se não houver uma ajuda financeira corremos sérios riscos de perdermos esse importante espaço democrático. Vamos ajudar pessoal.

  • Não deixar que a farsa histórica se repita!!

    Tenho 48 anos, e vejo nisso tudo a história se repetindo… A velha direita, sicofanta, lacaia e vulgar, querendo frear mais uma vez a marcha verdadeiramente democrática deste país… Foi assim com avanços getulistas, com os sonhos progressistas de cunho social ceifados pelo miserável golpe de 64… Eles estão de volta, e Marx estava certo: a história se repete…

    Abraços a todo(a)s as pessoas lúcidas deste país, e vamos à luta pra sobreviver e dá vida aos que virão!!

  • estou contigo e todos os demais. o Brasil é muito bom para ser deixado nas mãos
    de uma corja egoista, cruel, depredadora e sem amor por sua pátria.

  • Bom dia.
    Apoio totalmente a iniciativa e quero registrar que estou um pouco decepcionado com os blogueiros progressistas, especialmente aqueles que estão no Barão de Itararé, porque suas avaliações ajudaram a dar crédito a uma iniciativa que já tava na cara, tinha a pretensão de desestabilizar o País.
    A pesquisa do Dataflaha registrou as consequências desse trabalho. Os blogueiros progressistas deram muito mais oxigênio para a oposição do que todo o exército de colunistas do PIG juntos.

  • Quero estar com todos os que, de boa-fé, se dispõem a defender (de todas as formas que forem necessárias) o governo da Presidenta Dilma e o legado do Presidente Lula.

    Golpe Nunca Mais!!!

    Rafael Patto

    Rio de Janeiro – RJ

  • Sou do Rio de Janeiro, RJ, filho de Georgina Martins, sigo suas postagens no Facebook e em seu blog. Tenho 15 anos, e desde o princípio dessas manifestações acho que é algo forjado para manipular os apolíticos, grande parte do nosso país, a irem as ruas com pequenas “reivindicações”, crescendo de uma forma absurda, como um vírus. Um vírus que cresce, sem que percebam, para desestabilizar um governo, que por mais que muitos não saibam, foi um dos melhores que o nosso país já viu. Eu estou com você, não quero ficar de braços cruzados vendo um golpe covarde acontecer.

  • Caro Eduardo, quero manifestar total concordância com o que você postou acima. Tenho medo, mas não me falta coragem de enfrentar o autoritarismo novamente, desta vez de forma mais perigosa: o fascismo em sua mais pura manifestação. Estou horrorizado. As manifestações que estão ocorrendo apontam para a implantação de mais uma ditadura, que pode ser de direita ou de esquerda. Não gosto de viver em um país onde o direito de divergência não seja respeitado! Lutar sempre! É por isso que estou com você e o movimento dos Sem Mídia – poderemos fazer a diferença e não deixar o país cair nas trevas novamente.

  • Não sou de São Paulo, não estou sequer no Brasil. Mas estou preocupado com tudo o que está acontecendo, lendo coisas de arrepiar os cabelos nas redes sociais, quero me manter informado sobre o que todos que discordam das manifestações cegas estão falando. Obrigado pelo convite!

    Rio de Janeiro – RJ

  • Admirado Eduardo,
    Tenho sido um leitor eventual do seu blog neste ano porque meu tempo está limitadíssimo, o que me faz muita falta. Da mesma forma, tenho acompanhado as movimentações de rua nas últimas semanas com um misto de esperança e receio. Penso, como em outros ocasiões, que o gov